__MAIN_TEXT__

Page 1

Braskem destaca cooperação com a UFAL > A-5 'O Exército não tem partido' Numa referência à declaração do presidente Jair Bolsonaro, que disse ter 'pólvora' para encarar os Estados Unidos, o comandante do Exército, general Edson Pujol, afirmou que a instituição não tem partido e também não pertence ao governo.

edição PRIMEIRA

Ninguém ganha a Mega-Sena Ninguém ganhou a Mega-Sena deste sábado (7). Acumulado, o próximo sorteio está estimado em R$ 50 milhões. Foram sorteadas as dezenas 28, 44, 52, 54, 58 e 60. Quem fez a Quina vai levar R$ 66 mil. Quadra pagará R$ 1.114 a cada acertador.

Ano 13 | Edição 901 | Maceió, Alagoas, 16 a 22 de novembro, 2020 | R$2,00

ALFREDO GASPAR EM 1º E JHC EM 2º, COMO INDICAVAM PESQUISAS Início da apuração mostrou JHC à frente de Alfredo Gaspar, mas candidato do MDB acabou assumindo a dianteira Divulgação / Greyce Bernadino

JHC começou apuração com poucos votos de vantagem

Divulgação / tnh1

Divulgação / Site 7Segundos

Gaspar largou em 2º, virou, mas JHC retomou dianteira

Davi Filho largou em 3º, mas o quadro ainda pode mudar

Alfredo Gaspar: 99.433 votos João Caldas, JHC: 96.756 votos

Desafios aguardam futuro prefeito Folha de pessoal, coleta de lixo, canais obstruídos, favelização, mobilidade urbana, trânsito caótico, demandas na saúde, mercados públicos deteriorados e, para completar, na-

Primeira Edição

da de aval da União para empréstimos. Eis alguns dos grandes desafios que aguardam o futuro prefeito de Maceió, que assumirá a administração a partir de 1º de janeiro. > A-2

Morte do ex-deputado Alcides Falcão enluta cenário político de AL > A-5

Hamilton vence GP e fatura hepta Divulgação

O piloto britânico Lewis Hamilton, grande sensação nas pistas de todo o mundo, venceu o Grande Prêmio da Turquia, disputado neste domingo (15) e conquistou, por antecipação, seu heptacampeo-

nato mundial (sete títulos). Na temporada, o campeão inglês já havia alcançado outro feito ao bater o recorde de vitórias do alemão Michael Schumacher, outro gigante da Fórmula 1. > B-4

Ainda de olho no G-4, CSA enfrenta Cuiabá fora de casa no sábado Lewis Hamilton largou em sexto, agigantou-se, venceu o GP da Turquia e conquistou seu heptacampeonato

Apesar dos tropeços seguidos ante Guarani e Chapecoense, o CSA ain-

da tem esperança de brigar pelo acesso à Série A do Brasileiro. > B

Apurados 88,79% dos votos em Maceió (com a divulgação paralisada até às 22hs deste domingo), os candidatos Alfredo Gaspar com 29,22% e JHC com 28.43%, largaram colados um no outro, com tendência de ida para o 2º turno, como previam as pesquisas, enquanto Davi Filho vinha em 3º com 24,97%, mas com possibilidade de mudança no quadro. O 2º turno será no próximo dia 29 e as estratégias e alianças dos finalistas começam já nesta 2ª feira (16). > A-2

FALHA NO TSE

Atrasa divulgação de votos apurados O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, afirmou hoje que uma falha em um dos processadores do sistema de computação do tribunal foi o motivo do atraso na divulgação dos resultados. "Houve um atraso na totalização dos resultados por força de um problema técnico que foi exatamente o seguinte: um dos núcleos de processadores do supercomputador que processa a totalização falhou e foi preciso repará-lo", disse Barroso. Segundo afirmou o ministro, a falha causou lentidão no processo de totalização dos resultados, que é a soma dos votos computados nas urnas. Nestas eleições foi concentrado no sistema do próprio TSE, diferentemente de anos anteriores, quando uma totalização parcial era feita em cada estado pelo respectivo TRE, que repassava os dados ao TSE. O atraso na totalização não interfere na contagem, afirmou Barroso.

Covas e Paes lideram no Rio e em SP Apurações iniciais confirmaram vantagem de Bruno Covas, em São Paulo, e Eduardo Paes, no Rio de Janeiro, assim como a de Eduardo Campos, no Recife.

Fale conosco | Redação: (82) 3021.5837 | Comercial: (82) 3021.0563 | Assinante: (82) 3021.0563 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br | e-mail: contato@primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

A2 | Política Primeira Edição

Limpeza dos canais (focos de doenças) teve promessas, mas não solução objetiva ao longo de sucessivas gestões

O Ã Ç A CA U T SI TI Á M A R D

Divulgação

Mercados públicos, como o da Produção, precisarão de atenção especial do futuro prefeito a partir de janeiro

Maceió e os tremendos desafios que aguardam futuro prefeito em janeiro Mobilidade urbana, saneamento, malha viária, lixo, favelas, mercados, canais obstruídos, trânsito Primeira Edição

Redação

O prefeito eleito que tomar posse no dia 1º de janeiro estará diante de desafios que vão desde o crescimento inercial da folha do funcionalismo público, cujos salários estão congelados mas terão de ser corrigidos a partir do próximo ano - ao trânsito cada vez mais caótico, passando pela malha viária parcialmente destroçada, solução para os canais poluídos, falta de saneamento, crescimento das populações favelada e a velha e problemática coleta do lixo domiciliar. Mas não só: melhorar o atendimento nos postos de saúde, com demanda crescente e carência de remédios e recursos humanos, é outro problema que tem desafiado prefeito após prefeito, sabendo-se que a solução depende não apenas da Prefeitura, mas de ações integradas com governos estadual e federal. Os canais da cidade, desaguando nas praias e na lagoa Mundaú, funcionam como verdadeiros criadouros de mosquitos que transmitem doenças, enquanto a coleta do lixo residencial, que enfrentou problemas com Cícero Almeida, permaneceu crítica ao longo dos oito anos de Rui Palmeira.

SANEAMENTO

O saneamento básico talvez deixe de se constituir em desafio para a Municipalidade: graças à concessão da Casal (Companhia de Água e Saneamento) a empresa vencedora da concorrência vai ter que investir

Coleta do lixo domiciliar é outro desafio, agravado por impasses com empresas contratadas

R$ 2,5 bilhões, em 16 anos, exclusivamente em obras para sanear Maceió e as cidades da área Metropolitana (Satuba, Rio Largo, Paripueira, Santa Luzia do Norte, Coqueiro Seco, Barra de São Miguel, Marechal Deodoro). Na área do trânsito, dois grandes problemas: a mobilidade urbana, cada vez mais comprometida com o crescimento desordenado da frota de veículos e de motocicletas, e o transporte coletivo, que é de péssima qualidade e reconhecidamente deficiente.

BURAQUEIRA

Nessa mesma área, o próximo gestor terá que organizar e imprimir caráter permanente a uma operação tapa-buraco pa-

ra, ao longo dos próximos quatro anos (com agravante anual durante o inverno) consertar a malha viária que só não aparece destroçada nos bairros da Zona Norte, liderados pela Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca, o chamado filé da orla da capital. Melhorar as condições de vida nas grotas pode não ser uma atribuição do futuro prefeito, tendo em vista o trabalho que já vem sendo executado pelo governo do Estado nessas comunidades relegadas, mas a Prefeitura terá de encontrar solução para milhares de famílias faveladas, começando pela requalificação do Dique-Estrada, na velha orla lagunar.

EDUCAÇÃO

No terreno educacional, o

Primeira Edição

Favelas, como as da orla lagunar, só podem ser removidas se houver moradia para as famílias

próximo prefeito terá de dar continuidade às reforças dos educandários, à contratação de professores e também à construção de novas unidades, já que a população cresce fazendo surgir mais alunos todos os anos. Em paralelo, faz-se imperiosa a instalação de novas creches, pois muitas mães alegam que não podem trabalhar porque não têm onde deixar os filhos menores nos horários de expediente funcional.

MERCADOS

Os mercados públicos precisam de reformas, principalmente o maior deles - o Mercado da Produção - que está em contínuo processo de desintegração física, com a estrutura

comprometida e um quadro higiênico que, sem exagero, o aproxima de um lixão. Os candidatos, quase todos, fizeram suas campanhas prometendo uma 'nova Maceió', mas nenhum deles ignora a incapacidade (financeira, sobretudo) de cumprir minimamente os compromissos que assumiram perante o eleitorado. A situação será mais dramática ainda - para a comunidade, evidentemente - se o próximo prefeito, por ideologia ou injunções políticas, não tiver a humildade de buscar a cooperação do governador ou se não conseguir abrir portas nos ministérios do governo federal, cujos recursos financeiros se farão imprescindíveis à execução de obras diversas, projetos

e programas sociais.

NÃO SAIU

Rui Palmeira, por exemplo, fez sua campanha da reeleição, em 1016, prometendo executar o projeto de 'Maceió de frente pra Lagoa', que previa a completa requalificação do DiqueEstrada, com remoção das favelas e construção de blocos de apartamentos, mas o governo federal brecou o envio dos recursos, que poderão ser liberados no próximo ano. Há cerca de um mês, Palmeira retornou de Brasília informando que havia assinado documento em que o Ministério das Cidades assumiu o compromisso de liberar o dinheiro para as obras ao longo da orla lagunar.

> EM CIMA DA HORA

Candidatos votam confiantes no 2º turno; Cícero denuncia adversários e acusa traição Editoria de Política

Os três principais candidatos a prefeito de Maceió votaram confiantes na passagem para o segundo turno, embora sabendo que apenas dois poderiam ir para o turno final. - Com certeza iremos para o segundo turno - disse Davi Filho (PP) após votar em uma seção da Ponta Verde. "A expectativa é de que vai dar tudo certo. Nossa campanha foi propositiva, levando soluções para os maceioenses. Não entramos nesse jogo de ataques, baixarias e fake news, como nossos adversários fizeram", disse o representante da Assembleia Legislativa. Na mesma linha, o candidato João H. Caldas, o JHC (PSB) votou no Colégio

Divulgação

Anchieta convencido de sua passagem para o turno decisivo: "A expectativa é muito positiva. Fizemos uma campanha limpa, transparente, trouxemos as nossas ideias, fizemos o debate da democracia. E tudo o que nós falamos, nós defendemos durante toda a nossa campanha. Hoje é dia de o povo falar nas urnas", disse após depositar o voto. ALFREDO GASPAR Líder de todas as pesquisas de intenção de voto, o candidato Alfredo Gaspar (MDB) afirmou, após votar no Colégio Guido, referindo-se à chance de ir para o segundo turno: "A garantia só quem dar é Deus. Quero agradecer a Rui e Renan (prefeito e governador) por estarem comigo nesta campanha, bem como a

Depois de votar, Cícero Almeida denunciou adversários e acusou traição

todos os vereadores que trabalharam ao nosso lado. E ao povo de Maceió, causa de nossa luta que, espero, resulte vitoriosa".

CAMPANHA Nestas eleições, a campanha foi marcada por denúncias (a maioria infundada) e acusações, senão pessoal-

mente entre os candidatos, mas com veemência pelas equipes responsáveis por gravações de programas para o Guia Eleitoral no rádio e na televisão. Um dos episódios mais graves foi registrado ao final da campanha: na quinta-feira (12), o diretor de Recursos Humanos da Assembleia Legislativa, Igor Dmitri de Sena Bitar, foi flagrado pela Polícia Militar com dinheiro em espécie, cheques e santinhos do candidato Davi Filho e de seu pai Davi Davino (candidato a vereador). Ele foi levado à Polícia Federal, que ficou de investigar o caso. DESABAFO Candidato com o histórico político marcado por grandes vitórias, o ex-prefeito Cícero

Almeida (DC) votou no Iate Clube Pajussara e, fiel ao seu estilo, abriu o verbo: acusou o candidato Davi Filho (PP) de comprar as pesquisas eleitorais e o candidato JHC (PSB) de ter tentado comprar a sua candidatura Cícero Almeida afirmou ainda que ter sido traído pelos próprios colegas de partido e parceiros que, em dado momento, passaram a boicotar sua candidatura. SEGUNDO TURNO O segundo turno da eleição em Maceió começa já nesta segunda-feira, 16 de novembro, com o movimento mais previsível: os dois candidatos finalistas buscando apoio dos que não conseguiram passagem para a grande decisão.


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

Política | A3

> ELEIÇÕES-2020 Romero Vieira Belo

Enfoque Político Jornalismo é, antes de tudo, a busca da verdade

Segundo turno, a hora da verdade nua e crua O segundo turno das eleições majoritárias - prefeito, governador e presidente da República - foi instituído pelo Congresso Nacional com um objetivo claro: impedir que determinado candidato se eleja com os votos de uma minoria do eleitorado. Como, em geral, são vários os concorrentes, a população votante se fraciona e ocorre que, mesmo sendo o mais votado, o candidato vitorioso no primeiro turno acaba sendo escolhido pela minoria do conjunto dos eleitores. Daí a solução oportuna e democrática de levar os dois mais votados para um turno final. Representa, óbvio, mais investimentos, mobilização de juízes, mesários, Ministério Público, Polícia Militar, fiscais, significa também mais gastos com propaganda nas ruas, no rádio e na televisão, mas é a fórmula que leva ao confronto justamente os postulantes contemplados com a preferência da maioria. A vantagem do sistema consiste, ainda, na 'despoluição' do cenário da disputa. Com 10 candidatos, a campanha em Maceió acabou embaralhada, com postulantes distintos defendendo as mesmas ideias, apresentando as mesmas propostas, de modo que o eleitor termina ficando sem condições de analisar detidamente os programas, todos eles recheados por promessas intermináveis. O segundo turno, previsto para o próximo dia 29, significará o ponto culminante da disputa inicial, porém com um cenário mais definido e transparente. São apenas dois finalistas, cada um com suas próprias ideias, sem conflitos de propostas, a permitir que o eleitor possa fazer uma escolha consciente, sem dúvidas. Exatamente por isso, graças à filtragem do processo, cada candidato no segundo turno será dissecado e terá sua trajetória política exposta sem retoques e sem disfarces. Seria oportuno, interessante, um debate na televisão aberta para mostrar, também, a capacidade de cada um de expressar suas opiniões e defender seus projetos sem a velha maquiagem e os manjados artifícios dos estúdios que gravam para o Guia Eleitoral. Um debate ao vivo, 'cara a cara' com os eleitores. PONTO PARA PEDRO AUGUSTO NO COMANDO DO TRE Com a competência e o equilíbrio de sempre, o desembargador Pedro Augusto Mendonça conduziu com muita firmeza e lucidez todo o processo eleitoral em Alagoas. Empossado na presidência do Tribunal Regional Eleitoral em janeiro de 2019, Pedro Augusto trabalha no comando da Justiça Eleitoral com a mesma desenvoltura e eficiência que apresenta no Tribunal de Justiça.

Em Maceió, a pandemia sob controle atrapalha oposição Adversários de Renan Filho e Rui Palmeira não tiveram como 'explorar' coronavírus fotos: Divulgação

Editoria de Política

A pandemia foi uma forte aliada de alguns candidatos nessas eleições municipais, mas, em Maceió e em Alagoas, sob controle desde o início, não permitiu que a 'oposição' ao governador Renan Filho e seus candidatos tirassem proveito da covid-19. Mesmo um candidato como Davi Filho, cuja família sempre foi governista e se valeu da gestão de Rui Palmeira nos últimos oito anos, pôde criticar o Município ou o governo do Estado por causa da epidemia do novo coronavírus e o motivo é óbvio: Maceió e Alagoas são a capital e o estado onde a pandemia nunca saiu do controle das autoridades e onde o número de contágios e de mortes sempre esteve abaixo das estatísticas da grande maioria dos outros estados e respectivas capitais. Sobre o repentino oposicionismo da família Davi Davino, Rui Palmeira reagiu: "Antes eram só elogios e pedidos insistentes pelo seu apoio, agora é só crítica".

Novos hospitais, como o da Mulher em Maceió, desarmaram oposição nos discursos sobre a pandemia

Orientado pelo grupo de deputados estaduais que o lançou e apoia, incluindo o federal Artur Lira, Davi Filho intensifi-

cou os ataques à gestão de Rui Palmeira no Guia Eleitoral, na fase final da campanha.

A queixa de Rui contra os Davinos O prefeito Rui Palmeira disse que "a família de Davi Davino sempre esteve no poder, com cargos indicados em pastas como a própria Saúde, como os diretores dos postos do Jacintinho e da Ponta da Terra. Além disso, recursos municipais ajudaram a tornar a fundação beneficente da família no que ela é hoje, inclusive, virando destaque do guia exibido pelo candidato", como salientou o Portal Cadaminuto. Um assessor do prefeito disse em condição de anonimato: - O Davi Filho é produto político da ação assistencialista de seu pai, Davi Davino, na periferia de Maceió e, lamentavelmente, num gesto extremo de ingratidão, decidiu cumprir a orientação do grupo político que o apoia e criticar o prefeito que ajudou sua família nesses últimos anos".

PANDEMIA

Pedro Augusto Mendonça conduziu processo eleitoral com equilíbrio

SISTEMA PRÓPRIO DE UMA REPUBLIQUETA O sistema político brasileiro é um modelo anárquico, próprio de uma republiqueta. Com quase 40 partidos registrados na Justiça Eleitoral, o que não deveria ser sequer figuração, virou 'protagonismo' de araque. A política tupinambá, hoje mais do que nunca, vive de esbanjamentos financeiros, trapaças e escândalos. Mas todos fingindo que o processo é sério, exemplar... ALCIDES FALCÃO, UM AMANTE DAS SERESTAS... O ex-deputado Alcides Falcão, que faleceu na madrugada de quartafeira, 11 de novembro (causando luto e tristeza em familiares e amigos), tocava violão e cantava muito bem. Nos tempos dourados, de belas músicas, com poesia e riqueza melódica, Alcides costumava incursionar nas noites enluaradas, protagonizando impagáveis serestas. ...E UM CRÍTICO DO INSTITUTO DA REELEIÇÃO Em seus escritos publicados semanalmente no Primeira Edição, Alcides Falcão criticava bastante o instituto da reeleição, lembrando que, no passado, prefeito, governador e presidente podiam concorrer a um novo mandato, mas não de forma sequencial. Só quatro anos depois. Ele dizia que, ao final das contas, havia mais gestores ruins do que bons, no 2º mandato. CINEASTA DO 'PORTA DOS FUNDOS' É MORTO NO RIO O cineasta Cadu Barcellos, de 34 anos, foi esfaqueado e morto na Rua Uruguaiana, em Copacabana, durante um assalto na violenta noite de terça-feira (10) no Rio de Janeiro. Cadu Barcellos era diretor-assistente do 'Porta dos Fundos', o mesmo grupo que produziu a 'A primeira tentação de Cristo', narrativa desdenhosa em que Jesus aparece como um gay. MORRE WALQUIRIA, FILHA DO GOVERNADOR SURUAGY A coluna registra com pesar o falecimento, nesta sexta-feira (13 de novembro) de Walquíria Suruagy, que nos últimos dois anos lutou contra grave enfermidade. Conceituada servidora da Justiça do Trabalho, em Alagoas, Walquíria era filha do ex-governador Divaldo Suruagy e da professora Luzia Suruagy. Nossas condolências aos familiares e amigos. NÃO VAI SER NADA DIFÍCIL PARA A MÍDIA... A mídia americana (e brasileira) não vai ter problema se Joe Biden de fato assumir a presidência dos Estados Unidos. Do jeito que escondeu os avanços e conquistas de Trump nos últimos quatro anos, a imprensa vai 'ignorar' o que acontecer de ruim e errado nos próximos quatro, com os democratas no poder.

A exemplo do que ocorreu no Rio de Janeiro, a pandemia do coronavírus poderia ter sido a principal armada oposição em Maceió e no interior alagoano, mas diante dos novos hospitais construídos na capital, na Região Norte, na Região da Mata e no Sertão e também diante da correta aplicação dos recursos públicos no combate ao coronavírus, os candidatos adversários tiveram de recorrer ao de sempre: transporte público, postos de saúde, ca-

Rui diz que Davinos elogiavam gestão e, de repente, usaram campanha para criticar a Prefeitura

nais, número insuficiente de creches, pobreza na periferia. No Rio de Janeiro, a pandemia detonou o projeto de reeleição do prefeito Marcelo Crivela, enquanto em São Paulo, onde o coroavírus foi tratado com mais eficiência e determinação, o prefeito Bruno Covas voltou a atrair o apoio da maioria do elei-

torado ao longo da campanha eleitoral. Aqui, mesmos os adversários acabaram reconhecendo o bom desempenho tanto do governo do Estado quanto da Prefeitura de Maceió na guerra contra a pandemia, com ações conjuntas e cooperativas dos setores de saúde estadual e municipal.

> EM MACEIÓ

Promessas continuam sendo ‘gás’ de campanhas eleitorais Uma eleição organizada, com políticos comprometidos e eleitorado atento, exigente e questionador, poderia ter uma campanha baseada em propostas objetivas e projetos factíveis, mas não foi o que se viu na jornada deste ano em Maceió. A caminhada rumo ao primeiro foi marcada, de um lado, por excessos de promessas mentirosas - típicos casos de enganação eleitoreira - e, de outro, por ataques, acusações entre candidatos. Se metade, ou mesmo um quarto das promessas feitas fossem realizáveis, o sistema de saúde de Maceió, por exemplo, poderia ser o mais moderno, eficiente e universal do mundo. O foco foi, principalmente, a saúde porque o sistema de atendimento ao público é deficiente (faltam postos, faltam médicos e faltam medicamentos) e, diante disso, vários candidatos, atuando em cima do estado de necessidade da população, prometeram de tudo, como se a Prefeitura tivesse recursos para bancar projetos mirabolantes. Um candidato disse que, uma vez eleito, executaria o projeto de reurbanização da orla lagunar, acabando com as favelas e construindo prédios de apartamentos no Dique-Estrada, e o fez sabendo que só quem poderia fazer esse tipo de promessa era o governo federal, tem dinheiro para resolver a parada.

Candidatos carregaram em promessas de uma saúde pública de primeiro mundo para Maceió

O ALVO

Como em outras eleições, a campanha começou tranquila, morna, sem agressões, sem denúncias, até que saíram os números das primeiras pesquisas de intenção de voto. A partir daí, os candidatos se voltaram para o líder das sondagens - Alfredo Gaspar, candidato do MDB apoiado pelo governador Renan Filho, prefeito Rui Palmeira e pela maioria dos vereadores. Qual a lógica dos ataques? A concorrência vai em cima de quem tem mais. Passado o período de 'reconhecimento' e

divulgadas as primeiras pesquisas, Davi Filho e JHC passaram atacar Alfredo Gaspar, mesmo com ambos sabendo que a disputa direta teria de ser entre os dois, em busca de vaga para o segundo turno. Não tendo pontos negativos para atacar o ex-chefe do Ministério Público Estadual e ex-secretário de Segurança Pública do Estado, os adversários de Alfredo Gaspar passaram a explorar o apoio de Renan Filho, como se fosse desgastante o aval de um governador avaliado positivamente por mais de 80% da população, como é caso do chefe do executivo alagoano.


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

A4 | Nacional

> NAS ELEIÇÕES DE 2022 Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

O RESULTADO E EU COM RAIVA Por que? Porque eu não sei o resultado. Por que? Porque o jornal é impresso e fecha na sexta-feira. E quem escreve com antecedência passa a ser frio nas suas notícias. O que eu posso dizer é que espero que as eleições tenham transcorrido em clima de absoluta tranqüilidade, que o resultado venha a trazer proveitos para a sociedade e que os candidatos perdedores tenham a altivez de dar as mãos ao vencedor e torcer para que a sociedade tire o melhor proveito do seu voto. Bem, também estou supondo que pelo andar que a carruagem vinha tomando deveremos ir para o segundo turno. Só não sei quem com quem já que a disputa estava acirrada com os três primeiros disputando passo a passo essa posição. Não importa. O que vale é saber que a democracia está plena e em ebulição. Restam os vereadores. Quem ganhou? Quem ficou pra próxima ou nem ficou? Um belo tabuleiro de xadrez onde reis, damas e peões se misturam pedindo ao bispo que os proteja e que proteja os seus eleitores que podem ter sido premiados com boas escolhas ou não. O fato é que, no meio disso tudo, continuaremos torcendo para que essa festa da democracia sempre saia vitoriosa. Se estou com raiva ou não por não poder comentar resultados com vocês, pelo menos estou ciente de que o processo aconteceu e continuará vendo as pedras mexeremse com galhardia. Assim espero.

DESTACÔMETRO O destaque vai para uma jornalista de primeira linha que ocupou muito bem as telinhas do Rio Grande do Norte e do país, enquanto repórter de rede do Jornal Nacional. Michele Rincón, um presente para os olhos e para os ouvidos. E os telespectadores com saudades. Volta Michele! Volta!

PÍLULAS DO OUVIDOR Em João Pessoa a minha torcida foi para o nosso filho, Dinho, que está disputando seu quinto mandato de vereador da capital. Queridíssimo pela sociedade acho que vai vencer mais essa acirrada disputa. O Ministério da Saúde prorrogou o custeio da manutenção de mais 671 leitos de UTI Adulto para tratamento de paciente com Covid-19 em 10 estados, com investimento de R$ 31,7 milhões. Há que prevenir. Viaje com responsabilidade e redescubra o nosso Brasil. Finalmente foi lançado na última terça-feira, (10) pelo governo federal a Retomada do Turismo, que consiste em uma aliança nacional para acelerar a recuperação do setor. Além disso, junto com o programa, também foi apresentada a campanha "Viaje com responsabilidade e redescubra o Brasil". Sendo assim, a Retomada do Turismo é uma aliança do setor que reúne esforços dos setores público e privado. O presidente Jair Bolsonaro chamou de "delírio" a idéia de o governo criar mecanismos para expropriar propriedades no campo e nas cidades com registros de queimadas e desmatamentos ilegais. Só gostaríamos de lembrar que a lei da reforma agrária já prevê a expropriação de terras que sejam improdutivas. Ora, as queimadas com estrago total do meio ambiente é mais do que desculpa para a desapropriação. Devida. Começou a valer desde terça-feira dia 10 e vai até 48 horas depois do término da votação do próximo domingo dia 15 de novembro, primeiro turno das Eleições Municipais de 2020, a regra que proíbe a prisão de eleitores. A determinação está prevista no Código Eleitoral que é a Lei nº. 4.737/65 mas é bom ficar bem explícito que não atinge os flagrantes de crimes cometidos durante o período. Claro, senão vira graça dos bandidos fazendo o que mais gostam. O Tribunal de Contas e o Ministério Público recomendaram aos municípios que não fizessem festas se fossem utilizar verbas necessárias para o combate à COVID. Em reunião na presidência do TC, Jair Galvão (foto), secretário de turismo de Maceió fez um demonstrativo e os folguedos foram autorizados sem problemas.

ABRAÇOS IMPRESSOS Os abraços impressos vão para o meu amigo Celso Ribas Jr, de Brasília e que vem fazendo um grande sucesso com o seu "Garagem do Coyothe". O Bartpapo está transmitindo algumas edições para satisfação do público amante de carros e trilhas.

Eleitor poderá usar celular para votar, admite Barroso Para presidente do TSE, urnas eletrônicas são caras e estão ficando obsoletas O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, conheceu neste domingo (15) algumas propostas de sistemas alternativos de votação on-line, como por aplicativo de celular ou sites. A iniciativa faz parte do projeto Eleições no Futuro, lançado pelo TSE com o objetivo de estudar possíveis substitutos da urna eletrônica. De acordo com Barroso, uma comissão do TSE irá estudar as propostas e, caso uma delas seja considerada satisfatória, ela poderá começar a ser implementada já em 2022, mas de forma gradual. O TSE abriu, em setembro, um edital de chamamento público para que empresas apresentassem propostas de votação online. Trinta e uma empresas enviaram sugestões. Dessas, 26 estão fazendo demonstrações neste domingo. Barroso e o vice-presidente do TSE, Edson Fachin, conheceram quatro delas, que fizeram uma apresentação em Valparaíso (GO). As outras apresentações estão sendo

Presidente do TSE, ministro Roberto Barroso já admite que em 2022 eleitor poderá votar usando o celular

feitas em São Paulo e Curitiba. De acordo com Barroso, as urnas eletrônicas, utilizadas desde 1996, são seguras, mas se tornam obsoletas rapidamente, demandando um custo elevado para serem substituídas. Além disso, o ministro afirmou que o processo de compra é complexo e nem sempre consegue ser concluído a tempo da eleição.

- Nós convocamos empresas de tecnologia a apresentarem soluções tecnológicas para que a votação possa ser feita pelo próprio dispositivo do eleitor, seja seu telefone celular, seja seu tablet ou eventualmente seu computador explicou Barroso. - O objetivo, portanto, é esse: baratear o custo da eleição digital brasileira e evitar as complexi-

dades que a cada dois anos nós temos com procedimentos de licitação. Barroso afirmou que uma comissão, formada por ele, Fachin e o ministro Alexandre de Moraes (os dois próximos presidentes do TSE), irá analisar as propostas. De acordo com ele, as empresas terão que comprovar sigilo do voto, eficiência e segurança no sistema.

> AVALIAÇÃO

Maia diz que Bolsonaro volta ao ‘tamanho normal’ nesta eleição Correio Braziliense

Depois de uma votação expressiva em 2018, quando se elegeu presidente da República, o presidente Jair Bolsonaro está voltando ao tamanho normal, disse hoje o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Para Maia, por conta da volta ao patamar normal, muitos candidatos que tiveram apoio do presidente nas campanhas para prefeito deste ano tiveram dificuldades para decolar e correm risco de ficar de fora de um segundo turno. "Havia em 2018 um sentimento que ele acabou representando, mas não necessariamente era a base dele", disse Maia a jornalistas após votar em uma escola na zona oeste do Rio de Janeiro. "A base dele sempre foi até o momento da

Rodrigo Maia avalia ‘tamanho político’ de Bolosonaro nestas eleições

facada e até o voto útil, um candidato de 18%, 20%. A avaliação positiva era perto disso com 23%, 24% de ótimo e bom", acrescentou o deputado. "Eu acho que agora (Bolsonaro) representa o tamanho do núcleo dele que era muito menor que os 46% de intenção de voto que ele teve,

ele está voltando ao tamanho normal e a influência é menor, especialmente nas capitais onde a cobrança é muito maior do que nos municípios do interior", avaliou. Ao ser questionado se Bolsonaro sairá mais fraco das eleições, Maia disse que é preciso aguardar o resultado final da votação.

VOTO NO RIO O presidente Jair Bolsonaro retornou a Brasília no fim da tarde deste domingo (15) após viagem ao Rio de Janeiro, onde votou pela manhã. Bolsonaro chegou por volta de 15h46 no Palácio da Alvorada e, como de costume, parou para cumprimentar apoiadores que o esperavam na residência oficial - apenas cerca de 13 pessoas. O presidente viajou para o Rio na manhã deste domingo e votou por volta das 10h na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, zona norte da cidade. Bolsonaro ficou no local por 10 minutos e não deu declarações públicas. Antes de entrar e logo ao sair da escola, Bolsonaro, que estava de máscara, item obrigatório nas seções eleitorais, conversou rapidamente com apoiadores.

> A CAMINHO

Vacina Pfizer contra Covid chegará até março ao Brasil A vacina contra a covid-19 da farmacêutica Pfizer, primeira a confirmar a eficácia de 90% após conclusão dos testes de fase 3, tem previsão para chegar no Brasil até março de 2021, afirmou o presidente da companhia no país, Carlos Murillo. Apesar de ser testada no Brasil, não há acordo fechado com a empresa para incorporar a candidata no Programa Nacional de Imunização (PNI). "Ainda estamos trabalhando fortemente com o governo brasileiro para tentar acelerar a disponibilidade (da vacina) o mais rápido possível. Tenho esperança de que no 1º trimestre de 2021 poderíamos estar contando com essa vacina no Brasil", disse Murillo. Ainda que haja acordo com o governo brasileiro para dis-

Vacina Pfizer, eficaz contra covid-19, poderá estar disponível em março

ponibilização da vacina no Sistema Único de Saúde (SUS), contudo, não há expectativa de transferência de tecnologia para que a produção seja feita em território nacional. Isso por-

que, segundo Murillo, a Pfizer, que trabalha em conjunto com a farmacêutica alemã Biontech, optou por concentrar a produção nas sedes durante a pandemia. "Passada a pandemia, a

Pfizer vai avaliar e ver opções que permitam fazer a transferência de tecnologia". O Brasil, no entanto, serviu de local de testes da candidata, e, desde julho, foram submetidos ao estudo 3 mil brasileiros, de um total de 44 mil voluntários em todo o mundo. Mesmo com o anúncio de que a vacina é eficaz, a Pfizer ainda não entrou com a documentação para iniciar o registro da produção no país. "Apesar das notícias promissoras divulgadas por laboratórios farmacêuticos em busca de uma imunização eficiente contra a covid-19, não existe, até o momento, dados submetidos à Anvisa para a avaliação da eficácia e segurança destes produtos", afirmou a Agência de Vigilância Sanitária.


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

E

ST E A D N AI ANO

Geral | A5

Caixa: novo PDV irá até dia 20 e prevê demitir 7,2 mil servidores Segundo a Federação dos Funcionários da CEF, quem aderir ao programa vai receber 9,5 salários fotos: Divulgação

Congresso em Foco A Caixa Econômica Federal deve perder mais 7,2 mil empregados até o final deste ano, conforme estimativa do próprio banco, com o novo Programa de Desligamento Voluntário (PDV), cujo período de adesão começou na segundafeira (9) e vai até a próxima sexta-feira, 20 de novembro. Atenção: quem aderir terá direito ao equivalente a 9,5 salários. Nos últimos seis anos, a estatal perdeu aproximadamente 17 mil bancários em todo o país. A empresa, que chegou a ter 101 mil trabalhadores em 2014, conta atualmente com cerca de 84 mil empregados. Confirmada a estimativa para este PDV, a perda de 7,2 mil profissionais, só com este programa, representará mais de 40% do total de desligamentos entre 2014 e este ano (17 mil). "Especialmente nesta pandemia, estamos vendo a importância do banco público para o

Com novo PDV, Caixa pretende dispensar mais de 7 mil servidores e projeta criar inúmeras superintendências

país", destaca o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sérgio Takemoto, ao observar que a estatal é responsável pelo pagamento do auxílio emergencial e de outros benefícios

sociais para mais de 100 milhões de pessoas (o que equivale à metade da população brasileira), além da concessão de crédito para diferentes perfis de empreendedores, duramente afetados pela crise econômica. "Os empregados da Caixa

fizeram e continuam fazendo um trabalho essencial ao Brasil, mostrando que o banco é imprescindível. A falta de trabalhadores agrava não só a jornada diária dos bancários como também pode comprometer a qualidade da assistência à so-

ciedade", acrescenta. O lançamento deste novo PDV é consequência da reforma da previdência, consolidada pela Emenda Constitucional 103. De acordo com a Caixa, os empregados que aderirem ao programa serão desligados entre os dias 23 deste mês e 31 de dezembro, com direito a um incentivo financeiro equivalente a 9,5 Remunerações Base (RB). "O banco tem que respeitar a decisão de quem tiver direito legal de continuar trabalhando. O empregado é que tem de analisar e decidir qual é o melhor momento dele se aposentar, conforme a lei", alerta o presidente da Fenae. "Não pode haver pressão da empresa sobre o bancário que tem direito de continuar trabalhando", completa Takemoto.

MENOS BANCÁRIOS

Este ano, por determinação judicial, a Caixa contratou aproximadamente 300 aprovados no concurso de 2014. Contudo, o número está longe de

ser o ideal, segundo apontam a Fenae e outras entidades representativas da categoria. Em razão do alto déficit de pessoal, a Federação e o movimento sindical atuam para que mais concursados de 2014 sejam convocados. Os novos bancários foram convocados no último mês de maio para atuarem no Norte e no Nordeste. As outras regiões ainda aguardam o atendimento das reivindicações para o aumento do quadro de pessoal. Além da falta de empregados, o banco ainda fechou 713 postos de trabalho, em doze meses, de acordo com dados da Caixa Econômica relativos ao 1º trimestre deste ano. "Esses enxugamentos produzem impacto direto na ponta: os bancários com sobrecarga de trabalho e a população sofrendo com as filas registradas no pagamento do auxílio e de outros benefícios, por exemplo", ressalta o presidente da Fenae.

> INTERAÇÃO

Braskem enaltece relevância da Ufal e reunião trata da retomada em Alagoas Redação com Assessoria Em reunião com gestores da Universidade Federal de Alagoas, dirigentes da Braskem falou sobre a retomada das atividades na unidade de cloro soda, em Marechal Deodoro, com matéria-prima vinda do Chile, e reforçaram a importância de ampliar a parceria com a instituição educativa nesse processo. O encontro tratou das medidas tomadas para amenizar a situação das 10 mil famílias dos bairros Pinheiro, Bebedouro, Bom Parto e Mutange, atingidos pela instabilidade no solo, e, sobretudo, de agendas positivas para o Estado e de projetos futuros, destacando a interação com a academia e o setor produtivo. O reitor Josealdo Tonholo recebeu o superintendente Hélcio Colodete e o diretor de Relações Institucionais da Braskem, Milton Pradines, e ressaltou a importância da empresa para o desenvolvimento da economia de Alagoas.

- A retomada das atividades produtivas da Braskem vem atenuar a crise econômica por que passa o Estado. Que isso seja feito dentro de toda segurança possível, com o máximo de envolvimento técnico. Daí a importância da aproximação dos especialistas e pesquisadores com alta capacidade técnica da Ufal com a Braskem, para que possamos usar toda nossa expertise e garantir que os procedimentos sejam feitos com segurança reforçou. Também participaram da reunião os pró-reitores de Gestão institucional, Arnóbio Cavalcanti, e de Extensão, Clayton Santos; o coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica, Pierre Barnabé; os diretores do Centro de Tecnologia (Ctec), Vladimir Caramori, e do Instituto de Química e Biotecnologia, Francine Santos de Paula; o professor João Soletti, do Laboratório de Sistemas de Separação e Otimização de Processo, do curso de Engenharia Química; o diretor da

goas. Estamos trazendo a matéria-prima do Chile - salientou Colodete.

MIRANDO O FUTURO

Reitor Josealdo Tonholo salienta papel da Braskem na retomada de Alagoas

Editora Universitária (Edufal), Elder Maia; e o diretor-presidente da Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes), Ricardo Wanderley. O superintendente da Braskem discorreu sobre a atuação da empresa, que está buscando fazer o melhor, incluindo a retomada da unidade de cloro soda, em Marechal Deodoro, e também falou sobre o projeto

Chlorplast, uma nova tecnologia na produção de cloro soda, reforçando que a relação de parceria com a Ufal deve ser fortalecida. - Temos uma potencialidade instalada e estamos unindo esforços dos profissionais para retomada das operações de forma segura. Retomaremos as operações da planta de cloro e soda este mês de novembro com o sal vindo de fora de Ala-

Milton Pradines lembrou que a Braskem e a Universidade já têm várias linhas de ação em conjunto e outras serão propostas. "Temos o programa de cuidado com animais, desenvolvido nos bairros do Pinheiro, Mutange, Bebedouro e Bom Parto, coordenado pelo professor Pierre, da Medicina Veterinária; temos convênio com a Edufal para o projeto de preservação da memória desses bairros; e vamos solicitar monitoramento da área de geologia nos estudos que estão sendo feitos nessas áreas atingidas. também há perspectivas de futuras parcerias com a área técnica da Ufal, em relação à planta-piloto, biomassa e vários outras", revelou. E completou: "Diante de toda crise enfrentada pelo problema que afetou os bairros do Pinheiro, Bebedouro, Bom Par-

to e Mutange, a empresa assumiu o protagonismo. É muito duro, não temos dúvida, mas nossa preocupação é com a segurança das pessoas. São 10 mil famílias fora de risco. Olhando para o futuro, vamos ser referência mundial do ponto de vista de tratamento ou de prevenção de acidentes".

RELAÇÃO INSTITUCIONAL

O reitor Tonholo falou da retomada da Braskem no sentido mais amplo, como a retomada do Estado. "Temos de lembrar da importância da Braskem como mola propulsora da economia alagoana. É hora de transformar as boas relações em trabalho prático. Gostaria de ter o envolvimento da comunidade acadêmica, por isso, fico feliz com essa aproximação. Temos muito dever de casa para fazer", assinalou, reforçando: "Precisamos ter um Estado viável com a produção de cloro soda dentro de todos os preceitos éticos, legais e de segurança".

> LUTO NO ESTADO

Em pleno 'clima de eleição’, Alagoas perde o ex-deputado Alcides Falcão Redação Alagoas perdeu, na semana que passou, em meio ao clima eleitoral, o ex-deputado Alcides Muniz Falcão, um político que, em décadas de atuação, exerceu mandatos eletivos preocupados unicamente em servir, em ajudar as pessoas e em contribuir para o desenvolvimento de Alagoas. Alcides Falcão morreu vítima de complicações pulmonares, na madrugada da quartafeira, 11 de novembro, aos 90 anos. Ele completou 90 anos em 29 de agosto último). Em muitos anos de vida pública, foi vereador em Maceió, deputado estadual e também assumiu interinamente o mandato de senador. Durante o regime militar, Alcides destacou-se por exer-

cer com firmeza e destemor a presidência do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) à época, o único partido de oposição. Há cerca de dois meses, Alcides Falcão havia feito uma cirurgia para retirada de nódulo na parte interna de um dos braços, mas logo se recuperou voltando para casa. Nas últimas semanas, porém, apresentou problemas respiratórios e teve de ser internado com complicações em um dos pulmões, vindo a falecer na madrugada da quarta-feira. Alcides Falcão iniciou sua vida pública elegendo-se vereador de Maceió. Na Assembleia Legislativa, exerceu sucessivos mandatos de deputado estadual destacando-se como um determinado defensor

Ex-deputado Alcides Falcão deixa lição de um homem público íntegro

do funcionalismo público. Também exerceu, interinamente, o mandato de senador da República. Era irmão do ex-gover-

nador (Sebastião) Muniz Falcão, do ex-deputado federal, prefeito de Maceió e conselheiro do Tribunal de Contas de Alagoas, Djalma Falcão, do ex-

vereador Pedro Muniz Falcão (Camucé) e do militante político José Muniz Falcão. Ao longo de sua trajetória política, Alcides Falcão sempre foi visto como um político íntegro, um homem voltado para as causas populares, um homem público de conduta exemplar. Nos últimos anos, assinava neste Primeira Edição a coluna 'Memória Viva', em cujo espaço narrava histórias da política e contava episódios jocosos que testemunhara ou de que fora protagonista no cenário da vida pública alagoana. - Perdi um grande amigo, Alagoas perde um homem correto, que fez da política um instrumento utilizado, sempre, para fazer o bem, para ajudar as pessoas e para con-

tribuir com o desenvolvimento de Alagoas - resumiu o jornalista Romero Vieira Belo. A diretora-administrativa do Primeira Edição, Alda Sampaio, lamentou o infausto e expressou condolências à família Muniz Falcão: "Alcides Falcão era um homem educado, cortês, preparado. Sua morte priva Alagoas de um político excepcional, ficando, porém, a história de sua vida como grande legado", disse. Natural de Araripina (PE), Alcides Falcão era um pernambucano que tinha orgulho de proclamar seu amor por Alagoas. - Desde que cheguei aqui, sempre me senti um verdadeiro alagoano - costumava dizer. Assembleia Legilsativa de Alagoas emitiu nota de pesar e condolências aos familiares.


A6 | Especial

Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020 Diário Oficial dos Municípios - Opinião - Social

> COPA DO MUNDO

Brasil enfrenta Uruguai nesta terça-feira Seleção de Tite jogará em Montevidéu após vitória magra de 1x0 sobre a Venezuela, em São Paulo, com gol solitário de Firmino Globo.com Esportes Depois da vitória de 1x0 sobre a Venezuela, sexta-feira (13) no Morumbi (São Paulo), a seleção brasileira prossegue sua caminhada rumo à Copa

do Mundo de 2022 enfrentando a sempre difícil seleção do Uruguai, nesta terça-feira (17) em Montevidéu. Há boas e más notícias. A boa é que o Brasil é a única seleção com 100% de aproveita-

mento nas eliminatórias e líder na classificação. A má é que a Seleção sofreu muito para vencer a Venezuela com um magro 1 a 0, nesta sexta-feira, no Morumbi, pela terceira rodada da competição. O time brasileiro

dominou o jogo, mas foi pouco criativo, e coube a Firmino fazer o único gol da partida. A destacar que o Brasil é o único país da América do Sul com 100 por cento de aproveitamento nessas Eliminatórias,

sendo o primeiro colocado, enquanto a Argentina ocupa a segunda colocação.

A TABELA

O Brasil lidera as eliminatórias, com nove pontos, seguido

pela Argentina, que tem sete. É a primeira vez desde 1981 que a Seleção inicia um torneio classificatório para a Copa com três triunfos. As três vitórias brasileiras foram contra as três últimas colocadas da tabela: Bolívia e Venezuela, que seguem sem pontuar, e o Peru, que tem apenas um ponto. A próxima rodada é toda na terça-feira, dia 17. A Seleção vai a Montevidéu e encara o Uruguai, que venceu bem a Colômbia fora de casa. A Venezuela recebe o Chile.

OS 90 MINUTOS

A seleção brasileira teve 73% de posse de bola. Trocou 623 passes contra 223 dos venezuelanos. Mas terminou o jogo com apenas 11 finalizações, das quais três foram no gol de Fariñez. Com muitos desfalques, a equipe de Tite sofreu novamente para ser criativo contra a forte defesa venezuelana. No primeiro tempo, fez um gol com Richarlison, mas o VAR o anulou ao marcar um impedimento polêmico de Lodi, que cruzou no início do lance. Com um jogo estático na primeira etapa, especialmente dos volantes Douglas Luiz e Allan, Tite lançou Paquetá após o intervalo no lugar do jogador do Aston Villa. O panorama pouco alterou. O domínio brasileiro seguiu na segunda etapa. Com muitos cruzamentos na área. Mas a tática deu certo. Aos 22 minutos, Everton Ribeiro cruzou da direita, Lodi disputou no alto, e Machís, ao tentar desarmá-lo, serviu Firmino para fazer o gol da vitória da Seleção: 1 a 0.

BOA ATUAÇÃO

Everton Ribeiro recebeu a camisa 10 na ausência de Neymar e, apesar do sofrimento da Seleção para criar chances de perigo contra a Venezuela, ele foi bem. O meia rubro-negro se movimentou bastante, abriu espaços e participou da jogada de gol de Firmino, com o cruzamento para a área.

ARBITRAGEM POLÊMICA

O Brasil abriu o placar aos seis minutos do jogo com Richarlison, mas o lance foi anulado com ajuda do VAR. A arbitragem de vídeo indicou impedimento de Renan Lodi após lançamento de Marquinhos. No entanto, na Central do Apito da TV Globo, Salvio Spínola chamou atenção para o momento em que a imagem foi frisada para identificar o impedimento. A arbitragem de Juan Benítez teve ainda outros momentos polêmicos. No segundo tempo, ele tirou a paciência dos venezuelanos. Aos 34 minutos, o técnico José Peseiro quis fazer duas substituições, mas o quarto árbitro não entendeu qual seria um dos jogadores a deixar o campo. Benítez mandou a partida seguir, e a Venezuela, que já havia paralisado a partida três vezes, ficou impedida de fazer a mudança.

ROBERTO FIRMINO

Firmino fez seu terceiro gol nas eliminatórias e é o artilheiro do Brasil na competição, ao lado de Neymar. O atacante do Liverpool, mais uma vez, cumpriu várias funções no jogo. Foi centroavante, se movimentou, atuou como meia, e estava na hora certa na área para fazer o gol. Foi seu 16º gol pela seleção brasileira.


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

B2 | Esportes

> FEZ FALTA

CSA: Paulo Sérgio deve enfrentar o Cuiabá Centroavante desfalcou o time contra o Guarani e a Chapecoense, a ausência foi sentida nas duas derrotas consecutivas GE O atacante Paulo Sérgio, do CSA, iniciou o trabalho de transição para voltar aos treinos com bola. Como o time só volta a campo no dia 21, contra o Cuiabá, a tendência é que o jogador fique à disposição do técnico Mozart. Paulo Sérgio sentiu um incômodo na perna esquerda durante o último treino antes da partida diante do Guarani, pela 20ª rodada do Brasileiro. O atacante desfalcou o CSA nos jogos contra o Bugre e a Chapecoense. Ele é principal artilheiro do time na Série B, com seis gols. Além de Paulo Sérgio, o lateral Igor Fernandes também corre contra o tempo para voltar aos gramados. Ele sentiu a coxa na partida contra o América-MG, pela sétima rodada da Série B. Já o zagueiro Ignácio se recupera de uma fissura no quinto metatarso do pé esquerdo. No próximo sábado, às 19h, o CSA encara o Cuiabá, na Arena Pantanal. O jogo é

Divulgação / Aílton Cruz

válido pela 22ª rodada da Série B.

PRIMEIRO TURNO

O CSA recebeu o Cuiabá no dia 16 de setembro, em jogo atrasado da terceira rodada. No Rei Pelé, o time azulino perdeu por 2 a 1. Pimpão fez o gol para a equipe alagoana. Maxwell e Elvis para os visitantes.

AUSÊNCIA SENTIDA

O centroavante Paulo Sérgio, principal artilheiro do CSA na Série B, com seis gols, é peça importante no ataque da equipe. Tratando de lesão muscular, ele desfalcou o time nas partidas contra o Guarani e a Chapecoense. Nesses jogos, o CSA marcou apenas um gol. Paulo Sérgio estreou com a camisa do CSA, contra o Oeste, pela nona rodada da Série B, em 13 de setembro. De lá pra cá, ele esteve em campo em 13 partidas. Tem uma média de 0,46 gol. Fez três na goleada azulina sobre o Paraná, por 4 a 0, dia 10

Na coletiva da última terça, Mozart falou sobre a ausência do centroavante. - O Paulo Sérgio é um dos artilheiros do Brasil, um jogador extremamente importante para nós, mas o Pedro Lucas fez um bom jogo contra o Guarani, o tempo que esteve em campo contra a Chapecoense contribuiu, o Pedro Júnior entrou muito bem no jogo... Então temos que achar soluções, nós temos um elenco qualificado, nas vitórias eu falei que acredito nesses jogadores e não é por causa de dois resultados negativos que vou mudar minha opinião.

UM SONHO

Paulo Sérgio é o principal artilheiro do CSA, atacante esteve em campo em 13 partidas com média de 0,46 gol

de outubro, mas parou por aí. Passou em branco nas partidas seguintes: Avaí, Botafogo-SP, Brasil de Pelotas, Chapecoense (atrasada da segunda rodada) e Náutico. Na derrota para o Guarani,

por 2 a 1, Pimpão fez o gol, no Brinco de Ouro, em Campinas. Com Paulo Sérgio em campo, mesmo não marcando, o CSA tem um centroavante e um jogador referência, que chama a marcação. Ele também

pode até jogar mais recuado, armando. Paulo faz a transição entre o DM e a preparação física e deve reforçar o time na partida do dia 21, fora de casa, contra o Cuiabá.

O lateral-direito Caio Felipe, ex-CSA, voltou ao Tricolor e teve uma boa surpresa. Ele foi convidado para compor o grupo de atletas que treinou com a Seleção no último sábado, no CT do São Paulo. Caio foi contratado em janeiro, jogou cinco vezes pelo CSA, mas não conquistou a posição. Hoje, Diego Renan é o titular da equipe.

> NA 21ª RODADA

Ao derrotar o “lanterna”, Galo ganha duas posições e ultrapassa o rival Azulão no Brasileiro; veja o cenário GE O CRB encerrou a 21ª rodada do Brasileiro em oitavo lugar. Sexta, a vitória por 2 a 1 sobre o Oeste fez o time ganhar duas posições. A partida em São Paulo marcou também a estreia do técnico Ramon Menezes. O CRB passou até o rival

CSA no Brasileiro, o que sempre é comemorado pela torcida. Com 29 pontos, o Galo está hoje a cinco pontos do quarto colocado, o Sampaio Corrêa. Em outra frente, abriu também nove pontos para o Náutico, primeiro time na zona do rebaixamento. O zagueiro Xandão comemorou o bom resultado na

Arena Barueri. - A vitória fora de casa sobre o Oeste foi muito importante. Não nos distanciamos do G4 e estamos ainda na briga. Temos que manter o ritmo agora para continuarmos firmes nesta luta para voltar ao grupo dos quatro primeiros colocados - comentou o zagueiro, que foi titular contra o Oeste. Para brigar mais em cima, o CRB tem que fazer valer o mando no próximo sábado. Recebe justamente o desesperado Náutico, às 19h, e precisa vencer para tentar encostar nos cinco primeiros. Agora, até pela distância para o G-4, o negócio é ficar no bolo. De acordo com o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, o Galo tem hoje 11% de possibilidade de subir. - O Náutico tem uma equipe forte, mas que passa por um momento difícil. Há uma necessidade de vitória dos dois lados. Não podemos errar nesse jogo. Temos que fazer uma partida segura novamente e eficiente para vencermos - disse Xandão.

ATENÇÃO ESPECIAL

O CRB ganhou um reforço importante para o jogo do próximo sábado, contra o Náutico, no Rei Pelé. Principal jogador da equipe, o argentino Diego Torres cumpriu suspensão no duelo com o Oeste, na sexta, e volta a ficar à disposição.

Divulgação

O grande duelo, válido pela terceira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, terminou empatado em 1 x 1

Ele é o cobrador de faltas do time e vai ser uma peça importante para o técnico Ramon Menezes. No Vasco, o treinador investiu na bola parada, uma de suas especialidades nos tempos de jogador. Nos treinos em São Januário, cada batedor repetia 50 vezes as cobranças por sessão. Bruno César e Felipe Bastos eram os mais exigidos. No CRB, Diego já cumpria essa função com Marcelo Cabo e vai ganhar uma atenção espe-

cial de Ramon. Diego, de 30 anos, chegou ao Galo no segundo semestre e disputou até agora 28 partidas. Fez três gols pela Série B, contra Avaí, Guarani e Operário-PR. Ele também é o garçom da equipe, com cinco assistências.

SUBSTITUTO

Na vitória do CRB sobre o Oeste, por 2 a 1, o volante Wesley fez a função do argentino, mas o time teve problemas claros na armação.

A falta de um substituto para Diego fez até a diretoria buscar outro nome no mercado. Anderson Ceará, do Santos, é o primeiro nome da lista, mas a negociação não é simples.

MUDA POUCO

Ramon foi contratado para assumir o lugar do técnico Marcelo Cabo, que se transferiu para o Atlético-GO. O técnico manteve a base de Cabo e surpreendeu na estreia ao vencer.


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

Esportes |B3

> DE VIRADA

Atlético-MG vence e assume a liderança Jogando fora de casa com polêmica no início, Timão sai na frente com Davó, mas o Galo melhora no segundo tempo e vira GE O Atlético-MG é novamente o líder do Campeonato Brasileiro. Buscou o topo da tabela com uma virada sobre o Corinthians, por 2 a 1, na Neo Química Arena, em São Paulo, pela 21ª rodada da competição. O Galo superou polêmica no começo do jogo e o bom primeiro tempo dos paulistas. Na etapa final, se impôs, mostrou qualidade ofensiva e buscou a vitória.

PRIMEIRO TEMPO

O jogo começou com polêmica. No primeiro bom ataque do Atlético, o estreante Vargas foi puxado por Gil na área. O árbitro e o VAR entenderam que não foi pênalti. Logo na sequência, o Corinthians abriu o placar com Davó, completan-

fotos: Divulgação

do cruzamento. Os paulistas marcaram forte, impuseram velocidade. Os mineiros tiveram muita dificuldade na etapa inicia, pouco criaram.

Revelado pelo Corinthians, o lateral Guilherme Arana entrou para a estatística da “lei do ex”. Na noite deste sábado, o jogador anotou o gol do empate. Essa foi a segunda vez que Arana enfrentou o time paulista desde que retornou para o Brasil. A outra vez havia sido na partida do primeiro turno, quando o Galo venceu o confronto por 3 a 2 e o lateral passou em branco.

E O PÊNALTI?

O lance reclamado pelos atleticanos foi aos quatro minutos. Sasha ganhou de Gil na velocidade, invadiu a área e foi puxado pelo zagueiro. O árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira (SC) mandou seguir. O lance foi revisado pelo VAR, sob o comando de Pathrice Wallace Corrêa Maia, do Rio de Janeiro, e nada de irregular foi apontado. Na Central do Apito, Sálvio Spínola não teve dúvida: houve pênalti no atacante do Atlético.

SEGUNDO TEMPO

O Corinthians voltou com a

A LEI DO EX NÃO FALHA!

De virada, o Atlético-MG é novamente o líder do Campeonato Brasileiro

pegada e competitividade da primeira etapa. Mas não manteve. O Atlético reagiu, contou com a qualidade do time para empatar. Vargas deu belo passe de calcanhar para Arana na área. O lateral mandou a bom-

ba para empatar. O Galo pressionou. Cassio salvou em cima da linha após finalização de Nathan. Mas o goleiro nada pôde fazer na conclusão de Marrony, após cruzamento de Keno, na virada do Atlético.

FIM DO TABU

Além de sofrer mais uma derrota que complica a vida do Corinthians no Brasileirão, os comandados de Vagner Mancini viram o tabu de jamais ter perdido para o Atlético-MG na Neo Química Arena ser quebrado. Em sete jogos que havi-

am sido disputados no estádio, o Timão tinha vencido quatro vezes e empatado outras três. A última derrota como mandante aconteceu em 2013, quando o Galo venceu por 1 a 0, em jogo disputado no Pacaembu.

AGENDA

O Atlético volta a campo nesta quarta-feira, às 19h (de Brasília), para enfrentar o Athletico-PR, no Mineirão, em jogo adiado da sexta rodada do Brasileirão. Pela 22ª rodada, o Galo e Corinthians jogam no próximo fim de semana, no domingo, dia 22. Os mineiros entram em campo às 16h, contra o Ceará, no Castelão. Os paulistas jogam às 20h30, contra o Grêmio, novamente na Neo Química Arena.

> SUPERAÇÃO

Santos vence o Inter, que perde a liderança da Série A GE Com um time remendado após desfalques por conta de surto de Covid-19, o Santos se superou na tarde do último sábado, na Vila Belmiro, e venceu o Internacional por 2 a 0, em partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ivonei, de falta, e Kaio Jorge, de cabeça, fizeram os gols do Peixe. O Inter, em seu segundo jogo sob o comando de Abel Braga, tropeçou novamente (tinha perdido do América-MG, quarta-feira, pela Copa do Brasil). Depois de um

com chutes de longe. John defendeu o arremate de Rodinei logo no começo da partida, e Lomba salvou o Inter em cobrança de falta de Marinho. Nenhuma das equipes, porém, conseguiu dar emoção ao jogo com boas trocas de passes e jogadas mais bem elaboradas. Etapa inicial fraca na Vila Belmiro.

primeiro tempo fraco, a emoção toda do jogo ficou para a etapa final. E nas duas vezes que o Colorado parecia estar perto de marcar, o Peixe respondeu com eficiência e construiu a vitória.

PRIMEIRO TEMPO

Diante de tantos desfalques, natural que o duelo entre Santos e Inter fosse mais truncado. Mas, de qualquer forma, a falta de criatividade dos dois times chamou a atenção no primeiro tempo. Tanto Peixe quanto Colorado criaram muito pouco e ameaçaram apenas

SEGUNDO TEMPO

Santos se superou na Vila Belmiro, e venceu o Internacional por 2 a 0

A etapa final começou animada na Vila Belmiro. Em cinco minutos, o Inter criou duas ótimas chances. Mas parou no goleiro do Santos. Na primei-

ra, John defendeu chute à queima-roupa de Abel Hernández. Depois, ele salvou cabeçada de Thiago Galhardo. Quando parecia que o Inter estava mais perto de abrir o placar, Ivonei bateu falta cruzada, a bola quicou na pequena área, enganou o goleiro Marcelo Lomba e foi para as redes. Santos na frente. Na tentativa de reação, o Inter chegou de cabeça com Galhardo e novamente parou no goleiro. Mas logo depois, o Peixe ampliou. No chute de Arthur Gomes, Kaio Jorge cabeceou livre para fazer o segundo.


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

B4 | Diário Oficial dos Municípios

ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PIAÇABUÇU AVISO DE ADIAMENTO DE LICITAÇÃO o Pregoeiro no uso das suas atribuições vem comunicar o adiamento da sessão do PREGÃO ELETRÔNICO N° 005/2020 (Licitação nº 842827) – TIPO MENOR PREÇO POR LOTE – OBJETO: Aquisição de Gêneros Alimentícios. Tendo a Data da Disputa para 13 de novembro de 2020, às 11h. FICA ADIADA para o dia 17 de novembro de 2020, as 09h. Mais informações poderão ser obtidas no setor de licitações localizado na a Praça São Francisco Borja, s/n, Centro, Piaçabuçu/AL, no horário de 08:00 a 12:00 horas e através do site http://www.transparencia.piacabucu.al.gov.br/licitacoes/. Telefone para contato (82) 3552 – 1155. Esclarecimentos e impugnações para o e-mail: licipmp@gmail.com. Piaçabuçu/AL, 12 de novembro de 2020. Bruno Alexsandro André do Nascimento Pregoeiro ========================================== ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PIAÇABUÇU EDITAL Nº 01/2020 DE CADASTRAMENTO PÚBLICO PARA CONCESSÃO DE SUBSÍDIOS PARA INSTITUIÇÕES CULTURAIS E PREMIAÇÃO DE PROJETOS PARA AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS CULTURAIS Lei 14.017, de 29 de junho de 2020, “Lei Aldir Blanc” editais, chamadas públicas, prêmios e subsídios, e aquisição de bens e serviços vinculados ao setor cultural e outros instrumentos destinados à manutenção de agentes, de espaços, de iniciativas, de cursos, de produções, de desenvolvimento de atividades de economia criativa e de economia solidária, de produções audiovisuais, de manifestações culturais, bem como à realização de atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas através da internet. LISTA DE APROVADOS E NÃO APROVADOS

PIAÇABUÇU 10/11/2020 ADRIANA BRUNA GUIMARÃES BREDA Secretário Municipal de Cultura e Juventude

> HEPTACULAR!

A Fórmula 1 tem um novo heptacampeão Lewis Hamilton iguala ao recorde de Michael Schumacher; piloto da Mercedes sofre no começo, mas termina em primeiro GE A Fórmula 1 tem um novo heptacampeão mundial: com mais uma atuação genial, Lewis Hamilton venceu neste domingo o Grande Prêmio da Turquia e igualou o alemão Michael Schumacher como o maior campeão de todos os tempos. De quebra, chegou à 94ª vitória, ampliando o próprio recorde. O inglês da Mercedes superou um começo difícil com a pista mais molhada pela chuva, andou parte da prova no quinto e sexto lugares e surgiu com força total quando o asfalto começou a secar. Viu os adversários trocarem os pneus intermediários, manteve-se na pista, passou o líder Sergio Pérez, da Racing Point, e disparou para a décima vitória em 14 corridas na temporada, 31 segundos à frente do mexicano. Este chegou a ser ultrapassado por Charles Leclerc na última volta, mas o monegasco da Ferrari errou e ainda caiu para quarto, atrás do companheiro Sebastian Vettel, que subiu ao pódio pela primeira vez em 2020. Depois da corrida, Hamilton mandou pelo rádio uma mensagem para as crianças acreditarem nos seus sonhos. Hamilton precisava somar apenas oito pontos a mais do que o companheiro Valtteri Bottas, único que ainda tinha

VETTEL: "Tive uma primeira volta muito boa, já me encontrava no em quarto! Foi muito intenso na última volta, uma surpresa ao conseguir o pódio no fim!"A próxima etapa da Fórmula 1 2020 será disputada daqui a duas semanas, no Barein. Esta será a 15ª etapa de um total de 17 corridas. A próxima etapa da Fórmula 1 2020 será disputada daqui a duas semanas, no Barein. Esta será a 15ª etapa de um total de 17 corridas.

não apenas pelo meu desejo de vencer nas pistas, mas por um desejo de ajudar a impulsionar nosso esporte e nosso mundo a se tornar mais diversificado e inclusivo. Eu prometo a você que não vou parar de lutar por mudanças. Temos um longo caminho a percorrer, mas vou continuar a lutar pela igualdade em nosso esporte e no mundo em que vivemos. Igualar o recorde de Michael Schumacher sei que não estará aqui para sempre.

A LUTA CONTINUA

Hamilton conquista o hepta, faz história e iguala a Schumacher na F-1, mas garantiu que novas conquistas virão

chances de lhe tirar o hepta, mas ele não só venceu, como viu o finlandês ter uma atuação apática e cruzar a linha de chegada apenas em 14º, após rodar por seis vezes. Agora, Hamilton soma 307 contra 197 de Bottas, que ainda pode perder o vice para Max Verstappen, sexto na prova de Istambul após uma rodada espetacular quando era o terceiro - o holandês soma 170 pontos. Pole position, Lance Stroll liderou a maior parte da corri-

da, mas terminou apenas em nono. Uma estratégia errada de trocar pela segunda vez os pneus intermediários jogou o canadense para o meio do pelotão. Com uma queda de rendimento, Stroll ainda perdeu mais posições. Também marcaram pontos Carlos Sainz Jr (McLaren), em quinto, Alexander Albon (RBR), em sétimo, Lando Norris (McLaren), em oitavo, e Daniel Ricciardo (Renault), em décimo.

HAMILTON: "É muito importante que as crianças vejam isso... Não dê ouvidos a ninguém que lhe diga que você não pode alcançar algo. Sonhe o impossível. Fale com ele. Você tem que trabalhar por isso, persegui-lo e nunca desistir!" PÉREZ: "Mais uma volta com esses pneus e acho que teriam explodido! Foi uma corrida caótica mas um resultado forte para nós, novas corridas virão!"

Após vencer o GP da Turquia e se tornar heptacampeão de Fórmula 1, no último domingo, Lewis Hamilton disse se sentir mais preparado que nunca para continuar em busca de recordes e títulos. Mais importante que isso, o piloto britânico quer seguir na categoria, e aproveitar os holofotes voltados para ele, para seguir lutando por mais diversidade e inclusão, não apenas no esporte, mais no mundo. Em uma postagem feita momentos após a conquista do sétimo título, Hamilton revelou que 2020 foi um ano de reflexão, um ano em que ele foi impulsionado por um desejo de mudança, de motivar as próximas gerações a lutarem pelos seus sonhos e por um mundo melhor. -Este ano fui impulsionado

Mundial de pilotos 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º

PILOTO L. Hamilton (ING) V. Bottas (FIN) M. Verstappen (HOL) S. Perez (MEX) C. Leclerc (AUS) D. Ricciardo (AUS) C. Sainz Jr. (ESP) L. Norris (ING) A. Albon (TAI) P. Gasly (FRA) L. Stroll (CAN) E. Ocon (FRA) S. Vettel (ALE) D. Kvyat (RUS) N. Hulkenberg (ALE) K. Raikkonen (FIN) A. Giovinazzi (ITA) R. Grosjean (FRA) K. Magnussen (DIN)

P 307 197 170 100 97 96 75 74 70 63 59 40 33 26 10 4 4 2 1


Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

Opinião |B5

A foto do fato

Editorial

Retorno ao videocassete? É uma ideia fixa de Jair Bolsonaro - a de que o sistema de votação eletrônico é vulnerável, passível de fraude - e por isso está pacificado que o presidente enviará ao Congresso Nacional uma PEC (Proposto de Emenda Constitucional) para a volta do voto impresso, em cédulas, nas eleições de 2022. Claro, indiscutível, que se trata (mesmo como proposta) de um retrocesso, pois remeteria o Brasil aos tempos da contagem manual interminável e, aí sim, das possibilidades de fraudes durante o processo de apuração. Era assim no passado. O que diz o presidente: "Nós temos, sim, já está bastante avançado, o estudo (para propor o voto impresso). A gente espera, no ano que vem, entrar, mergulhar na Câmara e no Senado, para que a gente possa, realmente, ter um sistema eleitoral confiável em 2022". Então, seria o caso de assumir o sistema dos Estados Unidos? Com voto impresso e com denúncias de fraude? Bolsonaro, a propósito, defende também que uma proposta de emenda à Constituição (PEC) 135/2019, de autoria da deputada Bia Kicis (PSLDF), seja analisada pelo parlamento. O texto exige a impressão de cédulas em papel na votação e na apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil. Já o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, afirma categórico que retornar ao voto impresso "seria um retrocesso". E dispara: "Retornar ao voto impresso é um retrocesso, é como comprar um videocassete. Meu único incômodo com as urnas (eletrônicas) é o custo delas. Temos 500 mil, custa 700 milhões de reais, e a cada eleição temos que trocar 100 mil delas". O custo é alto, é verdade, mas o voto impresso também sairia caro: R$ 2,5 bilhões, só para bancar o material para as eleições de 2022, segundo cálculos de especialistas. Portanto, não se pode sequer alegar economia de gastos a favor do voto em cédulas. Cabe, portanto, ao Congresso Nacional, sepultar a ideia de Bolsonaro. Aliás, se fosse possível fraudar o processo eletrônico, o presidente hoje não seria o petista Fernando Haddad?

Mesmo com pandemia, milhões de brasileiros foram às urnas neste domingo para eleger prefeitos e vereadores. No geral, o clima foi de normalidade em todo o País. As eleições deste ano estimulam a largada de alianças e articulações com vistas à sucessão presidencial de 2022.

O nevoeiro e o vácuo de liderança

Aventura na Praça do Montepio

Não é para menos. AmaTancredo Neves assinalou certa nhã entrarevez com a experiência de quem mos em noviveu muitos momentos tensos e vembro e faldecisivos que "a esperança é o tarão apenas único patrimônio dos deserda- oito semanas dos, e é a ela que recorrem as na- de trabalho ções, ao ressurgirem dos desas- parlamentar. tres históricos". O mundo inteiro A LDO ainda ainda assiste apreensivo e perple- não foi votada. A Comissão Mista xo o furacão que devastou 2020, de Orçamento sequer foi instalaa partir da explosão pandêmica da. O Orçamento Geral da União, da covid-19. Para despertar espe- que é a bússola necessária para rança, estadistas e líderes políti- sinalizar como lidaremos com a cos precisam de firmeza, clareza, enorme restrição fiscal em 2021 capacidade de previsão e com- e afastar especulações sobre partilhamento convincente sobre experimentos heterodoxos e exos rumos a serem seguidos. Mas travagantes, poderá não ser voa sociedade não se alimenta só tado. As propostas de emendas de retórica e promessas, quer constitucionais do pacto federaações e resultados. tivo, emergencial e dos fundos Confesso que está difícil, no públicos e suas variantes, que Brasil de nossos dias, ser um "rea- poderiam flexibilizar a execução lista esperançoso" como queria orçamentária, descansam emAriano Suassuna. A cruzada con- poeiradas nas gavetas. A dois tra a "vacina chinesa", o fato de o meses do final do ano, os 64 mipróprio governo desestimular a lhões de brasileiros beneficiados população a se imunizar e a per- pelo auxílio emergencial durante manente exaltação de "medica- a pandemia não têm ideia do mentos milaque ocorrerá em grosos" contra a janeiro. E os 17 covid-19 não setores desoneAs reformas formam prorados? Qual a priamente um previsão para o administrativa e quadro otimisinício do próxitributária ta. Tantos desamo ano? Nenhufios e a energia empacaram ante ma. sendo desperdiAs reformas tria falta de apetite butária e admiçada em polêmicas inúteis. nistrativa empado governo” Como diria Nelcaram diante da son Rodrigues é falta de apetite óbvio ululante reformador do que só serão oferecidas à popula- governo. As privatizações naufração vacinas registradas na An- garam no vácuo de liderança e visa, portanto, seguras e efica- de apoio parlamentar. Medidas zes. Assim como é uma sonora desburocratizantes e a abertura idiotice achar que há um plano externa caminham a passo de diabólico do Partido Comunista tartaruga. O Congresso, que tanChinês por trás de sua vacina. to tem a deliberar ainda em Se o horizonte no front da saúde 2020, está bloqueado em suas pública é turvado pelo nevoeiro, votações por obstrução parlana economia o cenário também é mentar, instrumento clássico das confuso e preocupante. O ufanis- oposições. Mas aqui não, é a prómo governamental pode até ten- pria base do governo liderada tar pintar de cor de rosa a reali- pelo "Centrão" que obstruí os tradade, mas o Brasil fechará o ano balhos. com uma dívida pública equiva- Para Ariano Suassuna, o otimista lente a 100% do PIB, um déficit é um tolo e o pessimista um chaprimário de cerca de R$ 860 bil- to. Mas está difícil ser "um realishões, títulos do Tesouro Nacional ta esperançoso" diante dos fatos sendo negociados com prazos que marcam o final de ano de cada vez mais curtos e juros cada um Brasil mergulhado na pandevez mais altos, dólar batendo mia. recordes de valorização e o mercado financeiro e de capitais ner(*) voso e desconfiado.

Depois de tantos casos amorosos interrompidos, agora parece que Germinia estava dando certo com o novo amado; apesar disso Jesualdo contou, que a sobrinha não parecia feliz, pois desejava realizar ao menos um sonho erótico antes de perder o libido. Já há muito tempo buscava convencer o parceiro que deveriam tentar mais uma vez praticar uma peraltice sexual. Ele, desdenhava, temeroso com um possível desfecho errado. Agora Germinia desejava se vestir de prostituta e ser levada pelo parceiro para um dos motéis de Maceió. Seria para ela o apogeu. Mas antes tinha que ser conquistada. Finalmente chegaram a um consenso. Ela foi em uma dessas lojas tipo sex shop, adquiriu roupas e artefatos como batom e outras maquiagens, que a caracterizariam tal qual uma autêntica vedete, estilo Moulin Rouge de Paris. O plano era simples: Germinia se vestiria a caráter, saia curta com babado e blusa justa, em cores fortes, deixando o umbigo a mostra, pintura extravagante no rosto, sapatos e meias contrastando com o restante das vestes. Perfume a valer, para sua presença ser sentida com metros de distância. Já prontos, sairiam no início da noite

Marcus Pestana (*)

Alberto Rostand Lanverly (*)

e o noivo a deixaria na esquina da Praça do Montepio no centro de Maceió, e imediatamente retornaria para lhe resgatar como se fosse uma mulher de programa. Esse era o sonho de consumo de Germinia. Tudo aconteceu como planejado, em parte. Germinia foi largada no local combinado, por volta das 20 horas de uma sexta feira, e, ansiosa por ser

“Agora, Germinia desejava se vestir de prostituta e ser levada pelo parceiro para um dos motéis de Maceió” "desejada ferozmente", ficou fazendo pose, andando de um lado para outro, balançando a bolsinha. Logo após dar a volta no quarteirão, retornou o noivo de Germinia, que não a enxergou no local combinado. Deu sinal de luz para chamar atenção, e nada. Parou mais adiante, desceu do veículo e caminhou ao redor da estátua de Bráulio Cavalcanti. Ao escutar um gemido, para sua surpresa, viu que sua amada estava sentada em um dos degraus da Facul-

dade de Direito, cabelos despenteados, pés descalços, ronchas nos braços, mordida no pescoço e chorando muito. Parecia que tinha sido atropelada por uma carreta de seis eixos. Saia e meias rasgadas, um peito caído por fora da blusa, a maquiagem toda borrada, mais parecendo o Coringa do Batman em final de festa. Tudo isso aconteceu em menos de cinco minutos. Levando-a de volta para o carro, perguntou o que tinha acontecido. Germinia contou que assim que foi deixada, quatro mulheres apareceram e perguntaram o que estava fazendo ali. Que aquele ponto tinha dono e não era assim que entrava sem permissão. Em resposta falou que estava esperando o noivo. Uma delas gritou: "você tem noivo, sua quenga!" e juntas baixaram o cacete em Germinia, que levou sozinha, uma surra que seria para dez pessoas. Mais um sonho erótico que não deu certo. Fico impressionado como tudo acontece com Jesualdo e Germinia. (*) Presidente da Academia Alagoana de Letras

Brasil fica menor com Biden presidente Vicente Nunes (*)

A democracia é uma maravilha. E, felizmente, ela deu uma enorme demonstração de força com a vitória do democrata Joe Biden para a presidência dos Estados Unidos. O Brasil, com as mudanças de ventos nos EUA, infelizmente, ficará cada vez mais isolado no mundo com Jair Bolsonaro na presidência. O governante brasileiro não se encaixa nesse mundo mais plural, do diálogo, do multilateralismo, que prevalecerá com a posse de Biden em janeiro de 2021. Bolsonaro é a antítese de Biden. É desagregador, negacionista, populista barato, oportunista e descomprometido com a verdade. É o retrato mais cruel de Donald Trump, que está sendo varrido do poder pelas urnas. Sim, os votos valem. E muito. Por mais que Bolsonaro insista publicamente que nada mudará em seu governo com a chegada de Biden ao poder nos Estados Unidos, muita coisa terá que ser ajustada aos rumos tomados pela maior economia do mundo. O presidente brasileiro terá que fazer uma boa alteração em sua equipe se quiser sobreviver politica-

mente. Muitos, sobretudo os defensores do governo, vão dizer que Bolsonaro tem apoio popular, que seu suporte junto à população vem crescendo. Mas o mundo será outro com a decretação da vitória de Biden nos EUA. As urnas americanas escancararam que a maioria da população, inclusive no Brasil, não aceita candidatos a ditadores.

“O presidente brasileiro terá que fazer boa alteração em sua equipe se quiser sobreviver politicamente” Com Bolsonaro, o Brasil teve muitos retrocessos em questões como direitos humanos, diversidade e meio ambiente. É nesta área, por sinal, que o país sofrerá a maior pressão por mudanças. A Europa já vem cobran-

do ações concretas para que o Brasil ponha fim às queimadas desenfreadas. Agora, o coro será engrossado por Biden. A subserviência de Bolsonaro a Trump e a veneração do presidente brasileiro pela indústria de fake news e de ataques à democracia transformaram o Brasil em uma republiqueta. Felizmente, em 2022, os brasileiros poderão acertar as contas novamente com a história, como fizeram os americanos. O aviso já foi dado por muitos analistas: as mudanças no governo Bolsonaro vão começar, cedo ou tarde, pelas demissões dos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e de Relações Exteriores, Ernesto Araújo. O presidente poderá bater o pé por um período, mas a birra passará e o pragmatismo prevalecerá. Questão de sobrevivência. (*) Colunista do Correio Braziliense

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Dr. Albino Magalhães, 221 - Farol | CEP 57.050-080 Fone: (82) 3021-5837/ 3021-0563 - Maceió | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 3021-0563

Luiz Carlos Barreto Goes Fundador do Primeira Ediçao

Miguel Goes Diretor

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


B6 | Social

Primeira Edição | 16 a 22 de novembro, 2020

Profile for Carlos Monteiro

Alfredo Gaspar em 1º e JHC em 2º, como indicavam pesquisas  

Edição impressa de 16 de novembro

Alfredo Gaspar em 1º e JHC em 2º, como indicavam pesquisas  

Edição impressa de 16 de novembro

Profile for peonline
Advertisement