Issuu on Google+

edição PRIMEIRA

Dirceu chefiava o mensalão? O julgamento, no STF, que definirá se o ex-ministro José Dirceu chefiava o esquema criminoso do mensalão deverá acontecer a três dias do segundo turno que, em São Paulo, confronta o tucano José Serra e o petista Fernando Haddad. > A-8

Mega sai para único apostador Um apostador de Viçosa (Ceará) levou sozinho o prêmio de quase R$ 34 milhões da Mega-Sena deste sábado (13). Foram sorteadas as dezenas 04, 13, 14, 40, 46 e 52. A Quina teve 124 acertadores e cada um vai levar R$ 26.342,96.

Ano 9 | Edição 487 | Maceió, Alagoas, 15 a 21 de outubro, 2012 | R$2,00

TRE-AL pode aumentar vagas na Câmara Com um milhão de habitantes, Maceió tem só 21 vereadores; Marechal, com 45 mil moradores, conta com 13 legisladores > A-2 Miguel Goes

COM DESAFIOS DE LONGO PRAZO, RUI DESCARTA CONCORRER AO GOVERNO Prefeito eleito precisará de mandato integral para superar problemas como o do trânsito Eleito prefeito de Maceió com 57% dos votos válidos, Rui Palmeira (PSDB) sabe que será pressionado a concorrer

ao governo em 2014, mas descarta tal hipótese, garantindo que cumprirá o mandato até o último dia. Ele sinali-

za nessa direção também ao admitir que certos problemas da capital não serão superados em curto e médio prazo,

a exemplo da desordem no trânsito. Equipes de transição começam a se reunir neste início de semana. > A-3

Rui diz que vai cumprir o mandato integralmente

CRUZ DAS ALMAS - UM BAIRRO VENDIDO AOS ESPECULADORES Valiosos terrenos, situados na faixa transformados em objeto de espe- valorizá-los ainda mais para futu- pósitos de lixo e refúgios de mar- a desapropriação, através de lei, entre Jatiúca e o final de Cruz das culação imobiliária. Enquanto os ras incorporações, os lotes ficam ginais e viciados em drogas. Uma das áreas baldias e sua integração Almas, foram todos vendidos e proprietários, incógnitos, esperam abandonados servindo como de- das soluções para o problema seria ao patrimônio do Município.> A-5 Colaborador : Mickaell Clygens

Época: jardineiro de Collor recebe verba do Senado Federal

De Jatiúca a Cruz das Almas, terrenos como este, no Jardim Vaticano, servem para depositar lixo e esconder marginais - em nome da especulação

PMDB ELEGE MAIS PREFEITOS EM ALAGOAS E EM TODO PAÍS

Presença constante na mídia, o senador Fernando Collor (PTB-AL) é destaque na nova edição da revista Época, com a revelação de que seu jardineiro é remunerado com dinheiro do Senado Federal. A assessoria de Collor disse não se tratar de jardineiro, mas de um ‘assessor do gabinete’. > A-7

Divulgação

Collor em reportagem da Época

EXCLUSÃO DE RONALDO LIVROU GALBA DE REVÉS HUMILHANTE

> A-3

> A-2

Após derrota, CRB pega Boa Esporte no Rei Pelé Divulgação

PEIXE ENGOLE O VASCO O Vasco da Gama jogou mal na Vila Belmiro, perdeu para o Santos por 2x0 e saiu do G-4, para total decepção de seus torcedores. Time esteve muito mal e foi superado pelo Peixe sem o craque Naymar. > ESPORTES

A expectativa do técnico Roberval Davino não se confirmou: o CRB perdeu de 1x0 para o Avaí, na Ressacada, e está a 2 pontos da zona de rebaixamento. O Galo tem 29 pontos, enquanto o primeiro da área crítica, o Bragantino, tem 27. Na nova rodada, nesta terça-feira, o time praiano vai enfrentar o Boa Esporte de Minas Gerais, às 21h50, no Estádio Rei Pelé. > ESPORTES

Divulgação

SÃO PAULO ESTÁ NO G-4 Com a vitória sobre o Figueirense por 2x0, neste domingo, o Sao Paulo entrou no G-4 e pode garantir vaga na Taça Libertadores. Tricolor não teve dificuldade e venceu com gols de Fabiano e Douglas. > ESPORTES

Fale conosco | (82) 3325.2815 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

A2 | Política

O Ã Ç A R A E R T L A A ÂM C NA Everson Vieira Exclusivo para o PE

Não cabe ainda comemoração, mas nove dos candidatos e vereador que ficaram na primeira suplência em Maceió, após a eleição do último domingo, estão bem próximos de conseguir as vagas pleiteadas no âmbito da Justiça Eleitoral. Como não existe, na legislação vigente, nada contra nem a favor ao aumento de cadeiras, compete exclusivamente ao Tribunal Regional Eleitoral a decisão de aumentar o número de vagas na Câmara da capital, ampliando as atuais 21 cadeiras para 30, dentro do que estabele-

Aumento de vagas de vereadores de Maceió só depende do TRE-AL Mudança na Lei Orgânica autoriza ampliação de vagas; nada na legislação impede decisão nesse sentido ce a Emenda Constitucional 58. A ampliação do colegiado, objeto de acirrado debate entre os vereadores ao longo deste ano, está consagrada na alteração introduzida à Lei Orgânica Municipal em 2009, mesmo sem ter fixado o novo número de vagas no Legislativo Maceioense. O advogado Marcelo Brabo Magalhães revelou que a Procuradoria da Câmara elaborou parecer fundamentando a constitucionalidade do aumento de vagas, mas o arrazoado não foi levado em consideração porque acabou prevalecendo o discurso político contrário ao aumento das vagas.

Ao Primeira Edição, Brabo Magalhães disse neste final de semana que Maceió vive uma situação inusitada, sem paralelo em outros municípios, uma vez que a Justiça Eleitoral tem hoje a competência para decidir favoravelmente ao mandado de segurança impetrado por alguns partidos, na véspera da eleição, pleiteando a elevação do número de cadeiras na Câmara de 21 para 30. O inusitado reside no fato de que, embora bem votados, os candidatos não eleitos poderão ser empossados por força de uma decisão do TRE-AL em cima de um recurso vinculado (uma ação judicial pedindo que

a Corte reconsidere decisão anterior contrária ao aumento do número de vereadores da capital). A Emenda Constitucional 58 estabeleceu nova correlação entre a composição das Câmaras e às populações dos respectivos municípios, mas no caso de Maceió, por questões meramente políticas, o aumento do número de legisladores não foi efetivado, embora a capital se enquadre entre os municípios com direito a ter até 31 vereadores. Na opinião de Brabo Magalhães, uma vez alterada a Lei Orgânica Municipal, no sentido de compatibilizá-la à mudança da Emenda 58, Maceió automa-

> PELO GONGO

ticamente passou a ter direito a ampliar o seu número de integrantes da Câmara de Vereadores. Operadores do Direito afirmam que a inclusão de nove candidatos não eleitos em Maceió, mas situados na condição de primeiros suplentes, passa a ser uma questão política, "até porque tal decisão não prejudicará ninguém". A contenda em torno do aumento de vagas na CM maceioense se desdobrou com ações impetradas tanto no Tribunal de Justiça quanto no Tribunal Regional Eleitoral, pois não havia nada na legislação que definisse a esfera competente para julgar o caso. Próximo da eleição, o TRE-

Divulgação

Saída de Ronaldo livrou Galba Novais de fracasso humilhante Assessoria

Da Redação

A desistência forçada de Ronaldo Lessa (PDT) em cima da eleição provocou a dispersão de seus eleitores e beneficiou praticamente todos os candidatos, desde o líder das pesquisas Rui Palmeira (PSDB), ao lanterninha Sérgio Cabral (PPL). Nenhum dos concorrentes, entretanto, foi tão aquinhoado quanto o vereador Galba Novais (PRB): na última pesquisa do Ibope divulgada na sexta-feira (5) ele aparecia com Galba escapou de fracasso humilhante graças à exclusão de Ronaldo Lessa apenas 2% das intenções de voto, o que lhe daria cerca de 8 mil votos no contexto dos cerca de 400 mil sufrágios válidos apurados no domingo à noite. CANDIDATO PARTIDO VOTOS %VÁLIDOS

Votação para prefeito

DISPERSÃO Com a saída de Lessa e a dispersão de seu eleitorado, contudo, Galba Novais conseguiu obter 40.615 votos (10,38%) o que o livrou de um grande fiasco eleitoral, reflexo de sua péssima gestão na presidência da Câmara Municipal de Maceió. Pelo que projetava a sondagem do Ibope, Ronaldo Lessa poderia ter alcançado 120 mil votos, no bojo dos 400 mil apurados, mas seu substituto de última hora, Jurandir Bóia, teve apenas 50.874 votos (12,69%). O restante se redistribuiu. Pela ótica das pesquisas de intenções de voto, Jéferson Mo-

AL anunciou que estava valendo o colegiado formado por 21 vereadores (sem alteração), mas tal decisão pode agora ser modificada pela própria Corte Eleitoral. Se o aumento de vagas for decretado, candidatos como César Lira, e vereadores não reeleitos como Oscar de Melo (com mais de 5 mil votos) estarão entre os empossados no próximo dia 1º de janeiro. Maceió vive hoje uma situação excepcional também porque, com um milhão de habitantes, a capital tem um número de vereadores bem próximo ao de Arapiraca (15), que tem menos de 200 mil moradores, ou Marechal Deodoro (13) com apenas 45 mil habitantes.

Rui Palmeira (Eleito)

PSDB

230.129

57,41

Ronaldo Lessa

PDT

50.874

12,69

Galba Novais

PRB

41.615

10,38

Jeferson Morais

DEM

40.015

9,98

Alexandre Fleming

PSOL

20.561

5,13

Rosinha da Adefal

PT do B

10.022

2,50

Nadja Bahia

PPS

5.882

1,47

Sergio Cabral

PPL

1.726

0,43

TOTAL

%

Brancos:

25.584

5,58

Nulos

32.067

6,99

Total de votos válidos:

400.824

87,43

rais (DEM) teria empatado tecnicamente com Galba Novais, mas na matemática exata do processo eleitoral ele acabou ficando em quarto lugar: obteve 40.015 votos (9,98%). O próprio Rui Palmeira, grande vencedor da disputa, foi beneficiado pela exclusão de Lessa, se levado em conta a posição que ocupava na última pesquisa Ibope: ele aparecia com 46% das intenções de votos, mas acabou tendo seu nome clicado por 230,129 eleitores, ou seja, 57.41% de total de votos computados. ATÉ FLEMING Outro candidato muito favorecido foi Alexandre Fleming (PSOL): el e era um dos últimos das pesquisas e ficou em quinto lugar com 20.561 votos (5,13%), portanto à frente da deputada federal Rosinha da Adefal (PT do B), que obteve apenas 10.022 (2,5%). Em análise geral, com base nos números definitivos revelados no domingo, o tucano Rui Palmeira teria sido eleito prefeito de Maceió, já no primeiro turno, mesmo se Ronaldo Lessa tivesse sido autorizado pela Justiça Eleitoral a participar da disputa. De um total superior a 500 mil eleitores, apenas 400 compareceram às urnas da capital, mas 32.067 anularam o voto e outros 25.584 decidiram votar em branco.

TRE-AL pode aumentar número de vagas acolhendo mandado de segurança

> OPINIÃO

Quadro desproporcional Desproporcionalidade. É a palavra que melhor define a relação entre o número de vereadores de Maceió e o de muitas cidades do interior alagoano. Marechal Deodoro, por exemplo: com pouco mais de 45 mil habitantes, a antiga capital passa de 9 para 13 vereadores a partir de janeiro próximo, ou seja, mais da metade do colegiado maceioense. Outro exemplo: Piranhas, cidade de apenas 21 mil habitantes, encravada no Alto Sertão alagoano, também passou a ter 13 vereadores graças ao aumento aprovado pela Câmara com base na Emenda Constitucional 58. Segunda maior cidade do Estado, Arapiraca tem cerca de 200 mil habitantes e uma Câmara Municipal com 15 vereadores - apenas 6 menos do que a da capital que tem um milhão de moradores. Diante dessa realidade - e passado o debate fisiológico que permeou o ano legislativo na Câmara maceioense - cabe admitir, de uma vez: Maceió deve aumentar seu número de vereadores, e que isso seja feito sem elevação dos gastos financeiros. Ressalte-se: o aumento das vagas nas Câmaras Municipais não mexe com as regras do jogo eleitoral para justificar o emprego do princípio da anualidade. E como não há nada contra nem a favor, não importa que a alteração seja feita antes ou depois do pleito. O TRE-AL, portanto, está livre para ampliar o colegiado da capital, atenuando o quadro desproporcional hoje existente entre o Legislativo de Maceió e o dos municípios do interior.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

Política | A3

> MANDATO INTEGRAL Romero Vieira Belo

Enfoque Político A opção do eleitorado O que houve em Maceió, domingo, foi um simples rodízio político. Rui Palmeira interrompeu o domínio do grupo que celebrou a vitória de Cícero Almeida, em 2004, do mesmo modo que o atual prefeito impediu a continuidade do que bloco que, em 1996, levou Kátia Born à Prefeitura de Maceió. O eleitor queria mudar e entendeu que Rui Palmeira encarnava o personagem talhado para cometer a mudança. Os nomes possíveis de chegar lá tinham limitações: Jéferson Morais pareceria uma continuação de Almeida, enquanto Galba Novais carregava o peso do desgaste provocado pelos desmandos na Câmara. Os demais candidatos, todos com boa origem e bom perfil, não tinham cacife para liderar um processo desse porte. Iniciado o jogo, o eleitor percebeu que apenas Rui tinha potencial para peitar Ronaldo Lessa, até então visto como um postulante imbatível. A depender de seu desempenho, Rui poderá repetir o mandato como o fez Cícero Almeida. Mas não será fácil, daqui a 8 anos, emplacar alguém que represente ser seu continuador. Isso porque a alternância tem sido a regra na maioria dos municípios brasileiros, sobretudo porque os eleitores novos que vão surgindo tendem sempre a buscar algo novo, o mais próximo possível de sua geração. Lessa era um bom candidato (à parte suas pendengas com a Justiça), tinha experiência e carisma, mas entrou em campo numa hora errada. Hoje, dá para compreender que, para o eleitor, ele não se lançou com um projeto para Maceió. Entrou com a ideia precípua de sair da incomoda reserva política. O eleitor lhe disse não. PALANQUE DESARMADO 1

PALANQUE DESARMADO 2

Rui Palmeira já exibe um diferencial: desceu do palanque no dia seguinte à eleição. Bem ao contrário de políticos carreiristas que, passado o pleito, ficam remoendo assuntos superados da campanha.

Em suas últimas declarações aos jornalistas, o prefeito eleito tem sido realista ao afirmar que há desafios em Maceió, como os da saúde e trânsito, que só serão superados em longo prazo.

O FATOR CORREIA NA DECISÃO EM ARAPIRACA Célia Rocha, prefeita eleita de Arapiraca, deve em parte sua vitória ao candidato Alves Correia. O avanço de Rogério Teófilo na reta final da campanha só não foi suficiente para ultrapassar a deputada porque parte do eleitorado se manteve fiel a Correia até o fim. Mesmo assim, a disputa final acabou sendo dramática. LANÇAMENTO

VOTO EXTINTO

A conceituada Avianca convida para o lançamento desta segundafeira (15): será às 19h, no Teatro Gustavo Leite (Centro Cultural de Jaraguá), com a participação do governo do Estado.

Se o voto de opinião ainda existisse, quem seria seu principal beneficiário na eleição para vereador? Sem dúvida, pela altíssima qualificação e integridade moral, o advogado José Costa.

PLANO FEDERAL MUDOU O FOCO DA CAMPANHA EM MACEIÓ Téo Vilela guardou distância da sucessão em Maceió, mas foi sua a iniciativa que mudou o discurso da campanha a favor de Rui: ao trazer o governo federal para implantar o plano 'Brasil Mais Seguro', o governador conseguiu conter a escalada da violência. Tanto que o tema mais explorado pelos candidatos não foi o da criminalidade em alta, mas o da dramática situação da saúde pública. NEM IZAC DA CUT

A MELHOR OPÇÃO

Está mais do que provado que voto sindical não elege ninguém - ao menos aqui em Maceió. Se elegesse, o principal sindicalista do Estado, Izac Jackson, presidente da CUT, seria hoje vereador.

O passo correto de Alexandre Toledo é: assumir o mandato de deputado federal (no lugar de Rui), licenciar-se e voltar ao comando da Secretaria de Saúde. Secretário de estado é outra coisa.

O QUE É DISPUTAR A VEREANÇA EM MACEIÓ Divaldo Suruagy dizia: é mais fácil chegar ao governo de Alagoas do que à Câmara de Maceió. Pois bem, ele próprio, governador, não elegeu o primo Roberto Suruagy (Suruca); o senador Renan Calheiros não elegeu o irmão Robson e, agora, Benedito de Lira, senador, não elegeu o sobrinho César Lira. O ÍDOLO DE PIRANHAS

IMAGEM DESFEITA

Numa eleição em que abundaram os candidatos médicos, o grande campeão foi o Dr. Dante, prefeito eleito que implodiu o poderio político de Washington Luiz na histórica Piranhas.

O mensalão, reconhecido e julgado pelo Supremo Tribunal, abalou a imagem de Lula aqui e no exterior. A ponto de muita gente apostar como, hoje, Obama não chamaria o petista de 'o cara'.

ENTRA COMUNICADOR, SAI COMUNICADOR Os votos destinados a radialistas e apresentadores de TV só garantem um mandato na Câmara. Saiu Cícero Almeida, entrou Oscar Melo. Entrou Wilson Júnior, saiu Oscar. Quando Oscar se lançou candidato pela primeira vez, Gernan Lopes tentou, mas foi derrotado. Os votos destinados ao pessoal da comunicação giram em torno de 20 mil os quais, fragmentados, só dão para um mandato.

Pressão haverá, mas Rui afirma que não concorrerá ao governo Prefeito eleito descarta 2014 ao afirmar que desafios serão resolvidos em longo prazo fotos: Divulgação

Márcio Ândrei Repórter

Quem se elege prefeito de uma capital com 57% dos votos válidos, como Rui Palmeira em Maceió, exibe fôlego para alçar um vôo mais alto, sob pressão de aliados e do próprio eleitorado, mas tal possibilidade já está descartada pelo sucessor de Cícero Almeida. Em seus contatos com a imprensa ao longo da semana que sucedeu à sua vitória nas urnas, o ainda deputado federal Rui Palmeira garantiu, em tom solene, que cumprirá o mandato de prefeito até o final, ou seja, até 31 de dezembro de 2016. Tal determinação não expressa apenas o respeito do futuro prefeito aos eleitores que lhe deram o voto na esperança e mesmo certeza de vê-lo enfrentar os desafios administrativos da capital, mas revela também a consciência que Rui Palmeira tem quanto à dimensão dos problemas que irá enfrentar na Prefeitura. Na primeira coletiva que deu já como prefeito eleito, na manhã de segunda-feira (8), Rui garantiu que cumprirá o mandato integralmente e foi realista

Prefeito eleito, Rui Palmeira garente cumprir mandato integralmente para enfrentar os grandes desafios da capital

ao afirmar que os problemas mais ingentes da capital (como os do trânsito e da saúde pública) não serão solucionados em curto ou médio prazo. Para alguns analistas, essa posição do futuro prefeito indica uma sutil projeção voltada para um possível e até provável segundo mandato, já que os quatro anos que terá pela frente

serão insuficientes para lhe permitir executar os principais projetos que defendeu durante o debate eleitoral.

TRANSIÇÃO Rui Palmeira e o prefeito Cícero Almeida já definiram o processo de transição que deve começar já nesta segunda-feira reunindo assessores da atual e

da futura gestão. Técnicos indicados pelo prefeito eleito mergulharão em números, em projetos e contratos, principalmente os já previstos no orçamento para 2013, de modo a levar ao novo gestor um quadro detalhado dos compromissos que terá de cumprir, das despesas e dos recursos que terá de gerir a partir de janeiro próximo.

> BALANÇO

PMDB faz mais prefeitos em AL e Renan destaca avanço feminino Brasília - O senador Renan Calheiros (PMDB) usou a tribuna do Senado Federal para fazer um balanço otimista sobre a evolução do seu partido nas eleições do último domingo. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, o PMDB sustentou a liderança em relação ao número de prefeitos eleitos em todo o País. A partir de janeiro de 2013, 1.036 cidades brasileiras serão administradas por prefeitos do PMDB, eleitos em primeiro turno. Para o líder do partido no Senado, essa votação supera, com bastante folga, o segundo colocado com 690 cidades e significa que, perto de 20% dos municípios brasileiros, serão administradas pelo PMDB. "Nas capitais, o PMDB elegeu dois prefeitos em primeiro turno: Eduardo Paes, no Rio de Janeiro, e Teresa Surita, em Boa Vista. No segundo turno, vai disputar em Florianópolis, Campo Grande e Natal, além de outras 13 cidades com mais de 200 mil eleitores", destacou Renan. O partido que o senador preside em Alagoas, na sua avaliação, repetiu o excelente desempenho que vem apresentando nos últimos pleitos e manteve a liderança entre as cidades brasileiras. "Isso graças ao trabalho dos presidentes da legenda: o vice-presidente, Michel Temer, e o atual presidente, senador Valdir Raupp, os quais, entre tantas outras expressivas lideranças, desejo saudar e parabe-

Michel Temer deu amplitude ao PMDB que, aqui em Alagoas, ajudou a eleger James Ribeiro, em Palmeira, salientou Renan

nizar por esta permanente reinvenção do PMDB", reforçou. Além de ser o partido com o maior número de prefeitos eleitos, a legenda recebeu 16,7 milhões de votos em todo o País, o que, nos cálculos do senador, representa mais de 12% da confiança do total de eleitores, perdendo apenas para o PT, que obteve 17 milhões de votos. "Este número adquire uma importância significativa porque em muitas cidades, inclusive grandes centros, o PMDB preferiu não impor nomes e optou por coligações", avaliou. Renan citou como exemplo as alianças que o partido formalizou em Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Maceió, Porto Alegre, Goiânia, São Luiz, Manaus, Vitória e Aracaju, entre outras.

VEREADORES Em todo o Brasil, o PMDB conquistou a maior quantidade de cadeiras nas câmaras municipais. Foram 7.951 vereadores eleitos pelo partido e que irão ocupar vagas nas câmaras por todo o país. Os eleitos pela sigla, segundo ele, representam 14% do total dos eleitos. A maior vantagem do PMDB foi na região Sul, onde o partido elegeu 2.574 candidatos, e no Nordeste, com 2.091 vereadores eleitos.

ALAGOAS Renan também ressaltou o resultado do pleito Em Alagoas, onde o partido que preside no Estado passa um excelente momento eleitoral, com grande aceitação da sociedade. Das 102

cidades, o PMDB elegeu 25 prefeitos diretamente e venceu, através de alianças, em 80% dos municípios. "Das 10 maiores cidades do Estado, fomos vitoriosos em oito delas. Entre elas, Arapiraca, com a prefeita Célia Rocha, Palmeira dos Índios, com o prefeito James Ribeiro". O senador disse ainda em seu pronunciamento que o PMDB elegeu diretamente 25% dos prefeitos das cidades alagoanas, sendo um dos melhores desempenhos do partido no Nordeste. "O PMDB, portanto, foi o partido que, novamente, mais elegeu prefeitos e vereadores, reiterando a pujança da sigla, seu conhecimento, aceitação, credibilidade, capilaridade, força e expressão nacional".

Mais mulheres ganham prefeituras Outra boa notícia anunciada pelo senador Renan Calheiros foi o crescimento no número de mulheres eleitas para as prefeituras. Comparando-se com o pleito de 2008, segundo ele, houve um acréscimo de 31% nas eleições deste ano. "Apenas uma candidata, para nossa honra, se elegeu prefeita

de capital, Teresa Surita do PMDB, em Boa Vista", colocou. Em 2012, as mulheres conquistaram 621 prefeituras, representando 12% do total de prefeitos eleitos. Em 2008, terminado a primeira etapa da eleição, haviam sido eleitas 504 prefeitas, ou, 9% do total. A boa notícia é que o PMDB, também,

elegeu a maioria das prefeitas, com um total de 122 candidatas. Em Alagoas, 15 municípios serão comandados por mulheres a partir de 1º de janeiro. Isso representa um percentual próximo a 15% dos municípios. "O PMDB, novamente, faz o

maior número de prefeitos, a maior quantidade de vereadores e reafirma sua vitalidade em um quadro político com muitas nuances e peculiaridades, muito conhecidas por aqueles que acabam de enfrentar uma das mais difíceis eleições dos últimos anos", concluiu.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

A4 | Cidades

O Ã Ç VA TE O REN DEBA EM

Mudança ética na Câmara depende de 'gestão isenta', afirma vereador eleito Vereador critica salário alto, mas não crê que candidato tenha gasto R$ 1 milhão para conseguir o mandato fotos: Luciana Martins

Luciana Martins

novos são pessoas que têm propósito com a população. "Uma das coisas que precisam mudar na Câmara de Maceió são os objetivos, a gente deve lutar pelo coletivo e esquecer o individual porque foi isso que desgastou a imagem do político. Eu sofri na pele durante o período de campanha, ouvindo as pessoas dizerem "olha aí vem mais um ladrão".

Repórter

A Câmara Municipal de Maceió terá uma renovação de 57%, a partir de 1º de janeiro próximo, mas isso não é garantia de que desmandos como empreguismo e gastança com salários não mais será praticados no Legislativo Maceioense. Essa é a opinião do novo vereador Cleber Costa, o único eleito pelo Partido dos Trabalhadores (4.097 votos) no último domingo. "A renovação não é garantia de que o trabalho na Câmara vá transcorrer dentro da moralidade, da ética e dos bons costumes", disse ele ao Primeira Edição acrescentando: - Espero que esta renovação dê uma oxigenada no sistema para que a gente possa melhorar no campo das ideias, das proposições e da defesa do interesse da coletividade e não do interesse pessoal. PRESIDÊNCIA Segundo Cleber Costa, seria interessante ter Heloisa Helena como presidente da Câmara de Maceió, mesmo porque a presidência da Câmara não deveria ser exercida por um aliado da base governista porque isto deixaria um nível de suspeição muito grande. - Acho que o presidente da Câmara deveria ser uma pessoa isenta, idônea e capaz de definir o que é melhor para sociedade, sem atender os interesses individuais, de governo, de A ou de B, ou até pessoais. Em relação ao excesso de funcionários (empreguismo) na Câmara Municipal, Cleber Costa asseverou não pode dizer se com a renovação isso vai parar ou continuar, mas assegurou que vai combater tal prática. "Essa é uma situação que não confere dignidade à Câmara. Funcionário sem trabalhar, recebendo dinheiro público, não dá. Em empresa nenhuma você vê isso, escritório nenhum você vê isso, na sua casa você não vê isso, en-

Cleber Costa diz que renovação não é garantia de mudança moral e ética

tão como você quer fazer isso na casa dos outros, na casa do povo?". Cleber Costa disse que a discussão em torno do aumento do número de vereadores já está ocorrendo, mas não por iniciativa da futura Câmara que só poderá se reunir a partir de janeiro de 2013. "Estou sabendo que alguns candidatos estão tomando a iniciativa de entrar com um novo processo para aumentar o número de vereadores, mas é preciso se discutir esta questão em todos os níveis".

REMUNERAÇÃO Uma pesquisa realizada pelo site UOL revelou que o salário dos vereadores de Maceió está entre os sete maiores das capitais do Brasil e o quinto maior do Nordeste. No ano de 2013 os vereadores de Maceió passarão a receber R$ 14 mil perdendo apenas para os do Recife (PE), São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) cujo salário do vereador é de R$ 15.031,76. Isso é justo? O vereador eleito respondeu que não. "Eu ficaria contente se você me dissesse que Maceió é a sétima capital em menor índice

Wilson Junior considera injusto o alto salário que vai receber na Câmara

Os vereadores eleitos HELOISA HELENA (PSOL): 19.216 votos SILVÂNIO BARBOSA (PSB): 10.321 votos APARECIDA DO LUIZ PEDRO (PRTB): 9.014 votos GALBA NOVAES (PMDB): 8.939 votos WILSON JUNIOR (PDT): 8.568 votos DAVI DAVINO (PP): 8.544 votos FATIMA SANTIAGO (PP): 8.506 votos DUDU RONALSA (PSDB): 8.199 votos CHICO HOLANDA (PP): 7.657 votos PASTOR JOÃO LUIZ (DEM): 7.489 votos TEREZA NELMA (PSDB): 6.946 votos SILVIO CAMELO (PV): 6.265 votos KELMANN (PMDB): 6.256 votos ANTONIO HOLANDA (PMDB): 5.966 votos ZÉ MARCIO (PSD): 5.480 votos PASTOR MARCELO GOUVEIA (PRB): 5.354 votos SILVANIA BARBOSA (PPS): 4.631 votos EDUARDO CANUTO (PV): 4.347 votos DR. CLEBER COSTA (PT): 4.097 votos GUILHERME SOARES (PSOL): 3.265 votos SIMONE ANDRADE (PTB): 3.173 votos

de mortalidade infantil, com atendimento pleno no SUS, com menor índice de analfabetismo, agora dizer que Maceió é sétima capital em pagamento de honorários para uma atividade que a população não tem reciprocidade do que é investido na Câmara, isso não". Para Cleber Costa, o salário seria justo desde que a população pudesse receber os benefícios do que é investido na Câmara de Maceió, mas como esta não é a realidade, "infelizmente nós só temos que lamentar". Sobre o custo campanha, Cleber foi incisivo: "O custo deve ser operacional. Ouvi um candidato dizer que gastou de R$ 30 mil, é possível. Isso vai depender do trabalho que ele desenvolveu na sua comunidade".

SEM ESPAÇO Na opinião de Wilson Junior, Heloisa Helena não aceitará o cargo de presidente da Câmara porque "este é um desafio terrível de quebrar com os desmandos e acordos espúrios que acontecem nos bastidores". Já quanto ao excesso de funcionários, o comunicador de TV acredita que esta situação não permanecerá porque o prédio não comporta a quantidade de funcionários que ela diz ter. "Para você ter ideia, a sede da Câmara não comporta nem o número de vereadores, são três gabinetes e o restante é alugado pela câmara em outros lugares. Acho que uma sede própria deve ser a primeira providência a ser tomada pelo novo presidente porque ela se faz necessária já há muito tempo". Ele disse que deve se discutir o aumento do número de vereadores sim, mas esta é uma questão que deveria ter sido resolvida na gestão passada e como foi sendo protelada e deixada na mão de justiça, a dúvida se perpetuou durante o processo eleitoral. "A lei diz que pode ser até 31 e porque tem que ser 31? A gente não tem estrutura física na Casa e nem finanças para aguentar. Acho que 31 vereadores é muito".

"MAIS UM LADRÃO" Quem também vai assumir o mandato no próximo dia 1º de janeiro é Wilson Junior, eleito pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) com 8.568 votos. Para ele, a renovação poderia ter sido de 80%, mas ainda assim houve uma renovação considerável principalmente porque os

REMUNERAÇÃO Já quanto o salário do vereador, Wilson Junior revelou que ainda não estudou a questão, mas se mostrou surpreso ao saber que Maceió tem o sétimo maior salário dentre as capitais. "Eu não sabia disso, principalmente tratando-se de Maceió, uma cidade pobre. Este não é um salário justo, enquanto o trabalhador que dá o duro todos os dias ganha um salário de R$ 622,00, o outro que trabalha três dias ganha R$ 9 mil, com essa discrepância eu não concordo. Acho que todos podem ganhar muito bem". Para se eleger vereador ele disse que gastou sola de sapato. "Ouvi que para se eleger vereador gastaria um R$ 1 milhão e aí eu faço a pergunta: se você gastou este valor de onde você vai tirar esse dinheiro? Porque com o salário de vereador é humanamente impossível que você consiga repor isto". DERROTADOS Alguns dos vereadores que disputaram a reeleição não conseguiram permanecer na Casa de Mário Guimarãe a exemplo de Marcelo Malta (PCdoB), Ricardo Barbosa (PT), Oscar de Melo (PP), Théo Fortes (PTdoB) e Netinho Barros (PSC). Já Amilka Melo (PDT) não quis buscar a reeleição, o mesmo ocorrendo com Paulo Corintho, da mesma legenda, que desistiu da disputa duas semanas antes do pleito. COMISSIONADOS A Câmara terá que reduzir seus comissionados até o final deste mês, por determinação do Tribunal de Justiça. Com cerca de 500 pessoas em cargos de confiança, quase todas desobrigadas de trabalhar, a Casa de Mário Gumarães terá de cortar pelo menos 50%. A redução deveria ter sido feita antes, mas o presidente Galba Novais manteve a onda de empreguismo até o último momento.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

Cidades | A5 Luciana Martins

Terreno em Cruz das Almas (ao fundo o Hotel Matsubara) ‘abandonado’, mas servindo à especulação imobiliária

O S A C O S E D N A B UR Luciana Martins Repórter

Um bairro inteiro vendido, com anúncio destacado nos Classificados? Não, não é o caso, mas o que resta de terrenos e lotes desocupados, no trecho compreendido entre Jatiúca e Cruz das Almas, está vendido e servindo exclusivamente aos interesses dos especuladores. Lotes bem situados, de dimensões variadas, caros, são comprados e ficam estáticos e improdutivos, esperando por mais valorização, o que normalmente ocorre mediante incorporações: construtores assumem os terrenos, constroem prédios de apartamentos e reservam uma, duas ou três unidades para os donos dos lotes. Cruz das Almas é, sim, um bairro vendido no contexto de uma realidade imobiliária perversa porque, enquanto esperam pelo momento certo da incorporação, os proprietários mantêm os terrenos abandonados, baldios, sem muro, servindo de lixão e de refúgio de marginais. Distando cerca de seis km do Centro da capital, Cruz das Almas se limita com a Jatiúca que, juntamente com Ponta Verde e Pajuçara formam a área nobre da orla marítima maceioense.

EXPANSÃO O superintendente da Ademi/AL, Diogo Rebelo, diz que o crescimento da cidade, rumo ao litoral norte, já é uma realidade, mas a falta de investimento, sobretudo em infraestrutura, tem retardado um salto mais veloz da expansão imobiliária na região. - Faltavam investimentos em infraestrutura, mas isso vem mudando significativamente. Já surgem na região hotéis, prédios, faculdades, supermercados, shoppings, entre outros empreendimentos - salienta Rebelo. O superintendente aponta ainda que desde o advento do novo Plano Diretor de Maceió, em 2005, o próprio poder público municipal definiu o litoral norte como o novo vetor de crescimento imobiliário de Maceió. - Com a reurbanização daquele trecho a tendência é que a região se desenvolva e consequentemente haja uma valorização considerável. Várias construtoras já atentaram para isso e já estão investindo na região.

Luciana Martins

Onde tem praia, tem preço. Por isso, em Cruz das Almas os lotes foram vendidos e ficam à espera de valorização

Cruz das Almas, um bairro vendido; terrenos só servem para especulação Lotes abandonados, sem muros, viram lixões e refúgios de marginais; Prefeitura não consegue cobrar IPTU Colaborador / Mickaell Clygens

FACE NEGATIVA O problema é que, enquanto os investimentos não acontecem, os terrenos ficam abandonados servindo apenas como depósito de lixos e de restos de construção, bem como abrigo para usuários de drogas e assaltantes, gerando risco à saúde e criando problemas para a segurança daquela comunidade. Cristiane Albuquerque, por exemplo, é uma economista que mora em Cruz das Almas há cinco anos, adora viver no bairro "porque é um lugar tranquilo, de ótima localização, perto do trabalho, shopping, faculdade", mas tem ressalvas. Ela admite que é obrigada a conviver com a sujeira, principalmente dos terrenos vizinho a sua casa. "Os terrenos aqui viraram depósito de lixo, principalmente ali no coqueiral perto de da faixa onde vão construir a nova pista. Já vi carro da prefeitura deixando resto de construção como também carros particulares e carroças". Além dos entulhos há também o descaso com a limpeza dos terrenos. Ela revela que paga a uma pessoa para capinar os terrenos vizinhos a sua casa. "Dá muito mato e eles crescem muito e escondem alguém, por isso, coloquei o refletor para ter um pouco mais de segurança e pago um rapaz para capinar os terrenos pelo menos uma vez por mês para manter o lugar limpo e seguro".

VIOLÊNCIA A economista disse que já foi vítima de assalto, mas, por sorte não havia ninguém em casa e os ladrões não conseguiram adentrar na residência que é cercada por grades. "Quando eu chego ou saio de casa faço uma vistoria na rua para poder acionar o portão. Se tiver algum carro parado na rua, eu nem entro. E às vezes venho pela rua vizinha para poder ter uma visão panorâmica da minha via". Já em relação à saúde, ela disse que a maior preocupação é que no local aparecem muitas cobras, aranhas caranguejeiras e escorpiões. "Nós tínhamos um tapete na sala de casa e tiramos porque escondia as cobras. Eu já encontrei uma cobra coral na minha sala". Para ela a chegada de novos empreendimentos no bairro é excelente. "Vejo muitos benefícios para o bairro, vou ter a minha rua calçada e mais segurança. Estou feliz porque estamos

No Jardim Vaticano, entre Jatiúca e Cruz das Almas, terrenos baldios servem à deposição de lixo e entulhos, o que exige uma ação do poder público

> OPINIÃO

Desapropriar seria medida providencial São inúmeros e valiosos os terrenos baldios localizados a partir de Jatiúca até o final de Cruz das Almas. A que servem? À especulação imobiliária. Seus donos esperam valorizá-los ainda mais para futuras incorporações, quando se transformarão em espigões residenciais. Até que isso ocorra, contudo, eles ficarão abandonados, sem muros, servindo de depósitos de lixo e refúgios de bandidos, o que traz prejuízo à saúde pública e à própria segurança coletiva. Situação que exige uma reação do Poder Público.

O futuro prefeito Rui Palmeira precisa encontrar uma solução para o problema. Um 'reajuste punitivo' do IPTU poderia induzir os especuladores a se desfazerem dos lotes, mas só funcionaria se o tributo fosse efetivamente cobrado. Outra providência seria a desapropriação dos lotes e sua integração ao patrimônio do Município. Algo precisa ser feito em nome do interesse municipal e em defesa da segurança e da saúde dos moradores de Cruz das Almas. É tarefa para a futura administração maceioense. Ascom / SMCCU

Luciana Martins

Cristiane Albuquerque revelou que sua casa já foi ‘visitada’ pelos assaltantes

esquecidos há um bom tempo".

CONTROLE URBANO Para a Superintendência Municipal de Controle do Convívio Urbano (SMCCU) a maior dificuldade é achar os proprietários das áreas, pois, na maioria

das vezes, eles vendem o terreno e o novo dono não altera o cadastro na Prefeitura. "Quando buscamos no sistema, o nome que sai é da pessoa que já se desfez do bem há tempos", revela Galvaci de Assis, superintendente da SMCCU.

Galvaci Assis reconhece dificuldade para localizar proprietários de terrenos

De acordo com ele , quando é descoberto o dono do terreno, a SMCCU age de imediato notificando o proprietário para que ele limpe, cerque ou mure a área. "Caso ele não cumpra a determinação, num prazo de 15 dias prorrogáveis por mais

15, aplicamos multa (que virá junto ao IPTU) e encaminhamos para a Dívida Ativa do Município". Já quanto ao pagamento do IPTU, Galvaci explica que este controle é feito pela Secretaria de Finanças de Maceió.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

A6 | Cidades

> ENTREVISTA/ CLAUDIONOR ARAÚJO Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

Começa a transição em maceió A civilidade, sem dúvida alguma é uma das melhores formas de educação política. Passadas as eleições, definidos vencedores e vencidos, o melhor que se tem a fazer é promover uma transição leve, tranquila e, sobretudo, competente. O que as equipes chamadas de transição nomeadas pelo atual prefeito, Cícero Almeida e pelo prefeito eleito, Ruy Palmeira vão fazer será exatamente isto. Até porque, o melhor de tudo é passar os meandros do governo de oito anos para quem chega, com decência, honestidade e transparência, o que sói acontecer com homens de bem e de estirpe como se podem definir os dois prefeitos. A partir desta segunda-feira, praticamente dois governos estarão instalados, respeitando-se, obviamente, o mandato em exercício até o seu último dia e este recebendo de braços abertos o que virá a partir de 1º de janeiro de 2013. A equipe de Almeida trabalhou muito e vem trabalhando já há seis meses em relatórios de gestão para que tudo fique absolutamente claro. Contratos, convênios, prestações de contas, tudo sendo esmiuçado, secretaria por secretaria e fazendo parte de "e-book" planejado e aberto para consulta a qualquer momento por qualquer pessoa, autoridade ou não. É assim, portanto, que começa a transição de importância fundamental para os destinos de Maceió. Uma Maceió que cresce e se agiganta e que de seus governantes merece o melhor.

DESTACÔMETRO O destaque vai para o jovem Marcos Leão, colunista social de primeira grandeza, titular absoluto da "Inside" em O Jornal. Equilibrado, vibrante, bem informado, repórter de direito e de fato em nossa Maceió.

PÍLULAS DO OUVIDOR Tem gente em Brasília, alvo dos ministros do Supremo cantando para alguns aquela famosa música "ai se eu te pego", do Michel Teló. O pior é que o apelo pode chegar aos cofres suíços. Será? Anote aí: o governador de Pernambuco, responsável pela eleição em primeiro turno do novo prefeito do Recife, Geraldo Júlio, caminha a passos largos para ser candidato a presidente da república e com grandes chances. Está sendo cada vez mais provado que o povo não aceita truculência nas campanhas eleitorais. Os candidatos que se arriscaram por tal caminho se deram muito mal nas urnas. Ainda bem! O grande problema para o nosso turismo que é a malha aérea disponível, ou indisponível, como queiram, está sendo atenuado com a TRIP e, agora, com a chegada da Avianca em nosso aeroporto. Vamos ver se dura! Podem ficar certos os analistas políticos de plantão que a corrida para 2014 já começou com toda a força. Besteira de quem acreditar em quem diz que é cedo. Tarde, isto sim, para quem parar no tempo e no espaço. Recado de Flávio Gomes de Barros:"Na 2ª feira, 15 de outubro, estou de volta à TV Mar, 25 da NET, com o programa semanal "Conjuntura", das 22 às 23 horas. Primeiro entrevistado, governador Teotonio Vilela Filho". Seja bem vindo, amigo Flávio. Com todas as suas tarefas de procurador do estado, de presidente da ABRAJET, de jornalista do Tribuna e, agora, voltando à casa onde já fez história. Valeu! 20 de outubro, primeira edição do Alagoas Social Media, no Maceió Atlantic Suítes, com administradores, jornalistas, publicitários, interessados em tecnologia e internet, jovens e empresários, que desejam expandir seus negócios. E o famoso "mensalão" está dando o que falar. Afinal, existiu ou não? Essa turma foi comprada e se foi quem mandou comprar? Será que o "mafioso mor" vai ficar escondido nos porões da tolerância? No "Bartpapo com Geraldo Câmara", da TV Mar, o Cel. Dimas, Comte. Geral da Polícia Militar (foto) disse para o que veio e vai estar no ar esta semana para que os telespectadores vejam e aprovem seus planos para a nossa segurança.

"Rui vai cumprir compromissos priorizando carências do povo" Presidente do PSDB também afirma que urnas de domingo influirão na sucessão de 2014 O prefeito eleito Rui Palmeira cumprirá seus compromissos de campanha, priorizando as necessidades da população. Além de reiteradas declarações do próprio Palmeira nesse sentido, quem faz a declaração é o presidente estadual do PSDB, Claudionor Araujo. Em entrevista à repórter Luciana Martins, do Primeira Edição, o líder tucano afirma que a soma da mensagem e dos méritos pessoais de

Rui Palmeira e da influência e estrutura do PSDB foram determinantes para a conquista da Prefeitura de Maceió. Ele também avalia a acirrada disputa em Arapiraca, onde o tucano Rogério Teófilo perdeu para Célia Rocha (aliada de Renan Calheiros e Fernando Collor) e salienta que o resultado das urnas do último domingo influirão na disputa da sucessão estadual de 2014. Primeira Edição

O que mais concorreu para a vitória de Rui Palmeira: os méritos pessoais e a mensagem de renovação do candidato, ou a influência e estrutura do PSDB? O conjunto de todas essas circunstâncias concorreu para a grande vitória conquistada por Rui Palmeira e o PSDB. Evidente que a sua mensagem, sua postura e o seu passado também foram decisivos para essa conquista. Como todos os candidatos, Rui assumiu muitos compromissos na campanha: será possível cumprir os principais? Com certeza os compromissos assumidos serão cumpridos. Naturalmente, priorizando de acordo com as maiores necessidades da população. Com o governador e o prefeito do mesmo partido, falando a mesma língua, será mais fácil enfrentar os desafios de Maceió? Sim. Mesmo porque o governador Teotonio Vilela Filho é um governante de estabelecer parceria, o que certamente facilitará o enfrentamento dos desafios. Como o senhor avalia a derrota de Rogério Teófilo, do PSDB, para Célia Rocha, do PTB, na disputa pela prefeitura de Arapiraca? Rogério Teófilo saiu fortalecido dessa disputa, cuja diferença percentual foi em torno de 5%, ou seja, os adversários se vangloriavam que dariam uma goleada, mas esbarraram na determinação e no carisma de Rogério. Quantos prefeitos o PSDB elegeu este ano, em Alagoas? Foi mais ou menos do que em 2008? Foram eleitos 19 prefeitos, sendo 6 a mais do que em 2008. Destacando-se aí a conquista inédita da prefeitura de Maceió pelo tucano Rui Palmeira.

O líder tucano Claudionor Araújo afirma que não faz sentido dizer que Rui não era o candidato do governo

Há quem diga que Rui não era o candidato nem do Palácio nem do governo. Isso faz sentido? Não faz o menor sentido. Quase todas as agremiações partidárias iniciam suas conversações para escolha do pré-candidato com nomes alternativos.

deral Rui Palmeira, cujo nome, em novembro de 2011, foi apontado por unanimidade numa reunião com a participação conjunta dos diretórios estadual e municipal e inclusive do governador Teotonio Vilela Filho. Finalmente, quero dizer que Rui Palmeira nem foi candidato do

“Com certeza a vitória de Rui terá influência no deseménho político para a sucessão estadual de 2014” Ao final das discussões internas chega-se a um consenso. No início dessas discussões tínhamos duas alternativas: o presidente do diretório municipal do PSDB, Marco Fireman e o deputado fe-

Palácio nem do governo. Ele foi candidato do PSDB e dos partidos aliados. A seu ver, o mandato de quatro anos é suficiente para se

fazer uma boa gestão - ou deveria ser de seis anos sem reeleição? Sou defensor do que hoje prevê a Constituição, que é a possibilidade de reeleição no Executivo, pois dá ao eleitor a oportunidade de julgar a administração de quem se colocou como candidato à reeleição. Até que ponto a vitória do governo em Maceió repercutirá na sucessão estadual de 2014? Com certeza a vitória de Rui terá influência no desenho político (sucessão estadual) de 2014, afinal Maceió é o carro-chefe por ser a capital, cujo eleitor representa mais de um quarto do eleitorado de todo o Estado. Que prognóstico o senhor faz sobre o segundo turno em São Paulo entre o tucano José Serra e o petista Fernando Haddad? É um clássico imprevisível. Porém, aposto na vitória de José Serra.

> ELEIÇÃO

Ernandi agradece apoio e diz que retoma luta na Assembleia Divulgação

ABRAÇOS IMPRESSOS Os abraços impressos vão para dois novos vereadores, Dudu Ronalsa e Chiquinho Holanda, na certeza de que a garra jovem fará com que sejam atuantes na política para o bem de Maceió.

O presidente do STPLAL (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Legislativo de Alagoas) Ernandi Malta, em mensagem sobre as eleições de domingo, agradeceu aos eleitores que acreditaram em suas propostas e afirmou que "vencer uma eleição de vereador em Maceió, sem TV e sem dinheiro, é um grande desafio". - Quero agradecer aos meus familiares, que estiveram ao meu lado o tempo todo, aos companheiros da Assembleia, aos amigos do nosso Sindicato, da ASALA, aos nossos aposentados, agradeço a todos pela confiança e pelo incentivo - disse Malta. Ele observou que, "sem programa de televisão e sem dinheiro para comprar

Ernandi: “É difícil ganhar sem comprar voto”

voto, fica muito difícil ganhar uma disputa em Maceió, principalmente da primeira vez". Lembrou que Izac Jackson, principal líder sindical do Estado, presidente da CUT, tentou pela terceira vez chegar à Câmara, sem sucesso. Sobre seu futuro político, Ernandi Malta disse que não tem projeto imediato e deixou em aberto: "Fiz uma campanha sem gastos, apenas com o apoio dos amigos e fui bem votado. Agora, o que tenho em mente para já, é a retomada da luta para assegurar a reposição salarial de 22,9% dos servidores da ALE, que foi vetada pelo governador. Eu e Luciano, esta semana, vamos entrar em ação para derrubar o veto".


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

E U Q TA VO S E D ATI NEG

Cidades | A7

Revista revela que Collor paga ao jardineiro com dinheiro do Senado Gabinete do senador informa que empregados desempenham atividade como assessores parlamentares Divulgação

Três funcionários contratados como assistentes parlamentares pelo gabinete do senador Fernando Collor (PTB-AL) prestam serviços particulares a ele, segundo matéria do repórter Andrei Meireles publicada nesta semana pela revista "Época". Acemilton Gonçalves da Silva atua como jardineiro na casa de Collor. Recebe R$ 2.200 mensais do Senado. Carmen Valéria Rocha e Sandra Regina Sasaki são arquivistas de uma fundação do senador. Têm salário de R$ 6.400 cada uma. Segundo o texto de Época, "Acemilton Gonçalves da Silva não precisa bater ponto, mas é um trabalhador pontual. Todo dia, por volta das 8 da manhã, dá início a sua exaustiva jornada de trabalho. Acemilton é jardineiro, mas, se preciso, quebra

uma como encanador e eletricista. Ele detém uma das funções mais delicadas da República: manter a boa aparência dos célebres e exuberantes jardins da Casa da Dinda, residência da família Collor de Mello desde a década de 1960 e atual morada do senador Fernando Collor (PTB-AL) em Brasília. São jardins inesquecíveis - especialmente para os contribuintes. Durante o curto período de Collor na Presidência da República, entre 1990 e 1992, os jardins da Dinda receberam cascatas e lagos artificiais. A obra foi calculada na ocasião em cerca de US$ 2,5 milhões. Dinheiro não era problema naquele tempo. Os recursos haviam sido fornecidos pelo ex-tesoureiro de campanha de Collor, Paulo César Farias, o PC, que os arrecadara com em-

Fernando Collor usa recursos do Senado para pagar salário do jardineiro, segundo reportagem da revista Época

presários que dependiam do governo. As fotos do local entra-

ram para a história como um dos indícios de corrupção que,

meses depois, Collor.

derrubariam

Em nota enviada a ÉPOCA, o chefe de gabinete de Collor, Joberto Mattos de Sant'Anna, respondeu que o jardineiro Acemilton não é jardineiro. "Desempenham, os três servidores (Acemilton, Carmem e Sandra), como assistentes parlamentares, as atividades de apoio que lhes são determinadas", diz o texto. Além das fotos feitas na Casa da Dinda, Acemilton se identifica como jardineiro numa ficha no Sistema de Identificação do Distrito Federal. Nunca foi visto no gabinete de Collor. Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Senado afirma que é de "responsabilidade de cada gabinete a definição das atividades desenvolvidas pelos seus servidores". Para o Senado, portanto, Acemilton não precisa ficar na moita - diz o texto de Época.

> VIOLÊNCIA

Bando desafia PM e explode banco em Viçosa Luciana Martins Repórter

O plano 'Brasil Mais Seguro' está em ação desde junho passado, mas a violência, principalmente assaltos a instituições financeiras, continua desafiando as autoridades e aterrorizando a população. Sábado (13) a pacata cidade de Viçosa viveu um 'dia de cão': um grupo de 15 bandidos, motorizados e fortemente armados com fuzis e metralhadoras, invadiu a agência do Banco do Brasil local e praticou um audacioso assalto ao estilo das grandes facções criminosas do Rio de Janeiro e São Paulo.

Lançado em junho, o 'Brasil Mais Seguro' conseguiu reduzir a taxa de homicídios em Alagoas, mas os crimes contra o patrimônio continuam afrontando a Polícia na capital e no interior. Na ação em Viçosa, o bando usou dinamite para explodir os caixas eletrônicos do banco federal, de onde levaram dinheiro em valor não informado pela Polícia. O ataque foi, sobretudo, ousado, já que a agência do BB de Viçosa fica localizada em frente a sede de um pelotão da Polícia Militar. A explosão da dinamite destroçou toda área interna do banco. Antes de realizar o roubo, a quadrilha intimi-

dou agentes com disparos contra a sede da 4ª Companhia onde estavam três militares na guarda. Apesar dos disparos ninguém ficou ferido. Eles fugiram em duas Rangers e uma moto, de placas não anotadas, em direção à cidade de Chã Preta.

META OFICIAL Com a paulatina queda dos índices de homicídios no estado, a meta do governo agora é reduzir os índices de crimes violentos letais intencionais (CVLI) e contra o patrimônio (CVP) em 17% no prazo de um ano, especificamente entre agosto a julho de 2013. As ações de segurança têm como objetivo mais definido os ataques às insti-

tuições financeiras. No inicio deste mês, o advogado Paulo Breda deixou o cargo de presidente do Conselho Estadual de Segurança para se candidatar à eleição da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Alagoas (OAB/AL), como vice na chapa encabeçada por Raquel Cabús. Breda esteve à frente do colegiado desde agosto de 2011. O advogado ganhou destaque a frente do Conseg onde conseguiu criar as Áreas Integradas de Segurança Pública, que divide o território de Alagoas em regiões e também por realizar inspeções em vários órgãos da área de segurança de Alagoas.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

A8 | Nacional

> MENSALÃO

STF julga crime de formação de quadrilha perto do 2º turno Julgamento dp ex-ministro José Dirceu deverá acontecer a três dias do segundo turno fotos: Divulgação

BRASÍLIA - À véspera do segundo turno das eleições municipais, o Supremo Tribunal Federal deverá julgar se o exministro da Casa Civil José Dirceu era o chefe de uma quadrilha montada para operar o esquema do mensalão. Embora tenha pena baixa, o crime é carregado de simbolismo e será usado por adversários de candidatos petistas durante a campanha eleitoral neste segundo turno. A expectativa entre os ministros da Corte é que a conclusão do julgamento deste item do processo ocorra a três dias das eleições. E os prognósticos entre os magistrados são de que, assim como ocorreu na corrupção ativa, Dirceu também seja condenado por formação de quadrilha. Na semana anterior ao primeiro turno das eleições municipais, o tribunal começou a julgar a acusação de que Dirceu comprou parlamentares em troca de apoio ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A coincidência foi um acaso, conforme ministros, mas o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que seria "salutar" que o julgamento tivesse influência nas eleições. A expectativa inicial do relator da ação penal no Supremo, ministro Joaquim Barbosa, era de que o julgamento terminasse na semana anterior às eleições. Nesse caso, o tribunal definiria dias antes do segundo turno as penas impostas aos réus, inclusive se teriam de cumpri-las na cadeia. O atraso nas duas últimas sessões adiou essa discussão para depois do segundo

Procurador-geral Roberto Gurgel considera saudável que decisão aconteça em cima da votação do segundo turno

turno.

REGIME A condenação de Dirceu pelo crime de quadrilha pode definir se o ex-ministro cumprirá pena em regime fechado ou no semiaberto. A legislação penal estabelece que réus que forem condenados a pena superior a oito anos terão de cumprir a pena inicialmente em regime fechado. Por enquanto, Dirceu foi condenado pelo crime de corrupção ativa - cuja pena, na época do crime, variava de um a oito anos. Se condenado por formação de quadrilha, a pena pode aumentar em até três anos. Conforme a acusação do Ministério Público Federal, 13 dos réus em julgamento forma-

ram uma grande quadrilha, que se subdividiu nos núcleos financeiro, político e publicitário. O grupo era encabeçado por Dirceu e integrado pelo ex-presidente do PT José Genoino, pelo ex-tesoureiro petista Delúbio Soares, pelo empresário Marcos Valério e seus sócios na época, e por representantes do Banco Rural. A quadrilha teria se associado para desviar recursos públicos do Banco do Brasil e da Câmara dos Deputados, dissimulado a origem do dinheiro por meio de empréstimos fraudulentos tomados nos Bancos Rural e BMG e depois distribuído a parlamentares para tornar viável a compra de apoio ao governo Lula no Congresso. As investigações do Ministé-

rio Público apontaram Dirceu no comando do esquema. As provas demonstraram "sem sombra de dúvida", conforme o MP, que o ex-ministro da Casa Civil agiu sempre no comando de todas as ações. "Era, enfim, o chefe da quadrilha", afirmou Gurgel, no processo. "Foi (Dirceu) o mentor do esquema ilícito de compra de votos e, como líder do grupo, determinou as ações necessárias à consecução do objetivo que justificou a união de todos os agentes, seja no que dizia respeito às negociações travadas com os parlamentares e líderes partidários, seja na obtenção dos recursos necessários ao cumprimento dos acordos firmados", acrescentou o procurador-geral.

Ex-ministro em posição de comando Ao longo das últimas sessões de julgamento, Dirceu já foi colocado pela maioria dos ministros do Supremo em posição de comando. Foi por causa da proeminência no esquema que o ex-ministro foi condenado pelo tribunal pelo crime de corrupção ativa. "É certo que José Dirceu, em razão da força política e administrativa que exercia, foi o principal articulador dessa engrenagem. (Dirceu) Reunia-se com o

José Dirceu é apontado como chefe do esquema de compra de votos

principal operador do esquema, Marcos Valério, para tratar de repasses de dinheiro e acordos políticos", afirmou o relator do processo no Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa. "Restou demonstrado, não bastasse a ordem natural das coisas, que José Dirceu realmente teve uma participação acentuada, a meu ver, nesse escabroso episódio", concordou o ministro Marco Aurélio Mello.

Julgamento de Adauto gera impasse Ricardo Lewandowski, devem adotar posições distintas. Para Lewandowski, o empate beneficia o réu, pois indica dúvidas. Barbosa já sinalizou que, para proteger a sociedade da prática do crime, o réu seria condenado.

Relator do processo do mensalão, o ministro Joaquim Barbosa pediu na quinta-feira, 11, a condenação de Anderson Adauto, ministro dos Transportes do governo Lula, pelo crime de lavagem de dinheiro. Mas cinco integrantes do Supremo Tribunal Federal já o absolveram e o julgamento dessa acusação deve terminar empatado, segundo previsão dos próprios magistrados, quando o processo for retomado na segunda-feira, 15. Se prevalecer a visão expressa pelo voto do presidente do STF, Ayres Britto, réus serão condenados Além de Adauto, os ex-deputados petistas Paulo Rocha (PA) e João Magno (MG) foram absolvidos por metade do plenário. Dois ministros votaram pela condenação e devem ser seguidos pelos três restantes. DUAS CORRENTES Há duas correntes no STF. Uma defende que o empate beneficiaria o réu e ele seria absolvido. Outros argumentam que prevaleceria o voto proferido pelo presidente do STF, Carlos Ayres Britto. Se prevalecer a segunda corrente, Adauto, Rocha e Magno serão condenados, pois

INTERMEDIÁRIOS

Ex-ministro Anderson Adauto tem prós e contas no Supremo Tribunal Federal

Britto já indicou que votará nessa direção, assim como Celso de Mello e Gilmar Mendes. Confirmada essa projeção, o STF chegará ao segundo empate no processo. O ex-deputado José Borba (PMDB) foi condenado por corrupção passiva, mas aguarda desfecho sobre a acusa-

ção de lavagem de dinheiro. Os casos de empate devem ser solucionados no fim do julgamento, quando o plenário discutir as penas dos condenados. DIVERGENTES O relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, e o revisor,

Adauto recebeu R$ 800 mil do valerioduto através de dois intermediários. O tribunal já havia absolvido o ex-ministro da acusação de corrupção passiva por unanimidade, por entender que ele não ajudou na cooptação de deputados do PTB. Resta a acusação de lavagem de dinheiro. Se for absolvido, sairá do processo ileso. Paulo Rocha, ex-líder do PT, foi beneficiado com o repasse de R$ 820 mil pelo empresário Marcos Valério, operador do mensalão. O dinheiro foi recebido por intermédio de dois assessores. João Magno recebeu R$ 360 mil também por meio de duas pessoas. Ambos são acusados somente do crime de lavagem. Os ministros que votaram pela absolvição disseram não haver provas de que o ex-titular da Pasta dos Transportes tenha participado do esquema de lavagem de dinheiro.


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012 Diário Oficial dos Municípios - Opinião - Social

> NA PRESSÃO

CRB pega Boa sob risco de entrar na zona Galo vai encarar o time mineiro nesta terça-feira (16), às 21h50, no Rei Pelé, precisando vencer para se distanciar da degola Marcelo Alves Repórter

Pressionado e precisando vencer para se afastar ainda mais da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro da Serie B, o CRB fará contra o Boa Esporte-MG nesta terça-feira (16), às 21h50, no estádio Rei Pelé, o jogo de sua "vida". Isto porque em caso de derrota para o time mineiro, o Galo pode entrar na zona da degola se o Bragantino, primeira equipe a figurar no Z4, ocupando a 17 ª colocação, com 27 pontos, dois a menos que a equipe regatiana, vencer o vice-lanterna Grêmio Barueri-SP, também na terça-feira (16), às 19h30, no Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista-SP. Mas já a partir desta segunda-feira (15), o técnico Roberval

Divulgação

Davino começa a juntar os cacos da derrota por 1 a 0 para o Avaí, no último sábado (13), na Ressacada, em Florianópolis-SC. Davino pretende preparar o Galo para uma "guerra" contra o Boa Esporte. Mas apesar do clima de pressão tendo em vista uma vitória, o treinador regatiano afasta qualquer possibilidade de desespero. "Não tem desespero e não é hora de se desesperar. A competição será definida nas últimas rodadas. Se ficarmos desesperados vai ficar complicado. O momento é manter o equilíbrio e 'juntar os cacos'. Na próxima terça-feira tem outra guerra contra o Boa". Encarando o duelo com o Boa como decisivo, Davino disse que não pretende poupar nenhum jogador e vai utilizar o que

CRB perdeu para Avaí por 1 a 0 no último sábado (13), na Ressacada, e se vê ameaçado a cair na zona da degola

tem de melhor no elenco. Diante disso, o técnico do CRB poderá colocar de primeira o atacante Aloísio Chulapa, caso não tenha à sua disposição Ricardinho que nos últimos dias defendeu a Seleção de Guiné Equatorial. Pelo outro lado, Davino não poderá contar com o zagueiro Ednei que foi expulso no jogo contra o Avaí. Quanto aos nove jogos restantes, Davino tranqüiliza a torcida e avisa que a permanência na Série B só depende do CRB. "Tudo vai acontecer no final e depende da gente. Estamos a dois pontos do Bragantino, enquanto depender da gente é viável. Temos os nove jogos da nossa vida. Temos que equilibrar e ser mais forte dentro de casa e surpreender fora de casa", disse.

"A luz vermelha está acesa", avisa Jadilson Após o Boa Esporte, Arquivo / Márcio Ândrei

Enquanto o experiente técnico Roberval Davino transparece calma e demonstra confiança no elenco do CRB, os jogadores mostram preocupação. O lateral-esquerdo Jadilson, apesar de também ter uma vasta carreira no futebol e ter defendido grandes clube do cenário nacional, avisa que a luz vermelha no Galo já se acendeu. "A luz vermelha está acesa e muito clara. Se não buscar a vitória contra o Boa Esporte, vai ficar complicado", desabafou Jadilson. Para o jogador, o duelo contra o time mineiro será o jogo-chave para o CRB seguir tranqüilo na luta pela permanência no Campeonato Brasileiro da Série B do próximo ano. "Este jogo contra o BoaEsporte é o jogo-chave. Este é o jogo mais importante do CRB na competição. Não pode ter outro resultado a não ser a vitória. A gente vem tropeçando demais e não vem pontuando", afirmou Jadilson vê a necessidade de

Após a partida contra a equipe do Boa Esporte, o CRB vai encarar fora de casa o time do Joinville-SC, neste próximo sábado (20), às 16h, no estádio da Arena Joinville-SC. A partida é válida pela 31ª rodadado Campeonato Brasileiro da Série B. Para este jogo com o time JEC, o técnico Roberval Davino já vai contar com o zagueiro Ednei, que cumpriu suspensão automática contra o Boa Esporte-MG, por ter sido expulso na partida contra o

Lateral-esquerdo Jadilson mostra preocupação com a situação do CRB no Campeonato Brasileiro da Série B

bater o Boa porque no próximo sábado (20), o CRB terá que encarar fora de casa o time do Joinville-SC, na Arena Joinville-SC, às 16h. "A gente tem por obrigação vencer. A decisão é nossa e a gente sabe que ganhando do

Resultados / Série B 9/10 9/10 9/10 12/10 12/10 13/10 13/10 13/10 13/10 13/10

ASA-AL Joinville-SC Grêmio Barueri-SP ABC-RN Guarani-SP Paraná-PR Boa Esporte-MG Ceará-CE América-MG Avaí-SC

CRB tem o JEC sabádo

3x1 0x0 2x0 0x1 1x2 3x1 0x4 4x0 1x2 1x0

Boa vai fazer um jogo difícil contra o Joinville fora de casa", disse. Já o goleiro Anderson pede a compreensão e apoio da torcida do CRB para comparecer à partida desta terça-feira (14) contra

o Boa Esporte. "Sei que a torcida está cansada de ouvir desculpas. Agora é vencer o Boa Esporte e esquecer a derrota para o Avaí. Espero contar com a torcida como o 12º jogador contra o Boa", disse.

Próximos jogos / Série B Guaratinguetá-SP São Caetano-SP Ipatinga-MG Atlético-PR Bragantino-SP Vitória-BA Criciúma-SC América-RN Goiás-GO CRB-AL

16/10 - 15h00 16/10 - 19h30 16/10 - 19h30 16/10 - 19h30 16/10 - 19h30 16/10 - 19h30 16/10 - 21h50 16/10 - 21h50 16/10 - 21h50 16/10 - 21h50

Atlético-PR São Caetano-SP Bragantino-SP Goiás-GO Vitória-BA América-RN CRB-AL Ipatinga-MG Criciúma-SC Guaratinguetá-SP

x x x x x x x x x x

Avaí-SC Ceará-CE Grêmio Barueri-SP Guarani-SP ASA-AL Paraná-PR Boa Esporte-MG Joinville-SC ABC-RN América-MG

Avaí. Além de Ednei, o treinador regatiano deverá contar com o atacante Ricardinho que estava defendendo a Seleção de Guiné Equatorial, durante as eleiminatórias da Copa da África. CRB e JEC já se enfrentaram no Primeiro Turno da Série B e na oportunidade o time do Galo venceu o adversário por 4 a 3 em partida disputada no dia 21 de julho, no estádio Rei Pelé.

Classificação / Série B 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Criciúma-SC Vitória-BA Goiás-GO São Caetano-SP Atlético-PR Joinville-SC Avaí-SC Ceará-CE América-RN América-MG Paraná-PR ASA-AL Boa Esporte-MG Guarani-SP ABC-RN CRB-AL Bragantino-SP Guaratinguetá-SP Grêmio Barueri-SP Ipatinga-MG

P 61 60 58 53 52 49 46 45 41 40 38 37 37 37 33 29 27 25 21 18

J 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29 29

V 19 18 17 15 16 14 14 12 11 12 10 11 10 9 8 8 7 7 5 4

E 4 6 7 8 4 7 4 9 8 4 8 4 7 10 9 5 6 4 6 6

D 6 5 5 6 9 8 11 8 10 13 11 14 12 10 12 16 16 18 18 19

GP 63 49 48 42 48 45 34 48 43 43 38 38 40 29 37 34 31 28 24 24

GS 44 31 29 28 30 26 29 39 41 42 38 38 46 28 38 53 46 51 52 57

SG 19 18 19 14 18 19 5 9 2 1 0 0 -6 1 -1 -19 -15 -23 -28 -33


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

B2 | Esportes

> SÉRIE B

ASA encara vice-líder Vitória no Barradão Alvinegro vem embalado de duas vitórias consecutivas na Série B, enquanto que o Rubro-Negro tenta a reabilitação Marcelo Alves Repórter

O ASA encara o Vitória-BA, vice-líder do Campeonato Brasileiro da Série B, nesta terça-feira (16), às 19h30, no estádio Manoel Barradas, o Barradão, em Salvador-BA. A partida é válida pela 30ª rodada da competição nacional. O Alvinegro, que está a três jogos sem saber o que é derrota, sendo um empate e duas vitórias seguidas, tenta manter o retrospecto positivo para se aproximar da zona intermediária da Segundona do Brasileirão. O time alvinegro ocupa a 12ª colocação com 37 pontos conquistados. Já a equipe baiana, que vem

fotos: Divulgação

de derrota, tenta a reabilitação para retomar o topo da tabela da Série B. O Rubro-Negro está na segunda posição com 60 pontos conquistados, um a menos que o líder Criciúma que possui 61. O Rubro-Negro baiano deixou escapar a liderança da Série B no último sábado (13) ao perder para o Paraná por 3 a 1, no Durival de Britto, na Vila Campanema e ver o Criciúma, seu rival direto na briga pelo topo da tabela, golear o Boa Esporte-MG por 4 a 0, no estádio do Melão.

BARRADÃO Dentro de casa, o Vitória-BA apresenta um bom retrospecto, uma vez que dos 14 jogos que disputou no Barradão, a equipe

Há três jogos sem perder na Série B, ASA quer manter embalo e surpreender o Vitória-BA dentro do Barradão

Alvinegro inicia planejamento para a temporada de 2013 Enquanto o time do ASA segue dentro de campo dando seqüência a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B, a diretoria alvinegra atua nos bastidores elaborando o planejamento para temporada de 2013. Para se ter uma ideia do planejamento para o próximo ano, a direção arapiraquense conversou na semana passada com o técnico Nedo Xavier visado à sua permanência no Alvinegro e já nos próximos dias espera o aceno positivo do treinador para renovação de seu contrato. O ASA corre contra o tempo, uma vez que a equipe disputará quatro competições no próximo ano: Campeonato Alagoano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro da Série B. De acordo com o gerente de futebol do Alvinegro, Marcelo de Jesus, a meta é manter para o próximo ano 90% do atual elenco que está disputando a Série B. Além de Nedo Xavier, Marcelo de Jesus disse que

baiana conquistou 11 vitórias, empatou duas partidas e perdeu apenas um jogo. O último revés que o Rubro-Negro sofreu em casa foi no dia 3 de agosto quando na ocasião perdeu por 1 a 0 para o Bragantino. Pelo outro lado, o time do ASA disputou 14 jogos fora de casa durante toda a competição e só conseguiu conquistar apenas duas vitórias, obteve dois empates e amargou dez derrotas. As vitórias que o Alvinegro conquistou fora de seus domínios foram contra o CRB por 1 a 0, no dia 25 de agosto, e a outra diante do São Caetano por 1 a 0, no dia 19 de maio, na rodada de abertura da Série B.

Após o Vitória, ASA recebe o Ceará sexta-feira no Fumeirão Após a partida contra o Vitória-BA, o ASA vai receber em casa o time do Ceará, nesta sexta-feira (19), às 19h30, no estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca. A partida é váli-

da pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. As duas equipes já se enfrentaram no Primeiro Turno da Segunda Divisão Nacional e o time cearense

levou a melhor e venceu o Alvinegro por 3 a 2, em partida disputada no dia 21 de julho, no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza-CE.

> CENTENÁRIO

Marcelo de Jesus afirmou que ASA já deu início a temporada 2013

alguns jogadores também já terão uma conversa com a direção alvinegra para discutir renovação de contrato. A logística para a preparação do time para a disputa da temporada também está adiantada. De acordo com Marcelo de Jesus, o Alvinegro vai realizar sua pré-temporada no município de Teotonio Vilela, logo

após o período natalino.

COPA DO NORDESTE Nesta segunda-feira (15), Marcelo de Jesus participará em Salvador de uma reunião sobre a Copa do Nordeste. O ASA que vai disputar a competição pela primeira vez está no grupo do Vitória-BA, AméricaRN e do Salgueiro-PE.

Jorge VI fica na presidência e avisa: “Já vi esse filme antes” Apesar de mais uma vez Jorge VI querer renunciar a presidência do CSA, ele continua. A nova composição da Executiva do Azulão convenceu o mandatário permanecer no cargo. Mas apesar de ter aceitado permanecer, Jorge VI desconfia do projeto para o centenário, que será comemorado em 2013 e avisa: "Já vi esse filme", em alusão aos outros anos em que dirigentes mostravam planos, estabeleciam metas e prometiam união, porém nada era colocado em prática. De acordo com a novo CSA, Jorge VI permanece na presidência do Azulão, terá apoio dos outros vices-presidentes, mas com a condição de Jorge VI foi impedido de renunciar

ficar calado, sem ter a ousadia de fazer qualquer pronunciamento por meio de entrevistas na imprensa local. Conforme ficou decidido, o porta-voz do time azulino é o vice-presidente de futebol Rafael Tenório. Segundo Tavares, o CSA será profissionalizado e terá um documento com direito e deveres de cada vice-presidente, com o objetivo de que nenhum dirigente interfira na alçada do outro. A única interferência seria no caso de contribuir financeiramente, uma vez que todos os departamentos trabalharão interligados para arrecadar recursos para ser destinado ao futebol.

CSA já faz contato com jogadores para 2013 O planejamento do novo CSA para temporada 2013, ano da comemoração dos 100 anos do clube, já está praticamente pronto. A data da pré-temporada do elenco azulino para a disputa do Campeonato Alagoano do próximo ano está agendada para o dia 17 de dezembro próximo, ficando 30 dias de preparação antes do início do Estadual que começa em 15 de janeiro. E por falar em elenco, o atual vice-presidente de futebol do Azulão, Raimundo Tavares, espera contatar os novos jogadores e comissão técnica até o final de outubro. A meta é apresentar os atletas na segunda quinzena de novembro e realizar os exames médicos em 10 de dezembro. E nesta semana, Raimundo Tavares terá uma reunião com outros vices-presidentes do novo CSA para viajar por alguns Estados do Nordeste para contatar jogadores. Além do encontro com os dirigentes, Tenório deve anunciar os nomes de seu assessor especial e também do diretor de futebol remunerado, que vão atuar juntos com ele no departamento de futebol. O dirigente não confirma, mas o nome para assumir o cargo de assessor de futebol deve ser o do major da Polícia Militar Marlon Araújo e o expresidente e também extreinador Roberto Mendes para a diretoria de futebol. Durante a reunião com os

Raimundo Tavares promete elenco do CSA para o dia 15 de novembro

outros dirigentes da equipe do Mutange, Tenório pretende ainda discutir e até mesmo definir o orçamento que deve ser gasto com a formação do elenco e a comissão técnica. "Já elaborei o projeto para o futebol. Peço paciência aos torcedores do CSA. Estou finalizando as últimas conversas com a diretoria azulina para concretizar e dar início às negociações e formação do elenco do Azulão para a próxima temporada", disse Tenório. "Já tenho tudo arquitetado. Eu já vinha trabalhando alguns dias. Nesta semana pretendo fazer uma viagem para falar com jogadores que já estão contatados", acrescentou.

Tenório disse que está assumindo o cargo de vice de futebol do CSA de forma espontânea. "Não venho para o CSA de forma forçada. Eu venho para o CSA, não é forçado. Venho porque gosto e amo o CSA. Não venho para colocar recurso próprio e sou contra quem coloque dinheiro no CSA, como fez Raimundo Tavares. Gestão nova e profissional para buscar recursos e dividir entre os departamentos". Apesar e não afirmar que está assumindo a vice-presidência do Azulão, Tavares disse que se não houver união entre os outros dirigentes, ele será o primeiro a pedir para sair.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

Esportes |B3

> SUBINDO

São Paulo bate o Figueira e entra no G4 Time chega pela primeira vez à zona da Libertadores. Nem queda de rendimento do anfitrião conseguiu animar o Figueirense Globoesporte.com Rogério Ceni pisou no gramado do Morumbi pela quingentésima vez. A palavra é feia, mas a marca de 500 jogos na sua casa é rara e bela. Para presenteá-lo, o São Paulo resolveu dar o que o goleiro mais gosta: dedicação, raça, vontade e disposição. Receita que, mesmo executada por apenas 30 minutos, foi fatal para o frágil Figueirense. A vitória por 2 a 0 e mais a derrota do Vasco para o Santos pelo mesmo placar levaram o Tricolor pela primeira vez ao G4 do Brasileirão e derrubaram o time catarinense ainda mais para o rebaixamento. Primeira vez também de um time paulista na zona de classificação à Libertadores de 2013. Com um roteiro esperado pelos 27.641 torcedores que foram ao Morumbi. Assistência do garçom Jadson, gol do artilheiro Luis Fabiano, que chegou a 15 na competição e 83 no estádio, igualando o recorde de Serginho Chulapa como maior artilheiro no local. Sem falar no rival... O Figueira não mostrou nada que possa alentar sua torcida sobre a chance de ficar na primeira divisão. A equipe é penúltima na tabela, com 25 pontos, dez atrás dos que estão fora da zona de rebaixamento. Já o São Paulo chegou a 52 e abriu dois

fotos: Divulgação

do Vasco. Na quarta, o Figueirense vai ao Beira-Rio para mais um difícil duelo. Agora diante do Internacional, outro postulante à Libertadores. Parecia um replay dos últimos dois jogos, contra Palmeiras e Vasco. O São Paulo amassou o Figueirense aos poucos, como manda o figurino do anfitrião que é muito superior tecnicamente. Com uma marcação adiantada e passes rápidos, o surpreendente Paulo Miranda criou a primeira chance num chute de pé esquerdo. As laterais eram mesmo o caminho. Cortez passou por Elsinho com belos dribles, mas não conseguiu acertar o cruzamento. O Figueirense tinha Ronny e Julio Cesar alinhados no meio e Aloísio isolado na frente. O centroavante, que tem grandes chances de mudar de lado e defender o São Paulo no ano que vem, tentou fazer o pivô para os companheiros, que não aproveitaram. Depois, tentou para ele mesmo, num giro rápido que terminou em finalização ruim. "Que inveja desse Luis Fabiano...", deve ter pensado o provável futuro companheiro. Além de todo seu talento, tem um assistente como Jadson. O camisa 10, que alguns torcedores insistem em não valorizar,

Atacante Luís Fabiano se livrando da marcação na partida do São Paulo contra o Figueirense, no Morumbi

cobrou escanteio na cabeça do Fabuloso, que, sozinho, abriu o placar, beijou o símbolo e apontou para o "aniversariante" Ceni, que retribuiu com aplausos. Foi a nona assistência de Jadson, que disputou todas as 30 partidas do São Paulo na competição. O gol fez o time aumentar a marcação no campo de ataque. Em chegada rápida, Osvaldo e Luis Fabiano tentaram, Helder salvou o Figueira uma vez, mas não impediu que Douglas, após passe de Maicon, fizesse o segundo. E dá-lhe aplausos de Ceni. Sem pressão dos catarinen-

ses, o goleiro devia estar gelado na fria tarde paulistana. Tanto que correu para bater uma falta no ataque e acertou a barreira. O Figueirense adiantou sua linha de meio, com Coutinho e Claudinei, e o time ficou mais compacto. Equilibrou mais a partida, mas não o suficiente para assustar a torcida. O segundo tempo começou com as arquibancadas em polvorosa graças ao placar eletrônico, que anunciou o segundo gol do Santos sobre o Vasco na Vila Belmiro. Mas a passividade do São Paulo diante de um Figuei-

rense sem recursos desanimou o público. Demorou mais de dez minutos para a equipe acordar nos pés de Osvaldo, que deu duas arrancadas. Nada muito sensacional, mas os tricolores só precisavam de um empurrãozinho para fazer festa. Tanto que morreram de rir e vaiar quando o árbitro Leandro Vuaden se chocou com Jadson, impediu um contra-ataque tricolor e acabou levando a pior. Teve até que ser atendido na mão pelo departamento médico do São Paulo. Dor na mão e dor no ouvido, que sofreu com as recla-

mações de Luis Fabiano. O atacante caiu, caiu, caiu... E nada de falta marcada. O jogo seguia no marasmo, a temperatura baixava e Rogério se aquecia. As chegadas do Figueira, principalmente com Julio Cesar pela esquerda, não levavam perigo. O goleiro quase comemorou novamente quando Jadson chutou de longe e a bola raspou a trave de Wilson. Depois, o meia achou Luis Fabiano livre na área, mas o toque do centroavante foi muito forte. Apesar da queda de rendimento de jogadores como Douglas e Maicon, Ney Franco demorou demais a mexer. Casemiro e Cícero entraram tarde demais. O técnico colaborou com o marasmo que tomou conta do Morumbi. Aloísio teve boa chance quando Julio Cesar deixou a bola passar de propósito, mas finalizou muito mal. Depois, arriscou uma bicicleta e, finalmente, fez Ceni trabalhar. "Tá chegando a hora", cantava a torcida. O jogo ruim fez com que ela demorasse a chegar. Mas chegou! O São Paulo completou três vitórias seguidas, três jogos consecutivos sem sofrer gols, sete sem perder, e alcançou o tão sonhado G4. A Libertadores começa a virar realidade.

> DESCENDO

Santos vence e derruba o Vasco do G4 Miralles soube amenizar a ausência de Neymar. Carlos Alberto não chegou aos calcanhares de Juninho Pernambucano. Em jogo de duas equipes órfãs de seus principais jogadores, o Santos bateu o Vasco por 2 a 0 na tarde deste domingo, na Vila Belmiro, e tirou o adversário do G-4 depois de 54 rodadas - 25 no ano passado e 29 na atual edição do Campeonato Brasileiro. Os dois gols foram marcados pelo atacante argentino. A ausência de Juninho no Vasco explica boa parte da vitória do Santos no primeiro tempo. Sem ele, o time perdeu o pensamento lógico em seu meio-campo - a noção de espaço, a clarividência para um passe decisivo, o controle do tempo. O substituto dele, Carlos Alberto, não ajudou na frente e ainda atrapalhou atrás. Henrique o desarmou como se ele não estivesse ali no nascimento do gol do Peixe. A sequência da jogada teve

bola no pé de Bill e assistência às costas de um Rodolfo que não sabia para que lado correr. Miralles disparou e desviou de Fernando Prass. Eram oito minutos, um bocado cedo, e o time da casa pulava na frente. Um pouco pelo conforto do placar, outro tanto pela ausência de Neymar, o Santos se preocupou mais em destruir do que em criar no restante do primeiro tempo. E a tarefa foi facilitada pelo Vasco, quase sempre com a bola sob o controle de seus pés, quase sempre sem saber o que fazer com ela - teve 61% de posse na primeira etapa. Carlos Alberto e Eder Luis foram anulados pela defesa adversária. O jeito foi usar as laterais, especialmente com Jonas, já que Wendel estava improvisado pelo lado esquerdo. Em vão: foi uma sucessão de cruzamentos tortos nas 12 tentativas dos visitantes. O Santos, nas raras vezes em que atacou, se aproximou mais do segundo gol do que o Vasco

Resultados / Série A 13/10 13/10 13/10 14/10 14/10 14/10 14/10 14/10 14/10 14/10

Flamengo Atlético-GO Portuguesa Atlético-MG Santos Náutico Coritiba São Paulo Grêmio Fluminense

1x1 3x1 1x1 2x1 2x0 1x0 2x1 2x0 1x1 2x1

Santos vence fácil o time do Vasco e tira e derruba a equipe carioca do G4

do empate. Bruno Peres foi a principal via de acesso ao ataque. Mandou dois chutes e disputou outra bola por baixo com Fernando Prass. O goleiro do Vasco foi melhor em todas. Felipe Anderson também arriscou de longe, por fora, na rede. Os cariocas, pouco incisivos, não incomodaram Rafael. O camisa 1 do Santos viu Alecsan-

dro cabecear para fora no primeiro poste, em boa chegada de Wendel pela esquerda, e também observou chute de Carlos Alberto passar longe do travessão. De resto, acompanhou sua defesa superar o ataque rival. Com as ressalvas da diferença no tempo do gol e da presença de um marcador ao lado de Miralles, a largada do segundo

Próximos jogos / Série A Cruzeiro Internacional Corinthians Sport-PE Vasco da Gama Palmeiras Bahia Figueirense Botafogo Ponte Preta

17/10 - 19h30 17/10 - 19h30 17/10 - 19h30 17/10 - 19h30 17/10 - 22h00 17/10 - 22h00 17/10 - 22h00 18/10 - 21h00 18/10 - 21h00 18/10 - 21h00

Internacional Coritiba Bahia Fluminense Cruzeiro Portuguesa Santos São Paulo Sport-PE Botafogo

x x x x x x x x x x

Figueirense Náutico Palmeiras Grêmio Corinthians Flamengo Atlético-MG Atlético-GO Ponte Preta Vasco da Gama

tempo foi quase igual à do primeiro. Cedo, com apenas um minuto, Felipe Anderson repetiu Bill e encontrou o atacante às costas da zaga. O argentino, desta vez com Jonas perto dele, soube desviar novamente de Prass. Outro dele, outro do Santos: 2 a 0. Foi seu sexto gol no campeonato. Mais uma semelhança com o primeiro tempo: a incapacidade de reação do Vasco. O Peixe voltou a ter tranquilidade para trabalhar. Mesma coisa: posse de bola com os cariocas, mas pouca ação. A equipe comandada por Marcelo Oliveira esteve sempre

refém de algum estalo individual - como no passe de Felipe para Eder Luis, que concluiu em cima de Rafael, ou em pancada na trave de Felipe Bastos, em lance anulado por impedimento. O Vasco apelou para os garotos. Marlone substituiu Carlos Alberto. Jhon Cley entrou no lugar de Felipe. Mas o panorama não mudou. Pipico no lugar de Jonas foi a cartada final dos visitantes - de novo, sem grande efeito. O Santos conseguiu domar seu oponente e, apesar da ausência de Neymar, garantiu uma vitória tranquila na Vila.

Classificação / Série A 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Fluminense Atlético-MG Grêmio São Paulo Vasco da Gama Internacional Corinthians Botafogo Santos Náutico Cruzeiro Coritiba Portuguesa Ponte Preta Flamengo Bahia Sport-PE Palmeiras Figueirense Atlético-GO

P 68 59 57 52 50 45 43 41 41 40 40 38 37 37 36 35 27 26 25 23

J 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30

V 20 17 17 16 14 11 11 11 10 12 11 11 9 9 9 8 6 7 6 5

E 8 8 6 4 8 12 10 8 11 4 7 5 10 10 9 11 9 5 7 8

D 2 5 7 10 8 7 9 11 9 14 12 14 11 11 12 11 15 18 17 17

GP 49 49 44 46 36 38 38 42 37 37 36 43 35 33 31 30 26 28 33 31

GS 19 24 25 29 31 27 31 39 37 45 39 48 35 39 41 34 48 41 57 53

SG 30 25 19 17 5 11 7 3 0 -8 -3 -5 0 -6 -10 -4 -22 -13 -24 -22


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

B4 | Esportes

> AMISTOSO

Hulk: Brasil terá dificuldade contra o Japão Seleção do Mano faz novo amistoso com adversário fraco depois de ter goleado o Iraque, na caminhada para a Copa de 2014 fotos: Divulgação

Com a experiência de ter jogado três anos no futebol japonês, o atacante Hulk alerta que a Seleção Brasileira terá dificuldades no amistoso a ser disputado nesta terça-feira (16), na cidade polonesa de Wroclaw. "Com certeza, teremos grande dificuldade. Conheço os jogadores da Seleção Japonesa, com alguns até já joguei junto. São jogadores de qualidade", atestou o atacante, após o treino deste sábado. Para Hulk, prova do bom futebol japonês aconteceu na noite de sexta-feira, quando os asiáticos venceram a França, por 1 a 0, em amistoso disputado no Stade de France. "O time japonês sempre foi conhecido por jogar muito na correria, mas hoje não é mais assim. Eles têm qualidade. Prova disso foi a vitória sobre a França, ontem". Hulk e os demais jogadores da seleção participaram de um treino aberto neste sábado. Cerca de 1500 torcedores poloneses puderam assistir ao trabalho tático comandado por Mano Menezes, que dividiu o grupo em três times. O treinador deu atenção especial à marcação e à saída de bola na defesa. Recuperado de dores, Leandro Damião voltou a treinar com bola e tem chances de ser titular. Após folga na sexta-feira, o grupo brasileiro fez neste sábado o primeiro de três treinos em sequência, algo raro na prepara-

ção para amistosos. No domingo, a atividade em campo será realizada à tarde (manhã no Brasil). No dia seguinte, Mano comandará treino pela manhã (6 horas de Brasília) no Estádio Miejski, onde será disputado o amistoso na terça, às 9h10 (de Brasília).

RANKING O Brasil caiu duas posições no ranking da Fifa e agora amarga a 14ª colocação na lista das melhores seleções do mundo, divulgada nesta quarta-feira. É o pior desempenho da equipe pentacampeã de futebol desde que o ranking começou a ser elaborado em 1993. Apesar das vitórias nos três amistosos que disputou no mês de setembro - 1 a 0 contra a África do Sul, 8 a 0 contra a China e 2 a 1 contra a Argentina -, a equipe de Mano Menezes foi ultrapassada por rivais que pontuaram mais e aparece na lista atrás de países com pouca tradição no esporte como Rússia, Croácia, Grécia e Colômbia. A menos de dois anos da Copa do Mundo de 2014, o Brasil não deve recuperar muitas posições na lista da Fifa até o torneio. Como os amistosos não têm a mesma força de competições oficiais para o ranking, mesmo conseguindo vitórias como as de setembro a seleção acaba ultrapassada por equipes que estão disputando as elimi-

Depois de golear o Iraque, a Seleção brasileira enfrenta o Japão, outro adversário fraco nessa fase de preparação visando à Copa do Mundo de 2014

natórias continentais para a Copa - torneio que o Brasil não joga por já estar classificado para o Mundial como país-sede. Dessa forma, a melhor chance para ganhar algumas posições no ranking e tentar chegar ao Mundial pelo menos entre os dez melhores será a Copa das Confederações. O torneio, que acontece em junho de 2013, será

a única competição oficial que a seleção vai participar até 2014. Rivais de peso, como Espanha, Itália e Uruguai, estão confirmados na disputa.

duas grandes atuações em setembro: a goleada de 4 a 0 contra o Uruguai e a vitória por 3 a 1 sobre o Chile fora de casa, ambas pelas Eliminatórias SulAmericanas.

LÍDER Atual campeã mundial e europeia, a Espanha venceu dois jogos em setembro e continua na liderança do ranking, seguida pela Alemanha em segundo. Impulsionadas por vitórias nas Eliminatórias, as seleções de Portugal e Argentina ganharam posições e ocupam o terceiro e o quarto lugar. Grande surpresa da lista, a Colômbia volta ao top 10 após dez anos, depois de

SUPERCLÁSSICO A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) confirmou, através de seu Twitter, a realização do segundo jogo do Superclássico das Américas. Argentina x Brasil acontecerá no dia 21 de novembro, no estádio de La Bombonera, a casa do Boca Juniors, em Buenos Aires. O confronto vai ocorrer entre

a antepenúltima e a penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Os jogadores provavlemente se apresentarão a Mano Menezes depois das partidas do final de semana. A partida que decidiria o campeão do Superclássico das Américas foi suspensa por falta de luz. O estádio Centenário, na cidade argentina de Resistencia, inaugurado em maio de 2011, sofreu três apagões e, sem iluminação suficiente, o jogo foi cancelado após 1 hora e 10 minutos de atraso. Na primeira partida em Goiânia, em setembro, a seleção brasileira venceu por 2 a 1.

Time treina na Polônia e torcedores aplaudem A três dias de enfrentar o Japão no segundo amistoso programado para o mês de outubro, a Seleção Brasileira realizou treino técnico na manhã deste sábado, em Wroclaw, na Polônia. Depois de folgar na sextafeira, o grupo foi recebido por cerca de 1.500 torcedores poloneses, que apoiaram a equipe de Mano Menezes, principalmente Neymar e Oscar. Principais nomes da goleada por 6 a 0 aplicada sobre o Iraque, os dois jogadores tiveram os nomes gritados nas arquibancadas do modesto estádio do Slask, da Breslávia. Momentos após a atividade, o atacante do Santos publicou na internet uma foto em que enaltecia o futebol demonstrado pelo meia do Chelsea, com um trocadilho na legenda: 'Oscraque'. Na atividade técnica comandada neste sábado, o técnico Mano Menezes dividiu o grupo em três equipes e, logo depois, observou o recreativo protagonizado pelos jogadores que não entraram em campo na vitória sobre o Iraque. A Sele-

Mano Menezes treina Selação para mais um amistoso nesta terça-feira 16

ção Brasileira volta aos trabalhos neste domingo, às 11 horas (de Brasília), para atividade com portões fechados. Na segunda-feira, o grupo treina mais cedo, às 6h. Enquanto os jogadores retribuíam o assédio dos torcedores com fotos e autógrafos, um trio elétrico em circulação do lado de fora do estádio promovia o amistoso contra o Japão, que será realizado nesta terça-feira, às 9h10, em Wroclaw, com pan-

fletos, dançarinos e atletas fazendo embaixadinhas. Outro atrativo do confronto é a boa fase da seleção japonesa, que derrotou a França em amistoso nesta sexta-feira, por 1 a 0. Caso Mano Menezes não promova nenhuma alteração, a provável escalação do Brasil para encarar o Japão é a seguinte: Diego Alves; Adriano, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Paulinho, Ramires, Oscar e Kaká; Neymar e Hulk.


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE BRANQUINHA HOMOLOGAÇÃO – PREGÃO PRESENCIAL N° 006/2012 A Prefeita do Município de Branquinha homologa o presente processo, importando o mesmo o valor total de R$ 1.309.667,50 (hum milhão, trezentos e nove mil, seiscentos e sessenta e sete reais e cinquenta centavos). EXTRATO DE ATA DE REGISTRO DE PREÇOS N° 006/2012 Modalidade: Pregão Presencial nº 006/2012 – Objeto: Registro de Preços para Fornecimento de Material Gráfico. CONTRATANTE: Município de Branquinha, CNPJ: 12.332.995/0001-77. DETENTORA 01: Piso Pop Comércio Ltda, CNPJ: 08.152.288/0001-21. DETENTORA 02: OB Distribuidora Ltda ME, CNPJ: 12.064.073/000126. DETENTORA 03: WA Comércio Ltda EPP, CNPJ: 12.475.519/0001-05. Foro: Branquinha – Data de Assinatura: 20/07/2012 – Ordenador da despesa: Ana Renata da Purificação Moraes. O conteúdo integral desta Ata de Registro de Preços encontra-se a disposição na sede do município, situada na BR 104, KM 47, Branquinha/AL. Branquinha/AL, 28 de julho de 2012. Ana Renata da Purificação Moraes | Prefeita

Diário Oficial dos Municípios |B5

--------------------------------------------------------ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE FLEXEIRAS AVISO DE LICITAÇÃO Pregão Presencial nº 004/2012. Objeto: Fornecimento de Medicamentos, Insumos e Correlatos. DATA: 25/10/2012, às 10h00m. Edital Disponível na Rua Coronel Alcântara, s/n – Centro Flexeiras/AL, na sala da Comissão Permanente de Licitação das 08:00 às 13:00hs. Flexeiras/AL, 08 de outubro de 2012. Ambrózio Lisboa Júnior | Pregoeiro --------------------------------------------------------ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIBONDO HOMOLOGAÇÃO - TOMADA DE PREÇO 003/2012 O Prefeito do Município de Maribondo homologa o presente processo, importando o mesmo o valor total de R$ 474.279,51 (quatrocentos e setenta e quatro mil, duzentos e setenta e nove reais e cinquenta e um centavos). EXTRATO DO CONTRATO N° 003/2012 – TP CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Maribondo, CNPJ: 12.236.873/0001-87. CONTRATADA: Drenacos Drenagem Construção e Serviços Ltda, CNPJ: 12.620.868/0001-73. OBJETO: Construção de Quadra Esportiva. VALOR: R$ 474.279,51 (quatrocentos e setenta

e quatro mil, duzentos e setenta e nove reais e cinquenta e um centavos). Maribondo, 05 de setembro de 2012. José Marcio Tenório Melo Prefeito --------------------------------------------------------ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO EXTRATO DE ATA DE REGISTRO DE PREÇO CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO - CNPJ. 12.241.675/0001-01. FORNECEDOR: CONSTRUTORA PEREIRA LTDA CONSPEL, CNPJ 12.133.315/0001-96. Objeto: Registro de Preço para eventuais locações de máquinas pesadas e equipamentos. Valor Global da Ata: R$ 1.072.000,00 (um milhão setenta e dois mil reais). Vigência: 10/10/2012 a 31/12/2012. Fonte de Recurso: Serão certificados por ocasião de cada contratação. ESTADO DE ALAGOAS PREFEITURA MUNICIPAL DE QUEBRANGULO TERMO DE HOMOLOGAÇÃO O Prefeito do Município de Quebrangulo, Estado de Alagoas no uso de suas atribuições e em conformidade com a lei 8.666-93, Decreto 3931/01, resolve, HOMOLOGAR o Pregão

Presencial 28/2012– Registro de Preço para eventuais locações de máquinas e equipamentos, Processo Nº 3135/2012. Para: Secretarias e Órgãos da Prefeitura de Quebrangulo. Vencedora pelo menor preço CONSTRUTORA PEREIRA LTDA CONSPEL, CNPJ 12.133.315/0001-96. Valor:

VALOR TOTAL DA ATA: R$ 1.072.000,00 (um milhão setenta e dois mil reais). Quebrangulo, 09 de outubro de 2012. Marcelo Ricardo Vasconcelos Lima - Prefeito

> FÓRMULA-1

Vettel vence e Massa é 5º na Coréia do Sul Com vitória, piloto alemão volta à liderança do campeonato; Fernando Alonso perde disputa e chega em terceiro lugar foto: Divulgação

O alemão Sebastian Vettel voltou, neste domingo, à posição que ocupou nas duas últimas temporadas da Fórmula 1: o topo da classificação. Sem levar sustos, ele venceu o GP da Coreia do Sul, subindo no degrau mais alto do pódio pela terceira vez seguida e, de quebra, tomando de Fernando Alonso a liderança do Mundial. Vettel assumiu a liderança da corrida logo na largada, quando passou pelo companheiro de equipe Mark Webber. Fernando Alonso, que chegou à Coreia do Sul na liderança do Mundial, chegou em terceiro; Felipe Massa cruzou a linha de chegada na quarta posição. O brasileiro fez boa corrida e poderia ter chegado ao pódio. Ele tinha um bom ritmo de corrida, mas ficou impedido de ultrapassar o companheiro de equipe. O engenheiro de Massa chegou a pedir categoricamente pelo rádio que ele não ficasse muito perto de Alonso. Já Bruno Senna fez uma prova apagada. Começando em 17º, ele chegou a ocupar o 12º posto

após uma boa largada, mas o fraco ritmo de sua Williams fez com que ele logo caísse na classificação e encerrasse a corrida em 15º, um posto atrás de Pastor Maldonado, seu companheiro de equipe. Esta é a primeira vez que Vettel lidera o campeonato mundial desde o GP da Espanha, quinta etapa do Mundial. O alemão chega a 215 pontos após 16 etapas disputadas, contra 209 de Alonso. A próxima etapa acontecerá na Índia, em 28 de outubro.

A CORRIDA O alemão Sebastian Vettel começou muito bem a corrida em Yeongam e tomou a primeira colocação de Mark Webber ainda na primeira curva. O australiano ainda tentou retomar a ponta da classificação na reta seguinte, mas não conseguiu. Os pilotos da Ferrari também fizeram boa largada. Fernando Alonso ganhou o terceiro posto de Lewis Hamilton e tentou, sem sucesso, pressionar os

Novo líder da Fórmula 1, alemão Sebastian Vettel comemora vitória no pódio do GP da Coreia do Sul ao lado de Mark Webber (e) e Fernando Alonso

representantes da Red Bull. Felipe Massa, por sua vez, duelou com Kimi Raikkonen durante toda a volta inicial na Coreia do Sul até ganhar o quinto lugar.

Com o caminho livre à frente, Vettel e Webber foram escapando do pelotão, com o alemão aumentando a vantagem para o companheiro.

Massa deve continuar na Ferrari Depois de mais uma boa performance neste final de semana, no GP da Coreia do Sul de F-1, Felipe Massa diz que não tem mais dúvidas de que permanecerá na Ferrari no ano que vem. "Mas a gente precisa ainda esperar o sim das duas partes", afirmou o brasileiro, que completou a prova em Yeongam na quarta colocação, logo atrás de seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, a quem poderia ter superado não fosse o fato de ele estar na disputa pelo título. "Estou muito feliz com a minha corrida. Carro estava perfeito, o equilíbrio muito bom, e no começo eu passei carros importantes,

Mundial de pilotos 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º

PILOTO Sebastian Vettel Fernando Alonso Kimi Räikkönen Lewis Hamilton Mark Webber Jenson Button Nico Rosberg Romain Grosjean Felipe Massa Sergio Pérez Kamui Kobayashi Nico Hülkenberg Paul di Resta Michael Schumacher Pastor Maldonado Bruno Senna Jean-Éric Vergne Daniel Ricciardo

P 215 209 167 153 152 131 93 88 81 66 50 45 44 43 33 25 12 9

o que me permitiu andar no meu próprio ritmo desde o início da prova", disse o ferrarista. "Eu desci do carro sabendo que usei tudo que o carro me oferecia e sei que hoje poderia ter lutado pelo pódio. Mas sei também que hoje cada ponto é importante para o Fernando na disputa pelo título e também para a Ferrari no campeonato de construtores", completou. O brasileiro ajudou a equipe italiana a tirar da McLaren a segunda colocação no Mundial de Construtores --a Red Bull lidera com 367 pontos contra 290 da Ferrari.

Corrida podia ter sido melhor, declara o piloto Bruno Senna O GP da Coreia do Sul foi mais um final de semana para se esquecer para Bruno Senna. Depois de largar da 17ª colocação por ter tido problemas para acertar seu carro para a classificação no sábado, o piloto brasileiro voltou a sofrer durante a corrida deste domingo, em Yeongam. "A asa do meu carro deu problemas logo no começo da corrida, eu perdi duas posições para os carros da Toro Rosso e, quando ela voltou a funcionar, eu já tinha perdido muito tempo na pista e várias posições", explicou o piloto brasileiro, que com-

pletou a prova na 15ª colocação. "No final, quando eu estava lutando com o Maldonado - seu companheiro de Williams - ela voltou a dar problemas. É uma pena porque eu fiz uma boa largada, passei alguns carros, mas como na primeira curva estava muita confusão eu resolvi não arriscar muito. Até aquele momento achei que a corrida podia ser melhor". RÚSSIA Para não fazer feio em sua estreia no calendário da F-1, o que deve acontecer em 2014, a Rússia pediu ajuda aos organi-

zadores do GP de Abu Dhabi, conhecido por ser um dos mais bem planejados da temporada da categoria. Um acordo entre os dois países foi assinado, e a parceria já começa a valer a partir da corrida deste ano, que acontece no dia 4 de novembro --sábado, após a conclusão desta edição, seria disputada a prova da Coreia do Sul, penúltima novidade doCerca de 40 russos irão ao país do Oriente Médio durante o final de semana do GP para receber treinamento e observar detalhes calendário da modalidade.

Os pit stops em Yeongam começaram na 14ª volta com Lewis Hamilton. Webber, Massa e Raikkonen foram aos boxes no giro seguinte, e Vettel e Alonso pararam juntos no 16ª volta. O brasileiro da Ferrari começou a andar mais rápido do que o britânico da McLaren após a parada e assumiu a quarta posição com uma ultrapassagem na 21ª volta. Ele seguiu com bom ritmo e se aproximou de Fernando Alonso. Entre os pilotos que lutavam pelas posições de ponta na Coreia do Sul, Webber foi o primei-

ro a parar para a segunda troca de pneus, na 33ª volta. Os demais competidores fizeram seus pit stops nos giros seguintes e retornaram à pista sem mudanças de posições. Massa seguiu em ritmo rápido e colou em Alonso, mas não ameaçou seu companheiro por conta da briga do espanhol pelo título do Mundial e logo diminuiu o ritmo. Vettel também não foi pressionado por Webber e guiou com tranquilidade até receber a bandeira quadriculada e comemorar a vitória e a liderança do Mundial.

GP da Coreia do Sul - Classificação 1.º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 55 voltas em 1h36min28s651 2.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), a 8s231 3.º - Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 13s944 4.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 20s168 5.º - Kimi Raikkonen (FIN/Lotus), a 36s739 6.º - Nico Hulkenberg (ALE/Force India), a 45s301 7.º - Romain Grosjean (FRA/Lotus), a 54s812 8.º - Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso), a 1min09s589 9.º - Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso), a 1min11s787 10.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), a 1min19s692 11.º - Sergio Pérez (MEX/Sauber), a 1min20s062 12.º - Paul Di Resta (ESC/Force India), a 1min24s448 13.º - Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 1min29s241 14.º - Pastor Maldonado (VEN/Williams), a 1min34s924 15.º - Bruno Senna (BRA/Williams), a 1min36s902 16.º - Vitaly Petrov (RUS/Caterham), a 1 volta 17.º - Heikki Kovalainen (FIN/Caterham), a 1 volta 18.º - Timo Glock (ALE/Marussia), a 1 volta 19.º - Charles Pic (FRA/Marussia), a 2 voltas 20.º - Narain Karthikeyan (IND/Hispania), a 2 voltas NÃO COMPLETARAM: Pedro de la Rosa (ESP/Hispania), 16 voltas, abandono Kamui Kobayashi (JAP/Sauber), 16 voltas, abandono Nico Rosberg (ALE/Mercedes), 1 volta, colisão Jenson Button (ING/McLaren), 0 volta, colisão


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

B6 | Opinião

Foto da semana

Editorial

O futuro com Rui O prefeito eleito de Maceió, deputado federal Rui Palmeira, assumirá os destinos da capital em um bom momento. Primeiro, sucederá um gestor que realizou excelente trabalho, sobretudo com importantes obras físicas que mudaram o panorama geral da cidade. Segundo, terá a parceria do governador do Estado, Teotonio Vilela, principal líder de seu partido, o PSDB. Os dois gestores falando a mesma língua, comungando dos mesmos ideais e atuando de forma cooperativa, poderão fazer muito mais por Maceió. O que se disse durante a campanha sobre a 'inexperiência' de Rui Palmeira faz pouco sentido - e isso nem foi explorado na campanha - já que a capital foi muito bem administrada nos últimos oito anos por alguém que nunca havia exercido um cargo, público ou privado, de caráter executivo. Formando uma equipe de bom nível técnico (sem esquecer que a participação de políticos é natural no processo democrático), o futuro prefeito poderá dar continuidade ao que o prefeito Cícero Almeida iniciou e, com serenidade e competência, pôr em prática os projetos que defendeu durante a batalha eleitoral. Por tradição de família, assim como pela formação pessoal de Rui Palmeira, sabe-se que o primado ético será um dos pontos fortes da futura gestão municipal. Isso é importante, fundamental, para que tenhamos um programa de governo executado com respeito aos recursos originários dos impostos que a sociedade paga. Que o novo prefeito, com o equilíbrio e a lucidez que o caracterizam, assuma a Prefeitura em janeiro com a disposição de honrar as propostas da campanha; e que Maceió continue a trilhar a rota de um progresso sempre voltado para o bem estar de seu povo.

A verdade dos números: PMDB vence eleições municipais no Brasil Os dados oficiais do Tribunal quantidade de cadeiras nas Superior Eleitoral não dei- assembleias. Foram 7.951 xam margens para interpre- vereadores eleitos pelo tações. O PMDB sustentou a PMDB. Os eleitos pela sigla liderança e conquistou o representam 14% do total maior número de prefeitos do país. eleitos em todo o País. A par- Em Alagoas, o PMDB tamtir de janeiro, 1.036 cidades bém passa um excelente mobrasileiras serão administra- mento eleitoral de grande das por prefeitos do PMDB aceitação da sociedade. Das eleitos no primeiro turno. 102 cidades do Estado, o Uma votação muita expressi- PMDB elegeu 25 prefeitos diretamente e venceu, atrava sob todos os aspectos. A votação supera, com fol- vés de alianças, em 80% dos ga, o segundo colocado com municípios. Das 10 maiores 690 cidades e significa que cidades do Estado, fomos viperto de 20% dos municí- toriosos em 8 delas. Entre pios brasileiros serão admi- elas, Arapiraca, com a prefeinistradas pelo partido. Entre ta Célia Rocha, e Palmeira as capitais, no primeiro tur- dos Indios, com o prefeito no, o PMDB elegeu Eduardo James Ribeiro. Paes, no Rio de Janeiro, e Te- Convém ressaltar que o resa Surita, em Boa Vista. O PMDB elegeu diretamente partido disputa o segundo 25% dos prefeitos das cidaturno em Florianópolis, des alagoanas. Foi um dos Campo Grande e Natal, além melhores desempenhos do de outras 13 grandes cida- PMDB no Nordeste. O PMDB, des com mais de 200 mil portanto, foi o partido que novamente, mais elegeu preeleitores. feitos e vereaAlém de ser o dores, reitepartido com o a pumaior número “Convém ressaltar rando jança da sigla, de prefeitos que o PMDB seu conhecieleitos, a lemento, aceitagenda receelegeu diretação, credibilibeu 16,7 mimente 25% dos dade, capilarilhões de votos dade, força e em todo o prefeitos expressão napaís, o que realagoanos” cional. presenta mais Outra boa node 12% da tícia das urnas confiança do total de eleitores, perdendo foi o crescimento no número neste quesito apenas para o de mulheres eleitas para as PT, que obteve 17 milhões de prefeituras. Comparando-se com o pleito de 2008, houve votos. Este número adquire uma um acréscimo de 31% nestas importância significativa eleições. Apenas uma candiporque em muitas cidades o data se elegeu prefeita de PMDB preferiu não impor capital: Teresa Surita do nomes e optou por coliga- PMDB, em Boa Vista. Das ções. Foi o caso de Belo Ho- 621 prefeituras o PMDB, rizonte, Recife, Fortaleza, também elegeu a maioria Maceió, Porto Alegre, Goiâ- das prefeitas: 122 candidania, São Luiz, Manaus, Vitó- tas. Em Alagoas, 15 municíria e Aracaju, entre outras. pios serão comandados por Se lançados candidatos em mulheres a partir de 1º de jatodas as capitais, este patri- neiro. Isso representa um mônio eleitoral seria ainda percentual próximo a 15% das cidades. maior. A apuração mostrou ainda a vitalidade e aceitação do Renan Calheiros PMDB nas câmaras municiÉ senador e líder da bancada do PMDB pais. Em todo o Brasil o PMDB conquistou a maior

Calçadão é passeio de pedestres, mas alguns motoristas discordam e, aos sábados, sem fiscalização, estacionam onde não devem, no Comércio

Lulismo, redução da pobreza, violência e populismo penal Lulismo e redução da pobreza. Se o conservadorismo é a ideologia reinante no nosso país, sobretudo desde o final dos anos 80 quando se associou ao neoliberalismo, não há dúvida que dele não escapou nem sequer o lulismo dos últimos dez anos: as elites e as classes médias, aliadas agora às classes sociais emergentes (classe C) e àqueles que acabam de sair da pobreza, sem excluir os pequenos empreendedores, são todos muito conservadores, ou seja, não são simpáticos a políticas que buscam promover a ascensão social por meio dos recursos e programas públicos (todos têm medo de perder o que já ganharam). Apesar dessa ideologia social e política extremamente conservadora, muitos programas de elevação social foram concretizados pelo lulismo (Singer, Os sentidos do lulismo, 2012). Estudo realizado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República mostra que, apesar da crise financeira global, entre 2008 e 2009, a pobreza reduziu (no Brasil) de 25,3% para 23,9% da população (Valor Econômico de 26.06.12, p. A4). Em dez anos, o recuo foi de 15,1 pontos percentuais, ou seja, em 1999, 39% da população era considerada pobre, contra 23,9% em 2009 (30 milhões de brasileiros saíram da pobreza). A pobreza está diminuindo e a desigualdade está caindo. O levantamento citado revela o seguinte: a renda domiciliar per capita dos 10% mais pobres cresceu, de 2001 a 2009, 7%, enquanto o aumento entre os 10% mais ricos foi de apenas 1,5%. Os ricos cresceram menos, enquanto os pobres cresceram mais. Os ricos ficaram menos ricos, enquanto os pobres ficaram menos pobres: essa é a equação econômico-social do lulismo. Menos pobres e mais crimes. O Brasil se tornou o 6º PIB (potência econômica)

mundial, mas a criminalidade não diminuiu (de 9,6 homicídios para cada 100 mil habitantes em 1979 passamos para 27,3 em 2010). Mais de meio milhão de pessoas foram assassinadas no período lulista (veja Datasus e Instituto Avante Brasil). O Brasil é o 20º país mais violento do mundo e o único dos dez mais ricos que está no Top 66 dos países mais violentos. A desigualdade e a pobreza continuam caindo, mas as taxas delitivas só aumentam. Se a pobreza está caindo e a desigualdade está reduzindo, por que o crime está aumentando? Dentre os incontáveis fatores que poderiam explicar esse fenômeno (cultura

“Mais de meio milhão de pessoas foram assassinadas no período lulista; o Brasil é o 20ª país mais violento do mundo” contemporânea da violência, frouxidão nos vínculos familiares e religiosos, violência nas televisões, drogas, violência de gênero, iniquidades sociais, miséria etc.), penso que dois deles se destacam: (a) o ânimo de lucro do crime organizado, sobretudo no âmbito das drogas (para obtenção do lucro tudo se torna possível, inclusive a violência) e (b) a remanescência de um subproletariado imenso, que continua excluído, marginalizado e, ao mesmo tempo, mergulhado em profundas situações de conflito. Mais crimes e mais populismo penal. O

lulismo diminuiu a pobreza, mas não radicalizou a clássica ordem econômica, não estabeleceu nenhum confronto extremado com o capitalismo escravagista, ou seja, procurou manter a ordem econômico-social dada (que é extremamente injusta e criminógena). O lulismo se funda no paradoxo de ter promovido avanços sociais sem eliminar a acumulação primitiva de capital (Karl Marx), que consiste numa associação de maximização dos lucros, uso da violência e destruição de uma série de vítimas individuais e sociais. A pujança do capitalismo à brasileira, que é primitivo e escravagista, significa maximização dos lucros mediante o uso da violência. É disso que decorre, em grande parte, o aumento da criminalidade (tradicional) que gera (cada vez mais) insegurança; mais insegurança gera mais medo; mais medo (gerenciado pela mídia) gera mais demanda punitivista; mais demanda punitivista gera mais populismo penal, ou seja, mais exploração da emotividade popular decorrente do delito, com postulação de mais penas, mais rigor punitivo etc. Quanto mais o Estado perde sua capacidade para gerenciar os conflitos sociais, mais se torna punitivo, porque os políticos se tornam impotentes para resolver tais conflitos. Essa impotência política e econômica se transforma em potência penal, turbinada pelo populismo penal (midiático), que é a única que pode cumprir o papel simbólico de tranquilizar (ilusoriamente) a população. Quem não tem muito que oferecer em termos de segurança para a população, só pode fazer o que os mágicos fazem: iludir o espectador (valendo-se do poderoso auxílio da mídia). Luiz Flávio Gomes É jurista, cientista criminal e fundador da Rede de Ensino LFG

Crítica de Dilma faz Bradesco reduzir taxas Os bancos privados começam a reagir às ameaças da presidente Dilma Rousseff e anunciam redução dos juros do crédito rotativo, os maiores do mundo. O Bradesco informou há pouco o corte das taxas dessas operações de todos os seus cartões com as bandeiras Visa, American Express, ELO e Mastercard. O encargo máximo do rotativo foi reduzido em 54%, passando de 14,9% para 6,9% ao mês. As taxas para parcelamentos caíram de 8,9% para 4,9% mensais, na máxima. Para não reforçar a percepção de que só reagiu por causa da pressão do governo, o Bradesco informou que estudava a alterações no rotativo do cartão de crédito desde o ano passado. O banco assegurou que vinha analisando alternativas e opções e decidiu preservar as características "vencedoras de simplicidade, praticidade e conveniência do cartão de crédito no Brasil". Segundo pesquisas da instituição, seus clientes têm no cartão de crédito um ativo de valor, identificando-o como um bem agregado, que lhe proporciona comodidade e segurança. "A conclusão é que deveríamos fortalecer as características e as funcionalidades do cartão de crédito no Brasil, pois elas

são benéficas para os consumidores, lojistas e demais agentes econômicos", afirma o diretor executivo do Bradesco, Marcelo Noronha. "Estamos adotando taxas mais competitivas, mantendo todos os benefícios existentes para os nossos clientes, além de enfatizar as suas funções amplamente conhecidas por todos", acrescenta.

“Segundo pesquisas da instituição, seus clientes têm no cartão de crédito um ativo de valor, como um bem agregado” Segundo ele, a decisão do Bradesco partiu do princípio de que a redução dos juros deveria ser horizontalizada, impactando todos os clientes e não apenas parte deles, em respeito ao sentimento de relacionamento e fidelidade demonstrados na

pesquisa. "O Bradesco é o primeiro banco privado brasileiro a reduzir substancialmente suas taxas de crédito rotativo, que caem para um dígito, a todos os clientes, indistintamente", disse Noronha. "Sabemos também que o momento é de união de todos no esforço de buscar caminhos de blindagem da economia aos efeitos da volatilidade global e o cartão de crédito ganha importância enquanto instrumento anticíclico. Acreditamos que essa decisão vai fortalecer a nossa marca e o nosso cartão, ampliando a sua base, seu uso e faturamento", aponta. As novas taxas do crédito rotativo, de saque, parcelamento do emissor e parcelamento da fatura dos cartões de crédito entram em vigor em 1º de novembro. Ou seja, as faturas dos cartões de crédito com as compras de Natal das famílias já serão representadas com o novo modelo de taxas de juros reduzidas pela metade, o que deverá influenciar positivamente a decisão de consumo das pessoas. Vicente Nunes É articulista do Correio Braziliense

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Moema Cavalcante Basto, 314 - Lot. Barra Mar | CEP 57.180-000 Fone: (82) 3021-5837/ 3021-0563 - Barra de São Miguel | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 3325-2815

Luiz Carlos Barreto Goes Diretor-Geral

Romero Vieira Belo Diretor Editorial

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012

Especial |B7

> CONSUMO

Ambev promete reduzir preço da cerveja Bebida tem sido um dos itens determinantes do aumento da inflação; líder do mercado de cervejas tenta colaborar com o governo fotos: Divulgação

Maior fabricante do país vai diminuir o valor cobrado dos varejistas em várias regiões incluindo o Nordeste O preço de algumas das principais marcas de cerveja no varejo ficará menor a partir desta semana. A Ambev, maior cervejaria do país, diminuirá em até 15% o valor cobrado dos pontos de venda no Distrito Federal, em Goiânia e no Amazonas. O jornal Correio/Diario apurou que, após o governo adiar para 1ª de abril de 2013 parte do aumento da carga tributária sobre o produto, havia a expectativa de que os custos das empresas cairiam. Com a estratégia de postergar a elevação dos tributos, o Ministério da Fazenda espera amenizar as pressões sobre a inflação, que, de janeiro a setembro, chegou a 3,77%, quase alcançando a meta de 4,5% para o ano. Com isso, também cria condições para que o Banco Central não precise elevar a taxa básica de juros como remédio para conter a carestia, o que prejudicaria ainda mais o crescimento econômico. Segundo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cerveja encareceu 9,91% desde o início do ano. Como justificativa para o corte nos preços, a Ambev informou que o ambiente econômico é favorável, uma vez que o reajuste nos impostos sobre a cerveja foi adiado. Entre

Líder do mercado nacional, a Ambev promete reduzir em até 15% os preços da cerveja a partir desta semana

os descontos oferecidos, bares das regiões Sudeste e Nordeste pagarão pelo equivalente a apenas 600ml na compra de garrafas de um litro da marca Brahma. Os outros 400ml serão uma cortesia. Em Brasília e no Rio de Janeiro, essa promoção será oferecida para os pedidos da marca Antarctica.

VITÓRIAS Os descontos também estão relacionados ao futebol. Em uma estratégia de marketing, a Ambev já havia decorado latas da cerveja Brahma com escudos de clubes brasileiros.

Agora, quando eles vencerem partidas do campeonato brasileiro, o custo do produto diminuirá R$ 0,20 para os varejistas. A ação acontecerá às terças e sextas-feiras e será válida para times de Pernambuco, Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O preço da embalagem de 300ml das três principais marcas da companhia (que também comercializa a Skol) ficará congelado nas regiões Sudeste, Norte e Nordeste nos supermercados atendidos pela cervejaria. Além disso, o desconto de 10% que esses varejistas já rece-

bem será estendido de 2 mil para 5 mil pontos de venda. A promoção valerá para todas as embalagens em lata e para as garrafas de um litro. Procuradas pela reportagem, o Grupo Petrópolis, a Heineken Brasil e a Schincariol disseram que não comentam políticas de preços. Somadas à Ambev, as quatro cervejarias representam 96% do mercado no país. A Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil) também disse que não compete a ela analisar políticas de preços seguidas individualmente pelas empresas.

> EM ESTUDO

Governo quer retomar ramais ferroviários em vários estados Arquivo / Márcio Ândrei

Depois de quatro décadas de abandono, os trens regionais voltaram à pauta dos governos estaduais e federal. Atualmente, está em estudo pelo poder público a construção de 21 ramais ferroviários para passageiros. Caso todos os projetos planejados no Brasil saiam do papel no prazo previsto, o País pode ganhar 3.334 km de trilhos para transporte em 14 Estados até 2020. O número é mais que o dobro do que está em operação. Apenas duas linhas de passageiros funcionam hoje no País: uma liga Belo Horizonte (MG) a Vitória (ES) e outra, São Luís (MA) a Carajás (PA) - ambas são operadas pela Vale. O atual cenário contrasta com o que era esse mercado há meio século: na década de 1960, cerca de 100 milhões de passageiros eram transportados em trens interurbanos anualmente. Hoje, esse número é de cerca de 1,5 milhão de pessoas por ano. Para Vicente Abate, presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária (Abifer), o ressurgimento de projetos de trilhos pelo País é reflexo do recente aumento da preocupação com a mobilidade. "O transporte ferroviário de passageiros é normalmente rápido, seguro, confortável e não poluente. Trens de velocidade média, entre 100 e 150 km/h, são uma al-

Transporte econômico e seguro, o trem volta a ter mais atenção por parte das autoridades governamentais

ternativa para a mobilidade entre as cidades, que hoje está um desastre." Entre os projetos mais avançados estão a ligação entre Brasília e Goiânia, passando por Anápolis (GO), e cerca de 500 km de trilhos em Minas Gerais que fariam a conexão entre Belo Horizonte e cidades como Sete Lagoas, Ouro Preto e Brumadinho. O primeiro, orçado em R$ 800 milhões, está prometido para 2017 e deve vencer todo o trajeto em cerca de uma hora. Já o segundo está divido em três trechos e deve

ser feito por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) que já tem 18 interessados em preparar estudos de viabilidade. A expectativa é de que as obras comecem em 2014. Em São Paulo, o governo estadual realiza estudos para três ramais - ligando a capital a Jundiaí, Santos e Sorocaba. Além disso, o Trem de Alta Velocidade (TAV), previsto pelo governo federal para ficar pronto em 2020, vai cortar a capital e grandes cidades do Estado, como Campinas e São José dos Campos, no caminho até o Rio.

MINISTÉRIO Outros 14 trechos fazem parte de um plano que está sendo executado pelo Ministério dos Transportes em parceria com governos estaduais. Os dois mais adiantados são o que ligará Londrina a Maringá, no Paraná trajeto que já existia por trilhos, mas foi abandonado ao longo das últimas décadas - e o ramal entre Pelotas e Rio Grande, no Rio Grande do Sul. Segundo a pasta, todos os 14 estudos devem estar prontos e terem suas obras iniciadas em um prazo de cinco anos.


B8 | Social

Primeira Edição | 15 a 21 de outubro, 2012


151012