Page 1

Ebru Barutçu Gökdenizler

A Artística

Embaixadora da Turquia

François Hollande

em visita oficial a Portugal

Nº31.2016


4 | E ditorial 7 | E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler 26 | E ncontros

do

M undo

42 | C omemoração

em

da

L isboa – T urquia

do nascimento da

D ona M aria 58 | P rotocolo , E ntrega M embro H onorário

à

T urquia

de

de

P ortugal

D iploma

E mbaixadora

60 | C ultura , IX E ncontros

64 | P rotocolo , B icentenário

na

da

C uba

D iáspora

D eclaração

da

A rgentina

70 | P rotocolo , V isita

oficial do

da

I ndependência

de

de

E scritores

dos

M oçambicanos

I nfanta

P residente

de

F rança

a

P ortugal

PORTUGAL PROTOCOLO Revista . Edição Digital Nº 31 . 2016 . Julho.Agosto.Setembro Director João Micael

Jornalista Convidada Maria Dulce Varela Fotógrafo Convidado João de Sousa Arte

Portugal Protocolo Design

Propriedade João Micael Matriz Portuguesa - MPADC - Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento Tel. +351 21 410 71 95 . Telem. +351 91 287 10 44 protocolo@portugalprotocolo.com www.portugalprotocolo.com

Registo ERC Nº 125909 INTERDITA A REPRODUÇÃO DE TEXTOS E IMAGENS POR QUAISQUER MEIOS

Por

vontade expressa do editor a revista respeita a ortografia anterior ao actual acordo ortográfico.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 3


E

d i t o r i a l

Pela primeira vez a Portugal Protocolo entrevista um membro do Corpo Diplomático acreditado em Portugal. A escolha incidiu sobre a última convidada de honra dos “Encontros do Mundo em Lisboa”, realizado antes do período de férias, a Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler da Turquia. A data para aquele encontro e jantar estava já decidida, os convites haviam sido enviados, e os convidados aguardavam com expectativa o evento que decorreria na residência da embaixada, onde conheceriam os costumes e a famosa gastronomia daquela milenar Cultura. Eis que o terrível atentado ocorre no aeroporto de Istambul no dia anterior ao encontro. Naturalmente, o governo Turco declarou Luto Nacional no dia 29 de Julho, impedindo a sua realização. Mas, com grande cortesia e elegância, a Embaixadora não o cancela, antes o

adia por respeito para com as vítimas. Assim, no dia seguinte os convidados da Matriz Portuguesa são recebidos com total sucesso. Tendo surpreendido a todos com uma faceta inesperada – aguardava os convidados uma visita surpresa à sua galeria pessoal com as obras artísticas da sua autoria -, levou-me a considerar convidá-la a ser entrevistada para a Portugal Protocolo, revelando aos seus leitores um outro lado do mundo diplomático. Mas, também, após esta entrevista, a Turquia sofre novo revés. No dia 15 de Julho ocorre uma tentativa de golpe de Estado. Não obstante o desfecho já conhecido deste acontecimento, o conteúdo da entrevista concedida pela Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler não reflecte aquela realidade do seu país. Ainda, e, pela enorme simpatia e excelentes relações que soube cultivar em Portugal, a Embaixadora foi alvo de uma bonita homenagem rodeada de uma grande grupo de amigos, devida à conclusão da sua missão diplomática em Lisboa, realizada no Teatro Camões, em Lisboa, com a exibição de um bailado coreografado por Olga Roriz, por quem nutre grande admiração. Até sempre Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler.

João Micael Director da Portugal Protocolo revista

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 4


A Academia de Protocolo é um projecto inédito em Portugal, concebido para o estudo e ensino do Protocolo enquanto disciplina “normativa” e a formação de profissionais de Protocolo e Cerimonial. É, também, o complemento e apoio essenciais de formação e de consultadoria às Relações e Intercâmbios Culturais, Académicos e Empresariais para as entidades oficiais, institucionais e privadas da Esfera Lusófona composta pelos Países de Língua Oficial Portuguesa; Comunidades Portuguesas, mais qualificadas e empreendedoras, disseminadas pelo Mundo; Luso-descendentes, fruto de uma integração sociocultural de sucesso, com expressivos exemplos na ocupação de cargos governativos nos países onde nasceram e residem e a todos os países com quem mantém importantes ligações.

Primeiro curso livre “Protocolo na Assessoria Diplomática em Portugal” Março de 2016, em Lisboa Mais informações +351 91 287 10 44 | academia-protocolo@matriz-portuguesa.pt

www.matriz-portuguesa.pt


A

aplicação prática do

Protocolo

visa

Utilizar correctamente o Protocolo na imagem e comunicação empresarial; Ultrapassar as barreiras resultantes do desconhecimento protocolar; Reconhecer a importância da Imagem para o sucesso; Participar com eficácia e qualidade em eventos profissionais e sociais.

A “Academia

de

Protocolo

na

Esfera Lusófona”

pretende

Dinamizar e fomentar o estudo, debate, a apresentação de projectos na área protocolar nos âmbitos oficial, autárquico, empresarial, social, desportivo, e multicultural; A valorização profissional e cultural através dos Cursos Livres de Protocolo; Certificação dos profissionais da área protocolar; Relacionamento e intercâmbio entre entidades oficiais, institucionais e particulares, nacionais e estrangeiras, na Esfera Lusófona; Editar e publicar, sob qualquer forma e suporte, obras no âmbito da área protocolar com relevância institucional e profissional; Promover a formação empresarial, profissional, social e multicultural neste domínio; Disponibilizar serviços de consultadoria e serviços de Protocolo; Quaisquer outras actividades que se ajustem às finalidades da Academia de Protocolo.

Organizando

e realizando para o efeito

Encontros, conferências, cursos livres, acções de formação, exposições, visitas e viagens em Portugal e ao estrangeiro, bem como outras iniciativas sociais e culturais.

www.matriz-portuguesa.pt


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler

Nasceu

A n k a r a e m 1959, f r e q u e n to u o “TED A n k a r a C o l l ege ” e t e m u m B.A. e m Relações Internacionais pe l a U n i v e r s i d a d e Americana em Paris. É a Embaixadora da Turquia em Portugal. em

da

T urquia

A Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler ingressou no Ministério dos Negócios Estrangeiros da Turquia e serviu na Missão da Turquia junto às Nações Unidas, em Nova Iorque, e na Cidade do México. Assumiu diversas funções no Ministério dos Negócios Estrangeiros: no Gabinete do Assessor Especial do Ministro, das Relações Económicas Multilaterais, da União Europeia, do Planeamento de Políticas, do Médio Oriente e Américas. Foi Directora-Geral para as Américas - relações políticas e económicas de países da América do Norte, Central e do Sul. É casada com o Embaixador Ahmet Vakur Gökdenizler, Embaixador da Turquia na Austrália.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 7


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler

da

T urquia

Além da sua actividade diplomática, desenvolve uma outra muito pessoal, dedicada às Artes Plásticas, inspirando-se nas cidades e sociedades onde tem representado a Turquia.

“Como Diplomata, tenho residido em muitos países (...) onde absorvo muitas vibrações das suas

Culturas, das Pessoas

que conhecemos e que nos deixam uma profunda impressão.“

Sim, é verdade. Na realidade todos os Diplomatas possuem passatempos, não se dedicam exclusivamente à Diplomacia. O meu passatempo é a expressão da minha criatividade em diversas formas, na realização das recepções, na decoração das mesas… Encontro sempre um meio de manifestar a minha criatividade. Mas, as minhas colagens1, e, nunca tive qualquer formação formal na área, tiveram início na década de 80, muito antes das actuais ferramentas computadorizadas, como o Photoshop. As minhas colagens são totalmente manuais. Como Diplomata, tenho residido em muitos países, e tenho-me habituado a esses lugares, onde absorvo muitas vibrações das suas Culturas, das Pessoas que conhecemos e que nos deixam uma profunda impressão. E, foi deste modo que, as colagens surgiram. Por exemplo, tenho sempre comigo uma fotografia a preto e branco de uma pessoa amiga de Viena, e que acompanha sempre. E, também outras fotografias dos países onde estive como diplomata, como o México, os Estados Unidos, em Nova Iorque e Washington, e, actualmente, Portugal. Assim, criei peças sobre todos estes locais, e creio ter feito uma boa caracterização relativa ao

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 8


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 9

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 10

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 11

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler

da

T urquia

tempo que aí passei, e também aos acontecimentos aí ocorridos durante a minha estadia. Por exemplo, a peça relativa a Washington é alusiva à primeira Guerra do Golfe, e ao grande envolvimento da CNN, já nos anos 90. São, naturalmente, obras amadoras, mas decidi, pela primeira vez, expor o meu trabalho aqui em Portugal, em Novembro do ano passado, numa sala como numa pequena galeria na Embaixada, tendo convidado para a sua inauguração outros Embaixadores e amigos. Creio que gostaram.

“O Protocolo é a «Língua Franca» de todos os encontros diplomáticos, e munidos de um código de conduta, então, nada pode correr mal. “

O Protocolo tem, naturalmente, representado um instrumento essencial nas suas funções diplomáticas e sociais. Alguma vez o Protocolo foi indispensável para ultrapassar uma situação constrangedora ou particularmente sensível, devido a diferenças culturais? Naturalmente, o Protocolo anda de mãos dadas com a Diplomacia, pois é um código de conduta, pelo qual, nós os Diplomatas, devemos nos reger, devido às diferenças entre as diversas Culturas, que têm as suas nuances. O Protocolo é a “Língua Franca” de todos os encontros diplomáticos, e munidos de um código de conduta, então, nada pode correr mal. Por exemplo, em algumas Culturas é costume dar o lugar de honra à direita, enquanto noutras esse lugar é dado à esquerda; assim munidos deste

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 12


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 13

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler

“...Levarei “Lisboa” comigo para sempre.”

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 14

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 15

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler

“...O

meu passatempo é a

expressão da minha criatividade em diversas formas.”

da

T urquia

código, este tipo de situações estará resolvido, não se correndo o risco de se criar um incidente diplomático ao dar o lugar de honra errado a alguém. Aqui na Embaixada, já tivemos visitas de alto nível, como por exemplo a visita do presidente Abdullah Gul, em 2013, e, o Protocolo foi um ponto importantíssimo nesta visita. O objectivo e a logística da visita são uma coisa, o Protocolo que a envolve é algo completamente diferente. A equipa do Protocolo do Estado Português foi uma presença e apoio preciosos durante toda a visita, sempre cooperantes e muito disponíveis, tornando possível o seu sucesso e sem quaisquer acidentes (risos). Todos os nossos ministérios têm um departamento de Protocolo, é seguramente uma das funções mais complexas, pois quando tudo corre bem o resultado é tido como normal, mas se o mais pequeno acidente ou erro ocorre é o encarregado do Protocolo quem, geralmente, se torna o seu causador.

Senhora Embaixadora, infelizmente, encontra-se no final da sua missão diplomática em Portugal em representação da Turquia. Que recordações leva das relações entre os nossos dois países? Quando partir de Portugal, deixarei para trás um pouco da minha alma e do meu coração, mas, levarei também as memórias de quatro fantásticos anos. Recordações do Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 16


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 17

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 18

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 19

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler calor dos Portugueses e a grandeza da Alma Portuguesa. E, também, dos anos de boas relações entre a Turquia e Portugal, que alcançaram níveis bastante elevados. Portugal foi o meu primeiro posto como Embaixadora, e sinto-me abençoada por esse facto e pela maravilhosa recepção que me foi dispensada pelos Portugueses, que foram extraordinariamente amáveis e calorosos. É verdadeiramente encantador sentirmo-nos bem-vindos no país onde trabalhamos. Como havia mencionado anteriormente nos “Encontros do Mundo em Lisboa”, onde fui a convidada de honra da Matriz Portuguesa, as relações entre a Turquia e Portugal remontam a 1843, quando foi assinado o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação, no primeiro artigo desse tratado é mencionada a eterna amizade entre os nossos dois países, e devo dizer que, pessoalmente, mantenho-me fiel a essa promessa, e tudo fiz para fortalecer esses laços de amizade. Também as inúmeras semelhanças entre a Turquia e Portugal tornam essa declaração possível – somos dois países situados nos extremos geográficos do continente europeu, e apesar dessa enorme distância, há temos muito em comum. Em primeiro lugar temos uma base cultural comum mediterrânica. Até fisicamente somos parecidos (risos). Também os nossos Passados Históricos foram gloriosos e influenciaram grandemente a História da Humanidade através dos impérios Português e Otomano. Somos, no sentido simbólico, paísesPortugal Protocolo . Nº 31|2016 . 20

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 21

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 22

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutรงu G รถkdenizler

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 23

da

T urquia


E ntrevista , E mbaixadora E bru B arutçu G ökdenizler

da

T urquia

-ponte, no caso de Portugal é uma ponte entre a América do Sul, África e a América e Europa, a Turquia é uma ponte entre o Ocidente e o Oriente, bem como a África. Somos, também, pontes entre o Passado e o Futuro. Durante a minha missão, entre os nossos países, houve mais de quinze acordos, políticos, económicos, culturais e militares, abrangendo uma grande área de interesses comuns. Levarei todas estas recordações comigo, mas, como havia há pouco contado aquela pequena história sobre a canção “I left my heart at San Francisco”, nesse contexto, comprei um cachorrinho Português, que baptizei de “Lisboa”, para assim não deixar o meu coração em Lisboa, e que este representará e recordará os bons tempos passados em Portugal. Levarei “Lisboa” comigo para sempre. Entrevista de João Micael Fotografias de João de Sousa

Colagem é a composição feita a partir do uso de matérias de diversas texturas, ou não, sobrepostas ou colocadas lado a lado, na criação de um motivo ou imagem. Foi usada por Picasso e Georges Braque, entre outros. O cubismo foi o primeiro movimento artístico a utilizar colagem. Os cubistas colavam pedaços de jornal ou impressos em suas pinturas. A colagem foi utilizada pela primeira vez aquando da invenção do papel na China, cerca de 200 E.C., tendo aparecido na Europa, durante o século XIII.

1

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 24


Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 25


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler e João Micael

Portugal

e a

Turquia

Fotografias de João de Sousa Página ao lado Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler, João Micael e Embaixadora da Ucrânia, Inna Ohnivets

A Matriz Portuguesa – MPADC Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento teve a honra de receber como Convidado de Honra, S. Exa. A Embaixadora da Turquia, Ebru Barutçu Gökdenizler, nos “Encontros do Mundo em Lisboa – Turquia”, no dia 30 de Junho, no requintado ambiente da Embaixada da República da Turquia, em Lisboa. A Convidada de Honra recebeu o Diploma de Distinta Dama do Concílio de Honra da Matriz Portuguesa, com a Dignidade de Membro Honorário. Estiveram presentes a Embaixadora da Ucrânia, Inna Ohnivets, entre outros distintos convidados.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 26


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 27


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Teresa Cabido e Embaixadora Inna Ohnivets da Ucrânia

Clementina Paiva e Conselheira Gülce Kumrulu Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 28


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Fernando Zagalo, Primeiro Conselheiro Özgür Uludüz e Conceição Zagalo

Maria José e Miguel Couto dos Santos Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 29


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Carla Matos e Pedro Marinheiro

Maria da Luz de Sousa e Fernando Lopes Neto Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 30


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Maria do Rosário Pinto, Maria de Lourdes Loução, Conselheira Gülce Kumrulu e Monique Benveniste

Rosarinho e Coronel Miguel Cabedo Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 31


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Durante a entrevista

João Micael entrega à Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler o Diploma de Membro do Concílio de Honra da Matriz Portuguesa Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 32


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Embaixadora Ebru Barutรงu Gรถkdenizler assina o Livro de Honra

Embaixadora Embaixadora Inna Ohnivets assina o Livro de Honra Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 33


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Durante o jantar

Kadınbudu köfte (Coxa de Dama) Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 34


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

İmam bayıldı (“O Imã desmaiou”, Beringelas recheadas)

İç Pilav (Arroz Pilav) Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 35


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Çerkez tavuğu (Frango à Circassiana com molho de Noz)

Durante o jantar Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 36


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Hünkar Beğendi (A Favorita do Sultão) (conjunto das duas iguarias)

Hünkar Beğendi (A Favorita do Sultão) (conjunto das duas iguarias) Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 37


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Su Böreği (Pastel de Água)

Bülbül yuvası (Ninho de Rouxinol) Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 38


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Dilber dudağı (Lábios de Bela)

Hanım göbeği (Barriga de Dama) Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 39


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Digestivos no jardim da Embaixada

A Embaixadora Inna Ohnivets aprecia uma das obras artĂ­sticas da autoria da Embaixadora da Turquia Portugal Protocolo . NÂş 31|2016 . 40


E ncontros

do

M undo

em

L isboa - T urquia

Maria do Rosรกrio Pinto, Embaixadora Ebru Barutรงu Gรถkdenizler e Carla Matos

Embaixadora Inna Ohnivets e Joรฃo Micael Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 41


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

A Matriz Portuguesa comemorou o 495º aniversário do nascimento da sua Patrona, a Infanta Dona Maria de Portugal, numa visita à Casa-Museu António Medeiros e Almeida.

Em cima Infanta Dona Maria de Portugal, retrato a óleo de António Mouro, entre 1550 e 1555. Convento Las Descalzas Reales, Madrid Página ao lado Vicente de Paiva Brandão, Clementina Paiva e João Micael

“Há 495 anos nascia, neste mesmo mês de Junho e aqui em Lisboa, aquela que seria a derradeira infanta de Avis em Portugal; e, como os principiadores dessa grande dinastia real, a Ínclita Geração, também Dona Maria de Portugal seria o exemplo superior do Conhecimento e Erudição. Particularmente numa época em que poucas eram as mulheres que se evidenciavam mediante os seus dotes intelectuais. Aquela, a quem chamaram “Minerva do seu século”, foi mais longe, rodeando-se de um grupo de ilustres damas de idêntico ânimo e saber, logrou o reconhecimento para o seu palácio a reputação de “universidade feminina”. A sua vida decorreu em plena Era de Ouro da História de Portugal, convivendo e protegendo os mais insignes: as suas damas Luísa e Ângela Sigeia, Joana Vaz, Paula Vicente e

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 42


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 43


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Núncio Apostólico D. Rino Passigato, João Micael, presidente da Matriz Portuguesa e Teresa Vilaça, directora da Casa-Museu António Medeiros e Almeida

Hortênsia de Castro; os escritores Camões e Francisco de Morais; o mestre de filosofia e teologia Frei Luís de Granada; os pintores António Campelo, João Baptista e António Leitão; os humanistas André de Resende, Luís Teixeira, Aires Barbosa e Francisco de Melo, entre tantos outros. É, pois, inquestionável, a relevância que tão extraordinária personagem fosse elevada a Patrona da Matriz Portuguesa MPADC - Associação para o Desenvolvimento da Cultura e do Conhecimento, pelo seu elevado exemplo, simbolismo histórico e familiar e singularidade. Tudo nela reflecte os propósitos da instituição – o estudo, o apoio, a divulgação, e a dignificação do Conhecimento, da Cultura e do Humanismo da Matriz Portuguesa de então e de agora. Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 44


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Maria da Luz de Sousa, Conde Ghislain de Guimoard e Maria do Rosário Pinto

Teresa e Cor. Pilav. João de Paiva Leite Brandão Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 45


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Vicente Trindade e Maria do Carmo Silvestre

Discurso por ocasião da comemoração João Micael Presidente da Matriz Portuguesa

Deste modo a primeira celebração do seu nascimento, em pleno mês da comemoração do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, além de auspiciosa, só poderia realizar-se num lugar onde a Arte e a Cultura são enormemente prezadas – a Casa-Museu Medeiros e Almeida. Aqui, curiosamente, também se encontra, no seu inestimável acervo, um belíssimo gomil de porcelana da China, proveniente de uma das primeiras encomendas de Dom Manuel I, exactamente no período do nascimento da infanta. O círculo fecha-se, e por tal os meus sinceros agradecimentos à sua directora, Dra. Teresa de Seabra Cancela Vilaça, bem como à Fábrica de “Pastéis de Belém”, pela gentil oferta da doçaria conventual Portuguesa, cujo receituário é originário do mosteiro dos Jerónimos mandado construir pelo Venturoso Rei.”

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 46


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Início da visita

Teresa Vilaça durante a visita Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 47


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Núncio Apostólico D. Rino Passigato durante a visita

Durante a visita Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 48


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Durante a visita

Durante a visita Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 49


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Durante a visita

Durante a visita Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 50


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Durante a visita

Durante a visita Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 51


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

João Micael toma o uso da palavra

João Micael entrega a Teresa Vilaça, directora da Casa-Museu António Medeiros e Almeida, o Diploma de Membro do Concílio de Honra da Matriz Portuguesa Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 52


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Luísa de Figueroa Rego assina o Livro de Honra

Maria da Luz de Sousa assina o Livro de Honra Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 53


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Cor. Pilav. João de Paiva Leite Brandão assina o Livro de Honra

Isabel Nunes e João Micael Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 54


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Berta Ribeiro, Clementina Paiva e Vicente de Paiva Brandão

João de Figueroa Rego, Clementina Paiva, Luísa de Figueroa Rego, Teresa Vilaça, e o Conde Ghislain de Guimoard Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 55


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Vicente de Paiva Brandão e Gabriela Paiva Leite Brandão Sarmento

Anabela Martins Baptista e Vicente Trindade Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 56


Comemoração do nascimento da Infanta Dona Maria de Portugal

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 57


Protocolo Entrega de Diploma de Membro Honorário à Embaixadora de Cuba

A Embaixadora Johana Tablada de La Torre foi distinguida pela Matriz Portuguesa

Em cima Embaixadora Johana Tablada de La Torre e João Micael Na página ao lado João Micael, Embaixadora Johana Tablada de La Torre e Vicente de Paiva Brandão

Seguindo o exemplo da concessão de Diplomas de Distintas Cavalheiros ou Damas do Concílio da Matriz Portuguesa, aos convidados de honra do “Encontros do Mundo em Lisboa”, a Embaixadora Johana Tablada de La Torre recebeu de João Micael, Presidente da Matriz Portuguesa, e Vicente de Paiva Brandão, viceDirector da Academia de Protocolo, na Embaixada de Cuba, o Diploma de Distinta Dama do Concílio da Matriz Portuguesa, com a Dignidade de Membro Honorário; integrando a lista de outros membros do Corpo Diplomático como da Alemanha, Canadá, Israel, França, República da Coreia, Turquia e do Bangladesh.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 58


Protocolo Entrega de Diploma de Membro Honorário à Embaixadora de Cuba

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 59


Cultura, IX Encontros dos Escritores Moçambicanos na Diáspora

O “IX Encontro de Escritores Moçambicanos na Diáspora” decorreu nos dias 1 e 2 de Julho no “Centro Cultural de Cascais” e na “Casa das Histórias Paula Rego”, em Cascais. Em cima João Micael, presidente da Matriz Portuguesa recebe o diploma de membro honorário da CEMD das mãos de Delmar Maia Gonçalves, presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, e a representante do Presidente da Câmara de Cascais, vereadora Paula Gomes da Silva.

Este encontro, organizado pelo Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, teve por objectivo dar a conhecer a cultura Moçambicana no estrangeiro e a presença de autores Moçambicanos na diáspora, assim como fortalecer as relações entre autores e especialistas literários Moçambicanos e Portugueses. Outro objectivo da iniciativa foi definir um papel a desempenhar e os contributos a dar pela comunidade literária Moçambicana na diáspora, junto de instituições como a CPLP, a Fundação Calouste Gulbenkian, o Instituto Camões, o Governo da República Portuguesa, o Ministério da Cultura, Instituto Internacional da Língua Portuguesa, UNESCO, UCCLA, bem como junto à sociedade Portuguesa

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 60


Cultura, IX Encontros dos Escritores Moรงambicanos na Diรกspora

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 61


Cultura, IX Encontros dos Escritores Moçambicanos na Diáspora

em geral. A iniciativa serviu igualmente para estudar formas de intercâmbio e cooperação entre os escritores, poetas e intelectuais Moçambicanos na diáspora e os residentes em Moçambique. Além de lançamentos de livros e leituras de poesia, o programa do encontro reservou a realização de debates e conferências sobre vários temas, destacando-se “Literatura Moçambicana”, “Literaturas Lusófonas”, “Interculturalidade, Multiculturalidade e Transculturalidade”, “Lusofonia, Diáspora e Multiculturalidade”, “Comunicação Intercultural”, “Direitos Humanos”, “Liderança e Empreendedorismo”, e “A Matriz a Portuguesa e a Lusofonia”. Foram homenageados os escritores Moçambicanos Carlos Paradona Rufino Roque e Domingos Chirongo e o artista plástico Luís Soares. Houve também

uma homenagem especial à artista plástica Moçambicana Lara Guerra pelo prestígio que granjeou nas artes plásticas e pelo seu contributo para a divulgação das culturas moçambicanas no mundo. E, por fim, também foram distinguidos o Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras e o Presidente da Matriz Portuguesa, João Micael, como membros honorários do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 62


Cultura, IX Encontros dos Escritores Moรงambicanos na Diรกspora

Portugal Protocolo . Nยบ 31|2016 . 63


Protocolo – Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina

Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina, em Lisboa

Por

ocasião

do

Bicentenário

da

Declaração da Independência Nacional da

Argentina,

os

Embaixadores

da

República

Argentina,

Oscar

Moscariello e Silvia Raina, receberam o Corpo Diplomático e outros distintos convidados no Mosteiro dos Jerónimos para a celebração religiosa na igreja, e a recepção do mosteiro, no dia 7

Em cima Cerimónia religiosa na igreja do Mosteiro dos Jerónimos Na página ao lado Embaixadores Oscar Moscariello e Silvia Raina

de Julho. Foi oferecido aos convidados um espectáculo musical durante o cocktail.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 64


Protocolo – Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 65


Protocolo – Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 66


Protocolo – Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 67


Protocolo – Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 68


Protocolo – Bicentenário da Declaração da Independência da Argentina

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 69


Protocolo – Visita Oficial

do

Presidente da República recebeu o Presidente François Hollande no Palácio de Belém

Fonte © 2016 Presidência da República Portuguesa

Presidente

de

França

a

Portugal

O Presidente da República Francesa esteve em Portugal, no dia 19 de Julho, para uma vista oficial de trabalho. Do programa fizeram parte uma reunião bilateral entre os dois Chefes de Estado, seguido de um almoço. A visita de duas horas terminou com uma conferência de imprensa onde o Presidente da República agradeceu, “com consideração e admiração” que o Presidente Francês tenha vindo a Portugal apesar dos tristes acontecimentos em Nice e onde o Presidente Francês pediu o apoio de Portugal para “novas medidas”, “com a força necessária”, contra o terrorismo.

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 70


Protocolo – Visita Oficial

do

Presidente

de

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 71

França

a

Portugal


Protocolo – Visita Oficial

do

Presidente

de

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 72

França

a

Portugal


Protocolo – Visita Oficial

do

Presidente

de

Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 73

França

a

Portugal


EM PORTUGAL… IN PORTUGAL…

Sabe reconhecer as Precedências e as Hierarquias oficiais e civis? Do You recognize official and civilian Precedences and Hierarchies?

Está em sintonia com os costumes sociais, culturais e empresariais? Are you in harmony with the social, cultural and business customs?

Emprega correctamente as fórmulas de tratamento e de cortesia? Do you use correctly the formulas of treatment and courtesy?

Conhece o código de vestuário usado em sociedade e nos eventos oficiais e profissionais? Do you know the dress code used in society and official and professional events?

O PODER NOS DETALHES - CRIAR PRESTÍGIO E REPUTAÇÃO POWER IN THE DETAILS - CREATE PRESTIGE AND REPUTATION

Mais informações +351 91 287 10 44 | academia-protocolo@matriz-portuguesa.pt

www.matriz-portuguesa.pt Portugal Protocolo . Nº 31|2016 . 74

PORTUGAL PROTOCOLO revista nº 31 | 2016  

4 | Editorial 7 | Entrevista, Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler da Turquia 26 | Encontros do Mundo em Lisboa – Turquia 42 | Comemoração d...

PORTUGAL PROTOCOLO revista nº 31 | 2016  

4 | Editorial 7 | Entrevista, Embaixadora Ebru Barutçu Gökdenizler da Turquia 26 | Encontros do Mundo em Lisboa – Turquia 42 | Comemoração d...

Advertisement