Issuu on Google+

PUB

Director Henrique Dias Freire • Ano XXVI • Edição 1106 • Semanário à sexta-feira • 26 de Julho de 2013 • Preço € 1

DESTAQUE 2 EM FOCO 4 FARO 5 PORTIMÃO 7 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO, CASTRO MARIM, ALCOUTIM 8 TAVIRA 9 OLHÃO 10 SÃO BRÁS, LOULÉ 11 ALBUFEIRA 13 LAGOA, SILVES, MONCHIQUE 14 LAGOS, VILA DO BISPO, ALJEZUR 15 REGIÃO 16 LAZER 19 CLASSIFICADOS 20 OPINIÃO 23

Vinte farmácias à beira de fechar portas na região

ÀS SEXTAS EM CONJUNTO COM O PÚBLICO POR €1,60

> São 18,6% do total de farmácias existentes na região. Conheça os dados revelados pela Associação Nacional de Farmácias que alertam para o perigo de deixarmos de ter uma farmácia sempre à disposição como até aqui. Os dados do país são também negros num sector que tem sido profundamente prejudicado com a política de cortes necessários na área da Saúde levada a cabo pelo Governo.

p. 17

d. r. d. r.

Tavira:

À descoberta da Ria Formosa

Feira da Serra de regresso:

São Brás mostra a alma da serra

>3

Paraíso no Algarve: Saiba como conhecer um paraíso de rara beleza no Algarve, entre praias e um sapal deslumbrante numa viagem ao interior da Reserva Natural da Ria Formosa > 2 e 3 d.r.

AUTÁRQUICAS

Luís Gomes de novo na luta por Vila Real

>8

SAÚDE

Hospital cobra dívidas a utentes isentos

FARO > As justificações do Hospital

de Faro não colhem e a cobrança de dívidas legalmente não existentes põe em causa o bom nome do Estado enquanto cobrador de tratamentos. Isenções e prescrições de valores a cobrar deveriam ser cumpridas p. 6

Concentração juntou cerca de 15 mil >5

d.r.

PUB

PUB

Parque de Campismo da Ilha de Tavira

As suas férias de sonho junto da natureza E-mail: info.campingtavira@gmail.com · www.campingtavira.com Telef.: (+351) 281 32 17 09 · Fax: (+351) 281 32 17 16

s Tenda de r alugue

CA

SOLUÇÃO EMIGRANTES Veja anúncio pág. 24


ÔÔ

destaque

Horários ferrys *

2  |  26 de Julho de 2013

Ria Formosa, um paraíso por descobrir O ALGARVE TEM UMA DAS MAIS BELAS e importantes reservas naturais

do país e mesmo da Europa no que respeita a zonas lagunares com um elevado património ao nível da fauna e flora, a Ria Formosa. Conhecida de nome por muitos, sejam eles residentes ou turistas, mas muito pouco visitada face à sua importância e à beleza natural que oferece, são mais de 18 mil hectares de área que se estendem entre a Manta Rota a leste e a Quinta do Lago a ocidente, numa extensão linear de cerca de 60 quilómetros. Durante o Verão, nomeadamente no mês de Agosto, visitar uma das Sete Maravilhas Naturais de Portugal é mais fácil e o POSTAL mostra-lhe algumas das inúmeras formas como pode ficar a conhecer melhor esta pérola paisagística. Há propostas para todos os gostos e para todas as bolsas, para os amantes das praias, como para os que se deliciam com a natureza, um mundo por descobrir.

feita à sua medida.

ILHA DA CULATRA, UM BRONZE ÚNICO Na ilha da Culatra os destinos podem ser as povoações da Culatra ou do Farol onde atracam os ferrys, ou ainda, para quem goste de mais isolamento o pequeno lugar de Hangares, ao qual se acede a pé a partir de um dos cais de atracagem anteriores. O extenso areal virado ao Atlântico é conhecido por proporcionar aos amantes do sol um dos mais rápidos e eficazes bronzeados algarvios. Aqui não faltam valências para os visitantes que escolham estar mais perto dos aglomerados populacionais, tanto como o total isolamento que se pode rapidamente alcançar com um pequeno percorrer da costa. Ao Farol e à Culatra chega-se a partir de Faro ou Olhão em ferrys com

Para quem deseja chegar à costa espera-o um longo percurso a pé por entre o pitoresco casario e uma vez avistado o mar o isolamento para quem o deseja está apenas à distância de um belo passeio à beira-mar em direcção a oriente. Ainda na Ilha da Armona e com acesso de barco a partir da Fuseta, a praia com o mesmo nome dista do continente numa viagem de ferry de apenas alguns minutos. Ao extenso areal chega-se em barcos que sem horário fazem um vai-e-vem constante entre o continente e a ilha que hoje oferece, depois de intervencionada pelo Plano Polis Litoral Ria Formosa, valências suficientes e um cordão dunar requalificado.

PRAIA DO BARRIL, UM EX-LIBRIS A Praia do Barril, já na Ilha de Tavira, é um ex-

ILHA DESERTA, UMA PÉROLA INTOCADA A Ilha Deserta, uma das mais belas

praias da região, estende-se entre Faro e Olhão e o nome não engana. Pouco mais que deserta - salvo um conhecido restaurante ali localizado - a praia oceânica é absolutamente deslumbrante e a presença humana quase que não deixou marcas de relevo no cordão dunar. Com acesso de barco (ferry) a partir de Faro são vários os horários de ida e volta ao longo do dia para uma visita

Olhão / Armona

ÔÔ ÔÔ ÔÔ ÔÔ ÔÔ

Semana: ÔÔ 07.30 h ÔÔ e a todas as horas certas entre as 9 e as 20 horas

08.30 h 10.35 h 12.25 h 14.45 h 18.45 h

Fim-de-semana e feriados: ÔÔ Todas as horas certas entre as 8 e as 20 horas

Farol: Ida e volta: 5 € Ida: 2,80 € Criança ida e volta: 2,50 € Culatra: Ida e volta: 6€ Ida: 3,50 € Criança ida e volta: 3 €

Ida e volta: 3,60 € Ida: 1,80 € Criança ida e volta: 1,80 €

Olhão / Culatra / Farol ÔÔ De duas em duas horas, à hora certa, entre as 7 e as 15 horas ÔÔ 17.30 h ÔÔ 19.30 h

Faro / Praia de Faro ÔÔ ÔÔ ÔÔ ÔÔ ÔÔ

10.30 h 12.00 h 14.30 h 16.00 h 18.30 h

Farol: Ida e volta: 4,20 € Ida: 2,10 € Criança ida e volta: 2,10 € Culatra: Ida e volta: 3,60 € Ida: 1,80 € Criança ida e volta: 1,80 €

Ida e volta: 3 € Ida: 1,80 € Criança ida e volta: 1,50 €

Quinta do Lago

Faro

Península do Ancão

Praia de Faro

na-

turais

AS PRAIAS, ACESSOS E CARREIRAS REGULARES DE BARCO Na sua grande

maioria as praias da Ria Formosa estão localizadas em ilhas, às quais apenas se pode aceder de barco. As excepções são as praias do Ancão e de Faro, situadas na Península do Ancão no extremo ocidental da ria, às quais se pode aceder através da ponte pedonal da Quinta do Lago ou pela ponte rodoviária da Praia de Faro (carro e autocarros com partida de Faro), e a zona ocidental da Praia da Manta Rota, extremo leste da ria e à qual se acede de carro. À Praia de Faro, que tem uma importante zona habitada e um sem número de valências para os visitantes, também se pode chegar de barco a partir de Faro, são cerca de 30 minutos de viagem pelo coração do sapal da Ria Formosa.

Faro / Farol / Culatra

ta. Praia muito bem conservada e com um areal extenso exposto às ondas do atlântico, convida a deixar-se estar num lugar a que ainda poucos acedem e que reserva uma beleza natural notória.

ÔÔ Um dos barcos que liga Faro à Praia de Faro vários horários (ver infografia) e que demoram cerca de 40 minutos a partir de Faro e aproximadamente 30 ou 45 minutos desde Olhão, consoante os barcos sejam directos ou façam ambos os destinos na mesma viagem. No Farol, oportunidade para ver o farol mais a sul de Portugal que guarda do alto da sua torre de 46 metros de altura a entrada dos barcos na maior barra da Ria Formosa.

ARMONA, A UM PULO DE OLHÃO Para a Ilha da Armona os barcos partem de Olhão e têm vários horários. À chegada à Armona o visitante depara-se com um aglomerado populacional situado junto à Barra de Olhão, onde as valências não faltam para os visitantes.

-libris do Algarve. Ao areal chega-se atravessando uma ponte pedonal situada junto a Pedras d’el Rei. Depois, a pé ou num pitoresco comboio de pequenas dimensões que percorre os estreitos carris durante cerca de dez minutos entre o lado da ria do cordão dunar e a costa, chega-se ao vasto areal. A praia, aliás como todas as das ilhas barreira, imensa a perder de vista, é apoiada por várias valências que funcionam nas antigas instalações de uma armação de pesca ao atum. A não perder o impressionante cemitério de imensas fateixas semeadas ao logo das dunas e que constituem a prova patrimonial de uma arte de pesca que ali se praticou durante décadas. Santa Luzia, capital do polvo, é donde se parte de barco para a Terra Estrei-

ILHA DE TAVIRA, IMPERDÍVEL A Ilha de Tavira, como é conhecida a praia situada em frente à cidade do Gilão, é uma das mais conhecidas praias da Ria Formosa. Ali não faltam as valências para os visitantes e a praia estende-se para ocidente a partir da Barra de Tavira. O areal aguarda pelos visitantes que podem entrar nos ferrys, quer junto ao centro da cidade, quer no sítio das Quatro-Águas. A escolha depende apenas de quanto quer demorar e se quer ou não percorrer o Rio Gilão até à foz. Entre as Quatro-Águas e a praia são escassos minutos de viagem em barcos com várias partidas ao longo do dia. O extenso areal é um dos mais belos do Algarve e não deixa os créditos por mãos alheias, oferecendo um amplo recorte de areia à beira mar que se estende por quilómetros. À Ilha de Cabanas acede-se de barco a partir da localidade com o mesmo nome, os barcos não têm horário mas garantem uma ligação permanente entre o continente e a ilha cujo areal imenso conserva ainda as suas características

Ilha Deserta

e que conta com um apoio de praia.

PRAIA DA FÁBRICA, UM SEGREDO BEM GUARDADO No extremo oriental da

Ria Formosa fica a Península de Cacela, imperdível a visita a Cacela Velha junto à margem continental da Ria e para quem queira uma ida até à praia basta dirigir-se à zona da Fábrica junto a Cacela Velha e combinar ida e volta com um dos barqueiros locais. Em toda a extensão das ilhas barreira nas localidades junto à Ria Formosa se consegue acordar o transporte para a outra margem com os homens do mar locais. Não são carreiras controladas, mas são uma opção para os mais afoitos. Outra solução passa por alugar um aqua taxi, caros mas sem as restrições dos horários e mais seguros do que um barqueiro ocasional estes serviços encontram-se rapidamente através de contactos disponibilizados junto aos cais de embarque no continente ou através de uma pesquisa na internet.


26 de Julho de 2013  |  3

Fuseta / Praia da Fuseta

Fábrica / Praia de Cacela ou Praia da Fábrica

com intrevalo de uma hora

ÔÔ Entre as 9.30 e as 12.30 e entre as 14.30 e as 17.45, em sistema de vai-e-vem permanente

Ida e volta: 1,50 € Ida: 0,90 € Criança ida e volta: 0,80 €

Das 9 às 20 horas em regime de vai-e-vem

Tavira / Ilha de Tavira ÔÔ A todas as horas certas entre as 9 e as 11 horas ÔÔ 12.15 h ÔÔ Um barco a cada hora entre as 13.30 e as 19.30 horas

Ida e volta: 1,60 € Ida: 1,20 € Criança ida e volta: 0,80 €

Santa Luzia / Terra Estreita Entre as 8.30 e as 20.15 horas, de 15 em 15 minutos

Faro / Ilha Deserta

Praia de Cacela: Ida e volta: 1,50 € Criança: Grátis até aos 10 anos

ÔÔ 10, 11.30, 13.30, 15.15, 16.45 e 18,15 horas

Fábrica / Cacela Velha

Adultos: 10 € Crianças: 5 €

Cabanas de Tavira

Tavira

Praia da Fábrica: Ida e volta: 0,80 € Criança: Grátis até aos 10 anos

Ida e volta: 1,90 € Ida: 1,30 € Criança ida e volta: 0,90 €

Manta Rota

Península de Cacela

Ilha de Cabanas

Quatro-Águas

Notas:

Cabanas / Ilha de Cabanas

Ida e volta: 2,00 € Ida: 1,50 € Criança ida e volta: 1,50 €

Entre as 8 e as 20.30 horas em sistema de vai-e-vem.

Quatro Águas / Ilha de Tavira

* Os horários indicados resSanta Luzia Pedras d’el Rei

Ida e volta: 1,50€

ÔÔ A todas as horas certas entre as 8 e as 00 horas ÔÔ Entre as 10.35 e as 17.35 horas há um barco suplementar

Ilha de Tavira Localidades

Fuseta

Legenda: Continente

Olhão

Parchais e ilhotes

Armona

Ilha da Armona

Ilhas Barreira / cordão dunar

grau de protecção das zonas naturais nacionais, tendo sido transformada em Parque Natural em 1987. Toda esta beleza é hoje visitável, primordialmente por via marítima e várias são as empresas que, a partir dos portos das localidades continentais ao longo da reserva oferecem

Culatra

Ilha da Culatra Farol

Aglomerados populacionais das ilhas Cais de embarque Aeroporto de Faro Pontes

guia a viagem, além de mais segura, permite uma mais eficiente gestão do tempo e dos esforço associado aos passeios de kayak e as sempre bem-vindas explicações sobre aquilo que se vai vendo a cada momento. Em alternativa ao esforço físico do kayak surge o conforto de um mo-

Texto, fotos e infografia: Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

MUITO MAIS DO QUE PRAIA

Mil e uma maneiras de conhecer a Ria Formosa AS PRAIAS DE AREAIS COM QUILÓMETROS de extensão são sem dúvida um

dos atractivos por excelência da Ria Formosa, mas a zona de sapal mais extensa da região é muito mais do que areal, sol e mar. No interior do semicírculo formado pelo cordão de ilhas que se interpõe entre o oceano e o continente desenvolve-se uma impressionante rede de canais navegáveis e regatos que serpenteiam entre os parchais (grandes acumulações de sedimentos) e que, 365 dias por ano, garantem que duas vezes por dia as marés levam até ao mais recôndito recanto do sapal água renovada, carregada de nutrientes e de vida.

É a extraordinária capacidade de renovar a sua água diariamente, através das barras que deixam entrar milhões de metros cúbicos de água do mar, aliada à pouca pressão humana no interior do sapal e à orografia do próprio terreno, que fazem da Ria Formosa o local de eleição para uma variedade imensa de avifauna que, a par de um sem fim de variedades piscícolas, moluscos e cefalópodes, tornam toda a extensão da reserva num enorme berçário animal. A somar a esta vertente de ninho, a ria tem uma flora diversa e invejável que a tornam um activo patrimonial natural de grande relevo, razão mais do que suficiente para que tenha o mais elevado

ÔÔ Uma lancha, barco típico da Ria Formosa serviços capazes de garantir uma experiência única e inesquecível. Faça-se ao espelho de água a bordo de kayaks, com ou sem guia, e deixe-se levar pela água mansa dos canais com a possibilidade de parar a seu bel prazer para observar as aves, subir aos parchais ou visitar as ilhas barreira. Acompanhado de um

derno e sombreado barco que lhe oferece momentos de relaxe durante períodos de tempo pré-contratados ao mesmo tempo que a força do motor o leva aos pontos mais distantes da ria, sempre na companhia de quem lhe sabe contar todos os segredos da reserva. Também os golfinhos podem ser

peitam às horas de partida dos barcos nos cais de embarque do continente e são da responsabilidade dos operadores, bem como as eventuais alterações que possam sofrer. Alguns operadores alertam para o facto de que, uma vez cheios, os barcos partem de imediato sem respeitar o horário a fim de poderem fazer desdobramentos das carreiras o mais rápido possível, pelo que é aconselhado chegar aos cais antes da hora de partida. Aconselha-se a consulta dos horários de retorno dos barcos das ilhas barreira junto das bilheteiras.

visitados em viagens que além de percorrerem o sapal se fazem ao mar atravessando as barras da Ria Formosa. Ao largo da costa os mamíferos aguardam na grande maioria das vezes pelos turistas para darem um ar da sua graça numa oportunidade rara de observar estes animais em plena liberdade. Mas a Ria Formosa é também cultura e tradição. Zona piscatória por excelência, terra de lobos do mar e mariscadores, a reserva pode ser visitada num dos mais tradicionais barcos que desde sempre cruzaram as suas águas, as lanchas. De madeira e com as cores garridas a contrastar com o azul marinho e o verde das plantas típicas da ria esta é uma forma de redescobrir modos de navegar de outros tempos e de uma mesma assentada conhecer o parque natural. Os percursos são variados e cada empresa se esforça por oferecer o melhor serviço e a experiência melhor conseguida e do esforço de profissionais esmerados nasceu um produto turístico de eleição com preços dos mais variados. Também à vela se pode percorrer a Ria Formosa e aqui é o vento quem mais ordena em viagens que aliam a beleza do parque à aprendizagem das técnicas básicas de vela. Há toda uma ria para descobrir, todo um pequeno mundo lacustre por desvendar e as propostas são várias, uma consulta na internet ou uma deslocação até a um dos cais de embarque no continente valem-lhe toda a informação necessária para usufruir de algo que é imperdoável perder.


4  |  26 de Julho de 2013

em foco Feira da Serra domina este fim-de-semana

ricardo claro

Amêndoa é o convidado de honra de um certame imperdível Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

HÁ UM ANO ATRÁS, POR ESTA MESMA ÉPOCA , os são-bra-

senses deram provas de uma vontade férrea, de uma capacidade gregária sem limites e de uma resiliência notável face às adversidades. No rescaldo de um gigantesco incêndio e ainda enquanto se esforçavam por regressar à normalidade possível por entre um concelho largamente reduzido a cinzas, abriam as portas de mais uma Feira da Serra. Não o faziam por ignorarem o difícil momento que viviam os seus conterrâneos que tudo tinham perdido, mas exactamente porque era na esperança e no regresso à normalidade que resi-

dia a força de acreditar no futuro e porque a Feira da Serra, o maior certame do concelho, era a forma de provar que os são-brasenses renasceriam das cinzas. A aposta feita então provou ser a mais acertada e a Feira da Serra mostrou aos algarvios e aos visitantes de São Brás de Alportel a alma das gentes da terra e este ano não será diferente. Um ano depois, a Feira da Serra está de volta, entre hoje, sexta-feira, e domingo, e promete, uma vez mais, não deixar os créditos por mãos alheias. São Brás recebe pela 22ª vez os visitantes do certame de braços abertos e são largos milha-

res aqueles que, ano após ano, marcam presença na Feira da Serra e conhecem bem como é bom sentir-se em casa entre as gentes da serra algarvia.

SAIA DA CASCA E ATREVA-SE EM SÃO BRÁS O evento abre

as portas sob o signo do habitual convidado especial que é em 2013 a amêndoa. O fruto seco algarvio por excelência promete surpreender e mostra os “segredos que esconde na casca”, refere a autarquia local, responsável pela organização da feira. A mestria da Feira da Serra já habituou os visitantes a esperarem que os eventos associados ao convidado especial do certame aliem a tradição e a modernidade e permitam reviver modos antigos de se relacionar com a amêndoa por entre propostas inovadoras associadas ao fruto e aos seus aproveitamentos. Com entradas que custam 3,5 euros (diária), sete (para os três dias), ou 10,5

(passe familiar de um dia para quatro pessoas), a feira renova a aposta em mostrar a excelência dos produtos locais e de toda a serra algarvia, ao mesmo tempo que convida os visitantes a espreitarem saberes de outros tempos num regresso ao passado feito em directo perante o trabalho dos artesãos. A programação inclui nos três dias nomes de destaque do mundo artístico e promete animar as hostes ao som dos mais variados ritmos, com destaque para os Irmãos Verdades e Marco Paulo. Francisco Meneses é outra das figuras que marcará presença no palco principal do certame, por onde passarão também um desfile de moda e o melhor da tradição dos bailes serranos e do acordeão. Comes e bebes para acompanhar tudo isto não vão faltar com uma oferta de primor no que respeita à gastronomia tradicional, a que se juntam muitas dezenas de expositores com um pouco de tudo do que de melhor se faz por terras do Algarve.

ÔÔ Visitantes têm oportunidade de ver os artesãos trabalhar ao vivo

UMA FEIRA EM PERMANENTE RENOVAÇÃO Não são os 22 anos

de existência que fazem da Feira da Serra uma repetição das edições anteriores. Este ano volta a ser ponto de honra inovar e surpreender e para tanto os visitantes contam com o Sítio da Amêndoa, criado em especial para esta edição, com um espaço dedicado ao movimento Cittaslow, e com uma exposição fotográfica única que promete mostrar a “Alma da Serra”. A receber os convidados estará uma renovada Praça do Município, pronta a mostrar o que São Brás tem para oferecer agora e no futuro e, como não poderia deixar de ser, espaço ainda

para o Programa Lara que em um ano revisitado mostra aos visitantes como se renasce das cinzas depois do grande incêndio de 2012. Para os mais pequenos o Sítio dos Curiosos regressa este ano e promete entreter os petizes e levá-los pelas terras dos sonhos e das brincadeiras. Os animais característicos da serra regressam ao recinto no Sítio dos Animais, onde se podem ver de perto os companheiros de jornada das gentes serranas e no picadeiro a realeza dos equídeos volta a prometer deliciar os visitantes. Tudo isto e muito mais em três dias imperdíveis para conhecer os segredos da serra algarvia. Diversão, boa mesa, hospitalidade, muita alma e genuinidade esperam por todos em São Brás, porque neste fim-de-semana todos os caminhos lá vão dar.


26 de Julho de 2013  |  5

Estatuto Editorial (Elaborado nos termos do Artº 17º da Lei n.º 2/99 de 13 de Janeiro)

1. O “POSTAL do ALGARVE” foi fundado a 4 de Junho de 1986. 2. O “POSTAL do ALGARVE” é um semanário regional de informação geral que tem como público – alvo a população algarvia, sem prejuízo da informação veiculada a todos os leitores de outras regiões que beneficiam da amplitude da sua expansão. 3. Para cumprir o objectivo máximo de bem informar, o “POSTAL do ALGARVE” veicula a informação produzida na região, bem como a exarada com o âmbito nacional ou mundial e que seja importante para o universo dos seus leitores. 4. Rege a sua conduta pelo rigor informativo e com base nos princípios da liberdade de imprensa, no livre acesso às fontes de informação e no respeito pela dignidade humana. 5. As opiniões do “POSTAL do ALGARVE” são unicamente as emitidas através do Editorial. As restantes publicadas no jornal são da inteira responsabilidade dos autores. 6. O “POSTAL do ALGARVE” respeitará e assegurará a publicação de todas as opiniões desde que não originem, nem alimentem qualquer espécie de conflitos sociais, pressupondo sempre a boa fé dos leitores. 7. O “POSTAL do ALGARVE” prima pela independência, não mantendo qualquer vínculo ou subjugação com qualquer força ou corrente política, económica, religiosa ou ideológica. 8. O “POSTAL do ALGARVE” não se sujeitará a pressões ou censuras de qualquer origem e é respeitador da liberdade das forças e correntes referidas no número anterior, tratando-as com igualdade e isenção. 9. Assume-se como um jornal aberto e plural perante a sociedade e as matérias que lhe são facultadas com a finalidade de uma futura publicação jornalística, pese embora não prescinda dos direitos de:   a)  Aceitar ou recusar a sua publicação;   b)  Escolher a data que considere a mais propícia para a sua divulgação;   c)  Iniciar e prosseguir investigações jornalísticas;   d)  O “POSTAL do ALGARVE” compromete-se a divulgar os assuntos que entenda revestirem-se    de interesse público, mesmo que haja oposição da parte de quem veiculou a informação.   e)  Denunciar todas as violações do direito de informar, incluindo aquelas que impeçam ou prejudiquem o normal  exercício do jornalismo. 10. O “POSTAL do ALGARVE” obriga-se a salvaguardar a identidade das suas fontes, salvo nos casos de o jornalista estar a ser manipulado ou usado para canalizar informações falsas. 11. Em tudo o supra-referido e nas demais situações que possam ou não estar abrangidas pelos números anteriores, o “POSTAL do ALGARVE” orienta-se pelos princípios éticos e deontológicos que regem o jornalismo, respeitando a legislação vigente.

POSTAL DO ALGARVE PUBLICAÇÕES E EDITORES, LDA Contribuinte n.º 502 597 917

RELATÓRIO DE GESTÃO ( Exercício de 2012)

Tavira, 30 de Março de 2013 O Gerente Henrique Manuel Dias Freire

Postal do Algarve, Lda DEMONSTRAÇÃO (INDIVIDUAL/CONSOLIDADA) DOS RESULTADOS POR NATUREZAS

Período findo em 31 de Dezembro de 2012

Euros

Vendas e serviços prestados ............................................................................... 97.448,83 € Subsídios à exploração .................................................................................................. 0,00 € Ganhos/perdas imputados de subsidiárias, associadas em empreendimentos conjuntos ..................................................................0,00 € Variação nos inventários da produção ...........................................................................0,00 € Trabalhos para a própria entidade ................................................................................. 0,00 € Custo das mercadorias vendidas e das matérias consumidas ........................................0,00 € Fornecimentos e serviços externos .....................................................................-52.349,55 € Gastos com o pessoal ........................................................................................ -46.184,37 € Imparidade de inventários (perdas / reversões) ..............................................................0,00 € Imparidade de dívidas a receber (perdas / reversões) ....................................................0,00 € Provisões (aumentos / reduções) ...................................................................................0,00 € Imparidade de investimentos não depreciáveis/ amortizáveis (perdas / reversões) ..................................................................................0,00 € Aumentos / reduções de justo valor ...............................................................................0,00 € Outros rendimentos e ganhos ................................................................................. 8.479,17 € Outros gastos e perdas .................................................................................................0,00 € Resultado antes de depreciação, gastos de financiamento e impostos .............................. 7.394,08 € Gastos / reversões de depreciação e de amortização .............................................-7.175,66 € Imparidade de investimentos depreciáveis/ amortizáveis (perdas / reversões) ..................................................................................0,00 € Resultado Operacional (antes de gastos de financiamento e impostos) ............................................. 218,42 € Gasto líquido de financiamento Resultado antes de imposto ................................................ 218,42 € Imposto sobre o rendimento do período ...................................................................... 54,60 € Resultado líquido do período .............................................. 163,82 € Resultado actividades descontinuadas (líquido de impostos) incluido no res. líq. período Resultado líquido do período atribuível a: Detentores do capital da empresa-mãe Interesses minoritários Resultado por acção básico O técnico oficial de contas Antero Arcanjo Mendes Romeira

faro

Concentração motard resistiu à crise 32ª edição recebeu quase quinze mil ricardo claro

Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

Em cumprimento do Art.º 66 do Código das Sociedades Comerciais, a firma Postal do Algarve, Lda com o número de pessoa colectiva 502 597 917, com sede social em Rua Dr. Silvestre Falcão, n.º 13 r/c, em Tavira, vem por este meio apresentar o Relatório e Contas do exercício findo em 31 de Dezembro de 2012. 1.Evolução da Economia Nacional A situação da economia nacional e internacional ao longo do ano de 2012, caracterizou--se pelo agravamento da crise financeira tendo-se verificado um abrandamento significativo em toda a zona Euro, com implicações óbvias no mercado. 2. Actividade da Empresa em 2012 A empresa tem como objectivo a edição de publicações periódicas e não periódicas, serviços de publicidade, comunicações, fotografia e serviços recreativos. 3. Análise Económica e Financeira O volume de negócios da empresa, expresso em termos de valor conjunto das Vendas e Prestação de Serviços, não evolui no exercício. Ele passou de 164.464,05 Euros para 97.448,83 Euros. O Resultado Liquido após impostos do exercício de 2012 foi de 163,82 Euros. O Passivo da empresa situou-se, no respectivo exercício, em 82,34% do total do Activo. 4. Perspectivas de Futuro para a Empresa A empresa a nível económico e financeiro encontra-se estável pelo facto de nos anos anteriores ter efectuado os respectivos ajustamentos, com perspectivas de melhorias nos próximos anos. 5. Proposta de Aplicação de Resultados É proposto pela Gerência da Empresa que o Resultado Líquido do exercício de 2012, que se situou em 163,82 Euros, tenha a seguinte proposta de distribuição: lResultados Transitados: 163,82 Euros 6. Dividas à Administração Fiscal: A Empresa não tem em mora qualquer dívida à Administração Fiscal, Segurança Social e outras Entidades Públicas.

Rendimentos e Gastos

Terra Sã mostra agricultura biológica pág. 7

0,00 €

A gerência Henrique Manuel Dias Freire

NO DOMINGO PASSADO OS FARENSES disseram uma vez

mais adeus aos motards que desde há 32 anos visitam a cidade naquela que é a maior concentração do género no país. O tradicional desfile percorreu as principais artérias da cidade e foram muitos os que vieram à rua dizer aos amantes das duas rodas não um adeus mas um até já. Até já porque para o ano há mais, depois da concentração ter resistido à crise com “cerca de 14.700 inscrições”, como referiu ao POSTAL ‘Braza’, um dos nomes incontornáveis da equipa do Motoclube de Faro que todos os anos põe de pé o maior evento da região. A comparar com os cerca de 16 mil inscritos do ano anterior, a edição de 2013 resistiu às previsões mais pessimistas que apontavam um acentuado decréscimo, fruto da crise, e vingou, ainda que a GNR tenha escolhido exactamente o fim-de-semana do evento para montar uma operação nacional de fiscalização aos veículos de duas rodas.

FARO COMO DESTINO INCONTORNÁVEL Nada detém a po-

ÔÔ Vale das Almas voltou a encher e a fazer jus à fama de uma das maiores concentrações da Europa sição de Faro como destino incontornável em Julho para os motards, nem o reforço policial, nem o aperto em que vivem os portugueses, o Vale das Almas voltou a encher e a fazer jus à fama de uma das maiores concentrações motards da Europa. Muita música, strip para não deixar decair a moral, comida e bebida q.b. são os ingredientes sagrados da concentração, a que se juntam uma organização irrepreensível, um acolhimento

invejável e muito para curtir no melhor espírito motard. Os fiéis Xutos e Pontapés e os Saxon foram cabeças-de-cartazes e a Praia de Faro voltou a ser o destino preferencial dos visitantes que, ainda assim, se fizeram notar na cidade que ao som da banda Six Irish Man lhes deu as boas vindas com um concerto na Doca logo na sexta-feira. De acordo com a organização, a concentração foi um sucesso e a nota de destaque vai

para a inexistência de acidentes graves a provar que a campanha zer0killed, desenvolvida pela organização há já vários anos para prevenir acidentes, tem dado frutos sustentados, garantindo um regresso a casa sem problemas para os participantes. Em 2014 regressa a concentração e regressa Faro ao mapa motard mundial com a cidade a confirmar os pergaminhos de capital motard do país pelas mãos do Motoclube de Faro.

EQUIPA VENDE DIREITOS TELEVISIVOS

Benfica TV vai transmitir jogos do Farense O PRESIDENTE DO FARENSE, clube algarvio promovido à II Liga portuguesa de futebol, confirmou que o clube já tem um acordo com a Benfica TV, por três anos, para a transmissão dos seus jogos caseiros nas competições profissionais. “Confirmo a existência de um acordo por três anos com a Benfica TV, independente-

mente da liga onde jogarmos. Se subirmos à I Liga, o acordo mantém-se”, declarou António Barão à Lusa. O dirigente revelou que houve outra proposta, nomeadamente da Olivedesportos, mas o clube algarvio decidiu optar pela Benfica TV, essencialmente por “por razões financeiras”, embora não tenha divulgado o

montante em causa. “Quando mudamos, tem de ser para melhor. E esta proposta foi a melhor. Além das razões financeiras, este acordo permite dar mais visibilidade ao Farense e à Benfica TV”, disse António Barão. Além dos jogos do Farense, a Benfica TV, que se tornou no início de Julho um canal

pago em várias operadoras, vai transmitir os jogos do Benfica em casa e a liga inglesa, entre outros campeonatos internacionais. O Farense assegurou na época passada, com o triunfo na Zona Sul da II divisão nacional, o regresso às competições profissionais de futebol, dez anos depois. Lusa


6  |  26 de Julho de 2013

faro

Luís Gomes renova aposta em Vila Real pág. 8

Dívidas ao Hospital de Faro geram polémica Hospital cobra dívidas que não existem e alega dificuldade no cruzamentode dados e obrigação legal de cobrar Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

MUITOS UTENTES DO HOSPITAL DE FARO (HF) estão a ser

notificados pela instituição para efectuarem pagamento de taxas moderadoras e tratamentos hospitalares, o que nada teria de anormal não fosse o facto de se multiplicarem os casos em que os doentes são notificados para pagarem valores que efectivamente não devem. Vários são os utentes que foram notificados para efectuarem pagamentos, estando abrangidos por situações de isenção, segundo a Lusa, ou em que a notificação se refere a valores cuja possibilidade de cobrança já prescreveu, como apurou o POSTAL. A situação já provocou várias reclamações junto dos serviços do HF e recentemente gerou mesmo uma concentração de utentes em frente à administração da unidade de saúde. Segundo o presidente do Conselho de Administração do

HF, entretanto nomeado para presidente do Centro Hospitalar do Algarve, em declarações aos jornalistas, trata-se de “um mero processo de regularização e de limpeza dos ficheiros do hospital”. O responsável do HF afirma que se trata de dívidas que estão registadas na contabilidade, algumas com vários anos, e que a lei obriga a que sejam recuperadas, admitindo, contudo, que “haja casos de isenção que não foram registados e, nesses casos, se os utentes fizerem prova da isenção, não terão de pagar”, refere Pedro Nunes.

INVERSÃO DO ÓNUS DA PROVA As declarações de Pedro Nunes são no mínimo surpreendentes ao colocarem, na prática, a resolução de um problema da administração do hospital na esfera de responsabilidade dos utentes. De facto, apurou o POSTAL junto de uma fonte do HF que solicitou o anonimato, as cobranças estão a ser realizadas massivamente e “não há verificação exaustiva da situação dos utentes ser de efectiva e cobrável

dívida”. A mesma fonte revela que, “se contabilisticamente os valores estão lançados e não cobrados, a emissão da notificação de cobrança é efectuada de forma directa”. O mesmo é dizer que falta verificar se legalmente a dívida existe ou não. Assim, o que efectivamente está a acontecer é que os utentes são notificados em muitos casos para pagarem valores que não devem e o HF espera que estes se oponham à cobrança, caso contrário a mesma efectiva-se ainda que a dívida não exista legalmente. Uma outra fonte do POSTAL ligada ao sector da saúde revela que “a falta de dinheiro é que gera esta situação”. Acrescentando que “os valores são pedidos aos utentes e se estes nada fizerem é mais esse dinheiro que entra nos cofres do hospital ainda que a instituição não tivesse legalmente direito a tais valores”.

RECLAMAR É A MELHOR SOLUÇÃO Apesar de ser indigna a

cobrança de montantes que legalmente não são devidos

pelos utentes e de a situação configurar um abuso face aos utentes por parte da Administração do HF, a melhor solução passa mesmo por reclamar. Uma vez notificado verifique se no momento em que efectuou os tratamentos tinha ou não direito a isenção, em caso afirmativo oponha-se à cobrança e faça-o por escrito para que possa mais tarde provar a contestação da dívida. No caso do tratamento ter terminado há mais de três anos a situação repete-se, e também aqui se deverá opor à cobrança nos mesmos termos, desta vez alegando que a dívida já prescreveu, uma vez que a lei determina a prescrição ao fim de três anos passados sobre o fim do tratamento em causa. Certo é que o HF, apesar de Pedro Nunes sublinhar ser muitas vezes “difícil fazer o cruzamento de dados”, está a cobrar dinheiro aos utentes a que não tem direito legalmente, por isso resta às vítimas das dificuldades de cruzar os dados zelarem pela reposição da legalidade. pub

d. r.

d. r.

ÔÔ Pedro Nunes diz que lei obriga a que dívidas sejam recuperadas INVESTIMENTO DE 6,9 MILHÕES DE EUROS

Santa Bárbara de Nexe vai ter hotel de quatro estrelas A CÂMARA DE FARO APROVOU, na sua última reunião, a construção de um hotel de quatro estrelas na freguesia de Santa Bárbara de Nexe, num investimento previsto de 6,9 milhões de euros, informou fonte da autarquia. A Câmara de Faro anunciou ter ratificado, em reunião, o contrato entre a autarquia e a empresa RGM - Empreendimentos Turísticos e Desporto, que contempla a construção de uma unidade hoteleira no lugar da Palhagueira, Gorjões, na freguesia de Santa Bárbara de Nexe. “O projecto de arquitectura apresentado pela empresa prevê ainda, numa extensão de 13,4 hectares, a edificação de piscinas, lagos, campos de ténis e campo de golfe de nove buracos”, acrescenta a autarquia. Segundo um comunicado

d. r.

da câmara, “atento o cumprimento de todas as normas previstas no Plano Regional de Ordenamento do Território e no Plano Director Municipal de Faro, a câmara não podia deixar de deferir este projecto tão importante para a dinamização turística do concelho, em especial da sua área mais interior”. A nota da autarquia não menciona os prazos de realização do projecto.


pub

26 de Julho de 2013  |  7

MUNDITÁLIA

portimão

Importação e Exportação Lda

PORTAS • GRADES • AUTOMATISMOS • PARAFUSARIA E FIXAÇÃO • MOLAS TÉCNICAS • WPC Comercialização para profissionais directamente de fábrica Morada: Estação de Loulé, Passagem de Nível 6 A, 8100-306 Loulé  +351 289 356 580 •  +351 289 356 581 •  munditalia@sapo.pt

Terra Sã mostra agricultura biológica

d.r.

Portimão vai passar a ter mercado biológico semanal d.r.

Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

O PRIMEIRO TERRA SÃ ALGARVE DECORRE HOJE e amanhã

em Portimão e traz até à zona da antiga Lota de Portimão além de um mercado biológico, muito para descobrir sobre a agricultura biológica. Em declarações ao POSTAL a Agrobio-Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, que realiza o certame em colaboração com a câmara local, espera que esta primeira edição no Algarve reúna “cerca de 20 expositores”, metade daqueles que este que é o maior evento do género do país reúne normalmente nas edições que têm lugar em Lisboa e no Porto. “Seria um resultado positivo dado tratar-se da primeira edição, quando comparado com por exemplo a última edição realizada em Lisboa que contou com cerca de 15 mil visitantes”, refere a associação. Seguindo a lógica da preferência pelo consumo local dos produtos produzidos numa determinada região, o Jardim 1º de Dezembro, a Casa Manuel Teixeira Gomes e as imediações

de Verão realizada numa terra onde os veraneantes são parte importante do público-alvo.

PORTIMÃO PIONEIRO NOS MERCADOS BIOLÓGICOS DA AGROBIO Entre as novidades que a

ÔÔ Produtores regionais e nacionais vão dar a conhecer os seus produtos da antiga Lota de Portimão vão mostrar a agricultura biológica do Algarve, com destaque para o mercado biológico que terá lugar em ambos os dias do certame entre as 9 e as 14 horas.

ARRAIAL BIOLÓGICO Já hoje, sexta-feira, tem ainda lugar um seminário dedicado ao

tema “A Agricultura Biológica no Algarve”, e no sábado, serão várias as palestras a decorrerem entre as 14 e as 18 horas, onde serão debatidos a comercialização, o controlo e a certificação, a investigação e a produção em modo biológico, ao mesmo tempo que vai ser possível conhecer diferentes

João Vasconcelos é o candidato do Bloco a Portimão

projectos, nomeadamente ao nível do arroz biológico e das hortas comunitárias. Entre as 19 e as 24 horas, lugar para os arraiais biológicos, momento para degustar produtos frescos ao som de muita e boa música, uma vertente inovadora do certame que assim se adapta a esta edição

parceria entre a Agrobio e a autarquia de Portimão traz, está a realização semanal até ao final do ano de um mercado biológico no Jardim 1º de Dezembro. Entre as 9 e as 14 horas de todos os sábados, este será o destino para todos aqueles que queiram conhecer melhor os produtos hortícolas, os vinhos e as infusões de produtores algarvios, bem como, assistir a diferentes palestras e oficinas que constituem um motivo de interesse suplementar para os consumidores. A iniciativa, que terá carácter experimental durante este período, é uma réplica de diferentes mercados biológicos que a Agrobio vem apoiando no país e que, refere a associação, “têm sido sempre bem sucedidos, mantendo-se para além do período experimental”.

ÔÔ O professor João Vasconcelos é o candidato do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara de Portimão nas eleições autárquicas deste ano, cargo a que concorre pela segunda vez, anunciou o partido. “É uma candidatura para mudar Portimão, responder à emergência social e resgatar a democracia local”, afirmou João Vasconcelos, acrescentando que “o objectivo é pôr fim ao poder absoluto do Partido Socialista há 37 anos em Portimão”. Segundo João Vasconcelos, a candidatura “molda-se pela luta e pela esperança, como pela ruptura com o ‘status quo’ existente no concelho e, ao mesmo tempo, pretende contribuir para a derrota do Governo às ordens da ‘troika’. Lusa

PUB


8  |  26 de Julho de 2013

vila real castro marim alcoutim

FARM atrai milhares a Moncarapacho pág. 10

Luís Gomes renova aposta em Vila Real Candidato laranja reúne mais de mil apoiantes em comício Pedro Ruas/Ricardo Claro pedror.postal@gmail.com

LUÍS GOMES APRESENTOU RECENTEMENTE A RECANDIDATURA à Câmara de Vila Real de

Santo António, num jantar que encheu o Pavilhão Multiusos com mais de mil pessoas, naquele que terá sido “o maior comício alguma vez realizado no concelho”, disse o candidato. Depois de subirem ao palanque os candidatos às Juntas de Freguesia, seguidos de José Carlos Barros, actual vice-presidente e candidato a presidente da assembleia municipal, bem como Mendes Bota, foi a vez do actual presidente da autarquia vila-realense falar aos apoiantes. O candidato social-democrata começou por lembrar a obra realizada nos últimos oito anos em que esteve à frente da autarquia, mas as-

sumiu também as dificuldades pelas quais o executivo passou no último mandato, fruto do contexto económico nacional, e que “provocaram um rombo tremendo nas contas da autarquia”, visto “as receitas terem diminuído 50%, com perdas de receita esperada na ordem dos 40 milhões de euros”, explicou. Não obstante, e como resposta às vozes críticas que acusam a câmara de estar falida, Luís Gomes recordou o investimento realizado “superior a 85 milhões de euros em obras, em mais de 250 empreitadas e os 16 milhões em apoios sociais”, num concelho onde existem mais de “1.500 famílias apoiadas”. No mesmo sentido, o candidato acrescentou que o património da câmara “valia 30 milhões de euros e hoje vale 200 milhões”. O candidato apontou as

d. r.

ÔÔ Luís Gomes revela novos projectos para o concelho obras de requalificação na EN 125 e EN 122, no Bairro do Sertão, em Monte Gordo, e na Praia da Manta Rota como exemplo, sem esquecer o in-

EM CAUSA DUAS MUNÍCIPES QUE NÃO FORAM ASSISTIDAS

alertou na semana passada para a alegada “falta de cobertura” do INEM no Algarve, após uma munícipe com princípio de Acidente Vascular Cerebral (AVC) não ter recebido assistência. Luís Gomes disse à Lusa que este foi um dos dois casos que o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) não transportou no passado dia 12, sendo o outro o de uma mulher grávida que estava em Monte Gordo e precisava de ir ao Serviço de Urgência Básica da cidade. “São episódios que mexem com a vida das pessoas e não podem acontecer”, afirmou o autarca, considerando que o “pecado na origem destes problemas foi a centralização dos serviços do INEM em Lisboa”. Luís Gomes recordou que “há dois anos o INEM tinha uma es-

PROJECTOS DE FUTURO Apesar das assumidas dificuldades de tesouraria, Luís Gomes tem mais projectos em vista no sentido de desenvolver as infra-estruturas e o tecido económico do concelho. Para tal, afirma estar prestes a ini-

ciar um acordo, até ao final do Verão, para desenvolver a área empresarial do mar, na zona norte de Vila Real. Outras intervenções previstas passam pela requalificação da zona ribeirinha da cidade pombalina e, a partir de Outubro, a requalificação na praia de Monte Gordo. O candidato revelou também ter conseguido um financiamento de 28 milhões de euros, por parte do Banco Europeu de Investimento, para promover obras e infra-estruturas, nomeadamente na área do saneamento básico e anunciou, ainda, a assinatura de um protocolo com um grupo americano que vai investir em Vila Real “115 milhões euros”. Segundo Luís Gomes, a partir de Setembro entrará também em funcionamento uma clínica internacional e até ao final do ano um pólo de formação.

CRIAÇÃO DE EMPREGO E COMBATE AO DESPOVOAMENTO SÃO PRIORIDADES

Autarca de Vila Real critica cobertura do INEM d. r.

O PRESIDENTE DA CÂMARA DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

vestimento no parque pré-escolar e a política de valorização do património levada a cabo pelo executivo. No plano social Luís Go-

mes fez questão de referir a política de solidariedade e proximidade de “uma autarquia que tem sempre as portas abertas à população”. “Vamos mais além na área da saúde, porque para nós não há lei, não há tribunal de contas que justifique que deixemos de olhar para os problemas desta população”, afirmando não negar apoios “nos tratamentos, transportes, na doença, nos medicamentos ou nas consultas médicas a quem precisa, porque em Vila Real ninguém deixa de se tratar só porque não tem dinheiro”, concluiu.

ÔÔ INEM alvo de críticas trutura regional, com um director que dava a cara”, mas agora os serviços estão afastados da realidade local.

LUÍS GOMES QUESTIONA ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO O autarca deu

ainda como exemplo outro caso passado em Tavira, na freguesia serrana de Cachopo, onde “uma pessoa necessitou dos serviços do INEM” e a ambulância que “foi dar assistência teve como

Osvaldo Gonçalves é o candidato socialista a Alcoutim

origem Mértola”. “Por aí percebemos como vai a organização do serviço, porque foi de Mértola a Cachopo apanhar a pessoa e depois foi para Vila Real”, para o Serviço de Urgência Básica, afirmou, frisando que este é “um grito de alerta para situações que não podem acontecer na saúde”. O INEM “diz que a cobertura no Algarve está acima do resto do país, mas não consigo aferir esse dados”, disse o autarca, questionado sobre o que considera faltar para o serviço ter capacidade de resposta. Luís Gomes disse esperar que estes casos sirvam de lição para não se registarem outras situações idênticas, sobretudo num período em que o Algarve está com muitos visitantes e em que incidentes deste tipo podem “trazer graves prejuízos para a principal região turística do país”. Lusa

A CRIAÇÃO DE EMPREGO, a

aposta na cinegética e a tentativa de travar o despovoamento são algumas das prioridades de Osvaldo Gonçalves, o candidato do PS à Câmara de Alcoutim, disse o próprio à Lusa. O candidato, bancário, de 45 anos, é vereador sem pelouros atribuídos naquela autarquia desde 2009 e vai defrontar nas eleições deste ano o vice-presidente, José Carlos Pereira (PSD). Alcoutim é um dos concelhos mais desertificados do país e a autarquia - liderada há vinte anos pelo PSD -, concluiu o ano de 2012 sem dívidas.

DUAS DÉCADAS DE LIDERANÇA PSD É TEMPO A MAIS Em de-

clarações à Lusa, o candidato socialista a Alcoutim disse considerar que um dos maiores problemas do concelho é o facto de a autarquia estar há

duas décadas sob liderança social-democrata, defendendo que é “tempo a mais”. As suas prioridades são a criação de emprego, a aposta na indústria florestal e na caça e a tentativa de atrair mais habitantes para o concelho, sobretudo jovens, que têm abandonado Alcoutim para trabalhar. “Não há muita gente desempregada no concelho porque as pessoas se foram embora e deixaram de fazer parte dos cadernos eleitorais”, argumentou Osvaldo Gonçalves, que quer atrair mais população. Natural e residente no concelho, o socialista quer ainda apostar nos dois maiores recursos do concelho, a floresta, que pode ser explorada para o comércio de madeiras, e a cinegética, sectores que considera não estarem a ser valorizados.

d. r.

ÔÔ Osvaldo Gonçalves Osvaldo Gonçalves referiu, também, que o concelho “não pode continuar a trabalhar de costas voltadas” para as freguesias, defendendo a criação de acções concertadas entre os vários organismos autárquicos. “Temos potencial e identidade local para lançar uma estratégia concertada que valorize sectores que não estão a ser muito explorados”, concluiu. Lusa


pub

26 de Julho de 2013  |  9

tavira

Rua de Santo António, n.º 68 - 5º Esq. 8000 - 283 Faro Telef.: 289 820 850 | Fax: 289 878 342 dbf@advogados.com.pt | www.advogados.com.pt

Agricultura, Caça e Artesanato e muita música FACARTE leva milhares à Conceição de Tavira d.r.

Pedro Ruas pedro.postal@gmail.com

A FACARTE, FEIRA DE AGRICULTURA, CAÇA E ARTESANATO,

marca uma vez mais o calendário das festas na Conceição de Tavira e abre portas à 19.ª edição nos dias 2, 3 e 4 de Agosto. Ao POSTAL, José Vitorino, presidente da Junta de Freguesia, mostra-se satisfeito com a preparação do evento que já tem “estatuto e espaço próprio”, visto ser já “muito conhecido a nível regional”. Sobre a expectativa quanto ao número de visitantes, o autarca considera ser “possível superar as 18 mil pessoas” que marcaram pre-

25 MIL EUROS INVESTIDOS Com

a um desfile de cães de caça e, claro, muita música. Na sexta-feira há música de baile às 22.30 com o Grupo + 2, antes da actuação de Mónica Sintra marcada para as 00.30 horas. No sábado, à mesma hora, o baile fica a cargo de Carlos Neves Trio, a que se segue Rute Marlene. No domingo são os Compact 2 a dar início à animação musical, cujo encerramento cabe à dupla Luís Guilherme e Carlos Granito. Finda a festa há fogo-de-artifício e um até para o ano. A não perder um fim-de-semana que promete ser de festa, onde a entrada é livre e a animação é mesmo uma garantia.

AUTÁRQUICAS

Bruno Romeira recebe prémio de melhor tese de doutoramento sentou a sua tese de doutoramento na Universidade do Algarve, no passado mês de Novembro, foi galardoado com o prémio de Melhor Tese de Doutoramento em Ótica e Fotónica, em Portugal. O prémio será entregue na sessão de encerramento da conferência “VIII Iberoamerican Optics Meeting and XI Latinamerican Meeting on Optics, Lasers and Applications”, que decorre durante esta semana, na Universidade do Porto. O trabalho vencedor, sobre o tema “Dynamics of resonant tunneling diode optoelectronic oscillators”, foi o resultado de uma colaboração internacional, que envolveu as universidades do Algarve, Glasgow (Reino Unido) e Sevilha (Espanha). Bruno Romeira, com 30 anos, natural de Luz de Tavira

um investimento a rondar os 25 mil euros, a feira conta com um total de 95 expositores e 80 stands maioritariamente ligados à temática da feira, mas há ainda lugar para as tradicionais tasquinhas de comes e bebes e um espaço dedicado aos mais novos onde não vai faltar animação. O certame abre portas todos os dias às 19 horas e conta com actividades que passam da animação de rua,

ÔÔ Mónica Sintra é uma das grandes atracções da feira

CIÊNCIA

BRUNO ROMEIRA , que apre-

sença na FACARTE do ano anterior, uma vez que sendo uma feira de entrada livre, apresenta, ainda assim, “um cartaz com nomes bastante conhecidos no panorama musical nacional”.

d.r.

Carlos Santos candidata-se à União de Freguesias de Tavira A CANDIDATURA À PRESIDÊNCIA DA JUNTA DE FREGUESIA DA UNIÃO DE FREGUESIAS DE TAVIRA (Santa Maria e Santia-

(Amaro Gonçalves), é agora investigador de pós-doutoramento na Universidade do Algarve, bem como investigador-visitante da Universidade de Otava, no Canadá. Este novo prémio, de periodicidade anual, é uma das iniciativas da Sociedade Portuguesa de Óptica e Fotónica (SPOF), cujos objectivos são a promoção da óptica nas vertentes de investigação científica e tecnológica, bem como a formação e educação em óptica pura, aplicada e fotónica.

go) do independente Carlos Santos juntou cerca de 200 apoiantes no lançamento público do movimento de cidadãos M.T. Mais Tavira. O ex-candidato do PS à Junta de Freguesia de Santa Maria opta agora por ir às

urnas como independente apoiado nos bons resultados obtidos na candidatura anterior e numa equipa que diz ser “fiável, credível e acima de tudo apostada em lutar pelos fregueses, longe das limitações impostas pelas regras da política partidária”. “Temos ideias e convicções fortes, conhecemos o terreno e os cidadãos e as suas necessi-

d.r.

dades e respondemos somente perante o eleitorado”, refere o candidato, que aceita que o recente crescimento dos movimentos de cidadania também está entre as razões de ser desta candidatura independente. A luta será renhida daqui até finais de Setembro, altura em que os tavirenses irão às urnas escolher os seus líderes para as Juntas de Freguesia.

ÔÔ Carlos Santos

“PROCISSÕES, ROMARIAS E TRADIÇÕES DE TAVIRA” LANÇADO NA FEIRA DO LIVRO

Rui Salvé-Rainha e Délio Lopes desvendam passado da cidade do Gilão RUI SALVÉ-RAINHA E DÉLIO LOPES apresentaram no passa-

do sábado, na Feira do Livro de Tavira, o livro “Procissões, Romarias e Tradições de Tavira”. Segundo as palavras dos autores, a obra “deambula sobre o grandioso passado

da cidade de Tavira, divulgando como a ‘Cidade das Igrejas’, revela ainda hoje uma identidade religiosa-cultural, com acentuadas características locais, como é o caso das manifestações do período Quaresmal, encerrando ain-

da verdadeiros tesouros nos seus Templos, muito embora permaneça uma pálida reminiscência do seu glorioso passado de tradições religiosas”. Grande parte dos textos foram meticulosamente adaptados do legado deixado pelo

historiador local, Damião Augusto de Brito Vasconcelos, o qual, conforme referem os autores, “descreveu como ninguém, as festas e as tradições da sua querida Tavira” na coluna literária que publicava no jornal Povo Algarvio.


10  |  26 de Julho de 2013

olhão

Câmara de Albufeira paga três milhões para enterrar alta tensão pág. 13

FARM atrai milhares a Moncarapacho

CDU quer Sebastião Coelho na Câmara

Artesanato, gastronomia e muita música abrem Agosto d. r.

Pedro Ruas/Ricardo Claro pedror.postal@gmail.com

A XXIII EDIÇÃO DA FEIRA DE ARTESANATO, AGRICULTURA E RECREIO DE MONCARAPACHO (FARM) tem início na quinta-feira, dia 1, e prolonga-se até dia 4 de Agosto. O certame, de grande tradição no concelho, decorre na Escola Dr. António João Eusébio e mostra o que de melhor se faz, na região e no resto do país, ao nível do artesanato, da gastronomia e da doçaria regional. Num total de cem expositores de todo o país, a divulgação e promoção destes mesteres tem o objectivo de não deixar morrer os usos, costumes e tradições portuguesas, ao mesmo tempo que oferece as mais diversas actividades de carácter lúdico que, decerto, prometem entreter os muitos visitantes esperados.

A ARTE DE MANEJAR MOTOSSERRAS Se na edição do ano

passado foram as esculturas de areia que fizeram as delícias dos visitantes, o destaque da FARM 2013 vai para outra forma de arte que desafia o imaginário.

ÔÔ Feira mostra o que de melhor se faz na região e no país Um artista convidado que faz das motosserras as suas mãos e esculpe de forma invulgar, transformando troncos de madeira em magníficas obras de arte feitas ao vivo. Mas nem só a arte de manejar a motosserra é novidade, e na XXIII edição da FARM há lugar para uma quinta biológica, com as mais diversas árvores de fruto, legumes, vegetais, especiarias e

animais que farão as delícias dos mais pequenos, ao mesmo tempo que representam uma das mais tradicionais formas de subsistência da região e do país. A feira, que abre portas às 19 horas de quinta e sexta-feira e às 18 horas no fim-de-semana, tem nas habituais tasquinhas um local privilegiado para sentir aromas e sabores tradicionais, quer nos mais típicos pratos,

como na mais apetitosa doçaria regional. Mas há mais e, pelo terceiro ano consecutivo, é possível visitar o Espaço Alengarb – Sabores e Temperos do Sul, onde há lugar para provas de vinhos de quintas algarvias, bem como degustações de azeite, mel e doces da região.

DESPORTO E MUITA MÚSICA COMPLETAM CARTAZ Como

sempre acontece na FARM, o desporto e, principalmente, a música são ingredientes essenciais numa festa que atrai milhares de pessoas a Moncarapacho. Na quinta-feira, dia 1, a noite começa com a elegância da ginástica acrobática, marcada para as 20 horas. Ao palco sobem os Al-Y-But, que antecedem Diogo Piçarra. Pela madrugada é a vez do dj Zoone garantir a diversão musical. No dia 2 é a vez do futsal numa disputa saudável entre atletas veteranos. Na música, cabe à Banda Gerações pôr os visitantes a dançar, antes do cabeça-de-cartaz, José Malhoa. No sábado, dia 3, há a disciplina e concentração de uma gala de artes marciais, antes de Inês Graça Rodrigo proporcionar uma grande noite de fado. Para o último dia está marcado mais um jogo de futsal de iniciados, seguido do XXVIII Festival Internacional de Folclore. Por fim, o preço dos bilhetes é de 3.5 euros/dia e o passe dos quatro dias custa dez euros.

EDUCAÇÃO

Jovens algarvios representam região no Parlamento A EDIÇÃO DE 2013 DO PARLAMENTO DOS JOVENS – Sessão

Nacional Básico, apresentou como tema “Ultrapassar a Crise” e sete escolas do Algarve marcaram presença, entre as quais a Escola Básica 2/3 Professora Paula Nogueira de Olhão. Numa fase inicial as escolas inscritas elegeram os seus representantes (deputados), bem como os temas do Projecto de Recomendação a serem aprovadas nos diversos círculos eleitorais em sessões

distritais. No caso algarvio, após o debate regional dos Projectos de Recomendação, os alunos escolheram os deputados que participariam na Sessão Nacional. Assim, Beatriz Moreno, Pedro Silvestre, Inês Nunes e Magda Grade foram eleitos para representar o círculo de Faro. Entre as medidas apresentadas na sessão distrital, foi decidido levar à Assembleia da República (AR) quatro medidas relativas à redução da

despesa do Estado, aposta no empreendedorismo, incentivo ao investimento e promoção da produção nacional. No Parlamento foram debatidos os projectos de recomendação aprovados nos diversos círculos, sob orientação dos deputados da AR em representação dos grupos parlamentares. No segundo dia de trabalhos, após a abertura solene do plenário, deu-se o debate da recomendação à Assembleia da República, onde foram es-

d. r.

ÔÔ Alunos apresentaram medidas para reduzir despesa do Estado colhidas dez das vinte medidas finais apresentadas pelos

jovens deputados (alunos) dos diferentes círculos eleitorais.

ÔÔ O candidato da CDU à Câmara de Olhão, Sebastião Coelho, assumiu como prioridades o combate ao desemprego e a revitalização da Ria Formosa, no sentido de dinamizar a economia do concelho. “O desemprego e a Ria Formosa, como pólo de sustentabilidade da economia do concelho, são problemas que precisam de medidas imediatas, como o desassoreamento e as descargas poluentes, de forma a manter este grande pólo dinamizador”, disse à Lusa o candidato comunista à Câmara de Olhão. Sebastião Coelho, de 62 anos, antigo inspector tributário, volta a encabeçar a lista da CDU, depois de o ter feito em 1998, altura em que foi eleito vereador por aquela força política. Lusa

Bloco candidata Ivo Madeira à Câmara ÔÔ Revitalizar a economia e o combate ao desemprego e à exclusão social em Olhão são os principais pontos da agenda da candidatura de Ivo Madeira à presidência da câmara da cidade pelo Bloco de Esquerda (BE). “Olhão está em pré-falência devido às políticas seguidas nos últimos anos, e é necessário inverter a tendência para evitar que a situação do município se agrave mais”, disse à Lusa o candidato independente e cabeça-de-lista do BE. Ivo Madeira reconheceu que tem “pela frente uma tarefa difícil, numa altura em que o país atravessa grandes dificuldades financeiras, com a degradação das condições sociais”. Para o candidato, as prioridades passam por combater o desemprego e a exclusão social, “com medidas viradas para a população, tal como compete às autarquias locais”. Lusa


26 de Julho de 2013  |  11

são brás loulé

Monchique quer Unidade de Formação de Bombeiros pág. 14

Loulé abre candidaturas para residências de artistas

Grupo folclórico de Alte comemora 75 anos d.r.

Artistas vão desenvolver projectos durante duas semanas em zonas específicas d.r.

O CECAL - CENTRO DE EXPERIMENTAÇÃO E CRIAÇÃO ARTÍSTICA DE LOULÉ, estrutura cultu-

ral multidisciplinar localizada no Parque Municipal de Loulé, vai promover uma Residência Internacional de Artistas, entre os dias 15 e 31 de Agosto. Integradas no âmbito da Arte Pública Efémera, na cidade de Loulé, com o tema “Linha de Luz”, as residências a concurso destinam-se a artistas nacionais e internacionais. Durante as duas semanas de duração das residências, os artistas seleccionados irão desenvolver os seus projectos em zonas específicas, pré-determinadas pelos responsáveis da Divisão de Cultura da Autarquia e pelos tutores do projecto. A iniciativa tem como objectivos criar um espaço de reflexão capaz de ser propício ao desenvolvimento de trabalho artístico, produzir um contexto de trabalho site specific e contribuir para a criação artística em geral e, em particular, proporcionar qualitativamente um ambiente culturalmente

ÔÔ Iniciativa pretende proporcionar um ambiente culturalmente dinâmico no concelho de Loulé dinâmico no concelho de Loulé e na Região do Algarve. Por outro lado, pretende-se disponibilizar e cruzar o conhecimento gerado na Licenciatura de Artes Visuais, do Centro de Investigação em Artes e Comunicação, Universidade do Algarve, com outros protagonistas da arte contemporânea e da comunidade local, dando oportunidade aos

artistas de criarem novas obras e de partilhar/cruzar ideias e eventualmente trabalharem em colaboração.

PROJECTOS ACOMPANHADOS POR OUTROS ARTISTAS Os pro-

jectos serão acompanhados pelos artistas Xana, Pedro Cabral Santo, Rui Sanches, Tiago Batista e Susana de Medeiros, docentes do Curso de

Artes Visuais da Universidade do Algarve. Os candidatos terão apoio criativo, de acompanhamento e técnico durante o trabalho e devem aceitar trabalhar com recursos materiais limitados e estar interessados numa abordagem relacional com o espaço. Devem ainda estar disponíveis para permanecer em residência a tempo

inteiro, durante o período em que se realiza o evento e autorizar a publicação de documentação sobre o seu trabalho nos materiais publicados pela organização. Por outro lado, devem desenvolver um processo criativo autossuficiente e dentro do tema proposto. O júri do concurso que fará a selecção dos candidatos é constituído por dois docentes da licenciatura em Artes Visuais e um representante da Câmara de Loulé. O concurso para estas residências decorre até ao final do corrente mês e os interessados devem enviar o currículo actualizado, portfólio e carta de motivação que inclua uma breve descrição de ideias a serem desenvolvidas durante a residência, em português e inglês. O preço da residência é 50 euros. As candidaturas podem ser enviadas para o e-mail dcm@ cm-loule.pt ou para o endereço Divisão de Cultura e Turismo, Rua Vice Almirante Cândido dos Reis, nº 36, 8100 Loulé.

PS DÁ A CONHECER LISTAS PARA AS AUTÁRQUICAS

Vítor Aleixo apresenta candidatura à Câmara de Loulé d.r.

O CINE-TEATRO LOULETANO foi

palco da apresentação dos candidatos do Partido Socialista às Juntas de Freguesia, presidência da Assembleia Municipal e Câmara Municipal de Loulé. A cerimónia iniciou-se com um momento cultural, contado com as actuações de artistas do concelho, das áreas da dança, teatro e música, diferenciando-se do cariz das tradicionais apresentações políticas. Salienta-se a participação de Dino d’Santiago que interpretou dois dos seus temas e usou da palavra como

mandatário da Juventude da candidatura de Vítor Aleixo para reforçar o seu apoio ao candidato. Os discursos de Víctor Faria (presidente do PS Loulé) e de António Eusébio (presidente do PS Algarve) deram início ao momento político da noite, no qual foram apresentados os mais de 60 nomes que constituem a Comissão de Honra da Candidatura, representada pelas intervenções de João Cravinho e da escritora Lídia Jorge, presidente desta mesma Comissão.

ADRIANO PIMPÃO É CANDIDATO À ASSEMBLEIA MUNICIPAL Pos-

teriormente foram chamados ao palco os nove candidatos à presidência das Juntas de Freguesia do concelho de Loulé, sendo eles: Joaquim Pinto (Almancil); António Martins (Alte); Abílio Sousa (Ameixial); Carlos Miguel (Boliqueime); Telmo Pinto (Quarteira); Henrique Ramos (Salir); Carlos Filipe (S. Clemente); João Justo (S. Sebastião) e Bruno Nobre (União de Freguesias de Querença, Tôr e Benafim).

Seguiu-se a apresentação dos candidatos à vereação: Hugo Nunes; Ana Isabel Machado; Pedro Oliveira; João Martins; Piedade Carrasquinho; Carlos Carmo; Abílio Sousa e Amélia Matos Lima. A noite terminou com o discurso do candidato a presidente da Assembleia Municipal de Loulé, Adriano Pimpão, e com a tão aguardada intervenção do candidato à presidência da Câmara de Loulé, Vítor Aleixo, que tem como lema “Ninguém ficará para trás!” O acontecimento ficou

ÔÔ Vítor Aleixo, candidato do PS marcado pela multidão que se mobilizou para poder estar presente no Cine-Teatro Louletano.

ÔÔ A exposição “75 anos do Grupo Folclórico da Casa do Povo de Alte” está patente no Pólo Museológico Cândido Guerreiro e Condes de Alte. A Câmara de Loulé associa-se a estas comemorações com a organização da exposição, como forma de felicitar o Grupo Folclórico da Casa do Povo de Alte pela sua acção em prol do património imaterial do concelho e da projecção das raízes culturais louletanas além-fronteiras. Nesta exposição cruzam-se objectos, fotografias, sentimentos que contam um pouco da história dos 75 anos do Folclore de Alte. É um grupo de Alte, para Alte e para dar a conhecer Alte e o concelho de Loulé. É um grupo família, onde se cruzam gerações de altenses, onde as tradições vão sendo transmitidas de pais para filhos, onde o prazer pela música vai sendo incutido aos mais novos, onde o nome da aldeia de Alte soa maior por representar o concelho de Loulé pelo país e pelo mundo fora. As tradições de expressão artístico-cultural no interior do concelho de Loulé, nas vertentes dança e canto, têm vindo a ser mantidas e divulgadas pelo Grupo Folclórico da Casa do Povo de Alte. Fundado a 4 de Outubro de 1938, este grupo tem sido o defensor da cultura identitária da freguesia de Alte, através da divulgação dos trajos, das músicas, das danças e dos cantares tradicionais.


12  |  26 de Julho de 2013

pub

pub

pub

pub


26 de Julho de 2013  |  13

pub

albufeira Câmara paga três milhões para enterrar alta tensão Urbanização dos Caliços livre de cabos com 60 quilovolts d.r.

A OBRA DE ENTERRAMENTO DAS LINHAS DE ALTA TENSÃO que ligam à Subestação de Albufeira já se encontra concluída. Os trabalhos, que tiveram início em 2010, resultaram do protocolo firmado entre o município de Albufeira e a EDP com vista à passagem das linhas aéreas de 60 quilovolts a subterrâneas, numa extensão de aproximadamente 1.600 metros, deixando estas de ser conduzidas à subestação de forma aérea, na zona da Urbanização dos Caliços. O projecto, que envolveu um investimento por parte da autarquia na ordem dos três milhões de euros, esteve a decorrer faseadamente, por forma a aproveitar os trabalhos de Requalificação da Estrada Nacional 395, entre o Beco da Cocheira e o Acesso ao Centro de Saúde, e as obras de terraplanagem do prolongamento da rua Paul Harris, entre o Centro de Saúde e a rotunda existente a nascente. A última fase da obra decorreu durante o mês de Junho, com a desmontagem dos condutores da linha LN60 0052 Albufeira – Armação de Pêra.

Real Marina Hotel & Spa ÔÔ Enterrados cerca de 1.600 metros de linhas de alta tensão

DIMINUIÇÃO DE RISCOS PARA A SAÚDE O presidente da Câ-

mara de Albufeira, José Carlos Rolo, salienta que está muito satisfeito com a conclusão dos trabalhos, “não só por significarem uma melhoria substancial das condições de fornecimento de energia ao concelho, mas também pela mais-valia conseguida ao nível do impacto paisagístico”. O vereador do pelouro das Acessibilidades e Energia,

Carlos Quintino, refere que “do ponto de vista da diminuição dos possíveis riscos para a saúde da população, e mesmo com a Organização Mundial de Saúde a afirmar que os estudos científicos existentes não comprovam os perigos dos campos electromagnéticos gerados pelos cabos de alta tensão, é importante a autarquia poder garantir a tranquilidade da população nesta matéria, e isso foi agora conseguido”. pub

FAZEMOS TODO O TIPO DE TRABALHOS TOPOGRÁFICOS à Levantamentos Topográficos à Medições de Áreas à Implantação de Edifícios à Implantação de Urbanizações à Cálculos de Volumes de Terras à Executam-se trabalhos com GPS tel 281 325 647 • fax 281 325 781 • tlm 917 811 380 • topogarve@mail.telepac.pt Praceta Baltazar G. Lobato, 4-A (em frente às Escolas Primárias da Estação da CP) 8800-743 Tavira

Criamos momentos únicos para si Real Marina Hotel & Spa - Olhão Info e reservas Spa: 289 091 310 - spa @realmarina.com


14  |  26 de Julho de 2013 pub

lagoa silves monchique

ZZZ pág. ##

Infra-estrutura será instalada no futuro Centro de Recursos e Protecção Civil d.r.

Pedro Ruas/Ricardo Claro pedror.postal@gmail.com

A PRETENSÃO DE CRIAR uma

CÂMARA MUNICIPAL

AVISO José Manuel Velhinho Amarelinho, Presidente da Câmara Municipal de Aljezur: Torna público, em cumprimento do disposto no n.º 5 do art.º 7.º do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de dezembro, com a nova redacção dada pelo Decreto-Lei n.º 26/2010, de 30 de março, e nos termos do n.º4 do art.º 77.º do Decreto-Lei n.º 380/99, de 22 de setembro, com a redação que lhe foi dada pelo Decreto-Lei n.º 46/2009, de 20 de fevereiro, conforme deliberação camarária de 26 de março de 2013, que se encontra em discussão pública, com início oito dias após a publicação deste aviso na 2.ª série do Diário da República, e pelo período de quinze dias, o pedido de licenciamento de operação de loteamento em que são requerentes a Junta de Freguesia de Rogil, contribuinte n.º 506686426, Maria Irene Narciso Tavares, contribuinte n.º 114023867, Zelinda Clementina Narciso Valente da Rocha, contribuinte n.º 105540285, Francisco Maria Libânio, contribuinte n.º 141637846, Irene de Jesus Camilo, contribuinte n.º 199298548, João Maria Libânio, contribuinte n.º 100610595, José João, contribuinte n.º 131286277, Manuel João, contribuinte n.º 112887724, Maria Aurora de Jesus Felizardo, contribuinte n.º 120958856, Maria de Lurdes de Jesus, contribuinte n.º 188860185, Maria Alice Libânio Nogueira, contribuinte n.º 264767470, José da Silva Brito, contribuinte n.º 102360774 e Eduardo Libânio da Silva Brito, contribuinte n.º 104951214.

Monchique quer Unidade de Formação de Bombeiros Unidade de Formação da Escola Nacional de Bombeiros é a mais recente aposta de Rui André, presidente da Câmara de Monchique. Para tal decorreu, na sexta-feira da passada semana, uma reunião entre o executivo e os presidentes da Escola Nacional de Bombeiros, da Federação dos Bombeiros do Algarve e o comandante distrital de Protecção Civil, no sentido de encetar uma parceria que é, apenas, mais uma fase de um projecto ambicioso para o concelho e para a região. A pretensão da criação desta nova unidade prende-se com a necessidade de dar resposta à formação de bombeiros em toda a região algarvia, mas também no Baixo Alentejo, e está previsto que, num futuro próximo, possa acolher outra formação especializada em áreas sensíveis do território serrano, assim como local de formação resultante de outras parcerias com as mais diversas entidades. A unidade de formação estará, tal como Rui André antecipou ao POSTAL, associada

MUNICÍPIO DE ALJEZUR

ZZZ pág. ##

militares e outros, bem como para albergar pessoas e bens em situação de catástrofe ou incêndio.

O prédio no qual incide a operação situa-se em Rogil, freguesia de Rogil e concelho de Aljezur, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 51 da Secção O e descrito na Conservatória do Registo Predial de Aljezur sob o n.º 5893/19951228. O projeto de loteamento, acompanhado das respetivas informações técnicas, encontra-se disponível para consulta no Departamento Técnico de Obras e Urbanismo desta Câmara Municipal de Aljezur, e na Junta de Freguesia de Rogil, durante o horário de expediente, das 9:00 horas às 15:30 horas. Qualquer reclamação, observação ou sugestão, deverá ser dirigida ao Presidente da Câmara e apresentada no Departamento Técnico de Obras e Urbanismo desta Câmara Municipal. Aljezur, 6 de junho de 2013 O Presidente da Câmara,

CENTRO DE RECURSOS COMO PÓLO DE INVESTIGAÇÃO Segun-

ÔÔ Rui André, presidente da Câmara de Monchique ao novo Centro de Recursos e Protecção Civil de Monchique, local cujas obras arrancam no decurso deste Verão, onde vão ser “instaladas várias valências”, entre as quais o novo heliporto, com capacidade para helicópteros pesados e de passageiros. Sobre a utilização do heliporto Rui André pretende que esta seja partilhada, podendo o mesmo ser “aproveitado por empresas priva-

das de voos turísticos que se queiram sediar no concelho, mas também possa vir a ser base de operações da Força Aérea Portuguesa”, adiantou o autarca. Além das valências da infra-estrutura acima descritas e da componente operacional de protecção civil e do Centro de Defesa da Floresta Contra Incêndios, está ainda em estudo a possibilidade de criar locais para alojamento e pernoita de

Assine o

do Rui André, a importância deste projecto prende-se com dois pilares fundamentais e que passam pela defesa do território e necessidade de o rentabilizar em termos económicos. As características físicas da região, dada a vasta área florestal e a particularidade em termos de risco de incêndios, fazem deste projecto uma aposta prioritária da câmara e constitui, segundo o edil, “muito mais que uma resposta a uma necessidade”, antecipando tornar o novo Centro de Recursos de Protecção Civil de Monchique num novo pólo para que técnicos e especialistas possam fazer da infra-estrutura um local de intervenção, estudo e aperfeiçoamento em matéria de incêndios. Neste âmbito, o município de Monchique assinou recentemente um protocolo com a Universidade do Porto, tendo em vista criar no local um palco de investigação científica sobre estas matérias.

José Manuel Velhinho Amarelinho (POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013) pub

Cartório Notarial em Tavira Bruno Filipe Torres Marcos Notário

Extrato de Escritura de Justificação CERTIFICO, para efeitos de publicação, nos termos do artigo 100.º do Código do Notariado que, por escritura pública de Justificação outorgada em vinte e três de Julho de dois mil e treze, exarada a folhas setenta e um e seguintes do Livro de notas para escrituras diversas número Trinta e oito – A, do Cartório Notarial em Tavira, do Notário privado Bruno Filipe Torres Marcos, sito na Rua da Silva, n.º 17-A, freguesia de Tavira (Santa Maria): - José Zacarias Vicente, solteiro, maior, natural da freguesia de Cachopo, concelho de Tavira, onde reside na Rua das Oliveiras, n.º 13, 8900-014 Cachopo, contribuinte fiscal número 170254240, declarou: - Que é dono e legítimo possuidor, com exclusão de outrem, do prédio rústico composto por terra de cultura com árvores, com a área de dois mil quinhentos e vinte metros quadrados, sito em “Jogo da Bola”, freguesia de Cachopo, concelho de Tavira, que confronta do Norte com casas de Aníbal Fernandes, a sul com o Ribeiro de Cachopo e a Nascente e Poente com caminho público, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 19028, com o valor patrimonial tributário de 137,94 €, igual ao atribuído, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Tavira; - Que este prédio, veio à sua posse, em data imprecisa do ano de mil novecentos e oitenta e três, por compra meramente verbal feita a Maria Natividade Ferro Santos Amén e marido Vitalino Augusto dos Santos Amén, já falecidos, residentes que foram na Rua da Eira, n.º 105, 1.º esquerdo, em Algés, nunca chegando a outorgar a respectiva escritura, não tendo deste modo título que lhe permita fazer o registo do prédio em seu nome. - Que, porém, há mais de vinte anos, de forma pública, pacífica, contínua e de boa fé, ou seja, com o conhecimento de toda a gente, sem violência nem oposição de ninguém, reiterada e ininterruptamente, na convicção de não lesar quaisquer direitos de outrem e ainda convencido de ser titular do respectivo direito de propriedade e assim o julgando as demais pessoas, tem possuído aquele prédio – semeando a terra, tratando das culturas, colhendo os respectivos frutos, amanhando e limpando a terra, tratando das árvores, e dele retirando os respectivos rendimentos – pelo que, tendo em consideração as referidas características de tal posse, adquiriu o referido prédio por USUCAPIÃO, o que invoca. Tavira, 23 de Julho de 2013. O Notário, Bruno Filipe Torres Marcos Conta registada sob o n.º 2/1332/2013 (POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013)

Envie este cupão para:

POSTAL DO ALGARVE - Rua Dr. Silvestre Falcão, nº 13 C, 8800-412 Tavira

(50 Edições) Portugal 30 ¤ I Europa 50 ¤ I Resto Do Mundo 80 ¤

NOME __________________________________________________________________________________________________________________________ MORADA __________________________________________________________________________________________ NIF

  

TEL   

 

DATA DE NASCIMENTO _______ ⁄ ________ ⁄ ____________

CÓD. POSTAL _________ - _____ — ________________________________________________

EMAIL _______________________________________________________ PROFISSÃO ________________________________

AUTORIZAÇÃO DE PAGAMENTO - por débito na conta abaixo indicada, queiram proceder, até nova comunicação, aos pagamentos das subscrições que vos forem apresentadas pelo editor do jornal POSTAL do ALGARVE. Esta assinatura renova-se automaticamente. Qualquer alteração deverá ser-nos comunicada com uma antecedência mínima de 30 dias.

30 ¤

NIB

Assine através de TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA

BANCO _______________________________________________________________________________________________

   

NOME DO TITULAR __________________________________________________________________________

35 ¤ 

BALCÃO ______________________________________________

_______________________________________________________________________________ ASSINATURA IDÊNTICA À CONSTANTE NA FICHA DO BANCO DO TITULAR DA CONTA.

Assine através de DINHEIRO, CHEQUE ou VALE POSTAL, à ordem de Postal do Algarve.

NOTA: Os dados recolhidos são processados automaticamente e destinam-se à gestão da sua assinatura e apresentação de novas propostas. O seu fornecimento é facultativo. Nos termos da lei é garantido ao cliente o direito de acesso aos seus dados e respectiva actualização. Caso não pretenda receber outras propostas comerciais, assinale aqui.


26 de Julho de 2013  |  15

lagos vila do bispo aljezur

Região tem 18,6% das farmácias em dificuldades pág. 17

Farol da Ponta da Piedade cumpre um século de serviço Última oportunidade para visitar exposição única tem lugar na próxima quarta-feira d.r.

Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

da Piedade tem um alcance luminoso de 20 milhas náuticas (cerca de 37 quilómetros) em condições médias de visibilidade e faz-se notar com um relâmpago simples de luz branca a cada sete segundos. O feixe brilhante é garantido desde 1952 pela electricidade da rede pública de abastecimen-

da exposição que fecha portas na próxima quarta-feira existem várias razões para uma visita à Ponta da Piedade. Desde logo a possibilidade de ver, além da exposição, por dentro um farol e o seu mecanismo de funcionamento, bem como, os edifícios anexos à torre onde durante décadas os faroleiros asseguraram o funcionamento destes guias dos mares. A isto soma-se o local que oferece uma das vistas mais deslumbrantes do concelho de Lagos, quer se esteja no cima da torre faroleira, quer se esteja na

envolvente do edifício. Mais abaixo, depois da descida pelas escadas esculpidas na rocha, o visitante ganha uma visão de rara beleza das grutas talhadas na parede continental pela força imparável do oceano. Este é um dos mais belos locais do Algarve e é absolutamente imperdível. A estrada de acesso à Ponta da Piedade tem também pontos de interesse. Em toda a extensão da via estão distribuídos pequenos marcos que se reportam à Via Sacra e que retratam o caminho feito pelo messias desde o Pretório até ao Calvário. Se quiser completar o deslumbre, a partir da Marina de Lagos há barcos que o levam por mar até à Ponta da Piedade com passagem pelas grutas da orla costeira e que proporcionam uma experiência memorável. Razões não faltam para momentos raros numa visita à Ponta da Piedade no próximo dia 31, seja por terra ou por mar.

co e estruturante são pilares de uma política que pretende aproveitar os recursos naturais como oportunidades de negócio. A bienal do próximo ano, fruto da indispensável cooperação com a Vicentina – Associação para o Desenvolvimento do Sudoeste, a Associação In Loco e a Associação Terras do Baixo Guadiana, “está prevista para o mês de Maio e tem um custo total a rondar os 350 mil euros, co-financiado em 90% pelo PRODER”, revelou ao POSTAL Pedro Ornelas, presidente da direcção da Vicentina e coordenador da equipa técnica

responsável pelo evento. Sobre o certame, o responsável diz ser “uma feira profissional para agentes turísticos vocacionados nesta área, para que estejam presentes, conheçam o local e possam fazer negócio na região”. A feira vai ocorrer no Pavilhão Multiusos de Aljezur, mas também há diversas actividades previstas, como workshops, visitas e passeios, ou observações de aves, a terem lugar um pouco por todo o concelho. O POSTAL ouviu José Amarelinho, que considera que a parceria estratégica para a rea-

lização da bienal é “o reconhecimento de Aljezur enquanto território com condições de excelência para o turismo da natureza e afirmação da estratégia empreendida para este sector de actividade económica”. O turismo de natureza é, segundo o autarca, “um sector que está a crescer imenso e que pode criar muitos mais postos de trabalho, directos e indirectos, além de taxas de ocupação interessantes com a mais-valia de combater a sazonalidade e complementar os turismos de sol & mar, cultural e religioso que Aljezur também possui”.

A TORRE É A MAIS PEQUENA DE TODOS OS FARÓIS DO ALGARVE, apenas cinco metros, mas

como os homens os faróis não se medem aos palmos e o Farol da Ponta da Piedade, em Lagos, acaba de comemorar cem anos ao serviço da navegação. Um século que justifica uma exposição cuja última oportunidade para ser visitada acontece na próxima quarta-feira, dia 31, e que mostra aos visitantes a evolução de um dos mais antigos faróis da região. A visita é gratuita e contém um acervo foto-documental reunido pela autarquia de Lagos lado-a-lado com documentos e objectos disponibilizados pela Direcção de Faróis da Marinha Portuguesa.

UM SÉCULO A BRILHAR Há um

século que a Ponta da Piedade brilha na noite para guiar os navegantes, “muito em particular a navegação de proximidade”, referiu recentemente ao POSTAL Marques Ferreira,

to e o farol está automatizado desde 1983. Um século é sempre uma data solene e a comemoração trouxe ao Algarve recentemente o director-geral de Autoridade Marítima e comandante-geral da Polícia Marítima, vice-almirante Cunha Lopes, que em conjunto com o autarca lacobrigense Júlio Barroso descerrou uma placa alusiva à data junto do farol.

RAZÕES PARA UMA VISITA Além

ÔÔ Exposição mostra evolução do farol ao longo dos últimos cem anos oficial da Marinha. Nos dias de hoje a sofisticação dos meios de navegação, nomeadamente a georeferenciação, fazem dos faróis auxiliares menos relevantes para o tráfego marítimo ao largo da costa, mas continuam a ser muito importantes para a navegação de proximidade, explica o oficial.

Razões mais do que suficientes para o Farol da Ponta da Piedade integrar o efectivo de sete faróis que se dispõem ao longo da linha de costa do Algarve, de Vila Real de Santo António ao Cabo de São Vicente. Com uma altura de 56 metros acima da linha média das águas do mar, o Farol da Ponta

TURISMO

Aljezur recebe I Bienal de Turismo de Natureza d.r.

Pedro Ruas/Ricardo Claro pedror.postal@gmail.com

A APOSTA DO MUNICÍPIO DE ALJEZUR NO TURISMO DE NATUREZA conhece agora nova

etapa com a confirmação da realização da I Bienal de Turismo de Natureza, em 2014, na vila coração da costa vicentina, marca já registada pelo município. O protocolo assinado entre a autarquia e três instituições da região insere-se numa candidatura submetida, aprovada e já contratualizada com o PRODER e abre espaço a um evento que o executivo de José

ÔÔ José Amarelinho Amarelinho, edil de Aljezur, já perseguia há algum tempo. Elevar a vila a destino de

excelência do turismo de natureza e garantir um desenvolvimento sustentável, autênti-


16  |  26 de Julho de 2013

zzz

região

ZZZ pág. ##

Verão quente enche Nacional 125 de protestos pág. 18

Consultório do Consumidor Taxas Moderadoras “A lei estabelece um conjunto de cuidados gratuitos para os utentes, quais são?”

A DECO responde... De facto existem vários serviços no Sistema Nacional de Saúde que podem ser utilizados pelos utentes, sem que estes tenham qualquer custo com os mesmos. Quais são então esses serviços? Consultas, sessões de hospital de dia e exames médicos prescritos no âmbito de algumas doenças. Consultas de planeamento familiar, exames e cuidados decorrentes destas. Cuidados de saúde respiratórios no domicílio. Cuidados de diálise, que incluem consultas de pré diálise e diálise, bem como exames complementares de diagnóstico e os tratamentos prescritos nestas. Consultas e todos os serviços necessários para a dádiva de células, sangue, tecidos e órgãos. Exames de rastreio à população incluídos em programas de prevenção da Direcção-Geral da Saúde, como os rastreios de cancro. Consultas no domicílio por iniciativa dos serviços de saúde. Atendimento urgente a vítimas de violência doméstica, exames e tratamentos daí decorrentes. A dispensa de pagamento ocorrerá se o utente se declarar vítima de maus tratos e apresentar lesões ou sintomas que o confirmem. É exigida a participação do crime às auto ridades policiais. Programas e tratamento de alcoólicos crónicos e toxicodependentes. Consultas de apoio intensivo à cessação tabágica. Programas de tomas de observação directa. Por exemplo, alguns tuberculosos têm de tomar os medicamentos na presença de um profissional de saúde, para garantir que o tratamento é feito. Vacinas previstas no Programa Nacional de Vacinação. Atendimento de urgência, quando os utentes são encaminhados pelo centro de saúde ou unidade de saúde familiar. A dispensa de pagamento aplica-se apenas à consulta de urgência. Os exames e tratamentos realizados têm de ser pagos. Atendimento de urgência que resulte em internamento por mais de 24 horas. Se o utente pagou previamente a taxa, deve reaver o dinheiro na altura da alta. Se os serviços não devolverem o valor pago, peça-o.

ZZZ pág. ##

OPINIÃO

Pedro Nunes é o presidente do Centro Hospitalar do Algarve

Ana Amorim Dias - Escritora www.anaamorimdias.blogspot.com anamorimdias@gmail.com

Nova entidade reúne hospitais de Faro, Lagos e Portimão O ACTUAL PRESIDENTE do conselho de administração do Hospital de Faro, Pedro Nunes, foi nomeado para a presidência do Centro Hospitalar do Algarve, entidade resultante da fusão daquela unidade e o Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio. De acordo com o comunicado do Conselho de Ministros de quinta-feira da passada semana, foi aprovada a nomeação do Conselho de Administração presidido pelo antigo bastonário da Ordem dos Médicos, com os cinco nomes do órgão a receberem pareceres favoráveis por parte da Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública. Segundo informação do Ministério da Saúde, o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Algarve (CHA), que passa a reunir os hospitais de Faro, Lagos e Portimão, é, também, composto por duas vogais executivas, Patrícia Ataíde (que desempenhava semelhantes funções no Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio) e Graça Pereira (até aqui vogal executiva em Faro), bem como pela directora clínica Maria Valadas Cartucho, de Portimão, e pelo enfermeiro-director, José Vieira dos Santos, de Faro. O decreto-lei que formalizou a criação do Centro Hospitalar do Algarve entrou em vigor no dia 1 de Julho, atribuindo à nova entidade a competência de gestão dos hospitais públicos do Algarve, “com vista à optimização dos recursos e consequente melhoria dos cuidados de saúde à população”. O decreto-lei n.º 69/2013, de 17 de Maio, estabelece também a extinção do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio e do Hospital de Faro, “com dispensa de todas as formalidades legais”, na data da sua entrada em vigor. Aprovada em Conselho de Ministros em 17 de Abril, a criação do CHA foi proposta e justificada pela Administração

d.r.

Regional de Saúde (ARS) do Algarve “como um importante instrumento de gestão para optimizar a gestão das unidades de saúde e permitir uma resposta aos crónicos constrangimentos de recursos humanos”.

DEMISSÃO NA ARS/ALGARVE En-

tretanto a criação do Centro Hospitalar do Algarve já fez uma baixa na Administração regional de Saúde, apesar da ARS/Algarve “não confirmar” oficialmente o pedido de demissão de Martins dos Santos. De acordo com a ARS/Algarve, em declarações ao POSTAL, “o presidente da instituição encontra-se de férias e a direcção está em plenitude de funções. Na base da demissão de

ÔÔ Pedro Nunes vai liderar Centro Hospitalar do Algarve Martins dos Santos estará o eventual encerramento do Hospital de Lagos, que integra o agora extinto Centro Hospital do Barlavento Algarvio, ficando a cidade apenas com

um Serviço Básico de Urgência, situação à qual já se opuseram PS e PSD regionais e a autarquia local liderada pelo socialista Júlio Barroso. Lusa/RC pub

CÂMARA MUNICIPAL DE TAVIRA EDITAL Nº 29 /2013 Jorge Manuel do Nascimento Botelho Presidente da Câmara Municipal de Tavira TORNA PÚBLICO, que em reunião de Câmara Municipal, realizada no dia 09 de julho de 2013 foram tomadas as seguintes deliberações: 1. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 106/2013/CM, referente à 7ª. alteração às Grandes Opções do Plano e ao Orçamento; 2. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 107/2013/CM, referente ao contrato de comodato entre o Município de Tavira e Freguesia de Santiago (Projeto Intergeracional Santiago); 3. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 108/2013/CM, referente ao apoio ao abrigo do RMAAD – 18ª. Feira da Caça, Pesca. Para constar e produzir efeitos legais se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares de costume. Paços do Concelho, 09 de julho do ano 2013 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, Jorge Manuel Nascimento Botelho (POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013)

O fim da rebaldaria Quanto mais simples melhor. O assunto até pode ser complicado, mas há sempre formas simples de o ver e abordar. Alma. Coração. Cérebro. “Afinal quem é que manda aqui?”, pergunto-me às vezes, sem aceitar render-me àquela rebaldaria. Bom, deixem-me lá abordar a questão como se fosse um miúdo de cinco anos porque esses é que são mesmo sábios! Alma: uma espécie de nuvem branquinha que vive sempre dentro de nós e sabe coisas incríveis. Coração: o motor do nosso corpo e a nascente do amor. Cérebro: aquela máquina fantástica que faz falta exercitar e alimentar todos os dias. Continuando no modo de sabedoria infantil, avanço para a vaca fria: porque é que há pessoas infelizes? Simples!! Porque deixam que estas três pecinhas andem numa rebaldaria! Quem consiga fazer com que a alma, o coração e o cérebro funcionem em equipa torna-se completamente invencível. A sério, é mesmo assim! O quê? Como é que os pomos em sintonia? Fácil: deixamos que o cérebro se cale e se alimente com as respostas da alma, enquanto o coração vai batendo de emoção.


26 de Julho de 2013  |  17

região

ZZZ pág. ## pub

NOTARIADO PORTUGUÊS JOAQUIM AUGUSTO LUCAS DA SILVA NOTÁRIO em TAVIRA Nos termos do Artº. 100, nº. 1, do Código do Notariado, na redacção que lhe foi dada pelo Dec-Lei nº. 207/95, de 14 de Agosto, faço saber que no dia vinte e dois de Julho de dois mil e treze, de folhas trinta e duas a folhas trinta e três verso, do livro de notas para escrituras diversas número cento e sessenta e cinco - A, deste Cartório, foi lavrada uma escritura de justificação, na qual: MANUEL FRANCISCO, NIF 112.346.448 e mulher MARIA ALDINA FERNANDES TEIXEIRA, NIF 186.994.559, ambos naturais da freguesia de Conceição, casados sob o regime da comunhão geral de bens, residentes no sítio dos Estorninhos, Conceição, Tavira, declararam: Que, com exclusão de outrem, os seus representados são donos e legítimos possuidores do prédio rústico, composto por terra de cultura, sito em Serro da Burra, freguesia de Conceição, concelho de Tavira, com a área de oito mil novecentos e trinta e seis virgula sessenta e seis metros quadrados, a confrontar do norte com António Francisco, do sul e nascente com José Fernandes e do poente com caminho, inscrito na matriz em nome do justificante marido sob o artigo 4.639, com o valor patrimonial tributário e igual ao atribuído de 1.430,00 €, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Tavira. Que os seus representados adquiriram este prédio, já no estado de casados, no ano de mil novecentos e setenta, em data que não podem precisar, por partilha verbal com os demais interessados por óbito dos pais do justificante marido, Manuel Francisco e Maria Bárbara, residentes que foram no sitio dos Estorninhos. Que desde esse ano possuem o prédio em nome próprio, usufruindo do mesmo, cuidando das árvores e cultivando a terra, fazendo as respectivas sementeiras, colhendo os frutos, sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu inicio, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente, sendo por isso uma posse pacífica, contínua e pública, pelo que adquiriram o prédio por usucapião. Que atribuem a esta justificação o valor de MIL QUATROCENTOS E TRINTA EUROS. Vai conforme o original. Tavira, aos 22 de Julho de 2013 A funcionária por delegação de poderes; Ana Margarida Silvestre Francisco - Inscrita na O.N. sob o n.º 87/1 Conta registada sob o nº. PAO 919 / 2013 Factura n��. 0927 (POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013)

Região tem 18,6% das farmácias em dificuldades Políticas do Governo determinam a sua morte lenta Ricardo Claro ricardoc.postal@gmail.com

O DISTRITO DE FARO PODE VER FECHAR EM BREVE cerca de 20

farmácias. De acordo com a Direcção da Associação Nacional de Farmácias “18,6% [dados de Março deste ano] das farmácias da região enfrentam acções de insolvência e penhora”. O POSTAL fez as contas e esta percentagem representa cerca de 20 estabelecimentos pub

CÂMARA MUNICIPAL DE TAVIRA EDITAL Nº 30 /2013 Jorge Manuel do Nascimento Botelho Presidente da Câmara Municipal de Tavira

TORNA PÚBLICO, que em reunião de Câmara Municipal, realizada no dia 23 de julho de 2013 foram tomadas as seguintes deliberações: 1. Aprovada por maioria a proposta da Câmara Municipal número 109/2013/CM, referente à 8ª. Alteração às Grandes Opções do Plano e ao Orçamento; 2. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 110/2013/CM, referente à atribuição de bolsas aos jovens – programa municipal “Tavira – Férias Ativas” – ano 2013; 3. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 111/2013/CM, referente ao Protocolo para assegurar a constituição do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais – DECIF – Ano 2013; 4. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 112/2013/CM, referente à doação de bens ao Município de Tavira – Associação Lar-Jardim de Infância Carlos Alberto Coelho de Lima; 5. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 113/2013/CM, referente à redução das taxas municipais – Associação para o Desenvolvimento Integrado da Baixa de Tavira; 6. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 114/2013/CM, referente à prescrição de processos em execução fiscal em 2004 e 2005; 7. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 115/2013/CM, referente ao Projeto de regulamento de apreensões, depósitos e perda de bens para o Município de Tavira; 8. Aprovada por unanimidade a proposta da Câmara Municipal número 116/2013/CM, referente à E65/09/CP – Empreitada de construção do Centro Escolar da Horta do Carmo (EB1 + JI) – revisão de preços provisória. Para constar e produzir efeitos legais se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos lugares de costume. Paços do Concelho, 23 de julho do ano 2013 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, Jorge Manuel Nascimento Botelho (POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013)

do universo de 109 farmácias que operam no Algarve. A Associação Nacional do sector afirma que “o número de farmácias penhoradas e suspensas aumenta drasticamente a cada mês que passa” e alerta para o facto de que “o cenário de 600 farmácias poderem encerrar até ao final do corrente ano parece conservador”. Os mesmos dados da associação revelam que no final do primeiro trimestre do ano 279 farmácias, cerca de 10% do total existente em Portugal, estava a braços com acções de insolvência e penhora. São “mais 21,9% do que em Dezembro de 2012”, no que respeita a insolvências e “mais 14,2% do que em Dezembro de 2012”, no que toca a penhoras, revelam os números avançados pela instituição. Oito distritos do país têm mais de 10% da totalidade das farmácias com acções de insolvência e penhora (14,4% em Viseu; 14,3% em Santarém; 13,9% em Setúbal; 12,7% em Lisboa; 10,9% em Beja; 10,8% na Madeira e 10,2% na Guarda).

FARMÁCIAS DE LUTO A situação retratada no final de Março em nada de positivo se alterou, muito pelo contrário, e as farmácias continuam a debater-se com sérias dificuldades e manter a campanha “Farmácia de luto” que manifesta o desespero do sector face às medidas do Governo no que respeita à política do medicamento e das respectivas comparticipações. A isto se soma o decréscimo do consumo privado que afecta todas as áreas em geral e que nas farmácias também já se nota, mesmo quando do que se trata é da compra de medicamentos para responder a doenças de que os portugueses padecem. Apesar de ser uma área onde se corta apenas em úl-

pedro ruas

ÔÔ Farmácias vivem dias difícies timo caso, o facto é que uma fatia crescente da população não consegue já dar resposta às respectivas necessidades em termos de medicamentos, resultado em particular dos cortes nos rendimetos auferidos. A Associação Nacional de Farmácias sublinha que “o mercado de medicamentos continua também a reduzir, muito mais do que estimado, e desde o início do ano que está a pique. Apenas nos três primeiros meses de 2013, o mercado reduziu 11,9 %, menos 88,4 milhões de euros, e a despesa do SNS no ambulatório diminuiu 14,7%, um volume de perda que se cifra em 47 milhões de euros. Uma situação preocupante face à possibilidade de vir a pôr em causa o acesso aos medicamentos, em particular em áreas do país e do Algarve onde apenas existe uma farmácia. Actualmente já se verificam dificuldades crescentes em conseguir determinados medicamentos face à indis-

ponibilidade das farmácias para terem stocks, uma realidade determinada pela força da perda das margens de lucro do sector que fazem com que os proprietários dos estabelecimentos reduza as existências ao mínimo possível.

UMA POLÍTICA COM DUAS FACES As medidas adoptadas pelo Governo e que atingiram fortemente as farmácias são uma faca de dois gumes. Puseram termo aos chorudos lucros destes estabelecimentos que durante anos passaram ao largo de qualquer crise e ditaram a diminuição da factura do Estado em medicamentos, num processo que o Ministério e o Governo sabiam necessário cortar despesa na área da Saúde, mas a verdade é que mais do que isso estas medidas ditam, dia após dia, o definhar do sector lento e de agonia perante um mercado que encolhe e um negócio que já foi uma verdadeira mina de ouro, mas que já o não é.


18  |  26 de Julho de 2013

zzz

região

ZZZ pág. ##

Verão quente enche Nacional 125 de protestos Luta contra as portagens não pára d.r.

DEPOIS DE NO PASSADO DOMINGO a Comissão de Utentes

da Via do Infante (CUVI) ter marcado presença no desfile de despedida da Concentração de Motas de Faro como forma de protesto contra as portagens na A22, na calha estão várias formas de protesto que se destinam a não deixar cair no esquecimento esta questão durante o período de Verão. Em nota à comunicação social, a CUVI que apelida esta época estival de “Verão quente” faz saber que já manhã, sábado, terá lugar pelas 16 horas a concentração em Altura, Castro Marim, para um protesto que percorrerá a Estrada Nacional

125. Denominado Marcha do Guadiana, o protesto com início junto às bombas de combustível da Repsol naquela localidade contará com várias paragens em homenagem às vítimas mortais de acidentes naquela via. Previstos estão também protestos na praia de Manta Rota e Aldeia da Cortelha junto às residências de férias do primeiro-ministro e Presidente da República, marcadas para a primeira quinzena de Agosto.

FESTA DO PONTAL NA MIRA DA CUVI Quem também não esca-

pará à demonstração de força da CUVI vai ser a Festa do Pontal, tradicional festa de Verão do

ÔÔ Casas de férias do primeiro-ministro e do Presidente da República não escapam a protestos PSD, para a qual a comissão está também a preparar um protesto que visará os membros nacionais do partido do Governo que normalmente se deslocam ao Algarve para assistir ao evento.

Para a primeira quinzena de Setembro fica prevista a realização de uma marcha entre Odiáxere e Lagos e e na segunda quinzena do mês uma marcha que ligará Faro ao Aeroporto,

ida e volta. O calendário agora divulgado pela CUVI será alvo de acertos e pormenorização ao longo do Verão, refere ainda o comunicado da comissão. RC

Candidaturas ao PRODER ultrapassam verba prevista ÔÔ A Associação In Loco anunciou que os dez milhões de euros previstos para o interior do Algarve Central pelo subprograma para zonas rurais do PRODER não chegam para cobrir os 18 milhões necessários para todas as candidaturas. A In Loco, entidade responsável pela gestão do subprograma de dinamização de zonas rurais do PRODER no interior do Algarve Central, informou, em comunicado, que o prazo de candidaturas ao Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER) terminou na sexta-feira da passada semana, tendo sido recebidas mais de 140 candidaturas que perfazem 18 milhões de euros, muito acima da verba prevista.

pub


Espaço Animal

Apoios:

26 de Julho de 2013  |  19

A 3AT volta a pedir a todos uma atitude altruísta para com os animais abandonados a cargo da associação tavirense. Mais três propostas de amigos de quatro patas a quem cumpre ajudar dando-lhes um novo lar e uma nova família. Em troca, estes animais prometem dar aquilo que de melhor têm, dedicação e companhia, e tudo que só os melhores amigos podem dar. Vai perder a oportunidade?! Entretanto, também pode consultar as propostas da GUADI que ajuda os animais abandonados em Vila Real de Santo António. Contactos: GUADI - Facebook: guadi.centro.de.animais | Blog: http://associacaoguadi.blogspot.com/  3AT - Sítio: www.3at.eu | Facebook: 3AT no facebook | Telmóvel: 960247511 | E-mail adopções: amigosanimaistavira@gmail.com

ÔÔ Mel

ÔÔ Lara

ÔÔ Pequenino

ZZZ pág. ## lazer

zzz

agenda cultural

ALBUFEIRA

horas, no Espaço +.

LAGOS

Pintura Exposição de George Landmann “O Algarve”, no Edifício dos Paços do Concelho. Até 30 de Agosto.

LAGOA

Música Concerto com a Orquestra de Verão da Academia de Música de Lagos, sábado, dia 27, às 21.30 horas, no Centro cultural.

ALJEZUR Música Espectáculo de Afonso Dias, sexta-feira, dia 26, às 21.30

agenda cinema

Literatura Lançamento do livro de Patico “Entre duas Terras”, sexta-feira, dia 26, às 18 horas, na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal.

OLHÃO Dança Mostra de “Dance Fitness”,

Teatro Peça “Isto é que me dói”, às 22 horas, no TEMPO. Entre 31 de Julho e 3 de Agosto

às 18 horas, a Casa da Cultura Islâmica e Mediterrânica. Até 27 de Setembro.

Pintura Exposição colectiva, na Galeria do Museu do Trajo. Até 9 de Setembro.

TAVIRA

SILVES

Música

Fotografia Exposição de Pedro Barro “Egipto”, de segunda a sexta-feira, das 10 às 13 e das 14

Concerto de Carlos Bica & AZUL com Frank Möbus e Jim Black, sexta-feira, dia 26, às 22 horas, no Parque e Pátio do Palácio da Galeria.

* estreias Homem de Aço (m/12) | Sala 9 | 21h05

Carneiro (de 21/03 a 20/04) Procure completar trabalhos e situações do passado. Está prestes a entrar num novo ciclo.

Balança (de 23/09 a 22/10) A casa e o lar irão ter mais importância e reclamar de si maior atenção.

Depois da Terra (m/12) | Sala 1 | 14h45, 17h00, 19h15, 21h30, 23h45 (diariamente), 12h30 (Sáb e Dom) » Batalha do Pacífico (m/12) | Sala 2 | 13h00, 15h45, 18h30, 21h20, 00h10 » Kids Club: O Patinho Feio e Eu (m/6) | Sala 2 | 11h00 (Sáb e Dom) » Wolverine* (m/12) | Sala 3 | 13h40, 16h20, 19h00, 21h40, 00h20 (diariamente), 11h00 (Sáb e Dom) » Batalha do Pacífico (m/12) | Sala 4 | 21h20, 00h05 » Turbo (m/6) | Sala 4 | 14h50, 17h00, 19h10 (diariamente), 10h30, 12h40 (Sáb e Dom) » Wolverine* (m/12) | Sala 5 | 15h35, 18h15, 21h00, 23h40

PORTIMÃO

SÃO BRÁS

de 26 a 31 de Julho

(3D) » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 5 |13h05 (diariamente), 10h50 (Sáb e Dom) » Turbo (m/6) | Sala 6 | 13h20, 15h30, 17h40, 19h50 (diariamente), 11h10 (Sáb e Dom) » WWZ - Guerra Mundial (m/6) | Sala 6 | 22h00, 00h30 » Miúdos e Graúdos 2* (m/12) | Sala 7 | 14h25, 16h40, 18h55, 21h10, 23h25 (diariamente), 12h10 (Sex e Sáb) » Mestres da Ilusão (m/12) | Sala 8 | 19h20, 21h50 » Monstros: A Universidade (m/6) | Sala 8 | 14h30, 16h55 (diariamente), 11h30 (Sáb e Dom) » Star Trek (m/12) | Sala 8 | 00h20 » Gru 2 (m/16) | Sala 9 | 14h20, 16h35, 18h50 (diariamente), 11h15 (Sáb e Dom) » Velocidade Furiosa 6 ( m/12) | Sala 9 | 00h05 »

FARO Forum Algarve SBC 289 887 212

com Telma Madeira da Silva e as suas bailarinas, sábado, dia 27, às 19 horas, no Café Chafarica (Sítio de Belo Romão – Moncarapacho).

LAGOS Cinema de Lagos 282 799 138 Monstros: A Universidade (m/6) | Sala 1 | 15h30 » Miúdos e Graúdos 2* | Sala 1 | 18h00, 20h00, 21h45 (diariamente), 00h00 (Sex e Sáb) » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 2 | 15h20, 18h00 » Batalha no Pacífico (m/12) | Sala 2 | 21h45 (diariamente), 00h00 (Sex e Sáb)

Sala 1 | 15h30, 18h30, 21h30 (diariamente), 23h50 (Sex e Sáb) » O Grande Dia (m/12) | Sala 2 | 15h20, 18h20, 21h30 (diariamente), 23h30 (Sex e Sáb) » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 2 | 10h30 (Dom) » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 3 | 16h20, 18h45, 21h30 (diariamente), 23h30 (Sex e Sáb) » Monstros: A Universidade (m/6) | Sala 3| 14h00 (diariamente), 10h45 (Dom)

» Monstros: A Universidade (m/6) | Sala 2 | 13h50 » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 2 | 15h45, 20h00 » Batalha do Pacífico (m/12) | Sala 2 | 17h50, 21h45, 00h00 TAVIRA Gran-Plaza 16996

Batalha do Pacífico (m/12) |

Miúdos e Graúdos 2* (m/12) | Sala 1 | 15h45, 18h00, 21h45, 00h00 » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 1 | 13h50 » Monstros: A Universidade (m/6) | Sala 1 | 19h45

Wolverine* (m/12) | Sala 1 | 13h00, 15h40, 18h20 » Wolverine* (m/12) | Sala 1 | 21h10, 23h50 » Gru - O Mal Disposto 2 (m/6) | Sala 2 | 13h20, 15h35, 18h00 (diariamente), 11h00 (Dom) » Mestres da Ilusão (m/12) | Sala 2 | 21h05, 23h35 » Miúdos e Graúdos 2* (m/12) | Sala 3 | 13h10, 15h30, 18h10, 21h30, 23h50 » Tur-

bo (m/6) | Sala 4 | 13h30, 16h00, 18h15 (di ariamente), 10h50 (Dom) » Batalha do Pacífico (m/12) | Sala 4 | 21h00, 23h45 » Depois da Terra (m/12) | Sala 5 | 13h40, 15h55, 18h30, 21h20, 23h35

Touro (de 21/04 a 20/05) Este será um período mais tranquilo, pode concretizar uma situação há muito desejada.

Gémeos (de 21/05 a 20/06) As suas emoções e o seu mundo instintivo estarão voltados para as necessidades imediatas.

Caranguejo (de 21/06 a 22/07) Aproveite para dar maior atenção ao seu corpo. Poderá sentir que está a começar algo de novo.

Leão (de 23/07 a 22/08) Acompanhando a onda de remodelação, entre com o pé direito neste novo ciclo.

Virgem (de 23/08 a 22/09) Esta é uma boa altura para levar as coisas com calma e para reflectir.

Escorpião (de 23/10 a 21/11) Esta fase é propícia a reunir energias, a ganhar força e aceleração para dar “o salto”.

Sagitário (de 22/11 a 21/12) Se se encontrar a meio de um projecto, poderá sentir os benefícios deste trânsito.

Capricórnio (de 22/12 a 19/01) A Lua em harmonia com Vénus poderá trazer-lhe um momento de grande tranquilidade.

Aquário (de 20/01 a 18/02) Aproveite para resolver um assunto, acertar ideias ou ter uma boa conversa.

Peixes (de 19/02 a 20/03) Ser-lhe-á especialmente difícil esconder os seus sentimentos das outras pessoas.

OLHÃO C. C. Ria Shopping 289 703 332

Cinemas de Portimão 282 411 888

horóscopo


20  |  26 de Julho de 2013

zzz anúncios

ı

classificados

ZZZ pág. ##

Farmácias de Serviço ALBUFEIRA

SEXTA

SÁBADO

DOMINGO

SEGUNDA

TERÇA

QUARTA

QUINTA

Santos Pinto

Piedade

Piedade

Piedade

Piedade

Piedade

Piedade

-

Edite

Sousa

FARO

Crespo

Palma

Almeida

Montepio

Higiene

Caniné

Pereira

LAGOA

José Maceta

Sousa Pires

Sousa Pires

Sousa Pires

Sousa Pires

Sousa Pires

Sousa Pires

LAGOS

Telo

Neves

Ribeiro

Lacobrigense

Silva

Telo

Neves

LOULÉ

Martins

Chagas

Pinheiro

Pinto

Avenida

Martins

Chagas

MONCHIQUE

Hygia

Hygia

Hygia

Moderna

Moderna

Moderna

Moderna

OLHÃO

Olhanense

Ria

Nobre

Rocha

Pacheco

Progresso

Olhanense

PORTIMÃO

Amparo

Arade

Guilherme

Central

Mourinha

Moderna

Carvalho

QUARTEIRA

Algarve

Mª Paula

Mª Paula

Mª Paula

ARMAÇÃO DE PÊRA

-

SÃO BART. DE MESSINES

-

-

Mª Paula

Mª Paula

Mª Paula

-

Algarve

Sequeira

-

S. Brás

S. Brás

S. Brás

Dias Neves

Sousa Coelho

-

-

-

SÃO BRÁS DE ALPORTEL

Dias Neves

SILVES

Cruz de Portugal

TAVIRA

Felix

Sousa

Sousa

Montepio

Mª Aboim

Central

Felix

VILA REAL de STº ANTÓNIO

Carrilho

Carmo

Carmo

Carmo

Carmo

Carmo

Carmo

-

Guerreiro

-

Guerreiro

S. Brás -

TAVIRA

Dias Neves João de Deus

FARMÁCIA

FÉLIX FRANCO

Proprietário e Director Técnico

Dr. António Manuel S. P. Faleiro

ILDA MARIA 81 ANOS

AGRADECIMENTO A família enlutada cumpre o doloroso dever de agradecer reconhecidamente a todas as pessoas que assistiram ao funeral do seu ente querido, realizado no dia 18 de Julho, para o Cemitério de Tavira, bem como a todos os amigos que manifestaram o seu pesar e solidariedade. Agradecem também a todos que rezaram Missa do 7º Dia, pelo seu eterno descanso, celebrada no dia 23 de Julho, terça-feira, pelas 18 horas, na Igreja de Santa Luzia.

“Paz à sua Alma” “Serviços Fúnebres efectuados pela Agência Funerária Pedro & Viegas, Ldª” Tavira • Luz • V.R.Stº António Telm. 964 006 390 - 965 040 428

Rua Alexandre Herculano, nº24 8800-394 TAVIRA · tel.: / fax: 281 322 162

ARRENDO

Vivenda c/ 2 assoalhadas Bonita paisagem

Tractor - Rega, Lda

Junto da ribeira, Pego do Inferno - Asseca Bom preço - com ou sem mobílias (tem terreno para cultivo) Contacto 962 604 447

VENDE-SE ou ARRENDA-SE 4 terrenos agrícolas com excelente localização e acessibilidade, com água da barragem, situados na Asseca a 3 minutos da cidade de Tavira Pomar de citrinos: 8.158 m2 Terra de semear: 8.000 m2 Terra de semear: 9.788 m2 Pomar de citrinos e terra de semear 6.370 m2 Área total: 32.316 m2 

Contacto: 918 201 747

Tlm. - 966 574 669 E-mail - globalcontrol@iol.pt

Rua de Santo António, n.º 68 - 5º Esq. 8000 - 283 Faro Telef.: 289 820 850 | Fax: 289 878 342 dbf@advogados.com.pt | www.advogados.com.pt

publicite a sua empresa Contacte-nos: 281 320 900


26 de Julho de 2013  |  21

anúncios

ZZZ pág. ##

NOTARIADO PORTUGUÊS JOAQUIM AUGUSTO LUCAS DA SILVA

NOTARIADO PORTUGUÊS JOAQUIM AUGUSTO LUCAS DA SILVA

NOTÁRIO em TAVIRA

NOTÁRIO em TAVIRA

Nos termos do Artº. 100, nº.1, do Código do Notariado, na redacção que lhe foi dada pelo Dec-Lei nº. 207/95, de 14 de Agosto, faço saber que no dia quatro de Julho de dois mil e treze, de folhas cento e trinta e sete a folhas cento e trinta e oito verso, do livro de notas para escrituras diversas número cento e sessenta e quatro – A, deste Cartório, foi lavrada uma escritura de justificação, na qual: EDUARDO MARTINS, NIF 114.463.883 e mulher ROSALINA MARIA, NIF 114.463.891, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ambos naturais da freguesia de Cachopo, concelho de Tavira, residentes na Rua Primeiro de Maio, número 24, Cachopo, Tavira, declararam: Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores dos seguintes prédios urbanos, ambos sitos na aldeia e freguesia de Cachopo, concelho de Tavira e não descritos na Conservatória do Registo Predial de Tavira, a saber: a) Prédio composto por edifício de rés-do-chão, com diversos compartimentos e quintal, destinado a habitação, com a área total de oitenta e quatro metros quadrados, sito na Rua do Norte, inscrito na matriz sob o artigo 66, com o valor patrimonial tributário e igual ao atribuído de CINCO MIL CENTO E OITENTA EUROS, a confrontar de norte com Rua do Norte, do sul com Azinhaga, do nascente com António de Sousa Passos e de poente com António dos Santos; b) Prédio composto por edifício de rés-do-chão, com diversos compartimentos, destinado a comércio, com a área total de quarenta e três vírgula setenta e nove metros quadrados, sito na Rua Primeiro de Maio, número vinte e quatro, inscrito na matriz sob o artigo 2.163 (proveniente do artigo 65), com o valor patrimonial tributário e igual ao atribuído de CINCO MIL TREZENTOS E OITENTA EUROS, a confrontar de norte com Rua do Norte, do sul e nascente com Manuel Francisco e do poente com José dos Santos. Que eles justificantes, adquiriram os prédios por compras verbais e nunca reduzidas a escritura pública, já no estado de casados, da seguinte forma: - O prédio identificado na alínea a), por compra feita a José Maria Barão, Angelina Maria, Albertina Maria, Ricardo Ferreira, Maria Angelina e Eulálio Francisco Barão, todos residentes que foram na Aldeia de Cachopo, Tavira, no ano de mil novecentos e oitenta e dois, em data que não é possível precisar; - O prédio identificado na alínea b), por compra feita a José Gabriel Rosa e mulher Maria do Carmo Reis Rosa, já falecidos, residentes que foram em São Brás de Alportel, no dia nove de Agosto de mil novecentos e oitenta e dois. Que desde esse ano possuem os prédios em nome próprio, usufruindo dos mesmos, fazendo as obras de conservação e reparação necessárias, pagando contribuições e impostos devidos, sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente, sendo por isso uma posse pacífica, contínua e pública, pelo que adquiriram os prédios por usucapião. Que os prédios têm a natureza de bens comuns do casal. Que atribuem a esta justificação o valor de DEZ MIL QUINHENTOS E SESSENTA EUROS. Que o prédio da alínea b) não sofreu qualquer alteração, quer na sua composição, quer na área. Tavira, aos 04 de Julho de 2013 A funcionária por delegação de poderes; Ana Margarida Silvestre Francisco – Inscrita na O.N. sob o n.º 87/1

Nos termos do Artº. 100, nº. 1, do Código do Notariado, na redacção que lhe foi dada pelo Dec-Lei nº. 207/95, de 14 de Agosto, faço saber que no dia oito de Julho de dois mil e treze, de folhas cento e quarenta e duas a folhas cento e quarenta e três verso, do livro de notas para escrituras diversas número cento e sessenta e quatro - A, deste Cartório, foi lavrada uma escritura de justificação, na qual: ANTÓNIO FRANCISCO, NIF 103.863.966, natural da freguesia de Cachopo, concelho de Tavira e mulher MARIA CATARINA DOS SANTOS, NIF 103.863.958, natural de Angola, casados sob o regime da comunhão geral de bens, residentes na Rua do Salto, número 11, Tavira, declararam: Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores dos seguintes prédios rústicos, ambos sitos na freguesia de Cachopo, concelho de Tavira e não descritos na Conservatória do Registo Predial de Tavira, a saber: a) Prédio sito em Barranco do Porco, composto por terra de cultura, pastagem e sobreiras, com a área de treze mil oitocentos e noventa metros quadrados, que confronta do norte e poente com Custódio Francisco do Rosário, do sul com José dos Santos Canelas e do nascente com Maria Teresa inscrito na matriz sob o artigo 5.022, com o valor patrimonial tributário e igual ao atribuído de CENTO E DEZ EUROS E CINQUENTA E QUATRO CÊNTIMOS. b) Prédio sito em Lombeira, composto por terra de cultura, pastagem e sobreira, com a área de quatrocentos e sessenta metros quadrados, que confronta do norte e poente com Manuel António Matias, do sul com José Femenim Gago e do nascente com Custódio Francisco do Rosário, inscrito na matriz sob o artigo 5.030, com o valor patrimonial tributário e igual ao atribuído de VINTE EUROS E DEZOITO CÊNTIMOS. Que adquiriram os mencionados prédios, o direito a metade por meio de compra verbal e nunca reduzida a escritura pública, feita a Vitalino dos Santos Amen e Maria Natividade Ferro Santos Amen, residentes que foram na Rua da Eira, número cento e cinco, primeiro esquerdo, Algés, já falecidos, no ano de mil novecentos e setenta e cinco, em data que não é possível precisar e a restante metade por meio de doação verbal e nunca reduzida a escritura pública feita aos justificantes, pelos pais do justificante marido, Custódio Francisco do Rosário e Custódia Joaquina, em data imprecisa do ano de mil novecentos e noventa e dois. Que desde esses anos possuem os prédios em nome próprio, usufruindo dos mesmos, cuidando e cultivando a terra, fazendo as respectivas sementeiras, colhendo os frutos, pagando as contribuições e impostos devidos, sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu início, posse que sempre exerceram sem interrupção e ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente, sendo por isso uma posse pacífica, contínua e pública, pelo que adquiriram os prédios por usucapião. Que atribuem a esta justificação o valor total de cento e trinta euros e setenta e dois cêntimos. Vai conforme o original. Tavira, aos 08 de Julho de 2013

ı

classificados zzz Arrenda-se

TAVIRA Arrendo T2 mobilado a partir de Setembro Bem localizado!

Apartamento T1 em Olhão, mobilado, com áreas grandes Junto ao Tribunal Contacto: 966 303 690

Contactar: 918 296 436

Reze 9 Ave-Marias com uma vela acessa durante 9 dias, pedindo 3 desejos, um de negócios e 2 impossíveis ao 9º dia publiqueeste aviso, cumprir-se-á mesmo que não acredite. O.E. funerariapedro@sapo.pt funeraria_pedro@sapo.pt

funerariapviegas@sapo.pt

Empresa recomendada

TAVIRA Rua Dr. Miguel Bombarda n.º 25 Tel. - 281 323 983 - 281 381 881 LUZ DE TAVIRA EN 125, n.º 32 – Tel. - 281 961 455 VILA REAL STO. ANTÓNIO Rua 25 de Abril n.º 32 – Tel. - 281 541 414 FUNERÁRIA PATROCÍNIO Tlm. - 968 685 719 Rua João de Deus, n.º 86 – Tel. -281 512 736 IDALÉCIO PEDRO Tlm. - 964 006 390

Serviços Fúnebres Locais  Urna pinho estofada 650 m  Urna pinho e caixão zinco estofado 950 m Incluíndo coroa de flores artificiais c/ moldura, cartões memoriais, livro de condolências e serviço de água no velório

Solicite orçamento antes de decidir

A funcionária por delegação de poderes; Ana Margarida Silvestre Francisco - Inscrita na O.N. sob o n.º 87/1

AGÊNCIA

FUNERÁRIA

Conta registada sob o nº. PAO 846 / 2013 Factura nº. 0856

Conta registada sob o nº. PAO 838 / 2013 Factura nº. 0849 (POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013)

(POSTAL do ALGARVE, nº 1106, de 26 de Julho de 2013) Tavira

Tlm. – 969 003 042

Emergência 24 horas

Pedro - 965 040 428

Vila Real Sto. António

Tlm. – 962 406 031

Acordos com:

Multicare, C.G.D., Allianz Acordos com:

Medis, Multicare, C.G.D., Allianz


22  |  26 de Julho de 2013

zzz anúncios

ı

necrologia

ZZZ pág. ## Funerárias: Sítio da Palmeira LUZ DE TAVIRA Tel. /Fax: 281 961 170

SERVIÇO PERMANENTE 24h

Av. Maria Lizarda MONCARAPACHO Tel: 289 798 380

FUNERAIS | CREMAÇÕES | TRASLADAÇÕES ARTIGOS RELIGIOSOS MANUTENÇÃO DE CAMPAS E JAZIGOS FLORES Tlms: 966 019 297 (Carlos Palma)

963 907 469 (Gonçalo Correia)

geral@funerariacorreia.pt - www.funeraria correia.pt

CONCEIÇÃO - TAVIRA CABANAS DE TAVIRA

SERPA - BEJA SANTA MARIA - TAVIRA

ALFREDO LUÍS PEREIRA DA ENCARNAÇÃO

JOÃO FRANCISCO MARIA

N. 19-08-1945 - F. 04-07-2013

AGRADECIMENTO Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos o acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que de algum modo lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

AGRADECIMENTO

JOSÉ EVANGELISTA CABEÇUDO

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos o acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que, de algum modo, lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

AGRADECIMENTO

SANTA MARIA - TAVIRA

ADELINA DA ENCARNAÇÃO EMÍDIO

JOÃO MANUEL DA CONCEIÇÃO

AGRADECIMENTO

LUZ DE TAVIRA

N. 16-11-1919 - F. 18-07-2013

SANTA MARIA - TAVIRA

N. 05-10-1912 - F. 10-07-2013

Rua Soledade 19 OLHÃO Tel. 289 713 534

Esposa, filhas, genros, netos e restante família vêm muito reconhecidamente agradecer a todas as pessoas que acompanharam o seu ente querido até à sua última morada, assim como a todos que de alguma forma lhes manifestaram o seu pesar.

ALAGOA

31-05-1930 / 18-07-2013

AGÊNCIA FUNERÁRIA

AGRADECIMENTO

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos a acompanharam em vida e nas suas cerimónias exéquias ou que de algum modo lhes manifestaram o seu sentimento e amizade.

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

SANTIAGO - TAVIRA LUZ - TAVIRA

CONCEIÇÃO - TAVIRA SANTIAGO - TAVIRA

Serviços Prestados

ü Funerais ü Trasladações ü Cremações ü Preparação estética do falecido ü Manutenção de jazigos e campas

Sempre a seu lado nos momentos difíceis da vida...

) nº verde (GRÁTIS) 800 219 262

24 Horas AGOSTINHO JOÃO DO NASCIMENTO LOURENÇO

JULIETA ROSA

05-05-1930 / 09-07-2013

25-11-1925 / 18-07-2013

AGRADECIMENTO

AGRADECIMENTO

Os seus familiares vêm por este meio agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Os seus familiares vêm, por este meio, agradecer a todos quantos se dignaram acompanhar o seu ente querido à sua última morada ou que, de qualquer forma, lhes manifestaram o seu pesar.

Temos ao seu dispor uma linha de crédito até 24 meses sem juros financiada por uma instituição bancária credível

SERVIÇOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

Funeráis desde 300 Euros * alagoa.lda@gmail.com

JUNTO AO HOSPITAL VELHO EM TAVIRA AGÊNCIA FUNERÁRIA

Santos & Bárbara, Lda FUNERAIS - CREMAÇÕES - TRASLADAÇÕES PARA TODO O PAÍS E ESTRANGEIRO

Tel. : 281 323 205 - Fax: 281 323 514 • 965 484 819 / 917 764 557 ATENDIMENTO PERMANENTE - OFERTA DE ANÚNCIO DE NECROLOGIA E CARTÕES MEMÓRIA Artigos Funerários e Religiosos / Catálogo de Lápides e Campas


Sobe & desce

26 de Julho de 2013  |  23

Feira da Serra

Dívidas hospitalares

A Feira da Serra está de volta a São Brás de Alportel e regressa como sempre inesquecível e imperdível, seja para os algarvios, seja para os turistas (Ler pág. 4).

O Hospital de Faro está a cobrar dívidas legalmente inexistentes. Não há desculpa para cobrar aquilo a que não se tem direito legal quando se trata do Estado a ser o cobrador (Ler pág. 6).

opinião

Tavira nas relações luso-polacas Rui Soares Pedagogo e paremiólogo

As relações luso-polacas, ainda que não muito frequentes no passado, sempre se pautaram por uma cordialidade mútua e remontam ao século XV. Desde a conquista de Ceuta – em que cavaleiros polacos enfileiraram ao lado dos portugueses – até aos

ficha técnica

Sede: Rua Dr. Silvestre Falcão, n.º 13 C - 8800-412 Tavira - Algarve Tel: 281 320 900 | Fax: 281 320 909 E-mail: jornalpostal@gmail.com Director: Henrique Dias (CP 3259). Director Comercial: Basílio Pires Editor: Ricardo Claro (CP 9238). Redacção: Cristina Mendonça (CP 3258), Humberto Ricardo (CP 388), Pedro Ruas. Design: Profissional Gráfica. Colaboradores fotográficos: José A. N. Encarnação “MIRA” Colaboradores: Beja Santos (defesa do consumidor), Nelson Pires (CO76). Departamento Comercial, Publicidade e Assinaturas: Anabela Gonçalves, José Francisco. Propriedade do título: Henrique Manuel Dias Freire, inscrito sob o nº 211 612 no Registo das Empresas Jornalísticas. Edição: Postal do Algarve - Publicações e Editores, Lda. Contribuinte nº 502 597 917. Depósito Legal: nº 20779/88. Registo do Título (dgcs): nº 111 613. Impressão: Naveprinter Distribuição: Banca - Logista, à sexta-feira com o Público/VASP - Sociedade de Transportes e Distribuição, Lda e CTT. Membro: APCT - Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação; API - Associação Portuguesa de Imprensa.

Tiragem desta edição:

8.757 exemplares

primeiros contactos comerciais através dos portos de Lisboa e Gdansk, as portas de ambos os Países, distantes geograficamente mas próximos em muitos outros aspectos da vida quotidiana, abriram-se para receber cidadãos em procura de novos horizontes. Assim, a par de cavaleiros, diplomatas, sacerdotes e simples viajantes da Polónia para Portugal, também escritores e poetas portugueses trouxeram à estampa o sofrimento polaco motivado pela opressão russa, vibrando com a luta pela independência desse povo. Este sentimento de fraternidade foi sentido à distância e expresso por Tadeusz Nowak quando declarou “Ainda hoje acredito que os Portugueses são pessoas muito boas e as mais educadas por entre as nações europeias”. Ao longo dos séculos, a afabilidade, a hospitalidade e a curiosidade pela diferença e pelo conhecimento do mundo são traços da identidade portuguesa, ou não fossemos nós navegadores que deram a “conhecer novos mundos ao mundo”. No contacto com a multiplicidade cultural, étnica e social, os portugueses aprenderam de “experiência vivida” regras de convivência entre povos, pouco contando o excessivo rigor quando comparado com a tolerância exigida num convívio que muitos apregoam mas que poucos praticam. A proximidade religiosa de uma terra abençoada e à beira-mar plantada, com um clima delicioso, e a sua localização geográfica no extremo ocidental da Europa, são factores de atracção de migrantes para Portugal, que aqui “assentam arraiais” e terminam os seus dias de vida em paz e descanso ou que, a partir daqui, demandam o continente americano em busca de uma terra suficientemente afastada daquela em que os horrores da guerra e das suas consequências marcaram como seres humanos providos de memória. Apenas dois exemplos do que acabamos de dizer. Das muitas personalidades polacas em Portugal durante a II Guerra Mundial referimos Marian Seyda,

d.r.

ÔÔ O Poeta da Reportagem - Ryszard Kapuscinki (1932-2007), exposição que esteve patente no Quartel da Atalaia ministro sem pasta, que residiu em Portugal e emigrou para a Argentina depois da guerra e Jan Stańczyk, ministro e militante do partido socialista polaco que permaneceu entre nós por três vezes, tantas quantas as que lhe provocavam o medo de estar no seu País e que aqui encontrava a tranquilidade necessária à sua sobrevivência. Só depois da guerra regressou à Polónia. Apesar da costa litoral oeste ser a mais apetecida, certamente por estar mais próxima do centro de decisão - Lisboa, a verdade é que o mundo dá muitas voltas e muitos foram os polacos que combateram noutras frentes para defender o lema “pela vossa e nossa liberdade”. Tal é o caso do cidadão polaco Józef Karol Konrad Chełmicki, um dos veteranos da Insurreição de 1830-31, exilado em França após o falecimento de seu pai, que se alistou na Legião Polaca de D. Maria da Glória, combateu nas linhas de Lisboa ao lado dos liberais. Józef Chełmicki serviu e fez carreira no exército português, chegando a General de Divisão, em 1885. Para além de distinto oficial, fundador da Revista Militar (conjuntamente com outros oficiais portugueses, Fontes Pereira de Melo e o Barão Von Eschwege), foi um geógrafo brilhante

que participou na elaboração da Carta do Reino, e o seu trabalho sobre a cartografia de Cabo Verde ainda hoje é utilizado em escolas do continente africano. O General Chełmicki desempenhou várias funções como engenheiro militar, foi agraciado com diversas condecorações e recebeu a Ordem de Torre e Espada. Se falo com mais detalhe sobre este General é porque quis o destino que Chełmicki constituísse família em Portugal e, como “Todos os caminhos vão dar a Tavira” acabou por casar e vir a falecer nesta cidade, tendo os seus restos mortais sido depositados na Igreja do Carmo e, posteriormente, trasladados para o cemitério principal de Tavira. Também a toponímia local recorda o nome do General numa das artérias da cidade. Por iniciativa de um cidadão tavirense, e com honras militares devidamente autorizadas pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, foi descerrada uma lápide tumular no antigo Cemitério da Igreja do Carmo, com a presença da Embaixadora da Polónia em Portugal, do Presidente da Câmara Municipal de Tavira, de familiares do General e, ainda, de outras personalidades do meio cultural, nomeadamente de uma investigadora polaca residente

em Lisboa. Como muitos dos nossos leitores sabem, Tavira está geminada com a cidade polaca de Łłańcut desde 2006, tendo sido a primeira cidade algarvia a estabelecer uma cooperação com uma cidade polaca. Como se pode ler no seu protocolo, as áreas prioritárias de cooperação são: 1) a protecção da herança histórica e cultural; 2) a educação, o desporto e as artes; 3) o apoio ao desenvolvimento económico e às trocas comerciais entre empresas de ambos os territórios; 4) Marketing Turístico e o desenvolvimento sustentável. Para dar corpo aos pontos 1), 2) e 4), os residentes/visitantes de Tavira tiveram oportunidade de apreciar no passado mês de Maio, quatro exposições espalhadas por três espaços na cidade: “A ilustração Infantil da Polónia”, na Biblioteca Municipal; “O Poeta da Reportagem - Ryszard Kapuscinski (1932-2007)”, no Quartel da Atalaia; “Os Polacos em Portugal nos anos 1940 – 45“ e “Impressões Europeias”, na Casa do Despacho da Santa Casa da Misericórdia. Estas três últimas exposições foram inauguradas pela Primeira Secretária da Embaixada da Polónia em Portugal, Drª Graż yna Misiorowska-Rychlewska,

na presença do Presidente da Câmara Municipal de Tavira, do Comandante do Regimento de Infantaria 1 (RI1) e do Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Tavira, respectivamente. Acompanharam as cerimónias alguns dos Cônsules Honorários acreditados no Algarve e outros ilustres cidadãos tavirenses. Outras actividades culturais estão previstas para reavivar a geminação entre Tavira e Łłańcut e manter viva a chama do entendimento luso-polaco. As visitas a Tavira do Embaixador da Polónia em Portugal, Prof. Hab. PhD. Bronisław Misztal, é um sinal de que esta cidade está no coração de muitos polacos e continuará a ser um pólo de atracção de grande qualidade de vida para todos quantos aqui residam ou venham a perpetuar uma relação de amizade entre os povos destas duas grandes nações. Todas estas actividades têm sido organizadas pela Associação Internacional de Paremiologia / International Association of Paremiology (AIP-IAP), em colaboração com as entidades indicadas e outras, numa perspectiva de engrandecimento cultural da cidade que “vive cultura”, também conhecida internacionalmente por “cidade capital mundial dos provérbios”.


O POSTAL

Tiragem desta edição:

8.757 exemplares

última

TONY CARREIRA, CARMINHO E XUTOS & PONTAPÉS SÃO GRANDES ATRACÇÕES

Festival do Marisco regressa com cartaz de luxo

Eurocidade cria canal de televisão por internet

O FESTIVAL DO MARISCO re-

Objectivo é promover municípios de Ayamonte, Vila Real e Castro Marim d.r.

A EUROCIDADE Ayamonte-Vila

Real de Santo António-Castro Marim anunciou recentemente que vai criar um canal de televisão por internet para difundir conteúdos de promoção à zona, que abrange os municípios situados na fronteira luso-espanhola da foz do rio Guadiana. Em conferência de imprensa em Vila Real de Santo António, o alcaide de Ayamonte, José Rodriguez Castillo, disse que este é um dos projectos que consta das propostas de actividades para o Verão, apresentado após uma reunião com os presidentes das Câmaras de Vila Real de Santo António, Luís Gomes, e de Castro Marim, José Estevens. Além deste projecto, Rodriguez Castillo disse que a rádio municipal de Ayamonte irá, a partir de 26 de Julho, emitir à sexta-feira uma hora de programação bilingue, com notícias ou entrevistas relativas à Eurocidade.

regressa no dia 9 de Agosto

senvolvimento e emprego, tal como aconteceu com a Ponte Internacional do Guadiana”, quando abriu no início da década de 1990.

gressa ao Jardim Pescador Olhanense entre 10 e 15 de Agosto. Este ano, para além dos habituais mariscos e bivalves da Ria Formosa, confeccionados das mais variadas formas e que farão as delícias dos visitantes, a anima-

ção musical estará a cargo do sempre muito aplaudido Tony Carreira (10), Carminho (11), seguindo-se os Xutos & Pontapés (12) e João Pedro Pais (13). Os concertos das últimas duas noites do Festival do Marisco serão protagonizados pela banda de tributo U2UK (14) e pelo

grupo de samba Revelação, vindo propositadamente do Brasil para actuar em Olhão. Trata-se, mais uma vez, de um cartaz de luxo em que a organização, a cargo do município de Olhão, alia os saborosos mariscos e bivalves da Ria Formosa à boa música nacional e internacional. pub

CRIAÇÃO DO CARTÃO DO EUROCIDADÃO PARA BREVE Outra das

ÔÔ Apresentação de projectos Rodriguez Castillo considerou que os “trabalhos relativos à Eurocidade estão a ser conduzidos com entusiasmo pelos três municípios” e têm como objectivo “preparar projectos que possam depois ser candidatos a fundos comunitários no período de 2014-2020”. Entre as áreas destacadas estão a mobilidade e os transportes entre os três municípios, que o autarca de Ayamonte defendeu ser “motor de de-

iniciativas em curso é a criação do cartão do Eurocidadão, que permitirá aos residentes de cada município usufruir de serviços existentes nos outros, embora o alcaide de Ayamonte tenha frisado que “a lista ainda está a ser definida, porque há serviços que dependem de entidades regionais ou centrais portuguesas e espanholas e têm de ser estabelecidos acordos para o efeito”. A proposta de actividades apresentada no passado dia 10 de Julho pela Eurocidade inclui eventos de animação, culturais e desportivos que se realizam nos dois lados da fronteira. Lusa

VILAMOURA

Mini-maratona UNICEF para ajudar crianças A MINI-MARATONA UNICEF realiza-se a 3 de Agosto, em Vilamoura, concelho de Loulé, e convida todos, atletas e profissionais, a correr para ajudar as crianças de todo o mundo. A iniciativa, que foi apresentada, em Lisboa, na passada terça-feira, propõe duas

distâncias distintas, de três ou dez quilómetros a correr ou a caminhar para atletas de qualquer idade, quer sejam amadores, quer profissionais. O regulamento estipula que as inscrições, limitadas a 15 mil concorrentes, têm de ser acompanhadas de um paga-

mento de 12 euros para adultos e seis euros para crianças. Uma boa forma de passar um sábado em família ou entre amigos, aliando a prática saudável do desporto à nobre causa de ajudar os mais pequenos e mais desfavorecidos. PR/RC/Lusa AF IMPRENSA 210x285 Emigrantes.indd 1

> > ASSINALE A FRASE CORRETA Ora, vê lá se sabes este provérbio:

6/7/13 5:10 PM

> > SOLUÇÃO da edição passada Ora, vê lá se sabes este provérbio: Quem não quer ser lobo,

A razão ainda que severa,

…… é sempre amiga e sincera. …… leva o coração à miséria.

…… não mostra os dentes.

;; não lhe veste a pele.

Esta é uma iniciativa das Bibliotecas Paula Nogueira do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira (Olhão) em parceria com a Casa da Juventude de Olhão e o POSTAL, que semanalmente divulga os problemas e as soluções deste jogo. VáriasescolasdoAlgarve jáaderiramàiniciativa:AEProfessorPaulaNogueira(Olhão)/AEdaSé(Faro)/AED.AfonsoIII(Faro)/AEDr.AlbertoIria(Olhão)/ColégioBernardetteRomeira(Olhão)/AEDr.JoãoLúcio(Fuseta)/AEdeEstoi(Faro)/AEJoaquimMagalhães(Faro)/AEdoMontenegro(Faro)/AEdeCastroMarim (Vila Real de St. António) / AE Professora Diamantina Negrão / (Albufeira) / Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas (Mega Agrupamento de São Brás de Alportel) / Escola Secundária João de Deus (Faro) / Agrupamento de Escolas D. Paio Peres Correia (Tavira) / Casa da Juventude (Olhão) / Postal do Algarve. Convidamos todas as escolas e bibliotecas, interessadas em aderir ao Jogo da Língua Portuguesa e receber os materiais para o mesmo, a contactar: biblioteca.epnogueira@gmail.com ou jornalpostal@gmail.com.


POSTAL 1106 - 26 jul 2013