Page 1

Vira geral Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Introdução 3

Nosso referencial teórico: a educomunicação 5

Áreas de atuação da Viração 7

Programas da Viração Educomunicação 9

Principais projetos 14

Prêmios 17

Redes e articulações políticas 19

Outras ações, campanhas e projetos 21

Viração Internacional 28

Parcerias 33

Sumário


Introdução A Viração Educomunicação é uma organização não governamental de comunicação, educação e mobilização social entre adolescentes, jovens e educadores. Criada em março de 2003, impactou na vida de mais de 5 milhões de adolescentes e jovens no Brasil por meio de projetos, programas, campanhas e processos desenvolvidos desde então. Recebe apoio institucional do UNICEF, UNESCO, ANDI – Comunicação e Direitos, Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo (NCE/USP), Ashoka Empreendedores Sociais, Fundação Friedrich Ebert (FES), Província Autômona de Trento e do Centro de Competencia en Comunicación para a America Latina. A organização tem como missão fomentar e divulgar processos e práticas de educomunicação e mobilização entre jovens, adolescentes e educadores para a efetivação do direito humano à comunicação e para a transformação socioambiental. A Viração possui metodologia própria de trabalho e experiência comprovada em processos, projetos e produtos de educomunicação e de mobilização social juvenil; habilidade para trabalho em escolas e com grupos de diferentes naturezas; experiência em planejamento e gestão de processos de comunicação e educação e na implantação e implementação de projetos sociais na área da infância e juventude; experiência no desenvolvimento de materiais de comunicação e cobertura de eventos a partir do olhar de crianças, adolescentes e jovens; além de histórico de compromisso com os Direitos da Criança, do Adolescente e do Jovem.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

3


A base desta visão é o entendimento de que adolescentes e jovens são sujeitos de direitos que precisam ser considerados em sua condição peculiar de pessoa em desenvolvimento, vulnerabilidades e potencialidades específicas, representando uma grande oportunidade de desenvolvimento para sua família, comunidade, escola, governo e para si próprios. Além de trabalhar para o desenvolvimento integral desse segmento etário, a Viração também atua na implementação de uma comunicação integral e integradora, não entendida apenas sob o ponto de vista técnico e instrumental. Nos últimos anos, a Viração tem desenvolvido projetos com adolescentes e jovens nas áreas de formação política e cidadã, mobilização social e incidência política, bem como em produção de conteúdo em diferentes mídias e linguagens. Nesse contexto, realizou mais de 50 coberturas de eventos, teve ação estratégica em espaços de formulação de políticas públicas, como a Conferência Nacional da Juventude em instâncias municipais, estaduais e federal. Atuou com jovens de 21 estados do Brasil e do Distrito Federal que integram os Conselhos Virajovens e também atuam na Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores (Renajoc), que defende o direito humano à comunicação da juventude e integra o movimento social pela democratização dos meios de comunicação do país. Em seu processo de gestão, a Viração também tem procurado desenvolver processos e produtos educomunicativos, democráticos e colaborativos, em diferentes âmbitos, seja com o público dos projetos, parceiros, seja com a própria equipe da Viração, que conta com educadores, comunicadores, administradores, além do quadro de diretoria institucional, composta por três representantes. Toda a equipe trabalha segundo os princípios da educomunicação, procurando estabelecer processos democráticos, colaborativos e transparentes em suas atividades.

4

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Nosso referencial teórico: a Educomunicação Todos os projetos da Viração e sua gestão são feitas a partir de um paradigma: a Educomuniação, um campo de intervenção sócio-educativa, que nasce da inter-relação entre educação e comunicação e se define como: o conjunto de ações voltadas ao planejamento e implementação de práticas destinadas a criar e desenvolver ecossistemas comunicativos abertos e criativos em espaços educativos, garantindo, desta forma, crescentes possibilidades de expressão a todos os membros das comunidades educativas1” (SOARES, 2003). O educador Paulo Freire, uma das principais referências no campo da Educomunicação, nos ensina que a educação só é possível enquanto ação comunicativa, uma vez que não se trata de transmissão de saberes, mas de troca entre sujeitos interlocutores. E ainda que toda comunicação, enquanto produção simbólica, intercâmbio e transmissão de sentidos é, em si, uma ação educativa. Para ele, a comunicação é um componente do processo educativo, muito além do recorte “messiânico tecnológico”. Nesse sentido, a comunicação deixa de ser algo puramente midiático, com função instrumental, e passa a integrar as dinâmicas formativas.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

5


Esse ecossistema comunicativo, de que trata a educomunicação, é caracterizado por uma opção consciente para favorecer o diálogo social, aberto, democrático e criativo, princípios que orientam as metodologias dos nossos projetos e processos, sejam eles de formação, produção de conteúdos e/ou mobilização social de adolescentes e jovens. A relação dialógica não é dada pela tecnologia adotada, mas pelas relações que se estabelecem. As atividades sustentadas no paradigma da Educomunicação consideram tanto a apreensão de técnicas de produção em comunicação, quanto a valorização e criação das condições necessárias para a realização do diálogo e da participação; bem como a promoção de direitos e da cidadania. O uso dos aparatos midiáticos e tecnológicos é uma importante estratégia utilizada em nossos processos, uma vez que possibilita aos atores envolvidos o exercício deliberado da liberdade de expressão e a efetivação do direito humano à comunicação, além de se converter em uma forma eficiente de registro e disseminação de conteúdos sociais, culturais e políticos, com capacidade de mobilizar outros atores e gerar incidência política.

6

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Áreas de atuação da Viração A Viração atua em três grandes áreas que se complementam. Todos os projetos e programas da organização possuem aspectos dessas três áreas, que são: educação (formação de adolescentes, jovens e educadores), comunicação (produção de conteúdos colaborativos de adolescentes e jovens) e mobilização social (com a articulação de adolescentes e jovens em torno de questões sociais estratégicas).

Educação Essa área compreende a sensibilização e ampliação de repertório sobre temas estruturantes como direito humano à comunicação, direitos das crianças, adolescentes e jovens e participação democrática, bem como a apreensão de técnicas de comunicação, em diferentes linguagens. Os processos de formação da Viração sempre têm em vista a expressão dos adolescentes e jovens, seja por meio de intervenções artísticas, manifestações de rua ou produção de notícias. O caráter comunicativo não é, portanto, descartado por essa área. A Viração presta assessoria técnica para a realização de processos, projetos e ações de educomunicação em escolas, grupos juvenis e comunitários. Se você ou sua organização está interessado em um serviço de assessoria, basta enviar um e-mail para: redacao@viracao.org.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

7


Comunicação Com maior foco na produção de notícias e reportagens, em diferentes formatos, por adolescentes e jovens, a área de comunicação da Viração é responsável por organizar e sistematizar o que os adolescentes e jovens produzem durante seus processos de formação e intervenção em diferentes espaços. Isso se aplica aos jovens formados diretamente pela organização, mas também a uma rede de colaboradores entre 15 e 29 anos presente em 20 estados do país e no Distrito Federal – os virajovens –, que atuam, sensibilizam e são sensibilizados para diversas questões sociais em suas cidades e que exercem, por meio dos veículos da Viração – a Revista Viração e o site Agência Jovem de Notícias – seu direito humano à comunicação. Além desse processo em rede, a Viração desenvolve produtos especiais utilizando a metodologia educomunicativa, como revistas, cartilhas e livros. Sempre envolvendo adolescentes e jovens em todo o seu processo de produção. Alguns desses produtos são feitos em parceria com outras redes, organizações sociais e instituições públicas.

TÁ NA MÃO Para conhecer algumas das publicações feitas pela Viração, acesse o link do nosso site: www.viracao.org/viracao/projetos/ produção-de-conteúdos

Mobilização social A mobilização social de adolescentes e jovens faz parte dos nossos processos educativos e comunicativos, uma vez que se busca valorizar a ação entre pares na realização de atividades para mobilizar outros adolescentes e jovens em torno de questões sociais relacionadas a direitos humanos, em especial de crianças, adolescentes e jovens, bem como em torno ao direito humano à comunicação. Esse processo é contínuo em nossos programas – A Revista Viração e a Agência Jovem de Notícias –, em que a equipe de educomunicadores anima a participação de adolescentes e jovens em diferentes espaços políticos e também se dá entre pares, na sensibilização de jovem para jovem em ações e intervenções de rua e também por meio dos nossos produtos de comunicação, campanhas e coberturas educomunicativas.

8

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Programas da Viração Educomunicação Desde 2003, a Viração procura fomentar a participação política de adolescentes e jovens por meio da produção de mídias, uma vez que acredita na comunicação e na apropriação dos recursos tecnológicos pela juventude como importante intervenção social e, portanto, como intervenção política e social. Sensibilizar para os direitos e estimular a livre expressão do jovem na construção de suas próprias narrativas sobre o mundo, fazendo seus discursos chegarem e transformarem a sociedade faz parte do escopo de todas as nossas ações e projetos. Os mais antigos e estruturantes projetos da organização, que se desdobram em outras ações de educomunicação, se transformaram em programas da Viração. São eles:

Revista Viração A Revista Viração foi a semente plantada em 2003 pelo jornalista Paulo Lima, idealizador e diretor executivo da organização. Naquele ano, a Viração era um “projeto social impresso”, que recebia apoio jurídico da Associação de Meninos e Meninas de Rua da Sé. A revista nasceu de uma

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

9


percepção incômoda para Paulo: a inexistência de uma publicação voltada para o público jovem que envolvesse adolescentes e jovens em seu processo de produção. Inicialmente, a revista era produzida por um grupo de jovens de São Paulo que se reunia em uma pequena sala, no bairro do Butantã, para propor e produzir conteúdos e avaliar as edições, sob a orientação do jornalista. Mas a inovação da revista e suas práticas ampliaram as possibilidades do projeto, permitindo o estabelecimento da organização não governamental Viração Educomunicação, que abarca outros projetos de educomunicação. Com o passar do tempo, a revista expande sua visibilidade e grupos de jovens de outros estados do país passam a se interessar em colaborar com a Viração, replicando sua metodologia colaborativa para a produção de conteúdos locais. A Revista Viração conta com a rede social Facebook para aproximar os virajovens, presentes nas cinco regiões brasileiras. Desde 2003, a Revista Viração, que sempre teve 36 páginas por edição, já teve várias periodicidades. Em 2011 e 2012, ao ser contemplada pelo Edital Periódicos, do Ministério da Cultura, passou a ter 12 edições anuais. Mas em 2015, passa a ser semestral, temática e de distribuição gratuita, a fim de potencializar a produção de conteúdo multimídia online, por meio do site da Agência Jovem de Notícias. A Revista Viração é impressa e também online! Todas as edições da revista, desde a edição zero, estão disponibilizadas gratuitamente para leitura e download na Plataforma Isssuu. Acesse: www.issuu.com/viracao

Agência Jovem de Notícias (AJN) A Viração, desde que era um projeto social, se dedica a estimular que adolescentes e jovens participem de espaços de discussão sobre direitos humanos por meio de intervenções comunicativas, situações nas quais os jovens são repórteres, redatores, entrevistadores, fotógrafos, videomakers etc. Nessas atividades, chamadas de coberturas educomunicativas, os adolescentes e jovens produzem notícias sobre eventos e são orientados em suas produções pelos profissionais da Viração. Essa prática faz parte do DNA da organização desde o seu começo. A primeira grande cobertura educomunicativa da Revista Viração foi a do Fórum Social Mundial

10

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


em 2005, em Porto Alegre (RS), já chamada na ocasião de Agência Jovem de Notícias, uma vez que reuniu e facilitou uma cobertura com um numeroso grupo de jovens. A partir daquela ocasião, a Viração sempre criava um blog para cada cobertura e depois publicava uma síntese em uma de suas edições. A frequência das coberturas foi aumentando e logo a revista já não era suficiente para concentrar os conteúdos das coberturas educomunicativas realizadas pelos virajovens Brasil afora. Então, em 2011, a Viração lança o site Agência Jovem de Notícias (www.agenciajovem.org), que aos poucos se consolida como uma forte marca da Viração. E, atualmente, a AJN é mais que um site. Trata-se de uma articulação de núcleos de adolescentes e jovens de organizações e escolas de Ensino Fundamental e Médio que produzem e disseminam informação de interesse comunitário, por meio de formatos da web 2.0, utilizando os princípios e técnicas do jornalismo social, comunitário e colaborativo. O programa se vale de três estratégias para alcançar o objetivo de promover a cidadania ativa de adolescentes e jovens por meio de processos, ações e produtos de comunicação e mobilização social. São elas oficinas presenciais, coberturas educomunicativas e a implementação de Núcleos de Educomunicação Comunitária (NEC). Para isso, tem estabelecido parcerias em São Paulo com outras organizações e também com órgãos públicos como o Centro Cultural da Juventude (CCJ), com o Programa Juventude Viva – em parceria com a Coordenação de Juventude da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo e também com as Casas de Cultura e Cidadania de São Paulo, Lins e Caconde.

Principais coberturas educomunicativas da AJN Rio+20 Em junho de 2012, no Rio de Janeiro, a Agência Jovem de Notícias reuniu cerca de 120 adolescentes e jovens, brasileiros e estrangeiros, para a cobertura dos processos em torno da Rio+20 – das discussões oficiais da ONU à programação paralela da Cúpula dos Povos e visitas às favelas cariocas. Foram 15 dias de imersão na cidade maravilhosa e cerca de 500 conteúdos produzidos e publicados no site da AJN e Revista Viração.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

11


A iniciativa contou com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência (UNICEF) e Província Autônoma de Trento (Itália), sendo desenvolvida em parceria com várias organizações brasileiras e latino-americanas, como as brasileiras BemTV e Catavento Comunicação e Educação e as argentinas Fundación Tierravida e Ecomania. A Agência Jovem de Notícias integrou a ação Juventudes na Rio+20, uma iniciativa da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) e Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ), uma oportunidade para ter contato com outras redes de comunicação compartilhada, como Fora do Eixo, Viva Favela, Agência de Redes para a Juventude, Escola de Comunicação Crítica da Maré, Agência Lupa e Pontão Cultural e Digital da ECO/UFRJ, além das redes e movimentos que compõem o Conselho Nacional de Juventude (Conjuve).

Conferências dos Direitos da Criança e do Adolescente Em 2012 e em 2016, a Viração, por meio da Agência Jovem de Notícias, promoveu a cobertura educomunicativa da 9ª e da 10ª edição da Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Na primeira edição, além da etapa nacional, a organização foi responsável por preparar adolescentes para cobrir a etapa estadual da conferência em 17 estados. Nesse contexto, educomunicadores facilitaram oficinas para um grupo local, com média de 20 adolescentes, sobre direitos humanos, políticas públicas para crianças e adolescentes e produção de mídia, além de explicar o processo de conferência realizado pelo governo. O objetivo era prepará-los para se inserirem politicamente nas decisões da conferência. Em 2012, participaram diretamente das coberturas educomunicativas cerca de 500 adolescentes, que passaram por formações e produziram conteúdos durante as etapas estaduais e 60 deles participaram da cobertura da etapa nacional, em Brasília.. Em 2016, a Agência Jovem de Notícias facilitou a cobertura da etapa nacional, que contou com 12 adolescentes produzindo conteúdos em diferentes linguagens e incidindo politicamente nas discussões.

12

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Conferências Nacionais de Juventude Nas duas primeiras edições da Conferência Nacional de Políticas Públicas para a Juventude, ocorridas em Brasília em 2008 e 2011, a Viração coordenou a cobertura colaborativa das atividades do evento com a participação da Rede Virajovem. Nas duas ocasiões, foram realizadas entrevistas, vídeos e também intervenções no espaço dos eventos. Alguns dos jovens da Viração participaram das conferências como delegados, manifestando em plenário posições discutidas coletivamente pela rede e facilitadas pela Viração.

Conferência Global sobre Trabalho Infantil Em 2013, a Viração promoveu a cobertura educomunicativa de duas etapas da 3ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil: a nacional, ocorrida em agosto; e a global, que aconteceu em outubro. Participaram dessa ocasião 21 adolescentes, cada um oriundo de um estado do país. A etapa global reuniu em Brasília cerca de 5 mil pessoas de mais de 150 países e a participação de adolescentes foi garantida por meio da cobertura educomunicativa, que não apenas realizou o registro em texto, vídeo e áudio do evento, como também realizou um importante ato político. A partir da assistência e participação nos debates da conferência, os adolescentes escreveram uma carta com a posição de crianças e adolescentes brasileiros, a respeito da necessidade de haver um compromisso político global para a erradicação do Trabalho Infantil. Na ocasião do evento, o ativista indiano Kailash Sathyarthi, que dois anos depois recebeu o Prêmio Nobel da Paz, destacou a atuação dos 21 adolescentes no evento em Plenário e concedeu uma entrevista coletiva ao grupo.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

13


Principais Projetos Plataforma dos Centros Urbanos (PCU) Em 2009, a Viração deu início à parceria técnica na Plataforma dos Centros Urbanos, uma iniciativa de articulação nacional de iniciativa do UNICEF para o fortalecimento e desenvolvimento de políticas públicas, programas e ações voltadas para a garantia dos direitos de cada criança e cada adolescente que vive nas grandes cidades brasileiras. O objetivo é reduzir disparidades sociais que caracterizam os territórios urbanos e geram um impacto negativo na vida de meninos e meninas, principalmente daqueles que têm seus direitos mais violados. Além de apoiar o desenvolvimento de metodologias, o UNICEF promove a mobilização e a articulação técnica e política dos diferentes atores sociais envolvidos. A primeira edição, realizada de 2008 a 2012, a PCU abrangeu os municípios do Rio de Janeiro, São Paulo e Itaquaquecetuba, alcançando importantes conquistas. Levando em consideração os avanços e as lições aprendidas, a segunda edição foi mais abrangente e, no período de 2013 a 2016, passou a contemplar oito capitais

14

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


brasileiras: Belém, Fortaleza, Maceió, Manaus, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís e São Paulo. A iniciativa consiste no estabelecimento de uma parceria entre o UNICEF, as Prefeituras desses municípios, bem como com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de cada uma das cidades em torno do compromisso com a melhora da vida das crianças e dos adolescentes.

Viva Melhor Sabendo Jovem Viva Melhor Sabendo Jovem (VMSJ) é uma estratégia em saúde, que visa ampliar o acesso de adolescentes e jovens ao teste para o HIV, acolhimento, encaminhamento e adesão ao tratamento para o público reagente, bem como o acesso às informações sobre prevenção e autocuidado, por meio da realização de testagem extra-muros entre pares. A formatação da estratégia com foco no público juvenil é uma iniciativa do UNICEF e em São Paulo é realizada pela Secretaria Municipal da Saúde, com apoio do UNICEF e parceria técnica da Viração Educomunicação. O projeto, iniciado em 2015, se estrutura a partir de ações de comunicação e da realização de intervenções urbanas, com unidade móvel de saúde, onde são ofertados testes de fluído oral anti HIV, gratuitamente, além da distribuição de insumos de prevenção. Os testes são realizados por agentes jovens de prevenção, capacitados pelo Programa Municipal de DST e aids. No contexto do projeto, a Viração promoveu oficinas de sensibilização e formação sobre mobilização social, gênero, sexualidade, DST e HIV/aids, contando com 10 agentes jovens, responsáveis por realizar as testagens.

Programa Quarto Mundo Em 2008, a Viração Educomunicação estabelece uma parceria com a TV USP para criar um programa televisivo realizado por adolescentes e jovens de São Paulo, tendo a educomunicação como processo de planejamento, discussão de pautas e formação em produção audioviosual dos participantes. Nesse programa, que teve 8 temporadas ao longo

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

15


de 5 anos, os jovens puderam expressar seus pensamentos, dúvidas e posicionamentos quanto a diversas questões sociais, sendo eles responsáveis por todas as fases do programa: elaboração da pauta, pesquisa, produção, gravação e roteirização. Os programas eram exibidos no Canal Universitário e IPTV USP, nos horários: segunda-feira, às 19h30; quarta-feira, às 12h30, quinta-feira, às 6h30 (Canal Universitário – 11 da NET, 71 da TVA ou 187 da TVA Digital).

Jornal Mural na Escola A partir de 2007, por meio do Projeto Jornal Mural na Escola, a Viração capacitou mais de 500 estudantes e professores de 170 escolas públicas estaduais do Ensino Médio da cidade de São Paulo a criar, de forma coletiva, seus próprios meios de comunicação, a partir de uma proposta básica de jornal mural que ajuda a divulgar ações sociais e culturais de suas comunidades escolares e locais. Os jornais murais têm uma periodicidade quinzenal nas escolas, totalizando um público leitor de aproximadamente 255 mil pessoas, entre estudantes, professores, funcionários e familiares. Em 2009, o Projeto Jornal Mural na Escola atuou em 12 escolas da região do Jaraguá, zona oeste de São Paulo. Por meio dos Conselhos Jovens da Viração e entidades parceiras, o Projeto Jornal Mural na Escola foi ainda implementado em outras capitais, como Campo Grande, Maceió e Curitiba.

16

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Prêmios Ao longo de sua história, a Viração recebeu prêmios, menções honrosas e reconhecimentos pela sua atuação com educomunicação e na defesa dos direitos de adolescentes e jovens brasileiros. A seguir, relacionamos os prêmios recebidos. Janeiro de 2016, Instituição Criativa e Inovadora: reconhecimento público do Ministério da Educação cedido a 178 instituições educativas brasileiras; Junho de 2015, Prêmio Mariazinha Fusari de Educomunicação, na Categoria Ação Institucional: uma concessão da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais de Educomunicação (ABPEducom), durante o 5º Encontro Brasileiro de Educomununicação, em Porto Alegre (RS); Junho de 2014, Prêmio Milton Santos, menção honrosa na Categoria I: Projetos para a consolidação de direitos territoriais e culturais, concedido pela Câmara Municipal de São Paulo; Outubro de 2013, Prêmio A Rede, categoria Terceiro Setor – Capacitação e Formação, concedido pela Bit Social; Julho de 2011, Prêmio MED – Cesare Scurati – Giuria Popolare e Menzione Speciale, concedido pela Associação Italiana de Educação aos Meios e à Comunicação; Janeiro de 2011, Prêmio de Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo;

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

17


Dezembro de 2010, Quarto Mundo, Melhor Programa de TV Universitária, do 6º Fest Aruanda (Festival do Audiovisual Brasileiro); Setembro de 2010, Prêmio Internacional de Educomunicação, concedido pela União Católica Internacional de Imprensa; Maio de 2009, Prêmio Huellas, concedido pelo UNICEF América Latina e Caribe; Maio de 2009, Prêmio Ponto de Mídia Livre, concedido pelo Ministério da Cultura; Janeiro de 2009, Prêmio Ponto de Leitura, concedido pelo Ministério da Cultura; Agosto de 2008, Prêmio de Investigação Jornalística TIM Lopes, concedido pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI); Junho de 2008, Prêmio Visibilidade em Políticas Sociais, concedido pelo Conselho Regional de Serviço Social do Rio de Janeiro; Dezembro de 2007, Prêmio Projeto de Incentivo à Literatura (PAC), concedido pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo; Dezembro de 2005, Prêmio Cidadania Mundial, concedido pela Comunidade Bahá’í do Brasil; Junho de 2005, segundo Relatório Mídia Jovem, da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi), Viração é a primeira no ranking entre as revistas voltadas para jovens, seguida da MTV, Capricho, Todateen e Atrevida; Junho de 2004, Prêmio Don Mario Pasini Comunicatore, em Roma, concedido pela Associazione Cuore Amico e a Agência de Notícias Misna; Janeiro de 2004, Prêmio de Valorização de Iniciativas Culturais, da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo, entre mais de 600 projetos concorrentes.

Certidões e certificados Utilidade Pública Municipal, Conselho Municipal da Criança e do Adolescente e Cadastro Único das Entidades Parceiras do Terceiro Setor.

18

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Redes e Articulações Políticas A Viração, ao longo de sua história, atuou em diferentes redes de incidência e debate político em torno de direitos humanos de adolescentes e jovens e também da democratização dos meios de comunicação do país, tendo participado das seguintes redes e articulações políticas: Rede Paulista pela Democratização da Comunicação e da Cultura; Fórum Mundial de Mídia Livre; Fórum Nacional de Mídia Livre; Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular; Rede Nossa São Paulo; Participatório, da Secretaria Nacional de Juventude; Movimento 18 razões contra a redução da maioridade penal. Entre 2012 e 2015, a Viração integrou a diretoria da ABPEducom, a Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação. Além dessas participações e articulações, a Viração mobiliza sua própria rede de adolescentes e jovens em torno da produção de conteúdo para a Revista Viração e Agência Jovem de Notícias, a Rede Virajovem. Essa rede, aos poucos, foi se tornando autônoma em sua articulação, dedicandose também ao debate e à incidência política nas questões voltadas ao direito das juventudes à comunicação. Dessa forma, em 2008, nascia a Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores (Renajoc), durante o I Encontro de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores, promovido em São Paulo pela Viração. A maior parte dos integrantes da Rede Virajovem, que produz conteúdo de maneira colaborativa para os canais da Viração, integram a Renajoc, onde articulam ações políticas e de formação de

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

19


outros adolescentes e jovens em torno do direito humano à comunicação e democratização dos meios de comunicação.

Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores (Renajoc) Inicialmente articulada pela Viração, a Renajoc foi criada em 2008, no contexto do I Encontro Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadoras e Comunicadores Esse encontro antecedeu a I Conferência Nacional de Políticas Públicas de Juventude, da qual a Renajoc participou contribuindo para a cobertura colaborativa do evento e, na sequência, criou um grupo de trabalho chamado “Mobiliza Rede” para dar continuidade continuidade às ações da rede, em Brasília (DF). Desde então, a Renajoc participa de ações que unem adolescentes e jovens do Brasil para chamar a atenção para o direito humano à comunicação, participando de coberturas colaborativas de eventos relevantes para os adolescentes e jovens e integrando debates nacionais sobre adolescência, juventude e comunicação. Foi por isso que a Renajoc criou o Dia C – Dia Nacional da Juventude Comunicativa, celebrado anualmente em 17 de outubro, na mesma semana em que se celebra o Dia da Democratização da Comunicação. Em 2012 e 2013, a Renajoc integrou o Conselho Nacional da Juventude (Conjuve), onde se envolveu com as ações relacionadas às temáticas de juventude e Comunicação. E em 2015, promoveu em Brasília (DF) a Conferência Livre É nóis que fala, no contexto do seu 5º Encontro Nacional, reunindo 80 jovens de 20 estados do país para elaborar propostas sobre Comunicação, Educação, Cultura e Tecnologias para serem apresentadas durante a 3ª Conferência Nacional de Juventude, que ocorreu no mesmo ano, em dezembro. De 2013 a 2015, em parceria com a Viração, a Renajoc desenvolveu seu primeiro projeto nacional: o Mais Educomunicação, financiado pelo Instituto C&A. O projeto realizou intervenções em 20 escolas públicas aderidas ao Programa Mais Educação, do Governo Federal, de diferentes estados e cidades, por meio de parcerias com organizações locais, para que os estudantes de Ensino Fundamental participassem do processo de democratização no Brasil, contribuindo com o monitoramento e incidência nas políticas públicas de comunicação e educação.

20

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Outras ações, campanhas e projetos É da nossa conta! - Trabalho infantil e adolescente Em setembro de 2012, a Viração iniciou uma parceria com a Fundação Telefônica, juntamente com o UNICEF e Cidade Escola Aprendiz, para facilitar a campanha É da nossa conta! – Trabalho infantil e adolescente. O objetivo era sensibilizar a sociedade sobre questões relacionadas ao trabalho de crianças e adolescentes, ajudando pessoas a identificar e denunciar casos, em caso de desacordo com a lei. A campanha foi lançada, entre outubro e novembro, em seis estados (São Paulo, Bahia, Paraná, Piauí, Ceará e Pará) e no Distrito Federal. A Viração ficou responsável pela formação, produção de matérias e encarte de divulgação da campanha, tendo a participação de adolescentes e jovens como foco principal. Para isso, foram convidados 10 adolescentes, entre 15 e 18 anos, e 5 jovens, entre 18 e 22 anos,

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

21


para participarem de formações relacionadas à questão do Trabalho Infantil e produzirem reportagens para o site da Rede Pró-Menino Fundação Telefônica. Além disso, esse grupo, com a facilitação de educomunicadores, criou um encarte especial sobre trabalho na infância, com linguagem completamente jovem, para ser distribuído nas regiões onde houve lançamento da campanha. Para viabilizar o lançamento em cada estado, a Viração contou com o apoio de organizações parceiras locais, que colaboraram na formação de um grupo com cerca de 20 adolescentes. Os grupos receberam formação e ajudaram a pensar nas formas de distribuição do material de campanha. Em 2013, a campanha teve como objetivo central incentivar o envolvimento da sociedade nos debates sobre o trabalho infantil e o trabalho adolescente protegido e direcionou ações de forma mais específica para o Nordeste e aos megaeventos que ocorreram no Brasil (entre eles a Copa das Confederações, a Jornada Mundial da Juventude, a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016). Além da Viração, foram parceiros da Campanha em 2013: UNICEF, Organização Internacional do Trabalho (OIT), Cidade Escola Aprendiz, Repórter Brasil, Otagai, Rede ANDI, Cipó, Ponto Cego e Komuniki.

Pira na Notícia O projeto Pira na Noticia surgiu a partir da formação da Agência Jovem de Notícias em 2011 com apoio do Programa VAI (Valorização de iniciativas Culturais) da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo. Em 2012, acompanhou as discussões do Plano Municipal de Educação e mapeou escolas municipais e estaduais para realizar as multiplicações em educomunicação. No mesmo ano, realizou 10 multiplicações, trabalhando as ferramentas de comunicação em escolas e ONGs parceiras na cidade de São Paulo, além de acompanhar discussões da Rede Nossa São Paulo, em especial o GT Juventude, publicando matérias sobre os encontros com os candidatos à prefeitura de São Paulo.

Projeto Comunicação para a Vida – Revista Escuta Soh Desenvolvido em parceira com o UNICEF, entre 2007 e 2010, o Projeto Comunicação para a Vida teve como objetivo contribuir para o empoderamento de adolescentes e jovens vivendo com HIV/aids por meio de práticas de educomunicação. Um grupo formado por cerca de 30 jovens

22

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


de diversas regiões do Brasil produziu três edições da Escuta Soh!, revista especial do Encontro Nacional de Jovens Vivendo com HIV/aids, com tiragem de 5 mil exemplares em português, inglês e espanhol, e o conteúdo de um site homônimo (http://www.escutasoh.org/).

Projeto Pontão de Cultura O projeto Laboratório de Mídias Livres foi desenvolvido em parceria com a Associação Outras Palavras e financiado pelo Ministério da Cultura. Desenvolveu formação e pesquisa em mídias livres em nível nacional de 2010 a 2013.

Projeto Ponto de Leitura Em parceria com o Ministério da Cultura, o projeto funciona desde 2009 como uma biblioteca comunitária que dispõe ao público atendido pela Viração cerca de 1 mil títulos de livros ligados à mobilização juvenil, comunicação, educação e literatura.

Projeto Segurança Humana Realizado em parceria com a UNESCO, o UNICEF e outras agências das Nações Unidas, a partir de 2009, em escolas do município de São Paulo. Teve o objetivo de promover a cultura de paz e reduzir a violência por meio de ações integradas nas áreas da educação, ação comunitária e saúde.

Conselho Nacional de Juventude A Viração esteve na coordenação da Comissão de Comunicação do Conjuve em 2012, participando da mesa diretora do conselho. Durante a Rio+20, a Viração ficou responsável por toda a comunicação da Youth Blast, encontro internacional da juventude para discutir meio ambiente. Por questões estratégicas, no segundo semestre, a organização deixou a coordenação da Comissão de Comunicação para integrar o GT Pacto da Juventude, que teve como trabalho preparar um documento para que os candidatos às prefeituras municipais assinassem e, no caso de eleitos, se comprometessem com metas relacionadas às políticas públicas da juventude. Em 2013, houve um monitoramento do pacto assumido pelos novos prefeitos e prefeitas.

Projeto Geração Cidadã Como projeto, de novembro de 2005 a abril de 2006, a Viração coordenou a comunicação do Consórcio Social da Juventude de “Geração Cidadã”, que abrange os municípios de Embu das

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

23


Artes, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra e Taboão da Serra (sudoeste de São Paulo). O Geração Cidadã era um dos 26 consórcios espalhados pelo Brasil, iniciativa do Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego, do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que teve por objetivo inserir o jovem no mundo do trabalho. Cerca de 30 dos 2 mil jovens atendidos pelo Geração Cidadã participaram da Oficina-Escola de Comunicação, fruto da parceria com a Viração. Eles foram responsáveis pela produção de um jornal impresso mensal (tiragem média de 5 mil exemplares), um jornal mural (com atualização diária), uma revista de conclusão do curso, com 36 páginas e uma tiragem de 4 mil exemplares, e produção de conteúdo para a página na internet, além de criar formas alternativas de participação de todos os jovens do consórcio.

Projeto Empreendedorismo Virajovens – Geração Mudamundo Projeto em parceria com o Programa Geração MudaMundo, da Ashoka Empreendedores Sociais. Iniciado em 2010, o projeto integra o Programa Geração MudaMundo para um Futuro Ideal, que prevê investimento nos Conselhos Jovens da Viração, por meio de um concurso de projetos de empreededorismo no campo da comunicação.

Projeto de Assessoria em Comunicação para o Conselho Nacional da Juventude e a Secretaria Nacional da Juventude Em parceria com a Secretaria Nacional da Juventude e o Conselho Nacional da Juventude, o projeto consistiu na assessoria para a criação do site juventude.gov, produção de releases, reportagens e clippings relacionados à juventude, durante 2008 e 2009.

Projeto Guia dos Direitos Sexuais e Reprodutivos dos Adolescentes Em parceria com Projeto Tecer o Futuro, da Associação Nossa Senhora do Bom Parto e o UNICEF, o projeto consistiu na elaboração do projeto gráfico e na produção de textos para 4 cartilhas temáticas, em 2008.

Projeto de diagramação do Guia de Formação de Saúde e

24

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Prevenção na Escola para Educação entre Pares Em parceria com o Ministério da Saúde e UNICEF, o projeto consistiu na assessoria e produção gráfica do Guia de Formação de Saúde e Prevenção na Escola para Educação entre Pares, em 2008.

Projeto Galera em Movimento O livro Galera em Movimento – Uma Turma que Agita a Transformação do Brasil é fruto de uma parceria entre Viração, Programa Aprendiz Comgás (PAC) e Ministério da Cultura (Minc), em 2007. De autoria das jornalistas Daniele Próspero e Laura Giannecchini, teve uma tiragem de 3 mil exemplares e distribuição gratuita para as escolas públicas de São Paulo. O livro conta as histórias de vida de 11 adolescentes engajados em movimentos juvenis, o que tem modificado significativamente a vida de muitos jovens em situação conflituosa.

Projeto Jornal Mural Literário Projeto realizado em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo com 12 escolas públicas de São Paulo. Após um percurso de 28 horas de oficinas de produção de jornal mural com foco em textos literários, foram elaborados dois jornais murais impressos em formato de poster com uma tiragem de 5 mil exemplares cada.

Projeto Jornal Mural pelo Ambiente Projeto realizado em parceria com o Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário e a Secretaria Municipal do Ambiente do Município de São Paulo. Após formação em produção de jornal mural, a partir de temáticas relacionadas às questões ambientais, jovens de escolas públicas de Parelheiros realizaram um jornal mural impresso em formato de poster, que teve uma tiragem de 5 mil exemplares.

Projeto Voz Ativa Projeto de Comunicação Voz Ativa foi uma parceria entre Viração e Identitá. O Colégio Emilie de Villeneuve apostou na criação e desenvolvimento de um projeto que coloca as alunas e alunos como protagonistas da comunicação de sua escola. O maior objetivo era que os educandos aprendessem por meio da comunicação e se tornassem cidadãos comunicativos e comunicadores, criativos e criadores, atuantes no meio em que vivem, construtores de sua própria história. O projeto foi além de oficinas e produtos de comunicação. A ideia era também ajudar a escola

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

25


a trabalhar a comunicação de forma mais estratégica e sistêmica. Com três frentes de atuação (impresso, assessoria de comunicação e portal), o projeto envolveu toda a comunidade escolar na construção de uma nova comunicação da escola.

Projeto Mudando sua escola e comunidade, melhorando o mundo Projeto em parceria com a Rede Comunicação, Educação e Participação e UNICEF, com apoio da British Telecom, por meio do Comitê Britâncio do UNICEF, foi desenvolvido entre 2008 e 2010 em escolas públicas de cinco diferentes grandes cidades brasileiras. Em São Paulo, atuamos em parceria com a Associação Cidade Escola Aprendiz nas escolas dos bairros de Grajaú, Heliópolis e Barra Funda. Os estudantes experimentaram a utilização de vários instrumentos de comunicação durante as oficinas de mobilização e elaboraram projetos como jornal mural, boletins, vídeos, fanzines, fotografia e outros.

Projeto Movimento Nossa São Paulo A partir de 2008, em parceria com o UNICEF, a Viração mobiliza crianças e adolescentes para que criem propostas para o desenvolvimento sustentável e participem da vida pública da cidade. As propostas criadas pelo público infanto-juvenil, relativas a temas como meio-ambiente, educação, saúde, segurança, transporte, entre outros, foram apresentadas a todos os candidatos às eleições municipais e posteriormente ao prefeito eleito. Para aprofundar as estratégias de expansão da participação das crianças e adolescentes, no 2° semestre de 2008, foram realizados fóruns de adolescentes em diversas regiões da cidade a fim de desenvolver a proposta dos “cidadelos”, espaços de encontro para jovens discutirem a cidade, criarem intervenções para melhorias em suas regiões e trabalharem em rede com as redes juvenis de São Paulo. Um guia sobre como montar um “cidadelo” foi desenvolvido e divulgado pela cidade.

26

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Projeto Congresso de Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Fruto da parceira entre a Viração e o UNICEF de Brasília e de Nova Iorque, o Stop Explotation é uma plataforma virtual (http://www.stopx.org/) que reúne jovens e adolescentes de todo o mundo que atuam no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes em seus respectivos países. Foi lançada durante o III Congresso Mundial de Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, em novembro de 2008, no Rio de Janeiro. Durante o congresso, a Viração organizou e coordenou o Espaço Adolescente, área multimídia de 600 metros quadrados, onde foram realizadas oficinas de rádio, produção de vídeos, notícias, jornal mural e jogos cooperativos. Participaram da iniciativa cerca de 300 adolescentes brasileiros e estrangeiros. Atualmente participam da plataforma virtual mais de 120 jovens e adolescentes de 50 países.

Projeto Cartilhas Temáticas da I Conferência Nacional de Juventude Em parceria com a Secretaria Nacional da Juventude e Instituo Paulo Freire, o projeto consistiu na produção de conteúdo da 13 cartilhas temáticas que subsidiaram o processo nacional da I Conferência Nacional de Juventude nos estados, em 2008. As cartilhas tiveram uma tiragem de aproximadamente 1 milhão de cópias.

Projeto Mostra Mídia e Religião Projeto realizado em 2009, em parceria com a Mostra Internacional de Cinema e Religião de São Paulo, Festival Internazionale di Cinema delle Religioni Religion Today e Associazione Jangada, ambas de Trento, norte da Itália. O projeto consistiu em oficinas de produção de vídeo de 3 minutos e concurso envolvendo Conselhos Jovens da Viração, na época presentes em 22 estados e no Distrito Federal.

Projeto de assessoria em comunicação Jovens Urbanos – CENPEC Projeto realizado em parceria com a ONG Cenpec de São Paulo, a partir de 2008. Atuamos com formação em educomunicação e mobilização social para jovens participantes do Programa Jovens Urbanos, na região de Guaianazes, em São Paulo.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

27


Viração Internacional Desde 2009, a Viração tem estabelecido parcerias com organizações e entidades de outros países, integrando ações internacionais, especialmente no que se refere a questões ambientais, que vão desde coberturas de grandes eventos, como a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COPs), até a organização e participação em conferências sobre sustentabilidade.

Agência Jovem de Notícias Internacional nas COPs Desde 2012, a Viração e a Rede Virajovem participam da cobertura da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, as COPs. A organização tem papel estratégico internacionalmente na articulação de jovens brasileiros e de outros países para integrarem a Agência Jovem de Notícias Internacional nos países que, anualmente, sediam a conferência. Desde a COP 18, em Doha (Qatar), a AJN Internacional reuniu jovens de 10 países nas coberturas, coordenadas pela Viração, com apoio de organizações e grupos como Red Mas Vos, Fundación Tierra Viva (Argentina), Provincia Autonoma de Trento (Itália) e Fundação Friedrich Ebert (Brasil).

Agenzia di Stampa Giovanile na Itália A Viração desenvolveu um projeto de formação para 20 adolescentes e jovens para a criação de

28

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


um núcleo da Agência Jovem de Notícias no Trentino. Foram realizados 12 encontros de formação com duração de 3 horas cada. O grupo participou ativamente da cobertura educomunicativa da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas - COP19, que ocorreru entre 11 e 22 de novembro, na cidade de Varsóvia, Polônia. Este é o endereço da página no Facebook: www. facebook.com/AgenziaGiovanileRio20

Projeto Conferência Internacional Vamos Cuidar do Planeta, na Itália A Viração junto com a sua parceira em Trento, a Associazione Jangada, coordenou em nível italiano este projeto europeu que conta com a participação de organização sociais e ambientalistas e centros de pesquisa de 15 países. Na Itália, a Viração trabalhou em parceria com o Centro Nacional de Pesquisas de Bologna (CNR), com as seguintes escolas: Liceo Bertrand Russel, Istituto Comprensivo della Bassa Anaunia, Istituto Comprensivo di Revò, Istituto Comprensivo di Cles, Istituto Comprensivo Giovanni Pascoli (na cidade de Tricase, na região da Puglia, sul da Itália). Ao todo, participaram das atividades cerca de 300 estudantes do Ensino Fundamental e Médio.

Global Power Shift Entre os dias 24 a 31 de junho, jovens lideranças e ativistas de 135 países estiveram na Turquia para o Global Power Shift - GPS. O evento, organizado pela ONG Internacional 350.org teve como objetivo criar um movimento global para encontrar soluções para a crise climática que atinge todo o planeta. A programação contou com momentos de treinamento em cinco áreas distintas - Política, Ação Direta Não-Violenta, Campanhas Digitais, Ativismo Artístico e Criativo, e Mídia e Comunicação além de troca de experiências entre os participantes, que já trazem na bagagem a experiência de intervenções com jovens em seus países de origem. A Viração foi representada por uma educomunicadora e um virajovem, que participaram dos treinamentos nas áreas de Política e Mídia e Comunicação. Ao todo, o Brasil foi representado por 12 jovens de quatro estados (Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo), formando, juntamente com a Índia, a maior delegação do encontro. Esses brasileiros atuam em diferentes áreas, como organizações ambientalistas, movimentos sociais e coletivos artísticos e culturais, e após os momentos de formação e integração na Turquia, voltaram para o país com a missão de mobilizar mais jovens para as questões climáticas brasileiras em um movimento denominado “Clímax Brasil”.

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

29


Projeto Osservatorio SOStenibile A Viração contribuiu para o desenolvimento do projeto Osservatorio SOStenibile, que conta com a participação de 12 jovens (a maior parte estudantes universitários) de 7 municípios do Trentino (Denno, Campodenno, Cunevo, Terres, Ton, Flavo e Sporminore). O projeto previu 8 encontros abertos ao público em geral sobre os temas: desenvolvimento sustentável, agricultura intensiva, agricultura orgânica, agricultura biodinâmica, alimentação/slowfood e mudanças climáticas. Além dessas atividades, o projeto previu também uma feira de trocas de livros, vinis, utensílios de casa e brinquedos.

Projeto Plataforma virtual Phyrtual Em novembro de 2010, Viração firmou um Termo de Cooperação Internacional com a Fundazione Mondo Digitale, de Roma. Uma das principais iniciativas em comum foi o desenvolvimento, manutenção e expansão do Phyrtual, plataforma virtual para inovadores sociais. Em resumo, tratase de um ambiente de inovação virtual que se integra a ambientes de inovação físicos (físico & virtual= Phyrtual), dando impulso aos movimentos do Phyrtual dedicados a projetos sociais de inovação, programas e iniciativas para um mundo melhor. Phyrtual busca ser um ambiente que favoreça o crescimento individual e coletivo de traços humanos positivos para o fortalecimento de uma sociedade baseada na justiça, na igualdade de direitos e na fraternidade. É um ambiente para empoderamento e unidade na ação. A Viração se encarrega da tradução de todo o conteúdo das ferramentas para o português e é ponto focal no Brasil para a expansão da plataforma.

Rede Itália Clima A Viração iniciou uma parceria com a Rede Itália Clima, principal organização que acompanha sistematicamente o tema das mudanças climáticas na Itália e que reúne cientistas, pesquisadores, jornalistas, educadores e jovens. Sinal concreto desta parceria foi o trabalho desenvolvido em conjunto durante a 19ª edição da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas - COP19, que ocorreru entre 11 e 22 de novembro na cidade de Varsóvia, Polônia. Este é o link da Rede Itália Clima: http://www.italiaclima.org/ Junto com a Rede Itália Clima, a Viração está contribuindo para a criação de um movimento de jovens italianos sobre as mudanças climática no âmbito da campanha internacional Globla Power Shift.

Parceria com Bué Fixe em Portugal

30

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Em 2013, a Viração fortaleceu a parceria com a organização Bué Fixe (www.facebook.com/buefixe.pt), que atua com educomunicação e prevenção de DSTs/aids em Lisboa. Viração e Bué Fixe participaram juntas com um estande no 2º Congresso Literacia, Media e Cidadania, que aconteceu nos dias 10 e 11 de maio de 2013, em Lisboa (http://www.literaciamediatica.pt). A Bué Fixe também está implementando uma experiência piloto na capital portuguesa com base no projeto Quarto Mundo, desenvolvido pela Viração em parceria com a TV USP.

Parceria com EducommunicAfrik, em Burkina Fasso A Viração fortaleceu sua parceria com EducommunicAfrik, com sede em Ouagadougou, em Burkina Fasso. Esta organização foi criada inicialmente com o nome de Associação Biurkinabé para a Promoção da Educomunicação. A EducommunicAfrik produziu 2 reportagens que foram publicadas na Revista Viração ao longo de 2013. Uma delas é a respeito do Forum Mondial Genre et Médias, que aconteceu de 2 a 4 de dezembro de 2013, em Bangkok, na Tailândia.

Rede de escolas de educação ambiental no Trentino Em parceria com a Comunità della Val di Non, órgão público do Trentino, a Viração promoveu a criação de uma rede de professores que atuam com educação ambiental na região. Foram realizados 3 encontros de articulação e projetação com a participação de uma média de 15 professores do Ensino Fundamental e Médio.

CliMates Regional Workshop - Colômbia A Viração facilitou uma oficina sobre Educomunicação e Mudanças Climáticas durante o Workshop da ONG estudantil CliMates, que ocorreu entre os dias 23 e 27 de setembro, em Bogotá, Colômbia, e contou com a participação de 40 jovens de 10 países da América Latina, da Itália e da França. A proposta do encontro foi capacitar a juventude latino-americana para a COP20 - Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que aconteceu em Lima, Peru, em dezembro de 2014. O evento também resultou na criação do Clic! - Movimento Climático Latino Americano e Caribenho, com o objetivo de capacitar e mobilizar mais jovens latinos para as questões do Clima. A Viração foi escolhida como ponto focal do Grupo de Trablho de Comunicação do Clic!

First International Meeting of the Young Journalists Network na Univesidade Autônoma de Barcelona

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

31


A Viração recebeu uma bolsa do MED, associação italiana de educação à comunicação, para participar do curso de verão realizado pela UNESCO e a Univesitat Autònoma de Barcelona, na Espanha. A proposta do encontro foi reunir jovens jornalistas de diferentes países para trocarem experiências sobre educação e democratização da mídia em seus territórios. A Viração foi representada pelo educomunicador Rafael Alves da Silva que, por uma semana, participou de conferências com especialistas da comunicação, vivenciou experiência de produção de mídias e visitou equipamentos públicos de comunicação da cidade. Além da troca de contatos, a experiência possibilitou um aprimoramento do trabalho de rádio feito pelo educomunicador, que passou a aplicar em suas oficinas com os adolescentes aqui no Brasil. Aqui um link com um resumo das atividades: https:// www.youtube.com/watch?v=qia7aNDRc_c

32

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Parcerias Desde a sua fundação em março de 2003, a Viração já fez parceria com 153  organizações da sociedade civil organizada, ministérios, prefeituras e secretarias de governo em todas as esferas, órgãos internacionais do sistema ONU, empresas e fundações nacionais e internacionais.

No Estado de São Paulo: Ação Comunitária Ação Educativa Agência Envolverde Agência Internacional pela Paz (IPAZ) Aldeia do Futuro Aracati Artemísia Asmoreji - Associação de Moradores da Região do Jardim Independência Associação Bom Parto Assessoria de Imprensa Tudo em Pauta Associação de Apoio às Meninas e Meninos da Região Sé Associação Cidade Escola Aprendiz Associação Outras Palavras

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

33


Bela, Beleza, Belíssima Cala Boca já Morreu Canal Futura Cedeca Sé Cedeca Interlagos CEERT - Centro de Estudos das Relações do Trabalho e Desigualdades Cenpec Centro Cineclubista de São Paulo Ciranda Internacional da Comunicação Compartilhada ComGas Congregação dos Missionários Combonianos Coordenadoria de Juventude Sorocaba Coordenadoria da Juventude do Estado de São Paulo Estado de São Paulo – Secretaria de Cultura Fala Preta Organização de Mulheres Negras FIA – Fundação Instituto de Administração Fundação Bradesco Fundação Casa Fundação Abrinq FUMCAD – Fundo Municipal da Criança e Adolescentes de São Paulo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Grupo Afro Okun Grupo Corsa Grupo E-Jovem IBEAC - Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário IDEC – Instituto de Defesa do Consumidor Identità Comunicação Instituto Ágora Instituto AMMA Psique e Negritude Instituto Feira Preta Instituto GENS Instituto Paulo Freire Intervozes - Coletivo Brasil de Comunicação Social IPSO – Instituto de Pesquisas e Projetos Sociais e Tecnológicos Jornal Brasil de Fato Link e Cérebro Internet Solutions Mais Diferenças Mostra de Cinema, Mídia e Religião Museu da Pessoa

34

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Núcleo de Comunicação e Educação da Universidade de São Paulo (NCE-USP) Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) Os Sátiros Ponto de Cultura de Rio Claro Portal Setor 3 – SENAC Portal Pró-Menino/ Fundação Telefônica Prefeitura de Embu das Artes – Secretaria de Participação Social Radiobras Rede Interferência Rede Instituto Papel Solidário Revista Ocas Revista Fórum Revista Arede SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial SFK: Success for Kids Taba – Espaço de (Con)vivência do Adolescente (Campinas) TV USP Voith Brasil

Em outros estados: Ação da Cidadania (Rio de Janeiro) Agência Fotojornalismo Experimental (Natal) Agência Matraca pelos Direitos da Criança e Adolescente (São Luís) Agência Uga-Uga de Notícias (Manaus) Associação de Apoio ao Trabalho Cultural, Histórico e Ambiental - Apoitchá (Lucena - PB) Associação Imagem Comunitária (Belo Horizonte) Auçuba Comunicação e Educação (Recife) Avalanche Missões Urbanas (Vitória) BEMFAM – Bem-Estar Familiar no Brasil (Recife) Casa da Juventude Pe. Burnier (Goiânia) Casa Pequeno Davi (João Pessoa) Catavento Comunicação e Educação (Fortaleza) Centro Acadêmico da Universidade Federal de Alagoas (Maceió) Centro Cultural Escrava Anastácia (Florianópolis) Centro de Referência Integral de Adolescentes (Salvador) Cipó Comunicação Interativa (Salvador) COIAB - Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Manaus) Coordenadoria de Juventude de Serra do Navio (AM).

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

35


Ciranda – Central de Notícias pelos Direitos da Infância (Curitiba) Coletivo Jovem do Movimento Nossa São Luís (São Luís) CUFA – Central Única dos Favelas (Rio de Janeiro) Fundação Athos Bulcão (Brasília) Girasolidário (Campo Grande) Grupo Atitude (Porto Alegre) Grupo Cultural Bajô-Ayô (João Pessoa) Grupo Cultural Entrefaces (Belo Horizonte) Grupo Makunaíma Protagonismo Juvenil (Boa Vista) IACEP - Instituto Amazõnico de Comunicação e Educação Popular (Belém) IDESCA - Instituto de Desenvolvimento, Educação e Cultura da Amazônia (Manaus) Instituto Candeia de Cidadania (Lima Duarte, MG) Instituto de Estudos Socioeconomicos (Brasília) Instituto Papai (Recife) Instituto Terramar Educomunicação (Natal) JECA – Juventude, Educação e Comunicação Alternativa (Maceió) Lunos Educomunicação (Boituva, SP) Mídia Periférica (Salvador) Movimento de Intercâmbio de Adolescentes de Lavras (MG) Observatório de Favelas (Rio de Janeiro) O Cidadão (Rio de Janeiro) ONG Formação (São Luís) ONG Cato Jovem (Natal) Parafuso Educomunicação (Curitiba) Prefeitura de Vitória – Gerência de Direitos Humanos Rede de Jovens Comunicadores da Baixada Maranhense Rede Sou de Atitude (São Luís) Sintajufe (Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Estado do Rio Grande do Sul – Porto Alegre) UJS – União da Juventude Socialista (Rio Branco) Unipop – Instituto Universidade Popular (Belém) Universidade da Amazônia (Belém) Vir-a-Vila (Natal)

36

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Nacionalmente: Agência Brasil ANDI – Comunicação e Direitos Ashoka Empreendedores Sociais – Programa Geração MudaMundo Associação Brasileira de Profissionais e Pesquisadores em Educomunicação (ABPEducom) Canal Futura Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) IIDAC - Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Ministério da Cultura Ministério da Educação Ministério da Saúde Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Esporte Ministério do Trabalho Ministério da Justiça Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) PACT Brasil Programa Saúde e Prevenção nas Escolas Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Comunicadores e Comunicadoras (Renajoc) Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo e Convivendo com HIV/Aids Rede CEP – Comunicação Educação e Participação Rede ANDI Secretaria Especial de Direitos Humanos Secretaria Nacional da Juventude Secretaria Nacional de Políticas contra as Drogas (Senad) UNAIDS - Programa Conjunto das Nações Unidas Unidas sobre sobre HIV/Aids UNPA - Fundo de População das Nações Unidas TV Brasil

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

37


Internacionalmente: Ashoka Empreendedores Sociais Associazione Aiutare i Bambini (Itália) Associação Burkinabé para a Promoção da Educomunicação (Burkina Fasso) Associazione Italiana di Educazione ai Media e alla Comunicazione (Itália) Associazione Jangada (Itália) British Telecom (Inglaterra) Comics Power (Índia) Consiglio Nazionale di Ricerca (Itália) Fondazione Mondo Digitale (Itália) Fórum Social Mundial Fundação Friedrich Ebert Stiftung (Alemanha) Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Legambiente (Itália) Mostra Internazionale di Cinema e Religione (Itália) Província de Trento (Itália) Rivista Macramé (Itália) PYE Global: Partnership for Youth Empowerment (EUA)

38

Histórico e portfólio da Viração Educomunicação


Histórico e portfólio da Viração Educomunicação

39


Vira Geral - Histórico e portfólio da Viração Educomunicação  

Apanhado geral dos projetos, programas e atuação da Viração Educomunicação desde 2003.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you