E Alagoas entra na fase azul

Page 1

Estudo sobre Lagoa Mundaú sai nesta 4ª feira > A-3

edição PRIMEIRA

Moro poderá disputar Senado O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro está de volta ao Brasília e manterá contatos sobre sua possível participação nas eleições do ano que vem. Visto com potencial para disputar a Presidência, Moro também poderá concorrer a um mandato de senador. > A-4

Mega-Sena não tem ganhador Ninguém ganhou a Mega-Sena deste sábado (25). As dezenas sorteadas 09 - 16 - 34 - 36 49 - 60. Acumulado, o próximo prêmio está estimado em R$ 10 milhões. Quem fez a Quina receberá R$ 59 mil. A Quadra vai pagar R$ 949 a cada acertador.

Ano 13 | Edição 945 | Maceió, Alagoas, 27 de setembro a 3 de outubro, 2021 | R$ 2,00

E ALAGOAS ENTRA NA FASE AZUL Em novo decreto - e com pandemia contida - governador Renan Filho libera eventos já partir deste semana> A-5

O dia em que ministro foi comparado ao servil Fabiano, personagem do romance 'Vidas Secas' Na CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros comparou o ministro Wagner Rosário, da Controladoria Geral da República (CGU) a Fabiano, personagem servil de ‘Vidas Secas’, de Graciliano Ramos. >A-2

Relator indiciará Bolsonaro O relatório final da CPI, elaborado por Renan Calheiros, colegas senadores e juristas consagrados, vai indicar Bolsonaro por ‘crime da responsabilidade’. > A-2

Prefeito abre mão de imposto e evita aumento de passagem Após reduzir a tarifa de ônibus de RF$ 3.65 para R$ 3.30, no início do ano, o prefeito JHC agora decidiu abrir mão do ISS para evitar aumento da passagem nos ônibus urbanos de Maceió, após sucessivos aumentos dos combustíveis, decretados pela Petrobras. > A-5

Primeira Edição

Com ISS zerado, usuários vão continuar pagando passagem de ônibus com o valor reduzido no início do ano

Em 2022, Orçamento de Alagoas será R$ 2,7 bilhões maior do que o de 2021 Com as finanças equilibradas, o governo de Alagoas

enviou ao Legislativo Projeto de Lei Orçamentária

Anual (PLOA para 2022) prevendo receita líquida de

R$ 12,6 bilhões, ou seja, 27% ou R$ 2,7 bilhões a

Público maior no REI PELÉ só após reforma de arquibancada O Estádio Rei Pelé já realiza jogos com torcida presente (foi assim CSA x Botafogo, na 5ª feira) mas o acesso está limitado a até 3 mil torcedores e a situação se normalizará após reforma nas arquibancadas, autorizadapor Renan Filho. > A-5

Primeira Edição

mais em relação ao Orçamento deste ano. Do total

bruto, R$ 6,4 bi irão para gastos com pessoal > A-3

ENTREVISTA À VEJA

Bolsonaro nega golpe e elogia ação de Barroso: "Não vou melar eleição" Em entrevista à Veja, Bolsonaro elogia o presidente do TSE, Roberto Barroso, por incluir as Forças Armadas no processo eleitoral, e diz que não vai 'melar' as eleições.

Nada de tabelar preços Com Rei Pelé liberado, torcedores se mobilizam, mas acesso exige uso de máscara e vacinação comprovada

Sobre o aumento dos preços e crescimento da inflação, Bolsonaro descarta adoção de medida radical, como o improdutivo ‘tabelamento de preços’. > A-4

CSA apaga Fogão e desvaloriza Cruzeiro Hamilton vence GP da Rússia e conquista sua vitória de número 100 O campeão inglês Lewis Hamilton venceu o GP da Rússia, neste domingo

(26) e chegou à sua 100ª vitória na carreira, uma marca histórica. > B- 4

De virada, CSA bateu o Cruzeiro (2x1) neste domingo, em BH, e já mira

o G-4. Na 5ª feira, Azulão já havia apagado o Botafogo: 2x0 no Rei Pelé.

Galo perde em casa: 2x1 Campeão Lewis Hamilton vence GP da Rússia e alcança sua 100ª vitória

Sábado (25) também no Rei Pelé, o CRB jogou mal e acabou perdendo de 2x1

para o Avaí, que encostou no Galo alagoano: 44x43 pontos. > ESPORTES

Fale conosco | Redação: (82) 9.9143-2653 | Comercial: (82) 9.8728-7819 | Assinante: (82) 9.8728-7819 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br | e-mail: contato@primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

A2 | Política

A D I P A C EMIA D N A P Primeira Edição com Correio Braziliense

Embora formado em Direito pela Universidade Federal de Alagoas, sem contudo ter exercido a advocacia, o senador Renan Calheiros elaborou o relatório final da CPI da Pandemia com a colaboração de colegas senadores e, especialmente, de juristas como o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. O relatório vai listar nomes de pessoas investigadas e indiciadas (pelo que deverão responder na Justiça) e já se tem como certo que o presidente Jair Bolsonaro será responsabilizado por mais de um crime, dentre eles o de prevaricação, por haver tomado conhecimento de irregularidades no processo de compra da vacina indiana Covaxin mas não ter informado as fraudes a nenhuma autoridade investigativa. Renan havia prometido ler o parecer aos demais integrantes da CPI até a última sextafeira (24), mas teve de aguardar novas convocações da Comissão de Inquérito. O senador diz que não elaborou o relatório sozinho e que aceitou contribuições tanto de senadores quanto de grupos de estudos que se debruçaram sobre as provas encontradas pela comissão, como o parecer escrito por um grupo de juristas coordenado pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr, que

Relatório de Renan é robustecido com aval da Comissão e parecer de juristas Documento finalizado pelo senador alagoano acusará Jair Bolsonaro de’ crime de responsabilidade’ imputa ao presidente uma série de condutas que configuram crime de responsabilidade. O documento afirma, por exemplo, que a preferência de Bolsonaro em manter o funcionamento da atividade econômica em meio à crise sanitária e incentivar a população a fazer uso de remédios sem eficácia comprovada e com graves efeitos colaterais, em vez de coordenar estratégias eficazes de enfrentamento à pandemia, evidencia "o descaso para com a saúde e a vida dos brasileiros", com o presidente "fugindo à responsabilidade de promover a adoção de medidas de precaução". "É evidente que nós teremos crimes comuns - são muitos os crimes comuns -, crime de responsabilidade, crime contra a vida e contra a humanidade. Mas vamos fazer isso com critério, com responsabilidade. Não vamos, incoerentemente, querer atribuir um número máximo de crimes apenas para penalizar as pessoas publicamente", destaca Renan, detalhando: - Estamos imaginando um relatório com vários encaminhamentos. Nós queremos fazer escolhas acertadas, para que esse relatório tenha uma consequência rápida na Procuradoria-Geral da República e, também, no Tribunal Penal Internacional". Presidente do colegiado,

fotos: Divulgação

ção de uma pessoa só, que controla todo o processo".

IRRESPONSABILIDADE

Renan Calheiros robustece o relatório final da CPI com documentos, apoio de colegas e pareceres de juristas

Omar Aziz (PSD-AM) tem a mesma expectativa de Renan. "Que ele tenha muita sabedoria, para que a gente possa ter um relatório consistente, um relatório embasado em fatos e provas, para que a nação brasileira saiba que o trabalho que fizemos durante esses meses servirá para que o Brasil não cometa os mesmos equívocos se, infelizmente, tivermos uma nova pandemia. A gente não deseja isso para ninguém. Um mundo de cabeça pra baixo. O Brasil destoando das principais lideranças na condução da pandemia", frisa.

IMPEACHMENT

O relator da CPI espera que o parecer final possa servir de base para um pedido de impeachment contra Bolsonaro. Segundo ele, é necessário uma atualização da lei que versa sobre o impeachment, de modo que passe a existir um prazo para a avaliação dos pedidos. Atualmente, há pelo menos 131 processos paralisados na Câmara aguardando a deliberação do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). "O presidente da Câmara dos Deputados precisa despachar os pedidos de impeachment. Ora, se ele for a favor, ele

faz um despacho favorável. Se ele for contra, ele faz um despacho contrário. Ele não pode é se omitir, deixar de despachar, porque desse despacho dele caberá recurso ao plenário da Câmara", afirma Renan. Integrante da CPI, o senador Humberto Costa (PT-PE) diz que a comissão não deve "debater ou fazer um impeachment", mas concorda que tem o dever de mostrar os crimes cometidos por Bolsonaro e encaminhá-los para Lira. Ele também é a favor de alterações na lei do impeachment por entender que "uma coisa necessária" não pode ficar refém da "solu-

Além do estudo de Miguel Reale Jr, um levantamento comandado pela pesquisadora Deisy Ventura, professora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com a Conectas Direitos Humanos, reforça a tese de irresponsabilidade cometida pelo presidente. O "Mapeamento e análise das normas jurídicas de resposta à covid-19 no Brasil" analisou uma série de atos normativos e propagandas feitas pelo governo federal durante a pandemia e concluiu que existia um plano para que a população se expusesse à covid-19 de forma intencional, o que contribuiu para o alto número de óbitos pela doença. "É inaceitável. O negacionismo do governo é apenas um dos elementos de uma estratégia muito mais complexa que envolveu diversas autoridades federais, como o Ministério da Saúde e o Ministério da Economia", pondera Deisy. "Houve uma interpretação política, em resposta à pandemia, que excedeu qualquer racionalidade. O comportamento de muitos brasileiros e, principalmente, do governo federal, foi um comportamento irracional. É inadmissível", acrescenta.

> TIRADA ANTOLÓGICA

Ministro é comparado a 'Fabiano', de 'Vidas Secas'. Herói ou subserviente? Texto de Cauê Muraro - G-1

"Eu não quero fazer nenhuma comparação com ninguém. Mas, há pouco, eu estava fazendo um esforço aqui para lembrar o Fabiano, que é um personagem do livro 'Vidas secas', do Graciliano Ramos". O comentário foi feito na terça-feira (21) na CPI da Covid pelo relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDBAL), e tinha como alvo o depoente da vez: ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário (veja mais no vídeo acima). Renan justificou: "Dentro de casa, Fabiano grita, xinga, bate na mulher, nos filhos e até na cachorra Baleia. Mas, diante do patrão, fala fino, obedece, é puro servilismo e se borra de medo do Soldado Amarelo. Aqui, do Capitão Amarelo [...]. É assim: para o desamparado, para o estado, para o município, ele ruge e rosna; para o poderoso, mia e abana a cauda". Rosário, na sequência, reclamou da analogia. Publicado em 1938 por Graciliano Ramos (1898-1953), alagoano como Renan, "Vidas secas" é um clássico da literatura brasileira e um clássico das obrigatórias sinopses de livros didáticos e apostilas pré-vestibulares. É aquilo: muita gente conhece a história de cor - mesmo sem ter nunca pegado a obra na mão (até porque virou um célebre filme dirigido por Nelson Pereira dos Santos).

Renan invocou personagem subserviente do mestre Graciliano Ramos, durante sessão da CPI

Mas e o Fabiano? Em sua primeira aparição na história, chama de "condenado do diabo" um filho que estava chorando e depois bate no menino com a bainha da faca. Em outro trecho, é descrito assim: "Tinha muque e substância, mas pensava pouco, desejava pouco e obedecia [autoridades]". Resumo da ópera em 'Vidas Secas', que originalmente saiu como uma série de contos vendidos por Graciliano Ramos para se sustentar depois de ter saído da cadeia: uma família miserável vive (ou sobrevive) em andanças pelo sertão, em fuga permanente da estiagem. Tem o pai, a mãe, dois filhos e a cachorra mais famosa da nossa literatura, a Baleia. O pai é o Fabiano mencionado ali

em cima pelo Renan Calheiros. O personagem é um vaqueiro bruto e silencioso. E que toma uma surra violentíssima do tal Soldado Amarelo, seu rival na trama. É uma humilhação física e uma sujeição psicológica torturante - e cometidas por uma "autoridade" (assim, entre aspas, porque o termo significa muita coisa). Na sessão desta terça na CPI, Renan Calheiros achou certo mudar a patente de soldado para "capitão", no que parece ser uma referência ao presidente Jair Bolsonaro. Vale lembrar que o depoimento de Rosário mais tarde virou tumulto, quando ele chamou a senadora Simone Tebet de "descontrolada". O ministro fez o comentário

Wagner Rosário, o ministro da CGU comparado a um tipo caricato do romance Vidas Secas

após a parlamentar ter criticado a postura dele em relação a Bolsonaro e ao processo de compra pelo governo federal da vacina Covaxin. A senadora tinha acabado de afirmar que "a CGU não foi criada para ser órgão de defesa de ninguém", uma sugestão de que Rosário atuaria para atender a interesses do presidente. "Temos um controlador que passa pano, deixa as coisas acontecerem", disse ela, para quem o ministro não pode se comportar como "advogado do governo".

LIVRO (E AUTOR) POLÍTICO

Voltando a 'Vidas Secas', não dá para escapar do óbvio componente político da obra de Graciliano Ramos, ele que, en-

tre 1928 e 1930, foi prefeito de Palmeira dos Índios (AL) e que também se filiou ao Partido Comunista (chegou a ser preso, em 1936, acusado de conspiração contra o governo de Getúlio Vargas). Sobre essas relações, falou ao g1 o curador da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) de 2013, Miguel Conde aquela edição teve justamente Graciliano como homenageado. Para Conde, o escritor se ocupava "diretamente, nos livros, desse lugar problemático do intelectual e do artista num país em que o 'letramento' pode se tornar, muitas vezes, uma maneira de reiterar e marcar a divisão do Brasil". Essa conduta se revelava num texto que era tudo, menos

empolado e excessivo. "A própria escrita concisa e irônica do Graciliano tem algo de uma recusa de certo virtuosismo mais rebuscado da linguagem. Porque a linguagem pode se tornar, na verdade, um bem simbólico que reafirma em vez de questionar - as divisões e as desigualdades do país", avaliou o curador. Quer dizer: tem gente de 'classe' superior que fala e escreve 'difícil' para reiterar determinada posição social e econômica. Ou por ter acesso a uma instrução negada a outros grupos. Graciliano Ramos buscava aparência de simplicidade precisamente para evitar contribuir com a manutenção desse cenário de assimetria (e de corrupção) - e para questioná-lo.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

Política |A3

> DINHEIRO Romero Vieira Belo

Enfoque Político Jornalismo é, antes de tudo, a busca da verdade

Não existe essa de golpe, e o presidente sabe disso Em surpreendente entrevista à Veja, Jair Bolsonaro disse, de forma direta e objetiva, coisas que a grande maioria dos brasileiros desejava ter ouvido deles em outras ocasiões. Considerou, por exemplo, ter extrapolado (excedido os limites do bom senso) no 7 de Setembro, em Brasília e São Paulo, quando atacou ministros do Supremo e disse que não cumpriria mais ordens judiciais. Depois, como se sabe, ele leu uma 'Carta' (redigida por Michel Temer) admitindo os excessos, como que se desculpando aos ofendidos e ao próprio povo brasileiro. Na entrevista à Veja, porém, o presidente admitiu algo que ele sabe totalmente inviável, impossível mesmo: não pretende dar um golpe na democracia. Não se trata de pretensão, vontade, desejo. No Brasil de hoje, não existe clima nem ânimo, dentro das Forças Armadas, para incursões golpistas. Bolsonaro sabe e a postura dos militares no 7 de Setembro atestou isso de modo cristalino. Em outra abordagem, JB afirmou que não vai 'melar' as eleições. Disse o óbvio, pois um presidente isolado não encontraria apoio nenhum - no Congresso, no Supremo Tribunal, nas Forças Armadas e no seio da sociedade - para tumultuar a vida nacional a ponto de inviabilizar as eleições gerais do próximo ano. Também elogiou a decisão do ministro Roberto Barroso, membro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral, de incluir as Forças Armadas no esforço de demonstração da integridade do processo de votação eletrônica, o sistema íntegro e seguro que o presidente, em vão, tentou trocar pelo velho 'voto impresso'. Entrevista boa, não somente pelo fato de o presidente aceitar falar a um órgão independente da mídia - que tanto ataca - mas também por se abrir com revelações que mostram, em verdade, o que Jair Bolsonaro pensa, e não o que diz, ordinariamente, muito mais para agradar seus apoiadores. Após esse imprevisto contato com Veja, Bolsonaro se confere a oportunidade de assumir uma nova postura perante a nação, deixando para trás o esforço obsessivo de desenhar situações que não existem e encarando, finalmente, o cenário do Brasil real. DATA-BASE: PRESIDENTE ATENDE SERVIDORES Atendendo apelo do Sindicato dos Oficiais de Justiça de Alagoas (Sindojus), a presidência do Tribunal de Justiça está empenhada em obter, da Assembleia Legislativa, a aprovação do projeto da data-base dos servidores do Poder Judiciário alagoano. Nesse sentido, os dirigentes do Sndojus William Andrade e Gustavo Macedo estiveram reunidos com o juiz Orlando Rocha Filho, este representando o presidente Klever Loureiro.

Avanço no Orçamento de 2022 mostra a nova face de Alagoas Governo vai trabalhar com R$ 2,7 bilhões a mais em relação aos recursos de 2021 fotos: Divulgação

Primeira Edição

Em mais uma evidência de equilíbrio das finanças do Estado, recuperadas a partir de 2015, o governo de Alagoas encaminhou à Assembleia Legislativa o Projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA) prevendo arrecadação líquida de R$ 12,6 bilhões, em 2022, ou seja, R$ 2,7 bilhões a mais que os recursos líquidos previstos no Orçamento em execução neste ano de 2021. A excepcional situação financeira do Estado é reconhecida até pelos deputados que fazem oposição ao atual governo, e isso é possível ver nos comentários que fazem sobre obras executadas com recursos próprios do Estado e também nos pedidos que eles fazem implicando em gastos financeiros. Vale destacar que, desse montante, cerca de R$ 109 milhões são destinados às emendas parlamentares impositivas.

Mais segurança, mais rodovias, mais escolas, mais hospitais - Alagoas vive o melhor momento de sua história

A matéria deve ser lida em plenário e encaminhada à Comissão de Orçamento, Finanças e Planejamento (COFP), onde tramitará por dez sessões ordinárias para recebimento de emendas dos parlamentares. Já tramitando na ALE, a matéria é lida em plenário e encaminhada à Comissão de Or-

çamento, Finanças e Planejamento (COFP), onde tramitará por dez sessões ordinárias e, após esse prazo, a proposta será debatida em audiência pública com participação de representantes da equipe econômica do Governo e da sociedade. Em seguida, o projeto retorna à COFP, onde será relatado.

Após elaboração, o relatório será apreciado pelo plenário da Casa. Regimentalmente, o PLOA, que estima a receita e fixa a despesa do Estado para o próximo ano, deve ser votado até o dia 15 de dezembro, caso contrário, o Parlamento entra em sessão permanente, até a aprovação do projeto.

“Consonância com a realidade” Em sua mensagem à ALE, o governador Renan Filho afirma que a Lei Orçamentária para 2022 está em plena consonância com a realidade do Estado: - A elaboração do Projeto da Lei Orçamentária Anual resulta de estudos e pesquisas realizadas pela Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), juntamente com os diversos Poderes e órgãos envolvidos, traçando os rumos para o alcance dos objetivos explicitados no programa de Governo de Alagoas.

Renan Filho comanda ações: “Orçamento consonante com a realidade”

A receita bruta estimada para o próximo ano (sem as deduções constitucionais e legais dos Orçamentos Fiscal e da Seguridade Social) é de mais de R$ 16,3 bilhões, valendo assinalar que só na esfera fiscal, o governo prevê receita de quase R$ 15 bilhões, enquanto as despesas com pessoal estão estimadas em R$ 6,4 bilhões ao longo do próximo ano, aí inclusos gastos com a admissão de novos servidores aprovados nos concursos públicos que o Estado vem realizando.

> ACORDO BRASKEM-MPF

Presidente Klever Loureiro apoia a luta dos servidores por data-base

Estudo ambiental da Lagoa Mundaú será apresentado nesta quarta-feira existe a possibilidade de assistir à transmissão da escuta presencialmente na Central do Morador, em Maceió. Os interessados devem fazer essa escolha na hora do cadastro.

Assessoria AGORA, SÓ DEPENDE DO LEGISLATIVO No encontro, Orlando Rocha salientou a importância do diálogo entre as duas instâncias (Judiciário e servidores) e destacou o empenho do presidente Klever Loureiro e de sua assessoria no sentido de viabilizar a aprovação da recomposição salarial reivindicada ainda neste mês de setembro. Com a palavra, o presidente do Legislativo, deputado Marcelo Victor. ALAGOAS DE LUTO: MORRE O EX-PREFEITO CELSO RODRIGUES Faleceu neste domingo (26) Celso Rodrigues, ex-prefeito de Piranhas, uma referência da política alagoana, um líder que passou a vida 'combatendo o bom combate', defendendo os interesses de sua gente e do Alto Sertão das Alagoas. Celso tinha 80 anos, era um homem público exemplar e sua morte representa uma perda inestimável para sua terra e para o Estado. “Homem de bem”, disse a conterrânea Bárbara Vieira Belo. A NOVA REALIDADE ALAGOANA O projeto de ampliação e restauração da malha rodoviária de Alagoas avançou tanto, que os deputados - governistas e contras - usam o tempo na Assembleia para pedir mais ao governo - mais asfalto, mais recuperação, mais poda de árvores nas margens das rodovias. Para se ter uma ideia, só em duplicação, o governo deve atingir 400 km até o final do próximo ano. MAIS UPA, MAIS HOSPITAIS = MAIS SAÚDE E enquanto tem deputado brincando de fazer denúncias (apostando em atrair eleitores de oposição), Renan Filho acaba de entregar a 5ª Unidade de Pronto Atendimento (UPA) construída na atual gestão, que também já entregou cinco grandes hospitais em Maceió e nas cidades líderes do interior alagoano. QUEIROGA É APENAS MAIS UM PAZUELLO Quarto personagem escolhido por Bolsonaro para comandar o Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga tem sido tão desastroso quanto o foi o general Eduardo Pazuello. Agora mesmo, acaba de se contaminar com o coronavírus, quando deveria dar a todos um exemplo de como se proteger da mortal Covid-19.

Está marcada para às 18 horas da próxima quarta-feira, 29 de setembro, a Escuta Formal Pública que vai apresentar e receber as contribuições para o Diagnóstico e Plano Ambiental elaborado pela consultoria Tetra Tech na Lagoa Mundaú, na Área de Resguardo, nas regiões de desocupação e monitoramento definidas pela Defesa Civil e em um perímetro do entorno. O levantamento está previsto no Termo de Acordo Socioambiental assinado entre a Braskem e o Ministério Público Federal (MPF) com a participação do Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE). A Tetra Tech atua de forma independente e conta com um corpo técnico multidisciplinar para identificar e avaliar os potenciais impactos ambientais decorrentes da extração de sal-gema e do fenômeno de subsidência, além de indicar programas e ações a serem desenvolvidas a fim de obter sua reparação, mitigação e/ou compensação, consoli-

SERVIÇO

Estudo mostra situação da Lagoa Mundaú após o acidente geológico

dando-os no Plano Ambiental. As análises começaram em setembro do ano passado, quando as equipes da Tetra Tech coletaram amostras de água e fizeram a identificação dos animais e da vegetação presentes nas regiões estudadas. Outra coleta foi feita em maio deste ano para comparação de dados e todas as informações foram reunidas no documento que vai ser apresentado na escuta. A escuta será transmitida ao vivo pela página https://audienciaspublicas.org/escutapublicaambien-

tal. O cadastro para participação deve ser feito até o dia 27/9. Quem desejar fazer o uso da palavra durante o evento deve indicar essa opção na hora de se cadastrar (no mesmo link). O tempo reservado para essas participações é de 1h40, e elas serão restritas a um representante por instituição, regra que não se aplica a participantes da sociedade civil previamente cadastrados. Para outras formas de envio de perguntas, apenas o cadastro é suficiente. Também

Escuta Pública para contribuições no Diagnóstico Ambiental e Plano Ambiental Quando| 29 de setembro, às 18 horas Onde| Transmissão ao vivo por videoconferência na página https://audienciaspublicas.org/escuta-publicaambiental Ponto de transmissão presencial: Central do Morador localizada na Avenida Siqueira Campos, 1900, Trapiche da Barra, Maceió (cadastramento prévio) Agenda do evento Introdução e abertura dos trabalhos - 20 min Apresentação do diagnóstico ambiental pela Tetra Tech - 1h Manifestações orais - 1h40 Respostas às contribuições orais e aos questionamentos via chat - 1h.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

A4 | Nacional

> ENTREVISTA À VEJA

> XXXX

Bolsonaro ‘descarta’ golpe e avisa: ‘Não vou melar eleição’

Moro volta ao Brasil e pode sair candidato ao Senado no ano que vem

JB se curva à decisão de Barroso de incluir Formas Armadas no processo eleitoral fotos: Divulgação

Portal da IstoÉ

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) descartou a possibilidade de uma ruptura institucional no Brasil, durante entrevista à revista Veja publicada na sexta-feira (24): "Daqui pra lá, a chance de um golpe é zero. De lá pra cá, a gente vê que sempre existe essa possibilidade", disse. O presidente afirmou que vai respeitar a decisão do Congresso, de rejeitar a implementação do voto impresso. Bolsonaro afirmou que "até elogia" o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, por ter incluído as Forças Armadas no processo. Assim, diz, se sente aberto a confiar no voto eletrônico. "Olha só: vai ter eleição, não vou melar, fique tranquilo, vai ter eleição. O que o Barroso está fazendo? Ele tem uma portaria deles, lá, do TSE, onde tem vários setores da sociedade, onde tem as Forças Armadas, que estão participando do pro-

Bolsonaro assume nova postura, mas depois termina cedendo às cobranças de seus apoiadores

cesso a partir de agora", afirmou. "Com as Forças Armadas participando, não tem por que duvidar do voto eletrônico. As Forças Armadas vão empenhar seu nome, não tem por que duvidar.

Eu até elogio o Barroso, no tocante a essa ideia - desde que as instituições participem de todas as fases do processo", completou o presidente Jair Bolsonaro, na entrevista.

Presidente reitera sua candidatura Após alguns dias de especulações de que ele poderia não concorrer, o presidente afirmou que será candidato à reeleição no pleito de 2022. "Se não for crime eleitoral, eu respondo: pretendo disputar". Comentando a possível chapa, Bolsonaro não descartou completamente reeditar a chapa com o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), mas ponderou que ele

"não tem a vivência política" e "depois de velho é mais difícil aprender as coisas". O presidente da República sinalizou a possibilidade, também especulada, de que Mourão possa concorrer a uma cadeira no Senado e contar com o apoio de Bolsonaro para se eleger. "No meu entender, seria um bom senador", afirmou. Jair Bolsonaro segue sem partido - e,

para concorrer, precisará ingressar em uma legenda até abril. O presidente citou legendas do chamado "Centrão", que integram a base aliada, como opções de filiação. "Não vou fugir de estar no PP, PL ou Republicanos. Não vou fugir de estar com esses partidos, conversando com eles. O PTB ofereceu para mim também", afirmou o presidente.

Preços não sofrerão tabelamento Questionado sobre a alta dos preços, o presidente admitiu que "o custo de vida cresceu bastante aqui, além do razoável", afirmou que "não vai tabelar ou segurar preços" e buscou repartir a responsabilidade com outros entes federados e com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que passou a ter autonomia garantida por mandato após lei recentemente aprovada. "Quero que o consumidor fique sabendo o preço do combustível da refinaria, o

imposto federal, o transporte, a margem de lucro e o imposto estadual. Hoje toda crítica cai no meu colo. O dólar está alto, mas o que eu posso falar para o Roberto Campos? Quem decide é ele, que tem independência e um mandato", afirmou o presidente. Jair Bolsonaro responsabilizou a pandemia pelas dificuldades na economia. Ele rejeitou demitir o ministro da Economia, Paulo Guedes, argumentando que não pretende alterar a linha de pensamento da política econômica brasileira.

"Não existe nenhuma vontade minha de demiti-lo. Vamos supor que eu mande embora o Paulo Guedes hoje. Vou colocar quem lá? Teria de colocar alguém da linha contrária à ele, porque senão seria trocar seis por meia dúzia. Ele iria começar a gastar, e a inflação já está na casa dos 9%, o dólar em R$ 5,30. Na economia você tem que ter responsabilidade, o que se pode gastar, respeitando o teto de gastos. Se não fosse a pandemia, estaríamos voando na economia", argumentou.

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro retornou ao Brasil, na 5ª feira (23) e deixou líderes partidários do Podemos na expectativa de que ele se encontre com representantes da legenda para informar se está disposto a se filiar para disputar as eleições do ano que vem. Desde que saiu do governo federal, no ano passado, Moro tem sido sondado pela sigla, que o tem como plano A para concorrer ao Palácio do Planalto. Até o momento, o ex-juiz tem evitado se comprometer com o Podemos e ainda analisa se vale a pena tentar a Presidência da República considerando o atual cenário de polarização política. Sobretudo porque os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto, o presidente Jair Bolsonaro e o expresidente Luiz Inácio Lula da Silva, são desafetos de Moro, e o ex-ministro não é nem o terceiro mais popular de acordo com os levantamentos. Caso decida tentar a sorte na política, pessoas próximas ao ex-juiz acreditam que ele deveria evitar uma campanha tão pesada quanto a de presidente e escolher um cargo no qual possa construir a carreira com mais calma. Tentar uma vaga no Senado, portanto, é uma das possibilidades em análise pelo exministro. O Podemos aguarda uma definição de Moro para que

possa organizar os planos para 2022. Muitos partidos já começaram a se movimentar para o ano que vem, e a legenda quer ter um horizonte de qual será a melhor estratégia para concorrer ao Planalto. Por isso, há uma certa ansiedade pela decisão de Moro, pois, caso ele rejeite disputar as eleições para presidente, a sigla quer ter tempo para escolher outro nome. A opção do ex-ministro também vai influenciar na composição dos diretórios nacionais do Podemos, que podem ser montados apenas com nomes que impulsionem a candidatura do ex-ministro. Além disso, eventuais filiados que apoiam Bolsonaro seriam retirados de posições de liderança. COMPROMISSOS Neste retorno ao país, Moro terá compromissos em Brasília, São Paulo e Curitiba. A reunião com dirigentes do Podemos ainda não foi confirmada nem por representantes do partido nem pelo ex-ministro. De todo modo, parlamentares filiados à sigla aguardam o contato do exjuiz e esperam que o convite para disputar a Presidência o seduza. Segundo membros do Podemos, o ex-ministro poderia fazer com que pautas que foram abandonadas por Bolsonaro avancem, sobretudo as de enfrentamento à corrupção e de prisão após condenação em segunda instância.

> VOTO EM COMISSÃO

Lira comemora aprovação de reforma contrária a servidores Correio Braziliense e O Antagonista

O presidente da Câmara, Arthur Lira, (PP-AL) comemorou nesta sexta-feira (23) a aprovação da reforma administrativa na Comissão Especial. A proposta, que segue para o plenário, altera as regras para os futuros servidores públicos. Foi a sexta apresentada pelo relator. O texto inclui os oficiais de Justiça como servidores típicos de carreiras de estado e garante privilégios para magistrados e membros do Ministério Público. A proposta também estabelece um prazo de 10 anos para a contratação de servidores no regime por tempo determinado. Segundo Lira, a votação no colegiado foi um "jogo democrático". "A PEC da Reforma Administrativa avançou na Comissão Especial. Parabenizo apoiadores e críticos. Foi um jogo democrático no campo

Artur Lira celebra aprovação da reforma administrativa em Comissão

onde melhor se discute o Brasil, o Parlamento. Inúmeras são as ideias de país, mas a maioria se forma e decide. Que seja assim sempre!".

DESTRAVAMENTO

Na tentativa de destravar a agenda de reformas e a PEC dos Precatórios, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), tem agido nos bastidores para dar celeridade à tramitação dos

projetos. O presidente da Câmara fez duas reuniões na última semana com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para falar dos precatórios - projeto que permitirá ao governo ampliar o Bolsa Família para tentar recuperar alguma popularidade com vistas às eleições do ano que vem. Em outras áreas, Lira também tem buscado avançar. Ontem, ele designou o presi-

dente interino do PP, o deputado André Fufuca (MA), para a relatoria do projeto do novo Refis - que é parte da reforma tributária fatiada proposta pelo Ministério da Economia. Trata-se de um alívio nas dívidas tributárias das empresas, que poderão renegociá-las em condições e prazos mais favoráveis. Ao Correio, o parlamentar falou sobre o novo projeto e disse que entende que a renegociação de dívidas com a União deve valer apenas para empresas que comprovarem perdas na pandemia. Ele também contou que Lira o procurou para a relatoria porque quer celeridade, tal como em outras pautas ligadas às reformas. "Ele me fez a solicitação, perguntou se eu aceitaria. Pediu para avançarmos, porque é um tema que vai ajudar na economia do país, a captar recursos para a União. É uma pauta importante para o crescimento da economia e o presidente Lira vê isso", afirmou.

Sérgio Moro poderá concorrer a um mandato de senador em 2022

> EM SETEMBRO

Inflação remete Brasil para o caos econômico de antes do Plano Real Diário de Pernambuco

A inflação bateu mais um recorde com aceleração de 1,14% na prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), divulgada na sexta-feira (24/9), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os novos dados, coletados entre 14 de agosto e 13 de setembro, mostram crescimento de 0,25% ante os 0,87% registrados na prévia anterior, divulgada em agosto. Na comparação com o mesmo período de 2020, o aumento foi de 0,69%. De acordo com o IBGE, essa é a maior taxa para um mês de setembro desde 1994. A nova prévia vem acima do que era esperado pelo mercado financeiro, que estimava algo em torno de 1%. O IBGE afirma que oito

dos nove grupos de produtos e serviços registraram alta em setembro. O setor de habitação, que levou o título de vilão da inflação em agosto, neste mês teve impacto de 0,25%, ficando atrás do grupo de alimentação e bebidas (com impacto de 0,27% no índice) e do vilão da vez: o grupo de transportes, que em setembro representou 0,46% do total de 1,14% registrado. A alta de 2,22% registrada em transportes é influenciada pelo reajuste de preços dos combustíveis, que passaram de um quadro de aceleração de 2,02% para 3% em setembro, segundo o IBGE. A gasolina subiu 2,85% em setembro, ante agosto, e já acumula 39,05% nos últimos 12 meses. "Esse subitem exerceu o maior impacto individual do mês no IPCA-15", afirma o IBGE, em nota.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

A D S O T O I E Ã F Ç E INA VAC

Geral | A5

Justiça libera torcida, mas Rei Pelé só terá público maior após reforma Ampliação de acesso virá com restauração de arquibancadas, já está autorizada pelo governador fotos: Divulgação

Primeira Edição Liberado pela Justiça para realizar jogos com a presença de torcedores, o Estádio Rei Pelé por enquanto só pode receber até 3 mil pessoas, já que o acesso de público maior depende da reforma das arquibancadas, obra já autorizada pelo governador Renan Filho e que deverá estar concluída antes do final do ano. Na quarta-feira (22), acolhendo pedido da Federação Alagoana de Futebol (FAF), a juíza Maria Ester Manso, da 18ª Vara Cível de Maceió, concedeu liminar autorizando a ocupação parcial das grandes arquibancadas do Trapichão (até 3 mil torcedores). Segundo o despacho judicial, os torcedores só poderão ocupar as grandes arquibancadas (setor 3), cujo acesso deverá ser feito exclusivamente pela parte lateral inferior, e as cadeiras especiais inferiores e superiores (setor 2). Ainda segundo a decisão,

Juíza Ester Manso liberou torcida a pedido de clubes e da direção da FAF

deverão ser observadas as normas sanitárias e de distanciamento social determinadas pelo Estado de Alagoas. - A liberação gradativa dos demais setores do Estádio Rei Pelé se dará à medida que as intervenções (obras de reforma) forem realizadas e comprovadas nos autos - assinalou a magistrada.

SEGURANÇA

Federação, CSA e CRB pediram a liberação sustentando que o cenário atual da pandemia é diferente de quando foi determinada a interdição do estádio. Alegaram também que laudo de estabilidade estrutural formulado pela empresa Prosul não apontou qualquer restrição quanto à utilização

Torcida do CRB está voltando ao Rei Pelé: acesso crescerá após conclusão de reforma estrutural de arquibancada

dos setores 2 e 3, desde que o acesso do público não ocorra pelas áreas que permanecem em reparo. - Os pedidos efetuados pelos requerentes encontram-se em consonância com o resultado do laudo apontado, não havendo óbice ao recebimento do público atendidas as determinações especificadas - salien-

ta o despacho. A juíza Maria Ester Manso afirmou ainda que, sanados os problemas estruturais reconhecidos pelo Estado de Alagoas, não há empecilho para a volta total do público, respeitadas as normas sanitárias.

AUTORIZAÇÃO

Vale ressaltar que, em re-

cente reunião do Conselho Técnico da CBF, entre clubes e a entidade, ficou definido o retorno dos torcedores aos estádios durante a Série B, mas, aqui em Alagoas, a liberação dependia de decisão judicial. Os torcedores alagoanos estão fora dos estádios desde março deo ano passado, em virtude da pandemia.

> ZERANDO O ISS

JHC abre mão de receita para evitar aumento da passagem nos coletivos Primeira Edição com Assessoria No início do ano (e do mandato), o prefeito João Henrique Caldas não apenas descartou a concessão de reajuste, como ainda reduziu em 35 centavos o valor da passagem nos ônibus urbanos de Maceió, baixando de R$ 3.65 para R$ 3.30. Agora, ante a ingente necessidade de recompor a tarifa no transporte de massa da capital alagoana, mormente em razão dos sucessivos aumentos dos combustíveis, JHC mais uma vez resolveu preservar o bolso dos usuários assumindo o ônus por perda de receita: ele decidiu zerar a cobrança do ISS (Imposto Sobre Serviço), com o que melhora a receita das empresas sem impactar os gastos dos passageiros.

Ao enviar à Câmara Municipal, projeto de lei nesse sentido, disse o prefeito: "Isso significa evitar o aumento da passagem, mesmo com a alta nos combustíveis. Se os que só falam fizessem sua parte, a vida do povo seria menos sofrida e a passagem do ônibus seria ainda mais barata. Vamos manter uma tarifa justa para a população. Fazer mais com menos nos permitiu um espaço. Abrir mão do imposto sem desequilíbrio". O secretário municipal de Economia, João Felipe Borges, explicou que o ISS gera um custo, por mês, de aproximadamente R$ 600 mil a R$ 1 milhão, o que varia de R$ 7 a R$ 12 milhões por ano. À medida que os ônibus contam com mais passageiros, o sistema de transporte público arrecada mais impos-

Prefeito JHC mantém passagem congelada e facilita vida dos usuários nesse momento de grave crise financeira

tos.

- Quando zeramos essa alíquota, diminuímos o custo e mantemos o menor preço de passagens entre as capitais do

Brasil. Ao zerarmos esses impostos, esse valor não será mais repassado para o sistema de transporte público, teremos o preço da passagem reduzido,

impactando diretamente no bolso do maceioense", informou João Felipe.

PASSE-LIVRE

Neste mês de setembro, o prefeito implantou o PasseLivre Estudantil, uma conquista histórica e uma política pública consolidada em lei. O passe-livre vai beneficiar mais de 50 mil estudantes de Maceió, que terão 44 embarques mensais gratuitos. O superintendente municipal de Transportes e Trânsito, André Costa, destaca que todas as medidas até aqui implementadas passam pelo compromisso firmado pelas empresas de transporte público de melhorar a frota de ônibus, estabelecido em lei. - A própria lei tem um trecho que fala no plano de metas para as empresas cumprirem. Elas vão ficar isentas, por exemplo, da outorga, se cumprirem o plano de metas.

> NOVO MOMENTO

Alagoas entra na Fase Azul e governo autoriza eventos a partir de outubro Agência Alagoas Em decreto publicado na edição suplementar do Diário Oficial do Estado (DOE) da sexta-feira (24), o Governo de Alagoas avança todos os municípios alagoanos para a Fase Azul do Distanciamento Social Controlado a partir da 00:00h do dia 27 de setembro. Com a mudança, fica autorizada a realização de eventos sociais, corporativos e celebrações com vendas de ingressos a partir do dia 1º de outubro, em locais abertos e fechados, com 50% da capacidade do local, público com vacinação comprovada ou teste negativo para Covid-19, e seguindo os proto-

colos sanitários. O uso da máscara nos eventos é obrigatório. Em novembro, os eventos pagos poderão ser realizados com até 80% da capacidade do local e em dezembro com 100%, mediante vistoria do Corpo de Bombeiros. A novidade foi anunciada pelo secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, nas redes sociais neste sábado (25). O acesso aos eventos só será permitido para pessoas que tenham recebido a 1ª e a 2ª dose da vacina contra a Covid19 ou que apresentem o teste antígeno ou RT-PCR negativo realizado com 72 horas de antecedência do evento junto a um documento de identificação com foto. A vacinação

Renan Filho e Alexandre Ayres conduzem Alagoas para a Fase Azul

pode ser comprovada pela apresentação de carteira de vacinação ou através do aplicativo ConecteSUS com

um documento de identificação oficial com foto. Fica proibida a venda presencial dos ingressos - que

devem ser comercializados apenas por meios eletrônicos. A organização deverá fiscalizar o uso obrigatório de máscara pelos participantes e trabalhadores nos eventos. Os organizadores dos eventos devem fazer a aferição obrigatória da temperatura dos públicos interno e externo, contratantes, staff e convidados. Os locais precisam ter pontos de higienização com álcool 70% nos acessos do evento, locais de alimentação e banheiros, entrada de brinquedos, corredores, escadas e rampas. Quanto aos eventos gratuitos, as regras não mudaram: o decreto reforça que em locais abertos o limite máximo é de

200 pessoas e em locais fechados é de 100 pessoas. NOVA UPA Aberta à população na terça-feira (21), a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Cidade Universitária, em Maceió, realizou mais de 100 atendimentos no primeiro dia. O equipamento de saúde construído e gerenciado pelo Governo de Alagoas é referência em clínica geral, ortopedia, pediatria e odontologia. A UPA foi construída com recursos do Tesouro Estadual da ordem de R$ 6,4 milhões e conta com 19 leitos, sendo 15 de observação e quatro de urgência, segundo a Sesau.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

A6 | Cotidiano

P Í LU L A S D O O U V I D O R Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

ALEGRIA E TRISTEZA São Paulo foi uma espécie de mãe profissional. Foi lá onde eu cursei Comunicação na famosa ESPM e foi lá que tive as melhores experiências de minha vida como publicitário trabalhando em agências do porte de uma Alcântara Machado, ganhando prêmios de todos os tipos. São Paulo me ensinou o cosmopolitanismo apesar de eu ter nascido e sido criado em outra fantástica cidade que é o Rio de Janeiro, onde iniciei em televisão na pioneira TV Rio e continuando em São Paulo em emissoras como Tupi e Record. Esqueçam minhas reminiscências e vamos ao São Paulo de hoje, incrível, cada vez mais remoçada, cada vez mais moderna, com metrô sem direção humana, totalmente automatizado, com avenidas largas e o trânsito correndo. Uma São Paulo onde as alegrias se encontram em cada esquina e as tristezas também, já que as classes menos favorecidas ainda ocupam os viadutos e deles fazem suas moradias. Problema de todas as cidades grandes, mas que nos mostram como os governantes desse país são completamente sem noção e ainda não entenderam que o crescimento físico precisa vir acompanhado do social sob todos os aspectos. São Paulo não escapou disso, até porque o mal é nacional. Fazer discursos na ONU é muito bonitinho. Abrir as sessões anualmente, mais ainda. Só falta que o presidente, não só em relação a São Paulo, mas ao Brasil, passe a falar a verdade, passe a assumir seus erros e quem sabe, passe a governar ao invés de brincar de ditador nos bastidores e nas vitrines internacionais. Por isso o título desse artigo. São Paulo é meu símbolo de trabalho, meu amor profissional. Mas não o quero ver destruído pela incapacidade dos que se julgam acima do bem e do mal. Alegria e tristeza, infelizente, sim.

D E S TA C Ô M E T R O

O destaque vai para meu filho, Carlos Eduardo, que atua na área de imóveis em São Paulo e minha nora, Mônica, da área de saúde. Com eles ficamos durante todo o tempo de nossas férias, aqui nesta cidade que já foi minha também.

E em alusão a Semana Nacional de Trânsito, a Equatorial chama atenção da sociedade alagoana para a quantidade de acidentes envolvendo postes da rede elétrica, bem como as principais consequências oriundas dessas ocorrências. Palmas para o prefeito JHC que vem pensando na população de Maceió e envia uma lei para a Câmara de Vereadores que zera o ISS das empresas de ônibus, obrigando-as a não aumentarem as tarifas e com isso realmente fazendo o social. Você é capaz de dizer o que vai acontecer com as eleições do próximo ano? Do jeito que as coisas estão caminhando nesse Brasil de meu Deus, será que é possível avaliar se o presidente continua ou se vem surpresa por aí? Nunca em tempo algum e sou testemunha de muitos episódios de nossa história tivemos tantas interrogações em termos de futuro eleitoral. As cosas debandaram de tal maneira que é impossível uma avaliação mais profunda de qualquer situação. Você sabe o que é pastel de vento? Aquele bojudo que tem o molho no fundo e quando você dá a primeira mordida tem que tomar cuidado para não se queimar? Adoro. E em São Paulo há

ABRAÇOS IMPRESSOS Os abraços impressos vão para outra figura genial que me recebeu em seu Atelier Travessia, em São Paulo com um show de arquitetura, de "stand ups" e dele próprio, virtuose no violão, na poesia e na música em geral. Obrigado, Cacau do Brasil. Na foto, comigo e com meu neto, Christopher Carijó, bartender, "stand up" e nosso guia para tudo.

mais de meio século como os pastezões com um tremendo caldo de cana. Ahhhhhh..... Que vexame o Brasil fez nas Nações Unidas. Deixemos a política de lado, até porque sou absolutamente neutro, mas imaginemos o monte de besteiras que foram ditas naquele palanque por um presidente do Brasil. Fosse quem fosse, foi terrível. Vacinados ou não foi tudo errado. Uma sequência de fatos que não combinavam com a diplomacia internacional. A prova está que o Ministro da Saúde ficou lá em quarentena de 14 dias e o filho do presidente pegou Covid com ele. Não sei se choramos ou se rimos. Vocês que vão sempre a São Paulo conhecem a Feijoada do Bolinha? É sensacional há muitos e muitos anos. Tão frequentada aos sábados que você fica esperando lugar por umas duas horas. Beliscando e bebendo do que há de bom e de melhor. Que enorme prazer tive em conhecer esse cara aí ao meu lado, titular da Solution, uma empresa distribuidora de cachaças de todo o país. Ilan Oliveira (foto) foi um grande anfitrião para que eu degustasse as melhores cachaças do Brasil. Aguardem o Ilan no Bartpapo com Geraldo Câmara.


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021 Diário Oficial dos Municípios - Opinião - Social

> ELIMINATÓRIAS

Brasil pega Venezuela, Colômbia e Uruguai Seleção contará com jogadores que atuam no futebol inglês; apesar de listado, Neymar não enfrentará os venezuelanos O técnico Tite acaba de convocar a seleção brasileira para os jogos contra Venezuela, Colômbia e Uruguai, que vão ocorrer em outubro, válidos pelas eliminatórias da Copa do Mundo do Catar, que será disputada em meados de 2022. O comandante do escrete brasileiro chamou jogadores que atuam no futebol inglês, que não se apresentaram à seleção na última convocação por causa de restrições inerentes à pandemia de covid-19 impostas pelos clubes da Premier League (liga profissional de futebol da Inglaterra). Dos 25 convocados, oito jogadores que atuam na Inglaterra e apenas cinco jogam no Brasil. Confira a lista completa divulgada pelo treinador brasileiro: Goleiros Alisson (Liverpool) Ederson (Manchester City) Weverton (Palmeiras) Laterais Danilo (Juventus) Emerson Royal (Tottenham) Alex Sandro (Juventus) Guilherme Arana (Atlético Mineiro) Zagueiros Eder Militão (Real Madrid) Lucas Veríssimo (Benfica) Marquinhos (PSG) Thiago Silva (Chelsea) Meias Casemiro (Real Madrid) Edenílson (Internacional) Everton Ribeiro (Flamengo) Fabinho (Liverpool) Fred (Manchester United) Gerson (Oympique de Marselha) Lucas Paquetá (Lyon) Atacantes Antony (Ajax) Gabigol (Flamengo) Gabriel Jesus (Manchester City) Matheus Cunha (Atlético de Madrid) Neymar (PSG) Raphinha (Leeds) Vinícius Júnior (Real Madrid)

CALENDÁRIO

O primeiro confronto do mês que vem será contra a Venezuela no dia 7, no estádio Olímpico de La UCV, na capital Caracas. Os venezuelanos são os lanternas da competição. Em seguida, os brasileiros viajam para Barranquilla, onde vão enfrentar a Colômbia, no dia 10, no Metropolitano de Barranquilla. Os comandados de Tite finalizam os compromissos do mês em casa, na Arena da Amazônia, em Manaus. O adversário será o Uruguai, no dia 14.

APRESENTAÇÃO

Apesar de o primeiro duelo ser contra a Venezuela, a apresentação da comissão técnica e dos jogadores terá início na segunda-feira (4) em Bogotá, na capital colombiana. A seleção chega em Caracas só na véspera do jogo, em 6 de outubro. Esta foi a quarta convocação feita pelo treinador Tite, neste ano. Ele já havia convocado jogadores anteriormente em duas oportunidades, para jogos das eliminatórias, e em uma ocasião para a disputa da Copa América.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

B2 | Esportes

> DE LAPADA: 2X1

Azulão vira pra cima da Raposa e mira G-4 Com a vitória expresiva, CSA agora soma 38 pontos, seis a menos que o arquirrival, CRB que se encontra no G-4 com 44 Redação com web O jogo teve dois tempos completamente distintos. Se o primeiro tempo foi dominado pelo Cruzeiro, que criou as melhores oportunidades e marcou com Claudinho, o segundo tempo só deu CSA. O clube alagoano voltou muito mais ligado e conseguiu a virada antes dos 20 minutos da etapa complementar. Luxemburgo tentou fazer alterações, mas o time não encaixou. O Cruzeiro ainda teve Rafael Sobis expulso no fim da partida. A derrota fez a invencibilidade do time mineiro cair depois de 12 jogos.

TERCEIRA VITÓRIA SEGUIDA

A partida marcou o reencontro do Cruzeiro com o extreinador, Mozart, que venceu a terceira partida seguida no comando do CSA. Na rodada

passada, ganhou do Botafogo, por 2 a 0, no Rei Pelé. Antes, somou três pontos diante do Londrina, por 2 a 0, no Estádio do Café. Agora, o time alagoano chegou a sétima colocação na tabela.

PRIMEIRO TEMPO

Com muitas mudanças no time, o Cruzeiro começou melhor a partida, dominando o meio de campo e chegando com mais perigo ao gol do CSA. Felipe Augusto teve clara oportunidade de marcar, mas parou no goleiro Thiago. Já o time alagoano, apareceu com Bruno Mota, obrigando Fábio a fazer grande defesa. A Raposa seguiu com mais volume e conseguiu marcar com Claudinho, depois de bom cruzamento de Matheus Pereira pela esquerda.

SEGUNDO TEMPO

O CSA voltou ligadíssimo

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO PARA O BIÊNIO 2021/2023 ASSEJUF/AL - ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE ALAGOAS O Diretor Executivo da ASSEJUF/AL COMUNICA o prazo de 15 a 19 de novembro de 2021, das 12h às 17h, para a inscrição de Chapas e CONVOCA todos os Associados da Entidade para participarem do processo eletivo com vistas a eleger, mediante escrutínio secreto, de acordo com as normas do edital 01/2021, os cargos dos órgãos máximos de administração da Associação, a ser realizado no dia 03 de dezembro de 2021, no horário das 12h00 às 17h00, na Sede e Subseções da Seção Judiciária de Alagoas. Augusto Camelo Amorim Filho Diretor Executivo - Presidente

fotos: Divulgação

na partida, e conseguiu fazer dois gols antes dos 20 minutos. A zaga celeste nos dois lances marcou a bola e não viu a movimentação dos adversários que tiveram liberdade para marcar. O time mineiro sentiu demais o segundo gol e não conseguiu criar. Deu tudo errado para o Cruzeiro, que ainda teve Rafael Sobis expulso aos 40 minutos.

TORCIDA NA ARQUIBANCADA

O jogo no Independência nesta tarde teve a presença da torcida do Cruzeiro no estádio. Cerca de 7 mil ingressos foram colocados à venda. Com um novo protocolo e regras mais rígidas para o público em Belo Horizonte, houve aglomeração e descumprimento das regras. Alguns torcedores não usaram máscaras e os portões que eram para ser fechados às 15h, fica-

De virada o Azulão conesguiu sua terceira vitória consecutiva na competição

ram abertos até próximo do jogo.

CONFUSÃO NO FIM DO JOGO

O Cruzeiro perdeu o jogo contra o CSA no último domingo, no Independência. E no fim da partida houve muita confusão. Jogadores do time

alagoano foram perseguidos pelos cruzeirenses e a polícia precisou usar gás de pimenta e força para conter a situação. Após o apito final, Adriano, do Cruzeiro e Cristóvam, do CSA se desentenderam. Os alagoanos provocaram os jogadores do Cruzeiro após o gol da virada. O jogador cruzeirense

correu na direção do adversário, até pulando placas de publicidade para alcançar Cristovam. A partir daí, a briga foi generalizada entre os jogadores - que foram rumo ao vestiário dos alagoanos. O meia Giovanni também era um dos mais exaltados e, ao não conseguir entrar no vestiário, deu a volta e tentou entrar pelo acesso do estacionamento. Ele também se desentendeu com os policiais que tentavam controlar a situação. Os jogadores do CSA ficaram no gramado por um longo tempo após o apito final. O vestiário, local onde a Polícia Militar usou muito gás de pimenta para controlar a situação, estava impossibilitado para o uso. Na próxima rodada, o time mineiro enfrenta o Guarani, na quarta-feira, no Brinco de Ouro. Já o CSA, recebe a Ponte Preta, no Rei Pelé.

> DERROTA EM CASA

Avaí mostra força fora de casa e vence confronto direto com CRB GE O Avaí se deu bem no confronto direto com o CRB e venceu no último sábado por 2 a 1, no Rei Pelé. Na volta da torcida regatiana ao estádio de Maceió, o Leão marcou dois gols no primeiro tempo, com Getúlio e Alemão, e chegou a 43 pontos na Série B. Gum descontou de cabeça. O Avaí se deu muito bem nos duelos com o CRB no campeonato. Ganhou no primeiro turno em Santa Catarina, por 1 a 0, e agora também no returno.

1º TEMPO

O jogo começou em alta velocidade. No segundo minuto, Jajá passou por Alemão e, na cara do gol, perdeu a disputa com o goleiro Gledson, que salvou o Avaí. Depois, numa cobrança de escanteio, Gum cabeceou e o goleiro do Leão fez outra grande defesa. Aos 22 minutos, Vinícius

O Galo ainda é o quarto, até porque o Guarani perdeu para o Coritiba

bateu colocado da entrada da área e quem fez um milagre foi o goleiro do CRB, Diogo Silva. A bola quase entrou na gaveta. Aos 24, Getúlio desarmou Marthã no campo de defesa do CRB, avançou e acertou um lindo chute no canto, abrindo o placar no Rei Pelé. O Galo empatou aos 29. Diego Torres cobrou escanteio

pela direita e Gum subiu soberano para marcar de cabeça. Aos 45, Edilson fez uma linda jogada na área do CRB, com direito a chapéu e tudo, e bateu cruzado. Diogo Silva espalmou e, na sobra, Alemão marcou o segundo do Avaí.

2º TEMPO

O CRB perdeu outro gol

incrível aos dois minutos. Nicolas Careca cruzou da esquerda e, livre na grande área, Diego Torres finalizou pra fora. Teve mais. Aos nove, Careca bateu da esquerda, o goleiro do Avaí soltou e Diego Torres finalizou na trave. Depois, o CRB não se achou mais em campo. Aos 25, Jonathan foi lançado em velocidade e perdeu a disputa com Gum dentro da área do CRB. Se passasse, o atacante do Avaí entraria na cara do gol. Aos 42, o meia Valdívia recebeu livre, livre, no campo de ataque, mas tentou encobrir o goleiro do CRB e errou o alvo.

A PRÓXIMA

O Avaí joga pela 27ª rodada da Série B na próxima terça. Recebe o Londrina, às 16h, na Ressacada, em Florianópolis. No mesmo dia, o CRB visita o Náutico às 19h, na Arena Pernambuco, jogo este que promete pras duas torcidas.

> ISOLADO

No retorno da torcida, Coritiba bate Guarani e permanece líder

GE O Coritiba venceu o Guarani, por 1 a 0, na noite do último sábado, no Couto Pereira, em jogo da 26ª rodada da Série B do Brasileiro. O gol da vitória foi marcado por Guilherme Biro, no primeiro tempo. O resultado mantém o Coxa isolado na liderança e impede o Bugre de entrar no G-4. A partida marcou ainda a volta da torcida ao Couto Pereira depois de um ano e meio.

1º TEMPO

O Coritiba começou controlando as ações, mas quem levou mais perigo foi o Guarani, duas vezes com Júlio César. Aos 10, ele mandou uma bomba que parou no peito do goleiro Wilson. Aos

Guilherme Biro marca no primeiro tempo e garante a vitória do Coxa

19, o chute foi para fora e passou perto da trave. Só que o gol foi do Coxa. Aos 28, Val bateu falta, Rafael Martins espalmou, e Guilherme Biro pegou o rebote para abrir o

placar. Aos 37, Robinho finalizou para defesa do goleiro e quase ampliou.

2º TEMPO

Apesar da vantagem, o Co-

ritiba continuou buscando o ataque. Teve uma chance com Léo Gamalho, em que a arbitragem marcou impedimento, aos três minutos, e depois assustou em cabeceio de Igor Paixão que o goleiro espalmou, aos 17. O Guarani foi aos poucos se organizando melhor e ameaçando mais. Aos 21, Bidu recebeu na área e bateu para o gol, mas Wilson salvou. Aos 36, o goleiro do Coxa fez mais um milagre ao pegar uma bomba de Lucão do Break – no rebote, Renanzinho chutou e a bola foi para fora após desvio. Aos 40, o árbitro marcou pênalti de Waguininho em Bruno Silva, após indicação do VAR. Régis cobrou e carimbou o travessão, como não teve temo pmais pra nada, o jogo terminou no 1x0.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

Esportes | B3

> CLÁSSICO

Timão vence o Verdão com Róger Guedes No primeiro Dérbi pelo Timão, ex-jogador do Palmeiras decide; Gabriel Menino também marca, mas o Timão levou a melhor GE Será para sempre o Dérbi de Róger Guedes. No primeiro clássico pelo Corinthians, o atacante comandou a vitória sobre seu ex-clube: fez dois gols, um no primeiro tempo e um golaço no segundo, e comandou a vitória por 2 a 1 na Neo Química Arena, na noite do último sábado, pelo Brasileirão. Gabriel Menino fez o do Palmeiras, que foi a campo sem três habituais titulares – Piquerez, Zé Rafael e Raphael Veiga, preservados para a decisão de vaga na final da Libertadores, terça, contra o Atlético-MG.

PRIMEIRO TEMPO

Com um time técnico, sem um volante tipicamente caçador (Cantillo substituiu Gabriel, suspenso), o Corinthians teve dificuldades para trabalhar a bola no começo do jogo. O Palmeiras apostou em agressividade: marcação forte e saída rápida. Como consequência, teve a primeira finalização, com Gustavo Scarpa – Cássio defendeu sem sustos. Mas o Timão logo reagiu. Aos dez minutos, Willian fez ótima jogada pela ponta direita e acionou Giuliano, que mandou na área. A bola passou por Renato Augusto, Luan desviou contra, e Weverton teve que se virar para fazer a defesa. O lance mostrou que o Timão estava no jogo. E a prova veio pouco depois. Aos 19, Renato Augusto se livrou da marcação pela esquerda e tocou para Giuliano,

que ajeitou para Róger Guedes mandar um chute forte, seco, de primeira: 1 a 0. A desvantagem não fez o Palmeiras melhorar. O Corinthians, mais leve em campo, seguiu tramando bem as jogadas, em geral tabelando por abaixo, aproximando os jogadores. E assim foi tendo chances. Na melhor delas, aos 31, Gabriel Pereira fez fila na marcação na frente da área e mandou chute perigoso, para fora. O Palmeiras deu sinal de vida em uma jogada de bola parada. Dudu cobrou falta para Gustavo Gómez, livre, perder gol feito – de qualquer forma, ele estava impedido. Também por impedimento, Róger Guedes teria frustrado o segundo gol. Em ótimo contra-ataque puxado por Willian, o atacante recebeu um pouco à frente antes de mandar para a rede. Foram detalhes que fariam diferença. Logo depois, Gabriel Menino pegou a sobra de cobrança de escanteio, mandou o chute e viu a bola desviar justamente em Róger Guedes e entrar: 1 a 1.

SEGUNDO TEMPO

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com Zé Rafael no lugar de Patrick de Paula (muito mal na etapa anterior). E o Corinthians continuou encontrando espaços, especialmente pelos lados. Aos cinco minutos, Willian arrancou pela ponta esquerda, passou pela marcação e mandou o chute, rente à trave. Quase. O jogo correu disputado, com o Corin-

fotos: Divulgação

daram o melhor para o fim da partida. Com gols nos minutos finais, os times empataram por 1 a 1, no último domingo, no Independência. Michael colocou os cariocas em vantagem, mas Alê igualou nos acréscimos.

PANORAMA

Quarteto brilha e Roger Guedes dá vitória ao Corinthians contra o Palmeiras, partida entrou pra história do jogador

thians mais sóbrio e o Palmeiras à espreita de uma chance para virar a partida. Mas os lances de gol se tornaram mais escassos. Abel Ferreira, preocupado com o jogo da Libertadores na terça, fez mais duas mudanças: tirou Dudu e Luiz Adriano, colocou Willian e Deyverson. E emendou outra logo depois: Gabriel Veron na vaga de Wesley. Sylvinho reagiu com Du Queiroz e Gustavo Mosquito nos lugares de Renato Augusto e Gabriel Pereira. Mosquito logo teve uma chance. Aos 28, bateu cruzado, forçando Weverton a praticar

boa defesa. Zé Rafael respondeu na sequência, ao receber bom passe de Gustavo Scarpa e mandar para fora. O Palmeiras cresceu no jogo e ameaçou outras vezes: em cabeceio de Gabriel Veron, defendido por Cássio, em desvio de Luan na pequena área, para fora, e em chute na trave de Veron, mas que foi anulado por impedimento de Danilo. E aí brilhou Róger Guedes. Aos 38, ele dominou na esquerda, venceu a marcação de Gabriel Menino e mandou no ângulo de Weverton: golaço do craque do jogo, golaço da vitória.

PRÓXIMOS JOGOS

O Palmeiras volta a campo já na próxima terça-feira, mas pela Libertadores da América. Às 21h30, visita o Atlético-MG em busca de vaga na final do torneio continental – o jogo de ida foi 0 a 0. Pelo Brasileiro, o Verdão recebe o Juventude no domingo (03/10), às 18h15. Um dia antes, o Corinthians visita o Bragantino às 19h.

AMÉRICA-MG 1X1 FLAMENGO

Em um jogo movimentado, com chances para os dois lados, América-MG e Flamengo guar-

O resultado não foi bom para ninguém. Embora tenha empatado com um dos favoritos ao título, o América segue na parte de baixo da tabela. O empate fora de casa também não foi bom para o Flamengo. O time carioca, que viu a vitória escapar nos acréscimos, desperdiçou a chance de diminuir a diferença de pontos para o líder Atlético-MG. Com 35 pontos, o time está a 11 do Galo. Vale destacar que a equipe de Renato Gaúcho tem dois jogos a menos.

SÃO PAULO 0X0 ATLÉTICO-MG

Quando os dois times escalam três zagueiros de cada lado, dificilmente sai gol. Foi assim em grande parte da partida entre São Paulo e Atlético-MG, na noite do último sábado, no Morumbi. O jogo, válido pela 22ª rodada do Brasileirão, terminou com o placar em branco, muito pelo que aconteceu no primeiro tempo. Na etapa final, os goleiros tiveram mais trabalho, com destaque para Tiago Volpi. O empate mantém a invencibilidade do Atlético, líder do campeonato.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

B4 | Esportes

> HISTÓRICO

Hamilton fatura 100ª vitória sob chuva

Norris se nega a parar por pneus intermediários, é surpreendido com temporal e acaba superado pelo piloto da Mercedes GE A vitória de número 100 de Lewis Hamilton na Fórmula 1 veio com emoção nas voltas finais do GP da Rússia no último domingo, embaralhado pela chuva que chegou de surpresa e se tornou o pesadelo de Lando Norris, pole position e líder de boa parte da disputa: o britânico se recusou a adotar os pneus intermediários e, patinando na pista nos últimos giros, viu o rival da Mercedes tomar a ponta para voltar ao lugar mais alto do pódio, desde o GP da Inglaterra, em julho. Max Verstappen e Carlos Sainz completam as três primeiras colocações. Além do triunfo, o heptacampeão reassumiu a liderança do campeonato de pilotos, superando o rival da RBR a seis etapas para o fim da temporada. A chuva foi decisiva para o desfecho da prova que, nas voltas iniciais, concentrou-se entre Norris e Carlos Sainz, que partiu da segunda colocação e chegou a liderar algumas voltas após superar o britânico na largada, sendo superado posteriormente por ele. Hamilton, largando em quarto, caiu para sétimo no início da corrida mas descontou o prejuízo e, na metade final da

disputa, pressionou o compatriota da McLaren até a precipitação. Neste momento, ele abdicou da vice-liderança para trocar os compostos médios pelos pneus intermediários - decisão que se mostrou acertada. Max Verstappen fez uma prova de recuperação, largando em 20º após trocar a unidade de potência e outros componentes do carro. A segunda colocação na disputa valeu como uma contenção de danos; embora tenha perdido a liderança do Mundial, a diferença para Hamilton é de apenas dois pontos. Sainz foi superado por Pérez pouco antes da chegada da chuva, mas a ida de parte do grid aos boxes para a troca de pneus de pista molhada bagunçaram a classificação e o espanhol recuperou o posto, faturando o terceiro pódio em 2021. Norris, que adotou os pneus intermediários no fim da prova, terminou em sétimo lugar. Logo atrás, George Russell, que largou em terceiro, garantiu mais dois pontos para a Williams com a nona colocação; foi sua quarta vez entre os dez primeiros nas últimas cinco etapas. Com a quinta vitória em 2021, Hamilton recuperou a li-

fotos: Divulgação

Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo cercara o britânico da Williams na tentativa de aproximação do carro da Ferrari, porém, os dois recuaram; Hamilton caiu para a sétima colocação, vendo Lance Stroll passar em sua frente e tomar a quarta colocação. Max Verstappen, que largou em 20º, apareceu em 17º atrás de Nicholas Latifi. Valtteri Bottas, que também trocou de motor antes da prova deste domingo para segurar o holandês, ganhou uma posição e pulou para 15º.

MOMENTOS-CHAVE

Com a quinta vitória em 2021, Hamilton recuperou a liderança do campeonato de pilotos com 246.5 pontos

derança do campeonato de pilotos com 246.5 pontos, contra 244.5 de Verstappen. Bottas terminou em quinto lugar após largar em 16º, e ampliou sua vantagem na terceira colocação sobre Norris de nove para 12 pontos. No Mundial de Construtores, a Mercedes segue líder com 397.5 pontos, aumentando a diferença para a RBR de 18 para 33 pontos.

OS DOIS PRIMEIROS

HAMILTON: "Um grande

obrigado aos fãs aqui. Demorou muito para chegar nas 100 vitórias e eu não tinha certeza se chegaria. Lando fez um trabalho incrível. Sou extremamente grato ao time aqui e que está na fábrica". VERSTAPPEN: "Foi complicado pedir para trocar os pneus e ir com os intermediários, mas tivemos que fazer isso no final. Ir de 20º para segundo é incrível. Com a punição que tivemos é um ótimo resultado para nós. Definitivamente, não

esperava isso quando acordei esta manhã".

A LARGADA

O pole Lando Norris abriu uma boa distância para os rivais nos primeiros metros da prova, mas acabou exposto pela extensão da reta de largada; Carlos Sainz, ao seu lado, quase foi ultrapassado por George Russell, mas defendeu a posição para superar o piloto da McLaren e assumir a liderança.

1. Depois de perder três posições na largada, Hamilton passa Alonso e é o sexto colocado, atrás de Ricciardo. 2. Verstappen começa sua jornada à zona de pontuação: primeiro, ultrapassa Nicholas Latifi e Nikita Mazepin. O finlandês fez a melhor volta da prova provisoriamente mas dois giros depois, não conteve o ataque do rival da RBR e perdeu a 14ª colocação sem muita resistência.

PRÓXIMA

A 16ª etapa da temporada 2021 da Fórmula 1 será o GP da Turquia, no Circuito de Istambul em 10 de outubro.

> GRANA EXTRA

Volkanovski e Ortega levam bônus de ‘luta da noite’ Combate O UFC 266 terminou com quatro lutadores premiados com o bônus de US$ 50 mil cerca de R$ 266 mil na cotação do dia - em Las Vegas. A eleita "luta da noite” ficou para o duelo valendo o cinturão pesopena (até 66kg) entre o campeão Alexander Volkanovski e Brian Ortega, enquanto as performances individuais ficaram com Merab Dvalishvil e Chris Daukaus. A luta principal do UFC 266 ficou mesmo para a história do peso-pena. O australiano Alexander Volkanovski defendeu seu cinturão pela segunda vez ao derrotar o americano Brian Ortega por decisão unânime dos juízes (49-46, 50-45 e 50-44). Os dois vinham de muita animosidade desde as gravações do TUF 29 e proporcionaram um grande espetáculo para os fãs na arena. No peso-pesado (até 120kg), Chris Daukaus justificou toda a grande expectativa em torno de seu nome. Ele nocauteou Shamil Abdurakhimov no segundo round. Foi sua quinta vitória seguida, quatro

delas já no UFC e todas essas por nocaute. Inclusive, esse foi o terceiro bônus em quatro lutas na organização. E o outro bônus de performance foi para o georgiano Merab Dvalishvil, que nocauteou o brasileiro Marlon Moraes numa luta insana. Ele conseguiu virar uma luta que parecia perdida no primeiro round, mas na volta para o segundo nocauteou Marlon no fim da parcial. Foi a sétima vitória seguida de Dvalishvil no UFC e seu segundo bônus na organização.

CARD PRINCIPAL

Alexander Volkanovski venceu Brian Ortega por decisão unânime (49-46, 50-45 e 5044) Valentina Shevchenko venceu Lauren Murphy por nocaute técnico aos 4m do R4 Robbie Lawler venceu Nick Diaz por nocaute técnico aos 44s do R3 Curtis Blaydes venceu Jairzinho Rozenstruik por decisão unânime (triplo 30-27) Jéssica Bate-Estaca venceu Cynthia Calvillo por nocaute técnico aos 4m54s do R1

Confronto no peso-galo termina com título do australiano e bônus de US$ 50 mil para ele e o americano derrotado

CARD PRELIMINAR

Merab Dvalishvili venceu Marlon Moraes por nocaute técnico aos 4m25s do R2 Dan Hooker venceu Nasrat Haqparast por decisão unânime (30-27, 30-27 e 30-26) Chris Daukaus venceu Shamil Abdurakhimov por nocaute técnico a 1m23s do R2

Taila Santos venceu Roxanne Modafferi por decisão unânime (triplo 30-27) Jalin Turner venceu Uros Medic por finalização aos 4m01s do R1 Nick Maximov venceu Cody Brundage por decisão unânime (triplo 29-28) Matthew Semelsberger venceu Martin Sano Jr. por

nocaute aos 15s do R1 Jonathan Pearce venceu Omar Morales por finalização aos 3m31s do R2

FELIZ ANIVERSÁRIO

Na noite em que completou 30 anos de idade e bateu o recorde de mulher com mais apresentações no UFC, com 20 lutas, a peso-mosca

Jéssica Bate-Estaca não deu chances à americana Cynthia Calvillo. Com uma atuação arrasadora, a brasileira venceu a luta de abertura do card principal do UFC 266 por nocaute técnico aos 4m55s do primeiro round. - Estou muito feliz. Lutar contra a Cynthia foi uma grande oportunidade, e consegui a vitória. Eu sabia que se eu encaixasse um bom golpe, a vitória viria. Dana, eu quero lutar contra a vencedora de Rose Namajunas e Weili Zhang no peso-palha - disse Jéssica Bate-Estaca após a luta. A luta começou com Calvillo se movimentando muito. A brasileira aplicava chutes nas pernas da americana, que devolvia chutes altos. Jéssica abalou Calvillo com dois diretos. Bate-Estaca encurralava a rival. No fim do round, Jéssica encurralou Calvillo mais uma vez, e desta vez não deixou a chance escapar. Com golpes seguidos e precisos, a brasileira acertou a americana diversas vezes, forçando o árbitro Herb Dean a interromper a luta e decretar a sua vitória por nocaute técnico.


Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021

Opinião |B5

A foto do fato

Editorial

Efeitos do IOF mais caro

Precisando de recursos para turbinar o 'novo' Bolsa Família - e com o orçamento pra lá de apertado - o governo avistou no aumento do imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro (IOF) a 'solução' para fazer caixa e elevar o valor do programa social que será rebatizado com o nome de 'Auxílio Brasil'. A medida, já anunciada pelo Planalto, apresenta três pontos negativos, que não está sendo levando em consideração: 1 - Contraria frontalmente o compromisso que o presidente Jair Bolsonaro assumiu durante a campanha eleitoral de 2018, de não criar ou aumentar imposto sob qualquer pretexto; 2 - Encarece o custo do crédito para empresas e famílias e pode ter impactos também na inflação e na atividade econômica; 3 - Concorre para pressionar a inflação que, a essa altura, já está acima da meta estipulada pelo governo. Cumpre lembrar que, entre as operações de crédito que passarão a cobrar mais imposto estão o cheque especial, o cartão de crédito, o crédito pessoal e os empréstimos para empresas. Portanto, a ânsia de 'ter' um programa social próprio, com a renomeação do Bolsa Família, criado no governo do ex-presidente Lula, está levando o governo não apenas a se apossar de um projeto (que a simples mudança de nome não fará o povo esquecer seu criador e até avaliar que, com ele, o beneficiário seria mais generoso), mas também a potencializar o mecanismo mais nefasto que a economia pode produzir: a inflação. Com isso, o presidente Jair Bolsonaro corre sério risco de ver o 'seu' programa social ser totalmente neutralizado - com reflexos altamente negativos - pelo avanço da inflação. Mais inflação - e que o diga as populações de menor poder aquisitivo e, mormente, as famílias sem renda regular - significa menos comida na mesa, situação que, inevitavelmente, acabará sendo debitada na conta do próprio governo. Em todo caso, esse é o preço que Bolsonaro está pagando para ter o apoio do Centrão. Não fosse assim, em vez de aumentar imposto, o presidente poderia 'criar' seu Bolsa Família com recursos hoje destinados a emendas orçamentárias Em plena pandemia, o povo no Comércio de Maceió, passeando, fazendo compras. Milagre? Não, vacinação. Com a população cada vez mais do Congresso. imunizada, a vida começa a voltar à normalidade em Alagoas, que acaba de entrar na Fase Amarela, e com eventos liberados já nesta semana.

Sugar Daddy

Aumento do IOF

Nem mesmo iniciava a sexUm dos sonhos de consumo aca- ta-feira e o lentados por Jesualdo era possuir amado mariuma fazenda onde pudesse des- do de Genecansar dos afazeres diários. Fato rosa, já partia recentemente acontecido. para o sofriOutro dia ele falou que em breve mento durame convidaria para conhecer o douro até seu novo cantinho onde tinha de domingo. No tudo um pouco, inclusive um meio da tarde do mesmo dia, criatório de abelhas produtoras chegava uma van trazendo as de própolis vermelho, indústria princesas tão novinhas que mais que ele esperava fortalecer e no pareciam franguinhas primo futuro, quem sabe até exportar. canto daquelas que ao degustar Aproveitando a novidade, sema- se derrete na boca, pois ainda nalmente para lá se deslocava não possui ossos, só cartilagens. levando consigo alguns amigos, Mas Jesualdo e seus amigos, apeonde juntos sem as esposas reali- sar de já beirarem os sessenta, zavam farras que beiravam a demonstravam ser pau para toda exaustão, tal extenuação extrema obra. Eram a representação dos atingida por todos, que não sen- próprios brasileiros. Não desisdo mais crianças, aguentavam tiam nunca. dois dias de guerra total, sempre Naquele final de semana, Jetendo por parceiras, acompa- sualdo resolveu não festejar e nhantes de luxo, também conhe- realmente descansar. Acontece cidas por "Sugar Girls", vindas de que Generosa Recife. impaciente, sem Questionado do nada saber a resque se tratava, peito das orgias “Outro dia ele ele falou serem em andamento, Sugar Babies, chamou a sobrifalou que em garotas de vinte nha Germinia e breve me convianos aproximajuntas viajaram damente, preopara conhecer o daria para concupadas com novo investimenhecer o seu novo to da família. Já aparência, gostam de se cuino portão de cantinho” dar e sabem o acesso, como o preço da belecaseiro não as za. Conhecem o conhecia, pediu seu verdadeiro valor e não acei- um momento. tam menos do que seis mil reais Jesualdo estava sozinho, banhanlivres por final de semana. Uma do-se na piscina e descansando Sugar Baby sabe oferecer dias das continuas aventuras, quando incríveis ao seu Sugar Daddy, o funcionário acostumado a aproveitando cada momento recepcionar beldades lhe falou: único com muito carinho, ele- Doutor as mulheres de hoje estão gância, luxo e sofisticação. aí. Mas acho que a empresa resEram farras intermináveis. Vinho, ponsável lhe enganou pois enviawhisky, vodka, só Catena, 18 ram duas figuras antigas tipo anos e absolut. Usar roupas era bruxa Memeia,... acho que o senproibido. No máximo uma toalha hor não vai gostar. para enxugar o suor advindo da Ao ver de quem se tratavam, Jesauna ou dos exercícios pratica- sualdo tomou o maior choque dos a dois. mas nada pode dizer nem às visiPassado o tempo, Generosa ain- tas ou nem mesmo àquele que as da não conhecia o último investi- anunciou. Somente mandou solmento de Jesualdo e quase dia- tar as abelhas. riamente externava a vontade de Jesualdo é realmente um aventuir até lá, mas recebia como res- reiro que dessa vez escapou por posta estar o pouco. ambiente sendo reformado e ainda por cima as abelhas do criató(*) Presidente da Academia rios eram bravias não sendo Alagoana de Letras seguro a sua permanência nas proximidades.

Alexandre Rands Barros (*)

Alberto Rostand Lanverly (*)

O governo atual tem conseguido algumas unanimidades raras. Atualmente, são pouquíssimos os economistas que não o consideram péssimo. Ele tem deteriorado a imagem do país no exterior, induzindo à saída substancial de capitais estrangeiros investidos no Brasil, sua falta de coordenação na condução da pandemia levou o Brasil a amargar perdas humanas e econômicas bem superiores ao necessário. Cerca de metade das mortes por covid poderiam não ter ocorrido. Danificou bastante o potencial de crescimento de longo prazo da economia brasileira, ao não coordenar a condução da educação ao longo da pandemia e reduzir substancialmente os recursos investidos em pesquisa e desenvolvimento tecnológico (P&D). Além disso, a condução da política monetária foi um fracasso, permitindo a retomada da inflação, o que também compromete a atividade econômica. Também não se negou a gerar conflitos com os outros poderes e provocar incertezas quando tinha qualquer oportunidade. A natureza conflituosa do presidente dificulta ainda mais a estabilidade econômica e as perspectivas da nossa economia. Ou seja, o Brasil está um caos. Por mais pessimista que fosse uma pessoa, seria impossível prever que o governo atual seria tão ruim. Ainda merece destaque a insistência na implementação de uma nova CPMF, sem sucesso, ea apresentação de uma reforma tributária em duas partes: uma sem relevância (fusão de PIS/COFINS) e a outra que irá

piorar ainda mais as distorções já existentes no sistema tributário brasileiro (IRPF e IRPJ). Melhor que não seja aprovada. Esta semana, o governo federal reconheceu que a reforma do Imposto de Renda (IR) vai aumentar a carga e que será usada parcialmente para financiar o novo Bolsa Família. Essa mudança de expectativa mostra que novamente o governo federal recorreu a mentiras para tentar passar suas propostas, pois sempre argumentava que a reforma do IR seria fiscalmente neutra. Na apresentação

“Também não se negou a gerar conflitos com outros poderes e provocar incertezas quando tinha qualquer oportunidade” do seu novo ataque à economia, a elevação do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), ele diz que ela será provisória, enquanto não há o aumento da arrecadação com o IR (a partir do ano que vem). Como, provavelmente, a reforma do IR não será aprovada no Senado, esse acréscimo de IOF obviamente terá que se tornar per-

manente. É sempre com mentiras que esse governo age. O IOF é um imposto que incide sobre operações de crédito das empresas e pessoas físicas. Por conseguinte, ele é um imposto que incide mais sobre dois tipos de empresas: aquelas competitivas e que por tal estão expandindo sua capacidade produtiva e aquelas que estão em dificuldade e tentando se recuperar. Pois esses dois tipos de empresas são as que precisam tomar mais recursos emprestados. As empresas de maior ritmo de crescimento, geralmente, são as com produtividade mais elevada e por tal as que mais impulsionam a renda per capita no país. Ao penalizá-las relativamente mais, o governo opta por reduzir o crescimento da economia. Da mesma forma, as empresas que estão tentando se recuperar também não devem ser penalizadas, pois as pessoas que venham a ser demitidas delas são aquelas que possuem menor capacidade de se recolocar no mercado de trabalho. A gestão atual do governo federal não é ruim apenas porque tem prioridades desalinhadas com a sociedade brasileira, mas também porque é muito incompetente. (*) Economista

Liberdade, essa palavra Marcus Pestana (*) Se há um sentimento natural do ser humano é sua vocação para a liberdade. A antropologia nos revela como a liberdade está impregnada na natureza humana. O poder originário era exercido a partir dos costumes, da idade e da sabedoria dos membros da comunidade. Não havia Estado, propriedade, família, herança, acumulação de riquezas, religião. O exercício da liberdade individual e coletiva não é e nunca foi questão pacífica. E cá estamos, em pleno século XXI, novamente às voltas com o tema. Somos diversos, somos diferentes. E temos que aprender a conviver com as diferenças na diversidade. Veio-me à cabeça o tema, porque na mesa ao lado do café em um hotel estava um casal e um amigo manifestando alto suas idiossincrasias quanto à vacina contra a COVID-19, suas desconfianças e a convicção de que não vão se vacinar de forma alguma. A sabedoria popular repete a esmo que "a nossa liberdade termina onde começa a dos outros". A liberdade individual nem sempre é solidária à liberdade coletiva. Até que ponto individualmente tenho a liberdade de não usar máscara, de provocar aglomerações e não me vacinar, colocando em risco a saúde coletiva? Também um amigo liberal me questionou que decisões do STF são abusivas ao constrangerem a "liberdade de opinião" de pessoas que ameaçam autoridades e instituições, propagam a violência, às vezes de arma em punho, e usam a liberdade proporcionada pela democracia para abalar os

pilares e a sobrevivência da própria democracia. Opinar, sim, sempre; conspirar contra a ordem constitucional democrática, não, nunca. Disse certa vez Rousseau: "O homem nasceu livre e por toda a parte vive acorrentado". A liberdade permanentemente corre riscos. Por isso é conquista e construção permanentes, e nunca irreversível. Talvez tenha sido por isso que Thomas Jefferson afirmou: "O preço da liberdade é a eterna vigilância".

“A sabedoria popular repete a esmo que ‘a nossa liberdade termina onde começa a dos outros’. Liberdade é tema controverso” Freud em textos como "Futuro de uma ilusão", "Mal-estar na civilização" e "Totem e Tabu" descreve como a situação do homem na sociedade é marcada pelo antagonismo inevitável entre as exigências do instinto e as restrições da civilização. Como escreveu certa vez Simone de Beauvoir: "O homem é livre, mas ele encontra a lei na sua própria liberdade" e completou: "Querer ser livre é

também querer livres os outros". Liberdade é escolher caminhos. Mas, como quis Neruda: "Você é livre para fazer suas escolhas, mas é prisioneiro das consequências". Qual é a bússola da busca da liberdade? Talvez Tolstói tenha razão: "Não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência". Na economia e na política, Adam Smith, Stuart Mill, Marx, Keynes, Hayek e Friedman tinham visões diferentes sobre a liberdade. Liberdade é tema controverso e polêmico. A democracia brasileira é uma jovem planta tenra. Nunca é demais lembrar que há apenas 133 anos tínhamos escravidão em nosso país. O atual ciclo democrático sobrevive a curtos 36 anos. Podemos discordar sobre tudo, mas um pacto silencioso e quase unânime temos que celebrar: a defesa da liberdade e da democracia. Porque afinal, quem estava mesmo certa, era Cecília Meireles, no seu "Romanceiro da Inconfidência" e não me canso de repetir: "Liberdade - essa palavra que o sonho humano alimenta: que não há ninguém que explique, e ninguém que não entenda". (*) Ex-deputado federal

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Dr. Albino Magalhães, 221 - Farol | CEP 57.050-080 Fone: (82) 9.9143-2653/ 9.8728-7819 - Maceió | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 9.9143-2653/ 9.8728-7819

Luiz Carlos Barreto Goes Fundador do Primeira Edição

Miguel Goes Diretor-Geral

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


B6 | Social

Primeira Edição | 27 de setembro a 3 de outubro, 2021