Issuu on Google+

QUEIMADOS RIO DE JANEIRO

l

SEGUNDA-FEIRA, 25 DE NOVEMBRO DE 2013

EDIÇÃOL ESPECIA

ANIVERSÁRIO

CIDADE NOVA Aos 23 anos, município ganha investimentos de R$ 250 milhões em obras PÁGINA 8


2 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

B

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

l

O GLOBO

l

EXTRA

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 3

ECONOMIA

Queimadenses querem tablets

Quem te viu, quem te vê

B Outra novidade que o au-

PEDRO TEIXEIRA/8.6.2011

PIB de Queimados cresceu 89% em quatro anos. Cidade ganhou novas empresas B Tânia

Sebastiana Cunha de Oliveira se mudou para Queimados aos 9 anos e viveu lá até os 23. Mais de duas décadas depois de abandonar o município, ela está de volta, levando o marido e os cinco filhos. O tempo em que esteve afastada deixou o crescimento da cidade ainda mais evidente para a dona de casa. — Antigamente, isso era lama pura. Agora temos asfalto e todo o tipo de comércio. Não precisamos mais ir a Nova Iguaçu para comprar tudo — afirmou. De 2006 a 2010, o Produto Interno Bruto (PIB) de Queimados subiu quase 89%. Após ficar dez anos estagnado, o Parque Industrial conta, hoje, com 22 empresas instaladas e 18 em processo de implantação — após uma atrativa redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 19% para 2%. Com as novas fábricas, Agora, aumentou o número de a cidade empregos. De acordo com os dados da prefeitura, o tem distrito gerou 3.500 vagas, quase número que deve mais do tudo >> que dobrar nos próximos Tânia anos. Segundo o prefeito Dona de casa Max Lemos, 70% desses cargos são ocupados pelos próprios moradores de Queimados. Os novos empregos contribuíram para o aumento do poder de compra da população. Prova disso é que a cidade atraiu grandes lojas de departamentos, como Marisa, Leader, Grippon e Casa & Video, e os restaurantes Subway e o Bob’s, que deve ser inaugurado até final do mês. O prefeito garantiu também a chegada de um empreendimento comercial com 130 lojas e seis salas de cinema. Crescimento econômico é importante, mas não é tudo. A população ainda reclama que faltam segurança, ruas arborizadas e, principalmente, investimento na saúde. — Queremos um hospital aqui, seria uma melhoria enorme — diz Daniel de Oliveira, marido de Tânia.

O DISTRIT eberá

os rec Queimad dústrias e 18 novas in número ar o quer dobr regos de emp

Vista aérea do distrito industrial: redução do ICMS atraiu empresas para a cidade

<<

O Distrito Industrial de Queimados está crescendo: além das 22 empresas instaladas, mais 18 a caminho

mento do poder aquisitivo da população trouxe foi a mudança no perfil dos consumidores. O que antes parecia luxo, agora é necessidade. Dono da loja Abra Informática há sete anos, Fabiano Santana está pensando em expandir o seu comércio. — O número de clientes aumentou muito. Existe mais procura por tecnologia. Os comerciantes de Queimados precisam aproveitar o momento e investir — declara Fabiano. Até mesmo o comércio

tradicional da cidade está se modernizando. O dono da tradicional loja Ritz, Wallace Pimentel, de 42 anos, se prepara para abrir uma nova unidade. — Não pensava em expandir a loja, mas percebi que existe uma grande demanda pela venda de tablets, iPhones, iPods e softwares em Queimados. Hoje, os moradores precisam procurar estes produtos em outros municípios, não podemos continuar assim — afirma o empresário, que assumiu o negócio do pai. t s


4 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

l

O GLOBO

l

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 5

EXTRA

HISTÓRIA

ZECA FONSECA / 28.07.1999

DIVULGAÇÃO

Um sonho de liberdade

FIM DO SÉCULO 17 Os rios e estradas de Queimados e da Baixada serviam para levar o ouro de Minas Gerais para a capital, o Rio de Janeiro. Na época, as terras desta região serviram ao cultivo de canade-açúcar e mandioca, além da criação de gado

B Há 23 anos, Queimados se emancipava

de Nova Iguaçu. Mas, segundo o historiador Nilson Henrique, a vontade de virar município já era antiga. — Nos anos 50, apareceu o discurso que Nova Iguaçu não investia no distrito de Queimados e, por isso, deveria haver a emancipação. Só que, com o golpe militar de 64, as vozes pela liberdade tiveram que se calar. Elas só voltaram com força nos anos 80 — afirmou Nilson, que

....................

vai lançar, em 2014, o livro “Queimados: imagens de uma cidade em construção” com a professora Cláudia Costa. Outro motivo para Queimados ter sido um dos últimos municípios da Baixada a se emancipar, de acordo com o historiador, foi a urbanização tardia. A região exportava laranjas até que, com as duas grandes guerras mundiais, o comércio perdeu força. Os fazendeiros tiveram que lotear e vender suas terras. t s

A sede do segundo distrito de Nova Iguaçu muda de Marapicu para Queimados por causa da importância da região. O local ainda pertence a Nova Iguaçu

1964

1979

Ditadura militar sufoca o ideal separatista de Queimados

Instalação do parque industrial ....................

....................

ANOS 50

FIM DO SÉCULO 19 O cultivo de laranja vira o carro chefe da economia de Nova Iguaçu ....................

Com as guerras mundiais, o comércio de laranjas entra em declínio. Início do movimento pela emancipação de Queimados

IRA / 14.11.2013

1858

Abaixo-assinado é enviado para a Assembleia Legislativa do Rio pedindo a criação do município de Queimados. É realizado um plebiscito, mas, como ele incluía moradores de Engenheiro Pedreira e Cabuçu, a emancipação não é aprovada ....................

....................

Parabéns, Queimados.

1878 Construção da Igreja Nossa Senhora da Conceição ....................

1951 Construção da Rodovia Presidente Dutra, símbolo de desenvolvimento ....................

Um novo plebiscito é realizado sem áreas que se identificavam com Nova Iguaçu. Queimados vira um município ....................

PAULO MORE

DIVULGAÇÃO

CEZAR LOUREIRO / 04.07.1988

1990

1984

....................

É formada a Associação dos Amigos para o Progresso de Queimados (AAPQ)

1911

....................

Inauguração da estação de trem de Queimados com a presença do Imperador D. Pedro II. A população, que antes vivia ao redor dos portos, migra para as margens da ferrovia

1988

....................

DIVULGAÇÃO

B

O GLOBO

No que depender da Empresa Gardel, o município vai numa direção cada vez melhor. A Empresa Gardel, parabeniza toda população pelos 23 anos de emancipação. A todos, reafirmamos o compromisso de oferecer o máximo para o desenvolvimento do município. Seja oferecendo um transporte mais seguro e confortável, seja gerando empregos e bem-estar. Sempre na direção de uma Queimados como você deseja.

1992 Primeira eleição para prefeito de Queimados


6 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

ENTREVISTA

MAX LEMOS

‘O carro-chefe é o crescimento econômico’ FOTOS DE LUIZ ACKERMANN

Prefeito de Queimados fala sobre os investimentos na cidade e os desafios nas áreas de educação e saúde

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

nismo. Queríamos fazer o primeiro quilômetro canalizado e já estou entregando 1,5km. Vamos dobrar esse número. Também vou entregar dez estações de tratamento de esgoto, duas estão prontas. Queimados não tratava um litro de esgoto até eu chegar. Qual é o déficit habitacional de Queimados e quantas casas serão construídas?

O déficit é de 14 mil moradias. Na minha gestão não consigo tirar todo mundo de áreas de risco, mas vou pagar 50% dessa dívida. O Centro da cidade chama a atenção pela limpeza. Esse é um ponto prioritário?

Marina Navarro Lins marina.lins@extra.inf.br

Como a cidade atrai os empresários para o distrito?

ara fazer o prefeito Max Lemos falar sem parar é só puxar assunto sobre frango com quiabo — seu prato preferido — ou sobre o crescimento econômico de Queimados. Atraindo cada vez mais recursos privados e públicos, a cidade virou um canteiro de obras e está assistindo à chegada de novas lojas e serviços. Em breve, ganhará o primeiro cinema. Apesar da euforia, setores como saúde e educação precisam de atenção. Segundo o prefeito, Queimados está em construção.

Leio jornais para ver quais empresas estão procurando um lugar no Rio e entro em contato. Falo sobre a nossa posição estratégica a 43km da capital e na beira da principal rodovia do país, e da nossa infraestrutura. Depois, mostro os incentivos fiscais municipais e estaduais. Por último, deixamos claro que existe a boa vontade do poder público e velocidade no processo.

Meu lixo é o melhor colhido da Baixada. Só tenho problema quando chove e o caminhão não sobe nas partes mais altas da cidade. Gasto R$ 800 mil por mês e tenho 80 homens na rua, o que é pouco. Deveria gastar R$ 1,5 milhão e ter 200 funcionários, mas não tenho esse dinheiro ainda.

Essa estratégia já rendeu resultados?

Quando você fomenta a cidade, cria um ambiente de crescimento, gera novos empregos e cria o poder de compra. Assim, novas marcas, como a Marisa e a Casa

P

Quanto a cidade recebe em investimento privado e quais empresas ?

Passamos de R$ 1 bilhão de investimentos privados contratados em quatro anos. Quando assumi, tinha apenas R$ 5 milhões por ano. Temos acertado mais duas plantas logísticas com investimentos de R$ 200 milhões, um do grupo GB e um de uma das três maiores operadores de logística do mundo. Não posso falar qual: farei o anúncio em alguns dias.

Descobri que a MRS queria fazer o primeiro Terminal Logístico Ferroviário no Rio e entrei na disputa. Podia ser em Itaguaí, que é mais perto do porto, mas eles nos escolheram porque viram que existe vontade política e ação. Qual obra vai trazer mais benefícios para a população?

Dos 72 bairros da cidade, vamos transformar 35. A previsão era sanear e asfaltar 300 ruas, mas já passamos e devemos chegar a 500. Outra coisa simbólica é a canalização dos rios Abel e Camorim, o que vai deixar uma marca de urba-

l

O GLOBO

l

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 7

EXTRA

& Vídeo, vieram para cá. O Bob’s está a caminho. Também temos serviços que até outro dia era difícil imaginar em Queimados, como a locação de veículos executivos e salões de festa. Como está o mercado imobiliário da cidade?

Vamos lançar o segundo apart-hotel em março, com 18 andares. Casas no valor entre R$ 100 mil e R$ 200 mil vendem na hora. Até outro dia, Queimados não tinha elevador e hoje só tem dois: o da caixa econômica para deficientes e um no centro comercial. Acabei de licenciar cinco prédios altos. Pode parecer maluquice, mas os elevadores mos-

tram o crescimento. Quais serão os benefícios da inauguração do Arco Metropolitano?

O Arco não corta Queimados, mas estou aproveitando mesmo assim. O Terminal Logístico Ferroviário será implantado aqui porque o Arco será inaugurado aqui perto. Ele trará um crescimento espantoso para a região. O crescimento traz o emprego. Vocês estão investindo na capacitação dos trabalhadores locais?

Esse será um ponto fundamental a partir do ano que vem, já que 70% da mão de obra das industrias é de

Queimados. Temos o PróJovem, que oferece cursos temporários para mão de obra médio-técnica. Formamos 2 mil jovens e vamos dobrar esse número. Estamos construindo a escola mais moderna da Baixada no Parque Santiago e lá teremos o primeiro curso técnico de ensino médio daqui. Estamos trazendo a Uerj em 2014, com curso de engenharia civil. A nossa ideia é que ela tenhas outras engenharias no futuro. E na educação de base?

Primeiro, ampliamos e reformamos algumas unidades. Mês que vem inauguramos uma nova na Ponte Preta com espaço para mil

O crescimento econômico mudou o perfil de consumo da população?

<< Sem Deus e sem

<< Não dá para fazer << A obra mais

dinheiro você não consegue tocar uma cidade >>

tudo. Espero que o próximo prefeito siga a receita >>

importante é a transformação de 35 bairros >>

alunos. Em janeiro, inauguramos uma em São Jorge para outros mil estudantes. Comprei uma escola da rede Selecista que ia ser derrubada para fazer supermercado. Paguei 40 prestações. No total, botei 4.200 alunos para dentro da sala de aula. Faltam cerca de mil. Não vai faltar oportunidade para nenhuma criança até o fim do ano que vem. A saúde no município ainda tem problemas. Quando o hospital de Queimados sairá do papel?

Fizemos um projeto novo e chegamos à conclusão de que 40% do esqueleto do antigo hospital estavam comprometidos. Para reformá-lo, gastaríamos R$ 122 milhões. Para fazer um novo, moderno, pagaremos R$ 89 milhões. Por causa isso, o esqueleto foi demolido. Em 30 dias, o governo federal deve liberar o dinheiro. Vamos licitar e, depois, vai demorar 18 meses para ficar pronto. Também vamos fazer um centro especializado de tratamento da mulher. Qual é a marca do seu governo?

Uma vez perguntaram ao iatista Torben Grael o motivo do seu sucesso. Ele disse: é só aproveitar o vento. É isso que estou fazendo em Queimados. t s


8 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

B

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

OBRAS

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

B

l

O GLOBO

l

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 9

EXTRA

LIMPEZA URBANA DIVULGAÇÃO

FOTOS DE MAZÉ MIXO/27-05-2013

Lixo Zero no Centro, mas sem multa Coleta recolhe cem toneladas de detritos por dia na cidade; moradores aprovam a qualidade do serviço MUDANÇAS Canalização do Rio Abel, pavimentação dos bairros e a construção de casas

B O chão do Centro de Quei-

Cidade de cara nova Com investimento de R$ 250 milhões, Queimados terá 11 bairros renovados, novas casas e rio canalizado B Queimados virou um can-

teiro de obras. Quase R$ 250 milhões já foram investidos na cidade em quatro anos, em parceria com o governo do estado. Para o prefeito Max Lemos, a mais simbólica das mudanças será a canalização do Rio Abel, que corta nove bairros. O trabalho está orçado em cerca de R$ 36 milhões. Além da canalização, a obra inclui a revitalização e arborização das margens do rio com a construção de

áreas de lazer, instalação de aparelhos de ginástica, ciclovias, pista de corrida e seis pontes de acesso. — Havia muito mato, ratos e até uma favelinha à beira do rio. A obra é questão de saúde pública — diz Paula Amorim, atendente de uma loja na Rua Alcindo Bulhões Paes. Para remanejar as famílias que ainda moram nas margens do Rio Abel, estão sendo construídos 1.500 apartamentos no bairro El-

dorado, por meio do “Minha Casa, Minha Vida”. No total, o programa já ergueu mais de 2.300 unidades em Queimados, e prepara outras 2.793. — Estamos tirando as pessoas de dentro do rio para que tenham qualidade de vida. Para se ter uma ideia, o rato passava pela geladeira dessas famílias e a qualquer hora as casas podiam desabar. Estamos superando a miséria — declara Max Lemos. Outra novidade será a construção de novas Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs): nos bairros do Carmo, São Miguel e São

Jorge. A previsão da Prefeitura de Queimados é que o município tenha 10 ETEs no próximo ano. BAIRROS REVITALIZADOS

O programa do governo estadual mais divulgado e aguardado em Queimados é o Bairro Novo. Ele vai atender 11 bairros com obras de pavimentação e drenagem. Serão 40 mil moradores beneficiados. Ao todo, 47 quilômetros, em 156 ruas, receberão asfalto. Até agora, o programa foi lançado em seis bairros: Santa Rosa, Vila Coimbra, Valdariosa, Novo Eldora-

do, São Jorge e do Carmo. A previsão é que obras sejam concluídas até julho do ano que vem. O bairro Jardim da Fonte será um dos mais contemplados com obras de infraestrutura. Além de uma ETE e 1.800 unidades habitacionais, ele receberá uma creche municipal, uma Unidade Básica de Saúde (UBS), o Estádio Municipal e o primeiro Parque Ambiental da cidade, no Morro da Baleia. O bairro também será o primeiro a ser monitorado por câmeras de vigilância 24 horas interligadas ao 24º BPM. t s

mados chama a atenção de quem passa. Não se veem papéis ou latinhas com frequência, como é comum em outras cidades da Baixada Fluminense — ou do Rio, que precisou do programa Lixo Zero para ajudar a manter as calçadas limpas. Segundo a prefeitura, são recolhidas mais de cem toneladas de lixo por dia no município, já incluídos resíduos domiciliares e hospitalares. Dona de uma loja no Centro de Queimados, Virgínia Brandão, de 30 anos, vê os funcionários recolherem lixo todos os dias e aprova a limpeza. — No bairro São Francisco, onde moro, não é assim. A coleta é feita três vezes por semana, mas não vou dizer que não tem lixo no

chão. O problema é também a educação da população. É muito necessário fazer um programa de conscientização — reclama. De acordo com o prefeito Max Lemos, o município gasta R$ 800 mil por mês com a coleta e mantém 80 homens nas ruas. Para ele, o maior problema é quando chove muito e o caminhão não consegue ir às partes mais altas da cidade. — O investimento é pequeno ainda. Deveria gastar R$ 1,5 milhão e ter 200 funcionários, mas não tenho esse dinheiro ainda. Com a melhora das contas nos próximos anos, isso vai mudar — afirma. Para solicitar os serviços de limpeza e de conservação pública, os moradores podem ligar para o telefone 2665-1966.

<<A cidade é limpa, e a coleta é regular>> Virgínia dona de loja

TUDO BRILHANDO Funcionários da prefeitura fazem coleta de lixo no Centro da cidade

t s

Transportes Blanco deseja votos de muito sucesso e felicidade à Cidade de Queimados. A Blanco em Queimados, Transportando com segurança. Av. Augusto Vasco Aranha 931 - Areia Branca Belford Roxo - RJ www.transportesblanco.com.br


10 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

B

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

l

O GLOBO

l

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 11

EXTRA

MAIS MÉDICOS FOTOS DE MAZÉ MIXO

Ajuda que vem de fora para cuidar da saúde

S UNIDADEndem

os ate Os médic da Fonte, im d r a J em elmonte e B , o ís a r a P icana Vila Amer

‘Quero ajudar, sou médica por vocação’ DEPOIMENTO XIMENA DASTUGUE Médica uruguaia, de 36 anos B A população carente é a

Profissional uruguaia foi a primeira do programa federal a atuar num posto de saúde do município B Com uma semana de tra-

balho no Posto de Saúde Jardim da Fonte, a uruguaia Ximena Dastugue, de 36 anos, já se dizia “instaladíssima”. Vinda pelo programa Mais Médicos, ela começou a atender em 30 de outubro para suprir a falta de profissionais em Queimados. — Fazia nove meses que o posto estava sem médico, a população precisava ir longe para ser atendida. Como muitos ficaram sem acompanhamento, existem muitos casos de hipertensão e diabetes. O que estou fazendo é a prevenção: explicando para os pacientes como tomar os remédios e como se alimentar — afirma Ximena, sem trope-

çar no português. Os pacientes da unidade aprovaram a chegada de Ximena. Antes, Sandra Helena Cesário, de 52 anos, precisava ir a Nova Iguaçu para tratar a diabetes e o colesterol alto. — A nossa situação melhorou muito. Não ligo para ela ter vindo de outro país, desde que tenha algum médico aqui — garante Sandra, que trabalha fazendo azulejos. Nascida na fronteira com o Brasil, a médica uruguaia se mudou com o marido para Paraty, há um ano. — A população aqui é muito acolhedora. Eles já entram no posto falando: “Doutora, que bom que você está aqui. Não vá embo-

ra, por favor!” — conta ela, rindo. Mas nem tudo são flores no posto de Jardim da Fonte. De acordo com Ximena, falta material para fazer curativos. O prefeito Max Lemos afirmou que os postos da cidade têm estrutura e, quando falta algum material, ele é logo reposto. Lemos admitiu também que, mesmo com a chegada de Ximena e de quatro médicos cubanos, Queimados ainda precisa de mais 15 profissionais. Os médicos cubanos começaram a trabalhar no último dia 13 na Unidade Básica de Saúde (UBS) Belmira Vargas, no Paraíso, na Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Belmonte, e na ESF de Vila Americana. — Nós vamos onde falta médico. Em Cuba, tem de sobra — explica o médico Joe Tomaz.

que mais precisa de cuidados e informações, então sempre procurei atendêla. Eu adoro explicar tudo para os pacientes e dar

conselhos. Sou médica por vocação. Já trabalhei no Haiti e em Barcelona, na Espanha. Escolhi Queimados porque fica perto de Paraty, onde meu marido tem uma loja, mas já estou adorando trabalhar aqui. Pelo que pude perceber, um dos maiores problemas das pessoas da cidade é o excesso de fritura na alimentação.

CARINHO HERMANO Ximena Dastugue atende Sandra Helena no posto de Jardim da Fonte Os cubanos Joe Tomaz, Jorge Diaz, Jorge Puio e Emilio Godines

t s

bénosde Para orgulh

Temos ipar do partic nto de crescime os. Queimad


14 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

B

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

EDUCAÇÃO

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

B

l

O GLOBO

l

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 15

EXTRA

COMUNICAÇÃO FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Polo de conhecimento A Universidade do Estado do Rio de Janeiro abrirá campus na cidade em 2014 e terá curso de Engenharia Civil B Morador

de Queimados há 50 anos, o professor Moacir Augusto afirmou que a qualidade de vida melhorou muito de lá para cá, mas faz uma ressalva: falta uma universidade na cidade. Essa realidade vai mudar com a chegada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) no próximo ano. A universidade ocupará o Ciep 023 (Jesus Soares Pereira), no bairro Fanchem, e vai oferecer o

curso de Engenharia Civil e Urbanismo. A obras para receber a unidade estão previstas para começar no fim do ano. — Em abril, devemos ocupar o prédio e preparar o vestibular. Esperamos a primeira turma de 40 alunos para o primeiro semestre de 2015. Esse curso é importante para formar profissionais que ordenem o crescimento da cidade, que está acele-

UERJ

vo é que o no O projeto nha oito campus te s e 40 io laboratór e r semestr alunos po

rado — afirma Tatiane Alves Batista, coordenadora de estudos estratégicos e desenvolvimento da Uerj. Além do curso de graduação, a universidade vai desenvolver outros programas já para o ano que vem. Para realizar os projetos, a universidade está negociando uma parceria com o Instituto Politécnico de Milão, na Itália. A Uerj também pretende ajudar a Prefeitura de Queimados e os outros municípios da Baixada Fluminense a montar projetos, para que as cidades consigam acesso a recursos do governo federal. — As prefeituras entram

com as demandas na área de infraestrutura e logística, a Uerj entra com a expertise e as indústrias com a capacidade produtiva — afirma Tatiane. Outro projeto é o desenvolvimento de um programa de capacitação dos funcionários públicos municipais. O objetivo é começar pela área de educação e seguir para outras secretarias de Queimados. No futuro, o projeto deve se estender para outras prefeituras. — O programa vai capacitar desde o pessoal da secretaria até a moça que faz a merendeira nas escolas — explica. t s

LUIZ ACKERMANN

A pioneira ainda mostra o caminho Primeira rádio comunitária do país, a Novos Rumos chegou a ser fechada nos anos 90 por ser considerada ilegal B No

Professor Moacir Augusto DIVULGAÇÃO

NOVO CAMPUS O Ciep 023 será reformado para receber a Uerj

início dos anos 90, Queimados era uma cidade recém-criada e se preparava para a primeira eleição municipal, em 1992. Com objetivo de despertar o povo para a política e garantir um espaço para todos se pronunciarem, um grupo criou a rádio Novos Rumos, a primeira rádio comunitária do país. — Era um espaço plural com políticos de todos os partidos e abertura para a população reclamar dos problemas da cidade — explicou Ismael Lopes, um dos fundadores. O conceito de rádio comunitária ainda não existia e a Novos Rumos era considerada ilegal. A polícia fechou o espaço em 91 e as transmissões só voltaram em 95. Dois anos de-

pois, a rádio sofreu outro ataque, que durou apenas uma semana. — Conseguimos a outorga em 2006. Nossa transmissão vai de Engenheiro Pedreira, em Japeri, a Austin, em Nova Iguaçu — afirmou Jorge Nascimento, o atual presidente da Novos Rumos, que é gerida pela Associação Rádio Clube de Queimados. Após um período de declínio — quando o transmissor chegou a ficar embaixo da mesa de gravação — a rádio comunitária se mudou para uma nova sede e reformulou a programação para recuperar o seu “espírito popular”, nas palavras do presidente. — A novidade é que queremos colocar os programas na internet em breve — contou Jorge. t s

SILÊNCIO, NO AR! Estúdio da Novos Rumos: projeto para colocar programas na internet

<<A rádio

<<Vamos

nasceu muito plural >>

de Japeri a Nova Iguaçu>>

Ismael

Jorge

fundador

presidente


16 〉 ESPECIAL QUEIMADOS LUIZ ACKERMANN

B

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

ARTE

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

B

l

O GLOBO

l

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 17

EXTRA

DIVERSÃO FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Por trás das cortinas Companhia Queimados Encena completa 10 anos e prepara comemoração

Evento, que começa quarta, terá shows de O Rappa, Roupa Nova, Thiaguinho e Fernanda Brum

B Em 2003, o ator Leandro Santanna reu-

niu um grupo de amigos que também fazia teatro para formar a Companhia Queimados Encena. Dez anos depois, nada mais natural do que comemorar a primeira década de trabalho com um espetáculo sobre a história do município. — Escolhemos esse nome porque queríamos levar a arte da cidade para outros lugares e mostrar que a Baixada não é só violência. Vamos fazer esse espetáculo para apresentar em 2014 em teatros e até na rua — explica Leandro, de 35 anos, que fez o motorista Herculano de “Avenida Brasil”. Outra novidade é que o grupo fechou contrato com fábricas do distrito industrial para montar peças motivacionais para os funcionários. Para completar, o cineclube do Queimados Encena, o Cine Marapicu, foi reformulado. Agora, as sessões acontecem uma vez por mês. A próxima será em 9 de dezembro. Em uma década, o grupo fez diversos espetáculos e se apresentou em festivais fora do Rio. Porém, o que mais marcou Leandro foi a montagem da peça “O inspetor geral” no bairro Santa Rosa, em 2009. — Fizemos no meio da rua. Juntou muita gente. Havia pessoas pobres que nunca tinham ido ao teatro na vida. Foi maravilhoso. Também levamos a peça para a Central do Brasil. As pessoas abarrotavam as escadas e os camelôs pararam de trabalhar para assistir. Para o ator, só falta uma coisa: uma sede própria. O local que eles ocupam agora é alugado e as despesas são grandes: — Dividimos o aluguel por oito, mas é pesado. A casa própria é o nosso sonho. t s

Grande festa para celebrar os 23 anos B Queimados

vai comemorar 23 anos de emancipação com shows de grandes artistas, a partir de quartafeira. Entre os principais nomes, estão as bandas O

Rappa e Roupa Nova, e o cantor Thiaguinho. Além das shows, serão realizados jogos, exposições e danças. Os eventos vão até domingo.

O show do grupo Roupa Nova será na próxima quinta-feira, no Palco Ouro ...............................................................................................................................................................................................................................................................

SHOWS NOS TRÊS PALCOS

...............................................................................................................................................................................................................................................................

t s

QUARTA-FEIRA 18h - Rosane Reis 18h - Marlene Esteves, Aline Santos e Vanessa Rodrigues 19h40m - Felipe Viana 21h - Alex e Alex 22h - Fernanda Brum 23h50m - Pregador Luo DJ da noite: Juninho ....................

QUINTA-FEIRA 18h - Markinhos Vargas 21h - Ramal 53 22h30m - Quertzal Meia-noite - Roupa Nova DJ da noite: Edilson Martins ....................

O Rappa se apresentará na próxima sexta-feira, dia 29

NO PALCO Leandro Santanna é um dos fundadores da companhia de teatro

SEXTA-FEIRA 18h - Sérgio Lousada 19h - Música Mecânica

A cantora Fernanda Brum

SÁBADO 17h - Espaço de Dança da Roseli Ramos 17h30m - Denilson de Paula faz tributo à Vinícius de Moraes 18h - Jéssica Goulart 21h - Hudison e Milane 22h30m - Bento e Mariano Meia-noite - Vitor & Léo 1h30m - Marcelo Andrade e banda 3h - Rio 40º DJ da noite: Rico ....................

21h - Mohaulle Aprendiz 22h30m - Titânia Meia-noite - O Rappa 1h35m - Dia 6 3h - Vagner Duarte e banda DJ da noite: Júlio Mosca

DOMINGO 18h - Ícaro e Selma 21h - Doce Mistério 22h30m - ArtSamba Meia-noite - Tiaguinho DJ da noite: André Noite On


18 〉 ESPECIAL QUEIMADOS

O GLOBO

L

EXTRA

L

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Onde comer

ÁGUA NA BOCA

l

O GLOBO

l

EXTRA

Cozinha com Arte Avenida Professor Avenino Xanchão, 75- Telefone: 2663-2999

FOTOS DE MAZÉ MIXO

Comidas saudáveis com arte

FOTOD DE MAZÉ MIXO

SAUDÁVEL Ismael Lopes faz um prato verde no restaurante a quilo

O músico Ismael Lopes gosta de << Aqui tem almoçar no restaurante Cozinha muita com Arte, no Centro da cidade opção de B O músico e criador da Rádio Novos Rumos Isma-

salada >>

el Lopes, de 61 anos, afirma que só aprendeu a comer direito há um ano. E, desde que absorveu essa invejável lição, o restaurante a quilo Cozinha com Arte, no Centro de Queimados, se tornou uma ótima opção na hora do almoço. — Gosto daqui porque o bufê de saladas é grande. Escolhi colocar no prato a abobrinha recheada com queijo, alface, salada de manga com kani, arroz e feijão. A vida começa aos 60 — declarou Ismael. No Cozinha com Arte, o quilo custa R$ 29,90. Todo o dia são servidos três tipo de saladas compostas e uma verde tradicional. Além disso, são oferecidos três tipos de carne e os acompanhamentos variam a cada dia.

Ismael

FEIJOADA DE CAMARÃO E FRANGO COM VINHO

Alguns dos pratos mais servidos pela chef Patrícia Pereira são a feijoada de camarão, o frango com vinho branco e champignon, e o miolo de alcatra com molho funghi. Para beber, Ismael escolheu um suco de laranja, a opção mais saudável. Na hora da sobremesa, ficou na dúvida. — O doce é que me faz meter o pé na jaca. Adoro pudim e torta de limão, não consigo resistir — confessou o músico. Mas as sobremesas que mais fazem sucesso na casa são a cocada mole e o pudim de clara, especialidades de Patrícia. O restaurante Cozinha com Arte funciona apenas na hora do almoço dos queimadenses. Ele abre suas portas de segunda a sexta-feira, das 11h às 15h.

músico

<<Temos

A experiência da dona do restaurante

comidas mais leves aqui>>

B Antes

Patrícia dona

O bufê de saladas no restaurante Cozinha com Arte, em Queimados

ESPECIAL QUEIMADOS 〈 19

de abrir o restaurante Cozinha com Arte com a sócia Dioneide Elias, há quatro meses, Patrícia Pereira trabalhou em um restaurante no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Ela decidiu levar o que aprender para Queimados. — O diferencial da casa é que não fazemos aquele panelão de comida e vamos

reabastecendo as travessas. Os alimentos são feitos na hora e ficam sempre frescos — afirma a cozinheira. De acordo com Patrícia, o restaurante oferece ainda outra novidade para a cidade. — As demais casas não costumam oferecer o arroz integral no cardápio — explica a chef. t s


Jornal Extra Especial Queimados - 25/11/13