Page 1

Ano XL

Nº 4

Abril, 2017

ISSN 1518-8558

FOTO: SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

www.fab.mil.br

Tecnologia nas mãos da FAB Saiba mais sobre a operação do satélite brasileiro ( Pág. 11) CARREIRA

OPERACIONAL

FUMAÇA

Confira o currículo dos oficiais-generais promovidos (Págs. 4 a 8)

KC-390 realiza testes de reabastecimento em voo com caças F-5M (Pág. 10)

Visite o hangar da Esquadrilha sem sair de casa com o tour virtual 360º (Pág. 12)


2

Abril - 2017

CARTA AO LEITOR

Expediente

Rumo às estrelas O NOTAER de abril comemora uma nova conquista para a Força Aérea Brasileira: a chegada do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações, o SGDC. Motivo de orgulho para toda a FAB, presente desde sua concepção até o efetivo controle de sua posição em órbita, o SGDC irá propiciar um salto nas comunicações seguras das operações militares brasileiras. Nesta edição também comemoramos o Dia da Aviação de Caça, não só relembrando e honrando a memória de nossos antecessores, agora de um modo inovador nas páginas de um romance escrito pelo Cel Kauffmman, ex-integrante do Esquadrão Jambock, mas também pela expressiva marca de 70.000 horas de voo, atingida

pelo sempre operacional Esquadrão Escorpião. Nossas páginas registram igualmente mais um significativo passo para a indústria de aviação nacional: o sucesso dos primeiros testes de reabastecimento em voo de caças F-5 no moderno KC-390. É a capacidade operacional da FAB crescendo a cada dia. Assim, a modernidade e a evolução tecnológica vão, cada vez mais, fazendo parte do nosso dia a dia. Isto acontece também com relação às mídias sociais, as quais já integram nossa rotina. Trocar mensagens por meio dos mais diversos aplicativos ocupa hoje uma boa parte do nosso tempo. No entanto, é importante salientar que o uso dessas

mensagens, principalmente no que diz respeito à instituição, deve sempre ser pautado pela ética e pela lealdade aos nossos subordinados, pares e superiores. Nunca podemos nos esquecer de que, uma vez divulgada uma opinião pessoal, não importa qual o seu teor, ela passará a fazer parte de um universo digital sobre o qual não temos mais controle. Preocupado com isso, nosso Comandante emitiu o BOLIMPE 01/17 tratando de “liberdade de expressão”, com diversos esclarecimentos sobre o assunto, e ao qual foi determinada ampla divulgação. Vocês encontrarão aqui um breve extrato dos principais pontos dessa relevante recomendação. Falando em interação por mídias sociais, aproveitamos

para pedir o apoio de nossos leitores para que enviem críticas e sugestões, não só a respeito desta publicação, mas sobre qualquer assunto da FAB no qual possamos atuar em prol de melhor esclarecer nosso público. Contamos com suas participações pelo faleconosco@fab.mil.br Finalizamos com nossos sinceros cumprimentos àqueles que ocupam boa parte desta edição: os recém-promovidos Oficiais-Generais. A eles nossos votos de sucesso continuado na nobre missão de liderar um efetivo de tão elevada estirpe, como é o da Força Aérea Brasileira. Boa leitura! Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo Chefe do Cecomsaer

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo. Vice-Chefe do CECOMSAER: Coronel Aviador Flávio Eduardo Mendonça Tarraf Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador José Frederico Júnior. Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Aviador Rodrigo José Fontes de Almeida. Editores: Tenentes Jornalistas Emília Maria (MTB 14234RS) e Evellyn Abelha (MTE 973MS) Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná. Diagramação e Arte: Suboficial Ramos, Sargentos Linares, Lucemberg, Polyana e Cabos M. Gomes e Pedro. Tiragem: 18.000 exemplares Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Vírus e golpes no WhatsApp O WhatsApp é uma das aplicações para smartphones mais comuns do Brasil. Os benefícios desse aplicativo são muitos, mas sua enorme popularidade exige que vários cuidados sejam tomados por quem usa o programa. A troca de mensagens é muito pessoal e ninguém quer que esses dados caiam nas mãos de criminosos virtuais. Analisando a retrospectiva 2016 de uso do WhatsApp, pode-se observar a crescente incidência de vírus e golpes empregando o aplicativo no celular e no computador. Curiosos são facilmente enganados com falsas ferramentas que prometem mostrar quem visitou o seu perfil ou revelar conversas de seus contatos. Além disso, cupons que prometem descontos em

lojas, créditos para celular e até passagens aéreas são usados para roubar dados pessoais e financeiros dos usuários. Em novembro de 2016, um golpe no WhatsApp prometia R$ 25 em créditos para celular. O problema atingiu milhares de brasileiros que utilizavam planos pré-pagos no smartphone. A mensagem vinha com um link pedindo indicação de amigos para participar da promoção. Em seguida, direcionava para o download de um aplicativo fraudulento, que roubava dados pessoais e gerava pagamentos indevidos no nome do usuário. Até uma famosa rede de restaurantes tipo fast-food foi tema para um golpe no WhatsApp, que consistia

na disseminação de falsos cupons de descontos. A mensagem indicava um link para cadastros e com isso eram roubados dados financeiros e pessoais dos internautas. Versões falsas do aplicativo prometem recursos adicionais, mas não passam de uma farsa, como o WhatsApp Gold. Outra versão falsa do aplicativo, dessa vez para computador, foi disponibilizada na Internet. Ela executava um tipo de malware para captar as informações pessoais e fazer pagamentos indevidos com o número do telefone. Veja algumas recomendações para evitar esses problemas: - Ative a verificação em duas etapas; - Não abra arquivos desconhecidos ou clique em

links suspeitos; - Apague as suas conversas regularmente; - B l o q u e i e a te l a d o smartphone quando não estiver usando; - Cuidado com os grupos que podem compartilhar fotos, vídeos e documentos ilegalmente; - Certifique-se de que está falando com a pessoa certa, pois o celular do outro lado pode ter sido roubado; - Desconfie de promoções tentadoras; e - Mantenha o aplicativo sempre atualizado pela respectiva loja oficial. F i q u e a te nto e ev i te armadilhas, mantendo a segurança na utilização do mensageiro preferido. (Centro de Inteligência da Aeronáutica – CIAER)

Impressão e Acabamento: Viva Bureau e Editora


Abril - 2017

3

FOTO: SGT JALEXANDRE MANFRIM / CECOMSAER

PALAVRAS DO COMANDANTE

A FAB na era espacial altas tecnologias j á p ro d u z i d a s pelo homem. E coube a nós, integrantes do Comando da Aeronáutica - por TENENTE-BRIGADEIRO DO AR NIVALDO LUIZ ROSSATO meio da EstratéCOMANDANTE DA AERONÁUTICA gia Nacional de Defesa - a nobre O Brasil e a Força Aérea missão do desenvolvimento Brasileira deram mais um militar da área espacial no passo histórico. O primeiro Brasil. Com o SGDC, a FAB Satélite Geoestacionário Bra- entra definitivamente na era sileiro de Defesa e Comunica- do espaço. A principal ferramenções Estratégicas (SGDC) representa uma nova fase para ta militar a ser atendida o domínio de uma das mais pelo satélite é o Sistema

FOTO: SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

de Comunicações Militares (SISCOMIS), usado para dar suporte à rede operacional de defesa. Com o SGDC, será possível dobrar a capacidade de comunicações de comando e controle; integrar as operações espaciais com as operações aéreas; além de permiti r comparti lhamento das informações geradas pelo SGDC com outros órgãos governamentais como, por exemplo, a Polícia Federal e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Cabe à FAB a responsabilidade por operar e monitorar o

SGDC. No controle do satélite, está o Comando de Operações Aeroespaciais, por intermédio do seu Centro de Operações Espaciais, unidade conjunta localizada em Brasília. O trabalho é feito 24 horas por dia. O satélite terá uso dual, ou seja, civil e militar. A chamada banda X é que possibilita o trâmite de informações relacionadas exclusivamente à área de defesa e governamental. O projeto é uma parceria entre os ministérios da Defesa (MD) e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Com o COPE e o SGDC,

o Brasil dá continuidade ao desenvolvimento do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE). A iniciativa permitirá promover o mercado de satélites, estimado em bilhões de dólares, com a geração de empregos de alta tecnologia e valor agregado. Seja no campo civil ou militar, o SGDC traz um novo impulso para o desenvolvimento do País. E nós, da Força Aérea Brasileira, devemos nos orgulhar por, mais uma vez, fazermos parte desse momento histórico e promissor de nossa Nação.


4

Abril - 2017

Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira Natural do Rio de Janeiro ( R J ) . P ra ç a d e 0 3 / 0 3 / 1 9 7 5 , declarado Aspirante em 10/12/1981. P r i n c i p a i s ca rgo s : C h efe da Seção de Planejamento e Controle do Material do 1º/14º GAV; Chefe da Seção de Instrução e de Material do 1º/16º GAV; Gerente do Projeto Radar SCP-01 na COPAC; Vice-Diretor do “Gruppo di Lavoro” do Programa AM-X na Itália; Chefe da 4ª Seção da 3ª Subchefia do EMAER; Comandante do Corpo

de Cadetes da Aeronáutica; Vice-Chefe do GABAER; Chefe do Subdepartamento de Desenvolvimento e Programas do DCTA; Gerente do Projeto F-X2 da Subdiretoria de Desenvolvimento e Programas; Presidente da COPAC; Comandante da AFA; Vice-Diretor do DEPENS; Diretor do Departamento de Desporto Militar e Presidente da CDMB; e Chefe Interino da CHOC - MD. Horas de voo: possui cerca de 3.000 horas de voo. Principais condecorações:

Medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico – Grande Oficial; Medalha da Ordem do Mérito Militar – Grau Oficial; Medalha da Ordem do Mérito Naval – Grau Comendador; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha General Osório – O Legendário; Medalha Ordem do Mérito Judiciário Militar; e Medalha Ordem do Mérito do CISM - Grau Oficial. Cargo designado: Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

Major-Brigadeiro do Ar José Augusto Crepaldi Affonso Natural de São Paulo (SP). Praça de 06/03/1978, declarado Aspirante em 12/12/1984. Principais cargos: Chefe da Seção de Material e de Segurança de Voo do 4º ETA; Instrutor Militar do Corpo de Cadetes da Aeronáutica; Instrutor de Voo, Chefe da SIPAA e Oficial de Segurança de Voo do 2º EIA da AFA; Chefe da Subdivisão de Ensino e de Relações Internacionais do

ICEA; Chefe da Assessoria de Planejamento; Assessor de Controle Interno da COPAC; Chefe da Subdivisão de Contratos, da Divisão de Coordenação Industrial e da Divisão de Coordenação de Projeto da COPAC; Chefe do GAC junto à empresa Airbus Military, na Espanha; Gerente do Projeto F-X2; Presidente da COPAC; e Diretor do Departamento de Produtos e Defesa (DEPROD) do Ministério

da Defesa. Horas de voo: possui 4.200 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico – Grau de Grande-Oficial; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Militar de Ouro com Passador de Ouro; e Medalha do Pacificador. Cargo designado: Chefe do Estado-Maior do Comando-Geral de Apoio (COMGAP).

Major-Brigadeiro do Ar Leonidas de Araujo Medeiros Junior Natural de Brasília (DF). Praça de 11/02/1981, declarado Aspirante 10/12/1984. Principais cargos: Chefe da Seção de Armamento Aéreo do 1º/4º GAV; Oficial de Pessoal do 1º GAVCA; Chefe da Seção de Pessoal do 5º/1º GCC; Comandante do DTCEA-PV; Gerente de Implantação do Projeto SIVAM – CRV-PV; Chefe da Divisão de Operações do CINDACTA IV; Comandante do CINDACTA I e II; Chefe

do Subdepartamento de Administração do DECEA; Chefe do Estado-Maior Conjunto do COMDABRA; e Chefe Interino do Estado-Maior do COMGAR. Horas de voo: possui 3.700 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Comendador; Ordem do Mérito Judiciário Militar - Grau Distinção; Ordem do Mérito Naval - Grau

Comendador; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha do Mérito Desportivo - MEC; Medalha Tenente Max Wolff Filho (FEB); Medalha Coronel Sarmento (PM-PR); Medalha do Mérito da Aviação Civil do Paraguai; Medalha Silver Star do Conselho Internacional do Desporto Militar. Cargo designado: Diretor da Diretoria de Administração do Pessoal da Aeronáutica (DIRAP).


Abril - 2017

Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto Natural de Salvador (BA). Praça de 01/02/1982, declarado Aspirante em 12/12/1985. Principais cargos: Chefe da Seção de Informática e Estatística, de Inteligência e de Operações do 1º/4º GAV; Chefe da Seção de Instrução, de Programação e Controle, de Doutrina, de Inteligência e Comandante do 1º GDA; Chefe da Assessoria Aerotática da MTAB no Paraguai; Chefe da Divisão de Cooperação Internacional

do MD; Chefe da Assessoria de Recursos Humanos do GABAER; Chefe da Assessoria Especial e Econômica da SEFA; e Subdiretor de Contratos e Convênios da SEFA. Horas de voo: possui 4.200 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Comendador; Ordem do Mérito da Defesa – Grau Comendador; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito

Santos-Dumont; Medalha Brigadeiro Nero Moura; Medalha da Vitória; Medalha do Pacificador; Medalha Mérito Tamandaré; Brevet Honoris Causa de Piloto Militar e de Piloto de Caça da Força Aérea Paraguaia; e Menção Destaque Operacional Ouro do COMGAR. Cargo designado: Vice-Secretário da Secretaria de Economia, Finanças e Administração da Aeronáutica (VISEFA).

Major-Brigadeiro do Ar Jefson Borges Natural de Porto Alegre (RS). Praça de 01/02/1982, declarado Aspirante em 12/12/1985. Principais cargos: Chefe da Seção de Contra-Inteligência do 1º/4º GAV; Chefe da Seção de Inteligência do 5º/1º GCC; Gerente de Projetos de C2 no CCA-SJ; Gerente e Técnico de Ambiente do CCA-SJ; Chefe da Divisão de Operações da SCOP do Comando-Geral de Operações Aéreas;

Chefe do Estado-Maior do V COMAR; Chefe do Estado-Maior da III Força Aérea; Chefe do Centro Conjunto de Operações Aéreas do COMDABRA; Chefe do Estado-Maior Conjunto do COMDABRA; e Adido de Defesa e Aeronáutico nos Estados Unidos e Canadá. Horas de voo: possui cerca de 2.300 horas de voo. Principais condecorações: Medalha da Ordem do Mérito

Brigadeiro do Ar Marcio de Calazans Braga

Natural de Niterói (RJ). Praça de 08/02/1981, declarado Aspirante em 12/12/1987. Principais Cargos: Chefe da Subdivisão de Aeronaves do PAMA-SP; Chefe da Seção de Operações do 1º/3ºGAV; Chefe da Divisão Técnica do PAMA-RF; Chefe do Material do 1º GAVCA; Coordenador do Projeto F-5; Chefe da Divisão de

Projetos Aeronáuticos da DIRMAB; Gerente da Gerência Logística de Aeronaves de Caça e de Transporte da DIRMAB; Chefe da Divisão Técnica do PAMA-AF; e Chefe da Divisão de Planejamento e Controle da Produção da DIRMAB. Horas de voo: possui cerca de 4.700 horas de voo. Principais Condecorações:

Brigadeiro do Ar Luiz Amedeo Iozzi da Silva Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 01/02/1984, declarado Aspirante em 12/12/1987. Principais cargos: Chefe da Manutenção do 5º ETA; Comandante de Esquadrilha do 1º/5º GAV; Chefe do Material e de Operações 1º/1º GT; Adjunto da Subchefia de Administração de Pessoal do Estado-Maior do COM-

GAP; Chefe da Divisão Logística da CABW; Chefe da Divisão Técnica do PAMA-AF; Chefe da Divisão Técnica do PAMA-GL; Chefe da Divisão de Projetos Aeronáuticos da SDAE da DIRMAB; e Adjunto da SDFC da DIRMAB. Horas de voo: possui 6.000 horas de voo. Principais condecorações:

Aeronáutico – Grau Comendador; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha do Pacificador – Exército Brasileiro; Medalha Mérito Tamandaré – Marinha do Brasil; Menção Destaque Operacional do COMGAR – Categoria Ouro. Cargo designado: Chefe da Terceira Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER).

Ordem do Mérito Aeronáutico – Grau Cavaleiro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Militar de Ouro; Menção Operacional Prata – COMGAR e Menção Destaque Logístico Platina – COMGAP. Cargo Designado: Subdiretor de Planejamento da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB).

Medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico, Medalha da Vitória-MD, Medalha Militar de Ouro, Medalha Mérito Santos- Dumont, Medalha Prêmio Força Aérea e Medalha União Europeia – Força Artemis. Cargo designado: Subdiretor de Fiscalização e Controle da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB).

5


6

Abril - 2017

Brigadeiro do Ar Raimundo Nogueira Lopes Neto Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 01/02/1984, declarado Aspirante em 11/12/1987. Principais Cargos: Chefe da Seção de Sistemas do Centro de Comando e Controle de Operações Aéreas - CCCOA; Comandante do 3°/10° GAV; Chefe da Divisão de Planos, Projetos, Estudos e Doutrina do

COMGAR; Chefe da Subchefia de Operações do COMGAR; Chefe do Estado-Maior da Terceira Força Aérea. Horas de voo: possui mais de 2.200 horas de voo. Principais Condecorações: Destaque Operacional Platina do Comando-Geral de Operações Aéreas; Medalha Militar de Prata;

Medalha Santos-Dumont; Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura; Ordem do Mérito Aeronáutico – Grau de Oficial; e Medalha do Sistema de Cooperacíon entre Lãs Fuezas Aéras Americanas (SICOFAA). Cargo Designado: Subchefia de Avaliação e Doutrina do Comando de Preparo (COMPREP).

Brigadeiro do Ar Frederico Alberto Marcondes Felipe Natural de São Paulo (SP). Praça de 13/02/1982, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Chefe da Seção de Instrução do 1º/1º GTT; Comandante da Esquadrilha Áquila do 2º EIA da AFA; Chefe da Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do SERAC 6; Chefe da Divisão de Prevenção

e Controle, da Divisão de Aviação Civil e Vice-Chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos; e Adido de Defesa e Aeronáutico na Itália e Eslovênia. Horas de voo: possui mais de 2.500 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Oficial; Ordem do Mérito Judiciário

Brigadeiro do Ar José Aguinaldo de Moura Natural de Jaboatão dos Guararapes (PE). Praça de 01/02/1984, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais Cargos: Oficial de Segurança de Voo do 2º ETA; Instrutor Militar de Esquadrão do Corpo de Cadetes e Instrutor de Voo da AFA; Operações e Comandante do EDA; Adjunto da GC-3 do GABAER; Chefe da Divisão de Comunicação Corpo-

rativa do CECOMSAER; Chefe de Gabinete da Secretaria de Produtos de Defesa do MD; e Adido Aeronáutico no Reino Unido, Suécia e Noruega. Horas de Voo: Possui aproximadamente 6.000 horas de voo. Principais Condecorações: Medalha da Ordem do Mérito da Defesa; Medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico; Medalha Militar de Ouro;

Militar - Grau Distinção; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; e Medalha do Pacificador. Cargo designado: Chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) e Chefe da Assessoria de Segurança Operacional do Controle do Espaço Aéreo.

Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura; Medalha da Inconfidência (MG); Medalha do Mérito Expedicionário Álvaro Jabur da Prefeitura de Barbacena; e Medalha Santos Dumont do Governo de MG. Cargo Designado: Comandante da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).

Brigadeiro do Ar Augusto César Abreu dos Santos Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 01/02/1982, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Chefe da Seção de Doutrina e Comandante de esquadrilha do 1º/4º GAV; Chefe da Inspetoria Técnica do ESM da BAFZ; Chefe da Seção de Material do 1º GAVCA; Chefe da Seção de Operações do 3º/3º GAV; Comandante do

2º/3º GAV; Adjunto de Defesa, Naval, do Exército e Aeronáutico do Brasil na Federação da Rússia; Comandante da BAPV; Chefe da Secretaria de Conselhos do GABAER; e Diretor do PAMA-LS. Horas de voo: possui cerca de 3.700 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau

Oficial; Menção Destaque Operacional Platina; Ordem do Mérito de Defesa – Grau Oficial; Medalha do Pacificador; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura. Cargo designado: Chefe do Centro de Inteligência da Aeronáutica (CIAER).


Abril - 2017

Brigadeiro do Ar Vincent Dang Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 01/02/1982, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Chefe da Subseção de Tiro e Bombardeio do 1°/4º GAV; Chefe da Subseção de Doutrina do 1° GAVCA; Comandante do 2° Esquadrão do GTE; Assistente do Ministro do STM, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcus Herndl; Chefe da Seção de

Análise e Projeções da CPO; Chefe da Secretaria de Conselhos do GABAER; Adido de Defesa e Aeronáutico na China; e Chefe da 3ª Subchefia do EMAER. Horas de voo: possui mais de 4.800 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Oficial; Ordem do Mérito da Defesa - Grau Cavaleiro; Ordem do Mérito Militar

- Grau Cavaleiro; Ordem do Mérito Judiciário Militar - Grau Distinção; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Mérito Tamandaré; e Medalha 1° de Agosto do Exército Popular de Libertação da República Popular da China. Cargo designado: Subdiretor de Contratos e Convênios da Diretoria de Economia e Finanças (DIREF).

Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo Natural de São Paulo (SP). Praça de 01/03/1985, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Chefe das Seções de Relações Públicas do 1º/4º GAV e do 1º GAVCA; Comandante do Esquadrão de Simulação e Instrução da BASC; Chefe da Divisão de Jornalismo do Centro de Comunicação So-

cial da Aeronáutica; Comandante do 1º GAVCA; Chefe da Divisão de Operações do Comando-Geral de Operações Aéreas; Adido de Defesa e Aeronáutico na França e Bélgica; e Chefe da Seção de Estudos Estratégicos da 6ª Subchefia do Estado Maior da Aeronáutica. Horas de voo: possui cerca de

2.500 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Oficial; Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura; Medalha Militar de Ouro; e Mérito Santos-Dumont. Cargo designado: Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER).

Brigadeiro do Ar Ricardo José Freire de Campos

Natural de Recife (PE). Praça de 11/02/1982, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Ajudante de Ordens do Comandante do Terceiro Comando Aéreo Regional; Operações do 1º/2º GT; Comandante do 1º/1º GCC; C o m a n d a nte d o 4 º / 7 º G AV; Subcomandante da Base Aérea

de Anápolis; Vice-Presidente da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica - COMARA; Chefe interino do Estado-Maior do Primeiro Comando Aéreo Regional; e Instrutor do Colégio Interamericano de Defesa, Washington – DC. Horas de Voo: possui 3.750 horas de voo.

Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico; Ordem do Mérito Naval; Menção Destaque Operacional Ouro do COMGAR; e Medalha da Junta Interamericana de Defesa. Cargo designado: Comandante da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).

Brigadeiro do Ar Valter Borges Malta Natural de São Paulo (SP). Praça de 01/03/1985, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Chefe da Subseção de Instrução do 7º/8º GAV; Chefe da Subseção de Suprimento do 1º/11º GAV; Chefe da Seção de Planejamento e Controle do Esquadrão de Suprimento e Manutenção da Base Aérea

de Brasília; Comandante do 1º Esquadrão do Grupo de Transporte Especial; Gerente-Adjunto do Projeto AL-X; Comandante do 7º/8º GAV; Chefe do Grupo de Acompanhamento e Controle na África do Sul; e Gerente do Projeto H-XBR. Horas de voo: mais de 4.500 horas de voo.

Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico Grau Oficial; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont e Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura. Cargo designado: Subchefe de Inteligência Operacional do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).

7


8

Abril - 2017

Brigadeiro do Ar Antonio Pereira da Silva Filho Natural de Sacramento (MG). Praça de 01/03/1985, declarado Aspirante em 09/12/1988. Principais cargos: Chefe da Subseção de Contra-Inteligência e da Seção de Doutrina do 1º/9º GAV; Ajudante de Ordens do Comandante do VI COMAR; Chefe da Seção de Operações Militares do CINDACTA I; Comandante do 2º EIA da AFA;

Chefe da Divisão de Comunicação Integrada do CECOMSAER; Adido de Defesa no Equador; Assessor-Chefe Militar para Assuntos de Aeronáutica da Secretaria de Coordenação e Assessoramento Militar do GSI da Presidência da República. Horas de voo: possui mais de 3.500 horas de voo. Principais condecorações: Or-

dem do Mérito da Defesa - Grau Oficial; Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Oficial; Medalha Santos-Dumont; Medalha do Pacificador; Estrela das Forças Armadas do Equador - Grau Estrela ao Mérito Militar. Cargo designado: Chefe da Segunda Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER).

Brigadeiro Intendente Alexandre Santana Nogueira Natural do Rio de Janeiro ( R J ) . P ra ç a d e 0 8 / 0 2 / 1 9 8 1 , declarado Aspirante em 12/12/1987. Principais cargos: Chefe da Seção de Suprimento Técnico do ESM e da Seção de Finanças da Base Aérea dos Afonsos; Chefe da Divisão de Análise, Normas e Pagamentos Especiais da SDPP,

da Divisão de Pagamento no País da SDPP e da Divisão de Consignações da Diretoria de Intendência; Chefe de Gabinete do Diretor de Intendência; Chefe da Assessoria de Controle Interno da CABE; Chefe da Assessoria de Controle Interno do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial; Chefe do GIA-SJ e

Diretor da PIPAR. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico Grau Oficial; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Franklin Dória. Cargo designado: Subdiretor de Encargos Especiais da DIRAD.

Brigadeiro Engenheiro César Demétrio Santos Natural de São Paulo (SP). Praça de 03/03/1986, declarado Primeiro-Tenente 11/12/1988. Principais cargos: Chefe da Seção de Controle de Qualidade do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo, Chefe da Subdivisão de Nacionalização da CABSP, Chefe da Divisão de Sistemas Aeronáuticos, da Di-

visão de Propulsão Aeronáutica e Gerente do Veículo Lançador de Satélites 1 do Instituto de Aeronáutica e Espaço; Diretor do Centro de Lançamento de Alcântara; e Assessor Técnico do Subdepartamento Técnico do Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica. Principais condecorações: Me-

dalha Militar de Ouro, Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Oficial, Medalha Mérito Santos-Dumont, Medalha Alferes Moraes Santos do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão. Cargo designado: Chefe do Subdepartamento Técnico do Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA).

Brigadeiro Médico Marcos Vieira Maia Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 01/02/1985, declarado 1º Tenente em 11/09/1987. Principais cargos: Comandante do Esquadrão de Saúde da BAPV; Chefe da Seção de Cirurgia Geral, da Seção de Inteligência, da Secretaria da Direção, das Clínicas Cirúrgicas e Diretor no HAAF; Ajudante de Ordens do

Diretor de Saúde; Comandante do Hospital de Campanha e Chefe da Divisão Técnica da SARAM na DIRSA; Instrutor e Adjunto da Subdivisão de Doutrina Militar na ECEMAR; Chefe da Seção de Cirurgia Geral, Preceptor do programa de Residência Médica em Cirurgia Geral, Chefe da Divisão Médica e Vice-Diretor do Hospi-

tal Central de Aeronáutica. Principais condecorações: Ordem do Mérito Aeronáutico - Grau Oficial; Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; e Medalha do Pacificador. Cargo designado: Chefe de Gabinete da Diretoria de Saúde da Aeronáutica (DIRSA).


72 a no s FOTO: MIGUEL SA / ARQUIVO PESSOAL

A saga de um piloto de caça em plena Segunda Guerra Mundial é o tema do livro de ficção “O Céu da Itália”, do Coronel da reserva da Força Aérea Brasileira (FAB), Flavio Kauffmann. Esse é o romance de estreia de Kauffmann, que foi piloto de caça durante 12 anos, além de comandante do Esquadrão Jambock (1º GAVCA), o mesmo que atuou durante a guerra nos anos 40. “Os pilotos de caça são heróis do cotidiano, que arriscam suas vidas quase todos os dias para garantir nossa liberdade”, enfatiza o coronel.

Com base em fatos históricos e em sua própria experiência, o autor narra uma ficção apoiada em acontecimentos da época e compromissada com a realidade do período da Segunda Guerra. A maior parte da ação se passa aos pés dos Alpes Lombardos, na área do Lago de Garda, ao norte da Itália. O sonho do Tenente Thomas Winthrop Jr. de lutar na Segunda Guerra Mundial como um Jambock se transforma em pesadelo, quando a aeronave Thunderbolt P-47 é abatida no céu daquele país. Lutando para sobreviver em meio a uma região de conflito entre

Marca conquistada Em 2017, a Aviação de Caça da Força Aérea Brasileira alcançou mais uma importante marca em sua história por meio do Esquadrão Escorpião (1°/3° GAV). A unidade aérea completou 70 mil horas voadas em 21 anos de existência. O Tenente Aviador Danyel Costa Barbosa Abdala liderou a esquadrilha dos caças A-29 Super Tucano na missão que atingiu a marca. “Além da responsabilidade de conduzir a esquadrilha e de atingir os critérios estabelecidos para o sucesso na instrução, busquei levar todo o suor e garra de todos aqueles que por aqui passaram e deixaram o seu legado”, ressaltou. Ativado em 28 de setembro de 1995, o Esquadrão Escorpião é conhecido por ser a primeira unidade de caça no hemisfério Norte e atuar na defesa da Amazônia setentrional. A unidade tem sede em Boa Vista (RR).

guerrilheiros e nazistas, o aviador se apaixona por uma mulher e continua seu combate junto ao grupo de rebeldes locais. Os seis anos de pesquisa do coronel Kauffmann resultaram em uma obra de aventura que, com doses de amor, coragem e risco, faz referências às estratégias usadas durante as batalhas. Episódios semelhantes, inclusive, foram vividos por alguns pilotos do Esquadrão Jambock. “Das páginas do livro brotam certamente o heroísmo e a coragem dos homens e mulheres da Força Aérea Brasileira, contados de modo

romanceado, por meio da história de amor entre uma jovem italiana e um piloto de caça brasileiro. A obra mistura ciência com gastronomia, vinhos e óperas, sempre de modo elegante”, conta.

FAB

Ten JOR João Elias

da

Aviação de Caça é tema de livro de ficção

a

ESPECIAL

çã Avia o de C a aç d

Oficialmente, o 1º GAVCA foi criado em 18 de dezembro de 1943, pelo Decreto-Lei 6.123. Nove meses depois, já estava na Europa. Comandado pelo, então, Major Nero Moura, realizou uma campanha vitoriosa. A data de 22 de abril é considerada o Dia da Aviação de Caça porque foi nesse dia, no ano de 1945, que o grupo realizou o maior número de surtidas na Itália: foram 44 missões de guerra, tendo destruído mais de 100 alvos. Em 1986, a unidade da FAB ainda ativa, sediada no Rio de Janeiro (RJ) e equipada com caças F-5, se tornou a terceira unidade não pertencente às Forças Armadas Americanas a receber a Presidential Unit Citation, comenda do governo dos Estados Unidos. “Além da bravura demonstrada em combate, o Primeiro Grupo de Caça legou à FAB sua primeira doutrina operacional de combate, mais tarde adotada por diversas outras unidades aéreas”, conclui o coronel Kauffmann.


10

Abril - 2017

OPERACIONAL

KC-390 - O cargueiro também é tanker Aeronave realiza o primeiro contato de reabastecimento em caças F-5M Ten JOR Gabrielli Dala Vechia

A

rotina dos pilotos e engenheiros de testes do Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo (IPEV), localizado em São José dos Campos (SP), não tem dado sossego aos militares envolvidos, desde que o KC-390 entrou em fase de ensaios. Hoje, dois protótipos se revezam em uma série de testes em

voo, que deve completar mais de 2 mil horas até o final do ano que vem. Parte dos testes conta com envolvimento da FAB. Em fevereiro, a equipe do IPEV esteve na Ala 12, no Rio de Janeiro (RJ), para um feito inédito na aviação brasileira: o primeiro contato para reabastecimento em voo (REVO) entre o cargueiro KC-390 e caças F-5M. Embora esse contato tenha sido

‘em seco’, ou seja, não houve efetivamente a transferência de combustível, todos os procedimentos envolvidos nesse tipo de operação foram realizados. O Tenente-Coronel Fernando Benitez Leal é o coordenador da equipe e explica que o teste foi bem-sucedido desde o primeiro voo. Segundo ele, a complexidade do ensaio esteve, principalmente, no fato

Voando no envelope Altitude

Velocidade

Toda a aeronave possui relações máximas e mínimas de velocidade e altitude; é o chamado envelope. Isso significa que, a determinada altitude existe uma velocidade máxima e uma mínima que cada avião é capaz de operar e vice-versa. Quando se trata de REVO, portanto, é preciso encontrar a interseção entre os envelopes das duas aeronaves envolvidas e construir um terceiro parâmetro em que os testes serão realizados. A ideia é que, se a aeronave responder positivamente dentro dos perfis mais críticos de voo, é porque está em pleno funcionamento nos outros.

Essa estrutura visível embaixo de cada uma das asas, de onde sai a mangueira de reabastecimento, é o Wing Air Refulling Pod (WARP) – o grande protagonista desse ensaio. Pesando aproximadamente 600kg cada, o WARP possui um sistema que gerencia todo o processo de REVO – a extensão da mangueira (que tem 30m de comprimento), seu nível de tensão, a liberação do combustível, além de outras funcionalidades. de que esse é o primeiro avião-tanque produzido no País. “Agora estamos prontos para o REVO com transferência de combustível, que está previsto para o mês de agosto”, afirma. O primeiro aviador a realizar o procedimento, a bordo de um F-5M (o KC-390, por ora, tem sido pilotado por pessoal da Embraer), foi o Major Leandro Vinicius Coelho. Ele

conta que, durante o contato em seco, a aeronave mostrou-se bastante estável, contribuindo para a redução da sua carga de trabalho. “Essa foi mais uma experiência profissional repleta de desafios e muito gratificante. Temos a certeza que o KC-390 será um vetor multimissão com elevada capacidade operacional”, diz o Major Vinicius.

Quais as características do KC-390? O Major Kildary Sena, piloto de provas envolvido na operação, explica os diferenciais da aeronave brasileira. - O KC-390 funciona como tanker e como receiver, ou seja, é capaz tanto de reabastecer outras aeronaves, quanto de ser reabastecido. - A aeronave é adequada, também, para reabastecer helicópteros. - O motor do KC-390 é do tipo Turbofan. Isso significa que o cargueiro brasileiro produz menos pressão na parte de trás da turbina, causando menos impacto na aerodinâmica da aeronave que está sendo reabastecida. - Por possuir a tecnologia fly by wire de pilotagem, considerada estado da arte da indústria aeronáutica, o KC-390 realiza um voo mais estável. Isso facilita procedimentos como REVO e lançamento de cargas e paraquedistas. - A velocidade em que é possível realizar o reabastecimento em voo com o KC-390 é maior. Isso é bom porque o caça não precisa diminuir tão drasticamente sua velocidade, aumentando a eficiência da missão.


Abril - 2017

11

FOTOS: SGT JOHNSON BARROS / CECOMSAER

ESPAÇO

Tecnologia nas mãos da FAB Ten JOR Emília Maria

A

maquete nas mãos dos militares da FAB parece brinquedo, mas o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) é real e de tamanho bem maior. A base da parte central mede 2,5mx2,5m e a altura é de 5m. Já a medida de ponta a ponta dos painéis solares é de 38m. Com o lançamento do SGDC, o Brasil passará a ser soberano na área de comunicações militares por satélite.

“É um momento histórico para o Ministério da Defesa e para as Forças Armadas. Vai trazer a possibilidade de comunicações seguras, suportando todas as operações militares”, explica o Chefe do Centro de Operações Espaciais Principal (COPE-P), Coronel Marcelo Vellozo Magalhães. Subordinado ao Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), o COPE integra em seu efetivo cerca de 70 militares das três Forças Armadas. Entre eles estão o

Major Luis Felipe de Moura Nohra, o Tenente Marcus Vinicius Fernandes Matias e o Suboficial Arthur Eduardo Paiva Dias de Sá, cada um responsável por atividades fundamentais na operação do satélite. A Força Aérea está a cargo do desenvolvimento da área espacial militar no Brasil e, portanto, vai operar e monitorar o SGDC. Para isso, o COPE terá militares trabalhando 24 horas por dia ininterruptamente.

O satélite Desenvolvido pela empresa francesa Thales Alenia Space e pela Visiona (uma sociedade formada pela Embraer e pela estatal Telebras), o SGDC terá uso civil e militar: possibilitará acesso à conexão em banda larga a todos os locais do País e tramitar informações da área de defesa. Além de garantir mais segurança para as comunicações militares, o SGDC vai gerar economia para o País, pois não será mais necessário alugar satélites de empresas privadas. Para saber mais leia a edição de janeiro/fevereiro/ março da revista Aerovisão: http://www.fab.mil.br/publicacao/listagemAerovisao

Major Luis Felipe de Moura Nohra Aviador, especialista em Controle de Órbita e Dinâmica de Voo e oficial de Segurança do COPE “Nós compomos uma equipe de engenheiros responsáveis pela ‘saúde’ do satélite. Monitoramos diariamente parâmetros como temperatura dos equipamentos, tensão da bateria, precisão do sistema de apontamento, potência dos canais de comunicação, entre outros. Trabalhamos, também, com procedimentos de segurança “.

Tenente Marcus Vinicius Fernandes Matias - Engenheiro Eletrônico, adjunto da seção de carga útil do COPE “Somos responsáveis por transformar as demandas de comunicações por satélite em parâmetros de radiofrequência, garantindo o máximo de disponibilidade ao longo do ano e otimizando a utilização de recursos do SGDC. Esperamos colocar em prática os conhecimentos adquiridos em quase dois anos de preparação para a operação do satélite e poder contribuir positivamente para a comunicação de nossos companheiros de armas que realizam operações nos mais diversos lugares.”

Suboficial Arthur Eduardo Paiva Dias de Sá – Especialista em Comunicações, supervisor de controladores do COPE “Na minha carreira, eu pude acompanhar várias evoluções tecnológicas da FAB. Estar nessa cadeira hoje, como supervisor dos controladores e podendo controlar o satélite, é para poucas pessoas. Como graduado, cheguei no mais alto patamar nesta área de tecnologia e considero uma oportunidade ímpar.”


12

Abril - 2017

FUMAÇA

Agenda Seis cidades já estão no planejamento de abril para receberem as demonstrações aéreas da Esquadrilha da Fumaça. Municípios dos estados de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul são os destinos das manobras do Esquadrão.

Esquadrilha mostra novidades de 2017 Com agenda confirmada de demonstrações, Fumaça também traz novidades para quem visitar o hangar da unidade Ten JOR Flávia Cocate

Confira no site da fumaça os detalhes das demonstrações:

Esquadrilha da Fumaça apresenta novidades no ano de 2017 para seus visitantes. Seja direto no hangar ou de forma virtual, a visita promete surpreender pelas inovações.

http://www2.fab.mil.br/eda/index. php/agenda-de-demonstracoes.

FOTO: LUIS A NEVES

A

Tocha Olímpica na Esquadrilha da Fumaça

Conheça o hangar da Fumaça sem sair de casa

Para os visitantes que forem pessoalmente conhecer as instalações da Fumaça, há uma novidade no Salão Histórico: a Tocha Olímpica. Durante a Rio 2016 a unidade se apresentou sobre a Praia de Copacabana, o Parque Olímpico na Barra e o Boulevard Olímpico, além de fazer sobrevoos sobre o Maracanã e o Sambódromo. Essa foi a primeira vez que a unidade participou de uma Olimpíada. A Esquadrilha também escreveu “Rio 2016” e desenhou os anéis olímpicos, no céu de Brasília, na chegada da Chama Olímpica ao Brasil. As aeronaves acompanharam, ainda, a chama na sua passagem por São Paulo.

TURMA DO FABINHO

FOTO: S

GT RIB

EIRO /

EDA

FOTO:RIC

ARDO BE

CCARI

A equipe da Esquadrilha da Fumaça entrou no mundo do tour virtual 3600. A unidade, localizada em Pirassununga (SP), é a primeira instituição militar brasileira a poder ser visitada virtualmente. A tecnologia proporciona a visita ao Esquadrão por qualquer pessoa que tenha acesso ao Google Street View, um recurso do Google Maps e do Google Earth que oferece vistas panorâmicas em 3600. Várias instalações do Esquadrão fazem parte do tour virtual, como o auditório, o Salão Histórico, o Espaço das Aeronaves Históricas, as Salas de Estar dos Oficiais e dos Graduados, a Sala de Briefing e a de Equipamentos de Voo. Por dentro do A-29 - O destaque do tour é a imagem 3600 do interior da aeronave A-29 Super Tucano, onde o visitante pode conhecer o cockpit e o assento ejetável, entre outros elementos do avião. A cada ambiente visitado, há textos e vídeos relacionados ao local que explicam melhor o dia a dia e a história da Fumaça.

As visitas ao Salão Histórico da Esquadrilha da Fumaça podem ser feitas aos fins de semana, das 10h às 12h e das 14h às 16h. A entrada é franca. A sugestão é ligar com antecedência para marcar a visita pelo telefone: (19) 3565-7236. Durante a semana, o atendimento é voltado somente para grupos com agendamento prévio pelo e-mail: contato@esquadrilhadafumaca.com.br.


Abril - 2017

MÍDIAS SOCIAIS

A sua imagem é a nossa imagem Veja as orientações para postagens e transmissão de conteúdos sobre a FAB nas redes sociais Ten REP Saulo Vargas “Durante uma missão, realizada pelo Esquadrão Y, alguns militares, após pousarem na Ala X, se dirigiram para um happy hour no local. Ao final do evento, os militares postaram fotos em seus respectivos perfis nas redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter). As imagens mostravam os militares, fardados, durante a confraternização e, além disso, portando armamento militar. A foto de um dos militares foi publicada na capa de um jornal local, expondo negativamente a imagem da Força Aérea Brasileira”. #cuidado Com certeza, você nunca ouviu falar no Esquadrão Y. Tampouco que a FAB tem uma Ala chamada X. Essa história fictícia foi elaborada apenas

para mostrar como o uso indevido das mídias sociais pode ser negativo para a imagem da Força. Por isso, torna-se tão importante sempre ter em mente as orientações para uso das redes sociais, publicadas no Boletim Periódico (BOLIMPE) nº 01/15. #fiqueligado O documento apresenta as boas práticas que devem ser observadas por todo o efetivo. No exemplo que apresentamos, podemos observar a infringência de dois itens desse BOLIMPE, que são: - Não postar fotos/conteúdos contendo dados técnicos e informações sigilosas, tais como interior de aeronaves ou instalações militares; - Não publicar fotos fardado(a) ingerindo bebidas alcoólicas, muito menos portando ou utilizando armamento militar.

Liberdade de Expressão O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, reiterou a preocupação com a imagem da FAB, por meio do BOLIMPE nº 01/17. Nele, o Comandante salienta o direito da liberdade de expressão, porém destaca a existência de limites. A orientação é não postar ou repassar informações de conteúdo duvidoso ou imagens danosas à FAB. “Peço que, ao tomar conhecimento de qualquer mensagem que vise a denegrir nossa Instituição, façam contato imediato com o CECOMSAER, para que possam ser tomadas as devidas providências”, explicou o Tenente-Brigadeiro Rossato. Além disso, o BOLIMPE reforça que a origem dessas mensagens pode ser facilmente rastreada e identificada, permitindo o devido enquadramento disciplinar do transgressor. Até mesmo aquele que compartilha um conteúdo difamatório produzido por outros, acaba por responsabilizar-se também pelas informações veiculadas. “A modernidade das redes sociais veio para somar e melhorar o nosso dia a dia. Saibamos utilizá-las com sabedoria e de acordo com valores básicos que nos norteiam como disciplina, integridade, patriotismo, comprometimento e profissionalismo”, reforçou.

#acesse Para conferir o conteúdo completo do BOLIMPE nº 01/15 e 01/17, basta acessar o Portal Intraer (www.portal.intraer) e clicar no link BOLIMPE. Assim, você terá acesso a todas as orientações e os 10 itens constantes das boas práticas que devem ser observadas por todo o efetivo da FAB.

PENSANDO EM SEGURANÇA DE VOO CENIPA divulga dados sobre acidentes aéreos no Brasil em 2016 O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) divulgou os dados estatísticos sobre os acidentes aéreos ocorridos no Brasil em 2016. Veja a comparação entre 2015 e 2016 - O número de acidentes em 2016 foi igual a 2015: 126 em cada ano. Em relação ao número de fatalidades, houve aumento de 31%. Em 2015, ocorreram 58 mortes e, em 2016, foram 76 no total.

Ao analisar os acidentes por segmento de aviação, em 2016, a maior quantidade aconteceu na aviação particular, com 57 registrados. Porém, houve redução de 12% quando comparada com o ano de 2015: 65 acidentes. Na aviação agrícola, houve aumento de 42%: 24 acidentes, em 2015, contra 34, em 2016. Quanto ao número de vítimas, neste segmento, também houve aumento. No ano de 2015, três mortes

foram registradas e 13, em 2016. Já na aviação regular apenas um acidente foi contabilizado no ano passado. Na aviação experimental, houve redução de 30% no número de acidentes, passando de 43, em 2015, para 30, no ano seguinte. Em relação às mortes, o número passou de 20, em 2015, para 26 mortes, em 2016. (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos - CENIPA)

13


14

Abril - 2017

EDUCAÇÃO

Sopa de letrinhas Ten JOR Gabrielli Dala Vechia

I

ngressar nas fileiras da Força Aérea Brasileira significa mergulhar em um campo semântico totalmente novo. Logo nos primeiros dias de caserna, aprende-se que é preciso ser ‘padrão’ e não ‘bisonhar’, resolver as ‘panes’, ‘engrenar’ soluções. Mas, para além dos jargões do mundo militar, há outro elemento gramatical que exige conhecimento dos militares: as siglas. Segundo o gramático Domingos Paschoal Cegalla, sigla é um tipo de abreviatura, com as letras iniciais de nomes de entidades, associações, organismos administrativos, partidos, empresas, etc. O próprio nome da nossa instituição é comumente usado como sigla – FAB. Para você não se confundir nessa sopa de letrinhas, aqui vão alguns ‘bizus’ sobre as siglas. - Com a reestruturação, novas siglas fazem parte do nosso dia a dia de trabalho: Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Comando de Preparo (COMPREP),

Grupamento de Apoio (GAP), entre outras. Fique atento! - Ala não é sigla; é nome próprio. O termo deve ser, portanto, grafado apenas com a primeira letra maiúscula. - A primeira vez que a sigla for citada em um texto, deve aparecer por extenso, seguida pelas letras entre parênteses – Força Aérea Brasileira (FAB). - Não confunda: sigla, abreviação e abreviatura. Abreviação é a diminuição no número de sílabas, como no caso em que se escreve ‘moto’ no lugar de ‘motocicleta’. Abreviatura é utilizar parte da palavra como representativa do todo – o que acontece, por exemplo, quando se utiliza ‘Ten’ para nos referirmos a Tenente. - Seja cuidadoso com seu público interlocutor: nem todo mundo domina todas as siglas da instituição – até porque são muitas! - Há siglas que deram origens a outras palavras, como celetista (que veio de CLT) e dedetizar (proveniente de DDT).

SERVIÇO

FIQUE LIGADO Saiba sobre alguns serviços e atualizações da FAB Reserva A Diretoria de Administração de Pessoal (DIRAP), por meio de sua Subdiretoria de Inativos e Pensionistas (SDIP), implantou o sistema informatizado de Inatividade para emissão de Títulos de Proventos na Inatividade, implementação de matérias financeiras no SIGPES, bem como das alterações financeiras na Folha de Pagamento (FOPAG) dos militares inativos e reformados. Com o novo

sistema, o processo de reserva remunerada e reforma passa a ficar mais rápido, em face das alterações tanto no SIGPES quanto na FOPAG, que passam a ser on-line. Orientação Vocacional O Instituto de Psicologia da Aeronáutica (IPA) mantém o serviço de Orientação Profissional para jovens estudantes, dependentes de militares. Esse trabalho é realizado, ao longo ano, pela Divisão de Recursos Humanos do IPA. O objetivo é fornecer subsídios

que facilitem uma escolha profissional mais responsável. Por meio de atividades técnicas específicas de psicologia, é estimulado o autoconhecimento e propiciado acesso a informações relativas às diversas profissões e ao mercado de trabalho. Parceria educacional A Universidade da Força Aérea (UNIFA), localizada no Rio de Janeiro, e o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), sediado em São José dos Campos (SP) firmaram a

assinatura do Acordo de Cooperação Acadêmica. A meta é fortalecer o Programa de Pós-Graduação em Ciências Aeroespaciais e o desempenho humano e operacional da UNIFA.

FOTO: SGT REZENDE / CECOMSAER

Ten JOR Flávio Nishimori


Abril - 2017

15

ENTRETENIMENTO

FOTOS: TEN ENILTON KIRCHHOF / CECOMSAER

6 ERROS

Caça Palavras

respostas do mes anterior

O GRIPEN NG será a nova AERONAVE de caça da Força Aérea Brasileira. VELOCIDADE duas vezes maior que a do som; emprego de ARMAMENTOS modernos, como o MÍSSIL A-Darter e possibilidade de atuar na GUERRA centrada em redes através do sistema DATALINK são algumas das FUNCIONALIDADES do caça. Pilotos brasileiros da FAB já voaram a aeronave na Suécia, país FABRICANTE do GRIPEN.


Notaer abril 2017  
Notaer abril 2017  

Tecnologia nas mãos da FAB Sabia sobre a operação do Satélite Brasileiro

Advertisement