Page 1

www.fab.mil.br I Ano XLIV I Nº 09 I Setembro, 2020

ESTAÇÃO RADAR DE CORUMBÁ

KC-390 MILLENNIUM

Vigilância do Espaço Aéreo é realizada 24 horas por dia (Págs. 6 e 7)

Aeronave multimissão completa um ano de operação na FAB (Pág. 9)


2

Setembro - 2020

CARTA AO LEITOR

Expediente

AMOR À PÁTRIA: DO COMPROMISSO À AÇÃO Chegamos ao mês de setembro, e esta edição do Notaer revive a história, celebra o presente e vislumbra um futuro glorioso. No dia 20, comemoramos o aniversário do Patrono da Força Aérea Brasileira, Marechal do Ar Eduardo Gomes. Ministro da Aeronáutica por duas vezes, o Oficial-General ajudou a forjar novos horizontes para a Aeronáutica. Frutos desse idealismo são colhidos na atualidade e a edição de setembro traz uma matéria sobre o aniversário de recebimento da aeronave multimissão KC-390 Millennium pela FAB e uma retrospectiva desde a chegada da primeira unidade, há um ano, até a participação em missões estratégicas,

como a ajuda humanitária ao Líbano. Abordamos o trabalho dos Esquadrões da Força Aérea que estão empenhados 24 horas por dia nas mais diversas missões em andamento. Na Operação Pantanal, aeronaves são empregadas no combate a incêndios. Nesta edição, lembramos, também, de reverenciar o patriotismo, um dos valores da FAB tão exaltado em 7 de setembro – Dia da Independência do Brasil. Estampamos, ainda, em nossas páginas, um texto sobre o Dia Nacional do Doador de Órgãos, comemorado em 27 de setembro, e o trabalho desenvolvido pela FAB para salvar vidas. A reportagem fez um

balanço da quantidade de órgãos transportados por nossas aeronaves e tratou da logística necessária para que essas missões sejam cumpridas. O mês de grandes celebrações, com datas tão intrínsecas à atuação da FAB, resgata em cada um de nós o sentimento de amor à Pátria e nos motiva, cada dia mais, a perpetuar a imagem da Força Aérea Brasileira como uma Instituição moderna e essencial para o desenvolvimento do País. Boa leitura!

O j o r n a l N OTA E R é u m a publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) voltado ao público interno. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Paulo César Andari Vice-Chefe do CECOMSAER: Coronel Aviador Ricardo Feijó Pinheiro Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador Denys Martins de Oliveira Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Aviador Claudio Mariano Rodrigues Santana Editores: Tenente Jornalista Cristiane dos Santos (MTB 35288/SP) Tenente Jornalista Flávia Rocha (MTB 1354/PI) Colaboradores: Textos enviados ao CECOMSAER via SISCOMSAE

Brigadeiro do Ar Paulo César Andari Chefe do CECOMSAER

MÍDIAS SOCIAIS

REGRAS DE BOA CONDUTA NAS MÍDIAS SOCIAIS

Diagramação: Suboficial SDE R/1 Claúdio Bomfim Ramos Capa e Artes: Subdivisão de Publicidade e Propaganda Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Endereço: Esplanada dos Ministérios Bloco “M” 7º andar CEP: 70045-900 Brasília/DF

Assuntos íntimos que atentem contra o decoro não devem ser divulgados ou compartilhados, já que soam deselegantes para quem publica, além de ser constrangedor para quem lê. A falta de decoro pode prejudicar a imagem de toda categoria militar e também a da Instituição. Leia o Manual de Conduta nas Mídias Sociais no âmbito do Comando da Aeronáutica. @fab_oficial /portalfab

/aeronauticaoficial /portalfab

@fab_oficial /faboficial

Impressão e Acabamento: Marina Artes Gráficas e Editora


Setembro - 2020

3

PALAVRAS DO COMANDANTE

ESPÍRITO PATRIOTA NO SUCESSO DAS MISSÕES Este é o mês em que celebramos uma data de extrema relevância, o Dia da Independência do Brasil. No contexto atual, em que passamos pela pandemia da COVID-19, apesar da impossibilidade de realizar os tradicionais desfiles cívico-militares de 7 de Setembro, nosso espírito patriota permanecerá altivo, assim como demonstramos a cada ano quando nos reunimos para homenagear nosso País. Da mesma maneira, setembro nos traz a oportunidade de render homenagem ao Patrono da Força Aérea Brasileira, Marechal do Ar

Eduardo Gomes, que tanto representa para nossa Instituição e sempre atuou na busca e na manutenção de nossos valores. Sempre valorizamos nosso passado com o olhar voltado para o futuro, e é por isso que a implantação de novas tecnologias e equipamentos tem sido uma constante preocupação estratégica, visando à manutenção da Soberania e da Defesa Nacional. Estamos constantemente buscando novas soluções para melhorar o trabalho prestado ao País. Exemplo disso é a recente inauguração de uma nova Estação Radar em Corumbá

(MS), que dá continuidade ao processo de modernização da rede de radares de vigilância do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) e aprimora o controle do espaço aéreo naquela região de fronteira. Neste mês, celebramos um ano da incorporação da aeronave multimissão KC-390 Millennium à FAB. O cargueiro operado pelo 1º GTT – Esquadrão Zeus, realizou sua primeira missão internacional e interministerial de ajuda humanitária ao Líbano, com tripulação composta exclusivamente por militares da Força Aérea. As capacidades

tecnológicas dos três vetores em atuação têm auxiliado o País nos momentos cruciais para enfrentarmos as necessidades mais urgentes. Se de um lado temos a modernização de nossos vetores e estruturas, de outro trabalhamos na preparação e treinamento do nosso efetivo por meio de Exercícios nas mais diversas áreas, potencializando o nosso Poder Aéreo. Sigamos trabalhando com nosso espírito de amor à Pátria e buscando sempre o melhor para o nosso País! Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez Comandante da Aeronáutica


4

Setembro - 2020

OPERACIONAL

Black Hawk durante Exercício Técnico Tiro Lateral, ocorrido na Serra do Cachimbo, no Pará

MILITARES DA FAB SÃO TREINADOS EM EXERCÍCIOS TÉCNICOS PARA PISTA CRÍTICA E TIRO LATERAL PILOTOS, MECÂNICOS E ARTILHEIROS RECEBEM INSTRUÇÕES PARA FORMAÇÃO, MANUTENÇÃO E EMPREGO DE ARMAMENTO Dois exercícios e uma finalidade: treinar militares da Força Aérea Brasileira (FAB). No Exercício Técnico Pista Crítica, o objetivo é que se tornem proficientes na operação em pistas restritas, que ficam situadas em regiões montanhosas e com meteorologia adversa. E, no Exercício Tiro Lateral, treinar para o emprego de armamen-

to e cumprimento de Busca e Salvamento em Combate. Os treinamentos tiveram duração de 15 dias e ocorreram na Ala 7 – Base Aérea de Boa Vista (RR) e no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), na Serra do Cachimbo, em Novo Progresso (PA). As atividades envolveram o Primeiro Esquadrão de Transporte Aéreo (1º ETA) – Esquadrão Tracajá, o Sétimo

Esquadrão de Transporte Aéreo (7º ETA) – Esquadrão Cobra e o Sétimo Esquadrão

do Oitavo Grupo de Aviação (7º/8º GAV) – Esquadrão Harpia. FOTO: TENENTE CRISTIANE / CECOMSAER

Ten JOR Letícia Faria

Militares realizaram municiamento para tiro lateral


5

FOTO: TENENTE CRISTIANE / CECOMSAER

PISTA CRÍTICA: POUSOS E DECOLAGENS EM CAMPOS SEMIPREPARADOS O foco para realização do treinamento está em cumprir missões de formação e manutenção operacional das equipagens da aeronave C-98A Grand Caravan, além de treinar as tripulações do 1º ETA, com sede em Belém (PA), e 7º ETA, situado em Manaus (AM), na operação em campos semipreparados. Os treinamentos foram realizados com pousos e decolagens nas pistas de Surucucu, Uiramutã, Bonfim e Normandia, localizadas nos Pelotões de Fronteiras do Exército Brasileiro na região Amazônica. São pistas que não possuem auxílios de navegação e ficam em regiões adversas, sem pavimentação,

De acordo com o Comandante do Esquadrão Tracajá, Tenente-Coronel Aviador Lázaro de Andrade Stallone, com o binômio preparo e emprego advindo da criação do Comando de Preparo (COMPREP) e Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), a FAB melhora a qualidade da execução das missões. “Um exemplo é o Exercício Técnico Pista Crítica, primordial para tornar cada piloto proficiente na operação em pistas restritas na Região Amazônica, bem como na adaptação ao ambiente que possui diversas dificuldades, como terreno montanhoso e meteorologia adversa”, explica.

iluminação e demais condições favoráveis. O Comandante do Esquadrão Cobra, Tenente-Coronel Aviador Rodrigo Fonseca da Silva Rosa, contabiliza as marcas alcançadas nesta edição do exercício. “Tivemos 373 treinamentos de tráfego para pouso curto e 104:40 horas de voo; como esperado, tudo ocorreu com muita segurança. Tudo isso visa ao aprimoramento da pilotagem, a formação de novos pilotos e mecânicos de voo, contribuindo, assim, para a manutenção operacional dos tripulantes na operação das peculiares pistas da região Amazônica”, destaca o Oficial.

Nesse exercício, a missão está em adestrar as equipagens operacionais no emprego de armamento na modalidade ar-solo. E, nesta edição do Exercício Técnico Tiro Lateral, participou o Sétimo Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (7º/8º GAV) – Esquadrão Harpia. Os treinamentos ocorreram no Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), na Serra do Cachimbo, localizado em Novo Progresso, no Sul do estado do Pará.

FOTO: TENENTE CRISTIANE / CECOMSAER

TIRO LATERAL: MISSÃO DE BUSCA E SALVAMENTO EM COMBATE

O Tiro Lateral, feito com metralhadoras Minigun M-134, visa cumprir a Ação da Força Aérea de Busca e Salvamento em Combate

(CSAR, do inglês Combat Search And Rescue). O Comandante do Esquadrão Harpia, Tenente-Coronel Aviador Leonardo Ell Pereira, destaca que os

objetivos foram atingidos e todas as execuções realizadas com o mais elevado grau de segurança. “Cumprimos nosso adestramento de tiro lateral, de voo de navegação tática e de formatura nos períodos diurno e noturno. Conseguimos, também, colocar nosso projeto de adestramento operacional em prática, alcançando índices previstos de elevação e manutenção operacionais”, finaliza o Oficial.

FOTO: TENENTE NIJELCHI / 7º ETA

Setembro - 2020


6

Setembro - 2020

CONTROLE

Radar vai ampliar a vigilância de voos em baixa altitude

TECNOLOGIA A SERVIÇO DA PÁTRIA NOVA ESTAÇÃO RADAR INSTALADA EM CORUMBÁ (MS) AMPLIA VIGILÂNCIA DO ESPAÇO AÉREO BRASILEIRO Ten JOR Raquel Alves A Força Aérea Brasileira (FAB) está em constante atualização e modernização, o que inclui a aquisição de novos equipamentos e a utilização de novas tecnologias. Essa é uma ação estratégica da Instituição, visando à manutenção da Soberania do Espaço Aéreo e da Defesa Nacional. A modernização dos ra-

dares de vigilância do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) é uma delas. A Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA) realizou a contratação da Empresa OMNISYS, integrante da Base Industrial de Defesa Brasileira, para o fornecimento de três Sistemas de Vigilância, com a implantação de radares nas

cidades de Corumbá, Porto Murtinho e Ponta Porã, no estado do Mato Grosso do Sul, na região de fronteira da Bolívia e do Paraguai com o Brasil. O primeiro radar a ser implantado foi em Corumbá (MS), ativado em 18 de agosto, para ampliar a vigilância de voos em baixa altura na região do centro-oeste Brasileiro. “Com a instalação

desses radares, o nosso País terá uma vigilância aérea que cobrirá toda a fronteira do Mato Grosso do Sul com os países vizinhos. Isso proporcionará ao Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) a capacidade de detecção de qualquer aeronave que passar por essa fronteira, possibilitando a execução de ações de inter-


A inauguração da Estação Radar contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro, e demais autoridades

ceptação de forma mais efetiva e evitando a entrada de ilícitos por via aérea”, enfatiza o Comandante do CINDACTA II, Coronel Aviador Kazuhiko Toda. O projeto de modernização foi iniciado em 2018 por meio do Ministério da Defesa em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública. O radar instalado foi o primeiro de vigilância aérea de rota LP23SST-NG, que é classificado pelo Ministério da Defesa como Produto Estratégico de Defesa (PED).

7 FOTOS: SOLDADO ANDERSON SOARES / CECOMSAER

FOTO: SUBOFICIAL GLADISTON / CECOMSAER

Setembro - 2020


8

Setembro - 2020 FOTO: SUBOFICIAL MANFRIM /MINISTÉRIO DA DEFESA

MISSÃO NO LÍBANO

FAB TRANSPORTA CERCA DE SEIS TONELADAS DE MATERIAL PARA AJUDA INTERMINISTERIAL AO LÍBANO KC-390 MILLENNIUM PARTICIPOU DE SUA PRIMEIRA MISSÃO INTERNACIONAL COM TRIPULAÇÃO COMPOSTA, EXCLUSIVAMENTE, POR MILITARES DA FORÇA AÉREA Agência Força Aérea

FOTO: SOLDADO ANDERSON SOARES / CECOMSAER

A Força Aérea Brasileira (FAB) empregou duas aeronaves – o KC-390 Millennium e o Embraer 190 VC-2 – na missão especial humanitária brasileira a Beirute, no

Líbano. Cerca de seis toneladas de carga, que incluiu medicamentos, alimentos e equipamentos de saúde, doados pelo Ministério da Saúde e pela comunidade libanesa no Brasil, foram transportadas para Beirute

no dia 13 de agosto. A decolagem ocorreu da Base Aérea de São Paulo (BASP) rumo a Fortaleza (CE), onde o primeiro pouso técnico foi realizado. A chegada em Beirute aconteceu no dia 13 de agosto. No total, cada aeronave fez cerca de 30 horas de voo. O Governo brasileiro, conforme decisão do Presidente Jair Bolsonaro, enviou ajuda em resposta à devastadora explosão que atingiu o porto de Beirute, no dia 4 de agosto. O trabalho foi coordenado pelos Ministérios das Relações Exteriores, da Defesa e da Saúde, no âmbito do Grupo de Trabalho Interministerial sobre Cooperação Humanitária Internacional, cuja secretaria

executiva cabe ao Itamaraty. A aeronave multimissão KC-390 Millennium, maior avião militar fabricado no hemisfério sul, resultado da parceria entre a FAB e a Embraer, participou de sua primeira missão internacional com tripulação composta, exclusivamente, por militares da Força Aérea. Já a aeronave Embraer 190 VC-2 transportou a delegação da missão ao Líbano, chefiada pelo ex-Presidente da República Michel Temer, por convite do Presidente Jair Bolsonaro. Fizeram parte da comitiva, ainda, Senadores, Autoridades Federais, Representantes da Comunidade Libanesa no Brasil e especialistas em assistência humanitária.


Setembro - 2020

9 FOTO: SARGENTO BIANCA VIOL / CECOMSAER

KC-390 MILLENNIUM

KC-390 MILLENNIUM COMPLETA UM ANO DE OPERAÇÃO TRÊS UNIDADES DO MAIOR AVIÃO MILITAR MULTIMISSÃO FABRICADO NO HEMISFÉRIO SUL FORAM ENTREGUES O KC-390 Millennium, considerado o maior avião militar multimissão desenvolvido e fabricado no Hemisfério Sul, completa, neste mês de setembro, um ano que foi incorporado à frota da Força Aérea Brasileira (FAB). A aeronave tem capacidade de realizar missões de Transporte Aéreo Logístico, Reabastecimento em Voo (REVO), Evacuação Aeromédica, Busca e Salvamento, ajuda humanitária e Combate a Incêndio em Voo, dentre outras. O primeiro avião, da fabricante brasileira Embraer, foi recebido na Ala 2 - Base Aérea de Anápolis (GO), no dia 4 de setembro de 2019. O segundo, em dezembro

do mesmo ano. E, a terceira unidade, no dia 27 de julho deste ano. O desenvolvimento dessa plataforma teve como objetivo atender aos requisitos operacionais da FAB, provendo mobilidade estratégica às Forças de Defesa do Brasil.

FAB já conta com três unidades da aeronave no Brasil

FOTO: SOLDADO THALLYS AMORIM / CECOMSAER

Ten REP Adauto Fraga


10

Setembro - 2020 FOTO:SARGENTO JOHNSON BARROS / CECOMSAER

OPERAÇÃO OSTIUM

FAB INTENSIFICA OPERAÇÃO NA FRONTEIRA DO PAÍS VIGILÂNCIA DO ESPAÇO AÉREO BRASILEIRO É REALIZADA 24 HORAS POR DIA, POR UMA REDE DE RADARES QUE COBRE TODO O TERRITÓRIO NACIONAL Ten JOR João Elias

FOTO: TENENTE ENILTON KIRCHHOF/ CECOMSAER

No início do mês passado, a Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, simultaneamente, duas aeronaves suspeitas. As ações, realizadas em conjunto com a Polícia Federal no Mato Grosso

do Sul, envolveram quatro caças A-29 Super Tucano e uma aeronave E-99, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA). Ao total, foi apreendida mais de uma tonelada de entorpecentes. Essa foi apenas uma das

E-99 utilizado nas missões de Interceptação

ações do ano de 2020 da Operação Ostium, que reforça a vigilância do espaço aéreo sobre a região de fronteira do Brasil e é realizada de forma permanente pela FAB. O objetivo é coibir voos irregulares que possam estar ligados a crimes como o narcotráfico. A vigilância do espaço aéreo brasileiro é realizada 24 horas por dia, por meio de uma rede de radares que cobre todo o território nacional, além de partes do Oceano Atlântico. Para reforçar a cobertura, são utilizados os aviões-radar E-99, baseados na Ala 2 - Base Aérea de Anápolis (GO), que operam

em todas as regiões. Essas informações são reunidas em Brasília (DF), no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), que pode, de acordo com a necessidade, acionar aeronaves de caça em qualquer parte do País. “Dessa forma, a FAB realiza Ações de Força Aérea, ao longo da faixa de fronteira continental do Brasil, a fim de dissuadir, principalmente, ações ligadas aos ilícitos transnacionais”, declarou o Tenente-Coronel Aviador Hugo Zanoni Bastos de Siqueira, da Divisão de Operações Correntes do COMAE.


Setembro - 2020

11

OPERAÇÃO PANTANAL

FAB AJUDA A COMBATER INCÊNDIOS NO PANTANAL C-130 HÉRCULES E H-60L BLACK HAWK REALIZAM MISSÕES DE COMBATE A INCÊNDIO EM VOO E TRANSPORTE AÉREO LOGÍSTICO NA REGIÃO Ten JOR Raquel Alves e Ten JOR Flávia Rocha

FOTO: DIVULGAÇÃO

FOTO: TENENTE BARBIRE / ALA 5

Para enfrentar os incêndios que atingem o Pantanal, a Força Aérea Brasileira (FAB) emprega vetores na região desde o dia 27 de julho. A aeronave C-130 Hércules e

o helicóptero H-60L Black Hawk realizam missões de Combate a Incêndio em Voo e Transporte Aéreo Logístico, em Mato Grosso (MT) e Mato Grosso do Sul (MS), durante a Operação Pantanal, deflagrada pelo Ministério da Defesa. O C-130 Hércules, operado

pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, atuou a partir da Ala 5 – Base Aérea de Campo Grande, utilizando o sistema de combate a incêndio MAFFS (do inglês Modular Airborne Fire Fighting System). O equipamento conta com dois tubos que projetam água pela porta traseira do avião a uma altura aproximada de 150 pés (cerca de 46 metros). Já o H-60L Black Hawk, operado pelo Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (5º/8º GAV) – Esquadrão Pantera, estava engajado nas missões a partir do Aeroporto de Corumbá até o dia 7 de agosto, atuando no transporte de brigadistas do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul, Fuzileiros Navais da Ma-

rinha do Brasil e profissionais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) até os locais das chamas. Com a diminuição dos focos de incêndio na região de Corumbá, a Operação Pantanal foi deslocada para o município de Poconé (MT), no dia 8 de agosto, onde as queimadas estavam intensas. O H-60L realizou várias saídas na região para contribuir com a diminuição das chamas que atingiam reservas ecológicas e fazendas locais. “É uma experiência muito boa poder aplicar o nosso conhecimento para ajudar a sociedade brasileira e, sobretudo, poder proteger reservas ecológicas no Pantanal”, declarou um dos pilotos do H-60L Black Hawk, Tenente Aviador Danilo Correa Alves da Silva.

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Organização da FAB responsável pelo emprego das aeronaves, realiza a coordenação junto ao Ministério da Defesa, que atendeu à solicitação dos Governos de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul. Para cumprir a demanda, o MD estabeleceu um Centro de Coordenação no Comando do 6º Distrito Naval, na cidade de Ladário (MS). Além das aeronaves da FAB, a Operação conta com helicópteros da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro nas ações.

FAB apoia missões com a aeronave H-60L Black Hawk, do 5º/8º GAV, Esquadrão Pantera

FOTO:SARGENTO LEAL / 5º/ 8ºGAV

OPERAÇÃO PANTANAL


12

Setembro - 2020

PATRONO DA FAB

O ANIVERSÁRIO DO MARECHAL Ten JOR Flávia Rocha foi nomeado pela segunda vez Ministro da Aeronáutica. Ao No dia 20 de setembro, seu lado, no Rio de Janeiro, celebramos os 124 anos do estava um fiel assistente: o ennascimento do Marechal do tão Tenente Arnaldo Jorge. Do Ar Eduardo Gomes, natural Quadro de Oficiais de Admide Petrópolis (RJ). Por suas nistração do Corpo de Oficiais realizações ao longo da car- da Aeronáutica, o hoje Capitão reira, tornou-se digno de ser Arnaldo, com 90 anos, orgulhaoutorgado Patrono da Força -se de ter assessorado aquele Aérea Brasileira (FAB), em que, anos depois, tornou-se o 1984, pela Lei Nº 7.243. Com Patrono da FAB. uma trajetória de vida intensa Com 73 anos de Força Aée repleta de conquistas, marcou rea, Capitão Arnaldo é um mia história da FAB. litar das antigas que coleciona Um dos seus principais boas histórias. “Ele gostava feitos ocorreu na década de de conversar antes de tomar 1930. Eduardo Gomes foi um qualquer decisão”, lembra dos precursores do Correio o Capitão Reformado, que Aéreo Militar, embrião do fa- também é advogado e pai de moso Correio Aéreo Nacional, quatro filhos, um deles seguiu uma importante ferramenta os passos do pai e também de integração do País até os se tornou um Oficial da Aedias de hoje. Anos depois, ronáutica: o Tenente-Coronel acompanhou a criação de ba- Aviador da Reserva Arnaldo ses aéreas nas Regiões Norte Luiz Chan Jorge. e Nordeste, áreas estratégicas Quando o Gabinete do de apoio à aviação durante a Ministério foi integralmente Segunda Guerra Mundial. Foi transferido do Rio de Janeiro ainda candidato a Presidente para o Distrito Federal, em da República em 1945 e 1950. 1970, Capitão Arnaldo muEm 1965, Eduardo Gomes dou-se para Brasília, ocupan-

FOTOS: ACERVO CECOMSAER

NESTE MÊS, CELEBRAM-SE OS 124 ANOS DO NASCIMENTO DO MARECHAL DO AR EDUARDO GOMES, PATRONO DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

Marechal do Ar Eduardo Gomes tornou-se Patrono em 1984 do diferentes cargos e funções, tanto no Ministério quanto no Gabinete do Comando da Aeronáutica, onde presta serviços até a atualidade. No Ministério da Aeronáutica, foi Chefe da Secretaria do Gabinete do Ministro; Chefe da Subseção de Pessoal Militar da Assessoria de Pessoal do Gabinete do Ministro; Adjunto da Assessoria de Pessoal do Gabinete do Ministro e, ainda,

Oficial de Gabinete. Ao lado de Eduardo Gomes e de muitos outros Comandantes da Aeronáutica, Capitão Arnaldo também tem uma trajetória marcada pela obstinação em trabalhar continuamente em prol do desenvolvimento da Força, assistindo de perto muitas gerações empenhadas em atuar por uma organização cada vez mais moderna e operacional.


14

Setembro - 2020 FOTO: DIVULGAÇÃO

TRANSPORTE DE ÓRGÃOS

O VOO DA VIDA PELAS ASAS DA FAB Ten JOR Jonathan Jayme A data de 27 de setembro marca o Dia Nacional da Doação de Órgãos. A Força Aérea Brasileira (FAB) tem papel essencial nesse tema ao realizar transportes que salvam centenas de vidas todos os anos no País. Quase que diariamente, as aeronaves da FAB atravessam as mais diversas localidades conduzindo órgãos e tecidos para serem transplantados. Apenas em 2020, até o dia 3 de agosto, a Força Aérea foi acionada para 144 missões de Transporte de Órgãos, Tecidos e Equipes (TOTEQ), totalizando 160 órgãos transportados – em maior número estão o fígado (86), o coração

(35) e os rins (33). Nos últimos quatro anos, a FAB já ajudou a salvar 993 vidas cumprindo esse tipo missão. Acionamentos Para atender às requisições do Ministério da Saúde, a FAB mantém permanentemente disponível, no mínimo, uma aeronave que serve exclusivamente a esse propósito, conforme preconiza o Decreto nº 9175, de 18 de outubro de 2017. Há tripulações de sobreaviso nos Esquadrões de Transporte, em tempo integral, em todo o País. O Chefe da Divisão de Planos e Diretrizes do Centro Conjunto de Operações Aéreas (CCOA) do Comando

Em 2020, a FAB foi acionada para 144 missões de Transporte de Órgãos de Operações Aeroespaciais qualquer local do território (COMAE), Coronel Aviador nacional”, completa. Uma vez feitas as trataAndré Luiz Dall’Agnol Cechella, explica que a estrutura tivas iniciais com a CNT, o de acionamento e controle COMAE aloca os meios mais de uma missão de TOTEQ próximos disponíveis para é gerenciada pelo COMAE. cumprir essa missão. “Como “Possuímos um elo sistêmico a FAB está presente em todo com a Central Nacional de o território nacional, o desTransplantes (CNT), que, por locamento dos meios aéreos sua vez, recebe as informa- para o transporte solicitado é ções iniciais para a captação atendido em poucas horas”, de um determinado órgão em explica o Coronel Dall’Agnol.

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

ENGENHARIA SOCIAL. VOCÊ SABE O QUE É ISSO? O AUMENTO DO NÚMERO DE CASOS DIANTE DO CENÁRIO DO NOVO CORONAVÍRUS Engenharia Social é o processo de enganar ou manipular pessoas de forma que elas forneçam diretamente ou proporcionem acesso à informação privada, classificada ou privilegiada a alguém que não deveria tê-la. Os Engenheiros Sociais podem ser agentes adversos (hackers, criminosos ligados a roubos, furtos, sequestros, extorsões, etc.) que se utilizam dessa técnica para conseguir informações (dados ou conhecimentos) de indivíduos ou de instituições com o intuito de obter vantagens ilícitas. Especialistas em Enge-

nharia Social afirmam que a principal habilidade utilizada é a comunicação humana, antes mesmo do que conhecimentos técnicos ou equipamentos sofisticados. Organizações e companhias estratégicas ao redor do mundo têm reportado tentativas de utilização de técnicas de Engenharia Social para obtenção de informações internas por meio de telefones, mensagens, e-mail, contatos pessoais e sites de relacionamento. Historicamente, tem-se observado a ocorrência de algumas situações que potencializam a quantidade de ataques:

desastres naturais, períodos eleitorais, crises econômicas, epidemias e pandemias, como, por exemplo, o que estamos presenciando com a disseminação do novo Coronavírus. Diante do atual cenário, tem-se verificado o crescente número de e-mails e mensagens em aplicativos de conversa e SMS contendo links maliciosos. Alguns destes, por exemplo, oferecendo acesso grátis a serviços pagos, sugerindo o acompanhamento da evolução do Coronavírus pelo mundo, propondo cadastro para receber auxílio financeiro do Governo durante a quarentena e, ainda, distribuindo álcool em gel gratuitamente. Essas são algumas das prin-

cipais abordagens utilizadas pelos Engenheiros Sociais no momento. Portanto, algumas orientações são importantes na prevenção à Engenharia Social: duvidar de textos que não acompanhem links para fontes e sites oficiais; ao acessar páginas de internet, para inserir dados pessoais, verificar se o endereço começa com HTTPS; manter antivírus instalado e atualizado no celular e no computador e ter cuidados extras ao utilizar redes wi-fi públicas. Com essas atitudes, a probabilidade de ser enganado por um Engenheiro Social será significativamente reduzida. (Centro de Inteligência da Aeronáutica - CIAER)


Setembro - 2020

15

ENTRETENIMENTO

CAÇA PALAVRAS Eduardo Gomes nasceu em 20 de setembro de 1896, na cidade de Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro. A 6 de novembro de 1984, o País reverenciaria, uma vez mais, o querido “Brigadeiro” (como gostava de ser chamado), com a homenagem póstuma do Governo Federal, através de ato legal. Por meio da Lei nº 7.243, o Marechal do Ar Eduardo Gomes foi proclamado Patrono da Força Aérea Brasileira. Fonte: INCAER

RESPOSTA DO CAÇA PALAVRAS DA EDIÇÃO DE AGOSTO DE 2020


Profile for Força Aérea Brasileira

Notaer - Setembro de 2020  

ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA - LÍBANO

Notaer - Setembro de 2020  

ASSISTÊNCIA HUMANITÁRIA - LÍBANO

Profile for portalfab

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded