Issuu on Google+

www.fab.mil.br

Ano XXXVI

Nº 11

Novembro, 2013

ISSN 1518-8558

A CRUZEX Flight 2013 é o maior exercício de guerra aérea da América Latina. Esta edição conta com a participação de aproximadamente dois mil militares e oito países que vão trazer aeronaves. As ações vão ocorrer sobre os estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba e Pernambuco, além do Oceano Atlântico. E, para dar o apoio necessário ao treinamento, a Base Aérea de Natal (BANT) se preparou durante quase um ano. Págs. 10 e 11

2S JOHNSON / CECOMSAER

CRUZEX Flight 2013 - Guerra nos céus do Nordeste

Bomba Real

Espaço Aéreo Em entrevista, o representante do Brasil junto à Organização da Aviação Civil Internacional fala sobre o reconhecimento internacional do país no controle do espaço aéreo. Pág 07

Novembro Azul

Mês da Asa

Com um efetivo predominantemente masculino, a Força Aérea Brasileira se engaja na campanha contra o câncer de próstata e incentiva a realização de exames preventivos. Pág 14

Confira as comemorações do “Mês da Asa” em todo o país. Em outubro, várias unidades militares realizaram eventos com a participação da comunidade para celebrar o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. Págs 08 e 09

BASP

Pela primeira vez, a Força Aérea Brasileira realizou o lançamento das chamadas “bombas inteligentes”, que possuem munição real. Essa tecnologia facilita acertar o alvo e traz menos risco ao piloto e à população da área do conflito. Pág 06.


2

Novembro - 2013

Expediente

CARTA AO LEITOR

Nossa responsabilidade só aumenta Outro assunto importante para a FAB e para o Brasil é a reeleição do país como membro do Conselho da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), órgão das Nações Unidas para o desenvolvimento da aviação mundial. Em entrevista, o representante do Brasil, Tenente-Coronel Manoel Araújo da Costa Júnior, fala sobre o papel de liderança do país, responsável por controlar o tráfego aéreo numa dimensão com 22 milhões de km². Você vai ver também que, depois do Outubro Rosa, a FAB entra na campanha Novembro Azul. Cerca de 85% do efetivo são homens. Essa é uma oportuni-

Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno

2S JOHNSON / CECOMSAER

Esta edição do Notaer traz para você as informações sobre o maior exercício de guerra aérea realizado na América Latina. Organizado pela Força Aérea Brasileira (FAB), a CRUZEX Flight 2013 conta com oito nações e cerca de 90 aeronaves. A cada edição, é maior a nossa responsabilidade em proporcionar um treinamento completo aos participantes. Militares de todo o país trabalharam intensamente no planejamento e preparação deste evento que movimenta o céu do Nordeste. Você vai saber como a Base Aérea de Natal, que sedia o treinamento, se preparou para receber aproximadamente dois mil militares nacionais e estrangeiros.

Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador Henry Munhoz Wender Chefe da Divisão de Comunicação Corporativa: Coronel Aviador Max Luiz da Silva Barreto Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Major Aviador Rodrigo Alessandro Cano

dade única para alertar sobre a necessidade de realizar o exame preventivo do câncer de próstata, doença com um dos maiores índices de mortalidade masculina. E, por meio de registros fotográficos, vamos dar um giro pelo Brasil para mostrar as

festividades do “Mês da Asa” nas unidades militares que celebraram o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.

Brig Ar Marcelo Kanitz Damasceno Chefe do CECOMSAER

Chefe da Agência Força Aérea: Capitão Aviador Bruno Perrut Gomes Garcez dos Reis

Repórteres: Ten JOR Humberto Leite, Ten JOR Flávio Nishimori, Ten JOR Willian Cavalcanti, Ten JOR Jussara Peccini, Ten REP Talita Lopes, Ten JOR Emille Cândido, Ten JOR Evellyn Abelha e Ten JOR Iris Vasconcellos. Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná.

Android na mira dos hackers Apesar do empenho dos engenheiros da Google em tornar o Android cada vez mais seguro, hackers têm explorado algo que está além do alcance dos profissionais de segurança: o comportamento do usuário. Os dois fatores comportamentais que mais contribuem para a disseminação de aplicativos maliciosos são: a) O usuário não verifica a credibilidade do autor do aplicativo. É mais seguro instalar programas desenvolvidos por empresas consolidadas no mercado. b) O usuário não analisa as permissões requisitadas pelo aplicativo. No momento de instalação do software, o Android exibe todas as funcionalidades do aparelho que o aplicativo está solicitando acesso. É estranho um jogo solicitar acesso à

Chefe da Seção de Divulgação: Capitão Aviador Bruno Perrut Gomes Garcez dos Reis

Editor: Tenente Jornalista João Elias

Boa leitura!

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

O Android é um sistema operacional presente na maioria dos dispositivos móveis no mundo. Uma pesquisa realizada em fevereiro de 2013 revelou que 44% dos celulares e tablets no Brasil possuem o sistema desenvolvido pela Google. A Trend Micro (desenvolvedora de antivírus) publicou um relatório onde reporta um aumento, de janeiro a junho de 2013, de 105% no número de softwares maliciosos para Android. Além disso, no mesmo relatório, o Brasil figura como o segundo país com maior número de vítimas de malwares bancários – aplicativos maliciosos especializados em roubar informações de acesso aos bancos. (Países vítimas de fraudes bancárias online: EUA 28%, Brasil 22%, Austrália 5%, França 5%, Japão 4%)

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno.

agenda de telefones, envio de mensagens, etc. Além de ser prudente na instalação de aplicativos, o usuário precisa tomar medidas básicas de segurança: mantenha seu smartphone atualizado com as últimas distribuições do fabricante e instale um antivírus. O insituto AV-TEST (www. av-test.org) é uma organização internacional independente que realiza pesquisas na área de segurança digital. Baseado nos testes realizados por esse instituto no ano de 2013, temos os seguintes antivírus recomendados, ordenados por capacidade de proteção: Para Android versão 4.1.2 TrustGo: Mobile Security 1.3 Antiy: AVL 2.2 Bitdefender: Mobile Security 1.2 Lookout: Security & Antivirus 8.6 Trend Micro: Mobile Security 2.6

Para Android versão 4.2.2 Antiy: AVL 2.2 Bitdefender: Mobile Security 1.2 Kaspersky: Mobile Security 10.4 Kingsoft: Mobile Security 2.3 Qihoo: 360 Mobile Security 1.0 Para Android versão 4.3 Qihoo: 360 Mobile Security 1.2 Avast: Mobile Security 3.0 Bitdefender: Mobile Security 1.2 Kaspersky: Mobile Security 11.1 Trend Micro: Mobile Security 3.1 Os smartphones com Android são maioria no mercado móvel, sendo assim, um alvo prioritário para criminosos. Se o usuário for prudente na instalação de aplicativos, manter atualizado seu sistema operacional e instalar um bom antivírus, provavelmente não será mais uma vítima dessa crescente modalidade de ataque. Esteja seguro!(Centro de Inteligência da Aeronáutica)

Diagramação e Arte: Ten FOT José Mauricio Brum de Mello, Suboficial Claudio Bomfim Ramos, Sargento Emerson G. Rocha Linares, Sargento Jobson Augusto Pacheco e S2 Yago Vinicius Santos. Revisão: Maj Av Rodrigo Alessandro Cano e Cap Av Bruno Perrut Gomes Garcez dos Reis Tiragem: 30.000 exemplares Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Comentários e sugestões de pauta sobre aviação militar devem ser enviados para: redacao@fab.mil.br Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A


Novembro - 2013

3

PALAVRAS DO COMANDANTE

Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito Comandante da Aeronáutica

N

2S JOHNSON / CECOMSAER

ovamente o Nordeste será palco do exercício Cruzeiro do Sul, a CRUZEX. Não é exagero dizer que, desde a primeira edição em 2002, esse exercício modificou a forma como a Força Aérea Brasileira encara a guerra aérea moderna. Aliamos a capacidade do militar brasileiro aos conceitos mais atualizados do planeta no emprego do poder aéreo. São treinamentos assim que caracterizam uma verdadeira força aérea. É a doutrina, o aprendizado e a visão sistêmica

que separam o simples voar do voar para combater e vencer. Se o contexto internacional, felizmente, coloca-nos em uma posição de paz, isso não é motivo para estarmos apartados do constante e aprimorado preparo. Durante a CRUZEX, nossos militares atuam como se estivessem compondo uma força de coalizão de destaque mundial. O internacionalismo da CRUZEX é outro aspecto que precisa ser lembrado. Neste ano, são oito países

participantes. O fato de o Canadá, por exemplo, trazer aeronaves da parte mais setentrional da América para o Rio Grande do Norte é uma mostra do reconhecimento da qualidade do exercício desenvolvido aqui no Brasil.

Durante a CRUZEX, nossos militares atuam como se estivessem compondo uma força de coalizão de destaque mundial.

Cada país que investe trazendo seus militares e suas aeronaves ratifica o bom trabalho dos organizadores. Eles buscam, de maneira inversa, o que os brasileiros procuram encontrar quando participam de treinamentos no exterior, como a Red Flag, Salitre e a Mapple Flag, entre

2S JOHNSON / CECOMSAER

O maior exercício de guerra aérea da América Latina

outros. Podemos estar certos de que aqueles estrangeiros que têm a oportunidade de conhecer o Brasil foram selecionados entre os seus pares e, certamente, esperam sair daqui com uma marca única em suas carreiras. Teremos em Natal cerca de dois mil participantes entre canadenses, chilenos, colombianos, equatorianos, norte-americanos, uruguaios, venezuelanos e brasileiros. São esses últimos que têm a maior responsabilidade. Cabe aos homens e às mulheres que levarão o nome BRASIL nos seus braços a responsabilidade de não apenas participarem de um treinamento, mas receberem bem seus colegas de outras nações e, sobretudo, demonstrar o alto grau de profissionalismo da Força Aérea Brasileira. Estou certo quanto a entrega do nosso efetivo. Sei que, seja nos combates no céu, seja nos trabalhos em terra, nossos militares têm tudo para representar bem o nosso país.


4

Novembro - 2013

ACONTECE

O COMAER e a Contabilidade Federal

EQUIPE DE ORIENTAÇÃO

SELEÇÃO DE FUTEBOL

Já em 19 de setembro, no IV Seminário de Prestação de Contas do Governo Federal, a SEFA expôs o modelo de atuação da contabilidade da FAB, que busca assegurar a consistência e a oportunidade dos registros contábeis e, por conseguinte, a qualidade das contas que integram o balanço da Presidência da República. “A SEFA, alinhada com as diretrizes da STN, estrutura as atividades de contabilidade no COMAER e utiliza os sistemas tecnológicos do Governo Federal com foco no usuário da informação contábil e no aprimoramento da gestão dos recursos públicos”, finaliza o Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Franciscangelis Neto, Secretário de Economia e Finanças da Aeronáutica.

Estão abertas até o dia 22 de novembro, as inscrições dos interessados em participar da Equipe de Orientação da FAB 2014. Podem se inscrever homens ou mulheres de organizações militares de todo o país. Não há limite de idade. Basta enviar a intenção de participação para o fax (21) 2108-8965. A seletiva vai ocorrer de nove a 13 de dezembro na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em Guaratinguetá (SP). Os candidatos participam de uma corrida de 12 minutos (os homens devem fazer um percurso de 3.200m e as mulheres de 2.400m) e também de uma prova de minicircuito de orientação. Os selecionados vão representar a FAB no Campeonato Brasileiro de Orientação de 2014 e também em competições fora do país.

Você quer fazer parte da equipe masculina de futebol de campo da Força Aérea Brasileira? A seleção será realizada de 25 a 29 deste mês. Para se inscrever, é necessário enviar o currículo esportivo para o e-mail cda_ddm@yahoo.com.br ou pelo fax (21) 2108-8965. Não há limite de idade. Podem se candidatar militares de todas as unidades do país. Os selecionados vão participar de um campeonato na Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA) no Rio de Janeiro. Ao final, 30 atletas vão ser escolhidos para vestir a camisa do time e disputar o Campeonato das Forças Armadas no ano que vem.

A Secretaria de Economia e Finanças da Aeronáutica (SEFA) representou o Comando da Aeronáutica (COMAER) em dois eventos relacionados à contabilidade federal, coordenados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). No dia 10 de outubro, no III Congresso de Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público, a SEFA apresentou a sistemática adotada pelo COMAER na mensuração de custos de suas atividades, com ênfase no uso do Sistema de Informação de Custos do Governo Federal (SIC), ao longo de 2013. O SIC é uma ferramenta tecnológica com a capacidade de integrar sistemas do Governo Federal em base de dados única.

ANIVERSÁRIOS Casa Gerontológica de Aeronáutica - CGABEG

Caixa de Financiamento Imobiliário da Aeronáutica - CFIAe

07/11 - 29 anos

12/11 - 34 anos

Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo

Primeiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação - 1º/7º GAV

01/11- 31 anos

08/11 - 66 anos

Parque de Material Aeronáutico de Recife PAMA-RF 12/11 - 67 anos

Primeiro Esquadrão do Sexto Grupo de Aviação - 1º/6º GAV 20/11 - 57 anos

Base Aérea de Salvador - BASV

Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação - 1º/8º GAV

C o m a n d o G e ra l d e Apoio - COMGAP

05/11 - 71 anos

10/11 - 41 anos

18/11 - 44 anos

Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento PARASAR 23/11 - 50 anos

Primeiro Esquadrão do Décimo Sexto Grupo de Aviação - 1º/16º GAV 07/11 - 62 anos

Terceiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação - 3º/10º GAV

Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos - CENIPA 19/11 - 42 anos

10/11 - 35 anos

Quer ver a sua unidade no NOTAER? Mande sua notícia pelo sistema Kataná. Não tem a senha? Cadastre-se pelo e-mail: web.dpd@cecomsaer.aer.mil.br

Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo

23/11 - 08 anos


Novembro - 2013

MÍDIAS SOCIAIS

Você presente na CRUZEX Flight 2013

P

or meio de nossos perfis oficiais nas redes sociais (facebook, twitter, instagram, tumblr, flickr e youtube), você acompanha em tempo real toda a CRUZEX. Notícias, vídeos, fotos, aeronaves e muita informação esperam por você! No Força Aérea Blog, você pode saber mais sobre todas as operações CRUZEX realizadas de 2002 até hoje. Com linguagem leve, você conhece os episódios mais marcantes das edições anteriores da Operação.

Facebook – Só na fan page oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), você fica por dentro dos bastidores da missão. Vamos compartilhar com você todos os acontecimentos e curiosidades dos países envolvidos na CRUZEX Flight 2013! Twitter – Informação em tempo real sobre a manobra. Notícias, reportagens e o acompanhamento das missões em primeira mão para você não perder nenhum instante. Instagram – As melhores imagens para você! Flashes

das aeronaves, delegações, voos e manobras clicados de ângulos inéditos. YouTube – Todos os vídeos e reportagens exclusivos da CRUZEX FLIGHT 2013 em um só lugar. Basta se inscrever no nosso canal para embarcar com a FAB na operação. Tumblr – Neste canal você recebe um pacote completo com todas as nossas publicações sobre a CRUZEX nas mídias sociais da FAB. É a Força Aérea Brasileira cada vez mais presente na vida dos brasileiros.

E

m outubro, a foto mais curtida em nosso Facebook foi a imagem em homenagem ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. No Instagram, a foto que mostra a máscara de um piloto, durante um voo, foi o destaque do mês. Já em nosso canal no Youtube, o vídeo do primeiro lançamento de bombas guiadas a laser no Brasil ultrapassou a marca de 25 mil visualizações.

Conheça e faça parte da Força Aérea Brasileira através das m��dias sociais. Estamos esperando por você!

5


6

Novembro - 2013

TECNOLOGIA

Caças A-1 lançam bombas guiadas a laser

O lançamento das “bombas inteligentes” foi realizado no Rio Grande do Sul

E

sta foi a primeira vez que a Força Aérea Brasileira realizou o lançamento de bombas guiadas a laser com munição real. No dia três de outubro, caças A-1 decolaram da Base Aérea de

Santa Maria (RS) carregando bombas BAFG 230 e MK82, sendo seis inertes e três com carga explosiva, todas equipadas com o kit Lizard, que as transformam em “bombas inteligentes”. O lançamento

foi realizado no estande de tiro de Saicã, a 120 km de Santa Maria. A utilização dessa tecnologia permite atingir o alvo com maior precisão e alcance, minimizando os riscos ao piloto e a possibili-

dade de danos colaterais que afetem a população e os bens civis na área de conflito. A Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) RQ450 do Esquadrão Hórus (1°/12° GAV) gravou toda a

ação. “Essa missão é resultado de aproximadamente quatro anos de trabalho”, afirma o Tenente-Coronel Clauco Fernando Vieira Rosseto, comandante do Esquadrão Centauro (3°/10° GAV).


Novembro - 2013

7

ENTREVISTA

O Brasil na elite do controle do espaço aéreo mundial ARQUIVO PESSOAL

O

NOTAER: O Brasil participa do Conselho da OACI desde a fundação do órgão em 1944 e apresentou um resultado importante neste ano com a reeleição. Diante disso, como o controle de tráfego aéreo no Brasil é visto pela OACI? Tenente-Coronel Manoel: Durante a 38ª Assembleia Geral da OACI, o Brasil foi eleito para o Grupo 1 com 160 votos, entre 173 possíveis, tornando-se o país mais votado do Grupo. Isso é reflexo direto do trabalho que vem sendo realizado internamente, principalmente, nas áreas de regulação, segurança operacional e controle do espaço aéreo, o que transmite aos demais países-membros da organização a certeza de que o Brasil desempenha um papel fundamental como líder regional e que se destaca mundialmente pela qualidade dos serviços de navegação aérea prestados na sua área de responsabilidade que é de 22 milhões de km².

NOTAER: O índice de confiabilidade no sistema de controle de tráfego aéreo no Brasil é alto, de acordo com as últimas auditorias da OACI. Podemos dizer que voar no Brasil é seguro? Tenente-Coronel Manoel: A última auditoria realizada pela OACI no Brasil aconteceu em 2009. Nessa oportunidade, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo obteve 95% de conformidade com as normas estabelecidas pela organização, o que nos coloca entre os países mais seguros do mundo para se voar. O mais importante é destacar que o DECEA não se acomodou com o excelente resultado e vem investindo cada vez mais na eficiência e eficácia do sistema a fim de acompanhar o crescente desenvolvimento da aviação global. Voar no Brasil é, sim, muito seguro. NOTAER: O Brasil é um dos poucos países do mundo com um sistema integrado

OTenente-Coronel Manoel é o representante do Brasil na OACI

de tráfego aéreo civil e militar. Como essa questão é vista pela OACI? Tenente-Coronel Manoel: A cooperação civil/militar no gerenciamento do tráfego aéreo é hoje uma das maiores preocupações da OACI para a otimização no fluxo aéreo mundial. Desta forma, a organização publicou a Circular 330 onde destaca a importância da interoperabilidade técnica e operacional e o uso flexível do espaço aéreo como questões-chave no gerenciamento do tráfego. O Brasil, devido ao seu sistema integrado de defesa

e controle do espaço aéreo, é visto pela OACI como um ótimo exemplo na cooperação civil/militar, sendo citado e convidado a ministrar palestras em muitos fóruns que tratam do assunto. NOTAER: O crescimento do tráfego aéreo no Brasil supera a média mundial, em torno de 6% ao ano, e apresenta inovações, como o Programa SIRIUS. Como a OACI acompanha as inovações brasileiras na área de tráfego aéreo? Tenente-Coronel Manoel: O Programa SIRIUS, estabelecido pelo DECEA,

foca principalmente na Navegação Baseada em Performance (do inglês, PBN) e tem a finalidade de aumentar a eficiência na utilização do espaço aéreo por meio da redução da distância voada e, consequentemente, redução no consumo de combustível, emissões e ruídos. Para tanto, o conceito baseia-se na utilização do Sistema Global de Navegação por Satélite (GNSS), tanto nas rotas de voo quanto nas áreas de controle terminal e aproximação. NOTAER: A estimativa do Departamento de Controle do Espaço Aéreo é de um aumento de 2% no tráfego aéreo em razão da Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. Qual é a expectativa da OACI sobre a atuação do Brasil nestes grandes eventos? Tenente-Coronel Manoel: A OACI não manifesta qualquer tipo de preocupação relativa ao gerenciamento do tráfego aéreo no Brasil durante esses grandes eventos. Todos na organização conhecem a capacidade e a confiabilidade do sistema de controle do espaço aéreo brasileiro.

Programa SIRIUS é discutido em seminário O SIRIUS foi destaque do seminário realizado durante os dias 14 e 17 de outubro, no Rio de Janeiro. Com o tema “Seminário ATM SIRIUS Brasil – Impulsionando o Desenvolvimento do ATM Nacional”, o evento teve a finalidade de apresentar os temas relacionados ao desenvolvimento do gerenciamento de tráfego aéreo no país, com uma visão prospectiva para o ano de 2023.

DECEA

trabalho desenvolvido pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) rendeu ao Brasil o reconhecimento internacional do setor. Com um índice de 92,5% de aprovação, o país foi o mais votado do Conselho da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), órgão das Nações Unidas responsável pela promoção do desenvolvimento seguro e ordenado da aviação civil mundial. Há 12 anos gerenciando um espaço aéreo com uma dimensão de 22 milhões de Km², o DECEA segue de olho nas necessidades do país e na demanda natural do tráfego, que cresce em torno de 6% ao ano. Em 2013, o Departamento começou a adotar o Programa SIRIUS Brasil, projeto que promete revolucionar o controle do espaço aéreo brasileiro. Para entender melhor a importância da reeleição do Brasil na OACI e a extensão do trabalho do país no Conselho, o NOTAER entrevistou o Tenente-Coronel Aviador Manoel Araujo da Costa Junior. O militar tem 27 anos de serviço na FAB e, desde 2012, é membro da Comissão de Navegação Aérea e Alterno do Representante do Brasil junto à OACI.


8

Novembro - 2013

MÊS DA ASA

E

m outubro, organizações militares de todo o Brasil realizaram diversos eventos para lembrar o feito de Alberto Santos Dumont que, em 23 de outubro de 1906, realizou o primeiro voo com o avião mais pesado que o ar, o 14 Bis. O fato histórico ocorreu no Campo de Begatelle, em Paris.

Por isso, o dia 23 de outubro é considerado o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. E de norte a sul do país, milhares de civis e militares participaram durante todo o mês de corridas, concertos sinfônicos e do evento “Portões Abertos”, quando as organizações abrem seus portões e promovem um dia

CB BISPO / VI COMAR

A Força Aérea Brasileira abre seus portões de festividades para toda a comunidade. É a FAB cada vez mais presente na vida dos brasileiros. Abaixo na foto principal a largada da corrida pelas ruas de Brasília, evento que contou com mais de 500 atletas. Na foto menor, os vencedores no pódio após a realização da corrida no Rio de Janeiro.

Em Campo Grande (MS), a banda de música contou com integrantes das bandas do Exército, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

SD QUEIROZ / BACG

3S MARLLON / BAGL

SGT XAVIER / CDA

Na apresentação do concerto sinfônico no Rio de Janeiro (RJ), a Banda de Música da Base Aérea do Galeão misturou diversos estilos musicais.


Novembro - 2013

9

CPBV

No Campo de Provas Brigadeiro Velloso, na divisa do Pará com o Mato Grosso, o Portões Abertos reuniu moradores de 25 municípios da região. Eles puderam conferir a exposição das aeronaves (foto abaixo) e a prática de rapel (foto ao lado)

CPBV SGT DIEGO / EPCAR

BASP

A Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) abriu as portas do aeroporto para a população de Barbacena (MG), que conferiu a exposição das aeronaves e participou de ações cívico-sociais.

Em Canoas (RS), cerca de 25 mil pessoas foram recebidas na área operacional da Base e presenciaram sobrevoos e pousos de aeronaves.

SD VIDAL / BACO

O grupo de salto livre Falcões realizou demonstração durante o evento em São Paulo que contou, também, com shows musicais e distribuição de mudas pelo projeto Verdejando.


10

Novembro - 2013

OPERACIONAL

Base Aérea de Natal pronta para a CRUZEX Flight

2S JOHNSON / CECOMSAER

U

oito países entre os dias 4 e 15 de novembro. A BANT deve receber aviões e helicópteros para missões, envolvendo desde o combate aéreo entre caças até o salto de paraquedistas de forças especiais, uma das novidades desta edição. De acordo com o Coronel Aviador João Campos Ferreira Filho, comandante

2S JOHNSON / CECOMSAER

m trabalho de planejamento de praticamente um ano. Foi dessa forma que a Base Aérea de Natal (BANT) se preparou com o objetivo de proporcionar o suporte necessário para a realização da CRUZEX Flight 2013. O maior exercício de guerra aérea da América Latina vai contar com aproximadamente dois mil militares de

AH-2 Sabre participa pela primeira vez da CRUZEX

da BANT, os trabalhos visando a CRUZEX 2013 se iniciaram em novembro de 2012 com a participação na primeira reunião com o Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR). De lá para cá, toda a infraestrutura foi sendo pensada para sediar o exercício, que este ano conta com a participação de Colômbia, Canadá, Chile, Estados Unidos, Equador, Uruguai e Venezuela, além do Brasil. Todos os detalhes foram acertados cuidadosamente com a coordenação geral. Com relação à mobilização dos militares participantes, por exemplo, há um cronograma que prevê os horários de chegada e partida dos esquadrões, sejam eles da FAB ou estrangeiros. Nesta edi-

ção, estão previstas as participações de caças supersônicos como os F-16, F-5 e F-2000; aviões de grande porte, como o C-130 Hércules, além de helicópteros, a exemplo do AH-2 Sabre. Para atender a essas aeronaves, também já

estão a postos equipamentos como empilhadeiras, fontes de energia, loader e unidade rebocadora de aeronave.

Alimentação Outro ponto estrategicamente pensado foi o rancho. Com o objetivo de fornecer alimentação aos militares envolvidos na operação, será adotado um sistema de tíquetes escalonado por turnos em diferentes horários. “Como receberemos muitos estrangeiros e que talvez não estejam adaptados ao nosso paladar, sempre teremos também uma alimentação alternativa”, explica o comandante. De acordo com a chefe do rancho, Tenente Intendente Luiza Delamor Braga, a equipe da BANT recebeu reforço de contingente das Bases Aéreas de Salvador e Recife e, ao total, 130 militares serão responsáveis pela preparação das


Novembro - 2013

FOTOS: 2S JOHNSON / CECOMSAER

TEN CEL SERGIO

Conheça algumas aeronaves 1

2

3

Voos de pacote serão o forte do treinamento de coalizão

refeições. Para se ter uma ideia da dimensão do trabalho desses profissionais, durante o almoço, estão previstas 3,3 mil refeições diárias, incluindo os ranchos dos oficiais, graduados e praças. “Utilizaremos 200kg de arroz, 200kg de feijão, 660kg de carne e 400kg de salada somente no almoço”, explica a Tenente Luiza. “É uma atividade complexa, diferente do dia a dia da Base. Nosso planejamento começou no início do ano. Contamos muito com a experiência dos nossos graduados que já participaram de outras edições do evento. Sem dúvida, é uma grande responsabilidade”, complementa a oficial. Segurança Já a segurança da CRUZEX deve envolver cerca de 300 militares durante os mais de 10 dias de opera-

ções. O Batalhão de Infantaria de Natal (BINFA-22), além das atribuições normais de guarda e segurança da Base, também vai compor o efetivo responsável pela segurança do exercício, que contará com vigilância eletrônica, controle de acesso, força de reação e patrulhamento 24 horas por dia. Esta é a quinta vez que a BANT recebe a CRUZEX. Segundo o Coronel Campos, essa experiência ajuda bastante a realizar um evento desse porte, mas é sempre um grande desafio. “É uma preocupação de um ano, pois você precisa conciliar as atividades do dia a dia da Base, que não param, com o planejamento da CRUZEX. A expectativa é que seja um grande evento e que possamos representar bem a Força Aérea”, finaliza o Coronel.

Estas são algumas das aeronaves que vão participar da CRUZEX:(1) F-16 Fighting Falcon (Chile, EUA, Venezuela); (2) KC-130 Hércules (BRA); (3) KC-135 (CHI, EUA); (4) IA-58 Pucará (URU); (5) A-29 Super Tucano (BRA, EQU); (6) F-2000 Mirage (BRA) e (7) A-37 Dragonfly (COL, URU).

4

5

6

7

11


12

Novembro - 2013

SEU TALENTO

Projeto Kerovoar: emoções para as crianças Os miniaviões feitos com materiais reciclados aproximam as crianças do mundo aeronáutico prio Coronel Massuia. A matéria-prima vai de borracha, ferro, madeira, compensado artístico até cabo de vassoura para o motor, desentupidor de pia para o manche, isopor para os mísseis e casca de uma bomba real para a bomba fictícia. O processo de construção começa com um trabalho de observação. São 30 dias estudando a aeronave original. Em seguida, a imagem é projetada para uma escala dimensional. Nessa etapa, são feitos ajustes para que o avião não ultrapasse 2,40m de largura e possa, assim, transitar pela rua e entrar em ambientes fechados, que permitem maior facilidade no transporte. Na fase seguinte, são instalados os trens de

u via nos shows aéreos as crianças nos colos dos pais apontando para os aviões. Então eu pensei, ‘Elas querem entrar na aeronave’, porque para a criança de até quatro anos o que vale é a experiência sensorial”. Essa foi a inspiração do Coronel da reserva Ademir Massuia, 58 anos, ao criar em São Paulo o projeto Kerovoar, que permite aos pequenos, através da experiência de subir no avião e simular um voo, o desenvolvimento da intimidade com o universo da aviação. A iniciativa começou em 1997 e já conta com 13 modelos, entre eles, 12 aviões e um dirigível. As aeronaves do Kerovoar são produzidas com materiais reciclados, reaproveitados e produtos adquiridos pelo pró-

pouso. Depois são colocados os bancos e, por fim, é acrescentado o nariz e a cauda. A motivação de tanto trabalho é ver a família unida e as crianças sorrindo. “Eu não faço brinquedo apenas para os pequenos, eu os faço também para os pais brincarem com as crianças. O projeto é, ainda, uma ferramenta de união”, garante o Coronel Massuia, que além das miniaeronaves, disponibiliza nos eventos um miniaeroporto para o público infantil, com torre de comando, pista de pouso e decolagem, pista de táxi e estacionamento. O Kerovoar participa de projetos sociais com crianças da periferia, visita escolas e hospitais. Mas a principal aparição das aeronaves é

CB V. SANTOS / CECOMSAER

“E

Coronel Ademir Massuia idealiza aviões para crianças inspirados em modelos reais de aeronaves

em eventos da FAB como o “Portões Abertos, por onde passam cerca de mil crianças por dia no espaço destinado a elas. “Certamente, uma geração de aviadores e tripulantes tem o primeiro momento com aeronaves no aviãozinho do

Kerovoar. Isso marca a vida deles”, afirma o Coronel. Serviço: Qualquer organização militar pode agendar a participação das aeronaves em eventos, basta entrar em contato pelo telefone: (61) 3364 - 8000.

SUPER PIÁ Inspirado no P-40 ou Worhawk. Pesa 94 kg, tem 800 cm de altura e 2,80m de largura. É equipado com canhões, manche e uma bomba.

PULGUINHA

Versão para as crianças menores do jato F-5. Pesa 50 kg. Tem 1,5m de altura e 1,65m de largura.

O Projeto Kerovoar participou da cerimônia de Substituição da Bandeira Nacional em Brasília.

1S REZENDE / CECOMSAER

anos, para que sejam distribuídos por todos os Comandos Aéreo Regionais do Brasil e possam, assim, solucionar o maior desafio do projeto: o transporte das aeronaves. Dessa forma, cada COMAR poderá ter um kit com cerca de dez aviões e uma torre de comando. Estaria assim formado o grande sonho do Coronel Massuia: a FAIB – Força Aérea Infantil Brasileira. 1S REZENDE / CECOMSAER

odas as aeronaves construídas pelo Coronel Massuia são baseadas em aviões reais. O primeiro modelo foi um monoplano inspirado no P-40, utilizado pelo Brasil após a 2ª Guerra Mundial. Hoje a frota do coronel já conta com 13 modelos. O projeto está de mudança para o Sexto Comando Aéreo Regional (VI COMAR) em Brasília. Em uma área de 600 m², estão sendo fabricados mais 21 aviões, entre eles, 16 no modelo F-5, quatro biplanos, um mirage 2000 e a grande novidade - uma nave espacial, a Aster Wings Space Fighter. O objetivo é construir 300 aviões, em até cinco

CB V. SANTOS / CECOMSAER

T

1S REZENDE / CECOMSAER

Brinquedos são réplicas de aviões usados pela FAB

F-5FM Feito com base no F-5, pesa 150 kg, tem 2 m de altura e 2,50m de largura. É equipado com uma bomba e painel de controle


Novembro - 2013

13

ESTRATÉGICO

Conselho de vice-chefes discute futuro da FAB s Vice-Chefes das organizações de direção-geral e setorial da Força Aérea Brasileira (FAB) reuniram-se no dia nove de outubro, em Brasília (DF), para discutir assuntos que envolvem o futuro da instituição. Na pauta dos nove conselheiros, estão o orçamento do próximo ano, a ativação de escritórios de gerenciamento de projetos e a revisão do Plano Estratégico Militar da Aeronáutica (PEMAER). Os escritórios de gerenciamento de projetos dos Órgãos de Direção Setorial (ODS) vão, até o nível estratégico, acompanhar todos os aspectos atrelados à realização dos projetos, inclusive suas prioridades em cada ciclo orçamentário da FAB. A centralização das informações facilitará a tomada de decisões do Alto-Comando em relação a investimentos e a gestão do portfólio de projetos. Os escritórios locais estarão ligados diretamente a uma central no Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), a Coordenadoria de Projetos (COORPRO).

S1 LANDEN / EMAER

O

Um dos assuntos discutidos durante a reunião foi o orçamento de 2014

Os oficiais-generais também analisaram a proposta orçamentária de 2014 para a FAB. O panorama permite antecipar a priorização de investimentos e ações. Outro item analisado foi a revisão do PEMAER de 2010. As alterações da nova edição, que deve ser publicada neste ano, tratam de priorização das ações a serem implementadas. As

diretrizes e os objetivos centrais do plano não mudam. Participaram como convidados, o Centro de Controle Interno da Aeronáutica (CENCIAR) e o Chefe da 5ª Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica. Saiba mais As reuniões do Conselho de Vice-Chefes (CONVICE) são convocadas pelo

Chefe do EMAER, quando necessárias. Participam do conselho os Vice-Chefes do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespaciais (DCTA), do Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), da Secretaria de Economia e Finanças (SEFA), do Departamento de Ensino da Aeronáutica (DEPENS), do Comando-Geral de Apoio

(COMGAP), do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), do Comando-Geral de Apoio (COMGEP) e do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), além do Chefe da Sexta Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica. O funcionamento do conselho é definido por Instrução Normativa da Aeronáutica (ICA 20-2) de 2002.


14

Novembro - 2013

SAÚDE

A FAB na luta contra o câncer de próstata CB V. SANTOS / CECOMSAER

preconceito em relação ao toque. “Hoje já diminuiu, mas às vezes o paciente deixa de ir ao urologista por medo do exame. O incômodo é pouco diante da qualidade de vida que o diagnóstico precoce pode trazer”, afirma ele. Uma vez descoberto o câncer, o tratamento varia de acordo com a idade do paciente, as condições de saúde e o estágio da doença. De

acordo com a oncologista do HFAB, Tenente Martha Tatiane Mesquita dos Santos, entre as alternativas estão manipulações hormonais, radioterapia, quimioterapia, retirada da próstata ou do testículo. “A medicina vem evoluindo para oferecer o melhor ao paciente, afinal, o câncer de próstata tem cura e, se comparado a outros cânceres, é mais fácil tratar e controlar”, finaliza ela.

O urologista Capitão Jorge Siqueira ressalta que, em muitos casos, a doença não apresenta sintomas

A

Os especialistas alertam que as chances de cura aumentam se a doença for diagnosticada a tempo. Foi o caso do Suboficial da reserva José Adilson Alves Porto. Durante uma consulta de rotina, há cinco anos, ele descobriu que tinha câncer de próstata. Depois do diagnóstico, o militar realizou diversos exames, passou por cirurgia e, atualmente, já é considerado curado. Ir regularmente ao médico faz parte das atividades do Suboficial, mas ele reconhece

3S BATISTA / CECOMSAER

Força Aérea Brasileira (FAB) participa da campanha internacional Novembro Azul para alertar sobre o câncer de próstata, doença com um dos maiores índices de mortalidade entre os homens no Brasil. Só no ano passado, foram diagnosticados mais de 60 mil casos, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Com 87% do efetivo formado pelo sexo masculino, a FAB pretende incentivar a realização do exame preventivo.

O Suboficial Porto descobriu a doença durante exame de rotina.

que nem todo homem tem essa consciência. “Os homens não vão muito ao médico e só prejudicam a saúde. Isso é importante, salvou a minha vida, não aconselho ninguém a ter medo ou receio”, diz ele. O urologista do Hospital da Força Aérea de Brasília (HFAB), Capitão Jorge Siqueira, ressalta que, na maioria dos casos, a doença não apresenta sintomas, por isso, é necessário que os pacientes realizem exames preventivos. O homem deve começar a se preocupar aos 45 anos, mas quem tem histórico da doença na família, os cuidados começam mais cedo, aos 40 anos. A identificação do câncer é feita, principalmente, pelo toque retal e o PSA (exame de sangue), mas, segundo o Capitão, um exame não exclui o outro. “O PSA em alguns casos não acusa indícios da doença, mesmo quando o paciente já está com câncer”. O médico, que realiza em média 160 consultas por mês no HFAB, conta que ainda existe

ARQUIVO / HFA

O câncer de mama no alvo

O HFA é referência na cirurgia de reconstrução mamária

Durante o mês passado, a Força Aérea Brasileira (FAB) se engajou na campanha Outubro Rosa, direcionada às mulheres. O objetivo foi alertar sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, o segundo tipo mais frequente no mundo, atrás apenas do câncer de pulmão. O câncer de mama é mais comum em mulheres sem filhos, acima dos 35 anos e que tenham histórico da doença na família. Os principais sintomas são: nódulo ou tumor no seio, além de alterações na pele que recobre a mama e nódulos palpáveis na axila. “O ideal é que as mulheres estejam sempre atentas,

fazendo a prevenção com autoexame e visitando o médico regularmente, além de ter alimentação saudável e praticar exercícios físicos para diminuir os riscos de desenvolver a doença”, ressalta a Tenente Ginecologista Paula Moutella. O Hospital das Forças Armadas (HFA) é pioneiro na cirurgia de reconstrução mamária em Brasília. Desde 1972, a técnica vem sendo aprimorada e, atualmente, na maioria dos casos, quando a mulher entra para a sala de cirurgia, uma equipe multiprofissional faz a mastectomia – remoção completa da mama doente -, e logo em seguida realiza a cirurgia plástica.



Notaer nov 2013 web