Page 1

PÔSTER NA CONTRACAPA PÔSTER NA CONTRACAPA Conheça osXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX avanços que o projeto Link BR2 vai oferecer à aviação militar.

Ano XXXVIII

Nº 08

Agosto, 2015

ISSN 1518-8558

FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

www.fab.mil.br

ELA VOLTOU!

Esquadrilha da Fumaça retoma agenda e volta a encantar o público. Saiba como foram os dois anos de implantação operacional e logística para voltar a fazer acrobacias no céu com uma nova aeronave: o A-29 Super Tucano. (Págs. 08 e 09)

SOMOS TODOS SOLDADOS

OPERACIONAL

SEU DINHEIRO

Como o serviço à Pátria oferece oportunidades aos jovens. (Pág. 05)

Esquadrão Poti retoma treinamento de navegação entre obstáculos e de combate aéreo. (Pág. 06)

De devedor à proprietário de imóveis. O exemplo de quem adotou a disciplina e o rigor com as contas. (Pág. 13)


Agosto - 2015

CARTA AO LEITOR

Retomada e oportunidades Esta edição do Notaer está pontuada por reportagens cujos assuntos são dignos de comemoração. O primeiro deles, sem dúvidas, é o retorno da Esquadrilha da Fumaça. Depois de mais de dois anos em treinamento para a implantação da aeronave A-29 Super Tucano, a Fumaça voltou a encantar o público com suas manobras arrojadas pelos céus do Brasil. Já há inclusive uma agenda de demonstrações. No próximo dia 23, a Esquadrilha se apresenta nos Portões Abertos da Academia da Força Aérea (AFA). No mesmo dia 23, celebramos o Dia da Intendência. Nesta edição, duas reportagens destacam o trabalho efetuado na área contábil e operacional.

Não poderíamos deixar também de exaltar o Dia do Soldado, celebrado em 25 de agosto, tema de uma de nossas reportagens. A FAB conta hoje com cerca de 24 mil soldados. Além de proporcionar a esses jovens a oportunidade de uma carreira militar, a Força Aérea também se preocupa com o futuro deles após o término do serviço ativo. Por isso, vários projetos, como o Pronatec, em parceria com outros órgãos do governo federal, são desenvolvidos para qualificá-los e oferecer mais condições para regressarem ao mercado de trabalho. Outro assunto digno de comemoração é a consolidação da FAB TV. Em três anos de atividades, conseguimos atingir a marca de mais de 7 milhões

Quer ver sua unidade no NOTAER?

FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

2

Tem um comentário, sugestão de reportagem ou crítica?

Aguardamos seu email redacao@fab.mil.br

Comandante da Marinha conhece os produtos do CECOMSAER

de visualizações. Mas não paramos por aí. Os programas foram reformulados e trazem novidades, como a mudança de cenários. Faço aqui o convite para que as organizações militares acessem a FAB TV, utilizem esse material e divulguem, pois é o trabalho de cada um de nós que está retratado nas reportagens. Também queremos incentivar o estudo. O ITA está com inscrições abertas para o vestibular 2016. É um instituto de excelência e fundamental para

o futuro do País. Os projetos de estudantes e professores descritos aqui podem inspirar jovens a optar pela engenharia. Além desses assuntos, preparamos matérias sobre educação financeira, a história de superação do militar que vai atravessar o Canal da Mancha e o exercício binacional entre Brasil e Colômbia. Boa leitura! Brig Ar Pedro Luís Farcic Chefe do CECOMSAER

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

Não caia na promessa do dinheiro fácil O golpe conhecido como “pirâmide financeira” não saiu da pauta e continua sendo aplicado Brasil afora com variações que vinculam a participação no sistema de consumo de algum tipo de serviço ou material, ou ainda, sob a forma de uma fidelização, semelhante àquelas empregadas em programas ou clubes. Mas o que é

uma pirâmide financeira? É um esquema em que o indivíduo faz um único pagamento e recebe a promessa de que, de alguma forma, irá receber benefícios exponenciais de outras pessoas como recompensa. Os esquemas do tipo pirâmide financeira recebem este nome em razão da forma como o sistema é representado

graficamente. Os recém-ingressos formam a base. Os que possuem mais tempo constituem o topo. O sucesso é fundamentado no recrutamento de novos adeptos que obrigatoriamente realizam o pagamento de uma determinada quantia de dinheiro aos “sócios” antigos. O problema é que, para ninguém perder dinheiro, o ciclo teria que ser interminável, o que é impossível, uma vez que o número de pessoas será sempre limitado. Como consequência, o esquema dura pouco e as promessas não se cumprem. Quando a cadeia quebra, a maioria das pessoas perde tudo o que aplicou, com exceção do idealizador do golpe e de algumas poucas pessoas.

O recrutamento de novos membros consiste no convencimento e na criação, por meio de referências, testemunhos e informações falsas, da ilusão de que ele irá ganhar muito dinheiro. Fica o alerta: pirâmide financeira constitui crime contra a economia popular, tipificada no inciso IX, art. 2º, da Lei 1.521/51. A recomendação é de não participar de empreendimentos dessa natureza e sempre realizar uma pesquisa sobre a empresa que oferece o serviço nos órgãos de defesa do consumidor. Em resumo, fique atento às ofertas de lucro fácil e em curto prazo de tempo. (Centro de Inteligência da Aeronáutica)

Fale com a gente! Expediente O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltado ao público interno. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic Editora: Tenente Jornalista Jussara Peccini (MTB 01975SC) Editora adjunta: Tenente Jornalista Cynthia Fernandes (MTB 2607GO) Repórteres: Tenentes Jornalistas Cynthia Fernandes, Danielli Gruppi, Evellyn Abelha, Flávia Cocate, Flávio Nishimori, Gabrielli Dala Vechia, Humberto Leite, Iris Vasconcellos, Jussara Peccini, Lorena Molter, Raquel Alves, Raquel Sigaud e Taciana Moury; e Tenentes Relações Públicas Camilla Barbieri e Brenda Alvarez. Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná. Revisão: Cynthia Fernandes, Gabrielli Dala Vechia, Evellyn Abelha, Flávio Nishimori e Humberto Leite. Diagramação e infográficos: Suboficial Cláudio Ramos; Sargentos Emerson Linares, Santiago Moraes e Lucemberg Nascimento. Tiragem: 30.000 exemplares. Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Endereço: Esplanada dos Ministérios Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A.


Agosto - 2015

3

PALAVRAS DO COMANDANTE

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

Por uma só força

E

Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato Comandante da Aeronáutica

m essência, somos todos soldados. Do mais antigo ao mais moderno militar da Força Aérea Brasileira, o compromisso é o mesmo: dedicar-se inteiramente ao serviço da Pátria, inclusive, se preciso for, com o sacrifício da própria vida. Aos soldados também cabe o esforço braçal, o trabalho árduo, o cumprimento efetivo de todas as ordens emanadas. Certamente, os mais de 24 mil soldados do nosso efetivo devem ser lembrados em 25 de agosto, mas tal forma de encarar o serviço militar deve ser inerente a todos os homens e mulheres que vestem uma farda. Por esse motivo, o Dia do Soldado deve ser comemorado por todos, dos recrutas aos oficiais-generais. Comemorar o servir nos faz refletir sobre a vida militar, sobre o orgulho que damos à sociedade, às nossas famílias e a nós mesmos. E, no mês de julho, durante os Jogos Pan-Americanos realizados no Canadá, discutiu-se sobre a continência à Bandeira Nacional prestada pelos atletas militares. Nada poderia ser melhor para renovarmos nossa compreensão sobre este gesto. A saudação típica dos militares, mais que um item dos nossos regulamentos, representa o respeito à nossa Pátria e à nossa Bandeira. Ouvir nosso Hino e ver o verde e amarelo no topo é, sem dúvida, motivo de orgulho. Orgulho, aliás, é o que devemos ter por nossos atletas militares. Dos 590 competi-

dores brasileiros nos jogos Pan-Americanos, 123 eram militares, sendo 39 da Força Aérea Brasileira. E não estamos tratando apenas de atletas convocados - fundamentais para elevar o nome e os valores das Forças Armadas - mas também de sargentos e oficiais de carreira. Esses notáveis resultados são excelentes, e representam uma pequena parte do nosso trabalho. Nossas atividades operacionais, mesmo que algumas vezes mais discretas que um pódio, continuarão a pleno vapor neste segundo semestre. Já em julho tivemos mais uma Operação Ágata, e também o exercício de defesa aérea binacional Colbra, realizado em parceria com a Colômbia. Para os próximos meses, temos agendadas as Operações Atlântico e Perbra, além de inúmeros exercícios operacionais de nossas unidades aéreas, terrestres e de apoio. Tudo isso, a dedicação do soldado, as medalhas dos atletas e as aeronaves em ação, ocorrem graças ao esforço prestado por aqueles que também são fundamentais para a Força Aérea Brasileira: os intendentes. No dia 23 de agosto, Dia da Intendência, queremos reconhecer o papel destes profissionais que contribuem para encontrarmos alternativas para aumentar a eficiência na gestão. Sigamos juntos, trabalhando lado a lado para cumprirmos a missão constitucional da Força Aérea Brasileira.


4

Agosto - 2015

Natural do Rio de Janeiro (RJ). Praça de 07/03/1977, tendo sido declarado Aspirante em 09/12/1983. Principais cargos: Subdiretor de Fiscalização e Contratos e Subdiretor de Aeronaves da Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB); Diretor do Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos (PAMA-AF); Chefe da Quarta Subchefia do Comando-Geral de Apoio (COMGAP); Diretor do Parque de Material Aeronáutico de Reci-

fe (PAMA-RF); Chefe da Divisão Técnica do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP); Chefe da Divisão Técnica e Administrativa da Comissão Aeronáutica Brasileira em Washington; Chefe da Primeira e da Segunda Subchefia do COMGAP e Chefe da Seção de Logística do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC). Horas de voo: Possui mais de 4.000 horas de voo.

Principais Condecorações: Medalha Militar de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Ordem do Mérito Aeronáutico (Grau Comendador); Medalha Mérito Tamandaré; Ordem do Mérito Naval (Grau Comendador); Menção Destaque Logístico Prata; Medalha do Pacificador e Medalha da Polícia Militar do Estado de Pernambuco. Cargo designado: Presidente da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA).

BRIGADEIRO DO AR MAURÍCIO AUGUSTO SILVEIRA DE MEDEIROS Natural de Montes Claros (MG). Praça de 02/03/1980, tendo sido declarado Aspirante em 12/12/1986. Principais cargos: Assessor Militar da Aeronáutica na Vice-Presidência da República; Vice-Presidente da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica; Adjunto do Adido de Defesa e Aeronáutico junto à Embaixada do Brasil na França e na Bélgica; Assessor Parlamentar e Chefe da Divisão de Relacionamento com o Legislativo da Assessoria Parlamentar do Comandante da Aeronáutica

(ASPAER); Chefe da Seção de Material na Implantação do Esquadrão Guardião (2º/6º GAV) e Chefe da Seção de Manutenção do Segundo Esquadrão do Grupo de Transporte Especial (GTE-2); Chefe da Seção de Programação e Controle do Esquadrão Orungan (1º/7º GAV) e Instrutor de voo do Esquadrão Rumba (1º/5º GAV). Horas de voo: Possui mais de 4.500 horas de voo. Principais condecorações: Ordem do Mérito da Defesa (Grau Ofi-

cial); Ordem do Mérito Aeronáutico (Grau Cavaleiro); Ordem do Mérito Militar (Grau Oficial); Ordem do Mérito Naval (Grau Oficial); Medalha Militar de Ouro com passador de Ouro; Medalha Mérito Santos-Dumont; Medalha Mérito Tamandaré; Medalha do Pacificador; Medalha Intendente Antônio Lemos e Menção Destaque Operacional Ouro do COMGAR. Cargo designado: Subdiretor de Pessoal Militar da Diretoria de Administração do Pessoal (DIRAP).

PORTÕES ABERTOS FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

PROMOÇÃO DE OFICIAIS-GENERAIS | 31 JULHO 2015

MAJOR-BRIGADEIRO DO AR SÉRGIO DE MATOS MELLO

Mais de 30 mil pessoas passaram pela Base Aérea de Campo Grande (BACG) para conhecer de perto as aeronaves da FAB. As sete toneladas de alimentos, arrecadadas nos dias 04 e 05 de julho, foram doadas para instituições cadastradas no serviço de assistência social da base. “Desde pequeno eu venho ao quartel e já estou acostumado. Gosto muito das Forças Armadas”, contou Gabriel Guedes, de oito anos, que enfrentou o vento e o frio de cerca de 10 °C. Para o Comandante da Base, Coronel Potiguara Vieira Campos, além de aproximar a população da instituição, o evento funciona como uma prestação de contas. “É muito importante que a Força Aérea Brasileira abra seus portões para que as pessoas possam conhecer o trabalho dos militares e como os recursos são aplicados”, afirma.

Programe-se para os próximos:

Agosto: 23 Agosto – Academia da Força Aérea (Pirassununga – SP) Setembro: 12 – Base Aérea de Brasília (DF) Outubro: 04 – Campo de Marte (SP) e Base Aérea de Manaus (AM) 10 – Base Aérea de Santa Maria (RS) 12 – Base Aérea de Canoas (RS) 18 – Base Aérea de Florianópolis (SC) Novembro: 08 – Base Aérea de Salvador (BA)


Agosto - 2015

5

CARREIRA

Soldado: orgulho para família e amigos

emoção está estampada no olhar e na foto (ao lado) da família. José Gabriel da Silva Ignácio foi premiado como Soldado Padrão por ter apresentado conduta e desempenho elevados durante o curso de formação, realizado pelo Primeiro Comando Aéreo Regio-

nal (I COMAR), em Belém (PA). “Estou muito emocionado, pois desde criança meu sonho era entrar na Força Aérea e servir à Pátria. Pretendo seguir carreira aqui”, disse. Atualmente, a Força Aérea Brasileira (FAB) conta com cerca de 24 mil soldados que

Trabalha de dia e estuda à noite to. Para ele, estar na faculdade é a realização pessoal de um sonho de dar um futuro melhor para os pais. Cleiton tem a intenção de permanecer na Força Aérea até ser promovido a cabo, e aproveitar todo este tempo para estudar e pagar sua faculdade. “O esforço e a persistência são os focos principais para quem quer alcançar um futuro melhor. Eu acredito que a pessoa que se

esforça sempre consegue alcançar seus objetivos”, diz Cleiton a outros soldados que também desejam seguir uma carreira de sucesso. FOTO: BACG

Essa oportunidade fez a diferença na vida de Cleiton José Souza Silva, que tem 23 anos, e está há quatro anos e meio servindo na Base Aérea de Campo Grande (BACG). O soldado fez o curso Básico de Manutenção de Aeronaves (BMA) e atualmente trabalha no Esquadrão Flecha (3°/3°GAV). Diariamente ele atua fazendo a manutenção pneumática e de combustível das aeronaves A-29, próprias daquele Esquadrão. A rotina de Cleiton é trabalhar durante o dia e, à noite, ir para a faculdade onde cursa o 4° semestre de Direi-

Enfrentar a distância com determinação “Nunca pensei em desistir”. Foi com essa determinação que o Cabo Mário Eder Rocha, de 23 anos, conquistou nova graduação. Enfrentou a distância de casa para fazer a formação de Soldado de Segunda Classe, na Base Aérea de Belém (BABE). Após um ano, o militar estudou e passou a Soldado de Primeira Classe e, um ano depois, foi aprovado numa segunda prova e se formou Cabo. Em maio deste ano, o Cabo Mário fez a prova para sargento da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) e está em primeiro lugar no cadastro de reserva para a especialidade de enfermagem. “Minha expectativa agora é fazer o curso de sargento, terminar o curso de enfermagem e trabalhar para evoluir”, completou.

FOTO: TEN BRENDA / COMAR I

A

Acompanhe a série sobre a rotina dos soldados da Aeronáutica no Instagram.com/fab_oficial A partir do dia 25 de agosto assista ao programa FAB em Ação especial sobre os soldados

ARTE: SDPP / CECOMSAER

Ao lado da família, Soldado João Gabriel é homenageado em Belém

servem em unidades do País em diversas áreas. São militares indispensáveis ao cumprimento da missão das Forças Armadas. A carreira se inicia aos 18 anos com o alistamento militar obrigatório, cuja formação proporciona ao jovem o aprendizado de valores como disciplina, organização, amor à Pátria, solidariedade e perseverança, entre vários outros que orientam suas atividades dentro e fora do quartel. Segundo o Coronel de Infantaria Paulo César Milaré, Comandante do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Brasília (BINFAE-BR), é nítido ver a mudança dos jovens que ingressam nas Forças Armadas como soldados. “Na primeira semana, durante a reunião com os pais, eles já notam essa mudança de comportamento. O soldado passa a valorizar mais a família, os nossos valores em termos de cidadania e na parte militar também”, conclui.

ARTE: SDPP / CECOMSAER

FOTO: SGT SAMPAIO / COMAR I

FAB conta com mais de 24 mil soldados em diversas unidades no Brasil


6

Agosto - 2015

OPERACIONAL

Sabres retomam navegação entre obstáculos e combate aéreo Aeronaves empregadas pelo Esquadrão Poti têm blindagem, sistemas eletro-óticos e armamento pesado s helicópteros AH-2 Sabre, do Esquadrão Poti (2°/8° GAV), de Porto Velho (RO), blindados e armados com um canhão de 23 mm capaz de disparar até 3 mil tiros por minuto, voltaram a realizar o treinamento de combate aéreo em junho. Entre 1996 e 2010, quando era equipada com helicópteros H-50 Esquilo e sediado em Recife, a unidade chegou a executar este tipo de exercício até contra jatos AT-26 Xavante. Agora, o AH-2 tem como vantagens os sistemas eletro-óticos de busca de alvos, além do fato de o canhão ter torreta móvel. “Em quase todas as aeronaves o sistema de armas é alinhado com o eixo da aeronave, enquanto com o Sabre é possível alinhar o canhão com o alvo,

Militares treinam busca e salvamento em combate

Exercício reuniu mais de 10 esquadrões e 350 militares em Campo Grande (MS)

F

oram quase 120 horas de voo para aperfeiçoar as técnicas de busca e salvamento em combate

(CSAR) da Força Aérea Brasileira. O exercício operacional realizado na Base Aérea de Campo Grande, nos meses de

sem a necessidade de manoA fase inicial dos treinabrar a aeronave”, diz o Ma- mentos envolve combates jor Rômulo Amaral, oficial de 1x1, um AH-2 contra outro. operações. Depois, é a hora dos combates O objetivo desse treina- 2x1 e, na fase avançada, commento de combate aéreo é bates contra outros tipos de atuar em cenários de aeronaves, como os Objeti vo: baixa altura, como caças A-29 Super garantir na proteção de Tucano. uma força tareo princípio As tripulafa em missão ções treinam as da surpresa CSAR (leia mais manobras cláse diminuir a na reportagem sicas de combadetecção abaixo). Se a te aéreo com o radar blindagem e o arobjetivo de sair da mamento composto linha de tiro de outra por canhão, mísseis e fogueaeronave e colocar o alvo tes já capacitava os 12 AH-2 da ao alcance do armamento FAB a defender outras aerona- do AH-2. ves de ameaças vindas de solo, Características - As manoagora, a proteção também vai bras específicas do combate incluir eventuais interceptado- aéreo com helicópteros são res. “A aeronave permite esse inspiradas nos manuais da tipo de voo e possui um arma- Aviação de Caça, porém, com mento capaz”, explica o major. características específicas para

Baixe esta e outras fotos de aeronaves da FAB no flickr.com/portalfab

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

FOTOS: SGT GUTO / 2º/8º GAV

O

junho e julho, reuniu diversos esquadrões de todo Brasil. Um dos principais objetivos foi padronizar a doutrina

para que todas as unidades envolvidas possam atuar juntas. “São nessas atividades conjuntas que eliminamos as possíveis diferenças, além de aperfeiçoar as técnicas empregadas”, explicou o coordenador geral do exercício, Coronel Eduardo Rodrigues da Silva. Para resgatar um militar em território inimigo, uma força tarefa é montada com aeronaves de escolta, resgate, reconhecimento e equipes de operações especiais. Na simulação, eles enfrentaram desafios como ameaças inimigas vindas tanto do ar quanto do solo. O CSAR envolve voo de formatura, escolta, infiltração, exfiltração aérea e guiamento aéreo avançado. “As técnicas são verificadas e avaliadas. A partir disso, é possível medir a eficiência de nossos equi-

os helicópteros. A principal diferença é a velocidade: helicópteros não passam dos 300 km/h, ao contrário dos caças, que podem alcançar os 2 mil km/h. Por outro lado, um helicóptero é capaz de reduzir, rapidamente, a velocidade, o raio de curva e manobrar próximo ao solo. Navegação entre obstáculos - Em julho, o Poti retomou a navegação NOE (Nap of the Earth). A técnica consiste em voar na mais baixa altura possível, contornando obstáculos do terreno, como árvores, morros e torres. O objetivo é garantir o princípio da surpresa e diminuir a possibilidade de detecção por radares inimigos, ou mesmo de localização visual. Essa furtividade aumenta a possibilidade de sucesso em uma missão sobre território hostil. pamentos e tripulações”, afirmou o Chefe de Doutrina da Segunda Força Aérea (II FAE), Capitão João Carlos Perpétua Barbosa. O exercício também permite alterar e/ou atualizar a doutrina de acordo com as situações vivenciadas na execução das missões, além de sintonizar com o que está acontecendo no cenário mundial. Quem foi: os helicópteros AH-2 Sabre, H-60 Black Hawk, H-36 Caracal, H-34 Super Puma e H-1H, além de caças A-29 Super Tucano, aeronaves SC-105 Amazonas e E-99. Também fizeram parte os Grupos de Defesa Antiaérea (GDAAE), o Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1° GCC) e o Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS).


Agosto - 2015

7

COLBRA

Brasil e Colômbia testam coordenação aérea e interceptação na fronteira

A

s forças aéreas do Brasil e da Colômbia simularam a invasão de suas fronteiras por aeronaves desconhecidas durante a quarta edição do exercício binacional COLBRA. A atividade operacional que busca incrementar medidas de confiança mútua foi realizada em São Gabriel da Cachoeira, a cerca de 850 km de Manaus (AM), e em Letícia, na Colômbia, no período de 13 a 17 de julho. “Adquirimos bastante coordenação aérea entre as duas forças. Realmente, é um treinamento bem importante para a luta contra um inimigo em comum: o narcotráfico”, declarou o Coronel Jairo Hernando Orjuela Arelavo, Comandante do Grupo Aéreo do Amazonas (GAAMA), unidade da Força Aérea Colombiana. As simulações de entradas ilegais de aeronaves nos

espaços aéreos ampliam o grau de controle de Tráfegos Aéreos de Interesse (TAI) na faixa de fronteira e treina procedimentos de coordenação para ações de defesa aérea. Cada ciclo de treinamento envolve três momentos: a invasão, o reconhecimento e a interceptação. Os dois países utilizaram os mesmos procedimentos. Uma aeronave desconhecida ingressa no espaço aéreo, simulando ser um invasor. Em seguida, a aeronave de controle e alarme em voo percebe o movimento aéreo e aciona os meios que estão em alerta no solo. Nesse momento, os interceptadores são acionados e decolam para identificar a aeronave desconhecida. A atividade é concluída simulando o pouso obrigatório do avião interceptado, escoltado pela aeronave de caça, responsável pela defesa aérea.

FOTO: CB A. PRADO / BAMN

Quarta edição do exercício incrementa medidas de confiança mútua. Os dois países utilizam os mesmos procedimentos

Destacamento - Localizado próximo à fronteira do Brasil com a Colômbia, o Destacamento de Aeronáutica de São Gabriel da Cachoeira (DASG) tem papel estratégico para defesa e logística. Subordinado ao Sétimo Comando Aéreo Regional (VII COMAR), tem a missão de apoiar as unidades aéreas desdobradas que estiverem realizando exercícios operacionais na área.

Além disso, dá suporte ao Exército Brasileiro (EB) na logística de suprimento dos seus Pelotões de Fronteira, em cumprimento ao Plano de Apoio à Amazônia (PAA), função fundamental e diretamente ligada à defesa das fronteiras brasileiras. “Em breve, também, entrará em operação a nossa nova Seção de Contraincêndio, que apoiará aeronaves militares em situação de emergência”,

complementa o Comandante do DASG, Tenente Valmir Gonzaga Ferreira.

A produção pioneira de pães no local do acampamento, realizada na cozinha industrial sobre rodas, o Rodomapre, foi só parte do trabalho para servir 900 refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar). A principal preocupação dos 35 militares da equipe de alimentação é o cuidado com a higiene e limpeza para evitar contaminação, que pode provocar intoxicação e outras doenças. As regras e os protocolos fazem parte da formação dos novos militares do estágio. Por isso, há atenção especial na armazenagem, temperatura e modo de preparação

para que todas as refeições sejam servidas com qualidade. “Sempre trabalhamos com os protocolos que a ANVISA rege. Tudo dentro da legislação”, explica a Tenente Nutricionista Luciene Pinheiro Seixas. Na rotina diária de segurança sanitária está a coleta de 100 a 200 gramas de cada alimento servido nas refeições. O material é congelado para ser analisado em caso de surgir problemas. Além disso, na entrada do refeitório a equipe de apoio disponibiliza estrutura para todos os militares higienizarem as mãos. Cozinha sobre rodas - O Módulo de Alimentação a

Pontos Remotos (Rodomapre) é usado para produção e preparação das refeições que são servidas aos militares durante atividades operacionais em locais afastados.

Conheça o treinamento e a preocupação de quem prepara as refeições em exercícios e treinamentos

À

s cinco da manhã a massa já estava sendo sovada e os pães começavam a tomar forma. Uma hora e meia depois, as 500 unidades estavam prontas para serem servidas

aos 300 militares do exercício Caiçara 2015. Metade deles em treinamento nos estágios de engenharia e intendência operacionais, pela primeira vez realizados em conjunto.

ARTE: SDPP / CECOMSASER

“Food truck” da selva

FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

SEGURANÇA ALIMENTAR


8

Agosto - 2015

FUMAÇA

O show aéreo está de volta

direita, ala esquerda, ferrolho, ala direita externa, ala esquerda externa e isolado – contam com dois aviadores responsáveis que se revezam. Para o Tenente-Coronel Gobett, a seleção dos pilotos da Fumaça é bastante criteriosa e requer grande experiência em voo. “Para se candidatar a piloto do

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

A

fumaça mais conhecida do Brasil já está pronta para colorir o céu de várias cidades do País e do mundo. Depois de mais de dois anos, a Esquadrilha da Fumaça retoma os trabalhos com a missão de divulgar o trabalho da Força Aérea Brasileira e estreitar laços com o público apresentando um show aéreo. A primeira apresentação pública aconteceu em Maringá (PR), no mês de julho, e arrancou suspiros de mais de 6 mil pessoas, em duas demonstrações. A próxima já está agendada para o dia 23 de agosto na Academia da Força Aérea (AFA). “É uma satisfação muito grande poder voltar a ter contato com a população e levar a imagem da Força Aérea. Muito bom sentir esse carinho com a Esquadrilha. É motivo de muita alegria pra nós”, declara o líder do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), Tenente-Coronel Marcelo Gobett. As manobras foram assumidas por um novo protagonista: o A-29 Super Tucano. O display de demonstração passou por adaptações, em virtude das características de performance da nova aero-

nave. Enquanto isso, todo o EDA, que conta com 68 militares – entre graduados e oficiais - também passou por um treinamento para o aperfeiçoamento da equipe. Passo a passo Foram 27 meses de trabalho, incluindo 765 missões de perfil acrobático dedicadas exclusivamente ao programa de implantação operacional e logística do A-29 Super Tucano. O período foi dividido em fases, desde a instrução teórica sobre o novo avião até os testes da execução das manobras em diferentes regiões do Brasil. A substituição do T-27 Tucano envolveu 18 pilotos e também impôs capacitação aos mecânicos e preparação da parte de logística.

Nos 45 minutos de apresentação, incluindo as passagens de reconhecimento dos pontos, são realizadas cerca de 50 manobras no ar. Para cada uma delas há uma faixa de velocidade que varia entre 160 km/h, considerada baixa para o avião, até 560 km/h, próxima da máxima da aeronave. As manobras começaram a ser testadas a 5 mil pés de altura (1.524m) até

45 minutos é o tempo total de duração das apresentações

O projeto de implantação operacional e logística da nova aeronave levou 27 meses O primeiro A-29 Super Tucano foi entregue ao EDA no final de 2012

serem executadas a 300 pés (91 m), como são realizadas nas demonstrações. “Foi um trabalho minuncioso, gradual e planejado”, ressalta o Oficial de Operações, Major Álvaro Escobar. Os novos fumaceiros Cada apresentação da Fumaça é realizada por sete aeronaves A-29 Super Tucano, cada uma com um piloto a bordo. As posições do display – líder, ala

EDA, os profissionais precisam ter 1.500 horas de voo, sendo 800 delas como instrutor da Academia da Força Aérea (AFA) ou do Esquadrão Joker (2º/5º GAV). Por meio de conselho operacional, são escolhidos os candidatos mais qualificados e que apresentam perfil mais compatível à missão da Esquadrilha da Fumaça”, explica o Comandante. Além dos 13 pilotos, há a equipe de solo - os chamados “Anjos da Guarda” – responsável por garantir a segurança e a disponibilidade das aeronaves, bem como a eficiência das tarefas administrativas.

18 pilotos se envolveram no projeto de implantação do A-29

A velocidade durante as manobras varia entre 160 km/h e 560 km/h Cerca de 50 manobras são realizadas a cada demonstração


Agosto - 2015

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

Sustentabilidade

“A Fumaça me fez amar muito o que faço” Para a nova fase, o Super Tucano adotou fumaça ecologicamente correta. Graças a um estudo da equipe, um novo óleo foi desenvolvido para que a queima não agrida a camada de ozônio nem contribua com o aquecimento global. “A fumaça é muito importante não só pelo traçado que faz durante as

manobras realizadas pelas aeronaves, facilitando a visualização por parte do público, como serve de referência para os pilotos que, em voo, têm a ajuda na identificação da posição dos outros aviões durante uma demonstração”, afirma o Chefe da Seção de Material do EDA, Major Especialista

em Aviões Márcio Aparecido Tonisso. A preocupação com o público também foi considerada na mudança. A nova fumaça é mais densa e mantém mais tempo as escritas no céu. Os tanques de óleo de fumaça foram instalados nas asas, onde eram armazenados os cartuchos de munição.

Serviço: como solicitar uma demonstração aérea Para solicitar uma demonstração, é necessário enviar um ofício assinado ao CECOMSAER com antecedência mínima de quatro meses, mencionando nome, endereço, data do evento, telefone para contato e pú-

blico estimado. Recomenda-se sugerir outras datas para a demonstração, em caso de uma impossibilidade do atendimento na data solicitada. Após deliberação do Comando da Aeronáutica, o CECOMSAER confirmará a aprovação ou não da solicitação junto ao solicitante,

com antecedência de 30 dias da demonstração. Vale lembrar que as exibições da Esquadrilha da Fumaça são públicas, gratuitas e de caráter institucional, não cabendo, portanto, associações com propósito comercial ou de propaganda político-partidária.

“Os meus pais me deram a educação, a FAB me deu a profissão e a Fumaça me fez amar muito o que faço. Estou convicto que cumpri a minha missão e estou 100% realizado”, afirma o Suboficial Robson Bortholin, encarregado de manutenção do EDA. O tom de despedida também é de realização profissional. O graduado participou da última missão fora de sede durante a primeira demonstração do Super Tucano, no interior do Paraná. O suboficial que já realizou inúmeras viagens com a Fumaça, ingressou na equipe no final de 1998, na Oficina de Motores e Hélices. Na época,

a equipe operava o T-27 Tucano nas cores vermelho e branco. O Suboficial Bortholin incrementou a equipe com a experiência já adquirida na AFA, por dez anos. O comprometimento e o bom relacionamento com todos é um dos legados deixados em 16 anos dedicados integralmente à Esquadrilha da Fumaça. Para a próxima apresentação, agendada no dia 23 de agosto em Pirassununga (SP), o graduado assume uma nova posição. “Eu estarei lá do lado de fora, aplaudindo e vendo esse espetáculo. Vou me tornar um fã da Fumaça”, acrescenta.

#1 LÍDER

Além de Pirassununga (SP), algumas cidades receberam os treinamentos do EDA, entre elas, Anápolis (GO), Natal (RN) e Santa Maria (RS)

#4 FERROLHO #5 ALA ESQUERDA EXTERNA

#6 ALA DIREITA EXTERNA

#7 ISOLADO

Veja as fotos da primeira apresentação, realizada em Maringá (PR), no álbum do facebook.com/aeronauticaoficial

ARTE: SDPP / CECOMSASER

#2 ALA DIREITA

#3 ALA ESQUERDA

9


10

Agosto - 2015

ESPORTE E SUPERAÇÃO

FOTOS: SGT BATISTA / CECOMSAER

Militar da FAB vai realizar prova conhecida como o ‘Everest’ da natação Na travessia de 34 km do Canal da Mancha, ele vai enfrentar correntezas e sensação térmica de 10ºC

Major Adherbal Treidler de Oliveira, 45 anos, do Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos (PAMA-AF), vai realizar em setembro um dos maiores desafios do esporte: a travessia a nado do Canal da Mancha. Ele pretende finalizar o trajeto de 34 km entre o sul da Inglaterra e o norte da França em 11h para se tornar o 21º brasileiro a completar a prova. A travessia, conhecida como o ‘Everest’ da natação, é realizada apenas entre os meses de julho e setembro. Mesmo sendo verão por lá, o militar tem na baixa temperatura da água um dos principais obstáculos. A variação térmica fica entre 13 e 18 graus, mas a sensação é de 10 graus. O militar terá que nadar apenas de sunga (sem o traje de neoprene). “São as mesmas condições encontradas na época da primeira travessia, em 1875”, explica.

nhã e terminou às 11h23min, totalizando 34 km em 9 horas e 23 minutos. A correnteza é semelhante a que será enfrentada na Europa. “Foi fundamental para testarmos o plano de alimentação e os intervalos das paradas, por exemplo”, comenta. Saúde mental e bem-estar - De acordo com estudo do IBGE publicado em 2014, 11 milhões de brasileiros já foram diagnosticados com depressão. Mais da metade (52%) usa medicamento. Segundo a Tenente Psicóloga Ariane de Lima Brito, a depressão caracteriza-se pela tristeza, pensamentos negativos e está associada à perda social para o sujeito. A atividade física ajuda a vencer a doença porque libera diversas substâncias que provocam um estado de euforia natural, além da melhora progressiva da imagem de si mesmo. “A prática de esportes auxilia na redução da ansiedade, tensão e sintomas depressivos”, explica.

PAN-AMERICANO. Militares da FAB conquistam medalhas para o Brasil Nos Jogos Pan-Americanos, realizados no Canadá entre 10 e 26 de julho, a delegação brasileira contou com 39 atletas de alto rendimento da FAB. Veja os resultados conquistados até o fechamento desta edição: Ouro O Coronel Julio Almeida conquistou a medalha na pistola de ar 50 metros do tiro esportivo. Com uma arrancada espetacular na última volta, a Sargento Juliana dos Santos conquistou o primeiro lugar na corrida de 5km ao concluir a prova em 15m45s97. Prata A dupla formada pelos Sargentos Daniel Paiola e Hugo Arthuso conquistou

uma medalha inédita para o Brasil no badminton. O Sargento Ronald Julião ficou com a prata no lançamento de disco. Bronze Ainda no badminton, o Sargento Alex Tjong conquistou o terceiro lugar na dupla mista com Lohaynny Vicente. Os Sargentos Daniel Xavier e Bernardo Oliveira ajudaram a equipe do tiro com arco a subir ao pódio. Já o Sargento Gideoni Monteiro conquistou o bronze na prova combinada de ciclismo de pista Omnium. Acompanhe as coberturas da FAB em tempo real no Twitter @portalfab FOTO: DIVULGAÇÃO COB

O

Outro desafio é a correnteza, que muda de direção a cada seis horas. “O trajeto não é em linha reta. Então, quanto mais rápido eu for, menor será meu zigue-zague”, complementa. Motivação - Desde 2014, quando decidiu realizar a prova, o militar treina quatro horas diárias. Duas vezes por dia em piscina e aos sábados no mar. Também tem acompanhamento com nutricionista e psicólogo. “A prova é 70% mental e 30% física. Para isso é preciso muita disciplina e nunca pensar em desistir”, explica o major. Mas nem sempre foi assim. Houve uma época em que o desânimo dominava a vida do militar. Em 2012, ele enfrentou problemas familiares, como a separação da esposa e a necessidade de criar os quatro filhos sozinho. Ganhou sobrepeso, chegando a quase 100 kg. O esporte ressurgiu como solução para os problemas. “Eu nadava quando era mais novo. Era muito competitivo. Após 24 anos, a natação reapareceu na minha vida”, conta. Preparação - Como parte do treinamento, o militar realizou em julho a travessia aquática do trecho “Leme ao Pontal” no Rio de Janeiro. A largada foi às 2 horas da ma-

INGLATERRA Dover

Calais

FRANÇA

Sargentos Arthuso e Paiola ganham medalha inédita no Pan


Agosto - 2015

11

SERVIÇO RELIGIOSO TRÁFEGO AÉREO Pontífice envia mensagens aos brasileiros

de 30 de julho foi transferida para a Quadra da Escola de Samba da Ilha do Governador. O padre segue a sugestão do Papa Francisco que recomenda métodos criativos para atrair os fiéis. “Levo muita música e um bom conteúdo. Para tocar o coração, é preciso ser acessível e moderno”, relata. Valmir acredita que o fato de também ser militar facilita no contato com a tropa. “Por fazer parte deste mundo, fica mais fácil para entender os desafios e aconselhá-los. Adotar a mesma linguagem também ajuda.”

Orientação espiritual

Integração com a sociedade

de forma efetiva”, avalia. Para o Sargento Edison Luiz de Oliveira, ir aos cultos virou rotina. Ele era católico e passou a frequentar a igreja evangélica para acompanhar a namorada. “Sinto-me muito acolhido e me identifico com a maneira do Pastor Paulo pregar, que é bem didática”, conta o militar que compara a comunidade da capelania eva n gé l i ca militar a uma família.

FOTO: ACERVO PESSOAL

Os capelães têm um papel importante na caserna, que é a orientação espiritual. “Procuramos servir nas dificuldades do dia a dia, escutar e levar consolo”, explica o Pastor Paulo Albrecht que trabalha no Sétimo Comando Aéreo Regional (VII COMAR), em Manaus (AM). O pastor afirma que no ambiente militar a variedade de contextos e de experiências é maior do que numa igreja local. “A sensibilidade pastoral precisa estar mais aguçada para identificar as necessidades e auxiliar

Padre Valmir usa música e linguagem acessível para falar com fiéis

Em Pernambuco, o Padre Joselito Freire também revolucionou. Designado em 2004 para a capela Nossa Senhora do Loreto, investiu no trabalho além dos muros da Base Aérea do Recife (BARF). “Comecei a fazer palestras nas comunidades e visitas nas vilas militares. Também celebrava missas em outros bairros e sempre convidava para conhecer a capela da Base”, afirma Joselito ao descrever o início do trabalho. Formou pequenos grupos de evangelização, reflexão na bíblia, além de promover encontros de casais e famílias. Os civis foram chegando, os militares também e depois as famílias. “A capelania mili-

tar passou a ser uma forma de integração entre a sociedade e as Forças Armadas”, afirma. Hoje são realizadas quatro cerimônias aos domingos. Mas é no louvor realizado nas noites de quarta-feira que o público é recorde. O evento reúne 2 mil pessoas e teve que ser transferido para a capela do clube. “Ele faz com que a família participe junta da celebração”, destaca a empresária Sandra Romeiro, que frequenta a capela há nove anos, sobre o diferencial do trabalho do padre. Leia mais sobre “A fé fardada” na edição 242 da Aerovisão: fab.mil.br/publicacao

FOTO: ACERVO PESSOAL

om carisma, alegria e bom humor, o Padre Valmir Silvano mudou a rotina da capela Nossa Senhora das Graças, localizada na Vila Militar, próxima à Base Aérea do Galeão (BAGL), unidade para a qual foi designado em 2013. Das 30 pessoas que costumavam frequentar as missas aos finais de semana, a capela passou a receber 400, muito além da capacidade de 100 lugares. “Eles assistem pelas janelas laterais”, relata o Tenente Valmir. Para acomodar os 5 mil participantes, a missa

FOTO: ACERVO PESSOAL

C

FOTO: TEN ENILTON / CECOMSAER

Trabalho de capelães militares conquista fiéis dentro e fora dos muros dos quartéis

Em viagem pela América Latina para visitar Equador, Bolívia e Paraguai, o Papa Francisco cruzou o espaço aéreo do País em duas ocasiões. Em ambas, enviou mensagem aos brasileiros recebidas pelos Quarto e Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV e II), em Manaus (AM) e Curitiba (PR), respectivamente. Na primeira saudação, desejou renovar a aproximação e o afeto pelo povo brasileiro. Ela foi captada pela controladora de tráfego aéreo que há quatro anos trabalha no CINDACTA IV, Sargento Karoline Santos. “Nunca esperava passar por uma situação como essa. No nosso trabalho controlamos todas as aeronaves com o mesmo padrão, mas quando há pessoas importantes a bordo, como o Papa, é muito emocionante. Foi muito gratificante”, ressalta. “Vou recordar deste momento para sempre”, complementou a militar. Na segunda, em regresso ao Vaticano, desejou ao Brasil um futuro sereno e feliz para seus filhos.


12

Agosto - 2015

GESTÃO

Comando da Aeronáutica volta a ser destaque em relatório do TCU

TECNOLOGIA Nanossatélite do ITA é destaque no maior encontro científico da América Latina

O

ITA está prestes a lançar seu primeiro cubesat, o ITASAT, que é um nanossatélite de órbita baixa – ou seja, deve atingir uma altitude entre 400km e 700km. Com cinco experimentos a bordo, será lançado no primeiro trimestre de 2016 a partir de uma base nos Estados Unidos. No mês passado, entre os dias 12 e 18 de julho, o ITASAT foi um dos projetos apresentados na 67ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o maior evento científico da América Latina, realizado em São Carlos (SP). “Nosso objetivo é mostrar aos alunos de ensino médio e graduação que esse tipo de pesquisa existe no País e é desenvolvida por estudantes”, explica um dos pesquisadores envolvidos com o projeto, Luis Felipe de Paula Santos.

Vestibular de 2016. Inscrições vão até 15/09

O

Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), que oferece graduação em cursos de engenharia e é localizado em São José dos Campos (SP), está com inscrições abertas

para o vestibular 2016 até o dia 15 de setembro. As provas de inglês, português, matemática, física e química devem acontecer entre os dias 15 e 18 de dezembro.

Foguetes. Projeto universitário fica em 2º lugar em competição nos Estados Unidos Uma equipe do ITA levou a medalha de prata no Rocket Design, uma competição mundial de foguetes universitários de sondagem, que ocorreu no final de junho em Green River, região de deserto no oeste dos EUA. A equipe foi a única a representar o Brasil e competiu com outras 46 instituições de ensino superior de todo o mundo. O primeiro lugar ficou com o Massachusetts Institute of Technology (MIT). “A competição avalia dois aspectos: projeto e voo. O foguete dos alunos do ITA atingiu 2,2km a uma velocidade máxima de 758km/h. Com certeza, foi um grande resultado”, diz um dos professo-

res, Tenente-Coronel Lester de Abreu Faria. A equipe foi formada por 14 alunos de diversos estágios da graduação e da pós-graduação e o projeto foi desenvolvido de forma extracurricular pelos estudantes. “A motivação vem da paixão de cada um de nós por foguetes e da união da equipe em prol da missão”, afirma um dos integrantes do grupo, Rodrigo Marins. FOTO: ACERVO PESSOAL

Em meados de junho, a presidente Dilma Rousseff recebeu o Relatório Preliminar sobre as Contas do Governo, elaborado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Dentre os números apresentados, um dado chama a atenção: o Comando da Aeronáutica (COMAER) está entre as seis instituições que não tiveram restrições na conformidade contábil no Exercício de 2014. Ao todo, são avaliados, nesse quesito, 33 órgãos superiores do Poder Executivo Federal. O COMAER vem repetindo o feito desde que o TCU passou a adotar este modelo de relatório, em 2011. Segundo o documento, a ausência de restrições significa que as informações registradas no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI) têm qualidade. “Em regra, restrição contábil significa existência de erros ou pendências que prejudicam a qualidade dos dados no SIAFI”, explica o Major Giovanni Magliano Júnior, da Secretaria de Economia e Finanças da Aeronáutica (SEFA). A SEFA avalia que o excelente desempenho é resultado do constante acompanhamento e do atendimento às dúvidas provenientes das unidades gestoras. Desde 2007, a organização mantém o MCA 172-3 (Digital), um manual de procedimentos para auxiliar os responsáveis pela contabilidade e, em 2013, instituiu o prêmio Destaque Execução Contábil, a fim de reconhecer boas práticas e performances das Unidades do COMAER. “O resultado é excelente, sendo reflexo do trabalho conjunto entre a SEFA e as demais unidades, bem como de treinamentos, de diálogos e de atendimento às demandas dos Gestores”, avalia o Major Nelson Barreto Costa, também da SEFA.

FOTO: DIVULGAÇÃO ITA/ GLAUCO CAPPER

Dos 33 órgãos avaliados, Aeronáutica está entre os seis que não tiveram restrições na conformidade contábil em 2014


Agosto - 2015

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

13

Cinco passos para sair do vermelho

Acredite: sempre há saída para os endividados Cortar despesas, renegociar dívidas e fugir dos juros do cartão de crédito são as principais ações radicais na lista de consumo, separando o que é essencial daquilo que pode ser dispensado em tempos de escassez. Embora pareça difícil se privar de algum conforto, é possível viver sem TV a cabo, roupas novas, salão de beleza, cerveja com os amigos

O exemplo de quem superou a crise Um sargento da FAB, de 41 anos, que prefere não se identificar, mostra que é possível sair das dívidas. No início da carreira como soldado, ele não pensava no futuro e gastava todo o salário. Acabava de pagar um empréstimo e já contratava outro. Não planejava as finanças pessoais. Terminou o curso de sargento, casou-se pela primeira vez e continuou com o mesmo perfil. Depois de passar oito anos difíceis, resolveu mudar de vida. “Minha mãe me emprestou um dinheiro e quitei toda a dívida do cartão de crédito. Fui morar com um amigo, pagando pouco, mas ainda tinha a dívida da moto e do cheque especial. Já não tinha mais limite para pegar empréstimo consignado”, relembra. Um dinheirinho a mais

Dívidas Juros Bancos

fez diferença. Quando foi promovido ao posto de Segundo Sargento, conseguiu pagar a dívida do cheque especial e devolver o dinheiro que a mãe havia lhe emprestado. Começou a namorar sua atual esposa. Sonharam juntos a construção da casa própria. Ficaram cinco anos sem fazer uma viagem de férias e conseguiram se estabilizar. “A leitura de um livro [O segredo da mente milionária] me fez agir e comprometer 30% da minha renda comigo mesmo, poupando”, compartilha o aprendizado de quem saiu do saldo negativo para proprietário de cinco imóveis. Para animar aqueles que têm dificuldade de passar por privações para reequilibrar o orçamento, o sargento declara que vale a pena cortar gastos para viver mais tranquilo depois. “Se você demorou dez anos para ficar endividado, mas tomou a decisão de viver conforme o que ganha, ainda que demore outros dez anos, conseguirá sucesso na vida financeira”.

no bar. Outra opção é tentar aumentar a receita: se houver um talento dentro de casa, como artesanato ou culinária, porque não explorá-lo? Renegociar contas atrasadas também é um caminho. A grande maioria das empresas está disposta a discutir os

casos, oferecendo descontos atrativos para que a dívida seja quitada. Ao renegociar, o consumidor precisa estar atento a dois fatores: as parcelas do refinanciamento cabem no orçamento para não se tornar nova dívida? As vantagens oferecidas pelo credor são reais?

1º Pesquise preços antes de comprar qualquer produto no supermercado

Juros do cartão de crédito rotativo ultrapassam 700%

2º Pratique a avareza. Neste caso não é pecado.

Empréstimo consignado é alternativa aos altos juros Os juros do cartão de cré- te ano mostra que a variação dito rotativo são os mais al- das taxas de juros do cartão tos do mercado, seguidos do de crédito rotativo fica entre cheque especial e do cartão 70,39% a 706,10% ao ano, de crédito parcelado (quan- enquanto a do crédito pessodo o cliente paga o mínimo al consignado público vai de da fatura e negocia com o 21,23% a 88% ao ano. De acordo com o mestre banco o saldo devedor). Para se ter uma ideia, em economia, Major Intendente Nodgi Goyauma dívida de R$ 1 mil no rotativo pode JUROS na Gomes Junior, o empréstimo conchegar a R$ 7 mil em um ano. Já a mesma Variação das taxas signado é um particartão de crédito cular alento ao tradívida contratada no do rotativo vai de empréstimo pessoal 70,39% a 706,10% balhador. Ele ajuda quem precisa quiconsignado para funcionários públicos chegaria a tar dívidas de juros altos. “Mas a intenção é sair dele depois, o R$ 1.880,00. A lista divulgada pelo Ban- crédito consignado é também co Central com a taxa de juros uma dívida. A pessoa tem que por instituição financeira no planejar sair do empréstimo e perído de 25/06 a 01/07 des- iniciar investimentos”, alerta.

Pense, você pode viver sem: A TV a cabo, que você usa para assistir a apenas alguns programas só de vez em quando. O pacote caro de celular, do qual você só usa a internet. O cafezinho diário na padaria que poderia ser feito em casa. As roupas e os sapatos novos que acabam por abarrotar o seu armário. Bares e restaurantes caros ou frequentar o salão de beleza toda semana.

3º Saiba esperar. Compre à vista.

4º Reúna a família e decidam juntos o que cortar.

* Com informações serasaconsumidor.com.br

Q

uem está com muitas dívidas precisa reagir para voltar ao equilíbrio. E isso é possível. A regra é simples: cortar despesas. Dependendo do tamanho da conta, vender bens é uma saída. Porém, em casos menos sérios o recomendado é fazer cortes

Renegocie dívidas. Troque as mais caras (cheque especial e cartão de crédito) pelas mais baratas (empréstimo consignado e crédito pessoal).


14

Agosto - 2015

NO

COMUNICAÇÃO

PADRÃO

A

Com sete programas jornalísticos, além de videoclipes e storytellings, em sua grade de veiculação semanal, o canal engloba temas como os principais acontecimentos na FAB. O objetivo é mostrar à sociedade brasileira as atividades desenvolvidas pela instituição para cumprir a missão de defesa

FOTO: SGT V. SANTOS / CECOMSAER

o ultrapassar a marca de 7 milhões de visualizações e completar três anos de veiculação, a FAB TV busca se reinventar para levar o melhor ao seu público. Cenários mais atrativos, maior interatividade e novos apresentadores estão entre as reformulações do canal hospedado na web.

Equipe da Agência Força Aérea entrevista jornalista Alexandre Garcia

da soberania do espaço aéreo do País. Desde a estreia, em agosto de 2012, a FAB TV vem se consolidando também como um veículo onde o público interno tem a oportunidade de se ver como protagonista. Acesso facilitado - Os programas podem ser baixados na íntegra por meio de vários plugins do próprio navegador de internet. Para facilitar o acesso às reportagens, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica disponibiliza o vídeo de destaque da semana para os elos de comunicação de todas as unidades da FAB. Eles podem ser acessados na página cecomsaer.intraer, na aba Espaço do Elo SISCOMSAE, “Vídeos Destaques da Semana”. Veja a FAB TV: fab.mil.br/ fabtv ou youtube.com/user/ portalfab

ARTE: SDPP / CECOMSAER

Com mais de 7 milhões de visualizações, FAB TV busca se reinventar ao completar 3 anos

A maioria das mulheres são vaidosas e gostam de valorizar toda sua beleza com ajuda de maquiagem, penteados e roupas. Porém, o ambiente de trabalho, especialmente o militar, requer discrição e padronização. Atitude e apresentação contam muito. Por isso, vamos relem-

brar algumas das regras do Regulamento de Uniformes da Aeronáutica (Rumaer) e da Instrução para apresentação pessoal e uso de adornos (ICA 35-10) que devem ser observadas. Maquiagem: é permitido o uso de tons discretos. Brincos: devem ser pequenos e discretos, sem ultrapassar o lóbulo da orelha. Saia: o comprimento ideal é na altura dos joelhos. Pulseira, relógio e anel: os acessórios devem ser discretos. São permitidos apenas uma pulseira e um anel e/ou aliança. O relógio também deve ter tamanho e modelo discretos.

PENSANDO EM SEGURANÇA DE VOO

Colisões em solo podem ser tão catastróficas quanto os acidentes em voo Uma incursão em pista ocorrida em 1977, no aeroporto de Tenerife - nas Ilhas Canárias (Espanha), resultou no maior acidente aéreo da história da aviação mundial. A colisão em solo entre dois Boeing 747 causou a morte de 583 passageiros e tripulantes. Apesar das lições de Tenerife, anos depois outras duas incursões em pista resultaram em acidentes de dimensões catastróficas. A colisão do voo 3352 da Aeroflot com veículos de manutenção durante o pouso, em 1984, e o acidente em solo envolvendo o MD-87 SE-DMA da Scandinavian Airlines

e o Citation II D-IEVX, em 2001, de aeronave, veículo ou pessoa permanecem como os maiores na zona protegida de uma sudesastres aéreos já ocorridos perfície reservada aos pousos e decolagens de aeronaves.” na Rússia e na Itália. Mesmo com a evoluOs relatos acima A ção tecnológica usada demonstram que segurança colisões em solo pela aviação mundas operações dial, a melhor prepodem ser tão venção continua graves quanto em sempre deve ter voo. Por isso é im- prioridade sobre sendo manter elea conveniência vado nível de atenportante compreoperacional. ção em todos os proender o que é uma cedimentos. E isso não incursão em pista. se restringe aos pilotos. De acordo com a OrVeja as dicas que devem ganização de Aviação Civil Internacional (OACI), isso é ser observadas nas operações definido como “qualquer ocor- de solo: rência em um aeródromo en- 1. Saber onde estão, por onde e volvendo a presença incorreta para onde vão os movimentos

dentro da área do aeródromo; 2. Manter o conceito de cabine estéril nas operações de táxi, decolagem e pouso; 3. Monitorar a comunicação rádio e estabelecer uma imagem mental das atividades do aeroporto; 4. Pensar antes de transmitir e fazê-lo de forma clara e concisa, seguindo a fraseologia padrão; 5. Cotejar todas as instruções recebidas, incluindo seu código de chamada; 6. Fazer a verificação visual do eixo de aproximação antes de ingressar ou cruzar a pista; 7. Quando operando em loca-

lidades desconhecidas, utilizar sempre o diagrama do aeródromo antes de iniciar o táxi e antes do pouso; 8. Estar alerta ao movimento de veículos e pedestres e checar constantemente o exterior da cabine; 9. Taxiar com cautela e velocidade reduzida em aeródromos congestionados e nos quais não está familiarizado; 10. Ler atentamente as Informações Aeronáuticas Oficiais (NOTAM) dos aeroportos de saída, destino e alternativa. (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos)


Agosto - 2015

15

ENTRETENIMENTO Resposta da Edição de Julho de 2015

ARTE: SDPP / CECOMSAER

Jogo dos seis erros

CAÇA PALAVRAS Há 63 anos, a Esquadrilha da FUMAÇA encanta o público com as MANOBRAS: CORAÇÃO, PANQUECA, DORSÃO, DNA, entre outras. Antes dos sete A-29 SUPER TUCANO fazerem as ACROBACIAS no ar, a unidade de DEMONSTRAÇÃO aérea empregou quatro diferentes aeronaves. A primeira foi o T-6 TEXAN (1952 a 1976), que registrou 1.225 apresentações. Neste período, o jato T-24 Super FOUGA MAGISTER teve uma rápida passagem com 46 apresentações entre 1969 e 1972. Entre 1982 e 1983 foi usado o T-25 UNIVERSAL, responsável por 55 demonstrações. O modelo ainda hoje é usado na instrução dos cadetes da Academia da Força Aérea, onde a Fumaça está sediada. Por 30 anos (1983-2013), as manobras foram executadas a bordo do T-27 TUCANO. Agora que você já relembrou a história da Fumaça, encontre abaixo as palavras destacadas no texto:


O projeto Link BR2 desenvolve um protocolo de comunicação que permitirá aos aviões trocar dados seguros entre si em pleno voo. Será possível, por exemplo, transmitir uma imagem para confirmar a identificação de um alvo. O novo datalink será superior aos sistemas em uso no Brasil por integrar mais aeronaves em uma só rede, além de estações em solo, inclusive para uso do Exército e da Marinha. A partir de 2018, ele vai reforçar os sistemas do A-29 Super Tucano e do F-5M. No ano seguinte, deve ocorrer a integração do sistema dessas aeronaves com os aviões-radar E-99, capazes de detectar aeronaves a centenas de quilômetros de distância. Isso significa que os A-29, que não contam com radar, poderão ter em suas cabines informações enviadas pelos E-99. O planejamento também prevê instalar o Link BR2 futuramente em um maior número de aeronaves, incluindo helicópteros, aviões de patrulha e de reabastecimento em voo.

CONSTRUINDO

O FUTURO

Projetos Estratégicos da FAB

NOTAER - Agosto de 2015  
NOTAER - Agosto de 2015  

ELA VOLTOU!

Advertisement