Page 1

Impresso Especial 9912282533/2011 - DR/MG

Associação Beneficente Nhá Chica

CORREIOS

Órgão Oficial da Associação Beneficente Nhá Chica - Baependi - MG / Ano V - Nº 60 - dezembro de 2012


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Expediente Nhá Chica Informativo

Notícias do Santuário e da ABNC

dezembro de 2012 - Ano V - Nº 60 Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor Província Brasil / Bolívia Provincial Madre Cristina Alves Ribeiro Diretora da ABNC Irmã Claudine Ribeiro Vice-Diretora da ABNC Irmã Gertrudes das Candeias Conselho de Comunicação da ABNC Irmã Sandra Aparecida Gontijo Francisco Joaquim de Siqueira Flávia Maria Maciel Neves Yolanda Aparecida Fernandes Eduardo Luiz Magalhães Brochado Programação Visual Nádia Ferreira Vilas Boas Editor / Jornalista Responsável Sérgio Monteiro Mtb 7697/02 CTP e Impressão Gráfica e Editora Novo Mundo São Lourenço - MG Tiragem 10.000 mil exemplares Associação Beneficente Nhá Chica - ABNC Rua da Conceição, 165 - Centro Baependi - MG / CEP: 37.443-000 Tel. (35) 3343-1077 Fax. (35) 3343-1661 E-mail: contato@nhachica.org.br Website: www.nhachica.org.br

Irmãs Franciscanas do Senhor 127 anos promovendo a Paz e o Bem

2

Opinião Celebrar o Natal! Quanta alegria estarmos juntos e podermos relembrar esta data tão fundamental para nossa fé cristã, quando o Filho de Deus nasceu como homem na terra, numa simples manjedoura, para cumprir a vontade de Seu Pai e resgatar toda a humanidade. Este é o espírito do Natal: saber que alguém se sacrificou por nós e que este alguém deixou um legado de amor ao próximo que deve ser seguido por todos aqueles que buscam a salvação no Reino de Deus. Passamos pelo Advento antes de chegarmos propriamente às celebrações do Natal. Um tempo forte de preparação para a vinda do Senhor, momento que aponta para a missionariedade da Igreja, que é chamada, a todo tempo, a anunciar a vinda do Reino de Deus. Celebramos no Advento o “já” e o “ainda não” da Salvação. Contemplamos o Cristo que já se fez carne no meio de nós e o esperamos em sua segunda vinda gloriosa e definitiva. Por isso, a vivência destas semanas deve ser marcada por uma jubilosa expectativa, vigilância pela oração, esperança e conversão, num amor ao próximo incondicional, assim como Cristo nos amou. Amor ao próximo que demonstrou também Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, a Mãe dos Pobres, devota da Virgem Maria, que sempre tinha em suas palavras, gestos e ações um conforto para quem a procurasse. O mesmo amor que encontramos nas Irmãs Franciscanas do Senhor, que, trabalhando dia e noite, sem parar, formaram uma obra que acolhe crianças mais necessitadas e que educa para a cidadania. Um serviço reconhecidamente fundamental em toda a comunidade onde atuam, acolhendo me-

nores em risco, salvando-os de uma vida ainda mais dificultosa, dando-lhes amor, carinho, educação, alimentação, oferecendo-lhes a esperança de um futuro melhor. E, neste momento, quando falamos de Natal, de amor ao próximo, de solidariedade, não podemos deixar de registrar os agradecimentos às centenas de benfeitores que reconhecem na obra assistencial da Associação Beneficente Nhá Chica um trabalho ético, digno e verdadeiro, que estendem suas mãos diariamente, para que a atuação das Irmãs frente a esta associação possa se consolidar cada vez mais, como tem acontecido nestes últimos 58 anos. As crianças da ABNC recebem uma educação diferenciada dentro de um projeto pedagógico; fazem mais de três refeições ao dia, tomam banho na instituição, recebem cuidados de profissionais dedicados, além de formação cristã dentro da espiritualidade de Francisco de Assis e da Venerável Nhá Chica; encontram, todas as manhãs, um lugar especial para acolhê-las. Todas as crianças, meninos e meninas, querem agradecer a todos que colaboram de forma direta e indireta. Sem a graça de Deus e o apoio de cada um dos benfeitores esta obra não seria possível! Que, sob as bênçãos de Nhá Chica e de Nossa Senhora da Conceição, o Natal de cada um seja iluminado. Vamos, desde o Advento até o Natal e especialmente em todos os dias de nossas vidas, acolher aquilo que nos transforma e renova! Começar uma etapa nova na caminhada para Deus e seu Reino! Disse Jesus: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai SENÃO POR MIM” (Jo 14:6).

Espaço dos Leitores Rio de Janeiro, 29 de outubro de 2012. Venho, por meio desta, acusar o recebimento da correspondência da Associação Beneficente Nhá Chica e agradecer pela atenção e carinho, enviando-me a biografia de Nhá Chica, a Novena à Imaculada Conceição, orações e as medalhas da Imaculada Conceição e de Nhá Chica. Fiquei muito emocionada e feliz, pois chegou no momento de minha vida em que mais preciso de ajuda. Estou certa de que com muitas orações e fé serei agraciada com vitórias. Muito obrigada por tudo e em breve visitarei a ABNC, pois agora tenho atualizado o endereço. Abraços, com muito carinho e fé! Elizabeth G. Lima


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Reveja os passos no Caminho da Beatificação de Nhá Chica 1952 - Início da campanha pela beatificação. Sem sucesso, este processo ficou parado (não teve prosseguimento). 1989 - Nova instalação da Comissão em prol da Beatificação. 1991 - Nhá Chica recebe da Congregação para as Causas dos Santos do Vaticano o título de Serva de Deus. 1992 - Comissão instalada de forma definitiva em 14 de janeiro. 1993 - Início do Processo Informativo Diocesano em 16 de julho. 1995 - Encerramento do Processo Informativo Diocesano, sendo o mesmo enviado a Roma. 1998 - Em 18 de junho, foi realizada a exumação dos restos mortais de Nhá Chica, na presença de autoridades eclesiásticas, de membros do Tribunal Eclesiástico pela Causa da Beatificação de Nhá Chica e médicos legistas. 1998 - Tribunal Eclesiástico Pela Causa da Beatificação de Nhá Chica apresentou à Diocese de Campanha um provável milagre para ser enviado e analisado pelo Vaticano. 2001 - Acontece a publicação da ‘Positio’, documento que reúne todos os dados e testemunhos recolhidos durante a fase Diocesana, que corresponde à primeira etapa do processo de beatificação. 2004 - Em 30 de abril, bispos brasileiros reunidos na 42ª Assembleia Geral de Bispos do Brasil (CNBB) assinaram um documento pedindo pela beatificação de Nhá Chica. O documento, que reuniu 204 assinaturas de Bispos de 25 estados brasileiros, foi encaminhado pela Diocese de Campanha ao então Papa João Paulo II. 2010 - No dia 8 de junho, teólogos da Santa Sé emitiram parecer favorável às virtudes da Serva de Deus Nhá Chica. 2011 - Em 14 de janeiro, o Papa Bento XVI aprovou as virtudes heroicas de Nhá Chica: castidade, obediência, fé, pobreza, esperança, caridade, fortaleza, prudência, temperança, justiça e humildade. 2011 - No dia 14 de outubro, o Milagre é reconhecido. A comissão médica do Vaticano (da Congregação para as Causas dos Santos) analisou o possível milagre ocorrido por intercessão da Venerável Nhá Chica em favor da senhora Ana Lúcia Meirelles Leite. Todos os 07 médicos deram voto favorável: a cura não tem explicação científica. 2012 - O Estudo do Milagre pela comissão de Cardeais da Santa Sé aconteceu em 5 de junho e o parecer também foi favorável. 2012 - Em 28 de junho, o Papa Bento XVI assina o Decreto em que é reconhecido o Milagre atribuído à intercessão de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. 2013 - 11 de maio, data escolhida para a cerimônia oficial da Beatificação de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, que acontecerá em Baependi (MG).

São muitos os registros sobre a vida santa de Nhá Chica. Retirado do livro escrito pelo Monsenhor José do Patrocínio Lefort, este trecho ressalta a vida de virtudes de Francisca de Paula de Jesus.

Modelo de Santidade e de Vivência Cristã Daqui e dali escolhendo e separando algumas designações, podemos juntar, alinhavar e coser uma belíssima Colcha de Retalhos na vida de Nhá Chica. Ei-la: “Fiel serva de Deus, cheia de fé... zelando pela pureza de sua alma como templo do Espírito Santo... buscando no coração de Nossa Senhora graças e consolações... de uma caridade tão iluminada e imensa... muito esmoler a ponto de ser chamada mãe dos pobres... das esmolas que recebia, repartia com os mais pobres que ela... para todos tinha palavras de consolação e de conforto, a promessa de uma oração... sempre a fazer o bem, aconselhando, animando... a eleita de Deus... maravilhoso exemplo de vida cristã... viveu uma vida monacal em sua própria casa... assim passou sua vida vivendo entre o céu e a terra”. Tantos exemplos de uma Fé profunda em Deus, de um Amor acendrado e intenso a Nossa Senhora, de tantas virtudes cristãs que a fizeram estimada e querida de tanta gente de seu tempo e de até os nossos dias, Nhá Chica é um dos tesouros da Igreja. De um conjunto de virtudes que ilustraram e marcaram sua vida, sobressaem a cada instante: - Sua Humildade em atribuir todas as vitórias a Maria Santíssima: “eu rezo e é Deus, pelos merecimentos de sua divina Mãe, que me atende”; - Sua Caridade, conforme expendemos no alto deste capítulo; - Sua Pobreza, a inseparável amiga que a movia a fazer de sua casa um verdadeiro asilo de pobres; - Sua Santidade de vida, continuamente apreensiva em transmitir a todos lições de espiritualidade e de vivência cristã. Tudo isso a fez eleita de Deus e Modelo de santidade para todos os leigos que também podem alcançar a perfeição e o reino dos Céus. Não são apenas o Clero e os Religiosos e Religiosas que devem ser santos, mas todos os cristãos que amam a Deus e para Ele vivem. “A Santidade não é privilégio de ninguém; todos nós somos chamados à perfeição cristã e Jesus Cristo é o segredo da santidade; conhecê-lo, amá-lo e servi-lo é o caminho que leva todo homem à perfeição... A glória dos altares não é para todos, mas todos nós podemos e devemos ser santos... Os santos trabalharam para a glória de Deus e salvação dos homens, pelos quais se imolou Jesus Cristo.” Esse caminho percorrido por Nhá Chica, em busca da santidade, foi sempre o da consciência da presença Divina, as constantes súplicas e orações, como a devoção ao Senhor ao meio-dia, o Ângelus, a Salve Rainha, as preces às chagas de Jesus Cristo e o Rosário. Meios que ainda estão ao nosso alcance, já no Terceiro Milênio, quando o mundo, mais do que nunca, precisa de modelos de santidade, que vivam com os pés no chão, mas com os olhos no céu.”

3


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Beatificação e Canonização no Caminho da Honra dos Altares muito grande a alegria de devotos e fiéis no mundo todo à espera pela cerimônia de Beatificação de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. O dia 11 de maio de 2013 entrará para a história daquela que se dedicou aos pobres, viveu uma vida de virtudes e que sempre foi aclamada pelo povo como Santa. A santidade, na verdade, não é a Igreja que determina. Ela apenas autoriza o culto à pessoa que, em vida, demonstrou todo um comportamento santo, como deseja Deus para todos os seus filhos. Com a Beatificação, torna-se oficial a ação de cultuar aquela que, em vida, já viveu pelo bem do próximo e se dedicando às coisas do Reino do Senhor. No caminho de Nhá Chica para a honra dos altares, seus devotos aguardam a data da cerimônia que, enfim, a colocará como BemAventurada para a definitiva alegria de todos. Com tanta expectativa, surge um questionamento: qual a diferença entre beatificação e canonização? A primeira diferença entre a beatificação e a canonização é quanto ao tipo de ensinamento da Igreja. Quando o Papa declara alguém Beato, isto é considerado um ensinamento oficial da Igreja a respeito daquela pessoa. Isto significa que ela viveu as virtudes cristãs de forma heroica ou, então, se é o caso de um mártir, que ela recebeu um martírio verdadeiro. Quando alguém é declarado Santo, é diferente: isso é feito de forma solene, com uma declaração infalível, que só o Papa ou

É

4

os Bispos todos do mundo inteiro, unidos em Concílio, podem fazer. Essa declaração é chamada declaração de magistério infalível, ou seja, é um dogma, é uma verdade irrevogável e definitiva. Quanto à vida virtuosa da pessoa, a canonização não acrescenta nada de novo ao que já foi falado na beatificação. Esperase também o reconhecimento de outro milagre na confirmação desta canonização. Outra diferença importante entre beatificação e canonização é quanto ao culto público que se presta a essas pessoas, ou seja, as orações oficiais e públicas a essas pessoas em igrejas e oratórios, missas, veneração oficial de suas relíquias, entre outros. Após a beatificação, a Igreja permite que se preste culto público ao Beato somente em algumas regiões, ou seja, nas regiões onde ele viveu. Após a canonização, esse culto é estendido ao mundo inteiro, torna-se universal. Sendo assim, pode-se definir que a beatificação é uma concessão ou permissão de culto público credenciado pela Igreja, enquanto que a canonização é uma preceituação de reconhecimento da santidade da pessoa canonizada. Neste contexto, lembramos o quanto nosso Senhor Jesus ensinou que os “santos são como os anjos de Deus no céu” [Mateus 22,30], mandou-nos “orar uns pelos outros” [Mateus 5,44]. Esta mesma orientação foi acentuada pelos apóstolos Tiago [Tiago 5,16] e, de modo especial, por Paulo quando manda “ora pelos colossenses” [Colossenses 1, 3]. Segundo a Igreja Católica, embora o próprio Senhor Jesus tenha enfatizado que Ele

é o único intercessor entre a humanidade e Deus, não se excluem nem a existência nem a intercessão dos santos que, compreendidos segundo a realidade de suas experiências de vida, são pessoas que O conheceram, amaram e serviram de forma exemplar, testemunhando a Salvação. Na Constituição Dogmática “Lumen Gentium”, que é um dos mais conhecidos documentos do Concílio Vaticano II, a Igreja explicita que: “Deus manifesta de forma viva aos homens a sua presença e o seu rosto na vida daqueles que, embora possuindo uma natureza igual à nossa, se transformam mais perfeitamente na imagem de Cristo [cf. 2ª Coríntios 3,18]. Neles é Deus quem nos fala e nos mostra um sinal do seu reino (...) para o qual somos fortemente atraídos, ao vermos tão grande nuvem de testemunhas que nos envolve [cf. Hebreus 12, 1]... “. [Lumen Gentium, 50] Esta santidade tão falada e aclamada está ao alcance de todos no exemplo de vida dos Santos, beatificados ou já canonizados. O Papa Bento XVI, em recente homilia, destacou que toda a história da Igreja é assinalada por homens e mulheres que, com seu testemunho de fé, caridade e com a própria vida, se tornaram faróis para muitas gerações, incluindo também a nossa. “O que significa dizer ‘ser santos’? Quem é chamado a ser santo? Muitas vezes, somos levados ainda a pensar que a santidade seja uma meta reservada a poucos eleitos. [...] A santidade, a plenitude da vida cristã, não consiste em cumprir ações extraordinárias, mas em unir-se a Cristo, em viver os seus mistérios, em fazer nossas as suas atitudes, seus pensamentos, seus comportamentos. A medida da santidade é dada pela estatura que Cristo alcança em nós, através da qual, com a força do Espírito Santo, modelamos toda a nossa vida sobre a sua. É o ser conforme Jesus. Todos somos chamados à santidade: é a medida mesma da vida cristã” - ressaltou o Santo Papa.


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Fechando mais um ciclo, as atividades educacionais da Associação Beneficente Nhá Chica chegam ao término de 2012 com muitas bênçãos e com grandes e novas conquistas. O trabalho assistencial, iniciado em 1954 pelas Irmãs Franciscanas do Senhor, tem sobrevivido todos estes anos com a ajuda de centenas de benfeitores, que acreditam e confiam que as religiosas à frente da instituição buscam o melhor para as centenas de crianças atendidas - hoje mais de 170, entre meninos e meninas - e oferecem para tais um resgate verdadeiro da cidadania. Como afirma a missão da instituição: Acolher, promover e reconstruir a vida, em cada gesto e em cada ação do dia a dia, novas vidas são reconstruídas através da reintegração na cidadania de pequenos seres humanos em busca de uma chance para a felicidade. E, para atingir esses objetivos, as Irmãs Franciscanas do Senhor e equipe pedagógica da ABNC não medem esforços. As diversas atividades, como educação física, aulas de informática, canto e coral, reforço escolar, artes manuais, se somam ao acompanhamento psicológico e a uma boa alimentação, para ajudar no crescimento e desenvolvimento das pequenas vidas. Neste ano, uma nova conquista marcou

o primeiro semestre: a inauguração da brinquedoteca, um espaço totalmente voltado ao brincar, ao desenvolver a imaginação. Uma grande ferramenta pedagógica, contribuindo para o aprendizado. Uma nova psicóloga se juntou ao grupo de educadores, assim como a implantação de uma coordenação para o setor facilitou o andamento das atividades. - Uma das inovações deste ano foi a inclusão de familiares e amigos dos atendidos em diversas oportunidades. Esta foi uma experiência que deu certo e que pretendemos inovar ainda mais. Unir ABNC e COMUNIDADE. Estamos finalizando o ano também com mais uma grande conquista: uma sala específica de crianças de 2 a 4 anos, com atividades, brinquedos, mobiliários que crianças nessa faixa etária necessitam. Contamos com duas professoras para esta sala. E já temos uma inovação

pretendida para 2013: um lindo tanque de areia adaptado para crianças de diversas idades, com brinquedos. A equipe de educadores cada vez mais, está capacitada para o desempenho de suas funções e realiza reuniões, curso de capacitação, reflexões, tudo em prol de cada vez mais, melhores resultados – conta Flávia Maria Maciel Neves coordenadora pedagógica da instituição. Também foram diversos os momentos diferenciados ao longo do ano. As crianças aprenderam, riram, se divertiram, como no “dia do brincar”, que marcou o meio do ano com diversas atividades, ou então como no “dia da família”, realizado num espaço de eventos e que reuniu pais, mães, irmãos, num momento único de lazer e descontração. Entre tantos outros momentos, a presença das crianças com o Coral nas diversas celebrações na Igreja de Nossa Senhora da Conceição também marca forte ligação da obra social com o legado espiritual da Venerável Nhá Chica. É a prática e a vivência diária transformando vidas. “Nós temos que agradecer, mais uma vez, a todos que comparecem com suas mãos estendidas e nos auxiliam na continuação desta obra. Todas as crianças da ABNC querem desejar um belo e feliz Natal para cada um dos benfeitores desta instituição. Sem vocês nada poderíamos fazer. Obrigada pela ajuda, pela colaboração e presença constante! Que em 2013 possamos juntos, unidos no amor de Cristo, dar continuidade a este trabalho e buscar, no resgate da cidadania, um caminho de amor que nos leve de encontro ao Reino de Deus” – disse Irmã Claudine Ribeiro, diretora da ABNC.

5


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Relatos de Graças Alcançadas Sigo fiel a Deus e a Nhá Chica No último dia 6 de junho, saí para dar uma caminhada na Lagoa Rodrigo de Freitas (Rio de Janeiro), próximo da minha casa. Estava começando a escurecer. Saio sempre sem celular ou carteira, só levo uma garrafinha de água e as chaves de casa. Como nunca usei e nem gosto de jóias, só uso dois anéis de miçangas coloridas: um verde e outro azul com amarelo, em forma de miniflores. No pescoço, uma correntinha prateada (bijuteria) com minhas medalhinhas de São Bento presas no fecho atrás e a medalhinha de Nhá Chica, que comprei em Baependi, presa na parte da frente. Nesse dia, logo antes de chegar à Lagoa, sou cercada repentinamente por quatro pivetes. Na realidade eram quatro meninos. Sei que são crianças e eu tenho compaixão, mas eles costumam andar armados. Às vezes estão drogados e atacam com estiletes, armas de fogo, etc. Eu logo disse: Mas eu não tenho nada... Daí um deles meteu a mão no me pescoço para levar a correntinha, que se arrebentou. Eles saíram calmamente e eu gritei. Uns vizinhos de prédios em frente abriram a janela e os meninos ainda me acusaram de estar batendo neles. Fiquei meio fora do ar por uns segundos, até urinei na roupa, tamanha carga de adrenalina que me assaltou, pensando em defender a minha vida.

Voltei para casa triste pelo ataque, mas gosto de crianças. Vi que aqueles estavam comprometidos com valores equivocados em tão tenra idade. Eu acho que deviam ter por volta de 12 anos. E também lamentei a perda de minhas medalhinhas. Ao chegar em casa, tirei minha roupa para tomar banho, quando vejo brilhando no chão um pedacinho da correntinha com a medalhinha de São Bento. Fiquei muito feliz pela proteção, porém, ainda triste pela perda da medalhinha de Nhá Chica. Hoje, debaixo de chuva, três dias após o ataque, consegui voltar ao local sem muito medo. Fui disposta a encontrar minha querida e amada Nhá Chica. Pedi a ela: Me mostre onde você está. E, mesmo sem a ajuda de meus óculos, pois não enxergo coisa pequena nem de perto, a vi brilhante, reluzindo no chão. Minha protetora e amada pretinha, Nhá Chica do meu coração, me protegeu e voltou para os meus braços. Sou feliz, pois tenho fé e fui muito protegida. Agradeço sobretudo a Deus, que enviou seus anjos através de Nhá Chica e São Bento para protegerem meu corpo e minha vida. Sigo fiel a Deus e a Nhá Chica pelo milagre! Amém!

Ana Bruno Rio de Janeiro - RJ

da a ç ê c n o a v lc , a e t a a ç l Re gra a a da u r s o h , n m é b sa Se s o m undo N a t m e d o a o ári nte ade

antu . Co ntid é S a f s o o m Visite o, reze co tá trazend nhar . i m a c içã seu us es e o D Conce o d fé em nsforman ória t a s i u h s a a r como ue su aet q d i ças. v a a r r g a a p u s cure ro de o v para i r l p o s No ada n r t s i g e seja r

A intercessão da Santa Nhá Chica me salvou

Venho agradecer a Nhá Chica pelo sucesso de uma cirurgia muito delicada pela qual passei no dia 21 de abril de 2012. Fui visitar a igreja de Nhá Chica. Nesse dia já sentia fortes dores de cabeça. Passei uma semana sentindo-me muito mal. Não reconhecia ninguém, não me alimentava e nem sabia de nada o que estava fazendo. No dia 17 de abril, minha filha me internou no hospital de São Lourenço (MG). Eu não me alimentava sozinho, nem reconhecia nada. No dia 21, passei por uma cirurgia. O médico disse a minha filha que, se eu voltasse vivo, ficaria com sequelas, pois estava com um coágulo no cérebro e seria preciso fazer uma drenagem. Logo em seguida à cirurgia, voltei a me alimentar e a me lembrar das coisas. Minha primeira lembrança foi da Venerável Nhá Chica, e pedi a ela com fé e esperança sua intercessão junto a Deus para que eu me recuperasse e saísse daquele momento difícil. Daí a dois dias, recebi alta, mas ainda dependia dos curativos. Eu rezava e pedia a Nhá Chica que intercedesse por mim e lhe prometi que, assim que eu me recuperasse, iria visitá-la, para lhe agradecer por ter superado aquele momento triste pelo qual passei em minha vida. Só a misericórdia de Deus, nosso Pai, e da Santa Nhá Chica para me levantar naquele momento tão difícil. Estou vivo e com saúde e por isso venho agradecer de coração aberto: muito obrigado!

Sebastião Carlos da Silva Carmo de Minas - MG

6


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Relatos de Graças Alcançadas Pela intercessão de Nhá Chica fui salvo Sempre fui devoto de Nhá Chica e muitas graças tenho recebido através da intercessão dela. Mas esta última intervenção dela na minha vida será inesquecível e serei grato para sempre. Estava saindo da casa de um primo, na fazenda, por volta de 23 horas. A noite estava escura, o farol de meu carro é fraco e o caminho que eu deveria tomar se bifurca: um lado leva a uma esterqueira de 5 metros de altura e o outro leva à estrada que deveria tomar. De repente, me vejo despencando para dentro da esterqueira, que deveria estar com estrume a uma altura de 3 metros. O carro ficou com as rodas pra cima e não sei como consegui sair de dentro dele. Pulei no esterco e, como estava mole, me afundei até o tronco. Gritava, gritava, na esperança de ser ouvido pelos moradores. Nada. Passei então a chamar por “Santa Nhá Chica” (eu já a considero santa), que me ajudasse a sair dali, que me mostrasse como deveria agir. E assim fiquei das 23 até as 6 horas da manhã, quando os empregados chegaram para ordenha das vacas. Saí com a ajuda de pessoas, mas com a certeza de que Nhá Chica esteve o tempo todo ao meu lado. Não tive ferimentos, escoriações ou contusões. Agradeço por este milagre, pois para mim só a intervenção divina me salvou de uma hipotermia e outras consequências. Escrevo para divulgar e agradecer pela ajuda recebida de nossa querida Venerável de Deus. Bendita seja Nhá Chica!

Elmano Valério Três Corações- MG

Agradeço por tantas graças recebidas Quero agradecer pelas graças de minha filha ter conseguido um emprego melhor, meu genro ter o seu próprio trabalho e também por terem recebido tudo que lhes deviam. Agradeço também pela minha nora que conseguiu um bom emprego. Obrigada, Nhá Chica, por tudo, pela minha saúde e da minha família e por várias graças recebidas através de sua intercessão. Amém. Estou em oração para que logo Nhá Chica seja canonizada. Amém!

Ana Júlia Camacho Belém – PA

Hoje venho registrar a minha história

Quando eu tinha uns 15 anos de idade, me acidentei e sofri graves queimaduras. Enquanto eu estava na pia lavando louça, minha irmã preparava um óleo com leite no fogão a lenha e, quando ia despejá-lo sobre o polvilho, para escaldálo, ela esbarrou em mim, derramando sobre todo o meu corpo aquele leite quente, me queimando todo o corpo. Minha irmã, querendo aliviar minha dor, pegou uma vasilha com restos de comida e jogou em mim, piorando ainda mais a situação. Era aproximadamente meio-dia quando isso aconteceu e eu, com medo de apanhar, fiquei escondida até que meu pai voltasse do trabalho. Somente nessa hora minha mãe descobriu o que tinha acontecido, como eu estava sofrendo com aquela dor e aí cuidou de mim, lavandome com água morna e passando no meu corpo alguma pomada ou óleo, que ela sabia ser bom. Com o passar dos dias, foram estourando bolhas na pele até se formar uma só ferida. Minha mãe sempre recorria à intercessão de Nhá Chica com fervorosas orações. Fiquei cerca de dois meses sobre folhas de bananeira. Óleo de linhaça era usado todos os dias. E fui melhorando. As feridas foram cicatrizando e hoje eu não tenho nem um sinal de queimadura, exceto abaixo do umbigo, mas que não me incomoda em nada. Hoje tenho 73 anos e somente agora estou aqui relatando esta graça, pois somente agora descobri que tinha como eu registrar a minha história. Já recebi diversas outras graças ao longo de minha vida, tanto para mim como para minha filha, e por todas eu agradeço!

Zilda Augusta Ribeiro São Paulo - SP

ORAÇÃO PELA BEATIFICAÇÃO DE

NHÁ CHICA Ó Pai, que mostrais a Bondade e a Sabedoria do Vosso Filho Jesus, naquelas pessoas que O procuram seguir, e que “ocultais as novidades do Reino aos sábios e inteligentes, e as revelais aos pequeninos”, nós Vos pedimos que a Igreja possa reconhecer oficialmente as virtudes de amor ao próximo, de fé profunda e de grande sabedoria de vida que concedestes à Vossa filha e servidora Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. Por ter sido de uma vida exemplar, fiel seguidora de Jesus Cristo, devota de Maria Santíssima, e de grande amor à Igreja, nós Vos pedimos que, pela sua valiosa intercessão, Vós nos concedais a graça de que mais temos necessidade. Concedei-nos também, ó Pai, que a seu exemplo, o nosso coração esteja cheio de ardente amor a Vós e ao nosso semelhante. Tudo isso Vos pedimos por intermédio de Jesus Cristo, Vosso Filho, em união com o Espírito Santo. Amém.

+ Dom fr. Diamantino Prata de Carvalho, ofm. Bispo Diocesano de Campanha MG, 04/10/1998 Lembre-se das palavras de Nhá Chica: ”Isto acontece porque rezo com fé”.

Rosário de Nossa Senhora da Conceição Reza-se nas contas do Pai Nosso Aflita vos vistes Senhora, Aflita aos pés da Cruz, Aflita estou eu agora, Valei-me ó mãe de Jesus! Reza-se nas contas da Ave Maria Ó Virgem da Conceição, Valei-me nesta ocasião! Oração a Nossa Senhora da Conceição Ó Maria Imaculada, Senhora da Conceição, Filha predileta do Eterno e Divino Pai, Mãe Santíssima do Eterno Divino Filho, Esposa Imaculada do Espírito Santo, Nossa Senhora pela devoção e amor terníssimo que para convosco teve a serva de Deus, Francisca de Paula de Jesus, erguendo em vossa honra uma capela, intercedei junto à Santíssima Trindade e alcançai-nos as graças que com viva fé vos pedimos.Ó nossa boa mãe do Céu, não nos abandoneis. Protegei-nos, defendei-nos, salvai-nos. Assim seja.

7


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - dezembro de 2012

Natal: Princípio da Vida Cristã ivemos um momento de especial alegria, quando podemos alcançar a salvação ao abraçar o Cristo que nasceu por nós como homem, para resgatar toda a humanidade. O anúncio do Anjo é um convite – dirigido também a homens e mulheres do terceiro milênio – para acolher o Salvador: “Anuncio-vos uma grande alegria (…): hoje, na cidade de Davi, nasceuvos um Salvador, que é o Messias Senhor” (Lc 2,10-11). A reflexão é do Papa Bento XVI, falando sobre as celebrações do Natal: Que a humanidade atual não hesite em fazê-Lo entrar nas suas casas, nas cidades, nas nações e em qualquer ângulo da terra! É verdade que, ao longo do milênio há pouco terminado e de modo especial nos últimos séculos, foram muitos os progressos realizados em campo técnico e científico; podemos hoje dispor de vastos recursos materiais. Mas, o homem da era tecnológica corre o risco de ser vítima dos próprios êxitos da sua inteligência e dos resultados das suas capacidades inventivas, caminha para uma atrofia espiritual, um vazio do coração. Por isso, é importante abrir a sua mente e o seu coração ao Natal de Cristo, acontecimento de salvação capaz de imprimir uma renovada esperança à existência de todo ser

V

8

humano - disse Bento XVI. O Papa afirmou ainda: “No Natal, o nosso espírito abre-se à esperança, ao contemplar a glória divina escondida na pobreza de um Menino envolvido em panos e reclinado numa manjedoura: é o Criador do universo, reduzido à impotência de um recém-nascido! Aceitar este paradoxo, o paradoxo do Natal, é descobrir a Verdade que liberta, o Amor que transforma a existência. Na Noite de Belém, o Redentor faz-Se um de nós, para ser nosso companheiro nas estradas insidiosas da história. Cada cristão precisa acolher a mão que Ele estende: é a mão que não nos quer tirar nada, mas apenas dar”. Até chegarmos à festa do Natal passamos pelo Advento. O tempo do Advento é para toda a Igreja a vivência do mistério de espera e preparação para a vinda de Cristo. Neste tempo, celebramos nas primeiras semanas a espiritualidade de espera da segunda vinda e, nas semanas mais próximas a seu fim, a preparação para as solenidades de sua primeira vinda, seu nascimento. É momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. É tempo de espera e esperança, de estarmos atentos e vigilantes, preparando-nos alegremente para a vinda do Senhor, como uma noiva que se enfeita, se prepara para a chegada de seu noivo, seu amado.

Logo após, passamos para a festa natalina, que produz na alma cristã e católica uma paz profunda, uma sede insaciável de heroísmo e um voltar-se completamente para as coisas do Céu. É Deus que na Sua Igreja realiza maravilhas da festa de Natal. Canta a liturgia: “Um Menino nasceu para nós, e o Filho de Deus nos foi dado”. No Natal, a graça da Igreja brilha de um modo especial na alma de cada católico e de cada povo que conserva algo de católico na face da Terra, inspirando incontáveis formas de comemorar o nascimento do Redentor! O cristão deve celebrar o Natal como um tempo de aprofundar, contemplar e assimilar o Mistério da Encarnação do Filho de Deus. É preciso fazer a diferença, colocando nesta celebração o espírito cristão, celebrando de forma verdadeira, com a certeza de que no coração do Natal está Jesus. É momento extraordinário para recordar o nascimento de Jesus, Aquele que é parte verdadeira da história humana, como tempo de reconciliação, se afastando do ódio, do rancor, do ressentimento e da inveja. Vivemos no Natal o tempo de recuperar os princípios da vida cristã. É o tempo de compreender que Deus armou sua tenda entre nós; o Céu desceu à terra. Por amor do Pai, fomos contemplados com o maior presente: Jesus como nosso Salvador para todo o sempre!

Informativo Dezembro  

Informativo Dezembro

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you