Issuu on Google+

Informativo Mensal Novembro de 2012


Informativo Mensal | Novembro de 2012 | 2

MATRIZ DE ENERGIA ELÉTRICA

Projetos em Operação, Construção e Outorgados. O Brasil possui no total 2.708 empreendimentos geradores de energia em operação, totalizando 119.699.736 kW (119,7 GW) de potência instalada. Para os próximos anos está previsto um aumento de 48,3 GW na capacidade de geração do País, proveniente dos 174 empreendimentos atualmente em construção e mais 558 outorgadas. (Banco de Informação de Geração da Agência Nacional de Energia Elétrica).

No setor eólico 76 empreendimentos estão em construção e 213 foram outorgados, totalizando, respectivamente, 1,8 GW e 5,7 GW de potência instalada. Os gráficos abaixo ilustram o cenário atual e a tendência de distribuição das fontes geradoras na matriz elétrica brasileira.

1. Empreendimentos em Operação

2. Empreendimentos em Construção

1,47%

1,66%

6,74%

4,85%

27,14% 20,73%

Eólica

Eólica

Hidráulica

Hidráulica

Térmelétrica

Termelétrica

Termonuclear

Termonuclear

67,68%

69,73%

3. Empreendimentos Outorgados (não iniciaram sua construção) 28,08%

24,63% Eólica Hidráulica Térmelétrica

47,30%

Participação da Eólica e Hidráulica na geração de energia elétrica. O despacho de energia elétrica proveniente de fonte eólica no SIN (Sistema Nacional), iniciou-se em Abril de 2006 no submercado Nordeste (NE).

A participação da fonte eólica na matriz de energia elétrica do SIN e do NE aumentaram respectivamente, 980% e 2100%, de 2006 até 2012 (acumulado até outubro). Os gráficos abaixo ilustram esse cenário.

4. PARTICIPAÇÃO EÓLICA X HIDRÁULICA NO SIN

0,50

91,00 90,00

0,40

89,00 0,30

88,00 87,00

0,20

86,00 0,10

85,00

0,00

84,00

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012*

Participação da fonte Hidráulica na geração de energia elétrica (%)

0,60

92,00

100,00

Hidráulica Eólica

4,00 3,50

95,00

3,00 2,50

90,00

2,00 85,00

1,50 1,00

80,00 0,50 0,00

75,00

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012*

Participação da fonte Eólica na geração de energia elétrica (%)

93,00

0,70

Hidráulica Eólica

Participação da fonte Eólica na geração de energia elétrica (%)

Participação da fonte Hidráulica na geração de energia elétrica (%)

94,00

5. PARTICIPAÇÃO EÓLICA X HIDRÁULICA NO SUBMERCADO NORDESTE


Informativo Mensal | Novembro de 2012 | 3

Sistema interligado Nacional

Geração de Energia Eólica x Hidráulica No cenário nacional, a energia elétrica proveniente de fonte eólica tem apresentado crescimento constante. De acordo com os dados do ONS (Operador Nacional do Sistema), esta fonte gerou 3.462 MW médios no acumulado de Janeiro a Outubro de 2012, propiciando um crescimento de 90,84% em relação ao mesmo período do ano anterior. Neste mesmo cenário a energia gerada por fontes hidráulicas apresenta-se estável, sem crescimento acumulado de Janeiro a Outubro de 2012 em relação ao mesmo período do ano anterior. De forma geral, a matriz energética nacional é de predominância hidráulica, por ser a de maior vocação natural e a de maior longevi-

dade operativa, o que a diferencia das demais fontes por ter maior capacidade em potencia instalada e proporcionalmente a energia gerada é bem superior à de fonte eólica. Contudo, a energia eólica tem ganhado espaço e vem evoluindo gradativamente na matriz energética, principalmente na região Nordeste, onde este crescimento é mais acentuado. No acumulado de Janeiro a Outubro de 2012 a fonte eólica representou 3,93% da matriz do Nordeste (considerando apenas as fontes hidráulica e eólica), um acrescimo de quase 1 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano anterior e 5.55% da geração total de Outubro, um crescimento de quase 2 pontos percentuais.

6. Geração de Energia Proveniente de Fontes Eólicas*

7. Geração de Energia Proveniente de Fontes Hidráulicas*

550.000

463.671

-6,56%

47.384

0

Acumulado até Outubro

Outubro

50.709

Volume de Energia (MW med)

275.000

444

+25,94%

0

+1,5%

2011 2012

1.814

1.750

352

Volume de Energia (MW med)

2012

Acumulado até Outubro

Outubro

Fonte: Operador Nacional do Sisitema, em http://www.ons.com.br/historico/geracao_energia_out.aspx?area=#

464.435

+90,84% 2011

3.462

3.500

Fonte: O  perador Nacional do Sisitema, em http://www.ons.com.br/historico/geracao_energia_out.aspx?area=#

8. Comparativo entre Geração de Energia Provenientes de Fontes Eólicas e hidráulicas* | Região Nordeste

263,69

299,68

1.722,56

2.452,02

3,75%

5,55%

2,95%

3,93%

Outubro 2011

6.773

5.100,06

56.721,5

96,25 %

94,45%

97,05%

Outubro 2012

Fonte: O  perador Nacional do Sisitema, em http://www.ons.com.br/historico/geracao_energia_out.aspx?area=#

Acumulado até Outubro 2011

59.985,08 96,07% Acumulado até Outubro 2012 Geração Eólica NE Geração Hidráulica NE

*SIN - Sistema Interligado Nacional


Informativo Mensal | Novembro de 2012 | 4

Parques Bioenergy

Parque Aratuá 1

Parque Miassaba 2

9. Curva apurada de Geração X Certificações e Garantia Física Geração

Inova - P50

DNV - P50

Garantia Física

Inova - P90

DNV - P95

12. Curva apurada de Geração X Certificações e Garantia Física 8.000

Energia (MWh)

Energia (MWh)

8.000

4.000

Geração

Inova - P50

DNV - P50

Garantia Física

Inova - P90

DNV - P95

4.000

0

0

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Jan

Dez

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

DNV - P50

Fontes: Geração: SINERCON SCDE; Certificação Inova: Documento RT-001/BA1GE; Certificação DNV: Report nº EARP0161 Obs.: Sazonalizada pela certificação da Inova; Contrato CCEE: CER N 114/09

Fev

Mar

Mai

Fontes: Geração: SINERCON SCDE; Perda de produção calculada por aproximação em média de produção por hora.

Jun

Jul

Ago

Set

Produção Efetiva

Disp. Aratuá 1

Perda de Produção

Disp. Contratada

0

Jan

Fev

Mar

Abr

293

Mai

Fontes: Geração: SINERCON SCDE; Perda de produção calculada por aproximação em média de produção por hora.

Jun

21.958,74 74%

6.523

357

6.003

215

6.382

75

5.412

Out Total

89,6%

87,5%

Disponibilidade (%)

51.771

97,4% 98,2% 1.317 100

30.000

452

50

Abr

90,2% 85,4%

6.088

5.769

5.044

4.172

4.406

3.902

3.327

1.697

91

270

6.446

75

98

98,8%

5.739

84%

434

DNV - P95

95,4% 95,0%

89,5%

20.000

98,1%

96%

4.610

92,7%

90,2%

60.000

100

4.866

97,9%

4.017

99,9%

Energia (MWh)

98%

Disponibilidade (%)

97,8%

DNV - P50

14. Geração Apurada X Disponibilidade 893 39.154

98,3%

95,0%

Inova - P90

Fontes: Geração: SINERCON SCDE; Certificação Inova: Documento RT-002/MGE; Certificação DNV:Report No EARP0161 Obs.: Sazonalizada pela certificação da Inova.

11. Geração Apurada X Disponibilidade 40.000

Inova - P50

Geração

DNV - P95

4.147

Inova - P90

4.072

Inova - P50

Geração

Energia (MWh)

35.927,99

0

0

0

40.548,18

25.000

29.812,59

5.443,33 12% 46.328,00

Energia (MWh)

20.000

51.771,33

50.000

12.624,00 45%

7.335,59 22% 28.227,00

32.701,69

33.515,45

3.631,05 10%

37.220,00

Energia (MWh)

40.000

15.843,34 44%

13. Relação relativa e absoluta | Geração apurada x Certificações 11.223,15 28%

10. Comparação relativa e absoluta | Geração apurada x Certificações 8.149,35 25%

Fontes: Geração: SINERCON SCDE; Garantia Física: portaria nº 1, de 20 de janeiro de 2012 emitida pela Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético (DOU); Certificação Inova: Documento RT-002/MGE; Certificação DNV: Report nº EARP0161. Obs.: Sazonalizada pela certificação da Inova.

40.851,05

Fontes: Geração: SINERCON SCDE; Garantia Física: portaria nº 16 emitida em 25 de Novembro de 2009 do Ministério de Minas e Energia (MME); Certificação Inova: Documento RT-001/BA1GE; Certificação DNV: Report nº EARP0161 Obs.: Sazonalizada pela certificação da Inova; Contrato CCEE: CER N 114/09

50

Jul

Ago

Set

Out Total

Produção Efetiva

Disp. Miassaba 2

Perda de Produção

Disp. Contratada


Informativo Mensal | Novembro de 2012 | 5

CENÁRIO ATUAL DE ENERGIA

Seca afeta volume dos reservatórios e o preço da energia dispara Os reservatórios da Região Nordeste estão em estado de alerta. Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), apresentados durante reunião do Programa Mensal de Operação, o volume de chuva que tem caído nas principais bacias da região é o pior dos últimos 83 anos - o que tem dificultado a recuperação dos reservatórios. Para complicar a situação, nem todas as termoelétricas definidas pelo ONS conseguiram entrar em operação. Só em outubro, o nível de armazenamento do Nordeste despencou 8,2 pontos porcentuais, de 42,6% para 34,4%, o menor nível desde 2003. Os reservatórios estão apenas 5,8 pontos acima do limite de segurança para o abastecimento do mercado - um mecanismo de alerta criado pelo governo após o racionamento de 2001. A esperança é que as chuvas de novembro e dezembro sejam mais consistentes e consigam recompor os lagos das hidrelétricas. A formação do El Niño provocou uma seca muito forte no Nordeste e depreciou o nível dos reservatórios. Mas ele está perdendo força, é cedo para falar em desabastecimento. O nível de armazenamento do Nordeste é o pior do País, seguido pelo sistema Sudeste/Centro-Oeste, que recuou quase dez pontos porcentuais em outubro.

Na última de semana de Outubro, o ONS determinou que todas as térmicas, movidas a óleo combustível, óleo diesel e carvão, começassem a funcionar para poupar água nos reservatórios. Considerando as usinas a gás, que já estavam em operação, eram mais de 11 mil MW em todo o sistema nacional. A expectativa é que essas usinas representem um custo para o consumidor de cerca de R$ 500 milhões só em novembro, segundo cálculos da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres. Com o nível dos reservatórios baixos, é possível que elas tenham de continuar gerando por mais tempo. A primeira consequência da queda do nível dos reservatórios é o aumento do preço da energia no mercado livre. O MWh foi comercializado, em média, a R$ 102 em julho. No mesmo período de 2011, o preço havia sido de R$ 33. No ano passado a época de chuvas deixou os reservatórios com um nível muito elevado, enquanto neste ano o clima se mostrou atípico, com março seco. Porém, energia consumida pelos nordestinos está sendo mais afetada. A seca está mais forte nessa região. Esperamos um descolamento nos preços, com o MWh devendo chegar a até R$ 250.

Abaixo segue gráfico comparativo dos anos de 2011 e 2012 com o nível do reservatório da Usina Hidrelétrica de Sobradinho, uma das principais usinas geradoras da Região Nordeste.

Gráfico abaixo destaca a grande participação de usinas térmicas no SIN em especial nos meses de Setembro e Outubro, contribuindo para o encarecimento da energia gerada em todo país.

15. VOLUME ÚTIL DO RESERVATÓRIO DE SOBRADINHO 2011

100

2011

10000

2012

Energia (MWh)

Energia (MWh)

16. GERAÇÃO DE ENERGIA - TÉRMICA CONVENCIONAL

50

0

2012

5000

0

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Comparativo 2011/2012 do volume útil do reservatório de Sobradinho.

Ago

Set

Out

Nov

Dez

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Comparativo 2011/2012 da geração de energia proveniente de fonte térmica injetada no SIN.

Out

Nov

Dez


São Paulo - SP Av. Magalhães de Castro, 4800 Cidade Jardim Corporate Center Torre 1 Ed. Capital Building • 23o andar CEP 05502-001 Tel. +55 11 3094.0950 São Luís - MA Av. Coronel Colares Moreira, 7 • Sala 1102-C Centro Empresarial Vinicius de Morais • Calhau CEP 67075-440 Paulino Neves - MA Av. Rio Novo, 47 Centro CEP 65585-000 Tel. +55 98 3487.1310 Natal - RN Rua Trairi, 722 • Edifício Trairi • Sala 1 Bairro Petrópolis CEP 59020-150 Tel. +55 84 3201.3773 Guamaré - RN Fazenda Aratuá s/n CEP 59598-000

www.bioenergy.com.br


Informativo Bioenergy_Novembro 2012