Page 1

Semear Saúde Edição nº 19 | De zembro 2017

Boas Festas

Personal trainer:

O combate à obesidade em Portugal também passa pelo exercício físico p. 3

Nutrição:

PNL:

Aveia, a grande amiga dos desportistas

Sentes-te bem? Ou gostavas de estar melhor? por Carlos Baltazar

por Angela Oeiras p. 5

p. 4


2 30.12.2018

Semear Saúde Boas Festas

naturopatia

Bebés e crianças vegetarianas serão saudáveis? A ciência mostra conclusivamente que uma alimentação vegetariana ajuda a evitar a obesidade, as doenças cardíacas, o cancro e outras condições de saúde. Mas uma nova lei proposta na Itália argumenta que, sem produtos de origem animal, as crianças não podem crescer de forma saudável. Esta iniciativa não é nova mas desta vez ganhou mais voz nos quatro cantos do mundo (curiosamente em Itália parecem nem sequer fazer caso disso) quando uma deputada italiana achou que devia impedir os pais de oferecer uma alimentação vegetariana aos filhos.

“Esta lei, se aprovada, fará com que os pais que alimentem os seus filhos até aos 16 anos com uma dieta considerada “inadequada” (leia-se: vegetariana) sejam punidos com uma pena de prisão que pode ir de um a seis anos”. Será mesmo verdade? A ciência diz o contrário. Uma alimentação de base vegetal bem planeada e suplementada com vitamina B12 oferece todos os nutrientes necessários em todas as fases da infância, desde o nascimento até à adolescência. As crianças mantêm uma alimentação vegetariana nutritiva não só crescem fortes e saudáveis, como também

fotos: d.r.

vêem diminuído o risco de desenvolver obesidade, colesterol elevado, hipertensão, doenças cardíacas e diabetes tipo 2. Factos que provam que as dietas à base de plantas apoiam o crescimento saudável das crianças:

1. Os peritos confirmam que as dietas vegetarianas são seguras em todas as fases da vida: A American Dietetic Association afirma[1] que as dietas vegetarianas bem planeadas e suplementadas com vitamina B12 “são apropriadas para todas as fases do ciclo de vida, incluindo a infância e adolescência.” O grupo cita evidências mostrando que as pessoas que seguem uma alimentação de base vegetal têm menores níveis de colesterol, pressão arterial e taxas mais baixas de doença cardíaca e diabetes tipo 2 do que os não vegetarianos. (www.andjrnl.org/article/ S0002-8223(09)00700-7/abstract) A Academy of Pediatrics concorda[2]: “Bem planeada, os padrões alimentares vegetarianos são saudáveis para crianças e bebés.”

2. A maioria da alimentação das crianças é severamente deficientes em fruta e vegetais: Não são os produtos de origem animal que estão em falta nas dietas da maioria das crianças. São as frutas, os legumes, os cereais integrais e outros alimentos que têm efeitos protec-

Vera Belchior

Naturopata verabelchior@gmail.com

A alimentação infantil é cada vez mais um tema na ordem do dia quando se trata de analisar a qualidade dos regimes alimentares decidos pelos pais e educadores para as novas gerações tores contra os maiores assassinos do mundo, incluindo as doenças cardíacas (1ª causa de morte em Portugal). A maioria das crianças consome em excesso gordura saturada que entope as artérias e que é encontrado principalmente nos produtos lácteos e na carne[3].

3. Muitas crianças já têm factores de risco para doenças cardíacas: Um estudo[i] recente descobriu pub

que 40% das crianças, com idades entre 6 e os 11 anos, já têm níveis elevados de colesterol e as taxas de hipertensão arterial[ii] também são cada vez mais comuns nas crianças. Mais ainda, 1 em cada 3 crianças americanas[iii] e italianas[iv], têm excesso de peso ou são obesos, fazendo os riscos aumentarem. Cerca de 70% das crianças obesas têm um ou mais factores de risco para doença cardiovascular. A doença cardiovascular é a principal causa de morte nos Estados Unidos e em Itália[v] (em Portugal também), onde as doenças do coração são responsáveis por 30% de todas as mortes. No entanto, a alimentação vegetariana é praticamente isenta de colesterol e pobre em gordura saturada (quando bem estruturada). Os estudos têm demonstrado que a alimentação vegetariana pode ajudar a prevenir, reverter e travar[vi] as doenças cardíacas nos adultos. Um estudo da Cleveland Clinic lançado no ano passado mostrou que as dietas vegetarianas têm efeitos semelhantes[vii] nas crianças com excesso de peso. As crianças no grupo vegetariano reduziram os níveis de pressão arterial e colesterol, diminuíram de peso e baixaram a sensibilidade a dois biomarcadores para a doença cardiovascular.

4. Os índices de diabetes tipo 2 estão a aumentar em todo o mundo: Entre 2000 e 2009, a prevalência de diabetes tipo 2 disparou[viii] em

mais de 30% nas crianças americanas. Crianças com diabetes tipo 2 enfrentam um maior risco de complicações graves, como insuficiência renal, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral. Se nada mudar, as projecções mostram que 1 em cada 3 crianças irá desenvolver diabetes tipo 2 em algum momento das suas vidas. A nível global, a história é semelhante. As taxas de diabetes em todo o mundo têm disparado de 108 milhões em 1980 para 422 milhões em 2014. Mas os estudos mostram que as pessoas que consomem dietas à base de plantas têm um menor risco de desenvolver diabetes tipo 2. Por tanto, voltando ao inicio do artigo, para se considerar crime um pai alimentar uma criança com base numa dieta vegetariana equilibrada, também se terá de penalizar todos os outros pais que têm filhos obesos, com síndrome metabólico desde tenra idade e que lhes oferecem diariamente alimentos comprovadamente nocivos para a saúde. E vou mais além…se é para penalizar os pais de crianças vegetarianas e obesas também temos que penalizar o estado por oferecer às crianças alimentos prejudicais e inibidores de muitos nutrientes nas escolas, incluindo batatas frita, doces, bolos, gelados, gelatinas, leite, bolachas e por aí fora!! Acho muito bem que penalizem os tutores das crianças quando estes não lhes oferecem as condições para que estas cresçam com saúde, tanto física como psicológica, mas que seja uma medida transversal a todos os sectores e tipos de alimentação porque sim, da mesma maneira que há crianças que consomem animais que sofrem de deficiências nutricionais também os há nos vegetarianos claro…mas o problema não passa pelo tipo de alimentação que a criança recebe e sim pelo equilibro nutricional que pode estar tanto presente como ausente em QUALQUER regime alimentar.


30.12.2018  3

Semear Saúde Boas Festas

escrita & saúde

Escrever na Terceira Idade fotos: d.r.

A escrita é uma ferramenta muito útil para todas as pessoas, independentemente da sua idade, para a partilha das suas experiências, vivências e histórias de vida. A terceira idade é uma fase do ciclo da vida, repleta de emoções, de pensamentos relacionados com um passado que integra um conjunto riquíssimo de histórias que podem e devem ser recordadas e partilhadas com todos nós, enriquecendo assim a nosso mundo emocional. Nunca é tarde para escrever e mesmo nos casos em que não ocorreu a aprendizagem da escrita, pode ser realizada por um amigo, um familiar que possa escrever as histórias que querem e merecem ser contadas funcionando como um legado de vida. Além das histórias e das experiências há todo um conjunto de ideias, de conselhos que podemos expressar através da escrita perpetuando o nosso sentir e imortalizando uma grande sabedoria que se encontra encarcerada no nosso ser e que pode servir de base para novas aprendizagens baseadas nas experiências de vida. A escrita, na terceira idade, tem sido utilizada na criação de livros de receitas (aqueles segredos tão bem guardados e que vão passando de geração em geração); nos diários de viagem, onde se recordam as viagens realizadas,

Através da escrita são criados livros de receitas, que guardam segredos que vão passando de geração em geração os locais visitados, as culturas perpetuadas em costumes e vivências únicas; os livros de provérbios e adivinhas que se vão perdendo no tempo, mas que ficam imortalizadas quando são escritas. Porém, quero vos falar de outras aplicações da escrita, na terceira idade, que servem como ferramentas para fortalecer os laços afetivos, para recuperar elos emocionais perdidos, para permitir o desvendar de segredos e para construir legados de conselhos sábios. Quem nunca sentiu a ne-

cessidade de expressar o que sente, pensa em relação a determinada pessoa, a determinado elo? Quem nunca quis deixar perpetuado em palavras os conselhos, as fórmulas mágicas para a solução de determinados problemas? A escrita permite realizar todos estes processos e mais aqueles que queiramos criar e desenvolver desde que haja em cada um de nós a vontade genuína de partilhar a sua forma de ser, pensar e sentir e assim deixar o seu legado para todos aqueles com quem se relacionam.

Nunca é tarde para escrever as histórias que merecem ser contadas, funcionando como um legado de vida

Um dos exemplos que vos posso dar, quanto à aplicação da escrita, está relacionado com as cartas de conselhos que muitas vezes, alguns avós/pais querem deixar para os seus netos/filhos, sejam direcionados para o momento atual ou para momentos vindouros, quando não existe a certeza da sua permanência nesses processos vitais do seu crescimento. Existem algumas pessoas que passados tantos anos querem demonstrar o amor que os une ao seu companheiro/companheira, não encontrando nos gestos e no discurso oral a forma mais adequada de transmitir este tão nobre sentimento. Sim, ainda se escrevem cartas de amor, cartas estas que podem viajar no tempo recordando o começo de uma relação, os momentos chave da mesma, sendo positivos ou menos positivos, regressando ao presente e esboçando ideais para um futuro a dois. Muitos de vós não falam com um amigo há muito tempo, perdidos nas contas do tempo e envoltos no manto da saudade ensurdecedora que vos castra a voz e os movimentos, porém com toda a certeza têm muito para dizer

aos vossos amigos, vivências para contar, situações para recordar ou tão-somente enaltecer a amizade que vos une. Não se vive só de amor, de sentimentos “bonitos”, tendo também presentes na vossa vida situações de mágoa, de tristeza, de separação e angústia e nestes casos, a escrita pode funcionar como forma de recordar, recuperar algumas relações que se perderam ao longo do tempo, expressando em cada palavra o intento de aproximação e reforçando sempre os momentos partilhados e todas as aprendizagens que resultaram desse elo. A escrita pode ser utilizada em muitos outros processos, nunca sendo tarde para escrever, para partilhar os vossos pensamentos e expressar as vossas emoções, de modo a que possam dar um pouco de vós a quem vos rodeia e permitir que quem vos lê possa vos conhecer um pouco mais e entender alguns processos pelos quais passaram. É sempre tempo para escrever sobre os sonhos, os realizados, os que foram sendo

Ricardo Sousa Escritor percursosdevida@gmail.com

colocados de parte e os que ainda há para viver, pois os sonhos não têm idade e nunca é tarde para sonhar e acima de tudo para realizar os seus sonhos! Permita-se parar um pouco, agarrar uma folha de papel e numa caneta e deixar que o coração guie a sua escrita, que seja o intermediário do seu sentir, criando assim pontes relacionais que se intensificam e que tornam expoentes dos mais belos sentimentos. A terceira idade é uma das fases mais importantes para partilhar emoções, para permitir que o coração expresse o seu sentir e assim, demonstrar que há vida na Vida! Do que está a espera para escrever? pub


4 30.12.2018

Semear Saúde Boas Festas

nutrição

Aveia, a grande amiga dos desportistas Por ser uma excelente fonte de hidratos de carbono e de energia, a aveia é muito consumida pelos desportistas, pois também ajuda na recuperação muscular

após o exercício físico. Deve ser consumida antes da prática de actividades físicas, pois mantém a absorção e a disponibilização dos hidratos de carbono na corrente sanguí-

Papas de aveia com chocolate

nea por um longo período, e aumenta a taxa de queima de gordura durante o exercício. Além disso, por ter um baixo valor calórico e ser rica em fibras, ajuda no processo de emagrecimento, melhora a saúde cardio-

vascular e diminui o colesterol. Com todas estas vantagens, o ideal seria introduzirmos este tão nobre cereal na nossa alimentação diária, para lhe ajudar neste processo, hoje trago três receitas confeccionadas

Crumble salgado de legumes

com aveia, papas de aveia (com chocolate) para o pequeno almoço, um crumble salgado com legumes que servirá de prato principal e uns biscoitos de aveia e amendoim para se deliciar num lanche ou snack.

fotos: d.r.

Angela Oeiras

Formadora na Escola Hoteleira de V.R.S.A., blogger www.angelaoeiras.com

Biscoitos de aveia e amendoim

fotos: angela oeiras

Confesso que adoro aveia, e em toda as suas variedades, quer seja o grão integral em sopas ou acompanhamentos, em farinha no pão, bolos e panquecas, mas sobretudo em flocos no pequeno almoço. A receita de hoje é uma mistura de apenas três ingredientes cozinhados em água ou leite vegetal e dedicada aos amantes (como eu) do chocolate! Trata-se de mais uma receita simples, económica e muito rápida de preparar, não leva açúcar nem adoçantes, apenas um banana madura que vai aportar a doçura necessária, no entanto, caso sinta necessidade de um pouco mais doce pode sempre, antes de servir, regar com um fiozinho de geleia de arroz ou outro adoçante natural ao seu gosto. ÔÔ Ingredientes: 1 chávena de chá de flocos de aveia 1 banana madura 1 colher de sopa de cacau puro em pó 2 chávenas de água (ou 1 chávena de água + 1 chávena de leite vegetal à escolha) ÔÔ Preparação: Num tachinho colocar os flocos de aveia, a banana esmigalhada com um garfo e o cacau em pó. Adicionar a água, ou a mistura de água e leite vegetal e levar ao lume. Deixar cozinhar por cerca de 10 minutos mexendo sempre com uma colher para evitar que se pegue. Servir tal qual ou se sentir necessidade de mais doce regar com um fiozinho de geleia de arroz ou outro adoçante natural ao seu gosto.

Os crumbles consistem numa mistura de farinhas com gordura que depois de misturados formam uma massa areada que se coloca por cima de frutas normalmente em preparações doces. O crumble de hoje é diferente, vamos prepará-lo com flocos de aveia e colocá-lo em cima de uma camada de legumes estufados fazendo com que estes fiquem com uma capa crocante e estaladiça. O resultado é uma combinação doce/salgada e aveludada/crocante. ÔÔ Ingredientes: 1 courgete; 1 cebola e 250 gr de ervilhas congeladas 50 gr de sementes de abóbora; 50 gr de flocos de aveia e 50 gr de farinha de arroz 2 (c.s) cheias de tahini (pasta de sésamo) 1 (c.s) de mostarda; Azeite ÔÔ Preparação: Num tachinho saltear em azeite a cebola cortada aos cubos, a courgete cortada às meias rodelas e as ervilhas congeladas. Temperar com um pouco de sal, tapar, reduzir o lume para o mínimo e deixar estufar. Entretanto triturar os flocos de aveia com as sementes de abóbora de modo a que fiquem aos bocadinhos (sem ser em farinha) e misturar com a farinha. Juntar a pasta de sésamo, a mostarda, 2 colheres de sopa de azeite e sal e misturar tudo com as mãos até obter uma massa areada (não misturar muito). Colocar os legumes estufados num pirex e cobrir com a massa do crumble. Levar ao forno pré-aquecido a 180º durante 25 minutos.

Estes biscoitos ficam muito gulosos e com um óptimo sabor a amendoim e são ideais para um lanche ou para um snack a meio da manhã. ÔÔ Ingredientes: Ingredientes: 50 gr de manteiga de amendoim 2 (c.s.) de azeite 1 ovo grande 50 gr de flocos de aveia 100 gr de farinha de arroz ½ (c.chá) de fermento em pó 50 gr de açúcar mascavado 2 (c.s.) de cacau em pó ÔÔ Preparação: Pré-aquecer o forno a 180º. Com a ajuda de um garfo misturar a manteiga de amendoim com o azeite e o ovo. Juntar os flocos de aveia, o fermento, o açúcar mascavado, o cacau e uma pitada de sal. Envolver tudo bem até formar uma massa homogénea, caso fique um pouco areada juntar mais meio ovo. Formar bolinhas do tamanho de uma noz, coloca-las numa bandeja de forno coberta com papel vegetal e com a ajuda de um garfo esmaga-las ligeiramente. Levar a cozer ao forno durante 15 minutos. pub


30.12.2018  5

Semear Saúde Boas Festas

programação neuro linguística

Sentes-te bem? Ou gostavas de estar melhor? Poucas pessoas se sentem verdadeiramente satisfeitas com o seu estado actual. De outra forma, não se entenderia que corrêssemos de um lado para o outro na viagem incessante que julgamos que nos leva do nosso estado actual (EA) para o estado desejado (ED). Ou seja, estamos reflectidos neste resumo: EA ->ED. Sempre insatisfeitos com o estado actual, sempre a caminho de um estado desejado. Acreditas que uma ‘equação’ pode resumir os processos do consumo, do crescimento, ou do investimento? Eu creio que esta se aproxima deste objectivo: ED = EA + R–I Ou seja, obtemos o estado desejado adicionando ao actual Recursos e removendo Impedimentos. O que são Recursos? Podem ser externos e mais ou menos dependentes de nós como dinheiro, uma promoção, um carro novo, um parceiro sentimental ou internos como Auto estima, Confiança, Entusiasmo, Tranquilidade, etc. E Impedimentos? Podem tomar diversas formas, particularmente Crenças Limitadoras, mas também Incongruências de Valores, Padrões do passado que se projectam sobre o presente e futuro, Memórias mal resolvidas e dificuldade de lidar com Objectivos. A má notícia é que é muito fácil ficar preso na armadilha da busca incessante do estado desejado.  A boa notícia é que, de acordo com a PNL, nós já possuímos todos os recursos internos que precisamos (embora possam não estar activos). A formulação da PNL, num dos seus pressupostos é a de que não há pessoas sem recursos mas sim estados pobres de recursos. Numa frase, a PNL seria um arte e tecnologia para activar recursos e remover impedimentos de forma a estarmos muito mais presentes no nosso estado desejado.

Como podemos activar recursos?

fotos: d.r.

Sem entrar em técnicas mais sofisticadas (que se treinam num curso de PNL), podemos adoptar alguns procedimentos muito simples. Usamos o pressuposto, caro à PNL, de que o nosso Inconsciente trabalha a nosso favor e armazena muito mais informação e aprendizagens do que aquela que aparece no plano da consciência.

carlosbaltazarpnl@gmail.com

Dica nº 1. Sai de dentro dos problemas Quem não tem problemas? Alguns são desafios à espera de uma solução, outros decorrem da percepção de que as tarefas que temos pela frente são superiores aos recursos de que dispomos. Em qualquer caso, podemos ter uma de duas posições: imersos no problema ou observadores. Quando imersos no problema, estamos centrados nas dificuldades, por oposição às possibilidades, focados no que não queremos em contraste com o que desejamos e, de um modo geral, sofrendo desnecessariamente. Imersos nos problemas, estamos ausentes dos nossos recursos (ou os recursos estão ausentes de nós). Como observadores, não se trata de nos tornarmos passivos e fingirmos que nada se passa. Trata-se de deixar passar as emoções negativas que nos podem prejudicar, ganhar mais informações objectivas sobre o problema e, fundamentalmente, perceber que recursos nos estão a faltar. Valerá a pena realçar que os recursos interiores são os mais importantes?

Dica nº . Nomeia os recursos de que precisas pela positiva Não digas somente que não queres algo, aponta mesmo para o que queres ter. Que recursos interiores específicos gostava de activar? Será confiança? Ou tran-

Carlos Baltazar

Master e Trainer de PNL

A PNL em poucas palavras? Uma arte e uma tecnologia para activares os teus recursos, comunicares eficazmente contigo e com os outros e viveres uma vida mais completa manifestando todo o teu potencial. Carlos Baltazar, Formador PNL quilidade? Ou segurança? Ou amor-próprio? Ou entusiasmo? Ou simplesmente curiosidade? O que quer que seja, designa-o pelo nome mais simples que puderes e cuida da linguagem que usas. Em vez de ‘tenho de ter paz’, experimenta dizer ‘quero ter paz’.

Dica nº 3. Como seria se tivesse já este recurso/estado? As perguntas que começam com ‘Como seria se…’ , desde que feitas com autenticidade bem para o fundo de nós mesmos têm um efeito quase mágico. Porquê? Porque o nosso inconsciente tem de de nos dar uma amostra desse estado para que possamos entender a pergunta. Depois, só temos de ficar focados e ampliar essa amostra. Experimenta fazer a ti mesma uma pergunta destas. Pensa no estado ou recurso que queres ter. E pergunta-te: ‘Como seria se já tivesse isto dentro de mim?’

Dica nº 4. Quando já usufruí deste estado ou recurso? Qualquer que seja o recurso que precises, aposto que já o tiveste bem presente em alguma situação relativamente recente na tua vida. Às vezes, as pessoas cometem um erro, procurando o recurso na sua intensidade máxima. Mas passa-se neste domínio o mesmo que sucede ao acender uma fogueira. Começamos com um pequena chama e deixamo-la crescer. Portanto, se queres activar um recurso, recorda-te de uma situação em que ele estava presente, em qualquer forma. Por exemplo, se eu procuro confiança, posso encontrar um momento em que a senti ao fazer uma actividade muito simples ou banal. Depois, só precisas de trazer à memória essa situação, com o máximo de nitidez, cor, brilho, presença, ouvindo o que ouvias, vendo o que vias e, certamente, sentindo

o que sentias.

Dica nº 5. Amplia a sensação. Ao entrares em contacto com o recurso, sentirás decerto uma sensação relacionada com a sua presença. Dá-lhe as boas vindas e reconhece a sua presença. Considera que essa sensação pode ter um movimento, uma vibração ou um sentido pela qual se desloca no teu corpo. Imagina que podes acelerar a velocidade deste movimento, com cada respiração, de tal forma que a sensação se desenvolva em todo o teu corpo. E ao fazê-lo, até pode exceder os limites do teu corpo, como se brilhasse como uma nuvem de luz colorida. Encontra a cor dessa luz. Diz para ti mesma: “Tenho o recurso X e ele brilha no meu corpo com a luz … (nome da cor)”.

Dica nº 6. Pede o auxílio de um Mentor. Como seria se tivesses um

Mentor que te ensinasse tudo o que precisas de saber sobre como dispor deste recurso? Trata-se de uma entidade (pessoa, animal, ‘espírito’, vivo ou não, teu conhecido ou não), a quem atribuis a qualidade que gostavas de possuir. Experimenta visualizá-lo num espaço próximo de tal forma que possas escutar os seus conselhos acerca da activação dos recursos. Imagina que incorporas essa entidade e que repetes os conselhos a ti mesmo. Não é importante que oiças conscientemente palavras específicas, o que interessa é que o teu inconsciente esteja disponível para o fazer. Depois, podes ampliar o estado de recursos, como na dica 5.

Dica 7. Como seria se dispusesse deste recurso quando enho o problema? t Imagina-te no contexto em que o problema se coloca mas agora dispondo completamente do recurso que precisavas. O que muda?

Dica 8. Como seria dispor deste recurso como forma de estar na vida? Ao dares este passo, ao fazeres esta pergunta com seriedade bem para dentro de ti mesma, pode suceder algo muito importante. A pouco e pouco (ou repentinamente…), o recurso (seja ele mais específico como criatividade ou mais geral e profundo como paz) pode passar a ser uma constante na tua vida, a partir do qual obténs resultados ainda mais importantes. NOTA. As ferramentas da PNL têm ainda maior eficácia quando treinadas em formações certificadas ou facilitadas em ambiente de Coaching por consultores credenciados.


6 30.12.2018

Semear Saúde Boas Festas

exercício físico

Obesidade em Portugal fotos: d.r.

A obesidade nas últimas décadas apresenta-se como uma das principais epidemiologias presentes na sociedade moderna, sendo uma realidade nos países em desenvolwvimento e desenvolvidos. (Demongeot & Taramasco, 2014). Segundo a World Health Organization (WHO, 2015) é uma doença crónica que constitui um problema grave para a saúde pública, sendo a sua prevalência em crianças e adolescentes. Esta prevalência tem vindo a aumentar e 80% destes adolescentes serão obesos (Fonseca & De Matos, 2005). A WHO (2014) diz que um em cada dez rapazes de 11 anos é obeso e o risco é maior de contrair diabetes de tipo 2, asma, dificuldades em dormir, problemas músculo-esqueléticos e doenças cardíacas, além de dificuldades na escola, problemas psicológicos e isolamento social. Recentemente comprovou-se que a prevalência da obesidade nos adolescentes tem vindo a aumentar em Portugal (Viveiro, Brito, & Moleiro, 2016). Portugal é dos países europeus com mais excesso de peso infantil Estima-se que em 2020 a obesidade afete 21% dos portugueses e 22% das portuguesas, valores que sobem em 2030 para 27% e 26% em ambos os sexos (WHO, 2014). Portugal está entre os países com piores indicadores: aos 11 anos, 32% das crianças têm peso a mais. A médio prazo é expectável que 30% a 50% das crianças se tornem obesas na idade adulta. A faixa etária não pode ser desvalorizada, quando falamos de obesidade. Com o envelhecimento da população, a prevalência da obesidade aumenta. A obesidade, atualmente, é um dos factores de risco com maior impacto em inúmeras patologias presentes na sociedade, nomeadamente, as doenças cardiovasculares: a doença das artérias coronárias, a insuficiência cardíaca, o enfarte do miocárdio, a disfunção ventricular, arritmias cardíacas, diabetes

mente nestas duas questões e fazemos alguma coisa para promovermos saúde pública. Os dados são alarmantes e para quem é obeso o sofrimento é muito grande. A luta é constante, a cada dia, a cada refeição, a cada confronto com o espelho, com o próprio roupeiro, porque nada fica bem e o maior problema de todos, enfrentar o mundo. O sofrimento psicológico é um dos efeitos mais preocupantes que a obesidade manifesta, principalmente na adolescência devido as trans-

Rui André

Personal trainer www.ruiandrecoaching.com

Silva et al., 2008) automutilações e tentativas de suicídios, comportamentos de risco ao nível do abuso de substâncias, da sexualidade e do comportamento alimentar, como sejam dietas altamente

Portugal é um dos países europeus com mais excesso de peso infantil

A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde uma epidemia de características socio-comportamentais e que cosntitui um dos maiores problemas de saúde pública da actualidade tipo II, alguns tipos de cancro, dislipidémia, entre muitas outras (Gibson-Moore, 2012). Para além das doenças mencionadas, a obesidade também aumenta as complicações para a saúde, como por exemplo, uma perceção de bem-estar e qualidade de vida debilitada (Wirth, Wabitsch, & Hauner, 2014)

amos a ser um país em que mais de metade da população tem excesso de peso e as

crianças fazem parte das que mais tem excesso de peso. É importante pensar seria-

formações bio-psico-sociais desta fase de desenvolvimento, sendo determinante no aparecimento de perturbações que podem afetar uma vida. Estas perturbações incluem as de natureza emocional, como a depressão e ansiedade, frequentemente associadas à ingestão excessiva de alimentos (Apfeldorfer, 1997; cit. por Pereira, 2007;

Nutrição e exercício A alimentação e o exercício físico são primordiais na resolução de problemas como a obesidade, independentemente da idade, estrato social ou diferenciação e por norma caminham lado a lado, para que resultados satisfatórios sejam obtidos tanto em moda como hoje. Facilmente lemos, ouvimos e vemos estas associações diariamente, mas continu-

restritivas e bulimia (Kiess et al., 2001) e fraca qualidade de vida (Daniels et al., 2005).

Atividade física e Exercício físico Antes de mais é importante definir bem estes conceitos uma vez que existe muita controvérsia sobre eles. A atividade física (AF) é definida como qualquer movimento corporal produzidwo pela contração músculo-esquelética que resulta num aumento do dispêndio energético enquanto o exercício físico (EF) é um tipo de atividade que consiste em movimentos planeados, estruturados e repetitivos com o objetivo de melhorar e/ou manter uma ou mais componentes da capacidade física (ACSM, 2014).

Alguns benefícios de uma prática regular de AF são:

Algumas das consequências da obesidade

Melhorias na função cardiovascular e respiratória; Redução dos fatores de risco para doenças cardiovasculares;


30.12.2018  7

Semear Saúde Boas Festas

exercício físico Diminuição da ansiedade e depressão; Melhoria na função cognitiva; Melhoria na capacidade funcional e independência em idosos; Sentimento de bem-estar A prática de AF regular diminuí os riscos derivados da obesidade melhorando a nossa capacidade cardiorrespiratória. Além disso, reduzimos ainda mais os riscos através do controlo peso e melhoria da saúde em geral. A prescrição do exercício é adequada para adultos aparentemente saudáveis, em que o objetivo passa por melhorar a capacidade física e simultaneamente a sua saúde, podendo ser aplicada a adultos com certas doenças crónicas, incapacidades ou outras condições, quando monitorizados de forma apropriada, para a maioria dos adultos, um programa de exercícios deve incluir exercícios aeróbios, de resistência e força muscular, flexibilidade

e exercícios neuromotores (ACSM, 2014).

Conclusão É preciso intervir o quanto antes para lutarmos contra esta epidemia e sensibilizar para todos os problemas associados à obesidade e excesso de peso, entre os quais se destacam as doenças cardiovasculares e diabetes mellitus. Entre as principais causas para os elevados níveis de obesidade estão maus hábitos alimentares, pouca atividade física e comportamentos sedentários. É necessário aumentar a atividade física, principalmente nas crianças e sensibilizar os pais para a redução de horas excessivas em frente aos computadores e videojogos não ultrapassando as duas horas diárias.

Uma criança melhor será é um adulto melhor! Temos que intervir com equipas multidisciplinares: no âm-

Conheça as diferernças eactividade física e exercício físico bito da modificação comportamental, do aconselhamento nutricional e da prática de atividade física e exercício físico. É necessário adotar um estilo de

vida saudável, para além da perda de peso onde por si só trará inúmeros benefícios para a saúde e para o bem-estar individual.

Se formos mais seremos melhores! Com este acompanhamento conseguimos intervir em

todas as áreas fulcrais sendo é necessário definir metas razoáveis e reais a longo prazo para que esta doença deixe de ser crónica e consigamos ter uma vida mais saudável. Temos que aumentar o consumo de vegetais, frutas e grãos integrais, não esquecendo as fibras alimentares, antioxidantes para a prevenção de doenças cardiovasculares. Manter o peso saudável aleado de atividade física regular (Hazinski et al., 2015) Atualmente, o American College of Sports Medicine (ACSM, 2014), a World Health Organization (WHO, 2015) e o Centers of Disease Control And Prevention (CDC, 2007) recomendam que as pessoas adultas pratiquem um mínimo de 30 minutos de atividade física moderada. A atividade física regular ao longo de meses e anos pode produzir benefícios de saúde a longo prazo.

coach parental

Querida Mãe fotos: d.r.

“Só queria ter uma família normal”. Este foi o sonho que uma mãe verbalizou comigo num momento de grande vulnerabilidade. Só queria ter uma família normal. Aquele sentir ressoou em mim de uma forma muito profunda. Também eu durante muitos anos tive este anseio. Na minha família de origem e agora na família que criei. Uma família normal…

E a propósito desta época: recordo-me também do meu desejo de querer ter um Natal normal. Mas o que é normal, afinal? Cada um terá o seu conceito de normalidade. Para mim a família normal era aquela que nunca discutia, que existia sempre harmonia, que as crianças não faziam barulho, que estavam todos sentados à mesa a rir, que se davam todos bem, que

Deixar o modo 'fazer' e passar a simplesmente 'ser' é a proposta da socióloga Carla Patrocínio neste ensaio sobre a família as conversas eram pacíficas, enfim, que o caos e a sombra não existiam. Para mim um Natal normal era uma mesa cheia, muitas prendas, muita alegria, muita harmonia, muitos olhares ca-

rinhosos, muito amor, aliás, só amor. Não existia barulho, conflito, caos, desarrumação. Mas hoje sei. Hoje sei que isso não existe. Hoje sei que famílias normais, pelo menos com o significado que lhes

atribuo, não existem. Percebi: confundia x com perfeição. Esta última semana antes do Natal tinha imensos miminhos para os que me acompanham mas não consegui fazer nada. Estava com imensos pla-

nos. Tinha várias coisas para fazer. Metas para cumprir. Natal para preparar. Coisas boas para criar. Mas o meu Mestre mais pequenino ficou doente. Ainda tentei mesmo assim. Ainda tentei. Mas ele chegou perto de mim e literalmente fechou-me o computador de forma violenta. Olhei para ele tentando não me levar pelo meu ego, ouvindo somente aquele lugar - o do Amor. E pronto, aí percebi. Vou entregar-me. Vamos lá estar inteirinhas para esta época e para os meus Mestres. Inteiras para o que vier. E não só para a Perfeição. Leia-se: para a harmonia. Hoje fiz um compromisso de Inteireza comigo mesma para desfrutar desta época de forma plena. O compromisso foi este: - esta época liberto-me do meu conceito de perfeição e abraço os momentos de caos, conflito, desarrumação, cansaço, discussão que eventualmente possam vir. Esta época

Carla Patrocínio Socióloga Coach parental

www.meusfilhosmeusmestres.com

acolho tudo o que vier sem julgamentos. Esta época faço menos, sou mais, desfruto mais. O meu desejo é então este que possas viver o Natal com Inteireza. Aceitando o que vier. O que vier que estejas presente. Deixa o modo “Fazer” e simplesmente Sê. Sê sem julgamentos. Sê dando-te colo e verdade. Que seja um Natal perfeito na sua imperfeição. Inteiro. Se quiseres abraçar de forma consciente esta Inteireza agenda uma sessão estratégica gratuita comigo: www.carlapatrocinio.com/agendar.


pub

 8

Mais informações: 281 320 902 / 926 485 533 associacaosemearsaude@gmail.com Boas Festas

pub

Mais informações: 281 320 902 / 926 485 533 associacaosemearsaude@gmail.com

SEMEAR SAÚDE 19 - 30 DEZ 2017  

• CONHEÇA O SEMAR SAÚDE DESTE MÊS • • ON-LINE a informação à distância de um clique em www.postal.pt • • No Facebook em https://www.facebook...

SEMEAR SAÚDE 19 - 30 DEZ 2017  

• CONHEÇA O SEMAR SAÚDE DESTE MÊS • • ON-LINE a informação à distância de um clique em www.postal.pt • • No Facebook em https://www.facebook...