Page 1

PÔSTER NA CONTRACAPA Saiba mais sobre a aeronave P-3AM, um dos projetos estratégicos da FAB

Ano XXXVIII

Nº 05

Maio, 2015

ISSN 1518-8558

FOTO: SGT REZENDE / CECOMSAER

www.fab.mil.br

O melhor amigo da FAB! Eles já eram os maiores companheiros do homem e agora assumiram um papel importante no cumprimento das missões da FAB. Conheça um pouco do trabalho desses guerreiros. (Págs. 8 e 9)

DIA DAS MÃES Vamos homenagear as mulheres que assumiram mais uma linda missão: a maternidade. Confira as mensagens de carinho de algumas crianças nesta data especial. (Pág. 05)

MÍDIAS SOCIAIS Um manual de boas práticas nas redes sociais foi definido pelo Comando da Aeronáutica. Trata-se de um conjunto de normas que orientam o efetivo na hora de postar fotos e mensagens. (Pág. 10)

ECONOMIZAR O cenário econômico nacional exige que nós, militares, também tenhamos disciplina quando o assunto é saúde financeira. A equipe do NOTAER conversou com um especialista sobre o assunto e dá algumas dicas. (Pág. 14)


2

Maio - 2015

Expediente

CARTA AO LEITOR

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno.

Sua participação faz história Ao completar 45 anos, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica reafirma o compromisso, construído ao longo de décadas, de dar publicidade às ações realizadas pela Aeronáutica em todas as áreas de atuação. O trabalho de cerca de 100 profissionais em Brasília somado ao de outras unidades em todo o Brasil, por meio do Sistema de Comunicação Social (SISCOMSAE), permite que nossa missão constitucional chegue ao conhecimento de cada cidadão brasileiro. Também é de nossa responsabilidade que prestemos conta sobre nosso serviço e sobre cada centavo investido na construção do futuro desta instituição. O Notaer, por exemplo, existe porque essa imensa

engrenagem está girando ininterruptamente. As reportagens publicadas aqui buscam difundir informações que são de interesse do público interno. Também buscamos relatar histórias por meio de personagens que são exemplos para toda a instituição, tanto em termos de criatividade quanto em iniciativa e pró-atividade. Nesta edição, você vai acompanhar como são usados os cães de guerra em missões da Força Aérea. De norte a sul do país, os animais são treinados e empregados em operações de combate ao tráfico de drogas e na segurança. Preparamos também uma reportagem especial sobre orçamento doméstico, afinal

Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic Editora: Tenente Jornalista Jussara Peccini (MTB 01975SC) Editora adjunta: Aspirante Jornalista Cynthia Fernandes (MTB 2607GO)

sempre é bom estar atento às finanças pessoais. Em tempos difíceis, projetos e ações de sustentabilidade voltam às páginas desta publicação com importante atenção à necessidade de contribuir com a redução do impacto ambiental em todas as áreas. Também acompanhamos a entrega das instalações do Destacamento de Eirunepé (AM), ponto estratégico da região amazônica, que permitirá à FAB atuar como base desdobrada em qualquer momento.

O NOTAER só é possível por causa de vocês, do efetivo, que atuam como protagonistas de nossas reportagens. Este trabalho ficará ainda melhor com a sua participação. Compartilhe conosco suas sugestões de pauta, suas críticas e opiniões. Ajude-nos a eternizar a história da nossa Força Aérea. Boa leitura! Brig Ar Pedro Luís Farcic Chefe do CECOMSAER

ERRAMOS Em relação ao caderno de oficiais-generais promovidos, divulgado na edição de abril de 2015, informamos que a grafia correta dos nomes é: Brigadeiro do Ar Marcos Aurélio Santos Martins e Brigadeiro do Ar Alcides Teixeira Barbacovi.

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

Quer ver sua unidade no NOTAER?

Golpe do pecúlio ressurge O público interno do Comando da Aeronáutica voltou a se tornar alvo de falsas notificações. O golpe oferece crédito para recebimento imediato e, para isso, deve recolher-se, em uma conta-corrente indicada na correspondência enviada pelo golpista, determinado valor a título de ressarcimento de “despesas judiciais”. Por se tratar de um golpe recorrente, o Centro de Inteligência da Aeronáutica (CIAER) houve por bem tecer as seguintes orientações:

Não forneça ou confirme seus dados a estranhos. Somente trate de assuntos financeiros em instituições credenciadas; Não trate de assuntos financeiros ao telefone. Não deposite dinheiro na conta de desconhecidos; Dinheiro fácil não existe. Portanto, não seja ingênuo. Desconfie de pessoas estranhas com ofertas muito generosas; Não acredite em promoções enviadas por mensagem de texto para o

celular; Oriente todas as pessoas de sua residência a não fornecerem dados pessoais por telefone; Nu n ca a c r e d i te e m pessoas estranhas com propostas muito vantajosas. As instituições financeiras, as seções de inativos e pensionistas não enviam funcionários à residência de ninguém solicitando qualquer tipo de recurso ou valor em dinheiro. (Centro de Inteligência da Aeronáutica)

Tem um comentário, sugestão de reportagem ou crítica?

Aguardamos seu email redacao@fab.mil.br

Fale com a gente!

Repórteres: Ten RP Bárbara Elisa, Asp JOR Cynthia Fernandes, Ten JOR Emille Cândido, Ten JOR Evellyn Abelha, Ten JOR Flávio Nishimori, Ten JOR Gabrielli Dala Vechia, Ten RP Helena Viza, Ten JOR Humberto Leite, Ten JOR Iris Vasconcellos, Asp Jaynne Menezes, Ten JOR João Elias, Ten JOR Jussara Peccini, Ten JOR Lorena Molter, Asp JOR Myrian Bucharles. Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná. Revisão: Gabrielli Dala Vechia, Iris Vasconcellos, Flávio Nishimori e João Elias. Diagramação e Arte: SO Cláudio Ramos, SGTs Emerson Linares e Santiago Moraes, Subdivisão de Publicidade e Propaganda. Tiragem: 30.000 exemplares Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Endereço: Esplanada dos Ministérios Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A

Carta dos leitores Comando Entre 18/02 a 15/07 de 2002 o Serviço Geral de Correspondência e Arquivo da Aeronáutica (SEGECAE), sediado no Rio de Janeiro, foi comandado interinamente pela Capitão Arquivista Ester Ferreira da Nova. David Teixeira Cavalos A patrulha montada da Base Aérea de Canoas (BACO) foi criada em 1962, para a segurança interna. Major Reformado Charles Pinto


Maio - 2015

3

FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

PALAVRAS DO COMANDANTE

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato Comandante da Aeronáutica

Em busca de uma gestão eficiente

G

erenciar essa grande instituição, com mais de 70 mil militares, é um enorme desafio. Particularmente porque são inúmeras unidades espalhadas por cada canto desse país. Uma gestão que exige sabedoria para estabelecer prioridades e evitar gastos. A conjuntura atual nos coloca diante de um cenário de contenção. Algumas medidas já estão sendo implementadas visando a soluções com melhor custo/benefício. Nenhum setor vital de nossa ati vidade fi m será afetado, mas é preciso aprimorar os nossos processos de gestão para continuarmos a cumprir a missão de modo cada vez mais eficiente. A meu ver, os momentos difíceis nos proporcionam a oportunidade de encontrar meios criativos e originais para administrar nosso trabalho, gerando respostas eficazes não só para problemas imediatos mas, também, para futuros obstáculos.

Nesse particular, conto com o apoio dessa família de azul a fim de compreender e assimilar os motivos das restrições e, principalmente, para juntos, com ideias e por meio de ações, consolidarmos um ambiente adequado a essa nova realidade. A FAB é ampla na sua diversidade de atuação, bem como na atuação de profissionais que podem ajudar a construir um futuro melhor para a instituição. Igualmente, tomo a liberdade para pedir que esta mesma compreensão possa ser estendida para suas vidas cotidianas. Assim como na esfera institucional, devemos zelar, na parte pessoal, para o equilíbrio de nossas finanças. Segundo estatísticas de Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 57,5% das famílias no país possuem dívidas pessoais. Quem vivencia essa situação sabe que os tentáculos da

preocupação se alastram em todas as direções, influenciando no desempenho profissional, nas relações familiares e principalmente na autoestima de quem está endividado. Portanto, tenhamos ânimo para edificarmos, a despeito das dificuldades impostas, um lar institucional saudável, onde possamos nos dedicar ao cumprimento das nossas missões profissionais; e um lar pessoal tranquilo, no qual possamos arcar com todas as nossas obrigações familiares. Em um diálogo, muitas vezes, escutar é melhor que falar. Há vários canais em que sua opinião é bem-vinda. Fale com seu chefe, seu comandante. O email faleconosco@fab.mil.br também está à sua disposição. É hora de colocar toda a atenção nas nossas prioridades. Vivenciamos um momento de escolhas que, se feitas de maneira correta, certamente nos proporcionarão a tranquilidade necessária para cumprirmos a nossa missão.


Maio - 2015

Promoção de Ofical-General

4

BRIGADEIRO MÉDICO EDUARDO SERRA NEGRA CAMERINI Natural de São Paulo (SP). Praça de 1º/03/1986, tendo sido declarado 1º Tenente em 10/12/1986. Principais cargos: Diretor Interino do Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB), Diretor do Hospital de Aeronáutica de Belém (HABE),

Diretor do Instituto de Medicina Aeroespacial (IMAE), Chefe da Divisão Técnica e Diretor do Instituto de Fisiologia Aeroespacial (IFISAL), Supervisor Médico da Segunda Força Aérea (II FAE), Médico e Chefe da Equipe de Resgate do Esquadrão Ga-

vião (1º/11º GAV) e Instrutor do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA). Principais condecorações: Ordem de Mérito Aeronáutico - Grau Oficial; Medalha Militar de Prata; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Mé-

rito Naval Tamandaré; Medalha Acadêmico da Academia Brasileira de Medicina Militar (ABMM); Especialista em Fator Humano pela Universidade do Sul da Califórnia. Cargo designado: Diretor do Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB).

Quadro técnico abre novas perspectivas Veja algumas histórias de oficias que fazem parte da primeira turma do Quadro de Apoio

A

primeira turma do Quadro de Oficiais de Apoio (QOAP) da Força Aérea Brasileira reúne 17 histórias de pessoas determinadas, como a do contador Thiago Filardi Ferreira. Ele era sargento especialista em eletromecânica da FAB, mas, por necessidade de serviço, foi designado para a seção de finanças da unidade onde servia. “Foi a partir daí que começou meu gosto por contabilidade, o que me

incentivou a cursar a faculdade e possibilitou prestar o concurso”, afirma. Criado em 2013, o QOAP abrange diversas especialidades e o posto máximo da carreira é o de coronel. Após vencer as etapas do concurso, o grupo participou de estágio com duração de 17 semanas no Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR), em Belo Horizonte (MG). Dos 17 novos oficiais, dez já eram ou foram militares.

O primeiro concurso, realizado em 2014, atingiu uma média de 200 candidatos por vaga. Cada especialidade tinha poucas ou apenas uma única vaga. É o caso das áreas de psicologia e enfermagem. A Tenente Psicóloga Lívia Farias era oficial temporária da FAB desde 2011. “Abri mão de muitas coisas para estudar. Fechei meu consultório, parei de fazer cursos, deixei de sair com os amigos. Mas eu

tinha certeza que esse era o caminho certo e não me arrependo de nada”, conta a aprovada. A enfermeira Jéssica Bernardes também disputou uma única vaga e conseguiu vencer a temida concorrência “Algumas pessoas chegaram a me dizer que seria impossível eu passar. Mas acredito que não existem barreiras para um coração determinado e com vontade sincera”, celebra.

Aeronaves da FAB transportaram material para auxiliar no combate ao incêndio do Terminal da Alemoa, na Baixada Santista (SP). Um C-105 Amazonas levou 4,5 toneladas de cold fire (usado para resfriamento e extinção do fogo) e um C-130 Hércules transportou 11 toneladas de Líquido Gerador de Espuma (LGE). O apoio também se deu via terrestre. O traslado dos produtos foi realizado por caminhões do Quarto Comando Aéreo Regional (IV COMAR).

FOTO: SD EDUARDO / CIAAR

CARREIRA

FOTO: SD QUEIROZ / BASP

Ajuda


Maio - 2015

5

DIA DAS MÃES

O

que seria de nós sem elas? Nossas mães, que nos geraram e são nosso grande exemplo de vida. Para homenagear todas as mamães militares da FAB, pedimos para que alguns filhos desenhassem ou escrevessem um recadinho nessa data tão importante. O resultado, que você confere agora, é uma homenagem que expressa o mais singelo amor. Mateus, filho da Tenente Adriana (III COMAR)

Tenente Francielza, do COMAR VII, também foi homenageada

Filho da Tenente Patrícia (VII COMAR)

Carta do Natan, filho da Suboficial Cristiane (BAFZ)

Desenho do filho da Tenente Maurícia (DIRENG)

Tenente Haissa, do CINDACTA IV, recebeu um recadinho

BENEFÍCIOS

Licença-maternidade é ampliada para seis meses

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

G

rávida de sete meses, a Sargento Liliane Rodrigues recebeu uma boa notícia durante a gestação do primeiro filho. Agora, tem direito a licença-maternidade remunerada de seis meses. “É muito melhor porque vou ficar com meu filho na época que ele mais exige de mim”, afirma.

A conquista foi comemorada com a Lei 13.109, sancionada em 25 de março de 2015, que regulariza o benefício previsto para militares das Forças Armadas. Para garantir ainda o bem-estar das mães na fase gestacional, também está prevista a mudança de função, caso necessário. Para

isso, a gestante tem que passar pela Junta de Inspeção de Saúde e retornar ao cargo de origem após a licença. Antes, para garantir o direito de licença remunerada de seis meses, era necessário a solicitação e aprovação do Comando da Aeronáutica. O pedido deveria ser feito até 30 dias após o parto.

Adoção - As militares que optarem por adotar um filho também terão direito a um período de afastamento do trabalho de forma remunerada. Caso a criança tenha menos de um ano, a licença é de 90 dias. Para bebês com mais de um ano, o período é de 30 dias, podendo ser prorrogado.


6

Maio - 2015

INTERCÂMBIO

Aeronáutica revitaliza saúde complementar

Médico embarca em missão no maior navio-hospital do mundo

E

poderá montar sua própria rede de empresas credenciadas, negociar valores e autorizar procedimentos. “A gente vislumbra um ganho na qualidade do serviço”, diz a Tenente-Coronel Ana Paola Brasil Medeiros. Segundo a militar, do Comando-Geral de Pessoal, a rede credenciada irá receber os valores mais rapidamente, o que significará benefícios para os usuários. “Haverá uma oferta maior de prestadores, várias clínicas e laboratórios”, explica.

FOTO: SGT CLEMENTE / BAAN

xames mais rápidos e mais opções de clínicas e laboratórios para o atendimento dos usuários do sistema de saúde da Aeronáutica. São esses os principais resultados esperados com o novo Sistema de Saúde Complementar (SISAUC). Agora, o credenciamento das empresas prestadoras de serviço acontece de forma descentralizada, em 22 unidades regionais do Fundo de Saúde da Aeronáutica (FUNSA). A principal diferença é que cada unidade regional

A unidade pioneira do FUNSA regional passou a atuar em agosto de 2014, no Hospital de Aeronáutica de Canoas (HACO). Hoje, os 22 editais regionais foram abertos e há locais onde o novo SISAUC está em ação. Um dos exemplos é a Base Aérea de Anápolis (BAAN). Até 31 de março, 19 prestadores de serviços já haviam sido cadastrados regionalmente e 461 atendimentos foram realizados. Segundo a Tenente Dentista Priscila Luciana de Souza Morais, da BAAN, “o mais complicado foi estruturar o sistema, visto que tudo é novidade para nós, mas conhecer melhor o prestador, ter contato direto, é muito vantajoso”. Para implantar o novo sistema, o COMGEP alocou as 22 unidades com militares das áreas de enfermagem, administração, contabilidade e serviços jurídicos. A presença desses profissionais irá permitir ainda a realização local das auditorias.

FOTO: DIVULGAÇÃO

SAÚDE

O Tenente Cesar Wagner Montenegro Cima, da Força Aérea Brasileira, está a bordo do USNS Comfort, da Marinha dos Estados Unidos, o maior navio-hospital do mundo. A embarcação partiu da Base Naval de Norfolk, no estado norte-americano da Virgínia, para a missão de assistência humanitária de 182 dias em 11 países da América Central. “É uma oportunidade de ampliarmos o conhecimento, trocar experiências, ver como funciona a logística de atendimento neste que é o maior navio-hospital do mundo para pronta

resposta a desastres e missões humanitárias”, afirma o Tenente Cima. Ortopedista especializado em traumatologia esportiva, ele é do efetivo da Base Aérea de Fortaleza (BAFZ) e já participou de missões como a Operação Ágata. Realizada pelo Comando Sul dos Estados Unidos, a missão Continuing Promise, terá a participação do USNS Comfort pela quarta vez. Até setembro, a missão prestará assistência médica e dentária, medicina preventiva, realização de cirurgias e consultas veterinárias.

FAUNA

A

o todo, 25 papagaios e três jabutis foram transportados pelo Esquadrão Guará (6º ETA) de Canoas (RS) para o Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV), na Serra do Cachimbo, sul do Pará. A missão, que aconteceu no mês de março, teve como objetivo devolver os animais à vida silvestre. Vítimas de tráfico, os animais estavam no Centro de Triagem de Animais Silvestres do Rio Grande do Sul, do IBAMA. “O transporte pela FAB

é menos traumático para os bichos e a sobrevida é muito maior. Se a viagem fosse feita de carro, demoraria dois ou três dias e alguns poderiam morrer. Já no voo comercial, é mais difícil a gente conseguir transportar tantos assim de uma vez”, ressaltou a médica veterinária e analista ambiental do IBAMA, Denise Englert. A FAB, em parceria com o IBAMA, já realizou o transporte de diversos animais, como onças, tamanduás, araras e macacos para várias localidades do país.

FOTO: CPBV

VOO DE ANIMAIS SILVESTRES


Maio - 2015

7

INFRAESTRUTURA

Novo hangar de Eirunepé poderá receber aeronaves de grande porte Instalações ficam em área estratégica e oferecem apoio logístico para operações na região amazônica

“P

VENEZUELA

COLÔMBIA

BRASIL AMAZONAS BOLÍVIA

0 km

1.16

EIRUNEPÉ

ACRE

aeronaves de grande porte como o C-130 Hércules, a maior em operação na FAB, e futuramente o KC-390. O destacamento é autossuficiente em água potável, proveniente de um poço artesiano. Um farol rotativo também fornece condições aos pilotos para efetuar pouso noturno. A edificação, ainda, abriga salas de manutenção e estoque, alojamentos e refeitórios. “Teremos a capacidade para alojar até 140 militares em manobras operacionais”, explica o Capitão João Vicente Bacellar da Silva, comandante do destacamento. RORAIMA Pautado na Estratégia Nacional de Defesa, o Destacamento de Aeronáutica de Eirunepé proporcionará MANAUS à Força Aérea Brasileira melhor integração com as comunidades da região, uma vez que aeronaves e militares terão a oportunidade de promover ações

EIRUNEPÉ

FOTOS: SGT ELCIO / COMAR VII

oderemos prestar apoio e atendimento melhor para as tripulações em trânsito e para a população, que gosta muito do trabalho da FAB na região”. É assim que o Cabo Kall Anderson de Oliveira Moura, há quatro anos e meio servindo na Força Aérea, visualiza seu trabalho com as novas instalações do Destacamento de Aeronáutica de Eirunepé, situado na Região do Alto Juruá, distante 1.160 km de Manaus, capital do Amazonas. Com 3.500 metros quadrados de área construída, o hangar será capaz de atender

Pista próxima ao hangar vai receber aeronaves de grande porte, como o C-130 Hércules

sociais e humanitárias, além das missões em apoio a órgãos governamentais. “A Força Aérea, há muito tempo, tem esse planejamento de distribuir bases em

posições estratégicas na Amazônia. Esta aqui de Eirunepé é uma base que já está completa para receber unidades aéreas desdobradas com toda a infraestrutura necessária”, explicou

o Tenente-Brigadeiro Rossato, Comandante da Aeronáutica. As obras foram fiscalizadas pela Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA).

FOTO: SGT CARLEILSON / COMAR VII

Ação Cívico-Social realiza mais de mil atendimentos no interior do Amazonas A 1.160 km da capital do Amazonas e próxima à fronteira com a Colômbia, Eirunepé tem cerca de 30 mil habitantes e quatro médicos, sendo um ortopedista. “Não temos médicos especialistas na cidade e o deslocamento para Manaus é muito difícil. Levamos dez dias na época da cheia e um mês no período da seca”, disse a dona de casa Maria Nilza Soares Cordeiro.

Durante quatro dias, profissionais de saúde do Sétimo Comando Aéreo Regional (VII COMAR) e do Hospital de Aeronáutica de Manaus (HAMN) realizaram 1.058 atendimentos médicos e odontológicos em Ação Cívico-Social (ACISO). Além da clínica médica e de odontologia, havia especialistas nas áreas de dermatologia, ginecologia, otorrinolaringologia e pediatria.

Foram realizadas 152 ultrassonografias e 12 procedimentos cirúrgicos de pequeno porte. Coordenada pelo Sétimo Serviço Regional de Saúde (SERSA-7), a logística envolveu o transporte de meia tonelada de medicamentos e de dois kits de atendimento odontológico portátil, realizado pelo C-105 Amazonas do Esquadrão Arara (1°/9° GAV).


8

Maio - 2015

OPERACIONAL

O

faro de Hanna, cachorra da raça pastor belga malinois, ajudou na detecção de 16 kg de maconha escondida em apenas uma embarcação, em Manaus (AM). O olfato do animal, até 50 vezes mais apurado do que de um homem, torna o trabalho de localização de drogas e pessoas muito mais rápido e eficiente. O papel do animal junto ao militar se tornou fundamental e, por isso, a Força Aérea Brasileira já possui vários canis espalhados pelo país. Na Base Aérea de Santa Maria (BASM), a border collie Cacau ajuda, junto com outros nove cães da mesma raça, no controle aviário do aeródromo, impedindo que quero-queros, a principal espécie de ave envolvida na colisão

com aeronaves no sul do país, façam seus ninhos por ali. Por todo o Brasil, unidades da FAB mantêm cães para missões de guarda e segurança, faro de drogas, munições e explosivos; e até para patrulha da área de pousos e decolagens como ocorre em Santa Maria. (Veja mapa com alguns canis na página 9). Cães farejadores têm sido usados na segurança de grandes eventos no Brasil. Durante os Jogos Pan-Americanos, em 2008, e a Copa do Mundo 2014, vários canis enviaram reforços para identificar entorpecentes e armamentos em aeroportos civis e militares. O combate ao tráfico de drogas é atividade diária desses animais, principalmente

em regiões de fronteira da Amazônia, farejando bagagens e aeronaves. O Tenente Veterinário do VI COMAR, em Brasília(DF), Paulo Lima Borges conta que nas duas últimas turmas de recrutamento para o serviço militar obrigatório, cães da raça pastor belga malinois identificaram um traficante – que portava nove papelotes de maconha – e um usuário, evitando o ingresso deles na FAB. Em muitas organizações militares, os cães também participam da segurança das equipes de serviço e das instalações. Em alguns postos, eles guarnecem sozinhos. Em Belém, os cães são responsáveis pela guarda de dois radares e se revezam em turnos de 12 horas.

FOTO: SGT REZENDE / CECOMSAER

Cães auxiliam em missões

Treinamento dos cães começa logo após o nascimento O Tenente Veterinário Paulo Lima Borges, do canil do VI COMAR, explica que os cães são treinados desde filhotes, observando a raça e as aptidões que demonstram. Existem três importantes fases de treinamento do cão militar: a estimulação precoce, que inicia 24h horas após o nascimento do filhote; o in print, em que são instigados a conhecer novos ambientes, e a potenciação, que inicia quando os cães já estão com a musculatura mais firme e a dentição de leite já foi substituída. “Com os conhecimentos que temos hoje,

podemos modelar o cão para qualquer função que desejarmos, desde que as três primeiras fases tenham sido bem executadas”, explica o Tenente Lima Borges. Para o treino de faro, por exemplo, que é uma das principais funções do cão na Aeronáutica, é associado algum tipo de brincadeira à identificação de odores. “O treinamento consiste em apresentarmos, gradualmente, diferentes cheiros para o cão, que é sempre recompensado quando identifica a substância correta”, diz o Tenente Jatobá do I COMAR.


Maio - 2015

9

Canis pelo Brasil O canil da Base Aérea de Boa Vista foi batizado de Arimaraaka, que significa cão na língua indígena da região.

Em 2014, o pastor alemão Bradock capturou um indivíduo que tentava entrar escondido no I COMAR.

BOA VISTA BELÉM MANAUS

NATAL

Cães da Base Aérea de Natal (BANT) reforçaram a segurança das instalações e de aeronaves durante a Operação Cruzex.

BRASÍLIA

Cães do VII COMAR foram usados para farejar explosivos no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, durante a Copa.

FLORIA

No CIAAR, os 15 cães interagem com a comunidade nas apresentações em pistas de agility.

NÓPOLI

S

SANTA MARIA

“A utilização de cães na tropa de infantaria aumenta consideravelmente o poder de combate da tropa”, explica o Sargento Alan Victor Souza, encarregado do canil da AFA.

Cães ajudam em ações de busca na mata e apoiam em rondas e patrulhas, em Florianópolis.

Eles também vão para a reserva çamento de Alcântara (CLA). “Quando ele foi aposentado, o pessoal do canil me ligou e eu prontamente fui buscá-lo. A afinidade é muito grande”, afirma o Sargento Ronald.

FOTO: VI COMAR

Treinamento aprimora as técnicas de identificação de drogas

FOTO: CB FEITOSA / CECOMSAER

Após oito ou nove anos de trabalho, em média, os cães policiais, como são chamados, precisam ser aposentados. Seguindo a doutrina de outras Forças e polícias pelo mundo, a prioridade da adoção é dada ao adestrador. “É importante respeitarmos o apego emocional e também o fato de que o militar estará mais preparado para cuidar do animal”, explica o Sargento Josué Peruci, do canil da Base Aérea de Florianópolis. É o que aconteceu com Colt, pastor belga malinois. O cão foi para a reserva em 2013, aos cuidados do Sargento Ronald Leite de Souza, que foi seu adestrador e, agora, trabalha no Centro de Lan-

Cachorros farejam aeroportos durante a Copa do Mundo

Tenente Francieli, veterinária da Base Aérea de Santa Maria

FOTO: ASP DANIELA / V COMAR

A Base Aérea de Santa Maria (BASM) utiliza border collies para controle aviário do aeródromo.

PIRASSUNUNGA

FOTO: CB FEITOSA / CECOMSAER

O BINFAE-BR oferece cursos de detecção de entorpecentes, armas e munições a cães e condutores.

BELO HORIZONTE


10

Maio - 2015

COMPORTAMENTO

Novas regras para postagem nas mídias sociais

S

eja no Twiiter, Instagram ou Facebook, postar uma foto ou mensagem exige prudência do militar. Por isso, no dia 6 de abril de 2015, foi publicado o Boletim Periódico (BOLIMPE) nº 01/15, pelo Comando da Aeronáutica, com as orientações sobre o uso das redes sociais. Com a quantidade de informação circulando pela

internet é fundamental se atentar para postagens mal intencionadas que podem prejudicar a imagem da Força Aérea Brasileira, seja por meio de boatos, divulgação de dados sigilosos ou de algo que não convém ser divulgado no meio online. Lembre-se, você representa a FAB, onde estiver. Bom senso é o melhor caminho. Sempre!

Postar foto fardado está previsto. Desde que o militar não infrinja o RUMAER, e cumpra as regras de educação e boa convivência:

Confira as boas práticas divulgadas no documento, resumidamente: • Atente-se para os princípios de hierarquia e disciplina também no meio online; • Não se envolva em postagens polêmicas; • Cuidado com a divulgação de imagens no ambiente de trabalho; • Não compartilhe conteúdos que comprometam a imagem da Aeronáutica; • Comunique ao CECOMSAER quando vir uma postagem prejudicial; • Não poste conteúdo sigiloso sobre aeronaves e instalações; • Não publicar fotos fardado(a) em situações inadequadas; • Evite publicar assuntos pessoais negativos de outros; • Lembre-se: fardado ou não você representa a instituição; • Fale “sobre a FAB” e não “pela FAB”. Foto com armamento? Não está previsto!

Militar fardado com bebida alcoólica? Não está previsto!

Foto de militares fardados em festa com uniforme no padrão? Previsto! Comemorar no twitter com bom senso e cordialidade? Está previsto!

Falar mal do serviço nas redes sociais? Não está previsto!


Maio - 2015

11

EDUCAÇÃO

Colégio mantido pela FAB supera metas do IDEB

Hospital de Campanha FOTO: SD EDUARDO / VII COMAR

Newton Braga celebra 55 anos

FOTO: ARQUIVO

FOTOS: SGT CARLEILSON / COMAR VII

Escola em Manaus é destaque em gestão educacional

Alunos da escola participam do Projeto Passaporte do Conhecimento

C

om 21 anos de história recém completados, a Escola Estadual Brigadeiro João Camarão Telles Ribeiro, localizada em Manaus (AM), é destaque na região norte. Conveniada à FAB, por meio do Sétimo Comando Aéreo Regional (VII COMAR), a instituição é mantida pela Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (SEDUC). O colégio acumula diferentes prêmios nas áreas de cultura, esporte, ensino e educação. A escola cumpre as atividades regulares e completa seu trabalho com iniciativas extracurriculares. Atualmente, cinco projetos são oferecidos. Um deles é o Horta Escolar, que tem o objetivo de desenvolver práticas de cultivo de hortaliças com os alunos, conscientizando-os para o correto hábito alimentar e uma vida saudável. Outras opções para os estudantes são os projetos

Passaporte do Conhecimento e UTI do Livro Didático. O primeiro busca desenvolver o gosto pela leitura e pela escrita, o outro visa criar responsabilidade e solidariedade entre os alunos, através de cuidados na conservação dos livros. Já o projeto Musicalizando tem como objetivo desenvolver a educação musical, do canto coral ao estudo de instrumentos musicais. O resultado desses trabalhos pode ser visto na quantidade de premiações conquistadas pela escola. Desde 2008, o colégio é vencedor do Prêmio Escola de Valor, promovido pelo Governo do Estado do Amazonas. A escola também foi reconhecida pelos prêmios Gestão Exemplar e Educacional Aluno Nota 10. No cenário nacional, o colégio conquistou a Olimpíada Brasileira de Matemática e, por duas vezes, o Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar. Para o Suboficial Marcos Antônio Alvim, diretor da escola, o incentivo aos alunos é o que faz a diferença. “Apoiar a participação dos alunos nas atividades é a trajetória para o sucesso”, disse.

Fachada do colégio inaugurado na década de 60, quando já era referência de qualidade de ensino no Rio de Janeiro

O

C o l é g i o B r i ga d e i ro Newton Braga (CBNB), na cidade do Rio de Janeiro, superou as metas estabelecidas para o país no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). Em pesquisa realizada em setembro de 2014, o ensino fundamental – da 1ª à 5ª série – obteve média 7,0 enquanto a do Brasil foi 5,2. Entre os colégios federais do Rio de Janeiro, o CBNB conquistou o 2º lugar regional. A boa notícia foi comemorada em abril, quando a unidade completou 55 anos. Hoje o colégio conta com 135 professores e cerca de 1.400 alunos. Rogério Gastz de Vasconcelos fez parte desta história, como aluno e professor. “Fiz muitas feiras de ciências com os alunos e muitas atividades fora da minha área, para in-

centivar o conhecimento e o aprendizado, buscando sempre a melhoria para alunos e colégio”, afirmou. Ele também foi aluno do colégio, de 1967 a 1972. Cursou, na UFRJ, a faculdade de Química e antes de se formar, voltou para o colégio como estagiário. Um ano depois foi contratado, permanecendo no CBNB por 33 anos. “Foi no CBNB que conquistei todo o meu conhecimento como professor, ensinei alunos e aprendi com eles também. Fiz amigos e sou muito grato ao Colégio Brigadeiro Newton Braga”, contou. Atualmente, o CBNB recebe apoio pedagógico e técnico do Departamento de Ensino da Aeronáutica (DEPENS) e é administrado pelo Terceiro Comando Aéreo Regional (III COMAR).

Profissionais de saúde, sendo 43 médicos, 23 dentistas e oito farmacêuticos, trabalharam no Hospital de Campanha (HCAMP), montado em parceria com a Prefeitura Municipal de Lagoa Santa (MG). Cerca de sete mil pessoas receberam assistência médica e odontológica. O HCAMP é, desde 2008, instalado anualmente na região da Grande Belo Horizonte para o treinamento operacional de médicos, dentistas e farmacêuticos, que realizam a adaptação militar no CIAAR, após terem sido aprovados em concurso público para ingresso na FAB.

Tablets na AFA Os 221 cadetes do primeiro ano da Academia da Força Aérea (AFA) receberam tablets para auxiliar nos estudos. A ferramenta permite acesso a livros digitais, lista de exercícios, laboratórios virtuais, além de aplicativos indicados pelos próprios professores. “Não precisaremos carregar vários livros, o acesso ao material será mais rápido, acredito que isto influenciará positivamente em nosso rendimento”, diz o Cadete Caio Felipe Mendonça Leitão.


12

Maio - 2015

GESTÃO Sites da FAB facilitam a vida dos tripulantes militares e civis Novas tecnologias a serviço do aeronavegante

M

ilitares da área de tecnologia da informação da Força Aérea Brasileira criaram sistemas que auxiliam o aeronavegante a planejar seu voo. As ferramentas, como sites e aplicativos para celular, possibilitam ao tripulante militar ou civil ter acesso a diversos dados: de informações meteorológicas até o envio do plano de voo via internet. O Redemet - Rede de Meteorologia é uma delas. Criado por um grupo de militares de Tecnologia da Informação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o site fornece informações meteorológicas, a qualquer momento, de maneira eficiente e segura. Agora atualizado, o site traz

novos recursos gráficos, entre eles o georreferenciamento, que facilita a localização dos produtos em mapas meteorológicos para a identificação de fenômenos que influenciam as atividades de navegação aérea. “As atualizações acontecem em tempo real: imagens, mensagens para o usuário, figuras, cartas”, explicou o Major Carlos Roberto Henriques, da seção de Coordenação e Controle de Meteorologia Aeronáutica do DECEA. O sistema já registrou mais de 17 mil acessos diários. “Dentro da Aeronáutica, todos os órgãos do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB) dependem do Redemet, que é um difusor de

informações meteorológicas”, esclarece o Tenente Jimmy Nogueira de Castro, um dos desenvolvedores do sistema. Segundo o militar, existe uma versão mobile, com informações mais básicas. A Sala AIS Web é outro exemplo. A ferramenta permite ao piloto ter, virtualmente, todos os serviços de informações aeronáuticas atualizados, como os avisos para os aeronavegantes (NOTAM) e as Cartas Aeronáuticas. “O tripulante pode realizar todos os serviços da mesma maneira que faria

na sala AIS dos aeroportos, inclusive entregar seu plano de voo sem precisar se deslocar até lá,” garante o Tenente Cláudius Sany Soares Cardoso, chefe do Centro do Plano de Voo Apresentado do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA). Prevenção de Acidentes Informações relacionadas à prevenção e investigação de acidentes aeronáuticos também estão disponíveis pelo celular, por meio do aplicativo desenvolvido pelo CENIPA. O tripulante pode, além de con-

SERVIÇO

SEGURANÇA DE VOO

Brasil tem menos acidentes aeronáuticos Pelo segundo ano consecutivo, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) registrou queda no número de acidentes aeronáuticos no Brasil envolvendo aeronaves de matrícula nacional. Em 2014, aconteceram 147 acidentes, contra 164 em 2013, e 183 em 2012. O CENIPA contribui nesse trabalho de prevenção de acidentes, com a participação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e outros órgãos do Estado Brasileiro que tem como responsabilidade a segurança da aviação. O número de mortes também diminuiu: em 2014,

morreram 70 pessoas vítimas de acidentes aeronáuticos. Já em 2013, houve 74 mortos e, em 2012, 86. A maioria dos acidentes envolve aeronaves da aviação geral (agrícola, de instrução, privada, etc). Na aviação regular (transporte de passageiros), houve somente três acidentes em 2014, o que coloca o Brasil em posição de destaque na segurança do transporte aéreo da categoria. Os principais fatores que contribuem para os acidentes aeronáuticos estão relacionados ao homem. Dentre o rol de fatores contribuintes (expresso no Manual do Comando da Aeronáutica 3-6), predominam nas

sultar informações, comunicar ao Centro toda e qualquer situação de perigo envolvendo raio laser, balão de ar quente não tripulado, fauna, pipas e outros casos, preenchendo as fichas online. Os cursos de prevenção de acidentes aeronáuticos e suas datas de inscrição também estão disponibilizados nessa ferramenta. Segundo o Tenente Analista de Sistemas do Cenipa, Danilo de Sousa, já foram realizados cerca de 3 mil downloads do aplicativo, inclusive por usuários de outros países.

ocorrências o julgamento de pilotagem, a supervisão gerencial e o planejamento, aspectos que dependem da tomada de decisão. Todas as investigações do CENIPA são conduzidas simultaneamente por cerca de 50 investigadores da Força Aérea Brasileira. No ano passado, o órgão investigador concluiu 236 investigações. Os Relatórios Finais são publicados na internet (www.cenipa.aer.mil.br).

Identificar os fatores que contribuíram para os desastres aéreos permite o aprendizado e provoca a emissão de Recomendações de Segurança para concretizar a prevenção. A meta é “zero acidente”. Isso é o que motiva os profissionais do CENIPA, responsável por prevenir ocorrências na aviação brasileira, civil e militar. (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

ACIDENTES FATAIS

ANO

ACIDENTES

2012

183

40

86

2013

164

30

74

2014

147

31

70

Fonte: CENIPA/2015

NÚMERO DE MORTOS

Como relatar tentativas de invasão cibernética Todos os usuários de serviços digitais da Aeronáutica podem reportar qualquer tipo de incidente de segurança da informação. Os avisos podem ser feitos ao Centro de Tratamento de Incidentes de Redes da Força Aérea Brasileira no site www.ctir.intraer. A ferramenta dá acesso a um formulário onde as informações registradas são analisadas e verificadas. O usuário também pode enviar informações pelo email abuse@ctir.intraer. “Qualquer sinal de alteração numa página deve ser relatado”, alerta o Chefe do Centro de Computação da Aeronáutica de Brasília (CCA-BR), Coronel César Faria Guimarães.


Maio - 2015

13

SUSTENTABILIDADE

Descubra como o Parque de Material de Eletrônica do RJ ajuda o meio ambiente uatorze mil quilos. Este foi o total de resíduos industriais processados e destinados corretamente pelo Parque de Material de Eletrônica do Rio de Janeiro (PAME-RJ) entre os anos de 2011 e 2014. A lista abrange fios, material gráfico e equipamentos de proteção individual, além de 500 litros de óleo solúvel que, se descartados de maneira incorreta, prejudicariam de forma permanente o meio ambiente. “Os resíduos produzidos pelo PAME-RJ são descartados visando ao tratamento e à descontaminação. Só depois são transferidos para um aterro sanitário”, revela o Engenheiro Ambiental Daniel Cruz. Especialistas afirmam que o resíduo industrial é um dos maiores responsáveis pelas agressões fatais ao ambiente e que cerca de 10 a 20% dos resíduos industriais podem ser perigosos ao homem e ao ecossistema. Por isso, o primeiro passo é identificar o tipo de lixo a ser descartado, separado em três categorias: perigoso, não-inerte e inerte. A partir daí, é feita a escolha

pelo tratamento adequado, com o objetivo de evitar, principalmente, a contaminação do solo e de bacias hídricas. Por isso, o PAME-RJ já desenvolve um Plano de Gestão Ambiental. Como unidade da Força Aérea Brasileira que realiza, entre outras funções, o suprimento e a manutenção de equipamentos de controle do espaço aéreo e a impressão e a distribuição de publicações

aeronáuticas, ela produz diversos resíduos. Estes, muitas vezes, com carga radioativa contida em radares. Para o Engenheiro Daniel Cruz, possuir uma gestão sustentável é a obrigação de qualquer organização da administração pública. “Como órgão público devemos dar o exemplo”, comenta o profissional responsável por outras nove ações sustentáveis no PAME-RJ.

Uma delas é a logística reversa, procedimento no qual uma empresa ou organização devolve resíduos sólidos ao fabricante para reaproveitamento do produto. O PAME-RJ realiza, desde 2013, esse processo com tonéis, pilhas e baterias. A iniciativa evita o desperdício, contribui com a proteção do meio ambiente e proporciona economia de recursos. Só em 2014, foram retornadas 200 FOTOS: ARI BARBOSA / PAME

Q

O plantio de árvores faz parte do Plano de Gestão Ambiental

Base de Florianópolis adota o programa de coleta de óleo A unidade implantou o programa ReÓleo, que incentiva o descarte do óleo de cozinha. Cinco pontos de coleta estão disponíveis dentro da unidade. Cada um tem capacidade para coletar 50 litros de óleo. Além dos cerca de 600 militares da unidade, a campanha foi estendida para a Escola Estadual Tenente Almachio. O objetivo é contribuir para a preservação dos recursos hídricos e dos ecossistemas, promover educação ambiental, além de reduzir a quantidade de gordura no sistema de coleta e tratamento de esgoto, melhorando sua eficiência.

O que fazer com o óleo:

Após a fritura dos alimentos, espere o óleo esfriar totalmente Despeje o óleo usado em uma garrafa de plástico limpa, com o auxílio de um funil Após armazená-lo, leve a um posto de coleta mais próximo com a tampa bem fechada

unidades de tonéis e 160 baterias. Já para 2015, há cerca de 500 baterias que serão devolvidas às empresas. Dessa forma, o PAME-RJ cumpre o seu papel de devolver os resíduos sólidos para as empresas de origem, evitando que eles possam poluir solo, rios, mares e florestas. Permite também a economia nos processos produtivos das empresas e cria um sistema de responsabilidade compartilhada.


14

Maio - 2015

SEU DINHEIRO

Como organizar o orçamento doméstico e sair do vermelho? Junior, chefe da Seção de Arrecadação do Fundo Aeronáutico, da Secretaria de Economia e Finanças (SEFA). Para ajudar nesse trabalho de reorganização do orçamento, a equipe do NOTAER conversou com o oficial, que é mestre em Economia Monetária, Bancária e Financeira e possui MBA em Administração Financeira e Mercado de Capitais pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Para o Major Junior, seguir esses passos exige comprometimento do militar e, acima de tudo, planejamento para conquistar a tão almejada saúde financeira. “São atitudes que, no momento, não agradam. Mas que para sair do vermelho são necessárias”, pontua.

Veja a seguir dicas para equilibrar o orçamento: É preciso estar ciente que está endividado. Diagnosticar que as despesas estão fora do controle e não é mais possível quitar todas as dívidas com o salário mensal; Faça uma planilha de gastos. Nesta hora é preciso ser criterioso. Anote todas as despesas fixas (contas de energia, água, aluguel, mensalidade da escola dos filhos, faculdade, prestação de carro, IPTU), contas de supermercado e parcelamento das dívidas. Para ajudar neste trabalho, utilize site e aplicativos de celular que auxiliam nesse gerenciamento dos gastos; Depois de fazer um raio-x de quanto é a sua receita e

GESTÃO

Comando da Aeronáutica estabelece novas regras para datas comemorativas

despesa, é hora de reorganizar. Cortar gastos: economize energia, tempo do banho de seus filhos, troque o plano do celular e a TV por assinatura. Reduza as saídas e/ou substituía por lugares mais em conta; Negocie as dívidas. A orientação é que até 30% do seu orçamento esteja reservado para empréstimos, parcelas e financiamentos; Juros de cheque especial e cartão de crédito são os grandes vilões do endividamento. Nesta hora é preciso ser prudente. Substitua estes juros exorbitantes por empréstimos mais em conta; Ao invés de parcelar as compras, se planeje para comprar à vista. Guarde o

dinheiro que gastaria nas parcelas e aumente o seu poder de compra. Um bom desconto pode lhe garantir economia; Economize. Sempre. Desde a compra de supermercado ao financiamento do carro. Poupe dinheiro. À medida que você consegue controlar essas dívidas e ficar no azul, é hora de conter. Reserve parte do seu salário para emergências e aplique em fundos de investimento. Banco Central oferece aplicativo gratuito para controle de finanças

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

D

isciplina. Esta é uma das palavras de ordem na carreira militar e, também, pode servir quando o assunto é saúde financeira. O salário comprometido com empréstimo consignado, dívidas e outras contas exige controle. Planejar e cumprir metas podem ser os primeiros passos para sair do vermelho. Segundo uma Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), 57,5% das famílias brasileiras informaram estar endividadas. O número preocupa e exige atitudes imediatas para quem está no vermelho. “O ideal é ter disciplina para economizar sempre”, afirma o Major Nodgi Goyana Gomes

Normatização consta na Portaria Nº 311/GC3, de 17 de março de 2015

N

ovas regras para comemorações, aniversários, solenidades e demais eventos realizados pelas Organizações Militares foram definidas pelo Comando da Aeronáutica. As novidades constam na Portaria N° 311/GC3, de 17 de março de 2015, e foram publicadas no Boletim do Comando da Aeronáutica do dia 20 de março. Agora aniversários de unidades deverão ser comemorados apenas internamente, sem realização de eventos que exijam aplicação de recursos públicos.

Atos ou serviços internos envolvendo apenas organizações do Comando da Aeronáutica, como visitas e inspeções à unidades, não deverão envolver trocas de brindes ou presentes. Foi estabelecido ainda que recursos públicos só poderão ser usados para outras comemorações mediante autorização. Essas restrições, contudo, não se aplicam à elaboração ou aquisição de material para seminários, simpósios, reuniões de trabalho ou atividades semelhantes.

Veja as datas comemorativas definidas pelo COMAER:

Calendário de datas comemorativas do COMAER Janeiro

20 - Aniversário de criação do Ministério da Aeronáutica

Fevereiro 03 - Dia da Aviação de Asas Rotativas Março

25 - Dia do Especialista de Aeronáutica

Abril

22 - Dia da Aviação de Caça

Maio

22 - Dia da Aviação de Patrulha

Junho

12 - Dia do Correio Aéreo Nacional 12 - Dia da Aviação de Transporte 26 - Dia da Aviação de Busca e Salvamento

Julho

20 - Dia do Nascimento de Alberto Santos-Dumont

Agosto

23 - Dia da Intendência

Setembro

20 - Data do Nascimento do Marechaldo-Ar Eduardo Gomes

Outubro

23 - Dia do Aviador 23 - Dia da Força Aérea Brasileira 28 - Dia da Engenharia da Aeronáutica

Novembro

Não há data comemorativa

Dezembro

02 - Dia do Serviço de Saúde da Aeronáutica 11 - Dia da Infantaria da Aeronáutica


Maio - 2015

ENTRETENIMENTO

Caça palavras

A Força Aérea Brasileira possui dezenove Bases Aéreas espalhadas em todo o país. Descubra os locais onde elas se encontram:

Resposta da Edição de março de 2015

1. AFONSOS/ 2. ANÁPOLIS / 3. BELÉM / 4. BOA VISTA / 5. BRASÍLIA / 6. CAMPO GRANDE / 7. CANOAS / 8. FLORIANÓPOLIS / 9. FORTALEZA / 10. GALEÃO / 11. MANAUS / 12. NATAL / 13. PORTO VELHO / 14. RECIFE / 15. SALVADOR / 16. SANTA CRUZ / 17. SANTA MARIA / 18. SANTOS / 19. SÃO PAULO

Jogo dos seis erros

15


Em 2014, a Força Aérea Brasileira finalizou o recebimento das 12 unidades P-3AM, destinadas à missão de patrulha marítima e que devolveram à FAB a capacidade de atuar na guerra antissubmarina. Com radar de longo alcance, sistemas eletro-óticos e receptores de sinais eletrônicos, além da capacidade para voos com duração de até 16 horas, a aeronave também é empregada em missões de busca. Foi a bordo de um P-3 que um barco à deriva, de apenas seis metros de comprimento, pôde ser localizado a mais de 800 km da costa brasileira, no meio do Atlântico, no início deste ano.

CONSTRUINDO

O FUTURO

Projetos Estratégicos da FAB

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

NOTAER - Maio de 2015  
NOTAER - Maio de 2015  

O melhor amigo da FAB!

Advertisement