Issuu on Google+

# 003 | Boletim Bimestral | Abril / Maio 2009

Politécnico do Porto Instituição Aberta ao Exterior


POLITÉCNICO DO PORTO – ensino superior público

ISEP – INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

1º CICLO LICENCIATURA

CURSOS

ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES

CURSOS

CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS DA DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO

3 ANOS LECTIVOS

RECURSOS HUMANOS

180 CRÉDITOS

DESIGN OPÇÃO DESIGN GRÁFICO E DE PUBLICIDADE OPÇÃO DESIGN INDUSTRIAL ENGENHARIA BIOMÉDICA ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL ENGENHARIA MECÂNICA GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO HOTELEIRA CURSOS

ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA – SISTEMAS ELÉCTRICOS DE ENERGIA

180 CRÉDITOS

ENGENHARIA INFORMÁTICA

2º CICLO MESTRADO

ENGENHARIA GEOTÉCNICA E GEOAMBIENTE

2 ANOS LECTIVOS

GESTÃO INDUSTRIAL E DE OPERAÇÕES *

ENGENHARIA MECÂNICA

120 CRÉDITOS

ENGENHARIA ELECTROMECÂNICA *

INFORMAÇÃO EMPRESARIAL * FINANÇAS EMPRESARIAIS *

ENGENHARIA MECÂNICA AUTOMÓVEL

GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO HOTELEIRA

ENGENHARIA QUÍMICA

GESTÃO E QUALIFICAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS *

ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO MÉDICA ENGENHARIA DE INSTRUMENTAÇÃO E METROLOGIA

CURSOS

ENGENHARIA CIVIL – TECNOLOGIA E GESTÃO DE CONSTRUÇÕES * ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES

2 ANOS LECTIVOS

ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA – SISTEMAS ELÉCTRICOS DE ENERGIA

120 CRÉDITOS

ENGENHARIA INFORMÁTICA ENGENHARIA GEOTÉCNICA E GEOAMBIENTE ENGENHARIA MECÂNICA INDUSTRIAL * ENGENHARIA QUÍMICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO MÉDICA * ENGENHARIA DE INSTRUMENTAÇÃO E METROLOGIA *

ESE – ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO

1º CICLO LICENCIATURA

3 ANOS LECTIVOS

2º CICLO MESTRADO

ISCAP – INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO

ESEIG – ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO

1º CICLO LICENCIATURA

CURSOS

ASSESSORIA E TRADUÇÃO

3 ANOS LECTIVOS 180 CRÉDITOS

CURSOS

CIÊNCIAS EMPRESARIAIS (Diurno e Pós-laboral) ENGENHARIA INFORMÁTICA (Diurno e Pós-laboral) SEGURANÇA E QUALIDADE NO TRABALHO (Diurno e Pós-laboral) SOLICITADORIA (Diurno e Pós-laboral) SEGURANÇA INFORMÁTICA EM REDES DE COMPUTADORES * CURSOS

2º CICLO MESTRADO

ENGENHARIA INFORMÁTICA

2 ANOS LECTIVOS 120 CRÉDITOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA

CET

BANCA E SEGUROS

1.400 HORAS 60 CRÉDITOS

GESTÃO DE REDES E SISTEMAS INFORMÁTICOS APLICAÇÕES INFORMÁTICAS DE GESTÃO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

180 CRÉDITOS

CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO

ESTSP – ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO

MARKETING

2 ANOS LECTIVOS

1º CICLO LICENCIATURA

COMÉRCIO INTERNACIONAL

3 ANOS LECTIVOS

2º CICLO MESTRADO

ESTGF – ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS

CURSOS

TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO ESPECIALIZADAS AUDITORIA CONTABILIDADE E FINANÇAS

120 CRÉDITOS

PÓSGRADUAÇÕES

ASSESSORIA DE ADMINISTRAÇÃO

2 SEMESTRES

MARKETING DIGITAL

60 CRÉDITOS

TRADUÇÃO ASSISTIDA POR COMPUTADOR

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL EMPREENDEDORISMO E INTERNACIONALIZAÇÃO

1º CICLO LICENCIATURA

CURSO

ANÁLISES CLÍNICAS E SAÚDE PÚBLICA ANATOMIA PATOLÓGICA, CITOLÓGICA E TANATOLÓGICA

4 ANOS LECTIVOS

AUDIOLOGIA

240 CRÉDITOS

CARDIOPNEUMOLOGIA FARMÁCIA FISIOTERAPIA MEDICINA NUCLEAR NEUROFISIOLOGIA RADIOLOGIA RADIOTERAPIA SAÚDE AMBIENTAL TERAPIA DA FALA TERAPIA OCUPACIONAL

1º CICLO LICENCIATURA

CURSOS

EDUCAÇÃO BÁSICA

CURSO

2º CICLO MESTRADO

EDUCAÇÃO MUSICAL

MESTRADO EM ACONSELHAMENTO E INFORMAÇÃO EM FARMÁCIA

3 ANOS LECTIVOS

EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA

180 CRÉDITOS

CIÊNCIAS DO DESPORTO

2 ANOS LECTIVOS

MESTRADO EM FISIOTERAPIA NO DESPORTO

LÍNGUAS E CULTURAS ESTRANGEIRAS

120 CRÉDITOS

MESTRADO EM FISIOTERAPIA CARDIORESPIRATÓRIA

MESTRADO EM FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA

EDUCAÇÃO SOCIAL

MESTRADO EM FISIOTERAPIA NA COMUNIDADE

GESTÃO DO PATRIMÓNIO

MESTRADO EM TERAPIA MANUAL ORTOPÉDICA

TRADUÇÃO E INTERPRETAÇÃO EM LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA

2º CICLO MESTRADO

MESTRADO EM TERAPIA OCUPACIONAL

CURSOS

EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

( ABERTURA 2010/11 )

ENSINO DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

( ABERTURA 2010/11 )

2 ANOS LECTIVOS

ENSINO DO 1º E DO 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

120 CRÉDITOS

ENSINO DE INGLÊS E DE FRANCÊS NO ENSINO BÁSICO

( ABERTURA 2010/11 )

PÓSGRADUAÇÕES 2 SEMESTRES 60 CRÉDITOS

CURSO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO PÓS-GRADUADO EM ACONSELHAMENTO E INFORMAÇÃO EM FARMÁCIA PERTURBAÇÕES ASSOCIADAS AO COMPLEXO CRÂNIO-TEMPORO-MANDIBULAR

ENSINO DE INGLÊS E DE ESPANHOL NO ENSINO BÁSICO * ENSINO DE EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO ENSINO DE EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA NO ENSINO BÁSICO DIDÁTICA DO PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA EDUCAÇÃO SOCIAL * GESTÃO DO PATRIMÓNIO * ADMINISTRAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES EDUCATIVAS EDUCAÇÃO ESPECIAL: MULTIDEFICIÊNCIA E PROBLEMAS DE COGNIÇÃO (EDUCADORES DE INFÂNCIA E PROFESSORES DO EMSINO BÁSICO E SECUNDÁRIO ENSINO EXPERIMENTAL DAS CIÊNCIAS NO 1º E 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO ENSINO PRECOCE DE INGLÊS SUPERVISÃO PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA E NO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

ESMAE – ESCOLA SUPERIOR DE MÚSICA E DAS ARTES DO ESPECTÁCULO

1º CICLO LICENCIATURA

CURSOS

MÚSICA · CANTO MÚSICA · COMPOSIÇÃO

3 ANOS LECTIVOS

MÚSICA · INSTRUMENTO · SOPROS

180 CRÉDITOS

RAMOS: CLARINETE › FAGOTE › FLAUTA › OBOÉ › SAXOFONE › TROMBONE TROMPA › TROMPETE › TUBA

MÚSICA · INSTRUMENTO · PIANO E TECLAS MÚSICA · INSTRUMENTO · PERCUSSÃO MÚSICA · JAZZ MÚSICA · MÚSICA ANTIGA OPÇÕES: › VIOLA BARROCA › VIOLA DA GAMBA VIOLINO BARROCO › VIOLONCELO BARROCO

MÚSICA · PRODUÇÃO E TECNOLOGIAS DA MÚSICA MÚSICA · INSTRUMENTO · CORDAS RAMOS: CONTRABAIXO › GUITARRA › VIOLA › VIOLINO › VIOLONCELO

TEATRO · INTERPRETAÇÃO TEATRO · PRODUÇÃO E DESIGN RAMOS: CENOGRAFIA › DIRECÇÃO DE CENA › FIGURINO › LUZ E SOM

TECNOLOGIA DA COMUNICAÇÃO AUDIOVISUAL TECNOLOGIA DA COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA

2º CICLO MESTRADO

CURSOS

COMPOSIÇÃO E TEORIA MUSICAL MÚSICA · INTERPRETAÇÃO ARTÍSTICA

2 ANOS LECTIVOS

COMUNICAÇÃO AUDIOVISUAL

120 CRÉDITOS

TEATRO * ELECTROACÚSTICA APLICADA * * AGUARDA APROVAÇÃO DO MCTES

— ISEP · INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431 4200-072 Porto t. 228 340 500 › f. 228 321 159 isep@ipp.pt › www.isep.ipp.pt — ISCAP · INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO Rua Jaime Lopes Amorim s/n 4465-004 São Mamede de Infesta t. 229 050 000 › f. 229 025 899 instituto@iscap.ipp.pt › www.iscap.ipp.pt — ESE · ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO Rua Dr. Roberto Frias, 602 › 4200-465 Porto t. 225 073 460 › f. 225 073 464 ese@ese.ipp.pt › www.ese.ipp.pt — ESMAE · ESCOLA SUPERIOR DE MÚSICA E DAS ARTES DO ESPECTÁCULO Rua da Alegria, 530 › 4000-045 Porto t. 225 193 760 › f. 225 180 774 esmae@esmae-ipp.pt › www.esmae-ipp.pt — ESEIG · ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO Rua D. Sancho I, 981 4480-876 Vila do Conde t. 252 291 700 › f. 252 291 714 eseig@eseig.ipp.pt › www.eseig.ipp.pt —

— ESTGF · ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS Rua do Curral, Casa do Curral, Margaride 4610-156 Felgueiras t. 255 314 002 › f. 255 314 120 correio@estgf.ipp.pt › www.estgf.ipp.pt — ESTSP · ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO Rua Valente Perfeito, 322 › 4400-330 V.N.Gaia 4050-453 Porto t. 222 061 000 › f. 222 061 001 geral@estsp.ipp.pt › www.estsp.ipp.pt — FIPP · FUNDAÇÃO POLITÉCNICO DO PORTO Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 537 4200-072 Porto T. 228 302 555 geral@fipp.ipp.pt › www.ipp.pt — SAS.IPP · SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO IPP Praça do Marquês de Pombal, 94 4000-390 Porto T. 225 573 710 info@sas.ipp.pt › www.ipp.pt —


Politécnico do Porto

VÍTOR CORREIA SANTOS PRESIDENTE DO POLITÉCNICO DO PORTO

VAMOS FALAR AZUL! O Ensino Superior, e nele, o Politécnico do

Estamos, em paralelo e dando sequên-

Porto, também pode, e atrevo-me, deve,

cia à matéria-prima que formamos,

colaborar activamente nesta conquista

crescentemente atentos ao tecido

de futuro com qualidade, inovação e

empresarial nacional e, particularmente

realização profissional e humana.

ao da nossa região de influência, o

Sabemos bem que os tempos são

Norte, estruturando as nossas formações

de “vacas magras” e que estão

graduadas e pós-graduadas também

para durar, também para as Insti-

a partir daquilo que as empresas

tuições de Ensino Superior (IES).

apontam como sendo o conhecimento

A estas são-lhes pedidos sacrifícios

e a tecnologia de que carecem.

e reestruturações draconianas e

Para que este empenho seja sentido

em tempo acelerado e, por vezes,

por todos e para que todos nele possam

num quadro legal e orçamental

contribuir, e sob o mote da celebração do

ainda não totalmente definido.

nosso 24º Aniversário, decidimos abrir

Urge pois, encontrar os instrumentos

(ainda mais) a instituição ao Exterior

certos para, garantindo a qualidade do

programando, de 25 de Fevereiro a 8 de

A Crise Omnipresente: uma

ensino e da investigação, colocar as IES

Março, uma série de actividades (confe-

Oportunidade de Futuro?

em relação íntima com a Comunidade,

rências, exposições, ópera, teatro, música,

A milenar sabedoria chinesa ensina-nos

produzindo saber e conhecimento que

saúde, experiências, etc.) em todas as

que a representação do conceito de

seja desejado por esta comunidade

áreas científicas em que intervimos e levá-

“crise” resulta da escrita de dois ideogra-

e, assim, contribuir activamente para

las às 6 cidades onde estamos presentes.

mas, o “wei”, que significa risco e o “gee”,

a reestruturação económica do país,

Queremos que este caminho, que

que se poderá traduzir por oportunidade.

através da indução de inovação, de

sabemos duro mas acreditamos recom-

Assim, a narrativa da crise, hoje omni-

tecnologia e de conhecimento nos seus

pensador, seja feito, também em conjunto

presente no que lemos, ouvimos,

agentes mais dinâmicos: as empresas,

consigo. Conte com o Politécnico do

vemos e, até, pensamos, não deverá ser

as instituições e os empreendedores.

Porto, como nós contamos consigo.

erguida como desculpa para a inacção

O Politécnico do Porto está cons-

ou como pretexto para a desrespon-

ciente deste, também seu, papel.

sabilização, o que todos, indivíduos

Como o maior e um dos mais dinâmi-

e instituições, devemos recusar.

cos Politécnicos do País está, antes de

A crise actual representa um pro-

mais, a cuidar da sua matéria-prima

blema conjuntural, um desafio

essencial, do seu ADN: os seus Estu-

estrutural e uma oportunidade de

dantes, expandindo o apoio social e o

ganharmos juntos um novo destino,

recurso aos empréstimos complemen-

de ganharmos juntos o futuro.

tares (avalizados pelo Estado) para que estes possam prosseguir a sua vida académica nestes tempos difíceis.

Falar Azul 1


Falar Azul 2

Politécnico do Porto

FALAR AZUL #003

EDITORIAL  .1 POLITÉCNICO DO PORTO: INSTITUIÇÃO ABERTA AO EXTERIOR  .3 p 5 NOVOS DIRIGENTES ASSOCIATIVOS DO POLITÉCNICO DO PORTO  .6 p 9 FEDERAÇÃO ACADÉMICA DO PORTO  .10 QUEIMA’09  .11 CAMPEONATOS NACIONAIS UNIVERSITÁRIOS 2009  .12 p 14 APNOR  .15 UNIVERSO IPP  .16 p 22 6ª CONFERÊNCIA DE TECNOLOGIAS DA MÚSICA  .23 GUSTAVO BRANDÃO  .24 p 29 IPP | INTERNATIONAL NETWORK  .30 p 31 ISO 9001:2008 NA ESTGF.IPP  .32 p 33 IPP | CULTURA  .34 p 35 EPICENTRO / EXOCENTRO  .36

Boletim Falar Azul #003 – Abril / Maio 2009 — Ficha técnica PROPRIEDADE e EDIÇÃO

Instituto Politécnico do Porto DIRECTOR

Vítor Correia Santos COORDENAÇÃO EDITORIAL

Marina Sousa

REDACÇÃO

IMPRESSÃO

CONTACTOS

Elisabete Torres Lino Miguel Teixeira Nuno Xavier, pág.25

Clássica, artes gráficas

GCM Gabinete de Comunicação e Marketing Rua Dr. Roberto Frias, 712 4200-465 Porto t. 225 571 000 | f. 225 020 772 falarazul@ipp.pt

TIRAGEM

5.000 exemplares

DESIGN e PAGINAÇÃO

António Cruz

PERIODICIDADE

Bimestral

FOTOGRAFIA

Rui Pinheiro Sergio Rolando, pág.4 (topo) Miguel Refresco, pag.12 (parcial) IPVC GCI, pág.15 Carlos Pinto, pág.24 e 25

DEPÓSITO LEGAL

275 505/08


Politécnico do Porto

POLITÉCNICO DO PORTO CELEBRA 24º ANIVERSÁRIO ABRINDO-SE AO EXTERIOR

Queremos conhecer as pessoas da região

Directores das Escolas que compõem

e queremos que estas saibam ainda me-

o Politécnico do Porto quando entrega-

lhor quem somos e qual o trabalho que,

ram os prémios de mérito académico

para elas, quotidianamente construímos.

aos seus melhores estudantes. A I2S e

O Politécnico do Porto comemorou, de 25

a Associação Empresarial de Felgueiras

de Fevereiro a 7 de Março, 24 anos de ac-

Dia do Politécnico do Porto

entregaram a Estudantes os prémios

tividade pedagógica, científica e cultural

premeia mérito de Estudantes,

do tecido empresarial, ligação à so-

de excelência ao serviço da Comunidade.

Professores e Funcionários

ciedade civil que reforça o mérito da

Mobilizando todos aqueles que consti-

vocação profissionalizante do ensino

tuem as 17.500 Pessoas da Comunidade

O Presidente da Instituição, Vítor Correia

ministrado pelo Politécnico do Porto.

Politécnico do Porto e pensando naqueles

Santos, veiculou o mérito do Politécnico

Mobilizando todos para uma união de

que são os destinatários do nosso

do Porto nas suas gentes, entregando a

acção na conjuntura difícil que o País

trabalho: a população da(s) cidade(s) e

distinção ao primeiro Mestre do Politéc-

atravessa, condição indispensável à

da região onde nos inserimos; progra-

nico do Porto, as medalhas de 20 anos

sobrevivência institucional para que

mámos uma quinzena de actividades

de serviço aos funcionários da Instituição,

todos trabalhamos, a intervenção de

dirigidas e oferecidas a todos os cidadãos

a proclamação de Professor Emérito

Vítor Correia Santos foi ainda marcada

das 6 cidades onde estamos presentes.

a Eduardo Martins de Lucena e Luís

por uma forte crítica à desigualdade legal,

Somos uma instituição aberta ao

Soares e, pela primeira vez, o Galardão de

financeira e narrativa a que os Politécni-

exterior, consolidada e sólida no seu

Carreira, que distinguiu a longa e ímpar

cos estão sujeitos por parte da tutela que

interior, mas atenta às necessida-

carreira da Professora Fátima Morgado.

afecta particularmente, por ser a maior

des e expectativas que em nós os

O Mérito foi também protagonizado pelos

e uma das mais dinâmicas instituições

que nos são exteriores colocam.

Presidentes dos Conselhos Directivos e

deste subsistema, o Politécnico do Porto.

Falar Azul 3


Falar Azul 4

Politécnico do Porto

Dia do IPP – Sessão Solene

Protocolo com

Teatro: Perguntas de um mendigo que lê

25 Fev. › Auditório Magno, no ISEP.IPP

Museu Soares dos Reis

Grupo Crinabel Teatro

3 Mar. › Rua D.Manuel II, Porto

6 Mar. › Teatro Helena Sá e Costa

PET e Neuroimagem no séc. XXI

Prémios de Mérito Desportivo

A Escola sai a Rua

Prof.ª Vesna Sossi, Prof. Richard R Johnson

4 Mar. › Sala de Eventos do IPP

25 Fev. a 07 Mar. › Felgueiras › Matosi-

Palestra

University of British Columbia, Vancouver, Canada › 26 Fev. › Sala de Actos

nhos › Porto › Póvoa de Varzim › Vila do Sarau

Conde › V.N.Gaia

Tunas e Grupos Académicos Ópera

5 Mar. › Auditório Magno do IPP

Amor de Perdição – 100 anos depois... 27 Fev. › Teatro Sá da Bandeira

Os Átomos ao Serviço da Saúde Exposição Medicina Nuclear

Adesão à PROMONET

25 Fev. a 06 Mar. › Sala de Eventos do IPP

5 Mar. › Rua dos Salazares Uma Aula de Engenharia do século XIX

Cerimónias de Graduação

2 Mar. › Teatro Helena Sá e Costa

28 Fev. e 1 Mar. › Nas Escolas


Politécnico do Porto

Galardão de Carreira

1º Mestre do Politécnico do Porto

Maria de Fátima Lopes da Silva Ramos Morgado

Cosme Manuel Fernandes Teixeira

Professores Eméritos: Proclamação

Prémio I2S

Luís de Jesus Santos Soares

Nuno Miguel Almeida Luz,

Eduardo Jorge Almeida Martins de Lucena

do Curso de Engenharia Informática do ISEP.IPP

Entrega de Medalhas aos Funcionários com 20 anos de Serviço

Prémio Associação Empresarial de Felgueiras

ISEP

Albina Maria de Sá Ribeiro

do Curso de Ciências Empresariais da ESTGF.IPP

Fernanda Maria Oliveira Pereira Mendes do Amaral

Fernando Augusto Cruz e Silva Mouta

Fernando Manuel Baptista Pacheco

Entrega de Medalhas aos Melhores Estudantes

Jorge José de Magalhães Mendes

ISEP

Eugénia Margarida Pinto Vinagre Moreira

ISCAP

Ana Paula Camarinha Teixeira

João Manuel da Silva Azevedo

Eduardo da Fonseca e Castro

João Manuel Maia Duarte

Eduardo Manuel Lopes de Sá e Silva

ISCAP

Eugénia de Lima Branco

Ilda Maria Madeira Jorge Castedo

Maria Isabel Moreira Marques

Ricardo Jorge Teixeira Lopes,

José de Freitas Santos

Rodolfo Luís Felgueiras de Lima

Josefa Barbosa da Silva

ESE

Ana Carla Gonçalves Abreu

Júlio César Vitorino Lopes Pereira da Costa

Maria de Fátima Barros Correia

Luís Fernando Silva Rocha

Sandra Maria Teixeira Michaux de Oliveira

Manuel Alfredo Rodrigues Magalhães

ESMAE Gil Ribeiro Almeida Fesch

Maria Manuela Ribeiro Veloso

Lígia Raquel Brito Madeira

Rosalina Maria Gonçalves Ferreira Bessa Babo

Pablo Rodriguez Fernandez

Túlio Alfredo dos Reis Baptista de Almeida

Tiago Schwäbl Martins

ESE

Deolinda Alice Dias Pedroso Ribeiro

ESEIG

Cláudia Sofia da Costa Rocha

Gustavo Eurico Nogueira Brandão

Daniella Lee Moreira da Silva

Rui Fernando da Maia Oliva Teles

Susana Manuela Silva Peixoto

Rui Manuel Pinto Oliveira Ferreira

ESTGF

Catarina Helena Coelho Peixoto

Maria Manuela Pereira de Almeida

Ricardo Jorge Teixeira Lopes

Maria Manuela Valente Meneses

Sérgio Fernando Ferreira Fernandes

ESMAE José de Oliveira Lopes

ESTSP

Ana Cristina da Silva Gomes

ESEIG

Paula Cristina Ribeiro Monteiro Lima

Camilo André de Sousa Moreira

SASIPP Maria Margarida Figueiredo Augusto

Sandrine de Barros Correia

SC

Maria do Amparo Gomes Martins

Maria de Jesus Lima

Falar Azul 5


Falar Azul 6

Politécnico do Porto

NOVOS DIRIGENTES ASSOCIATIVOS DO POLITÉCNICO DO PORTO TOMAM POSSE

AE.ESE.IPP – ANDRÉ MOTA

O Presidente do Politécnico do Porto, Professor Vítor Correia

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

Santos, deixou palavras de estímulo, exigência e solidariedade

Do seu nível de ensino. Da vertente pratica que é característica do

aos novos órgãos sociais das Associações de Estudantes das 7

subsistema politécnico.

Escolas que compõem a instituição a que preside e que tomaram

O que corrigia mais urgentemente?

posse em 2009.

Acho que é necessário encarar o politécnico como um ensino de

Reconhecendo que a assunção do trabalho de dirigente associa-

excelência, em todas as vertentes, e valorizar as pessoas que o

tivo implica um “sacrifício da vida pessoal e académica”, Vítor

fazem um dos melhores do Pais.

Correia Santos defendeu que este investimento é compensado

Promover novos mestrados, pois existem ainda algumas falhas e

pelo facto “do associativismo estudantil ser uma escola de vida”,

alguns cursos ainda não os têm.

lembrando que também ele foi dirigente associativo e que esta

Do que mais se orgulha na sua ESE.IPP?

etapa do seu percurso o “qualificou determinantemente para

Aquilo de que mais me orgulho nesta Escola é do seu prestigio.

a longa carreira de gestão académica e institucional”, antes no

A ESE.IPP é uma escola de excelência entre as escolas de educa-

ISEP.IPP e hoje na Presidência do Politécnico do Porto.

ção, porventura a melhor do país.

Não escondendo que o novo Regime Jurídico das Instituições

O que gostaria que amanhã não estivesse/acontecesse na

de Ensino Superior traduz uma “menor representatividade

ESE.IPP?

institucional orgânica do corpo discente”, o Presidente do maior

Ao nível dos pontos positivos não gostaria que estes passassem

politécnico do país encontra nos mecanismos que implementou

a negativos, e em relação aos negativos gostaria que assim se

de “auscultação dos anseios dos estudantes, uma oportunidade

mantivessem, uma vez que todos trabalhamos para a evolução e

largamente compensadora daquela diminuição”, auscultação

não para a regressão.

esta, enfatizou, necessária para “cumprir cabalmente os princí-

Qual a prioridade para este mandato?

pios do Processo de Bolonha”, e fomentadora de uma “acrescida

A maior prioridade neste mandato é defender os estudantes em

participação estudantil na construção e implementação das

todas as áreas, trabalhar para e com os que me elegeram.

políticas institucionais adoptadas”.

Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso?

Assim, o Presidente do Politécnico do Porto “está e estará, como

O meu maior fracasso seria não conseguir entender os problemas

sempre esteve, totalmente disponível para ouvir os estudantes”,

dos estudantes que me elegeram. O maior sucesso será

com quem alimenta “um canal permanentemente aberto à

conseguir resolver todos esses mesmos problemas.

comunicação, à partilha e ao trabalho”, cumprindo assim o seu papel que, “através da mobilização de consensos e da construção de soluções equilibradas, realiza o interesse institucional do Politécnico do Porto, necessariamente maior do que os interesses conjunturais de cada uma das suas partes”.


Politécnico do Porto

AE.ESEIG.IPP – ANA BRIOSO

AE.ESMAE.IPP – RAUL RALHA

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

No Politécnico do Porto não só gosto como também admiro

Gosto do facto de ser uma instituição em crescimento mas que

muito, a forma como os estudantes são ouvidos e tratados, a

ainda mantém um tamanho onde é acessível o contacto e a apro-

disponibilidade sempre demonstrada para resolver o que por

ximação entre todos os intervenientes. Gosto de ir conhecendo os

vezes corre menos bem.

cantos a casa e de sentir que não me fecham portas.

O que corrigia mais urgentemente?

O que corrigia mais urgentemente?

A parte pedagógica. Parece ser geral a desmotivação dos estu-

O financiamento das Escolas e no caso concreto, a construção de

dantes em demonstrar os seus problemas de aprendizagem, pois

novas instalações para a ESMAE.IPP.

algumas vezes são um pouco ignorados e levados muito pouco a

Do que mais se orgulha na ESMAE.IPP?

sério.

Gosto da oportunidade que nos dão por poder aprender e

Do que mais se orgulha na ESEIG.IPP?

conviver com referencias nacionais e internacionais dos meios

Em primeiro lugar, orgulho-me muito de fazer parte desta institui-

artísticos.

ção tão nobre: a ESEIG.IPP e o Politécnico do Porto. Orgulho-me

O que gostaria que amanhã não estivesse/acontecesse na

do facto de, mesmo estando longe, conseguirmos estar perto, ou

ESMAE.IPP?

seja, participarmos em tudo o que nos é proposto.

Gostava que amanhã a escola não se encontrasse no edifício

O que gostaria que amanhã não estivesse/acontecesse na

actual (sem condições) e que o Processo de Bolonha já estivesse

ESEIG.IPP?

concluído.

Não gostaria de ver os estudantes desmotivados ou desiludidos

Qual a prioridade para este mandato?

com situações que lhes ocorram na nossa escola

No ano anterior não houve mandato, logo quase tudo que está a

Qual a prioridade para este mandato?

ser feito e que há para fazer teve que começar do início. O grande

Neste mandato tracei como objectivos primordiais – e não um

objectivo é que a ae.ESMAE ganhe o peso devido na ESMAE.IPP

objectivo único – alguns aspectos que tenho achado que por

e que este seja reconhecido tanto internamente como externa-

vezes correram menos bem ao longo destes últimos tempos. Por

mente.

exemplo, a questão pedagógica, que tem levantado alguns pro-

Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso?

blemas à nossa comunidade eseiguiana. Não podemos também

O maior sucesso será a continuação da aeESMAE quando

esquecer todas as actividades de lazer que tentaremos proporcio-

este grupo de trabalho sair. Ou seja, o maior problema que a

nar aos estudantes para enriquecer o seu percurso académico.

ae.ESMAE tem neste momento, é o risco de não haver continuida-

A parte de cariz social irá continuar, pois foi um projecto desen-

de e interesse na aeESMAE e por isso esta acabar. O fracasso será

volvido no mandato passado e que, graças ao seu sucesso, tudo

se isso alguma vez acontecer.

iremos fazer para manter e melhorar. Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso? O meu maior sucesso seria levar avante todos os projectos que defini para o meu mandato, o fracasso seria não os conseguir realizar.

Falar Azul 7


Falar Azul 8

Politécnico do Porto

AE.ESTGF.IPP – SÉRGIO LOPES

AE.ESTSP.IPP – MÁRIO LOURENÇO

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

Certamente, da estrutura organizacional do IPP que, com os seus

No ponto de vista da ae.ESTSP, o que o IPP tem de mais positivo

organismos, consegue de uma forma directa apoiar e integrar

é a sua reputação no panorama do ensino superior em Portugal,

os estudantes. Isto passa muito pela competências dos serviços e

sendo classificado como o instituto politécnico nacional de maior

qualificação dos docentes.

sucesso.

O que corrigia mais urgentemente?

O que corrigia mais urgentemente?

Mais urgentemente não vejo algo prioritário em corrigir, vejo sim,

Visto que a situação relativa ao atraso no pagamento das bolsas

ao longo do trabalho associativo, alguns problemas com que os

de estudo está a ser resolvida, o maior problema do momento é

estudantes se vão deparando. Felizmente conseguimos ser ouvi-

a adaptação dos estatutos especiais ao novo método de ensino,

dos e compreendidos através dos orgãos competentes.

nomeadamente o estatuto de trabalhador-estudante.

Do que mais se orgulha na ESTGF.IPP?

Do que mais se orgulha na ESTSP.IPP?

A forte comunicação entre estudantes e docentes faz com que o

Quanto a ESTSP.IPP do que mais sinto orgulho é do mérito com

ambiente cá na ESTGF.IPP seja mais familiar e mais benéfico para

que são conotados os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica com

o nosso percurso académico. Existe claramente uma preocupa-

uma licenciatura na ESTSP.IPP.

ção com a integração de estudantes e docentes num ambiente

O que gostaria que amanhã não estivesse/acontecesse na

acolhedor e dinâmico.

ESTSP.IPP?

O que gostaria que amanhã não estivesse / acontecesse na

O que ae.ESTSP mais teme é o abandono no ensino superior,

ESTGF.IPP?

nomeadamente na ESTSP.IPP, pela situação de crise que se vive

Os pré-fabricados em que temos aulas.

no país e pelo que representa no orçamento familiar manter um

Qual a prioridade para este mandato?

estudante no ensino superior. Ou que, por outro lado, a adesão

A nossa prioridade principal neste mandato é aproximar a comu-

ao Processo de Bolonha não seja compatível com o estatuto de

nidade felgueirense e do vale do sousa e baixo tâmega da ESTGF.

trabalhador-estudante.

IPP. Temos estruturado semestralmente um programa cultural

Qual a prioridade para este mandato?

rico, com o contributo de todos nós, para enriquecer o panorama

A prioridade da ae.ESTSP para este mandato é estar atenta as

cultural da comunidade que nos envolve.

alterações/consequências que advêm da recente adesão ao Pro-

Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso?

cesso de Bolonha nas Tecnologias da Saúde, bem como realizar

Maior fracasso seria a falta de participação da comunidade e

actividades que aproximem a ae.ESTSP dos estudantes.

o maior sucesso, sem dúvida, será a continuação do trabalho

Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso?

iniciado este ano.

O maior fracasso seria ver o abandono escolar a aumentar e o maior sucesso seria ver as condições necessárias criadas para que o mesmo não aconteça.


Politécnico do Porto

AE.ISCAP.IPP – PAULO PEREIRA

AE.ISEP.IPP – THIAGO OLIVEIRA

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

Do que mais gosta no Politécnico do Porto?

Acima de tudo, gosto do sentido de necessidade de crescermos

A diversidade na oferta de formação e a grande relação interpes-

sempre e melhor, para assim continuarmos a justificar o porquê

soal dos intervenientes directos no Politécnico do Porto, como é o

de sermos o maior e melhor Politécnico de Portugal. Além disso

caso dos Estudantes.

gosto de ver que todos têm orgulho de serem do Politécnico do

O que corrigia mais urgentemente?

Porto.

É urgente dar mais valor à marca “Politécnico do Porto”, para que

O que corrigia mais urgentemente?

possa ser visto na sociedade como uma referência de excelência

A nível global aquilo que eu corrigia mais rapidamente seriam os

no panorama do Ensino Superior Português.

constantes problemas que surgem todos os anos com a análise

Do que mais se orgulha na sua Escola/Instituto?

da atribuição das bolsas de estudo aos estudantes do IPP que se

O ISEP.IPP é sem dúvida uma escola de referência no ensino da

candidatam.

Engenharia em Portugal, é sem dúvida um motivo de orgulho es-

De que mais se orgulha no ISCAP.IPP?

tudar numa Instituição que busca a perfeição e onde as pessoas

Aquilo em que mais sinto orgulho é o reconhecimento da quali-

que de lá saem sentem um grande reconhecimento por parte da

dade da nossa instituição, reconhecimento este transmitido por

sociedade em geral.

todas as entidades externas com que contactamos. Orgulho-me

O que gostaria que amanhã não estivesse/acontecesse no

em sentir que temos capacidades para cada vez sermos melhores.

ISEP.IPP?

O que gostaria que amanhã não estivesse/acontecesse no ISCAP.

Seria impensável, para uma instituição como o ISEP.IPP, deixar

IPP?

de ter o reconhecimento por parte da sociedade e do tecido

Como Presidente da Associação de Estudantes, aquilo que não

empresarial.

quero que amanhã nem nunca aconteça, é a perca de capacidade

Qual a prioridade para este mandato?

por parte dos estudantes, de reivindicar e poder defender os seus

A prioridade para este mandato é a defesa dos interesses dos

interesses e direitos juntos dos órgãos de gestão da Escola.

estudantes, para que as suas reais expectativas nunca saiam

Qual a prioridade para este mandato?

goradas, melhorando, em conjunto com os órgãos de gestão, as

Sem dúvida que existem duas grandes missões para este manda-

condições pedagógicas dos estudantes do ISEP.IPP.

to a nível pedagógico e das saídas profissionais. Continuaremos

Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso?

a trabalhar de forma empenhada para que o tratado de Bolonha

Apesar de improvável, dada a postura pró-activa da ae.ISEP,

seja verdadeiramente implementado, para resolver todos os

aquilo que de menos bom poderia acontecer seria terminar o

problemas que afectam os nossos colegas.

meu mandato e olhar para trás e verificar que não houve me-

Quais seriam o seu maior fracasso e o seu maior sucesso?

lhorias significativas no dia-a-dia dos estudantes do ISEP.IPP por

O maior sucesso para mim e para toda a equipa que compõe

influência directa da Associação de Estudantes. O melhor seria,

esta Associação de Estudantes será conseguir realizar todos os

certamente, verificar que hove alterações pedagógicas e de orga-

projectos e medidas que foram apresentadas em campanha e

nização, que viessem melhorar a vida de todos os estudantes do

assim poder responder a toda a confiança que nos depositaram,

ISEP.IPP. Isso significaria que trabalhámos e fizemos tudo aquilo

se assim não acontecer poderemos considerá-lo um fracasso.

que nos competia.

Falar Azul 9


Falar Azul 10

Politécnico do Porto

Docente. O que me preocupa de sobremaneira neste momento é a crise instalada a nível financeiro e o impacto que tem em estudantes mais frágeis do ponto de vista económico e evitar que sejam obrigados a abandonar os estudos. Pretendemos neste momento superar o problema generalizado ao nível do pagamento de bolsas e intervir junto dos agentes responsáveis

VÍTOR CORREIA SANTOS MOBILIZA A FAP PARA EMPREENDER O TEMPO DE MUDANÇA

FILIPE ALMEIDA PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO ACADÉMICA DO PORTO

A “vontade de construção de plataformas

O que significa para si este momento de

Amanhã” que ambiciona?

de entendimento mobilizadoras e alarga-

eleição como Presidente da FAP?

O “Portugal de Amanhã” que ambiciono

das” foi por Vítor Correia Santos diagnos-

Acima de tudo, para mim é um momento

é um Portugal de esperança, um Portugal

ticada como vital, no Presidente cessante

de esperança. Numa altura em que o Ensi-

que não viva envolto em crises, quer eco-

da FAP, Ivo Santos, estudante do ISEP.IPP,

no Superior atravessa grandes mudanças,

nómicas, quer financeiras, quer sociais.

vendo nesta característica que parti-

cabe-nos a nós estudantes a responsabi-

Um Portugal que, acima de tudo, tem que

lham “o motor do percurso que ambos

lidade de ajudar a construir um sistema

ser renovado. Tem que ser renovado por

apresentam de realização de tarefas, de

de Ensino Superior justo e coerente para

todas as pessoas que têm que perceber

proposição de soluções e de resolução de

todos.

que o futuro do país se joga no Ensino

problemas sem grandes fogos de artifício

Na sua tomada de posse disse que “nin-

Superior. Quem ainda não percebeu isto

ou parangonas na comunicação social”.

guém pode assobiar para o lado”. Como

está a perder tempo e está-nos a fazer a

Deste contexto deriva, defende o Presiden-

é que vai mobilizar a maior Comunidade

nós perder tempo. É de facto através da

te do Politécnico do Porto, “uma grande

Académica do país para não assobiar

qualificação de alto nível dos portugueses,

responsabilidade para o novo Presidente

para o lado?

como está plasmado no Regime Jurídico

da FAP: em tempos de transição mobilizar

Fazendo perceber aos estudantes da

das Instituições de Ensino Superior, que

o maior Politécnico do país, a maior Uni-

academia do Porto que a FAP é uma estru-

Portugal poderá, num futuro próximo,

versidade do país e a maior comunidade

tura e um conjunto de pessoas que se

não estar em crise permanente.

académica do país para mudar as coisas,

preocupam com eles e que eles são parte

Representando a FAP quatro subsistemas

mudar as pessoas, mudar os critérios,

integrante desta. Esse trabalho assentará

de Ensino Superior, qual acha que pode

mudar os processos, no fundo, mudar as

acima de tudo numa comunicação criativa

ser o contributo do Politécnico do Porto?

mentalidades”. A dificuldade da missão

que chegue perto desses estudantes,

O Politécnico do Porto é, como o seu

não impede Vítor Correia Santos de

envolvendo-os todos numa mesma acção.

Presidente, Professor Vítor Correia Santos

“acreditar profundamente na capacidade

No seu discurso sublinhou a questão da

afirmou, o maior Politécnico do País.

da FAP para ser um agente fundamental

Acção Social Escolar, o Estatuto do Traba-

O sistema de Ensino Superior do país

desta mudança, contando sempre com o

lhador-Estudante, o Estatuto da Carreira

defende exactamente a existência de um

Politécnico do Porto como parceiro primei-

Docente e o Financiamento das Institui-

sistema binário, Politécnico e Universitá-

ro neste processo”.

ções de Ensino Superior. Serão estas as

rio, juntos e unidos num Portugal melhor

quatro prioridades do seu mandato?

e seguramente mais objectivo no seu

Há 3 grandes prioridades: a revisão da lei

posicionamento futuro.

da Acção Social Escolar, a adequação do

Daqui a um ano, qual gostaria que fosse a

Estatuto do Trabalhador-Estudante à re-

palavra que sintetizasse o seu mandato?

forma de Bolonha e o Estatuto da Carreira

Seriam duas: dever cumprido.

por esta situação e encontrar uma solução que resolva este problema. Também mencionou a imperatividade de o “Portugal de Amanhã” começar a ser construído já hoje. Qual o “Portugal de


Politécnico do Porto

QUEIMA’09 ESTUDANTES DO POLITÉCNICO DO PORTO CELEBRAM O SEU PERCURSO ACADÉMICO Chegado o mês de Maio é momento de os estudantes do ensino superior de todo o país celebrarem as suas realizações académicas e a passagem de mais um ano nesta sua viagem rumo a uma vida profissional, confiamos, realizada e de sucesso. Quase no final de mais um ano lectivo de exigência, finalistas e caloiros encontram-se num mesmo movimento comemorativo que permite aos segundos receberem o testemunho dos primeiros e construírem e transportarem juntos a vivência e a memória de serem estudantes do ensino superior e, também, a memória institucional dos Politécnicos e Universidades que escolheram como casa. O Politécnico do Porto tem imenso orgulho na sua comunidade de mais de 16.000 estudantes de excelência que, uma vez graduados no ensino superior de referência que ministramos e fazendo uso da vocação profissionalizante dos nossos cursos, aportam valor e inovação para todo o país e, determinantemente, para a região onde nos inserimos, o Norte de Portugal. Esta vasta comunidade exprime também o seu orgulho no Politécnico do Porto, orgulho de pertença ao maior Politécnico do País que é a sua casa durante este período tão importante das suas vidas. — A queima das fitas é muito mais do que um ritual anual ou do que uma festa recreativa. É o momento onde os mais de 16.000 estudantes do Politécnico do Porto se juntam e se conhecem ainda melhor, transportando em conjunto o valor das 7 Escolas que constroem a dinâmica do Politécnico do Porto. A maior comunidade politécnica do país (a do Politécnico do Porto) junta-se, também aqui e agora, à maior comunidade académica de Portugal, agregada e mobilizada pela Federação Académica do Porto (FAP), que, como maior associação académica nacional, reúne em seu torno mais de 30.000 Estudantes de todas as Instituições de Ensino Superior existentes na Área Metropolitana do Porto, tornando o Porto e a região uma cidade de ensino com energia, qualidade e ambição.

Falar Azul 11


Falar Azul 12

PolitĂŠcnico do Porto


Politécnico do Porto

Abril de 2009 no Pavilhão Desportivo do Politécnico do Porto e em mais de uma dezena de equipamentos desportivos do município de V.N. de Gaia e disponibilizados pela Gaianima, E.E.M. Este evento corresponde à competição oficial de desporto universitário reconhecida pela FADU, e atribuiu, de acordo com os resultados da prova, títulos de campeões nacionais universitários 2009 nas modalidades de Andebol, Atletismo, Badminton,

POLITÉCNICO DO PORTO ORGANIZOU MELHORES CNU DE SEMPRE

Basquetebol, Esgrima, Futebol de 11, Futsal, Hóquei em Patins, Squash, Ténis, Ténis de Mesa, Tiro com Arco, Voleibol, Voleibol de Praia e Xadrez. Mais de 2000 estudantes do ensino superior do Continente e

Federação Académica do Desporto Universitário:

Ilhas (e respectivos amigos e famílias, além do público geral)

19 anos a revelar campeões

marcaram presença nestes CNU’09, estando em competição desde Novembro de 2008 para se qualificarem para estas fases

O desporto universitário tem uma longa e bem-sucedida tradição

finais concentradas.

de, através da Federação Académica do Desporto Universitário

Com a organização desta iniciativa, o Politécnico do Porto pro-

(FADU), ajudar as Instituições de Ensino Superior a formarem

porcionou aos participantes contacto com as melhores instala-

cidadãos melhores em todas as dimensões da vida e de ajudar

ções desportivas alguma vez utilizadas em Fases Finais e uma

o país a revelar campeões desportivos, como justamente hoje

interacção efectiva entre todos os atletas onde estes puderam

acontece com o exemplo da emergência da qualidade desportiva

trocar experiências e interagir com o meio onde se realizaram as

da estudante do Politécnico do Porto, Sara Moreira que, entre

actividades desportivas, sociais e culturais.

outras vitórias e distinções, alcançou a medalha de prata na mo-

O Politécnico do Porto, escolheu assumir esta organização,

dalidade de 3000m nos campeonatos europeus de pista coberta,

consciente da sua dupla missão de contribuir para a dinamização

realizados este Março, em Turim.

qualificada da região onde se insere e de promover a prática desportiva junto da sua Comunidade.

Politécnico do Porto: mobilizar a Comunidade para o Desporto CNU’09: Uma rede de parceiros na promoção do Desporto O Politécnico do Porto tem feito crescentemente do desporto

Universitário

uma componente essencial da sua acção formativa em sentido lato. Proporciona aos seus estudantes Aeróbica, Karaté, Futsal (fe-

O Politécnico do Porto conseguiu que a sociedade civil percebesse

minino e masculino), Hóquei em Patins, Basquetebol feminino,

bem a importância deste evento, e mobilizou alguns dos seus

Andebol feminino, Futebol de 11, Voleibol (feminino e masculino)

agentes mais dinâmicos para a colaboração, cada um na sua área

e Yoga; distingue os seus campeões através da entrega de pré-

de competências específicas, com os CNU’09. Todos se constituem

mios de mérito desportivo, apoia a participação em competições

como nossos parceiros e a todos agradecemos a aposta que

de diferentes equipas da “Rede IPP”, disponibiliza o seu pavilhão

connosco fazem na promoção do desporto universitário.

desportivo e os recursos humanos que tem alocados à prática

A qualidade da organização e o elevado nível competitivo foram

desportiva universitária e prepara-se muito brevemente para

essenciais para que os CNU’09 conquistassem um espaço medi-

inaugurar um circuito de manutenção acessível a toda a Comuni-

ático de relevo, condição vital para se cumprir o duplo objectivo

dade Académica que o queira utilizar.

desta organização do Politécnico do Porto: mobilizar a Comunidade para o desporto no ensino superior e promover a relevância do

CNU’09: 6 dias de desporto de elite acessíveis a todos

desporto no ensino superior no contexto nacional. Estes foram reconhecidos pela FADU como os melhores Campe-

Prosseguindo esta dedicação ao Desporto e ampliando-a a nível

onatos Nacionais Universitários de sempre, permitindo elevar a

nacional, o Politécnico do Porto candidatou-se e foi escolhido

fasquia dos CNU e revelar todo o seu potencial para no futuro pró-

pela FADU para acolher a organização das Fases Finais dos Cam-

ximo, se afirmar como uma das principais competições nacionais.

peonatos Nacionais Universitários, que decorreram de 20 a 25 de

Falar Azul 13


Falar Azul 14

Politécnico do Porto

TÍTULOS – POLITÉCNICO DO PORTO

MEDALHEIRO CNU’09 RANKING

EQUIPA

TOTAL

U.PORTO

11

9

9

29

CAMPEÃO NACIONAL 2009

AAUM

8

6

10

24

Basquetebol Fem.

U.LISBOA

3

1

9

13

Squash Masc.

IPLEIRIA

2

6

3

11

1500m Masc. Pista Coberta

POLITÉCNICO DO PORTO

3

5

1

9

1500m Fem. Pista Ar Livre

AAUAV

2

2

5

9

AAUMA

6

1

7

Lançamento do Peso Pista Coberta

AC. MILITAR

2

3

7

AEFMH

3

3

6

10º

AAUBI

1

1

2

4

11º

FADEUP

2

1

3

VICE-CAMPEÃO NACIONAL 2009

12º

AAC

1

2

3

Andebol Fem.

13º

AEFCT

1

1

1

3

Hóquei em Patins

14º

IPV

1

2

3

Voleibol Masc.

15º

AAULHT

3

3

Ténis de Mesa Fem.

16º

AEISMAI

2

1

3

Salto à Vara Masc. Pista Ar Livre

IPC

2

1

3

Karaté – Kumité Masc. (-70 Kgs)

2

Corta-mato Fem.

18º

UNL

2

19º

AEFA-UTL

1

20º

AEISEL

1

21º

UFP

22º

AEISCSP

1

1

Rugby 7 Fem.

AEESTESL

1

1

Ténis de Mesa Pares

24º

28º

2

Corta-mato Masc.

1

1

2 1

2

1

2

Corta-mato Colectivo 3º CLASSIFICADO NACIONAL 2009

AEIST

1

1

60m Fem. Pista Coberta

AEESTSP

1

1

800m Fem. Pista Coberta

AEISA

1

1

Judo Masc. (-66 Kgs)

AAULP

1

1

Karaté – Kumité Masc. (-70 Kgs) Karaté – Kumité Masc. (+70 Kgs)

AEIST

1

1

AAUTAD

1

1

AEISCTE

1

1

IPCA

1

1

Taekwondo – Combate Masc. (+87 Kgs)

O Politécnico do Porto agradece a todos os Atletas, Voluntários, Parceiros e Espectadores que fizeram dos CNU’09 os melhores Campeonatos Nacionais Universitários de sempre. PARCEIROS Institucionais Câmara Municipal de Gaia Federação Académica do Porto Right to Play Associação Empresarial do Vinho do Porto Instituto Português da Juventude Comunicação Jornal “O Jogo” RTP N Rádio Nova Era Proesboço – Design e Publicidade

Instalações Desportivas Gaianima – Empresa Municipal Solinca – Health and Fitness Club Equipamentos Desportivos Games and Fun Macron Mobilidade Grupo Cardan STCP – Sociedade de Transportes Colectivos do Porto CP – Comboios de Portugal Metro do Porto

Apoios Tsunami TMN SAPO Unicer Canon Associações Desportivas Associação de Basquetebol do Porto Associação de Andebol do Porto Associação de Patinagem do Porto Federação Portuguesa de Voleibol


Politécnico do Porto

APNOR MAIOR MASSA CRÍTICA, MAIOR DIVERSIDADE DE COMPETÊNCIAS O Politécnico do Porto em rede O Politécnico do Porto, não obstante ser já hoje o maior e um dos mais procurados e dinâmicos politécnicos nacionais, sabe bem que a sobrevivência e a melhoria de uma Instituição de Ensino Superior está em muito dependente das redes que saiba

Uma Oferta Formativa Inovadora:

construir e da diferenciação da oferta formativa que disponibilize

conjugar competências, acrescentar valor

à população. Não basta ser o maior e um dos melhores. Não basta estar bem

No presente ano lectivo, deu-se o passo fundamental de levar

posicionado no ranking de acesso e aí situar-se à frente de 10 das

esta aproximação institucional ao encontro das populações que

13 universidades públicas. Importa também ganhar dimensão,

dela podem mais beneficiar: os estudantes de ensino superior

quer internamente – através de uma constante adaptação da

da região norte. Aproveitando as melhores competências de

oferta formativa às necessidades do tecido económico da região

cada um dos Politécnicos e respondendo de forma integrada às

onde se insere –, quer externamente, observando quais as

necessidades de recursos humanos diagnosticadas na economia

mais‑valias que outras instituições lhe podem adicionar e qual o

regional, bem como dando sequência a formações de 1º Ciclo

valor acrescentado que o Politécnico do Porto pode transportar

(Licenciatura) existentes já nas diferentes Escolas das quatro insti-

para essas instituições.

tuições, a APNOR disponibilizou dois Cursos de 2º Ciclo (Mestrado): um em Gestão das Organizações, um segundo em Logística.

Rede de 4 Politécnicos do Norte:

O Mestrado em Gestão das Organizações conta com a colabora-

um serviço qualificado e diferenciado para a Região

ção das competências de 8 escolas das quatro instituições e dos respectivos recursos científicos e pedagógicos nesta área. Para

A Associação dos Institutos Superiores Politécnicos da Região

além de uma formação de base em Gestão, são oferecidas espe-

Norte (APNOR) – aproximação institucional entre os 4 politécni-

cializações de natureza profissional em três ramos distintos: Ges-

cos do Norte de Portugal: o do Porto, o de Viana do Castelo, o de

tão Pública, Gestão de Unidades de Saúde e Gestão de Empresas.

Bragança e o do Cávado e Ave – definida em 1999 e que carecia

Já o Mestrado em Logística conta com a colaboração dos 3

de ser dotada de um primeiro ensaio de colaboração no “core

Politécnicos com experiência e competências nesta área: o do

business” das 4 instituições – a oferta de ensino superior de ex-

Porto, o de Viana do Castelo e o do Cávado e Ave e visa dotar os

celência –, deu assim sequência real ao objectivo matricial desta

estudantes de competências e conhecimentos profundos na defi-

associação: a construção de um maior volume de massa crítica e

nição estratégica e operacionalização logística das necessidades

de um maior e mais diverso leque de competências.

das organizações.

Trata-se, pois, de explorar caminhos que transportem, para as 4

A 14 de Março, foi apresentada à Comunidade o primeiro

instituições, a oportunidade de beneficiarem da sua dimensão

resultado prático desta associação institucional, numa cerimónia

articulada e da economia de escala que ela proporciona, e, so-

que decorreu em Viana do Castelo e contou com a presença dos

bretudo, construírem a oportunidade de se reverem num projecto

Presidentes dos quatro Politécnicos: Vítor Correia Santos (Porto),

integrador, geograficamente diverso e multidimensional, virado

Rui Teixeira (Viana do Castelo), Sobrinho Teixeira (Bragança) e

para a formação, para a produção e difusão de conhecimentos,

João Carvalho (Cávado e Ave), do Director-Geral do Ensino Supe-

para a prestação de serviços especializados, para a ciência e para

rior, António Mourão Dias e do Presidente da Escola de Gestão do

a cultura, em nome de melhores condições de vida para as suas

Porto, Daniel Bessa.

pessoas e de um melhor desenvolvimento da sua região e do país.

Falar Azul 15


Falar Azul 16

Politécnico do Porto

UNIVERSO IPP

“PORTO DE FUTURO” ANA RAQUEL LIMA COMO “ROLE MODEL” EM VÍDEO PRODUZIDO PELA ESMAE.IPP

MODELOS DE REFERÊNCIA

O Anfiteatro da Escola Superior de Música e das Artes do Espec-

Para além de Belmiro Azevedo e de Ana Raquel Lima, há mais

táculo do Politécnico do Porto (ESMAE.IPP) foi, no dia 26 de

nove personalidades seleccionadas como Modelos de Referência

Março, palco da exibição de um filme sobre o percurso e carreira

do projecto: António Frutuoso (Engenheiro do Ambiente); Diogo

profissional da flautista Ana Raquel Lima – docente da Escola

Vasconcelos (Consultor da CISCO); Gonçalo Cadilhe (Gestor); Joa-

Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Politécnico do

na Queiroz Ribeiro (Engenheira Alimentar); José Carlos Palhares

Porto e flautista internacionalmente premiada – produzido no

(Engenheiro em Instrumentação e Qualidade Industrial); Luís

âmbito do “Porto de Futuro”. A sessão contou com a presença

Portela (Médico); Raquel Seruca (Investigadora no IPATIMUP);

do Presidente do Politécnico do Porto, Vítor Correia Santos e do

Sandra Sousa (Investigadora no IBMC) e Sérgio Cunha (Engenhei-

Vereador do Pelouro da Educação, Juventude e Inovação da CMP,

ro Electrotécnico e de Computadores).

Vladimiro Feliz. Esta foi a segunda película exibida no âmbito do projecto “Um mês, uma história de vida”, sendo a produção destes filmes assegurada pelo talento de docentes e estudantes da área de Audiovisuais do Politécnico do Porto. O objectivo é mudar a mentalidade das crianças através de pessoas que fizeram o seu percurso académico no Porto e que têm hoje uma grande notoriedade social conseguida através do seu desempenho profissional.


Politécnico do Porto

IPP|DESPORTO SARA MOREIRA VICE‑CAMPEÃ EUROPEIA NOS 3.000 METROS Sara Moreira, estudante da ESTSP.IPP,

ESEIG.IPP RICARDO RIBEIRO, INTEGRA EXPOSIÇÃO COLECTIVA

GABINETE DO ESTUDANTE REDUÇÃO DE RISCOS EM CONTEXTO DE ENSINO SUPERIOR

Entre 7 e 22 de Março o Diana Bar em

O Gabinete do Estudante do Politécnico

Vila do Conde albergou a exposição “Ala,

do Porto, em parceria com o Instituto da

Ala… Ala-Arriba!”, da autoria dos artistas

Droga e da Toxicodependência, tendo

poveiros Arménio Miranda, Horácio

como o objectivo de reduzir riscos de

Frutuoso e Ricardo Ribeiro. As histórias

consumos de substâncias no decurso das

dos velhos «Lobos-do-Mar» e o espírito

festas académicas (nomeadamente nas

e as vivências da comunidade piscató-

semanas académicas) criou o projecto:

ria foram retratados nesta exposição.

“Redução de Riscos em Contexto de

ISCAP.IPP

Ensino Superior”, visando a sensibilização/ formação de estudantes universitários

sagrou-se em 8 de Março, Vice-Campeã

para uma abordagem de rua informal e

Europeia na corrida de 3.000 metros em

de fácil acesso, alertando para as subs-

pista coberta nos campeonatos europeus

tâncias mais consumidas em contextos

de atletismo que decorreram em Turim,

recreativos. Todas as participações são

Itália, quebrando o seu recorde pessoal e

reconhecidas pelo Instituto da Droga e da

ficando apenas atrás da atleta de origem

Toxicodependência, através da atribuição

etíope naturalizada turca, Almitu Bekele.

de um certificado de formação e de um

O Politécnico do Porto associa-se a esta

certificado de participação em acções de

enorme vitória de um dos seus membros, dando os parabéns à atleta, a toda a sua equipa e à sua família e esperando que este momento pontue um caminho recheado de vitórias para Sara Moreira e

ESTUDANTES GANHAM MEDALHA DE OURO NO XIV CONCURSO DE TALENTO UNIVERSITÁRIO (BRASIL)

intervenção.

para Portugal. Obrigado Sara!

Um vídeo realizado por três estudantes do Instituto Superior de Contabilidade e

ESTSP.IPP TUNA TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO “X FESTIVAL EL AÇOR”

Administração do Politécnico do Porto (ISCAP.IPP), que alerta para os perigos dos resíduos plásticos no ambiente, recebeu a medalha de ouro do XIV Concurso de Talento Universitário, no Brasil. O vídeo intitulado ‘Plasticomania’, que

ESE.IPP IV JORNADAS PATRIMÓNIO ARTERIAL

A Tuna TS Porto participou nos dias 11 a

fora realizado por Tiago Monteiro, Veróni-

16 de Março no “X El Açor”, uma aventura

ca Carvalho e Cristina Monteiro, recebeu

Realizaram-se no dia 12 de Março, das 10h

por terras Açorianas, onde a tuna TS Porto

também várias menções honrosas no

às 13h, no Auditório da Escola Superior de

saiu grande vencedora do “X Festival EL

Youtube, incluindo a de vídeo mais visto e

Educação do Politécnico do Porto, as IV

Açor” trazendo na sua bagagem os pré-

melhor avaliado.

Jornadas Património Arterial, dedicadas

mios de Melhor Tuna; Melhor Instrumen-

ao tema “Artes Performativas”, organiza-

tal e Melhor Estandarte.

das pelo 3º ano do Curso de Gestão de Património da respectiva escola.

Falar Azul 17


Falar Azul 18

Politécnico do Porto

ISEP.IPP PRÉMIO DE MELHOR TESE DE MESTRADO PARA INVESTIGADOR DO CISTER/ISEP.IPP O Mestre Ricardo Severino, investigador do CISTER do Instituto Superior de Enge-

ESTSP.IPP NOVAS TERAPÊUTICAS, NOVOS HORIZONTES

ESE.IPP APRESENTAÇÃO DO LIVRO “CRESCER NAS BANDAS FILARMÓNICAS”

nharia do Politécnico do Porto, recebeu o prémio de melhor tese de mestrado EWSN/CONET 2009, atribuído num Jantar de Gala, na “Aula Maxima” (1849) da University College Cork, no passado dia 12 de Fevereiro de 2009.

A Comissão Organizadora, em conjunto com a Área Científico-Pedagógica de Far-

As Edições Afrontamento e a Escola

Esta tese de mestrado foi desenvolvida

mácia da Escola Superior de Tecnologia da

Superior de Educação do Politécnico do

no âmbito do Mestrado em Engenharia

Saúde do Politécnico do Porto, organizou

Porto apresentaram o livro organizado por

Electrotécnica e de Computadores (MEEC),

o V Colóquio de Farmácia subordinado

Graça Mota “Crescer nas Bandas Filarmó-

do ISEP.IPP, sob orientação do Prof. Mário

ao tema: “Novas Terapêuticas, Novos

nicas – Um estudo sobre a construção da

Alves e co-orientação do Doutor Anis

Horizontes”. O Colóquio realizou-se a 16 de

identidade musical de jovens portugue-

Koubâa.

Maio e teve como objectivo proporcionar

ses”, seguido de concerto pela Banda

O arguente foi o Professor José Alberto

uma ampla visão e o necessário debate

Sinfónica Portuguesa.

Fonseca (Universidade de Aveiro) e a clas-

sobre as mais recentes inovações na área

A sessão teve lugar no dia 29 de Março,

sificação final atribuída foi de 19 valores.

da Farmácia, desde a sua vertente hos-

às 11 horas, no corredor poente da Casa

Este prémio é extremamente prestigiante

pitalar, comunitária, passando também

da Música, no Porto.

não só para o próprio, como também para

pela indústria e inserção de novos

A obra foi apresentada por Milice Ribeiro

o CISTER, e para o ISEP.IPP.

fármacos no mercado. Trata-se de uma

dos Santos.

das maiores reuniões técnico-científicas na área da Farmácia organizada por uma

ISEP.IPP SEMANA CULTURAL

ESTSP.IPP WORKSHOP ACESSO À SAÚDE: QUANDO AS BARREIRAS COMEÇAM NOS CONCEITOS

De 16 a 19 de Março realizou-se a XVIII

Este workshop realizou-se no dia 7 de

Semana Cultural do ISEP.IPP, organizada

Março, nas instalações da ESTSP.IPP, tendo

pela Associação de Estudantes do Institu-

por base o projecto de investigação Suíço

to, contando com vários tipos de torneios:

AMHC – Access to Mental Health Care

Karts, Sueca, PES2009, Bilhar, Ciclo de

in Children, integrado no Programa de

cinema e Workshop Dj’s.

Investigação Nacional Suíço 52, em que

instituição de ensino superior nacional.

ESMAE.IPP ORQUESTRA EXIBE “AMOR DE PERDIÇÃO”, EM GUIMARÃES

Marta Gonçalves trabalhou entre 2004 e

No dia 31 de Janeiro, no Centro Cultural de

2008, redigindo nesse âmbito a sua tese

Vila Flor, em Guimarães, coube à ESMAE.

de doutoramento.

IPP transmitir ao público, através da música, os sentimentos do “Amor de Perdição” de Camilo Castelo Branco. O Coro


Politécnico do Porto

do Centro de Estudos de Ópera e Teatro

beneficiárias deste protocolo que entrou

Musical da Universidade de Aveiro e o

em vigor em 1 de Dezembro de 2008 e

Balleteatro Escola Profissional completam

que se espera que se venha a estender

a lista de intérpretes.

a profissionais dos restantes países da

António Saiote foi o maestro que conduziu

Comunidade Lusófona.

a Orquestra Sinfónica da ESMAE.IPP neste

A assinatura deste protocolo é ainda

desafio em que a coreógrafa foi Leonor

reflexo da nomeação, em Novembro de

Zertuche e Marcos Barbosa o encenador.

2007, do coordenador da área científico-

Da autoria de João Arroyo, “Amor de

pedagógica da área de medicina nuclear

Perdição” é uma ópera em três actos, com

da ESTSP.IPP, Luís Metello, como “Perito

libreto de Francisco Bernardo, baseado na

Técnico da IAEA” tendo como principal

obra de Camilo Castelo Branco. A versão

missão o apoio técnico à instalação do pri-

portuguesa do libreto é da responsabili-

meiro Departamento de Medicina Nuclear

dade de Maria João Braga Santos (1º e 2º

angolano, em estreita articulação com

actos) e de Alexandre Delgado (3º acto).

os patrocinadores: a referida agência da

Depois de nos mostrarem que a tradição

ONU e o Governo da República de Angola.

musical da canção nacional, o Fado, não

ISEP.IPP GRUPO DE FADOS LEVA CULTURA FORA DE PORTAS

está morta para as novas gerações, antes está viva nas suas belas vozes, o Grupo de Fados do ISEP.IPP brilhou fora de portas, transportando a missão de promover a cultura do Politécnico do Porto para junto de novas pessoas e novos públicos. Em Cáceres, o Grupo de Fados do ISEP. IPP ajudou a promover a candidatura

POLITÉCNICO DO PORTO PROTOCOLO COM A ONU NA ÁREA DE MEDICINA NUCLEAR

desta cidade a Capital Europeia da Cultura

ISCAP.IPP PALESTRAS DE CONTABILIDADE E AUDITORIA

O Politécnico do Porto, através da área

e puderam ainda ajudar a promover o Fado junto de estudantes espanhóis que aprendem o português. A Governadora Civil de Castelo Branco reconheceu também o excepcional mérito musical do Grupo de Fados do ISEP.IPP,

Científico-Pedagógica de Medicina Nucle-

No dia 30 de Março de 2009, às 18:30,

tendo-os convidado para uma actuação

ar da ESTSP.IPP, celebrou um protocolo

tiveram lugar no Auditório 1 do ISCAP.IPP

no Governo Civil que, até hoje, ambos

com a ONU, mais concretamente com

as palestras de Contabilidade e Auditoria.

recordam com carinho.

a sua Agência Internacional de Energia

O Prof. Lucien Jeffré (expert comptable,

Também a população de Idanha-a-

Atómica (IAEA), a autoridade máxima

Commissaire aux Comptés), docente na

-Nova ficou a conhecer melhor o Fado

mundial na área das radiações.

Universidade Bretagne Sud realizou duas

e a capacidade cultural do Politécnico

Este protocolo vai potenciar a formação

comunicações: “As Normas Internacionais

do Porto, depois de uma tournée por

teórico-prática e o acompanhamento ade-

de Relato Financeiro são uma das causas

todas as 17 freguesias deste concelho

quado dos futuros profissionais de saúde

da crise financeira Mundial”; “Que bene-

beirão, a convite do respectivo município.

que são os técnicos de Medicina Nuclear

fício se retira da abordagem de auditoria

originários dos Países Africanos de Língua

orientada para os riscos?”

Oficial Portuguesa (PALOP’s). Joelma Kafala e Marcelina Falcão, funcionárias públicas na área da saúde da República de Angola, são as primeiras

Falar Azul 19


Falar Azul 20

Politécnico do Porto

os participantes para a importância das técnicas correctas de higiene oral, assim como aconselhar sobre os produtos mais adequados às suas necessidades, qualquer seja a idade. A higiene oral deve ser iniciada na mais tenra idade, e consiste na correcta aplicação dos métodos de higienização da boca

POLITÉCNICO DO PORTO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SECUNDÁRIO

ISEP.IPP ROBÔS NO NORTESHOPPING

(por ex.: escovagem dos dentes, utilização do fio dentário). A prevenção é a melhor forma de evitar a evolução de problemas como cáries, doenças gengivais ou outros problemas mais graves.

O Politécnico do Porto, ciente da crescente

Os novos craques do futebol robótico, o

procura dos seus cursos, participa regular-

ROAZ - robô de busca e salvamento, o

mente nas Feiras de orientação vocacional

pequeno avião de monitorização ambien-

promovidas pelas Escolas Secundárias,

tal FALCOS e os novos TIGRE e LINCE, os

como aconteceu nos passados dias 6 de

robôs terrestres de busca e salvamento,

Fevereiro no Colégio Internacional do Por-

são apenas algumas das estrelas que

to e 13 de Fevereiro no Externado Nossa

o Instituto Superior de Engenharia do

Senhora da Paz.

Politécnico do Porto (ISEP.IPP) levou ao

Assim, a proximidade entre o Politécni-

NorteShopping, em Matosinhos.

co do Porto e os estudantes do ensino

Durante três dias, os visitantes tiveram a

secundário e básico torna-se mais forte,

oportunidade de assistir e interagir com

transmitindo a sua excelência como Insti-

as mais recentes inovações do ISEP.IPP na

tuição de Ensino Superior.

área da robótica.

Porque o futuro dos estudantes depende também da escolha do maior e um dos mais dinâmicos Politécnicos do país: o Politécnico do Porto!

ISCAP.IPP PROTOCOLO COM A SAGE

ESTGF.IPP WORKSHOP NOVO REGULAMENTO DAS CUSTAS JUDICIAIS

GABINETE DO ESTUDANTE “COZINHA RÁPIDA E SAUDÁVEL” EM RESIDÊNCIA DO POLITÉCNICO DO PORTO No dia 21 de Janeiro, o Gabinete do Estudante do Politécnico do Porto (GES. IPP) em colaboração com os Serviços de Acção Social da Instituição (SAS.IPP)

A Escola Superior de Tecnologia e

realizou o workshop “Cozinha Rápida e

Gestão de Felgueiras do Politécnico

Saudável”. Este workshop destinou-se aos

A Sage assinou um protocolo de parceria

do Porto realizou no dia 27 de Março,

estudantes que habitam na Residência

com o Instituto Superior de Contabili-

um Workshop sobre o tema: “O Novo

Almeida Valente (Porto) e pretendeu

dade e Administração do Politécnico do

Regulamento das Custas Judiciais”.

dar a conhecer formas rápidas, bara-

Porto (ISCAP.IPP). No âmbito do acordo, a empresa de TIC pretende oferecer um acompanhamento personalizado e especializado na implementação de

tas e saudáveis de preparar refeições.

ESTSP.IPP WORKSHOP HIGIENE ORAL

disciplinas de componente prática – cujo objectivo é a consolidação das diversas

O Workshop de Higiene Oral, realizado

matérias versadas ao longo do curso.

no dia 14 de Março na ESTSP.IPP, teve como principais objectivos sensibilizar


Politécnico do Porto

ESTSP.IPP WORKSHOP OS DIREITOS DA CRIANÇA NO QUOTIDIANO PROFISSIONAL EM SAÚDE E EDUCAÇÃO

dirigida aos estudantes do 1º e 2º Ciclos da ESEIG.IPP, sendo dinamizado pela Dra. Susana Chaves, da Fundação da Juventude.

Decorreu no dia 21 de Março o workshop

IPP | DESPORTO SARA MOREIRA E PEDRO RIBEIRO, AMBOS ESTUDANTES DA ESTSP.IPP, SAGRARAM-SE CAMPEÕES NACIONAIS DE CORTA-MATO UNIVERSITÁRIO

“Os direitos da criança no quotidiano profissional em saúde e educação” incidindo sobre um projecto de investigação internacional intitulado “Direitos da criança: todos falam mas ninguém os conhece”, em que Marta Gonçalves colabora desde 2004.

A competição realizou-se dia 21 de Março,

AE.ISEP 30 ANOS A SERVIR OS ESTUDANTES DE ENGENHARIA

na Figueira da Foz no Parque das Abadias. Estiveram presentes mais de 2000 atletas,

A Associação de Estudantes da maior

uma vez que além do Campeonato

Escola do Politécnico do Porto (o Instituto

Nacional de Cross Curto decorreram em

Superior de Engenharia) comemora o seu

simultâneo o Campeonato Nacional

30º aniversário de actividade na defesa

de Corta‑Mato do Desporto Escolar, o

dos estudantes.

Campeonato Nacional de Corta-Mato

A Associação de Estudantes do Instituto

Universitário e o Campeonato Nacional de Corta-Mato de Veteranos. Depois da medalha de prata em Turim,

ESTSP.IPP III JORNADAS DE RADIOLOGIA

nos Europeus de Pista de Coberta, Sara

Superior de Engenharia do Politécnico do Porto (ae.ISEP) relembrou a história da Escola (que tem origem no Instituto Industrial, datado do início do séc. XIX)

Moreira, sagrou-se agora bi-campeã

Realizaram-se no Auditório Magno do Po-

e comemorou a as suas três décadas de

nacional de Cross Curto e Campeã

litécnico do Porto, nos dias 3 e 4 de Abril,

actuação constante na defesa e promoção

Nacional Universitária.

as III Jornadas de Radiologia, subordina-

das condições dos Estudantes do ISEP.IPP,

Pedro Moreira obteve um excelente 6º

das ao tema “Imagiologia no Desporto”.

reunindo os protagonistas maiores que

lugar no Campeonato Nacional Sénior

Organização: Estudantes do 4º ano do

construíram a excelência do ISEP.IPP e

de Cross Curto e um Brilhante 1º no

Curso de Radiologia.

dos diplomados que dele saíram e que se

Campeonato Nacional de Corta-Mato

afirmaram, sem margem para dúvida, na

Universitário.

sociedade portuguesa e, particularmente,

De salientar ainda, o excelente 2º lugar colectivo do Politécnico do Porto (Equipa constituída por 8 atletas).

ESEIG.IPP PEJENE – PROGRAMA DE ESTÁGIOS EM EMPRESAS PARA ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR

no tecido empresarial e institucional da região Norte. Actores do passado recente e do Presente da Instituição estiveram juntos num jantar de gala comemorativo, dia 24 de Abril, no Salão Ático do Coliseu do Porto.

Decorreu no dia 27 de Março, no Anfite-

Ex-Presidentes da ae.ISEP desde a sua

atro B101 da ESEIG.IPP, uma sessão de

constituição, Presidente do Politécnico do

esclarecimento sobre o Programa PEJENE,

Porto, Vice-Presidente do ISEP.IPP, Presi-

Falar Azul 21


Falar Azul 22

Politécnico do Porto

dentes de Departamento, Directores de

Margarida Ribeiro, Graduada TCAV

José António Tenreiro Machado

Curso, entidades públicas, institucionais

Maria João Barros, Graduada TCAV

José Carlos de Jesus Pedro

e empresariais e diplomados do ISEP.IPP,

Paula Abreu, Graduada TCAV

José Francisco da Silva Beja

reafirmaram juntos a condição essencial

Rui Pinheiro, Serviços da Presidência

Luís da Costa Lima

ao carácter Isepiano: a excelência na pos-

Sara Macedo, Graduada da ESEIG.IPP

Maria Cristina Damas Argel de Melo

tura, a exigência da ambição e o orgulho

Maria Joana França Cabral Sampaio Vega

por fazerem parte desta comunidade

Maria João Moreira Gonçalves Falcão e

ímpar, que são os estudantes e ex-estu-

Cunha

dantes do ISEP.IPP.

Paulo Alexandre Pontes da Silva Pereira Paulo Sérgio Ribeiro Nogueira Ferraz Raúl Ralha Melo Godinho Cunha Rui Manuel Ferreira Gomes dos Santos Rui Manuel Pinto Oliveira Ferreira Tiago Magalhães Caetano

MEMBROS DA COMUNIDADE POLITÉCNICO DO PORTO PARTICIPAM NA “COLECTIVA DA PRIMAVERA”

POSSE DOS MEMBROS DO CONSELHO GERAL DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO O Presidente do Politécnico do Porto, Vítor Correia Santos, deu posse, a 23 de Abril, aos membros do Conselho Geral da Instituição, na sequência de eleições realizadas em 23 de Março último, ao abrigo

FESTIVAL “A FÁBRICA” AGITA HELENA SÁ E COSTA

Uma dezena de membros da Comunidade

dos Estatutos do Politécnico do Porto,

Politécnico do Porto abrilhantou, através

homologados pelo despacho normativo

das suas expressões artísticas, a “Colectiva

nº 5/2009 do Ministério da Ciência,

O Teatro Helena Sá e Costa recebeu sete

da Primavera”, exposição de fotografia,

Tecnologia e Ensino Superior, publicado

apresentações do Festival “A Fábrica”. A

pintura, ilustração e design.

no Diário da República, 2ª Série, nº 22, de

dança contemporânea foi a rainha do fes-

Desde 21 de Março e durante o mês de

2 de Fevereiro.

tival e, no THSC, foram evidentes os traços

Abril foi possível a todos desfrutarem da

de modernidade aliados à velha arte da

qualidade artística de vários membros do

Membros do Conselho Geral do

conjugação da música com o movimento.

Politécnico do Porto e de outros artistas.

Politécnico do Porto:

Os espectáculos Charlotte O’Day e Simon

Estamos perante mais uma prova da vitali-

Ana Elisabete Cruz Brioso

foram algumas das estrelas no Helena Sá

dade da Comunidade Politécnico do Porto

Andreia Cristina Moreira dos Santos

e Costa apresentando duas propostas que

e do prestígio dos seus membros junto da

António José de Oliveira Guedes

primaram pela beleza e qualidade. Gran-

comunidade envolvente.

António Manuel Cardoso Costa

des dançarinos e boa música brilharam

Membros da Comunidade Politécnico do

Armando Mendes Jorge Nogueira da Silva

de 7 a 16 de Maio, no Teatro Helena Sá

Porto na Colectiva da Primavera:

Carlos Alberto Possidónio da Silva Azevedo

e Costa.

António Cruz, Serviços da Presidência

Cristina Maria Ferreira Pinto da Silva

Cesário Alves, Docente na ESMAE.IPP

Delminda Augusta Pinto Lopes

João Leal, Docente na ESMAE.IPP e na

Eduardo Alexandre Pereira da Silva

ESEIG.IPP

Emanuel Thiago de Sousa Oliveira

José Carlos Marques, Graduado TCAV

Fernando José Malheiro Magalhães

Mara Correia, Graduada TCAV

João Manuel Simões da Rocha


Politécnico do Porto

INESC PORTO PROMOVE VERÃO MUSICAL NA INVICTA COM O APOIO DO POLITÉCNICO DO PORTO

Universidade da Flórida, vem ao Porto discutir o tema “Perception as Self Organization in Space Time”. Esta iniciativa que o INESC Porto traz pela primeira vez a Portugal vai nesta quinta edição apresentar, além destes keynote speakers, papers, posters, três tutoriais e quatro concertos de música experimental criados

A 6ª Conferência de Tecnologias da Música (6th Sound and

pelos músicos e compositores internacionalmente reconhecidos

Music Computing Conference) e a Escola de Verão em Design de

Evan Parker, Nicolas Collins, Pauline Oliveros e Robert Rowe. Os

Interacção Sonora (Sonic Interaction Design Summer School) são

concertos contam com a participação instrumental de António

as duas propostas que o INESC Porto (Instituto de Engenharia de

Augusto de Aguiar (contrabaixo), Nuno Aroso (Percussão), Jona-

Sistemas e Computadores do Porto) tem para todos os aficiona-

than Ayerst (Piano) Victor Pereira (clarinete), Franziska Schroeder

dos pelo estudo de tecnologias da música no próximo Verão. A

(Saxofone) e Stephanie Wagner (Flauta). Ainda ao nível das

organização destes eventos conta com a participação do Centro

performances musicais, destaque para a network performance

de Investigação em Ciências e Tecnologia das Artes da Universi-

que músicos espalhados pelo mundo e ligados entre si através

dade Católica Portuguesa – Centro Regional do Porto, da Escola

da Internet vão protagonizar. Este será um concerto pioneiro a

Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Politécnico do

nível mundial não só pela interacção dos músicos em rede, mas

Porto, do Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Com-

também combina instrumentos e tecnologia inovadores. Todos

putadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

aqueles que pretenderem ter uma presença activa nesta confe-

e da Casa da Música, que acolhe ambas as iniciativas. A decorrer

rência podem submeter até ao dia 8 de Junho propostas para as

entre 22 e 25 de Julho, a conferência será multifacetada, com

quatro special sessions subordinadas aos temas da “Visualização

keynote speakers, tutoriais, sessões especiais sobre os principais

de dados de música”, “Desafios actuais nas tecnologias de som e

desafios nesta área e concertos de música experimental. Desta-

música”, “Som Interactivo” e “Composição Algorítmica e Música

que para a network performance que vai ter lugar no arranque

Interactiva”. As inscrições para as apresentações científicas e para

do evento, onde músicos espalhados pelo mundo e ligados entre

os concertos estarão abertas até ao arranque da conferência [até

si através das mais recentes TIC’s são desafiados a criar música e

ao dia 22 de Junho quem adquirir os bilhetes através do site da

improvisar.

conferência (http://smc2009.smcnetwork.org) poderá usufruir de

As inscrições para a Sonic Interaction Design Summer School já

preços mais baratos].

terminaram, mas ainda vai a tempo de se inscrever para assistir

Estes eventos contam com o apoio financeiro do Politécnico do

à 6th Sound and Music Computing Conference, que terá lugar de

Porto (IPP), da Universidade do Porto, da Universidade Católica

22 a 25 de Julho na Casa da Música. Bruce Pennycook, Professor

Portuguesa (UCP), do Programa UTAustin|Portugal, da Acção

de Música e Rádio/Televisão/Cinema na Universidade do Texas

COST IC0601 “Sonic Interaction Design”, financiada pela European

em Austin apresenta uma comunicação com o título sugestivo

Science Foundation e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

“Who will turn the knobs when I die?”, enquanto José Carlos Príncipe, especialista em Engenharia Biomédica e Eléctrica na

Falar Azul 23


Falar Azul 24

Politécnico do Porto

) 9 0 0 2 1 6 (19

Gustavo ¶

Brandão FINALE: PRESTO CON BRIO

As Instituições são as pessoas

O Politécnico do Porto está

A melhor forma de honrar

que as compõem.

mais triste, mais pobre.

Gustavo Brandão é cuidar da

Transcendem-nas e sobrevi-

Não há melhor forma de

consequência do seu trabalho

vem-lhes, mas dependem da

nos despedirmos do que nos

junto daqueles a quem este se

qualidade, da entrega e da

superarmos.

destina: os seus alunos e to-

crença destas Pessoas para se

Encontrar e apoiar talentos,

dos os que gostam da música

superarem e serem maiores.

capacidades e rostos que con-

como arte. É isso que fazemos

O Politécnico do Porto perdeu

tinuem o trabalho de Gustavo

hoje. É isso que faremos ama-

Gustavo Brandão. Seu do-

Brandão, também é o nosso

nhã. E depois.

cente, seu investigador e seu

trabalho.

Até sempre, Gustavo.

artista.

---


Politécnico do Porto

Todas as tardes em Granada, todas as tardes morre um menino. Todas as tardes a água se senta a conversar com seus amigos. Os mortos levam asas de musgo. O vento nublado e o vento límpido são dois faisões que voam pelas torres e o dia é um rapaz ferido. Não restava no ar nem uma fibra de calhandra quando te encontrei pelas grutas do vinho. Não restava na terra nem migalha de nuvem quando te afogavas no rio. Um gigante de água caiu sobre os montes e foi rolando o vale com cachorros e lírios. Teu corpo, com a sombra lilás de minhas mãos, era, morto na margem, um arcanjo de frio.

Gazel V | Do Menino Morto Frederico García Lorca (Nova Iorque, 1940) Tradução de José Bento in “Antologia Poética”; Relógio D’Água” (Lisboa,1993)

Falar Azul 25


Falar Azul 26

Politécnico do Porto

GUSTAVO BRANDÃO

em que foi pela primeira vez gravada

por Armando Silva e produzido pelo

Biografia

a sua obra “Fantasia” op. 145. O disco

Instituto Politécnico do Porto. Gravado no

(Nuno Xavier – 2008)

integra ainda obras do próprio Gustavo

castelo de Santa Maria da Feira, o traba-

Brandão, de Nelly Santos Leite e de Heitor

lho foi apresentado em vários concursos

Gustavo Brandão, há longos anos um dos

Villa-Lobos. Além do duo, Gustavo Brandão

internacionais e deu origem a diversos

mais seguros valores portugueses na área

fundou também o quarteto de guitarras

espectáculos.

da guitarra, e sobretudo da guitarra clássi-

Nomos, em parceria com os guitarristas

Em paralelo com a composição e a

ca, desenvolveu um intenso e diversificado

Rui Gama, Hugo Sanchez e António Andra-

interpretação, Gustavo Brandão dedica-se

percurso profissional que, nas últimas

de, e ainda o Trio de Brandão Guimarães,

também ao ensino. Desde 1988, é pro-

duas décadas, se tem repartido entre os

um grupo de jazz que integra a cantora

fessor na Área Científico-Pedagógica de

espectáculos, a composição e o ensino.

Luísa Brandão e o pianista Manuel Gui-

Música da Escola Superior de Educação,

Depois de ter completado os seus estudos

marães e se dedica à execução de versões

do Instituto Politécnico do Porto.

de guitarra clássica no Curso Silva Montei-

muito próprias de standards do universo

Aqui, em Fevereiro de 2009, colaborou

ro, no Porto, como aluno do professor José

do jazz vocal e da música popular.

no programa comemorativo do 24º

Pina, fez um mestrado e posteriormente

Em conjunto com o engenheiro de som

Aniversário do Politécnico do Porto,

um doutoramento em Ciências Musicais,

Arménio Mota e com o pianista Manuel

coordenando o projecto de Educação

ao mesmo tempo que mantinha uma

Guimarães, fundou o “SeeS: Sentidos e

Musical nas Pediatrias dos Hospitais da

actividade artística regular, tanto em agru-

Estruturas”, um projecto de composição,

cidade do Porto, ajuda preciosa para que

pamentos por si fundados como enquanto

improvisação e interpretação em tempo

a Instituição pudesse cumprir cabalmente

solista convidado por orquestras.

real, fazendo uso de meios criativos que

o lema que adoptou para este aniversá-

Pela valia dos seus dotes como intérprete,

conduzem a um impressionismo electró-

rio, o de “Instituição Aberta ao Exterior”,

foi convidado para participar no Concerto

nico.

conceito em que Gustavo Brandão se revia

de Gala comemorativo da abertura da

A carreira de Gustavo Brandão como intér-

proximamente, como o demonstra toda a

Casa da Música do Porto, como solista

prete passa ainda pelo blues, através do

sua vida académica e artística.

de guitarra eléctrica, num espectáculo

grupo Bluesfonia, que reinventa standards

em que a Orquestra Nacional do Porto,

deste género musical, a par de composi-

dirigida por Marc Tardue, estreou a obra

ções originas do grupo.

“Abertura Festiva”, de António Vitorino

Na qualidade de compositor, Gustavo

d´Almeida. Também como solista, mas

Brandão tem igualmente uma

em guitarra clássica, realizou o concerto

vasta obra, que inclui, por exemplo,

de abertura do Festival de Guitarra de São

“Toada e Dança/ Toante/ Recitativo com

João da Madeira, que precede o Concurso

Improvisação” (em parceria com Nelly

Nacional de Guitarra Clássica, em 2005.

Santos Leite), ou “Fluido-Fixo” e “Para a

Dos inúmeros convites que recebeu,

Ana”, peças para guitarra clássica e voz

destaca-se ainda a participação na 1ª Or-

soprano com poesia de Carlos da Cunha.

questra Portuguesa de Guitarras Clássicas,

“Electrocrónicas”, para guitarra eléctrica,

composta por cerca de 60 guitarristas,

quarteto de saxofones, piano, baixo eléc-

que actuou, sob a direcção do maestro

trico, bateria e percussão, “Tema variações

Christopher Bochmman.

e episódios”, para guitarra clássica, gui-

Gustavo Brandão esteve igualmente na

tarra eléctrica e contrabaixo, e “Discurso

fundação de diversos grupos, o primeiro

Tríptico”, uma obra em três andamentos

dos quais foi o Duo de Guitarra e Piano,

para um quarteto de guitarras, são outras

criado com a pianista Nelly Santos Leite

das composições da sua autoria.

em 1988. O duo editou em 1995 um CD,

No que respeita à edição, e além do CD já

por ocasião do centenário do nascimento

referido, Gustavo Brandão é ainda partici-

do compositor Mário Castelnuovo-Tedesco,

pante do vídeo “Delírios d’Eros”, realizado


Politécnico do Porto

Olá, Gustavo «And death shall have no dominion» Dylan Thomas Gustavo é nome de músico. De um, pelo menos, da minha afeição: Mahler, esse mesmo cuja memória assombra, com o mesmo nome mas outro apelido, a Morte em Veneza, de Thomas Mann, e principalmente a versão que deste romance nos legou esse príncipe dos cineastas chamado Luchino Visconti – por sinal, conde de Lonate Pozzolo, descendente de uma das mais nobres famílias milanesas. Porque me vem à memória tudo isto? O Gustavo, porém, não era dos que perdem tempo com faits-divers genealógicos (embora todos lembremos o seu desvelo para com a família e os filhos). O seu tempo perdido – ou antes, ganho – era-o com a Música. Não o conheci apenas como empenhado professor de guitarra e de outras matérias, alguém que não escondia o entusiasmo no que fazia e a genuína afeição que devotava aos seus alunos. É que o Gustavo era daqueles com «uma vida lá fora» (essencial, dirão alguns, no Ensino Politécnico). E isso notava-se. Essa vida, naturalmente, tinha a ver com a Música. Integrava o grupo Bluesfonia, tocava jazz e outras músicas. Muita gente o conhecia das noites do Porto e arredores. E tudo isto ele fazia sem arrogância nem pedantismo, fazia-o sem o exibir no dia-a-dia. Coisa rara, era humilde nos seus saberes (é essa pelo menos a minha experiência). Mas não ocultava entusiasmos. E sabia, também, ser afectuoso e gentil – outra rara qualidade. Entre várias realizações, gravara, em 1995, um CD editado pela Numérica em que interpreta, com a pianista Nelly Santos Leite, obras da sua autoria e temas compostos por Heitor Villa-Lobos e Castelnuovo Tedesco. Como executante de guitarra eléctrica, participara como solista da Orquestra Nacional do Porto na estreia da obra “Abertura Festiva”, que António Victorino d’Almeida criara para a inauguração da Casa da Música, no Porto. Licenciado em Filosofia, doutorara-se recentemente. A Victorino d’Almeida recorrera, há algum tempo, solicitando a cedência de uma obra inédita que pudesse constituir o cerne e motor da unidade curricular de Projecto II, integrada no plano de estudos da Licenciatura em Educação Musical, da ESE. Era nisso – e também no Projecto I (unidade do 1º ano de Ed.Musical e EVT) – que ultimamente trabalhávamos formando uma equipa pedagógica interdisciplinar: o Gustavo, a Sónia, a Susana, a Sara e eu. Nisso nos empenhávamos, impulsionados pelo entusiasmo e pela têmpera sonhadora do Gustavo, quando ele nos deixou. Um vazio, pois, que queremos, todos, preencher. Em sua memória. Em memória da sua companhia, do seu amor à

Falar Azul 27


Falar Azul 28

Politécnico do Porto

Música, de uma contagiante alegria – por vezes também revolta (e como eu gosto de aprender com os desalinhados…). O maestro Victorino d’Almeida cedera-nos a sua Ópera dos Sem Vintém, peça breve apropriada para o tempo de crise que atravessamos. Logo nos trouxe à memória The Beggar’s Opera (1728), de John Gay e Johann Christoph Peppusch, e a Ópera dos Três Vinténs (1928), de Bertolt Brecht e Kurt Weill (inspirada na anterior), para não falar na Ópera do Malandro, de Chico Buarque de Hollanda. O Gustavo foi buscar as partituras a Lisboa, fez um documento com o texto do libreto, analisámo-lo nas aulas, ouvimos a música no computador, definimos o elenco, construíamos já as personagens. E nisto estávamos… E nisto tentaremos continuar, com o melhor empenho dos estudantes, apostados também em honrar a memória do seu professor. Por falar em estudantes, permita-se que recorde aqui um episódio do Projecto I, com os mesmos alunos do actual Projecto II, no ano lectivo de 2007-08. Uma cena reveladora do modo de ser do Gustavo. Era o mês de Maio e ensaiávamos para o espectáculo final, no frenesim próprio das vésperas de estreia. Impaciente com o ritmo apagado da representação, o Gustavo toma em mãos uma estudante e lança-se, com o seu físico de gigante, na exemplificação de uma dança febril que terminou com a aluna em rodopio e a dar uma inesperada volta no ar. Cena que a todos – e sobretudo a ela – deixou tontos. E sorridentes. Era assim, o Gustavo: tenso, impulsivo, a querer levar o barco para a frente. E sempre pronto a traçar um arco de fantasia na cinza dos dias. O Gustavo a dançar com a Eliana, o Gustavo a desafiar para o improviso as vozes da Ângela e do Castro… É esse o Gustavo que quero gravar na memória. Mais as vozes da Sónia e da Susana a rir e a dizer: «Calma, Gustavo, calma!» E também o colega disponível, na comemoração do 25 de Abril que o Núcleo de Estudos Literários e Artísticos da ESE habitualmente promove, para arrastar o Acácio e uns alunos de Música para uma rapsódia de canções de José Afonso (estávamos em Abril de 2008). É esse o Gustavo que gostaria de guardar. Um destes dias vemo-nos, meu caro. Se ninguém levar a mal, pode ser ao som da Billie Holiday, do Chet Baker ou dos Pink Floyd (esses mesmos que, trazidos da tua juventude, às vezes gostavas de ouvir no carro). José António Gomes ESE.IPP


Politécnico do Porto

Para o Gustavo

Tudo deverá permanecer vivo…

«A morte não é um bem. Os próprios deuses o sabem. Eles preferiram viver...»

O meu querido amigo Gustavo… um homem com uma energia

Sapho (Séc. VII-VI a.C., trad. David Mourão-Ferreira)

singular. Ainda é possível «ouvir» a voz forte a ecoar nos corredores, entre os pisos, do edifício de Música e Drama.

Horácio um dia afirmou que «cada dia é uma pequena vida».

Tive a oportunidade de partilhar com o Gustavo muitas horas

Somos, então, milhares de vidas.

de projectos em comum; muitas horas a debater ideias, muitas

Somos vidas que diariamente semeiam com as sementes de hoje

horas a «partir a pedra», a discutir os métodos, as questões

todas as flores do amanhã.

relacionadas com a avaliação dos alunos; momentos em que a

Somos vidas que perpetuam ciclos contínuos que nos permitem

voz se eleva e as palavras tentam sair mais depressa que as do

nascer a cada instante e nos fazem chegar inexperientes a cada

colega, momentos onde o humor não se esconde, momentos

idade da vida.

deliciosos… quando chegavam ao fim, pronto, chegavam ao fim,

É esta vida Goethiana a infância da nossa própria imortalidade.

«amigos como sempre». O Gustavo tinha esta particularidade:

É esta vida que se revela ao mundo como uma alegria implícita

discutia as ideias com uma força e uma humildade igualmente

no jogo, na música, na dança, na poesia, na pintura. No entanto,

brutais, intensas.

«todos chegamos um dia como a água e nos vamos como o

Não era um homem que provocava consensos, nem ele o deseja-

vento» (Graham Greene).

va, mas talvez seja por isso mesmo que a sua ausência pese como

A morte é, até ao momento, a maior certeza inventada pela vida

um grande espaço em branco…

e, quando morremos, deixamos para trás tudo o que possuímos,

Tenho saudades do colega e do amigo, as disciplinas que parti-

levando connosco tudo o que somos. No entanto, permanece-

lhávamos não terão com toda a certeza o mesmo sabor, a mesma

mos na forma como tocámos o mundo e por ele nos deixámos

intensidade. Preciso de reaprender… em memória do Gustavo

entusiasmar, apesar das agruras da existência.

tudo deverá permanecer vivo, com VIDA.

Por isso, Gustavo, todos morremos um pouco depois de ti mas todos te mantemos vivo dentro de nós – os nossos olhos guardarão

Sónia Barbosa

as marcas do teu entusiasmo, quase obsessivo: força de vida que

ESE.IPP

torna perversa a tua precoce ausência. Não é possível aceitar a morte como verdade. Continuarás nos projectos que juntos iniciámos e que acabaremos, sei-o, contigo ao nosso lado, ou aplaudindo, discreto num canto do auditório. Incentivar-nos-ás em todos os projectos futuros, pois é improvável conseguir esquecer o labor dos teus gestos, o suor escorrendo da testa, o entusiasmo das tuas palavras. Aproveitaremos todas as sementes e todos os dias que foram as tuas vidas. Aproveitaremos toda a tua energia para a transformar em poesia, em música, em imagem, em nova vida. Susana Lopes ESE.IPP

¶ …

Falar Azul 29


Falar Azul 30

Politécnico do Porto

IPP INTERNATIONAL NETWORK

O Politécnico do Porto em toda a Europa e no Brasil Inevitavelmente, no Politécnico do Porto a internacionalização é uma aposta que veio para ficar e crescer. Internacionalização no apoio e consultoria prestados a Instituições de Ensino Superior (IES) dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP’s),

Politécnico do Porto Aposta na Internacionalização

mas também no estabelecimento e desenvolvimento de uma vasta rede de mais de 240 acordos bilaterais com IES de 27 países europeus e com IES do Brasil.

No mundo global contemporâneo, e ainda mais na conjuntura

Para que os estudantes internacionais do Politécnico do Porto

de crise económica e financeira que o ocidente atravessa, a

se sintam em casa, o Politécnico do Porto acolheu no dia 19 de

sobrevivência das instituições – como a das empresas – implica

Março uma centena de estudantes internacionais recém-chega-

um crescente conhecimento do outro para se ser melhor, para se

dos ao país, numa sessão de boas-vindas destinada à apresenta-

poder ser mais profissional e responder com inovação e pertinên-

ção da Instituição e das 6 cidades onde há Escolas do Politécnico

cia ao que o público espera de nós. Assim, importa estar activo

do Porto.

no cenário nacional, estabelecendo parcerias, inovando acções e

Os nossos estudantes internacionais puderam, assim, conhecer-se

desenvolvendo sequências úteis para ambas, mas importa igual-

melhor entre eles, conhecer estudantes portugueses que estu-

mente estar activo e atento ao cenário internacional que, hoje,

daram no estrangeiro – muitas vezes nas mesmas IES de onde

também tem que ser o nosso.

estes estudantes provêm – bem como conhecer melhor a Rede

O Politécnico do Porto, assumindo a sua posição de liderança no

Internacional do Politécnico do Porto.

cenário do ensino superior público nacional está, mais uma vez,

Anualmente, centena e meia de estudantes das 7 Escolas do Poli-

na vanguarda do que precisa ser feito por uma instituição que

técnico do Porto procuram prosseguir uma parte da sua formação

ambiciona não apenas sobreviver, mas sobretudo afirmar-se no

superior em instituições estrangeiras e quase duas centenas de

plano institucional.

estudantes estrangeiros procuram o Politécnico do Porto como casa para aqui receberem formação superior de excelência com vocação profissionalizante. Também na internacionalização crescente que desenvolve, o Politécnico do Porto conquista um lugar de referência, consolidando internacionalmente a posição já conquistada nacionalmente de maior Politécnico e de uma das Instituições de Ensino Superior mais dinâmicas em Portugal.


Politécnico do Porto

Willkommen     Welkom   Dobre doshal Dobre doshli  Vítejte Vitame vás Srdechne vitam   Velkommen Bonvenon   Bienvenido Tervetuloa Bienvenue Kalos ilthes Kalos ilthate Welkom Fáilte  Cead mile failte Welcome Benvenuto Velkommen Dzieñ dobry Dobry wieczór Multumesc Greuzi Bainvegni Hos geldiniz Bem-vindo

a

a

Estudantes Estrangeiros em

180

Mobilidade Académica no IPP

Estudantes / ano

a

a

Estudantes do IPP em

145

Mobilidade Académica no

Estudantes / ano

Estrangeiro

a

a

Acordos

241

Bilaterais

233 [EU] + 3 [Suíça]+ 5 [Brasil]

a

a

Universidades Parceiras

241 233 [EU] + 3 [Suíça]+ 5 [Brasil]

a

a

Países que constituem a

28

IPP | International Network

27 na Europa + Brasil

Falar Azul 31


Falar Azul 32

Politécnico do Porto

ISO 9001:2008 Politécnico do Porto tem primeira Escola Certificada pela Nova Norma

O Presidente do Politécnico do Porto conta convosco para a construção deste caminho de cumprimento do imperativo legal de construção de mecanismos de avaliação e aferição institucionais. Estando já criada a Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras do Politéc-

Superior, torna-se prioritário solidificar e aferir os mecanismos de

nico do Porto (ESTGF.IPP) renovou a certificação pela nova versão

auto-avaliação e de gestão da qualidade. Mais do que acreditar

da norma 9001:2008, tornando-se o primeiro Estabelecimento

cursos – são mais de 4000 que a Agencia tem para acreditar em

de Ensino Superior do País a conquistar esta certificação.

dois anos – a Agência terá como missão a expansão da certificação do ensino para a investigação e a transferência de tecnologia

A Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras do Politéc-

e de conhecimento, bem como para a prestação de serviços à

nico do Porto recebeu pela Associação Portuguesa de Certificação

Comunidade.

(APCER), dia 3 de Março, o Certificado de Conformidade do Sistema de Gestão da Qualidade da ESTGF.IPP de acordo com a

Vice-Presidente IPP para a Qualidade – Marina Sousa

NP EN ISO 9001:2008.

A qualidade é uma aposta estratégica da actual equipa da

A cerimónia contou com a presença do Presidente do Politécnico

gestão do Politécnico do Porto. A qualidade é uma dimensão das

do Porto, Vítor Correia Santos, da Vice-Presidente com o Pelouro

organizações que evoluiu muito e as instituições necessitam de

da Qualidade, Marina Sousa, do Director da Escola, Luís Costa

acompanhar esta evolução. O grande desafio presente é articular

Lima e da Directora de Auditores da APCER, Dora Gonçalo.

os discursos e iniciativas que o Politécnico do Porto assume

A ESTGF.IPP assegura a implementação do seu Sistema de Gestão

nesta área numa sequência que faça sentido. Nos serviços da

da Qualidade desde Janeiro de 2006, permitindo potenciar a sua

Presidência, abandonaram-se os procedimentos em uso, que se

dinâmica de melhoria contínua e o cumprimento da sua Missão

demonstraram inadequados, e construíram-se novos e dirigidos

de apoio ao desenvolvimento da Região onde está inserida – Vale

para o cumprimento das actividades-chave diagnosticadas: en-

do Sousa e Baixo Tâmega.

sino, investigação e transferência de tecnologia e conhecimento

A ESTGF.IPP, em 10 anos, tem assumido um crescimento notável,

e relação com a Comunidade. O desafio que deixamos à ESTGF.

que se destaca pela sua oferta formativa, com Licenciaturas em

IPP é o de continuar a inovar, articulando e contagiando com esta

funcionamento em regime Diurno e Pós-Laboral, Mestrado, Cur-

inovação toda a “Rede Politécnico do Porto”, cujo maior desafio,

sos de Especialização Tecnológica de Nível IV, Formação Contínua

no que respeita à gestão da qualidade, será o de trabalharmos

de Professores (acreditada pelo CPFCD), Cursos de Especialização

globalmente para a construção de um sistema de gestão da

e Formação Complementar permanentes e promovendo a Acade-

qualidade.

mia Cisco e Microsoft. A APCER, entidade de certificação nacional, assumiu o estatuto

Director ESTGF.IPP – Luís Costa Lima

de líder na actividade da certificação com mais de 5.300 certifica-

Para assumir compromissos de futuro é necessário compreender

dos emitidos. A sua credibilidade é assegurada por rigorosos pro-

o passado. A renovação da certificação agora conquistada foi

cessos de acreditação emanados pelo IPAC – Instituto Português

um desafio mais complexo do que a primeira certificação então

de Acreditação, pela ENAC – Entidade Nacional de Acreditação

obtida, pois a comunidade da ESTGF.IPP é, hoje, mais numerosa e

Espanhola e pela SAAS – Social Accountability Accreditation Servi-

mais complexa. Sermos o 1º Estabelecimento de Ensino Superior

ces. A APCER é a única entidade nacional representada na IQNet

português a ser certificado por esta nova norma (ISO 9001:2008)

– The International Certification Network, uma rede internacional

é o reconhecimento, também do ensino de excelência que

de entidades certificadoras.

ministramos e da alta qualidade dos graduados que formamos. A gestão da qualidade assume-se como uma aposta estratégica

DISCURSO DIRECTO

essencial da ESTGF.IPP. Para nós a qualidade é uma marca que faz

Presidente IPP – Vítor Correia Santos

a diferença, que nos diferencia.

É uma grande alegria e um grande prazer ter uma Escola do Politécnico do Porto certificada. Este certificação implica que a ESTGF.

Directora APCER – Dora Gonçalo

IPP operou uma mudança cultural face ao cenário mais comum

Cada certificação exprime um significado único relativo a cada

no ensino superior nacional. A ESTGF.IPP está, pois, de parabéns.

Instituição. No caso da ESTGF.IPP, esta certificação reforça a


Politécnico do Porto

imagem de qualidade, modernidade, profissionalismo e eficiência. A APCER lança o desafio à Escola para que continue este caminho de exigência, que mobiliza o espírito empreendedor da ESTGF.IPP, revelando uma importante visão estratégica dos respectivos órgãos de gestão. Esta certificação permite incutir junto das partes interessadas uma grande confiança na Escola e garante-lhes o cumprimento das elevadas expectativas que têm em relação à ESTGF.IPP. A certificação agora conquistada, dota ainda a Escola de um passaporte reconhecido internacionalmente.

Falar Azul 33


Falar Azul 34

Politécnico do Porto

IPP | CULTURA A Rede Cultural do Politécnico do Porto

A Cultura não é uma palavra vã para o Politécnico do Porto e para toda a sua vasta e dinâmica comunidade. Muito menos é um conceito abstracto. É antes uma realidade por todos sentida e por todos crescentemente procurada. É uma prática efectiva, presente na acção da instituição e derivada da sua missão estatutária. O Politécnico do Porto é muito mais do que uma instituição que disponibiliza aos seus membros e à comunidade envolvente ensino superior de excelência, investigação científica inovadora e transferência de tecnologia e de conhecimento social e economicamente reprodutivas. É também um dos agentes mais dinâmicos da região onde se insere na criação, produção, e devolução de cultura. O Politécnico de Porto assume agora um novo papel no espaço da cultura através da sua iniciativa Rede Cultural que integra o apoio à divulgação da excelência de grupos da ESMAE.IPP, a oferta musical em parceria com a Orquestra do Norte, a constituição do Museu da Ciência e Tecnologia Parada Leitão, a partir do espólio integrado no Museu do ISEP.IPP, as editoras POLITEMA e POLIFONIA, o apoio às actividades dos grupos estudantis de tunas, fados, teatro e dança. Desta forma, produzimos e apoiamos a produção de actos culturais de particular mérito que têm ainda por objectivo conquistar e cruzar públicos que alimentem um diálogo profícuo entre os membros da nossa comunidade e os cidadãos que procuram estes eventos e que percebem que o Politécnico do Porto tem também um papel fundamental ao alimentar a cultura da região. Todavia, não nos esquecemos de trabalhar no plano cultural para que a nossa comunidade não seja apenas uma comunidade de agentes de ensino (Estudantes, Docentes, Funcionários) mas antes uma comunidade de Pessoas, socialmente integrada e humanamente global. Desejamos que todos sejamos cidadãos activos na vida cívica que habitamos e cidadãos mais atentos e completos. Para cumprir este desígnio, o Politécnico do Porto desenhou com os agentes culturais da região uma vasta rede que permite a todos os membros da Comunidade Politécnico do Porto aceder em condições extremamente vantajosas à vida cultural que todos os dias torna o nosso quotidiano um pouco diferente, um pouco mais rico.


Politécnico do Porto

IPP | Cultura

Parceiro

Falar Azul 35

Rede Cultural do Politécnico do Porto Beneficiários: Comunidade Politécnico do Porto (Estudantes, Docentes e Colaboradores)

Desconto

Preço Normal

Preço IPP|Cultura Site

Teatro Nacional de São João compras até 48h antes do espectáculo (2 por pessoa)

50%

15 €

€7,50

compras em grupo até 48h antes do espectáculo

66,66%

15 €

€5,00

TNSJ|Teatro Carlos Alberto compras até 48h antes do espectáculo (2 por pessoa)

50%

15 €

€7,50

compras em grupo até 48h antes do espectáculo

66,66%

15 €

€5,00

TNSJ| Mosteiro de São Bento da Vitória compras até 48h antes do espectáculo (2 por pessoa)

50%

15 €

€7,50

compras em grupo até 48h antes do espectáculo

66,66%

15 €

€5,00

Teatro do Bolhão

60,00%

10 €

€4,00

www.ace-tb.com

Teatro Plástico

50,00%

10 €

€5,00

teatroplastico.blogspot.com

Visões Úteis

60,00%

10 €

€4,00

www.visoesuteis.pt

Seiva Trupe

30,00%

10 €

€7,00

www.seivatrupe.pt

60%

10 €

€4,00

www.balleteatro.pt

Teatro www.tnsj.pt

Dança Balleteatro

Música Casa da Música

www.casadamusica.com

ONP

50%

15 €

€7,50

Remix

50%

15 €

€7,50

100%

1,99 €

Grátis

Exposições Museu Nacional de Soares dos Reis

www.mnsr-ipmuseus.pt

Interdisciplinar Fundação de Serralves

www.serralves.pt

FS | Museu de Arte Contemporânea de Serralves

100%

5€

Grátis

FS | Auditório de Serralves

50%

7,50 €

€3,75

FS | Jardins de Serralves

100%

2,50 €

Grátis

30%

5,50 €

€4,00

Cinema Medeia Filmes (Cinemas Cidade do Porto e Campo Alegre)

www.medeiafilmes.pt


Falar Azul 36

Politécnico do Porto

EPICENTRO MAIO/ JUNHO ESTSP.IPP WORKSHOP EMOÇÕES NUMA SOCIEDADE GLOBAL: NETWORKING E REDES SOCIAIS. 20.06.09 Este workshop tem por base o trabalho desenvolvido por Marta Gonçalves em vários países da Europa (Alemanha, Suiça, Bélgica, Polónia e Portugal). Conteúdo: 1. Conceito de sociedade global; 2. Competência emocional; 3. Emoções intra e intergrupais; 4. Estratégias de networking; 5. Individualismo vs. redes sociais. +infos: www.estsp.ipp.pt

ISCAP.IPP SEMANA INTERNACIONAL 2009 O Gabinete de Relações Internacionais do ISCAP.IPP (GRI) está a organizar, pelo quarto ano, a Semana Internacional 2009 que este ano terá lugar de 25 a 29 de Maio, numa iniciativa conjunta com a ae.ISCAP. Como todos os anos a intenção é de proporcionar a todos os participantes a oportunidade de expandir seus horizontes e de criar pontes entre culturas. +infos: www.iscap.ipp.pt gri@iscap.ipp.pt

ESTSP.IPP WORKSHOP VETERINÁRIA Importantes avanços na medicina veterinária têm resultado em medicamentos que podem melhorar a duração e qualidade de vida dos animais. Os objectivos do workshop em Farmácia Veterinária (a realizar no dia 23.05.2009) são a abordagem de patologias associadas aos animais, assim como, o conhecer dos principais grupos de medicamentos de uso veterinário, modo de utilização e riscos associados. Todos os participantes terão direito a diploma. Contudo, para a obtenção de um diploma com aproveitamento os participantes deverão efectuar uma avaliação. +infos: www.estsp.ipp.pt

ESE.IPP IX SIMPÓSIO INTERNACIONAL DO GEDEI – “PEDAGOGIAS DA INFÂNCIA: A PROCURA DA PARTICIPAÇÃO” 22 E 23.05.2009. O Grupo de Estudos para o Desenvolvimento da Educação da Infância (GEDEI) é uma associação que promove a pesquisa e partilha de informação, a intervenção no terreno e a reflexão no âmbito da educação de infância. Este Simpósio, destinado essencialmente a profissionais da educação, investigadores e estudantes na área da Educação Pré-Escolar e Primeiro Ciclo do Ensino Básico, adopta como tema a reflexão sobre as Pedagogias da Infância, procurando sentido(s) da participação. Assim, e na continuação da tradição dos simpósios organizados pelo GEDEI, é objectivo do IX Simpósio do GEDEI, promover a constituição de espaços e tempos de reflexão sobre a praxis em contexto de educação de Infância. +infos: http://gedei2009.ese.ipp.pt

ESTSP.IPP CURSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL DA MOTRICIDADE Plasticidade do Sistema Nervoso e Rehabilitação pelo Prof. Nelson Annunciato. 5 a 6.06.2009 +infos: www.estsp.ipp.pt

ISEP.IPP CLOUD IDENTITY 28 e 29 de Maio O ISEP.IPP acolhe a “Cloud Computing Conference 2009”, dois dias de debate e demonstrações sobre as mudanças já em curso no mundo do acesso e da utilização de informação em rede. + infos: www.cloudviews.org 2009.cloudviews.org/site

EXOCENTRO MAIO/ JUNHO IPP | CULTURA

CINEMA CINEMAS CIDADE DO PORTO E CAMPO ALEGRE Comunidade Politécnico do Porto: Todos os Filmes, todas as Sessões Preço Clube Medeia [4€] www.medeiafilmes.pt T. 226009164

MÚSICA CASA DA MÚSICA · Orquestra Nacional do Porto: ciclo “ONP aos Sábados” · Remix Ensemble : várias datas Comunidade Politécnico do Porto: 50% de Desconto (vários preços) www.casadamusica.com T. 220120220

TEATRO TEATRO SEIVA TRUPE Porto em Directo: 16.04.09 a 30.06.09 Comunidade Politécnico do Porto: 30% de Desconto TEATRO NACIONAL DE SÃO JOÃO O 32.º FITEI: 26.05.09 a 09.06.2009 São João – Lugares Altos, Olhares… 2 a 21.06.2009 Comunidade Politécnico do Porto: 50% de Desconto [7,50€] Grupos – Preço Escola [5€] www.tnsj.pt T. 223401900 TEATRO CARLOS ALBERTO Jimmy Joyced: 13.06.09 Dancem!09: 25.06.09 a 12.07.09 Comunidade Politécnico do Porto: 50% de Desconto [7,50€] Grupos – Preço Escola [5€] www.tnsj.pt T. 223401900 TEATRO HELENA SÁ E COSTA · 3 e 4 de Junho TEATRO – Trigo Limpo – Teatro ACERT Chovem Amores na Rua do Matador · 5 e 6 de Junho TEATRO – Trigo Limpo – Teatro ACERT “circonferências” · 14 de Junho MÚSICA – ComPerq #2 Classes de Composição e Percussão da ESMAE.IPP www.esmae-ipp.pt/thsc

ARTES PLÁSTICAS FUNDAÇÃO DE SERRALVES Serralves 2009 – “A Colecção” 30.05.09 a 27.09.09 Entrada Gratuita www.serralves.pt MUSEU N. DE SOARES DOS REIS Exposição“Esperando o Sucesso Impasse académico e modernismo de Henrique Pousão” – até 28 de Junho Comunidade Politécnico do Porto: Entrada Gratuita www.mnsr-ipmuseus.pt T. 223393770

OUTRAS CULTURAS PORTO As Comunidades Estrangeiras no Porto Ciclo de Conferências 17 de Junho e 8 de Julho, 18h Praça Carlos Alberto MATOSINHOS · Exposição “Retratos de Presidentes: entre o público e o privado” 23.05 a 14.06.09 | Galeria Municipal · Quarteto de Cordas 18.06.2009 | Cine Teatro Constantino Nery, 21h30 · Põe-te a mexer... nas Praças e Parques 20.06.09 | Parque Desportivo António Sérgio – Custóias, 17h00 · Leitura com Ciência 27.06.09 | Biblioteca Municipal Florbela Espanca FELGUEIRAS Exposição Uma Carta Coreográfica Biblioteca Municipal de Felgueiras Casa da Cultura Leonardo Coimbra, Lixa, Pólo de Idães. 29 de Abril a 31 de Maio PÓVOA DE VARZIM Praça dos Pintores em exposição 20.05.09 a 17.06.09


POLITÉCNICO DO PORTO UNIVERSO IPP —

IPP

Presidência

POLITÉCNICO DO PORTO Rua Dr. Roberto Frias, 712 › 4200-465 Porto T. 225 571 000 › F. 225 020 772 ipp@ipp.pt › www.ipp.pt portal.ipp.pt

ESE

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO Rua Dr. Roberto Frias, 602 › 4200-465 Porto T. 225 073 460 › F. 225 073 464 ese@ese.ipp.pt › www.ese.ipp.pt

ESEIG

ESCOLA SUPERIOR DE ESTUDOS INDUSTRIAIS E DE GESTÃO Rua D. Sancho I, 981 › 4480-876 Vila do Conde T. 252 291 700 › F. 252 291 714 eseig@eseig.ipp.pt › www.eseig.ipp.pt

ESMAE

ESCOLA SUPERIOR DE MÚSICA E DAS ARTES DO ESPECTÁCULO Rua da Alegria, 530 › 4000-045 Porto T. 225 193 760 › F. 225 180 774 esmae@esmae-ipp.pt › www.esmae-ipp.pt

ESTGF

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS Rua do Curral, Casa do Curral, Margaride › 4610-156 Felgueiras correio@estgf.ipp.pt › www.estgf.ipp.pt

ESTSP

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DA SAÚDE DO PORTO Rua Valente Perfeito, 322 › 4400-330 V.N.Gaia T. 222 061 000 › F. 222 061 001 geral@estsp.ipp.pt › www.estsp.ipp.pt

ISCAP

Rua Jaime Lopes Amorim s/n › 4465-004 São Mamede de Infesta

INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DO PORTO T. 229 050 000 › F. 229 025 899 instituto@iscap.ipp.pt › www.iscap.ipp.pt

ISEP

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 431 › 4200-072 Porto T. 228 340 500 › F. 228 321 159 mail@isep.ipp.pt › www.isep.ipp.pt

FIPP

FUNDAÇÃO POLITÉCNICO DO PORTO Rua Dr. António Bernardino de Almeida, 537 › 4200-072 Porto T. 228 302 555 geral@fipp.ipp.pt

SASIPP

SERVIÇOS DE ACÇÃO SOCIAL DO IPP Praça do Marquês de Pombal, 94 › 4000-390 Porto T. 225 573 710 info@sas.ipp.pt

Politécnico do Porto | Distribuição Gratuita | www.ipp.pt

T. 255 314 002 › F. 255 314 120


Falar Azul #003