Page 1

Valério agora entrega Lula Reportagem da revista Veja revela que o empresário Marcos Valério, operador do mensalão, anda dizendo que o ex-presidente Lula era o verdadeiro chefe do esquema montado para compra de voto no Congresso Nacional. > A-8

edição PRIMEIRA

Mega sai para um apostador Um apostador do Rio de Janeiro ganhou a Mega-Sena deste sábado (15) e vai levar R$ 17.534.538,97. As dezenas sorteadas: 07, 16, 29, 36, 38 e 50. A Quina teve 82 ganhadores e cada um vai receber a quantia de R$ 27.866,19. > B-4

Ano 9 | Edição 483 | Maceió, Alagoas, 17 a 23 de setembro, 2012 | R$2,00

Padre diz que Igreja deve participar da vida política Luciana Martins

Padre Manoel Henrique analisa envolvimento de religiosos com a política

O Vaticano é contra, mas há sacerdotes, como o padre Manoel Henrique, que aprovam o envolvimento da Igreja com a política. Para ele, padres com mandato, no Congresso Nacional, poderiam derrubar propostas como a liberação do aborto e das drogas. Em entrevista, padre Manoel Henrique critica os fins políticos buscados pelas “igrejas evangélicas”. > A-4

Para economista, investir na 'caderneta' rende mais Luciana Martins

Fábio Guedes diz que poupança é investimento mais recomendável

Aplicar na poupança. É o que deve fazer quem tem sobra no orçamento, segundo o economista Fábio Guedes. Em conversa com Luciana Martins, do PE, ele também sugere aplicar em Letras do Tesouro Nacional (LTN) e recomenda cuidado aos que pretendem comprar um carro. Para o economista, vai longe o tempo em que comprar dólares era bom negócio. > A-6

AVANÇO DE RUI FAZ CHAPÃO PENSAR EM NOME PARA SUBSTITUIR RONALDO LESSA Faltando exatos 20 dias para a meiro turno. Pelo menos, é o que voto contra 21% de Ronaldo Les- recurso para registrar a candidatu- governador. No momento, as opeleição, o candidato Rui Palmeira indicam as últimas pesquisas: o sa. No Ibope, 48% a 22%. O TSE ra de Lessa. Em caso de derrota, o ções são: o vice Mosart Amaral ou se aproxima da vitória já no pri- Gape lhe dá 50% das intenções de deve julgar na quinta-feira (20) o Chapão deverá substituir o ex- o senador Fernando Collor. > A-2 Primeira Edição

Moça achou que era um sósia de Romário andando no calçadão

Viaduto é visto como obra inútil

De repente, o tetra-cam- causando alvoroço. "É um peão Romário apareceu sósia?", gritou uma fã. Não no calçadão de Maceió era, era o próprio. > A-6

Servidor negocia seu precatório, mas recebe só parte do dinheiro Uma obra inútil, um monstrengo de concreto. É o que os motoristas dizem do Viaduto Ib Gatto, entre o Poço e o Centro. A partir do Elevado até a Praça Palmares, as filas são diárias gerando protesto. Alguns defendem a demolição do viaduto que 'liga nada a coisa nenhuma'. > A-5

Quem estuda com finan- ta, exigência que vem inferciamento do FIES, agora nizando a vida de universitem que apresentar avalis- tários alagoanos. > A-5

Em casa, Galo aprende lição com ABC Divulgação

No Estádio dos Aflitos (Recife), o Náutico (alvirubro como o CRB) derrotou o Galo Mineiro por 1x0 e ainda se deu ao luxo de perder um pênalti. O Fluminense continua liderando a Série A do Brasileiro

Quase se repete a virada histórica conseguida contra o Avaí, só que, neste domingo, seria a favor do adversário. O Galo abriu 3x0 e, pasmem, se desconjuntou em campo e acabou cedendo o empate ao ABC de Natal. Tremendo vexame no Rei Pelé. A torcida, pequena, saiu decepcionada. Na sexta-feira, o ASA não suportou a pressão do Criciúma e perdeu de 2x1 fora de casa. > ESPORTES

Márcio Ândrei

Impressionante: o Galo abriu 3x0 mas, quando todos pensavam que a fatura estava liquidada, o ABC deu uma de doutor e com magistral reação conseguiu empatar, deixando a torcida local decepcionada

Fale conosco | (82) 3325.2815 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

A2 | Política

VA I T A AL N R E N ALT EPCIO EXC

Chapão pode lançar Mosart para prefeito e manter nome de Lessa Solução já foi adotada em Satuba com vitória de Cícera do Bar, que substituiu Fátima Pedrosa em 1994 Miguel Goes

Arquivo

Everson Vieira Belo Exclusivo para o PE

Tranquilo, Rui Palmeira dispara nas pesquisas e pode vencer no 1º turno

Ronaldo Lessa continua esperando pelo julgamento do seu recurso no TSE

> DENÚNCIA

Servidor vende 'precatório', mas dinheiro sai incompleto Primeira Edição

O aposentado João Miranda de Oliveira Filho, do quadro de inativos da Assembleia Legislativa, vendeu seu 'precatório', comemorou, mas não recebeu o valor integralmente. - Com intermediação do escritório do advogado José Lins, vendi meu título de crédito, no valor líquido de R$ 124 mil, em 2010, e desde então fiquei recebendo parcelas mensais de R$ 8 mil. A última cota, entretanto, liberada há cerca de dois meses, foi de apenas R$ 1.500,00 e desde então não recebi mais nada - contou João Miranda. João Miranda Oliveira denuncia que pagamento de seu crédito foi suspenso Ele detalhou que seu crédifoi liberado nenhum valor, o to foi comprado numa transa- vez, o que não aconteceu. - Mas, tudo bem, concordei que me causou estranheza. A ção envolvendo a Telemar e sua expectativa era de que, co- com o parcelamento e fiquei última parcela foi de apenas R$ mo em tantos outros casos, o recebendo as cotas mensais, até 1.500,00, o que já me deixou dinheiro fosse liberado de uma que nos últimos dois meses não preocupado - relatou.

Segundo João Miranda, além da suspensão do pagamento, o que mais o tem deixado aborrecido é a falta de atenção do escritório de advocacia responsável pela transação: "Há tempos que ligo para lá e ninguém atende, quando atende, dizem que estão em reunião, e isso é um absurdo e vou ter que buscar meus direitos pela via competente que é a Justiça". O crédito de João Miranda, chamado indevidamente de precatório, provém do não pagamento de resíduos salariais (trimestralidade, gatilho salarial etc.) de planos econômicos lançados pelo governo federal e não executados pelo Estado através dos poderes constituídos.

> FUNDO

Partidos terão verba recorde em 2013 Com dificuldades de arrecadação de dinheiro para tocar a campanha deste ano, os partidos políticos deverão ter verba recorde do Fundo Partidário em 2013. De acordo com a proposta orçamentária encaminhada pelo governo ao Congresso Nacional, na semana passada, as legendas terão

R$ 232 milhões do fundo para custear despesas como manutenção de sedes, propaganda, campanhas e com as fundações ligadas às agremiações políticas. É o maior valor já proposto pelo Poder Executivo em uma peça orçamentária. O montante, porém, pode

aumentar. Os parlamentares devem apresentar emendas para adicionar recursos ao fundo durante a tramitação do projeto no Congresso. Pelo menos essa foi a prática dos últimos dois anos. Antes, a dotação original prevista não costumava ser alterada, mesmo que minimamente. A mu-

dança ocorreu quando os partidos se mostraram endividados, por causa dos gastos nas eleições de 2010. Em 2011 e 2012, os deputados e senadores incharam o montante calculado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em, exatamente, R$ 100 milhões em cada exercício.

Seria uma solução radical e dramática, mas é possível: se Ronaldo Lessa perder o recurso pelo registro de sua candidatura, no julgamento que o TSE fará provavelmente esta semana, o comando do Chapão poderá substituí-lo pelo vice Mosart Amaral, só que mantendo o nome de Lessa na chapa. Esse tipo de arranjo já aconteceu aqui mesmo em Alagoas: na eleição municipal de 1994, faltando dois dias para a eleição em Satuba, Cícera Pereira da Silva, mais conhecida como Cícera do Bar, entrou na disputa substituindo a candidata a prefeita Fátima Pedrosa, que foi impugnada pela Justiça Eleitoral. Cícera, que inicialmente era candidata a vereadora, ganhou a eleição, mas teve de fazer um teste para provar que sabia ler e escrever: no exame realizado por uma banca de professores da Ufal, ela foi considerada analfabeta funcional e, mesmo assim, a Justiça determinou que fosse empossada.

No caso de Lessa, a troca poderia ser feita por outro nome de fora da coligação (Fernando Collor, por exemplo), mas o provável é que, se tal situação vier a se configurar, os líderes do Chapão deverão optar pelo lançamento do vice Mosart Amaral. Essa, aliás, independentemente dos rumos do processo relativo ao registro de Ronaldo Lessa, é a fórmula que vem sendo defendida pelo prefeito Cícero Almeida, embora tenha prevalecido a decisão consensual de se aguardar pelo julgamento final da Justiça Eleitoral em Brasília. Manter o nome de Lessa na chapa teria a vantagem de preservar tudo que foi feito na campanha em torno do candidato impedido, além de agradar aos eleitores que desejariam ver o ex-governador de volta à Prefeitura de Maceió. Em Satuba, a troca foi feita tão em cima da eleição, que muitos eleitores acabaram votando em Fátima Pedrosa sem saber que estavam, na verdade, elegendo a substituta Cícera do Bar.

Pesquisa já mostra Rui com 50% das intenções As últimas pesquisas de intenção de voto divulgadas na semana que passou confirmam a disparada de Rui Palmeira (PSDB) na corrida à Prefeitura de Maceió, sendo que uma delas - do Gape - mostrou o tucano com 50% da preferência do eleitorado contra 21% de Ronaldo Lessa (PDT), segundo colocado. O Ibope divulgou pesquisa na sexta-feira (14) mostrando Rui com 48%, Lessa com 22%, Jéferson com 6% e Galba Novais com 4%. Rosinha da Adefal e Alexandre Fleming obtiveram 1% enquanto Nadja Baía e Sérgio Cabral não pontuaram. O crescimento de Rui não apenas vai eliminando o que se poderia chamar de 'polarização',

como simplesmente desintegra os candidatos que sonhavam em figurar como 'terceira força': Jéferson Morais (DEM) aparece em terceiro lugar com somente 5%, seguido de Galba Novais (PRB) com 4%. A candidata Rosinha da Adefal (PT do B) caiu ainda mais e está com apenas 1% das intenções, mesma pontuação dos concorrentes Alexandre Fleming (PSOL) e Nadja Baía (PPS). Sérgio Cabral (PPL) não pontuou. Se o quadro revelado pelo Gape se mantiver até as eleições, Rosinha da Adefal poderá alcançar uma votação abaixo de todas as previsões, ela que em 2010 foi eleita deputada federal com mais de 90 mil votos.

Presidente do TSE em AL A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, se reuniu com os desembargadores e juízes eleitorais alagoanos na manhã desta sexta-feira (14). Ela tratou de assuntos diversos, entre eles, sobre a atuação dos magistrados

no sentido de garantir o bom andamento do pleito e a segurança deles durante a campanha eleitoral. A ministra abordou ainda a questão do acirramento dos ânimos nas eleições municipais e disse que o TSE está com as atenções voltadas para Alagoas.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

Política | A3

> RETA FINAL Romero Vieira Belo

Enfoque Político O desafio de Lessa Impossível saber como estaria o confronto entre os candidatos a prefeito de Maceió, se Ronaldo Lessa (PDT) estivesse regular, com candidatura devidamente registrada na Justiça Eleitoral. Nesse momento, enquanto aguarda angustiado a decisão do TSE, Lessa faz campanha com a determinação de sempre, mas sabe que os eleitores desconfiam de sua situação. E isso é muito negativo. Os líderes do Chapão reconhecem o peso da decisão imposta pela Justiça Eleitoral de Alagoas, mas apostam numa 'reviravolta instantânea', a partir de uma decisão favorável no TSE, se acontecer. A campanha de Ronaldo caminhava bem no início. Era o líder das pesquisas de intenção de voto, desde a fase de articulação preliminar, mas a situação mudou radicalmente depois que o juiz Erick Costa negou-lhe o registro da candidatura, decisão que acabou sendo sancionada pelo TRE com o voto de minerva. Lessa já viveu drama idêntico em 2010, quando sua candidatura foi impugnada e ele acabou perdendo a vaga de senador para Fernando Collor. O ex-presidente, aliás, fez a campanha em apenas 28 dias, de propósito, já que 28 era o número de seu partido de então, o PRTB. Agora, o tempo de Lessa é inferior e está em contagem regressiva. Ao colunista, o advogado Marcelo Brabo disse acreditar que a decisão em Brasília sairá até o dia 20. Se positiva, Lessa terá 13 ou 14 dias de 'campanha pra valer', a metade do tempo de Collor em 2010. Dá para virar a mesa? Impossível vaticinar. Enquanto isso, Rui Palmeira (PSDB) navega em calmaria, indiferente à tormenta que ameaça afundar o barco concorrente. ROLO COMPRESSOR

'O CARA É BOM'

Liberado para falar no Guia Eleitoral, após trocar de partido, Cícero Almeida preocupa o tucanato. Quer pelo tom virulento do discurso, quer por sua disposição de 'falar sem papas na língua'.

O que o grupo do Chapão temia, está se confirmando: Rui Palmeira entrou fácil na periferia. Conseguiu desfazer a imagem de 'candidato das elites' e tem refrão cantarolado em grotas e favelas.

RENAN COMANDA MEGA CARREATA EM ARAPIRACA Renan Calheiros comandou uma estrondosa carreata na manhã de sábado, em Arapiraca, em apoio à candidatura de Célia Rocha. Estima-se que o cortejo reuniu mais de dois mil automóveis. Políticos veteranos disseram que foi a maior carreata da história do município. Para Renan, o evento demonstrou que o povo quer Célia de volta para continuar a obra do prefeito Luciano Barbosa. REI PELÉ SAI DE CENA?

ALIADO INFLUENTE

A determinação do Ministério Público, de retirar de bens públicos nomes de pessoas vivas, atinge a denominação do Estádio Rei Pelé? Ou, nesse caso, se trata não de uma pessoa, mas de uma marca?

Candidato a retornar à Câmara de Maceió, Arnaldo Fontan vem sentindo o apoio de Cícero Almeida. Correligionários e amigos do prefeito têm procurado Fontan para lhe assegurar o voto.

HELOÍSA HELENA SOB O EFEITO DA CONTAMINAÇÃO NA CÂMARA A campanha de Heloísa Helena já não empolga como a de 2008. Naquela eleição, disputar um simples mandato de vereador mostrava uma Heloísa humilde, antes de tudo. Uma postura que sensibilizou muita gente. Além disso, muitos eleitores 'pagaram para ver' como a ex-presidenciável agiria num espaço pra lá de fisiológico. No atual processo, contudo, HH parece não ter munição de peso para gastar. JOGADA DE RISCO

REIS DA PROMESSA

Wilson Júnior saiu candidato a vereador mesmo sabendo que G.G Sampaio, herdeiro da TV Alagoas, disputaria a eleição. Júnior é o principal apresentador do Plantão Alagoas do Canal 5.

Candidato deveria ser obrigado a demonstrar, com números, como executará as obras que promete durante a campanha. E deveria perder o mandato se não as cumprisse em prazo estipulado.

Procuradora contrária a Lessa pediu a cassação de Téo Vilela Recurso agora passa pela ministra-relatora e vai para julgamento do pleno do TSE Especial para o PE

Poderia ter repercutido mais, o parecer da vice-procuradora-geral Sandra Cureau, contrário ao recurso de Ronaldo Lessa, mas o fato passou quase despercebido aqui por um detalhe: a representante da Procuradoria Geral Eleitoral é vista como uma radical. O parecer foi rápido (em certos casos já está desenhado para o encaixe dos personagens) e apresentado na quarta-feira, mas os aliados do ex-governador Lessa lembraram que a mesma Sandra Cureau, contrariando a posição do TRE-AL, pediu a cassação do governador Teotonio Vilela Filho, na ação em que ele foi acusado de usar o programa 'Alagoas mais ovinos' na campanha para sua reeleição em 2010. Em seu parecer, já encaminhado para a ministra relatora Laurita Vaz, a vice-procuradora se fundamenta na Lei 9.504/9 e ressalta que "as condições de

RITUAL GREVISTA

UNIDOS COM ERNANDI

Em passado não muito distante, fim de greve significava retorno imediato ao trabalho. Agora, não. Primeiro, é todo um ritual para 'sair do movimento'. Depois, outro para reassumir o batente.

Todas as entidades de servidores da ALE - representadas por Eduardo Fernandes, Manoel Lira e Luciano Vieira - estão unidas para eleger Ernandi Malta, do STPLAL, vereador por Maceió.

MAIS UM PRÊMIO BRASKEM DE JORNALISMO A nova edição do Prêmio Braskem de Jornalismo será lançada no próximo sábado (25) no restaurante Bodega do Sertão (Jatiúca). Serão premiadas reportagens publicadas no período 2011/2012. A apresentação à imprensa vai acontecer durante café da manhã a partir das 8 horas. A entrega dos prêmios aos vencedores está programada para o dia 24 de novembro.

Sandra Cureau emitiu parecer contrário ao registro da candidatura de Lessa

elegibilidade devem ser aferidas na ocasião da formalização do pedido de registro de candidatura" - o que não ocorreu no caso de Lessa, segundo a procuradora. Segundo Sandra Cureau, a multa aplicada ao ex-governador, no valor inicial de R$ 21.282,00, deveria ter sido paga até o dia cinco de julho, data da apresentação do pedido de registro junto à Justiça Eleitoral de

Alagoas, o que não foi feito, só vindo a ocorrer 20 dias depois, embora a guia para o pagamento não dependesse do juízo de execução". A vice-procuradora não considerou o fato de que o julgamento do recurso original de Ronaldo Lessa terminou com empate de três votos contra três, o que exigiu o voto de minerva que decidiu contra as pretensões do ex-governador. O resultado

mostrou que a metade dos juízes do TRE-AL considerada legal e justo o argumento apresentado pela defesa de Lessa. A ministra Laurita Vaz vai agora encaminhar seu relatório (discordando ou não da procuradora Sandra Cureau) à presidente do TSE, de onde o processo sairá para julgamento do plenário em data ainda não conhecida. O advogado de Lessa, Marcelo Brabo, acredita que a decisão ocorrerá até quintafeira, 20 de setembro. O parecer de Sandra Cureau não alterou o estado de ânimo dos integrantes do Chapão, mesmo porque em muitas situações o pronunciamento da Procuradoria Eleitoral é meramente formal. No episódio da ação que pediu a cassação de Teotonio Vilela, Sandra Cureau sabia que o governador havia ganhado a causa por unanimidade no TREAL, mas, ainda assim, se manifestou pela sua cassação. O pleno do TSE absolveu Vilela por seis votos a um.

> DE REPENTE

Romário passeando no centro de Maceió: "É um sósia?", gritaram Primeira Edição

"É um sósia", gritou uma jovem e espevitada morena apontando para o alvo de todas as atenções. Não, não era um sósia, era Romário em pessoa, o craque dono da Copa do Mundo de 1994, hoje deputado federal pelo Rio de Janeiro, político pouco experiente, é verdade, mas muito atuante dentro e fora do Congresso Nacional. O ex-artilheiro da Seleção brasileira tetra-campeã do Mundo desfilava pelo calçadão do Comércio ao lado do deputado estadual Jéferson Morais, candidato a prefeito de Maceió pelo DEM. Foi um alvoroço daqueles. Cercado por uma multidão onde se destacavam mocinhas conduzindo esverdeadas bandeiras de campanha, o irrequieto Peixe provocou correrias. Eram comerciários e clientes que saíam das lojas, atraídos pelo cortejo ruidoso de onde ecoavam gritos estridentes de "Jéferson" e "Romário". Como ele veio parar aqui? Muito simples: Romário é do PSB, mesmo partido do deputado federal Givaldo Carimbão, cujo filho, Givaldo Carimbão Jr. (também chamado de Carimbinho) é o candidato a vice de Jéferson Morais. Na Rua Boa Vista (ex-conse-

Deputado Romário surgiu de repente no calçadão do comércio apoiando o candidato democrata Jéferson Morais

lheiro Lourenço de Albuquerque), Romário teve a atenção chamada por um popular que se aproximou e elevou a voz para ser ouvido: "Foi Pelé, Garrinha e você - Copa de 58, Copa de 62 e Copa de 94". Romário riu timidamente, mais preocupado com o barulho e o empurra-empurra em sua volta. Jéferson Morais, sempre sorridente, se sentia feliz, quase realizado ("só me realizo com o povo, com a vitória do povo"). O

garoto humilde que ingressou no mercado de trabalho como boy do tradicional Jornal de Alagoas caminhava pelo Centro de Maceió ao lado de um dos maiores craques de futebol da história (depois de Pelé, o único a ultrapassar a marcada dos mil gols), que viera direto do Rio de Janeiro exclusivamente para apoiá-lo. Foi uma proeza, um feito de campanha, considerando que nesse período de correria e caça

ao eleitor, todos os políticos de destaque estão ocupados em seus redutos eleitorais. Muitos, por isso, se limitam a gravar vídeos e mensagens radiofônicas para ajudar correligionários de outros estados. Romário, não. Graças a sua amizade com Givaldo Carimbão, veio pessoalmente a Maceió e foi brindado com o carinho dos fãs que outrora o aplaudiam como o incomparável artilheiro que foi. (Romero Vieira Belo)

PANORAMA ELEITORAL

SURUAGY E SUA ESTRATÉGIA (SEMPRE) EFICIENTE Se não fosse um homem avesso a jogo (exceto na área esportiva) Divaldo Suruagy apostaria todas as fichas na eleição de Rui Palmeira. O ex-governador teve papel importante na eleição do jovem tucano para deputado estadual e federal e, agora, repete sua estratégia: com mala direta, pede a uma legião de velhos amigos, voto e apoio para eleger o herdeiro político de Guilherme Palmeira.

Divulgação

Everson Vieira Belo

Da Redação

CENA NO CALÇADÃO Um candidato a vereador colou um santinho na camisa de Romário, antes da caminhada pelo centro de Maceió, 4ª feira. Atento, o deputado Givaldo Carimbão apressou-se em retirar o adesivo. Ninguém entendeu, até porque o candidato apóia Jéferson Morais, cujo vice-prefeito é Carimbão Júnior, filho do parlamentar. CONFUSÃO NOMINAL A estratégia de Galba Novais - sair candidato a prefeito e lançar o filho para vereador com o mesmo nome - pode não ter sido das mais eficientes. O eleitor menos atento pode supor que só existe Galba Novais candidato a prefeito, e esquecer o vereador. Ou que só existe Galba candidato a vereador e, nesse caso, esquecer o prefeito.

CENÁRIO INUSITADO Depois de denunciado, preso, solto, denunciado, o prefeito Toninho Lins, de Rio Largo, está em campanha pedindo voto para se reeleger. Eis a prova cabal de que há algo de errado com a legislação eleitoral brasileira. É compreensível que um político nessa situação dispute um mandato sem qualquer tipo de restrição?

BOMBA EM UNIÃO 1 O ex-governador Manoel Gomes de Barros poderia está em casa, descansado, aposentado, mas não se conteve e entrou na briga pela Prefeitura de União. Agora, foi atingido por uma gravação em que ele conversa com o prefeito Areski e diz que não gosta do povo de União. O estrago não poderia ser maior na campanha de Mano.

FURO NA FICHA LIMPA Fernando CPI, um dos coordenadores do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) denuncia o descumprimento da lei da Ficha Limpa em Alagoas. Cita, como exemplo, Petrúcio Barbosa, candidato a prefeito de Palmeira dos Índios, apesar de incluso na Ficha Limpa. "A Justiça tem que tomar uma providência", cobra.

BOMBA EM UNIÃO 2 E não foi só. A gravação do diálogo entre Mano e Kil foi divulgada na quarta-feira (12). Horas depois, explodiram os estúdios da emissora de rádio que faz oposição ao ex-governador. Quem mandou? Quem fez o atentado? Até que se apure a autoria da violência, o rombo estará feito no barco de Manoel Gomes.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

A4 | Cidades

E A J E IGR TICA Í L O P Luciana Martins Repórter

A determinação do Vaticano é válida para os membros da Igreja Católica no mundo inteiro: os padres não devem participar do processo eleitoral. O Papa Bento XVI, por exemplo, tem defendido firmemente que os padres devem permanecer afastados de um compromisso pessoal na política porque, na sua avaliação, a entrada de deles no cenário eleitoral poderia comprometer a unidade e a comunhão de todos os fiéis. No entanto, apesar da ordem emanada de Roma, há sacerdotes católicos disputando mandatos eletivos em Alagoas, como é o caso do Padre Eraldo Cordeiro (PC do B) candidato a prefeito em Delmiro Gouveia, e o Padre Renilson (PSC) candidato a vereador no município de Senador Rui Palmeira. Padre Manoel Henrique, um dos mais conceituados sacerdotes católicos do Estado, explica que esta é uma decisão da conjuntura atual da igreja, pois no passado alguns padres participaram do processo político alagoano, a exemplo do padre Medeiros Neto e do monsenhor Cícero de Vasconcelos. - Esta determinação é de uma conjuntura atual da igreja, não foi de sempre. Conheço cidades em que padres são prefeitos, participam diretamente da

Padres alagoanos disputam eleições, mas Vaticano quer a Igreja distante Manoel Henrique critica fins da bancada evangélica e acha que católicos deveriam integrar Congresso Nacional Luciana Martins

Câmara de Vereadores, se elegem deputados e com apoio da igreja - afirma padre Manoel Henrique, acrescentando. "Ao assumir o cargo eletivo, o padre continua celebrando suas missas, no entanto, deixam de assumir diretamente uma comunidade por ordem da Diocese". Na opinião de Manoel Henrique, a questão não é se candidatar, e sim saber quais os motivos que levam aquele padre a disputar a eleição, uma vez que a Igreja e a comunidade esperam dele um diferencial importante. "Ele (padre político) não pode ser igual aos outros. É preciso estar atento à corrupção porque muitos candidatos oferecem, na calada da noite, dinheiro para ajudar a igreja e ela acaba presa àquele candidato. Isso é lamentável porque a própria igreja participa dessa corrupção eleitoral quando aceita esse tipo de oferta. Isso também acontece". Mas ele salienta que a posição da igreja é de não ter candidatos, embora existem fiéis que são ligados às comunidades que participam do processo eleitoral, como é o caso do deputado estadual Judson Cabral, que faz parte dos movimentos da Igreja de São Pedro. "Ele nunca fez da igreja palanque, mas ele ajuda diretamente a igreja e todo mundo sabe pelo testemunho dele. Então, há pessoas boas que a Igreja pode apresentar e que merecem a nossa confiança en-

Padre Manoel Henrique admite que religiosos poderiam desempenhar papel relevante no Congresso Nacional

quanto cristãos". Padre Manoel Henrique ressalta que existem candidatos que estacionam seus carros à frente da igreja para induzir o eleitor a crer que são fiéis daquela comunidade, e na verdade não o são. "Isso é terrível, é manipulação. Aproveitar da igreja para distribuir santinhos, essa prática eu não apoio. Se tiver que dar apoio que seja com toda transparência possível". Quanto à orientação de fiéis sobre as eleições, Manoel Henrique assinala que a Igreja Católica nos anos eleitorais produz

uma cartilha para orientar os fiéis sobre suas escolhas. "A orientação deve ser dada em reuniões, encontros, mas não na missa. Contudo, se o padre interpretar corretamente os textos bíblicos e aproveitá-los da maneira correta, ele vai saber orientar a comunidade porque as leituras bíblicas e o próprio evangelho foram tirados do contexto social, político e religioso. Isso é possível sem ser algo dirigido para o lado político. Um padre que prepare bem a sua pregação, ele sabe para que lado ele pode direcionar a partir do texto

da Bíblia". Ele enfatiza: "Falar que um cristão católico não tem a nada a ver com a política, é mentira, é hipocrisia, é ignorância religiosa porque, afinal, Jesus Cristo morreu porque incomodou as forças políticas, os interesses políticos e os poderosos do seu tempo". Mas enquanto a Igreja Católica não participa da política, os chamados segmentos evangélicos, liderados pela Universal de Edir Macedo, já formaram uma bancada no Congresso Nacional, conhecida como 'bancada evangélica que, segundo o

padre, não tem lutado pelos interesses do povo brasileiro e sim por interesses próprios de suas igrejas, das suas bancadas. "Eu considero, criticamente, que esta seja uma política mesquinha, e se o clero pudesse chegar novamente ao Congresso Nacional não seria para fazer uma bancada fechada, de defesa de seus próprios interesses. Ao contrário seria uma luta pelo povo brasileiro". Para Manoel Henrique, "a igreja vê este tipo de atuação política como uma exploração do povo, da consciência religiosa do povo e Jesus Cristo jamais fez e jamais aprovaria tal conduta". Ele frisou que a Igreja Católica vai realizar um debate com os candidatos a prefeito de Maceió e é neste momento que os fiéis poderão conhecer quem pode se comprometer com a igreja. "Naturalmente aqueles candidatos que assumirem esse compromisso, a Igreja vai apoiar o nome deles". Ele entende que a presença de padres preparados na bancada federal poderiam contribuir para derrubar propostas que tramitam no Congresso como a descriminalização das drogas e a liberação do aborto, por exemplo. "Eles poderiam influir na votação do Congresso. Poderíamos ter a presença de um clero capacitado e um quadro diferente". (Leia editorial 'A Igreja e a política' na B-5)

> CNBB

"Igreja não deve se envolver com eleição" Divulgação

Um dia após a Arquidiocese de São Paulo ter atacado a Igreja Universal, o presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Raymundo Damasceno, 75, disse na sexta-feira (14) que a Igreja Católica não quer se colocar no lugar dos políticos. "Damos critérios e deixamos o eleitor muito livre no exercício de seu direito e dever. O papa diz muito claramente que a Igreja não pode nem deve tomar nas suas próprias mãos a batalha política. Isso é próprio do político, do Estado", declarou. "A Igreja não quer se colocar no lugar dos políticos, não quer se colocar no lugar do Estado. Mas a Igreja não pode ignorar a política", completou o arcebispo de Aparecida (180 km de São Paulo).

Dom Raymundo Damasceno: “Nada de política”

Especificamente sobre a nota da Arquidiocese de SP que ressalta a ligação de Celso Russomanno (PRB) com os evangélicos, dom Raymundo disse que não leu o texto e que essa foi uma "orientação" pontual "porque o problema é lá [SP]". "Aqui [em Aparecida] não estou tendo nenhum problema com a [Igreja] Universal. Cada diocese tem sua realidade própria", afirmou. Dom Raymundo recebeu a reportagem do jornal Folha de S. Paulo em sua sala, no Seminário Bom Jesus, em Aparecida. Sentado na cabeceira de uma mesa de reuniões, começou a conversa consultando papéis onde havia frases prontas. Ao longo da conversa, livrou-se

do roteiro, mas procurou evitar polêmicas todo o tempo. Questionado sobre o uso da estrutura da Universal para campanha de Russomanno, por exemplo, disse: "Não entraria nisso porque não é da Igreja Católica. Não sei como eles veem essas questões. Falo da nossa orientação. Você não vê nenhum bispo tomando partido político de nenhum candidato". Segundo ele, a Igreja Católica só faria campanha eleitoral diante de um caso excepcional: "Por exemplo, todos os candidatos contra a Igreja. Aí, é claro, tem que tomar partido. O correto é orientar, dar critérios, formar".


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

EM S A DE R B O IDA L UTI Da Redação

Projetado para resolver o nó do trânsito na ligação do Poço com o Centro de Maceió, o Viaduto Ib Gatto funciona atualmente como um autêntico 'monumento à inutilidade'. A explicação para isso é simples: o fluxo de veículos que descem pela Ladeira Geraldo Melo (ladeira da antiga Rodoviária) não justifica a existência do elevado. Quem transita pelo Viaduto, procedendo da Zona Sul da capital pelo prolongamento da Av. Gustavo Paiva enfrenta permanente retenção exatamente a partir do Ib Gatto, situação que se agrava porque, a partir do cruzamento da Rua Barão de Atalaia com Rua do Imperador, há estacionamentos que atrapalham a fluidez do tráfego. Nos fins de semana, as filas se tornam longas e os veículos chegam a ficar parados em cima do Viaduto (também conhecido jocosamente como 'pingelão) por outro motivo: o semáforo no cruzamento adiante é mais rápido para quem trafega pela Barão de Atalaia, o que acaba aliviando para quem sobe pela ladeira da Catedral em direção à Rua do Sol e Praça dos Martírios. Também concorre para a lentidão no percurso a freqüente manobra de caminhões transportando cargas para o supermercado Bompreço. O Viaduto Ib Gatto foi construído durante a gestão da prefeita Kátia Born e custou R$ 6 milhões, dinheiro trazido para Maceió graças a uma emenda parlamentar do deputado fede-

Cidades | A5

Viaduto de R$ 6 milhões é inútil e trânsito congestiona na sequência Fluxo não justifica existência do elevado; motoristas reclamam de lentidão constante no trecho rumo ao Centro Primeira Edição

ral Givaldo Carimbão (PSB-AL) correligionário da atual secretária estadual da Mulher.

SOLUÇÃO Para solucionar, segundo opinam os motoristas, a SMTT precisa fazer duas coisas: regular o semáforo e determinar um horário para o acesso dos caminhões que abastecem o Bompreço. - Isso é enervante, irrita a gente unicamente porque nesse trecho o fluxo de carros não é suficiente para provocar congestionamento, mas é isso que acontece todos os dias, com mais intensidade nos fins de semana - queixou-se o taxista Antônio dos Santos. Ele observou que, se não tivesse sido construído, o Viaduto Ib Gatto não faria falta e o dinheiro nele investido poderia muito bem ter sido investido em outra obra ou mesmo na pavimentação de ruas nas áreas periféricas da capital. Ponto obrigatório de 'percurso aéreo' para os motoristas que transitam do Poço para o Centro, o Viaduto Ib Gatto tem despertado críticas e motivado piadas de quem por ele trafega, sendo muito comum ouvir-se alguém se referir ao elevado como "o viaduto que liga nada a coisa nenhuma". Algumas pessoas, como o viajante José dos Santos, acha que a melhor solução para o problema seria a demolição do viaduto: "Demolir, tirar aquele monstrengo da paisagem, ninguém vai perder nada com isso, somente o governo federal que mandou o dinheiro para construí-lo".

O Viaduto Ib Gatto não melhorou a fluidez do trânsito, na conexão entre Poço e Centro, e tem sido objeto de constantes reclamações dos motoristas

Ônibus param de novo nesta segunda-feira Milhares de trabalhadores maceioenses devem amanhecer esta segunda-feira sem transporte coletivo para ir ao trabalho. É que motoristas e cobradores decidiram entrar em greve mais uma vez, agora em protesto contra a demissão de um dos líderes da paralisação deflagrada em agosto último. A decisão do novo movi-

mento foi tomada pela categoria na manhã deste sábado (15) sem previsão para retorno ao trabalho. Os líderes do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário (Sinttro) informaram que as demissões começaram na última quintafeira (13), quando um dos líderes do movimento que culminou com a greve em agosto, foi demitido.

EDITAL No âmbito municipal, a semana foi marcada pelo lançamento do edital de concorrência na área do transporte coletivo da capital. Ao fazer o anúncio, durante reunião com seu secretariado, o prefeito Cícero Almeida afirmou que a licitação acontecerá no mês de novembro e deve trazer, em regime de outorga, R$ 110 milhões para os cofres

da Prefeitura. Conforme o edital lançado pela prefeitura, a passagem de ônibus deve se fixar em R$ 2,10. "As empresas terão que rezar na cartilha. Repito, não me interessa que qualquer empresa ganhe. A licitação que fora tão cobrada por todas agora, graças a Deus, é uma realidade", disse o prefeito Cícero Almeida encerrando a entrevista de quarta-feira.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

A6 | Cidades

> ENTREVISTA/ FÁBIO GUEDES Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

O que pensa o eleitor? Na verdade, ninguém sabe. Uma incógnita ainda. Um processo evolutivo em relação ao voto, muito aquém daquilo que se deveria esperar dele para a consolidação real do processo democrático. A presença do fator econômico, principalmente em um estado onde os índices de pobreza são alarmantes, ainda é, infelizmente, um detalhe de impressionante marca. Saber que o seu voto pode ter um preço real, de 50 ou de cem reais, abala as estruturas de quem pena para ter a comida em casa. E, colocar na cabeça dessa gente de que ele ganhará muito mais elegendo os homens de bem que não vendem seus votos é uma missão, no mínimo difícil. E, diríamos, quase impossível. Então, queiramos ou não, o coronelismo continua existindo sob novas roupagens, o voto de cabresto mandando, a cédula na mão dominando. Em que pese todo o esforço das instituições para coibir esse tipo de corrupção eleitoral, ela existe e é a responsável pela maior parte das vitórias conquistadas. Claro que temos um muito de candidatos decentes e um razoável percentual de vitórias honestas, mas são exceções no mundo político. Tomara que estejamos enganados e que as eleições deste ano sejam marcadas por diferenciais mais transparentes.

DESTACÔMETRO

O destaque de hoje vai para os 21 anos do meu filho, João Marcelo, que aniversariou ontem, 16. Um presente para mim que aniversario hoje, 17.

PÍLULAS DO OUVIDOR A volta do prefeito Cícero Almeida ao Guia Eleitoral foi simplesmente bombástica. Uma resposta em tom de prestação de contas colocando sua administração no lugar certo. Discussão sobre a malha aérea no nordeste aconteceu com representantes da CTI-Nordeste e da Sudene. Espero que levem a sério isto que é um dos maiores entraves para o turismo de nossa região. O prefeito Cícero Almeida anunciou oficialmente o lançamento do edital de licitação do transporte coletivo de Maceió. Estará publicado no dia 24 e abertos os envelopes no dia 09 de novembro. Uma realidade. Dados da CNI afirmam que o excesso de burocracia prejudica a competitividade de 92% das indústrias brasileiras, eleva os custos, desvia recursos das atividades produtivas e atrapalha os investimentos. Dentro de pouco tempo, o novo Shopping Popular N. Sa. de Fátima receberá o Detran em suas instalações, somando-se à lotérica, aos Correios e à farmácia. Uma ajuda ao movimento que já é bom. Essa coisa de escuta em União dos Palmares, de explosão em emissora de rádio e outras coisitas mais estão fazendo aquela cidade voltar no tempo e no espaço para uma época de terrorismo político. Ei, gente, o século é o XXI. Sabem qual é a grande interrogação do momento? O STF já condenou dez réus dentre os acusados do chamado "mensalão". A sociedade quer saber se os condenados vão cumprir pena. Só isso!!! Que ano letivo mais louco com essa greve que deixou fora de aula tantos alunos da UFAL! Esperamos que, com o compromisso do governo em resolver o problema do presídio em Arapiraca, as aulas aqui voltem numa boa! Vejam a que ponto nós chegamos: um ladrão roubou as calotas do meu carro e meia hora depois em outro lugar me vendeu as mesmas calotas por 10 reais. Procurei um policial, não encontrei, comprei. Na loja eram 100 reais cada. Pois é, gente! Depois de uma longa e tenebrosa espera a nova EMATER está se vestindo e prometendo. Inês Pacheco (foto), sua presidente, esteve conosco no Bartpapo da TV Mar, explicando tudo timtim por timtim.

ABRAÇOS IMPRESSOS Meus abraços impressos e não impressos vão para a grande profissional de administração que é a querida amiga Mônica Suruagy. Quer conversar sobre gestão pública e privada, chame a Mônica.

"Hora é de aplicar na poupança e ter cuidado ao comprar carro" Economista desaconselha dólares e sugere investir em Letras do Tesouro Nacional Se sua renda estiver acima de seus gastos mensais, o que você deve fazer com a sobra? O economista Fábio Guedes, coordenador do curso de Ciências Econômicas da Ufal, responde a questão com excelentes dicas. Ele diz que aplicar na velha e segura caderneta de poupança continua sendo um bom negócio, mas lembra que outra opção rentável é inves-

tir em Letras do Tesouro Nacional. Em entrevista à repórter Luciana Martins, do PRIMEIRA EDIÇÃO, Guedes recomenda cuidado a quem deseja comprar um carro e adverte já não estamos mais no tempo em que comprar e estocar dólares era uma boa. O economista também afirma que os índicos de inflação coletados pelo IBGE são confiáveis. Luciana Martins

No atual momento econômico, quem tem sobra de orçamento deve aplicar onde? As opões mais vantajosas são em primeiro plano, a velha e conhecida caderneta de poupança, pois não paga taxas de administração e impostos, e, em segundo, uma opção interessante e segura são os títulos públicos federais, através do Tesouro Direto, principalmente as Letras Financeiras do Tesouro (LFT). Com a taxa oficial de juros (Selic) caindo, vale a pena aplicar em caderneta de poupança? A poupança continua mais atraente para o pequeno aplicador que não reúne uma soma muito grande de recursos para distribuí-los numa carteira de investimento (portfólio). Com a diminuição da taxa Selic para 7,5% ao ano, os antigos contratos de poupança, por exemplo, oferecem rendimento mensal de 0,50% ao mês, ou 6,17% ao ano mais TR. Em relação aos novos contratos, o ganho mensal fica em torno de 0,43% ao mês, o que significa 5,25% ao ano mais TR. Isso significa rendimentos líquidos, isentos de taxas e impostos, bem como acima da inflação.

Economista Fábio Guedes recomenda aplicar na caderneta de poupança e também em títulos do Tesouro Nacional

O que parece mais certo, para quem tem um bom capital: aplicar no sistema financeiro ou abrir um negócio? Mesmo com os juros caindo no país, eles ainda continuam entre os mais altos do mundo,

“Os títulos do Tesouro Nacional são também muito atraentes, principalmente pela sua elevada liquidez” Além da popular caderneta, o que há de atrativo (para aplicação) no mercado financeiro? Os títulos do Tesouro são também muito atraentes pela sua elevada liquidez, ou seja, aplicador não precisa esperar pelo final do tempo de resgate, porque todas as quartas-feiras ocorrem leilões de compra e venda de papéis pelo site do Tesouro Direto. Por exemplo, A LFT com vencimento em 2017 à venda atualmente apresenta uma rentabilidade bruta de cerca de 7,5% ao ano, fora os impostos e taxas de administração. O que deve preocupar os aplicadores desses títulos é escolher uma corretora que negocie esses títulos que tenham custos de administração mais baixos.

portanto convidativos às operações especulativas, ou seja, naquelas que se apostam seus recursos nos dividendos futuros do mercado financeiro. Realmente, abrir um negócio no país é muito difícil em razão da burocracia, alta carga tributária e, principalmente, é preciso muita audácia do candidato a empresário e perspicácia sobre onde está imobilizando seus recursos. Tornar-se empresário é ter um pouco de espírito animal, quer dizer, arriscar mais e partir para o ataque. Aqui em Alagoas, é vantagem investir em imóveis? Realmente, os imóveis têm se valorizado muito, principalmente na capital alagoana. Mas esse tipo de investimento não é

apenas para quem tem alguma sobra no orçamento doméstico, mas para quem reúne um capital já volumoso e que esteja pensando mais no médio e longo prazo, pois os imóveis não possuem a mesma liquidez que os ativos financeiros. Muita gente acha que comprando carro está fazendo um bom investimento. Isso é verdadeiro? Atualmente é um ledo engano, pois a oferta de veículo é muito grande e as formas de compra e financiamento muito mais fáceis. Portanto, em razão dessa situação, os veículos usados estão com preços muito reduzidos e os veículos novos sofrem uma desvalorização muito forte quando saem das lojas. Portanto, deve-se adquirir um veículo no momento quan-

Comprar dólar e estocar, pode dar um bom rendimento? Acredito que já se foi a época em que comprar dólares era um bom negócio. Com as crises internacionais e o grande fluxo dessa moeda para o Brasil, seja na forma de investimentos ou aplicações financeiras, há sempre uma tendência a desvalorização da moeda norte-americana e apreciação do real, para a infelicidade da indústria nacional e dos exportadores. O índice de inflação que o IBGE divulga mês a mês é confiável, ou o custo de vida, na realidade, sobe mais? É sim confiável. O IBGE é uma instituição séria e já testemunhei várias vezes alguns agentes da Instituição em vários locais, principalmente em su-

“Tornar-se empresário é ter um pouco de espírito animal, quer dizer, arriscar mais e partir para o ataque” do se precisa para uso próprio, então desaconselhável como um ato de investir recursos financeiros.

permercados, colhendo informações sobre os preços das mercadorias. Agora, é lógico que alguns preços sobem de repente e não são captados instantaneamente pelas pesquisas por vários motivos, como quebra de safras, problemas de logística e abastecimento etc. Eu ganho mais do que gasto. O que devo fazer com a sobra? Se tiver dívidas, liquidá-las ou amortizá-las. Se não tiver dívidas, fazer reservas para precaução contra eventualidades. Se já possuir reservas suficientes, colocar em aplicações mais arriscadas. Se já conta com uma boa carteira de aplicações, reservas e certo patrimônio, viajar e conhecer lugares são os melhores investimentos para a mente e a alma, de preferência ao lado de quem se gosta.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

Publicidade | A7


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

A8 | Nacional

fotos: Divulgação

Lula garante que nunca teve contatos com empresário Marcos Valério

Valério agora acusa o ex-presidente Lula de ser o chefe do Mensalão

> VEJA

Marcos Valério agora diz que Lula era o chefe do mensalão No Supremo Tribunal, empresário já foi condenado por uma série de crimes O empresário Marcos Valério está dizendo a interlocutores que o ex-presidente Lula (PT) era o "chefe" do mensalão, segundo reportagem da revista "Veja" desta semana. O STF (Supremo Tribunal Federal) já condenou Valério, considerado operador do mensalão, por lavagem de dinheiro, corrupção ativa e peculato (desvio de dinheiro) no processo do mensalão. Valério ainda precisa ser julgado por evasão de divisas. A revista informa que a re-

portagem foi feita com base em revelações de parentes, amigos e associados de Valério. "Não podem condenar apenas os mequetrefes. Só não sobrou para Lula porque eu, o Delúbio [Soares, ex-tesoureiro do PT] e o Zé [Dirceu, ex-ministro] não falamos", teria dito Valério em Belo Horizonte. Valério teria afirmado que o montante que abasteceu o mensalão foi muito maior que os R$ 55 milhões apontados pelo Ministério Público Federal. Segundo ele, R$ 350

milhões passaram pelo esquema. A entrada e saída de dinheiro estariam registradas num livro guardado a sete chaves por Delúbio. Ainda, de acordo com a revista, Valério teria afirmado que Lula seria o fiador das operações que abasteceram o esquema. E que Dirceu era o braço direito de Lula, "um braço que comandava". A contabilidade do esquema estaria sob responsabilidade de Delúbio. Segundo "Veja", Valério teria dito que Delúbio "tam-

bém definia os nomes dos políticos que deveriam receber os pagamentos determinados pela cúpula do PT, com o aval de Dirceu". O advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo, disse que não negaria nem confirmaria o teor das declarações publicadas pela revista "Veja". Ele negou que seu cliente tenha dado uma entrevista à revista. A reportagem não conseguiu falar com Lula para comentar a reportagem de "Veja".

> CARTÃO DE CRÉDITO

Mantega diz que bancos cobram taxas 'escorchantes' aos clientes SÃO PAULO - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que os bancos estão cobrando taxas "escorchantes" no cartão de crédito, que são injustificáveis. "Esses disparates têm de desaparecer", afirmou, em entrevista ao jornal 'O Estado de S. Paulo', na sexta-feira à tarde, em seu escritório em São Paulo. "Estamos preocupados com os cartões de crédito. E, se nós estamos, é bom que eles (os bancos) também se preocupem." Os spreads bancários se tornaram uma das principais brigas do governo Dilma Rousseff, que quer ver chegar ao consumidor o efeito do forte corte promovido na taxa Selic, utilizada como referência para os empréstimos no País. Normalmente comedido ao falar dos rumos da Selic, Mantega, dessa vez, foi categórico. "Não há necessidade de alta de juros", disse. O ministro está seguro de que os preços vão se manter sob controle no ano que vem, apesar da recuperação da economia e ao contrário do que projetam consultorias renomadas. Não só a crise global vai elevar a oferta de produtos internamente a preços baixos, diz o ministro, como também as medidas adotadas

Ministro Guido Mantega (Fazenda) propôs desonerar folha das empresas para reaquecer a economia nacional

pelo governo vão ajudar. Para o titular da Fazenda, a desoneração da folha de pagamentos, a redução do custo da energia e o corte de IPI para carros colaboram para manter os preços estáveis. "E também não pode levar em consideração choque de oferta", frisou, referindo-se ao aumento do preço dos grãos, provocado pela quebra da safra americana. "Não adianta elevar juro para diminuir preço nos Estados Unidos."

CÂMBIO Mantega também não mediu palavras para garantir que não permitirá que a injeção de liquidez promovida pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) impacte a moeda brasileira. "Nós não vamos deixar o real se valorizar." Ele negou que exista um "piso" para o dólar, que está há quatro meses acima de R$ 2, e repetiu que o câmbio é "flutuante", mas deixou clara sua prefe-

rência. "O câmbio vai continuar flutuante, mas nós esperamos que flutue mais para o lado oposto. Antigamente ele flutuava em uma direção. Agora, ou tem estabilidade ou vai flutuar na outra." O ministro reagiu com ironia às acusações dos Estados Unidos de que o Brasil tomou uma medida protecionista ao elevar os impostos de importação para 100 produtos. "Quem nos acusa? É cara de pau. É um dos que mais tomaram medidas protecionistas. Fizemos tudo dentro das regras da OMC (Organização Mundial de Comércio)". Mantega admitiu, no entanto, que o governo interferiu diretamente na negociação de preços entre os setores, ao elevar as alíquotas de produtos como aço, mas mandou um recado direto para as siderúrgicas que reajustarem preços. "Nós queremos que a indústria de aço continue prosperando no Brasil, Mas é muito simples. Se subir o preço, volto atrás e reduzo a zero a tarifa."


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012 Opinião - Diário Oficial dos Municípios - Social

> INEXPLICÁVEL

CRB não acerta o ABC e continua sem vencer Ganhando por 3x0 o Galo não resistiu e cedeu o empate aos 44 minutos da etapa final, Éderson marcou pela segunda vez Márcio Ândrei

Jogando diante da sua torcida no Estádio Rei Pelé, no último sábado, 15, o CRB tinha mais que a obrigação de vencer o ABC, 14º colocado com 28 pontos, para apagar as quatro derrotas consecutivas dentro de casa, além da última goleada por 4x1 para o Atlético-PR, em partida válida pela 24ª rodada, e iniciar uma reabilitação no Campeonato Brasileiro da Série B. Vencendo por 3x0 até os 32 minutos do segundo tempo, o Galo não soube administrar o resultado e, de forma inexplicável deixou o ABC empatar a partida. CRB 3x3 ABC. Para o time do ABC uma vitória ou até mesmo um empate eram bem vindos, como o time tinha na tabela de classificação 28 pontos, três a mais que o Guaratinguetá, primeiro colocado da lista de rebaixamento, 17º colocado, uma derrota deixaria a equipe mais próxima da zona da degola e, passava a se distanciar do CRB, adversário direto na luta contra o rebaixamento. Mesmo perdendo por 3x0 o ABC tinha consciência do que poderia ocasionar uma derrota, desta forma, com garra e determinação a equipe conseguiu heroicamente arrancar um empate com sabor de vitória. Os gols do CRB foram marcados por: Ricardinho, aos 25 do primeiro tempo, Paulo Victor aos 10 da segunda etapa e Ednei aos 24. Do outro lado o ABC chegou ao empate marcando todos os gols no segundo tempo com: Éderson, aos 33, Walter Minhoca, 39, e mais uma vez Éderson aos 44 do tempo final. Com outro decepcionante resultado dentro de casa, ao término do jogo o CRB continua sem vencer jogando em seus domínios, permanece na 16ª posição, agora com 28 pontos, apenas três da zona de rebaixamento, e vai encarar no próximo jogo o São Caetano, 4º colocado com 46 pontos, no Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano às 16h do dia 22 deste mês, pela 26ª rodada da competição. Já o ABC caiu uma posição, devido a vitória do Boa Esporte sobre o Ipatinga, 2x1, pula da 14ª para a 15ª posição e, agora com 29 pontos vai em busca de mais um resultado satisfatória, jogando em casa no próximo dia 21 às 21h contra o Guaraní, 11º com 35 pontos, também pela 26ª rodada do Cam-

peonato Brasileiro da Série B.

O JOGO Como já era de se esperar o CRB iniciou o jogo indo pra cima do ABC, mesmo assim, a partida era equilibrada com as duas equipes se estudando e querendo chegar ao caminho do gol. As equipes procuravam valorizar a posse de bola e buscavam oportunidades principalmente pelas laterais, porém, cometiam erros em troca de passes sem assustar os goleiros com as finalizações. O jogo era equilibrado, mas o ABC tinha um conteúdo melhor de jogo, a defesa trabalhava em harmonia com o time, o meio de campo armava com mais objetividade e o ataque buscava de fora da área abrir o placar. Já o CRB trabalhava meio desordenado, tentando chegar ao gol invadindo a área adversária. Aos 21 minutos o primeiro cartão amarelo saiu para o lateral regatiano Diego Aragão, após cometer falta dura evitando um contra-ataque do ABC. Mesmo com jogo equilibrado o Galo chegou ao primeiro gol quando o atacante Ricardinho avançou pela esquerda e foi derrubado na grande área pelo volante Serginho, que recebeu o segundo cartão amarelo do jogo, o próprio Ricardinho cobrou e abriu o placar aos 25. CRB 1x0 ABC

O CRB permanece na 16ª posição, agora com 28 pontos

Perdendo o jogo os visitantes tentaram uma reação, mas foram desarmados pela defesa do Galo que se defendia como podia tentando contra-ataques para ampliar o marcador. Como as duas equipes não produziam com eficiência as chances eram remotas sem perigo aos goleiros. O primeiro tempo terminou assim: CRB 1X0 ABC, apesar da vitória o time regatiano saiu de campo sem convencer a torcida,

O CRB abriu o placar com gol de pênalti marcado por Ricardinho, mas na segunda etapa permitiu o empate do ABC

já o ABC merecia ao menos um empate por apresentar melhor objetividade em campo.

2ª ETAPA As equipes voltaram ao segundo tempo efetuando modificações, no CRB o meia Diego Palhinha, cansado, cedeu lugar para o outro meia Paulo Victor. O ABC resolveu apostar no lateralesquerdo Renatinho no lugar do outro lateral-esquerdo Airton. Com 1x0 no placar o Galo voltou disposto a ampliar o marcador, mas era esbarrado na defesa adversário que aos poucos foi melhorando na partida voltando a equilibrar o jogo. Aos nove minutos o ABC voltou a mexer na equipe ao trocar o meia Cascata por outro meia, Raul, para melhorar as investidas da equipe e chegar o empate, mas, a intenção do adversário recebeu "um balde de água fria" aos 10 minutos, após uma jogada de Ricardinho pela esquerda que deixou Paulo Victor, livre de marcação, ampliar o placar . CRB 2x0 ABC. Perdendo por dois gols o técnico do ABC, Ademir Fonseca, fez a última substituição, aos 20 minutos, tirando o lateral direito Ivan para a entrada do atacante Diego Clementino e, mais uma vez a intenção de melhora foi esfriada com "outro balde de água fria" aos 24 minutos com o gol do zagueiro Ednei. CRB 3x0 ABC.

Com 3x0 no placar e praticamente assegurada uma vitória dentro de casa, o CRB resolveu mudar mais uma vez, tirando o meia Luciano para a entrada do lateral-esquerdo Rafinha. Como as substituições resultaram em gols do lado do ABC, no CRB Não foi diferente, para o desespera do torcedor regatiano o Galo começou a ceder o empate com a subida de produção do ABC. Aos 26 mais um cartão amarelo saiu na partida, desta vez foi para o atacante alvinegro Adriano Pardal por cometer falta dura na intermediária. A advertência não esfriou os ânimos dos visitantes, até que, aos 33 minutos o atacante Diego Clementino foi lançado pela esquerda, fintou o zagueiro e cruzou rasteiro para Éderson iniciar a reação. CRB 3x1 ABC. Para esfriar a partida o técnico Pintado resolveu substituir o atacante Aloísio Chulapa, aos 34 minutos, pelo também atacante Carlinhos Bala. Por demorar a sair de campo Chulapa foi punido com cartão amarelo. Com 3x1 no placar o ABC criou ânimo e partiu em busca do empate, após cruzamento da direita a zaga do Galo afastou parcialmente a bola que sobrou para Walter Minhoca "cavar" o gol regatiano. CRB 3x2 ABC. Para enterrar o CRB em uma crise que parece não ter fim, o ABC chegou ao empate após

uma cobrança de falta pela direita, onde Raul cruzou para o atacante Éderson marcar o segunda dele e dar números finais ao jogo, aos 44 minutos, empatando a partida. CRB 3x3 ABC. Para quem imaginava que o contratempo do CRB, no jogo, teria chegado ao fim com o ini-

“...até gol de minhoca o CRB leva!”

maginável empate, a situação ficou pior com a expulsão do volante Marcinho Guerreiro, aos 47 minutos, por receber dois cartões amarelos no mesmo lance, devido a reclamação, com isso, o Galo vai entrar em campo, "outra vez, novamente, de novo", sem repetir o mesmo time, agravado com a expulsão de Marcinho Guerreiro.

REVOLTA Com 44 gols sofridos, quatro a menos que o lanterna da competição Grêmio Barueri, o CRB decepcionou o torcedor que compareceu em pequeno número ao Estádio Rei Pelé. Vencendo

com três gols de diferença até os 32 minutos do segundo tempo e, deixando o adversário empatar, os torcedores não perdoaram e menosprezaram a equipe do Galo formando frases irônicas, como demonstrativo de revolta devido à ineficiência do time. Tendo o intuito de ajudar a equipe a sair da incômoda situação em que se encontra, fieis torcedores regatianos compareceram para jogar com o CRB. Acreditando em uma reabilitação para afastar de vez o fantasma do rebaixamento, o torcedor mais uma vez saiu de campo decepcionado com o inadmissível resultado. O apito final fez com que a revolta ampliasse de forma geral nas grandes arquibancadas do Rei Pelé, inúmeras frases irônicas foram salientadas como uma forma de protesto pela má atuação, entre elas, a citação que chamou a atenção e gerou gargalhadas entre os torcedores, foi em relação ao segundo gol do ABC, marcado por Walter Minhoca, onde a torcida não perdoou. "Time ruim, bando de perna de pau, até gol de minhoca o CRB leva !", destacaram os torcedores.

CONTRATAÇÕES Ciente da necessidade em contratar jogadores com urgência para o restante da competição, o presidente do CRB, Marcos Barbosa, anunciou momentos antes da partida contra o ABC, a contratação do lateraldireito Ângelo, que chega para ocupar a lacuna existente com a saída de Elsinho. O novo lateral do Galo tem 28 anos com passagem em clubes importantes como: ADAPPR, Paraná, Al-Saad (Qatar), Internacional, Cruzeiro, Náutico, Coritiba, Grêmio Barueri e, por último o Joinville, onde não vinha sendo aproveitado. Em relação a Jucemar Gaúcho ex-CSA, o volante que foi contratado na última quintafeira, 13, iniciará ainda esta semana trabalhos visando o jogo contra o São Caetano, no próximo sábado em São Paulo. O presidente Marcos Barbosa deixou claro que ainda nesta semana, novos nomes irão surgir para reforçar a equipe, nomes estes que vão chegar ao CRB em plena atividade para ficar à disposição da comissão técnica.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

B2 | Esportes

> SÉRIE B

ASA não resiste e perde para o Criciúma Reabilitação fica para a 26ª rodada contra o América-RN, artilheiro Lúcio Maranhão desfalcará o Alvinegro fora de casa Divulgação

Ocupando a 13ª colocação com 30 pontos no Campeonato Brasileiro da Série B, o ASA que vinha de uma excelente vitória em cima do Joinville aos 45 minutos do segundo tempo, jogando diante da sua torcida pela 24ª rodada, tinha pela frente o Criciúma, vice-líder com 46 pontos, onde iria tentar uma nova vitória - desta vez no Estádio Heriberto Hülse em Criciúma - ou no mínimo um empate para continuar se distanciando da zona de rebaixamento. Com gols de Eric, ex-ASA que abriu o placar aos dois minutos do segundo tempo, e Lucca aos 30 minutos finais, o ASA jogou bem, mas terminou perdendo por dois tempos a um. André Nunes descontou para o Gigante aos 40 minutos da partida. Jogando em casa e precisando se reabilitar da derrota sofrida pelo Goiás, 1x0 no Estádio Serra Dourada em Goiânia, o Criciúma não tinha alternativa a não ser uma vitória para continuar na vice-liderança da competição. Seguido de perto por Goiás, Atlético-PR e São Caetano, que ocupavam a 3ª, 4ª e 5ª posições com 46 e 43 pontos respectivamente, uma derrota po-

PRÓXIMO JOGO: ARTILHEIRO NÃO JOGA Como se não bastasse a derrota para o Criciúma, o ASA não vai pode contar com seu artilheiro, Lúcio Maranhão, para o próximo compromisso do Campeonato Brasileiro da Série B, contra o América-RN em Arapiraca no próximo sábado, 22, diante da sua torcida. Após receber o terceiro cartão amarelo, o artilheiro

Resultados / Série B 14/09 14/09 14/09 14/09 14/09 15/09 15/09 15/09 15/09 15/09

Criciúma-SC Paraná-PR América-RN Guaratinguetá-SP América-MG CRB-AL Goiás-GO Ceará-CE Guarani-SP Boa Esporte-MG

Arquivo / Márcio Ândrei

deria deixar o time fora do G4. O Criciúma teve dificuldades para conseguir o resultado positivo. Com determinação e objetividade, principalmente nos primeiros minutos da segunda etapa, a equipe fez o dever de casa. 2x1. Com o resultado o ASA caiu da 13ª para a 14ª posição com 30 pontos e, volta a jogar em Alagoas no Estádio Coaracy da Mata Fonseca em Arapiraca, às 21h do sábado, 22, contra o AméricaRN pela 26º rodada da competição. O Criciúma continua na vice-liderança, agora com 49 pontos, onde vai tentar um novo resultado positivo, desta vez contra o Ipantinga-MG, no Estádio Ipatingão, em Ipatinga, também no sábado, 22, porém às 16h.

2x1 1x1 0x2 2x0 1x0 3x3 3x2 4x3 0x0 2x1

Com a vitória o Criciúma permanece na vice-liderança, agora com 49 pontos

alvinegro terá de cumprir suspensão e, só volta a atuar na 27ª rodada, no dia 25 deste mês às 19h30, contra o ABC na casa do adversário. Lúcio Maranhão que ocupa a segunda posição na artilharia da Serie B, com 13 gols, sete a menos que o artilheiro Zé Carlos do Criciúma, busca ampliar a marca para assumir a artilharia da competição. Após uma dividida

com o jogador do Criciúma, Maranhão foi advertido com cartão amarelo acumulando na súmula o terceiro. "Fui dividir uma bola de forma normal, mas o árbitro entendeu que eu fiz falta pra cartão, recebi e infelizmente estou fora da próxima partida. Agora é torcer pelos companheiros, ainda tem muitas rodadas pela frente para eu voltar a marcar", disse Lúcio Maranhão.

Próximos jogos / Série B ASA-AL Grêmio Barueri-SP São Caetano-SP Bragantino-SP Avaí-SC ABC-RN Atlético-PR Joinville-SC Vitória-BA Ipatinga-MG

18/09 - 21h00 21/09 - 19h30 21/09 - 21h00 21/09 - 21h00 22/09 - 15h00 22/09 - 16h00 22/09 - 16h00 22/09 - 16h00 22/09 - 16h00 22/09 - 21h00

Bragantino-SP Avaí-SC Joinville-SC ABC-RN Atlético-PR Vitória-BA Ipatinga-MG Grêmio Barueri-SP São Caetano-SP ASA-AL

x x x x x x x x x x

América-MG Guaratinguetá-SP Paraná-PR Guarani-SP Ceará-CE Goiás-GO Criciúma-SC Boa Esporte-MG CRB-AL América-RN

O artilheiro Lúcio Maranhão fica fora da próxima partida contra o América-RN

Classificação / Série B 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Vitória-BA Criciúma-SC Goiás-GO São Caetano-SP Atlético-PR Joinville-SC Ceará-CE América-MG Avaí-SC América-RN Guarani-SP Paraná-PR Boa Esporte-MG ASA-AL ABC-RN CRB-AL Guaratinguetá-SP Bragantino-SP Ipatinga-MG Grêmio Barueri-SP

P 54 49 49 46 43 41 41 40 37 36 35 32 31 30 29 28 25 18 16 14

J 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25

V 16 15 14 13 13 12 11 12 11 10 9 8 8 9 7 8 7 4 4 3

E 6 4 7 7 4 5 8 4 4 6 8 8 7 3 8 4 4 6 4 5

D 3 6 4 5 8 8 6 9 10 9 8 9 10 13 10 13 14 15 17 17

GP 44 52 41 37 39 38 41 37 29 38 27 31 36 33 33 29 27 25 21 18

SG 19 11 16 13 16 14 7 6 1 4 4 0 -1 -1 -1 -15 -15 -18 -30 -30

GS 25 41 25 24 23 24 34 31 28 34 23 31 37 34 34 44 42 43 51 48

> SÉRIE A

Fluminense perde, mas continua liderando Divulgação

O apagão que atrasou o início da partida em cerca de 15 minutos parecia prever o que aconteceria com o Fluminense no primeiro tempo do duelo contra o Atlético-GO, no sábado, 15, em Volta Redonda. Assim como no jogo com a Portuguesa, na última quarta-feira, o time mais uma vez não se encontrou em campo na metade inicial do confronto. Desta vez, porém, o adversário não perdoou, aproveitou as chances que teve e decretou a segunda derrota do tricolor no Campeonato Brasileiro. Diego Giaretta, de falta, e Reniê marcaram os gols da vitória goianiense por 2 a 1; Michael descontou para os cariocas. A diferença de 36 pontos que separava os times antes do jogo foi totalmente esquecida pelo Atlético-GO assim que a bola rolou. Sem se intimidar diante do primeiro colocado na tabela, o time visitante dominou as primeiras ações da partida e não demorou para passar a vantagem do campo para o placar. Aos 17min, em jogada ensaiada

Mesmo perdendo o Fluminense continua líder da Série A com 53 pontos

de cobrança de falta, Diego Giaretta soltou uma bomba no ângulo esquerdo de Cavalieri, que não impediu o primeiro gol da partida. Tranquilo com a superioridade no marcador, o Atlético controlava o jogo, trocava passes e aproveitava o primeiro tempo muito ruim do Fluminense. Nervoso, o time carioca ainda sofreu o segundo gol e viu a si-

tuação se complicar antes mesmo do intervalo. Aos 41m, em escanteio pela direita, Marcos cruzou alto e Reniê, da entrada da área, tocou de cabeça encobrindo o goleiro Diego Cavalieri e aumentando a vantagem no placar. Na segunda etapa, ao insistir, o tricolor diminuiu aos 18 minutos com Michael fazendo Atlético-GO 2 x 1 Fluminense.

Galo não aproveita chance e deixa liderança com Fluminense Beneficiado pela derrota do Fluminense para o lanterna Atlético-GO, por 2 a 1, no sábado, 15, o Atlético-MG entrou em campo neste domingo dependendo apenas dele para reassumir a liderança do Campeonato Brasileiro, mas não aproveitou a chance. O time mineiro foi derrotado pelo Náutico, por 1 a 0, no estádio dos Aflitos, no Recife, e permaneceu como vicelíder do Campeonato Brasileiro,

atrás do tricolor carioca. A equipe pernambucana encerrou sequência negativa de quatro jogos sem vencer na competição. Com a derrota, a terceira no Brasileiro, o Atlético permaneceu com 51 pontos, dois a menos que o Fluminense, que se manteve na liderança da competição. O time mineiro, que tem um jogo a menos por causa do confronto adiado com o Flamengo,

desperdiçou a oportunidade de abrir um ponto do tricolor carioca e se isolar na ponta. O Náutico, que vinha de três derrotas e um empate, reagiu na competição e subiu três posições na tabela. O time pernambucano assumiu o 11º lugar com 31 pontos. Foi a primeira vitória da equipe em setembro. O último triunfo havia sido em 29 de agosto, sobre o Figueirense, por 3 a 2.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

Esportes |B3

> BRASILEIRÃO

Corinthians afunda o Palmeiras e amplia a crise no Verdão Romarinho e Paulinho foram os carrascos Divulgação

O Palmeiras bem que tentou, mas ficou na marcação acirrada do Timão

rense, em Santa Catarina. O Corinthians, mais perto da pontuação para poder pensar só no Mundial, joga no próximo domingo contra o Botafogo, no Rio de Janeiro.

Romarinho e Paulinho fizeram os gols das duas vitórias do Corinthians sobre o Palmeiras neste ano até este fim de semana. E ratificaram suas condições de carrasco neste domingo, no Pacaembu. O atacante e o volante garantiram uma vitória por 2 a 0 que deixa o arquirrival ainda mais perto de disputar a Série B do Brasileiro em 2013. Dominado por sua tensão, representada por brigas nas arquibancadas, o Verdão levou gol de Romarinho aos 21 minutos do primeiro tempo - o atacante já havia feito os dois do triunfo alvinegro por 2 a 1 no primeiro turno do Brasileiro. O Derby ficou ainda mais complicado para o Verdão quando Luan foi expulso aos 25 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, Paulinho, que fez gol no triunfo por 2 a 1 na primeira fase do Paulista, deixou sua marca aos oito minutos. A partir daí, o único momento de alegria para o palmeirense foi em vão com um gol anulado de Valdivia aos 43 minutos do segundo tempo. O Palmeiras só não está em último lugar na liga nacional porque tem mais vitórias do que o Atlético-GO, e tenta se recuperar no sábado, diante do Figuei-

O JOGO Quem mais necessitava da vitória era o Palmeiras. Mesmo assim, Narciso escalou três volantes, mas em poucos minutos mostrou a razão de sua estratégia. Sem Thiago Heleno, machucado, recuou Henrique e tornou Correa quase um terceiro zagueiro para ajudar na saída de bola, sempre auxiliado por Marcos Assunção. Com esse posicionamento, a equipe tinha Artur e Juninho como alas e João Vitor se mexendo para facilitar a chegada da bola a Valdivia e, do chileno, para Luan e Barcos. O foco inicial era Guilherme Andrade: por cinco minutos, o Verdão explorou o lado da defesa do lateral direito do Corinthians. Do outro lado, porém, mais do que qualquer tática, Tite tinha um trunfo decisivo: tranquilidade. À frente de um time mais calmo, rapidamente ajustou a marcação para proteger melhor Guilherme Andrade. A tática deu certo e venceu a partida.

Resultados / Série A 15/09 15/09 16/09 16/09 16/09 16/09 16/09 16/09 16/09 16/09

Fluminense São Paulo Náutico Cruzeiro Palmeiras Bahia Coritiba Ponte Preta Flamengo Internacional

1x2 3x1 1x0 1x1 0x2 2x1 1x2 0x0 1x1 2x2

Atlético-GO Portuguesa Atlético-MG Vasco da Gama Corinthians Figueirense Santos Botafogo Grêmio Sport-PE

Próximos jogos / Série A 22/09 - 18h30 22/09 - 18h30 22/09 - 21h00 23/09 - 16h00 23/09 - 16h00 23/09 - 16h00 23/09 - 16h00 23/09 - 18h30 23/09 - 18h30 23/09 - 18h30

Figueirense Fluminense Santos Atlético-GO Ponte Preta São Paulo Botafogo Sport-PE Atlético-MG Internacional

x x x x x x x x x x

Palmeiras Náutico Portuguesa Flamengo Vasco da Gama Cruzeiro Corinthians Coritiba Grêmio Bahia

Classificação / Série A 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Fluminense Atlético-MG Grêmio Vasco da Gama São Paulo Botafogo Internacional Cruzeiro Corinthians Santos Ponte Preta Náutico Bahia Portuguesa Coritiba Flamengo Sport-PE Figueirense Palmeiras Atlético-GO

P 53 51 48 43 39 39 37 35 35 33 33 31 31 29 28 28 24 22 20 20

J 25 24 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 25 24 25 25 25 25

V 15 15 15 12 12 11 9 10 9 8 8 9 7 7 8 7 5 5 5 4

E 8 6 3 7 3 6 10 5 8 9 9 4 10 8 4 7 9 7 5 8

D 2 3 7 6 10 8 6 10 8 8 8 12 8 10 13 10 11 13 15 13

GP 41 39 37 32 37 39 30 32 28 30 30 30 26 25 38 24 22 28 22 26

GS 17 17 21 26 28 31 22 35 24 32 32 40 27 29 45 34 35 42 35 44

SG 24 22 16 6 9 8 8 -3 4 -2 -2 -10 -1 -4 -7 -10 -13 -14 -13 -18


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

B4 | Esportes

> PREPARAÇÃO

Seleção enfrenta Argentina nesta 4ª feira Após convocar Luís Fabiano, Mano Menezes diz que Brasil está no caminho certo para disputar Copa de 2014 com boas chances fotos: Divulgação

A Seleção Brasileira enfrenta a Argentina nesta quarta-feira (19), às 22 horas, no Serra Dourada, em Goiânia. O jogo é o primeiro do Superclássico das Américas de 2012. No dia 3 de outubro, a partida será em Resistencia, na Argentina. A apresentação para o primeiro jogo será nesta segundafeira (17), às 12 horas, no Mercure Goiânia Hotel, onde a delegação brasileira ficará concentrada. Em Goiânia, a Seleção fará dois treinos, nos dias 17 e 18, às 17 horas, no Estádio Serra Dourada. O atendimento à imprensa, nos dois dias, será antes do treinamento. Em 2011, o Brasil ficou com o título da competição. A primeira partida, na Argentina, terminou em 0 a 0. Na volta, em Belém, a Seleção venceu por 2 a 0. GANSO O técnico Mano Menezes disse que o meia Ganso, do Santos, precisa "resolver sua vida" logo para, então, voltar à equipe nacional. Paulo Henrique Ganso disputou os Jogos Olímpicos de Londres e, em seguida, foi cortado do amistoso contra a Suécia. Também ficou fora da convocação para os duelos contra África do Sul, na sexta em São Paulo, e China. "Disse a ele depois da Olimpíada que precisava resolver a vida dele. Que [ele] ficasse no Santos ou que tomasse uma decisão que o deixasse totalmente focado em jogar futebol", disse Mano Menezes. A convocação de Mano Me-

parte da comemoração dos 150 anos da federação local. Outra partida, sem data marcada, mas prevista para junho, deve ser agendada para o Rio de Janeiro --não a indicação se será no Engenhão ou no Maracanã, que até lá já deverá estar com as obras finalizadas. "Como a nação mais bem sucedida no futebol, com grandes jogadores e torcedores, será fantástico duelar contra esse adversário em um ano tão importante", disse Adrian Bevington, portavoz da federação inglesa. Neste ano, a seleção brasileira ainda enfrenta a Argentina (duas vezes) e o Japão.

ADVERSÁRIOS

Mano Menezes convocou Luís Fabiano para os amistosos com a Argentina e disse que Paulo Henrique Ganso só volta quando resolver “seus problemas”

nezes para os jogos contra a Argentina reabriu a disputa pelo posto de centroavante da seleção brasileira. As partidas entre os selecionados locais dos dois países serão disputadas na próxima quarta-feira, em Goiânia, e no dia 3 de outubro, em Resistencia, na Argentina. LUÍS FABIANO O técnico chamou Luis Fabiano, 31, pela primeira vez desde que assumiu a equipe. Até então, a briga pela camisa 9 parecia restrita a Alexandre Pato e a Leandro Damião. Fred,

que chegou a ser convocado com frequência, foi outra vez descartado. O treinador negou que o atacante do Fluminense esteja vetado por causa de suas recentes declarações. "Enquanto Mano estiver lá, não crio expectativas. Ele não gosta do meu trabalho", disse. Para o treinador, "as manifestações de Fred foram respeitosas". "É um jogador de personalidade, e eu os procuro, porque isso ajuda dentro do campo. Não quero bonzinhos na seleção, até porque minha filha já se casou".

Mano disse que a escolha de Luis Fabiano se deu porque o atacante do São Paulo tem "mais variações de posicionamento" e que já conta com Leandro Damião como um jogador mais fixo na área. A nova disputa pela posição ocorre num momento em que o técnico estuda escalar seu time sem centroavante. Foi assim contra a China, na segunda-feira, em Recife. E também contra o México, há quase um ano, em Torréon. Nos dois jogos, Mano armou um time quase num 4-2-4. Na vitória por 2 a 1 sobre o

México, a última linha tinha Ronaldinho, Lucas, Neymar e Hulk. Ante a China, teve Oscar em vez de Ronaldinho. "Precisamos testar essa formação contra adversários de outras características também", disse o treinador.

INGLATERRA A federação inglesa utilizou uma imagem do atacante Neymar para divulgar nesta quartafeira um amistoso contra a seleção brasileira em 6 de fevereiro de 2013, em Wembley. Em nota oficial, a seleção inglesa justifica o encontro como

A menos de dois anos para a Copa-2014, resta para a seleção brasileira usar jogos amistosos para se preparar para a Copa das Confederações, em 2013, e o Mundial. A CBF, porém, admite que não tem o poder de escolher os adversários da seleção. A marcação dos jogos precisa passar pelo crivo da ISE, empresa árabe que tem contrato com a entidade até 2022. "Eu sou o maior interessado em que a seleção enfrente seleções fortes. Eu quero jogar contra seleções grandes. Mas não depende só de mim", afirmou à Folha o presidente da CBF, José Maria Marin. "Se algum país se oferece para jogar com a seleção brasileira, eu posso até falar que quero, mas tem que passar pela empresa árabe [International Sports Events], que define os jogos da seleção."

> LOTERIA

Um apostador do Rio de Janeiro ganha sozinho prêmio da Mega Um apostador do Rio de Janeiro acertou as seis dezenas do concurso 1.425 da MegaSena, sorteadas na noite de sábado (15) em Diamantina (MG), e levou sozinho a quantia de R$ 17.534.538,97. Os números sorteados foram: 07 - 16 - 29 - 36 - 38 - 50. Ao todo, 82 apostadores acertaram a quina e levarão a quantia de R$ 27.866,19 cada. Outros 6.460 acertaram a quadra e vão levar R$ 505,31 cada uma, de acordo com a Caixa Econômica Federal. O próximo sorteio acontece na quarta-feira (19), e a estimativa de prêmio é de R$ 2 milhões. As apostas podem ser feitas até as 19h do dia do sorteio em qualquer lotérica do país e custam a partir de R$ 2.00. A Caixa Econômica Federal

Acertar na Mega-Sena é hoje o grande sonho da maioria dos brasileiros

quer abrir até o fim deste ano lotéricas em cerca de 300 municípios. Nessas localidades, nenhuma loja foi inaugurada até

hoje. A meta coincide com o aniversário de 50 anos das loterias da Caixa, comemorados neste sábado (15).

> ESTÁDIO

Maracanã será o mais moderno A reforma no estádio do Maracanã, que será sede da final da Copa do Mundo de 2014, ficará pronta até dezembro de 2012. Foi o que garantiu o subsecretário da Casa Civil do Rio de Janeiro, César Mastrangelo, durante audiência pública realizada nesta quarta-

feira (8) pela Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Segundo o subsecretário, o Maracanã será o estádio mais moderno do mundo. - Nós encaramos a Copa do Mundo como uma gran-

de oportunidade para o estado do Rio de Janeiro de grandes projetos estarem em ação. A determinação do governador Sérgio Cabral é colocar o Maracanã como o estádio mais moderno do mundo e nós vamos fazer isso – afirmou.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

Opinião |B5

Foto da semana

Editorial

A Igreja e a política O assunto poderia ser considerado 'questão interna' da Igreja Católica, mas não é: eleição, processo político-partidário, é assunto da população e, por isso, também envolve as instituições religiosas. Há muitos anos a cúpula da Igreja Católica decidiu proibir a participação de padres em eleições populares por entender que não se deve misturar religião com política. A posição é questionável. Primeiro, porque uma parcela considerável da população brasileira não tem o devido preparo para entender o processo político e, por conseguinte, para votar de forma consciente e esclarecida. Segundo, porque a Igreja - qualquer que seja sua vertente - não pode cuidar apenas das questões espirituais dos fiéis, cabendolhe, dentro de seus limites, atuar também no terreno material. Hoje, existe no Congresso Nacional uma 'bancada evangélica' formada por deputados e senadores de várias igrejas, e que tem marcado posições se postando contra a aprovação de projetos contrários ao interesse comum, como a liberação do aborto e a descriminalização das drogas. Portanto, nada mais natural do que perguntar por que os religiosos católicos não podem - ou não devem - participar de eleições, conquistar mandatos e, como seus irmãos de outras igrejas, representar o povo defendendo seus interesses mais legítimos? No passado, o célebre padre Arruda Câmara, como deputado federal, conseguiu retardar em anos a aprovação do divórcio no Brasil. Foi ou não uma atuação válida para a Igreja e para o País? Então, por que não liberar os sacerdotes permitindo-lhes a participação no processo eleitoral em nome da sociedade? Eis um tema greve, relevante, que precisa ser discutido no âmbito da Igreja Católica.

Brasil turbina gastos com o social O Instituto de Pesquisa Eco- 1,07% de 1995 a 2010. Em nômica Aplicada, o IPEA, 2010 foi o primeiro ano em acaba de traduzir em núme- que os gastos nessa área ulros a percepção coletiva so- trapassaram 1% do Produto bre os avanços sociais brasi- Interno Bruto. Na avaliação leiros nos últimos anos. Se- do Ipea, programas de transgundo o IPEA, os gastos do ferência de renda - como o governo federal na área so- Bolsa Família - contribuíram cial cresceram de R$ 234 bil- para a alta expressiva. hões para R$ 638,5 bilhões No caso da Educação, em em 16 anos. Um incremento 1995 os investimentos corde 172%, descontada a infla- respondiam a 0,95% do PIB e, há dois anos, chegaram a ção do período. O estudo registrou os de- 1,11%. Já as despesas com sembolsos governamentais habitação e urbanismo no entre 1995 e 2010. Em ter- período passaram de 0,11% mos de Produto Interno Bru- do Produto Interno Bruto to -, o valor passou de para 0,81%. 11,24% a 15,54% do PIB. Os De acordo com os economisgastos sociais incluem des- tas do IPEA os destaques fopesas com a Previdência So- ram o aumento dos investicial, Saúde, Educação, Assis- mentos em infraestrutura tência Social, Trabalho e Ren- representados pela área de da, Desenvolvimento Agrá- habitação e urbanismo - e a rio, Habitação e Urbanismo, recuperação do poder de Alimentação e Nutrição (in- gasto com a educação. Encluindo merenda escolar), tre as áreas que não foram prioritárias no Saneamento investimento Básico e Culdestacam-se tura, além de “Programas como os benefícios benefícios a o Bolsa Família a servidores servidores públicos. contribuiram com públicos. Em valores moneOs principais a alta dos investi- tários, os gasresponsáveis mentos na área tos cresceram pelo aumento de R$ 51,5 bidos gastos de social” lhões para R$ 1995 a 2010 93,1 bilhões, foram Previmas a particidência, Assistência Social, Educação e pação no PIB ficou praticaHabitação e o Urbanismo. mente estável, passando de Na área urbana o crescimen- 2,46% a 2,26%. to dos investimentos se con- Os gastos com saúde permacentrou a partir de 2008, re- neceram estáveis em relação flexo direto de programas ao Produto Interno Bruto. Minha Casa, Minha Vida e o Embora tenham subido de R$ 37,3 bilhões a R$ 68,6 biPAC. Já os dispêndios com a Pre- lhões de 1995 a 2010, resvidência, tradicionalmente a ponderam pela mesma parmaior consumidora de recur- cela do PIB. O percentual sos, saltaram de 4,98% para passou de 1,79% a 1,68% no 7,38% do PIB em 16 anos. período. Este, certamente, é Em valores absolutos, subi- um dado que precisa avanram de R$ 103,7 bilhões pa- çar nos próximos anos. ra R$ 303,5 bilhões. Segundo o Ipea, os recursos destinados à assistência social deRenan Calheiros monstraram uma trajetória É líder da bancada do PMDB no Senado de elevação contínua, passando de 0,08% do PIB para

Inaugurado com pompa e circunstância, o Shopping Popular, no Centro de Maceió, está parcialmente desocupado por falta de interesse dos camelôs

Melhoria contínua é o caminho para soluções mais sustentáveis A sustentabilidade pode ser entendida como uma ciência em constante evolução, longe de ser um conceito estático ou que sustente a afirmação: "Somos uma organização sustentável". No entanto, outra afirmação tem se tornado regra: as empresas que adotam melhores práticas de gestão estão à frente de outras que não o fazem. Estas últimas, por sua vez, poderão até ser extintas mais rapidamente do mercado. Para entender a constante evolução dessa nova ciência e, consequentemente, saber qual a melhor "régua" para medi-la, é preciso utilizar ferramentas de gestão para avaliar e planejar a evolução da sustentabilidade, tendo em vista que o processo de melhoria contínua nunca se interrompe ao longo da cadeia produtiva. Sempre será necessário produzir, mas sempre será possível inovar e melhorar a sustentabilidade dos produtos, serviços e processos. Todo produto ou processo que já é considerado bom pode ainda ser aperfeiçoado. Uma das alternativas para isto é a ruptura da fronteira tecnológica por meio da inovação, da gestão do conhecimento e dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento. O surgimento dos motores bicombustíveis é um bom exemplo desta ruptura tecnológica. A próxima ruptura, talvez seja a introdução em grande escala dos veículos elétricos. Ferramentas de medição da sustentabilidade do berço ao túmulo, baseadas na Análise do Ciclo de Vida (ACV), é que devem nortear os processos de melhoria contínua em busca de soluções mais sustentáveis. A ecoeficiência, ferramenta de gestão para medir e avaliar a sustentabilidade é

uma das soluções que pode auxiliar empresas a compreender, enriquecer e gerenciar produtos e processos produtivos. De acordo com o World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), a ecoeficiência é atingida quando os produtos e serviços trazem qualidade de vida para as pessoas, atendendo às necessidades individuais a preços competitivos e com menores impactos ambientais. Além disso, para um produto ou processo ser considerado

“Sempre será necessário produzir mais, mas sempre será possível melhorar e inovar produtos e serviços” mais ecoeficiente, é necessário que respeite a capacidade e os limites de produção de recursos do planeta Terra, produzindo o suficiente para atender às necessidades humanas e, ao mesmo tempo, garantir a possibilidade do desenvolvimento das gerações futuras, por meio do uso de recursos de fontes renováveis. Outro aspecto importante tem sido a evolução das próprias ferramentas de gestão, que estão mais completas a cada dia. Assim, surgiu a socioecoeficiência, ferramenta de gestão que inclui a análise de indicadores sociais, além

dos indicadores ambientais e econômicos, já considerados na análise de ecoeficiência. A revista MIT Sloan Management Review (http://sloanreview.mit.edu), da Sloan, conceituada escola norte-americana de gestão integrada ao Massachusetts Institute of Technology (MIT), publicou em 2011, em parceria com a Boston Consulting Group, pesquisa baseada em três mil entrevistas feitas com líderes de empresas globais. De acordo com o estudo, em 2009, apenas 25% dos entrevistados afirmaram que suas iniciativas em sustentabilidade estavam em crescimento. Já em 2010, este número pulou para 59%, com perspectivas de crescimento para 70% em 2011. Tal pesquisa aponta que o nível de investimentos das organizações em suas plataformas de sustentabilidade tem aumentado gradativamente e que não é apenas um modismo. Ou seja, é uma ciência em evolução, com boas perspectivas de crescimento, pois contribui para a excelência operacional nas empresas. No entanto, será efetivamente alcançada apenas quando não for mais vista apenas "como algo desejável para o bem do planeta" e que "só contribui para aumentar o preço dos produtos e serviços para os consumidores". Aliás, se um projeto em prol da sustentabilidade gerar aumento de custo, certamente ele não pode ser considerado sustentável, destacando aqui que "preço" é algo bem diferente de "custo ao longo do ciclo de vida". Roberto Araújo É diretor-presidente da Fundação Espaço ECO

Reféns do fanatismo É invejável o fervor religioso dos principais candidatos a prefeito de São Paulo. Esses homens pios, indulgentes e generosos causam boa impressão. Juntos, formam uma seleta santidade nesta pecaminosa e desregrada terra Brasilis. Haja santidade, caros leitores. Haja beija-mão a bispos, pastores, ao clérigo em geral. Um dos candidatos é católico fervoroso e autor de dezenas de livros de autoajuda. Outro tem laços estreitos com uma poderosa igreja neopentecostal. E tudo leva a crer que esse candidato usa o templo e a estrutura dessa igreja. O ideal seria agradar a todos os fiéis num espetacular ato ecumênico. Deus lhes agradeceria, indistintamente. Mas não é bem assim: as disputas interreligiosas tornam-se cada vez mais acirradas no período pré-eleitoral. Além disso, não há apenas fiéis sob o vasto céu poluído de São Paulo. O que esses candidatos têm a dizer para um número nada desprezível de agnósticos, homens e mulheres que não praticam a fé das três religiões monoteístas nem as dos demais fiéis? O que eles vão dizer aos pecadores sem culpa, que fazem parte de um amplo arco ideológico? Aos libertários e anarquistas radicais, que não

são poucos? Como agradar ao mesmo tempo aos milhões de participantes da parada GBTL e aos milhões da Marcha com Jesus? Eis aí um dilema moral. Ou um dilema dos pregadores da moral. No dia das eleições, será que a maioria do povo vai pensar na devoção religiosa ou nos projetos sociais de cada candidato? Vai pensar em Jesus ou nos

“Os candidatos deviam parar com essa romaria bajuladora em busca de votos de fiéis e lembrar que o estado brasileiro é laico” princípios éticos e na capacidade administrativa de fulano ou sicrano? Deus, que em sua infinita piedade é onipresente e onipotente, sabe muito bem como sofrem as paulistanas que moram longe do lugar onde trabalham. São essas mulheres, crentes ou agnósti-

cas, que votam; são elas que não têm onde deixar suas crianças numa creche. Elas e milhões de trabalhadores que, de manhã cedo e no começo da noite, passam horas dentro de um ônibus e de um vagão lotado da CPTM ou do metrô. A crença ou o sentimento religioso faz parte da esfera íntima de cada pessoa e nada tem a ver com o proselitismo histérico contra o Demônio e suas tentações, ou com curas milagrosas em nome de Jesus. Os candidatos deviam parar com essa romaria bajuladora em busca de votos de fiéis e lembrar que o Estado brasileiro é laico. Deviam esclarecer seus programas e metas, dizer o que é factível em quatro anos de governo municipal, explicar se há recursos para construir creches, escolas, moradias e postos de saúde, melhorar o transporte público e o saneamento básico. Devem expor com clareza um programa de ação para enfrentar os problemas mais sérios da cidade, mas sem demagogia e proselitismo, sem recorrer a promessas delirantes. Prometer o impraticável é golpe baixo. E já se sabe que a promessa vã é a morte do político. Milton Hatoum É articulista de O Estado de S. Paulo

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço:

PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Moema Cavalcante Basto, 314 Lot. Barra Mar | CEP 57.180-000 Fone: (82) 3325-2815 Barra de São Miguel | Alagoas Atendimento ao assinante: (82) 3325-2815

Luiz Carlos Barreto Goes Diretor-Geral

Romero Vieira Belo Diretor Editorial

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

B6 | Diário Oficial dos Municípios

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO AVISO DE LICITAÇÃO A CPL do município de Quebrangulo informa aos interessados que estará realizando a seguinte licitação abaixo: Pregão Presencial 28/2012 do Tipo menor Preço Global. Órgão: Sec. Mul. de Obras. Objeto: Registro de Preço para locação de Máquinas e Equipamentos. Data/Hora: 28 de setembro de 2012, as 09h00min. O edital do processo encontra-se a disposição dos interessados na sala da CPL, no horário de 08h00min as 12h00min. Sito: Praça Getúlio Vargas, 50 – Centro Quebrangulo – AL. (82) 3288 1159 cpl.quebrangulo@gmail.com. Quebrangulo, 14 de setembro de 2012. LUCIVAN ALEXANDRINO DE BARROS Pregoeiro

ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO

ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO EXTRATO DE CONTRATO

O Prefeito do Município de Quebrangulo, Estado de Alagoas no uso de suas atribuições e em conformidade com a lei 8.666-93, resolve HOMOLOGAR o Pregão Presencial 27/2012, Processo Administrativo Nº 02942/2012. Objeto: Aquisição de Cestas Básicas. Vencedora pelo menor preço: ARISTÁCIO CLEMENTINO DE PAULA – ME, CNPJ 05.244.773/000137. Valor: R$ 18.700,00 (dezoito mil e setecentos reais). Quebrangulo, 14 de setembro de 2012. Marcelo Ricardo Vasconcelos Lima Prefeito

CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO - CNPJ. 12.241.675/0001-01. CONTRATADA: ARISTÁCIO CLEMENTINO DE PAULA – ME, CNPJ 05.244.773/0001-37. Valor: R$ 18.700,00 (dezoito mil e setecentos reais). Objeto: Aquisição de Cestas Básicas. Vigência: 17/09/2012 a 31/12/2012. Fonte de Recurso: 08.00-08.806.0133.3.90.32.00.00.00.00.0.1.0010.00000

> EDUCAÇÃO

Faculdade Zumbi dos Palmares forma turma Instituição fundada em São Paulo diploma os 70 primeiros concluintes de Direito; governador destacou importância fotos: Divulgação

A Faculdade Zumbi dos Palmares celebrou a formatura dos 70 alunos da primeira turma de direito da instituição, que é voltada para a inclusão de negros no ensino superior. Declaram-se afrodescendentes 87% dos estudantes da faculdade, mantida pela Sociedade Afro-Brasileira de Desenvolvimento Sociocultural (Afrobras). A organização não governamental mantém parcerias com os setores público e privado para garantir o funcionamento de seis cursos com 1,7 mil alunos. A cerimônia, realizada na noite de sexta-feira (14) no Memorial da América Latina, zona oeste paulistana, contou com a presença de autoridades e empresários. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, um dos patronos da turma que colou grau, ressaltou para os formandos a importância histórica do momento. "Tenham sempre orgulho da instituição onde vocês estudaram. Ela é uma instituição histórica, tem uma carga simbólica de transformação na luta contra o preconceito, contra a exclusão, que nenhuma outra tem nesse país", disse. Para o vice-presidente da Re-

da escola como instrumento de proteção da infância e juventude. Claro que a escola não resolve todos os problemas, mas é um agente fundamental para questões sociais, entre elas a violência. Principalmente na adolescência, porque é nessa fase que o estudante começa a projetar sua visão para o futuro, afirma a professora Clélia Craveiro, que atualmente dirige o setor de políticas educacionais, direitos humanos e cidadania no Ministério da Educação.

pública, Michel Temer, a faculdade, que destina 50% das vagas para negros, promove uma "ação extremamente afirmativa" ao incluir essas pessoas no ensino superior. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, destacou que a primeira turma de direito da Faculdade Zumbi dos Palmares "é uma conquista do Brasil".

VIOLÊNCIA O baixo desempenho curricular não é o único problema das cidades que ficaram na lanterna do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Entre os 50 municípios com as piores notas na etapa final do ensino fundamental público (6º ao 9º ano), 19 estão no topo do ranking da violência juvenil brasileira, medido pelo Índice de Homicídios na Adolescência (IHA). Desenvolvido pela Secretaria de Direitos Humanos, esse indicador expressa, para um grupo de mil, quantos meninos e meninas, que ao completarem 12 anos, serão assassinados antes de chegarem aos 19. As informações obtidas pelo Correio a partir do cruzamento de dados do Ideb e do IHA levantam o debate sobre o papel

O governador Geraldo Alckmin destacou importância da Faculdade Zumbi

Marta Suplicy assume MINC e terá mais recursos para investir em 2013

rios dos servidores. Marta Suplicy chega ao ministério duas semanas depois de ter entrado na campanha eleitoral do petista Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo. Ela fez isso atendendo a um pedido de Dilma e do ex-presidente Lula. Ao falar sobre o assunto, Marta negou que o cargo seja uma recompensa pelo apoio a Fernando Haddad. E disse que terá todo o apoio da presidente. "Certamente, ela não ia me convidar para não dar as condições. Ela espera muito de mim, eu tenho certeza", disse.

CULTURA Marta Suplicy presidia uma sessão do Senado na terça-feira (11) quando recebeu um telefonema da presidente Dilma com a confirmação do convite para o Ministério da Cultura. Ela assume no lugar de Ana de Holanda, que deixa o cargo após desgaste provocado por carta revelada em primeira mão, no dia 24 de agosto, pelo 'Globo a mais' - o vespertino do jornal O Globo para tablets. No documento, Hollanda faz à ministra do planejamento Miriam Bechior duras críticas sobre a situação financeira da pasta e cobra mais recursos para aumentar os salá-

MAIS VERBAS A presidente Dilma Rousseff afirmou que serão R$ 3 bilhões no próximo ano para a pasta da Cultura, que poderão ser somados a outros R$ 2,1 bilhões que podem ser mobilizados pelas leis de incentivo à cultura. "Trata-se de um aumento de 65% em relação a 2012, um legado importante que Ana de Hollanda deixou para Marta Suplicy", disse a presidente. A presidente lembrou ainda que serão investidos R$ 1 bilhão no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas.


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

Especial |B7

> FESTA CÍVICA

Desfile estudantil comemora emancipação Depois de ter sido palco da parada do Sete de Setembro, Avenida da Paz concentra população para assistir exibição de colégios fotos: Colaborador / Mickaell Clygens

Em comemoração aos 195 anos de emancipação política, 16 escolas (onze da rede estadual e cinco das redes municipais ou privada) com 2.500 alunos desfilaram neste domingo (16) na Avenida da Paz, no bairro de Jaraguá. A festa também contou com a presença do governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho. Com o tema "Alagoas, ritmos e rimas: do popular ao erudito", o desfile cívico apresentou a população de Maceió um verdadeiro show com bandas de fanfarra e marciais que percorreram todo o percurso Memorial à República até o Estacionamento de Jaraguá. Para a professora Maria de Lurdes, que assisti com sua família o desfile todos os anos, as escolas mostraram em detalhes a abordagem do tema "Alagoas, ritmos e rimas: do popular ao erudito". "Todos os anos venho assistir o desfile com minhas filhas. Esse ano a organização do evento, junto com as escolas estão de parabéns, os alunos, as bandas fanfarras representaram em detalhes o tema. Acho que esse tema representa bem o povo de Alagoas, a vontade que o alagoano tem de vencer, seja em qualquer sentido da vida", disse a professora. Já o turista Carlos Queiroz ficou surpreso com o desfile. "Fiquei sabendo através de minha esposa que iria acontecer o desfile cívico em Jaraguá, então, resolvi ver de perto o evento. Todas as escolas, alunos e a organização do evento merecem respeito pelo que apresentaram

O colorido foi uma nota marcante no desfile que comemorou mais um aniversário da emancipação de Alagoas

A exemplo da parada do Sete de Setembro, o desfile deste domingo atraiu bom público à Avenida da Paz

nesse dia tão especial para Alagoas. Nós que somos de fora do Estado ficamos muito triste

em saber que uma terra como essa, cheia de praias lindas e de grande riquezas naturais é um

dos Estados mais violentos do país", falou Carlos. (Mickaell Clygens, especial para o PE)

> DROGA

Ministério imobiliza verbas do programa contra crack Apresentada como uma das principais estratégias do programa Crack, é Possível Vencer, a participação das comunidades terapêuticas no tratamento de dependentes está parada no Ministério da Saúde. Dos recursos reservados para a ação, nada ainda foi usado. Diante do impasse, o governo estuda migrar o projeto para outras pastas, onde as exigências para liberação de verbas sejam mais flexíveis. A queda de braço começou em abril, quando uma linha de financiamento de R$ 100 milhões para entidades foi colocada à disposição. Os recursos seriam usados para financiar pelo menos 920 projetos de reinserção de dependentes na comunidade. A apresentação de propostas, no entanto, foi pífia. Em dois editais, apenas 42 comunidades se candidataram para receber recursos, que podiam variar entre R$ 45 mil e R$ 108 mil. Só cinco foram aprovadas. De acordo com o coordenador adjunto de Saúde Mental do ministério, Leon Garcia, 985 vagas em comunidades terapêuticas são financiadas no momento, dentro de um projeto anunciado em 2010. "Recursos novos por enquanto não foram usados para criar mais vagas de acolhimento", explica. O suces-

Consumo de crack tem feito milhares de vítimas, principalmente jovens

so do projeto depende da adesão dos municípios, que, segundo Garcia, devem estar estruturando a rede antes de pedir recursos. A avaliação dos dirigentes das comunidades terapêuticas destoa da opinião de Garcia. "Foi um fracasso", resume Wellington Vieira, presidente da Federação de Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil (Feteb). Ele afirma que, das 400 entidades filiadas, poucas apresentaram projetos para reinserção social nas duas versões do edital. "As exigências eram inúmeras. Além disso, não concor-

dávamos com o formato sugerido." Reclamação. A principal queixa era a necessidade de as comunidades se reportarem aos Centros de Atenção de Apoio Psicossocial (CAPs). "Perderíamos nossa identidade", diz Juliano da Silva Marfim, coordenador da Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (Febract). Diante do resultado ruim, uma reunião foi feita com gestores dos Ministérios da Justiça e da Casa Civil e representantes das comunidades, para que uma solução fosse encontrada. Em

nota, a Secretaria Nacional de Política sobre Drogas do Ministério da Justiça (Senad) informou estudar formas de apoio às comunidades. Um terceiro edital, porém, para seleção de novos projetos foi lançado pela Saúde - desta vez, com a promessa de maior participação das entidades. O resultado sairá em outubro. Garcia, do Ministério da Saúde, reconhece que as comunidades terapêuticas ficaram descontentes com o formato do programa. Ele argumenta que as moradias têm de ser consideradas como um dos pontos de uma rede de atendimento. "É preciso ter centros de atenção psicossocial, leitos de retaguarda, para casos de emergência." Ele diz que as exigências estão previstas em regras gerais e devem ser seguidas.

RESISTÊNCIA Para o coordenador da Comissão Nacional de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Pedro Paulo Bicalho, a estratégia adotada pelas comunidades era esperada. "A baixa participação nos editais não é à toa. Poucas são as comunidades que atendem às condições para participar de um programa de saúde."


Primeira Edição | 17 a 23 de setembro, 2012

B8 | Social

> ACONTECENDO

THAYANNE FESTEJA IDADE NOVA

O aniversário transcorreu na quinta-feira, 13 de setembro, mas a jornalista Thayanne Magalhães, nossa redatora do Portal PRIMEIRA EDIÇÃO, passou o final da semana recebendo cumprimento de familiares amigos.

170912  

Edição impressa do dia 17 de setembro