Page 1

Revista da Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação Edição 24 - Maio e Junho de 2017 - Ano VI

Energia solar em expansão

Entrevista: Uma nova era para energia solar

Simulação Termo Energética de um supermercado


Programa ASBRAV de Ensino e Treinamento

C

M

Y

CM

MY

CY

MY

K

PatrocĂ­nio


editorial

Energia alternativa, limpa e sustentável Com sua matriz energética dependendo, historicamente, de hidrelétricas e termelétricas o Brasil vive sobre constante risco de não conseguir suprir as necessidades de consumo do seu sistema de energia. Por isso, é preciso pensar e investir em alternativas que acabem com esta dependência. A energia solar surge como uma solução viável sendo uma alternativa de baixo impacto ambiental, que deve gerar milhões de empregos nos próximos anos, a fonte projeta-se, no futuro, como a principal responsável pelo abastecimento de luz. O Brasil é o país com maior taxa de irradiação solar do mundo, mas tem menos de 1% de sua matriz energética sendo produzido por sistemas solares fotovoltaicos. Para que isso se concretize seria ideal a energia solar receber um incentivo maior dos nossos governantes. Subsídios que permitissem à população ter um acesso mais amplo ao sistema e redução tributária para baratear a instalação das células fotovoltaicas seriam medidas bem-vindas. Outro fator importante diz respeito a tão necessária preservação ambiental. Por ser uma fonte energética limpa, renovável e sustentável, o aquecimento solar não polui o ar, já que não lança gases nocivos na atmosfera, evitando, desta forma, o incremento do efeito estufa. O uso da energia solar também é um fator que contribui, de forma significativa, para que as edificações recebam certificações ambientais, como, por exemplo, a LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) e a AQUA (Alta Qualidade Ambiental). Eduardo Hugo Müller - Presidente da ASBRAV

04 - Revista ASBRAV

DIRETORIA EXECUTIVA Gestão 2017/2018 Presidente: Eduardo Hugo Müller 1ª Vice-presidente: Paulo Fernando Presotto 2º Vice-presidente: João Carlos Antoniolli 3º Vice-presidente: Mário Alexandre Möller Ferreira Secretário: Anderson Rodrigues Tesoureiro: Adão Webber Lumertz Diretoria de Comunicação e Marketing: Márcio Hoffchneider Diretoria Administrativa Financeira: Luiz Afonso Dias Diretoria Patrimônio/Tesoureiro: Adão Lumertz Secretário: Anderson Rodrigues Diretoria Institucional:Sérgio Helffensteller Diretoria de Ensino e Treinamento: Paulo Otto Beyer Diretoria Técnica: Ricardo Albert Diretoria Patrimônio: Adão Lumertz Diretoria Social: Hani Lori Kleber Diretoria Setorial Ar Condicionado: Fernando Pozza Diretoria Setorial Refrigeração: Marcelo Marx Diretoria Escritório Regional SC: Arivan Zanluca Diretoria Escritório Regional PR: Carlos Ribeiro Diretoria representação São Paulo: Luiz Carlos Petry CONSELHO DELIBERATIVO Gestão 2017/2018 Conselheiros Titulares: Bolivar Peres Fagundes Gilmar Luiz Pacheco Roth Luiz Alberto Hansen Madeleine Schein Marcos Kologeski Mario Henrique Canale Mauricio Fernandes Barbosa de Carvalho Rafael Torres Telmo Antonio de Brito Conselheiros Suplentes: João Henrique Schmidt dos Santos Marco Machado Cesa Ricardo Vaz de Souza CONSELHO EDITORIAL REVISTA ASBRAV Coord do conselho editorial: Madeleine Schein, Cristiane Paim, Guilherme Chiarelli Gonçalves, Hani Lori Kleber, Luiz Afonso Dias, Márcio José Pereira Hoffchneider, Rafael Leal Guimarães e Telma Rosa Jornalista Responsável: Marcelo Matusiak (MTB 10063) Redação PlayPress Assessoria e Conteúdo: César Moraes, Francine Malessa, Mariana da Rosa e Giovanni Andrade. Foto de capa:Antoine Meyssonier Tiragem: 400 exemplares impressos e 10 mil contatos eletrônicos Impressão: Gráfica Odisséia

assessoria@asbrav.org.br

(51) 3342-2964 / 3342-9467 (51) 9 8632 2416 / 9 8634 2417

SEDE RIO GRANDE DO SUL (PORTO ALEGRE) Rua Arabutan, 324 Bairro Navegantes Porto Alegre/RS CEP 90240-470 ESCRITÓRIO REGIONAL DE SANTA CATARINA E-mail: asbrav.sc@gmail.com ESCRITÓRIO REGIONAL DO PARANÁ E-mail: asbrav.pr@gmail.com

www.asbrav.org.br


índice

14 Obras mais complexas exigem maior qualificação de profissionais

17 Qualificação de profissionais do setor refrigerista é reconhecida pela ASBRAV

22 Obra Destaque: Inovação em prédio histórico da capital gaúcha

15 17 20

Notícias: Vetos presidenciais descaracterizam lei que intensifica medidas de prevenção a incêndios Notícias: Épocas mais frias do ano são ideais para manutenção do ar condicionado Artigo Técnico: Benefícios da Gestão Energética em Edifícios

Revista ASBRAV - 05


entrevista

Uma nova era para energia solar Rio Grande do Sul investe na produção de energia solar e desponta como principal fomentador do setor no Brasil Um mercado promissor. É assim que o secretário estadual de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior, define o setor de energia solar no Rio Grande do Sul. Atualmente, registram-se 1.246 instalações de micro e minigeração em solo gaúcho, apresentando o maior potencial entre os estados brasileiros. 1 - Como o senhor avalia a atual situação da tor. Entre elas, destacam-se: a Isenção do ICMS; a Isenção do ICMS nas operações com diversos energia solar no Rio Grande do Sul? equipamentos e componentes para o aproveiO estado atravessa uma nova era quando o as- tamento das energias solar e eólica, através do sunto é o desenvolvimento das energias renová- Convênio ICMS/CONFAZ 101/97; financiamenveis. Primeiro, com a energia eólica, para a qual tos através do Banco Regional de Desenvolvio Rio Grande do Sul possui, individualmente, o mento do Extremo Sul (BRDE), BADESUL Demaior potencial dentre os estados brasileiros. senvolvimento S.A. – Agência de Fomento/RS e São 1,7GW instalados em 76 parques eólicos, Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) cujo início se deu em 2006 com a instalação dos e disponibilização pelo BNDES de equipamenparques eólicos de Osório. A partir de 2013, a tos de energia solar fotovoltaica credenciados energia solar fotovoltaica começa a conquistar na linha Finame. Destacam-se ainda medidas o mercado energético através da geração distri- como o Atlas Solarimétrico do Rio Grande do buída. É um mercado bastante promissor, im- Sul a ser publicado em 2018 e o Plano Energépulsionado pela queda dos preços dos equipa- tico do Rio Grande do Sul, publicado em 2016. mentos e dos incentivos fiscais oferecidos para Além disso, contamos com diversos Parques o seu desenvolvimento. Somente nos últimos Tecnológicos, Incentivos pelo Pró Inovação e onze meses houve um incremento de 187% no Fundopem P&D. número de projetos e de 244% na potência ins3 - Quais barreiras ainda precisam ser supetalada. radas para garantir a expansão deste tipo de Há no Rio Grande do Sul, atualmente, 1.246 energia no RS? instalações de micro e minigeração distribuída de energia solar fotovoltaica, totalizando uma Precisamos estimular a instalação de fábricas potência instalada de 11.109 K� (13/06/2017) e para alimentar a cadeia produtiva da energia solar fotovoltaica. Tais como módulos fotovolinvestimentos de cerca de R$ 85 milhões. taicos e inversores, para que os projetos possam 2 - Quais são as principais ações para o incenti- alcançar linhas de financiamento do BNDES e vo e geração deste tipo de energia no estado? promover, junto aos bancos, linhas específicas com juros atrativos para o financiamento dessa Quais são as áreas mais potenciais? fonte. Há diversas ações desenvolvidas no estado, no sentido de fomentar o desenvolvimento do se-

06 - Revista ASBRAV


A micro e mini-geração distribuída de energia elétrica possui, no Rio Grande do Sul, desde 1º de junho de 2016, isenção do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), incidente sobre a energia elétrica fornecida pela distribuidora à unidade consumidora de energia elétrica na quantidade correspondente à injetada na rede de distribuição por essa mesma unidade. Aplica-se a cobrança de ICMS somente sobre a diferença líquida sobre o que foi consumido. A medida estimula o uso em maior escala de energia fotovoltaica, produzida através de placas solares. O sistema permite que pessoas físicas ou jurídicas gerem energia para consumo próprio. A medida atende pedido da Secretaria de Minas e Energia do Rio Grande do Sul.

instrumento para nortear o desenvolvimento dessas fontes de energia. Acreditamos que um mercado bem estruturado associado a políticas públicas adequadas possa ser o caminho para o futuro, utilizando fontes de energia que promovam a sustentabilidade. 7 - Como projeta o futuro da energia solar no Rio Grande do Sul e no Brasil?

Diferentemente da energia solar fotovoltaica, a energia solar para aquecimento é forma de aproveitamento da energia solar praticada há muitos anos. Embora bastante antiga e existente no Estado, possui um mercado com bastante potencial para crescimento. As políticas públicas de incentivo às energias renováveis, são muito utilizadas, em nível mundial, como

Antoine Meyssonier

A energia solar fotovoltaica está em franco desenvolvimento no mundo, onde a capacidade instalada vem crescendo de forma exponencial. Como exemplo, nos últimos três anos, aumentou 168GW, alcançando 306,5GW em 2016. É um mercado cada vez mais competitivo impulsionado pela diminuição dos preços dos equipamentos e dos aumentos dos preços da eletricidade. No Brasil, o grande passo para viabilizar a geração distribuída de energia elétrica foi realizado através da Resolução Normativa n° 482, da ANEEL, de 17 de abril de 2012, alterada pela RN nº 687, de 24/11/15. O Rio Grande do Sul, a 5 – O que mudou desde o surgimento da pri- exemplo do Brasil, possui um mercado bastante meira usina fotovoltaica no estado? promissor para essa fonte de energia, impulsionado pela queda dos preços dos equipamentos A primeira usina fotovoltaica de microgeração e a consequente redução no retorno dos investidistribuída instalada no Estado foi no mês de mentos necessários para a implantação dos proabril de 2013. Desde então, outras 1245 usinas jetos. O aumento exponencial da comercializaforam instaladas, sendo metade delas no ano de ção desses equipamentos abre a possibilidade 2016. de implantação de fábricas para alimentar a cadeia produtiva desta fonte, tais como módulos 6 - Algumas políticas públicas estão sendo de- fotovoltaicos e inversores, bem como para pressenvolvidas para incentivar o uso desta ener- tadores de serviços especializados em projetos, gia renovável, como a adoção de placas para montagem e manutenção. aquecimento solar em programas habitacionais. Esta alternativa pode colaborar para a popularização deste tipo de consumo?

Revista ASBRAV - 07

entrevista

4 - Em janeiro do ano passado, o Governo anunciou a isenção de ICMS para micro e minigeração de energia solar no estado. Como está a tributação sobre esta tecnologia atualmente?


notas e lançamentos

AGST lança produto voltado à tecnologia em controle de climatização

Danfoss abre Centro de Desenvolvimento de Software em Copenhague

A AGST traz ao mercado Conflex Light+IrCom, um sistema de automação de splits para ambientes críticos. É um controlador que utiliza a mesma tecnologia dos controles remotos sem fio para comunicação com aparelhos de ar condicionado e, por isso, permite mais praticidade em controle de climatização. Com instalação não invasiva e configuração facilitada, Conflex Light+IrCom também possibilita conexão remota com acesso via navegador, GSM ou conexão serial local.

São Paulo recebe congressos internacionais

Entre os dias 12 e 15 de setembro acontece o CIAR-CONBRAVA 2017 evento que une o XIV CIAR - Congresso Ibero-Americano de Climatização e Refrigeração e o XV CONBRAVA -Congresso Brasileiro de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação, Aquecimento e Tratamento de Ar, juntos com um mesmo propósito de ser um marco para os setores representados , focado no tema “Pesquisar, Inovar, Climatizar e Refrigerar”.

O novo centro de competência em Copenhague vai desenvolver soluções de software de ponta invenções que a Danfoss usará para o futuro da IoT, produtos conectados, soluções e aplicativos baseados em nuvem. A unidade fica no parque de ciência Scion, na Universidade Técnica da Dinamarca (DTU), onde empresários encontram negócios, negócios encontram ciência e ideias encontram dinheiro. A Danfoss vai destinar 15 de seus especialistas em software ao hub para trabalhar com profissionais dos segmentos de refrigeração e aquecimento da empresa. Em 2016, a Danfoss abriu outro centro em Berlim para desenvolver e testar novos produtos.

Johnson Controls torna-se parceira do World Green Building Council A Johnson Controls entrou em um acordo com o World Green Building Council como seu primeiro parceiro na Rede Regional das Américas. (WorldGBC) que representa uma comunidade de 19 Conselhos de Construção Verde (GBCs) e milhares de empresas membros em todo o Norte, Central e América do Sul. Em 2017, a Rede Regional das Américas se concentrará em apoiar as cidades no desenvolvi-

08 - Revista ASBRAV

mento de políticas de eficiência construtiva em parceria com o Instituto de Recursos Mundiais, compartilhando boas práticas sustentáveis com o Banco Interamericano de Desenvolvimento e fortalecendo o negócio global. A empresa está ná na vanguarda da condução de tecnologias, ideias e debates que ajudam os clientes a tornarem-se mais eficientes em termos de recursos.


Ingersoll Rand® presente em Grupo Mulheres do Brasil no Paraná

Em 2017 a Refrigeração Dufrio comemora 20 anos de atuação no mercado, oferecendo soluções completas em refrigeração e ar condicionado. Com 14 filiais espalhadas em onze estados brasileiros e cerca de 1.200 colaboradores, a empresa é reconhecida pela inovação, trabalho sério, atitude e agilidade.

Quatro mulheres das empresas do grupo Ingersoll Rand no Brasil participaram do lançamento do Grupo Mulheres do Brasil (GMDB), na cidade de Curitiba, no Paraná.

Criada com origens de uma empresa familiar a Dufrio é, hoje, uma das grandes lojas do setor no país. Para isso, além das filiais, conta com quatro centros de distribuição, uma área de estoque com mais de 100 mil metros quadrados, vendas online e atendimento em todo o Brasil. Seu portfólio atual é formado por mais de 15 mil itens.

Durante o evento, as participantes assistiram à palestra da Luiza Helena Trajano, presidente do Magazine Luiza e presidente e fundadora do Grupo Mulheres do Brasil. As mulheres da Ingersoll Rand que participaram do evento representam diferentes áreas da empresa: Mariana Modelli, Recursos Humanos; Sinara Rosa, Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho; Luciana Campos, Desenvolvimento de Fornecedores, e Juliana Reinhardt, Comunicações e Branding, representando também o Women's Employee Network (WEN) grupo de mulheres da Ingersoll Rand na América Latina que tem como missão inspirar, apoiar e acelerar a capacidade das mulheres para avançar em suas carreiras.

- Construir esses 20 anos de conquistas não foi uma tarefa simples. Muitos obstáculos e desafios surgiram em nossa trajetória, mas conseguimos superá-los e conquistamos grandes vitórias. A perseverança, vontade de vencer e a força do nosso grupo sempre vai prevalecer – enfatiza o diretor da Dufrio, Guillermo Zanon. O grupo Mulheres do Brasil é composto por mulheres de vários segmentos de todo o Brasil Comprometida em surpreender os clientes que se reúnem para discutir e propor ações em e com a qualidade dos mínimos detalhes, a temas ligados à educação, empreendedorismo, Dufrio aposta na personalização dos serviços e cota para mulheres e projetos sociais. na transformação de ideias que proporcionam experiências únicas.

Revista ASBRAV - 09

notas e lançamentos

Duas décadas de atuação no mercado de refrigeração


capa

Energia solar: desafios para o futuro

Fonte alternativa de abastecimento energético começa a ter maior abrangência no Brasil Uma das grandes preocupações da sociedade é reduzir o consumo de energia elétrica e, neste cenário, cresce a importância da busca por fontes alternativas de abastecimento. O Brasil possui um grande potencial para isso com abundância de luz irradiada pelo sol e farta matéria-prima para produção de placas fotovoltaicas. Estudo realizado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) mostrou que os painéis fotovoltaicos instalados nos telhados das casas poderiam gerar metade de toda a eletricidade consumida no Brasil, com cerca de 287 mil gigawatt/hora ano, cerca de duas vezes mais que a energia consumida nas residências em todo o país.

Levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), mostra que o Brasil atingiu, no primeiro semestre de 2017, a marca histórica de dez mil instalações fotovoltaicas. O estudo aponta, também, que esta tecnologia lidera o segmento, com 99% das instalações em residências, estabelecimentos comerciais e industriais, edifícios públicos e na zona rural. São mais de onze mil unidades consumidoras sendo beneficiadas com este tipo de energia.

Gerar a própria energia pode trazer múltiplos benefícios para os consumidores. Em momentos de produção maior que o consumo, o contaA utilização pode diminuir a dependência das dor de luz gira no sentido contrário, reduzindo usinas hidroelétricas e termoelétricas. Além de a conta de energia, podendo reverter em crédiser renovável, a energia solar não faz barulho, tos para épocas do ano de maior utilização da não polui, possui baixo custo de manutenção, é eletricidade. O sistema pode, também, garantir fácil de instalar e pode ser utilizada em áreas re- autonomia, de forma a ficar independente de motas onde não há luz elétrica. problemas na rede ou apagões.

10 - Revista ASBRAV


Embora não seja um dos estados mais quentes do Brasil, em matéria de temperatura, o RS conta com altos índices de insolação, cuja incidência ocorre de maneira uniforme durante o ano. A média de horas de insolação no estado gira em torno de 150 a 250 horas. A Região MetroUsina solar Boa Vista politana de Porto Alegre e a Serra Gaúcha, além do Litoral Norte, são áreas que recebem grande No município de Garibaldi, na Serra Gaúcha, incidência de insolação. a Câmara de Indústria e Comércio (CIC) é um exemplo de entidade que vê no uso da energia O Grupo Creluz, que distribui energia para 36 solar fotovoltaica uma forma de suprir a sua demunicípios da região Norte do Rio Grande do manda energética. No primeiro semestre deste Sul inaugurou, em dezembro de 2016, de forma ano, entraram em funcionamento as 110 placas pioneira, a primeira usina de produção de enerfotovoltaicas. gia elétrica a partir do sol no estado. Instalada no município de Boa Vista das Missões, a unidaA Companhia Estadual de Energia Elétrica de é integrada por cerca de mil placas solares (CEEE) do Rio Grande do Sul estuda a possibiliem 25 painéis, que garantem a geração de 257 dade de colocar em prática o projeto "Inserção kw de energia. da Geração Solar Fotovoltaica Urbana Conectada à Rede em Porto Alegre". A iniciativa faz parte de uma Chamada Estratégica de P&D da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O projeto da CEEE é implantar uma usina solar fotovoltaica de 550 kWp na cobertura do prédio da Secretaria Estadual de Educação (SEC), junto ao Centro Administrativo Fernando Ferrari (CAFF). Projeto no CAFF

Usina Cidade Azul pode abastecer cerca de 2,5 mil casas com a sua energia.Dois tipos diferentes de tecnologias são usados para a captação solar: a policristalina, mais barata porém de menor eficiência (13% a 16,5%) e a monocristalina, que é mais cara, porém mais eficiente (14% a 21%). Usina em Tubarão

A usina também recebe o principal projeto imA cidade de Tubarão, na região Sul de Santa Ca- plementado pela Engie Brasil Energia na área tarina, conta com um das maiores usinas sola- de inovação, com a integração de um sistema res em operação no Brasil. Inaugurada em agos- de alimentação por baterias que incrementará to de 2014, a Cidade Azul possui 19.424 painéis as células fotovoltaicas e as torres eólicas. fotovoltaicos, capacidade de geração de 3MW e

Revista ASBRAV - 11

capa

Energia Solar no RS


capa

Supermercados solares Uma parceria entre a Associação Catarinense de Supermercados (ACATS) e a Engie busca popularizar a energia solar entre supermercados de Santa Catarina. A ideia é apostar em painéis fotovoltaicos para resolver o problema do alto custo da eletricidade. Descontos de até 20% e financiamento em 20 anos são dois dos atrativos do projeto “Supermercados Solares”, lançado no início do ano.

gia solar por serem empresas que sofrem cada vez mais com os altos custos de eletricidade e possuírem áreas muito boas para a instalação de painéis fotovoltaicos. De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), a energia elétrica representa atualmente o segundo maior custo operacional de um supermercado, perdendo apenas para a folha de pagamento.

- Temos a convicção de que essa oportunidade será muito bem aproveitada pelos supermercadistas, já que o peso da energia no orçamento será mais representativo a cada ano - afirma o presidente da Associação Catarinense de Supermercados, Paulo Cesar Lopes. O CEO da Engie Solar, Rodolfo Souza Pinto destaca que o setor de supermercados se encaixa perfeitamente com uma solução como a eneranuncio noite do clima - 3.pdf 1 17/07/2017 17:25:34

Reserve esta data 24 de novembro (sexta-feira)

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Restaurante Panorama da PUC-RS Ambiente exclusivo, incluindo coquetel e jantar, música para ouvir e dançar Informações ASBRAV em Porto Alegre (51) 3342-2964 / 3342-9467 secretaria@asbrav.org.br - www.asbrav.org.br

10 - Revista Asbrav


capa

Cuidado com a preservação ambiental Criada a partir da necessidade do mercado de agregar inovação e qualidade na oferta de tecnologias para aquecimento e geração de energia, a SulBrasil Aquecimento + Energia, de Caxias do Sul (RS), é uma das empresas que se destacam no país em projetos de energia fotovoltaica. - Para nós, sustentabilidade é um conjunto de princípios e práticas que combinam o ecologicamente correto com o economicamente viável e o socialmente justo. Assim contribuímos com o bem estar das pessoas de forma consciente em relação à comunidade e ao meio ambiente - destaca o diretor da SulBrasil, Paulo Roberto Borges. A empresa integra o grupo que promoveu, em Caxias do Sul, a intervenção urbana "Parada Verde", projeto de retrofit de um ponto de ônibus ecológico.

Paradas de ônibus escológicas

Placas instaladas em prédio da CIC Garibaldi, no Rio Grande do Sul

Revista ASBRAV - 13


notícias

Obras mais complexas exigem maior qualificação de profissionais Inovações tecnológicas e importância dos cuidados com a temperatura e umidade do ar aumentam a necessidade de contratação de profissionais treinados e bem capacitados Se no passado a única preocupação era controlar o calor ou frio, hoje, um empreendimento moderno exige uma intensa e vasta série de requisitos que passam por controle de umidade, economia de energia elétrica, circulação do ar para prevenção de doenças respiratórias, entre tantos outros fatores. Essas características fazem com que se torne cada vez mais importante que o empreendedor invista na qualificação de seus profissionais. Atuando há 22 anos na oferta de capacitação e atualização profissional para seus associados e na geração de mão de obra qualificada para os setores que atende a ASBRAV, inovou em 2017 e lançou um novo produto, o Programa ASBRAV de Ensino e Treinamento - Qualificar.

Outra característica relevante é a importância da qualificação para o profissional. As empresas sempre vão optar em preservar o emprego do indivíduo mais qualificado quando enfrentarem dificuldades e precisarem reduzir quadro.

- Assim como ocorre em outros setores da economia nacional o setor refrigerista enfrenta escassez de mão de obra qualificada. Para resolver isso, os técnicos precisam se conscientizar da importância do aprimoramento profissional trazido por cursos, workshops, treinamentos e A grade engloba todos os cursos promovidos palestras. As empresas também devem investir pela entidade sob uma única marca. As capaci- em produtos que favoreçam o desenvolvimentações formam, anualmente, mais de 200 alu- to do segmento e na formação de profissionais nos que buscam seu aperfeiçoamento profis- capacitados e atualizados - diz o presidente da sional. O presidente da ASBRAV, Eduardo Hugo ASBRAV. Müller, salienta que a iniciativa mostra a importância do aprimoramento técnico dentro do se- Com a devida qualificação, o profissional do setor refrigerista. tor de refrigeração, ar condicionado, ventilação e aquecimento pode trabalhar ou empreender - É cada vez maior a importância dos profis- negócios para atender às demandas de fábricas, sionais do segmento ampliarem seus conhe- estabelecimentos comerciais ou residências. cimentos e estarem sempre atualizados para conquistar a qualidade contínua de trabalho. A A agenda de cursos e eventos da ASBRAV para qualificação profissional nunca foi tão valoriza- o restante de 2017 pode ser conferida no site da pelas empresas como no atual momento do www.asbrav.org.br. país. A aposta em bons profissionais é fundamental para manter vendas aquecidas e ofertar serviços de excelência - ressalta Eduardo Hugo Müller.

14 - Revista ASBRAV


Legislação estabelece medidas de prevenção e combate a incêndios em locais públicos O Comitê Nacional de Climatização e Refrigeração, formado por oito entidades dos segmentos, discorda dos vetos presidenciais ao Projeto de Lei 2020/2007, que se propõe a adotar medidas rigorosas para evitar tragédias como a que ocorreu na Boate Kiss, em Santa Maria (RS). Por isso, está mobilizado para sensibilizar o Congresso Nacional, que vai analisar a questão. O diretor institucional da ASBRAV, Sérgio Helestabelecer medidas de prevenção e combate fensteller, que preside o comitê, ressalta que o a incêndio e a desastres em estabelecimentos, projeto apresentado pela deputada federal Eledificações e áreas de reunião de público. cione Barbalho (PMDB/PA) seria, sem os vetos presidenciais, o instrumento adequado para

Revista Asbrav - 13

notícias

Vetos Presidenciais descaracterizam lei de prevenção a incêndios


notícias

Inverno é época ideal para manutenção do ar condicionado

Utilização do aparelho, pelo menos uma vez por mês, é importante para a circulação do fluído

ação evita que a poeira se insira na serpentina, exigindo posteriormente a necessidade de uma limpeza interna.

Além de garantir a qualidade do ar interno, a manutenção do ar condicionado assegura maior vida útil ao aparelho. Embora alguns cuidados devam ser tomados ao longo do ano, estas épocas mais frias são as mais indicadas para as revisões gerais. A opção pela realização do serviço no outono e inverno pode ser vantajosa pelo fato do uso do equipamento ser menos intenso.

Já o engenheiro eletricista e proprietário da Air Clean, empresa associada da ASBRAV, Marcelo Sosti Pereira, relata que muitas empresas procuram pela limpeza do duto de ar condicionado central apenas no verão, enquanto o ideal também seria aproveitar o inverno.

- Poucas pessoas ainda solicitam a limpeza de dutos, a principal demanda é da área hospita- Neste período, há mais disponibilidade de téc- lar que mantém uma frequência anual para a nicos do que no verão, quando eles geralmen- realização deste serviço. Geralmente, a princite estão com a agenda mais intensa, e o valor pal preocupação é conferir se o aparelho está torna-se mais acessível. Além disso, ligar o ar funcionando ou não, quando os consumidores condicionado nas estações mais frias também é deveriam estar atentos à manutenção regular importante para fazer circular o fluído - explica o comenta. engenheiro mecânico e conselheiro da ASBRAV - Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Os benefícios da limpeza dos dutos são semeCondicionado, Aquecimento e Ventilação, Ri- lhantes aos da limpeza do filtro, garantindo a qualidade do ar em ambientes de grande circucardo Vaz de Souza. lação e maior vida útil da máquina. Pereira resO aparelho doméstico também exige a limpeza salta que um ar contaminado pode causar algumensal do filtro, item que afeta diretamente na mas reações em pessoas mais sensíveis, como qualidade do ar interno. O indicado é retirar a mal estar e até mesmo sonolência. peça, passar embaixo da água e recolocá-la. A

16 - Revista ASBRAV


O Qualificar conta com o patrocínio das empresas Acel Limpeza de Dutos e Coifas, Aeris Qualidade do Ar, Daikin Brasil, Conforlab, JCI-Hitachi , Sicflux Brasil e Trane. Qualidade do ar interior

Grupo de 23 alunos foi o primeiro a se capacitar no Programa Qualificar, promovido pela ASBRAV

A solenidade de formatura teve palestra do diretor técnico da Aeris Qualidade do Ar, Mario Henrique Canale. O palestrante lembrou que 80% do dia da maioria dos seres humanos é passado em ambientes fechados.

- Nesses locais a concentração de alguns poluentes é maior do que em espaços abertos. A solenidade aconteceu na quinta-feira (08/06), Edifícios selados e com ventilação reduzida rena sede da entidade associativa, em Porto duzem a qualidade do ar interior. Some-se a Alegre. Com carga de 120 horas, a capacitação isso o aumento de produtos químicos poluentes abrangeu profissionais de instaladoras, assis- nos materiais empregados nas edificações e as tências técnicas e fábricas de equipamentos. rotinas de manutenção deficientes e temos um cenário propício para a propagação de sintomas O diretor de Ensino da ASBRAV, Prof. Dr. Paulo que afetam de forma negativa as pessoas - resOtto Beyer e os instrutores do curso entregaram saltou. os certificados aos formandos, parabenizando-os pela iniciativa de ampliarem seus conheci- São sintomas comuns relacionados a baixa quamentos e estarem sempre se atualizando para lidade do ar interior a irritação de olhos, garganconquistar a qualidade contínua de trabalho. te e nariz; dores de cabeça; cansaço; alergias respiratórias; tosses e espirros; congestão nasal; O curso dividiu-se em dois programas, o primei- tontura e dificuldade de concentração. Quando ro abordando a "Refrigeração de Ar Condiciona- mais de 20% da população apresentarem esdo", onde foram tratados temas como ciclo de tes sintomas de forma persistente, por mais de refrigeração, compressores, condensadores, ca- duas semanas, no ambiente climatizado, ocorracterísticas dos refrigerantes, sistema de carga re o que se denomina "Síndrome dos Edifícios e descarga, entre outros. O segundo programa Doentes". teve como eixo central a eletricidade. Lançado no início de 2017, em celebração aos 22 anos da ASBRAV, o Qualificar reforça a atuação da entidade na busca pelo aprimoramento técnico dentro do setor refrigerista.

Revista ASBRAV - 17

notícias

Qualificação de profissionais do setor refrigerista é reconhecida pela ASBRAV


paraná / santa catarina

Cogeração de energia é tema de palestra no Paraná O escritório regional da ASBRAV no Paraná realizou o evento "Cogeração de energia de pequeno porte viável no Brasil", durante o mês de junho, na Escola Técnica Profissional, em Curitiba (PR). O tema foi abordado pelo diretor técnico da Palmeiras Engenharia, Eduardo Palmeira. Com a presença de estudantes, engenheiros, projetistas, instaladores, técnicos e profissionais da área, a palestra apresentou o método de cogeração como alternativa mais econômica para produção de energia elétrica, em comparação com o Ambiente de Contratação Livre (ACL). A cogeração de energia é um processo no qual são geradas duas formas de energia ao mesmo tempo. O tipo mais comum é a cogeração de energia elétrica e energia térmica, principalmente a partir do uso de biomassa, ou gás natural.


Evento no Rio de Janeiro apresentou ideias para ajudar empresários do setor a superarem os obstáculos e alavancarem seus negócios

do setor que, atualmente, representa 1,8% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, algo em torno de R$ 27 bilhões.

- O cenário atual requer muitas reflexões e uma delas refere-se as oportunidades que estão sendo geradas mesmo em meio a forte crise institucional e econômica pela qual estamos passando – salientou o presidente do Comitê Nacional de O tema foi abordado durante o seminário “Atu- Climatização e Refrigeração e diretor institucioalize-se”, realizado na sede da Federação das In- nal da ASBRAV, Sérgio Helfensteller. dústrias do Rio de Janeiro – Firjan, na terça-feira O seminário foi divido em dois painéis, com pa(13/06). lestras do gerente do Departamento de EconoO evento, promovido em parceria do Comitê mia da Federação das Indústrias do Estado de Nacional de Climatização e Refrigeração com São Paulo – Fiesp, Guilherme Moreira; do geo Sindicato da Indústria de Refrigeração, Aque- rente de Estudos Econômicos do Sistema Firjan, cimento e Tratamento de Ar no Estado do Rio Guilherme Mercês; do consultor empresarial de Janeiro – Sindratar-RJ, reuniu empresários Edson Tito e do engenheiro Aureo Salles. A busca de soluções criativas para superar obstáculos é apontada como a principal estratégia para fortalecimento do setor de climatização e refrigeração.

notícias

Segmento de climatização e refrigeração debateu cenário atual do Brasil


artigo técnico

Benefícios da Gestão Energética São muitos os desafios existentes na busca por soluções que melhorem o desempenho de prédios comerciais Encontrar soluções que melhorem o desempenho de edifícios comerciais está se tornando mais importante do que nunca. Muitos desafios podem desempenhar um papel fundamental neste processo, como a redução de orçamentos e o aumento da conscientização sustentável e metas ambientais. A implementação de um Sistema de Gerenciamento de Energia em Edifícios, o chamado BEMS (Building Energy Management System), pode contribuir na transformação do prédio em um recurso que impacta positivamente na base financeira de uma empresa, através da redução de custos, maior eficiência e melhoria contínua. São vários os pontos para o sucesso na aplicação de um Sistema de Gerenciamento de Energia em Edifícios. É essencial determinar, primeiramente, os objetivos do negócio com base nas necessidades, cronograma e orçamento. Em seguida, uma avaliação do desempenho do prédio é necessária para entender seu funcionamento. Prédios produzem uma grande quantidade de informações, por isso é importante transformar os dados em ideias inteligentes e práticas que possam ajudar a melhorar o desempenho e impactar positivamente os objetivos do negócio. Com base nos objetivos, é preciso identificar os indicadores chave de desempenho mais importantes, os chamados KPIs (Key Performance Indicators). Estes indicadores podem ser usados para rastrear e medir o progresso, uma vez que o plano para atingir as metas identificadas é criado. Medir os resultados é importante para validar o funcionamento do processo em curso e transmitir os resultados, a fim de obter apoio para potenciais projetos adicionais.

20 - Revista ASBRAV

Muitas vezes as necessidades e os desafios variam de um prédio para outro. O alvo pode ir desde a redução do consumo de energia até identificar verba para melhorar a sustentabilidade do edifício. Trabalhar com um provedor de serviços de gerenciamento de energia no início do processo é recomendado porque o provedor pode atuar como um parceiro que ajuda a organização a identificar objetivos, determinar o que precisa ser medido e desenvolver um plano para atingir essas metas. É importante ressaltar que o processo de Sistema de Gerenciamento de Energia em Edifícios não é um procedimento que acontece do dia para a noite. Metas e necessidades podem mudar conforme o edifício muda e a tecnologia evolui. Criar um plano de melhoria é apenas o começo. Seguir com um plano de execução e validação contínua dos resultados são passos igualmente importantes. O resultado final é uma solução completa de gerenciamento de energia do edifício adaptado às suas necessidades específicas. * Matt Gates, Diretor de Serviços de Inteligência da Trane na América do Norte, que inclui o portfólio de soluções Building Energy Management Systems (BEMS)


Artigo Publicado no Mercofrio 2016 10oCongresso Internacional de Ar Condicionado, Refrigeração, Aquecimento e Ventilação

terrupta de energia à óleo diesel. Num segundo momento sim, lançou-se mão da simulação para avaliar o impacto de uma medida híbrida de eficiência energética: o aproveitamento da iluminação natural por janelas difusivas zenitais associada com controle da iluminação artificial por luxímetro.

Sob a perspectiva de avaliar oportunidades de conservação de energia, este trabalho fez uso da capacidade do EnergyPlus para alimentar análises qualitativas superiores, a partir das informações de consumo, demanda e custos de energia, as quais são geradas por simulações Volumetria de Edificação Simulada horárias/sub horárias. Como ferramenta de auO ano de 2015 marcou a sociedade brasileira ditoria energética em edificações, este trabalho pela escalada da inflação, associada, em grande indica uma intensidade de uso da energia de 305 parte, ao repasse dos preços dos combustíveis e kW.h/m²/ano para um supermercado existente da energia elétrica. A energia elétrica, aumen- de médio padrão, com área de piso de 5.962 m², tou, em média anual, 53%, variando nesta or- situado em Capão da Canoa/RS. dem de grandeza em função de cada concessionária.Isto, para os grandes consumidores, como O custo médio com energia elétrica ficou estihotéis e supermercados, impactou fortemente mado em 0,732 R$/kW.h. O consumo com frio os custos operacionais. Nos supermercados alimentar (49%) foi o protagonista, com ilumieste custo só passou a ser superado pela folha nação (31%) no segundo lugar de maior consusalarial. Foi diante desta conjuntura, que este mo, seguido por AVAC (15%) e por equipamentrabalho teve a intenção de fazer uma auditoria tos (5%). Resultado consistente com AERG, energética por tipo de uso final em um super- 2013. Para diminuir a pegada energética da mercado existente. Para alcançar este objetivo edificação, foi simulada uma proposta com 47 foi utilizado o software EnergyPlus, como ferra- janelas difusivas zenitais e iluminação controlamenta de cálculo, e a análise da documentação da por luxímetro. As simulações indicaram um de projeto, visitas técnicas e histórico das fatu- potencial de economia de 110 mil reais por ano, ras de energia elétrica. uma redução na intensidade do uso da energia para o patamar de 278 kW.h/m²/ano e retorno Embora a simulação termo energética tenha do investimento em quatro anos e meio. Para uma função muito mais relevante na compa- trabalhos futuros, espera-se simular e estudar o ração entre cenários de medidas de eficiência consumo de energia em centrais térmicas com energética, procurou-se utilizá-la aqui, como fluido secundário no nível de congelados. meio de buscar representar a realidade, num contexto de auditoria energética. Modelou-se o Prof. Dr. Paulo Otto Beyer envelope, o sistema de iluminação, o de clima- Renato Fonseca Pedrotti tização, os de frio alimentar e uma fonte inin- UFGRS Depto de Engenharia Mecânica

Revista ASBRAV - 21

destaque mercofrio

Simulação Termo Energética de um supermercado


obra destaque

Inovação em prédio histórico da capital gaúcha

Sistema de refrigeração na Receita Federal em Porto Alegre (RS)

- O prédio é antigo e o sistema de refrigeração precisava ser trocado, para economizar energia e deixar o ambiente melhor refrigerado. O local estava com duas centrífugas de 600TR que consumiam cerca de 1800 Ah. Trocamos por duas unidades da Hitachi, que consomem cerca de 800 Ah, gerando uma economia de praticamente 50% na energia elétrica – explica Sidnei Andrade dos Santos.

Na obra, foram feitas trocas de todas as serpentinas de água fria e água quente para produtos de cobre e alumínio. Além disso, os motores eléEconomia de praticamente 50% na energia elé- tricos das bombas de água gelada, água de contrica, melhor desempenho térmico e uma obra densação, água quente e motores das unidades que virou referência no estado. O prédio da Re- foram substituídos por motores de auto eficiênceita Federal, em Porto Alegre (RS), tem mais de cia. Outra melhoria no prédio da Receita Federal quarenta anos e o sistema de refrigeração apre- foi o reforço no sistema de refrigeração do audisentava-se defasado. A empresa Planiduto, ven- tório, que agora está com unidades do tipo VRV, cedora da licitação, iniciou o trabalho em 2015 independente do sistema de água gelada. e, de acordo com o sócio da empresa, Sidnei Andrade dos Santos, durou cerca de seis meses O engenheiro relata que no planejamento da e contou com o trabalho de doze profissionais. obra teve que observar muitos detalhes. A idade do prédio e localização do maquinário foram

22 - Revista ASBRAV


- Tivemos alguns desafios durante o processo. A casa de máquinas está localizada no 13° andar, ou seja, mais de 60 metros acima do solo. Nosso principal obstáculo foi a retirada das centrífugas antigas e a colocação das novas. Para resolver, picamos as máquinas antigas e levamos para a rua pelo próprio elevador do prédio. Esse desmonte durou dez dias. Já para a elevação das novas centrífugas, usamos um carro-guincho. Retiramos duas janelas no andar. Levamos seis dias para subir tudo – lembra. As máquinas Hitachi foram importadas da Coreia do Sul e levaram 45 dias para chegar em Porto Alegre. Segundo Sidnei Andrade dos Santos, o modelo foi escolhido seguindo especificações solicitadas pela Superintendência da Receita

Federal na licitação. Entre os detalhes das centrífugas está a economia de energia e a apresentação de melhor desempenho. Dois anos depois do início do projeto, a obra é considerada como modelo no estado.

Dados Técnicos: 1- Idenficação da Obra Nome: Superintendência De Administração De Delegacia Da Receita Federal Localização: Porto Alegre - RS Endereço: Av. Loureiro Da Silva, 455 Proprietário: Governo Federal Uso Principal: Delegacia Da Receita Federal Ocupação: 13 Andares Área Total: Aproximadamente 12.000 M² Área Climatizada: Aproximadamente 10.000 M² Reforma na Climatização: Planiduto Ar Condicionado Ltda Engenheiro responsável pela instalação: Ivan Max Júnior Fornecedores: Centrífugas: Hitachi Inversores de frequência: Weg

Revista ASBRAV - 23

obra destaque

alguns entraves que, com cuidado, foram revertidos. As centrífugas antigas tinham catorze toneladas cada uma, enquanto as novas não passam de oito toneladas cada.


opinião

Menos é muito mais

É tempo de simplificar e fazer do cliente seu grande aliado Estamos constantemente em movimento, envolvidos com atividades profissionais, estudo, vida familiar e muito mais. As reuniões, eventos e redes sociais tomam grande parte do nosso tempo e muitas vezes nos sentimos exaustos, sobrecarregados, com a sensação de que estamos trabalhando o dobro para ganhar a metade. A justificativa sempre é a mesma: a crise. Será mesmo?

O mesmo serve para a vida profissional. Passar horas em reuniões totalmente improdutivas, navegando nas redes sociais e em sites que não tem nada a ver com seu propósito e negócios, é pura perda de tempo. Esta lógica também se aplica aos produtos e serviços que você disponibiliza para os clientes. Se eles reclamam e pedem por preços mais baixos, substitua insumos por outras matérias primas de qualidade com menor custo, elimine funcionalidades desnecessárias, otimize a linha de produção, reduza tudo o que não é essencial e foque no diferencial. Inove nos componentes, na linha de montagem, na aplicação do produto. Envolva sua equipe em projetos importantes e use toda a criatividade possível. Certamente você vai desenvolver produtos inovadores, com menor custo e maior margem de lucro. Faça do seu cliente um grande aliado. Promova uma aproximação e entenda seus problemas. Crie soluções em conjunto. Trabalhe em grupo, promova parcerias. Neste momento precisamos parar tudo e avaliar nossas ações diárias. Refletir sobre os resultados e escolher o que de fato é importante.

Muitas empresas têm um mix de produtos diverNa verdade, tudo mudou. O mundo se transfor- sificados e produzem meia dúzia de cada item. mou, o mercado se alterou e a economia mo- O custo de produção é altíssimo e o cliente não dificou. A política está o caos, os clientes estão está satisfeito. Reduza o mix. O mesmo ocorre enlouquecidos e muitos profissionais e empre- com os serviços. Foque e faça melhor, seja um sas continuam fazendo o mesmo, pensando especialista no assunto. Desapegar é um ato inque tudo vai voltar a ser como era antes. Errado. teligente. Em alguns momentos precisamos interromper tudo, eliminar o que não traz resultaNada mais será igual. dos e focar no essencial. Simples assim. Menos É momento de simplificar, fazer o essencial, ou é muito mais! seja, focar naquilo que é importante, fazer menos e ter muito mais resultados. Isto é necessá- Madeleine Schein rio tanto na vida profissional como na pessoal. Empresária, palestrante, coaching, consultoTer um roupeiro enxuto, com roupas clássicas ra especializada em inteligência competitiva. que combinam entre si e podem ser utilizadas Também é mestre em Administração e Negóem várias ocasiões é muito melhor do que um cios (PUC) com MBA em Marketing (ESPM) e armário lotado onde você perde muito tempo Comércio Exterior (UCB). para se vestir e parece sempre estar desatualizado.

24 - Revista ASBRAV


Cód

Fone

CONSTARCO ENGENHARIA E COMERCIO LTDA

11

3933.50.00

ACEL AR CONDICIONADO ECOLÓGICO LTDA

51

3211.45.30

CREAR CENTRO REFERENCIA AR COND-DANILO MAXIMO DA SILVA

47

99128.24.49

ACJ ENERGIA E CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3041.48.45

DOS SANTOS

ACMASUL SISTEMAS DE VENTILAÇÃO E CONTROLE AMBIENTAL

51

3013.42.89

CURTIS CONSULTORIA S/C LTDA

51

3019.37.23

ACUSTIKA SUL ENGENHARIA LTDA

51

3344.11.88

DAIKIN MCQUAY AR CONDICIONADO BRASIL LTDA

11

3123.25.25

ADEMILSON DOS SANTOS XAVIER

51

98575.07.97

DANIEL HOFFMANN SCHARDONG - HSCLIMATIZAÇÕES

51

99699.01.09

ADEMIR SILVA

51

3347.70.79

DARLEI CARVALHO - ME FRIO DO VALE NA TEMPERATURA CERTA

51

99606.62.09

AERIS QUALIDADE DO AR EIRELI ME

51

99963.51.79

DELEON DOS REIS VITH

51

3529.50.62

AERODUTO AR CONDICIONADO LTDA

51

3343.49.83

DELTA FRIO INDUSTRIA DE REFRIGERAÇÃO LTDA

51

3536.15.51

AGRAZ REFRIGERAÇÃO LTDA

51

3751.26.91

DIFUSTHERM INDUSTRIAL DE METAIS LTDA

41

3059.82.00

AGST CONTROLES E AUTOMAÇÃO LTDA

51

3343.04.73

DIMENSIONAR ENGENHARIA SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO

51

3029.70.75

AIR CLEAN - M C PEREIRA & CIA LTDA

51

3426.16.76

DOCTOR FRIO - GRM AR CONDICIONADO LTDA-EPP

51

3557.83.84

AIR COOL MANUTENÇÃO E INSTALAÇÃO LTDA

51

3478.43.23

E W CLIMATIZAÇÃO LTDA - GRUPO E W

47

99948.73.19

AIR SHOP EQUIP CONFORTO TERMICO LTDA

51

3094.28.88

EDSON M BIONDO & CIA LTDA ME - SUL FRIO REFRIGERAÇÃO

55

3026.21.70

AIRSTUDIO ENGENHARIA LTDA

51

3326.19.33

EDUARDO GUS BROFMAN

51

3331.66.15

AIRSIDE IND COM DE PRODUTOS PARA CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3473.62.58

EJR ENGENHARIA LTDA

51

3201.37.00

ALBERT ENGENHARIA DE INSTALAÇÕES LTDA

51

3342.39.05

ELETRO AR SUL LTDA

51

3340.12.47

ALEX SANDRO MILANESI REFFATTI

55

3421.19.41

ELIAS DA SILVA MOURA

51

98917.78.81

ALEXANDRE TOCCHETTO

51

3357.22.25

ENCLIMAR ENGENHARIA DE CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3371.28.41

ALIMAC REPRESENTAÇÕES - EIRELI

51

2112.81.92

ENGE REPRESENTAÇÕES TÉCNICAS LTDA - ME

51

3737.77.51

51

3061.39.35

AMANDA LAMIM DOS SANTOS EIRELI - EPP

47

3323.32.77

ENGEMESTRA ENG MECANICA E SEGURANCA DO TRABALHO LTDA

AMBIENTALIS ANALISES DE AMBIENTES LTDA

48

3028.30.69

ENGENHAR CLIMATIZAÇAO EIRELI

51

3594.78.30

AMILLPASSOS REFRIGERAÇÃO INDL LTDA

51

3581.54.56

ENGETÉRMICA AR CONDICIONADO LTDA

51

3342.54.33

ARCONET LTDA

41

3032.43.90

EPEX IND COM DE PLÁSTICOS LTDA

47

3334.31.00

ARMACELL BRASIL LTDA

11

3146.20.50

ERA DO GELO CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3557.60.01

ARMANT AR CONDICIONADO LTDA

51

3085.80.50

ESCOLA TÉCNICA PROFISSIONAL LTDA

41

3332.70.25

ARMAX AR CONDICIONADO COM E SERV LTDA

51

3339.29.31

EUROCABLE BRASIL IMP E EXP LTDA

51

3375.82.00

ARSA CONSULTORIA COM REPRES LTDA

51

3332.18.20

EWARE CLIMATIZAÇÃO LTDA - EWARE SERVICE

51

3428.74.84

ARSELF AR CONDICIONADO LTDA

51

3337.34.34

EXXA CONSTRUTORA LTDA

41

3074.11.44

ARTECH CLIMATIZAÇÃO LTDA ME

51

3033.29.12

FERNANDO DUTRA DEL CASTILLO

53

3235.90.20

ARTECNICA LTDA - A.R.TECNICA LTDA EPP

51

3212.34.90

FLÁVIO VANDERLEI ZANCANARO JUNIOR

55

3313 7919

BARELLA ENGENHARIA LTDA

54

3314.87.55

FLÁVIO RIBEIRO TEIXEIRA

51

98424.36.45

BDS AR CONDICIONADO LTDA

51

3337.33.55

FRIGELAR COMERCIO E INDUSTRIA LTDA

51

3396.59.53

BERDES SERVIÇOS LTDA

51

3279.12.83

FRIZA COMERCIO MATERIAIS ELETRICO E HIDRAULICO LTDA

54

3462.15.19

BERLINERLUFT DO BRASIL LTDA

51

3579.85.50

FULL GAUGE ELETROCONTROLES

51

3475.33.08

BETO REFRIG E CLIMATIZAÇÃo - LUIZ ROBERTO COSTA DA ROSA

51

3416.09.00

GIRELLI REFRIGERAÇÃO LTDA

41

3349.29.64

BRY-AIR BRASIL CLIMATIZAÇÃO LTDA

41

3698.22.22

GLOBUS SISTEMAS ELETRÔNICOS LTDA

51

3374.05.55

CARLOS ALBERTO BRIGEIR DA SILVEIRA

51

3443.45.60

GM AR CONDICIONADO LTDA

51

3451.16.00

CASC COMERCIO & INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO LTDA

51

3273.05.25

GOOD SERVIÇOS DE CLIMATIZAÇÃO LTDA

41

3667.20.10

CERT LTDA

51

3711.78.89

HEATEX BRASIL TROCADORES DE CALOR LTDA

47

3366.27.33

CEZAR AUGUSTO GORRESE RAYMUNDO

51

99806.30.04

HEITOR MACHADO VICARI JUNIOR

51

3472.87.32

CLEMAR ENGENHARIA LTDA

48

3331.30.00

HITACHI AR CONDICIONADO DO BRASIL LTDA

51

2102.62.82

CLIMA SHOP QUALIDADE DO AR INTERNO S/S

48

3028.28.25

IMARCON PRESTADORA DE SERVIÇOS LTDA ME

51

3446.25.97

CLIMATIZA COMÉRCIO DE PRODUTOS E SERVIÇOS LTDA

51

3059.90.90

INGERSOLL-RAND IND COM SERV DE AR COND AR COMP REFRIG

11

5014.63.00

51

3061.39.68

CLIMAZON INDUSTRIAL LTDA

51

3477.96.87

INSTATEC INDÚSTRIA METALÚRGICA LTDA

CLOVIS FERNANDO VASQUEZ AMARO

51

99164.86.67

INTERTECH APOIO E SUPORTE TECNICO EIRELI - EPP

21

2426.30.44

COLD FRIGOR - R E R SISTEMAS TERMICOS LTDA - ME

51

3074.99.97

ISOTERM INSTALAÇÕES

51

3465.55.30

COLDAR ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA

51

3343.33.15

JOÃO CARLOS BIDEGAIN SCHMITT

51

3209.43.42

COLDBRAS S/A

51

3303.22.22

JOAPE IND EQUIPAMENTOS AMBIENTAIS LTDA

51

3205.25.55

CONCEITO TECNICO PROJ PLANEJ ASSESSORIA LTDA

51

3221.21.37

JOSÉ ÂNGELO MOREN DOS SANTOS

51

99952.96.16

CONFORTARE AR CONDICIONADO LTDA

51

3311.00.00

JOSE HAROLDO CARVALHO SALENGUE

51

3430.30.02

Revista ASBRAV - 25

guia de associados

Razão Social


guia de associados

JOSE RENE FREITAS GASSEN

51

3731.11.11

REFRIGERAÇÃO TUDO FRIO-JOELCI VIEIRA DA SILVA -ME

51

3443.88.45

JULIO CESAR SILVA DA SILVA

51

3367.10.59

REFRIGESA REFRIGERAÇÕES LTDA

51

99905.97.11

JULIO CEZAR SCHRAMM SCHENKEL

51

98124.08.10

REFRIMAK PEÇAS E SERVIÇOS LTDA

51

3473.63.88

JULIO ZIMMERMANN

51

3712.29.41

ROGER MERG SARAIVA

51

98131.96.04

KLEBER REPRESENTAÇÕES LTDA

51

3021.67.18

RONI DE LIMA SANTOS

51

9175.24.61

KLIFT SERVIÇOS DE CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

2117.78.55

S & P BRASIL VENTILAÇÃO LTDA - OTAM

51

3349.63.63

KLIMASUL - JB & MP COM REPRESENTAÇÃO LTDA

51

4103.05.25

SÃO CARLOS AR CONDICIONADO LTDA

51

3473.94.17

LF WOLMANN

51

99849.54.60

SCHEIN GESTÃO EMPRESARIAL

51

99901.15.21

LG ELECTRONICS DO BRASIL LTDA

11

2162.58.39

SERRAFF INDUSTRIA DE TROCADORES DE CALOR LTDA

51

3716.14.48

LINDOMAR VIEIRA DA COSTA SILVA

51

3673.15.70

SICTELL IND COM PRODUTOS ELETRICOS E METALICOS LTDA

47

3452.30.03

LUCIANO LOPES SIMÕES

51

3086.40.35

SMART SOLUÇÕES LTDA-MERCATO AUTOMAÇÃO

51

3032.17.77

LUCIO ALBINO AMARO DA SILVA

51

98496.28.95

SO FRIO INDUSTRIA E COMERCIO DE REFRIGERAÇÃO LTDA

51

3261.92.82

LUIZ ANTONIO PICCOLI JUNIOR

51

99811.30.06

SOCLAM AR CONDICIONADO LTDA

51

3207.99.10

M CESA COMPONENTES PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO

51

3338.74.39

SPM ENGENHARIA S/C LTDA

51

3332.11.88

MAGNUS RECUPERADORA DE COMPRESSORES

51

3473.35.40

SR REFRIGERAÇÃO E MANUTENÇÃO

51

3261.48.74

MARCELO GOMES CAJU

51

99304.52.75

SUL CLIMA ENGENHARIA

51

3032.11.29

MARCOS ANDRE RIBEIRO HORBACH

51

98051.95.51

SUPERMERCADOS GUANABARA S/A

53

3230.12.00

MARCUS VINICIUS SIMIONI

51

3208.29.68

TEC AR COMÉRCIO DE AR CONDICIONADO LTDA

51

3032.54.52

MARIO CESAR OSORIO

48

99971.64.83

TECNOLÓGICA CONFORTO AMBIENTAL LTDA

48

3240.05.05

MAURO CESAR RABUSKI GARCIA

51

3022.14.93

TELCO EQUIP REFRIGERAÇÃO LTDA

51

3354.67.97

MAURO ULLMANN CLIMATIZAÇÃO E REFRIGERAÇÃO

51

3013.51.41

TELEINFORMATICA SUL LTDA

51

3358.65.00

MEDEIROS ENGENHARIA DE CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3012.76.44

TEMPCONFORT ENGENHARIA DE CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3362.64.27

MIGUEL CHAVES CUSTODIO

51

3331.40.07

TERMOPROL ZANOTTI DO BRASIL

51

3341.48.05

MONOFRIO - HBSR REFRIGERADORES DE LIQUIDOS LTDA-EPP

54

3458.12.22

TESTONI INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

51

3341.44.11

MONTERMICA REFRIG E AR CONDICIONADO LTDA

51

3435.40.07

TIAGO DA SILVA DE PAULA

54

3321.81.72

C

M

Y

MP AUTOMAÇÃO LTDA

51

3465.55.13

TIAGO JOSÉ BULLA

51

3092.38.01

CM

MRI ENGENHARIA LTDA

51

3471.55.32

TIMOTEO FERNANDES DE SOUZA

51

3215.32.49

MY

NEOCLIMA - NCLIMA ENGENHARIA DE CLIMATIZAÇÃO LTDA

51

3061.50.40

TROMPOWSKY REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS LTDA ME

48

99185.94.94

CY

NILTON LUIS BATISTA CALEGARI

51

3344.53.34

UDO ADOLF

51

99985.32.54

NOVUS PRODUTOS ELETRÔNICOS LTDA

51

3323.36.00

URANUS AR CONDICIONADO LTDA

51

3222.89.54

OCEAN SERV COMERCIO E SERVIÇO LTDA

22

2772.51.57

VERTICON SERVIÇOS E COMERCIO LTDA ME

51

3118.01.73

OCTO CLIMATIZAÇÃO E REFRIGERAÇÃO LTDA ME - OCTO CLIMA

51

3428.70.65

VG PETINELLI CONSULTORIA TÉCNICA LTDA

51

3094.33.96

PALMEIRAS SOLUÇOES EM ENGENHARIA ENERGETICA LTDA ME

41

3257.72.43

VIDALAR PROJETOS E INSTALAÇÕES DE AR CONDICIONADO LTDA

49

3319.93.00

PATRICIA DOS SANTOS DUARTE

51

99865.69.73

VINICIUS JOSE NEIS CRUZ

51

98182.75.98

PAULO DE TARSO FONTOURA DA SILVA

55

3221.67.66

VITOR REFRIGERAÇÃO LTDA

51

3561.25.34

PAULO OTTO BEYER

51

3217.47.24

VOLTYS SOLUÇÕES EM CLIMATIZAÇÃO

54

3435.12.79

PAULO RENATO DOS REIS

54

3028.14.60

VRF ENGENHARIA DE CLIMATIZAÇÃO LTDA ME

51

3073.57.01

PAULO RENATO PEREZ DOS SANTOS

51

3320.35.84

YBEMAC AR CONDICIONADO LTDA

51

3337.73.90

PERFECTIO CONSULTORIA - EIRELI

41

4042.06.00

PERTILE AR CONDICIONADO LTDA

51

3464.12.01

PLANIDUTO AR CONDICIONADO LTDA

51

3336.26.33

PROJELMEC VENTILAÇÃO INDUSTRIAL LTDA

51

3451.51.00

PROJETOS AVANÇADOS ENGENHARIA LTDA

51

3330.64.00

PROTERMICA CLIMATIZAÇÃO LTDA

48

3342.00.49

QUADCLIMA QUADRANTE SOLUÇÕES LTDA

51

3086.43.12

QUIMITEC QUÍMICA INDUSTRIAL LTDA

41

3668.20.55

RECOM RECUPERADORA DE COMPRESSORES LTDA

51

3343.92.54

RECOMSERVICE SUL COMP E SIST AR COND REFRIG LTDA

51

3065.67.01

REFRIGERAÇÃO CAPITAL LTDA

51

3326.23.66

REFRIGERAÇÃO DE CONTO AR CONDICIONADO

51

3336.19.20

REFRIGERAÇÃO DUFRIO COM IMP LTDA

51

3778.75.55

26 - Revista ASBRAV

Seja um anunciante Consulte condições através do email assessoria@asbrav.org.br

CMY

K

A R F a

E S P


ASBRAV há 22 anos trabalhando para o fortalecimento do setor de HVAC-R Refrigeração

Ar-Condicionado

Ventilação

Aquecimento

Parceiros Parcerias e cooperção técnica com entidades de ensino do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, bem como outras entidades representativas do setor

C

M

Y

MY

CY

CMY

K

Cursos Mecânico de Ar-Condicionado e instalação, Cursos Projeto de Ar Condicionado e Simulação de Edificações, Curso Técnico de Refrigeração e Climatização em parceria com o Senai-RS. Mais de 4 mil alunos capacitados

Nossos parceiros no crescimento e desenvolvimento do setor. Descontos em cursos, eventos, Congresso Mercofrio e mais

Associados

CM

Palestras técnicas, Gestão Empresarial, Seminários, Workshops, fóruns com assuntos relevantes para o segmento

Palestras

Associe-se e venha fazer parte desta história ASBRAV – Sede Rua Arabutan, 324 – Porto Alegre/RS Fones: (51) 3342.2964 | 3342.9467 | 98632.2416 | 98634.2417 asbrav@asbrav.org.br Escritórios Regionais Santa Catarina: asbrav.sc@gmail.com Paraná: asbrav.pr@gmail.com

/asbrav

@asbrav

www.asbrav.org.br


TENHA UM FUTURO DE SUCESSO Venha estudar na FAPRO e na Escola Técnica Profissional

PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA CLIMATIZAÇÃO

01 vez por mês (Sexta e Sábado).

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ELETROTÉCNICA

Voltado para Climatização

CURSO TÉCNICO EM REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO

Modalidade Finais de Semana

FONE:

(41) PARA CONHECER A PROGRAMAÇÃO COMPLETA ACESSE NOSSO SITE.

3332-7025

R. Eng. Rebouças, 2213 | Curitiba - PR

www.escolaprofissional.com.br

Revista asbrav mai jun  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you