Page 1

EDIÇÕES PRIMO

www.primo.org.br

primatasdamontanha@gmail.com

Texto: Ricardo Moebus, Rodrigo Narciso, Gustavo Passos, Izabel Stewart, Rodrigo Quintela Colaboração Técnica: Paulo Sérgio F. Neto Ilustrações, Diagramação e Preparação Gráfica: Sophia Felipe Referências: Bill Mollison, Introdução à Permacultura Johan Van Lengen, Manual do Arquiteto Descalço Félix Guattari, As Três Ecologias Ana Primavesi, Manejo Ecológico do Solo ecovidasaomiguel.org maiscommenos.net 2012


Dando continuidade ao seu projeto de ações integradas pelas cinco linhas de cuidado: da água, da Estação de Fechos, dos solos, da biodiversidade e saber cuidar; a PRIMO – Primatas da Montanha apresenta, com esta série de cadernos, seu novo enfoque: a Casa Saudável. Pensar as linhas de cuidado propostas pela Primo a partir da Casa Saudável, permite estender o interesse e aproximar o debate da prática mais cotidiana das pessoas. Alinhavar o debate a partir da Casa proporciona, não uma visão reducionista, mas a oportunidade de perceber o vínculo fundamental e indissociável entre a vida doméstica, a vida pessoal e cotidiana, e a produção do mundo e do futuro.

Primeiro Passo A cozinha que alimenta também o Solo Vivo A formação e manutenção do solo vivo em casa, e também fora dela, começa na sua cozinha, e termina nela também, em um círculo virtuoso pelo qual os nutrientes vão do solo para as plantas, para a sua mesa e de volta ao solo. É separando o lixo orgânico - com todos os restos de alimentos e cascas de todos os vegetais que consumimos - do lixo inorgânico ou seco - com todos os plásticos e demais embalagens – que podemos alimentar a terra, produzir adubo, manter a riqueza nutritiva do solo, ao mesmo tempo em que reduzimos a produção de lixo, melhoramos a qualidade e facilitamos o manejo do lixo, pois não produzirá chorume quando armazenado, reduzindo seu apodrecimento e adoecimento da terra que recebe os lixões em aterros sanitários.

Essa conexão entre Casa e mundo aumenta nosso envolvimento e responsabilidade, ativando a necessidade de agir e inter-agir agora e aqui. Não é por acaso que a própria palavra Ecologia tem sua origem no grego “oikos”, que significa Casa, e “logos”, estudo. Casa Saudável como produção e compromisso de sustentabilidade do local onde moro, mas também percepção do próprio planeta como nossa Casa, exigindo uma nova atitude desde o corpo que habito. Esse primeiro volume, Solo Vivo, aborda a formação e cultivo dessa base sobre a qual tudo se assenta, e que necessita ser nutrida e cuidada para manter sua vitalidade que sustenta a vida vegetal, a flora, a fauna, a sombra, a água fresca. Como Fazer: Separe o lixo orgânico em uma lixeira exclusiva e leve diariamente para a compostagem em seu quintal. Separe o lixo reciclável, como plástico, papel, metal, PET, etc, e deixe-o em um Local de Entrega Voluntária – LEV, para ser buscado pela coleta de reciclados.


Segundo Passo – O Solo Vive e transpira como a pele desse lugar O solo vivo continuará existindo nas áreas não construídas da sua casa. Procure impermeabilizar somente a área que você realmente precisa. Isso também é fundamental para a absorção das águas das chuvas, evitando formação das grandes enxurradas onde você mora, que lavam e danificam ainda mais o solo.

Terceiro Passo – Preservando a vitalidade do Solo Manter os resíduos vegetais- todas as sobras de podas e capinas ou retiradas de plantas- no seu próprio terreno, permite o retorno ao solo de toda a riqueza de nutrientes que ele concedeu àquela vegetação que ali nasceu. É por isso que as sobras vegetais não são lixo, são ouro verde para alimentar suas plantas. Assim você ajuda a manter a biomassa, a quantidade de vida potencial, a quantidade de carbono disponível no lugar onde vive, mantendo o ciclo da vida que retorna ao solo para que possa nutrir o que nascerá ali. Como Fazer: Procure separar os resíduos vegetais por tamanho, junte o material lenhoso de troncos e grandes galhos para usar em fogão a lenha, lareira. Você pode picar os galhos e misturar as folhas e gravetos na compostagem, elas vão ajudar a evitar o mau cheiro por restos de comida. Você pode ainda possuir um triturador elétrico para acelerar o processo de formação do adubo vegetal.

Como Fazer: Deixe a maior área possível de seu quintal com solo disponível para vegetação natural, para preservar a flora nativa e absorver a água da chuva. Se seu terreno apresenta um grande desnível você pode ainda fazer cortes formando terraços para diminuir o fluxo de água e aumentar a absorção pelo solo.


Quarto Passo – Estimulando a fertilidade do Solo

Quinto Passo – Desfrutando do Solo Vivo

A formação de compostagem é uma forma de ajudar o solo, com todos os microorganismos, minhocas e insetos que o habitam, a realizar seu trabalho de decompor todos esses restos e reintegrá-los à terra, formando uma terra vegetal, nutritiva e cheia de vida. Neste processo também podem ser usados canteiros de minhocas (minhocários) e os chamados Microorganismos Eficientes ou Eficazes – ME, que são os micróbios que vivem no solo naturalmente fértil e que intensificam sua fertilidade, incluindo leveduras, actinomicetos, bactérias fotossintetizantes. A compostagem é o solo vivo, com sua microfauna, se alimentando de todos esses restos vegetais. E para isso podemos ajudar oferecendo sombra, umidade suficiente, mas não em excesso, e aeração, revirando regularmente o composto.

Reintegre aos seus canteiros o adubo orgânico e livre de agrotóxicos e de aditivos químicos que você produziu, e perceba como isso alimenta as hortaliças, as verduras, as ervas, os temperos, as árvores e tudo mais que você quiser plantar para desfrutar em sua Casa Saudável.

Como Fazer: Separe uma área mais afastada da casa, com uns três metros quadrados. Vá colocando em camadas os resíduos. Primeiro a palha, folhas secas, gravetos e galhos triturados, depois seu lixo orgânico (restos de cozinha), depois esterco animal (se tiver disponibilidade), e assim sucessivamente. Se estiver muito seco, você deverá molhar para manter a umidade, mas sem encharcar, para evitar mau cheiro. De 15 em 15 dias procure revirar o composto, cortando-o na vertical e remontando ao lado de onde estava. Para evitar moscas e mau cheiro você pode cobrir com serragem, com terra, ou com folhas grandes como as da bananeira. Deixe descansar e ser trabalhado pelos microorganismos por 60 dias até virar uma terra vegetal, adubo orgânico com procedência garantida, sua própria casa.

Como Fazer: Use o composto orgânico em todas as suas plantas, na formação de novas mudas, nos canteiros, e reponha todo ano esta fonte de nutrientes para suas árvores frutíferas antes da temporada de floração. Faça uma pequena horta caseira para consumir hortaliças frescas e sem agrotóxicos. Para isso, compartilhe mudas com vizinhos, faça sementeiras de alface, rúcula, cenoura, rabanete, beterraba, etc. Procure fazer canteiros mistos, de plantio associativo, com exposição ao sol da manhã, e deixe a vegetação nativa no entorno, para alimentar e afastar os insetos. Molhe a horta bem cedo e no final do dia, antes de sair e depois das suas obrigações. Dê preferência às frutíferas nativas, que são melhor adaptadas ao regime hídrico local, não exigindo gasto excessivo de água, e que serão compartilhadas também pela fauna nativa, como pássaros, macacos, etc.

Caderno PRIMO 01 - Casa Saudável, Solo Vivo.  

Dando continuidade ao seu projeto de ações integradas pelas cinco linhas de cuidado: da água, da Estação de Fechos, dos solos, da biodiversi...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you