Issuu on Google+

ESTSP

POLITÉCNICO DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO

L

· · · · · · · · · · · · ·

ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ANATOMIA PATOLÓGICA, CITOLÓGICA E TANATOLÓGICA AUDIOLOGIA CARDIOPNEUMOLOGIA FARMÁCIA FISIOTERAPIA MEDICINA NUCLEAR NEUROFISIOLOGIA RADIOLOGIA RADIOTERAPIA SAÚDE AMBIENTAL TERAPIA DA FALA TERAPIA OCUPACIONAL

M

· · · · · ·

ACONSELHAMENTO E INFORMAÇÃO EM FARMÁCIA AMBIENTE, HIGIENE E SEGURANÇA NO MEIO ESCOLAR FISIOTERAPIA GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES TECNOLOGIA BIOQUÍMICA EM SAÚDE TERAPIA OCUPACIONAL


WWW.ESTSP.IPP.PT PARA MAIS INFORMAÇÕES GAB. COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS GCRI@ESTSP.IPP.PT ESTE FOLHETO NÃO DISPENSA A CONSULTA DOS DOCUMENTOS OFICIAIS EMITIDOS PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR – MCTES

– IPP.GCI MARÇO 2011


ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO . ESTSP A Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (ESTSP) encontra-se a comemorar os seus 30 anos. Integrada no Instituto Politécnico do Porto (IPP), desde Julho de 2004, é, nos termos da Lei e dos Estatutos, uma sua unidade orgânica, na formulação do novo regime jurídico de 2007, caracterizada como: Unidade Orgânica de ensino e investigação dotada, na sua área específica de intervenção e no âmbito dos cursos instituídos, de autonomia estatutária, pedagógica, científica, cultural e administrativa. Com 1877 Estudantes de Licenciatura e 188 de Mestrado, 232 Docentes, 600 Monitores de Estágio e 38 Não Docentes, confere os graus de Licenciatura e de Mestrado, desde o ano lectivo de 2008/2009 de acordo com Bolonha, tendo também em funcionamento pós-graduações, e desenvolvendo investigação aplicada, num total de 13 Licenciaturas, 2 Pós-Graduações, 6 Mestrados e 2 Unidades de Investigação. Não obstante ser uma Escola recém-chegada ao IPP – o maior Instituto Politécnico do País, na primeira posição do ranking dos politécnicos e, conjuntamente com as maiores universidades, no segmento superior do ranking do ensino superior nacional – a existência da ESTSP é-lhe anterior, remontando a 1980, num percurso histórico de 30 anos que reflecte a evolução que em paralelo se verificou no sistema de saúde e no sistema de ensino em Portugal, onde, para além do ano de 2004 em que a Escola foi formalmente integrada no IPP, e do ano de 2007 em que foi publicado o novo regime jurídico das instituições de ensino superior, relevam em particular os anos de 1980, 1982 e 1993: 1980 e 1982: em que se criaram os Centros de Formação de Técnicos Auxiliares dos Serviços Complementares de Diagnóstico e Terapêutica, e as Escolas Técnicas dos Serviços de Saúde, em Lisboa, Porto e Coimbra, a que aqueles dão origem; 1993: em que as Escolas Técnicas dos Serviços de Saúde são inseridas no ensino superior politécnico com a nova designação de Escolas Superiores de Tecnologia da Saúde, dotadas de personalidade jurídica e de autonomia científica, pedagógica, administrativa e financeira, sob a tutela dos Ministros da Educação e da Saúde, e que então começaram a funcionar em regime de instalação Atentos os termos da integração no IPP em 2004, a ESTSP manteve o regime de instalação com que passou a funcionar em 1993, sem prejuízo da plena integração e participação nos órgãos e actividades do IPP, desde 2007 com conjugações acrescidas com o RJIES. Na sequência do RJIES, os que são os Primeiros Estatutos da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto (ESTSP), aprovados pela Assembleia Estatutária para o efeito eleita em Março de 2009, e homologados pelo Presidente do Instituto Politécnico do Porto (IPP) em Junho de 2009, foram publicados em 10 de Julho de 2009 pelo Despacho n.º 15836/2009. Após 16 anos a funcionar em regime de instalação, a ESTSP passa ao regime estatutário.

p ECTS - Está implementado o Sistema Europeu de Transferência de Créditos

p INTERNACIONALIZAÇÃO - Programa Sócrates – Erasmus

· ESTSP p IPP ·


METRO

PONTE D.LUIS I CAIS DE GAIA

RIO DOURO

METRO

BUS 901 / 906

RUA SERPA PINTO

RUA VALENTE PERFEITO METRO

ESTSP/IPP Rua de Valente Perfeito, 322 4400-330 Vila Nova de Gaia COMBOIO DEVESAS BUS 904

BUS 900 / 904

路 2011 p 2012 路


LICENCIATURA

ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA O profissional de Análises Clínicas e Saúde Pública (ACSP) desempenha um importante papel nos cuidados de saúde actuais, ajudando a preservar a saúde e prevenir e/ou combater a doença, no indivíduo e na comunidade. Trabalha em equipas multidisciplinares no rastreio e diagnóstico da doença, na avaliação da efectividade do tratamento, na monitorização e controlo de terapêuticas/ drogas e de alimentos, na pesquisa das causas e curas da doença, no âmbito nomeadamente da Patologia Clínica, Hematologia Clínica, Imunohematologia, Genética, Biologia Molecular, Saúde Pública, Imunologia e Microbiologia. Atendendo aos elevados custos envolvidos na prestação destes serviços, o profissional de Análises Clínicas e Saúde Pública deve estar preparado para assegurar, de forma racional, a gestão, o aprovisionamento, a manutenção e o controlo do material e do equipamento com que trabalha. Porque as técnicas actualmente usadas nos laboratórios requerem a utilização de aparelhagem e métodos automáticos altamente sofisticadas, o profissional de ACSP deve ser eficaz na operação dessa aparelhagem, bem como metodologicamente apto a implementar e aplicar os processos subjacentes a essas técnicas. Para atingir estes fins o profissional de análises clínicas tem de conceber, planear, realizar, avaliar e controlar o processo do seu trabalho para o validar, ou seja, deverá possuir os conhecimentos e competências necessários à prestação de um serviço de diagnóstico efectivo.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O técnico de ACSP é um elemento das equipas multidisciplinares que trabalham em instituições de prestação de cuidados de saúde, públicas e privadas, tais como hospitais, centros de saúde, centros de toxicologia/reabilitação, institutos de sangue, de criopreservação, histocompatibilidade e de medicina legal. Pode também actuar de uma forma mais independente em centros desportivos, empresas que actuem nas áreas do Diagnóstico Clínico, Controlo da Qualidade, Marketing (delegados comerciais), bem como exercer funções docentes e de investigação em instituições do ensino superior e em Institutos de Investigação.

· ESTSP p IPP ·


LICENCIATURA

ANATOMIA PATOLÓGICA, CITOLÓGICA E TANATOLÓGICA O técnico de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica (APCT) tem primordialmente uma actividade laboratorial, contribuindo para a prevenção, o rastreio, o diagnóstico e o prognóstico da doença. Para isso ele planeia, recolhe, prepara os tecidos e células colhidos no organismo, vivo ou morto, e aplica métodos e técnicas para observação macroscópica, microscópica e ultra-estrutural, com vista ao diagnóstico anátomo-patológico, ensino e investigação. Realiza screening ginecológico e o controlo de qualidade nas diferentes etapas laboratoriais. Colabora na execução de autópsias anátomo-clínicas e médico-legais, e executa a colheita, preparação e montagem de peças anatómicas para fins de ensino e investigação. Participa em programas de educação para a saúde no âmbito da promoção da saúde e rastreio. A evolução nos últimos anos, principalmente da fertilização in vitro, da biologia molecular e da patologia animal, alargou o campo de intervenção ao nível laboratorial, havendo hoje em dia profissionais que se especializam em diferentes áreas, a saber: embriofetopatologia, genética molecular, patologia molecular, screening ginecológico, screening não ginecológico, microscopia electrónica, imunocitoquímica, tanatologia e histopatologia.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O técnico de APCT é um dos elementos das equipas multidisciplinares que trabalham em instituições de prestação de cuidados de saúde, públicas e privadas, tais como laboratórios de anatomia patológica, de genética médica e de tanatologia forense. Pode também exercer a sua actividade em laboratórios de patologia animal (veterinária), em unidades de investigação, em empresas e em laboratórios de instituições de ensino superior, nomeadamente de anatomia, de biologia celular e de histologia e embriologia. Adicionalmente, pode desenvolver actividades de docência e de investigação em instituições do ensino superior em saúde.

· 2011 p 2012 ·


LICENCIATURA

AUDIOLOGIA O Audiologista desenvolve a sua actividade nas áreas da prevenção, do diagnóstico e da reabilitação, bem como no ensino e na investigação. · Na prevenção – planeia e desenvolve acções de sensibilização e rastreio com o objectivo da preservação da audição, junto de populações industriais, escolares, grupos de risco e população em geral. · Na área do diagnóstico – planifica, executa e interpreta exames complementares de diagnóstico de exploração funcional clássica e electrofisiológica, com o objectivo de identificar, quantificar e qualificar anomalias do sistema audio-vestibular e do facial. · Na reabilitação – participa (em equipas multidisciplinares) no estudo, planeamento e execução de programas de (re)habilitação auditiva e vestibular. · Na (re)habilitação auditiva é da sua responsabilidade a selecção da ajuda técnica mais adequada (prótese), a sua adaptação e acompanhamento audioprotésico e audiológico. Na reabilitação vestibular participa no planeamento e execução de acções que visam a melhoria do equilíbrio. · No ensino – participa na formação e/ou acção formativa do ensino pré e pósgraduado da profissão, bem como de outros profissionais em que o ensino da Audiologia possa interessar. · Na investigação – planeia e implementa projectos de investigação no sentido de desenvolver novas técnicas ou de aperfeiçoar as já existentes.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico; Atestado de Ausência de perturbações de linguagem e/ou fala e domínio da língua portuguesa tal como é falada e escrita em Portugal p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O audiologista exerce actividade em entidades públicas e privadas de prestação de cuidados de saúde (hospitais, centros de saúde, clínicas, centros de audiologia, audio-fonologia e de reabilitação auditiva), em instituições de ensino e em entidades fabris, integrado em equipas de medicina escolar e do trabalho. Desenvolve também actividades de investigação e de docência, tanto no âmbito do local de trabalho como em instituições do ensino superior.

· ESTSP p IPP ·


LICENCIATURA

CARDIOPNEUMOLOGIA As grandes áreas de intervenção da Cardiopneumologia são: Estudo, Diagnóstico e Intervenção em Função Respiratória e Sono; Estudo e Diagnóstico em Ultrassonografia Cardíaca e Vascular; Estudo e Diagnóstico em Mecânica Arterial; Estudo, Diagnóstico e Intervenção Cardiovascular Invasiva; Estudo e Intervenção em Perfusão Cardiovascular. As competências profissionais dos Cardiopneumologistas são: 1. Segundo o Decreto-Lei nº 564/99: “Desenvolvimento de actividades técnicas para o estudo funcional e de capacidade anatomofisiopatológica do coração, vasos e pulmões, e de actividade ao nível da programação, aplicação de meios de diagnóstico e sua avaliação, bem como no desenvolvimento de acções terapêuticas específicas, no âmbito da Cardiologia, Pneumologia e Cirurgia Cardiotorácica.” 2. Segundo a Classificação Nacional das Profissões de 2006:“Desenvolve actividades inerentes ao estudo morfo-funcional e fisiopatológico dos sistemas cardiovascular, cerebrovascular e respiratório, no plano do diagnóstico, terapêutica e reabilitação contribuindo para a promoção da saúde e prevenção da doença: programa, aplica e avalia métodos e técnicas de diagnóstico de doenças do foro cardiorespiratório efectuando a avaliação das funções cardiopulmonares, vasculares e neurológicas, com vista ao estudo funcional e da capacidade anatomofisiopatológica do coração, vasos, pulmão e cérebro; participa e colabora em actos invasivos de diagnóstico e terapêutica cardiovasculares, aplicando as normas de segurança adequadas; promove o acolhimento, informação, preparação e vigilância dos utentes; regista as observações efectuadas.” O exercício profissional da Cardiopneumologia faz-se com base na execução das seguintes técnicas: Espirometria, Pletismografia, Estudo da Difusão, Gasimetria, Pressões Máximas Respiratórias (PIM/PEM), Prova de esforço Cardiorespiratória, Provas de Broncomotricidade, Oscilometria de Impulso, Estudo do Sono – Polissonografia, Ventilação Mecânica Não Invasiva, Electrocardiografia de Repouso (ECG), Electrocardiografia de Esforço (PE), Electrocardiografia Dinâmica (Holter), Ultrassonografia Cardíaca, Ultrassonografia Cerebrovascular, Ultrassonografia Vascular Periférica, Monitorização Ambulatória da Pressão Arterial (MAPA), Velocidade de Onda de Pulso (VOP), Tonometria por Aplanação (TPA), Estudos Hemodinâmicos, Estudos Electrofisiológicos Cardíacos, Pacing e Cardiodesfibriladores, Tecnologia Extracorporal em Cirurgia Cardíaca, Reabilitação Cardíaca e Respiratória.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O Cardiopneumologista pode exercer a sua profissão em: Hospitais públicos e privados; Centros de Saúde e Unidades de Saúde Familiares; Clínicas e Consultórios; Unidades de Emergência Médica; Farmácias Comunitárias; Empresas Comerciais de Produtos Clínicos; Laboratórios Farmacêuticos; Informação Médica; Instituições com Medicina do Trabalho (empresas, fábricas); Centros de Medicina Desportiva; Clubes Desportivos; Docência; Investigação. · 2011 p 2012 ·


LICENCIATURA

FARMÁCIA O Técnico de Farmácia integra uma equipa assistencial, prestando informação e aconselhamento aos utentes e outros profissionais de saúde sobre o uso do medicamento e outros produtos de saúde, bem como a prestação de Cuidados em Farmácia. Encontra-se habilitado a intervir nas diferentes etapas do circuito do medicamento, desde a aquisição e recepção, até ao armazenamento e dispensa ao utente, concretamente: - Análises e ensaios farmacológicos; - Interpretação da prescrição terapêutica e de fórmulas farmacêuticas; - Preparação, identificação e distribuição de fármacos; - Controlo da conservação, distribuição e stocks de medicamentos e outros produtos. A utilização de medicamentos nas sociedades modernas é um bem indiscutível que permite dar resposta às necessidades e exigências das populações, contribuindo para uma melhoria significativa da sua qualidade de vida. Assim sendo, a participação dos Técnicos de Farmácia nas equipas de saúde contribui de forma decisiva para um sistema de saúde mais eficaz e de qualidade, de forma a promover uma utilização racional e segura do medicamento.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - Num passado recente, a Farmácia hospitalar pública e privada, com as suas diferentes valências, era a área profissional onde um maior número de técnicos exercia actividade. Actualmente, a Farmácia Comunitária acolhe uma grande parte dos estudantes graduados. - Outras instituições de produção/ comercialização de medicamentos e de prestação de cuidados de saúde podem também acolher Técnicos de Farmácia, particularmente os Postos de Venda de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica Obrigatória (DecretoLei 134/2005, de 16 de Agosto), onde podem assumir a propriedade e a função de Responsável-Técnico. Os Técnicos de Farmácia podem ainda exercer na indústria farmacêutica, centros de saúde, para além das instituições de ensino e investigação.

· ESTSP p IPP ·


LICENCIATURA

FISIOTERAPIA O fisioterapeuta actua na identificação, prevenção, recuperação, reeducação, habilitação e reabilitação de incapacidades originadas por disfunções físicas, do foro funcional músculoesquelético, cardiovascular, respiratório e neurológico entre outros, e disfunções psíquicas, com o objectivo de desenvolver a máxima funcionalidade e qualidade de vida, concebendo programas, seleccionando, planificando e utilizando técnicas, modalidades educativas e terapêuticas específicas baseadas no movimento, nas terapias manipulativas e meios físicos e naturais, escolhidas a partir da análise e avaliação do movimento e da postura.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O fisioterapeuta trabalha em instituições de prestação de cuidados de saúde, públicas e privadas: hospitais, clínica privada, centros de saúde, centros de reabilitação. - Pode ainda desenvolver a sua actividade profissional em centros desportivos, termas, escolas de ensino regular e especial, lares de 3ª idade, empresas ou seguir uma carreira docente em instituições de ensino e investigação.

· 2011 p 2012 ·


LICENCIATURA

MEDICINA NUCLEAR As constantes inovações técnicas na aquisição e processamento de imagem com câmara gama ou câmara de positrões, associadas ao desenvolvimento de fármacos para órgãos e funções específicas, possibilitam a obtenção de uma informação morfo funcional cada dia mais imprescindível no diagnóstico e terapêutica de um vasto conjunto de situações clínicas. O técnico de medicina nuclear participa na realização de exames de diagnóstico e terapêutica, quer através de técnicas de aquisição de informação e/ou de imagens, quer através de técnicas de radioimunoensaio, utilizando para isso fármacos marcados com pequenas quantidades de isótopos radioactivos. As suas funções incluem o contacto directo com os doentes, a preparação e administração dos radiofármacos, a execução de diversas técnicas imagiológicas, a manutenção e a execução de um programa de controlo de qualidade, laboratorial e instrumental, a preparação e a informação dos doentes, a adopção, a adaptação e o desenvolvimento de normas de protecção e segurança contra radiações ionizantes. Dada a natureza da actividade, o técnico de medicina nuclear tem o seu papel no planeamento e execução do exame, na manutenção de padrões de qualidade e segurança cada vez mais estritos, na busca de uma melhoria contínua e permanente da qualidade e da eficácia.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O técnico de medicina nuclear desempenha as suas funções em hospitais e clínicas privadas, podendo também enveredar por uma carreira de investigação e docência em instituições de ensino superior.

· ESTSP p IPP ·


LICENCIATURA

NEUROFISIOLOGIA A Licenciatura em Neurofisiologia tem por objectivo formar profissionais com competências para o desenvolvimento de actividades no âmbito da investigação da função do sistema nervoso visando o diagnóstico, prognóstico e follow-up de patologias neurológicas com afecção central, periférica e autónoma, acompanhando o desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico. O técnico de Neurofisiologia exerce funções inerentes ao registo da actividade bioeléctrica do Sistema Nervoso Central e Periférico, com particular incidência nas patologias do foro neurológico, realizando exames como Electroencefalogramas, Polissonografias, Monitorizações VídeoEEG, Monitorizações de Longo Termo na Epilepsia, Electroencefalograma com Maping Cerebral. Colabora na realização de Monitorização Intraoperatória (Corticografia) com mapeamento e estimulação cortical, SPECT, Teste Tilt e Teste Wada. Efectua também registos da actividade bioeléctrica do sistema nervoso periférico, nomeadamente Potenciais Evocados Somatossensitivos, Visuais e Auditivos do tronco cerebral, Estudos de Condução Nervosa e Electromiografia. As suas novas áreas de formação e/ou actuação incluem os Estudos de Motilidade Digestiva, os Estudos Urodinâmicos e os Estudos de Perfusão Cerebral.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - A profissão de Técnico de Neurofisiologia é exercida num contexto de trabalho multidisciplinar, dependendo as disciplinas implicadas dos objectivos do serviço em que está inserido. O seu exercício ocorre geralmente inserido nos serviços de Neurofisiologia, Neurologia, Pediatria, Psiquiatria, Gastroenterologia e Neuro-Urologia, em Blocos Operatórios, Unidades de Cuidados Intensivos, Serviços de Urgência (SU), Unidades de Neonatalogia, Laboratórios de Neurofisiologia, Enfermarias e domicílio dos pacientes (em caso de registos em ambulatório), entre outros.

· 2011 p 2012 ·


LICENCIATURA

RADIOLOGIA Na prática clínica, o técnico de radiologia aplica os métodos e as técnicas subjacentes à realização de exames imagiológicos, no âmbito da Radiologia. Utiliza tecnologias avançadas na aquisição, processamento e avaliação das imagens obtidas, tendo em atenção a informação clínica, nomeadamente nas áreas da radiologia convencional/digital, mamografia, tomografia computorizada, ressonância magnética, angiografia digital e osteodensitometria. É da sua competência utilizar normas de protecção e segurança durante a utilização de radiações ionizantes e não ionizantes, bem como proceder à execução de programas de controlo de qualidade no âmbito da sua área. Com a rápida evolução científica e tecnológica na área imagiológica prevê-se que o campo de intervenção destes profissionais esteja em constante desenvolvimento de forma a acompanhar o estado da arte.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico; declaração médica comprovativa de que o candidato não possui dispositivos metálicos ou prótese interna ferromagnética. p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O técnico de radiologia actua no âmbito da radiologia clínica, nas áreas de diagnóstico, terapêutica, prevenção e promoção da saúde, investigação, gestão e ensino. Neste contexto integra equipas multi-disciplinares que laboram em instituições de prestação de cuidados de saúde, públicas e privadas, tais como hospitais, centros de saúde, clínicas, entre outros. Pode também actuar de uma forma mais independente em empresas, centros desportivos e ainda exercer, funções docentes e de investigação, em Instituições de Ensino Superior.

· ESTSP p IPP ·


LICENCIATURA

RADIOTERAPIA O Técnico de Radioterapia (TR) tem um papel central ao fazer a ligação entre oito áreas de importância decisiva num departamento de radioterapia: · Administração terapêutica de doses de radiações – o TR aplica o conhecimento de uma gama de técnicas que asseguram a optimização do posicionamento dos feixes durante a fase de planeamento, a interpretação rigorosa das prescrições, a aplicação das doses de radiação propostas; · Bem-estar do doente – o TR tem um papel simultaneamente directo e de supervisão no que refere ao bem-estar do doente ao seu cuidado; · Responsabilidade clínica – a principal competência e responsabilidade do TR é encarregar-se de toda a gama de técnicas de radioterapia e áreas tecnológicas envolvidas e avaliar posteriormente a qualidade do seu próprio trabalho; · Aspectos organizacionais – gestão de recursos humanos; · Protecção contra as radiações – a International Commission on Radiological Protection afirma que o TR está numa posição chave no que se refere à protecção do doente contra as radiações e “através da sua técnica e dos seus cuidados, determinará, dentro de certos limites, a quantidade de radiação administrada”; · Tecnologia – o TR é especializado no ramo da tecnologia clínica das radiações, a Radioterapia. · Participa no tratamento dos doentes utilizando radiações ionizantes. Isto implica a integração de sistemas de planeamento, sala de moldes, simulador, unidades de terapia e sistemas de gestão informatizados, a avaliação dessas tecnologias e a participação no desenvolvimento e escolha de novos equipamentos; · Controlo de qualidade – todas as áreas que são da responsabilidade do TR exigem procedimentos destinados a garantir a qualidade. Em todas as especializações, o TR deve ser um membro efectivo da equipa que desenvolve, actualiza e controla as normas de qualidade; · Ensino e formação – o TR que trabalhe no campo clínico deve participar no ensino prático do estudante de radioterapia. As qualificações, capacidades e funções do TR permitem-lhe ensinar, aconselhar e supervisionar outros elementos do pessoal.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - Um Técnico de Radioterapia pode exercer funções em estabelecimentos públicos ou privados, tais como: unidades hospitalares públicas e privadas; clínicas privadas; empresas de natureza diversa, relacionadas com a radioterapia; ensino e investigação.

· 2011 p 2012 ·


LICENCIATURA

SAÚDE AMBIENTAL O Técnico de Saúde Ambiental é um profissional habilitado com o grau de licenciatura que aplica os princípios fundamentais da saúde ambiental ao diagnóstico, avaliação, prevenção, controlo e à gestão dos factores ambientais que afectam a saúde das populações. Esta intervenção é efectuada a diferentes níveis: habitacional, escolar, industrial e serviços. O profissional desenvolve actividades de identificação e caracterização de factores de risco para a saúde originados no meio ambiente (ar, alimentos, água, resíduos, solos, entre outros), planeia e realiza acções de prevenção e promoção da saúde e acções de controlo e vigilância de sistemas, estruturas e actividades com interacção no ambiente e na saúde. O plano curricular do curso está organizado segundo três grandes áreas do conhecimento: a Saúde Pública, o Ambiente e Qualidade de Vida e a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química ou - Matemática p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O técnico de saúde ambiental é um elemento das equipas multidisciplinares que trabalham em instituições de prestação de cuidados de saúde, públicas e privadas, tais como hospitais, centros de saúde e serviços públicos da administração regional e local. Pode também actuar de uma forma mais independente em empresas e autarquias em áreas relacionadas com o ambiente e com a segurança, higiene e saúde no trabalho. Pode ainda exercer funções docentes e de investigação em instituições do ensino superior.

· ESTSP p IPP ·


LICENCIATURA

TERAPIA DA FALA A Terapêutica da Fala, ou Terapia da Fala, como meio de intervenção específico para a Comunicação, Linguagem, Fala e Deglutição, surgiu nos Estados Unidos da América (EUA), para reabilitação dos soldados de duas guerras (II Guerra Mundial e Vietname). Era uma terapia virada para a recuperação de capacidades perdidas em utentes adultos e virada essencialmente para a recuperação da Fala. Actualmente, o campo de actuação de um Terapeuta da Fala (TF) é substancialmente mais alargado, abrangendo todas as alterações de Linguagem, de Comunicação e de Interacção de utentes de todas as idades e ainda alterações na Deglutição ou associadas. Esse alargamento fez com que o quadro dos utentes atendidos divergisse para outras áreas. Apesar de haver constante evolução no campo da reabilitação, o Terapeuta da Fala foi chamado para integrar equipas ligadas à reeducação de crianças com problemas de Comunicação, de Linguagem e de Fala. Por outro lado, a própria área da Fala foi subdividida, havendo profissionais que se especializam no trabalho de Articulação, de Voz ou de Débito Vocal, de acordo com os departamentos em que estão integrados. Encontramos, actualmente, TF em Equipas de Intervenção Precoce, nas Equipas da Área Educativa de crianças e jovens, nomeadamente nos Núcleos de Surdos ou nas Unidades de Apoio à Multideficiência, nas Equipas de Reabilitação para crianças e/ou adultos e áreas específicas, como a Otorrinolaringologia (problemas de audição, de voz, …), a Ortodontia, a Pediatria, a Psiquiatria, a Cirurgia Plástica reconstrutiva dos órgãos envolvidos na produção de Fala ou a Neurologia, em centros de apoio à população júnior e sénior ou ainda em Unidades de Cuidados Continuados.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico; Atestado de Ausência de perturbações de linguagem e/ou fala e domínio da língua portuguesa tal como é falada e escrita em Portugal. p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O terapeuta da fala trabalha em instituições de prestação de cuidados de saúde, públicas e privadas: hospitais, clínica privada ou centro de reabilitação. Pode também desenvolver a sua actividade noutros contextos como jardins-de-infância, escolas de ensino regular e especial, centros de apoio à terceira idade, unidades de cuidados continuados, ou ainda participar ou desenvolver actividades de investigação e docência no âmbito do ensino superior.

· 2011 p 2012 ·


LICENCIATURA

TERAPIA OCUPACIONAL A Terapia Ocupacional é o tratamento de condições de saúde que afectam o desempenho das pessoas em qualquer fase da vida através do envolvimento em actividades significativas, com o objectivo de lhes proporcionar o seu máximo nível de funcionalidade e de independência nas ocupações em que desejam participar. O Terapeuta Ocupacional avalia as funções sensoriais, perceptivas, físicas e sociais do indivíduo, bem como os factores ambientais que influenciam o seu desempenho nas actividades; identifica as áreas de disfunção e envolve o indivíduo num programa estruturado de actividades significativas de forma a ultrapassar as dificuldades proporcionadas pela sua condição de saúde. As actividades seleccionadas são-no de acordo com as necessidades pessoais, sociais, culturais e económicas e reflectem os factores ambientais que orientam a vida do indivíduo.

p PROVAS DE INGRESSO - Biologia e Geologia ou - Física e Química p PRÉ-REQUISITOS - Questionário Individual de Saúde/ Atestado Médico p GRAU CONFERIDO - Licenciatura – 4 anos

p SAÍDAS PROFISSIONAIS - O terapeuta ocupacional desenvolve actividades em instituições de prestação de cuidados de saúde, tanto públicas como privadas, tais como hospitais, centros de saúde e centros especializados, nomeadamente de reabilitação; em instituições de educação, tais como agrupamentos escolares, jardins-de-infância, centros de actividades ocupacionais e residências e em instituições particulares de solidariedade social; em lares de 3ª idade, na comunidade e no local de emprego com vista à preparação para a vida activa; em centros de investigação de ensino.

· ESTSP p IPP ·


MESTRADO

ACONSELHAMENTO E INFORMAÇÃO EM FARMÁCIA O curso de Mestrado em Aconselhamento e Informação em Farmácia tem como principais objectivos formar profissionais especializados com os conhecimentos e competências necessárias à prestação de um aconselhamento responsável aquando da dispensa de medicamentos e demais produtos de saúde, concretamente ao nível das Farmácias de Oficina e dos Postos de Venda de Medicamentos Não Sujeitos a Receita Médica Obrigatória, contribuindo, de forma determinante, para a sua utilização consciente e racional.

  MESTRADO

AMBIENTE, HIGIENE E SEGURANÇA EM MEIO ESCOLAR A Organização Mundial de Saúde, no projecto Health for All, estabeleceu metas de saúde, tendo privilegiado a promoção da saúde e os estilos de vida saudáveis em ambientes escolares. Considerando a necessidade de aprofundar, desenvolver e adquirir competências ao nível de ambientes promotores da saúde (escolas seguras e saudáveis), a área Técnico-Científica da Saúde Ambiental promove o 2º ciclo de estudos conducente ao grau de mestre em Ambiente, Higiene e Segurança em Meio Escolar que habilita os profissionais a intervir no âmbito da Promoção da Saúde Escolar, da Educação em Saúde e Ambiente, da Higiene e Conforto em Meio Escolar, e da Segurança, numa abordagem holística considerada inovadora e crucial a nível nacional. Este mestrado destina-se a Licenciados com formação de base na área da Saúde Ambiental ou em áreas afins (área das Ciências da Vida e das Engenharias) assim como, licenciados da área da Educação e da Saúde que desenvolvam actividades relacionadas com o ambiente escolar.

· 2011 p 2012 ·


MESTRADO

FISIOTERAPIA O Mestrado em Fisioterapia foi concebido e planificado de acordo com os princípios proclamados na declaração de Bolonha daí extraindo os conceitos de aprendizagem centrada no estudante e aplicando o Sistema Europeu de Transferência de Créditos para avaliar o esforço realizado pelo estudante nesse processo de aprendizagem. Ele assenta no conhecimento aprofundado de importantes domínios da Fisioterapia e das outras áreas de conhecimento que suportam a sua prática tais como as ciências funcionais, ciências morfológicas, biomecânica, psicologia, física, bioestatística e farmácia. Na sua estrutura, o curso terá no 1º ano um primeiro trimestre comum às cinco opções. No final deste primeiro trimestre os estudantes serão distribuídos por cinco opções de especialização. O segundo ano será constituído por Estágio e relatório final com o total de 30 créditos. O mestrado em fisioterapia terá pois no total 90 créditos. Opções de especialização: FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA Este programa foi desenvolvido com o intuito de proporcionar aos Fisioterapeutas que intervêm em indivíduos com lesão neurológica a possibilidade de partilhar em experiências e, através de profunda reflexão, possibilitar a integração do conhecimento e da compreensão do papel do SNC no controlo do movimento humano com uma análise dos processos patológicos e com o desenvolvimento de estratégias de planeamento da intervenção nestes mesmos indivíduos. FISIOTERAPIA NO DESPORTO Desenvolvido para responder às necessidades dos Fisioterapeutas que desejam adquirir/desenvolver competências específicas adequadas a prosseguir uma carreira na área desportiva. FISIOTERAPIA CARDIORESPIRATÓRIA Este programa foi desenvolvido para responder às necessidades dos Fisioterapeutas que desejam adquirir/desenvolver competências aprofundadas adequadas às necessidades do paciente com disfunção cardio-respiratória, em contextos de intervenção específicos. FISIOTERAPIA NA COMUNIDADE Foi desenvolvido para responder às necessidades dos Fisioterapeutas que desejam adquirir/ desenvolver competências específicas, adequadas a prosseguir uma carreira especializada na área da promoção da saúde. TERAPIA MANUAL ORTOPÉDICA Este programa foi desenvolvido para responder às necessidades dos Fisioterapeutas que desejam aprofundar competências específicas adequadas à intervenção de pacientes/ clientes com disfunções neuro-musculo-esqueléticas providenciando assim uma abordagem conservadora e abrangente para gerir a dor e outros sintomas neuro-musculo-articulares do raquis e extremidades.

· ESTSP p IPP ·


MESTRADO

GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES O Mestrado em Gestão das Organizações aposta na flexibilidade e na optimização dos recursos dos quatro Institutos Politécnicos da Região Norte, membros da Associação dos Politécnicos do Norte de Portugal (APNOR), como forma de potenciar a eficiência e a racionalidade, valorizando os recursos científicos e pedagógicos em favor da qualidade de ensino. Este mestrado destina-se a participantes que pretendam aprofundar a sua formação de base ou adquirir competências em gestão, dotando-os de conhecimentos técnica e cientificamente avançados em domínios da gestão, bem como em áreas de especialização. Para além de uma formação de base em Gestão, são oferecidas especializações de natureza profissional de acordo com o perfil e necessidades (pessoais e/ou profissionais) dos potenciais estudantes, em três ramos distintos: Gestão Pública; Gestão de Unidades de Saúde e Gestão de Empresas.

  MESTRADO

TECNOLOGIA BIOQUÍMICA EM SAÚDE A perspectiva biomolecular subjacente ao desenvolvimento de processos patológicos e ao desenvolvimento de novas metodologias de diagnóstico e terapêutica tem vindo a assumir uma relevância crescente para os profissionais de saúde.  A preparação em Bioquímica dada ao nível do 1º ciclo dos cursos que formam profissionais de Saúde visa proporcionar competências básicas para a sua aplicação no contexto profissional em que se irão inserir. Em concreto, tem vindo a verificar-se que os profissionais formados nas áreas de Tecnologias da Saúde procuram de forma crescente formação pós-graduada em áreas Biomédicas, sendo patente uma procura da vertente biomolecular sobretudo para os que possuem um 1º ciclo em cursos de natureza laboratorial. Desta forma a formação ao nível de 2º ciclo para estes profissionais tem-se restringido até à presente data à oferta universitária em áreas afins às Tecnologias da Saúde, não existindo, a nível nacional oferta formativa de 2º ciclo no âmbito da Bioquímica dirigida para as Tecnologias da Saúde. Pretende-se com o presente 2º ciclo em Tecnologia Bioquímica em Saúde desenvolver as competências no âmbito da Bioquímica Avançada dos profissionais de Saúde ou de outros profissionais de áreas afins, de modo a potenciar o seu enriquecimento profissional e académico, bem como contribuir desta forma para o desenvolvimento da área a que se dedicam ou pretendem dedicar. De acordo com a presente proposta, este desenvolvimento poderá ser dirigido para as áreas de diagnóstico e terapêutica que são competência dos profissionais formados ao nível do 1º ciclo em cursos de Tecnologias da Saúde. Este curso destina-se a titulares de cursos nas áreas das Ciências da Vida ou da Saúde.

· 2011 p 2012 ·


MESTRADO

TERAPIA OCUPACIONAL Este Ciclo de Estudos foi desenvolvido para responder às necessidades dos Terapeutas Ocupacionais que desejam desenvolver competências específicas avançadas adequadas às funções que a sua área de especialização exige. Definiram-se quatro áreas de especialização em Terapia Ocupacional (TO): TO EM GERONTOLOGIA Esta área de especialização do programa de Mestrado em Terapia Ocupacional tem como principais objectivos proporcionar aos estudantes formação aprofundada e integrada na área de conhecimento da Gerontologia tendo em conta o panorama actual relativamente ao fenómeno do envelhecimento populacional, suas implicações e necessidades; aprofundar competências específicas adequadas à intervenção com os idosos, com os cuidadores formais e informais, levando em linha de conta várias perspectivas de intervenção; desenvolver e aplicar esses conhecimentos ao nível da investigação e prática profissional. TO EM SAÚDE MENTAL Esta área de especialização do programa de Mestrado em Terapia Ocupacional tem por finalidade contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico da Terapia Ocupacional, promovendo a formação qualificada de Terapeutas Ocupacionais para o exercício de práticas profissionais avançadas e especializadas e para a produção de conhecimento, no âmbito da Saúde Mental e da Reabilitação Psicossocial de grupos socialmente excluídos e com dificuldades no funcionamento psicossocial, em particular das pessoas com incapacidades psiquiátricas. TO EM CRIANÇAS E JOVENS É principal objectivo da área de especialização do Mestrado em Terapia Ocupacional, preparar o estudante para desenvolver raciocínio profissional e científico inovador, recorrendo à argumentação teórica actual que sustenta a prática da Terapia Ocupacional nas fases iniciais da vida (desde as idades mais precoces até à adolescência) e contribuir, dessa maneira, para a construção de conhecimento e evidência, tendo como pressuposto a natureza ocupacional da criança. TO EM REABILITAÇÃO FÍSICA Esta formação especializada do Mestrado em Terapia Ocupacional oferece a possibilidade de obter uma qualificação académica e profissional na área da Terapia Ocupacional em Reabilitação Física de adultos. Esta qualificação, adquirida mediante um processo de ensino aprendizagem avançado, aprofundado e integrado, e através da aquisição de competências teórico práticas de raciocínio clínico baseadas na evidência, visa uma maior qualidade na prestação de serviços da Terapia Ocupacional. Assim, o programa enfatiza a optimização do desempenho ocupacional e o impacto ambiental na participação e envolvimento ocupacional de pessoas com disfunções neuro-musculo-esquelécticas.

· ESTSP p IPP ·


路 2011 p 2012 路


POLITÉCNICO DO PORTO 26 Anos | 7 Escolas | 16.000 Estudantes | 1.500 Docentes O Politécnico do Porto iniciou a sua actividade em 1985, em resultado do relançamento do Ensino Superior Politécnico em Portugal. O IPP é a maior instituição de ensino superior politécnico do país, em número de estudantes, de docentes, de cursos e de escolas, resultado de uma elevada diversidade de perfis de formação, de contextos de aplicação, de públicos, de actividades de extensão e de implantação geográfica – em 6 concelhos do Distrito do Porto. Mais de 16 mil estudantes frequentam 7 escolas que oferecem um total de 57 Licenciaturas e 41 Mestrados, nas mais variadas áreas, desde a Engenharia, à Gestão, à saúde, música ou educação. ISEP ISCAP ESE ESMAE ESEIG ESTGF ESTSP

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ESCOLA SUPERIOR DE MÚSICA, ARTES E ESPECTÁCULO ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO

A3

A7

ESTGF ESEIG

Felgueiras

Póvoa de Varzim / Vila do Conde

A28

A11

ISCAP Matosinhos

A42

A4

ISEP | ESE | ESMAE Porto

ESTSP

RIO DOURO Vila Nova de Gaia

SEGUE-NOS NO:

Flickr

Youtube

Issuu

Linkedin

Facebook


UNIVERSO IPP

IPP

PRESIDÊNCIA Rua Dr. Roberto Frias, 712 › 4200-465 Porto T. 225 571 000 › F. 225 020 772 ipp@ipp.pt › www.ipp.pt Serviços Académicos › s.academicos@sc.ipp.pt

ISEP

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431 › 4200-072 Porto T. 228 340 500 › F. 228 321 159 mail@isep.ipp.pt › www.isep.ipp.pt

ISCAP

INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO Rua Jaime Lopes Amorim s/n › 4465-004 São Mamede de Infesta T. 229 050 000 › F. 229 025 899 instituto@iscap.ipp.pt › www.iscap.ipp.pt

ESE

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO Rua Dr. Roberto Frias, 602 › 4200-465 Porto T. 225 073 460 › F. 225 073 464 ese@ese.ipp.pt › www.ese.ipp.pt

ESMAE

ESCOLA SUPERIOR DE MÚSICA, ARTES E ESPECTÁCULO Rua da Alegria, 530 › 4000-045 Porto T. 225 193 760 › F. 225 180 774 esmae@esmae-ipp.pt › www.esmae-ipp.pt

ESEIG

ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO Rua D. Sancho I, 981 › 4480-876 Vila do Conde T. 252 291 700 › F. 252 291 714 eseig@eseig.ipp.pt › www.eseig.ipp.pt

ESTGF

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS Rua do Curral, Casa do Curral, Margaride › 4610-156 Felgueiras T. 255 314 002 › F. 255 314 120 correio@estgf.ipp.pt › www.estgf.ipp.pt ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO Rua Valente Perfeito, 322 › 4400-330 Vila Nova de Gaia T. 222 061 000 › F. 222 061 001 geral@estsp.ipp.pt › www.estsp.ipp.pt

IPP.GCI MARÇO. 2011

ESTSP


ESTSP - Oferta formativa 2011/12