__MAIN_TEXT__

Page 1

Preço da gasolina volta a subir com frequência > A-5 Vitória do servidor no Supremo Após ter reajuste salarial proibido por dois anos e sofrer com efeitos da reforma previdenciária, o servidor público pode comemorar: a maioria do Supremo Tribunal decidiu que reduzir jornada de trabalho e salário de servidor é inconstitucional. > A-4

edição PRIMEIRA

Tourinho defende retorno gradual Se depender do corregedor-geral da Justiça, Fernando Tourinho, a volta das atividades presenciais do Judiciário se dará de forma segura e gradual. O desembargador do TJ-AL entende que, se abrir o fórum de uma vez, "a multidão vai estar lá". > A-2

Ano 13 | Edição 880 | Maceió, Alagoas, 29 de junho a 5 de julho, 2020 | R$2,00

Comunicação perde Luiz Carlos Barreto A comunicação social está de luto em Alagoas. Na noite de quarta-feira, 24 de junho, faleceu no Hospital Vida, em Maceió, o empresário Luiz Carlos Barreto Goes, fundador e diretor-geral deste Primeira Edição. Luiz Carlos tinha sofrido um infarto recentemente e, já restabelecido, contraiu a Covid-19, em grau severo, tendo sido internado no Hospital Vida, onde foi prontamente atendido, mas, lamentavelmente, não resistiu. Seu falecimento abre profunda lacuna no cenário da comunicação social alagoana, onde, desde a década de 1990, atuou como sócio e diretor de O Jornal e, logo depois, como fundador deste tradicional semanário. Homem de diálogo, pai de família exemplar, amigo leal,

fotos: Divulgação

Luiz Carlos Barreto deixa marca na história da comunicação de Alagoas

Luiz Carlos Barreto foi, antes de tudo, um guerreiro da comunicação, um protagonista que sempre acreditou ser possível fazer jornalismo com responsabilidade e isenção. Acreditava nas pessoas e num mundo melhor. E com essa mesma visão, o Primeira Edição - impresso e digital - se mantém firme na determinação de prosseguir informando bem e atuando em defesa do nosso Estado. Era o seu ideal, é o nosso compromisso. > B-1 MISSA SERÁ NESTA SEGUNDA-FEIRA A família de Luiz Carlos Barreto Goes convida os amigos para assistirem à Missa de Sétimo Dia, que será celebrada às 19 horas desta segunda-feira, 29 dejunho, ao vivo pelo canal YouTube do padre Augusto Jorge.

COVID ATACA INTERIOR

Retomada da economia sem data definida Poupança negativa estimulará consumo Primeira Edição

Com rendimento negativo, poupador poderá sacar economias e correr para o consumo

Novo estudo de sísmica busca resposta para instabilidade geológica na região do Pinheiro

Braskem aprofunda estudo no Pinheiro Com rendimento negativo (menor que a inflação) o aplicador da caderneta de poupança poderá se

defender sacando as economias para cair no consumo. Já a Braskem está realizando mais um estu-

do de sísmica para explicar as causas da instabilidade geológica na região do Pinheiro. Devido ao

serviço, o trânsito na região está sofrendo modificações, mas só em caráter temporário. > A-5

Enquanto em Maceió e Região Metropolitana há sinais de estabilização da pandemia, a propagação do coronavírus está se acelerando no interior, com mais intensidade na região de Arapiraca, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. O governo alagoano enxerga a reabertura da economia com cautela, já que outros estados o fizeram e tiveram de fechar tudo de novo. Na 6ª feira, o governador Renan Filho fez o anúncio de uma ‘matriz de risco’ contendo seis fases para o retorno à normalidade. O plano considera, entre outros pontos, avanço da pandemia e capacidade de atendimento do sistema de saúde em todo o Estado. Alagoas tem 33.521 casos e 993 mortes por covid-19, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde divulgado na noite deste sábado, 28 de junho. > A-6

CBF planeja começar Brasileiro em agosto Carlos Decotelli assumirá Ministério da Educação e avisa: "Nada de ideologia"

> A-4

Supremo elege Luiz Fux presidente e posse está marcada para setembro

> A-4

O Campeonato Brasileiro2020 deverá começar nos dias 8 e 9 de agosto. É o que projeta a CBF após reunião com dirigentes de clubes. Oito de agosto é a data prevista para início da Série B. A Confederação ressalva, entretanto, que será necessário ter o aval das autoridades sanitárias, em virtude da pandemia. ESPORTES

CBF discutiu com dirigentes de clubes e anunciou para agosto o início do Campeonato Brasileiro, Séries A e B

Centrão rejeita PEC e quer prorrogar mandatos > A-3 Fale conosco | Redação: (82) 3021.5837 | Comercial: (82) 3021.0563 | Assinante: (82) 3021.0563 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br | e-mail: contato@primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

A2 | Política

O D EN O V E PR TORN E OR Redação com Assessoria

O retorno das atividades presenciais nas unidades do Poder Judiciário alagoano deve ocorrer de forma gradual e segura, com as devidas medidas de prevenção, segundo defende o corregedor-geral da Justiça de Alagoas, Fernando Tourinho. "Temos que ir aos poucos. Não adianta abrir o fórum e uma multidão aparecer lá", afirmou o desembargador sugerindo que as atividades presenciais devam começar, no retorno, com as audiências criminais envolvendo réus presos. "Eu iniciaria com essas audiências, que foram um pouco prejudicadas por conta da pandemia, e precisam ter a instrução concluída", afirmou. Para o desembargador, deve haver um equilíbrio entre a atividade presencial e o serviço remoto no período pós-pandemia. "Quando voltarmos a trabalhar, vamos atender as par-

Sem data, atividade presencial no TJ deverá voltar gradual, diz corregedor Fernando Tourinho entende que "não adianta abrir o Fórum e a multidão aparecer lá" fotos: Divulgação

tes de maneira presencial, fazer as audiências presenciais, mas algumas coisas poderão continuar sendo feitas de forma remota". Uma delas, defendeu Fernando Tourinho, é o casamento por videoconferência. "O casamento virtual evita aglomerações e é, na verdade, uma ferramenta a mais. Ele não inviabiliza que mais tarde alguém queira casar de forma presencial", destacou. AÇÕES E DESAFIOS O desembargador conversou com o diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL) e professor de Direito do Cesmac e da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Filipe Lôbo, durante uma live em que foram debatidas ainda ações da Corregedoria e os desafios do Poder Judiciário. Para Fernando Tourinho, a Justiça precisa ser mais ágil, mas sem perder a qualidade. "Penso que o nosso grande de-

Corregedor Fernando Tourinho (E) quer retomada das atividades presenciais do Judiciário de forma gradual

safio é dar vazão aos processos. Os magistrados têm uma carga de trabalho gigantesca e é importante que a sociedade veja

isso. É importante também a questão da conciliação, que muitas vezes resolve o problema antes que ele ingresse no

Judiciário. Precisamos, cada vez mais, criar mecanismos para melhorar os nossos serviços", concluiu.

HIGIENIZAÇÃO Buscando evitar a propagação do Novo Coronavírus (Covid-19), os militares do 59º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército Brasileiro (59º BI Mtz) realizaram uma higienização do prédio sede da Corregedoria Geral da Justiça de Alagoas (CGJ/AL). Mesmo em período de teletrabalho do Poder Judiciário, a parte administrativa da Secretaria Geral da Corregedoria comparece ao prédio para realizar a manutenção da limpeza, pegar correspondências e fazer a distribuição para o setor competente. A higienização do prédio está sendo realizada por meio de escalas entre os funcionários que se dirigem ao edifício uma vez por semana. Para Fernando Tourinho, o combate ao Covid-19 requer higienização completa em todos os ambientes.

> APOSENTADOS

Após serviço remoto, INSS retorna com com o atendimento presencial no dia 13 AGENDAMENTO

Redação

O atendimento remoto aos segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), prorrogado até o dia 10 de julho, termina no próximo dia 13 de julho (uma segunda-feira), quando recomeçarão, de forma gradual, as atividades nas próprias agências, conforme portaria publicadas com as medidas no Diário Oficial da União (DOU) de 22/06. O documento detalha as diretrizes e protocolos que precisam ser implementados pelo INSS para a proteção de segurados e servidores, durante o período de enfrentamento à pandemia do coronavírus (covid-19). Com a reabertura gradual, serão priorizados, nesta primeira fase, serviços de perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência, justifi-

O segurado deve realizar o agendamento pelo Meu INSS (site e aplicativo) ou pelo telefone 135. O INSS alerta que pessoas sem agendamento não serão atendidas nas agências, para evitar aglomerações, conforme determinações do Ministério da Saúde.

CANAIS REMOTOS

Agências do INSS reiniciarão o atendimento presencial a partir do dia 13 de julho, já na próxima semana

cação administrativa e reabilitação profissional.

O retorno destes serviços vai agilizar processos que pre-

cisam essencialmente do atendimento presencial.

Os serviços que não estarão disponíveis de forma presencial neste primeiro momento, continuam pelos canais remotos, o Meu INSS (site e aplicativo) e telefone 135. Para saber como gerar a senha, além de aprender a solicitar serviços e benefícios, basta acessar https://www.inss.gov. br/servicos-do-inss/meuinss/ SAQUE DO FGTS Nesta segunda-feira

o

FGTS emergencial já estará disponível para os beneficiários nascidos em janeiro. Quem possui valores na conta do FGTS terá creditado o valor de até um salário mínimo (R$ 1.045,00) a partir do dia 29 de junho. Por meio da medida provisória (MP 946) publicada no dia 07 de abril, o presidente Jair Bolsonaro assinou autorização temporária para saques no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A medida permite que o trabalhador receba até R$ 1.045,00 de contas ativas e inativas. O calendário de saques do FGTS foi divulgado pelo presidente da Caixa no dia 13 de junho e seguirá o que vem sendo feito na liberação do auxílio emergencial, com crédito em conta numa data e possibilidade do saque em dinheiro em outra data, evitando aglomeração e filas nas agências.

> DINHEIRO

Receita credita restituição nesta terça, último prazo para entregar declaração Redação

Aberto para consulta na última terça-feira (23), o segundo lote de restituições do Imposto de Renda declarado neste ano (ano calendário 2019) terá os valores creditados na conta bancária dos contribuintes nesta terça-feira, 30 de junho. Segundo dados da Receita, o crédito bancário para 3.306.644 contribuintes terá valor de R$ 5,7 bilhões, maior valor para um lote de restituição em todos os tempos. Desse valor, R$3.977.524.881,99 referem-se ao quantitativo de contribuintes que tem prioridade legal, sendo 54.047 contribuintes idosos acima de 80 anos, 1.186.406 contribuintes entre 60 e 79 anos, 89.068 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 937.234 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério. Foram contemplados ain-

da mais de 1 milhão de contribuintes não prioritários que entregaram a declaração até o dia 4 de março. O pagamento será realizado no dia 30 de junho, data de encerramento do período de entrega das Declarações do Imposto de Renda das Pessoas Físicas/2020. Conforme já anunciado, esse ano os lotes foram reduzidos de sete para cinco com pagamento iniciando antes mesmo do fim do prazo de entrega. O primeiro lote foi pago em 29 de maio. Com o prazo de entrega prorrogado de 30 de abril para esta terça-feira, 30 de junho, o volume esperado é de 32 milhões de declarações. A Receita alerta para que os contribuintes não deixem a entrega para última hora. Se perderem o prazo, estarão sujeitos ao pagamento de uma multa mínima de R$ 165,74 e máxima de 20% do imposto devido. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte

ainda, aplicativo para tablets e smartphones que facilita consulta às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF. Com ele será possível consultar diretamente nas bases da Receita Federal informações sobre liberação das restituições do IRPF e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.

Receita libera valores da restitiuição nesta terça-feira, último dia para encaminhar declaração do Imposto de Renda

deverá acessar a página da Receita Federal na Internet (http://idg.receita.fazenda.gov.br). Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC,

é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nesta hipótese, o contribuinte pode

avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora. A Receita disponibiliza,

PRAZO FINAL O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) termina nesta terça-feira, dia 30 de junho. A Receita Federal já se manifestou que a data não será prorrogada, alertou o agente do órgão Rudimar Mariano. Até a quarta-feira, dia 24, ainda faltavam 15 milhões de declarações serem entregues. A expectativa é receber 38 milhões. Aqueles que não fizerem a entrega até a data limite recebem uma multa e sofrem consequências, como explicou o agente durante uma live.


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

Política | A3

> ELEIÇÃO MUNICIPAL Romero Vieira Belo

Enfoque Político Jornalismo é, antes de tudo, a busca da verdade

Uma obra de governo desnorteia a oposição Mais um hospital? Não, mas dois, três, quatro, cinco, seis... Em apenas cinco anos e seis meses, Renan Filho cometeu uma proeza: construiu e já pôs em funcionamento três hospitais, vai inaugurar um quatro no próximo dia 30 e outros dois estão com obras em andamento. Em miúdos: em dezembro de 2016, RF inaugurou a Casa do Coraçãozinho (hospital cardiológico infantil), em setembro do ano passado entregou o Hospital da Mulher e em maio último inaugurou o Hospital Metropolitano. Quanto aos três hospitais regionais em construção, o do Norte, em Porto Calvo, será inaugurado no próximo dia 30. Caro, evidente, que o feito desconserta a oposição. Tem deputado se perguntando: "Como esse governo consegue construir todos esses hospitais sem ajuda financeira federal?". De fato, como? Mas as obras estão aí, uma a uma entrando em funcionamento e, o mais importante nesse momento, participando do enfrentamento à pandemia. Acostumados a ver governos transformar projetos físicos em 'elefantes brancos', alguns oposicionistas punham em dúvida a capacidade do governador de fazer cada unidade hospitalar funcionar. E o que estão vendo? Um aí entrando em fase operacional com dezenas, centenas de médicos e enfermeiros, com muitos leitos e equipamentos de última geração. Impressiona - e não apenas aos poucos críticos do governo que Renan Filho consiga fazer tanto pela saúde em tão pouco tempo. Afinal, nos últimos 40 anos, nenhum governador instalou um leito hospitalar em Alagoas. A exceção fica por conta da velha Unidade de Emergência do Agreste, construída em Arapiraca com recursos do governo federal na era do FHC. Os novos hospitais marcam um novo tempo em um estado onde a saúde sempre foi tratada como um bem menor. E ganham dimensão superlativa pelo momento em que estão entrando em ação, salvando milhares de vidas nessa hora de grave tribulação. PANDEMIA AFETA GOVERNANTES, SEM EXCEÇÃO Renan Filho não deve se abater com números de pesquisas, como amais recente do Datafolha. Nenhum governante aparece em alta nessas sondagens. Gregos, troianos e brasileiros, incluindo o capitão, sofrem os reflexos da pandemia na avaliação das pessoas. Mas são reflexos distantes de 2022 e que logo se dissipirão.

Centrão de Artur Lira reprova PEC e defende a prorrogação Emenda aprovada no Senado encontra resistência na Câmara, admite Rodrigo Maia fotos: Divulgação

Editoria de Política

O Centrão (que tem o deputado alagoano Artur Lira como um dos líderes) se movimenta para barrar o adiamento das eleições municipais. A proposta de emenda à Constituição que muda a data das disputas por causa da pandemia do novo coronavírus foi aprovada no Senado, mas precisa passar pelo crivo da Câmara e não há acordo. A estratégia do Centrão é manter as datas previstas no calendário eleitoral para, no meio da pandemia, conseguir prorrogar os mandatos dos atuais prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. A proposta que recebeu sinal verde do Senado prevê que as eleições para a escolha de prefeitos e vereadores sejam realizadas em 15 de novembro, no 1º turno, e 29 do mesmo mês onde houver 2ª rodada. Pelo atual calendário as datas são 4 e 25 de outubro. O discurso oficial dos parlamentares contrários à mudança é que nada garante que postergar o julgamento das urnas em 42 dias fará com que a pandemia seja controlada nesse período. Na prática, porém, a resistência tem outro motivo: muitos avaliam que jogar as eleições para 15 de novembro, Dia da Proclamação da República, beneficia a oposição. Prefeitos argumentam que adiar a corrida eleitoral favorece os adversários porque dá mais tempo para que candidatos rivais se organizem e façam campanha, ainda que de forma virtual. A avaliação é a de que, como a pandemia dificulta o debate político, quem já está no

fotos: Divulgação

Rodrigo Maia quer adiamento sem prorrogação, enquanto Artur Lira apoia transferencia de eleições para 2022

Maia admite dificuldades O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), admitiu dificuldades para o adiamento das eleições. "Não há consenso. A única certeza é que a gente precisa dialogar mais sobre isso", disse. Já o vice-presidente da Câmara, deputado Marcos Pereira (SP), pondera: "Precisamos manter a data das eleições municipais no dia 4/10 para podermos avançar o mais rápido possível na pauta das reformas que o Brasil precisa. Ao postergar as eleições, fatalmente o Congresso Nacional demorará cargo leva vantagem. Partidos como Progressistas e Republicanos, integrantes do Centrão, já se manifestaram contra a nova data das disputas municipais e o PL também tende a seguir esse caminho. Diante do impasse, o DEM está dividido e o MDB liberou a bancada para votar à vontade. No Supremo Tribunal Federal

mais para atacar sobretudo os temas econômicos", argumenta Marcos Pereira. O presidente da Confederação Nacional dos Municípios, Glademir Aroldi (Progressistas) disse que esticar o prazo da campanha faria com que a saúde da população fosse submetida a maior risco. "Se ninguém sabe o que vai acontecer, não temos garantia nenhuma", observou ao defender o adiamento das eleições para 2022, um dos campos de luta dos atuais prefeitos e vereadores detodo o País.

(STF) há divergências sobre a conveniência de se esticar a campanha. Nos bastidores, dois magistrados disseram ao Estadão que seria melhor o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não entrar nesse debate político, deixando tudo a cargo do Congresso. O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, observou,

porém, que a votação no Senado acolheu sugestão encaminhada pela Corte após recomendação de médicos. "Não era uma vontade política nossa, mas apenas o encaminhamento de um entendimento uníssono de todos os médicos, cientistas, epidemiologistas infectologistas que pudemos ouvir", argumentou Barroso.

> EM COGITAÇÃO

Secretário Ênio Lins com Luiz Carlos Barreto e Romero Vieira Belo

Justiça pode anistiar eleitor que não comparecer à urna

LUIZ CARLOS E ROMERO BELO COM O SECRETÁRIO ÊNIO LINS No governo Renan Filho, Luiz Carlos Barreto visitava o secretário de Comunicação Ênio Lins, no Palácio do Governo, com quem trocava ideias e tratava das relações entre Secom e Primeira Edição. Visitas feitas sempre em companhia do jornalista Romero Vieira Belo, editor do PE. "Notícia muito triste", disse Ênio ao saber da morte de Luiz Carlos. O PESO DA PRESSÃO POPULAR NAS RUAS José Guimarães acredita que a situação do país - e do governo - vai se agravar após a epidemia com potencialização de três ingredientes inflamáveis: a crise política, a econômica e a sanitária. E acrescenta, a propósito da aliança de Bolsonaro com o Centrão, que os novos aliados do Planalto abandonarão o governo assim que sentir a pressão popular. CISMA NA UNIVERSAL DE EDIR MACEDO A Igreja Universal, do 'bispo' Edir Macedo, enfrenta um cisma em Angola, onde um grupo de 'bispos' e pastores assumiu o controle de cerca de 80 templos, em Luanda, capital, e no interior. O chefe Macedo ainda não se manifestou, mas a direção da Universal, aqui no Brasil, tenta minimizar o episódio dizendo que se trata apenas de uma insurreição de "um grupo de ex-pastores desvinculados da instituição". PORTARIA TORNA WEINTRAUB CLANDESTINO O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, desembarcou nos Estados Unidos (Miami) no sábado, 20 de junho, data em que foi publicada no DOU sua exoneração. Mas o governo logo depois retificou a data da demissão para 19/06. Desse modo, Weintraub entrou nos EUA como ex-ministro, sem passaporte diplomático e, portanto, na condição de clandestino. NOME LEMBRADO PARA DISPUTA EM MACEIÓ Um dos nomes sempre lembrados para disputar a Prefeitura de Maceió, o ex-deputado federal e hoje secretário estadual de Infraestrutura, Maurício Quintela ainda comemora a liberação de recursos federais para a retomada da obra do Marco Turístico da Ponta Verde. Interrompida na crise de 2016/17, a construção do espaço foi reiniciada na quinta-feira, 18 de junho. CENTRÃO NÃO QUER ELEIÇÕES NESTE ANO Enquanto o TSE e os presidentes do Senado e da Câmara buscam o adiamento das eleições, os líderes do Centrão já se articulam para não referendar a decisão já votada pelos senadores. Casuísticos como sempre, eles querem ceder à pressão dos atuais prefeitos e vereadores. Traduzindo: vão quebrar lanças pela prorrogação de mandatos.

Ministro Barroso diz que TSE decide ouvindo opinião dos especialistas

Editoria de Política

O surto de coronavírus no Brasil pode provocar mais um efeito deletério no processo eleitoral deste ano: o novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, acaba de considerar a possibilidade de anistiar as multas para quem não votar nas eleições municipais que deverão ser realizadas em novembro. É que a pandemia da covid19 levanta uma preocupação de aglomerações nos locais de votação, o que pode levar muitos eleitores a, preventivamente, deixar de comparecer às urnas. Com isso, a pandemia poderá elevar o índice de abstenção nas urnas, lembrandoque

voto é obrigatório para eleitores maiores de 18 anos e facultativa para quem tem 70 anos ou mais. Em caso de ausência sem justificativa, o valor da multa é de R$ 3,51 para cada turno no qual o eleitor faltou. A quantia, no entanto, não é fixa e pode ser alterada pelo juiz eleitoral de acordo com a situação de cada eleitor. O ministro Barroso, entretanto, manifestou-se contra a proposta de tornar o voto facultativo para idosos maiores de 60 anos e grupos de risco. Atualmente, o voto é optativo somente para quem tem 70 anos ou mais. Para o ministro, o voto é um "dever cívico" além de um direito da população. "Temos muita preocupação que a facultatividade possa produzir uma deslegitimação

Uso de urna eletrônica exigirá presença dos eleitores na seção eleitoral

da classe política e dos eleitos em um eventual elevadíssimo índice de abstenção."

CALENDÁRIO

Com relação aos prazos do calendário oficial definido pelo TSE, o presidente Roberto Barroso defendeu a manutenção de prazos já consumados - filiação partidária, fixação do domicílio eleitoral e desincompatibilização de cargos de alto escalão. "Para o TSE seria um caos reabrir o cadastro eleitoral. Nós já estamos envolvidos em outras etapas das eleições", disse ele. Segundo Barroso, para o TSE seria conveniente manter datas de convenções e de registros. Quanto ao prolongamento das campanhas, ele disse que a Corte não possui óbices.

Os demais prazos, que são móveis, devem ser prorrogados a depender da data. Entre esses prazos estão o horário eleitoral gratuito e a convocação de mesários. Pelo calendário do TSE. as convenções partidárias para a escolha dos candidatos deverão ser realizadas de 20 de julho a 5 de agosto. Também a partir de 20 de julho, os candidatos passam a ter direito de resposta à divulgação de conteúdo difamatório, calunioso ou injurioso por qualquer veículo de comunicação social. Nesse mesmo dia, também é contabilizada a distribuição partidária dos assentos na Câmara dos Deputados para o cálculo do tempo da propaganda eleitoral no rádio e na televisão.


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

A4 | Nacional

> O TERCEIRO Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

SERÁ QUE A EDUCAÇÃO VAI? Desde que o atual presidente assumiu pelo Ministério da Educação passaram dois tresloucados ministros que, nos parece, de educação entendiam pouco, mas de falta de educação sabiam muito. Vide o último que além de dizer um monte de besteiras e cometer erros de português aos montões era agressivo com os poderes superiores ao ponto de dizer o que disse na famosa reunião ministerial. Ali começava o seu declínio, sua demissão, mas não sua farsa. Aproveitou-se de seu passaporte diplomático, iludiu não sei a quem ou encontrou coniventes e entrou nos Estados Unidos como se fora um fugitivo e acreditando na promessa de que vai ser o diretor-executivo do Banco Mundial. Se o for será mais uma piada brasileira a ser contada no além-mar. Bem, mas o que interessa é que temos um novo ministro da educação que chega aparentemente dotado de uma simplicidade pessoal, declarando que ao entende nada de ideologias e que chega com um currículo altamente técnico desejando aplicar seus conhecimentos no ministério sem misturar alhos com bugalhos. Foi presidente do FNDE, portanto conhece da matéria e até gostaria de acreditar que vai dar certo. Afinal, todos dizem que a educação é a base de qualquer reforma neste país e que só vai educando, educando e educando. Esperemos educadamente pelos resultados de mais esse ministro.

DESTACÔMETRO O destaque de hoje é lamentavelmente póstumo. Meu amigo, diretor e fundador deste jornal Primeira Edição, uma figura humana maravilhosa, um guerreiro e lutador que sempre haverá de merecer destaque em meu coração. Luiz Carlos Barreto Góes. Na piscina tomando uma e recebendo os amigos aos sábados.

PÍLULAS DO OUVIDOR Falei de meu amigo Luiz Carlos e poderia também estar falando de tantos outros que estão indo com essa terrível doença que pega de surpresa e leva com mais surpresa ainda. Não dá para entender como as pessoas responsáveis pela saúde no Brasil se desentendem ao invés de unirem forças para tentarem minimizar o mal causado pela Covid19. Um desacerto total onde os acertos precisavam ser maiores. Vejam por exemplo essa dança de números que nunca saberemos se são verdadeiros ou não. Essa falta de testes em massa mascara o número de casos e o que pensamos que está ruim pode estar muito pior. Essa agonia, até certo ponto explicável para que se abram os negócios e que tudo volte ao normal é também profundamente perigoso porque se feito de maneira incorreta pode causar uma reviravolta nos números de casos bem para cima. Entendemos que se as grandes empresas estão sofrendo imaginem vocês as pequenas e médias, os bares e restaurantes. Fechados representam um enorme declínio na vida de muitas famílias. Mas abertos há que ser com critérios. Acredito que pesquisas já estejam sendo feitas pelos especialistas em economia e que o desastre no PIB deverá ser avassalador. A queda da produtividade nos últimos 90 dias e não só no Brasil vão provocar uma revolução econômica. Hão de convir os leitores que uma paralisação deste tamanho afeta a todos de um modo geral. Das grandes empresas que tenham tido queda na produção porque a ponta caiu até as pequenas que fechadas representam falência concreta e real. O governo, ainda bem, promoveu a distribuição de auxílio emergencial por três meses podendo ser prorrogados, mas a burocracia e a falta de controle acabaram por colocar nas mãos de quem não precisa uma boa parte dessa verba. Aliás, pra terminar, vamos execrar essas pessoas - serão pessoas? - que se aproveitam da crise para roubarem os incautos, para lesarem os que estão necessitando. E até para receberem o auxílio sem precisarem. Maurício Aquino (foto), médico veterinário de primeira linha, um pesquisador na sua essência quando dava seu depoimento sobre os animais domésticos frente a essa epidemia. Profundamente esclarecedor no Bartpapo da BAND.

ABRAÇOS IMPRESSOS Os abraços impressos vão para o amigo Dinho Lopes um empresário cultural que também está sofrendo com a paralisação dos eventos. Mas como tudo haverá de voltar ao normal Dinho continua na sua luta ainda que em casa.

Novo ministro da Educação diz que 'não tem ideologias' Escolha de Decotelli representa uma vitória da área militar dentro do governo Correio Braziliense

A nomeação do professor Carlos Alberto Decotelli, 67 anos, como ministro da Educação, é uma vitória da ala militar do governo em relação ao grupo ideológico. O anúncio do novo titular da pasta foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais, e a decisão saiu em edição extra do Diário Oficial da União. A escolha causou surpresa, porque o nome dele não estava na lista dos cotados, sabatinados pelo chefe do Executivo. Economista de formação, Decotelli foi presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Oficial reformado da Marinha, já era aposta da ala militar do governo para substituir Ricardo Vélez Rodríguez, que foi o primeiro ministro da Educação da gestão Bolsonaro. Segundo Decotelli, o presidente pediu que continuasse a gestão realizada no FNDE. O novo ministro destacou que, diferentemente do que vinha

Com escolha de Decotelli, presidente Jair Bolsonaro emplaca o primeiro negro no mais alto escalão do governo

sendo feito no MEC, "não possui competência para fazer adequação ideológica" e que investirá no diálogo. Decotelli completou: "Fui presidente do FNDE no ano passado, do início do governo até agosto, e lá apliquei gestão

integrada e bom relacionamento com as entidades da Educação brasileira. É isso que foi pedido: o que foi feito no FNDE no ano passado que se estenda à gestão do MEC". Quando ele esteve à frente do FNDE, porém, a Controla-

doria-Geral da União (CGU) encontrou irregularidades numa licitação de R$ 3 bilhões para a compra de computadores, laptops e tablets destinado a alunos da rede pública. A licitação foi suspensa dias após a saída dele do cargo.

> NOVO PRESIDENTE

Fux assumirá comando do STF em setembro sucedendo Toffoli chegou a participar de atos antidemocráticos, que pediam, inclusive, o fechamento da Corte, o que irritou ministros. Outro fato que impactou as relações institucionais foi a abertura de um inquérito contra os protestos, que miram apoiadores do chefe do Executivo e a inclusão, no inquérito das fake news, de empresários, blogueiros e políticos bolsonaristas. No discurso, Fux afirmou que o objetivo dele é fazer uma gestão com foco na Constituição e na democracia.

Correio Braziliense Eleito presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), com 10 votos, o ministro Luiz Fux prometeu atuar pela democracia e independência entre os poderes. O mandato tem dois anos de duração e começa em 10 de setembro, com posse prevista para as 16h. A ministra Rosa Weber foi eleita vicepresidente da Corte na mesma sessão. No pleito, Fux votou na colega para o comando do tribunal, como ocorre tradicionalmente para evitar unanimidade na escolha - os 11 integrantes da Corte se revezam na presidência. A eleição deveria ocorrer em agosto, mas foi antecipada em razão da pandemia. Fux assumirá o lugar de Dias Toffoli, que tem uma passagem polêmica na presidência da

Ministro Luiz Fux presidirá STF com foco na Constituição e democracia

Corte, em razão do controverso inquérito aberto para investigar fake news e ataques contra o tribunal. Também na gestão dele, o tribunal chegou a anunciar, com o presidente Jair Bolsonaro, um "pacto entre os poderes", que teria como objetivo

atuar em frentes jurídicas e políticas para permitir o avanço de obras e projetos em todo o país. Ao longo dos últimos meses, no entanto, uma série de turbulências entre o STF e o governo foi deixando o pacto em segundo plano. Bolsonaro

ANTIGUIDADE

O STF, tradicionalmente, segue o princípio da antiguidade, elegendo para a presidência o magistrado com mais tempo de atuação no tribunal e que ainda não tenha chefiado a Corte. A votação de ontem foi feita a distância, por videoconferência.

> NO SUPREMO

Servidor ganha uma: redução de salário fere a Constituição Depois da draconiana reforma da previdência e de ter de passar dois anos sem reajuste salarial, o servidor público brasileiro pode dormir sossegado: o Supremo Tribunal Federal decidiu na quarta-feira (24), por maioria de votos, proibir a redução de jornada e de salário de servidores quando os gastos com pessoal ultrapassarem o teto previsto em lei. A redução salarial temporária está prevista na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), mas está suspensa desde 2002 pelo próprio Supremo pela possibilidade de ferir a Constituição. Dessa vez, a Corte retomou a análise de ações que questionavam diversos dispositivos da lei. Os ministros entenderam que a redução temporária de carga horária e de salários fere o princípio constitucional de

Ministros do STF decidiram que redução de salário afronta Constituição

irredutibilidade, contrariando demanda de estados e municípios que ultrapassam o limite legal de 60% da Receita Corrente Líquida (RCL). A maioria dos ministros seguiu o voto de Edson Fachin, que divergiu do relator, Ale-

xandre de Moraes. O julgamento foi retomado com o voto do ministro Celso de Mello, que também acompanhou o relator. Para Moraes, a redução salarial conforme a LRF é uma "fórmula temporária" para ga-

rantir que o trabalhador não perca definitivamente o cargo. "A temporariedade da medida e a finalidade maior de preservação do cargo estão a meu ver em absoluta consonância com o princípio da razoabilidade e da eficiência", afirmou o relator. Fachin, contudo, entendeu que não se pode flexibilizar a previsão da Constituição somente para gerar efeitos menos danosos ao governante, que também tem a possibilidade de demitir servidores estáveis se não conseguir cumprir o teto previsto em lei. O Supremo decidiu também que o Poder Executivo não pode limitar o orçamento de outros poderes (Legislativo e Judiciário, além de Ministério Público e Defensoria Pública) quando a arrecadação não atingir as expectativas.


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

O Z Í JU IRO E R P E C N A N I F Redação Com o rendimento da Selic (taxa básica de juros) caindo para o patamar histórico de 2.25% ao ano, a tradicional caderneta de poupança passou a registrar rendimento negativo (aplicação rendendo abaixo da inflação), o que poderá estimular o aplicador a sacar suas economias e correr para o consumo. Esse fenômeno ocorreu durante os planos de estabilização adotados, tanto no governo de José Sarney como no de Fernando Collor, quando os congelamentos de preços e salários derrubavam o rendimento das aplicações financeiras, induzindo o investidor a retirar o dinheiro aplicado no mercado financeiro para fazer compras, movimento que pressionava os preços e gerava mais inflação, anulando o efeito dos preços congelados. TÁTICA FALHA Ao assumir o governo em março de 1990, e orientado pela

Geral | A5

Rendimento da poupança fica negativo e aplicador pode correr para consumo Caderneta passa a render menos do que inflação; nos tempos da inflação, dinheiro ia para compras fotos: Divulgação

então ministra da Economia, Zélia Cardoso de Melo, o presidente Fernando Collor congelou os preços, mais uma vez, e tentou evitar a volta da inflação - com nova onda de consumo congelando os ativos financeiros, inclusive todo o dinheiro depositado na caderneta de poupança. Tal medida - uma das mais impopulares da história - concorreu para detonar a popularidade de Collor e fragilizá-lo durante o processo de impeachment.

SELIC DESABA

No dia 17 de junho último, o Comitê de Política Monetária (Copom), reduziu a taxa de juros de 3% para 2,25%. Com esse novo corte na taxa básica de juros Selic, a caderneta de poupança passa a render ainda menos, devendo ficar negativa por causa da inflação muito baixa neste ano. Ou seja, essa redução da Selic vai fazer com que os ganhos da poupança diminuam de 2,10% ao ano atualmente (0,17% ao mês) para 1,58% ao

Corrida para o consumo poderá ser estimulada em virtude do rendimento da poupança ficar abaixo da inflação

ano (0,13% ao mês), de acordo com o cálculo da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). E isso pode estimular o poupador a direcionar suas economias para o

consumo. De acordo com a regra vigente desde 2012, quando a Selic está abaixo de 8,5% a correção anual da caderneta de poupança fica restrita a um percentual correspondente a 70% dos

juros básicos acrescidos da Taxa Referencial (TR, que está em zero desde 2017). Já os depósitos realizados até abril de 2012, conhecida como "velha poupança" continuam rendendo 6,17% ao ano (0,50% ao mês).

Por outro lado, a redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. No último Relatório de Inflação, o BC projetava crescimento zero para a economia neste ano. No entanto, a previsão tinha sido feita antes do agravamento da crise provocada pelo coronavírus. A inflação, que tinha subido no fim do ano passado por causa da alta da carne e do dólar, agora tende a cair mais que o previsto por causa das interrupções da produção e do consumo provocadas pela pandemia da covid-19. REGRA DE OURO Embora a busca por maior rentabilidade seja do interesse de todos, analistas lembram que a regra de ouro nos investimentos continua sendo planejamento, acompanhamento dos mercados, diversificação e formação de uma reserva de emergência.

> INVESTIGAÇÃO

Braskem realiza novo estudo para explicar instabilidade geológica na área do Pinheiro Redação com Assessoria Até a próxima semana, a Braskem prosseguirá realizando um novo estudo de sísmica nos bairros do Pinheiro, Bebedouro e Mutange, trabalho iniciado na segunda-feira (22/06). Durante esse período de cerca de duas semanas, das 8h às 20 horas, técnicos percorrerão ruas e outros espaços públicos com equipamentos especiais instalados em caminhões, que produzem uma espécie de ultrassom das camadas mais profundas do subsolo. A assessoria de comunicação da Braskem informou que a coleta de dados nessa nova etapa de estudo tem o objetivo de contribuir para o entendimento do fenômeno geológico ocorrido na região, fazendo parte das medidas de monitoramento previstas no acordo

firmado entre a Braskem e autoridades públicas. A ação conta com o apoio da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) e da Defesa Civil de Maceió. De acordo com os técnicos envolvidos,o estudo de sísmica permite mapear e identificar as camadas de rochas e outros componentes que estão embaixo da terra. Os dados coletados formam uma imagem similar ao ultrassom, utilizado em diagnósticos médicos, porém, em escala quilométrica. Apesar de produzir som e vibração em curtos intervalos de tempo, que podem ser percebidos pelas pessoas no entorno do local onde estiver passando o caminhão, o equipamento não prejudica o pavimento das ruas,

nem provoca danos às estruturas das residências. Moradores de outras ruas não sentirão a vibração e o som será quase imperceptível. Empresa especializada vai monitorar todo o estudo para garantir que não ocorra danos nas estruturas. Os técnicos não precisam entrar nas casas dos moradores para fazer o estudo, e seguirão todos os protocolos sanitários de prevenção ao novo coronavírus, como avaliação médica, uso de equipamentos de proteção individual e respeito ao distanciamento mínimo recomendado pelas autoridades públicas de saúde ao transitar pelas ruas. Para que o estudo de sísmica aconteça, as vias precisam estar livres do trânsito de veículos; por isso, está havendo interdição de ruas em etapas, conforme mapeamento, sem

Estudo geológico poderá explicar causas da instabilidadeque afetaos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro

restringir o acesso dos moradores às suas residências. A pro-

gramação de interdição de ruas por data está disponível no site

www.braskem.com.br/alagoas .

> ROTINA CRUEL

Gasolina volta a subir com frequência para tormento de donos de automóveis Redação A trégua durou apenas os quatro primeiros meses de 2020 (no passado, só para lembrar, os combustíveis eram reajustados anualmente) e foi interrompida em maio com uma nova rotina de aumentos, para o tormento dos proprietários de automóveis. Na sexta-feira, 19de junho, o preço da gasolina vendida nas refinarias da Petrobras sofreu reajuste de 5%, divulgado em paralelo ao anúncio de novo aumento médio de 8% também para o diesel vendido às distribuidoras a partir dessas refinarias. Na média, nos postos de Maceió, o litro de gasolina está sendo vendido a R$ 3.95, quase 30 centavos a mais em relação aos preços praticados até o final de abril e início de maio. - Certo que o preço dos combustíveis está atrelado aos do mercado internacional e,

também, à variação do câmbio, mas, sinceramente, a sensação que temos é que estamos voltando àquela tempo do Pedro Parente na Petrobras, em que os reajustes, principalmente da gasolina, eram quase diários - lamentou Leandro A. dos Santos, promotor de vendas. Para se ter uma ideia, foi a terceira vez que a gasolina teve o preço reajustado somente em junho. O primeiro foi no dia 1º e o segundo no dia 9. De acordo com a Petrobras, o produto abastece, atualmente, cerca de 60% dos veículos de passeio no Brasil. Já o diesel sofreu a primeira alta em junho, cumprindo lembrar que o anterior tinha sido no dia 27 de maio. Ainda segundo a Petrobras, o consumo de diesel automotivo se restringe basicamente ao setor agrícola e de transporte rodoviário, setores de extrema importância para a economia do

quanto para o diesel foram 14, entre eles, 3 elevações e 11 quedas de preços. "Os combustíveis derivados de petróleo são commodities e têm seus preços atrelados aos mercados internacionais, cujas cotações variam diariamente, para cima e para baixo. Por isso, a variação dos preços nas refinarias e terminais é importante para que possamos competir de forma eficiente no mercado brasileiro", informou a petroleira.

Petrobras volta a reajustar com frequência os preços dos combustíveis, lembrando os tempos de Pedro Parente

país.

ACUMULADO

Com o aumento de 8%, que representa R$ 0,12 por li-

tro, o preço médio do diesel da Petrobras para as distribuidoras passou a ser de R$ 1,63 por litro. No acumulado do ano, a redução do preço ainda é de

30,2%. Pelos dados da Petrobras, em 2020, a gasolina teve 19 reajustes sendo 7 aumentos e 12 reduções de preços, en-

QUEDA DO CONSUMO A ANP estima que a queda da demanda por gasolina, em meio à crise econômica desencadeada pela pandemia do novo coronavírus, é da ordem de 35%. No caso do diesel, o recuo é de cerca de 22% a 25%. Segundo o diretor do órgão regulador Felipe Kury, o mercado de combustíveis como um todo está em contração.


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

A6 | Especial

> PROPAGAÇÃO

Pandemia cresce no interior alagoano

Governador anuncia 'matriz de risco' com fases de controle que orientará a retomada das atividades de modo seguro e gradual O crescimento contínuo de casos da Covid-19 nos municípios do interior de Alagoas está chamando, cada vez mais, a atenção da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Este foi um dos assuntos tratados pelo secretário da Saúde, Alexandre Ayres, durante coletiva on-line na noite da quinta-feira (25). "Quando analisamos diariamente o boletim epidemiológico, observamos um distensionamento dos atendimentos em Maceió e na região metropolitana e o consequente crescimento dos casos no interior do estado. Essa situação é

demonstrada pela diminuição do fluxo nas Centrais de Triagem, tanto do Benedito Bentes quanto do Ginásio do Sesi, no Trapiche, que são balizadores importantes para esta observação. Em Maceió, os atendimentos nas centrais ocorrem normalmente, mas com uma quantidade menor de pessoas", destacou o secretário.

Divulgação

ABERTURA

O governador Renan Filho divulgou, na sexta-feira (26), durante coletiva de imprensa on-line, o detalhamento da matriz de risco que orientará o

Governador Renan Filho anuncia plano para retomada sob controle

estado para a evolução das fases de distanciamento social controlado em Alagoas. A matriz de risco, composta por 3 eixos estratégicos - utilização da capacidade hospitalar instalada, evolução epidemiológica e taxa de evolução da Covid-19 - tem 6 indicadores para análise dos dados da Covid-19 em Alagoas. Os números desses indicadores serão analisados semanalmente, tomando como recorte as semanas epidemiológicas, e detrminarão se o estado poderá evoluir ou involuir dentro da escala de Distanciamento Social

Controlado, que está dividida em cinco fases: vermelha (fase atual), laranja, amarela, azul e verde, de acordo com o Decreto 70.145, publicado no Diário Oficial de 22 de junho de 2020. Fabrício Marques, titular do Planejamento, explicou que cada aferidor receberá uma bandeira de acordo com os resultados obtidos: vermelha, laranja, amarela, azul e verde sendo a bandeira vermelha a que representa o cenário mais preocupante e a verde a que apresenta os melhores resultados.


Especial Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020 Esportes - Diário Oficial dos Municípios - Opinião - Social

ADEUS A UM BALUARTE

Luiz Carlos Barreto - lição de vida de um protagonista da comunicação alagoana fotos: Arquivo Pessoal

Luiz Carlos: com Conceição, Bruno, Miguel e Rachel; com dona Conceição; com funcionários do Primeira Edição; e com os netinhos, seus ídolos

Quando um amigo se vai Geraldo Câmara (*)

Luiz Carlos Barreto Góes. Fundador e diretor deste jornal. Para mim muito mais que isso. Meu amigo desde os anos de 1978 quando o conheci em Sergipe, ele diretor da Comlar, junto a outros amigos que fiz naquela época. Joaquim Santana, Elias Costa e Silva, João Alves, gente boa que está por aí até hoje. Eu tinha uma agência de criação publicitária no Rio de Janeiro que prestava serviços para agências e alguns clientes diretos no Nordeste brasileiro. Um deles era a Habitacional com sede em Aracaju e em função disto nasceu nossa amizade que se estendeu para Alagoas, onde assim que por aqui cheguei o encontrei como diretor de O Jornal. Logo me con-

vidou para assinar uma coluna, o fiz, depois ele vendeu o jornal, fundou o Primeira Edição, levei minha coluna para o novo jornal onde escrevo até hoje. Lula era uma figura ímpar e reclamava quando eu ficava algum tempo sem vê-lo. Quando eu chegava e colocava a cara na porta de sua sala ele dizia logo: "Ficou rico! Não vem mais ver os pobres!" E a partir dalí o papo se estendia, as confissões da vida e por aí vai. E na despedida a eterna reclamação: "Vá lá em casa sábado. Você nunca vai!" Era o dia em que ele gostava de receber os amigos para um churrasquinho. Aquilo era quase um ritual. E aí essa Covid19 que está levando tanta gente nos leva mais esse amigo tão querido e tão de surpresa. Um aviso que

Bruno, seu filho nos dava de que ele havia sido internado, dois telefonemas com Conceição para saber de seu estado, uma rápida intubação e em menos de dois dias, a notícia chegando à noite de que ele havia partido aos 72 anos. Um choque! Teimoso como ele era enfrentava as dificuldades de tocar um jornal impresso sempre acreditando e acreditando se foi. Fica o legado de seu trabalho, a família, os amigos que como eu não deixarão que morra com ele a chama de sua lembrança e de nossa saudade. Nossos sentimentos, meus e de Vanessa à Conceição, Bruno, Miguel e Rachel. (*) Jornalista e colunista do Primeira Edição

Nosso agradecimento ao Hospital Vida

Aos nossos leitores e anunciantes

Em meu nome e dos meus filhos - Bruno, Miguel e Rachel - venho agradecer de coração a todos que fazem o Hospital Vida, pela dedicação e cuidados dispensados ao nosso querido Luiz Carlos.Agradeço ao Dr. Miguel, ao Dr. Erick, ao Dr. Renato e Dra. Carla, pelo carinho e empenho durante o tratamento do nosso inesquecível Luiz Carlos. Que Deus os recompensem, iluminando suas vidas e abençoando-os no mister de salvas vidas humanas.

Diretores e funcionários do Primeira Edição (impresso e digital), ainda consternados com o infausto, agradecem aos leitores, anunciantes, às autoridades e ao público em geral pelos votos de condolências, mensagens e manifestações de solidariedade transmitidas em face do falecimento do nosso Diretor-Geral Luiz Carlos Barreto Goes, ocorrido na última quarta-feira, 24 de junho.

Obrigado por tudo, Conceição Goes

Romero Vieira Belo ((*)

Luiz Carlos Barreto entra para a história da comunicação social de Alagoas como um veterano que, a despeito de quase três décadas de atuação nessa área, jamais perdeu ou sequer deixou arrefecer o interesse e a vibração pelo noticiário. Em geral, todo empresário se concentra na evolução dos negócios, na estabilidade da empresa, no lucro e na expansão. Barreto adicionava a esse perfil, tão inerente ao ramo, um olhar quase familiar voltado, também, para a situação de cada funcionário. Conheci-o em 1994. Secretário de Comunicação de Alagoas, visitei a sede de O Jornal, na Av. Comendador Leão (Prado) e lá estavam, unidos em sociedade, Luiz Carlos e Nazário Pimentel. Anos depois o jornal foi vendido ao industrial João Lyra, que transferiu a sede para a Av. Gustavo Paiva, na Mangabeira. Luiz Carlos, claro, ficou sem jornal, mas não sem ideia. Esqueceu de vez o setor onde atuara de forma saliente - o imobiliário - e apostou num projeto ousado: criar, sozinho, um semanário, mais um na saliente história dos periódicos alagoanos. Pouco tempo depois nasceria, com sede na Mangabeira e título pra lá de sugestivo, o Primeira Edição, tocado por uma equipe bem ajustada e uma incontida disposição de liderança. Posição conquistada, afinal, com anos de muita luta e um slogan altamente motivador: 'Comece a semana bem informado'. O Primeira Edição virou referência da mídia impressa alagoana, tanto que em seus 16 anos de circulação - ininterrupta - atraiu os mais prestigiosos anunciantes dos setores público e privado. O veículo de Luiz Carlos integra a sequência de jornais por onde passei em cinco décadas de batente, somando-se ao Diário de Pernambuco, Diário da Borborema, Jornal de Alagoas, Jornal de Hoje e O Diário. Em 2008, sucedendo a uma dupla de promissores jornalistas (Aline Gama e Carlos Madeiro) assumi a editoria geral de um Primeira Edição já consolidado, ingrediente indispensável como opção de leitura informativa dos alagoanos nas manhãs de segunda-feira. E seguimos em frente, firmes, apesar das múltiplas adversidades enfrentadas pelo setor. Raríssimas vezes - e isso não é comum em empresa jornalística - Luiz Carlos interferiu na Redação. Sempre jogou aberto, tinha uma visão muito clara do mercado, dos personagens que eram notícia, da política e da economia, e fazia questão de assegurar plena liberdade editorial. Na verdade, um misto de liberdade e confiança, correspondido por anos de atuação sem nenhuma intercorrência judicial ou abertura forçada de espaços para esclarecimentos ou direitos de resposta. Luiz Carlos se relacionava amistosamente com as pessoas e isso explica por que tinha um círculo de amizades tão numerosas quanto díspares. Tratava a todos respeitosamente e, não obstante seu semblante muitas vezes tenso, carregado, era um homem profundamente emotivo e brincalhão. Um homem afável que fazia questão de viver feliz com e para a família - a companheira de sempre, Conceição, os filhos Bruno, Miguel e Rachel e os netos. Outro traço marcante nesse sergipano de muitas virtudes: uma fisionomia com poucas linhas de expressão. Parecia não sentir a passagem do tempo. Nunca percebi diferença significativa no Luiz Carlos da década de 90 confrontado com o atual. Neste final de junho, de tantas dores e sofrimento, partiu o amigo Luiz Carlos, quase que repentinamente, vitimado pela fúria de uma pandemia convertida em tragédia planetária. Mas, para regozijo dos que o admiravam, entra para a galeria dos grandes protagonistas da imprensa de Alagoas. Luiz Carlos entra para nossa história, sobretudo, pela determinação com que ao longo de 16 anos fez do seu jornal uma leitura obrigatória dos alagoanos bem informados. E o fez, como pude testemunhar, superando obstáculos e arrostando com os sacrifícios de uma realidade setorial cada vez mais plena de limitações e desafios. (*) Jornalista, companheiro de Luiz Carlos Barreto


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

> EM RIO LARGO

Azulão: presidente explica ação para o CT Rafael Tenório justifica que áreas apropriadas para construção de sede na cidade têm apenas dois donos: impasse em jogo GloboEsporte.com A possibilidade de o CSA construir o seu novo Centro de Treinamento em Rio Largo está cada vez mais difícil. Quem afirma é o próprio presidente do clube, Rafael Tenório. Em entrevista, o dirigente azulino explicou nesta sexta como estão as negociações e disse qual a dificuldade para encontrar uma área apropriada na cidade. Nós estamos tentando, fomos olhar alguns terrenos, mas está muito difícil. - Rio Largo tem dois donos quando se fala em área de terras: a Usina Santa Clotilde, que, por problemas administrativos, não pode vender; e a Família Paiva, que não quer ne-

gociar. Por mais boa vontade que o prefeito tenha, a dificuldade é muito grande. O município não tem terra. Outras pessoas com terra lá não têm do tamanho que a gente precisa. Perguntado se o clube já desiste da construção da nova sede em Rio Largo, Tenório reforçou a vontade de fazer a obra no local, mas não descartou a escolha por outra cidade. - Nós continuamos preferindo Rio Largo, mas existe a dificuldade. Se lá não der certo, vamos buscar outra área e não temos um local definido. Pode ser Pilar, Atalaia, Murici, Flexeiras... Seja onde for. O que não podemos é ficar sem construir o CT até o final do meu mandato. O presidente também falou

fotos: Divulgação

precisa, no mínimo, de 120 mil metros quadrados. Foge completamente da realidade. É por isso, por exemplo, que o nosso rival se instalou fora da capital. Quando você acha uma área em Maceió, os caras querem R$ 100 por metro quadrado. Assim um terreno para o CSA construir o CT custaria R$ 12 milhões, algo fora da realidade.

ENQUANTO ISSO...

Tenório diz que está complicado para o CSA fechar com Rio Largo, pois donos de terrenos apresentam impasses

qual a dificuldade para encontrar uma área compatível em

Maceió. - Praticamente, não existe

área nem em Maceió, e as que têm são muito caras. O CSA

Enquanto não define o local para construção do novo CT, o clube treina no Estádio Nelson Peixoto Feijó, na Via Expressa. O Nelsão está alugado, por dois anos, e foi totalmente reformado para receber o elenco azulino.

> "DIVISOR DE ÁGUAS"

Marcelo Cabo concorda com o início do Brasileiro GloboEsporte.com A CBF projetou com os clubes a data de início do Campeonato Brasileiro. Pela proposta apresentada, o campeonato da Série B pode começar no dia 14 de agosto. Antes seria no dia 8, mas houve um pedido de mudança nesta sexta. Participante da Série B, o CRB aprovou a ideia da retomada do futebol nacional. Em entrevista ao GloboEsporte.com, o técnico Marcelo Cabo falou sobre essa retomada. - Me alegra muito ter uma proposição de data da CBF. Acho que é um tempo plausí-

vel para as equipes se prepararem, tentar definir os seus regionais, para que a gente possa começar o Campeonato Brasileiro com tranquilidade. O treinador regatiano também destacou que o momento requer união de todos em prol do futebol nacional. - Todos nós devemos nos abraçar, existir uma ajuda mútua entre CBF, federações e clubes para que a gente possa retomar e seguir em frente. Gostei muito dos itens das reuniões, a CBF tem se esforçado bastante para trazer alternativas para que a gente possa retomar o fute-

O treinador Marcelo Cabo na retomada dos treinamentos presenciais

bol brasileiro. Treinador encontra-se otimista.

Além da informação do possível começo do Brasileiro

em agosto, a semana começou de forma positiva para o Galo. Na terça-feira, os profissionais voltaram aos treinamentos presenciais. Cabo comentou esse momento marcante da carreira, após quase três meses afastado do campo, e fez uma reflexão. Foi um momento marcante, diferente, que a gente vai carregar para nossas vidas. Vai ser um divisor de águas o futebol pré e pós-pandemia. O técnico comemorou o reencontro com os companheiros de trabalho após quase 100 dias.

- Foi algo muito diferente, não só na nossa carreira, como nas nossas vidas. Uma retomada após quase 100 dias e tudo muito novo pra gente. Foi uma sensação de reestreia. Uma ansiedade muito grande em poder voltar aos treinamentos presenciais, reencontrar os companheiros de trabalho e ter aquela alegria de sentir o cheiro da grama, de você fazer aquilo que ama. Além de todos que fazem o CRB, a torcida regatiana também aguarda com muita anciedade o retorno do futebol, principalmente do CRB.

> MEMÓRIA VIVA

Luiz Carlos, Deus o acolherá! Alcides Muniz Falcão (*) Um choque, um fato profundamente lamentável. Foi com imensa tristeza e sentimento de pesar que recebemos, eu e toda minha família, a triste notícia do falecimento do meu prezado amigo, atuante homem de imprensa, Luiz Carlos Barreto, diretor-geral deste conceituado Primeira Edição. Luiz Carlos e a sua estimada esposa, dona Conceição, assim como os demais familiares sergipanos que se tornaram alagoanos de alma e coração. Aqui chegaram e nos conquistaram pelo respeito, lealdade e distinção, virtudes também inerentes ao nobre e conceituado povo alagoano, um dos maiores hospitaleiros da nação brasileira. A conceituada imprensa alagoana lastimavelmente perde um reconhecido protagonista que, através do seu jornal e portal. divulgou buscou sempre elevar o nome de Alagoas.

sentimento de perda ante o triste e repentino falecimento do prezado amigo, com quem fiz uma amizade sincera, desde a época em que tive a honra de conhecê-lo. Registro aqui, no entanto, a amizade e estima que tinha pelo Luiz Carlos. No meu nome e da família Muniz Falcão, dedico o texto desta edição ao batalhador que foi Luiz Carlos. Minhas condolências aos seus familiares. Já estamos a sentir saudade! Nossas condolências, também, às famílias da doutora Marlene Lanverly e do Dr. Francisco Beltrão recentemente falecidos. E a minha solidariedade a todos que fazem este jornal, produto da garra e do idealismo de Luiz Carlos Barreto Goes, seu fundador e Diretor-Geral. Ex-senador Alcides Muniz Falcão

Confesso, o espaço deste conceituado jornal não daria para eu expressar o real

(*) Depoimento do ex-senador Alcides Muniz Falcão


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

Esportes |B3

> VAI COMEÇAR

CBF explica início do brasileiro em agosto É uma espécie de limite para entregar os calendários de 2020 e 2021 com segurança, reunião atendeu pedido dos clubes Divulgação

GloboEsporte.com O departamento técnico da CBF disse aos clubes, no início da vídeo-conferência de quinta-feira (25), que o Campeonato Brasileiro não esperará pelo final de todos os estaduais. Foi por isso que os clubes solicitaram uma data de previsão para o começo do Brasileirão. A CBF, então, projetou: 9 de agosto. Depois da divulgação do dia em que a confederação pretende iniciar a principal competição nacional, dirigentes se manifestaram dizendo que preferiam o dia 16. Por causa disso, o departamento técnico da CBF procurou o blog para esclarecer que considera o dia 9 de agosto a data limite para entregar, com segurança, todos os compromissos das temporadas de 2020 e de 2021. Atrasar a decisão da Copa do Brasil, por exemplo, levaria à não indicação de um representante brasileiro na Libertadores do ano que vem. Atrasar o Brasileirão seria um risco ainda maior. "Em Goiás, faltam oito datas, no Rio Grande do Sul faltam sete. Cada estado tem uma condição diferente", diz o diretor do departamento de competições, Manoel Flores. Quer dizer, que o Rio Grande do Sul pode começar no dia 25 de julho e só terminar no dia 16 de agosto, impedindo o início do Brasileirão até mesmo uma semana depois da projeção atual. Ou a situação sanitária entre os gaúchos pode não melhorar e obrigar o campeonato

Campeonato Brasileiro deve ser iniciado no segundo final de semana de agosto, devendo ser realizado em bem menos cidades do que o habitual

a ser retomado só em agosto. Daí a ideia central de começar o Brasileiro em tempo de unir a temporada 2020 à 2021 e sem esperar o fim dos estaduais. Foi por causa deste anúncio que os clubes fizeram questão da previsão de uma data. Os clubes de São Paulo manifestaram-se contrariamente à decisão do dia 9 ainda na assembleia e o Athletico Paranaense não aceitou a hipótese de jogar em outra cidade se não houver liberação em Curitiba. O acordo, aceito por 19 dos 20 clubes, é que os times de municípios sem liberação das secretarias de saúde até 9 de agosto

jogarão em outro lugar. Só o Athletico não concorda. De fato, é um exercício duro formatar o calendário com competições que classificam umas para as outras. De fato, o tempo não será farto para terminar esta temporada até fevereiro e iniciar a próxima na sequência. O que os clubes contrários alegam é que podem precisar disputar jogos em tempo escasso e correr o risco grave de lesões. No fundo, todo mundo tem uma parte de razão. Mas vai precisar haver entendimento. Como se diz aqui desde o início da pandemia, o grande exemplo é o Campeonato

Paulista de 1918, paralisado durante a pandemia da gripe espanhola. Só terminou e teve o Paulistano como campeão, porque houve consenso. O Paulistano disputou 16 jogos e o Santos, quarto colocado, jogou só 12. Era mais fácil, porque o futebol era incipiente e não havia rebaixamento. Mas só se concluiu, porque houve bom senso. É o que vai precisar acontecer agora. A explicação da CBF para projetar a data de 9 de agosto tem lógica e não visa a beneficiar ou prejudicar nenhum clube. O ponto central será convencer todos os times que se manifes-

tam a favor do início no dia 16 de agosto de que será necessário pensar no maior campeonato do país.

OTIMISMO

A reunião entre CBF e clubes das Séries A e B do Brasileirão estabeleceu que a competição deve ser iniciada entre os dias 8 e 9 de agosto deste ano; no mesmo mês, a Copa do Brasil também deve ser retomada. O cenário de calendário cheio dá maior perspectiva para Ceará e Fortaleza, representantes cearenses na elite do futebol nacional. Vovô e Leão voltaram aos

treinos presenciais nos primeiros dias de junho, e a tendência é que a primeira competição a ser retomada seja o Campeonato Cearense, em meados de julho. Na sequência, será a vez da Copa do Nordeste. As datas ainda não foram definidas, e ambos os torneios podem ser disputados simultaneamente com o Brasileirão. Com um horizonte definido para o início da Série A, os dois times agora fazem planos a longo prazo e estudam as novas configurações da competição. Segundo o presidente do Ceará, Robinson de Castro, o elenco deve intensificar ainda mais os treinamentos e se preparar para jogos em menos cidades. - Eventualmente, se algum jogo não poder ser realizado em uma determinada localidade por questão sanitária e de saúde, será imediatamente transferida a realização do campeonato para um outro estado de forma que o campeonato não seja interrompido em nenhum momento. A previsão é de que ele seja concluído em fevereiro de 2021. Vamos nos preparar para fazer uma grande competição - declara Robinson. Do lado do Fortaleza, o presidente Marcelo Paz exalta as normas rígidas de controle e de saúde que vêm sendo adotadas. Mesmo sem torcedores em um primeiro momento. Paralelo ao Campeonato Brasileiro, Ceará e Fortaleza também vão jogar pela Copa do Brasil. O Vovô está na terceira fase da competição, enquanto que o Tricolor já está classificado para as oitavas.


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

B4 | Diário Oficial dos Municípios

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIAÇABUÇU HOMOLOGAÇÃO O PREFEITO MUNICIPAL DE PIAÇABUÇU/AL, no uso de suas atribuições legais, e em cumprimento ao Art. 43, inciso VI da Lei Federal no 8.666/93 e com a previsão do inciso XXII da Lei Federal no 10.520/02, resolve HOMOLOGAR os itens do Certame Licitatório modalidade Pregão Presencial sob o no

014/2020, que tem por objeto o Registro de Preços para Aquisição de Pães, em favor da Empresa FABIO OLIVEIRA GUEDES, CNPJ: 24.108.736/0001-46, vencedora dos itens 01 e 02, perfazendo o valor total na ordem de R$ 48.600,00 (quarenta e oito mil e seiscentos reais) e considerando, com base nas informações contidas nos autos, sua plena regularidade. Piaçabuçu/AL, 17 de junho de 2020.

Djalma Guttemberg Siqueira Breda Prefeita --------------------------------------PREFEITURA MUNICIPAL DE PIAÇABUÇU EXTRATO DE ATA DE REGISTRO DE PREÇOS DO PREGÃO PRESENCIAL No 014/2020. ATA DE REGISTRO DE PREÇOS No 024/2020 FORNECEDORA REGISTRADA: FABIO OLIVEIRA GUEDES - MEI, CNPJ: 24.108.736/0001-46 –

Objeto: SRP Aquisição de Pães. Perfazendo o valor total da ata de registro de preços na ordem de R$ 48.600,00 (quarenta e oito mil e seiscentos reais), referente aos itens 01 e 02. Data de Assinatura: 18 de junho de 2020. Validade de 12 meses a partir de sua assinatura. Piaçabuçu/AL, 18 de junho de 2020. Djalma Guttemberg Siqueira Breda Prefeito

> NA AREIA?

UFC: Dana White posta foto de octógono Presidente do Ultimate publica apenas imagem de octógono em montagem nas areias e marca a ilha "Yas", nos Emirados Divulgação

Dana White Ilha da Luta, não há qualquer confirmação de que o UFC seria realizado na praia, ainda é mistério

Combate.com Dana White criou ainda mais expectativa pela chegada do UFC a Abu Dhabi no próximo mês. E precisou apenas de uma foto para isso. Na noite deste sábado, em meio ao “UFC: Poirier x Hooker”, em Las Vegas, o presidente do Ultimate mostrou um octógono em montagem na praia e marcou a ilha “Yas”, que fica justamente em Abu Dhabi, sugerindo que os quatro eventos marcados para os Emirados Árabes Unidos aconteceriam nas areias da ilha. Não há qualquer confirmação de que o UFC seria realizado na praia. A expectativa é que ele ainda aconteça numa arena, assim como aconteceu em três ocasiões anteriores em que o Ultimate passou pelo país, com locais fechados montados exclusivamente para os eventos. O primeiro card marcado para a "Ilha da Luta" acontecerá no dia 11 de julho, e dois brasileiros poderão sair campeões de lá. José Aldo enfrenta o russo Petr Yan pelo cinturão vago dos galos, enquanto Gilbert Durinho enfrenta o campeão meio-médio Kamaru

Usman. O evento ainda tem o campeão peso-pena Alexander Volkanovski na defesa do título em revanche com Max Holloway. Uma semana depois, no dia 18, Deiveson Figueiredo tenta o título vago dos moscas contra Joseph Benavidez. Confira os cards previstos para a Ilha da Luta, em Abu Dhabi:

UFC 251

11 de julho de 2020, na Ilha da Luta, em Abu Dhabi CARD PRINCIPAL (23h, horário de Brasília): Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Gilbert Durinho Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway Peso-galo: Petr Yan x José Aldo Peso-palha: Jéssica BateEstaca x Rose Namajunas Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant CARD PRELIMINAR (19h, horário de Brasília): Peso-meio-pesado: Volkan Oezdemir x Jiri Prochazka Peso-meio-médio: Elizeu Capoeira x Muslim Salikhov Peso-pena: Makwan

Amirkhani x Danny Henry Peso-leve: Léo Santos x Roman Bogatov Peso-pesado: Marcin Tybura x Alexander Romanov Peso-mosca: Raulian Paiva x Zhalgas Zhumagulov Peso-galo: Karol Rosa x Vanessa Melo Peso-galo: Martin Day x Davey Gran

PHILIPE LINS É NOCAUTEADO

Único brasileiro no evento, o peso-pesado potiguar Philipe Lins ainda não conseguiu a sua primeira vitória no UFC. Após a derrota para o veterano Andrei Arlovski em sua estreia, Lins teve a segunda oportunidade no octógono diante do canadense Tanner Boser, e foi novamente derrotado, desta vez por nocaute aos 2m41s do primeiro round. Ex-campeão da Professional Fighters League, Philipe Lins fica em situação difícil na organização, e precisa se recuperar na próxima luta para evitar o risco de ser demitido. Na metade do primeiro round, uma sequência de golpes seguidos derrubaram e nocautearam Lins.


Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

Opinião |B5

A foto do fato

Editorial

Estragos profundos Entidades do setor empresarial alagoano estimam que o fechamento ocasionado pela pandemia do coronavírus acarretará a liquidação de pelo menos trezentas lojas, somente em Maceió, duzentas das quais nos shopinggs e outras cem localizadas no comércio da região central. Claro que o estrago epidêmico atingirá também uma quantidade considerável de negócios no interior, mormente nas cidades de porte médio e grande. Parece provável, ainda, que alguns estabelecimentos do setor hoteleiro não obstante o bom momento turístico que o Estado vive, pandemia à parte, claro - não consigam sobreviver ao vendaval produzido pelo vírus originário da China. Setores como o de transporte coletivo, incluindo táxis e Uber, e de serviços estão sofrendo o impacto da pandemia e, certamente, levarão um bom tempo para conseguir a plena recuperação. Ainda bem, graças à estabilidade financeira do Estado - o ponto mais positivo do governo Renan Filho - os salários do funcionalismo estão sendo pagos regularmente, o que garante a todo esse poderoso segmento a manutenção do poder de compra. Obviamente, a recomposição das empresas e do comércio vai depender da resposta do consumo, que passa a ter justamente no setor público seu peso maior, considerando o desgaste provocado na setor privado pela perda do emprego e renda de centenas de milhares de trabalhadores assalariados. O governo federal, cumpre reconhecer, já deu valiosa contribuição para mitigar os efeitos da crise, tanto com o bilionário socorro financeiro a estados e municípios, quanto com a liberação do auxílio emergencial a milhões de brasileiros desamparados, incluindo os inclusos no Bolsa Família. Por motivos óbvios, a retomada será gradual e lenta, mas o governo poderia avaliar um remédio importante para acelerar o restabelecimento da ordem financeira nacional: a emissão de dinheiro novo, somente apenas, enfatize-se - para repor o capital que foi usado, de forma extraordinária, para cobrir despesas assistenciais vinculadas à pandemia.

A Basílica de Aparecida, em São Paulo, já está autorizada a celebrar missa presencial, mas só voltará de forma segura, cumprindo protocolo de prevenção. O Santuário Nacional vai retornar com celebrações presenciais testando a temperatura dos fiéis para evitar o acesso de pacientes com covid.

Bolsonaro vai cair?

Mãe não deveria morrer

fanatismo ideológico e A prisão de Queiroz, a demis- cinismo são de Weintraub e a valida- q u e r e m ção do inquérito das fake aproveitar a news pelo STF movimentaram crise para lias apostas. A cabeça de Flávio quidar o esBolsonaro pode ser a próxima tado brasiderrota humilhante. Seria o leiro. começo do fim? O "Posto Ipiranga" virou uma O jogo do poder funciona espécie de "seguro-problema". com regras próprias. Uma boa Se aplicar seu programa - enforma de tentar responder à golido pela pandemia e aboli"pergunta do milhão" é pular do no mundo inteiro -, o risco direto para o final do filme. da popularidade do governo Quem ganha e quem perde derreter é enorme. Se demitir com a queda de Bolsonaro? o devoto de Chicago, o presiOs fatos, mesmo os mais im- dente perde o apoio da Banca portantes ou absurdos, modi- e pode cair. ficam peças no tabuleiro, au- Culpar os governadores pela mentam a pressão, mas não crise econômica parece ser tomam a decisão. seu único recurso. Rodrigo Maia já deixou claro O capitão vai aprendendo da que não pretende pautar o pior forma possível que não impeachment. Não quer cor- existe poder ilimitado. O porer o risco de acabar como der é ele mesmo e suas cirIbsen Pinheiro ou Eduardo cunstâncias. Está sempre subCunha. Sem povo nas ruas, o metido à correlação de forças Congresso vai do momento. derrubar o caSem força objepitão numa tiva para reali“O capitão Jair sessão virtual? zar seus deseBolsonaro vai O principal jos autoritários, aprendendo da ganhador seBolsonaro virou ria Mourão. O o adolescente pior forma que vice faz de tunão existe poder rebelde que sai do para se inde casa e volta ilimitado” viabilizar. Inna segunda teressa aos deesquina ao permais atores ceber que não políticos entronizar um bolso- possui um centavo no bolso. narismo sem Bolsonaro? Suas bravatas viraram piada. O TSE vai cassar a chapa? No- Está morto? Ninguém morre vas eleições seriam convoca- com 1/3 da população ao seu das. Doria poderia concorrer? lado. Mas governar é outro Moro e Huck, sem filiação par- papo. Conservar este apoio tidária, estariam habilitados? popular com as mortes escaLula, inabilitado, continuaria lando e a economia derretenexcluído. Esta solução interes- do não será nada fácil. sa a quem? A agenda liberal Em função da falta de interesseria ratificada nas urnas? sados e da bengala liberal, o O único setor da classe domi- mais provável é um presidente nante que deseja a queda do fraco, cada vez mais tutelado presidente é a Globo. Ela po- e cercado, até as próximas de muito, mas não pode tudo. eleições. Os donos do dinheiro conti(*) Jornalista, especializado nuam fechados com a agenda em Administração Pública pela de Guedes. Fundação Getúlio Vargas (FGV) O ministro da Economia anunciou que só as reformas salvam o Brasil. Um misto de

Alberto Rostand Lanverly (*)

Ricardo Cappelli (*)

Pois é Mainha, finalmente chegou a sua hora. Momento por você tão esperado desde a partida de meu pai Rostand, ideia jamais aceita por nós que lhe amamos. Porém por mais que sofra a dor da separação, encontro forças para aceitar o acontecido e em minha mente, liberá-la para uma nova vida ao lado do seu Rock, onde tenho certeza voltará a ser a menina Marlene que um dia ele conquistou e juntos seguirão felizes. Apesar de cultivar a certeza, de que mãe não deveria morrer nunca, seguirei a rota dos primeiros passos que dei rumo a quem hoje sou, pois eles foram guiados por suas mãos. Por esse motivo lhe digo que permanecerei buscando forças para que o meu comportamento seja digno tanto do seu orgulho, quanto do que o mundo de mim espera. Sei que por mais que me esforce, não conseguirei imitá-la, pois sempre foi forte como as montanhas, nunca permitiu a existência de lama nas estradas dos seus pensamentos, nem folhas mortas nos riachos das suas intenções, mas com certeza seguirei praticando os seus ensinamentos, respeitando os meus semelhantes, desenvolvendo com carinho as minhas atribuições e reverenciando suas lembranças. A senhora, minha Mainha, é meu orgulho pois em sua jornada, soube escrever uma linda história, repleta em bondade, responsabilidade, com-

preensão e otimismo, fazendo com que até pessoas que nem delas mesmas gostavam, lhe admirassem. Para mim, a senhora sempre foi tão grande como o Sol, a quem acostumei a adorar; pura como a lua, desde quando me ensinou a rezar e clara como o dia, todas as vezes em que me incentivou a agir. Por isso não foi difícil, muito lhe querer. Não tem sido fácil. Lembro das nossas últimas conversas, quando já na UTI do Hospital Veredas, perguntou por Aninha e seus netinhos, encon-

“Para mim, a senhora sempre foi tão grande como o Sol, a quem acostumei a adorar; pura como a Lua. Não tem sido fácil”... trando forças para afirmar estar triste pois jamais os veria novamente. Eu engoli o choro mamãe, mas o meu coração partiu em dois, tendo uma das partes ficado coladinho ao seu, desde aquele momento. Como a sua pessoa era querida... deixou órfãos não somente a mim e a Marcinha, mas também milhares de pessoas que lhe chamavam de "mãe" Alagoas afora, filhos que aos poucos

foram adotados ao longo da sua existência, e que hoje muito sentem a sua partida e tenho certeza, estão agora a lhe dizer adeus, com tamanha saudade que por não caber no coração, insiste em escorrer através dos olhos. Não importa se a vida é um filme de curta ou longa-metragem. O que vale é o fato da senhora haver vivenciado intensamente o seu protagonismo, e como a morte não é um fim e sim uma separação temporária, um dia no futuro estaremos juntos novamente, e até lá, continuarei a lhe amar profundamente. O que mais me dói, é que a partir de agora não mais poderei lhe tomar a benção como fazia todas as vezes que nos falávamos em um único dia, e nestas oportunidades, escutava a sua voz: "Deus te abençoe e faça um homem de bem meu filho, seja como você é, não precisa mudar em nada". Saiba que a sua memória será constantemente honrada, o seu nome e a sua história por anos a fio repetidos com amor, carinho e respeito, pois continuará eternamente presente nas vidas dos que lhes estimam. Até Sempre! (*) Filho de Marlene Lanverly

A história da humanidade como a história das paixões Roque de Brito Alves (*)

1 - A história da humanidade é a história das paixões, não é a história da razão. História movida pelas paixões e não pelo uso da razão, o drama pleno de dinamismo das paixões e não a calma tranquila da mente pelo uso da razão. Existe uma certa tempestade psicológica quando a natureza humana está influenciada pelas paixões e, ao contrário, uma grande tranquilidade quando está dominada pela razão como se fosse um lago suíço bem tranquilo e não o mar revolto das paixões. 2 - Tendo-se em vista esta nossa tese ou argumentação, demonstramos que a paixão pela VERDADE fez nascer a filosofia na Grécia Antiga ("Philo" "Sofia" amor pela sabedoria). Com a paixão (o amor) por DEUS surgiu a MÍSTICA na Idade Média. A paixão pela arte, pela BELEZA: originou a Renascença na Europa (sobretudo na Itália) nos séculos 15 e 16. A paixão pela LIBERDADE gerou o iluminismo e a revolução francesa no século 18. A paixão pela HUMANIDADE foi a causa dos grandes movimentos sociais e pela democracia nos séculos 19 e 20. A grande literatura é a literatura das grandes PAIXÕES como o amor, o

ódio, o ciúme, a inveja, a vingança (que em verdade pode ser a finalidade de muitas paixões e não uma paixão em si propriamente dita). 3 - Particularmente no tema, o grande amor de Dante Alighieri (12651321) por Beatriz (1266-1290) originou a obra-prima da literatura universal que é A Divina Comédiad, uma magistral descrição e análise dos ví-

“Afinal, sem paixão, a vida seria insípida, sem graça, como diz o poeta: “alguém somente passou pela vida, não viveu” cios, pecados, crimes e também das grandes virtudes do ser humano. Ainda, especificamente, na realidade da vida, os grandes fanatismos políticos, religiosos, e até futebolísticos, são produtos das paixões que naturalmente são exacerbadas porque se assim não fossem não seriam paixões

como já foi dito. 4 - A grande exceção a esta nossa tese do domínio das paixões na história da humanidade foi o grande filósofo francês René Descartes (15961650), amante do uso da razão pois sustentava que só através da razão é que o homem atingiria a verdade e que para isso a dúvida seria o método necessário a tal respeito e se ele duvidava é porque pensava, concluindo com a sua frase que ficou famosa na história da filosofia: "Penso, logo existo". O "Cartesianismo" ainda hoje influencia muito a filosofia moderna. 5 - Afinal, sem paixão, a vida seria insípida, sem graça, como diz o poeta "alguém somente passou pela vida, não viveu". (*) Último artigo enviado por Roque de Brito Alves para a página de Opinião do Diário de Pernambuco e ainda não publicado. Ele faleceu no dia 13 de junho de Covid-19, aos 94 anos

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Dr. Albino Magalhães, 221 - Farol | CEP 57.050-080 Fone: (82) 3021-5837/ 3021-0563 - Maceió | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 3021-0563

Luiz Carlos Barreto Goes Diretor-Geral

Romero Vieira Belo Editor Geral

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


B6 | Social

Primeira Edição | 29 de junho a 5 de julho, 2020

Profile for Carlos Monteiro

Comunicação perde Luiz Carlos Barreto  

Edição impressa de 29 de junho

Comunicação perde Luiz Carlos Barreto  

Edição impressa de 29 de junho

Profile for peonline
Advertisement