Issuu on Google+

www.fab.mil.br

Ano XXXVII

Nº 5

Maio, 2014

ISSN 1518-8558

COMEÇAM A VALER AS MUDANÇAS NO RUMAER FOTO: SGT RAKSA / CINDACTA II

Confira as principais alterações no uniforme, que passam a ser obrigatórias a partir de 14 de junho. Págs. 08 e 09 BEBIDA ALCOÓLICA Saiba o limite entre o consumo social e a dependência; realize também o teste para saber o seu controle sobre o álcool. Pág. 14 CARREIRA Sistema desenvolvido pela DIRAP facilita a consulta ao histórico profissional dos graduados. Pág. 13

Págs. 06 e 07 COPA DO MUNDO Confira o planejamento realizado pela FAB

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

ESPORTE Mais de 140 atletas de alto rendimento vão reforçar as equipes da FAB em diversas modalidades esportivas nos campeonatos nacionais e internacionais. Pág. 15

FORMAÇÃO Empresa Júnior do ITA desenvolve projetos para empresas de todo o país e até do exterior. Pág. 12

Acesse o NOTAER no QR Code acima:


Maio - 2014 FOTO: TEN ENILTON / CECOMSAER

2

CARTA AO LEITOR

Mudar para melhorar Esta edição do NOTAER traz para você uma reportagem sobre as principais mudanças no Regulamento de Uniformes da Aeronáutica, o RUMAER. Fique atento! Foram dois anos de adaptação e, a partir de 14 de junho, começam a valer as novas regras. Você vai acompanhar as mudanças no tráfego aéreo realizadas pela Força Aérea Brasileira (FAB) para atender

ao aumento do número de aeronaves no céu brasileiro durante a Copa do Mundo da melhor forma possível e com as mínimas restrições. Veja, ainda, que a FAB incorporou, como sargentos, 149 atletas de alto rendimento. Eles vão representar a instituição em campeonatos esportivos realizados no país e também no exterior. Muitos são destaques em suas modali-

Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador Max Luiz da Silva Barreto

dades e já conquistaram inclusive medalhas internacionais. E na nossa reportagem sobre saúde, confira até que ponto aquela dose a mais de bebida alcoólica pode ser um sinal de que a pessoa está passando dos limites. Trazemos também

um teste para você responder e verificar se está perdendo o controle sobre o álcool. Boa Leitura! Brig Ar Pedro Luís Farcic Chefe do CECOMSAER

Chefe da Divisão de Comunicação Corporativa: Coronel Aviador Paulo Cesar Andari Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Aviador André Luís Ferreira Grandis Chefe da Seção de Produção: Major Aviador Rodrigo Alessandro Cano Chefe da Agência Força Aérea: Capitão Aviador Bruno Perrut Gomes Garcez dos Reis Editor: Tenente Jornalista João Elias ( Registro Profissional nº 8933 / RS)

Classificação ou desclassificação de documentos sigilosos das do Decreto de Tratamento de Informações Classificadas no Comando da Aeronáutica”. A LAI prevê a publicação anual dos róis das informações desclassificadas nos últimos 12 (doze) meses e classificadas, em cada grau de sigilo, até 1º de junho de cada ano. O “rol de informações desclassificadas” contém os Números Únicos de Protocolo (NUP) de todos os documentos desclassificados nos últimos 12 (doze) meses. Já o “rol de informações classificadas” contém as informações classificadas como RESERVADAS, SECRETAS ou ULTRASSECRETAS. Por isso, informações cujo sigilo seja devido a outras legislações (como fiscal e tributária), documentos preparatórios e informações pessoais não estão sujeitos aos termos de divulgação. Os documentos contendo informações ULTRASSECRETAS e SECRETAS reavaliados antes do prazo estipulado pela LAI

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltada ao público interno. Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

Desde a entrada em vigor da Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, Lei de Acesso à Informação (LAI), o Comandante da Aeronáutica atribuiu ao CIAER a responsabilidade pela orientação, normatização e supervisão dos processos de avaliação de documentos classificados no âmbito do Comando da Aeronáutica, visando adequar suas normas internas e assegurar o cumprimento das normas relativas ao acesso à informação, de forma eficiente e adequada aos objetivos desta Lei. Com esse intuito, o CIAER editou, em 2013, a ICA 200-12 – “Avaliação de Documentos Classificados no Comando da Aeronáutica”, que regula a instituição, composição, funcionamento e atribuição das Comissões e Subcomissões Permanentes de Avaliação de Documentos Sigilosos (CPADS/ SPADS), e o FCA 200-6 – “Guia Prático de Execução das Medi-

Expediente

(16 de maio de 2014), cuja decisão foi a de manter a classificação, deverão receber o Termo de Classificação de Informação (TCI), com a assinatura da autoridade competente para classificação, no caso o Comandante da Aeronáutica. Os TCI´s das informações ULTRASSECRETAS serão ratificados pelo Ministro da Defesa. A cópia do TCI será encaminhada para a Comissão Mista de Reavaliação de Informações Classificadas (CMRI), via CIAER. Todos estes documentos deverão constar no rol de informações classificadas e possuir seu respectivo TCI. A partir de maio de 2014, a classificação ou desclassificação de informações classificadas como RESERVADAS, SECRETAS e ULTRASSECRETAS deverá ser informada, mensalmente, pelas SPADS às suas respectivas CPADS, pelas CPADS ao CIAER, e pelo CIAER ao CMTAER, por meio de ofício

que contabilize toda a produção do mês de referência. Em paralelo, cada SPADS/CPADS atualizará seu rol utilizando o modelo de arquivo de planilha em formato “.xls” padronizado e fornecido pelo CIAER. Dessa forma, existirá um arquivo contendo todas as informações classificadas, em cada grau de sigilo, sendo atualizado mensalmente. Esta compilação permitirá atender a publicação dos róis para os anos seguintes nos termos da LAI. Este novo processo mensal normatizado pelo CIAER permitirá que o Comandante da Aeronáutica seja comunicado sobre a classificação ou desclassificação de informação como RESERVADA, realizada pelas autoridades competentes por ele delegadas, dentro do prazo de 90 (noventa) dias, conforme previsto no §4º do inciso III do art. 30 do Decreto nº 7.724/2012 (Centro de Inteligência da Aeronáutica).

Repórteres: Ten JOR Humberto Leite, Ten JOR Flávio Nishimori, Ten JOR Geraldo Bittencourt, Ten JOR Maria da Glória Galembeck, Ten JOR Evellyn Abelha, Ten JOR Iris Vasconcellos. Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná. Diagramação e Arte: Ten FOT José Mauricio Brum de Mello, Sargento Emerson Guilherme Rocha Linares, Sargento Santiago Moraes Moreira, Suboficial Edmilson Alves Maciel, Sargento Daniele Domingues Duarte Teixeira de Azevedo e Sargento Marcela Cristina Mendonça dos Santos. Revisão: Ten Cel Av André Luís Ferreira Grandis, Maj Av Rodrigo Alessandro Cano e Cap Av Bruno Perrut Gomes Garcez dos Reis Tiragem: 30.000 exemplares Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Comentários e sugestões de pauta sobre aviação militar devem ser enviados para: redacao@fab.mil.br Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A


Maio - 2014

PALAVRAS DO COMANDANTE

Uniforme na Aeronáutica: um motivo de orgulho pessoal

Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito Comandante da Aeronáutica

U

niforme. As duas principais acepções desta palavra revelam muito do que é a vida militar. De um lado, temos o Uniforme como roupa de vestir, as cores com as quais nos cobrimos diariamente para enfrentar a labuta diária. Um costume tão repetitivo e corriqueiro que, depois de anos de serviço, até nossos parentes se acostumam a enxergar aquele uniforme como parte de nós! Por outro lado, uniforme, na vida militar, revela como devemos atuar: de maneira uniforme, uníssona. Como uma tropa que dá cada passo de forma unida, que faz movimentos de pé firme ou em movimento como um só corpo; o que se espera dos militares é atuarem de maneira coordenada, acertada, com uniformidade. O uniforme também é, sem dúvida, nossa primeira comunicação em qualquer contexto. Vestir-se com apuro e correção é um sinal de zelo. Todo profissional bem-sucedido cuida da sua apresentação pessoal. Um militar bem fardado, bem alinhado, bem-apresentado

passa uma imagem bastante positiva. Não importa qual seja o assunto em tela: aquele que possui uma apresentação pessoal adequada já parte na frente. A boa apresentação pessoal passa aos colegas e chefias a imagem de que o cidadão, seja ele um militar ou mesmo um civil, dá importância ao seu trabalho, demonstrando respeito pelo ambiente e preocupação com suas obrigações. Em junho, entra em vigor o novo Regulamento de Uniformes da Aeronáutica, o RUMAER. Ali há mudanças que parecem ser pequenas, mas que precisam ser seguidos por todos os militares do Comando da Aeronáutica. Nós temos uniformes históricos, uniformes de representação, uniformes de serviço e uniformes de desfile militar ou guarda-de-honra. Os diversos uniformes estabelecem critérios que atendem à funcionalidade, à natureza das tarefas, à representatividade, à economicidade, à adaptabilidade e até às condições climáticas regionais. É proibido aos militares o uso de uniformes incompletos, o uso de peças não previstas ou combinadas de forma diferente e o uso de insígnias ou distintivos não previstos. Seguir à risca o que está previsto no RUMAER não é só estrito o cumprimento de um regulamento, mas também é mostrar ser um profissional zeloso e um militar que compreende a importância do que um uniforme representa na caserna.

“Todo profissional bem sucedido cuida da sua apresentação pessoal. Vestir-se com apuro e correção é um sinal de zelo.”

3


4

Maio - 2014

ACONTECE Novo drone Hermes 900

Um pelotão de infantaria da Aeronáutica, composto por 29 militares, segue em meados de maio para integrar a Missão de Paz das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH). O efetivo vai compor o 20º Contingente do Batalhão Brasileiro de Infantaria de Força de Paz (BRABAT 20) e deve permanecer no país da América Central por seis meses. Nas ruas da capital haitiana, os militares vão desenvolver ações de patrulha a pé e motorizada, check point, escolta de comboio, entre outras. O grupo, formado por 27 militares do Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Belém (BINFAE-BE) e dois do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), vai substituir os militares dos Batalhões de Infantaria Especial da Aeronáutica, do Rio de Janeiro.

A nova Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) chega ao Brasil em maio. O VANT Hermes 900, como é mais conhecido, será operado durante o período da Copa do Mundo pelo Esquadrão Hórus (1°/12° GAv), que emprega na FAB o RQ- 450 Hermes desde 2011. Entre as principais vantagens operacionais está o SkEye, um conjunto de câmeras de alta resolução que permitem a vigilância de uma região inteira.

CONCURSOS: AFA

FOTO: DIVULGAÇÃO

FOTO: TEN ENILTON / CECOMSAER

Missão de Paz no Haiti

Terminam dia 15 de maio as inscrições para o concurso da Academia da Força Aérea (AFA). São 80 vagas para as especialidades de aviação, intendência e infantaria. O candidato não pode ter menos de 17 anos e nem completar 23 anos de idade até 31 de dezembro de 2015. As inscrições devem ser feitas no endereço: www.epcar.aer.mil.br

Ficha de desempenho do oficial

EEAR

A Comissão de Promoções de Oficiais da Aeronáutica (CPO) disponibilizou para consulta a atualização do Demonstrativo de Desempenho do Oficial (Ficha CPO-7). O documento já considera os dados contidos na ficha de avaliação de desempenho (CPO-1) do último período avaliativo. A CPO-7 possui três campos distintos: “Posicionamento por Grupo de Mérito”, “Evolução do desempenho” e “Análise do desempenho acadêmico”. Os dados podem ser acessados, mediante senha pessoal, no endereço eletrônico www.cpo.intraer.

As inscrições para se tornar Sargento da Aeronáutica podem ser realizadas até o dia 26 de maio no site www.eear. aer.mil.br. O candidato deve ter entre 17 anos e 25 anos de idade até 31 de dezembro de 2015.

ANIVERSÁRIO Prefeitura de Aeronáutica de Canos - PACO

Prefeitura de Aeronáutica de São Paulo - PASP

Segundo Esquadrão de Transporte Aéreo - 2º ETA

06/05 - 60 anos

06/05 - 60 anos

12/05 - 45 anos

M i s s ã o Té c n i c a Aeronáutica Brasileira em Assunção - MTAB 04/05 - 32 anos

Prefeitura de Aeronáutica de Fortaleza - PAFZ

Base Aérea de Florianópolis - BAFL

Terceiro Esquadrão de Transporte Aéreo - 3º ETA

06/05 - 60 anos

10/05 - 91 anos

12/05 - 45 anos

Hospital de Aeronáutica de Manaus - HAMN

Prefeitura de Aeronáutica de Natal - PANT

Instituto de Cartografia Aeronáutica - ICA

Quarto Esquadrão de Transporte Aéreo - 4º ETA

05/05 - 11 anos

06/05 - 60 anos

10/05 - 31 anos

12/05 - 45 anos

Prefeitura de Aeronáutica de Belém - PABE

Prefeitura de Aeronáutica de Santa Cruz - PASC

Primeiro Esquadrão de Transporte Aéreo - 1º ETA

S ex to E s q u a d rã o d e Transporte Aéreo - 6º ETA

06/05 - 60 anos

06/05 - 60 anos

12/05 - 45 anos

12/05 - 45 anos


Maio - 2014

5

MÍDIAS SOCIAIS

Mais curtidas do mês

Em abril o Facebook atingiu 200 mil fãs. E a foto que mostra duas militares em forma teve 18.418 “curtir”. Já o vídeo da Aviação de Caça foi o mais visualizado no Youtube. E no Instagram, mais de 700 pessoas gostaram da imagem do Gripen.

Base Aérea de São Paulo BASP

19/05 - 27 anos

Escola Preparatória de Cadetes do Ar EPCAR 21/05 - 64 anos

Esquadrão de Demonstração Aérea - EDA

Centro de Documentação Aeronáutica - CENDOC

Instituto Tecnológico de Aeronáutica - ITA

14/05 - 62 anos

20/05 - 45 anos

21/05 - 64 anos

Pa r q u e d e M a t e r i a l Aeronáutico de São Paulo PAMA-SP 22/05 - 73 anos

Prefeitura de Aeronáutica de Pirassununga - PAYS

15/05 - 50 anos

Comando-Geral de Opereções Aéreas COMGAR 20/05 - 45 anos

Laboratório Químicofarmacêutico da Aeronáutica - LAQFA 21/05 - 43 anos

Pa r q u e d e M a t e r i a l Aeronáutico de Lago Santa - PAMA-LS 24/05 - 40 anos

Quinta Força Aérea V FAE

Comando-Geral do Pessoal - COMGEP

Base Aérea do Galeão BAGL

Diretoria de Engenharia da Aeronáutica - DIRENG

15/05 - 41 anos

20/05 - 45 anos

22/05 - 73 anos

26/05 - 62 anos

Odontoclínica de Aeronáutica Santos-Dumont OASD 12/05 - 28 anos

Hospital de Força Aérea de Brasília - HFAB

22/05 - 73 anos


6

Maio - 2014

FAB divulga planejamento para a Copa do Mundo N o dia primeiro de maio, entra em vigor uma circular de informação para a comunidade nacional e internacional sobre o planejamento de navegação aérea que consta no guia prático da Copa do Mundo, elaborado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo, o DECEA. Para falar sobre como vai ser o trabalho da Força Aérea Brasileira durante o evento, o NOTAER entrevistou o Chefe do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA), Coronel Aviador Ary Rodrigues Bertolino.

NOTAER - Qual é o planejamento do DECEA para a Copa do Mundo? Coronel Bertolino - O DECEA iniciou seu planejamento em 2008 com a criação de um plano de ação para grandes eventos e a partir daí desenvolveu um grupo de atividades, principalmente, em relação a adquirir conhecimento de outros países que já realizaram grandes eventos. Além disso, desde 2012 nós começamos a treinar 2.600 controladores de tráfego aéreo no ICEA, o Instituto de Controle do Espaço Aéreo. Nós treinamos, também, os especialistas em informações aeronáuticas porque são eles que vão controlar o plano de voo das aeronaves e os oficiais que vão tirar serviço na parte de gerenciamento de fluxo. NOTAER - Durante a Copa do Mundo vai haver a ativação

da Sala Master de Comando e Controle. Quais serão as outras agências governamentais que vão trabalhar junto com a FAB nesta sala? Coronel Bertolino – Esta sala visa tomar as decisões rápidas e ágeis de modo que todo o processo da Copa do Mundo transcorra com calma. Ela será ativada nas dependências do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea com empresas como a ANAC, a Polícia Federal, as companhias aéreas nacionais e internacionais, entre outras. NOTAER – Como vão funcionar as áreas de exclusão adotadas pela Aeronáutica? Coronel Bertolino – São três áreas. Na área reservada, que normalmente é a terminal da área daquela cidade-sede e vai variar entre 74 e 100 km, só poderão voar as aeronaves que tiverem seus planos de voo

“O espaço aéreo brasileiro é seguro e estará seguro na Copa do Mundo. A população e os visitantes podem ficar tranquilos que a Força Aérea Brasileira fez o planejamento que tinha que ser feito para que a Copa do Mundo possa transcorrer sem o menor problema no tocante à segurança e ao controle do espaço aéreo brasileiro”.

aprovados e seu código transponder acionado. Já a área restrita tem como centro o estádio de futebol no raio de 12,6 km e não poderão voar nessa área a aviação geral nem o táxi aéreo; a aviação regular, aviação comercial das empresas aéreas poderão voar livremente. E na área proibida, no raio de 7,2 km, somente poderão voar as aeronaves das Forças de Segurança e os helicópteros que vão gerar imagens para as emissoras de televisão que a FIFA determinou. NOTAER - Como será a ativação dessas áreas? Coronel Bertolino - O ba-

lizamento das áreas é sempre o início do jogo. No jogo de abertura e no jogo de encerramento, essas áreas serão ativadas três horas antes do início do jogo até quatro horas após o início do jogo. Nos jogos da primeira fase, já é um pouco diferente. As áreas serão ativadas uma hora antes até três horas após o início do jogo. E nas eliminatórias de oitavas de final, quartas de final e semifinal, essas áreas serão ativadas uma hora antes até quatro horas após o início dos jogos. NOTAER - Quais serão os impactos para a aviação com a ativação dessas áreas? Coronel Bertolino - Essas restrições não vão fechar nenhum aeroporto e não vai atingir nenhum dos principais aeroportos do país. Vamos pegar um exemplo. No Rio de Janeiro, em alguns momentos, o Aeroporto Santos Dumont estará com seu pouso restrito,

mas a decolagem estará liberada ou ao contrário. E lá você tem o Aeroporto do Galeão, então, a aeronave poderá pousar nesse aeroporto. NOTAER - A comunidade aeronáutica já foi comunicada sobre essas alterações? Coronel Bertolino - Nós informamos as empresas aéreas em janeiro deste ano e elas divulgaram que, aproximadamente, 800 voos seriam cancelados. Isso representa um por cento dos voos que estariam na Copa do Mundo. E desde o dia três de abril nós já enviamos para os usuários uma circular de informação aeronáutica que contempla todo o nosso guia prático do planejamento aéreo. Essa divulgação foi feita com 28 dias de antecedência da entrada em vigor da norma, que é 1° de maio, a data em que o mundo inteiro espera que os países divulguem suas informações que afetem sua navegação aérea.

FOTO:TEN ENILTON / CECOMSAER

COPA 2014


7

FOTO: SGT RAKSA / CINDACTA II

Maio - 2014

Aeronáutica coordena esquema de segurança para jogos em Curitiba

A

Força Aérea Brasileira ativou o Centro de Coordenação de Defesa de Área (CCDA) para comandar a segurança dos jogos da Copa do Mundo em Curitiba (PR). O CCDA vai integrar cerca de três mil militares das Forças Armadas, além de representantes de diversos órgãos como a Polícia Federal, Polícia Militar, Polícia Civil,

Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Saúde. O objetivo é integrar ao máximo todos os envolvidos e ter uma visão geral das operações que ocorrerem com contato direto com o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional, em Brasília (DF). No CCDA vão ser tomadas as decisões para garantir a segurança de torcedores e ci-

dadãos que moram nas áreas onde serão realizados os jogos. Do telão instalado no Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II) serão monitoradas as imagens de câmeras de segurança, o tráfego de veículos e até o espaço aéreo. As Forças Armadas só devem atuar nas ruas caso haja autorização da Presidência da República.

“Tenho a certeza de que o evento será tranquilo, mas a partir daqui poderemos coordenar ações a serem realizadas, caso seja necessário. Nossa estrutura foi preparada para reunir todos os envolvidos na realização da Copa. Nossa meta é a integração”, explica o Comandante do CCDA de Curitiba, Major-Brigadeiro Roberto de Carvalho.

Saiba mais: As outras cidades-sede vão ser comandadas pelo Exército e pela Marinha. As Forças Armadas têm sob sua responsabilidade atividades como a defesa de estruturas estratégicas, a prevenção de ataques terroristas e a proteção contra ameaças químicas, radiológicas e nucleares.


8

Maio - 2014

UNIFORMES

Começam a valer as mudanças no novo RUMAER O Regulamento de Uniformes da Aeronáutica (RUMAER) foi modificado em junho de 2012. Algumas novidades entraram em vigor juntamente com a edição do novo RUMAER. Outras mudanças passam a vigorar a partir de 14 de junho. Os militares tiveram dois anos para se adaptarem. Confira nas páginas seguintes as principais mudanças que você deve fazer para não ter problemas com seu uniforme. Gestantes

5º B Uniforme

8º Uniforme

Os 6º, 7º e 13º uniformes receberam novas peças para atender com mais conforto para as gestantes: Bata; Calça; Sapato de salto baixo.

Para facilitar o manuseio em viagens e cerimônias, foi criado o 5º B, com o gorro sem pala. Mas atenção: observe a indicação do uniforme, pois o 5º A é com quepe.

7º Uniforme

Ao utilizar jaqueta ou colete, a tarjeta de identificação do militar deve ser fixada no lado direito.

OLGA A+

10º Uniforme

Tarjeta de identificação em brim verde deve incluir o nome de guerra e o tipo sanguíneo bordado com linha preta.

Identificação de nacionalidade, tipo dístico, será de uso permanente na utilização deste uniforme.

O nome e a graduação do militar deve ser bordado no lado direito do abrigo.

FORÇA AÉREA Tarjeta FORÇA AÉREA em brim verde bordado com linha preta.

Identificação de nacionalidade, tipo dístico, NÃO É para ser usado rotineiramente. Uso somente nos seguintes casos: No ombro esquerdo: Deslocamento no exterior e operações com países estrangeiros; No ombro direito: Missões da ONU/OEA.

O distintivo do oficial deve ser fixado no lado direito do abrigo, abaixo do nome e do posto. O distintivo do graduado deve ser fixado na manga do abrigo.


Maio - 2014

Gorro sem pala (Suboficiais)

9º Uniforme O uso do boné é facultativo. Seguirá padronização de cada unidade.

O moletom do 9º uniforme foi substituído pelo abrigo.

É obrigatório o uso da camiseta branca com gládio alado (100% poliéster). A camisa regata está abolida.

Inclusão de um friso azul royal.

Quepes O crachá do quepe deve ser bordado.

O tênis deve ser branco. Não existe nenhuma menção a “predominantemente branco” no RUMAER.

Distintivos Quadro e Subgrupamento de uso na gola.

Inteligência

Aluno EPCAR

Manutenção Comunicação

Aluno CPOR

CFRA Administração

Suprimento Técnico

Saúde

QCOA

Música

QOCON

Taifeiros

CFRA Técnico

Administração

Proteção ao Voo

Infraestrutura e Metalurgia

Construção

Acessórios

Manutencão

Construção

Infraestrutura e Metalurgia

Proteção ao Voo

Eletricidade e Instrumento Eletrônica Equipamento de voo Estrutura e Pintura Mecânico de Aeronave Material Bélico

Cartografia Desenho Pavimentação Topografia Obras

Eletricidade Eletromecânica Metalurgia

Controle de Tráfego Aéreo Meteorologia

O padrão da tarjeta será o modelo de acrílico com as bordas arredondadas.

QOEA

Subsistência

Informações Guarda e Aeronáuticas Segurança

Alguns quadros são formados por mais de uma especialidade:

Tarjeta

CFRA Saúde

É permitido o uso de guarda-chuva preto; Só pode ser utilizada capa de celular da cor preta; O crachá só deve ser utilizado dentro da organização militar.

Somente para missões no exterior.

Para uso diário.

Obs: Todas as fotos foram retiradas do novo RUMAER

Confira todas as mudanças do RUMAER no endereço eletrônico: www.sdab.intraer/album.php Ou por meio do seu celular no QR Code:

9


10

Maio - 2014

MÍDIAS DA FAB

Aerovisão especial Copa do Mundo

E

sta edição da Aerovisão é especial. Com o tema Copa do Mundo presente em diversas reportagens, a revista é escrita em português e inglês. O objetivo é atingir o público que visitará o país. Durante o mundial, por exemplo, diversas delegações terão como ponto de chegada as Bases Aéreas da Força Aérea Brasileira (FAB). A revista tem como tema principal o esquema da FAB para a defesa e controle do espaço aéreo durante o evento esportivo mais importante do mundo. Por mais de 20 páginas, o leitor poderá conferir matérias que vão desde

uma entrevista sobre o Guia Prático de Alterações do Espaço Aéreo produzido pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) até como será o funcionamento do Centro de Coordenação Defesa de Área (CCDA). Mas a edição não para por aí. No total de 68 páginas, os leitores também vão poder acompanhar outros assuntos. Na revista, tem também uma matéria sobre o Grupo Especial de Inspeção em Voo (GEIV), unidade que utiliza aeronaves-

-laboratório para garantir a segurança do tráfego aéreo no Brasil; e outra sobre o KC-390, a nova aeronave de transporte de carga da FAB que deve fazer o primeiro voo ainda este ano.

No dia 08/05 o Conexão FAB mostra para você como foi a incorporação dos atletas de alto rendimento ao quadro de sargentos da instituição. Confira também como foi o Exercício Carranca 3, realizado em Florianópolis.

Vida saudável na Força Aérea FM

J

á está no ar na Rádio Força Aérea FM o programa Vida Saudável. Uma série de informativos transmitidos ao longo da programação diária da rádio, com duração de cerca de um minuto, passa dicas de saúde aos ouvintes de forma simples. O objetivo é alertar o efetivo da Força

Aérea Brasileira e a população como um todo sobre a importância da prevenção e dos cuidados com a saúde. A cada semana, um novo informativo entra na programação. Os temas são variados e vão desde orientações nutricionais para grávidas até dicas para evitar o câncer de pele.

No dia 01/05 vai ser exibido o quinto vídeo da campanha institucional “Força Aérea Brasileira: presente na vida dos brasileiros”. O tema é Missões de Paz. E você vai acompanhar a FAB levando segurança para países em crise.

A saúde bucal foi tema do primeiro programa. “A prevenção da saúde é fundamental, pois, apesar de o brasileiro ainda ter a cultura curativa, a preventiva é mais barata e menos agressiva. E os cuidados com a saúde bucal ajudam a combater doenças como cárie e gengivite, além de outras de origem sistêmica que vêm a partir de bactérias orais como a endocardite bacteriana”, afirma a Tenente Dentista Thayanna Crystina do Hospital de Aeronáutica de Belém. O programa Vida Saudável é uma iniciativa da FAB e conta com a parceria do Ministério da Saúde e da Câmara dos Deputados.

No dia 15/05 vai ao ar o primeiro programa sobre os 100 anos do Campo dos Afonsos. Acompanhe as realizações dos primeiros pilotos, os espetáculos das grandes aeronaves e o testemunho dos pioneiros.

Dia 22/05 a Aviação de Patrulha comemora 74 anos e a FAB TV vai apresentar para você as atividades dos esquadrões Orungan (BA), Phoenix (SC) e Netuno (PA) em missões de vigilância nas fronteiras de todo o Brasil.

Dia 29/05 o programa vai apresentar o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Além de formar engenheiros, o local concentra um conjunto de institutos do setor aeroespacial brasileiro.


Maio - 2014

11

AÇÕES Esquadrão Orungan treina no mar

FOTO:LUIZ PEREZ / DECEA

FOTO: 1º/7º GAv

Veja o vídeo:

M

gime de sobrevivência no mar em caso de pouso forçado. A atividade foi realizada na Base Naval de Aratu (BA). Os alunos experimentaram na prática a sensação de estar à deriva num bote por 18 horas.

FOTO: S2 MORAES / BAAN

ilitares do Esquadrão Orungan (1º/7º GAv) realizaram, entre os dias 04 e 11 de abril, o Estágio de Sobrevivência. O objetivo foi ambientar os 26 tripulantes da aeronave P-3 Orion ao re-

Carranca 3 simula situações de resgate

C

oordenado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o exercício Carranca 3 submeteu cerca de 350 profissionais, entre tripulantes dos esquadrões e coordenadores SAR, a situações simuladas que poderiam ser encontradas pelos militares na vida real. Ao todo, foram mais de 100 horas de voo e uma média de

12 missões diárias sobre terra ou mar. Entre as novidades, além da participação de um navio da Marinha do Brasil, foi adotado o uso de equipamentos de visão noturna (NVG), comunicação por satélite e o emprego de paraquedistas. “São situações baseadas em acidentes reais acontecidos no passado, com um alto nível de dificuldade, o que permite

um treinamento completo dos militares e uma visão cada vez mais fiel ao que encontramos no dia a dia das unidades envolvidas. É com esse tipo de treinamento que podemos salvar mais vidas no Brasil”, avalia o Tenente-Coronel Aviador Sílvio Monteiro Júnior, Diretor do Exercício, que ocorreu em Florianópolis durante duas semanas.

M

Exercício em conjunto em Anápolis

C

erca de 810 horas foram voadas durante o Exercício BVR-I. O treinamento realizado de 17 de março a 4 de abril teve como objetivo padronizar as Unidades de Defesa Aérea na doutrina de Combate BVR (Beyond Visual Range). Participaram do exercício a Terceira Força Aérea

(III FAE); o Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAvCa); o Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1º/14º GAv); o Primeiro Esquadrão do Quarto Grupo de Aviação (1º/4º GAv) e o Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte Aéreo (1º/1º GT).

ilitares do Primeiro Grupo de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (1ºGAAAD) e do Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Canoas (BINFAE-CO) participaram de instruções no uso de ferramentas de comando e controle destinadas ao gerenciamento da artilharia antiaérea. O objetivo foi treinar os profissionais para que as informações sejam processadas e distribuídas de maneira segura entre todos os envolvidos na estrutura de defesa antiaérea.

FOTO: 1º GAAD

Artilharia antiaérea especializa militares


12

Maio - 2014

GESTÃO

DIRAP cria sistema com histórico dos graduados

C

om o objetivo de facilitar a consulta ao histórico profissional dos militares avaliados nos eventos da Comissão de Promoção de Graduados (CPG), a Diretoria de Administração do Pessoal (DIRAP) desenvolveu um software denominado Sistema de Análise de Mérito (SAM). O SAM reúne, em um único banco de dados, todas as informações da vida pregressa de suboficiais, sargentos, cabos e taifeiros. A ferramenta disponibiliza gráficos de desempenho, transcrição de súmulas de votações plenárias, ficha de alterações,

informações sobre comportamento, inspeções de saúde, entre outras informações da vida do militar. Segundo o Secretário da Comissão de Promoção de Graduados (SECPG), Coronel Valdemiro Machado da Silva, o SAM veio para racionalizar os meios de consulta e diminuir o tempo de tramitação das informações. “Anteriormente, para o Comandante ter acesso a alguma informação profissional do militar, era necessária a tramitação física de document o s e n t re a s unidades militares e uma consulta

exaustiva e morosa a arquivos físicos e a diversos bancos de dados dos mais variados sistemas da Aeronáutica. Agora todas as consultas às informações profissionais do militar podem ser feitas num único sistema, mais moderno e confiável, com um simples clique do usuário”, explica o Coronel.

Saiba mais: O SAM facilita a análise e julgamento dos processos de seleção e inclusão de graduados em quadro de acesso, pedidos de reengajamento, entre outras situações.

A expectativa é que ainda este ano o Sistema de Análise de Mérito seja disponibilizado para Comandantes, Chefes e Diretores de Organizações Militares.

CARTAS AERONÁUTICAS

Instituto de Cartografia auxilia o tráfego aéreo

T

FOTO: SO SANTORO / III COMAR

odas as aeronaves que voam no espaço aéreo brasileiro, sejam militares ou

civis, carregam a bordo as cartas aeronáuticas produzidas pelo Instituto de Cartografia

Aeronáutica (ICA), no Rio de Janeiro (RJ). No âmbito da aviação, a carta precisa conter informações como o posicionamento de aeródromos, auxílios à navegação, aerovias, espaço aéreo e obstáculos. Mensalmente, o ICA publica conjuntos de navegação, que são manuais de informações aeronáuticas contendo as alterações que, porventura, venham a ocorrer. “Um novo obstáculo que surja próximo a um aeródromo, por exemplo, é um dado a constar na O trabalho do cartógrafo é realizado com base nos resultados de observações diretas ou de análise de documentação

atualização das cartas. Essas publicações obedecem a um calendário internacional e permanente, estabelecido pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI)”, ressalta a Capitão Engenheira Cristiane de Barros Pereira. A unidade também presta apoio para exercícios operacionais e manobras. É o caso dos exercícios de campanha ministrados para os Cadetes da Academia da Força Aérea (AFA), para os quais o ICA fornece cartas topográficas da região. Dependendo da necessidade, o ICA elabora produtos cartográficos exclusivos como na CRUZEX e na Operação Ágata.

Atribuições do Cartógrafo Dia seis de maio é o dia do cartógrafo. Entre as atribuições do especialista estão a confecção de cartas aeronáuticas, controle e execução das atividades relacionadas à cartografia e às informações e manuseio de imagens de satélite. Hoje o espaço territorial brasileiro é representado por meio de cartas elaboradas de acordo com as prioridades conjunturais e segundo os padrões cartográficos terrestre, náutico e aeronáutico.


Maio - 2014

13

SAÚDE

Bebida alcoólica: consumo social ou dependência? esejo incontrolável de beber, necessidade de ingerir quantidades maiores de álcool e crise de abstinência. Esses são alguns dos sintomas do alcoolismo, uma doença crônica que atinge cerca de seis milhões de brasileiros e nem sempre é facilmente identificada. O limite entre o consumo social e a dependência pode ser decisivo para o início do tratamento da doença que faz mal tanto para a saúde física quanto a mental. Considerada uma droga socialmente aceita, o álcool mesmo em pequenas quantidades pode causar alterações no organismo. “Beber é sempre um risco. Afinal, apenas uma dose de álcool no sangue pode ser suficiente para diminuir o estado de atenção da pessoa”, explica a Médica Psiquiatra, Tenente Camilla Oliveira Otoni, do Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB). Para caracterizar a doença, além do exagero nas doses, outros fatores são considerados como a perda do controle sobre o álcool e a perda de interesse em atividades que antes eram prazerosas, além de sintomas como suor frio, tremedeiras e nervosismo.

“Apenas uma dose de álcool no sangue pode ser suficiente para diminuir o estado de atenção da pessoa.”

FOTO: CB V SANTOS / CECOMSAER

D

Teste Responda o questionário abaixo e verifique se você está perdendo o controle sobre o álcool. Quatro respostas positivas já são um sinal de alerta. Já tentou parar de beber por uma semana (ou mais) e não conseguiu? Ressente-se com os conselhos dos outros que tentam fazê-lo parar de beber? Já tentou controlar sua tendência de beber demais, trocando uma bebida alcoólica por outra? Tomou algum trago pela manhã nos últimos doze meses?

O alcoolismo não tem cura, mas é possível controlá-lo. O tratamento pode incluir internação, participação em grupos de apoio - como o Alcoólicos Anônimos (AA) e o uso de medicamentos, terapias e reuniões com os familiares. “Além da força de vontade do paciente, o apoio da família é fundamental. Ainda tem gente que enxerga o alcoolismo como fraqueza, falta de caráter e não como uma doença. Esse é um assunto que provoca dúvidas e preconceito”, ressalta a Tenente Camilla. Causas e efeitos O alcoolismo pode ter origens genéticas. Mas outros fatores também podem

contribuir como ansiedade, depressão, timidez, insônia, angústia e insegurança. Além disso, condições culturais, religiosas e culinárias também influenciam diretamente no consumo do álcool. “O uso excessivo e prolongado do álcool acarreta efeitos físicos como olhos vermelhos, fala enrolada, náuseas e vômitos, disfunção sexual, cirrose, além de problemas cardíacos, renais e estomacais. Psicologicamente causa euforia ou depressão, amnésia, atrofia cerebral e até mesmo demência. Os efeitos são específicos de cada indivíduo, mas geralmente as mulheres são mais sensíveis”, finaliza a psiquiatra.

Depoimento “O alcoólico não admite a dependência” “Por causa da bebida eu perdi minha família, minha dignidade, minha situação financeira. Cheguei a dever para seis agiotas, porque para alimentar meu vício não conseguia pagar minhas contas. O problema é que o alcoólico não admite a dependência e por não enxergar minha condição vivi na dependência por quase 20 anos. Não passava um dia sem beber. Certa vez uma pessoa me convidou para uma reunião no grupo Alcoólicos Anônimos e durante dois meses me escondi para não ir até lá. Vencido pelo cansaço fui até a reunião e lá ouvi tantas histórias iguais a minha e conheci pessoas que estavam conseguindo controlar o vício. Não foi fácil, mas a partir dali, tomei a decisão que iria me tratar e aqui estou eu hoje sem uma gota de álcool desde a minha primeira reunião no AA há 30 anos atrás”, revela o servidor público Juraci.

Inveja as pessoas que podem beber sem criar problemas? Seu problema de bebida vem se tornando cada vez mais sério nos últimos doze meses? A bebida já criou problemas no seu lar ou trabalho? Nas reuniões sociais onde as bebidas são limitadas, você tenta conseguir doses extras? Apesar de prova em contrário, você continua afirmando que bebe quando quer e para quando quer? Faltou ao serviço, durante os últimos doze meses, por causa da bebida? Já experimentou alguma vez ‘apagamento’ durante uma bebedeira? Já pensou alguma vez que poderia aproveitar muito mais a vida, se não bebesse? Fonte: Alcoólicos Anônimos (AA)


14

Maio - 2014

EMPREENDEDORISMO

Empresa Júnior do ITA encurta distância entre alunos e o mercado de trabalho

E

com os espaços tradicionais de ensino do ITA é a reunião de estudantes entusiasmados pelos projetos com os quais se envolvem. Essa é a realidade da ITA Júnior, empresa formada por alunos que se dedicam à realização de projetos e atividades de consultoria para organizações de todo o mundo. O total de membros fixos da empresa hoje gira em torno de 28 alunos, que ficam em média dois anos envolvidos nas atividades administrativas e de intermediação institui-

FOTOS: ITA JÚNIOR

ntre as diversas salas do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP), uma delas foge do padrão clássico professor-aluno: no lugar das tradicionais carteiras, uma mesa retangular ocupa área de destaque; em vez de lousa, laptops estão espalhados em diversas posições; em substituição a quadros com fórmulas matemáticas, fotografias dos trabalhos realizados nas empresas preenchem as paredes. A única coisa em comum

Os alunos desenvolvem mais projetos em Tecnologia da Informação

ção-mercado. A execução dos projetos é feita por cerca de 70 estudantes da instituição que formam um banco de dados divididos por habilidades. “As atividades desenvolvidas pela ITA Júnior abarcam, em regra, áreas ligadas aos cursos de graduação do ITA. Mas as habilidades extracurriculares adquiridas pelos estudantes também são levadas em conta”, explica Maurício Matsoui, aluno do 4º ano de Engenharia Aeroespacial que ocupa o cargo de Diretor Executivo. O processo de seleção de novos membros é dividido em etapas. De início, é realizado um evento para atrair interessados. Depois do primeiro contato, os candidatos são testados no trabalho em equipe através de uma dinâmica de grupo. Por fim, eles são avaliados em uma entrevista com dois ou três membros da empresa. No último processo seletivo, dos 120 iteanos aprovados no vestibular, 56 se inscreveram; desses, apenas 26 passaram a fazer parte da equipe.

ITA Júnior desenvolve projetos para empresas até do exterior

O valor cobrado por projeto desenvolvido pela empresa varia de R$ 800 a R$ 40 mil. O dinheiro arrecadado é usado para suprir os custos da própria empresa. No currículo, constam trabalhos em parceria com a TAM, a P&G, a Johnson e a TetraPark. A Microsoft contratou a ITA Júnior para realizar o trabalho de tradução do inglês para o português do Visual Studio, pacote de programas da empresa americana usado para criação de software. “A execução desse projeto deu tão certo que mereceu uma publicação na rede social oficial da Microsoft, como reconhecimento do potencial dos alunos e a qualidade do trabalho”, comenta Alexandre Ferraz, Diretor de Marketing da ITA Júnior e aluno do 4º ano de Engenharia Aeroespacial. Os alunos que atuam como membros efetivos da ITA Júnior não recebem salário para trabalhar, mas a visibilidade na execução de grandes projetos ajuda na busca de uma vaga de emprego.


Maio - 2014

15

Atletas de alto rendimento vão representar a FAB

P

ela primeira vez, a Força Aérea Brasileira realizou uma seleção de atletas de alto rendimento para representar a instituição em campeonatos nacionais e internacionais. Os novos sargentos foram incorporados no mês passado depois de passarem duas semanas em treinamento militar. “Acredito que essa troca de conhecimento será muito importante, pois são atletas experientes. Eles terão uma boa estrutura para poder evoluir tecnicamente e representar bem o Brasil nas competições”, explica o Coronel de Infantaria Márcio Ronaldo Rocha, Vice-Presidente da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA).

Além da infraestrutura de treinamento, os atletas vão ter à disposição nutricionista, fisioterapia e atendimento médico. Eles devem permanecer nas cidades e clubes onde atuam. “Com certeza, vários desses atletas vão conseguir vaga olímpica e poderão conquistar medalhas representando a FAB nos diversos campeonatos em que participarem”, afirma o treinador Filé. Os atletas são de nove modalidades: badminton, basquetebol, ciclismo, handebol, atletismo, orientação, tiro com arco, triatlo e vôlei de praia. Para participar da seleção, o candidato deveria ter idade entre 19 e 45 anos, ensino médio completo e estar relacionado no ranking nacional ou estadual em 2012 ou 2013.

TRIATLO

FOTOS: SGT BATISTA / CECOMSAER

ESPORTE

Os atletas incorporados vão representar a FAB em competições nacionais e internacionais

Saiba mais: As modalidades desta seleção foram escolhidas em um acordo entre o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e a Confederação de Desporto Militar Brasileira (CDMB).

VÔLEI DE PRAIA

“Eu nado desde criança e, aos 14 anos de idade, com influência de alguns amigos comecei a pedalar e a correr também. Fiz minha primeira competição em maio de 1993. Eu corro as provas olímpicas para me manter no ranking nacional, mas agora estou mais focado nas longas distâncias. Sou tricampeão do Troféu Brasil, atleta da seleção nos últimos quatro anos e vice-campeão do Ironman 70.3 do Brasil. Estou muito feliz em poder representar a Força Aérea.”

SGT Fábio Botelho de Carvalho

Nas Olimpíadas de Londres, 67 atletas militares integraram a delegação brasileira esportiva. A meta para os Jogos de 2016 é que ultrapasse a marca dos 100.

SGT Fernanda Berti

“Desde os nove anos, eu jogo vôlei. Comecei na escolinha do Fluminense, fui jogando, gostando e, aos 15 anos, passei a fazer parte da seleção brasileira infanto-juvenil. Aos 17, saí de casa para jogar no meu primeiro clube profissional. No vôlei de quadra, fui atleta da seleção brasileira, disputei um Sul-americano, fomos campeãs da Copa dos Campeões. Desde 2012, mudei das quadras para o vôlei de praia e fui campeã no Sul-americano também. Por três anos, eu servi no Exército Brasileiro e agora é uma honra poder representar a Força Aérea Brasileira”

Os atletas devem ser convocados para representar a FAB nos Jogos Mundiais Militares de 2015, que serão disputados na Coréia do Sul e os jogos olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

ATLETISMO “Eu sou de Ceilândia (DF) e comecei a correr aos 12 anos com meu irmão em um grupo na cidade. Aos 15, recebi o convite para participar de uma equipe em São Paulo, onde estou até hoje. Sou tricampeão da Corrida de São Silvestre, bicampeão da Maratona de Nova Iorque e ostento hoje o recorde das distâncias de 5 mil metros, 10 mil metros, 15 km de rua e da meia maratona. Agora eu estou realizando o sonho de me tornar militar.”

SGT Marilson Gomes dos Santos



NOTAER - Maio de 2014