Page 1

Informe da Primavera

Informe

Primavera

Escola Umbuzeiro discute Permacultura Pág 05

Cineasta baiano que lutou contra energia nuclear será homenageado Pág 06

IPB participa do Brechó Ecosolidário 2011 Pág 07

Intercâmbio de Práticas Agroecológicas do Projeto Conviver Pág 08

Encontro encerra propondo um novo modelo de desenvolvimento Pág 09


“As flores dessas árvores depois nascerão mais perfumadas.” Manoel de Barros 27 de setembro de 2011 Aniversário de 19 anos do IPB


Índice Informe da Privamera ano 5 | número 8

EDITORIAL 04 DESTA QUE 05 Escola Umbuzeiro discute Permacultura NOTÍCIA 06 Cineasta baiano que lutou contra energia nuclear será homenageado NOTÍCIA 07 IPB participa do Brechó Ecosolidário 2011 QUEM NOS VISITOU 08 Intercâmbio de Práticas Agroecológicas do Projeto Conviver POR ONDE ESTIVEMOS 09 Encontro se encerra propondo um novo modelo de desenvolvimento

| Parceiros

| Redes Sociais

| Expediente | Projeto Gráfico e Editoração: Ravi Santiago | Fotografia: Leila Aquino, Lúcia Moura, Colaboradores e acervo IPB | Textos: Alan Guedes e Patrícia Freitas, Aléxis Góes, Catarina Camargo, Dalvaci Santiago e Maura Pezzato


Editorial Sejam bem-vindos todos os parceiros, amigos e colaboradores do IPB! A chegada da primavera saúda o entusiasmo e o vigor necessários para comemorarmos os 19 anos do IPB. Nesse espírito de celebração o IPB topou o desafio de ser co-produtor do Festival de Filmes sobre Energia Nuclear debatendo a problemática da mineração na Bahia, em especial o caso de Caetité. A Escola Umbuzeiro anuncia os preparativos para realizar o próximo III Encontro Geral que será realizado na aconchegante fazenda Caldeirão Cercado em Várzea da Roça. Pela segundo ano o IPB participa do Brechó Ecosolidário dessa vez com uma propósta lúdica de exercitar o princípio do cuidado com as pessoas. Confira a visita da Ong ELO reunindo representantes de diversas comunidades para vivênciar um intercâmbio agroecológico no Espaço Mangará. Veja também como foi o Encontro Nacional: Diálogos e Convergências que reuniu cerca de 300 participantes entre trabalhadores do campo e da cidade, movimentos sociais, pesquisadores, estudantes e diversas outras organizações da sociedade civil, incluindo o Instituto de Permacultura da Bahia - IPB.

Forte abraço! Ravi Santiago Núcleo de Comunicação


Destaque Escola Umbuzeiro discute Permacultura por Alan Guedes e Patrícia Freitas

5

O que a natureza tem a ver com o planejamento da construção de uma nova casa? Como podemos economizar tempo e energia nas atividades do dia-a-dia? Que princípios precisamos seguir para uma vida sustentável? Estas são algumas das questões que a Permacultura ajuda a responder. Trata-se de um conceito que une conhecimentos de sociedades tradicionais com técnicas inovadoras, sempre tendo como premissa a sabedoria e compreensão da natureza. A Permacultura foi criada nos anos 70 na Austrália e atualmente ajuda pessoas do mundo todo a planejarem de forma sustentável bairros, assentamentos, comunidades, propriedades, entre outros. Este será o tema do terceiro encontro geral de 2011 da Escola Umbuzeiro – um projeto para formação de educadores populares agroecológicos no semiárido baiano - desenvolvido pelo Instituto de Permacultura da Bahia, com patrocínio do Programa Petrobras Desenvolvimento e Cidadania. O evento acontece em Várzea da Roça, de 09 a 16 de outubro, na Fazenda Caldeirão Cercado, que fica a 23 km da sede. Foram convidados dois permacultores, a gaúcha Juliana Faber e o paulista Felipe Pinheiro, para facilitarem as atividades. Entre os temas que serão trabalhados estão os princípios da Permacultura, técnicas de planejamento de áreas, água, solos, animais e bioconstrução. Esta é mais uma etapa de formação dos 36 educandos da Escola Umbuzeiro. Além deles, participarão alguns convidados de comunidades e organizações sociais onde o projeto atua. Alan e Patrícia fazem parte da equipe de coordenação do projeto Umbuzeiro: Escola Sustentável do Semiárido.

Acesse: www.escolaumbuzeiro.org


Notícia Instituto de Permacultura da Bahia debate a questão da energia nuclear por Ravi Santiago O Instituto de Permacultura da Bahia participou como co-produtor Uranium Bahia - mostra que exibiu filmes sobre a energia nuclear, de 27 a 30 de setembro em Salvador (BA). Foi exibido o filme “Fala do cacique” dos diretores Norbert Suchanek e Marcia Gomes que aborda o depoimento de Verá Mirim, 94 anos, cacique da Aldeia Guarani mais próxima das usinas nucleares Angra 1, 2 e 3, que faz revelações proféticas sobre o mundo nuclear. Após sessão do curta “Fala do cacique” (2008), que aconteceu no Ciranda Café Cultura & Artes, no dia 29 (quinta), às 15h, foi aberto uma roda de debates refletindo sobre a problemática da mineração na Bahia, em especial o caso de Caetité e a proposta de construção de uma usina nuclear na Bahia. A Mostra Uranium Bahia é realizada pelo Programa Memória Roberto Pires, produzido pela Cambuí Produções, e co-produzido pela Iglu Filmes, Iglu Photos, Fórum Pró-Cidadania, Instituto de Permacultura O cineasta Roberto Pires foi homenageado na mostra Uranium Bahia da Bahia, Cardim Projetos. A mostra tem apoio da Dimas, do projeto Quartas Baianas, do Cinecena Unijorge, do Cineclube Roberto Pires, do Ciranda Café Cultura & Arte, e da Exposciense. Ravi é estudante do Bacharelado Interdisciplinar em Artes e sóciofundador do Cineclube Roberto Pires.

lear Festival de Filmes Sobre Energia Nuc

6


Notícia IPB participa do Brechó Ecosolidário 2011 por Dalvaci Santiago No dia 29 de outubro, será realizado o Brechó Ecosolidário, em sua edição 2011. Trata-se de um evento de economia solidária organizado em parceria entre a Universidade Salvador (Unifacs), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge), Faculdade Universo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFBA), as secre¬tarias estaduais de Trabalho e Emprego (Setre) e de Cultura (Secult) e o Instituto Mauá. Também são apoiadores a Rede de Profissionais Solidários e a Fundação Frances Libertés em parceria entre diversas instituições de ensino superior da capital, entidades governamentais e ONGs, entre elas, o Instituto de Permacultura da Bahia (IPB). As atividades terão início a partir das 9h, e se encerram as 17h, no Parque da Cidade. Este trabalho tem como referência o “Dialogues en Humanité”, fórum global sobre a questão humana, criado em 2002, que acontece anualmente na cidade de Lyon, França. Desde 2009, vem sendo promovido em cidades que já têm discussões e propostas sobre o tema, como Rabat (Marrocos), Berlim (Alemanha), Bangalore (Índia) e agora, Salvador. A proposta possibilita ao público discutir e vivenciar inovações na sociedade frente aos desafios econômicos, sociais, ambientais e espirituais da humanidade. Entre as atividades será realizada uma oficina de dança – Trabalhando o Desapego, pelas educadoras Dalvaci Santiago e Luciana Vieira, representando o Instituto de Perma-cultura da Bahia. Dalvaci é educadora ambiental e membro do IPB.

Traga objetos em bom estado de conservação na sede do IPB. O endereço fica na rua Fonte do Boi, 131, 1º andar, sala 02.

O Instituto de Permacultura da Bahia é um ponto de troca do Brechó Eco Solidário 2011.

No brechó eco solidário você poderá trocar Grãos por produtos à sua escolha!

7


Quem nos visitou Intercâmbio de Práticas Agroecológicas do Projeto Conviver por Maura Pezzato O sítio Espaço Mangará, parceiro do Instituto de Permacultura da Bahia (IPB), recebeu dia 31 de agosto de 2011 o Elo Ligação e Organização para mais uma bela vivência sobre “Agroecologia e Saberes Populares: um caminho de integração entre práticas de agricultura familiar e orgânica”. Esta vivência foi uma das atividades do Projeto Conviver, executado pelo Elo em convênio com a Petrobrás, reunindo representantes de diversas comunidades localizadas nos municípios de Camaçari, Candeias, Pojuca, Catu e São Sebastião do Passe. Integrantes da equipe ELO iniciaram as atividades com uma dinâmica de apresentações, Maria Ubajareida – Baja, coordenadora da instituição, falou sobre os objetivos da atividade em um espaço que trabalha com permacultura e agroecologia, sobre a importância e riqueza da troca de conhecimento que os intercâmbios trazem para o projeto e para as comunidades envolvidas. Noeme Carvalho e Maura Pezzato, integrantes do IPB, contaram sobre a história de 15 anos do Espaço Mangará, local de encontros abundantes de troca de saberes, Maura Pezzato fala sobre técnicas de construção com terra conexão com a natureza e suas diversas formas de vida, onde ocorrem vivências, cursos e oficinas sobre agroecologia, introdução a permacultura, manejo do solo e da água, arte de semear, entre outros. Durante a vista no Mangará, os participantes conheceram as práticas de policultivo, com seus jardins agroflorestais, a diversidade de plantas comestíveis na horta e sementeira, que convivem em harmonia com flores e algumas bananeiras, um pé de noni e também nin, plantas muito utilizadas na medicina natural. Os participantes observaram os sistemas de captação de água da chuva pelo telhado e a técnica de ferrocimento utilizada, neste momento destacamos um dos princípios da permacultura – um elemento executa várias funções e pode ter várias fontes. Exemplificamos a importância de um elemento como a água possuir várias funções (banho, descarga, lavagem de roupa, irrigação da horta) e enfatizamos também que uma propriedade pode ter várias fontes de um mesmo elemento, por exemplo a água pode ser orinda da chuva, do poço, da Embasa. Os participantes contemplaram o Jardim Sensorial e adoraram a casa construída com diversas técnicas de biocontrução como tijolo de adobe, taipa telada, reboco e tinta natural. Ao final, todos os integrantes da vivência relataram as sensações vividas durante o dia e mostraram-se satisfeitos, reforçando que a união de pessoas que acreditam na vida e respeitam os ciclos naturais fortalecem a esperança de um mundo abundante, belo e ético. O trabalho que o Elo, em parceria com a Petrobrás, está realizando com estas comunidades é uma iniciativa de aproximação das entidades e fortalecimento social, cultural e ambiental dos integrantes das comunidades envolvidas. Mais informações sobre o evento e o projeto em http:// www.elobrasil.org.br - Intercâmbio de Práticas Agroecológicas do Projeto Conviver. Maura é ecóloga e membro do IPB.

spacoman Acesse: www.e

gara.blogspot.com

8


Por onde estivemos Encontro se encerra propondo um novo modelo de desenvolvimento por Catarina Camargo Aconteceu em Salvador nos dias 26 a 29 de setembro, o Encontro Nacional de Diálogos e Convergências: Agroecologia, Saúde e Justiça Ambiental, Soberania Alimentar, Economia Solidária e Feminismo. O evento foi organizado por uma comissão representada pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), o Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES), a Rede Brasileira de Justiça Ambiental (RBJA), a Rede Alerta contra o Deserto Verde (RADV), a Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco), a Associação Brasileira de Agroecologia (ABA), o Fórum Brasileiro de Soberania e de Seguran- de Diálogos e Convergências ça Alimentar e Nutricional (FBSSAN), a Marcha Munagroecologia, saúde e justiça ambiental, dial de Mulheres (MMM) e a Articulação de Mulheres soberania alimentar e economia solidária Brasileiras (AMB).

Encontro Nacional

Cerca de 300 participantes entre trabalhadores do campo e da cidade, movimentos sociais, pesquisadores, estudantes e diversas outras organizações da sociedade civil, incluindo o Instituto de Permacultura da Bahia - IPB trabalharam para sistematizar as diversas iniciativas bem sucedidas que existem no Brasil, possibilitando identificar os desafios na construção e defesa de um outro modelo de desenvolvimento. Foi um importante espaço para unir experiências em defesa de um modelo soberano e justo para a vida no planeta. Mística de abertura do encontro :: Foto: Alan Tygel

Durante o evento aconteceu também o lançamento do livro: “Agrotóxicos no Brasil – um guia para ação em defesa da vida”, de Flávia Londres. O material sistematiza de maneira mais completa e profunda a questão dos agrotóxicos no Brasil. “No momento em que vemos chuva de agrotóxicos, contaminação da água, dos próprios trabalhadores, precisamos de um instrumento para subsidiar a carência de informações: o que é permitido? Como faço denúncia? O que devo esperar das autoridades?”, diz Flávia. O livro está disponível para download no sítio http://aspta. org.br/wp-content/uploads/2011/09/Agrotoxicos-no-Brasil-mobile.pdf Leia a carta política do evento em http://dialogoseconvergencias.org/noticias/carta-politica-doencontro-nacional-de-dialogos-e-convergencias. Catarina é engenheira florestal e membro do IPB.

ialogoseco Acesse: www.d

nvergencias.org

9

Informe Primavera  

Informe Primavera

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you