Page 1

DISTRIBUÍDO COM O EXPRESSO VENDA INTERDITA Director Henrique Dias Freire • Ano XXXI Edição 1214 • Quinzenário à sexta-feira 7 de Dezembro de 2018 • Preço 1,50€

postaldoalgarve 123.981

e Mensalment AL com o POST nto em conju com o

taldoalgarve www.issuu.com/pos

2018 Ÿ n.º 122 DEZEMBRO EXEMPLARES 0.000

arve, ão seus do Alg Formosa, Olh Rede de Mu II JornadasdodaParque Natural da Ria Auditório

MISSÃO

CULTUR

A •••

a Ficha técnic Direcção: GORDA o Sócio-Cultural

Associaçã Editor: , por exemplo Freire Liverpool, Henrique Dias : de co-auto tico da Tate de conteúdos abordagem utilizado e Paginação e gestão do Algarve galeria e o material defende uma Postal ias da sua avaliaas audiênc do da pelas secções: recolhido seja do. ria com Responsáveis aumento delibera n• Artes visuais: do e bem trabalha s procura um público, desenha questõe Saúl de Jesus ção com o ões que Há muitas nesta coopera endo” exposiç públicos • Espaço ALFA: que surgem do e “escrev – quais Raúl Grade |Coelho os seus próprios ão ou abordagem encorajem co-criaç Espaço AGECAL: de • ios uma relação l Jorge Queiroz são os benefíc ões. Claracole- para : das exposiç Direção Regiona gerados pela abordagem co-produção do Algarve • Espaço ao Património iadora esta de Cultura exposição e Isabel Soares te, diferenc ção, pela mente intérpre para as autor e do • Filosofia dia-a-dia: e pelo museu pedagogia daquela do dades? Maria João Neves para uma a o musuas comuni er a apontando • Letras e literatura: que recoloc Paulo Serra Como promov quem? emancipatória, em conduzida pela Museus para numa abordag • Missão Cultura: interação? como seu educativa. Direcção Regional Sabem os é um museu mento fazhoje já não Algarve para missão o do conheci público. s do lado A pergunta de Cultura do A produçã falta tempo faz, urbanismo: nte com o Posicionando-no para o que se • Reflexões sobre Correia assim ativame neste postulado? para quê? museus avaliar – -se Teresa tamos s também o? que estamo de lá, pergun a fácil: Para todos! mas é hoje desta edição: os esta interaçã inte- Será Colaboradores Osório quem? Respost que nos preocupafundamental ação Será que desejam podem prosseguir Carlos Alberto ias se Parceiros: Quer isto dizer grar a investig mu- Que estratég ias dos nossos as audiênc do que Direcção Regional sentido? mos com no dia a dia discussões emos aqueles Algarve ão neste algumas das Jornadas de Cultura do museus? Conhecque não nos visitam? Estas são seu. A operaçesta as nas II e-mail redacção: E os nos visitam? ail.com diária dificulta há que foram agendad . Verifica-se a mas do Algarve geralcultura.sul@gm e: Sabemos porquê? nos detivemos integração, prio- dos Museus e-mail publicidad exterior, mas abertura ao mail.com inserir nas Quantas vezes para todos nos uma enorme só ser espae • que a anabelag.postal@g tal.pt há espaço não devem a sociedad e pensar se online em: www.pos ridades. os museus devem refletir sentimos bem u.com/ ? nos museus esOs museus www.issu todos um nossos de protae-paper em: ços onde alguém ir a o seu papel, postaldoalgarve/ ser só Porque quererianão se importa com redevem assumir da mudança social, não devem book.com partilha e que FB: www.face lgarve/ s bem Os museus e agentes idades de sentimo paço ou lugar as suas motivações ou nós nos oportun gonistas de postaldoa estas l espaços onde s a cada um exemplares s as suas origens, e de justiça. Tiragem: 0.000 flexão. Cabe-no s sobre as verdade texto acadélimitações? questõe para os refletir a sociedarefiro num “Creative marketing colocar devem (2005) numa atenção como T. a Tal ção, and Os museus chamar 1 McNichol, publicamente : up close de publica evocar as instituídas, de assumidos in small museums societais, mico em vias McNichol strategies de e são hoje entos principais de of Nonprofial Journal actuais desafios cia a Theresa que estabe7. ”. Internation das. o referên como instrum to. Uma ideia repepp-239-24 innovative museu tem vozes esqueci sector, 10, ade um trabalh t&Voluntary 2005 - cada (em sentido desenvolvimen a, mas como está Há na actualid comunidades locomunidade afirmad lecer a sua baseadas em utor das tidamente Gonçalves próximo das te o diálogo lato) e tomar as decisões er? É interloc Rodrigues É muito a um ensido crescen Alexandra isso a acontec da comunidade? do Algarve convidando cais e tem l de Cultura s. reciprocidade, e construindo preocupações de práticas? Entre Diretora Regiona com os público os gostava de cha- volvimento participativo vel1. nador podemos um dissemi cação Nestes process museu memorá questões, para a comuni tos assim o seu Diretor Artísmuitas outras exemplo, se o multia atenção Manacorda, por Francesco está mar a educação como elementodo questionar Algarve e para nte que do nosso culturalismo É muito importa nossas ações? termos críticos. e refletido nas muito relevant É de facto

••• REGIÃO

d.r.

Loulé: demolido edifício ilegal na Quinta do Lago

pub

è5

AS EJA BOA S FEST A EQU IPA DES OS OS CLIE NTE S A TOD

Com érc

om óve io de aut

is, Lda

AO SE U DI SP

OR HÁ 24 AN

d.r.

OS

epac.pt .gago@mail.tel BATE -CHA PAS 678 • pereira RA • • 917 100 • PINTU 326 628 • PNEU S • Tel. 281 MECÂ NICA 117 G Tavira 628 • Cx Postal de S. Pedro E.N 125 • Tel. 281 325 A • Sítio • SEDE E OFICIN S • Sítio de S. Pedro STAND USADO

NESTA EDIÇÃO: LEIA O CADERNO DO CULTURA.SUL

••• REGIÃO

Odeleite transforma-se em Aldeia Presépio è6

SAIBA QUEM FORAM OS PREMIADOS DA EC TRAVEL AWARDS

d.r.

••• REGIÃO

Reinaldo Teixeira eleito o Melhor Mediador Imobiliário

Há quem lhe chame os Óscares do Turismo do Algarve. Quem esteve presente garante que a noite foi memorável. Saiba tudo na reportagem exclusiva do Postal

è 10 d.r.

è3

AS DEZ RESPOSTAS DE SAÚL NEVES DE JESUS

FORA-DE-HORAS Há quanto tempo não joga golfe?

è 17

Acredito que, em conjunto, iremos conseguir “deixar obra” è 14 ROTEIRO GASTRONÓMICO Restaurantes Avenida, Ramires e Sem Espinhas pub

è 18 e 19


2

REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

We are technology. Business technology.

Precisa de apoio técnico? A nossa prioridade é o seu negócio!

Garanta o seu contrato de suporte! Conte com uma equipa de confiança, especializada e certificada para dar suporte às necessidades únicas da sua empresa. Seja por via remota ou presencial, o contrato de suporte técnico garante: • Apoio técnico. P • Prestação de informação sobre atualizações. • Articulação com as necessidades do cliente.

Algarve

Alentejo

Lisboa

Porto

A Algardata disponibiliza serviços de assistência técnica há 28 anos.

comercial@algardata.pt


REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

3

EC TRAVEL A FAZER SUCESSO HÁ OITO MAGNÍFICOS ANOS Dos restantes premiados (ver lista no quadro ao lado), destacaram-se igualmente Vasco Seromenho, director-geral do Hotel Glamour, com o Prémio Horácio Franco - Personalidade do Ano, e Jorge Lopes, director-comercial do cadeia internacional Minor Hotel, com o Prémio Carreira.

Fotos d.r.

Solidariedade... sempre! A EC Travel, do fundador e administrador Eliseu Correia, é considerada a empresa sediada no Algarve que mais contribui para causas sociais. Uma das características que marca esta gala é o facto da EC Travel ter por hábito duplicar o valor angariado nessa noite para uma causa solidária. Este ano, o donativo somou o valor de sete mil

􀪭􀪭 A grande família EC Travel Henrique Dias Freire / Ana Pinto

diasfreire@gmail.com

A EC Travel Awards voltou a premiar a excelência do que de melhor se faz a nível turístico na região, reconhecendo o mérito dos parceiros que mais se destacaram ao longo do ano. Considerada uma das mais emblemáticas galas, realizou-se no passado sábado, no Real Marina Hotel & Spa em Olhão, evento ao qual se juntou igualmente a celebração do oitavo aniversário da EC Travel. Este ano, a temática da gala ganhou ins-

piração no filme “Os Sete Magníficos” e, tal como tem acontecido nos últimos anos, voltou a revelar-se um dos acontecimentos que mais expectativas tem criado junto dos seus convidados. Sem bilhetes nem teleponto, nestas galas tudo pode acontecer, excepto a normalidade, o que leva a que em menos de 24 horas os convidados confirmem a sua presença neste emocionante evento reservado para toda a grande família EC. Mais uma vez, os bons momentos vingaram e a animação durou das 18 horas às 6 da manhã, com bar aberto incluído,

dormida na própria unidade hoteleira e uma lembrança exclusiva e personalizada para que todos os convidados recordem com um sorriso essa noite. A apresentação ficou a cargo do próprio Eliseu Correia, fundador e legal representante da EC Travel, e a extraordinária animação foi garantida pelas vozes e som de Fernando Leal, Carminho, Jim Dungo e Bubba Brothers, a acrescer à inesperada participação do olhanense de renome internacional Pete Tha Zouk. Dos convidados que já pisaram o palco da Gala da EC Travel, constam nomes como Jorge Palma, UHF, Pedro Abrunhosa, Áurea, Viviane Parra, União das Tribos, Raquel Tavares e djs de renome internacional. E os Premiados são... No total foram 15 os premiados no meio de muita emoção e expectativa entre o momento da leitura dos nomeados e a revelação do nome vencedor. O prestigiado Prémio Algarve foi atribuído ao DJ Pete Tha Zouk, que confidenciou que “poucas ou nenhumas palavras conseguem definir a emoção de receber um prémio tão especial assim. Sinto-me muito sensibilizado por receber o Prémio Algarve na Gala Algarve Travel Awards by EC Travel em especial por ter sido em Olhão, na minha terra”. No final da sua intervenção, o DJ fez questão de agradecer à “EC Travel, a todos os amigos, fãs e seguidores do meu trabalho, pois sem vocês nada disto seria possível”.

euros e reverteu para a causa “Crescendo com a Mariana”. O valor angariado pelos convidados, na noite da gala, aproximou-se dos 3.000 euros, que Eliseu Correia duplicou para os 6.000 euros para, ao qual acresceu 500 euros do passatempo da foto mais votada no Instagram cujo vencedor foi Pete Tha Zouk, o qual também fez questão de contribuir com mais 500 euros, somando um total angariado de sete mil euros. A empresa EC Travel é, igualmente, considerada uma das 100 melhores empresas para trabalhar no país, segundo a revista Exame. Tem a sua actividade ligada ao turismo e serve de grossista para operadores internacionais que queiram adquirir produtos e serviços em Portugal.


4

••• OPINIÃO

7 de Dezembro de 2018

Sede: Rua Dr. Silvestre Falcão, 13 C 8800-412 Tavira - ALGARVE Tel: 281 320 900 Fax: 281 023 031 E-mail: jornalpostal@gmail.com Online: www.postal.pt FB: www.facebook.com/ postaldoalgarve/ FB: www.facebook.com/ cultura.sulpostaldoalgarve/ Issuu: issuu.com/ postaldoalgarve Twitter: twitter.com/ postaldoalgarve Director: Henrique Dias Freire Directora executiva: Ana Pinto Redacção: Ana Pinto (CO-721 A) Cristina Mendonça (CP 3258) Henrique Dias Freire (2207 A) Design: Bruno Ferreira Colaboradores: Afonso Freire, Alexandre Moura, Beja Santos (defesa do consumidor) Colaboradores fotográficos e de vídeo: Luís Silva / Miguel Pires Rui Pimentel Departamento comercial, publicidade e assinaturas: Anabela Gonçalves, Helena Gaudêncio José Francisco Propriedade do título: Henrique Manuel Dias Freire (mais de 5% do capital social) Edição: Postal do Algarve - Publicações e Editores, Lda. Contribuinte: nº 502 597 917 Depósito Legal: nº 20779/88. Registo do título (DGCS): ERC nº 111 613 Impressão: Naveprinter Distribuição: Banca - Logista, ao sábado com o Expresso/VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda e CTT Estatuto editorial: disponível em www.postal.pt/ quem-somos/

Tiragem desta edição:

6.802 exemplares

Raúl Sousa

Ana Amorim Dias

Beja Santos

Presidente da Associação de Profissionais

Escritora

Assessor do Instituto

Licenciados de Optometria

anamorimdias@gmail.com

do Consumidor e consultor do POSTAL

Retinopatia diabética é a principal causa de cegueira

Já te lembras, agora?

Para reduzir o risco de desenvolver demência

A retinopatia diabética é uma manifestação ocular da diabetes que afecta a retina, a parte do olho responsável pela captação e envio das imagens para o cérebro. O seu aparecimento está directamente relacionado com o tempo de duração da diabetes e com a falta de controlo da glicemia. Esta é uma doença que geralmente afecta ambos os olhos e caso não seja diagnosticada e tratada atempadamente, pode conduzir a cegueira. Actualmente, estima-se que 40 por cento dos diabéticos desenvolvem retinopatia, sendo esta a principal causa de cegueira em pessoas com menos de 60 anos. Para prevenir ou controlar as alterações provocadas pela retinopatia, o diabético deve realizar consultas regulares, obter informação sobre a sua condição e colaborar na gestão da mesma. Deve, este, estar ciente que a melhor prevenção é através de um maior cuidado com a saúde em conjunto com um regime de vida que permita o controlo da doença. Os exames visuais regulares são elemento fundamental na detecção precoce de manifestações da retinopatia diabética, sobretudo porque os estágios iniciais são normalmente assintomáticos. O tratamento para a retinopatia diabética nos estágios iniciais consiste no controlo dos níveis de glicose no sangue, o que permite evitar assim uma progressão da doença. Nos casos mais avançados de retinopatia diabética, o tratamento pode ser realizado com recurso a fotocoagulação por Laser ou antiangiogénicos. O optometrista é um profissional central nos cuidados para a saúde da visão, segundo a Organização Mundial da Saúde. O seu âmbito de prática não se limita ao diagnóstico, prescrição, terapêutica e reabilitação da condição visual. Também desempenha um papel de relevo na investigação e inovação científica, para a implementação de prática clínica baseada em evidência científica. A Associação de Profissionais Licenciados de Optometria (APLO) representa os Optometristas, a maior classe profissional de prestadores de cuidados para a saúde da visão, em Portugal. Actualmente conta com cerca de 1.130 membros. A APLO é membro Fundador da Academia Europeia de Optometria e Óptica, membro do Conselho Europeu de Optometria e Óptica e membro do Conselho Mundial de Optometria. Para mais informações consulte: www.aplo.pt.

Quando é que nos esquecemos do importante? Com que idade? Em que dia, em que momento? Mais: porque é que nos esquecemos? Se é importante não devia sair tão levianamente do lugar cimeiro das nossas prioridades… Seremos assim tão tolos ao ponto de deixar que a sequência dos dias nos roube a perspectiva? Não estás a ver do que é que estou a falar, pois não? Já não fazes a mínima ideia… Falo do importante!! Como podes não te lembrar? Também tu deixaste que a correria dos dias te saqueasse o sabor dos momentos? O importante!! Pergunta-te o que é importante para ti! Não deixes que seja eu a dizer-te que o importante é a gargalhada sonora do teu filho quando decides dar-lhe a tua inteira atenção. Não deixes que seja a impossibilidade a ditar o quão importante era aquele abraço à tua mãe, ou o olhar orgulhoso e feliz do teu pai quando aparecias de surpresa. O importante é estares-te a lixar para o socialmente correcto e falares com desconhecidos na fila do supermercado e é deixares que a chuva te molhe de vez em quando. Não devia ser eu a dizer-te; devia ser o instinto, não achas? Devia ser o ímpeto da tua constante certeza a guiar-te as sensações. Afinal o que é que é mais importante? Essa correria sofrida por seres a pessoa perfeita em tantos campos diferentes? Ou a percepção de que a perfeição está em seres imperfeito e em conseguires parar tudo para fazeres simplesmente o que te apetece? Já te lembras, agora? É importante…

A associação Alzheimer Portugal tem desenvolvido ao longo dos seus trinta anos, que agora se comemoram, um intenso esforço para sensibilização de como devemos cuidar da nossa mente e estarmos atentos aos sinais de demência. Num desses documentos de distribuição gratuita, considera-se haver dez sinais de alerta de demência: esquecimento de informações recentes, como datas importantes ou eventos; repetir a mesma pergunta várias vezes, perder capacidades de desenvolver e seguir um plano de trabalho, dificuldades em executar diversas tarefas diárias, a ponto de uma pessoa com demência poder ser incapaz de preparar qualquer parte de uma refeição; perda de noção de tempo e desorientação, dificuldades em perceber imagens visuais e relações espaciais, problemas de linguagem, dificuldades em acompanhar ou inserir-se numa conversa, trocar o lugar das coisas, alterações na capacidade de julgamento ou tomada de decisão, abandono do trabalho e da vida de relação, alterações de humor e de personalidade. A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência, constituindo cerca de 60 a 70% de todos os casos. A associação (geral@alzheimerportugal. org, telefone 213 610 460) tem sido incansável no seu esforço de literacia em saúde junto de toda a opinião pública, divulgando mesmo os conhecimentos mais recentes sobre a doença de Alzheimer. E também noutra brochura gratuita nos dá sete dicas para reduzir o risco de desenvolver demência, a saber: manter o cérebro activo, pois assim fortalecem-se as ligações entre as células cerebrais, é uma excelente contribuição para uma mente saudável; um regime alimentar equilibrado, de acordo com os princípios da Roda dos Alimentos, respeitando as proporções do que devemos ingerir em hidratos de carbono, hortofrutícolas, proteínas, gorduras, lacticínios, vitaminas e sais minerais, é uma boa maneira de promover um cérebro saudável; não descurar a visita ao médico de família, fazer check-ups com regularidade, controlar a tensão arterial, o colesterol, os níveis de açúcar no sangue e o peso; exercitar o corpo, o mesmo é dizer andar, caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar, tudo faz bem desde que se use a prudência, deve-se colocar o corpo em movimento e fazer o coração bater com mais força; manter uma vida de relação, com a família e com os amigos, participar na vida associativa, em academias seniores, como voluntário, visitar quem precisa da sua companhia, e muito mais o que lhe dite a sua generosidade e sociabilidade; não desprezar os estilos de vida saudáveis: não fumar, beber com moderação, descansar e proteger a cabeça para reduzir os riscos de demência. Se assim proceder, no mínimo está a dar o seu melhor para reduzir qualquer forma de demência, não há melhor aposta para uma vida com qualidade, não acha?


REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

5

LOULÉ: DEMOLIDO EDIFÍCIO ILEGAL NA QUINTA DO LAGO d.r.

􀪭􀪭 Prédio não se encontrava em conformidade com as regras urbanísticas da autarquia O edifício implantado no Lote Nº 30, do Loteamento do Lago, na Quinta do Lago, foi demolido por não se encontrar em conformidade com as regras urbanísticas prosseguidas pelo Município. “No início de 2014 foi apresentada uma comunicação prévia

com o pedido de construção de uma moradia com piscina e portão no Loteamento do Lago, aprovada em Janeiro de 2015 pelos serviços municipais. No entanto, após análise técnica, verificou-se que a obra não estava a cumprir as normas legais e regulamentares, apresentan-

do divergências no limite do lote”, explica a Câmara de Loulé em comunicado de imprensa. Construção teve problemas desde o seu início Após várias tentativas para tornar legal uma construção que

teve problemas desde o seu início, nenhum dos projectos apresentados se manteve em consonância com os requisitos técnicos do município. Assim, dado o incumprimento às directrizes lançadas pela Câmara Municipal, decidiu a autarquia emitir o alvará de licença para obras de demolição desta construção ilegal, repondo, assim, a legalidade. Para o presidente da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo, esta acção “é um bom exemplo da celeridade e da eficácia dos serviços municipais numa área tão importante para a dinâmica económica do concelho”. “Esta demolição permitirá agora que o território possa ser alvo de uma intervenção urbanística, indo ao encontro do alvará de loteamento e do Plano de Urbanização da Quinta do Lago”, sublinha ainda o edil.

pub

RESTAURANTE OUTRO LADO SEJA NATURAL, MARQUE A DIFERENÇA ESTE NATAL E PASSE-O CONNOSCO!

ALMOÇOS E JANTARES DE NATAL REVEILLON - EMENTA SURPRESA ABERTOS DIA 1 JANEIRO 2019 RESERVE JÁ! 911 000 359 Estamos na Travessa da Madalena, nº 6 em Faro

pub

pub

www.cm-faro.pt

Visita o Pai Natal todos os dias, de 1 a 22 de Dezembro!


6

REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

ODELEITE TRANSFORMA-SE EM ALDEIA PRESÉPIO pub d.r.

􀪭􀪭 Mais de 50 figurantes, trajados à época, recriam o nascimento de Jesus

O executivo da União de Freguesias de Tavira (Santa Maria e Santiago) deseja a todos os seus colaboradores, Fregueses, fornecedores, amigos e visitantes, um Feliz Natal e um novo ano cheio de prosperidade, onde desejamos reine a solidariedade, a tolerância e o amor. Presidente da União das Freguesias de Tavira (Santa Maria e Santiago) José Mateus Domingos Costa

A aldeia de Odeleite volta a transformar-se em Aldeia Presépio, até este domingo, 9 de Dezembro. Trata-se de uma das mais fiéis e belas recriações do nascimento do Menino Jesus, com mais de 50 figurantes e artesãos e produtores do concelho. A gastronomia é um dos grandes atractivos desta iniciativa. Vai haver um mercadinho, com os mais requisitados e deliciosos produtos locais, como o mel e os frutos secos, mas também com a doçaria tradicional desta época festiva. Pelas ruas da aldeia vão aconpub

JuNIORes

INFORMAÇÕES NA AGÊNCIA OU LINHA DIRECTA:

808 20 60 60

Atendimento 24h/dia, personalizado 2ª a 6ª feira: 8h30 às 23h30; sábados, domingos e feriados: 10h às 23h.

SEGUE-NOS

www.creditoagricola.pt

AF CA_JUNIORES_CRISTAS_IMPRENSA_21x28,5cm.indd 1

29/11/2018 12:33

tecendo diferentes performances artísticas, sendo o primeiro dia do evento particularmente preparado para os mais novos. Casa de Odeleite ensina a fazer pão caseiro Grandes atractivos da “Aldeia Presépio” são também os Ateliers do Pão, que decorrem na Casa de Odeleite, um dos pólos culturais do concelho e espaço de dinamização da aldeia. Aqui prometem ser desvendados alguns dos segredos do popular “pão ca-

seiro”, cozido em forno de lenha. Numa época que pede mais calor, no domingo, junto à fogueira de Natal, os visitantes são convidados a apreciar um quente e reconfortante caldo verde. A Aldeia Presépio, aberta a partir das 15 horas, é uma organização da Associação Social da Freguesia de Odeleite em colaboração com os artesãos e produtores do concelho e com o apoio da Junta de Freguesia de Odeleite e da Câmara Municipal de Castro Marim. pub


GUIA IMOBILIÁRIO •••

Postal Full DEC2018.indd 1

7 de Dezembro de 2018

03/12/2018 11:22

7


8

7 de Dezembro de 2018

••• GUIA IMOBILIÁRIO


REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

ALCOUTIM APOSTA NA CRIAÇÃO DE HABITAÇÃO PARA FIXAR OS JOVENS d.r.

􀪭􀪭 Falta de casas para venda ou arrendamento e os preços elevados das existentes são entraves à fixação da população mais jovem no concelho O Município de Alcoutim vai avançar com a construção de um edifício habitacional com cinco fogos na sede de concelho. O projecto de execução foi aprovado no passado dia 28 de Novembro, em reunião do executivo. Trata-se da reconversão do antigo edifício dos CTT, pertença do município,

situado na Rua D. Sancho II. O edifício térreo é constituído por seis divisões e logradouro, com uma área coberta de 191 metros quadrados e uma área descoberta de 171 metros quadrados, num total de 392 metros quadrados. “Situado junto ao castelo, numa zona privilegiada da vila, o antigo edifício dos

pub

CTT apresenta um elevado grau de degradação, pelo que a opção da autarquia passa pela sua demolição integral, sendo que o novo espaço que surgirá irá obedecer ao seu traçado original, bem como ao tipo de revestimentos, proporções estruturais e estéticas”, explica a Câmara de Alcoutim em comunicado de imprensa.

Ali vai nascer um edifício multifamiliar com cinco fogos habitacionais, quatro de tipologia T2, divididos por dois pisos com entrada pela Rua D. Sancho II, e um fogo de tipologia T0, com um único piso e entrada pela rua junto ao castelo e acessível a pessoas com mobilidade reduzida.

Edital n.º 65/2018

Jorge Manuel do Nascimento Botelho, Presidente da Câmara Municipal de Tavira

CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA Nos termos do nº 2 do artigo 26º e dos artigos 27º e 28º dos Estatutos da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo do Sotavento Algarvio, C.R.L., pessoa colectiva nº 501.073.035, com sede na Rua Borda D’Água de Aguiar, nº 1 e 2, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Tavira sob o mesmo número, com o capital social realizado de € 15.786.000,00 (variável), convoco todos os Associados no pleno gozo dos seus direitos, a reunirem-se, em Assembleia Geral Ordinária, no dia 29 de Dezembro de 2018, pelas 15:00 horas, na sede da Instituição, para discutir e votar as matérias da seguinte

ORDEM DE TRABALHOS 1.Discussão e votação da proposta de Plano de Actividades e de Orçamento da Caixa Agrícola para 2019. 2.Deliberação sobre a Política de Remuneração dos Órgãos de Administração e Fiscalização da Caixa Agrícola para 2019. 3.Outros assuntos de interesse corrente. Se, à hora marcada, não se encontrar presente mais de metade dos Associados, a Assembleia Geral reunirá, em segunda convocatória, uma hora depois, com qualquer número. Tavira, 3 de Dezembro de 2018 O Presidente da Mesa da Assembleia Geral José Macário Correia (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Novembro de 2018)

Medidas visam resolver problemas de habitação O preço base da empreitada cifra-se em 464 mil e 945 e tem um prazo de execução de 24 meses. “Trata-se de mais uma medida para fixar os jovens e para resolver problemas de habitação já que a falta de habitação para venda ou arrendamento e os elevados preços das poucas existentes constitui um dos entraves à fixação das camadas mais jovens da população”, destaca Osvaldo Gonçalves, presidente da autarquia. Refira-se que nesta matéria a autarquia também vai avançar com um loteamento na aldeia de Martim Longo. A operação de loteamento tem como objectivo a implementação de um conjunto de 26 lotes, exclusivamente para uso habitacional, junto à 2.ª Fase da Avenida de Acesso à EBI de Martim Longo. O terreno a intervencionar tem uma área total de 20 mil metros quadrados. Toda a zona residencial enquadra um conjunto de zonas verdes com espécies endógenas, com uma área total de aproximadamente 3180 metros quadrados e espaço infantil, com posterior implantação do respetivo equipamento. Esta empreitada tem um preço base de 1 milhão, 61 mil e 760,40 euros e um prazo de execução de 12 meses.

pub

Município de Tavira

TORNA PÚBLICO, que nos termos do n.º1 do artigo 56.º do anexo I à Lei n.º 75/2013, de 12 de setembro, em reunião ordinária de Câmara Municipal, realizada no dia 27 de novembro de 2018, foram tomadas as seguintes deliberações: 1. Aprovada por maioria a proposta número 259/2018/CM, referente à 12.ª Alteração ao Orçamento e às Grandes Opções do Plano/2018; 2. Aprovada por unanimidade a proposta número 260/2018/CM, referente à Atribuição de apoio no âmbito do RMAAD - Casa do Povo de Santo Estevão Aquisição de viatura; 3. Aprovada por unanimidade a proposta número 261/2018/CM, referente à Atribuição de apoio à Corpo de Hoje - Associação Cultural; 4. Aprovada por unanimidade a proposta número 263/2018/CM, referente à Atribuição de apoio à Casa do Povo da Luz de Tavira; 5. Aprovada por unanimidade a proposta número 264/2018/CM, referente à Acordo de parceria entre o Município de Tavira e o Plano Nacional de Leitura 2027 (PNL2027); 6. Aprovada por unanimidade a proposta número 265/2018/CM, referente ao Alteração ao regulamento municipal de ocupação do espaço público e publicidade de Tavira; 7. Aprovada por unanimidade a proposta número 266/2018/CM, referente à Alteração ao Plano Diretor Municipal de Tavira e à delimitação da Reserva Ecológica Nacional concelhia decorrente do Regime Excecional de Regularização das Atividades Económicas. Para constar e produzir efeitos legais se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos de costume.

9

pub

Município de Tavira

Edital Deliberações

JOSÉ OTÍLIO PIRES BAIA, Presidente da Assembleia Municipal de Tavira TORNA PÚBLICO, que em sessão ordinária da Assembleia Municipal de Tavira, realizada no dia 29 de novembro de 2018, foram tomadas as seguintes deliberações: 1. Aprovado por unanimidade o Voto de Pesar pelo falecimento de Manuel Joaquim Romão; 2. Aprovada por maioria a Moção: “Solidariedade com o autarca italiano Domenico Lucano; 3. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 235/2018/CM, referente à determinação das taxas de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI); 4. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 236/2018/CM, referente à determinação da participação variável no IRS; 5. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 237/2018/CM, referente à determinação da Derrama; 6. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 238/2018/CM, referente ao Orçamento Municipal e Mapa de Pessoal para 2019; 7. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 241/2018/CM, referente à avaliação do ativo imobilizado do Município de Tavira. 8. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 249/2018/CM, referente à atribuição de apoio à Freguesia de Santa Luzia – Vila Natal 2018; 9. Aprovada por maioria proposta da Câmara Municipal número 255/2018/CM, referente à Taxa Municipal de Direitos de Passagem (TMDP) – Ano 2019; 10. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 256/2018/CM, referente ao Contrato-programa para a Limpeza Pública no Concelho de Tavira (2019-2022); 11. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 257/2018/CM, referente à Concessão de Circuitos de Transportes Públicos Urbanos na Cidade de Tavira. Para constar e produzir efeitos legais se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares públicos do costume

Paços do Concelho, 27 de novembro de 2018 O Presidente da Câmara Municipal,

Paços do Concelho, aos 29 dias do mês de novembro do ano 2018 O Presidente da Assembleia Municipal,

Jorge Manuel Nascimento Botelho (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Novembro de 2018)

José Otílio Pires Baia (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Novembro de 2018)


10

REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

REINALDO TEIXEIRA ELEITO O MELHOR MEDIADOR IMOBILIÁRIO PORTUGUÊS DE 2018

em amigos”, acrescenta. “O crescimento da procura por parte de cidadãos franceses, actualmente o primeiro mercado de investimento em Turismo residencial, demonstra o sucesso dos esforços para reforçar a imagem positiva de Portugal e em especial do Algarve como um bom destino para viver e aplicar investimentos e poupanças”, salienta o empresário.

d.r.

Garvetur quer reforçar laços com as comunidades lusófonas em França

􀪭􀪭 Carlos Vinhas Pereira, Reinaldo Teixeira e Valdemar Francisco no momento da atribuição do galardão Reinaldo Teixeira, administrador do grupo Garvetur/ Enolagest, recebeu o Troféu de Melhor Mediador Imobiliário Português 2018, iniciativa da Câmara de Comércio e Indústria Franco Portuguesa (CCIFP) sediada em Paris. O galardão foi atribuído na tradicional gala da CCIFP que este ano decorreu no Hotel EVA em Faro, no passado sábado, 1 de

Dezembro, reunindo perto de trezentos participantes. Os Troféus CCIFP incidem nas áreas do Imobiliário, do Empreendedorismo Jovem, Inovação e Personalidade do Ano, a par da distinção de Melhor Mediador Português, que homenageia empresários que se distinguiram pelo seu prestígio e profissionalismo, de acordo com os critérios defi-

nidos por aquela organização. Reinaldo Teixeira refere a propósito do galardão, ter identificado “a necessidade de uma estratégia para criar um núcleo de empresas participadas que abrangessem todo o ciclo de investimento associado ao imobiliário residencial e turístico, nos contactos com a comunidade lusófona em França, que considero verdadeiros

embaixadores do País e das suas potencialidades”. O administrador da Garvetur/ Enolagest expressou na sua intervenção a importância das iniciativas da CCIFP, designadamente “o Salão Imobiliário e do Turismo Português em Paris, bem como os protocolos que aquela câmara tem vindo a celebrar com os municípios em Portugal, designadamente Fa-

ro, onde no âmbito da Gala se realizaram contactos entre os empresários de ambos os países”. “É com a maior satisfação que recebo este galardão no ano em que a Garvetur completa 35 anos, fechando com chave de ouro este marco da vida da empresa, cuja longevidade e posicionamento no mercado está intrinsecamente ligado a clientes que se transformaram

Para Reinaldo Teixeira, “há a intenção da Garvetur/Enolagest reforçar os laços com as comunidades lusófonas em França, com a ambição de atrair tanto os jovens como os seniores, e, a uma escala mais ampla, os grandes investidores”. Considerando que o sector do turismo e do imobiliário vocacionado para o turismo residencial foi decisivo na retoma económica do país, “pretendemos que os excelentes resultados obtidos se repitam de forma sustentada em 2018 e nos anos vindouros”. “A minha ambição é ver o nosso país usufruir de crescente reconhecimento internacional e a ser distinguido pelos profissionais de grande valor que possui e, em termos pessoais e empresariais, contribuir para o crescimento do sector do Turismo, tão importante para o desenvolvimento de Portugal”, salienta o CEO da Garvetur.

pub

pub

União das Freguesias de Conceição e Cabanas de Tavira

Deseja a toda a população um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo O Presidente Ângelo Filipe Silva Pereira


Mensalmente com o POSTAL em conjunto com o

DEZEMBRO 2018 Ÿ n.º 122 6.802 EXEMPLARES

www.issuu.com/postaldoalgarve

MISSÃO CULTURA •••

II Jornadas da Rede de Museus do Algarve, Auditório do Parque Natural da Ria Formosa, Olhão

Ficha técnica

d.r.

Direção Regional de Cultura do Algarve

Museus para quem? A pergunta hoje já não é um museu para quê? Posicionando-nos do lado de lá, perguntamos – museus para quem? Resposta fácil: Para todos! Quer isto dizer que nos preocupamos com as audiências dos nossos museus? Conhecemos aqueles que nos visitam? E os que não nos visitam? Sabemos porquê? Quantas vezes nos detivemos a pensar se há espaço para todos nos nossos museus? Porque quereria alguém ir a um espaço ou lugar que não se importa com as suas origens, as suas motivações ou limitações? Os museus devem refletir a sociedade e são hoje assumidos publicamente como instrumentos principais de desenvolvimento. Uma ideia repetidamente afirmada, mas como está isso a acontecer? É interlocutor das preocupações da comunidade? É um disseminador de práticas? Entre muitas outras questões, podemos questionar por exemplo, se o multiculturalismo do nosso Algarve está refletido nas nossas ações? É de facto muito relevante termos

o material utilizado e recolhido seja avaliado e bem trabalhado. Há muitas questões que surgem nesta abordagem – quais são os benefícios gerados pela coleção, pela exposição e pelo museu para as suas comunidades? Como promover a interação? Sabemos como falta tempo para avaliar o que se faz, mas é hoje também fundamental integrar a investigação no dia a dia do museu. A operação diária dificulta esta integração, mas há Os museus devem refletir a sociedade • que a inserir nas prioridades. estas oportunidades de partilha e reflexão. Cabe-nos a cada um de nós Os museus não devem ser só colocar questões sobre as verdades espaços onde nos sentimos bem instituídas, chamar a atenção para os actuais desafios societais, evocar as Tal como refiro num texto acadévozes esquecidas. mico em vias de publicação, numa Há na actualidade um trabalho referência a Theresa McNichol de muito próximo das comunidades lo- 2005 - cada museu tem que estabecais e tem sido crescente o diálogo lecer a sua comunidade (em sentido com os públicos. lato) e tomar as decisões baseadas em Nestes processos gostava de cha- reciprocidade, convidando a um enmar a atenção para a comunicação volvimento participativo e construindo e para a educação como elementos assim o seu museu memorável1. críticos. É muito importante que todo Francesco Manacorda, Diretor Artís-

tico da Tate Liverpool, por exemplo, defende uma abordagem de co-autoria com as audiências da sua galeria e procura um aumento deliberado da cooperação com o público, desenhando e “escrevendo” exposições que encorajem os seus próprios públicos para uma relação de co-criação ou co-produção das exposições. Claramente diferenciadora esta abordagem daquela do autor e do intérprete, e apontando para uma pedagogia emancipatória, que recoloca o museu numa abordagem conduzida pela missão educativa. A produção do conhecimento faz-se assim ativamente com o público. Será que estamos neste postulado? Será que desejamos esta interação? Que estratégias se podem prosseguir neste sentido? Estas são algumas das discussões que foram agendadas nas II Jornadas dos Museus do Algarve. Verifica-se uma enorme abertura ao exterior, mas os museus não devem só ser espaços onde todos nos sentimos bem e devem assumir o seu papel, de protagonistas e agentes da mudança social, e de justiça. l 1 McNichol, T. (2005) “Creative marketing strategies in small museums: up close and

Direcção: GORDA Associação Sócio-Cultural Editor: Henrique Dias Freire Paginação e gestão de conteúdos: Postal do Algarve Responsáveis pelas secções: • Artes visuais: Saúl de Jesus • Espaço ALFA: Raúl Grade |Coelho • Espaço AGECAL: Jorge Queiroz • Espaço ao Património: Isabel Soares • Filosofia dia-a-dia: Maria João Neves • Letras e literatura: Paulo Serra • Missão Cultura: Direcção Regional de Cultura do Algarve • Reflexões sobre urbanismo: Teresa Correia Colaboradores desta edição: Carlos Alberto Osório Parceiros: Direcção Regional de Cultura do Algarve e-mail redacção: geralcultura.sul@gmail.com e-mail publicidade: anabelag.postal@gmail.com online em: www.postal.pt e-paper em: www.issuu.com/ postaldoalgarve FB: www.facebook.com/ postaldoalgarve/ Tiragem: 6.802 exemplares

innovative”. International Journal of Nonprofit&Voluntary sector, 10, pp-239-247.

Alexandra Rodrigues Gonçalves

Diretora Regional de Cultura do Algarve

pub

Comércio de automóveis, Lda

A EQUIPA DESEJA BOAS FESTAS A TODOS OS CLIENTES

AO SEU DISPOR HÁ 24 ANOS

SEDE E OFICINA • Sítio de S. Pedro • Cx Postal 117 G Tavira • Tel. 281 326 628 • 917 100 678 • pereira.gago@mail.telepac.pt MECÂNICA • PNEUS • PINTURA • BATE-CHAPAS STAND USADOS • Sítio de S. Pedro • E.N 125 • Tel. 281 325 628


12

7 de Dezembro de 2018

d.r.

MARCA D'ÁGUA •••

Cultura e Santidade III: Clarice Lispector

Maria Luísa Francisco

Investigadora na área da Sociologia; Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

luisa.algarve@gmail.com

Clarice Lispector veio de um mistério e partiu para outro Carlos Drummond de Andrade Clarice Lispector nasceu a 10 de Dezembro de 1920 e morreu a 9 de Dezembro de 1977 na véspera de completar 57 anos, devido a doença oncológica. O seu país de origem é a Ucrânia e com um ano e dois meses foi com os pais para o Brasil, onde viveu a maior parte da vida. O seu corpo está sepultado no Cemitério Comunal Israelita do Rio de Janeiro. Deixou uma vasta obra com contos,

romances, novelas e crónicas em jornais. Escreveu em todas as fases da vida, mesmo nas mais dolorosas. Escolhi esta escritora não só pela coincidência da data do seu nascimento e morte se comemorar perto do dia da publicação desta crónica, mas principalmente porque na sequência das anteriores escritoras sobre as quais escrevi (Etty Hillesum e Edith Stein) Clarice também era judia e vítima de anti-semitismo. Os seus pais fugiram do anti-semitismo do leste europeu. Clarice Lispector é um dos maiores nomes da literatura brasileira. O escritor e historiador americano Benjamin Moser considera a obra de Clarice a maior autobiografia espiritual do século XX. Nos livros que li há sempre um enigma. Clarice mostra-nos uma vida em metamorfose constante. A sua literatura é um mergulho profundo nos mistérios da condição do ser. Não fiquei e creio que ninguém fica indiferente, porque Clarice mexe com o leitor, porque procura uma alternativa com dimensão mística e através da sua transformação interior, leva-nos a uma viagem até ao fundo da alma. Era isso que eu queria encontrar nela, porque gosto de descobrir a experiên-

cia mística, o que facilmente aconteceu nos textos das escritoras que referi nas crónicas anteriores, aliás, são claramente consideradas místicas. Vejo em Clarice Lispector alguém que fez do sofrimento uma iniciação ao mistério espiritual. No último livro que escreveu, já perto de morrer, intitulado A hora da estrela, diz: “Cada dia é um dia roubado da morte (…). Juro que este livro é feito sem palavras. É uma fotografia muda. Este livro é um silêncio”. Na contracapa dos seus livros publicados na Editora Rocco, pode ler-se: “Uma escritora decidida a desvendar as profundezas da alma. Essa é Clarice Lispector, que escolheu a literatura como bússola em sua busca pela essência humana”. Clarice Lispector constrói uma obra de carácter tão profundo quanto universal Há cerca de um ano, depois de ter apresentado uma comunicação na Universidade Federal do Rio de Janeiro, percorri o calçadão de Copacabana até chegar à Praia do Leme. No muro dessa Praia está a estátua de bronze que representa Clarice Lispector, em tamanho

Maria Luísa Francisco junto à estátua de Clarice Lispector no Rio de Janeiro •

real. Sentei-me ao seu lado e fiquei no envolvente silêncio daquele fim de tarde. Anoiteceu, voltei a caminhar pensando nos passos e nas palavras de Clarice. O que mais me marcou no Rio de Janeiro, por estranho que pareça, foi o silêncio que vivi durante alguns dias. “Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite”, escreve Clarice em A hora da estrela. Livro adaptado ao cinema. Um outro livro, esse considerado místico, é A paixão segundo G.H., embora não seja evidente numa primeira leitura, a dimensão mística está lá. Refere nas primeiras linhas: “Este livro é como um livro qualquer, mas eu ficaria contente se fosse lido apenas por pessoas de alma já formada”. Não foi fácil ler este inquietante li-

FILOSOFIA DIA-A-DIA •••

vro, em que a personagem principal tem um enigmático monólogo interior. Há tanto a interpretar nele, que já deu origem a teses de mestrado e doutoramento em várias universidades. Em Clarice há a procura do Divino, há incursões por temas bíblicos, há um questionar constante, “há claridade (de Clarice) e há espectro luminoso (de Lispector)”! A obra de Clarice tornou-se conhecida na Europa através da professora da Univ. de Paris VIII, Heléne Cixous, autora do ensaio A hora de Clarice Lispector. Esta autora refere que Clarice era o que Kafka teria sido se tivesse sido mulher. O espaço para escrever está aprisionado pelos caracteres, mas Clarice permanece livre no tempo! Deixo-vos uma das suas frases mais poderosas: "Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome". l

d.r.

Os Estóicos praticavam mindfulness ?

Maria João Neves Ph.D

Consultora Filosófica

No mês passado falámos de Tara, a face feminina de Buda, e a filosofia oriental exerceu o seu fascínio sobre aqueles que participaram tanto no Café Filosófico como no dia inteiro dedicado a Tara com yoga e meditação. Este mês proponho que recordemos as escolas filosóficas de que somos herdeiros no ocidente e que, talvez para espanto de muitos, também incluem exercícios espirituais. Os Estóicos, por exemplo, declararam explicitamente que filosofar é um exercício. A filosofia não se dedica a ensinar teorias abstractas e muito menos se esgota na exegese de textos. A filosofia consiste na arte de viver! Corresponde a uma atitude concreta

e a um estilo de vida determinado, nos quais se empenha toda a existência. O acto filosófico não é meramente cognitivo, exerce-se a nível do ser e do estar. É um caminho no sentido de nos tornarmos melhores pessoas e vivermos plenamente. Trata-se de uma espécie de conversão que vira a nossa vida do avesso! Eleva a pessoa de um estado de inautenticidade, obscurecido pela inconsciência e recheado de preocupações, para um estado de vida autêntico, no qual a pessoa está consciente de si própria, possui uma visão ajustada do mundo e, sobretudo, paz interior e liberdade. Aliciante, não é? Mas como fazer? Todas as escolas filosóficas, sejam elas helénicas ou romanas, concordam em que a principal causa de sofrimento, de desordem e de inconsciência da humanidade são as paixões. Entendam-se as paixões como desejos desregrados e medos exagerados. As pessoas acabam por não viver verdadeiramente por estarem dominadas pelas suas preocupações - soa-lhe, caro leitor? Para se livrar das paixões cada escola tinha o seu método terapêutico, mas todas elas almejavam uma trans-

formação do indivíduo, do seu modo de ser e de ver o mundo. Para os Estóicos, de quem falamos hoje, o grande problema da humanidade é o desejo de posse. Gastamos todo o tempo a trabalhar para adquirir coisas, e outro tanto para as tentarmos manter. Com a agravante de que podemos falhar nesta luta por tentar obter o que quer que seja, ou, uma vez alcançado o que se deseja, pode perder-se. A tarefa da filosofia consistiria então em educar as pessoas para desejarem apenas bens que se podem obter, e absterem-se de todo o mal evitável. Para que um bem seja sempre alcançável e um mal evitável eles têm que depender da liberdade humana. Ora, quais sãos os bens e os males que dependem exclusivamente de nós? Apenas o bem e o mal entendidos eticamente se subordinam a nós. Tudo o resto está fora do nosso controle. E tudo aquilo que não depende exclusivamente de nós devia ser-nos indiferente; pertence ao domínio da natureza que nós não controlamos. Os Estóicos propõem, portanto, uma inversão do nosso modo habitual de olhar o mundo: passar da nossa

Para os Estóicos o grande problema da humanidade é o desejo de posse •

visão humana da realidade, dependente das paixões e desejos, para uma visão natural das coisas numa perspectiva universal. Esta transformação do ponto de vista não é fácil, e é precisamente aqui que os exercícios espirituais tomam lugar. Passo a passo eles ajudam-nos à metamorfose necessária do nosso eu interior. Um dos principais exercícios consiste em treinar a atenção (prosoche). Desenvolve-se uma vigilância continua e presença da mente, uma auto-consciência que nunca dorme, uma tensão constante do espírito. Graças a esta atitude o filósofo exerce a sua vontade com total consciência, realmente quer cada acto que pratica. Graças também à vigilância espiritual, o Estóico tem sempre à mão a principal regra da vida: a distinção entre

o que depende e não depende de si. Esta atitude pode ser traduzida como atenção plena ao momento presente. Ela é a chave de todos os exercícios espirituais! Liberta-nos das paixões que são sempre causadas pelo passado ou pelo futuro - duas áreas que não dependem de nós! O exercício de atenção plena ao momento presente encoraja a concentração em cada instante. Ora o instante, pela sua exiguidade, é sempre suportável. Por outro lado, permite-nos aceder à consciência cósmica ao dar-nos conta do infinito valor de cada momento, enseja a desfrutar de cada átimo da nossa existência no seio do cosmos. l Café Filosófico: filosofiamjn@gmail.com


CULTURA • SUL

7 de Dezembro de 2018

13

LETRAS E LEITURAS •••

O centro do mundo, de Ana Cristina Leonardo

Paulo Serra

Doutorado em Literatura na Universidade do Algarve; Investigador do CLEPUL

Ana Cristina Leonardo nasceu em Olhão em 1959. Estudou Filosofia e colabora semanalmente com o Expresso, onde publica uma crónica regular e também faz crítica literária. O centro do mundo é o seu primeiro romance e esperemos que outros lhe sucedam. O centro do mundo não é biografia ficcionada nem romance histórico, mas sim uma narrativa pós-moderna que conta as desventuras de um herói pícaro em pano de fundo àquela que parece ser a verdadeira heroína do romance, essa vila cubista do Sul da Europa, de seu nome Olhão, onde Boris chega no dia 18 de Maio de 1935, e que será aqui narrada sem lastro nem verniz. O primeiro capítulo é um dos mais

magistrais exemplos de um romance que se assume logo de início como pós-moderno e que procura escapar a qualquer catalogação ou definição. As primeiras linhas têm um pendor fortemente descritivo, contudo o que se poderia confundir com um guião cinematográfico rapidamente sofre intrusões claramente literárias: «Da floresta chega uma vibração cava e marcial. A cidade, que desperta sob a sua cadência, sabe que a mortandade está próxima.» (p. 11) As sensações são sobretudo auditivas, à medida que nos aproximamos de Vilnius e da certeza de que algo iminente está para acontecer. Linhas depois, a escrita parece começar a transformar-se e nela incorrem vocábulos mais oralizantes ou populares, como «derribar» ou «pachorrenta». Quando chegamos à passagem em que se refere como nasce o nosso herói, o registo parece finalmente o de um romance histórico, não fosse o humor e ironia da narradora: «A jovem Elisabeth vomitou toda noite e jurou que nunca teria filhos. Faltou à promessa. Em 1896 vinha ao mundo Boris Michailowitsch Skossyrev» (p. 14) As próximas duas páginas mantêm um registo próximo do que se espera

Fotos d.r.

de um romance histórico, não fosse a romancista tomar rapidamente as rédeas da narrativa: «E embora em nenhum documento conhecido Boris Skossyreff o tenha incluído na sua genealogia, não há regra romanesca que nos impeça de invocar a favor de tal hipótese as leis de Mendel. Se, como as ervilhas, os homens não escapam à genética nem à geografia, acrescente-se-lhes a ficção e faça-se jurisprudência.» (p. 16) Instituída com toda a autoridade a voz narratorial, a narradora não resiste a ir piscando o olho ao leitor ao longo de todo o romance: «Suprimidos a benefício do leitor os lances aborrecidos e chegado Boris Skossyreff aos anos de juventude, atalhe-se-lhe um carácter temerário e grande pendor para as línguas.» (p. 16) Conhecido como Russo de Andorra ou Mano-Rei, de Vilnius, na Lituânia, passando por Inglaterra, Holanda, e Canárias, preso em Andorra, expulso de Espanha, Boris, de passagem para Marrocos, chega a uma povoação piscatória no sul de Portugal que se distingue pelo cheiro e pelas açoteias: «Apesar da «Nobre indiferença muçulmana pelo autoclismo, o esgoto, a árvore frondosa e a ânsia de ar das

ruas novas» de que falava Aquilino dando razão a Boris, e da falta de pergaminhos que já em 1758 era notada pelo prior Sebastião de Sousa, Olhão mantém um lastro de glória. Industriais, pescadores e vates contrabandistas continuam a partilhar o desrespeito pela lei e o culto do Senhor dos Aflitos, numa vila pródiga em dândis e espanholas, estrangeiros e aventureiros, sardinhas e anarquistas, operários e fedor. Tresanda, resume Raul Brandão. Não exagera o simbolista. Ao peixe que apodrece sob o calor africano junta-se a matéria fecal que escorre a céu aberto, húmus pestilento que Captain Zorra nunca conseguiu olvidar, memória primeva que nos conduz, um pouco abruptamente, é certo, a Marilyn Monroe, actriz que nunca veio a Olhão.» (p. 27) Boris cruza-se com personagens igualmente excêntricas, enquanto numa narrativa paralela que conta a história de Olhão se continua, quase em regime de associação livre, a discorrer sobre outras figuras literárias e históricas, criando ligações por vezes declaradamente remotas ou completamente inexistentes, enquanto se traça um retrato de Olhão no centro

Olhão é a verdadeira heroína do romance •

O Natal representa actualmente o pico anual de vendas, as estatísticas mostram que em 2017 representou em Portugal 50% do consumo total anual no ramo alimentar. Com quase mil anos de existência autónoma, ruralizado até há poucas décadas, Portugal guarda ainda tesouros das expressões natalícias ancestrais. Desde logo os principais símbolos, o fogo, o presépio e a árvore. Para os romanos o Natal era o dia do sol e acendiam fogueiras, as “saturninas” ocorriam entre 17 e 23 de Dezembro. A luz e o fogo estiveram durante muitos séculos nas aldeias portuguesas representados pelo madeiro comunitário, que ardia na véspera de Natal no adro da Igreja até ao Dia de Reis. O galo, ave ligada ao nascer do sol, deu origem à designação “missa do galo” e à ceia subsequente, a Consoada, que se relaciona com o culto dos ausentes. Foi no seculo passado substituído pelos enfeites industriais eletrificados, colocados nas praças e ruas das cidades e pelo fogo-de-artifício da passagem do ano. A descoberta da electricidade e o argumento ecológico

acabaram por se tornar aliados desta transformação, evitando o corte de milhares de árvores, mas padronizando comportamentos e introduzindo outras formas de desperdício. O presépio, simbolicamente o nascimento do Messias na nova religião, foi atribuído a iniciativa em 1223 de São Francisco de Assis em Itália. Muito divulgado pelos franciscanos proliferou durante a Idade Média acompanhado pelos autos de Natal, teatralização popular da Natividade com intervenção de “presépios vivos”. Tem vindo a perder importância nas simbologias natalícias. No Algarve, os Bombeiros de Tavira e a autarquia de Vila Real de Santo António são bons exemplos de preservação deste património. No Algarve, como no resto do País, sobrevivem várias tradições populares como a do “altarinho” de Natal com “searinhas”, muito ligadas à actividade agrícola e aos votos de boas sementeiras e colheitas no Ano Novo. Armar o Deus-Menino num “trono”, dias antes do Natal, com a germinação das sementes, cercando-o de searinhas, frutos secos, alfarroba, laranjas,… A árvore de Natal como tradição

natalícia tem origem no Norte da Europa, por razões climáticas e o tipo de floresta de abetos. O formato triangular da árvore remete para a Santíssima Trindade. Em Portugal foi introduzida em meados do séc. XIX por D. Fernando II, de nacionalidade alemã, esposo da rainha de Portugal D.Maria II. São Nicolau ou o Pai Natal, promovido pelos países industrializados da Europa do Norte e Estados Unidos da América, foi um bispo de Mirna na Turquia que gostava de ofertar os bens herdados a crianças e adultos. Para os americanos vive no Polo Norte e para os ingleses na Lapónia. É o principal “promotor de vendas” nesta época do ano… Sobre a gastronomia algarvia de Natal há um universo fantástico de saborosas atracções: pastéis de batata-doce, papas mouras, carnes de porco e aves, doçaria de figos, amêndoas e ovos,… Estudar, reabilitar e promover os valores genuínos das culturas natalícias portuguesas é uma atitude humanista, necessária e benéfica para o País. Como é tradição positiva e esperançosa, desejamos a todos um Bom Natal e Feliz 2019! l

de uma conturbada Europa ao longo do século XX, num modo de narrar que é irreverente e único, com um humor negro muito particular. Depois de terminado o romance, contado em três partes, e onde não faltam diversas fotografias a ilustrar a narrativa, nas últimas 50 páginas joga-se ainda com a ideia da veracidade da biografia imaginada deste herói pícaro, através de cinco depoimentos em que a autora regista os testemunhos individuais de olhanenses que se cruzaram com Boris. l

ESPAÇO AGECAL •••

Culturas natalícias

Jorge Queiroz Sociólogo

Sócio da AGECAL

O não-lugar é o contrário da utopia: existe e não alberga sociedade orgânica alguma. De dia para dia, acolhe cada vez mais pessoas… O espaço do não-lugar não cria nem identidade singular, nem relação, mas solidão e semelhança Marc Augé, Antropólogo francês As identidades são construções/ reconstruções culturais determinadas por necessidades, conjunturas, influências, ideias e valores que as comunidades utilizam, modificam ou preservam.

Estas expressões culturais reconfiguradas são determinantes nos comportamentos sociais e individuais a que chamamos Cultura. É o caso do Natal. Os rituais pagãos, há mais de dois mil anos cristianizados, seguiam os movimentos astrais, os ciclos naturais, agrários e sociais, estão na origem das festividades existentes por quase todo o mundo, extraordinária riqueza cultural. O hemisfério norte assumiu nos últimos séculos supremacia económica e acabou por tentar definir comportamentos culturais “globais” relacionando-os com o mercado. Estes valores são fundamentais, dado que, usando simbologias da cultura herdada, promovem produtos, alterando as formas originais e conteúdos do relacionamento. As tradições e festividades foram e continuam a ser mercantilizadas. O próprio gosto é construído através dos media e da publicidade, as “indústrias culturais” e de lazer favorecem a adopção massiva de determinadas preferências e excluem a diversidade de culturas.


14

7 de Dezembro de 2018

d.r.

AS DEZ RESPOSTAS DE SAÚL NEVES DE JESUS •••

“Acredito que, em conjunto,

iremos conseguir “deixar obra”

Por Henrique Dias Freire Ter sido o professor doutorado mais jovem da universidade do algarve fez de si um professor diferente?

Penso que não. Consegui chegar ao topo da carreira universitária com 36 anos de idade, mas acredito que tenho mantido sempre as principais características que me costumam ser atribuídas por quem me conhece, como sejam a humildade, o respeito pelos outros e o esforço para fazer sempre o melhor que sei e que posso. Aliás, desde criança que uma das minhas características é fazer desde logo o que tem que ser feito, não deixando para mais tarde. Por exemplo, na escola primária fazia durante a primeira semana de férias todos os “trabalhos de casa” (TPC) que a professora indicava para serem feitos durante todo o Verão.

A psicologia é uma ciência de reconhecida utilidade nas sociedades modernas. Ainda é uma profissão à procura de identidade?

Penso que a Psicologia conseguiu já o reconhecimento dos seus benefícios por parte da maioria das pessoas na nossa sociedade. Em todo o caso, por vezes ainda se pensa que a Psicologia só serve quando as pessoas estão em situação de doença mental ou em situações negativas da sua vida, mas atualmente predomina a Psicologia Positiva, podendo ser sempre otimizado o funcionamento de qualquer pessoa em relação a qualquer competência, desde que o próprio esteja motivado nesse sentido. É quase como correr 100 metros. Todos conseguimos faze-lo, mas mesmo os que correm mais depressa poderão vir a correr ainda mais rapidamente se treinarem adequadamente nesse sentido.

Que conselho do seu pai lhe alicerçou a vida?

Destacaria dois conselhos: nada se consegue sem esforço e também saber valorizar a amizade, quase no sentido de que se queremos fazer depressa podemos fazer sozinhos, mas se queremos chegar mais longe, temos que fazer com os outros.

Das homenagens e distinções que recebeu, qual foi a que mais o sensibilizou?

Felizmente já tive muitas manifestações formais e informais de reconhecimento ao longo do meu percurso. Mas talvez aquela que mais me sensibilizou tenha sido ter ganho o Prémio Rui Grácio em 1996. Este Prémio era atribuído anualmente pela Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, com o alto patrocínio da Fundação Calouste Gulbenkian, e traduziu o reconhecimento do livro intitulado “A motivação dos professores”, escrito com base na minha tese de doutoramento.

Escolhas da Minha Vida! O Filme: “O Clube dos Poetas Mortos” A Obra de arte: “Sonho causado pelo voo de uma abelha ao redor de uma romã um segundo antes de acordar” (Salvador Dali, 1944) O Prato: Sushi A Localidade: Ilha da Armona A Frase: “O caminho faz-se caminhando”, do poeta espanhol António Caetano, à qual acrescentaria “Onde há vontade há um caminho”, de Albert Einstein. A paixão: Animais de estimação Político(a): Barack Obama

Em cada edição do jornal POSTAL, damos a conhecer o lado mais pessoal e intimista de uma Personalidade que faz mais e melhor na Região do Algarve. Na primeira entrevista da série “As dez respostas de...”, ouvimos Saúl Neves de Jesus, vice-reitor da Universidade do Algarve. Como se cativa o estudante para a cultura quando as necessidades são de outra ordem?

ser esteticamente belas, ou emocionalmente profundas. Nesta perspetiva, a arte deve ser apreciada, não só olhando, mas procurando compreender o sentido e o contexto da sua realização. É a história ou o percurso de cada artista, a persistência e a consistência do seu trabalho, que pode permitir inferir a sua identidade e a dimensão artística daquilo que realiza.

Parece-me que os jovens apreciam cultura, pois gostam de música e de espetáculos de uma forma geral; podem é os produtos culturais que eles apreciam não coincidir com aqueles que a minha geração aprecia. O importante é sabemos aproximar-nos daquilo que os jovens gostam e depois fazer as pontes, estabelecer as relações com aquilo que gostávamos que eles também apreciassem. Esta parece-me ser a abordagem mais adequada e que até permite resolver muitas das situações do designado “conflito de gerações”. Em todo o caso, nunca há apenas uma forma de motivar, pois a motivação é sempre muito pessoal e aquilo que resulta com uns pode não resultar com outros.

O homem é orientado para o futuro, pelo que a criação de algo, seja nas artes visuais, seja na ciência, seja noutras facetas da vida, é um processo em constante emergência. A satisfação com as realizações concretizadas costuma ser apenas de curto prazo, sendo a curiosidade e a criatividade sustentadas pela motivação intrínseca, que podem permitir uma satisfação mais consistente e duradoura.

A arte não tem necessariamente de questionar?

Que balanço faz do seu primeiro ano como Vice-Reitor para a Educação e Cultura?

Nas artes visuais, eu aprecio a arte que questiona ou que nos ajuda a questionar, fazendo uso do poder da imagem. No entanto, a arte pode ser apreciada e fruída sem ter necessariamente que questionar. Tudo depende se é mais dirigida à dimensão cognitiva ou à dimensão emocional de quem a aprecia.

Um artista é a soma das suas circunstâncias ou a arte pode ser uma mentira? Entendo a arte sobretudo como uma forma de comunicação, não tendo as obras de arte que

Encontra saciedade na criação?

Faço um balanço bastante positivo pois, não obstante o elevado volume de trabalho que tenho tido, tem sido uma experiência muito rica. Além disso, sinto que estou a contribuir para o desenvolvimento da Universidade do Algarve, em particular ao nível das relações com a comunidade, da inovação pedagógica dos professores, da integração e do sucesso académico dos estudantes, bem como na construção duma UAlg cada vez mais saudável.

Quais são as suas perspetivas durante o seu mandato? Há e haverá sempre muito para fazer, novos objetivos para concretizar, mas com elevada motivação, espírito de missão, otimismo realista e empenho constante, procurarei continuar a trabalhar e a servir a UAlg, tentando fazer sempre cada vez mais e melhor, ouvindo os colegas, os estudantes e a comunidade. Com a liderança do atual Reitor e com a equipa reitoral coesa, acredito que, em conjunto, iremos conseguir “deixar obra”.

A Pergunta ao entrevistador Saúl Neves de Jesus: De que forma é que a

Universidade do Algarve e o Cultura.Sul poderiam colaborar mais para a promoção da cultura na região?

Henrique Dias Freire: Pelo papel intrínseco de cada um, parece-me um passo natural estabelecer parcerias entre ambas as entidades de forma a potenciar e criar “pontes” para a promoção da cultura na região. Acredito que a vontade seja recíproca. Como primeiro passo, parece-me recomendável identificar e nomear o interlocutor directo de ambas as partes e prosseguir com um plano de acção. Da parte do Cultura.Sul estou pessoalmente disponível. l


CULTURA • SUL

7 de Dezembro de 2018

15

ESPAÇO AO PATRIMÓNIO •••

Uma “Algarviana Fotográfica” ou o que fazer com as imagens digitais?

Fotos d.r.

A fotografia está morta?

No seu conjunto, estas etapas sintetizam o processo do que se deve Sebastião Salgado numa entrevista entender hoje por preservação digiem 2016 afirmava: "A fotografia está tal. Compreende-se, assim, que não é acabando porque o que vemos no garantida somente fazendo backups, celular não é a fotografia. A fotograjá que guardar apenas pouco resolfia precisa se materializar, precisa ser ve, se não houver acesso agilizado. É impressa, vista, tocada, como quando necessário, portanto, preparar a sua os pais faziam antes com os álbuns de divulgação. Os arquivos de imagens Carlos Alberto Osório Docente do Ensino Secundário fotos de seus filhos (...)."Estamos em digitais depois da sua catalogação Mestre em Produção, Edição um processo de eliminação da fotodevem ser disponibilizados em sise Comunicação de Conteúdos grafia. Hoje temos imagens, mas não temas de bancos de imagens online fotografias". para consulta e utilização controlaPor sua vez, Grant Romer, Diretor da. Apenas este procedimento dará Apesar das imagens originalmendos Programas de Conservação da sentido e vida às coleções fotográfite digitais compostas por “zeros” e George Eastman House, reconhece cas e será a razão para a sua própria “uns”, interpretadas por programas que a história da fotografia mosmanutenção, ampliação e divulgação. e equipamentos informáticos e que tra que a sua evolução se tem feito Caso contrário, todos os arquivos paspodem ser vistas instantaneamente através do abandono de velhos prosam a uma não-existência pública, e em monitores/visores e multiplicacessos e a introdução de novos, mas que tornará ainda mais complicado das infinitamente à velocidade da luz não deixa de considerar que este é o encontrar formas de financiamento e de estarem simultaneamente em último capítulo desse progresso, inpara a manutenção desses jazigos de qualquer lugar, criando assim um novo troduzindo o conceito de “photality” imagens. paradigma de produção, reprodução, (ou “fotalidade”): “A fresher, more Do conjunto de instruções, destadivulgação da imagem que veio alexpressive neologism, itself, may caria a última ação sobre a impressão terar de forma radical os sistemas someday replace the word “photoem papel como forma de preservação. Da mesma forma que encontramos cópias em acervos fotográficos, e na maioria dos casos não temos os negativos/vidros que lhes deram origem, também aumentam as possiblidades de manter os arquivos quando são impressos em suportes estáveis que possam ser guardados em espaços igualmente conNo passado recente, a fotografia analógica era menos vulnerável ao desaparecimento • trolados quanto à temperatura e analógicos, são estas imagens que graph”, in the not too distant future. humidade. Por outro lado, a publicorrem mais riscos de desaparecer. Somehow “photality” now seems cação de livros parece ser uma das No passado recente a fotografia appropriate - part light - part morformas mais eficientes de consolidar dita analógica, por oposição à digital, tality”(2010). ou perpetuar a existência de milhares era na sua materialidade singular meNo Guide to Digital Photography de imagens. Ainda que a impressão nos vulnerável ao desaparecimento. and Conservation Documentation não pode por si só substituir a preserDesde o betume da judeia, à película, (2011) editado pelo Instituto Americavação das fotografias digitais, é sim passando pelo daguerreótipo, calótino de Conservação, pode ler-se num um complemento a esta preservação. po, albumina e pelo vidro, a luz fixada dos capítulos sobre as cinco etapas Assim, não devemos transformar os parecia quase permanente e pensavafundamentais para a preservação de arquivos em cápsulas do tempo fecha-se que podia ser eterna se, de novo, fotografias digitais: usar formatos de das, intocáveis e impermeáveis para que a luz contínua não a destruísse. Nos arquivos sustentáveis; organizar os possam ser apenas encontradas pelas negativos, ou ampliadas em papel, dados digitais e inserir metadados; fagerações futuras. Parece começar a ser as imagens puderam e podem, passazer os backups e migração dos dados; tarde investir na criação de territórios do mais de um século ser apreciadas recorrer a processos contínuos de vepara as nossas imagens preciosas para sem intermediação eletrónica ou inrificação da integridade dos arquivos; que sejam preservadas, vistas e valoriformática. Apenas o olho humano é imprimir material selecionado/editado zadas pelas gerações atuais e futuras. necessário para a sua leitura óptica. em processos mais permanentes.

A evolução da fotografia tem-se feito através do abandono de velhos processos •

A Algarviana Nós, de atalaia ao Sul, temos vindo a tentar desvendar os percursos dos pioneiros da fotografia, dos excursionistas, das casas fotográficas, dos modernos estúdios, dos editores de postais ilustrados das coleções particulares, dos álbuns de família e, à semelhança de Mário Lyster Franco, personalidade cimeira da cultura e da alma regionalista algarvia, que deu o primeiro grande passo para a fixação da primeira Algarviana – Subsídios para uma bibliografia do Algarve e dos autores algarvios (infelizmente não terminada por falta de apoios), parece-nos necessário que na nova era digital se garanta não apenas a preservação das imagens produzidas nesta região, mas sobretudo dar-lhes visibi-

lidade, fomentar o debate e a reflexão, agilizar o acesso público e interoperar com os múltiplos acervos fotográficos digitalizados ou em processo de desmaterizalização existentes no país. Aquilo que poder-se-ia chamar de “Algarviana Fotográfica”, um portal que permitisse o acesso aos acervos de imagens fotográficas e respetivos metadados que revelassem uma parcela da história do Algarve através das evidências fotográficas, dos últimos 140 anos. Talvez um pouco mais do que concretizar alguns dos princípios enunciados na Carta da UNESCO para a conservação do património digital (2003), ou tão-só seguir os mais recentes exemplos que são a “Brasiliana Fotográfica” ou a “Europeana Collections-Photography”. l


16

CULTURA • SUL

7 de Dezembro de 2018

REFLEXÕES SOBRE URBANISMO •••

Urbanismo e edifícios devolutos Fotos d.r.

Teresa Correia

Arquitecta / urbanista arq.teresa.correia@gmail.com

Os núcleos históricos e os devolutos Os edifícios devolutos são um problema social e urbanístico que exige atenção e o tratamento adequado por parte do Estado e Autarquias. Este tema tem sido muitas vezes tratado com aplicação de penalizações de IMI, ao triplo, que neste momento está a alargar a um conceito de aplicação por regra e de forma indiscriminada. Os núcleos históricos e as ARU's deixaram de ter uma importância como foco de atenção desta medida, para vir a ser considerada a sua aplicação tendencial a todo um município. A questão que está por detrás deste pensamento será a de aplicar a igualdade de tratamento, para situações iguais, no entanto, revela-se, na minha opinião, um pouco excessiva, a aplicação desta medida em espaços peri-urbanas, ou em casos de espaço rural, por exemplo. O urbanismo por definição olha para o território e cria visões, escalas e intencionalidades. A atitude de um urbanista é possuída sempre de um propósito, ou seja, sempre que é aplicada uma medida, deverá existir um interesse público forte, como seja, uma vontade de reabilitar ou regenerar os nossos centros históricos. Estender uma medida de penalização a todos os devolutos de um município, de forma ampla, generalizada, parece ser despido de intencionalidade, porque não hierarquiza, ou não distingue os territórios nas suas diferentes funções e usos. A aplicação de penalidades deverá ser equilibrada por um diálogo frutuoso entre as famílias e os particulares e as autarquias, numa ótica de encontrar soluções financeiras ou mesmo de projeto, por forma a resolver questões particulares afetas a cada caso. Nesta ótica, o Estado deu um passo importante, mas que no Algarve tem sido pouco utilizado, o recurso ao IFFRU, com base em Fundos Europeus específicos para Reabilitação, que é um instrumento importante para o financiamento destas ope-

O urbanismo olha para o território e cria visões, escalas e intencionalidades •

rações. É vantajoso, em juros e no procedimento, mas ainda assim, talvez por falta de informação ou de esclarecimento, parece ser de difícil aplicação no Algarve. Os devolutos ao longo do tempo Os devolutos são edifícios ou frações que estão em estado de abandono, ou fechadas, sem consumos de água ou electricidade, e sem qualquer arrendamento, há mais de um ano. Estes indícios poderão ser enganadores, sendo importante, na fase de identificação dos mesmos, realizar vistorias, ou entender quais os motivos que levaram a esta situação. A adequação da realidade de cada caso ao espírito da legislação exige sensibilidade e rigor na verificação. As razões que estão por detrás deste fenómeno das cidades, os devolutos, iniciou-se com base na política de congelamento das rendas, o qual tornou praticamente inexistente a entrada de novas habitações para o arrendamento. Nos anos 80 e 90, com a vantagem do crédito bancário e a possibilidade

de aquisição de habitação própria, a solução de uma família no que diz respeito à habitação era a compra. Com a crise do setor de construção, tudo deprimiu, incluindo a reabilitação urbana. Tudo parou significativamente. Com o retomar de alguns sinais de vitalidade da economia, com o aumento do Turismo, e a virtude do Alojamento Local desburocratizado, a reabilitação urbana renasce. Bem ou mal executadas, as obras nos Centros Históricos proliferam, sobretudo em edifícios que se encontravam vazios, sem ocupação. Em Faro, parte dos devolutos nas ARU´s deixaram de existir, pelo grande potencial económico que estes locais representam. Esta nova economia é importante para os pequenos empresários, e para acolher os turistas que procuram alojamento a preços razoáveis. A habitação como uma necessidade imperiosa Hoje, coloca-se um desafio importante: criar disponibilidade de habitação permanente nos nossos núcleos históricos, decorrente de reabilitação

dos edifícios devolutos. Para tal, o empresário é inteligente e se existir mais rentabilidade noutras atividades, será preferível ir para outros setores. Importa, assim, o Estado ou as Autarquias perceberem a lógica, e atribuírem as vantagens fiscais e os estímulos que façam balançar de forma favorável o mercado para a criação de mais habitações. Este grande desafio que é a criação de habitação para as pessoas que vivam ou trabalham na cidade, é fundamental para a sociedade no seu todo, sendo que a intervenção do Estado tarda ou é escassa. A sua vocação centra-se na habitação social ou a custos controlados, não tendo grande intervenção no global do mercado de habitação.

O urbanismo é uma arte que poderá atribuir o papel de reforço de áreas residenciais a determinadas zonas e de outras de regeneração urbana de usos mistos, criando vantagens para a habitação, caso haja uma vontade estratégica de dinamizar este setor. l


7 de Dezembro de 2018

d.r.

HÁ QUANTO TEMPO NÃO JOGA GOLFE? d.r.

d.r.

􀪭􀪭 A tranquilidade da natureza envolvente Neste nosso Algarve paradisíaco, agradável região recheada de sol e de mar, há um verdadeiro desperdício de qualidade de vida por parte de quem não aproveita as imensas mais-valias que temos ao dispor. E contra mim falo, que há anos que não pegava num taco, e provavelmente a última vez que o fiz ainda era miúda, nos pequenos circuitos de mini-golfe. E onde fomos nós desta vez? Ao Campo de Golfe Benamor, um verdadeiro mundo à parte, envolvido na paisagem de serra e mar, onde podemos desfrutar de inesquecíveis momentos de diversão e serenidade. Foi na Primavera do ano 2000 que com o design do Sir Henry Cotton, alia-

do ao profissionalismo de excelência de uma simpática e eficiente equipa, o Campo de Golfe Benamor começou a fazer a diferença, sendo actualmente um dos mais bem reputados e procurados campos de golfe do mundo. Nós fomos saber porquê, e regressámos absolutamente deslumbrados. Este maravilhoso campo de golfe, par 71, de 5500 metros, oferece uma experiência de jogo agradável para jogadores de qualquer nível, desde principiantes até aos profissionais de topo. A paisagem é magnifica e bem cuidada e permite visualizar o campo ondulante, intercalado por obstáculos de água e bunkers de areia que permitem testar a precisão e estratégia do mais exigente jogador. O verde impera, a frescura da natureza viva em todo o redor per-

mite-nos parar no tempo e percorrer todo o campo de prática, putting green e putting course que oferecem magníficas condições para praticar. Imperdoável seria não destacarmos o excelente profissional de golfe Bart Van der Wind, jogador profissional desde 1994 e instrutor acreditado desde 2004, detentor de extraordinárias competências na área e de uma simpatia e bom humor fora de série, que nos proporcionou esta inesquecível experiência de golfe, num dos melhores campos de golfe do país. Este fabuloso cenário entre colinas e o mar dispõe ainda de uma Clubhouse, onde se encontra situada uma recepção e uma requintada loja na qual podemos reservar as aulas, alugar buggies, troleys e todo o equipamento

necessário e adquirir os acessórios e vestuário adequado à prática do golfe, dispondo também de um espaço reservado a clientes, equipado com cacifos e chuveiros. Ao lado, encontra-se o acolhedor bar & restaurante, decorado a rigor e com uma atmosfera descontraída, no qual podemos tomar refeições ligeiras ou degustar outras deliciosas iguarias do chefe. Uma excelente experiência para toda a família que se sentiu de férias a tão poucos quilómetros de casa. Regressámos a sorrir deste paradisíaco lugar, onde o silêncio e a tranquilidade nos carregam de boa energia, e a certeza de lá voltar. Texto e fotos: Ana Pinto anasp.postal@gmail.com

d.r.

Campo de Golfe Benamor Quinta de Benamor, Conceição 8800 – 067 Tavira

Como chegar:

􀪭􀪭 Um dos melhores campos de golfe do país

Pela EN 125, sentido Faro - Vila Real de Santo António, virar na terceira saída da rotunda de

􀪭􀪭 Entre a serra e o mar, sejam bem-vindos ao paraíso

Conceição e Cabanas de Tavira. Coordenadas GPS: 37.1481429, N 37 08.889 -7.6047986, W 7 36.288

Telefone: 281 320 880 secretaria@benamorgolf.com Site: www.benamorgolf.com

􀪭􀪭 O melhor dos melhores: Bart Van der Wind

Preços: Aula de Golfe ½ h: 32,50€ (adulto)

17


••• ROTEIRO GASTRONÓMICO

7 de Dezembro de 2018

d.r.

Restaurante Avenida

Travessa Zacarias Guerreiro, nº 6 - Tavira

968 097 543

37.12’45.13, -7.65’14.94

rest.avenida.tavira@gmail.com

Das 12h às 15h e das 17h às 22h (encerra à terça-feira)

15 a 18€

d.r.

Quase todos os pratos emblemáticos da casa já ganharam prémios em inúmeros concursos. No coração da cidade de Tavira, o restaurante Avenida é rústico, castiço e celebra já 30 anos de vida. Nesta casa, à excepção da carne de porco de certificado ibérico e do azeite do Lagar de Santa Catarina, todos os outros produtos são adquiridos no mercado de Tavira ou na lota. Trata-se de um espaço com esplanada que oferece a quem por lá passa os melhores pratos de peixe e marisco. A Sra. Madalena, cozinheira há 40 anos, é responsável por tudo o que é servido, incluindo as sobremesas. Como prato principal tem várias opções, mas aconselhamos o arroz de marisco ou o bife de atum com aguardente de medronho. Acompanhe tudo com um vinho regional.

􀪭􀪭 PRATO EMBLEMÁTICO

ARROZ DE MARISCO Receita com 40 anos, onde se pode encontrar o mais variado marisco: lingueirão, amêijoa de viveiro, gambas, camarão, lagostim, sapateira e conquilha quando é a época dela. A isto junta-se tomate, cebola, pimento, alho, salsa, coentro e louro.

d.r.

Restaurante Ramires

Rua 5 de Abril, nº 14 – Guia – Albufeira

289 561 232 – 963 097 945

37.126362, -8.299192

restauranteramires@sapo.pt

Todos os dias, das 12h às 23h

13€

d.r.

Há mais de 50 anos a servir o melhor Frango da Guia Em 1964, José Carlos Ramires abre um pequeno café na freguesia da Guia, Albufeira. À época servia petiscos, conservas e presunto. Determinado e com visão trouxe com ele sabores oriundos do Ultramar, com uma receita de frango. Foi no Ramires que nasceu a receita original que deu à Guia a distinção de Capital do Frango de Churrasco, guardiã de um tesouro gastronómico. Rapidamente se tornou numa iguaria muito apreciada, quer pelos clientes, quer pelos amigos. Hoje, o espaço que começou por um simples café, cresceu mais dois andares, com várias salas e ambientes para melhor servir o famoso Frango à Guia.

􀪭􀪭 PRATO EMBLEMÁTICO

FRANGO À GUIA Frango de churrasco no carvão com piripíri, pele estaladiça, sabor inconfundível.

Restaurante Sem Espinhas Guadiana

d.r.

18

Avª da República, 51, Vila Real Santo António

281 544 605

37.193865, -7.413920

geral@semespinhas.net

Todos os dias, das 11.30h às 23.30h

25€

d.r.

É o primeiro sem espinhas citadino e afirma-se cada vez mais pela inovação e glamour. Na frente ribeirinha de Vila Real de Santo António, na Avenida da República, o Sem Espinhas Guadiana disponibiliza aos seus clientes uma cozinha de fusão com base regional, num ambiente ecléctico, ideal para os apaixonados pelo amor e pela vida. Para fazer crescer água na boca constam no menu do restaurante pratos como o ‘Ramaquine’, um aveludado de peixe e mariscos, tártaro de atum em trilogia, bacalhau gratinado com grelos, sela de borrego com amêndoas e basílico ou a barriga de atum braseada, o seu prato mais emblemático. A carta de vinhos tem mais de 250 referências de todo o mundo. Viva momentos agradáveis num espaço único que quer proporcionar-lhe experiências gastronómicas.

􀪭􀪭 PRATO EMBLEMÁTICO

CATAPLANA ALGARVIA Antes de apreciar este verdadeiro pitéu, saiba o que o diferencia: a barriga de atum é braseada com flor de sal de Castro Marim e servida com espargos grelhados sobre uma cama de batata a murro e grelos salteados. Um manjar dos deuses que abre o apetite a qualquer cliente.


pub

UM NATAL RECHEADO DE SABOR Recheamos este Natal com tudo o que mais deseja para o seu negócio. À tradição juntámos sabor. À inovação juntámos requinte. À doçura um enorme espirito natalício Desejamos-lhe um natal Recheado de muito sabor. Venha visitar-nos.

Tavira

Parque Comercial e de Exposições de Tavira - Sítio do Vale Formoso Lote 16/23 Sta. Maria 8800-202 Tavira Geral: 281 380 000 Frutaria: 281 380 012 Peixaria: 281 380 011 Talho: 281 380 014

www.recheio.pt

Lagos

Portimão

Urbanização Varandas de S. João – Lote1 S. Sebastião 8600-576 Lagos Geral: 282 780 880 Frutaria: 282 780 887 Peixaria: 282 780 882 Talho: 282 780 884

Horta de S.Pedro Lote A Sítio do Poço Fojo 8500-998 Portimão Geral: 282 430 840 Frutaria: 282 430 845 Peixaria: 282 430 842 Talho: 282 430 847

Albufeira

Faro

Vale Paraíso – Loteamento Serva 8200-567 Albufeira Geral: 289 580 940 Frutaria: 289 580 946 Peixaria: 289 580 949 Talho: 289 580 942

Estrada Nacional 125 Vale da Venda 8135-032 Faro Geral: 289 897 900 Frutaria: 289 897 909 Peixaria: 289 897 907 Talho: 289 897 908

Apoio ao Cliente 800 203 131

cliente@recheio.pt

pub

Jantares de Grupo MENU DESDE 17.50€ BEBIDAS INCLUÍDAS | PREÇO P/ PESSOA

LOUNGE BAR • DANÇA ANIMAÇÃO • PALESTRAS 2 PARQUES DE ESTACIONAMENTO PRIVATIVOS EN 125 - CAIANA | 8800-072 CONCEIÇÃO DE TAVIRA 351 281 328 635

GERAL@XICKENPIRIPIRI.COM


20

REGIÃO

7 de Dezembro de 2018

FIM DE ANO EM PORTIMÃO PROMETE TRÊS DIAS DE FESTA RIJA A despedida de 2018 e a saudação ao novo ano vai ser assinalada em Portimão com muita música e animação, e com o tradicional fogo-de-artifício, que darão as boas-vindas a 2019. A festa começa no dia 29 de

Dezembro ao som de Richie Campell, na zona ribeirinha de Portimão, junto à Repsol, a partir das 22 horas. No mesmo local e à mesma hora, no dia 30 de Dezembro a festa continua com a actuação de David Fonseca e, no dia

31 de Dezembro, a despedida de 2018 é feita ao som do ritmos da música brasileira com os Axé Brasil e o Dj Oskar, que irão animar esta zona até às 3 da madrugada. O acesso em todos os dias é livre.

d.r.

pub

􀪭􀪭 Richie Campell, David Fonseca, Axé Brasil e o Dj Oskar são as grandes atracções

Deseja a todos os clientes, fornecedores e amigos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo

Fogo-de-artifício iluminará os céus de Portimão Também no último dia de 2018, haverá animação musical na zona ribeirinha de Alvor e, quando soarem as badaladas da meia-noite, os céus serão iluminados a partir da Praia da Rocha, e na zona ribeirinha de Portimão e

39

zona ribeirinha de Alvor pelo habitual fogo de artifício. Quando soarem as badaladas da meia-noite os céus serão iluminados a partir pelo fogo-de-artifício. Para quem esteja nesta altura festiva em Portimão, será sempre possível complementar esta passagem de ano na cidade com experiências únicas como par-

tir à descoberta da gastronomia local, que conjuga de forma irresistível o melhor que o mar e a terra nos proporcionam, ou dar um simples passeio pelas muitas praias do Município. O programa de fim de ano em Portimão é uma organização conjunta da Câmara de Portimão, Junta de Freguesia de Portimão e Junta de Freguesia de Alvor.

pub

pub

s. bras


ANÚNCIOS •••

7 de Dezembro de 2018

21

Bombagem - Filtragem - Aspersão Automatização - Gota a Gota Jardim - Golfe - Piscinas

Tractor-Rega, Lda EM TODO O ALGARVE

ORÇAMENTOS GRATUITOS GARANTIA

ASSISTÊNCIA

Tel.: 289 792 674 / Fax.: 289 791 242 / www.tractor-rega.com

l Padaria l Pastelaria l Gelataria l Cafetaria Rua dos Machados, nº32 - Tavira Tel: 281322 051 Telmóvel: 969 269 901

CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA LOW-COST CASTRO MARIM, FARO, OLHÃO, TAVIRA, SÃO BRÁS DE ALPORTEL E VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

969 451 010

PERITOADENE@GMAIL.COM

EDITAL

Tavira, aos 26 de Novembro de 2018 (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Novembro de 2018)

Monte-pio Artístico Tavirense Associação Socorros Mútuos Informação referente à Assembleia-Geral Ordinária Informamos todos os sócios do Monte-Pio Artístico Tavirense - Associação Socorros Mútuos que convocatória da Assembleia-Geral Ordinária que foi publicada na edição 1213 do dia 23 de Novembro de 2018 no jornal Postal do Algarve, ficou sem efeito em virtude de estar incompleta. Mais informamos que a mesma já foi rectificada e publicada no Correio da Manhã na edição do dia 30 de Novembro de 2018. Tavira, 30 de Novembro de 2018 A Presidente da Mesa da Assembleia-Geral Maria José Sousa Martins (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Novembro de 2018)

Rua Álvaro de Campos, nº45 Tavira Tel: 281323206 Telm: 962 696 177 facebook: salao_lucrecia@hotmail.com

CARTÓRIO NOTARIAL DE SÃO BRÁS DE ALPORTEL DE AMÉLIA DE BRITO MOURA DA SILVA COOPERATIVA AGRICOLA DOS PRODUTORES DE AZEITE DE SANTA CATARINA

ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA De acordo com o disposto no Parágrafo segundo do art. 23º, e no Parágrafo segundo do art. 25º dos Estatutos da Cooperativa Agrícola dos Produtores de Azeite de Santa Catarina da Fonte do Bispo, CRL, convoco os seus associados a reunirem-se em Assembleia Geral, em sessão ordinária, no dia 15 de Dezembro de 2018, pelas 14 horas na sua sede e com a seguinte ordem de trabalhos: 1º- Apreciação e votação do Orçamento e do plano de atividades para o exercício de 2019; 2º- Discussão de outros assuntos de interesse para a Cooperativa. Se à hora marcada não estiver presente o número legal de sócios, a Assembleia Geral reunirá uma hora depois, em segunda convocatória, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, podendo deliberar com qualquer número de associados. Santa Catarina, 13 de Novembro de 2018 O Presidente da Assembleia Geral Alberto Maria Vilela Boto Pimental (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Dezembro de 2018)

Comunicação aos titulares do direito de preferência A NOTIFICAR: JOSÉ DE SOUSA Contreiras., JOSÉ FRANCISCO G. e outros. Nos termos dos Artigos 416 nºs 1 e 2 e 1380º do Código Civil, faço saber que correm éditos para comunicação da intenção de venda aos titulares do direito de preferência, para que estes o exerçam querendo SUZINDA MARIA DE SOUSA REIS MARQUES PAIS, CC 02028319, NIF 121903699, com residência habitual na Rua 25 de Abril, nº 63, Bloco C, r/c Dtº, Condomínio Jardim, em MALVEIRA. Que é dona e legitima possuidora do prédio rústico sito em S. Pedro, Santa Luzia, da freguesia de Santa Luzia, concelho de Tavira, distrito de Faro, que se encontra inscrito na matriz predial rústica sob o artigo nº 118 e com área total de 6000 m², descrito na Conservatória de Registo Predial de Tavira sob o nº 941/20040329, A venda do referido prédio realizar-se-á pelo valor global de 67.500,00 € (Sessenta e sete mil e quinhentos euros), sendo atribuído o valor de Euros 60,000.00 (sessenta mil Euros) para o Artigo Rustico e Euros 7,500.00 (sete mil e quinhentos Euros) para o Equipamento agrícola existente e tendo como condições de pagamento a quantia de Euros 16.875,00 (dezasseis mil oitocentos e setenta e cinco euros) no Contrato de Promessa de Compra e Venda e o restante com a escritura entre 15 e 31 de Janeiro de 2019. Mais faz saber, que devem os titulares do direito de preferência exercer o seu direito no prazo de 14 dias, sob pena de caducidade, nos termos do artigo 416, nº 2 do Código Civil

Estilista de Cabelos - Estética l Tratamentos de Cabelo l Exclusividade em Tavira da gama Goldwell da Kerasik (Produtos de hidratação / reconstrução capilares) l Tratamento de mãos e pés l Cabelo e Corpo l Hidrolinfa

Assembleia Municipal de Castro Marim

EDITAL JOSE LUÍS AFONSO DOMINGOS, presidente da Assembleia Municipal supra, faz público, nomeadamente tendo em atenção o preceituado no n°1 do artigo 56°, da Lei n° 75/2013, de 12 de setembro, que a Assembleia Municipal, na sua sessão ordinária de dia 30 de novembro de 2018, deliberou: - Taxa de Derrama a Aplicar em 2019 referente ao Exercício de 2018 - aprovado por unanimidade não lançar qualquer taxa de derrama na área do município em 2019, referente ao exercício de 2018. - Taxa Municipal de Direitos de Passagem a Aplicar em 2019 - aprovado por unanimidade aplicar a taxa de 0% para o ano de 2019. - Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra lncêndios de Castro Marim - aprovado por unanimidade.. Para constar, se publica este Edital e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares de estilo do Município. Castro Marim, 03 dezembro de 2018 O Presidente da Assembleia Municipal Jose Luis Domingos (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Novembro de 2018)

COMUNIQUE COM O POSTAL Contacto: 281 320 900 Email: jornalpostal@gmail.com

CERTIFICA, para efeitos de publicação, nos termos do disposto do artigo cem, número um do Código do Notariado, que no dia vinte e seis de Novembro de dois mil e dezoito, a folhas setenta e um e seguintes do livro de notas para escrituras diversas número setenta e dois deste Cartório, foi lavrada uma escritura de Justificação Notarial, em que ARTUR CAVACO MARTINS, NIF. 118.639.404, divorciado, natural da freguesia e concelho de São Brás de Alportel, onde reside no sítio de Bico Alto, Caixa Postal 688 A; JOÃO VICTORINO PEREIRA GONÇALVES, NIF. 111.233.305, casado com MARIA JOSÉ PEREIRA GONÇALVES SEQUEIRA, NIF. 141.306.149, sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais ele da freguesia de Santa Catarina da Fonte do Bispo, concelho de Tavira, e ela da freguesia e concelho de Castro Marim, residentes na Rua de Santo António, n.º 10, Rés-do-chão Esquerdo, na freguesia de Tavira (Santa Maria e Santiago), concelho de Tavira; JOSÉ MARTINS PEREIRA, NIF. 130.104.728, e mulher MARIA LEONTINA VIEGAS, NIF. 130104710, casados sob o regime da comunhão geral, ambos naturais da referida freguesia de Santa Catarina da Fonte do Bispo, onde residem no sítio da Ribeira de Bemparece, declaram que são donos e legítimos possuidores, em partes iguais, com exclusão de outrem, do prédio urbano, sito em Carvalhoso, na freguesia de Santa Catarina da Fonte do Bispo, concelho de Tavira, composto por edifício com um piso com várias divisões e logradouro, com a área total de novecentos e oitenta e três metros quadrados, sendo a área de implantação do edifício de cento e noventa e um metros quadrados e a área descoberta de setecentos e noventa e dois metros quadrados, que confronta a norte, sul, nascente e poente com Artur Cavaco Martins, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 3401, com o valor patrimonial actual de treze mil trezentos e dez euros, que é o atribuído, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Tavira. Que o mencionado prédio veio à sua posse em data imprecisa do ano de mil novecentos e noventa e dois por partilha meramente verbal feita por morte de Francisco Martins e mulher Francisca Pereira Carvalhoso, casados sob o regime da comunhão geral, residentes que foram em Santa Catarina da Fonte do Bispo, respectivamente avós dos primeiros outorgantes identificados em a) e b) e pais do primeiro outorgante marido identificado em c), partilha essa que não lhes foi nem é agora possível titular por escritura pública. Que desde essa data e sem qualquer interrupção, entraram na posse do referido prédio, pessoalmente e em nome próprio, tendo vindo desde então a gozar todas as utilidades por ele proporcionadas, nele praticando os actos materiais de fruição e conservação correspondentes ao exercício do direito de propriedade, nomeadamente pagando os respectivos impostos, fazendo as reparações necessárias ao longo do tempo, procedendo assim, como seus donos e senhores, à vista e com o conhecimento de toda a gente e sem oposição de ninguém, pelo que exerceram uma posse pacífica, contínua e pública e isto, como se disse, por prazo superior a vinte anos. Que, dadas as enunciadas características de tal posse, adquiriram o dito prédio por USUCAPIÃO, título esse que, por sua natureza não é susceptível de ser comprovado pelos meios extrajudiciais normais. São Brás de Alportel, vinte e seis de Novembro de dois mil e dezoito. A Notária, Amélia de Brito Moura da Silva Conta registada sob o n.º 2592/2018 (POSTAL do ALGARVE, nº 1214, 7 de Dezembro de 2018)


22

NECROLOGIA

7 de Dezembro de 2018

VIRGINIA DO CARMO DA CONCEIÇÃO

JOSÉ DA CONCEIÇÃO R AMOS NETO

05-12-1935 Ÿ 22-11-2018

08-12-1934 Ÿ 24-11-2018

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos o acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que de algum modo lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

ROSALINA MARIA VIEIRA X AVIER FIALHO LOPES

SANTIAGO Ÿ TAVIRA SANTA MARIA E SANTIAGO Ÿ TAVIRA

SANTO ESTÊVÃO Ÿ TAVIRA SANTA MARIA E SANTIAGO Ÿ TAVIRA

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

A sua família informa que será celebrada Missa do 8º Aniversário de Falecimento, dia 18 de Dezembro, terça-feira, pelas 08h 45m na Igreja de Santiago, em Tavira.

MISSA DO 8º ANIVERSÁRIO DE FALECIMENTO

Agradecem desde já a quem comparecer ao acto. “Paz à sua Alma”

SANTA LUZIA TAVIRA MARIA JOSÉ LOURO

MANUEL JOÃO EMÍDIO

10-11-1932 Ÿ 25-11-2018

05-07-1933 Ÿ 25-11-2018

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos o acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que de algum modo lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

SANTA MARIA Ÿ TAVIRA SANTA MARIA E SANTIAGO Ÿ TAVIRA

SANTA MARIA Ÿ TAVIRA SANTA MARIA E SANTIAGO Ÿ TAVIRA

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Reze 9 Ave-Marias com uma vela acessa durante 9 dias, pedindo 3 desejos, 1 de negócios e 2 impossíveis ao 9º dia publique este aviso, cumprir-se-á mesmo que não acredite. F.G.

DORILIA DA CONCEIÇÃO NASCIMENTO

FLORÊNCIO TEIXEIR A

ISILDA MARIA GUERREIRO

22-08-1925 Ÿ 28-11-2018

30-11-1933 Ÿ 02-12-2018

10-04-1926 Ÿ 03-12-2018

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos o acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que de algum modo lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos a acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que de algum modo lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

CONCEIÇÃO Ÿ TAVIRA CONCEIÇÃO E CABANAS DE TAVIRA Ÿ TAVIRA

VAQUEIROS Ÿ ALCOUTIM SANTA LUZIA Ÿ TAVIRA

ALMODÔVAR MONTENEGRO Ÿ FARO

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Agência Funerária Santos & Bárbara, Lda.

Reze 9 Ave-Marias com uma vela acessa durante 9 dias, pedindo 3 desejos, 1 de negócios e 2 impossíveis ao 9º dia publique este aviso, cumprir-se-á mesmo que não acredite. M.F.

AGÊNCIA FUNERÁRIA

Santos & Bárbara, Lda FUNERAIS - CREMAÇÕES - TRASLADAÇÕES PARA TODO O PAÍS E ESTRANGEIRO

Tel. : 281 323 205 - Fax: 281 323 514 • 965 484 819 / 917 764 557 ATENDIMENTO PERMANENTE - OFERTA DE ANÚNCIO DE NECROLOGIA E CARTÕES MEMÓRIA Artigos Funerários e Religiosos / Catálogo de Lápides e Campas


AF NATAL 2018 210x285mm.pdf

1

22/11/18

15:59

REGIÃO

7 de Dezembro de 2018 pub

AMOR ELECTRO AQUECEM

PASSAGEM DE ANO EM LAGOS Amor Electro coleccionam prémios e distinções

pub

A Festa de Passagem de Ano em Lagos vai contar, este ano, com um espectáculo dos Amor Electro, uma referência artística na cena musical portuguesa. A noite contará também com fogo-de-artifício e um dj. A animação vai estar concentrada no principal palco ao ar livre da cidade, a Praça do Infante. À semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, a última noite do ano promete trazer muita animação a todos os que, em Lagos, quiserem fazer a sua despedida de 2018. Assim, no dia 31 de Dezembro sobe ao palco, a partir das 22:30, uma das mais conhecipub

das bandas portuguesas – os Amor Electro. Desde o seu álbum de estreia em 2011, os Amor Electro não pararam de crescer. Tiago Pais Dias, Rui Rechena, Ricardo Vasconcelos e Mauro Ramos garantem a Marisa Liz, reconhecidamente uma das mais destacadas vozes da atual música portuguesa, o ambiente ideal para mostrar o seu talento, graças a um estilo único onde modernidade, tradição, raízes populares e tecnologia convergem para criar um som excepcionalmente original, cheio de carisma, emoção e “portugalidade”.

Os Amor Electro são considerados uma referência artística na cena musical portuguesa, alcançando platina e coleccionando prémios e distinções. Fazem parte da geração que estabeleceu a música moderna portuguesa e que perdeu a vergonha de cantar na língua de Camões. A sua mistura musical de pop-rock, aliada à honestidade da sua performance, liberta espaço para a música crescer e respirar, permitindo a liberdade de movimento combinada com uma vocação íntima, apaixonada e genuína. À meia-noite, os céus de Lagos enchem-se de cor para a despedida de 2018, com um espectáculo piromusical. A entrada no novo ano contará igualmente com a actuação do DJ Tiago M., atualmente DJ da Hiper FM, rádio líder de audiências na zona oeste e litoral centro, onde tem o programa programa semanal “Thank God It’s Friday Radioshow”, em que mistura as tendências mais quentes das pistas de dança.

viva um Natal

mais amigo do ambiente

aguas algarve

reduzindo a sua pegada ecológica Queremos que tenha um Natal muito feliz e que seja especial, como a época o sugere.

Saiba como viver um Natal mais verde, o melhor presente que pode oferecer ao planeta nesta quadra festiva.

Opte por luzes led de menor consumo Reutilize a árvore de Natal do ano passado Se não tiver uma árvore, escolha um pinheiro natural que possa ser replantado Se comprar perfumes, opte pelos naturais e/ou sem testes em animais

Decore a casa com ornamentos ecológicos Evite o uso de sacos de plástico nas suas compras de Natal Um presente feito por si, é mais pessoal e mais ecológico Reutilize os enfeites do ano passado. É enorme a quantidade de poluição causada pelos enfeites deitados no lixo

A Águas do Algarve deseja-lhe deseja-lhe

Boas Festas ee Feliz Ano Novo

23


24

7 de Dezembro de 2018

Tiragem deste edição: 6.802 EXEMPLARES

O POSTAL regressa dia 14 de Dezembro

••• ÚLTIMA

POSTAL 1214 7DEZ2018  

• LEIA O POSTAL DESTA SEMANA! • (Sábado 8/12) nas bancas com o jornal EXPRESSO • ON-LINE uma informação à distância de uma clique em www.pos...

POSTAL 1214 7DEZ2018  

• LEIA O POSTAL DESTA SEMANA! • (Sábado 8/12) nas bancas com o jornal EXPRESSO • ON-LINE uma informação à distância de uma clique em www.pos...