Page 1

Postal do Algarve 32 anos Página

ANOS ANIVERSÁRIO

Caixa de Entrada

3

Notificações

4

Estatísticas

128.493 742.944 130.554 fãs no facebook

vizualizações onsite

Ferram...

1.229

Centro...

edições notícia mais vizualizada P.12 a 14 em papel

Mais

Definições

Ajuda

12.000 20.000

tiragem média

tiragem máxima com EXPRESSO

EM MATÉRIA DE INVESTIMENTO

TEMOS DE SER AGENTES ATIVOS ENTREVISTA A JOÃO FERNANDES, PRESIDENTE DA REGIÃO DE TURISMO DO ALGARVE P.12 e 13

••• REGIÃO

João Rodrigues homenageado na sua terra natal P.3

••• REGIÃO

Sónia Santos sofre de doença grave e precisa de ajuda P.10

••• REGIÃO

A arte da Latoaria foi reativada no Algarve P.16 e 17

DISTRIBUÍDO COM O EXPRESSO VENDA INTERDITA Diretor Henrique Dias Freire • Ano XXXI Edição 1229 • Quinzenário à sexta-feira 23 de Agosto de 2019 • Preço 1,50€

postaldoalgarve 128.493

pub


2

23 de Agosto de 2019

Redação: Rua Dr. Silvestre Falcão, 13 C 8800-412 Tavira - ALGARVE Tel: 281 320 900 Fax: 281 023 031 E-mail: jornalpostal@gmail.com Online: www.postal.pt FB: facebook.com/postaldoalgarve FB: facebook.com/ cultura.sulpostaldoalgarve Issuu: issuu.com/postaldoalgarve Twitter: twitter.com/postaldoalgarve Diretor: Henrique Dias Freire Diretora executiva: Ana Pinto Redação: Ana Pinto (CO-721 A) Cristina Mendonça (CP 3258) Henrique Dias Freire (2207 A) Stefanie Palma Design: Bruno Ferreira Colaboradores: Afonso Freire, Alexandre Moura, Beja Santos (defesa do consumidor) Colaboradores fotográficos e de vídeo: Luís Silva / Miguel Pires / Rui Pimentel Departamento comercial, publicidade e assinaturas: Anabela Gonçalves, Helena Gaudêncio José Francisco Propriedade do título: Henrique Manuel Dias Freire (mais de 5% do capital social) Edição: Postal do Algarve - Publicações e Editores, Lda. Centro de Negócios e Incubadora Level Up, 1 8800-399 Tavira Contribuinte: nº 502 597 917 Depósito Legal: nº 20779/88. Registo do título (DGCS): ERC nº 111 613 Impressão: Coraze Distribuição: Banca - Logista, ao sábado com o Expresso/ VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda e CTT Estatuto editorial disponível: www.postal.pt/quem-somos

Tiragem desta edição:

13.120 exemplares

••• OPINIÃO

Beja Santos

Ana Amorim Dias

Henrique Dentinho

Assessor do Instituto do Consumidor e consultor do POSTAL

Escritora anamorimdias@gmail.com

Artista plástico

Sabe o que são problemas gástricos ligeiros?

Porque é que em vez de te amares, te toleras?

Ninguém ignora o que quer dizer má digestão ou digestões difíceis, azia, sensação de enfartamento. Negligenciar estas manifestações persistentes pode resultar que sejam detetadas tardiamente doenças graves que, se o fossem mais cedo, poderiam mesmo ser tratadas com facilidade. Há queixas digestivas ocasionais associadas a excessos alimentares, aqui é recomendado o recurso à indicação do seu farmacêutico. Porque os males digestivos são de diferente natureza e manifestam-se por dores, náuseas, vómitos, azia e arrotos. As indisposições gástricas ligeiras dão por vários nomes: dispepsia (indigestão), que tem várias causas: fatores alimentares (refeições muito rápidas, abundantes e com elevado teor de gordura); estilos de vida insalubres (tabagismo, ingestão elevada de álcool, muito stress); causa desconhecida (será o caso da dispepsia funcional, que é uma perturbação do funcionamento digestivo); úlcera péptica que até pode resultar da toma de alguns medicamentos ou de uma infeção provocada por uma bactéria. A azia (ou pirose) resulta de um excesso de acidez no estômago, podendo ocorrer subida de conteúdo gástrico para o esófago (refluxo gastroesofágico). Se este refluxo for frequente, é obrigatória a consulta médica. Nas perturbações gástricas ligeiras pode encontrar-se alívio com antiácidos. Na presença de gases que provoquem arrotos, há vantagem em que o antiácido seja acompanhado de um antiflatulento. O seu farmacêutico far-lhe-á perguntas sobre os seus estilos de vida, a medicação que toma, doenças anteriores. No caso de lhe sugerir antiácidos haverá questões pertinentes a ponderar. Primeiro, a utilização de antiácidos pode mascarar sintomas de perturbações mais ou menos graves, pelo que é de extrema importância que haja uma avaliação prévia por um profissional de saúde antes de os tomar. Segundo, a composição dos diferentes antiácidos é muito variável e com ela variam igualmente os efeitos secundários. Por exemplo, os antiácidos à base de alumínio ou de cálcio podem provocar prisão de ventre, enquanto os que têm magnésio podem dar origem a diarreias. É de notar que um insuficiente renal não pode tomar antiácidos com magnésio. Há antiácidos com grande conteúdo em sódio que não podem ser tomados por hipertensos, diabéticos, insuficientes renais e doentes cardíacos, entre outros. Terceiro, os antiácidos podem influir noutros tratamentos, um exemplo: a diminuição da absorção de muitos medicamentos pela ação do antiácido no estômago traduz-se numa diminuição no efeito da terapêutica que o doente está a fazer (caso dos antibióticos). Em suma, é de toda a pertinência dialogar com o farmacêutico para avaliar de forma personalizada o que dispensar ou de ele encaminhar, perante o seu quadro, diretamente para o médico.

Nunca te entenderei nessa parte. Jamais conseguirei perceber porque é que não gostas plenamente de ti! Até posso compreender os medos que te assolam e ler-te nos olhos os sonhos e aspirações. Posso encontrar as fracas razões que se escondem por detrás das tuas infundadas angústias. Posso captar as tristezas que calas e as memórias que nunca partilharás com ninguém. Mas jamais saberei entender porque é que, em vez de te amares, te toleras! Sim, eu sei: é frequente as pessoas gostarem pouco de si mesmas; é comum sentirem-se fracas, imperfeitas, inferiores. Mas será isso normal? Será esse o rumo certo? É que do desamor por nós mesmos nascem grandes males: dá-se a catástrofe de vidas inteiras que se perdem em sequências de imperfeitos momentos. Porquê? Porque gostam tantas pessoas assim tão pouco de si? Será porque acham que não correspondem aos padrões estipulados? Porque se vêem desinteressantes? Porque se crêem menores e menos capazes do que na verdade são? Porque foram ensinadas assim, talvez. Mas será assim tão importante obedecer a medidas e formatos, físicos e comportamentais? Haverá mesmo que buscar a beleza, a qualquer custo, a qualquer preço? Será mesmo crucial querer manter a juventude para sempre, nem que seja a toque de tinta, químicos e bisturi? Será que não entendes mesmo ou que nunca pensaste nisto? A beleza e sensualidade de um corpo nunca vêm do corpo; elas nascem na aura de quem naturalmente se cuida, inteiramente se aceita e coerentemente se ama. O brilho da juventude não está na rijeza das carnes nem em faces engomadas; não está no topo do jogo nem na ausência de cãs; está nas auras daqueles que, sem nunca desistirem de se tentar melhorar, se aceitam numa sábia e global gargalhada.

Tatuagens Período moderno do século 21. A bola azul segue navegando nos espaços nunca dantes navegados, quais naus descobrindo o mundo, comandadas por um povo intrépido, aventureiro, nos desafios do mar imenso, espalhando a fé e o sangue, na criação dum mundo disperso, povoando continentes a que hoje se chamam “CPLP” com sentido quase romântico, neste envolvimento sentimental. A fantasia acompanha o sonho e o sonho, às vezes, é bombardeado por pesadelos extravagantes, como se a vida se resumisse às modas – roupas rasgadas, cabelos numa cabeça pretensiosa, com varias cores, invocando desejos dum arco-íris. Peles estranhamente decoradas numa epiderme ofendida, atropelando o vaidoso ser. As tecnologias esvoaçando, no desafio da imaginação, fazem explodir o sonho das fantasias. Imaginemos a tatuagem na consciência. Se ela é tranquila, não será difícil ao artista desenhar a sua arte. Difícil será imprimir nas consciências que se dizem tranquilas, pois estarão sempre a remexer, desviando-se, impedindo o artista das tatuagens fixar sua arte, numa irrequieta consciência. O sonho acabou e eis que surge a luz…! A verdade é palavra difusa, envergonhada pela poderosa mentira… sem tatuagens.


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

3

Vencedor da Volta a Portugal foi homenageado na sua terra natal João Rodrigues, de 24 anos, é o primeiro ciclista tavirense a ganhar a Volta a Portugal em Bicicleta. O Município de Tavira homenageou o vencedor perante a família, os amigos e muitos fãs do ciclismo foto stefanie palma

pessoa e que se dedicou de corpo e alma ao ciclismo, à família e a todos os que o apoiaram”. O presidente recordou também que João Rodrigues foi ciclista do “Clube de Ciclismo de Tavira e agora é do Futebol Clube do Porto”. Jorge Botelho reforçou a ideia de que os atletas devem ser homenageados,

/ postal

João Rodrigues, vencedor da prova de ciclismo, não esconde o contentamento. “Não tinha a perceção de que poderia ser um vencedor da Volta a Portugal. No ano passado consegui estar entre os melhores, fiquei em sétimo lugar no geral, mas fazer um top 10 a imaginar ser vencedor no ano seguinte, não estava de todo à espera”.

􀪭 Jorge Botelho considera que a vitória é um orgulho para o concelho 􀪭 João Rodrigues ostenta a camisola amarela junto a Jorge Botelho Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

stefanie.palma.postal@gmail.com

João Rodrigues, atual atleta do W52 Futebol Clube do Porto, venceu a 81ª Volta a Portugal em Bicicleta no passado dia 11 de agosto. O jovem ganhou o contra-relógio e conquistou a camisola amarela por 27 segundos. O vencedor tavirense disse ao POSTAL que esta vitória representa o momento auge da sua carreira. “Esta é a maior conquista que fiz até hoje. Ser vencedor da Volta a Portugal é algo que sempre ambicionei. Quando era mais novo via a Volta a Portugal e ficava vidrado a ver o ciclismo e poder estar aqui hoje com a camisola amarela como vencedor da Volta a Portugal é muito bom”, disse ao POSTAL, de sorriso nos lábios.

vivem de factos, histórias, heróis, atletas e pessoas que levaram longe o nome da terra”. “Nós vimos crescer o João como atleta e como profissional, que chega aos 24 anos a vencedor da Volta a Portugal. É o primeiro ciclista nascido numa terra de tradição ciclista a ganhar a Volta a Portugal”.

Ciclismo é o desporto rei em Tavira O autarca reforçou que “para nós é um orgulho, pois o desporto rei em Tavira é o ciclismo”. Jorge Botelho disse ainda ao POSTAL que “esta conquista enche-nos de orgulho porque é um percurso de gente humilde, trabalhadora, boa

independentemente do clube a que pertençam. O que nos interessa é “distinguir o ciclismo”, sendo que “o João Rodrigues é um cidadão de Tavira que vingou por outro clube que não o Clube de Ciclismo de Tavira, mas que para nós tem um mérito enorme”. O presidente destaca que “não existem clubes, mas sim pessoas e isso é que conta”.

João Rodrigues tem 24 anos e venceu a Volta a Portugal em Bicicleta Por sua vez, Jorge Botelho, presidente da Câmara Municipal de Tavira, afirmou ao POSTAL que esta vitória “é um orgulho, pois os municípios

􀪭 João Rodrigues é o primeiro ciclista nascido numa terra de tradição ciclista a ganhar a Volta a Portugal

O sucesso vem sempre acompanhado de muito trabalho “Fiz os trabalhos de casa, trabalhei bastante para estar a um bom nível e felizmente consegui estar bastante bem”, afirma o ciclista. João Rodrigues reforça a ideia de que “não vinha com aquela pressão de ser líder de equipa para tentar discutir a Volta, vinha como se fosse um braço direito dos líderes, mas as circunstâncias de corrida foram-se alterando e eu fui assim passando um pouco na sombra sem perder tempo para os outros e conseguir tirar um excelente resultado que foi a vitória final”. Quanto às ambições futuras, o tavirense é peremptório. “A minha ambição é sempre a mesma: tentar evoluir nos meus pontos mais fracos e tentar sempre aprender com os mais velhos, que é o que tenho feito até agora. Eles têm-me dado bons conselhos e quero continuar assim”. “Nunca escondi que gostava de ser campeão nacional. É claro que gostava de subir ao escalão mais alto do ciclismo numa das melhores equipas do mundo. Isso seria o culminar de quase todos os sonhos conquistados até aqui”, concluiu o primeiro ciclista tavirense a ganhar a Volta a Portugal em Bicicleta.


4

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Luís Conceição e Osmose apresentam novo trabalho discográfico "Profecias" foto stefanie palma

/ postal

O surgimento da banda, Luís Conceição e Osmose O primeiro trabalho gravado com o nome Luís Conceição e Osmose remonta ao ano de 2015. "A primeira vez que toquei com estes músicos foi há relativamente pouco tempo, em 2015. O único que está comigo desde as origens da banda é o guitarrista e também produtor do disco, Valter Estevens. Os outros músicos conheci nos últimos anos", afirma. Luís Conceição confessou ao POSTAL que tem mais de 200 canções compostas, mas só tem cerca de 50 gravadas. O trabalho "Profecias" é lançado oficialmente no dia 24 de agosto, no Verão em Tavira e está dividido em duas partes. A segunda parte é lançada em dezembro. A banda já tem muitos concertos marcados para o próximo ano

􀪭􀪭 Luís Conceição começou a dar os primeiros passos na música aos 4 anos Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

stefanie.palma.postal@gmail.com

Luís Conceição tem 45 anos e é tavirense de gema. A música tem sido uma constante na sua vida. Luís Conceição e Osmose apresentaram recentemente o seu novo trabalho "Profecias". Em entrevista ao POSTAL Luís Conceição fala sobre a sua formação, carreira e novo trabalho. Luís Conceição começou na música aos quatro anos de idade. "Os meus pais tiveram o bom senso de me colocar na música porque eu gostava muito de cantar. Eu cantava afinado músicas de uma senhora chamada Cândida Branca Flor e os meus pais acharam muita piada a isso e puseram-me a aprender piano no Conservatório Regional do Algarve", conta o músico. O músico já sabia tocar piano antes de aprender a ler e a escrever Luís Conceição afirma que a música o tem acompanhado ao longo da vida. "A atividade da composição começou um bocadinho mais tarde, por volta dos 17/18 anos. Este novo disco é o sétimo trabalho que estou a gravar",

salienta. Para além da carreira de músico, Luís Conceição é também professor. O tavirense leciona as disciplinas de piano e história da música. "Já lecionei em muitos sítios. Já fui professor em Lisboa, em Tomar, já lecionei inclusive em universidades", refere. Luís Conceição sublinha que "costuma dizer-se que um professor não tem de ser um grande instrumentista e um grande instrumentista pode saber tocar um instrumento de forma magistral e não saber ensiná-lo", salientando que "são áreas completamente diferentes. Gosto de acreditar que sou um professor bom, que dou uns toques no piano e que também canto umas coisas". O músico confidenciou ao POSTAL que finalmente terminou os estudos e já pode dedicar-se de forma mais completa à criação e aos concertos. Luís Conceição já tem um vasto repertório no mundo da música. "Gravo sempre composições originais. Já gravei três trabalhos originais de piano a solo e os outros quatro trabalhos são edições de autor, que contemplam canções, em que apresento trabalhos sozinho (só piano e voz) e trabalhos em conjunto com a banda, que é o caso deste último trabalho".

"Este trabalho é uma coisa muito eclética, não se foca num estilo específico. É um trabalho um pouco multifacetado, vai desde o Rock Rápido, ao Rock Alternativo, progressivo, música quase tradicional portuguesa. É difícil definir", salienta o autor. Luís Conceição considera que a banda é muito sui generis. "Eu venho totalmente da música clássica, uma vez que fui educado a estudar Mozart e Bethoven. O guitarrista, o professor Valter Estevens vem do Heavy Metal mas foi também estudar música clássica. Por sua vez, o baixista, o Pedro, é um músico que aprende nas bandas. Depois, temos o Bruno Maé, baterista que é mais voltado para o rock. Por fim, o saxofonista também foi meu aluno". O autor considera que "neste trabalho cada um deu a sua contribuição, o que resultou num trabalho muito melhor a todos os níveis. Este trabalho é uma coisa mais íntima, pois cada um deu um pouco de si", reforça. "Já temos muita coisa marcada para o próximo ano. Este trabalho já foi apresentado em fevereiro na comemoração dos 100 anos do Museu Municipal de Faro e no Dia da Mulher, no entanto, a apresentação oficial acontece este sábado, 14 de agosto". "Atualmente, temos uma estrutura em que temos manager, representante, editora não temos, mas também não precisamos. Fiz uma edição de autor e agora vendo o meu trabalho a quem eu quiser, como quiser. Sou dono do meu trabalho e os direitos de autor são

meus", destaca. Luís Conceição afirma que "temos estado um pouco na estrada mas mais concentrados em acabar o trabalho, mas agora vai ser o máximo de estrada possível. Pretendemos dar a conhecer o nosso trabalho em tudo o que for rádios, televisões, palcos". Luís Conceição inspira-se na vida em geral Luís conceição referiu ao POSTAL que "se inspira na vida em geral”. Por norma, “estou sempre inspirado. Já me inspirei no meu gato, em relações amorosas, em relações conflituosas, em pessoas que odeio, em pessoas que adoro, livros, poemas, quadros". O músico disse ao POSTAL que a mãe faleceu há dois anos e que o pai escreveu um poema para ela. "A partir desse poema fiz um fado 'A minha mulher’ que é uma das músicas que tem tido mais sucesso na internet". "Eu nunca divulguei muito o meu trabalho mas vou começar a fazê-lo porque, de facto, acho que já cumpri tudo o que tinha a cumprir na vida, à exceção de divulgar o meu trabalho". Luís Conceição é filho de Tavira Luís Conceição já viveu um pouco por toda a Europa. O POSTAL perguntou ao músico se teria mais oportunidades numa grande cidade como, por exemplo, Lisboa ou Porto. "Eu acho que existe muito o preconceito de que quando se é de uma terra pequena não se conseguem fazer muitas coisas e isso é mentira", frisa. "É um orgulho para mim ser de Tavira. Não considero que seja limitador, de forma alguma". Quanto aos principais obstáculos enquanto músico, o autor afirma que "o primeiro obstáculo é o consumismo exacerbado do povo português de música que lhe é impingida à força. Hoje em dia temos uma liberdade e uma variedade de opções que não existiam. O que é certo é que as pessoas continuam a ver os mesmos canais de televisão e são influenciados de uma forma muito concreta para aquele género musical”. Se for ligar a televisão, num canal generalista, numa festa de verão, só se vê pimba", lamenta. A cultura do nosso povo foi esmagada por anos de ditadura Luís Conceição refere que ficou "impressionado porque na Volta a Portugal em Bicicleta apareceram os Perfume, que era uma coisa que eu

nunca tinha visto. Só via o Quim Barreiros e outros artistas semelhantes". Outro dos obstáculos é por exemplo "tocar em feiras da serra, primeiro porque não conhecem a música, logo, não conseguem cantar o refrão. Eu diria que a música que nós fazemos, excetuando a faixa número um que é uma música comercial, as pessoas não se identificam muito, pessoas de uma faixa etária mais de 40, 50, 60, 70 anos". Quanto aos jovens que consomem música "é uma incógnita porque este trabalho nunca esteve nas plataformas online, só vai começar a estar agora". Luís Conceição defende que "o maior obstáculo é a formação, as escolhas das pessoas, a cultura do nosso povo, que foi uma cultura esmagada, anos e anos, por uma ditadura". Noutros países, como França ou países nórdicos, por exemplo, "as pessoas têm uma capacidade de absorção cultural diferente. Na minha opinião, ainda estamos a pagar o preço de 40 e tal anos de uma forte ditadura, onde os hábitos culturais e as tradições se mantiveram um pouco". Para terminar, existe a "questão da dimensão do país. É muito bom ser português, eu tenho um grande orgulho, mas só temos 11 milhões de habitantes. Isso é muito importante a nível de limitações de mercado". Imaginemos o exemplo do Brasil com 160 milhões de habitantes. É inequívoco que "são 160 milhões de consumidores e isso faz diferença". O músico salienta ainda o facto de "em Portugal a música estar muito ligada à voz, à canção. No nosso país, a música tem de ter uma voz". O projeto Luís Conceição e Osmose já "tem um tema instrumental e no segundo vai ter outro. A música e a letra são coisas diferentes. A música pode existir por ela só como um poema existe por ele só, sem ter música. É o mesmo princípio na minha opinião", acrescentou. O tavirense refere que se considera um "canta-autor", pois gosta de cantar os seus temas. Quanto às ambições futuras, Luís Conceição salienta que "temos de trabalhar na vida sem expetativas. Temos de dar o nosso melhor. Acho que o mais importante é realizar um trabalho e ter consciência de que está bem feito e mostrá-lo à família, amigos, seguidores e fãs". "Para mim, enquanto músico, o mais importante é ter a consciência tranquila de que fiz tudo o que podia para que aquilo resultasse. Penso que gostar do que faço é essencial".


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

5

Recomeçaram as obras no Cine-Teatro António Pinheiro em Tavira fotos d.r.

􀪭 A obra esteve parada durante cerca de quatro meses devido a condicionantes arqueológicas Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

stefanie.palma.postal@gmail.com

As obras no Cine-Teatro António Pinheiro, em Tavira, recomeçaram em finais de Julho. A obra esteve parada durante aproximadamente quatro meses devido a condicionantes arqueológicas. O edifício do cine-teatro foi fruto de um projeto da década de 60 que consistiu na demolição do então Teatro Popular, um espaço dos anos 20, de linguagem clássica, no exterior, e inspiração arte nova, no interior. O cine-teatro vai custar 5 milhões de euros A construção do novo cine-teatro vai custar 5 milhões de euros e é financiada pelo CRESC Algarve 2020. O presidente da Câmara Municipal de Tavira, Jorge Botelho, disse ao POSTAL que “as obras já estão a decorrer, sendo que o projeto de reabilitação do teatro teve de ir à Direção Regional de Cultura previamente antes de lançar concurso”.

“A Direção Regional de Cultura aprovou o projeto mas existia uma condicionante, pois tinham de ser feitos trabalhos arqueológicos no local porque havia uma nota de que as margens do rio estariam naquela zona no século XV e XVI e que poderiam, por exemplo, ser encontradas embarcações e cais a oito metros à cota de soleira”. O presidente refere que “efetivamente não foi descoberto nada e, como tal, os trabalhos podiam prosseguir. Neste momento já não existem obstáculos”. O autarca adiantou ainda ao POSTAL que “uma obra desta envergadura tem sempre algumas condicionantes, no entanto, o prazo de término da infraestrutura rondará o terceiro ou quarto trimestre de 2021”. O arquiteto Rúben Martins, coordenador do projeto, disse ao POSTAL que a estrutura vai contemplar “uma sala multiusos. É um cine-teatro e, como tal, vai estar preparado para cinema e para espetáculos de palco, tais como, teatro, concertos musicais ou dança”. A autarquia pretende dotar o Cine-Teatro António Pinheiro “com condições de segurança e salubri-

dade, assim como adaptar o espaço às necessidades que decorrem das diversas atividades culturais (dança, teatro, cinema e música), tornando-o num equipamento polivalente”. Este espaço terá igualmente uma valência associada à realização de congressos, colóquios e assembleias, porque no fundo da sala, junto à cabine de projeção, duas cabines equipadas com dispositivos de tradução simultânea”. O arquiteto refere que “para além da caixa de palco, prevê-se, igualmente, a criação de quatro camarins, com capacidade para 19 pessoas, uma sala para funcionários e outra de reuniões”. O espaço da plateia contempla “uma bancada retrátil que possibilitará o seu uso por pessoas sentadas ou de pé ou, até mesmo, para a realização de um evento com uma ligação mais estreita e direta com o público”, avança a autarquia. De acordo com Rúben Martins, coordenador do projeto, “foi preciso redesenhar todo o corpo cénico, o qual prevê a subida e descida de cenários, bem como a correta instalação de todos os equipamentos de som e luz essenciais a um espetáculo atual”.

O cine-teatro vai acolher um máximo de 590 espetadores Estima-se que o cine-teatro poderá acolher um máximo de 590 espetadores, conforme o tipo de espetáculo.

vidade cultural, proporcionando a criação de uma sala de espetáculos à escala da cidade, preparada não só para produções de alguma envergadura técnica e artística como também para a utilização por parte de associações, coletividades e população em geral”. Rúben Martins relembrou ainda que “durante a década de 2000/2010 houve bastantes financiamentos para a recuperação de estruturas culturais como esta, sendo que a infraestrutura de Tavira ficou mais atrasada. O cine-teatro entrou naquilo que se pode chamar um financiamento para reabilitação urbana. O desafio foi exatamente tentar remodelar o edifício existente, de modo a dotá-lo das valências técnicas que possam dar resposta aos desafios culturais que se colocam atualmente”. Por sua vez, Jorge Botelho falou com especial apreço sobre a remodelação do edifício. Ao POSTAL afirmou que o cine-teatro vai permitir “um grande desenvolvimento da cidade, pois vai ser um grande suporte para a cultura ao longo de todo o ano”, mencionando que “a cidade de Tavira precisa de um espaço cultural coberto para permitir todos os tipos de espetáculos que se fazem em Portugal”. “Acho que vai ser um orgulho para os tavirenses ter este espaço que, finalmente, depois de muitos anos

􀪭 Plateia terá uma bancada retrátil que possibilitará o seu uso por pessoas sentadas ou de pé

“A ação prevista funciona como uma mais-valia para a dinamização da ati-

prometido, será uma realidade”, conclui o edil. pub


6

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Dias Medievais: Castro Marim transforma-se numa vila encantada foto d.r.

Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

stefanie.palma.postal@gmail.com

􀪭􀪭 O castelo é o palco principal dos Dias Medievais pub

Os Dias Medievais estão de volta a Castro Marim, entre 28 de agosto e 1 de setembro. Nestes dias, a vila transforma-se num lugar encantado, recriando com todo o rigor, os usos, costumes e vivências do passado medieval. “Durante cinco animados dias e noites de regresso à Idade Média, talvez a época mais intrigante da história da humanidade, o castelo e a vila transformam-se no cenário ideal para receber reis e rainhas, cavaleiros de armaduras reluzentes, bobos e jograis, comerciantes, monges, damas e nobres, mas também as contradições de uma época simultaneamente bárbara e culta, palco de acontecimentos e decisões que ficaram na história e

de magníficas produções culturais e artísticas”, avança a autarquia castromarinense em comunicado. A mesma fonte acrescenta que “os torneios a cavalo, os teatros de rua, os muitos grupos de animação ‘passa calles’, com malabaristas, zaragateiros, cuspidores de fogo, gaiteiros, equilibristas, espadachins e contorcionistas, a música medieval, a música e dança árabe-oriental, a música sacra, as danças medievais, a exposição de Instrumentos de tortura e punição, o mercado medieval e os banquetes, são algumas das principais atrações e trazem com elas toda a magia desta época tão fascinante”. O castelo é o palco principal dos Dias Medievais. “É aqui que acontecem as maiores recriações, como as de artes e ofícios, onde estão representadas mais de 45 profissões, e os grandes espetá-

culos, como os torneios medievais a cavalo. É também o castelo, no paiol, que acolhe a renovada exposição de instrumentos de tortura e punição (cofinanciada pelo Interreg V-A, apoiada pela União Europeia, cofinanciada a 75% pelo FEDER, projeto FOURTOURS), mostrando uma das razões pela qual a Idade Média é considerada como a Idade das Trevas”, destaca a autarquia castromarinense. Os Dias Medievais de Castro Marim atraem todos os anos milhares de visitantes. A edição deste ano não vai ser exceção. Durante vários dias a vila faz uma viagem no tempo que vai encantar miúdos e graúdos. As portas abrem às 18 e encerram às 00 horas. Durante o evento, organizado pela Câmara de Castro Marim, o Gabinete de Apoio ao Munícipe (GAM) funcionará como posto de informações e de apoio. pub


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

7

Noites de Levante prometem trazer magia à cidade de Olhão de graça. Há alguns dias, um flamingo gigante surpreendeu ao resolver “pousar” perto da Floripes e junto à ria Formosa “surgiu” um banco gigante que tem convidado residentes e visitantes a tirarem uma foto que grave a sua passagem por Olhão. São sinais de que as Noites de Levante estão a chegar!

foto d.r.

Diz-se, em Olhão, que em dias de levante “os loucos saem à rua”

􀪭􀪭 As Noites de Levante decorrem entre as 22 e as 23 horas, em Olhão e na Fuseta O mês de agosto está em pleno e ainda há muito para viver no verão

olhanense. Se o Festival do Marisco animou as noites da semana passada

e trouxe muitos milhares à cidade, as Noites de Levante já dão o seu ar

Durante quatro noites, entre 28 e 31 de agosto, “Olhão será animado pelas mais loucas figuras do nosso imaginário, naquele que é já um dos eventos de referência do verão algarvio, as Noites de Levante, que se distingue pela diferença e surpresa do que apresenta ao público”, dá conta a autarquia em comunicado. As Noites de Levante decorrem entre as 22 e as 23 horas, em Olhão e na Fuseta.

Nos dias 28 e 29 de agosto, mais de duas dezenas de personagens de inspiração circense invadem, respetivamente, a Frente Ribeirinha da Fuseta e a Praceta de Agadir, em Olhão, num desfile de saltimbancos, malabaristas, palhaços, feras, domadores e cuspidores de fogo, que termina com um espetáculo de interação com o público. No dia 30 de agosto, com a entrada da Lua Nova, a noite veste-se de branco e luz para receber a Deusa dos céus e do mar, num desfile que começa na Avenida da República e termina no Jardim Patrão Joaquim Lopes, num espetáculo surpreendente de destreza e fogo. No dia 31, Olhão deixa-se levar pela fantasia dos contos de fadas e de histórias de princesas e dragões. O belo e o terrível percorrem a Avenida 5 de Outubro e confrontam-se num espetáculo inédito que decorre no Jardim Patrão Joaquim Lopes. pub


23 de Agosto de 2019

••• ROTEIRO GASTRONÓMICO

d.r.

Restaurante ÁLVARO DE CAMPOS

Rua da Liberdade, nº 47 – Tavira

281 023 496

37.124943, -7.650583

alvarodecampostavira@gmail.com

Seg a sábado, das 12h às 23h (encerra ao domingo)

22€

d.r.

Para quem ainda não conheça este espaço em Tavira e procure um restaurante elegante, onde possa desfrutar de uma refeição de paladares tradicionais dispostos no prato de forma poética, o Àlvaro de Campos é o lugar certo! O chef Luís Brito, seu mentor, fala-nos de uma gastronomia de conforto, quer pela preocupação nutritiva, quer pela apresentação cuidada que colocam em cada prato. Mas é o chef Nelson de Gomes, à frente da casa, que nos desafia com as entradas de pastéis de bacalhau com coentros e com uns croquetes de pato divinais, abrindo o apetite para o bacalhau que é uma versão do à Gomes de Sá, mas com o ovo escalfado, ou para o polvo que ali se expressa de várias formas. Não dispense a companhia de um Quinta dos Vales, seguindo com a tarte de maçã com amêndoa ou outro doce de toque local.

􀪭 PRATO EMBLEMÁTICO

POLVO COM AMÊIJOAS E BATATA-DOCE

d.r.

Restaurante À MESA Boutique Hotel S. Paulo

Rua Dr. António Padinha, 21 – Tavira

281 027 415

37.101575, -7.658571

amesatavira@gmail.com

Das 15h às 23h (encerra à segunda-feira)

12€

d.r.

O À Mesa é um espaço de partilha, de degustação. Tem a sábia mão do chef Luís Brito, sendo uma réplica de o “A Ver Tavira”. Na linha da frente está o chef João Dias, que presenteia os clientes com a originalidade de sabores 90% portugueses. A começar pelo presunto de pato com compota de laranja e pelo prego de atum em bolo do caco de tinta de choco com maionese de wasabi, pepino fresco e molho de soja, é um desfilar de iguarias como o xerém, a cataplana, o cachorro de polvo ou ovo com migas fritas. Um verdadeiro equilíbrio entre preço/ qualidade em que se brinca com a carta! Os vinhos algarvios, as sangrias e cocktails refrescam os hospedes e veraneantes que por ali passam experenciando novos paladares, inspirados pela cultura algarvia.

􀪭 PRATO EMBLEMÁTICO

CACHORRO DE POLVO Com chips de batata-doce, cebola, maionese de pimentos e um sabor atrevido!

Restaurante O SÍTIO DO RIO

d.r.

8

Carrapateira – Praia da Bordeira – Aljezur (Costa Vicentina)

282 973 119/962 372 885

37.192465, -8.900212

N/D

Das 12.30h às 22h (encerra à terça-feira)

20 a 25€

􀪭 PRATO EMBLEMÁTICO

PERCEBES

d.r.

Com a indiscutível beleza da praia da Bordeira ao fundo e um pôr de sol de cortar a respiração, os veraneantes não resistem ao poder dos aromas do mar que o Sítio do Rio emana da grelha. Podemos dizer que é um trocadilho mas de facto o peixe que salta para o carvão vem da Costa Vicentina e estamos a falar do robalo, do pregado, do sargo e da corvina (na época), das douradas, das belas amêijoas, dos não menos fantásticos percebes, da sapateira e dos camarões que embora de viveiro e acompanhados por qualquer vinho nacional ou sangria, fazem salivar qualquer forasteiro. As costeletas de novilho também saem a fumegar da grelha e, com batata frita, legumes cozidos ou saladas, são magia para o estômago. No interior do restaurante ou cá fora na esplanada, serve-se uma torta de queijo de figo, uma simples mousse de manga ou, se preferir, uma torta de batata-doce.


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

9

Tavira é palco de mais uma edição da Dieta Mediterrânica produtores, jardim mediterrânico, provas gastronómicas, oficinas de culinária, seminários, exposições e atividades ao ar livre. A feira pretende dar a conhecer os produtos algarvios, enaltecendo os sabores e saberes da região. A dieta mediterrânica provém do nome grego díaita, que quer dizer modo de vida. Assim sendo, a dieta é "também um elemento cultural que propicia a interação social". Os ingredientes principais que compõem esta dieta são o azeite da oliveira, os cereais, as frutas e verduras, uma proporção moderada de carne, peixe e produtos lácteos, abundantes condimentos, sendo que o consumo é sempre acompanhado de vinho ou infusões.

foto d.r.

􀪭

Tavira é a comunidade representativa de Portugal na inscrição da Dieta Mediterrânica como Património Cultural Imaterial da UNESCO

Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

stefanie.palma.postal@gmail.com

A Feira da Dieta Mediterrânica está de volta à cidade de Tavira para mais uma edição. O certame realiza-se entre 5 e 8 de setembro e vai contar com a

presença da tradballs, com oficinas de danças e bailes de danças tradicionais. O evento vai contemplar inúmeras atividades, entre elas, o mercado de

O certame vai contar com muita animação e danças tradicionais A cidade de Tavira é a comunidade representativa de Portugal na inscrição

da Dieta Mediterrânica como Património Cultural Imaterial da UNESCO decidida a 4 de Dezembro de 2013 na 8ª Conferencia Intergovernamental realizada em Baku no Azerbaijão. A Feira da Dieta Mediterrânica cumpre “objetivos de transmissão dos valores ancestrais da Dieta Mediterrânica, legado das civilizações que originaram a nossa identidade, língua e cultura”. Na quinta-feira, 5 de setembro, decorre a Oficina de Danças Europeias, pelas 19:30 e o Baile Tradicional às 00:15 horas. Na sexta-feira e sábado, 6 e 7 de setembro, é a vez da Oficina de Danças Europeias pelas 19:30, seguida do Baile Tradicional às 00:15 horas. Por sua vez, no domingo, 8 de setembro, há baile tradicional pelas 19:30 horas, pelo grupo Oficinas & Bailes, no Jardim Público de Tavira (Coreto). A Feira da Dieta Mediterrânica é organizada pela Câmara de Tavira em parceria com várias entidades da região. A entrada é livre. pub

recheio.pt

O seu parceiro ideal, mesmo aqui ao lado. LAGOS - PORTIMÃO - ALBUFEIRA - FARO - TAVIRA No Recheio procuramos diariamente soluções para servir o seu negócio com a melhor qualidade e retribuir toda a confiança que deposita em nós. Os desafios que os nossos clientes nos apresentam continuam a ser a razão pela qual o Recheio cria mais e melhores soluções para o seu negócio. E não há melhor forma de o fazer do que continuar a fazê-lo por si. Lagos

Albufeira

Tavira

Urbanização Varandas de S. João – Lote1 S. Sebastião 8600-576 Lagos Geral: 282 780 880 Frutaria: 282 780 887 Peixaria: 282 780 882 Talho: 282 780 884

Vale Paraíso – Loteamento Serva 8200-567 Albufeira Geral: 289 580 940 Frutaria: 289 580 946 Peixaria: 289 580 949 Talho: 289 580 942

Portimão

Faro

Parque Comercial e de Exposições de Tavira - Sítio do Vale Formoso Lote 16/23 Sta. Maria 8800-202 Tavira Geral: 281 380 000 Frutaria: 281 380 012 Peixaria: 281 380 011 Talho: 281 380 014

Horta de S.Pedro Lote A Sítio do Poço Fojo 8500-998 Portimão Geral: 282 430 840 Frutaria: 282 430 845 Peixaria: 282 430 842 Talho: 282 430 847

Estrada Nacional 125 Vale da Venda 8135-032 Faro Geral: 289 897 900 Frutaria: 289 897 909 Peixaria: 289 897 907 Talho: 289 897 908

Feito por si.


10

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Sal e Flor de Sal de Castro Marim à mesa dos restaurantes foto d.r.

􀪭 A produção de sal é uma atividade tradicional e um dos ex-libris de Castro Marim

A Câmara de Castro Marim impulsiona o “Sal de Castro Marim à Mesa dos Restaurantes”, um repto destinado aos estabelecimentos de restauração que visa a promoção do “ouro branco” como produto endógeno de qualidade. Os estabelecimentos aderentes “recebem saleiros e flor de sal de Castro Marim para disponibilizar aos seus clientes, substituindo os saleiros de que dispõem”, avança o município em comunicado. Dezenas de restaurantes já aderiram, numa clara aceitação da iniciativa e do reconhecimento da qualidade do Sal e Flor de Sal de Castro Marim. A iniciativa pretende “aproximar o consumidor a este produto de excelência e valorização da matriz produtiva da região, incrementando os produtos locais na cadeia turística”, acrescenta. A produção de sal é uma atividade tradicional e um dos ex-libris

de Castro Marim, que dá origem a produtos de excelência recolhidos manualmente nas salinas de Castro Marim em plena Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António. Segundo a vice-presidente da Câmara de Castro Marim, Filomena Sintra, “é um desígnio substituir o sal industrial à mesa pelo sal e flor de sal tradicional, porque o sal tradicional é naturalmente superior e rico em minerais como o magnésio, o cálcio e o potássio. Estando o Sal de Castro Marim num processo de obtenção de Denominação de Origem Protegida (DOP) ”. A “Sal de Castro Marim à Mesa dos Restaurantes” é uma ação da candidatura “Patrimónios de Castro Marim: Valorização e Promoção de Produtores Locais e Produtos Endógenos”, comparticipada pelo PO CRESC 2020, projeto PADRE, apoiada por Portugal e União Europeia, cofinanciada a 70% pelo FEDER.

Algarve Nature Fest propõe dezenas de experiências no mar ou em terra foto d.r.

􀪭 Festival pretende promover os encantos naturais da região pub

Caminhadas, passeios de barco, birdwatching, batismo de mergulho e vela, stand up paddle e BTT são algumas das atividades que fazem parte do Algarve Nature Fest, um festival inteiramente dedicado ao turismo de natureza, promovido pela Região de Turismo do Algarve (RTA) em parceria com o município de Olhão, de 21 a 22 de setembro, no Passeio Ribeirinho de Olhão. “Trata a natureza por tu” é a assinatura deste evento que conta com dezenas de experiências no mar, na ria ou em terra para adultos e crianças, todas gratuitas, algumas com inscrição prévia obrigatória. Além do programa principal, há ainda um conjunto de atividades complementares para todos os que passarem pela área de animação e exposição

implantada no Passeio Ribeirinho de Olhão. O Algarve Nature Fest pretende promover os encantos naturais da região, mas também sensibilizar os participantes para a importância da proteção e conservação da diversidade biológica e paisagística da região algarvia. Por isso mesmo, no dia 21 de manhã haverá uma iniciativa no mercadinho de produtores do Mercado Municipal de Olhão que apelará à redução do uso do plástico através da oferta de sacos de compras reutilizáveis aos visitantes. O evento, que é uma evolução do conceito da Algarve Nature Week, apresenta-se nesta edição com embaixadores muito especiais: Nuno Markl, Vasco Palmeirim e Joana Schenker, que protagonizam o filme promocional que leva a dupla de

apresentadores e a campeã mundial de bodyboard numa aventura humorística pela natureza do Algarve. “O Algarve Nature Fest insere-se num conjunto de projetos que a RTA tem vindo a organizar e apoiar nos últimos anos, de forma a afirmar a região noutras áreas de interesse, a alterar perfis de consumo e a distribuir a procura ao longo do ano e do território. Trata-se de uma aposta clara no produto de turismo de natureza para quem quer desfrutar tranquilamente do contacto com o mundo natural algarvio”, afirma o presidente da RTA, João Fernandes. A Câmara de Olhão, a CP - Comboios de Portugal, a PSP e a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares – Algarve são parceiros estratégicos da RTA no evento.


Natural. Artesanal. Nosso.

ImpossĂ­vel Resistir Parceiros:

Pantone 2768C

Pantone 143C

#ffffff

E. info@yagelados.com M. Zona Industrial de Vilamoura - Rua dos Tanoeiros, Lt 33L - 8150-406 Vilamoura


12

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Entrevista a João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve

"Há que executar estratégias que façam com Stefanie Palma / Henrique Dias Freire

fotos d.r.

stefanie.palma.postal@gmail.com

Em entrevista ao POSTAL, João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), avança com algumas medidas que estão a ser tomadas no setor turístico de modo a melhorar o posiocionamento da região. O responsável fala ainda sobre as principais atividades que estão a ser desenvolvidas. João Fernandes avança também com os projetos futuros que a RTA pretende implementar. O Algarve é uma zona turística por excelência. Nota-se um declínio no número de visitantes relativamente a anos anteriores? O Algarve é há 40 anos, sem interrupção, o destino turístico nacional com maior número de dormidas de estrangeiros e residentes. A tradição do turismo conta com décadas e, de ano para ano, os resultados obtidos reforçam a região como um dos destinos preferidos para férias. Os mais recentes dados do INE dão conta, exatamente, deste desempenho positivo. Note-se que no primeiro semestre de 2019 continuámos a crescer, registando um aumento de 7,9% nos proveitos totais (que atingiram os 4312 milhões de euros), de 9,3% no número de hóspedes (com um total de 2,17 milhões hóspedes) e de 3,3% nas dormidas (com um total de 8,62 milhões dormidas). Estes são resultados conseguidos após um forte crescimento resultante de desvios de fluxos de outras paragens do Mediterrâneo devido a fenómenos de insegurança. O que é que os turistas mais procuram atualmente quando se trata da escolha do local de férias? Os turistas atuais não procuram apenas um “produto”. Procuram experiências e vivências que lhes permitam contactar com o que o destino tem de melhor e mais característico. Procuram hospitalidade, qualidade e atenção no atendimento. Procuram contacto com as histórias e as pessoas que fazem o destino ser como é. Procuram segurança. E o Algarve tem, certamente, tudo isto. Temos de ser agentes ativos em matéria de investimento Como potenciar a região e captar mais investimento? O foco deve residir na captação do que é estratégico. Temos de ser agentes ativos em matéria de investimento, através da atuação do nosso Gabinete de Apoio ao Investidor. Falo de um investimento que

O Algarve é há 40 anos, sem interrupção, o destino turístico nacional com maior número de dormidas de estrangeiros e residentes nos ajude a requalificar a oferta e que traga inovação nos produtos e nos serviços, conduzindo-nos a uma desejada sustentabilidade. A sustentabilidade (económica, social e ambiental) é, aliás, uma das premissas para o desenvolvimento da região. Partindo deste pressuposto, a RTA – com o apoio do Turismo de Portugal e em parceria com a CCDR Algarve e a Universidade do Algarve (UAlg) – lançou, no início deste ano, o Observatório para o Turismo Sus-

tentável. Com esta ferramenta a RTA irá estudar, analisar e monitorizar o desempenho turístico do destino e obter ainda mais conhecimento específico e detalhado sobre a região, para ter como base de apoio ao desenvolvimento e a competitividade turística, assegurando a preservação e a valorização da identidade, património e valores locais, enquanto ativos estratégicos. De sublinhar que trabalhar um destino que tem já uma grande maturidade torna-se espe-

cialmente desafiante, uma vez que são maiores as exigências ao nível da inovação. Mas para tal foi muito importante a captação da verba de 30 milhões de euros de uma linha de financiamento para a qualificação da oferta, atribuída pela secretaria de Estado do Turismo, que vem permitir a execução de projetos de diversificação turística do Algarve. Que medidas estão a ser tomadas no setor turístico de modo a melho-

rar o posicionamento e notoriedade do Algarve? Em primeiro lugar, destacamos o forte empenho de todos os players do setor, seja entidades públicas ou operadores privados, na criação de um destino que prima pela qualidade e que se quer posicionar, cada vez mais, como único, sem que o sucesso do seu desempenho esteja diretamente dependente de estratégias agressivas de pricing. De facto, juntos (públicos e privados) temos

>


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

13

que o Algarve cresça em valor e qualidade"

b.i.

> vindo a pôr em prática uma estra-

tégia que, grosso modo, segue duas vias: a diversificação da oferta turística, através do desenvolvimento e promoção de novas motivações de visita à região, como o turismo de natureza, o turismo náutico, a cultura, a gastronomia e vinhos e os produtos corporate integrados no produto MICE (meetings, incentives, conferences and exhibitions); a diversificação da procura com foco no alargamento do leque de turistas de mercados emissores com potencial – seja os mercados europeus em crescimento, como França e Itália, seja os emergentes como Brasil, Estados Unidos da América e Canadá. Aqui, no que diz respeito à procura não descuramos, claro, a atenção dada ao mercado de proximidade alargado que inclui Portugal e Espanha ou aos nossos mercados tradicionais, como o Reino Unido, a Alemanha, a Holanda ou a Irlanda, que têm sido alvo de reforços de campanhas com companhias aéreas, operadores e online travel agencies. Desde que tomou posse como presidente da Região de Turismo do Algarve, quais os maiores obstáculos que tem encontrado? Olho para os obstáculos não como entraves, mas como desafios. Por isso, prefiro sempre fazer o balanço deste primeiro ano falando nos desafios. Após um período em que a instabilidade de alguns dos nossos concorrentes nos trouxe excecionais fluxos turísticos, a atual situação, com a conjugação da falência de companhias aéreas que nos ligavam a importantes mercados emissores, o processo do Brexit, a reemergência da Turquia, Tunísia e do Egipto, ou mesmo um ano de atípicas condições climatéricas, são alguns dos maiores com que temos sido confrontados. Para contornarmos esta conjuntura, há que executar estratégias que façam com que o Algarve, como destino turístico, cresça em valor e em qualidade para que não fique refém do preço como fator de "atração". O que justifica a nossa aposta na construção de uma imagem que traduza a riqueza e o caráter diferenciador da região, tornando a experiência de quem nos visita mais rica, mais autêntica e emocional. O Algarve está a afirmar-se cada vez mais como destino turístico de eleição

O que é que o distingue do seu antecessor? O que defende para o turismo algarvio? O trabalho desenvolvido por todos os meus antecessores foi muito po-

QUEM É? Fernandes. João Fernandes. O QUE FAZ? Faço muito com pouco. PERFIL NOME: João Pedro Ferreira Caldas Fernandes

IDADE: 44 SIGNO: Peixes PROFISSÃO: Presidente da RTA e da ATA FORMAÇÃO: Licenciado em Engenharia do Ambiente e pós-graduado em Gestão Empresarial, pela Universidade do Algarve ONDE RESIDE: Faro TEMPOS LIVRES: Não tenho LIVROS: «21 lições para o século XXI», de Yuval Noah Harari QUALIDADE: Teimosia DEFEITO: Teimosia DESTINO DAS ÚLTIMAS FÉRIAS: Algarve

􀪭􀪭 João Fernandes diz que olha para os obstáculos não como entraves, mas como desafios sitivo e fez com que o Algarve fosse uma referência turística para portugueses e estrangeiros. No entanto, os contextos mudam e temos que estar preparados para novas realidades. É exatamente na forma que trabalhamos o destino para os vários mercados que reside a diferença e que podemos desenvolver uma estratégia ainda mais solidificada. Por exemplo, ao nível da promoção internacional estamos a apostar em instrumentos de marketing intelligence, no sentido de uma maior eficácia do investimento nos diferentes canais de distribuição. No fundo, julgo que apesar das diferenças entre os vários responsáveis pelo turismo algarvio ao longo dos anos, a RTA e a ATA têm mantido equipas qualificadas que garantem que não haja grande disrupção de um mandato para outro, naquela que é a atividade e a linha promocional do principal destino turístico do país.

Que atividades estão a ser desenvolvidas na época baixa de modo a que os efeitos drásticos da sazonalidade não tenham tanto impacto na região? Em primeiro lugar, importa realçar que o Algarve está a afirmar-se cada vez mais como destino turístico de eleição ao longo de todo o ano. Verificou-se uma clara atenuação da taxa de sazonalidade que, entre 2012 e 2018, passou de 47,1% para 42,7%, no que respeita às dormidas. Isto é o reflexo de uma estratégia integrada que tem vindo a ser aplicada e que passa pela execução de diversos planos, nomeadamente: o «Plano de Combate à Sazonalidade», que vem reforçar a aposta em novas rotas, serviços e frequências e repor os movimentos aéreos perdidos devido a roturas de companhias de importantes mercados para o Algarve; o "Plano de Marca", que integra novas ações de comunicação com companhias aé-

reas e trabalho de proximidade com operadores para criar oportunidades de visita à região ao longo do ano; o "Plano de produto e mercado", que tem por finalidade colocar a região do top of mind dos turistas em produtos que vão além do "Sol & Mar". Entre todos é também já conhecido o 365 Algarve, que arrancará com a sua 4.ª edição em outubro com programação cultural e artística diversificada fora da época alta, o Algarve Cooking Vacations, composto por programas de férias culinárias e enológicas na região, ou então o Algarve Nature Fest, um festival inteiramente dedicado ao turismo de natureza, promovido em parceria com o município de Olhão, que acontece já a 21 a 22 de setembro, no Passeio Ribeirinho. Quais são os projetos futuros que a Região Turismo do Algarve pretende implementar?

A RTA tem desenvolvido vários projetos, contando com a parceria de diversas entidades, com o objetivo de dinamizar e destacar o que a região tem de melhor e atrativo. Alguns já referi há pouco. Mas temos outros ainda no âmbito do turismo náutico, em concreto as Estações Náuticas de Faro, Vilamoura e Portimão e a criação da Estação Náutica do Baixo Guadiana, um projeto transfronteiriço que surge no âmbito de um protocolo de ação entre a RTA, os municípios do Guadiana e a Associação Naval do Guadiana. Refiro ainda a aposta em eventos que permitem projetar a imagem do Algarve como destino dinâmico, entre eles um grande evento internacional de gastronomia e outro de desporto motorizado. Estamos ainda na linha da frente da integração da laranja algarvia na cadeia de valor regional, em conjunto com a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, a associação de produtores AlgarOrange e representantes da hotelaria. A ideia é fazermos dos citrinos algarvios o "cartão-de-visita" da região.


14

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Algarvia Sónia Santos sofre de Esclerose Lateral Amiotrófica e precisa de ajuda Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

Sónia Santos refere ainda que recentemente teve “conhecimento de que existe um medicamento genérico com o custo de aproximadamente 600 euros diários”, no entanto, a algarvia gostava de “poder deslocar-se ao EUA para ter um aconselhamento médico, de forma a saber mais informações sobre o possível tratamento”.

fotos d.r.

stefanie.palma.postal@gmail.com

Sónia Santos tem 40 anos e reside em Olhão. Aos 35 anos foi-lhe diagnosticada Esclerose Lateral Amiotrófica. Está em busca de um tratamento eficaz que permita a melhoria da doença e apela à ajuda de todos.

O medicamento Edaravone ajuda a travar a progressão da doença

Os tratamentos para a ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) são unicamente realizados nos EUA ou no Japão e têm um custo bastante elevado. A ELA é uma patologia neurológica degenerativa (tal como Alzheimer e Parkinson) que evolui de forma progressiva. A Associação Portuguesa de Esclerose Lateral Amiotrófica (APELA) explica que “o que acontece nesta patologia é que os neurónios motores que conduzem a informação do cérebro aos músculos (passando pela medula espinhal) morrem prematuramente”. “A consequência da morte precoce desses neurónios é que esses músculos, que nos permitem realizar os mais variados movimentos (andar, falar, mastigar, engolir…), vão ficando mais fracos gradualmente”, acrescenta. Sónia Santos descobriu a doença há quatro anos A olhanense descobriu que tinha esta doença no dia 7 de janeiro de 2015, no Hospital de Faro, depois de uma panóplia de exames. “O primeiro sintoma que tive foi no

􀪭􀪭 Sónia Santos está à procura de um tratamento eficaz que permita a melhoria da doença dedo indicador esquerdo, pois este começou a dobrar involuntariamente e a ficar em forma de gancho”, salienta a algarvia.

Sónia Santos refere ainda que “já tinha outros sintomas da doença antes mas na altura não fazia ideia que eram decorrentes de uma patologia”, sendo que “sentia muito cansaço, que pensava que seria por exercer uma profissão em que tinha de estar Olá o meu nome é Sónia Santos em pé durante algumas horas”. e tenho 3 filhos que quero ver A algarvia trabalhava crescer... em Janeiro de 2015 aos numa banca de peixe 35 anos foi-me diagnosticada uma no Mercado Municidoença rara e neurodegenerativa a pal de Olhão durante E.L.A. O único tratamento que exiso período da manhã. te é feito no Japão e nos EUA... são

AJUDE A SALVAR UMA VIDA

tratamentos muito caros e estão longe das minhas possibilidades, por isso conto com a vossa ajuda para iniciar esta jornada que é a luta pela minha vida. GRATIDÃO

NIB: 0010 0000 5667664001 84 IBAN: PT50 0010 0000 5667 6640 0018 4 􀪭􀪭 Sónia apela à ajuda de todos

BANCO: BPI

A algarvia tem três filhos de 18, 20 e 22 anos Sónia Santos está a ser acompanhada no Hospital de Faro com o neurologista João Raposo e está a tomar o medicamento Riluzol. “Esta medicação é

ineficaz a meu ver porque só nos prolonga a esperança de vida entre três a cinco meses”, lamenta. “Estou a tomar uma droga altamente potente, com efeitos colaterais evidentes e que não me dá esperança nenhuma de vida”, reforça Sónia Santos.

A algarvia reforça que “este medicamento ajuda a travar a progressão da doença, não a cura”, pelo que “não vou recuperar aquilo que já perdi, ou seja, tenho pouco tempo para fazer este tratamento”. “Não me adianta fazer esse tratamento quando estiver acamada porque já não vou recuperar”, destaca com tristeza. “Eu criei em outubro do ano passado a página 'Juntos pela ELA'. Na altura quando dei início à minha causa foi para ter uma qualidade de vida melhor”, sendo que “a ajuda que recebo do Estado é muito pouca”. Sónia Santos refere que começou esta página “para ter uma qualidade de vida melhor, principalmente para uma casa, pois na minha casa não cabe um carrinho de bebé, quanto mais uma cadeira de rodas ou uma pessoa acamada. Comecei essa página por isso”. Com o passar do tempo, os amigos e familiares de Sónia começaram a incentivá-la a pedir donativos para conseguir fazer o tratamento. “Eu dizia que era uma coisa impossível, porque o tratamento é noutro país e os valores são absurdos. Mas a força que me deram foi incrível e aqui estou eu, pronta para lutar pela

Não me adianta fazer esse tratamento quando estiver acamada porque já não vou recuperar A esperança no tratamento está nos Estados Unidos da América ou no Japão através do medicamento Edaravone que ajuda a travar a progressão da doença. “Quando tive conhecimento do medicamento pesquisei tudo e mais alguma coisa e pedi a uma pessoa que mora lá para saber mais informações acerca do preço. Cada ampola custa 1.000 euros diários”, afirma Sónia.

minha vida”. Se quiser juntar-se a esta causa pode contribuir através do NIB de Sónia Santos ou então comprar as pulseiras solidárias “Juntos por ELA”, que têm um custo de um euro e podem ser adquiridas através da página de facebook solidária de apoio a Sónia. Pode acompanhar toda a história e evolução de Sónia Santos através da página de facebook ou através da sua página pessoal “Diário de uma ELA”.


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

15

Portimão lança Prémio Municipal de Voluntariado foto d.r.

􀪭 Os projetos vencedores serão premiados no dia 5 de Dezembro, Dia Internacional do Voluntariado O Município de Portimão lançou o Prémio Municipal do Voluntariado com vista a apoiar e distinguir as melhores práticas de voluntariado e promover o exercício de responsabilidade social e cidadania ativa, estimulando a apresentação de pro-

jetos inovadores de voluntariado. O prémio vai distinguir anualmente os dois melhores projetos candidatos, um na categoria singular e outro na categoria coletivo, com um apoio pecuniário de 5.000 euros. Os vencedores serão premiados no dia 5

de Dezembro, Dia Internacional do Voluntariado, numa cerimónia onde será feita a entrega de prémios e menções honrosas. Dirigido a entidades coletivas, bem como a pessoas singulares, o “prémio pretende reconhecer a atuação

voluntária de cidadãos e de entidades, nas áreas de solidariedade e saúde, ambiente, economia social, educação e formação que promovam a melhoria da qualidade de vida das crianças, jovens, pessoas idosas, cidadãos portadores de deficiência, sem-abrigo,

migrantes, etnias e outros cidadãos em situação vulnerável com relevante interesse social impacto mensurável na vida dos destinatários”, explica a Câmara de Portimão em comunicado de imprensa. Serão selecionados cinco finalistas em cada categoria e atribuídos dois prémios que distinguem a originalidade e inovação, a profundidade e o número de beneficiários da intervenção e o contributo para a resolução das problemáticas identificadas. Critérios como a capacidade de estabelecimento de parcerias ou a qualidade da comunicação do projeto também serão valorizados sendo que no formulário de candidatura deverá ser submetido um pequeno vídeo de apresentação do projeto. As candidaturas formais abrem a 16 de setembro e encerram no dia 15 de outubro e devem ser feitas online no site da autarquia através de formulário criado para o efeito. Os interessados em mais informações devem contactar o telefone 282 470 830 ou o email candidaturaspvm@cm-portimao.pt. pub


16

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Latoaria foi reativada no Algarve Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

“Sei bem quais são as dificuldades em tentar manter vivas estas artes”, frisa o jovem latoeiro. Túlio Martins refere que nunca tinha experimentado este ofício antes de entrar no projeto. “Não sabia nada de latoaria. O meu pai incentivou-me a participar nesta atividade, pois assim “existiria mais alguém que podia contribuir para manter esta arte viva”. “Fui uma das cinco pessoas a aprender. Fui ganhando o gosto. Partíamos de uma folha de chapa, dávamos-lhe forma e assim nascia uma peça", recorda.

foto d.r.

stefanie.palma.postal@gmail.com

A latoaria é um ofício que tem cada vez menos praticantes. Esta arte esteve mesmo à beira da extinção. O POSTAL falou com Graça Palma, coordenadora do Projeto “ A Arte do Latoeiro”, que teve como principal objetivo reativar este ofício no Algarve e com um dos aprendizes, Túlio Martins, que é também o mais novo latoeiro do Algarve. Graça Palma, coordenadora do projeto “A Arte do Latoeiro” disse ao POSTAL que esta iniciativa está integrada na intervenção do projeto TASA (Técnicas Ancestrais, Soluções Atuais) e decorreu em dois períodos: 2017 e 2018. A responsável salienta que “existia a necessidade de fazer uma intervenção no sentido de salvaguardar uma arte que se encontrava em extinção no Algarve, sendo que o projeto Arte dos Latoeiros surge exatamente dessa necessidade”.

Túlio Martins concilia a latoaria com a sua atividade profissional

O projeto TASA pretendeu reativar o ofício da Latoaria O projeto TASA trabalha com as artes e ofícios tradicionais, alguns já extintos e outros que estão em vias de extinção. “Conscientes desse aspeto procurámos intervir no sentido de reativar o ofício da latoaria”, explica Graça Palma. O projeto teve o apoio da EDP Produção, da Câmara Municipal de Silves e da Junta de Freguesia de São Bartolomeu de Messines. Graça Palma explicou ao POSTAL que “a Câmara Municipal de Silves tinha o espólio de um antigo latoeiro que era muito querido da população, o senhor Raúl. Este senhor tinha uma oficina no centro da vila e doou todos os equipamentos à autarquia, para haver uma continuidade do seu trabalho e colocar os seus instrumentos e ferramentas em museu”. A coordenadora explicou que entretanto conheceram “dois mestres latoeiros, um do Alentejo e outro de Vila Real de Trás-os-Montes e vimos que tínhamos todas as condições para iniciar essa intervenção”. A primeira fase do projeto centrou-se na transmissão de conhecimentos mestre-aprendiz A primeira fase do projeto, que teve lugar em 2017, centrou-se na transmissão de conhecimentos mestre-aprendiz. Durante a iniciativa foram formados cinco novos latoeiros. “A lógica do TASA é sempre levar inovação, porque acreditamos que

􀪭􀪭 Túlio Martins tem 28 anos e participou no projeto “A Arte do Latoeiro” se introduzirmos um fator de inovação nas artes tradicionais, existem mais condições para estas se tornarem sustentáveis, uma vez que respondem mais diretamente às necessidades do mercado atual”, refere Graça Palma. Neste sentido, “convidámos um designer que desenhou peças com as técnicas da latoaria, com um design mais apelativo e mais contemporâneo”. O projeto pretendeu envolver os latoeiros e a comunidade A segunda fase do projeto foi centrada na capacitação dos latoeiros para que eles pudessem abrir e desenvolver as suas atividades. Durante a iniciativa “A Arte do Latoeiro” existiu outra linha de ação que consistiu no “envolvimento da comunidade com os novos latoeiros”. “Fizemos uma intervenção de design social envolvendo a comunidade na criação de um itinerário temático feito com peças da latoaria pelas principais ruas da vila. Em São Bartolomeu de Messines foram in-

tervencionadas 11 ruas. “Agora existe um percurso temático relacionado com os temas identitários daquela vila, com as memórias relacionadas com João de Deus e a importância que ele teve nos processos de alfabetização, por exemplo”. Em São Bartolomeu está a funcionar uma oficina provisoriamente na casa onde nasceu João de Deus. Dos cinco latoeiros apenas três abriram atividade Dos cinco latoeiros que participaram no projeto apenas três abriram atividade, sendo que dois estão a tempo inteiro e o outro concilia com outra atividade profissional. Dos outros dois, um não chegou a abrir atividade de todo e o outro continuou mas para fins artísticos. “Neste momento consideramos que o ofício foi reativado, uma vez que existem três latoeiros jovens a laborar”, afirma Graça Palma. “Eles estão a desenvolver a sua atividade, têm encomendas, participam em feiras, estão no ativo”, comple-

menta a coordenadora. A missão do projeto TASA é tornar a atividade artesanal numa profissão de futuro. “No fundo é criar condições para a sustentabilidade destes ofícios, alguns deles seculares, milenares”, realça. “Há uma apetência do mercado para o produto artesanal, para o produto com história, ligado à identidade da região e, portanto, vamos agora na medida das nossas possibilidades e com parcerias que consigamos constituir com entidades públicas e privadas, tentar continuar a transmitir os saberes para novas gerações de artesãos como aconteceu noutras áreas”, salienta Graça Palma Túlio Martins foi um dos aprendizes e atualmente é o latoeiro mais novo do Algarve Túlio Martins tem 28 anos e participou no projeto “A Arte do Latoeiro”. “A minha mãe é tecedeira e passei a minha infância a ir com ela a feiras como, por exemplo, a Fatacil”, revela em entrevista ao POSTAL.

O latoeiro refere que “ao trabalhar com o material começam a surgir novas ideias. Uma das coisas mais recentes que comei a ver foi exatamente como poderia adaptar máscaras em cartão à latoaria”. Túlio Martins concilia a latoaria com a sua atividade profissional. “Quando estava desempregado costumava dedicar entre duas a três horas à latoaria”. Os conhecimentos foram-lhe transmitidos por dois mestres latoeiros. “Os mestres transmitiram-nos saberes muito importantes, no entanto, deixam sempre algo que temos de descobrir por nós mesmos. E esta arte só se aprende fazendo”. Túlio Martins não esconde o gosto que tem por esta arte secular. “Vejo-me como alguém que deve manter este conhecimento e, no caso de surgir alguém que queira aprender, ser o transmissor deste ofício, caso tenha a disponibilidade necessária”, revela. Túlio Martins pratica esta arte em Messines, no espaço comum que partilha com os restantes latoeiros. “Como sou da terra sou eu que o utilizo mais. É um espaço histórico, pois é o local onde nasceu João de Deus”. Quanto à latoria propriamente dita, Túlio salienta que “o material é muito versátil, sendo que existe um tipo de chapa mais maleável que outro. Depende muito da utilidade que lhe queiramos dar”. Os utensílios mais solicitados são baldes, funis, rocas e pás O jovem latoeiro deixa um conselho a quem queira experimentar esta arte: “tenham vontade, gosto e bastante criatividade. O material tem vários usos. Vi vários designs em outros materiais que me deram várias ideias de como adaptá-los à latoaria. As ideias vão surgindo naturalmente”. Túlio Martins tem o desejo de “continuar a praticar este ofício, contribuindo, deste modo, para a manutenção deste ofício tão antigo”.


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

17

A arte de ensinar o ofício da latoaria foto d.r.

tificam. Ter gosto no que se faz diariamente é muito importante. Esse é o prazer de todos os artesãos. É uma profissão que compensa monetariamente? Viver exclusivamente das peças de artesanato não seria rentável. À parte disso, existem outras tarefas, tais como, obras de algerozes (caleiros) e consertos de outras peças. Vai dando para viver (risos). Qual o segredo para não deixar extinguir uma arte tão importante como a Latoaria? O projeto TASA e outros do género, ajudam a despertar o interesse das pessoas que, tal como eu, se possam vir a interessar por esta arte. Assim, podem exercê-la e não deixá-la morrer. Por exemplo, neste projeto, se dos cinco formandos dois avançarem com a arte já é positivo. Assim, será possível passar este ofício de geração em geração. pub

􀪭􀪭 Em Portugal devem chegar os dedos de uma mão para contar o número de latoeiros Stafanie Palma / Henrique Dias Freire

stefanie.palma.postal@gmail.com

O POSTAL falou com Rui Santos, um dos mestres latoeiros que participou no projeto “A Arte do Latoeiro”, desenvolvido em São Bartolomeu de Messines e que permitiu reativar o ofício da latoaria. Rui Santos tem 39 anos e é natural de Vila Real de Trás-os-Montes. Em que consiste a arte da Latoaria? Consiste na transformação da folha flandres (lata), chapa zincada e outros metais, em peças que se usavam na vida doméstica, tais como regadores, jarros, candeias, alguidares, baldes, etc. Em Portugal existem poucos latoeiros a exercer a profissão Já existem poucas pessoas disponíveis para ensinar este ofício, não é? Sim. Provavelmente em Portugal devem chegar os dedos de uma mão para contar o número de latoeiros existentes, sendo que os que ainda praticam este ofício têm idades a

rondar os 70 anos. O meu pai, ainda no ativo, tem 82 anos. Há quantos anos exerce esta atividade? Eu costumo dizer que já nasci no meio das latas, mas efectivamente, há 27 anos. Com quem e como aprendeu? O meu mestre foi o meu pai. Com dez anos terminei a escola primária e fui para o 1º ciclo. Esta escola ficava relativamente perto da oficina (que ainda hoje é o mesmo espaço), e eu nos intervalos aproveitava e ficava junto ao meu pai a aprender. Os meus brinquedos desde cedo passaram a ser os martelos e as tesouras, começando assim o gosto pela latoaria. O que o leva a querer ensinar uma arte tão antiga? É a minha arte, aquilo que gosto de fazer. Gosto de fazer peças únicas, inovar. É o meu trabalho. Por essa mesma razão, tenho gosto em poder ensinar aos outros aquilo que melhor sei fazer, para tentar dar continuidade a esta arte. Rui Santos foi um dos mestres do projeto TASA

O Rui participou no Projeto “Arte dos Latoeiros” em São Bartolomeu de Messines. Quantos aprendizes teve? Sim, tive todo o gosto de participar no projeto “TASA”. O ideal era haver mais iniciativas destas, na arte da Latoaria e outras. Neste projeto tive cinco aprendizes. Que técnicas ensinou? Usei todas as técnicas artesanais que fui aprendendo aos longo de todos estes anos, para as poder ensinar aos cinco aprendizes que tive. Técnicas de corte, quinagem e solda. Sentiu uma boa recetividade por parte dos formandos? Sim, sem dúvida que sim. Senti que os cinco formandos estavam muito empenhados e curiosos em aprender esta arte e as suas diversas técnicas. De realçar, que alguns deles, tiveram de fazer esforços suplementares para poderem estar presentes na formação. Que conselhos daria a quem quer experimentar este ofício? Perceberem se realmente é uma arte com o qual de iden-

Quarteira


18

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Mariza e Orquestra Clássica do Sul juntam-se no palco da Fatacil A Orquestra Clássica do Sul alia-se ao fado, num encontro único com a voz e presença incontornáveis de Mariza. O concerto integra a programação da Fatacil – Feira de Artesanato, Turismo, Agricultura, Comércio e Indústria de Lagoa, e terá lugar no próximo sábado, 24 de agosto, pelas 22 horas. Mariza é uma conceituada fadista portuguesa que todos os anos percorre diferentes palcos em todo o mundo e coleciona, anualmente, dezenas de atuações para milhares de pessoas. Na Fatacil, Mariza interpretará algumas das suas obras na companhia dos seus músicos e da Orquestra Clássica do Sul que estará sob a direção do maestro Rui Pinheiro. Será uma combinação muito especial, na qual a presença da orquestra vem conferir maior intensidade musical a um concerto protagonizado pelo fado. Na noite de sábado, a cidade de Lagoa vai presenciar uma fusão mágica entre música clássica e fado, numa cerimónia que quebra fronteiras entre géneros musicais distintos. Os bilhetes custam quatro euros e podem ser adquiridos no local, no próprio dia do evento.

foto d.r.

􀪭􀪭 Mariza interpretará algumas das suas obras na companhia dos seus músicos e da Orquestra Clássica do Sul pub

DOIS MINUTOS PARA OS DIREITOS HUMANOS 1. ÁFRICA AUSTRAL

© LAWILINK/Amnistia Internacional

A Amnistia Internacional apela à Comunidade de Desenvolvimento da África Austral para que adote um plano regional de proteção das pessoas com albinismo. Desde 2014, foram registadas 150 mortes, em países como o Malawi, Moçambique, a República Democrática do Congo e a Tanzânia. Os albinos são atacados, sequestrados, mortos ou mutilados devido à existência de crenças de que partes do seu corpo têm propriedades únicas, sendo utilizadas em rituais.

2. HONG KONG Os protestos na região administrativa especial da China levaram a polícia a utilizar gás lacrimogéneo e balas de borracha, o que não está em consonância com os padrões internacionais. Disparar contra manifestantes que recuam em áreas muito limitadas eleva os riscos para a segurança pessoal. A atuação das autoridades deve ser investigada por órgãos independentes e todos os países têm de suspender qualquer transferência de dispositivos de controlo de multidões para o território.

4. BRASIL

5

2

3 4

1

Junte-se a nós. Encontre o grupo mais perto de si em www.amnistia.pt/grupos

Arara, no estado do Pará, e Karipuna e Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia, estão entre os territórios indígenas mais ameaçados da Amazónia. Os invasores, ligados à extração ilegal de madeira e minérios, têm desenvolvido esforços para se apropriarem de terras e/ou derrubarem árvores. À medida que avançam, deixam ameaças de morte aos líderes das comunidades. No primeiro semestre deste ano, foi relatada a perda de 62 km² de floresta dentro dos territórios indígenas brasileiros.

3. GUINÉ EQUATORIAL Há 40 anos no poder, Teodoro Obiang tem liderado um regime marcado por tortura, detenções arbitrárias, execuções extrajudiciais, perseguição de críticos e pena de morte, cuja abolição foi prometida quando o país entrou na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A falta de independência dos tribunais também é uma realidade, sendo prova disso a recente condenação de 112 pessoas envolvidas, alegadamente, numa tentativa de golpe de Estado no final de 2017.

5. EGITO Quem cumpriu pena de prisão por fazer parte dos protestos nas praças de Rabaa al-Adawiya e al-Nahda, que acabaram com a intervenção das forças de segurança egípcias e cerca de 900 mortos, continua a enfrentar restrições à liberdade. As autoridades obrigam dezenas de homens a passar 12 horas por dia, inclusivamente durante a noite, nas esquadras policiais. Durante esse tempo, são mantidos em espaços sobrelotados, com pouca ventilação e acesso limitado a instalações sanitárias.


23 de Agosto de 2019

REGIÃO •••

19

Festival F regressa à capital algarvia em setembro com novidades 14.000 na segunda e 18.000 na última. O Festival F é uma iniciativa do Município de Faro, do Teatro Municipal de Faro, S.M., da Ambifaro e da produtora Sons em Trânsito. Nesta edição, além dos bilhe-

foto d.r.

tes diários e dos passes gerais de três dias, estão disponíveis passes gerais com acesso aos lugares limitados disponíveis no glamping na Praia de Faro e a possibilidade de adquirir bilhetes para os concertos

intimistas no Palco Formosa, que terão lugar num barco, ao entardecer. Os passes gerais, para três dias, custam 30 euros se forem pré-comprados até 12 de agosto, a partir dessa data o

preço é 45 euros. Os bilhetes diários para 5 de Setembro custam 15 euros, para os dias 6 e 7 os preços são 18 euros. Mais informações disponíveis em: https://www.festivalf.pt pub

5 DE SETEMBRO

􀪭 Pelo palco passarão grandes artistas e bandas nacionais A sexta edição do Festival F, que decorre em Faro nos dias 5, 6 e 7 de setembro, é palco da última oportunidade para assistir à reunião dos Ornatos Violeta, a propósito do 20.º aniversário da edição do seminal álbum “O Monstro Precisa de Amigos”. Ao cartaz juntam-se artistas e bandas como Amor Electro, Ana Bacalhau, António Zambujo, Baile Funk, Capitão Fausto, Carolina Deslandes, David Carreira, Linda Martini, Mayra Andrade, Profjam, Revenge Of The 90’s ou 9 Miller, numa proposta que navega entre o pop, o rock e o hip-hop e que junta artistas consagrados às grandes promessas da música portuguesa actual. O Festival F afirma-se enquanto “espaço agregador de público de vários géneros e idades entre a Vila Adentro, a zona histórica da cidade onde se encontram os Palcos Sé, Quintalão, Fábrica e Museu, e a Ria Formosa”. Esta ligação à ria tem vindo a estreitar-se “à medida que o festival tem crescido, primeiro com a necessidade de trazer o palco principal, Palco Ria, para fora das muralhas da Vila Adentro, e este ano também com

o Palco Formosa que assume literalmente a ria como cenário, com um concerto diário ao final da tarde a bordo de um barco: dia 5, com Benjamim, dia 6 com Valter Lobo, e dia 7 com MoMo”. Actividades paralelas, como artes plásticas, workshops, novo circo e teatro para os mais novos e tertúlias ao final da tarde sobre temas que marcam a actualidade completam a proposta de três dias memoráveis para toda a família, bem no coração do Algarve.

DAVID CARREIRA • FERNANDO DANIEL • PROFJAM ANA BACALHAU • TIAGO NACARATO • MIKE EL NITE BRUNO PERNADAS • MOÇOILAS COM MARIA JOÃO TAINÁ • THROES + THE SHINE • TURB’Ó BAILE BEATRIZ • CONJUNTO CORONA • PERIGO PÚBLICO

6 DE SETEMBRO

ORNATOS VIOLETA • AMOR ELECTRO • MAYRA ANDRADE KARETUS • DEEJAY TELIO • I BAILE FUNK BLASTED MECHANISM • GLOCKENWISE • BIYA 9 MILLER • PHOENIX RDC • SARA CORREIA VITOR HUGO • TERESA ALEIXO

7 DE SETEM BRO

Em 2018 passaram pelo Festival F 50.000 pessoas

ANTÓNIO ZAMBUJO • CAROLINA DESLANDES REVENGE OF THE 90’S • CAPITÃO FAUSTO • ÁTOA

A Altice reforça a parceria com o Festival F nesta sexta edição, disponibilizando, ao longo dos três dias, várias experiências e activações tecnológicas. A Altice ficará também responsável pelas soluções Wi-Fi e pelas comunicações dentro do recinto, permitindo ao público aceder gratuitamente à internet. Recorde-se que, em 2018, perto de 50.000 pessoas passaram pelo Festival F, numa edição que bateu o recorde de público recebendo 16.000 pessoas na primeira noite,

LINDA MARTINI • APRIL IVY • MARIA BRADSHAW • ESTRACA MIRAMAR (FRANKIE CHAVEZ E PEIXE) • MURTA • LINCE

STONE DEAD • THE BLACK TEDDYS

NAVEGA NO ÚLTIMO GRANDE FESTIVAL DE VERÃO ORGANIZAÇÃO

MEDIA PARTNERS


20 23 de Agosto de 2019

NECROLOGIA

Município de Tavira

CARTÓRIO NOTARIAL DE OLHÃO Rua Patrão Joaquim Casaca, lote 1, r/c, Notário Lic. António Jorge Miquelino da Silva

Reze 9 Ave-Marias com uma vela acessa durante 9 dias, pedindo 3 desejos, 1 de negócios e 2 impossíveis ao 9º dia publique este aviso, cumprir-se-á mesmo que não acredite. T.S.

Reze 9 Ave-Marias com uma vela acessa durante 9 dias, pedindo 3 desejos, 1 de negócios e 2 impossíveis ao 9º dia publique este aviso, cumprir-se-á mesmo que não acredite. G.F.

Certifico narrativamente para efeito de publicação que por escritura de 12 de Agosto de 2019, exarada a folhas 72 do livro de notas deste Cartório número 164-A, AMÉRICO FRANCISCO CANDEIAS GONÇALVES e mulher MARIA ADÉLIA MENDES DOS REIS GONÇALVES, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, ele natural da freguesia de Santa Catarina da Fonte do Bispo, concelho de Tavira, ela natural da freguesia de Albernoa, concelho de Beja, residentes na Rua Elias Garcia, nº 14, r/c, freguesia e concelho de Olhão, contribuintes fiscais números 113 151 560 e 159 936 152, declaram que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrém, do prédio urbano, destinado a habitação, composto de edifício térreo com duas divisões, sito em Alcaria Fria, freguesia de Santa Catarina da Fonte do Bispo, concelho de Tavira, com a área de trinta e cinco metros quadrados, a confrontar do Norte com Manuel da Cruz Simão, do Sul, do Nascente e do Poente com Américo Francisco Candeias Gonçalves, inscrito na matriz, em nome do justificante marido, sob o artigo 3445, com o valor patrimonial tributável de dois mil quatrocentos e oitenta euros, igual ao atribuído, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Tavira. Que entraram na posse do prédio, já no estado de casados, por partilha meramente verbal e nunca reduzida a escritura que fizeram no ano de mil novecentos e noventa e seis com os demais interessados por óbito de seus pais e sogros FRANCISCO SIMÃO GONÇALVES e MARIA ADELINA CANDEIAS, casados na comunhão geral e residentes que foram no dito sitio de Alcaria Fria; e que sem qualquer interrupção no tempo desde estão, portanto há mais de vinte anos, têm estado eles, justificantes, na posse do referido prédio, cuidando da sua manutenção e habitando-o, enfim, extraindo todas as utilidades por ele proporcionadas, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, posse essa exercida de boa-fé, por ignorarem lesar direito alheio, de modo público, porque com conhecimento de toda a gente e sem oposição de ninguém, pacífica, porque sem violência, e contínua, pelo que adquiriram o prédio por usucapião, não tendo, todavia, dado o modo de aquisição, título extrajudicial normal capaz de provar o seu direito. Está conforme: Cartório Notarial de Olhão sito na Rua Patrão Joaquim Casaca, lote 1, r/c, aos 12 de Agosto de 2019. Por delegação do Notário, artº 8/2 DL 26/2004, de 04/02, A Colaboradora autorizada aos 01.09.2014 Natália Estêvão Gonçalves Cachaço Rocha – ON nº 222/11 Conta registada sob o nº 2163/2019

Edital n.º 49/2019

Jorge Manuel do Nascimento Botelho,

Presidente da Câmara Municipal de Tavira TORNA PÚBLICO, que nos termos do n.º1 do artigo 56.º do anexo I à Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, em reunião ordinária de Câmara Municipal, realizada no dia 13 de agosto de 2019, foram tomadas as seguintes deliberações: 1.Aprovada por maioria a proposta número 191/2019/CM, referente à 9.ª Alteração ao Orçamento e às Grandes Opções do Plano/2019; 2.Aprovada por unanimidade a proposta número 192/2019/CM, referente ao Atribuição de apoio à Rádio Gilão - Cooperativa de Radiodifusão, C.R.L.; 3.Aprovada por maioria a proposta número 193/2019/CM, referente à Atribuição de apoio à Associação Balsa Luzense - concerto realizado no dia 10 de maio; 4.Aprovada por unanimidade a proposta número 194/2019/CM, referente à Atribuição de apoio ao abrigo do RMAAD - Clube Recreativo Tavirense - XXI Tavira Offshore Classic; 5.Aprovada por unanimidade a proposta número 195/2019/CM, referente à Atribuição de Bolsas de Estudo (2018/2019); 6.Aprovada por unanimidade a proposta número 196/2019/CM, referente à Concessão de isenção de pagamento no Museu Municipal de Tavira (13 a 18 de agosto) - Comemoração do Dia Internacional de Juventude 2019; 7.Aprovada por unanimidade a proposta número 197/2019/CM, referente ao Alteração à tabela de preços; 8.Aprovada por unanimidade a proposta número 198/2019/CM, referente ao Regulamento do regime de residência partilhada - versão final; 9.Aprovada por unanimidade a proposta número 199/2019/CM, referente ao Início de procedimento e participação procedimental - Normas do concurso Book Trailers; 10.Aprovada por unanimidade a proposta número 200/2019/CM, referente a 01-Emp/19 - Obras de conservação e beneficiação da rede viária do concelho de Tavira - Adjudicação e aprovação da minuta do contrato. Para constar e produzir efeitos legais se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos de costume. Paços do Concelho, 13 de agosto de 2019 O Presidente da Câmara Municipal, Jorge Botelho

(POSTAL do ALGARVE, nº 1229, 23 de Agosto de 2019)

(POSTAL do ALGARVE, nº 1229, 23 de Agosto de 2019)

EDITAL PARA VENDA DE TERRENO RÚSTICO

JÚLIO ALCÂNTAR A

ALBINO JOSÉ

25-07-1927  18-08-2019

04-05-1930  20-08-2019

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

TRAVANCA DE LAGOS  OLIVEIRA DO HOSPITAL SANTA MARIA E SANTIAGO  TAVIRA

CACHOPO  TAVIRA CONCEIÇÃO E CABANAS DE TAVIRA  TAVIRA

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Comunica-se que a proprietária Maria João Viegas de Sousa José casada na comunhão geral de bens com Manuel Joaquim da Saúde José vendem o prédio rústico localizado no sitio da Igreja no concelho de Tavira, freguesia de Luz de Tavira e Santo Estevão com o artigo matricial nº 2081, com area de 4200 m2 pelo valor de 20.000€ a Pia Lisa Hidén casada com Lars Jörgen Hidén.  O prédio rústico tem como partilheiros a norte Maria Luiza, a sul casas de João Estevão e outros, a nascente João Estevão e outro e a poente José Maria e outros, caso algum dos partilheiros pretenda exercer o direito de preferência deverá comunicar até dez dias após a publicação do jornal. (POSTAL do ALGARVE, nº 1229, 23 de Agosto de 2019)

AGÊNCIA FUNERÁRIA

Santos & Bárbara, Lda FUNERAIS - CREMAÇÕES - TRASLADAÇÕES PARA TODO O PAÍS E ESTRANGEIRO

Tel. : 281 323 205 - Fax: 281 323 514 • 965 484 819 / 917 764 557 ATENDIMENTO PERMANENTE - OFERTA DE ANÚNCIO DE NECROLOGIA E CARTÕES MEMÓRIA Artigos Funerários e Religiosos / Catálogo de Lápides e Campas


ANÚNCIOS •••

LOULÉ

Chagas

Pinto

Avenida

Pinheiro

Martins

Chagas

Pinto

MONCHIQUE

Hygia

Hygia

Hygia

Moderna

Moderna

Moderna

Moderna

OLHÃO

Brito

Rocha

Progresso

Da Ria

Nobre

Pacheco

Brito

PORTIMÃO

Amparo

Arade

Rio

Central

P. Mourinha

Moderna

Carvalho

QUARTEIRA

Mª Paula

Miguel

Miguel

Miguel

Miguel

Miguel

Miguel

SÃO BART. DE MESSINES SÃO BRÁS DE ALPORTEL

Bombagem - Filtragem - Aspersão Automatização - Gota a Gota Jardim - Golfe - Piscinas

Tractor-Rega, Lda

ORÇAMENTOS GRATUITOS

EM TODO O ALGARVE

GARANTIA

Dias Neves

Algarve São Brás

-

Guerreiro

João de Deus

Mª Aboim

Central

Felix

Sousa

Montepio

VILA REAL de STº ANTÓNIO

Carmo

Pombalina

Pombalina

Pombalina

Pombalina

Pombalina

Pombalina

TORNA PÚBLICO, que por seu despacho de 21/06/2019, exarado no processo de obras nº. 70/2018, em nome de Francisco Machado Potes referente à obra de legalização de alteração de arrumos para pérgula, na Urbanização Bela Praia, lote 94 - Fração B em Altura, atendendo à impossibilidade de notificar por outras vias e tendo-se frustrado as tentativas de notificação por carta registada, vem a Câmara Municipal dar conhecimento de que dispõe do prazo de 30 (trinta) dias para proceder às retificações necessárias nomeadamente: a) a instrução do processo carece da apresentação do termo de responsabilidade de técnico autor do projeto de condicionamento acústico que ateste da conformidade da operação com o Regulamento Geral do Ruído, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 9/2007, de 17 de janeiro, conforme previsto na alínea j) do n.º 15 do Anexo I da Portaria n.º 113/2015, de 22 de abril; b) o projeto de arquitetura incumpre o disposto no art.º 41.º do Regulamento Municipal de Urbanização e Edificação, uma vez que a altura do muro resultante da alteração (variável, de um mínimo de 2,00m a um máximo de 2,35m) excede, nas extremas com os prédios confinantes, o máximo permitido (1,80m). Findo esse prazo e sem que o particular dê cumprimento, à reposição da legalidade urbanística, a Câmara Municipal no cumprimento do Regulamento Jurídico da Urbanização e Edificação, tomará as medidas previstas no referido regime. Para constar se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares designados por Lei e ainda publicitados no Jornal do Algarve e Postal do Algarve. Castro Marim 5 de julho de 2019 O Presidente da Câmara

Francisco Augusto Caimoto Amaral (POSTAL do ALGARVE, nº 1229, 23 de Agosto de 2019)

VENDE-SE ou ARRENDA-SE 4 terrenos agrícolas com excelente localização e acessibilidade, com água da barragem, situados na Asseca a 3 minutos da cidade de Tavira

Pomar de citrinos: 8.158 m2 CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO MARIM Terra de semear: 8.000 m2 Terra de semear: 9.788 m2 Pomar de citrinosDr.e Francisco terra de semear 6.370 m2 Augusto Caimoto Amaral Área Presidente total: 32.316 m2 da Câmara Municipal de Castro Marim

Edital

Contacto: 918 201 747 TORNA PÚBLICO, que por seu despacho de 21/06/2019, exarado no processo de obras nº. 31/2016, em nome de Maria dos Anjos Lopes Leitão e Albino Pinto de Sousa referente à construção de piscina na Urbanização Bela Praia, lote 54-B em Altura, atendendo à impossibilidade de notificar por outras vias e tendo-se frustrado as tentativas de notificação por carta registada, vem a Câmara Municipal dar conhecimento da intenção de declarar a caducidade da operação urbanística por não ter sido requerida a emissão do alvará de licença de obras no prazo legalmente estabelecido e previsto no n.º 2 do artigo 71.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de dezembro, na sua atual redação, com as necessárias consequências em termos23urbanísticos. Assim, face do exposto e nos termos do n.º 1 do art.º 122.º do Código do Procedimento Administrativo, ficam os requerentes acima identificados, notificados para no prazo de 10 (dez) dias a contar da data imediatamente a seguir à publicação do presente edital, dizer por escrito o que se lhe oferece sobre o assunto. Findo este prazo e sem que o particular se oponha ou requeira a emissão do alvará de licença de obras, o procedimento de declaração de caducidade prosseguirá. Para constar se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares designados por Lei e ainda publicitados no Jornal do Algarve e Postal do Algarve. Castro Marim 5 de julho de 2019 O Presidente da Câmara

Cruz Portugal

Ângela Maria Guerreiro Relvas Notária Certificado

PRÉVIA SAFE Saúde Ocupacional, Higiene e Segurança, S.A.

MEDICINA NO TRABALHO

-

-

Montepio

www.previa.pt

-

Certifico, para efeitos de publicação, nos termos do disposto no artigo cem, número um do Código do Notariado, que em sete de agosto de dois mil e dezanove, foi exarada no Cartório Notarial em Olhão, sito na Rua Miguel Torga, Bloco Norte, loja um - B, a cargo da Notária Ângela Maria Guerreiro Relvas, no Livro número Cento e Sessenta e Seis – A de notas para escrituras diversas, de folhas cem a folhas cento e três, uma escritura de Justificação, na qual foram outorgantes Primeiros Urgel Pedro do Nascimento Correia, natural da freguesia de Moncarapacho, concelho de Olhão e mulher, Bertila Maria da Graça Félix Correia, natural da freguesia de Moncarapacho, concelho de Olhão, casados sob o regime da comunhão de adquiridos, residentes em Areias, CP 396-M, união das freguesias de Moncarapacho e Fuseta, concelho de Olhão, contribuintes fiscais números: 161 066 208 e 161 066 194, portadores dos cartões de cidadão números 02383694 6ZX4 válido até 02.07.2022 e 05301388 3ZZ7 válido até 08.11.2027, emitidos pela República Portuguesa. Segundos a) Sezinanda Paula da Ascenção Rodrigues Estevens, natural da freguesia e concelho de Olhão, casada com António Manuel Palma Estevens sob o regime da comunhão de adquiridos, residente na Rua Dr. José Filipe Álvares, lote 33, 5º direito, união das freguesias de Faro (Sé e São Pedro), concelho de Faro, contribuinte fiscal número: 117 295 485, portadora do cartão de cidadão número 02314239 1ZZ8 válido até 18.12.2021, emitido pela república Tractor - Rega, Lda Portuguesa;

Francisco Augusto Caimoto Amaral (POSTAL do ALGARVE, nº 1229, 23 de Agosto de 2019)

CO

De acor segundo Azeite d a reunire 2016, p

1º- Apro

2º- Apro

3º - Out

Se à hor Geral re com a m de assoc

b) Carlos Afonso Águas Rodrigues, natural da freguesia de Moncarapacho, concelho de Olhão, casado com Paula Sandra Costa Mendonça Rodrigues sob o regime da comunhão de adquiridos, residente no Sítio do Belo Romão, CP 152-R, união das freguesias de Moncarapacho e Fuseta, concelho de Olhão, contribuinte fiscal número: 120 846 470, portador do cartão de cidadão número 08965472 2ZY7 válido até 31.03.2022, emitido pela República Portuguesa. E por eles foi dito: Que são donos e legítimos possuidores, na proporção de metade para os primeiros outorgantes e de metade, em comum e sem determinação de parte ou direito, para os segundos outorgantes, do prédio rústico sito em Cabeça Longa, união das freguesias de Moncarapacho e Fuseta, concelho de Olhão, composto de mato, com a área de sete mil cento e cinquenta e quatro metros quadrados, confrontando a norte com Amélia de São Pedro de Jesus Azide Santo n.º 68 5º Esq. 8000 283 FaroMaria nheira, a sulRua e poente comAntónio, Jens Arendt e a-nascente com -Marcelina Telef.: 289 820 850 ¦ Fax: 289 878 342 Martins Soares e outros, inscrito na respetiva matriz, metade em nome do dbf@advogados.com.pt ¦ www.advogados.com.pt primeiro outorgante marido e metade em nome de herdeiros de Gertrudes de Ascenção, sob o artigo 51 da secção Q (anteriormente inscrito sob o artigo 51 da secção Q da extinta freguesia de Moncarapacho), com o valor patrimonial tributável de 28,47€, a que atribuem o valor de duzentos euros, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Olhão. Que o prédio acima identificado, foi adquirido em data que não sabem precisar do mês de agosto de mil novecentos e noventa e três, por doação meramente verbal e nunca reduzida a escritura pública, feita por António Estêvão do Nascimento, viúvo, natural da freguesia de Moncarapacho, concelho de Olhão, onde residiu no Sítio da Jordana, aos primeiros outorgantes supra identificados e a Gertrudes da Ascenção, que também usava Gertrudes de Ascenção, natural da freguesia de Moncarapacho, concelho de Olhão, casada que foi com Joaquim Rodrigues sob o regime da comunhão geral de bens e residente no Sítio do Pereiro, freguesia de Moncarapacho, concelho de Olhão, atualmente falecidos, tendo-lhes sucedido na posse os segundos outorgantes, sua filha e neto – Sezinanda Paula de Ascenção Rodrigues Estevens e Carlos Afonso Águas Rodrigues, conforme escritura de Habilitação de Herdeiros lavrada em nove de março de dois mil, a folhas 37 do Livro 103-F do Cartório Notarial de Olhão a cargo do Notário António Jorge Miquelino da Silva, referente ao referido Joaquim Rodrigues e em onze de julho de dois mil e dezoito, a folhas 65 do Livro 151-A do Cartório Notarial em Olhão a cargo do mesmo Notário, referente a Gertrudes da Ascenção. Que desde aquela data, portanto há mais de vinte anos, inicialmente os primeiros outorgantes conjuntamente com a referida Gertrudes de Ascenção e marido, Joaquim Rodrigues e, posteriormente, os primeiros e os segundos outorgantes, possuem o referido prédio em regime de compropriedade, posse esta que exercem, em nome próprio, sem a menor oposição de quem quer que fosse desde o seu início, posse que exerceram sem interrupção e ostensivamente, com conhecimento de toda a gente, sendo por isso uma posse pública, pacífica e contínua, ajustando entre si a divisão do seu uso e fruição, tratando da terra e das árvores, apanhando os seus frutos, pagando as respetivas contribuições e impostos, pelo que, tendo em consideração as referidas características de tal posse, o adquiriram por usucapião, não podendo provar pelos meios normais o seu direito. Que não possuem nenhum prédio rústico contíguo ao ora identificado. Que desconhecem o artigo anterior não cadastral e que o prédio tem a área supra referida constante da matriz retificada. Está conforme o original. Cartório Notarial em Olhão, a Cargo da Notária Ângela Maria Guerreiro Relvas, aos sete de agosto de dois mil e dezanove Notária,

Reze 9 Ave-Marias com uma vela acessa durante 9 dias, pedindo 3 desejos, 1 de negócios e 2 impossíveis ao 9º dia publique este aviso, cumprir-se-á mesmo que não acredite. D.F.

21

Dias Neves

Guerreiro

Rua Sport Faro e Benfica, 4 A - 8000-544 FARO Telf: +351 289 393 711 | Fax: + 351 289 397 529

Dr. Francisco Augusto Caimoto Amaral Presidente da Câmara Municipal de Castro Marim

Algarve São Brás

Sousa

HACCP - HIGIENE E SEGURANÇA ALIMENTAR FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Edital

Dias Neves

TAVIRA

SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO

CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO MARIM

São Brás

SILVES

ASSISTÊNCIA

Tel.: 289 792 674 / Fax.: 289 791 242 / www.tractor-rega.com

São Brás

23 de Agosto de 2019

Ângela Maria Guerreiro Relvas Conta registada sob o nº. 1062/2019 (POSTAL do ALGARVE, nº 1229, 23 de Agosto de 2019)

Torna-se ção Loca Decreton.º 254/ úteis, a www.cm 1 Estág para o p - Local o de cand petiva lic fórmula

Faro, 8 d

Publique Faro, 8 d Vereador

José Ant


22

23 de Agosto de 2019

••• REGIÃO

Quarteira já tem oito Ilha de Tavira ganha

papeleiras inteligentes escultura para deposição de plásticos foto d.r.

foto d.r.

􀪭 Projeto, inovador, vai estender-se a outras localidades do concelho Quarteira é uma das primeiras cidades do país com uma rede de papeleiras inteligentes. As oito primeiras já se encontram instaladas na cidade. “Através do Quarteira Lab, projeto cofinanciado pelo Fundo Ambiental, foram colocadas duas papeleiras inteligentes e, posteriormente, num investimento do município alicerçado também a uma candidatura ao mesmo fundo, foram colocadas mais seis”, avança a autarquia louletana em comunicado de imprensa. As papeleiras inteligentes encontram-se instaladas no Terminal Rodoviário, Rua Vasco da Gama e Avenida Infante Sagres. Estes equipamentos permitem “um processo de recolha 85% mais eficiente, devido ao seu compactador interno de baixo consumo, alimentado por um painel solar instalado no seu topo que permitirá que esta seja comple-

tamente autónoma e tenha até oito vezes a capacidade de armazenamento de uma papeleira comum”, explica. Através de uma plataforma digital, os serviços municipais podem consultar o estado de enchimento das papeleiras, permitindo aumentar a eficiência das rotas de recolha dos resíduos, reduzir o número de viagens e de mão-de-obra, resultando numa poupança de combustível e, consequentemente, na redução das emissões de CO2. Quarteira recebe assim este projeto inovador, que certamente se virá a estender a outras localizações no concelho. A Câmara de Loulé, através desta iniciativa, pretende “trazer inovação e sustentabilidade ambiental a esta cidade, tornando-a mais amiga do ambiente”.

Assine o

􀪭 A Taviraverde desafia escolas e entidades do concelho a escolherem um nome para a escultura A Taviraverde instalou na Ilha de Tavira uma escultura de rede metálica, em formato de peixe, para deposição de plásticos. A inauguração teve lugar no passado dia 8 de agosto e contou com a presença da administração da Taviraverde, executivo da Câmara Municipal, presidente da Assembleia

Municipal, presidente da União de Freguesias de Tavira, comandante do Porto de Tavira, representantes da Agência Portuguesa de Ambiente, do ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e da Docapesca, concessionários da ilha e do escultor Carlos de Oliveira Correia. A escultura foi instalada junto

Envie este cupão para:

POSTAL DO ALGARVE - Rua Dr. Silvestre Falcão, nº 13 C, 8800-412 Tavira

NOME __________________________________________________________________________________________________________________________ MORADA __________________________________________________________________________________________ NIF

  

à passadeira de acesso à praia, na área da restauração, e visa sensibilizar para a problemática do plástico e o seu impacte ambiental. O presidente do Conselho de Administração da Taviraverde lançou o desafio a todas escolas e entidades do concelho para a escolha do nome que irá ser atribuído à peça escultórica.

TEL   

 

DATA DE NASCIMENTO _______ ⁄ ________ ⁄ ____________

CÓD. POSTAL _________ - _____ — ________________________________________________

EMAIL _______________________________________________________ PROFISSÃO ________________________________

AUTORIZAÇÃO DE PAGAMENTO - por débito na conta abaixo indicada, queiram proceder, até nova comunicação, aos pagamentos das subscrições que vos forem apresentadas pelo editor do jornal POSTAL do ALGARVE. Esta assinatura renova-se automaticamente. Qualquer alteração deverá ser-nos comunicada com uma antecedência mínima de 30 dias.

33 € Assine através de DÉBITO DIRECTO BANCO _______________________________________________________________________________________________ IBAN PT 50                      NOME DO TITULAR __________________________________________________________________________

40 € 

_______________________________________________________________________________ ASSINATURA IDÊNTICA À CONSTANTE NA FICHA DO BANCO DO TITULAR DA CONTA.

Assine através de DINHEIRO, CHEQUE ou VALE POSTAL, à ordem de Postal do Algarve.

NOTA: Os dados recolhidos são processados automaticamente e destinam-se à gestão da sua assinatura e apresentação de novas propostas. O seu fornecimento é facultativo. Nos termos da lei é garantido ao cliente o direito de acesso aos seus dados e respectiva actualização. Caso não pretenda receber outras propostas comerciais, assinale aqui.


24

23 de Agosto de 2019

Tiragem deste edição: 13.120 EXEMPLARES

••• ÚLTIMA

O POSTAL regressa dia 13 de Setembro

Algarvios do Ano 2019

Saiba quem são os novos nomeados Já estão nomeadas mais 6 Personalidades, indicadas pelos nossos leitores, cuja redação do POSTAL selecionou para as áreas da “CULTURA” e do “AMBIENTE”

AMBIENTE

ISABEL GONÇALVES

Fundadora e administradora da Hubel Verde Lidera as áreas da eletrotecnia e da água. Está atualmente ligada à área da produção agrícola através da assessoria agronómica prestada via Hubel Verde. Mantém ainda uma elevada produção tecnológica na área do desenvolvimento de aplicações WEB para automação industrial ligadas à gestão da água e do funcionamento de equipamentos motrizes. Faz uma gestão exemplar e eficaz daquilo que é aportado à planta ao nível do nutriente.

MANUEL LÁZARO BRITO

Sócio fundador da empresa Sun Concept Licenciado em Gestão de Empresas e ROC. Desenvolveu a sua atividade profissional ligada à auditoria, consultoria financeira e fiscal. Exerce funções de consultoria na coordenação geral e gestão financeira da empresa Sun Concept, uma aposta na ergonomia do design industrial de cascos e da crescente orientação ecológica dos mercados, em combinação com uma larga experiência na área de projeto e construção naval.

CULTURA

TERESA FERNANDES Responsável pela Comunicação e Educação Ambiental da Águas do Algarve e coordenadora nacional do Grupo de Trabalho de Comunicação e Educação Ambiental da Associação Portuguesa de Distribuidores de Água

É licenciada em Marketing Empresarial, tem uma Pós-Graduação em Marketing pela Faculdade de Economia da Universidade do Algarve e possui o Grau de Especialista em Marketing, conferido pela Associação Portuguesa de Profissionais de Marketing. É uma das grandes vozes algarvias em prol da sustentabilidade ambiental.

JUSTIÇA

ADRIANA NOGUEIRA

DINO D’SANTIAGO

É Doutorada em Literatura e Cultura Clássica e sempre dinamizou vários eventos culturais, mesmo como professora auxiliar da Universidade do Algarve, onde era igualmente responsável pela biblioteca. Ao substituir a diretora regional, Alexandra Gonçalves, tem sabido dar continuidade, mas com o seu cunho pessoal.

Nasceu em Quarteira e foi o mais premiado na primeira edição dos prémios Play da Música Portuguesa. Após conhecer Madonna em Lisboa, tornou-se uma espécie de guia musical da cantora. É igualmente um dos quatro “cúmplices” que arquitetou o movimento “Sou Quarteira” que tem contribuído para orgulho dos naturais de Quarteira.

Diretora Regional de Cultura do Algarve

JOÃO EVARISTO

Cantor de Hip Hop e R&B

Presidente de Junta da Freguesia de Olhão

Nasceu em Olhão, onde vive e trabalha, tendo vindo a destacar-se pela sua ação artística, técnica e política. Enquanto ator e encenador é corresponsável pela peça de teatro com a carreira mais longa na região - 10 anos de Móce Mó. Enquanto técnico da Câmara de Olhão e político, destaque para a criação de eventos diferenciados como Festival Pirata, Noites de Levante e a apresentação de um conceito inovador para a Feira do Livro de Olhão.

Atualmente, já estão nomeados 15 Personalidades de cinco áreas relevantes, cuja indicação está a ser feita pelos leitores numa iniciativa inédita intitulada “GALA 2019 POSTAL”. Destas Grandes Personalidades, cabe agora ao leitor decidir quem foi a mais relevante! Seguem-se os tês nomeados por cada área já confirmados, até ao momento:

EDUCAÇÃO E FAMÍLIA

LUÍSA BARAHONA Procuradora no Tribunal de Família e Menores de Portimão

PAULO SEPÚLVEDA

Procurador-adjunto na Instância Criminal de Loulé da Comarca de Faro

SUSANA CORREIA

Coordenadora da Delegação Regional do Algarve da DECO - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor

SOLIDARIEDADE

JORGE LEITÃO

Advogado e presidente da Associação Algarvia de Pais e Amigos de Crianças Diminuídas Mentais

LUÍS VILLAS-BOAS

Psicólogo Clínico e Diretor do Refúgio Aboim Ascensão

RUTE ROCHA

Docente de Biologia na Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve

Quer participar? Saiba como! ANA FAZENDA

Coordenadora das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens do Algarve

FERNANDO GRAÇA Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lagos

MARGARIDA FLORES Diretora de Segurança Social do Centro Distrital de Faro

A iniciativa do jornal POSTAL está a eleger as Grandes Personalidades do Algarve, três por cada área, cuja mais relevante, por seção, será anunciada na “Gala 2019 POSTAL” no prestigiado Casino de Vilamoura, já no próximo dia 12 de outubro, sábado às 19:30. Das 15 Personalidades já nomeadas, cabe ao leitor indicar qual é para si a mais relevante! Para as restantes nomeações aos “Algarvios do

Ano”, basta o leitor indicar o nome de uma Personalidade que considere relevante nestes últimos 12 meses e, sucintamente, a razão da sua nomeação. As nomeações podem ser enviadas para: - E-mail: GALAdoPOSTAL@gmail.com - Ou ainda, enviando pelo Facebook em mensagem privada para a nossa página: www.facebook.com/postaldoalgarve

Profile for POSTAL do ALGARVE

POSTAL 1229 23AGO2019  

• LEIA O POSTAL DESTA SEMANA! • (Sábado 24/8) nas bancas com o jornal EXPRESSO • ON-LINE uma informação à distância de uma clique em www.pos...

POSTAL 1229 23AGO2019  

• LEIA O POSTAL DESTA SEMANA! • (Sábado 24/8) nas bancas com o jornal EXPRESSO • ON-LINE uma informação à distância de uma clique em www.pos...