Page 1

www.fab.mil.br

Ano XXXVI

Nº 6

Junho, 2014

ISSN 1518-8558

A Força Aérea entra em campo na Copa do Mundo FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

Saiba como a FAB vai atuar durante a Copa do Mundo para garantir a defesa do espaço aéreo brasileiro. Págs. 08 e 09

FINANÇAS Cuidado ao fazer um empréstimo consignado. A operação envolve vários riscos. E conheça o AERCONSIG, o sistema digital de consignações da FAB. Pág. 12 FOTO:SGT BATISTA / CECOMSAER

Acesse o NOTAER no QR Code abaixo:

KC-390

O jato nacional vai cumprir as mesmas missões do Hércules só que com mais rapidez, mais conforto e tecnologia de ponta. Pág. 05

ALIMENTAÇÃO

TECNOLOGIA

Conheça os melhores ranchos da FAB e quais aspectos foram considerados para que eles entrassem no topo da lista. Pág. 14

Programa da Escola de Especialistas monitora a inclusão dos ex-alunos no dia a dia das diversas Organizações Militares. Pág. 11


2

Junho - 2014

FOTO: TEN ENILTON / CECOMSAER

CARTA AO LEITOR

A FAB na Copa com Você Esta edição do NOTAER mostra como a Força Aérea irá atuar durante a Copa do Mundo 2014. Você vai ficar sabendo como será realizada a defesa do espaço aéreo, quais aeronaves irão participar, como vai funcionar a Sala Master de Comando e Controle, quais as atuações das Coordenações de Defesa de Área (CDA) e, também, quais as cidades que vão receber as delegações internacionais. No clima do Mundial de Futebol, veja também como o Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA 2),

em Curitiba, se preparou para coordenar as ações da Copa na cidade. Veja também que a Força Aérea Brasileira assinou o contrato de aquisição de 28 KC-390, que serão entregues a partir de 2016. A aeronave é mais rápida, mais confortável e mais potente que o Hércules. A previsão é que o primeiro protótipo voe ainda neste ano. Vários países já demonstraram interesse em comprar a aeronave do Brasil. Saiba como foi a Operação Ágata em toda extensão da fronteira brasileira com os dez países sul-americanos.

Com o emprego de 30 mil militares e a participação de agentes das polícias federal, rodoviária federal, militar e de agências governamentais, foram apreendidas cerca de 40 toneladas de drogas. E confira se o rancho da sua unidade está entre os cinco primeiros da FAB. A Subdiretoria de Abastecimen-

to (SDAB) fiscaliza o trabalho das organizações militares em aspectos como consumo, modo de aplicação dos recursos, estoque, planejamento, entre outros. Boa Leitura! Brig Ar Pedro Luís Farcic Chefe do CECOMSAER

Chefe do CECOMSAER: Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic

Chefe da Subdivisão de Produção e Divulgação: Tenente-Coronel Aviador André Luís Ferreira Grandis Chefe da Seção de Produção: Major Aviador Rodrigo Alessandro Cano Chefe da Agência Força Aérea: Major Aviador Bruno Pedra Editor: Tenente Jornalista João Elias ( Registro Profissional nº 8933 / RS) Repórteres: Ten JOR Humberto Leite, Ten JOR Flávio Nishimori, Ten JOR Emille Cândido, Ten JOR Evellyn Abelha, Ten JOR Iris Vasconcellos. Colaboradores: textos enviados ao CECOMSAER via Sistema Kataná.

Qual é a força da sua senha? sites. A mesma pesquisa sugere que o usuário tenha três senhas: uma do banco, uma do e-mail e uma para as mídias sociais. A regra mais importante é: “senhas diferentes para acessos diferentes”. Dessa maneira, se um hacker conseguir sua senha do Facebook, o seu acesso ao site do banco não estará comprometido. Nesse instante, o leitor deve estar pensando: “não consigo decorar tantas senhas diferentes”. Sugere-se, então, alguns procedimentos para facilitar sua vida: o tamanho da senha é mais importante que sua complexidade. Antigamente usava-se o modelo de “palavra chave”, senhas como “$%a2Hij8”, poucos caracteres (senha fraca) e de difícil memorização. Prefere-se, hoje, o conceito de “Frase Chave”, como “passar0s Pes@m 13 kilos”, muitos caracteres e

O jornal NOTAER é uma publicação mensal do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER), voltada ao público interno.

Chefe da Divisão de Comunicação Integrada: Coronel Aviador Max Luiz da Silva Barreto

PENSANDO EM INTELIGÊNCIA

Aquele que dentre vós nunca esqueceu uma senha seja o primeiro que atire pedra. O homem moderno interage com diversas plataformas computadorizadas diariamente. Muitas das informações lidas e transmitidas nesses sistemas são de caráter privado e carecem de maiores cuidados. A senha é um dos mecanismos de maior sucesso para a proteção adequada dos dados sensíveis. A quantidade de senhas que se faz necessário memorizar atualmente é enorme. São senhas de acesso ao caixa eletrônico, internetbanking, e-mail (pessoal e corporati vo), redes sociais, redes internas, login de usuário em máquinas (de casa e do trabalho), smartphone, etc. Em pesquisa da McAfee, constatou-se que cerca de 77% dos usuários utilizam a mesma senha para vários

Expediente

de fácil memorização. Escolha uma frase de música, livro ou qualquer uma que seja de fácil memorização e faça alterações como: utilizar letras maiúsculas, substituir letras por números (A por 4, i por 1, e por 3), inserir números e caracteres especiais entre as palavras, bem como no início e fim da senha. Você pode se utilizar de erros de linguagem na senha: $_$Naum_Gostu_Du_Uatizapi$_$. Utilize os Emoticons (“as carinhas”) para facilitar a memorização dos caracteres especiais. Ex. :), :(, :D, <3, etc. Pode-se utilizar frases que se relacionem com o site acessado. “Nao Sou V1ciado Em Facebook!:(“ ou “Nao Sou V1ciado Em Gmail!”). Mude a senha padrão que seu administrador de rede lhe forneceu no início de suas atividades.

Evite utilizar senhas de sistemas importantes em máquinas públicas. Hackers podem deixar Malwares que capturam as senhas. Mude as senhas com frequência. Uma boa ideia é mudar apenas a frase e manter o padrão dos caracteres especiais e números ou o contrário, mantenha a frase e mude o padrão. Não deixe suas senhas anotadas em papéis, principalmente aqueles que ficam colados na tela do monitor, nem salve senhas em arquivos de texto no computador. Tente exercitar sua memória. Se o caro leitor seguir as dicas listadas acima, com certeza elevará o nível de segurança de suas atividades no meio cibernético. Não se esqueça das duas regras mais importantes: várias senhas e senhas longas. Seja inteligente e esteja seguro.(Centro de Inteligência da Aeronáutica)

Diagramação e Arte: Ten FOT José Mauricio Brum de Mello, Sargento Emerson Guilherme Rocha Linares, Sargento Santiago Moraes Moreira, Sargento Daniele Domingues Duarte Teixeira de Azevedo e Sargento Marcela Cristina Mendonça dos Santos. Revisão: Cel Av Paulo Cesar Andari, Ten Cel Av Cláudio José Lopez David, Ten Cel Av Aloisio Secchin Santos, Ten Cel Av Emerson Mairani Braga. Tiragem: 30.000 exemplares Estão autorizadas transcrições integrais ou parciais das matérias, desde que mencionada a fonte. Comentários e sugestões de pauta sobre aviação militar devem ser enviados para: redacao@fab.mil.br Esplanada dos Ministérios - Bloco “M” 7º andar CEP - 70045-900 / Brasília - DF

Impressão e Acabamento: Log & Print Gráfica e Logística S.A


Junho - 2014

3

FOTO: SGT JONHSON / CECOMSAER

PALAVRAS DO COMANDANTE

Pátria, Futebol e Dever

C

Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito Comandante da Aeronáutica

“Vamos entrar em campo com competência e responsabilidade, mas, assim como um árbitro, na expectativa de que nosso trabalho não ocupe os comentários de torcedores nem de analistas esportivos.”

hegou a hora. Cidadãos vão pintar o rosto com as cores nacionais e o verde e o amarelo vão adornar ruas, estabelecimentos comerciais e quase todos os nossos programas de TV. A chegada da Copa do Mundo traz uma onda de patriotismo tão bem caracterizada pelo fato da Bandeira do Brasil, nosso sagrado Pavilhão Nacional, tornar-se presença constante em praticamente todos os lugares. Nós, militares, devemos ter uma postura cuidadosa nesses momentos de comoção nacionalista. A Bandeira Nacional deve ser tratada com o devido respeito. É nosso dever lembrar a todo instante que o futebol é uma paixão nacional, mas nossa Pátria deve ser cultuada e respeitada sempre, em primeiro lugar.

É em nome dessa devoção primeiro ao País, e só depois ao futebol, que muitos militares e civis do Comando da Aeronáutica vão perder gols, lances emocionantes e jogadas surpreendentes. Antes, durante e depois que a bola rolar, homens e mulheres que vestem azul vão garantir um tráfego aéreo fluído e seguro, uma defesa aeroespacial contra qualquer tipo de ameaça e, se preciso for, a conhecida presteza e eficiência em todo tipo de apoio a ser solicitado pelo Estado Brasileiro. As cinco estrelas na camisa vestida pelos nossos jogadores dão orgulho, mas emociona, também, o belo trabalho feito por quem sacrifica momentos de lazer para atuar em prol da segurança dos outros.

E como as senhoras e os senhores serão necessários! Temos a responsabilidade, como País, de bem receber o maior evento esportivo do planeta. Doze das nossas capitais serão sedes dos jogos, e outras tantas cidades acolherão as delegações estrangeiras. Vamos entrar em campo com competência e responsabilidade, mas, assim como um árbitro, temos a expectativa de que nosso trabalho não ocupe os comentários de torcedores nem de analistas esportivos. O que queremos, de fato, é ver a bola na rede e os torcedores retornando aos seus lares orgulhosos pela organização do evento. Boa sorte aos craques que vestem a camisa amarela. E bom trabalho aos nossos talentos que vestem o uniforme azul.


4

Junho - 2014

ACONTECE Artigos Científicos

Inscrições para o CPCAR

PASP administra mais de mil imóveis A Prefeitura de Aeronáutica de São Paulo (PASP) possui mil e cinco imóveis sob a sua administração, tanto na capital paulista quanto em Guarulhos, e garante residência para os militares da guarnição. “Nosso grande desafio é a idade dos imóveis, alguns da década de 1940. Algo que nos exige muito quando temos que fazer as reformas, mas procuramos

mantê-los adequados às necessidades do nosso efetivo”, afirmou o Prefeito de Aeronáutica de São Paulo, Coronel Intendente Alcides Roberto Nunes. A unidade, que completou 60 anos em maio, vive agora a expectativa de ampliar a sua responsabilidade. O próximo passo deve ser o atendimento dos imóveis que integram o Núcleo da Base Aérea de Santos.

As inscrições de resumo de trabalhos para a 4ª Jornada Latino-Americana de Fatores Humanos e Segurança Operacional podem ser feitas até o dia 20 de julho. O evento acontecerá em abril de 2015, em Brasília. A proposta deve se inserir em um dos cinco eixos temáticos: saúde e qualidade de vida na atividade aérea; implementação dos sistemas de gerenciamento

do sexo masculino, que não tenham completado 18 anos. O Aluno do CPCAR receberá remuneração fixada em lei, de acordo com a sua graduação, além de alimentação, alojamento, fardamento, assistência médico-hospitalar e dentária. O curso é realizado na EPCAR, localizada em Barbacena (MG). Outras informações no endereço eletrônico: www.epcar.aer.mil.br

da segurança operacional; acidente sistêmico - da concepção à prevenção; formação e capacitação em aviação e gerenciamento de crise; e suporte psicológico no pós-acidente aeronáutico. Os resumos aprovados deverão ser desenvolvidos em artigos científicos para publicação na revista Conexão SIPAER. Outras informações no e-mail: jornadafh2015@gmail.com

Competição Internacional de Badminton Será realizado de cinco a oito de junho, o 2º Mercosul Internacional de Badminton, com a participação de 13 países. O evento será realizado em Foz do Iguaçu, no Paraná. Dos 93 atletas, 18 pertencem ao Quadro de Sargentos Convocados (QSCon) da Força Aérea. Eles foram incorporados no final de abril como atletas de alto rendimento.

São nove homens e nove mulheres que vão disputar na categoria adulta nos jogos

simples, dupla masculina, dupla feminina e dupla mista (masculino e feminino). FOTO: CDA

Cadetes do Ar (CPCAR) 2015. São 180 vagas no total. Podem se inscrever brasileiros natos,

FOTO: CB SILVA LOPES / CECOMSAER

Estão abertas até o dia cinco de junho as inscrições para o Curso Preparatório de

ANIVERSÁRIO Prefeitura de Aeronáutica dos Afonsos - PAAF

Instituto de Estudos Avançados - IEAV

01/06 - 59 anos

02/06 - 32 anos

Fazenda de Aeronáutica de Pirassununga - FAYS

Grupo de Transporte Especial - GTE

04/06 - 62 anos

04/06 - 73 anos

P r i m e i ro G r u p o d e Comunicações e Controle - 1º GCC 08/06 - 32 anos

Pa r q u e d e M a t e r i a l Aeronáutico do Galeão PAMA - GL 11/06 - 78 anos

Prefeitura de Aeronáutica de Recife - PARF

Ser viço Regional de P r o t e ç ã o a o Vo o SRPV- SP 27/06 - 67 anos

Instituto de Logística da Aeronáutica - ILA

I n st i t u to H i stó r i co Cultural da Aeronáutica - INCAER 27/06 - 28 anos

FELIZ

ANIVERSÁRIO

26/06 - 68 anos

27/06 - 26 anos

FELIZ

ANIVERSÁRIO


Junho - 2014

5

OPERACIONAL

final de 2016 trará novidades para a aviação de transporte. É este o prazo previsto para o recebimento do primeiro KC-390, jato nacional que vai cumprir as mesmas missões do Hércules, só que mais rápido, com mais conforto e com tecnologias de ponta, como fly-by-wire e sistemas de autodefesa. No mês passado, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito, assinou com a Embraer o contrato para aquisição de 28 unidades, a serem entregues ao longo de doze anos. “O KC-390 é um projeto que foi cuidadosamente especificado para servir ao nosso País, em total alinhamento com as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa e vai

representar um salto na capacidade operacional da aviação de transporte”, ressaltou o Oficial-General. O primeiro protótipo, que deve voar ainda em 2014, já está em fase avançada de construção na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP). Ali já é possível ter uma ideia das dimensões do avião. O compartimento de carga terá 18,54 metros de comprimento, 3,45 metros de largura e 2,95 de altura. É o suficiente para acomodar equipamentos de grandes dimensões, além de blindados, peças de artilharia, armamentos e até aeronaves semi-desmontadas. Também poderão ser levados 80 soldados em uma configuração de transporte de tropa ou 64 paraquedistas ou 74 macas mais uma equipe médica.

FOTOS: SGT BATISTA / CECOMSAER

O

KC-390 chega em 2016

A aeronave é mais rápida, tem mais conforto e tecnologia que o Hércules

Uma aeronave mais moderna

O primeiro protótipo está em fase de construção e deve voar ainda este ano

Saiba mais: O contrato do KC-390 inclui um pacote logístico e todos os opcionais possíveis, como tecnologias de ponta e os sistemas de autodefesa.

Os países Argentina, Chile, Colômbia, Portugal e República Tcheca já demonstraram interesse em comprar a aeronave do Brasil.

É nos detalhes que o KC-390 se mostra uma aeronave realmente moderna. Quem voa hoje a bordo dos Hércules da FAB terá boas surpresas quando conhecer o novo avião. O banheiro e o local para preparar as refeições vão chamar a atenção, mas a tecnologia trará ainda mais vantagens. As turbinas a jato, por exemplo, dão ao KC-390 uma velocidade máxima de 850 Km/h, cerca de 27% mais rápido que alcançado pelos C-130. Apesar da ausência de hélices, o modelo do consórcio IAE é homologado para voos em regiões com detritos ou gelo, como acontece nas missões do 1º /1º GT e do 1º GTT, esquadrões que operam o C-130. Na cabine de pilotagem, surpreende o campo visual e o fato do avião poder ser comandando por apenas dois tripulantes, com um terceiro sendo necessário apenas para ações mais complexas, como busca e reabastecimento em voo. Mesmo sem reabastecimento em voo, o alcance é adequado para as missões hoje desenvolvidas nos esquadrões equipados com Hércules. Um KC-390 poderá decolar de Brasília e chegar sem escalas a qualquer capital brasileira com 19 toneladas de carga. Ou, da Capital Federal e sem peso extra, fazer um voo direto até Porto Príncipe, no Haiti. No caso da República Tcheca, um KC-390 que decole com carga máxima de Praga poderá chegar a qualquer ponto da Europa e partes da Ásia, África e Oriente Médio sem paradas.


6

Junho - 2014

OPERACIONAL

Operação Ágata bate recorde em apreensão de drogas

A

Operação Ágata 8, um dos eixos de defesa para a Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, apreendeu cerca de 40 toneladas de entorpecentes na fiscalização em toda a fronteira do país. A quantidade é mais que o dobro da droga retirada de circulação no ano passado. O maior volume de apreensão ocorreu num trecho entre os municípios de Cabixi (MT) e Novo Mundo (MS), divisa com a Bolívia e o Paraguai. Numa única ação, as tropas militares e policiais encontraram 15 mil quilos de maconha em um caminhão que havia passado pela fronteira e se deslocava já no município de Paranaíba (MS), com destino a São Paulo. Nos 12 dias de operação, foram feitas 122.428 inspeções em veículos e 7.776 em embarcações. Mais de 20 mil pessoas foram revistadas. Os militares apreenderam 206 barcos, 126 automóveis e 28 armas. Nas

áreas de floresta, a operação conseguiu fechar o cerco a madeireiros ilegais e, como resultado, a apreensão de 58 metros cúbicos de madeira. Além disso, este ano foram prestados 12.443 atendimentos em diversas especialidades médicas e 16.655 odontológicas. A Força Aérea Brasileira centralizou o processo de comando e controle no Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), em Brasília. Para a Operação Ágata 8, a FAB contou com cerca de 30 aeronaves, distribuídas nas quatro áreas de atuação, onde foram realizadas missões de Defesa Aérea, Transporte Aéreo Logístico e Busca e Salvamento, entre outras. Ao total, a operação mobilizou cerca de 30 mil militares da Aeronáutica, da Marinha, do Exército e dos órgãos policiais, além de profissionais de agências governamentais.


Junho - 2014

7

AÇÕES

Esquadrão Poti participa de treinamento ano os principais destaques do exercício foram o emprego armado noturno e a segunda campanha de emprego real do míssil Ataka. Durante a operação, além do emprego tradicional no estande de tiro, foram também realizados treinamentos mais próximos do real, onde os militares empregaram o armamento em alvos táticos localizados em pontos diversos no estande de tiro do CPBV.

Segundo o Comandante do Esquadrão, Tenente-Coronel Aviador Rodrigo Gibin Duarte, essa é a melhor forma de qualificar o piloto. “Quanto mais nós treinamos e quanto mais próximos do real tentamos chegar, mais qualificados ficamos para cumprir a missão determinada pela Força Aérea e pelo comando superior, contribuindo, assim, para a manutenção da soberania do Estado brasileiro”, afirma o Comandante.

FOTO: CB V. SANTOS / CECOMSAER

O

Esquadrão Poti (2º/8º GAv), sediado em Porto Velho (RO), deslocou por cerca de um mês, grande parte do seu efetivo para o Campo de Provas Brigadeiro Velloso (CPBV). O objetivo foi realizar o treinamento armado do helicóptero de ataque da Força Aérea Brasileira, o AH-2 Sabre, durante a operação Zarabatana V, que acontece anualmente e está na sua quinta edição. Este

(7º/8º GAv). “Aqui podemos colocar em prática todo o treinamento de evacuação aeromédica e transporte aerologístico, além de conhecer os procedimentos

de comando e controle para apoio frente a um desastre natural”, ressalta o Major Aviador Sílvio Roberto Assunção de Oliveira Filho, do Esquadrão Pelicano. FOTO: TEN ENILTON / CECOMSAER

A

FAB participou do Exercício Cooperación III, realizado no Peru de 23 de abril a 1º de maio. Organizado pelo Sistema de Cooperação das Forças Aéreas Americanas (SICOFAA), o exercício, que contou com a participação de 10 países, teve como objetivo integrar as coordenações de comando e controle no apoio a calamidades públicas e assistência a desastres naturais. O Brasil participou do treinamento com uma aeronave SC-105 do Esquadrão Pelicano (2º/10º GAv) e um helicóptero H-60 Black Hawk, do Esquadrão Harpia

FOTO: CLBI

Cooperación III simula terremoto no Peru

Operação Astros lança foguetes O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), localizado em Parnamirim (RN), lançou 31 foguetes em cinco dias. Essa foi a Operação Astros 2020, realizada entre os dias 22 e 30 de abril, pela empresa Avibrás em parceria com o Exército Brasileiro (EB). Ao todo, 247 pessoas envolveram-se nas atividades. Durante a Operação, foram lançados quatro foguetes de calibres diferentes - o SS09TS, o SS30, SS40 e o SS80 -, que são usados na área de defesa pelo Exército em apoio e artilharia.

FOTO: CB V. SANTOS / CECOMSAER

Artilharia Antiaérea da FAB lança mísseis

O

Núcleo da Brigada de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (NuBAAAD) realizou o Exercício Caramuru III, no sul do Pará. O objetivo foi garantir que o míssil IGLA-S possa ser usado à noite. Na operação, os Grupos de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (GAAAD) 1 e 2 lançaram quatro mísseis.

Pela primeira vez, o alvo foi lançado por um caça F-5 do Esquadrão Jambock (1º GAvCa). “O alvo utilizado durante o treinamento é um paraquedas iluminativo que gera dois milhões de candelas, proporcionando uma temperatura bastante elevada, superior inclusive à temperatura do ‘flare’, utilizado

hoje pelas aeronaves para autodefesa”, afirmou o Oficial de Operações do Primeiro Grupo de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (1º GAAAD), Major Infante Nilton Sigenori Takezawa. Durante o treinamento, houve também lançamento à noite de dois mísseis IGLA-S, equipados com a luneta de pontaria.


8

Junho - 2014

COPA 2014

Força Aérea Brasileira vai atuar de diversas formas para garantir a segurança durante a Copa do Mundo 2014. Seja na defesa aeroespacial, no controle do espaço aéreo, no recebimento das delegações internacionais, na prevenção de acidentes aeronáuticos, no comando e controle das ações nas cidades-sede e até mesmo na tomada de decisões rápidas. E para isso, vão atuar em conjunto, também, com o Exército, a Marinha, os diversos órgãos policiais e as agências governamentais. Veja nas páginas seguintes quais cidades irão receber as delegações internacionais, como vai funcionar a restrição do espaço aéreo e, ainda, quais aeronaves irão atuar na defesa aeroespacial.

FOTO: SGT BATISTA / CECOMSAER

A Força Aérea Brasileira na Copa do Mundo A Defesa Aeroespacial

As aeronaves de caça F-5M de alta performance e de ataque leve A-29 Super Tucano, helicópteros AH-2 Sabre e H-60 Black Hawk da Força Aérea Brasileira serão usados diretamente para as ações de defesa aérea. Os aviões-radar E-99M, que executam alerta aéreo antecipado, também voarão durante o período. O sistema de defesa aeroespacial também inclui a artilharia antiaérea da Aeronáutica, da Marinha e do Exército.

Operação Cenipa

Sala Master de Comando e Controle FOTO: CGNA

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) começará a operação dois dias antes do início dos jogos. O tempo de chegada da equipe de investigação ao local da ocorrência aeronáutica será, no máximo, de uma hora após tomar conhecimento do evento. Os investigadores permanecerão em alerta 24 horas a serviço da segurança operacional da aviação. O principal objetivo é cumprir a missão específica de investigar o acidente aéreo, que começa com a coleta de dados, informações e registro dos fatos no local da ocorrência. Em cada cidade-sede, haverá dois investigadores preparados para iniciar a investigação e liberar rapidamente a aeronave para que o operador possa removê-la do local e evitar atrasos de voos nos aeroportos.

FOZ DO IGUAÇ

A Sala Master de Comando e Controle da aviação civil brasileira funcionará 24 horas por dia durante a Copa. Ela está localizada dentro do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea (CGNA), no Rio de Janeiro. Nela estão reunidos os principais órgãos governamentais e entidades do setor para tomar decisões rápidas. Integram o grupo representantes das empresas aéreas, aviação executiva e de outros órgãos governamentais como a Infraero e Polícia Federal.


9

Junho - 2014

Restrição do Espaço Aéreo O espaço aéreo está dividido em três áreas. Na área reservada, com raio que pode alcançar até 100km, só poderão voar as aeronaves que tiverem seus planos de voo aprovados e o código transponder acionado. Na área restrita, de raio 12,6 km, não poderão voar a aviação geral nem o táxi aéreo. Já na área proibida, de raio 7,2km, somente poderão voar as aeronaves das Forças de Segurança e helicópteros que farão imagens dos jogos. Essas áreas serão ativadas nos dias de jogos. Na abertura e no encerramento, serão ativadas três horas antes do início dos jogos até quatro horas após o início dos jogos. Nos jogos da primeira fase, serão ativadas uma hora antes até três horas após o início do jogo. Já nas outras fases, essas áreas serão ativadas uma hora antes até quatro horas após o início dos jogos.

MANAUS

ÇU

FOTO: SGT JOHNSON / CECOMSAER

Receptivo das Delegações

FORTALEZA NATAL RECIFE

Todo receptivo dos Chefes de Estado/Governo, Delegações de Futebol e VIPS do Governo Brasileiro será de responsabilidade do Comando da Aeronáutica (COMAER). Nas cidades-sede, onde não existem Bases Aéreas, será o COMAER que ocupará o terminal de passageiros do aeroporto e proverá todo o serviço de receptivo, inclusive no quesito segurança. No mapa, estão as cidades que vão receber as delegações.

MACEIÓ ARACAJU CUIABÁ

SALVADOR

BRASÍLIA

PORTO SEGURO BELO HORIZONTE VITÓRIA

RIBEIRÃO PRETO CAMPINAS

RIO DE JANEIRO SÃO PAULO

CURITIBA

PORTO ALEGRE

Centro de Comando e Controle O Centro Integrado de Comando e Controle Nacional funciona nas dependências do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA) em Brasília (DF). O objetivo é orientar as ações das Células de Operacões Aéreas (COA) que fazem parte das Coordenações de Defesa de Área (CDA), existentes em cada cidade-sede. No CDA vão ser tomadas decisões para garantir a segurança dos torcedores e cidadãos que moram nas áreas onde serão realizados os jogos. Além de militares da Aeronáutica, da Marinha e do Exército estarão também representantes de órgãos, como Polícia Federal, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e de órgãos como Secretaria de Saúde. Dessa forma, deve-se integrar ao máximo os diversos órgãos envolvidos e ter uma visão geral das operações que ocorrerem, em contato direto com o Centro Integrado.


10

Junho - 2014

COPA 2014

CINDACTA II pronto para a Copa do Mundo

N

FOTOS: SGT JOHNSON/ CECOMSAER

as dependências do Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II), em Curitiba (PR), a movimentação é grande. Cerca de 130 oficiais e graduados da Força Aérea de várias unidades do país foram deslocados para a capital paranaense com o objetivo de trabalhar na Coordenação de Defesa

de Área (CDA) local. A CDA centraliza as ações das Forças Armadas durante a Copa do Mundo na cidade. “Apesar da saudade da esposa e dos filhos é um prazer poder exercer meu trabalho aqui”, revela o Suboficial Paulo Roberto Romero da Silva que serve em Florianópolis. Para atender a toda essa demanda, desde o fim do ano passado o Cindacta II come-

çou a se preparar. Além da defesa e do controle do espaço aéreo, a unidade passou a ser responsável também por apoiar a CDA e fazer o receptivo de autoridades. No hall de entrada do auditório foi construído o Centro de Coordenação de Defesa de Área (CCDA), que é composto por um telão para mostrar imagens de câmeras de segurança, monitoramento do tráfego de veículos e até do espaço aéreo. No Cindacta II foi construído também um hangar para as aeronaves que vão atuar na

região. “Toda a estrutura para apoiar a CDA vai ser utilizada posteriormente para salas de aulas na formação de oficiais e graduados. Além disso, os

equipamentos vão ampliar a capacidade de defesa aérea”, afirma o Comandante Interino do Cindacta II, Coronel José Vagner Vital.

Segundo o Coronel Vital, as estruturas vão ser reaproveitadas

Mudanças nas atividades de apoio As atividades de apoio também sofreram modificações: setores administrativos dão suporte a todas as ações da CDA, veículos tiveram que ser alugados para apoiar o deslocamento dos militares e outras equipes foram criadas para fazer o receptivo de autoridades. Alteração, inclusive, no rancho: foram criados horários diferenciados para poder atender a todos os militares e houve um aumento de 35% na quantidade de refeições servidas. A previsão é que aumente ainda mais durante os jogos. “Isso tudo tem que ser planejado para não faltar refeição, lanche a bordo, alimentação e água”, afirma a chefe do rancho, Tenente Renata Pimentel. Para a Segundo Tenente Tamara de Castro Ribeiro, que serve na Base Aérea de Santa Maria, essa é uma oportunidade única na carreira. “Como oficial da Força Aérea Brasileira estamos sempre preparados para esse tipo de situação e é muito gratificante estar participando de uma operação tão importante de segurança para a Copa do Mundo e tão cedo na minha carreira”, conclui ela.


Junho - 2014

11

TECNOLOGIA

A

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) está disponibilizando um Programa de Acompanhamento do Egresso (PAE). O objetivo é integrar o perfil escolar do ex-aluno às necessidades da Força Aérea Brasileira quanto à expectativa de contar com profissionais preparados e aptos a enfrentar os desafios que a profissão exige. O programa monitora a inclusão do ex-aluno no dia a dia das diversas Organizações Militares e faz com que ele permaneça vinculado à instituição, por meio de eventos, cursos de pós-formação e acesso a material

didático que pode auxiliá-lo na escalada profissional. O PAE constitui-se em um instrumento que possibilita uma persistente avaliação da instituição, por meio do desempenho profissional dos ex-alunos. “Trata-se de importante passo no sentido de incorporar ao processo de ensino-aprendizagem elementos da realidade externa à EEAR, que apenas os chefes de setores onde atuam profissionalmente os ex-alunos e os próprios recém-formados estão em condições de oferecer, já que eles experimentam pessoalmente as consequências dos aspectos positivos e ne-

gativos vivenciados durante a formação na Escola”, ressalta o encarregado da seção de qualidade de ensino, Suboficial Olivar Lobato de Negreiros Júnior. Mas, para isso, é necessária a participação das organizações da FAB no PAE com observações criteriosas e o retorno do parecer dos chefes imediatos dos novos sargentos. O programa monitora a inclusão de ex-alunos nas Organizações Militares SERVIÇO: de setores e dos próprios sar- Portal de Acompanhamento do A ferramenta que está sen- gentos egressos é a página da Egresso, onde se encontram as do utilizada para manter o EEAR na intraer (www.eear.fab. instruções necessárias para precadastro e o contato dos chefes mil.br), no link SQE/enquetes/ enchimento das informações.

SEGURANÇA DE VOO

A

Lei do SIPAER dá prioridade à prevenção

Lei 12.970 de 8 de maio de 2014 representa uma evolução para o Sipaer (Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos). Não é norma do Comando da Aeronáutica, nem se confunde com sigilo nas investigações de acidentes aeronáuticos. Ela é originária da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da crise aérea), após as tragédias do Gol e TAM, que resultaram 350 perdas humanas. A norma alterou o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA) e priorizou a missão do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). A lei esclarece conflitos de competência; estabelece mecanismos de proteção às fontes de informação; e

define responsabilidades na remoção de destroços de aeronaves, além de obrigar a comunicação de ocorrências ao órgão investigador. Prioridade SIPAER A investigação do Cenipa é preventiva e beneficia os usuários do sistema. Em razão disso, a lei dá precedência ao processo investigativo – acesso aos destroços, às fontes de informação e aos demais procedimentos. Diante das falhas que levaram ao acidente, o Sipaer produz Recomendações de Segurança Operacional, que terá efeito na segurança das operações aéreas. A lei protege o cenário pós-acidente que deve ser preservado pela autoridade policial, que tenha a obrigação de demarcar o local da ocorrência

e de zelar pelo ambiente até a chegada dos investigadores. Apenas no caso de resgate de vítimas, permite-se a manipulação de destroços, do con-

A lei esclarece conflitos de competência, estabelece mecanismos de proteção às fontes de informação e define responsabilidades na remoção de destroços de aeronaves, além de obrigar a comunicação de ocorrências ao órgão investigador. trário eles ficam intocáveis. Apoio SIPAER Antes da lei era questio-

nada a autoridade policial, ou judiciária, que não podia fazer uma investigação de qualidade sem o resultado produzido pelo Cenipa, por isso era comum requisitar o relatório final. Hoje, a lei prevê o apoio técnico do órgão investigador àqueles que apuram culpa ou responsabilidade. Proteção às fontes Se a justiça necessitar de informações das fontes obtidas pelo Sipaer, como prova judicial, o juiz pode solicitar ao Cenipa a emissão de parecer. Os termos técnicos da investigação Sipaer, por vezes, não recebem a mesma interpretação pelo judiciário. No caso de o juiz decidir usar a informação como prova, pela lei 12.970/ 2014, o processo tramitará em segredo de justiça.

O acesso às fontes, análises e conclusões da investigação Sipaer deve ser preservado, sob pena de, no futuro, não haver material adequado para prevenção. Os dados factuais obtidos com a leitura das caixas-pretas (gravadores de voo) poderão ser liberados para uso da polícia e da justiça. Já as análises subjetivas, a lei protege. Empresas aéreas A lei define que o operador/explorador da aeronave é responsável por retirar os destroços após a liberação da aeronave pelos investigadores do Cenipa. Ela também prevê punição para o operador que não informar à autoridade Sipaer a ocorrência aeronáutica. (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos)

FOTO: EEAR

Programa oferece suporte a ex-alunos da EEAR


12

Junho - 2014

SEU DINHEIRO

Quase 50% dos militares têm empréstimo consignado Sistema de Consignação da FAB Para realizar um empréstimo consignado, o militar ou o pensionista deve se dirigir à sua organização militar e solicitar, por meio de um requerimento padronizado, uma senha para acessar o AERCONSIG pela internet. O programa habilita o interessado a realizar os empréstimos, calcula automaticamente sua margem consignável e também qual o valor da prestação. Depois disso, ele deve se dirigir a uma entidade credenciada e solicitar o empréstimo, que será autorizado mediante a digitação de sua senha.

A

popularidade do empréstimo consignado não existe por acaso. O processo facilitado pelo desconto das parcelas diretamente da folha de pagamento do militar ou pensionista vem acompanhado, geralmente, por juros mais baixos, liberação rápida e poucas exigências. Apesar disso, de acordo com o Coronel Alcir Moreira de Moraes, Chefe de Divisão

da Subdiretoria de Pagamento de Pessoal (SDPP), de 2007 até hoje, foram 1.981 reclamações, o que representa cerca de 3% do número de pessoas que realizam consignações. “A operação envolve diversos riscos, entre eles, o desconhecimento do sistema que é utilizado para amortizar o saldo devedor dos empréstimos, as leis relacionadas ao

processo, as regras definidas pelo COMAER e da utilização do AERCONSIG, o sistema digital de consignações da FAB que deve ser mensalmente consultado por quem faz empréstimo consignado”, afirma. O Coronel ressalta que não existem convênios entre a FAB e qualquer entidade consignatária, o que existe é um credenciamento das instituições.


Junho - 2014

13

MÍDIAS DA FAB Veja a seguir imagens enviadas pelos Elos do Sistema de Comunicação Social da FAB para serem publicadas em nossas mídias sociais: O 1º Tenente Aviador Takeo, do 1º/8º Grupo de Aviação (Base Aérea de Belém), nos enviou a foto do Esquadrão Falcão em capacitação de novas tripulações com o uso de Óculos de Visão Noturna (NVG). A imagem foi publicada em nosso Instagram. O programa, que será exibido no dia 05/06, vai detalhar a atuação da FAB durante a Copa do Mundo 2014. Você vai acompanhar quais serão as principais ações que a Força Aérea vai realizar para que o mundial ocorra com tranquilidade em todas as cidades-sede do país.

O programa FAB no Controle será exibido no dia 12/06. Nele você vai saber como será o controle de tráfego aéreo e a defesa do espaço aéreo no mundial de futebol. Saiba quais as aeronaves serão empregadas e como irá funcionar a delimitação das áreas de exclusão nos dias de jogos.

O Conexão será exibido dia 19/06 e você vai acompanhar um exercício operacional realizado pelo Grupo de Artilharia Antiaérea da FAB com o lançamento real de mísseis. O programa exibe também outro treinamento de militares para aplicação da Garantia da Lei e da Ordem.

No dia 26/06, vai ser exibido o sexto vídeo da campanha institucional “Força Aérea Brasileira: presente na vida dos brasileiros”. O tema é Integração. E você vai conferir as ações realizadas pelo Correio Aéreo Nacional (CAN) e pela Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA).

O Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAvCa), localizado na Base Aérea de Santa Cruz, realizou emprego de bomba real em voo e o 1º Tenente Aviador Magno nos enviou as fotos, registradas pelo 3S Fotógrafo Caio, que foram postadas em nosso Twitter.

Outra foto utilizada em nosso Instagram foi enviada pelo 2º Tenente Aviador Salum, do 5º/8º Grupo de Aviação, da Base Aérea de Santa Maria. Na imagem, um H-60L Black Hawk, utilizado pelo Esquadrão Pantera.


14

Junho - 2014

GESTÃO

Subdiretoria de Abastecimento revela os melhores ranchos da FAB

A

limentação saudável e de qualidade é elemento fundamental para o funcionamento diário dos ranchos da Força Aérea. E foi para melhor fiscalizar o trabalho das unidades que a Subdiretoria de Abastecimento (SDAB), organização responsável pela execução do apoio logístico e material de intendência na Aeronáutica, criou o ranking dos ranchos. Baseado em dados obtidos pelo Sistema Integrado de Abastecimento (SIA) sobre as atividades de rotina dos ranchos, o ranking avalia indicadores de gestão, com peso de 70%, e de monitoramento microbiológico, com peso de 30%. São analisados aspectos como consumo/receita, modo de aplicação de recursos para eventos e atividades de apoio,

estoque, disponibilidade total, organização e planejamento das atividades. Todos esses aspectos norteiam essa contabilidade e o número gerado define a colocação das unidades no ranking. De acordo com a Tenente Paula Thaís dos Santos, nutricionista da SDAB e uma das responsáveis pelo ranking, a avaliação é feita mensalmente e segue as práticas de segurança alimentar previstas pela legislação brasileira. “O sistema apresenta um perfil da alimentação correta e da eficiência administrativa de cada rancho. Todos os indicadores possuem padrão estabelecido de valores ideais de alto desempenho e, quanto mais próximo dessa margem, melhor é a colocação do rancho”, explica a Tenente.

Receita do rancho número 1 Na última avaliação realizada pela Subdiretoria de Abastecimento, o rancho da Base Aérea de Campo Grande (BACG) conquistou o primeiro lugar entre os 49 ranchos avaliados. No local, são servidos 900 almoços diariamente. A BACG realiza um pregão anualmente para escolher o fornecedor dos alimentos, mas os produtos perecíveis, como frutas e verduras, são entregues diariamente. Além de se preocupar com a qualidade dos produtos, são levados em consideração, também, aspectos administrativos

como estoque total, provisão recebida e o consumo feito durante todo o mês. “É um trabalho anônimo que começa bem antes do amanhecer. O rancho da BACG não serve apenas alimento, serve tam-

bém a ideia de que a comida é preparada com carinho, capricho e servida no horário correto e em ambiente sadio”, ressalta o Comandante da BACG, Tenente-Coronel Potiguara Vieira Campos.


Caça palavras

Encontre os 7 erros Estrela na cauda do Airbus, helicóptero, janela do Hércules, hélice do Hércules, roda do Airbus, janela do Airbus e turbina do Legacy.

Caça palavras

Resposta

Encontre os 7 erros ENTRETENIMENTO Junho - 2014

15


NOTAER - Junho de 2014  
NOTAER - Junho de 2014  

A Força Aérea entra em campo na Copa do Mundo

Advertisement