__MAIN_TEXT__

Page 1


Março - 2019 FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

2

CARTA AO LEITOR

Homenagens e despedidas Esta edição do NOTAER traz para você uma reportagem em homenagem aos nossos especialistas, mostrando o trabalho de profissionais de diversas especialidades na Força Aérea, entre elas, a de serviços de informações aeronáuticas e a de Meteorologia. O NOTAER homenageia, também, as mulheres. Conheça histórias de militares que atuam em Missões de Paz da ONU no continente africano e quais são as atividades desenvolvidas por elas na área operacional. O início de ano é um período de mudança para centenas de alunos que ingressam nas escolas da FAB. Um momento de ansiedade na adaptação à vida militar. Confira as expectativas de duas estudantes que ingressaram

na Escola Preparatória de Cadetes do Ar e na Academia da Força Aérea. Uma delas segue o exemplo do irmão que estuda na mesma escola. Veja, ainda, um novo sistema que a Força Aérea está desenvolvendo para dar celeridade e confiabilidade à autorização dos voos de aeronaves estrangeiras que precisam sobrevoar o espaço aéreo brasileiro. A partir de maio, todos os pedidos serão feitos por meio digital. E você faz planejamento financeiro? Nesta edição publicamos uma matéria com o objetivo de despertar a reflexão do nosso efetivo sobre este importante tema. Por fim, depois de pouco mais de dois anos na chefia do CECOMSAER, despeço-me de todos que nos ajudaram

MÍDIAS SOCIAIS

Confira o destaque das mídias sociais da FAB

Expediente O j o r n a l N O TA E R é u m a publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo. Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador Paulo César Andari. Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Major Aviador Mário César Ferreira Alle.

a projetar e preservar a imagem da FAB, seja por este ou por tantos outros meios de divulgação nossos. Lidar com a imagem de uma Instituição tão importante é um enorme desafio, ainda mais nos velozes tempos das mídias sociais; mas com o apoio de uma equipe competente e

incansável, estou certo de que conseguimos nosso objetivo. A vocês, meu muito obrigado por tudo e o meu mais cordial abraço. Boa leitura! Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo Chefe do CECOMSAER

Editor: Tenente Jornalista João Elias (DRT 8933/RS). Tenente Jornalista Cristiane dos Santos (MTB 35288/SP). Colaboradores: Textos enviados ao CECOMSAER via SISCOMSAE. Diagramação e Arte: Tenente Chaves, Suboficial Ramos e Sargento Polyana. Capa: Foto: Sargento Bruno Batista / CECOMSAER Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Endereço: Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” 7º andar - CEP: 70045-900 Brasília/DF

A FAB divulga em suas mídias sociais as notícias enviadas pelos elos do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica em todo o país. O post de destaque do Twitter em fevereiro trouxe um desafio para os seguidores, gerando mais de 3 mil curtidas, quase 400 retweets, além de um engajamento de mais de 31 mil. Siga os perfis oficiais da FAB e fique sabendo em primeira mão tudo o que ocorre na Instituição: www.twitter.com/portalfab www.facebook.com/aeronauticaoficial www.instagram.com/fab_oficial www.youtube.com/portalfab www.flickr.com/portalfab Impressão e Acabamento: Viva Bureau e Editora


PALAVRAS DO COMANDANTE

Dia do Especialista e Dia Internacional da Mulher: destaques do mês de março! Neste mês, celebramos o Dia militares extremamente capado Especialista de Aeronáutica, citados e atualizados. Outra data de destaque em com isso, homenageamos os suboficiais e sargentos que se março é o Dia Internacional da dedicam diuturnamente na re- Mulher. Na FAB, há quase 40 alização das missões da nossa anos, contamos com a presença Força Aérea Brasileira. Tendo feminina nas mais variadas funpassado pelo ensino no glorioso ções. Embora nossas atividades “Berço dos Especialistas”, esses não tenham diferenciação de profissionais nos brindam com gênero, é inegável que as visões sua excelência e fazem a dife- de mundo e as experiências rença nas atividades especializa- de vida de oficiais e graduadas das que exercem em cada uma contribuem sobremaneira para das organizações militares em a pluralidade da nossa Força. A que servem. Merecem, portan- elas, rendemos as devidas hometo, todo o nosso reconhecimen- nagens no dia 8 de março e o reconhecimento pelo seu trabalho. to e deferência. Sigamos firmes em nosso Da mesma maneira, a Escola de Especialistas de Aeronáutica, objetivo de manter o excelente que tem por missão formar e trabalho que realizamos no Conaperfeiçoar esses graduados, trole, na Defesa e na Integração merece o agradecimento e re- do Brasil, sempre buscando conhecimento pelo importante meios de aprender e evoluir. trabalho que realiza, buscando a constante evolução do ensino militar e técnico. Ela é o berço Tenente-Brigadeiro do Ar dessa formação e nossa garan- Antonio Carlos Moretti Bermudez tia de contarmos sempre com Comandante da Aeronáutica

3 FOTO: SD WILHAN CAMPOS / CECOMSAER

Março - 2019


Março - 2019 FOTO: S2 EDUARDO BUSSON DE ARAUJO / BAFZ

4

SUSTENTABILIDADE

Projeto de reciclagem mobiliza efetivo na Base Aérea de Fortaleza Convênio firmado para separação de resíduos sólidos traz benefícios para organização militar e instituições de caridade Plástico, vidro, papel, metais, tudo é separado e colocado no compartimento adequado em um contêiner, localizado dentro da Base Aérea de Fortaleza (BAFZ). O mais novo “Ecoponto”, chamado dessa forma pela Organização, foi colocado em janeiro, próximo à entrada da BAFZ, um lugar bastante movimentado e facilmente identificado por visitantes e integrantes do efetivo. A instalação do posto de coleta ocorreu após a Base Aérea aderir ao “Ecoenel” – programa promovido pela empresa de distribuição de energia elétrica do Ceará, a ENEL – que premia atitudes conscientes e de responsabilidade socioambiental. Além de promover o reaproveita-

mento do que ainda pode ser utilizado, a iniciativa contribui para o descarte correto dos resíduos que não são recicláveis. A BAFZ é a primeira instituição pública no Ceará a adotar essa iniciativa junto à ENEL. “Com a promoção da conscientização ambiental e o incentivo à coleta seletiva, certamente iremos economizar com o contrato de recolhimento de lixo nas organizações militares sediadas dentro da Base Aérea. A ideia é não depender tanto desse serviço que é pago. Boa parte do que iria perder a utilidade aqui na Guarnição deve receber uma nova destinação por meio desse projeto sustentável”, ressaltou o Comandante da BAFZ, Coronel Aviador Alex Pereira de Souza.

Ajuda às instituições de caridade Esses não são os únicos benefícios. Ainda segundo o comandante, a ação sustentável estimulada pelo convênio está associada à outra causa nobre. “Nós assumimos o compromisso de separar e repassar os materiais recicláveis à Enel e serão creditados descontos nas contas de luz de entidades de caridade indicadas por nós. O valor será calculado de acordo com a quantidade dos resíduos entregues. Com a destinação correta do que não utilizamos mais, conseguiremos ajudar a reduzir a conta de luz de quem atua em projetos sociais sérios de amparo à população carente de Fortaleza”, detalhou. A iniciativa que aos poucos tem mobilizado o efetivo

da Base Aérea de Fortaleza até o momento tem favorecido uma instituição voltada ao atendimento e ao acolhimento de crianças com câncer, a Associação dos Missionários da Solidariedade Lar Ami-

gos de Jesus – Fortaleza. A expectativa, no entanto, é que o projeto cresça e, em breve, outras entidades também sejam beneficiadas pelo convênio que tem validade de dois anos.

FOTO: SO MAGDO SILVIO FERREIRA / BAFZ

Ten JOR Carlos Balbino

Posto de coleta de resíduos sólidos na BAFZ


Março - 2019

5

ENSINO

Escolas da FAB iniciam atividades do ano letivo

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Com o início de um novo ano, começam também as atividades para aqueles que acabam de ingressar nas fileiras da FAB. É o caso, por exemplo, de jovens da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), do Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), da Academia da

Força Aérea (AFA) e da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), que já iniciaram o calendário de aulas. Para os recém-incorporados, esse é um momento de expectativa e ansiedade na adaptação à rotina militar. Na EPCAR, em Barbacena (MG), as novas turmas foram habilitadas à matricula no final de janeiro. Entre os alu-

Aluna Pontes se inspirou no irmão

nos que fizeram a tradicional transposição do Portão da Guarda está Nicole Fernandes Pontes, a mais jovem militar entre as mulheres da FAB. Inspirada pelo irmão, Cristian Fernandes Pontes, do 2º ano, a jovem chegou à escola cheia de expectativas e atenta aos novos desafios. “Depois do resultado de todas as etapas e com a certeza de que eu havia sido convocada para a concentração final, uma das minhas primeiras providências foi comprar os itens do enxoval e organizar os documentos necessários para a apresentação em janeiro”, conta. Juntos, eles formam o primeiro casal de irmãos a estudar ao mesmo tempo na EPCAR. “Por estarmos em turmas diferentes, acredito que nossas rotinas também serão diferentes, limitando nosso contato durante a semana. Por outro lado, nos finais de semana possíveis, será bom ter um membro da família por perto”, diz a novata, que escolheu o mesmo nome de guerra do irmãos: Pontes.

Superação de desafios Na AFA, em Pirassununga (SP), 199 novos cadetes começaram a adaptação à vida militar este ano. Entre eles está Camilla Nairely Gomes do Nascimento. A jovem saiu da pequena cidade de Paulo Afonso, no interior da Bahia, para realizar o maior sonho de sua vida: ingressar nas

Forças Armadas. Para conquistar o objetivo, Camila passou por algumas frustrações. Abandonou o curso de Engenharia Elétrica após um ano e tentou o concurso para a EEAR, sem sucesso. Antes de partir para uma nova era na Academia da Força Aérea, a 2.200 quilômetros de

casa, ainda foi preciso passar por outras dificuldades. “Minha preparação foi um pouco complicada. Minha cidade é pequena, não tem nenhum cursinho, precisei estudar sozinha em casa”, lembra. “Foi muito importante o apoio da minha família, principalmente da minha mãe”, conclui.

Sonho realizado Na EEAR, em Guaratinguetá (SP), novos alunos também começaram a adaptação à vida militar. Entre eles está um que já conhece a rotina da caserna. Arthur Souza Rocha, de 21 anos, incorporou-se às fileiras da Força Aérea como soldado, em agosto de 2016, e concluiu a formação como primeiro colocado da turma. Agora, aluno do Curso de Formação de Sargentos (CFS) na especialidade Guarda e Segurança, ele continua em busca do maior sonho: ser um paraquedista e atuar em uma unidade operacional da FAB. “Foi emocionante meu primeiro contato com a EEAR. Uma estrutura imensa voltada à excelência do ensino. Vou me esforçar ao máximo para fazer valer a pena minha passagem por esta escola”, diz o jovem. O aluno Pontes diz que a entrada de novos integrantes gera sempre uma grande expectativa para todas as turmas. “Saber que estudarei com minha irmã por dois anos na EPCAR é gratificante, além de amenizar a saudade O sonho da cadete era ingressar nas Forças Armadas

de casa. Eu estando no 2° ano, apesar de termos rotinas distintas, com certeza posso auxiliá-la nos estudos após o pernoite, tirando dúvidas e esclarecendo as matérias mais complicadas do curso”, complementa. FOTO: SGT GAEDKE / AFA

Ten JOR Jonathan Jayme

FOTO: AL PABLO / EEAR

Alunos relatam ansiedade e expectativas para adaptação à rotina militar


ESPAÇO AÉREO

FOTO: TEN CÁSSIO KENDI / CCA-SJ

Março Janeiro- -2019 2019

FOTO: SD T. AMORIM / CECOMSAER

66

Novo sistema desenvolvido pela FAB vai dar maior celeridade à autorização para voos de aeronaves estrangeiras Aeronaves estrangeiras, militares e civis públicas, precisam de autorização do Estado-Maior da Aeronáutica para sobrevoar o espaço aéreo brasileiro Ten JOR Gabrielli Dala Vechia A FAB passa a contar com uma nova ferramenta de Tecnologia da Informação (TI) para gerenciar a chamada Autorização de Voo do Estado-Maior da Aeronáutica (AVOEM): um sistema para agilizar o processo e torná-lo mais eficiente que está sendo desenvolvido pelo Centro de Computação da Aeronáutica de São José dos Campos (CCA-SJ). A equipe do CCA-SJ que trabalha na ferramenta é compos-

ta por 13 militares e chefiada pelo Tenente Analista de Sistemas Gilson da Silva. É ele que faz a interface entre o cliente – no caso, o EMAER – e a equipe de desenvolvimento. Segundo ele, o desenvolvimento do novo sistema começou em 2017. A fase 1 foi implantada em janeiro deste ano, mas o projeto só termina com a implementação da fase 2, em maio. “Com o sistema, conseguiremos trazer todos os atores – solicitantes, assessores e pareceristas – para dentro de

uma mesma interface, sem a dependência de e-mail, telefone e fax”, afirma o Tenente Da Silva. O software também será capaz de gerar dados analíticos e gráficos, substituindo o processo manual que vigorava até então. De acordo com o Sargento Márcio Samuel, responsável pelo recebimento do programa no EMAER, a AVOEM acontecia por intermédio de um software, desenvolvido nos anos 2000, o

Centro de Computação da Aeronáutica de São José dos Campos (CCA-SJ) no desenvolvimento do sistema

que fazia com que os pedidos – que vêm de embaixadas, de adidos ou do Ministério das Relações Exteriores – acontecessem prioritariamente por e-mail ou telefone. “Com o novo sistema, teremos maior celeridade e confiabilidade no armazenamento, na manutenção e na obtenção dos dados, possibilitando um melhor tratamento para consultas e análises posteriores, além de corrigir limitações do programa atual”, avalia o Sargento Márcio. Por questões de soberania nacional, todas as aeronaves estrangeiras militares e as civis públicas precisam da AVOEM para sobrevoar o espaço aéreo brasileiro. Da mesma forma, aeronaves bra-

sileiras com as mesmas características também precisam de autorizações semelhantes para sobrevoar outros países. Para dar pronta-resposta aos pedidos, a seção do EMAER que cuida do assunto funciona 24 horas por dia, sete dias na semana. Para que a aeronave israelense que trouxe militares para atuar na tragédia de Brumadinho (MG) pudesse ingressar no espaço aéreo brasileiro, por exemplo, as tratativas para a AVOEM aconteceram de madrugada para possibilitar a participação no resgate o mais rápido possível. Somente em 2018, o EMAER expediu 1.350 AVOEM, o que dá uma média de mais de três por dia.


7 FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

Março - 2019

TRANSPORTE

Preparando gigantes C-130 Hércules passa por manutenção antes de a FAB receber primeiros KC-390

FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

Prestes a receber os primeiros exemplares do novo cargueiro multimissão Embraer KC-390, a FAB cuida de suas aeronaves Lockheed C-130 Hércules. Os cargueiros, a serviço da Força há mais de cinco décadas, passam por um processo de manutenção em Portugal. O contrato com a empresa portuguesa OGMA é de cinco anos, tempo em que o Hércules deve dar lugar gradativamente aos

KC-390 na frota brasileira. Além da OGMA, a Ala 11, localizada no Rio de Janeiro (RJ), também é responsável pela manutenção do Hércules. De acordo com o Coronel Aviador Sandro Lúcio Santana do Nascimento, da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB), subordinada ao Comando-Geral de Apoio (COMGAP), os Hércules serão mantidos em condições de operação até que a Força receba os

novos cargueiros. “É previsto que tenhamos ativas na frota 12 aeronaves cargueiras de grande porte. Conforme os novos aviões forem sendo recebidos, a FAB vai iniciar o processo de desativação dos Hércules”, disse. Quanto ao KC-390, a aeronave já foi certificada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), podendo ser operada no território nacional. Agora, o modelo passa por testes para obter a certificação militar do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), órgão subordinado ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Para isso, o cargueiro tem, em sua agenda de 2019, ensaios de lançamento de cargas, de paraquedistas e de flaire; reabastecimento em voo de diversos tipos de aeronaves, entre outras missões. Em fevereiro, o KC-390 fez uma campanha de testes de lançamento de cargas de 500 kg a duas toneladas. A previsão é que o vetor comece a operar na FAB nos próximos meses.

História do C-130 O C-130 Hércules é um dos aviões de transporte mais utilizados no mundo. Concebido para transportar tropas e carga, passou a realizar também lançamento de paraquedistas, reabastecimento em voo, combate a incêndios, evacuação aeromédica e busca e salvamento. Seu primeiro protótipo voou em 1954 e, pela FAB, decolou em 1964 - e foi longe: apoiou missões em FOTO: TEN ENILTON KIRCHHOF / CECOMSAER

Ten JOR Felipe Bueno

todas as regiões do Brasil e localidades de outros continentes, como Congo, Antártida e Haiti. Desde então, passou por modernizações e, agora, dará lugar ao Projeto KC-390. Uma de suas unidades, porém, permanecerá na FAB: a aeronave de matrícula 2453 está exposta como parte da história da Força no Museu Aeroespacial, localizado no Rio de Janeiro (RJ).


8

Março - 2019

DIA DO ESPECIALISTA

Especialidades variadas atraem jovens para a EEAR Ten JOR Raquel Alves A Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), mais conhecida como o “Berço dos Especialistas”, oferece 27 diferentes áreas profissionais, e algumas, não tão conhecidas, são muito importantes para o cumprimento da missão da Força Aérea Brasileira (FAB). Confira algumas dessas especialidades que atrelam a profissão téc-

nica à carreira militar. A especialidade de Estrutura e Pintura é uma delas. O especialista nessa área executa reparos, reforços e substituições de peças e elementos de estruturas em metal, plásticos e similares, de aeronaves e turbinas. Também é responsável por inspecionar peças e definir seu reaproveitamento, moldar partes metálicas, além de supervisionar e inspecionar a lavagem e a limpeza de ae-

ronaves. Ele também fabrica peças, executa estampagem e dobragem, opera ferramentas especiais e equipamentos de galvanoplastia e faz tratamento térmico e a frio em ligas metálicas, selagem e rebitagem. O Sargento Eduardo Oliveira atua nessa especialidade no Grupo Logístico (GLOG) da Ala 8, em Manaus, há cinco anos. O militar atua nos retoques de pintura nas aeronaves (F-5, C-98, C-97,

UH-60 e C-105), repintura de algumas peças que se desgastam, reparos em fibra e resina em carenagens e pás dos aviões. “A especialidade é bastante importante para a manutenção da aviação, visto que atuamos na prevenção de desgaste e corrosão de peças e carenagens (com a lavagem e a pintura) além de atuar na parte de reparos estruturais ou até mesmo a confecção de uma peça nova, mantendo,

assim, as aeronaves prontas para realizarem as missões”, explica o militar. Outra especialidade é o Serviço de Informações Aeronáuticas. O militar dessa área é responsável por todas as tarefas de prestação de serviço de informações aeronáuticas, de acordo com normas e métodos recomendados pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI). É ele quem coleta,


aéreas, indispensáveis à segurança de voo. O profissional dessa especialidade, após a formação, trabalha em estações de observação meteorológica de superfície e de altitude, além de estações de radar meteorológico e de recepção de imagens de satélites. É responsável por medir, computar, coletar e estimar valores de parâmetros meteorológicos e de codificar, decodificar e registrar mensagens meteorológicas e preparar informações meteorológicas e sumárias climatológicas para o planejamento e a segurança de voo. O aluno Caio de Castro cursa a terceira série da EEAR na área. “O especialista em meteorologia repassa as informações para o piloto para que ele siga a rota planejada com segurança ou possa refazê-la devido às condições climáticas, garantindo, assim, a segurança do voo. Essa especialidade também apoia os órgãos de busca e salvamento quando ocorre algum acidente aéreo. As condições meteorológicas são fundamentais para que a equipe faça as buscas necessárias”, detalha.

FOTO: SD EBER / EEAR

seleciona e compila os dados necessários à atualização de publicações contendo informações aeronáuticas, além de preparar boletins de informações prévias e planos de voo; propõe as correções necessárias para garantir a regularidade, a eficiência e a segurança dos voos. O manuseio e a interpretação dos diversos tipos de cartas aeronáuticas também são funções desse especialista. A Sargento Jéssica de Almeida é especialista em informações aeronáuticas e realiza seu trabalho no Centro de Informações Aeronáuticas (C-AIS), no Destacamento de Controle do Espaço Aéreo Eduardo Gomes (DTCEA-EG), em Manaus (AM). “Nosso serviço é de extrema importância, pois é onde se inicia todo planejamento para que os voos sejam realizados. Nós filtramos todas as informações que são encaminhadas aos órgãos de tráfego aéreo que repassam aos pilotos durante os voos”, conta a sargento. Já o especialista em Meteorologia observa e descreve as condições meteorológicas para o planejamento das missões

9

Militar retoca pintura de uma aeronave de transporte

FOTOARQUIVO PESSOAL

FOTO: SGT REZENDE / CECOMSAER

Fevereiro Março - 2019 - 2019

Dia do Especialista é celebrado no dia 25 março No dia 25 de março, comemora-se o Dia do Especialista. A data marca a criação da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em 1941 na Ponta do Galeão, Ilha do Governador - RJ. Há 78 anos o Berço dos Especialistas prepara militares para as mais diversas funções. Existem duas formas de ingresso: o Curso de Formação de Sargentos (CFS), direcionado para o candidato com ensino médio completo, e o Estágio de Adaptação à Graduação de Sargentos (EAGS). Atualmente o complexo de ensino técnico-militar ocupa uma área total de 10 milhões de metros quadrados composta por um corpo docente formado por 180 professores, entre civis e militares. Além disso, no Corpo de Alunos, como é chamada a unidade que abriga os estudantes dos cursos, uma equipe de professores e militares auxilia os jovens na preparação física e na instrução específica. A EEAR reúne o maior complexo de ensino técnico da América Latina. Atualmente localizada no Vale do Paraíba, em Guaratinguetá, a 176 km da cidade de São Paulo, a Escola abre todos os anos cerca de 750 vagas para jovens que já possuem diploma de nível técnico ou que desejam cursar uma das 27 diferentes áreas profissionais.

FOTOARQUIVO PESSOAL

Especialista em meteorologia coleta as informações para que sejam disponibilizadas ao piloto

Serviço de Informações Aeronáuticas segue normas e métodos recomendados pela Organização de Aviação Civil Internacional


10

Fevereiro - 2019


Março - 2019

11

DIA DA MULHER Conheça o trabalho das militares em Missão de Paz da ONU Duas oficiais da FAB atuam no continente africano Ten JOR Aline Fuzisaki

Major Kazue O ano de 2018 marcou a trajetória da Major Intendente Laura Kazue Lopes Nakamura. Após passar por intensos treinamentos e avaliações, ela se tornou Observadora Militar na Missão das Nações Unidas para o Referendo no Saara Ocidental (MINURSO), desde novembro do ano passado. No Sudoeste do país, por meio de patrulhas terrestres e aéreas, a oficial atua no monitoramento do cessar fogo, na observação de possíveis

violações aos acordos militares estabelecidos e no relato de minas e explosivos encontrados. “O observador militar não porta arma, sendo o gorro azul e a bandeira da ONU nossos instrumentos de identificação e de aproximação com as partes envolvidas, mas a bandeira brasileira no nosso uniforme sempre desperta o sorriso por onde passamos. Todos têm profundo respeito, carinho e admiração pelos militares brasileiros. Somos exemplos de dedicação, amizade e profissionalismo em todos os lugares”, relata. Além de realizar um trabalho diferente do que estava habituada, para a Major Kazue, a distância dos amigos e familiares e a diversidade cultural foram as maiores dificuldades no início da missão. “Hoje, estou plenamente adaptada e pronta para exercer a função que me foi confiada. Sinto-me honrada em representar o nosso país e, em especial, a FAB. Estou orgulhosa por ser a primeira observadora militar e a primeira oficial da FAB a servir na MINURSO. Esse pioneirismo traz um misto de alegria e responsabilidade que me faz querer me aprimorar cada dia mais, demonstrando toda a capacidade dos oficiais brasileiros, mas, em especial, a força e a garra da mulher brasileira”, avalia.

Major Lara Viver novas experiências sempre foi um objetivo na vida da Major Intendente Danielle Cristini Lara Espinola Nunes e, com a vontade de alcançar esse sonho, em abril de 2018, ela deu início a uma nova etapa em sua carreira: ser staff officer na Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (UNMISS). Atualmente, a oficial trabalha na Seção de Operações do Quartel General da Força, onde é encarregada de auxiliar no planejamento e monitorar as operações que ocorrem no setor sul do país. “A ideia de trabalhar na ONU surgiu por acaso, mas, realmente, eu senti um chamado. Senti que queria muito estar aqui, sabia que precisava fazer algo diferente da minha vida”, conta. A rotina do trabalho na área operacional é um desafio para a Major Lara, já que atuava em outra área aqui no Brasil. No entanto, ela encara com tranquilidade o aprendizado diário. “Certas experiências são únicas em nossas vidas. Participar de uma missão de paz, sem dúvida, foi a melhor coisa que já fiz. O ganho é muito além do profissional. A gente aprende a rever valores e a repensar quem somos e o que fazemos”, afirma.

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Foi em dezembro de 2011 que o Ministério da Defesa e a Organização das Nações Unidas (ONU) firmaram uma carta de intenções com o objetivo de ampliar a presença feminina em operações de manutenção da paz. Desde então, o Brasil tem ocupado cada vez mais destaque no cenário mundial e o número de mulheres militares brasileiras atuando nessas missões tem aumentado. As primeiras militares destacadas para atuar em missões de paz da ONU cumpriam uma função de representação. Aos poucos, ganharam espaço e, atualmente, exercem atividades de grande relevância. Em homenagem ao dia 8 de março, conheça a história das duas militares da FAB que estão em operações de paz da ONU.


12

Março - 2019

CULTURA

Patrimônio cultural da FAB é gerenciado por sistema específico SISCULT foi criado há quase uma década e gerencia temas e materiais de valor cultural Tenente JOR João Elias O Sistema de Patrimônio Histórico e Cultural do Comando da Aeronáutica (SISCULT) foi instituído por meio da Portaria n° 119/GC3, de fevereiro de 2010, com o objetivo de planejar, orientar, coordenar e controlar as atividades culturais no âmbito da FAB e integra o Sistema Federal de Cultura, que, por sua vez, está inserido no Sistema Nacional de Cultura. O SISCULT proporciona a gerência das coleções de valor cultural que constituem o patrimônio institucional, herança da aviação civil e militar, e tem como órgão central o Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica (INCAER), cuja competência é, entre outras, normatizar, orientar, supervisionar e controlar as atividades do Sistema, bem como promover, apoiar e incentivar o desenvolvimento de projetos e ações culturais em todas as Organizações do Comando da Aeronáutica (COMAER). "O sistema permite conhecer o que temos nos nossos arquivos palpáveis e mentais - os nossos bens materiais e imateriais, diluídos em várias atividades,

mas isso é apenas parte do todo. Ele só estará concluído se todo o efetivo da Força Aérea assumir a devida importância ao assunto cultura. O conhecimento se completará com a sua efetiva divulgação e assimilação, abrangendo o universo de organizações que compõem o COMAER", destaca o Subdiretor de Cultura do INCAER, Major-Brigadeiro do Ar José Roberto Scheer. O patrimônio cultural da FAB é amparado pelas legislações federal e militar e abrange os bens de natureza material e imaterial, incluindo, os diversos segmentos humanos, como o sentir, o pensar e o agir - esculturas, pinturas, textos escritos e coleções museológicas, entre outros. (Veja as atividades do SISCULT no quadro ao lado). Tais bens são alvo de preocupação desde a época da criação do Ministério da Aeronáutica, em 1941. Em 1969, foi criada a Diretoria de Documentação e Histórico da Aeronáutica, atual Centro de Documentação da Aeronáutica (CENDOC). Já em 1979, foi criado o Sistema Histórico que estabeleceu diretrizes para as atividades de Museologia, História e Heráldica.

Atividades do SISCULT Até dezembro, o NOTAER fará uma série de reportagens mostrando, a cada mês, uma das atividades do SISCULT. Confira: Patrimônio Histórico Material e Imaterial

Música

Museologia

Arquitetura

Heráldica

Produções Artísticas

Documentação Histórica

Tombamento

Literatura

Cerimonial


Março - 2019

13

FINANÇAS

Dinheiro extra pode virar investimento Com planejamento e disciplina, é possível realizar grandes projetos Ten JOR Emília Maria No mês de fevereiro de 2019, o efetivo das Forças Armadas passou a receber mais uma parcela do reajuste do soldo. Os valores são proporcionais aos postos e graduações e podem significar uma oportunidade de economizar ou investir, desde que as finanças pessoais estejam equilibradas.

Considerando um aumento de R$ 100 reais, por exemplo, se o militar resolver guardar esse valor ao longo de 12 meses, sem nenhum investimento específico, ao final do período terá R$ 1.200,00. Isso pode se tornar uma viagem de férias, um curso, uma pequena reforma em casa ou um presente caprichado para alguém querido. E se esse mesmo valor for

Tesouro Direto

investido e não apenas guardado? Antes de tomar essa decisão, é necessário ter certeza de que a diferença do aumento no soldo pode ser disponibilizada para investimento porque, se houver dívidas a pagar, essa deve ser sempre a prioridade. Feita a análise, o próximo passo é definir se o investimento será para curto ou longo prazo. É preciso ter em mente que,

quanto menor o valor, maior o tempo necessário para que o rendimento seja significativo. Outro aspecto a ser considerado é o risco que o investidor está disposto a correr. Por isso, caso queira fazer seu dinheiro render, é importante pesquisar e estudar o mercado de investimentos. Para incentivar a reflexão sobre a possibilidade de se

tornar um investidor, o Tesouro Direto é uma das muitas opções de investimento, como CDB, LCI, ações, fundo de investimento imobiliário, dentre outros.

É um programa do Tesouro Nacional que vende títulos públicos federais para pessoas físicas e permite aplicações a partir de valores pequenos, em torno de R$ 30,00. É uma das opções com menor risco do mercado, oferece boa rentabilidade e liquidez – que é a facilidade ou rapidez com que o investimento resulta em dinheiro na conta do aplicador – e com opções de títulos que variam de acordo

com o preço, o vencimento e o cálculo de rentabilidade. Confira: - Pré-fixados: quando adquire os títulos, o investidor já sabe exatamente a rentabilidade que receberá se esperar até o final da aplicação. - Pós-fixados: o retorno do investimento ocorre de acordo com um indexador. Pode ser, por exemplo, a Selic, taxa básica de juros da nossa economia. - Híbridos: mistura as op-

ções anteriores, permite que uma parcela da rentabilidade do título seja pré-fixada e a outra parte fique atrelada a um indexador, como o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), bastante utilizado para medir a inflação. Para saber tudo sobre o Tesouro Direto e aprender a investir com essa modalidade, acesse: http:// www.tesouro.fazenda.gov. br/tesouro-direto.


14

Março - 2019

LÍNGUA PORTUGUESA

EFEMÉRIDE No dia 25 de março de 1941 foi fundada a Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR). Desde então, a data é considerada o dia do profissional por ela formado, o “Especialista”! O Dia do Especialista de Aeronáutica é considerado um evento importante entre as diversas datas festivas da FAB. Segundo o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa (DPLP), a data é uma efeméride, pois

seu significado remete a um fato importante que ocorreu em determinada data, a qual passou a ser celebrada devido à sua importância. Para ilustrar melhor, temos outros casos de efeméride nos registros de datas históricas da FAB. No dia 20 de janeiro, o aniversário de criação do Ministério da Aeronáutica; e no dia 3 de fevereiro, o Dia da Aviação de Asas Rotativas. Em seguida, temos a do Dia da Aviação

de Caça, em 22 de abril. E o ano está apenas começando. Mas atenção! Não confunda efeméride com efemérides, que também é um substantivo feminino, porém no plural. Efemérides significa, segundo o Priberam, um escrito em que se registram os acontecimentos de cada dia, e não só o acontecimento importante em si. Portanto, fiquem atentos e não deixem de celebrar as datas.

FOTO: SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

Sgt Érika Alves

PENSANDO EM SEGURANÇA DE VOO

CENIPA inicia implementação do PSO-BR cessos de investigação SIPAER como ferramenta de prevenção de ocorrências aeronáuticas. Fazem parte do Programa os seguintes projetos: 1) Comunidade Virtual de Investigação - Aviação Civil. 2) Revisão curricular 3) Trilha de capacitação 4) Implementação do Sistema de Gerenciamento do Processo de Investigação 5) Metodologia do processo de investigação de incidente grave de trafego aéreo. Após a fase de implementação, prevista para um período de 4 anos, os seguintes benefícios deverão ser entregues: 1) Melhoria na qualidade das investigações e priorização na elaboração dos Relatórios Finais. 2) Melhoria na formação

dos investigadores de ocorrências aeronáuticas com aeronaves civis. 3) Aplicação eficiente dos recursos na Promoção da Se-

gurança Operacional. 4) Incremento dos meios para elevação do desempenho da segurança operacional da aviação civil brasileira.

5) Conformidade com os Anexos 13 e 19 da OACI. Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA)

FOTO: SGT BRUNO BATISTA / CECOMSAER

A Portaria nº 1-T/AESV, que aprova o Plano de Gerenciamento do Programa de Implementação do Programa Brasileiro para Segurança Operacional da Aviação Civil (PSO-BR) no âmbito do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER), foi publicada, no Boletim Ostensivo nº 25/GAP-DF de 05/02/19. O Programa, composto por 5 projetos, tem como objetivo aperfeiçoar os processos de investigação de ocorrências aeronáuticas, reconhecido pela sociedade e alinhado com PSO-BR, assim como a consolidação do conceito de Autoridade de Investigação SIPAER no âmbito da aviação civil. O Programa busca também obter excelência nos pro-


Março - 2019

15

ENTRETENIMENTO

CAÇA-PALAVRAS No dia 25 de março é celebrado o Dia do ESPECIALISTA de AERONÁUTICA, congraçando homens e mulheres que são os responsáveis por diversas ATIVIDADES de caráter geral e ESPECIALIZADO, sem as quais, seria impossível administrar a complexa gama de ROTINAS que caracterizam a vida das instituições da Força Aérea Brasileira (FAB). A ESCOLA de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), conhecida como o “BERÇO dos Especialistas”, oferece uma gama de cursos de formação e aperfeiçoamento de sargentos. A INSTITUIÇÃO permite, por meio de uma conceituada FORMAÇÃO técnica, que os especialistas vislumbrem uma mudança no rumo de suas vidas ao entrarem nas fileiras da FAB e se dedicarem ao serviço à PÁTRIA.

Resposta do mês anterior


Profile for Força Aérea Brasileira

Notaer Março 2019  

DIA DO ESPECIALISTA - Saiba mais sobre o trabalho de algumas especialidades da Aeronáutica

Notaer Março 2019  

DIA DO ESPECIALISTA - Saiba mais sobre o trabalho de algumas especialidades da Aeronáutica

Profile for portalfab