Page 1

Orçamento: Câmara reduz autonomia do prefeito > A-3 Morre a médica Terezinha Ramires A médica, professora e ativista política Terezinha Ramires morreu neste domingo (30) aos 90 anos, mas a família não divulgou a causa. Terezinha Ramires ensinou na Ufal, fundou pronto socorro infantil e teve atuação vigorosa como vereadora em Maceió.

edição PRIMEIRA

Mega-Sena sai para Maceió e SP Duas apostas, uma de Maceió e outra de São Paulo, acertaram a Mega-Sena deste sábado (29 de maio) e cada uma receberá R$ 47,3 milhões. As dezenas sorteadas: 12, 14, 17, 18, 19 e 22. A Quina vai pagar R$ 18,9 mil a cada um dos 433 acertadores.

Ano 13 | Edição 928 | Maceió, Alagoas, 31 de maio a 6 de março, 2021 | R$ 2,00

Não é o governo: morte nos hospitais é quem fecha o comércio em Alagoas fotos: Divulgação

Sem vacina para 1ª dose, postos ficam 'esvaziados' Com vacinas chegando a conta-gotas, imunização em Alagoas segue lenta. Na 5ª feira, postos de Maceió ficaram paralisa-

dos, sem imunizante para 1ª dose e sem pacientes buscando a dose-reforço. A rotina vacinal voltou na 6ª feira na capital. > A-5

Em Maceió, hospitais lotados exigem medidas de restrições na economia

Ao contrário do que dizem alguns 'críticos da vida', não é a vontade do governador Renan Filho, não se trata de 'decisão pessoal'. A morte nos hospitais lotados é que impõe restrições ao funcionamento do comércio alagoano. É pura

lógica: se o comércio paga imposto e gera recursos para o governo, porque o governador fecharia essa fonte de arrecadação? A ‘culpa’, portanto, é da pandemia, que mata alagoanos todos os dias, e não do governo. > A-5

PEC ACABA COM SERVIDOR

E Artur Lira comemora aprovação na CCJ Protesto contra governo Bolsonaro acontece em todos os estados e tem apelo por mais vacinas O último sábado de maio foi marcado por manifestações de rua em todos os estados contra o governo Bolsonaro, uma resposta à mobilização de motoqueiros liderada pelo presidente no domingo (23). Protestantes exibiam cartazes e faixas pedindo a saída do chefe do governo e mais vacina para acabar com a pandemia. Em Maceió, trabalhadores se concentraram na Praça dos Martírios (Centro) e gritaram palavras de ordem pedindo vacina e 'comida no prato'. >A-6

Manifestantes saem às ruas do Brasil mais uma vez para protestar contra governo federal e pedir mais vacinas

Galo só empata com Remo no final CSA estreia perdendo para Timbu no Recife Os clubes alagoanos não fizeram boa estreia na Série B do Brasileiro. Na sexta-feira, o CSA perdeu de 1x0 para o Náutico, nos Aflitos. Azulão jogou com

muitos desfalques. No sábado, no Rei Pelé, o CRB só empatou com o fraco Remo em 2x2. O juiz atrapalhou, mas o Galo jogou muito mal. > ESPORTES

Remo faz 2x1e segura o placar, mas deixa o CRB empatar no finalzinho

A PEC do governo federal que trata da reforma administrativa acaba com muitos direitos dos servidores públicos, sendo o principal deles a estabilidade. A proposta já foi admitida na CCJ da Câmara, e o presidente Artur Lira comemorou. A PEC não atinge os atuais servidores, nem poderia, mas deixa a 'ver navios' os futuros barnabés, incluindo filhos e netos dos atuais funcionários públicos. > A-2

Sucessora da Casal vai assumir comando em um mês; nesta 2ª, entrevista coletiva explicará metas A BRK Ambiental, empresa sucessora da Casal, vai assumir as operações de distribuição de água e execução de projetos de saneamento dentro de um mês. Uma entrevista coletiva nesta 2ª feira (31) explicará as metas da companhia. A BRK vai operar distribuição de água em 13 cidades da Grande Maceió. > A-5

Neymar se defende e acusa Nike de traição > B-4 Fale conosco | Redação: (82) 3021.5837 | Comercial: (82) 3021.0563 | Assinante: (82) 3021.0563 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br | e-mail: contato@primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

A2 | Política

O Ã Ç IA OR L A AV ELAT R O D

Para senador Renan, CPI da Covid já apresenta “efeitos pedagógicos” Relator lembra que, após um ano e três meses, governo federal parou de recomendar cloroquina fotos: Divulgação

Primeira Edição com Correio Braziliense

Com a certeza de que elege a imparcialidade e a isenção como premissas para acompanhá-lo na relatoria ("Não serei um relator das minhas convicções"), o senador Renan Calheiros entende que a CPI da Covid, que tanto medo levou ao governo central, já produziu efeitos pedagógicos muito benéficos para o Brasil. Na introdução de entrevista a Denise Rothenburg e Ana Dubeux, o Correio Braziliense assinala, sobre Renan: "Como político de longa data, sabe que resposta pronta nem precisa esperar pergunta. Ou seja: tem coisa que já dá para dizer. E ele diz". Sobre o depoimento do exministro Eduardo Pazuello, o senador alagoano resume: "Estamos diante de uma nova cepa do negacionismo. Nega-se tanto, com tamanha intensidade e despudor que chegam a negar o próprio negacionismo. Surreal esse momento da vida nacional, onde a mentira alienante passou a ser um método". Renan avalia que a investigação em curso já legou avanços. Uma delas é, após 1 ano e 3 meses, o governo assumir um posicionamento técnico, desaconselhando o uso da cloroquina. Ele afirma que "as cornetas golpistas silenciaram". Acredita que o primeiro efeito da CPI já está alcançado. "Nessa perspectiva de reafirmar conceitos civilizatórios, resgates iluministas e humanos, a CPI foi pedagógi-

Omar Aziz preside CPI com firmeza e busca evitar desvirtuamento da comissão com bate-boca entre senadores

Senador Renan Calheiros: ‘CPI retirou cloroquina da agenda do governo”

ca."

Para o ex-presidente do Congresso Nacional, "a tragédia brasileira não é fruto do acaso, mas consequência de erros, muitos, em várias esferas da administração pública". "Nós temos, provavelmente, o único chefe de Estado que conspirou diariamente contra todas as orientações da ciência. Um obscurantismo medieval, macabro." Embora esteja mergulhado na CPI, Renan não deixa de observar o cenário político. Defende candidatura própria do

MDB à Presidência da República. Mas observa os passos dos opositores e aliados históricos. Sobre o recente encontro entre Lula e Fernando Henrique Cardoso, entende ser um sinal alvissareiro de retomada do diálogo e civilidade na política. "Esse fundamentalismo, essa jihad política, não pertence à nossa sociedade." Renan evita antecipar a responsabilização pelas mais de 450 mil mortes na pandemia: - Seria precipitado, e até mesmo temerário, indicar ou

insinuar nomes quando estamos ainda no início da investigação. A apuração é longa com vários ângulos e múltiplos personagens. O que eu posso atestar, com a vivência que tenho de muitas CPIs ao longo dos anos, é que essa tem algumas especificidades. A primeira é que a comissão, em tempo recorde, foi a que mais reuniu elementos consistentes em apenas três semanas de trabalho. Elementos relevantes a partir de oito depoimentos apenas. O trabalho de manuseio de documentos comprobatórios ainda é incipiente e vai aprofundar muito a investigação. A outra característica da CPI é que boa parte do conjunto probatório já é conhecido. As declarações estão dadas, os atos formais foram praticados, expedientes foram emitidos e aplicados. - Qual a informação mais

importante trazida pelos depoentes até o momento? - perguntaram as duas repórteres. - É desaconselhável valorar as informações trazidas pelos depoentes e documentos já anexados. Todas as informações levadas ao conhecimento dos senadores são relevantes. Mas temos informações preciosas dos ex-ministros Mandetta, Teich, do presidente da Anvisa. Igualmente relevantes são as declarações de Fábio Wajngarten, Ernesto Araújo e Eduardo Pazuello. Em relação ao presidente Jair Bolsonaro, o senhor pensa em convocá-lo ou pedir esclarecimentos sobre a participação dele? Renan diz que "Isso é relevante frisar, mais uma vez: a CPI, como sublinhei no pronunciamento após ser honrado com a designação para relato-

ria, não tem alvos pré-determinados. Não se trata de uma Comissão Parlamentar Inquisitorial, mas de investigação. Aliás, ela não investiga pessoas, mas fatos. Se, no decorrer da apuração, conseguirmos provas robustas para imputações, aí sim, elas serão formalizadas. Mas não estamos em um quadro de absoluta dramaticidade por flagelos divinos ou casualidade. Estamos com esses índices sepulcrais por ação, omissão, incompetência, desídia ou má-fé de alguém. A tragédia brasileira não é fruto do acaso. Ela é consequência de erros, muitos em várias esferas da administração pública. Nós temos, provavelmente, o único chefe de Estado que conspirou diariamente contra todas as orientações da ciência. Um obscurantismo medieval, macabro".

> FIM DE UMA CATEGORIA

Lira comemora PEC da reforma que 'abolirá direitos' do servidor público Primeira Edição

Veículos da mídia, como o Portal da Veja, deram com destaque: 'Lira comemora aprovação da reforma administrativa na CCJ'. Lira é o deputado alagoano Artur Lira, presidente da Câmara Federal, e a reforma (que ainda vai ser votada duas vezes no plenário da Casa e depois no Senado), é a proposta do governo Jair Bolsonaro que, na prática, acaba com a figura do tradicional servidor público.

VEJA NOTICIOU:

"Pouco depois da aprovação da admissibilidade de PEC

da reforma administrativa na CCJ da Câmara, comandada pela bolsonarista Bia Kicis, o presidente da Casa, Arthur Lira, foi ao Twitter comemorar "mais um marco na agenda de reformas do país". O que disse Artur Lira: "Creio que o texto final estará maduro para ir ao Plenário, após as discussões na comissão. Importantíssimo: a reforma administrativa será feita de forma responsável e cuidadosa", escreveu Lira. O discurso governista é um coro: de Bolsonaro ao ministro da Economia, Paulo Guedes, passando pelos aliados no Congresso, todos enfatizam que a

Artur Lira encampa projeto de Paulo Guedes e tenta agilizar PEC que acaba com muitos direitos dos servidores

reforma não prejudica os servidores atuais. É o óbvio, pois o sistema que está aí é constitucional, por isso o governo emplacou uma emenda à Constituição para sepultar direitos garantidos, ao gosto do genial Paulo Guedes. O presidente da Câmara garantiu que as cláusulas pétreas serão respeitadas e que "todos os direitos e garantias dos atuais servidores e eventuais mudanças serão válidas apenas e tão somente para os servidores admitidos após a reforma". Claro, os futuros servidores é que não serão mais 'servidores com os direitos assegurados aos atuais'.

Proposta não atinge elite do funcionalismo Correio Braziliense

A reforma será agora discutida em uma comissão especial antes de ser levada ao plenário da Câmara e, depois, ao Senado. Caso a reforma seja aprovada pelo Congresso nos termos encaminhados pelo Executivo, a estabilidade no serviço público ficará restrita a carreiras típicas de Estado, como policiais, juízes, diplomatas e auditores fiscais. Nas demais carreiras, a garantia

no emprego será mantida para os atuais servidores, mas não valerá para quem ingressar no funcionalismo depois da reforma. O texto cria, ainda, novas modalidades de contratação (veja quadro). A oposição critica a reforma, que considera uma tentativa de atacar os direitos dos servidores e culpá-los pelos problemas de gestão financeira do Estado. Eles criticaram o que chamaram de "incoerência" do governo que, re-

centemente, baixou uma portaria permitindo a militares da reserva que exerçam funções públicas - incluindo o presidente Bolsonaro e o vicepresidente, Hamilton Mourão -, receber acima do teto constitucional. O deputado Darci de Matos (PSD-SC), relator da proposta, apresentou parecer favorável à admissibilidade do texto, mas suprimiu trechos que considerou inconstitucionais. Um deles dava poder ao

Executivo para alterar a estrutura de órgãos públicos e até extingui-los por decreto. Segundo Matos, a medida fere o princípio de separação de poderes. Outro ponto excluído foi a proibição da realização de "qualquer atividade remunerada" por servidores, além do cargo público. Darci de Matos também retirou do texto os trechos em que constavam os novos princípios da administração pública, como "imparcialidade", "trans-

parência, inovação, responsabilidade, unidade, coordenação, boa governança pública" e "subsidiariedade". No entendimento dele, as palavras poderiam gerar interpretações diversas e acabar em batalhas na Justiça, criando insegurança jurídica. A reforma, apresentada pelo governo federal em 2020, afeta apenas os novos servidores e estabelece que leis complementares tratarão de temas como política de

remuneração, ocupação de cargos de liderança e assessoramento, progressão e promoção funcionais e definição das chamadas carreiras típicas de Estado. Militares, magistrados e parlamentares estão fora da reforma, mas ainda podem ser incluídos durante a discussão da matéria, como querem deputados que defendem uma mudança mais ampla, que enquadre os supersalários do setor público.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

Política |A3

> DEBATE NA ALE Romero Vieira Belo

Enfoque Político Jornalismo é, antes de tudo, a busca da verdade

Segurança Pública: o que mudou em apenas 6 anos Orador brilhante, voz grave e envolvente, Teotonio Vilela - o pai costumava dizer que "o crime não é uma característica do povo alagoano", pois acontece aqui, no Rio de Janeiro, no Texas, em todas as partes do mundo. Verdade histórica inquestionável. O que varia - e o saudoso menestrel assinalava sempre essa distinção - é a intensidade, a frequência da prática criminal. A abordagem emergia do estado de beligerância que acometeu Alagoas nas décadas de 70 e 80, mormente em razão da 'guerra' travada entre 'Calheiros' (que, em verdade, eram membros da família Cavalcante Lins) e o célebre cabo Henrique. A partir daí, Alagoas passou a viver uma espécie de violência inercial alimentada por crimes passionais e ocasionais, mas também gerada em consequência do tráfico de drogas, cuja influência se expandiu com o próprio crescimento populacional do Estado e, em especial, com o surto demográfico de Maceió. No início do novo século o estado perdeu por completo o controle da criminalidade. A ação dos traficantes, os assaltos a bancos, os roubos de cargas e as invasões de domicílios se potencializaram com a vinda de bandidos de outros estados - Pernambuco, Paraíba, Rio de Janeiro, São Paulo. Alagoas, então, assumiu posição de liderança no cenário da violência nacional. De fato, a situação se deteriorou de tal forma que, no final de seu segundo mandato como governador (2014), Teotonio Vilela Filho se sentiu impelido a ir a Brasília pedir ajuda para combater a bandidagem em território alagoano. Naquele momento, a Segurança Pública Estadual emitia sinais de total exaustão. E o governo Dilma Rousseff atendeu ao apelo lançando aqui o projeto 'Brasil Mais Seguro', que não surtiu o efeito esperado. A realidade só mudou a partir de 2015, com Renan Filho no governo e um personagem novo no comando da Segurança: Alfredo Gaspar de Mendonça. Gaspar valorizou a Polícia, Renan Filho reforçou o sistema de segurança, e o resultado foi espetacular: Alagoas saiu do topo da violência nacional e Maceió se converteu numa das capitais mais seguras do País. OAB PRESTA JUSTA HOMENAGEM A LOIOLA Pelo desempenho equilibrado e competente ao longo da vida pública e, claro, pelos relevantes serviços prestados à sociedade alagoana, o sertanejo Inácio Loiola foi homenageado pela Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas. Sem pestanejar, o deputado e exprefeito de Piranhas estendeu a distinção aos companheiros do Poder Legislativo Estadual.

Deputado acusa governador e ouve revide de Marcelo Victor Maia fala em desrespeito ao Poder, mas Victor lembra relação urbana entre poderes Primeira Edição

Na ânsia de cumprir seu objetivo pessoal de 'acusar sempre', o governador Renan Filho, o deputado Davi Maia acabou ouvindo uma lição do presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Victor, cujo desempenho no comando da Casa de Tavares Bastos tem sido marcado pelo equilíbrio e muita serenidade. Na sessão plenária da ter-

ça-feira (25), em vez de 'reivindicar' ou 'cobrar' a distribuição de sementes (que ele lembra ser algo previsto em lei), Maia acusou o governo de 'desrespeitar' a legislação aprovada pelos próprios parlamentares. Em cima da bucha, o presidente Marcelo Victor revidou o ataque de Maia negando desrespeito ao Legislativo e reiterando o excelente relacionamento entre os poderes: "O

Governo desrespeita a lei, não esta Casa. Na verdade, nós temos uma relação urbana e respeitosa. Todos nós, deputados, respeitamos os outros Poderes e exigimos que eles nos respeitem também", disse Marcelo Victor, que aproveitou para 'cobrar' a distribuição de sementes com os produtores de todo o Estado. A deputada Ângela Garrote pediu a palavra e esclareceu que na região de Palmeira dos

Índios as sementes foram entregues no início do mês de março. - Gostaria também de informar que nos municípios de Estrela de Alagoas e Minador do Negrão os insumos chegaram em tempo hábil - assegurou a parlamentar, que é presidente da Comissão de Agricultura da Casa, e ainda observou ainda que "houve um atraso no cadastramento dos agricultores familiares". fotos: Divulgação

Davi Maia tenta jogar Poder Legislativo contra o governador Renan Filho

Marcelo Victor rebate Maia e lembra bom relacionamento entre os Poderes

Camelo faz intervenção demolidora O líder do governo na Casa, deputado Silvio Camelo, usou da ironia para demolir a crítica de Davi Maia: ele 'parabenizou' o parlamentar da oposição "pela importância do tema" e disse que a mesma preocupação do parlamentar teve o Executivo com a implantação do Programa Planta

Alagoas. - Esse programa tem o intuito de beneficiar 50 mil agricultores familiares, quilombolas, indígenas, assentados e acampados da reforma agrária. Ele não está apenas distribuindo sementes de milho e feijão, mas também de sorgo e arroz no baixo São Francisco",

informou o incansável Camelo.

ERRO DO PASSADO

Com o equilíbrio característico, o deputado Inácio Loiola interveio afirmando que as duas vertentes para alavancar o desenvolvimento do Estado são o turismo e a agricultura.

"A verdade é que, lamentavelmente, há mais de 20 anos a Seagri foi desmontada, ela está lá só como figura decorativa". O parlamentar disse que órgãos importantes no auxílio à pasta foram extintos e que problemas enfrentados pela Seagri não são causados pela atual gestão".

> REMANEJAMENTO

Inácio Loiola (D) recebendo homenagem da Ordem dos Advogados

Câmara aprova Orçamento, mas reduz autonomia do prefeito JHC Primeira Edição

AUDIÊNCIA DEBATE LDO NESTA SEGUNDA A Assembleia Legislativa realiza audiência pública nesta segundafeira (31) para debater o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2022. A convocação da sessão especial partiu do deputado Bruno Toledo, vice-presidente da Comissão de Orçamento, Finanças, Planejamento e Economia da Casa de Tavares Bastos. XXX Deputados que tentam chamar a atenção com críticas gratuitas ao governo, como Davi Maia e Bebeto, não têm a menor ideia de como a pandemia estaria dizimando a população alagoana não fossem os hospitais construídos e inaugurados por Renan Filho, em Maceió e no interior. Aos olhos da sociedade, estão devendo uma palavra de reconhecimento ao governador. 'PRESENTE DE GREGO' PARA AS NOVAS GERAÇÕES Os protagonistas da reforma que vai acabar com a figura do servidor público enchem os pulmões para afirmar que a PEC em tramitação não atingirá os atuais servidores. É verdade: a Constituição não permite. Em compensação, dificultará o futuro dos filhos e netos dos atuais funcionários públicos. DEMOROU, MAS AO MENOS GUEDES JÁ ENTENDEU... Se Bolsonaro, o outro Messias, ao menos pensasse como um de seus auxiliares, a vacinação andaria mais rápido e o governo contaria com a reabertura da economia mais rapidamente. Paulo Guedes, o auxílio, anda dizendo que tanto a saúde quanto a economia estarão a salvo com a população devidamente vacinada. PROTESTOS: É SANDICE QUE NÃO ACABA MAIS Ao convocar manifestações de rua contra Bolsonaro, os partidos contrários ao governo cometem o mesmo erro que estão cansados de condenar: a aglomeração de pessoas em pleno avanço da pandemia. Fazer política menor com o pretexto de defender o isolamento social também é um ato de irresponsabilidade.

Finalmente, após pressão e cobrança até do Ministério Público Estadual, que chegou a pedir multa diária para punir a Casa e seu presidente, a Câmara Municipal de Maceió aprovou a Lei Orçamentária Anual para o ano de 2021, que deveria ter sido votada e aprovada até dezembro passado. A LOA prevê uma receita de R$ 2,5 bilhões e fixa o duodécimo do Legislativo Municipal em R$ 72.032.066,91, enquanto destina R$ 374.471.878 para o setor educacional. O Orçamento da capital para o exercício de 2021 estipula o montante de R$ 831.053.654 (32,37% da despesa total) para gastos com a saúde pública dos maceioenses. O PLOA teve como relator o vereador João Catunda (PSD), enquanto o vereador Brivaldo Marques (PSC) presidiu a Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização Financeira Os vereadores decidiram reduzir a margem para remanejamento de recursos conferida ao prefeito João Henrique Caldas, o JHC, causando estranheza em assessores da Muni-

Após cobranças, Câmara aprova Orçamento reduzindio autonomia de JHC

cipalidade. Como se sabe, a margem para remanejamento é o que garante, na prática, a execução dos projetos concebidos pelo administrador -e era de 25% da receita total, na gestão do ex-prefeito Rui Palmeira. Agora, a maioria dos vereadores decidiu reduzir para apenas 5% a autonomia do prefeito para deslocar recursos de um setor para outra, o que a partir dessa mudança no Orçamento terá de ser feito mediante encaminhamento de propostas à Câmara. Trocando em miúdos: toda

vez que o prefeito JHC pretender remanejar recursos de um setor para outro, e que isso implique em superara margem de 5% permitida, ele terá de submeter a matéria à apreciação dos vereadores. E é dessa forma - como explicam observadores políticos - que os vereadores jogam o jogo de seus próprios interesses: "Aprovam o que o prefeito pede, mas cobram alguma coisa em troca".

CÂMARA

A assessoria de comunicação da Câmara informa que,

"em pouco mais de 100 dias, a gestão austera da Mesa Diretora da Câmara de Maceió resultou num enxugamento dos gastos de R$ 1,9 milhão (R$ 1.984.545,83). Não foi fácil, mas um levantamento minucioso e a renegociação de contratos acabou por ajudar a evitar desperdício de dinheiro público. O presidente da Casa, vereador Galba Netto (MDB) conta que os cortes principais ocorreram na folha de pagamento, alugueis de gabinetes e serviços terceirizados em todas as áreas". A matéria salienta: "Nos debruçamos de forma atenta aos números e passamos a observar onde existiam excessos ou possibilidades de ajustes. A análise dos contratos também foi um outro ponto que proporcionou uma economia significativa. Desde que assumimos nossa proposta era a de que tínhamos a obrigação de tratar os recursos públicos com responsabilidade como manda a lei e a sociedade espera. Deste mondo com folha mais enxuta e com o equilíbrio dos gastos estamos conseguindo conduzir a gestão da casa mantendo o que é essencial", explicou Galba Neto.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

A4 | Nacional

> NO SUPREMO Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

O PAÍS ESTÁ JOGANDO NO ESCANTEIO Sabe aquela falta no futebol que faz com que o outro time chute do ângulo do adversário para dentro da área dando oportunidade de gol ? Pois é exatamente assim que o Brasil está jogando cheio de oportunidades de mostrar jogo de sucesso, cercado de muita gente que enxerga e de um monte de cegos querendo atrapalhar. Quando pensa em pontuar nas relações com seus adversários de outros países o faz de maneira tão estabanada que normalmente sai de campo machucado para não mais entrar no jogo. Quando se pensa que o jogo vai melhorar e que a oportunidade de gol surge com alguma marcação de penalty, nosso país chuta errado por cima do gol e a bola desaparece no meio da multidão que tanto espera por um acerto. O Brasil está em campo no momento contando com o desrespeito de gregos e troianos sem entender que também nessa contenda a dignidade precisa estar em campo para que se chegue a um resultado satisfatório. Os técnicos estão completamente jogados às traças insistindo que estão com a bola mas não estão nem com a de pingue-pongue. Aliás, é bom lembrar que a China é campeã mundial desse esporte e o Brasil não está nem um pouco treinado. Por conseqüência vai continuar recebendo a bolinha na cara. Será?

DESTACÔMETRO

O destaque vai para a educadora de primeira linha, Ruth Freitas que tem uma espetacular visão da educação a nível macro e que precisa ser acompanhada através de seus livros e de suas idéias.

PÍLULAS DO OUVIDOR É uma pena termos que estar falando nessa pandemia toda a semana. Mas, a coisa está tão feia e tão séria que não dá para deixar de lado. Um estado como o de Alagoas, tão bem organizado no assunto não poderia estar passando por isto. No entanto, parece que a terceira onda veio com força pegando a todos quase que de surpresa. Imaginem, se o governador não tivesse equipado o estado com tantos hospitais! Em outros tempos estaríamos em calamidade total. E aí parece que quando a coisa está feia os perdedores de plantão ficam a espalhar boatos e "fakes" piorando o que já está ruim e deixando a sociedade mais aflita do que já está. Isso é um crime, gente! Vi, por exemplo, alguém colocar no ar um depoimento de um suposto médico de fora afirmando que todos os vacinados vão morrer daqui a dois anos. Além de charlatão ainda temos que agüentar o visionário palhaço. Não sei até que ponto a CPI da Covid não deva se meter também no meio dessas coisas que só servem para atrapalhar a vida e a cabeça das pessoas. Investigar Blogs e Sites que difundem notícias ardilosas e maldosas como essa acima. Em boa hora, o governo do estado está preparando para abrir os concursos públicos em vários segmentos. Existem órgãos, como o Tribunal de Constas que só estão perdendo seus funcionários por aposentadoria e sem fazer substituições. Por menos que possa parecer aos leigos, esse problema é muito sério porque vai criando vazios na administração ou excesso de trabalho com certa mão de obra. Esse tipo de coisa só acrescenta problemas. E só o concurso público resolve. Gente, a turma do governo está começando a andar se equilibrando na corda bamba. Vejam o caso do Ministro Salles, do Meio Ambiente. Parece que encontraram o pulo do gato que o ministro dá para aumentar seu patrimônio. Depois que o Conselheiro Rodrigo Cavalcante assumiu a Escola de Contas do TCE-AL e colocou na direção técnica a competente advogada Kézia Rodrigues (foto) aquela importante escola vem se demonstrando de grande valia para a sociedade alagoana.

Barroso relata o processo de Bolsonaro contra ‘lockdown’ Presidente questiona competência dos estados para fechar tudo durante a pandemia fotos: Divulgação

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), será o relator da ação apresentada à Corte pelo governo federal que pede a suspensão das medidas de lockdown e toque de recolher adotadas no Rio Grande do Norte, no Pernambuco e no Paraná em razão da pandemia da covid-19. O pedido foi entregue ao Supremo na quinta-feira (28/5), assinado pelo advogado-geral da União, André Mendonça. Segundo o texto do Executivo, "não há espaço válido no ordenamento jurídico pátrio que autorize prefeitos e governadores decretarem unilateralmente medidas de lockdowns e toques de recolher de forma ampla, genérica, arbitrária e indiscriminada como vem sendo feito". O governo afirma que "tal circunstância denota manifesta desproporcionalidade, sobretudo quando a ciência já demonstra os nefastos impactos que medidas dessa natureza traduzem para a autonomia dos cidadãos, atingindo inclusive a saúde física

Ministro Roberto Barroso é o relator da ação de Bolsonaro contra o lockdown em três estados

e emocional". Na peça, o Executivo ainda reclama que alguns governos estaduais e municipais estejam implementando "sem qualquer supervisão legislativa - portanto, vio-

lando o princípio democrático -, medidas que interferem drasticamente no Estado de Direito", que "vêm restringindo, de modo desarrazoado e desproporcional, direitos e liberdades fundamentais da população".

> GUEDES ANUNCIA

Governo planeja 'perdão tributário' para empresas O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou ontem, durante evento online com empresários do setor industrial, a criação do "passaporte tributário" - um plano para perdoar dívidas tributárias de pequenas empresas - e explicou que o governo está trabalhando para destravar canais internacionais de crédito para exportadores brasileiros. No caso do passaporte, disse ele, a empresa terá "quase um perdão fiscal", dependendo da dimensão da queda da receita que teve em consequência da pandemia. O projeto do passaporte tributário funcionaria como um braço da reforma tributária, segundo explicou Paulo Guedes, e deve começar a tramitar no Senado nas próximas semanas. Na análise do ministro, trata-se de "um conjunto de facilidades a quem caiu". "O pequeno restaurante quebrou, fechou, está devendo R$ 50 mil. Quero que ele reabra, crie emprego. Não adianta ficar esperando que ele pague. As empresas que tiveram queda acima de 20% do faturamento têm um desconto na dívida. Se caiu 40%, tem um desconto maior ainda

Bolsonaro e Guedes admitem conceder ‘perdão tributário’ para aliviar crise de pequenas empresas

Se caiu 80%, é quase um perdão fiscal”. O discurso do ministro, embora tenha agradado ao empresariado, não foi bem visto por parte dos analistas de mercado. Para Flávio Serrano, economista-chefe da Greenbay Investimentos, o Brasil vive uma situação fiscal delicada e frágil. "Não há es-

paço para qualquer concessão. Claro que a gente vive um momento de crise em que o governo precisa determinar algumas proteções. Mas, sem cuidado, acaba comprometendo o futuro da nação. E sequer sabemos o impacto financeiro desse passaporte tributário", disse.

> APOIO DO LÍDER

Ciro tenta explicar Lupi acerca do voto impresso Diário de Pernambuco

ABRAÇOS IMPRESSOS Os abraços não são para mim mesmo, na foto, mas para uma época bem vivida quando eu estava jurado do conhecido Programa Flávio Cavalcante. Corria o ano de 1979 e ao final todos assistimos e lamentamos o fechamento da Rede Tupi de Televisão. Uma pena!

Candidato à presidência da República pelo PDT em 2018, Ciro Gomes saiu em defesa do presidente do partido, Carlos Lupi, nesta sexta-feira (28). Quinta (27), foi publicado um vídeo com o líder da sigla defendendo o voto impresso. Eles ressaltam que existe diferença em relação ao apelo do presidente Jair Bolsonaro. "Nós, do PDT, através do nosso líder Leonel Brizola, fomos os primeiros a falar isso. E temos coragem de dizer a todo o povo brasileiro: sem a impressão do voto não há possibilidade de recontagem. Sem recontagem, a fraude impera”, disse Lupi. Ciro Gomes publicou uma série de tuítes justificando a fala de Lupi. "Para ficar bem claro: o que Lupi defendeu, teoricamente, em uma entrevista, não foi a substituição do voto eletrônico por voto em papel. Mas o aperfeiçoamento da urna

Ciro Gomes tenta explicar posição do presidente Carlos Lupi a favor do voto impresso em 2022

eletrônica, tornando-a capaz de gerar um canhoto impresso", escreveu o político”,

escreveu o político que faz oposição tanto a Bolsonaro quanto ao petista Lula.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

Geral | A5

Governador abre ou fecha economia de acordo com 'sufoco nos hospitais'

IO R Á CEN OANO G A L A

Prefeitura otimiza campanha, mas imunização em Maceió segue lenta por escassez de imunizantes fotos: Divulgação

Primeira Edição A ocupação dos leitos da UTIs nos hospitais alagoanos tem oscilado de acordo com a evolução da pandemia (na quarta-feira bateu os 92%, caindo para 86% na sexta-feira) e é exatamente essa variação que determina o grau de restrições aplicadas ao funcionamento da economia, principalmente do comércio em geral. Como explica um assessor governamental, "o governador Renan Filho adota protocolos e assina decretos de forma coerente e responsável e se orientando por duas vertentes: o posicionamento da ciência e a capacidade da rede hospitalar estadual - pública e privada". O mesmo assessor chama a atenção para um fato determinante: não fossem os novos hospitais construídos pelo atual governo (Hospital da Mulher e Hospital Metropolitano em Maceió, além do Hospital Regional do Norte e Hospital Regional da Mata) as mortes por Covid em Alagoas teriam

Renan Filho abre ou fecha economia de acordo com o grau de superlotação dos hospitais

disparados durante os picos da pandemia. Após ser informado sobre o aumento de óbitos e ameaça de exaustação na cadeia hospitalar, na quinta-feira (27) o governador Renan Filho se viu na contingência de baixar novo decreto adotando medidas mais rígidas de distanciamento

social e novas restrições para o comércio, bares e restaurantes, que voltam a ser fechados nos finais de semana. E justificou: - Para preservar a segurança das pessoas e apresentar ao alagoano que o Brasil se coloca muito próximo de uma nova onda, que, se não for contida, perderemos muitas vidas. As

Hospitais lotados, com excesso de pacientes de Covid, exigem ações restritivas do governo

pessoas às vezes não sabem o que são 450 mil vidas perdidas, só compreendem mais de perto quando essa morte leva alguém de sua família. Tem gente que tem dificuldade de observar isso, mas o estado tem que cumprir o seu papel.

VACINAÇÃO

A vacinação continua lenta em Alagoas por falta de imunizantes. Na última quinta-feira (27), a aplicação da 1ª dose das vacinas contra a Covid-19 chegou a ser suspensa em Maceió por falta de vacinas, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Quando chegam novas remessas da Astrazenica e Pfizer,

e para compensar o 'tempo perdido', a Prefeitura está realizando vacinação fora do horário habitual, acionando o popular 'corujão'. Milhares de alagoanos ainda aguardam para os próximos 20 dias a chegada de mais vacinas Coronavac para aplicação da segunda dose.

> DECISÃO INCOMPETENTE

Tribunal barra volta de aula presencial determinada por uma juíza do interior PE com Assessoria O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Klever Loureiro, suspendeu a decisão de primeiro grau que determinava o retorno das atividades escolares presenciais nas instituições de ensino da rede estadual. A determinação, proferida no último dia 13, foi da juíza Soraya Maranhão, da 1ª Vara de União dos Palmares (que não tinha competência para tal, conforme a decisão em grau de recurso), atendendo pedido do Ministério Público Estadual. De acordo com o desembargador Klever Loureiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, na Arguição de Descumprimento de Preceito

Fundamental 672, que os estados têm competência para adotar medidas sanitárias de contenção à pandemia para proteção da saúde pública, dentre as quais a suspensão das atividades escolares. "Com base nessa competência, o Estado de Alagoas editou o Decreto dispondo que todo o Estado permanece na fase vermelha, com restrição ao retorno das aulas escolares da rede pública. Ato contínuo, dentro de sua margem de decisão, o decreto administrativo promoveu a flexibilização de restrições anteriores relativas a algumas atividade". Ainda segundo o presidente do TJAL, não se pode enquadrar abstratamente o retorno às aulas das redes públicas na

Klever Loureiro invoca Supremo e desfaz liberação de aulas presenciais

zona de certeza do conceito de essencialidade, já que não se evidencia nenhum absurdo no decreto estadual. E consequentemente, ao determinar a reto-

mada das aulas na rede pública de ensino, a decisão atacada interferiu na regular função do Poder Executivo de adotar as medidas restritivas cabíveis ao

combate à pandemia, causando lesão à ordem pública. "Quem detém a melhor capacidade técnica para definir quais as atividades essenciais e não essenciais, à luz das circunstâncias concretas, além de ser sua a competência inicial, é o Poder Executivo. É o Estado de Alagoas que possui os dados e as informações sobre o cenário estadual da pandemia, sobre os aspectos econômicos e hospitalares, assumindo melhores condições de decisão sobre as atividades que podem ser retomadas, o que demanda uma postura de deferência do Judiciário", frisou Loureiro. O presidente Klever Loureiro também explicou que sem os dados e informações técnicas das circunstâncias locais que

permitam uma visão macro, o Judiciário não pode ir além de seu limite funcional e comparar atividades de circunstâncias distintas apenas por uma percepção abstrata, enquanto se está diante de uma pandemia que demanda complexas análises por afetar concretamente diversas áreas sociais. Ao recorrer ao 2º grau, o Estado alegou que a medida administrativa foi tomada a partir de estudos técnico-científicos das Secretarias e das entidades que compõem o Gabinete de Crise como forma de contenção à pandemia. Disse que o retorno das aulas nesse momento causaria grave lesão à ordem e à saúde pública, tendo em vista que aumentaria o risco de contágios.

> ÁGUA E SANEAMENTO

Sucessora da Casal explica metas em coletiva marcada para esta terça-feira Assessoria Dentro de um mês, a BRK Ambiental assumirá os serviços de água e esgotamento sanitário em 13 cidades da Região Metropolitana de Maceió. A empresa, uma das maiores de saneamento do Brasil, caminha para a reta final da operação assistida junto à Companhia de Água e Saneamento de Alagoas (Casal) - etapa inicial da concessão, que consiste em acompanhar as rotinas operacionais e conhecer detalhadamente o funcionamento dos sistemas de água e esgoto na região. Com atuação em mais de 120 municípios brasileiros, a gigante do grupo ca-

nadense Brookfield começa a operar no estado a partir do dia 1° de julho. Durante o período preparatório, iniciado em janeiro, a BRK Ambiental designou profissionais com ampla experiência na área de saneamento para acompanhar os procedimentos operacionais realizados pela Casal. Até o término da operação assistida, a BRK não executa nenhum serviço, apenas acompanha a atuação da atual concessionária. Além de mapear toda a estrutura das redes de água e esgoto com o máximo possível de detalhes, também é de responsabilidade da BRK apresentar, ao longo dos seis meses

BRK Ambiental vai assumir operações da Casal no dia primeiro de julho

de operação assistida, os planos de atendimento ao usuário, investimento e operação

da empresa ao Governo do Estado, à Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado

de Alagoas (Arsal) e à Casal, que passará a fornecer água tratada para a BRK. De acordo com o diretor presidente da BRK Ambiental Alagoas, Fernando Mangabeira, a empresa está focada em atender as obrigações contratuais para, em breve, divulgar detalhes dos planos de atuação. "Neste momento, nossa equipe conta com o suporte da Casal para fazer o levantamento da rotina operacional dos sistemas e conhecer todos os processos realizados atualmente. Ao mesmo tempo, estamos estruturando a unidade e os planos de atendimento, operação e investimento, que serão aplicados na Região Me-

tropolitana de Maceió a partir de julho. Em breve, apresentaremos a toda a sociedade como é o trabalho da BRK e o que muda com a nossa chegada", destacou. Para apresentar mais detalhes sobre o atendimento ao usuário, a operação e manutenção dos sistemas, como será a atuação em cada município e quais investimentos serão realizados para universalizar a água e o esgotamento sanitário na região, a empresa prepara uma coletiva de imprensa que será realizada nesta terça-feira, 1° de junho, exatamente um mês antes do início das operações em 13 cidades da Grande Maceió.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

A6 | Geral

> CONTRA GOVERNO FEDERAL

Protestos agitam o sábado em todo País Manifestantes gritam 'fora Bolsonaro' e pedem mais vacina. Em Maceió, trabalhadores se mobilizaram na região do Centro fotos: Divulgação

Primeira Edição

Manifestantes realizaram manifestações de rua em inúmeras cidades do País, neste sábado (29), contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a favor de causas como a aceleração do ritmo da vacinação, a defesa do auxílio emergencial e a valorização da educação e da saúde no país. Em Brasília, o protesto se concentrou próximo ao Museu Nacional da República e depois desceu pela Esplanada dos Ministérios, rumo ao Congresso Nacional. Todas as seis faixas da via foram ocupadas. Os participantes do protesto carregavam faixas e cartazes com palavras de ordem como "Fora Bolsonaro" e "Vacina Já". Faixas também lembram os mais de 450 mil mortos no país vítimas da Covid-19. Havia também um boneco de Bolsonaro caracterizado com o bigode de Adolph Hitler e com as mãos sujas de sangue. Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Belém, João Pessoa, Florianópolis, Teresina, Palmas, Porto Velho, Aracaju, São Luís e outras capitais também registraram protesto contra o presidente. Em Maceió, grupos de esquerda organizaram uma marcha, reunindo trabalhado-

Protesto contra o governo Bolsonaro levou milhares às ruas em todos os estados brasileiros

res, a partir da Igreja dos Martírios, no Centro da capital. Eles exibiam faixas e cartazes contra o governo federal e gritavam palavras de ordem como 'Fora Bolsonaro', 'Mais recursos para saúde e educação' e 'mais vacinas'. Organizadores disseram que o protesto foi uma resposta ao cortejo de motoqueiros liderados pelo presidente no Rio de Janeiro, domingo retrasado, e

informaram que o ato em Maceió contou com cerca de três mil pessoas. Os atos foram registrados com mais intensidade nas capitais nordestinas. Na parte da manhã já havia manifestantes reunidos nas ruas de Salvador, Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Teresina e São Luís. Não houve registro de violência, segundo informações da PM, e na maioria dos protestos

Em Maceió, manifestantes cobram vacina e comida no prato, em ato na região do Centro

os participantes fizeram questão de usar máscaras, um item de proteção contra a Covid-19 quase sempre desprezado pelo presidente Bolsonaro.

REIVINDICAÇÕES

Entre as principais reivindicações dos manifestantes está a defesa do impeachment de Bolsonaro em razão das mais de 450 mil mortes ocorridas no Brasil por causa do coronaví-

rus. Os manifestantes demandam auxílio emergencial de ao menos R$ 600 e vacinação para toda a população, além de repúdio a cortes de orçamento no MEC (Ministério da Educação), à Reforma Administrativa e a privatizações de empresas públicas. Também pedem o fim das mortes da população pobre e preta. Os atos deste sábado acontecem após Bolsonaro par-

ticipar de um passeio com motociclistas no Rio de Janeiro, no último domingo (23) -no evento, foram registradas aglomerações e falta de uso de máscaras. O ato terminou com um discurso ao lado do ex-ministro da Saúde general Eduardo Pazuello. Bolsonaro atacou governadores e prefeitos que decretaram medidas de restrição contra a covid-19.


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021 Diário Oficial dos Municípios - Opinião - Social

> RECUPERAÇÃO

Pivetti tem problemas para ajustar o CSA Na derrota de 1x0 contra o Náutico, o Azulão criou apenas duas chances na primeira rodada da Série B, praticamente nada GE O primeiro desafio do técnico Bruno Pivetti na Série B é arrumar o setor ofensivo do CSA. Perdas recentes, atletas machucados e a queda de produção de peças importantes

diminuíram a força do ataque da equipe. A última baixa foi o atacante Rodrigo Pimpão. Titular desde o ano passado, ele acertou com o Operário-PR e se despediu do CSA após a conquista do título alagoano, na

semana passada. Na estreia da Série B, contra o Náutico, Pivetti escolheu Aylon para atuar na direita. O atacante, no entanto, ainda não se destacou. Em 13 jogos pelo CSA, não marcou nenhuma vez e tam-

bém tem participado pouco das principais ações ofensivas. Costuma sair no segundo tempo. Do outro lado, Marco Túlio caiu de produção. Ele chegou a ser destaque do CSA no ano, mas não foi bem contra o Náutico e acabou substituído por Silvinho, que melhorou o desempenho do time na etapa final. Mesmo assim, o CSA criou apenas duas chances no jogo e perdeu por 1 a 0, nos Aflitos.

CADÊ O DELLATORRE?

Artilheiro do CSA em 2021, com 12 gols, Guilherme Dellatorre se recupera de uma lesão nas costas e não jogou nas últimas duas partidas, contra CRB e Náutico. Fez falta. Iury Castilho, o substituto contra o

time pernambucano, não foi bem nos Aflitos. Outra peça importante da equipe, o meia Bruno Mota também levou uma pancada nas costas e vai ser reavaliado durante a semana. A expectativa do técnico é que ele, Dellatorre e o meia Gabriel (desgaste muscular) possam jogar no próximo sábado, contra o Sampaio Corrêa, no Rei Pelé. Essas três peças ajudariam Pivetti a melhorar a qualidade ofensiva do CSA na próxima rodada da Série B. O treinador também pode receber reforços. - Tivemos alguns desfalques, obviamente que estamos completamente comprometidos com a evolução interna da equipe, mas sempre atentos ao

mercado. Caso precisemos de uma peça pontual, não tardaremos em recorrer ao mercado.

RECONHECIMENTO

O técnico Bruno Pivetti analisou a partida e apontou onde a equipe falhou. na derrotapara o Náutico. - No primeiro tempo, nós fugimos completamente das nossas características, que é ter uma posse de bola, uma organização ofensiva, que envolva o adversário, tanto ali na saída de jogo com o goleiro como também nas posições mais avançadas do campo de jogo. Não conseguimos nos impor nesse sentido. O CSA volta a campo no dia 5 de junho, quando recebe o Sampaio Corrêa no Rei Pelé, às 16h30. Divulgação

Marco Túlio não foi bem contra o Náutico, ele chegou a ser destaque do CSA no ano, mas nãorendeu na Série B

> NO FINAL

Remo abre 2 a 0, mas CRB reage e garante 2 a 2 Divulgação / Aílton Cruz

GE CRB e Clube do Remo empataram em 2 a 2 na tarde do último sábado, no Estádio Rei Pelé, em Maceió, pela estreia dos clubes na Série B do Brasileiro. O Leão Azul abriu 2 a 0 com Lucas Siqueira, mas Hyuri diminuiu no primeiro tempo. Na segunda metade do confronto, em um jogo de muitas alternâncias de superioridade, o Galo partiu para o abafa e conseguiu o empate aos 43 minutos, com Diego Torres.

PRIMEIRO TEMPO

O jogo começou morno e passou a pegar fogo a partir dos 10 minutos. Longe de Belém, o Remo não se intimidou e abriu o placar com Lucas Siqueira, de cabeça, depois de um desvio em uma cobrança de lateral na área. Exatamente 10 minutos depois, novamente ele, Lucas Siqueira, aproveitou uma falha de Diogo Silva e, no rebote, ampliou a vantagem remista: 2 a 0. O lance estava em impedimento, mas foi validado pela arbitragem. O CRB passou a pressionar, rondar a área do time paraense e diminuiu aos 26, quando Hyuri aproveitou um vacilo de Mar-

Pela Série B o Galo vai enfrentar o Cruzeiro, neste domindo, no Mineirão

lon, dominou bonito no peito e tocou na saída de Vinícius. O Galo passou a ter o domínio do confronto, mas não conseguia chegar com perigo à defesa do Leão.

SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, muita alternância de superioridade. O CRB começou melhor, trocando passes, imprimindo lances em velocidade, mas sem levar dificuldade a Vinícius. Depois, o Remo saiu mais pro ataque. Em uma jogada rápida, Gedoz chutou forte, rasteiro, e a bola bateu na rede pelo lado de fora. Precisando do gol, a

equipe alagoana foi para o tudo ou nada e arriscou mais. Diego Torres recebeu na frente da área e acertou a trave depois que a bola desviou em Romércio. Mesmo sofrendo pressão, os remistas se seguravam na defesa, mas a estratégia ruiu aos 43 minutos. Dudu bateu escanteio, a bola passou por todo mundo e Diego Torres apareceu na segunda trave pra cabecear e empatar o placar no Rei Pelé: 2 a 2. O CRB volta as atenções para a terceira fase da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, recebe o Palmeiras no Rei Pelé, a partir das 21h30, no jogo de ida.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

B2 | Esportes

> CHAMPIONS LEAGUE

Chelsea vence o Manchester e é campeão O grande time de Londres derrotou o Manchester City por 1 x 0 e conquistou a competição continental com muito mérito fotos: Divulgação

Redação com Web O Chelsea é o grande campeão da Champions League. Jogando no estádio do Dragão, em Portugal, o time de Thomas Tuchel derrotou o Manchester City por 1 x 0 e levantou seu segundo título da competição continental. Os dois times fizeram um primeiro tempo de muito equilíbrio. Apostando em seus jovens talentos, Chelsea e City fizeram um jogo de muito estudo na primeira etapa. Mas apesar do equilíbrio, as duas equipes conseguiram criar boas chances. Antes dos 10 primeiros minutos, o Chelsea criou duas boas oportunidades, mas parou em Ederson. Já o City chegou com Sterling, mas Mendy salvou o time de Londres. A coisa parecia ficar ruim para o Chelsea, quando a equipe de Thomas Tuchel perdeu Thiago Silva, lesionado. Mas não foi o que aconteceu. Aos 42 minutos, Mason Mount deixou Kai Havertz na boa para se livrar de Ederson e abrir o placar. E descer para o vestiário com a vantagem no placar.

MAESTRO FORA

Na segunda etapa, o City voltou disposto a empatar a partida. Porém, aos 10 minutos, o time de Pep Guardiola perdeu seu principal jogador de meio de campo. Kevin De Bruyne se envolveu com cho-

Com o bicampeonato da Liga dos Campeões, o Chelsea é o primeiro time classificado para o Mundial de Clubes

que com Rudiger e deixou o gramado, para entrada de Gabriel Jesus. O City manteve-se no ataque durante todo o segundo tempo, mas sem seu principal criador de jogadas e esbarrando em uma defesa inspirada dos blues, o time de Manchester acabou derrotado. Fim de jogo e o Chelsea é campeão da Champions League na temporada 2020/21. O time de Londres conquista a segunda taça da competição continental.

COMEMORAÇÃO

Desde a noite do último sábado, Chelsea e jogadores cam-

peões registraram nas suas redes sociais os bastidores da comemoração ainda nos vestiários do Estádio do Dragão. A taça virou figura onipresente em fotos e vídeos. Autor do gol do título, o alemão Kai Havertz foi outro que deu bom dia aos seus seguidores com imagens de sua comemoração com os companheiros. A delegação do Chelsea embarcou na tarde do último domingo de volta para Londres. Antes da decolagem, a taça fez uma visitinha na cabine do avião, sendo mais um atrativo da merecida conquista.

MUNDIAL DE CLUBES

Nos últimos 14 anos, apenas um time europeu que disputou o Mundial de Clubes não saiu campeão. Essa equipe estará na próxima edição do torneio. Com a conquista do bicampeonato da Liga dos Campeões, o Chelsea é o primeiro classificado para a competição e vai tentar o seu primeiro título do torneio organizado pela Fifa. O Chelsea participou do Mundial em 2012, ano de sua primeira conquista da Champions. Venceu o Monterrey por 3 a 1 na semifinal e perdeu a decisão para o Corinthians, por 1 a 0.

> ELIMINATÓRIAS

Presidente da CBF, Rogério Caboclo faz visita à seleção brasileira GE A seleção brasileira recebeu a visita do presidente da CBF, Rogério Caboclo, na manhã do último domingo. O mandatário chegou à Granja Comary e conversou com o técnico Tite, o coordenador Juninho Paulista e também com alguns atletas, antes do treinamento realizado às 11h. Seleção espera definição de sede da Copa América até terça-feira e planeja treinos no CT do São Paulo A visita de Caboclo já era esperada para o período de concentração da equipe no CT em Teresópolis, em meio a um mal-estar entre o presidente e a comissão técnica de Tite. Com esforços para contornar crise institucional, o presidente fez cobranças internas sobre vazamento de informações, o que incluiu - e incomodou - a comissão técnica de Tite. A equipe vem realizando treinamentos na Granja Comary, em preparação para os próximos compromissos das eliminatórias da América do Sul, contra Equador e Paraguai, nos dias 4 e 8 de junho, respectivamente. Juninho lembra aposta em Paquetá no Lyon e vê nova fase na Seleção: "Precisava de atenção e confiança" O grupo em Teresópolis conta, neste momento, com 18 dos 24 convocados por Tite para os compromissos. O meia Fred, que participou da final da

Rogério Caboclo conversa com Tite em visita à Granja: tom amistoso depois de atritos que geraram polêmicas

Liga Europa com o Manchester United, na última quarta-feira, foi o último a chegar, na manhã de sexta. O próximo a se apresentar, de acordo com a programação da CBF, será o goleiro Weverton, que chegará na noite deste domingo, depois de jogar a primeira rodada do Brasileirão com o Palmeiras, diante do Flamengo. Ainda se apresentarão nos próximos dias os três jogadores que jogarão a final da Liga dos Campeões - Thiago Silva (Chelsea), Ederson e Gabriel Jesus (Manchester City) - e os atletas do Flamengo, Gabigol e Everton Ribeiro. A princípio, todos

chegam na segunda-feira - exceto Gabriel Jesus, que a programação prevê que se apresente na terça. Enquanto o grupo não fica completo, participarão dos treinamentos nos próximos dias cinco jovens jogadores de Athletico-PR, Flamengo e Fluminense. São eles os goleiro João Fernando (Flamengo, 20 anos) e Léo Linck (Athletico, 20 anos), o zagueiro Luan Patrick (Athletico, 19 anos), o meia Daniel Cabral (Flamengo, 19 anos) e o atacante Matheus Martins (Fluminense, 17 anos). A seleção brasileira treina na Granja Comary até a próxima quarta-feira, quando em-

barca para Porto Alegre, onde realizará o primeiro compromisso na atual Data Fifa, diante do Equador, no Beira-Rio, no dia 4 de junho. Depois, viaja para Assunção, onde enfrentará o Paraguai, no Defensores del Chaco, no dia 8. O Brasil é líder das Eliminatórias da Copa do Mundo após quatro rodadas, com 100% de aproveitamento, somando 12 pontos. Nos primeiros quatro jogos, a Seleção superou Bolívia (5 a 0), Peru (4 a 2), Venezuela (1 a 0) e Uruguai (2 a 0). O Brasil é o grande favorito para chegar a mais uma Copa do Mundo.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

Esportes | B3

> 3X0

Bahia atropela o Santos em sete minutos Tricolor bate o Peixe com três gols feitos no começo do segundo tempo, os três pontos deixam a equipe entre os líderes GE Foi um atropelo. Em sete minutos, na largada do segundo tempo, o Bahia nocauteou o Santos, fez três gols e garantiu a vitória na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, neste sábado, no estádio Pituaçu, em Salvador. Thaciano, com dois gols em duas assistências de Rossi, abriu o placar. Juninho completou – em um golpe duro para o Peixe, vindo de eliminação na fase de grupos tanto no Campeonato Paulista quanto na Libertadores da América.

PRIMEIRO TEMPO

O Bahia começou melhor, colocou o time no ataque e criou chances nos minutos iniciais da partida. Rodriguinho teve chute interceptado, Thaciano finalizou para fora, Gilberto cabeceou desequilibrado. Com o tempo, o Santos foi se soltando. Com mais posse de bola, passou a cercar a área adversária, mesmo que a defesa tricolor se sobressaísse – como ao cortar boa chegada de Lucas Braga e ao bloquear chute de Marinho. O controle das ações não resultou em chances de gol para o Peixe – e o jogo ficou sonolento. Aos 35, Jean Mota quebrou o tédio ao pegar rebote fora da área (depois de o goleiro Mateus Claus espalmar cruzamento de Pará) e bater

fotos: Divulgação

com perigo. O Bahia tentou reagir com escapadas de Rossi pela direita, mas sem sucesso. Aos 40, Rodriguinho teve a melhor chance: recebeu às costas da zaga, livre, desviou do goleiro e mandou para fora. A arbitragem marcou impedimento depois da finalização, mas o meia estava em posição legal – se a bola tivesse entrado, o VAR confirmaria o gol. Aos 45, Marinho respondeu à altura. Chutou forte, de dentro da área, e forçou o goleiro Mateus Claus a fazer grande defesa.

DESTAQUE

Com dois gols em três minutos, o meia Thaciano foi um dos destaques da vitória por 3 a 0 do Bahia sobre o Santos, em partida realizada no último sábado, em Pituaçu. - A gente sabia da dificuldade da partida. O Dado [Cavalcanti] tinha passado para a gente. A gente sabe como a equipe do Santos é difícil de se jogar. A gente teve um jogo mais forte no início do primeiro tempo. Tive uma chance no início do primeiro tempo, mas foi para fora. No início do segundo tempo, acertei as finalizações. Agora é dar sequência, porque na quarta tem mais uma batalha – afirmou Thaciano.

SEGUNDO TEMPO

O Bahia desmontou o Santos na largada do segundo tempo. Em sete minutos, vencia por 3 a 0, com o Santos desnorteado. Os dois primeiros gols foram muito parecidos, com Rossi cruzando da direita para Thaciano completar dentro da área – a diferença é que o primeiro surgiu em erro de Pará na saída de bola. Aos sete, saiu mais um, em cabeceio de Juninho após cruzamento de Renan Guedes. Passado o atropelo, o Santos até conseguiu se reencontrar e ensaiou uma ou outra jogada de ataque, mas incapaz de mudar o cenário da partida. O Bahia se defendeu com segurança, à espreita de aproveitar contra-ataques. Fernando Diniz tentou melhorar o time

gol, mas não foi divulgada a imagem utilizada para a decisão.

Thaciano comemora gol do Bahia contra o Santos, goleada por três tempos a zero deixa o Bahia entre os líderes

com as entradas de Madson e do estreante Marcos Guilherme nos lugares de Pará e Kaiky. Foi inútil, assim como as entradas posteriores de Marcos Leonardo e Ângelo. O Bahia manteve o jogo sob controle até o fim.

EM NOME DA MÃE

O zagueiro Juninho marcou o terceiro gol da vitória do Bahia neste sábado. Para ele, foi

uma espécie de alívio em tempos de dor. Há uma semana, o jogador perdeu a mãe, Fátima Nazário Siqueira, vitimada pela Covid-19.

IMPEDIDO?

Aos 40 minutos do primeiro tempo, Rodriguinho recebeu às costas da zaga do Santos e bateu colocado, para fora. Era a melhor chance da partida (que ainda estava 0 a 0) até aquele

momento. A arbitragem, depois da finalização, anotou impedimento, mas o jogador estava em posição legal. Se a bola tivesse entrado, o VAR precisaria corrigir.

E ESTE, IMPEDIDO?

O terceiro gol do Bahia, marcado por Juninho, também gerou dúvidas. Pela imagem congelada, o zagueiro parece adiantado. O VAR confirmou o

PRÓXIMOS JOGOS

As duas equipes voltam a campo pelo Brasileirão no próximo sábado. O Santos recebe o Ceará às 19h, e o Bahia visita o Bragantino às 21h. Antes, o Tricolor vai a Goiânia enfrentar o Vila Nova, às 16h30 de terça, e o Santos encara o Cianorte-PR fora de casa no mesmo dia, às 19h, ambos pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, que vale muita grana para ampliar os cofres da equipe na temporada.

> ELETRIZADO

Com gols de Pikachu, Fortaleza bate Atlético-MG : 2x1 GE Deu Leão no Mineirão! De virada, o Fortaleza venceu o Atlético-MG por 2 a 1 na partida que marcou a estreia dos dois times no Brasileirão. Na manhã do último domingo (30), o jogo disputado no Mineirão foi quente e bastante movimentado, com bom duelo tático entre os técnicos Cuca e Vojvoda, alternância de domínios entre as equipes, pênalti polêmico, boas defesas dos goleiros e gol nos acréscimos, com

uma virada histórica para o time cearense.

PRIMEIRO TEMPO

A partida começou movimentada e com intensidade dos dois lados. Como era de se esperar, o Atlético-MG teve mais posse de bola (54%) e tomou as iniciativas ofensivas, criando boas chances para abrir o placar. Felipe Alves precisou trabalhar bastante para evitar que o placar fosse alterado e se destacou na etapa inicial. Porém, o goleiro do Fortaleza não conse-

guiu defender a cobrança de pênalti de Hulk, em lance polêmico, que decretou a vitória atleticana ainda na etapa inicial, já que Everson garantiu a meta mineira intacta nas poucas chegadas do time cearense.

SEGUNDO TEMPO

O panorama do jogo mudou completamente na volta do intervalo. O Fortaleza adotou postura mais impositiva, sobretudo com a entrada de Yago Pikachu, e teve bem mais presença no campo de ataque,

passando a controlar mais a posse de bola e chegando com perigo. Com marcação adiantada, o Tricolor dificultou a articulação do Galo, que não conseguia encaixar jogadas de ataque. A atuação leonina foi coroada com belo gol de Pikachu, aos 14 minutos. Mesmo com a igualdade, o Leão do Pici seguia melhor. Enquanto o Atlético insistia em bolas alçadas na área e chutes de longa distância, o time cearense foi cirúrgico e, em belo contra-ataque, sacramentou a vitória aos 48 minutos do segundo tempo, assegurando três pontos na estreia do Brasileirão.

PÊNALTI POLÊMICO

O gol atleticano saiu dos pés de Hulk, de pênalti, em lance polêmico envolvendo o próprio camisa 7. Na Central do Apito, o comentarista Sandro Meira Ricci afirmou que não marcaria, ampliando ainda mais a polêmica.

FALA PIKACHU:

- Fico muito feliz. Trabalhamos muito par chegar até esse momento. Sabemos que é uma competição complicada. Viemos jogar diante de um adverário muito qualificado. Consegui entrar no intervalo e ajudar a equipe. Ficamos organizados e aproveitamos o contra-ataque, que era nossa estratégia hoje.

ARANA SALIENTA:

Não jogamos nada. Essa é a verdade. Temos que trabalhar e esperar o próximo jogo. Não tem questão de cansaço. Temos profissionais que cuidam disso. Temos que entrar em campo para vencer. Infelizmente, perdemos.

PIKACHU BRILHOU!

Hulk até balançou as redes, mas o grande personagem do jogo foi Yago Pikachu. Ele saiu do banco de reservas e marcou

os dois gols da vitória do Fortaleza, aos 14 e 48 minutos do 2º tempo. Agora, ele possui quatro gols marcados com a camisa do Leão, e já é um dos artilheiros. O resultado foi péssimo para o Atlético-MG, que entra no Campeonato Brasileiro como um dos candidatos ao título. Por outro lado, foi espetacular para o Fortaleza, que consegue conquistar os primeiros pontos na tabela contra um adversário complicado e jogando como visitante. Os times voltam as atenções para a Copa do Brasil. Na quarta, o Atlético-MG enfrenta o Remo, fora de casa, às 19 horas. No mesmo dia e horário, o Fortaleza encara o rival Ceará, na Arena Castelão. O próximo jogo de ambos no Brasileirão vai ser realizado no próximo domingo. O adversário do Galo será o Sport, em Recife, enquanto o Leão do Pici duelará contra o Internacional, na capital cearense.

De virada, o Fortaleza venceu o Atlético-MG por 2 a 1 no jogo que marcou a estreia dos dois times no Brasileirão


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

B4 | Esportes

> CONFUSÃO

Novo ‘escândalo’ envolvendo Neymar

Acusado de assédio sexual que teria ocorrido em 2016, craque se defende e acusa a Nike - sua patrocinadora - de tê-lo traído Reproduzido de UOL Esporte Neymar se manifestou pela primeira vez após o suposto caso de abuso sexual contra uma funcionária da Nike. A empresa encerrou o contrato com o camisa 10, em 2020, após o episódio. Neymar foi denunciado em 2018 em um fórum organizado por lideranças da Nike para seus funcionários. Foi aberta uma investigação independente em 2019, de resultados considerados "inconclusivos" pela empresa - o contrato com o brasileiro foi rescindido pela postura dele ao se recusar a cooperar com as investigações. A informação foi publicada inicialmente pelo Wall Street Journal e confirmada pelo UOL Esporte. O jogador rebateu a versão da Nike e afirmou que não teve a oportunidade de se defender. "Contrariar essa regra e afirmar que o meu contrato foi encerrado porque não contribuí de boa-fé com uma investigação é absurdo, mentiroso. Mais uma vez sou advertido que não posso comentar em público. Indignado, vou obedecer!", disse em post no Instagram. "Não me deram a oportunidade de me defender. Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não

foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido, acrescentou. O camisa 10 ainda acusou da Nike de traição: "Ironia do destino, continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu". O suposto caso de abuso sexual De acordo com a publicação do Wall Street Journal, a funcionária da Nike revelou a colegas e amigos que Neymar tentou forçá-la a fazer sexo oral em um quarto de hotel enquanto estava na cidade de Nova York. A marca afirmou que o suposto incidente teria ocorrido em 2016, sendo denunciado dois anos depois. Segundo a empresa, a funcionária relutou em denunciar o jogador em um primeiro momento. Por isso, a Nike optou por respeitar a confidencialidade e não se manifestou sobre o incidente. Mais tarde, a funcionária mudou de ideia, e a Nike abriu uma investigação independente. As investigações foram consideradas inconclusivas. Mesmo assim, a decisão de encerrar o contrato multimilionário de Neymar partiu da fornecedora de material esportivo depois que a empresa passou a investigar a acusação feita pela funcionária. O que motivou a rescisão, segundo a Nike, foi a postura do jogador, que teria se recusado a cooperar. Na época do rompimento, a Nike não havia dado detalhes sobre o motivo do fim da parceria. Neymar tinha contrato com a empresa

fotos: Divulgação

A nota emitida pela assessoria de Neymar

Neymar nega assédio sexual e acusa de traição a Nike, que o patrocina

desde os 13 anos. Estafe de Neymar fala em 'ataques infundados' O estafe de Neymar declarou em comunicado que o atleta nega as acusações e que ele se defenderá dos "ataques infundados" se for acionado. "Neymar Jr nega essas acusações. Semelhante às alegações de agressão sexual feitas

contra ele em 2019 - alegações em que as autoridades brasileiras reconheceram a sua inocência - essas alegações são falsas. Neymar Jr, se for acionado, o que nunca aconteceu, se defenderá vigorosamente contra esses ataques infundados." "Neymar Jr e Nike encerraram o relacionamento por motivos co-

"Os fatos podem ser distorcidos porque as pessoas os enxergam de ângulos diferentes. Não temos como negar que a vida é assim. Faz parte! Até entendo quando alguém faz uma crítica sobre minhas condutas, minha forma de jogar e de viver a vida. Somos diferentes! Eu realmente não entendo como uma empresa séria pode distorcer uma relação comercial que está apoiada em documentos. As palavras escritas não podem ser modificadas. Elas sim são muito claras. Não deixam dúvidas! Desde os meus 13 anos, quando assinei meu primeiro contrato, sempre fui alertado: não fale sobre os seus contratos! Contratos são sigilosos! Contrariar essa regra e afirmar que o meu contrato foi encerrado porque não contribuí de boa-fé com uma investigação isso é absurdo, mentiroso. Mais uma vez sou advertido que não posso comentar em público. Indignado vou obedecer! Mas a matéria do WSL é muito clara. Em 2016 parece que já sabiam desse acontecimento. Eu não sabia! Em 2017 viajei novamente para os EUA para campanha publicitária, com as mesmas pessoas, nada me contaram, nada mudou! Em 2017, 2018, 2019 fizemos viagens, campanhas, inúmeras sessões de gravação. E nada me contaram. Um assunto com tamanha gravidade e nada fizeram. Quem são os verdadeiros responsáveis? Não me deram a oportunidade de me defender. Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido. Até quando? Ironia do destino continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu. Essa é a vida! Sigo firme e forte acreditando que o tempo, sempre esse cruel tempo, trará as verdadeiras respostas. Fé em Deus!". merciais, o que vinha sendo discutido desde 2019, nada relacionado a esses fatos noticiados. É muito estranho um caso que supostamente teria aconte-

cido em 2016, com alegações de um funcionário da Nike, venha à tona somente nesse momento", afirmou o estafe do jogador.

Colegas da Seleção evitam comentar acusação Portal Terra Os jogadores da seleção brasileira evitaram comentar a acusação feita por uma funcionária da empresa Nike contra Neymar a respeito de uma suposta agressão sexual em 2016. No primeiro dia de entrevistas coletivas do grupo que está concentrado na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), os defensores Felipe e Emerson afirmaram que se trata de um "assunto pessoal" e que deve ser conduzido pelo jogador. Emerson classificou o tema como "chato" e que "viu Neymar normal, como sempre". De acordo com jornal The Wall Street Journal, a acusação teria sido o motivo pelo qual a marca de produtos esportivos encerrou o contrato com o jogador do Paris Saint-Germain em agosto do ano passado sem ale-

gar um motivo. O compromisso ainda tinha mais oito anos de duração. "Vi Neymar normal, como sempre. É um assunto chato, é um assunto pessoal. Se fosse meu, eu até falaria, mas é um assunto de outra pessoa. Não cabe a mim falar sobre esse assunto", disse o lateral Emerson, convocado para a vaga de Daniel Alves, cortado por lesão. O jogador do Bétis confirmou que assinou contrato de três anos com o Barcelona. O zagueiro Felipe, campeão espanhol pelo Atlético de Madrid e primeiro jogador a participar de entrevista coletiva, adotou discurso idêntico. "A gente está focado nos dois jogos aqui das Eliminatórias. Focados nos treinos, no nosso trabalho. Esse caso (do Neymar) é pessoal, ele que tem que resolver, não é a gente que tem que

Mesmo com mais uma encrenca, Neymar será uma das atrações da Seleção nos confrontos das Eliminatórias

se colocar em nada. Somente focar e olhar para o lado futebolista. Durante os treinos, temos que fazer o que a comis-

são nos pede. Isso quem resolve é ele", afirmou. O ex-corintiano que também chegou a seleção nesta convocação para

substituir o companheiro. Em seu caso, Lucas Verissimo foi cortado após lesão muscular. A funcionária da Nike disse

a amigos e colegas que Neymar tentou forçá-la a fazer sexo oral em um quarto de hotel de Nova York, onde ela ajudava a coordenar eventos e fazia a logística para o atacante e sua comitiva. Funcionários da Nike, atuais e antigos, são citados nos documentos. Em publicação em seu Instagram, Neymar disse que não teve a oportunidade de se defender. "Não me deram a oportunidade de me defender. Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido. Até quando?", diz trecho da mensagem.


Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021

Opinião |B5

A foto do fato

Editorial

Efeito contrário

Uma reforma administrativa focada na melhoria do desempenho funcional, capaz, sobretudo, de otimizar a prestação de serviços à sociedade - objetivo maior da gestão pública - será sempre bem-vinda. Mas não é isso o que o governo federal pretende. Não é - e nem poderia ser - com um ministro da Economia que age como inimigo visceral do servidor público. Paulo Guedes, como se sabe, trata os servidores como 'vagabundos' e, se depender dele, a figura do funcionário público tradicional deixa de existir, abrindo espaço para a participação prevalente de empresas privadas - com tudo de nocivo que isso pode proporcionar. Obcecado por dinheiro, e se vendo derrotado na pretensão de reduzir bilhões de reais destinados aos parlamentares através das chamadas 'emendas orçamentárias', Guedes vê no funcionalismo a 'fonte' de onde pode fazer jorrar dinheiro para o governo gastar. Antes, o ministro dizia que a salvação da lavoura seria a reforma da Previdência, que foi aprovada punindo os aposentados. E então: a lavoura foi salva? O ministro é um conversador. A propósito - e na contramão do que Guedes prega - uma nota técnica elaborada no Senado aponta é para o risco de aumento da corrupção, de cooptação do Estado pela iniciativa privada e de redução da eficiência do setor público caso as novas regras para o funcionalismo sejam aprovadas no bojo da reforma administrativa. "Os efeitos previstos de redução de despesas são limitados, especialmente no caso da União. Assim, estimamos que a PEC 32/2020, de forma agregada, deverá piorar a situação fiscal da União, seja por aumento das despesas ou por redução das receitas", cita o documento. Assinada pelo consultor legislativo em orçamento Vinicius Leopoldino do Amaral, do Senado, a nota técnica analisa ainda propostas alternativas para melhorar os gastos públicos e sugere, por exemplo, o rígido cumprimento das regras já existentes de controle de despesas com pessoal. "Entendemos que essas propostas são largamente superiores às contidas na PEC 32/2020, pois, além de terem efeitos fiscais mais robustos, preservam o modelo de serviço público profissional estabelecido pela Constituição de 1988", diz o Se depender do presidente Bolsonaro, o general Eduardo Pazuello não será punido por ter participado de ato político ao seu lado. Nesse sentido, o presidocumento. dente falou com o comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira. O problema é: e como ficará a disciplinar na Força, se não houver punição?

A escrita de Méro

1984 - Distopia premonitória

nificado, significante, verHistoricamente sempre tivemos bal ou nãoalagoanos considerados bons verbal, enfim escritores, pessoas que escrevem tudo que ofenão somente com organização e reça uma forclareza, mas de forma coerente, te bagagem demonstrando bom domínio da de conhecinossa língua e esbanjando amplo mento à vocabulário. quem conceUm dia William Shakespeare em be escritos. "O Monólogo de Hamlet", disse Para ser escritor em importante mais ou menos assim: "Ser ou que escrever, não importa o lugar não ser, eis a questão: será mais e o suporte: caderno velho ou nobre em nosso espírito sofrer novo, papel de pão, açougue, hipedras e setas, com que a fortu- giênico, pedra, chão, tijolo, mana, enfurecida, nos alveja, ou in- deira, papelão, parede, e até no surgir-nos contra um mar de pro- computador. vocações?" Em minha concepção, na Terra Hoje tempos depois, ouso afir- Caeté dos dias atuais, poucos são mar que para ser escritor é preci- aqueles que encarnam os atribuso não ser escritor. A todos os tos anteriormente comentados. momentos somos alguma coisa, Um deles é Carlos Barros Méro, para logo a seguir deixarmos de marido, pai, avô, advogado, ocuser aquilo o que éramos. Uma pante da cadeira de número dois conclusão um tanto shakespea- da Academia Alagoana de Letras, riana, mas eterautor de inúmena. ras obras dentre Existem peselas: O Chocalho “Na Terra Caeté soas, que apeda Cascavel, Dias sar de exerceTenebrosos em dos dias atuais, rem inúmeras Roma e mais repoucos são aque- c e n t e m e n t e atividades, muitas vezes as les que encarnam Contos Covidiamais diversas, nos, livros que os atributos para eles a espara serem lidos crita parece ser basta se sentir o comentados” a companheira sopro, é suficiende todas as hote tomar conheras. Vazias ou cimento do que ocupadas. se trata, o restante é como uma São criaturas facilmente compa- esfera metálica em queda livre radas aos que possuem dom es- solta do topo de um arranha céu. pecial para o desenvolvimento de Lendo Carlos Méro, facilmente se determinadas artes. São verda- sente a paixão com que prepara deiros alquimistas das letras, cuja seus escritos, admirando e amaninspiração nasce através de son- do o que faz, para então consehos, da magia do fogo, ou até do guir transformar esse sentimento voo de uma borboleta. em frases, conseguindo prender São verdadeiros caçadores de a atenção dos seus leitores, fapalavras que disparam tiros cer- zendo com que sintam enorme teiros, e assim agindo concebe o emoção, algo que seja capaz de parágrafo exato, sempre com o atingir cada um em sua própria fácil domínio da língua trabalha- percepção. da, seus detalhes, do mais des- Como leitor de Carlos Méro, percebido significado até as so- acostumei-me a absorver dos noridades especiais. seus relatos, uma explosão de Para ser escritor é necessário sensações e ensinamentos, sendo sempre ler. Não só livros publica- suas palavras quase sempre fondos, mas livros impublicáveis e tes de admiração. artesanais, blogs, bula de remédio, história em quadrinhos, pro(*) Presidente da Academia paganda Alagoana de Letras de produtos de consumo, sinalizações, tudo que seja signo, sig-

Marcus Pestana (*)

Alberto Rostand Lanverly (*)

Raramente releio livros. Ocorreu com alguns clássicos. Mas olho para os livros enfileirados nas livrarias e vejo que ainda gostaria de ler muita coisa na vida. E, tendo consciência da finitude de meu tempo pessoal e da infinitude da literatura universal, procuro ler sempre coisas novas. Vez ou outra, consulto livros de economia, ciência política, sociologia ou história para a elaboração de um artigo, texto ou palestra. O boom de lançamentos e vendas de "1984" e "Revolução dos Bichos" de George Orwell, no entanto, me chamou a atenção e despertou minha curiosidade. Como explicar que os dois livros estejam na lista dos dez mais vendidos nos últimos meses, já que "1984" foi publicado em junho de 1949, refletindo o ambiente do pós-guerra, e o autor tenha morrido há 71 anos? "1984" é um brado contra o totalitarismo. Li quando tinha 18 anos - 42 anos já se vão - e o Brasil vivia a fase terminal da ditadura militar e a ascensão do movimento pela redemocratização, no qual já militava. Já era um bestseller na época. E agora volta a ser um campeão de vendas. George Orwell é considerado um dos maiores escritores do Século 20 e "1984" sua obra-prima. A qualidade do texto é impressionante e, como assinalou o New York Review of Books, o livro é "uma leitura obrigatória absorvente e indispensável para a compreensão da história moderna".

As grandes obras-primas muitas vezes são herméticas e difíceis. "1984", não. Além de encarnar um momento raro da literatura universal, se tornou popular. A alegoria distópica sobre a vida em Oceânia, o Grande Irmão (Big Brother), o partido único e totalitário, e o controle ferrenho sobre a dinâmica da sociedade e das vidas individuais, desprovidas de qualquer liberdade, poderiam ser materializadas em diversos eventos históricos reais. As teletelas - que tudo ouviam e

“O Grande Irmão e o partido poderiam ser a encarnação de Stalin e do PCUS, de Hitler e seus nazistas, de Torquemada”... transmitiam as notícias e orientações oficiais, os helicópteros espiões, os cartazes e pinturas dizendo "O Grande Irmão está de olho em você", se espalhavam por todos os cantos de Oceania. Os três slogans do partido, "Guerra é paz", "Liberdade é Escravidão" e "Ignorância é força", eram difundidos permanentemente. Como parte da lavagem cerebral e anulação do passado era prevista a subs-

tituição da língua, a Velhafala daria lugar até 2050 à Novafala, para atender às necessidades ideológicas do Socing e do duplipensamento, cultura dominante em "1984". As fake news eram institucionalizadas e oficiais. A verdade não importava. O Grande Irmão e o partido poderiam ser a encarnação de Stalin e do PCUS, de Hitler e seus nazistas, de Torquemada e a Inquisição, de ditadores latino-americanos ou africanos. No mundo contemporâneo poderíamos fazer um paralelo com as grandes plataformas de internet e sua capacidade invasiva sobre a privacidade de todos, manipuladas pelos "Engenheiros do Caos" em eleições no mundo todo. A grande ideia vitoriosa no final do Século 20 parecia ser a da democracia e da liberdade após a dissolução da URSS, a queda do Muro de Berlim, a decadência de ditaduras mundo afora. Mas provando que a História, ao contrário do que queria Fukuyama, não tem fim, em anos recentes a democracia passou a ser ameaçada, Trump à frente, por diversos governos populistas autoritários. "1984" nos chama à eterna vigilância na defesa da democracia como valor universal e inarredável. (*) Ex-deputado federal

Privatizar a Eletrobrás é um atentado contra o Brasil Marília Arraes - Final (*)

Atualmente, há uma onda de protestos na Europa exigindo a reversão de privatizações feitas nas últimas três décadas em serviços essenciais como fornecimento de energia, abastecimento de água e saneamento básico. Alguns governos alegam que a venda de estatais do setor elétrico aumentaria a eficiência e geraria novos investimentos. Mas o que vem ocorrendo é exatamente o contrário: a participação acionária dessas empresas está hoje em grande parte nas mãos de um pequeno grupo de investidores internacionais muitos deles baseados em paraísos fiscais. Na Grã-Bretanha, por exemplo, os preços dos serviços aumentaram 40% e mais de um quarto do valor que os consumidores pagam nas contas vai para o serviço da dívida e o pagamento de dividendos. Numa recente pesquisa, 77% dos britânicos são favoráveis à reestatização das empresas de energia. Igualmente importante lembrar que muitas das empresas estratégicas britânicas da área de energia estão nas mãos de empresas estatais de outros países, a exemplo da China e da Itália, este último que já controla diversas distribuidoras de energia em território brasileiro. O Brasil não pode ser vítima desse novo

modelo de colonização - que captura infraestruturas nacionais de serviços fundamentais para transformá-los em fonte de enriquecimento para rentistas e especuladores ancorados em paraísos fiscais! A privatização da Eletrobrás, detentora de 30% da geração e 45% da transmissão, resultará sim na formação de oligopólio no setor elétrico brasileiro e beneficiará, sobretudo,

“Não podemos ainda deixar de lembrar que crimes ambientais e sociais como, como os ocorridos em Mariana e Brumadinho”... fundos estrangeiros e fundos de bilionários locais que, curiosamente, ficaram mais bilionários durante a pandemia. Repetiremos até a exaustão: infraestruturas nacionais são estratégicas e servem, inclusive, para potencializar o desenvolvimento das empresas do país por meio da

garantia de abastecimento consistente e a preços favoráveis à expansão das atividades produtivas. Diferentemente do que tentam fazer parecer diversos setores da sociedade, não se trata de uma questão de fundo ideológica e sim de uma estratégia nacional de desenvolvimento que precisa ter em conta que em alguns setores a presença do Estado é necessária e fundamental! Não podemos ainda deixar de lembrar que crimes ambientais e sociais, como os ocorridos em Mariana e Brumadinho, mostram o lado mais perverso de empresas privatizadas que pagam bilhões em dividendos enquanto deixam rastros de mortes e destruição ambiental, social e econômica. A luta pela não privatização da Eletrobrás é de todos nós! Precisamos urgentemente priorizar a soberania nacional e voltar a desempenhar o papel de líder regional na América Latina! (*) Deputada federal

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Dr. Albino Magalhães, 221 - Farol | CEP 57.050-080 Fone: (82) 9.9143-2653/ 9.8728-7819 - Maceió | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 9.9143-2653/ 9.8728-7819

Luiz Carlos Barreto Goes Fundador do Primeira Edição

Miguel Goes Diretor-Geral

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


B6 | Social

Primeira Edição | 31 de maio a 6 de junho, 2021


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.