Page 1

Projeto de servidor do TJ empaca na Assembleia > A-2 MP descarta festejos juninos O Ministério Público de Alagoas determinou que ao prefeitos dos 102 municípios do Estado evitem promover festejos juninos em pleno avanço da pandemia. Recomendação nesse sentido foi encaminhada à Associação dos Municípios Alagoanos. > A-5

edição PRIMEIRA

Mega vai a R$ 12 milhões Nenhuma aposta ganhou a Mega-Sena deste sábado, 5 de maio. As dezenas: 11 - 37 - 38 41 - 49 - 54. O prêmio do próximo sorteio é estimado em R$ 12 milhões. Quem cravou a Quina vai receber R$ 67 mil. Acertador da Quadra vai levar 1,2 mil.

Ano 13 | Edição 929 | Maceió, Alagoas, 7 a 13 de junho, 2021 | R$ 2,00

Lei não garantirá o voto 100% impresso em 2022

> A-3

Renan: "O Exército não se rende, apenas recuou"

> A-4

União vai demolir pardieiro do TCU Com autorização ambiental já autorizada, o Patrimônio da União vai demolir o pardieiro onde funcionou a sede regional do Tribunal de Contas da União (TCU) na orla do Trapiche da Barra. Como ainda não foi fixada data, demolição poderá ocorrer a qualquer hora. > A-2

Primeira Edição

JHC sancionará lei do 'rateio do Fundef' incluindo servidores Em ruínas, antiga sede do Tribunal de Contas da União, na orla do Trapiche, finalmente vai ser demolida

Aprovada pela Câmara Municipal, a lei que destina R$ 180 milhões para a educação, via 'rateio do

Fundef', vai ser sancionada sem veto pelo prefeito João Henrique Caldas, (JHC) diz assessor. > A-5

COVID ABARROTA HOSPITAIS

Alagoas enfrenta explosão de contágios A exaustão da rede hospitalar de Alagoas já é uma realidade. A transmissão do coronavírus segue em alta, em Maceió e no interior, com aumento de mortes vitimando jovens e idosos. O Estado já aplicou mais de 1 milhão de vacinas, mas tem 3,5 milhões de habitantes e muitos estão se expondo perigosamente, apesar dos dramáticos apelos das autoridades sanitárias. A Secretaria Estadual de Saúde tem priorizado recursos para instalação de UTIs destinadas a pacientes de Covid, mas a rede hospitalar poderá entrar em colapso se a pandemia continuar avançando como nas últimas semanas. > A-5

fotos: Divulgação

Lessa valoriza trabalho executado pela SMTT durante visita ao órgão

Nova onda de Covid ameaça levar rede hospitalar de Alagoas ao colapso

Buscando mais integração com os órgãos da Municipalidade, o ex-governador e atual vice-prefeito de Maceió, Ronaldo Lessa

realizou visita técnica à sede da SMTT onde conversou com o superintendente André Costa e técnicos do órgão. > A-3

Denúncia derruba presidente da CBF CRB PRONTO PARA O JOGO DE VOLTA COM O PALMEIRAS APÓS 1X0 EM CASA Após perder de 1x0 para o Palmeiras, no Rei Pelé, num jogo em que merecia melhor resultado, pela Copa do Brasil, o CRB está pronto para o segundo duelo que vai acontecer às 19h desta quarta-feira (9) em São Paulo. Com a vantagem, o Verdão jogará pelo empate. > B

Seleção vence Equador por 2x0, enfrenta o Paraguai nesta 3ª feira e depois decide se disputará a Copa América

Denunciado por assédio sexual e moral, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, acaba de ser afastado pela Comissão de Ética da confederação. Já o apresentador André Rezek diz que Caboclo prometeu ao governo federal trocar o técnico Tite, da Seleção, por Renato Gaúcho. > B-4

Nem Lewis nem Max: Pérez vence GP do Azerbaijão > B Fale conosco | Redação: (82) 3021.5837 | Comercial: (82) 3021.0563 | Assinante: (82) 3021.0563 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br | e-mail: contato@primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

A2 | Política

O Ã Ç UA RIA T I S CÁ PRE

Projeto salarial de servidores do TJ 'empaca' na Assembleia Legislativa Sindicatos se mobilizam apelando aos presidentes do Tribunal de Justiça e do Legislativo Estadual fotos: Divulgação

Primeira Edição

Projeto de lei que trata da reposição salarial dos servidores do Poder Judiciário de Alagoas, envolvendo perdas acumuladas em 2019, está paralisado na Assembleia Legislativa, "sem nenhuma explicação ou justificativa para isso", segundo informa o site oficial do sindicato da categoria. Na terça-feira (1), dirigentes do Sindicato dos Servidores do Judiciário (Serjal) e do Sindojus/AL se reuniram para discutir a unificação de algumas ações em relação a demandas da categoria, sendo uma delas a data-base de 2020, dos servidores do Poder Judiciário alagoano. "A proposta de reposição de perdas acumuladas no exercício de 2019 está em tramitação desde março do ano passado, no Poder Legislativo", informa o Portal, acrescentando: "Passou algum tempo parado, em função da pauta prioritária da pandemia, mas graças ao trabalho dos dois sindicatos, o projeto destravou neste ano e

Sindicalista Aluciano Martins quer destrava projeto da data-base dos servidores do Judiciário

recebeu parecer favorável de todas as comissões por onde passou, na Assembleia, restando apenas a votação em plenário. No entanto, de maneira inexplicável, o projeto emperrou e há 20 dias está parado, aguardando encaminhamento da presidência para ser colocado em pauta".

FORA DA PAUTA

No texto inserido no Por-

tal, o presidente do Serjal, Aluciano Martins, revela que tentou, mas não conseguiu contato com o presidente da Assembleia, deputado Marcelo Victor: "Estamos sem entender o porquê dessa demora. Já estivemos no gabinete do presidente da Assembleia, deputado Marcelo Vitor, conversamos com sua assessoria, tentamos agendar audiência, mas não temos conseguido falar

Presidente Kléver Loureiro pode intercedor junto a Marcelo Victor, por solicitação do Serjal

com ele, para entender qual o entrave. Até porque, os projetos de reposição do Poder Executivo e do Legislativo, inclusive do Tribunal de Contas, já foram aprovados, enquanto o dos servidores do Judiciário, inexplicavelmente, não foi colocado em pauta". Ofícios assinados pelas duas entidades sindicais foram encaminhados, já na quartafeira (2) às presidências do Tribunal de Justiça e da Assem-

bleia Legislativa, com o objetivo de destravar o andamento do processo.

COM DOTAÇÃO

No ofício ao presidente do TJ-AL, desembargador Kléver Loureiro, os sindicatos solicitam o agendamento urgente de reunião para tratar desse e de outros temas pendentes. As entidades sindicais querem discutir a colaboração do TJ para aprovação da matéria,

destacando que o agravamento da situação econômica decorrente da crise sanitária que assola o país tem afetado duramente os servidores do Judiciário alagoano, assim como de outros Poderes, que já tiveram aprovada a sua data-base. No ofício ao presidente Marcelo Vitor, os dois sindicatos solicitam que o projeto de lei da data-base (nº 300/2020) seja levado, de forma urgente, à votação.

> EM GESTAÇÃO

Lira acelera reforma contra servidor; Guedes diz que "Bolsonaro é contra" Primeira Edição

Presidente da Câmara dos Deputados, alagoano Arthur Lira anunciou a edição de ato da Mesa Diretora da Casa para criar a comissão especial da reforma administrativa. Ainda de acordo com Lira (que reitera que os servidores atuais não serão atingidos pela reforma) já nesta semana ele reunirá todos os líderes partidários para discutir como será a tramitação da proposta. O relator deverá ser o deputado Artur Oliveira Maia (DEMBA). "Esta presidência não admitirá, em hipótese alguma, nen-

hum ataque aos servidores atuais, ao direito adquirido", afirmou. A comissão será composta de 34 membros titulares e 34 suplentes. "Se essa PEC for aprovada, ela terá efeito ex nunc, ou seja, de agora por diante, no modelo mais moderno para o sistema público brasileiro, que visa tão somente o melhoramento do serviço público em prol do cidadão", disse Lira.

CONTRA

O ministro Paulo Guedes, da Economia e um dos maiores defensores de medidas contra o funcionalismo público, andou

Artur Lira agiliza trâmite de reforma que extingue direitos dos servidores

confidenciando que o presidente Jair Bolsonaro desaprova a reforma administrativa que vai abolir direitos consagrados dos servidores públicos em geral. Já o coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Reforma Administrativa, deputado Tiago Mitraud (NovoMG), acredita que a proposta de emenda constitucional (PEC 32) que trata do assunto será aprovada pela Câmara. "Não por causa do presidente Jair Bolsonaro, mas apesar dele", ressaltou. - Surpreende as pessoas ficarem surpresas com o fato de Bolsonaro não defender as reformas. Desde o início do

governo, o presidente sempre defendeu interesse em temas supérfluos, como horário de verão, radar de rodovia, pedágio de motocicletas - disse Mitraud ao Congresso em Foco. O deputado também defende a inclusão de magistrados, militares, integrantes do Ministério Público e atuais servidores na proposta em tramitação na Câmara. "No caso dos privilégios, tem de tirar de todos. A proposta veio desidratada. Deixou os que têm mais privilégios de fora. Se cortar mais, ninguém vai entrar. Se retroceder, melhor não votar agora", afirmou ao Congresso em Foco.

> PONTO FINAL?

União resolve demolir o pardieiro que foi sede do TCU em Alagoas Primeira Edição

Fim de linha para o pardieiro que já foi sede do Tribunal de Contas da União em Alagoas: quarta-feira (2) o Diário Oficial Eletrônico do Município de Maceió publicou 'autorização ambiental' para demolição do antigo edifício-sede estadual do TCU, situado na Av. Assis Chateaubriand, na orla do Trapiche. O documento do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Superintendência do Patrimônio da União (SPU) em Alagoas - comunica que requereu à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet) a liberação para o ato de demolição. Abandonado há mais de

Primeira Edição

oito anos, o prédio serviu de abrigo para pessoas sem teto e chegou a ser usado como ponto de venda de coco verde, mas os moradores da região protestaram e o local acabou sendo isolado e cercado. A população do Trapiche chegou a se animar, em 2017, quando o Patrimônio Público da União anunciou que o espaço seria restaurado, mas tudo não passou de um 'rebate falso'.

TRISTE FIM

O 'antigo' edifício-sede do escritório estadual do Tribunal de Contas da União é um exemplo de prédio público transformado em pardieiro. Localizado no prolongamento da Av. Assis Chateaubriand, a estrutura foi construída com

Pardieiro do TCU ameaça integridade de quem transita pela área, já que estrutura ferrosa está se decompondo

material ferroso de baixa qualidade, o que provocou sua contínua corrosão. Ao longo dos anos, vários

serviços de restauração foram executados até que a coordenação do TCU entendeu que não dava mais continuar e ali e

providenciou sua transferência para um imóvel adquirido no Farol. O grande erro: construir

um prédio com material ferroso, de baixa qualidade, em plena orla marítima e numa área de fortíssima maresia, como é a região entre a praia do Sobral e o Pontal da Barra (que o digam os donos dos carros que eram apreendidos e levados para o depósito do Detran, no Pontal). A situação desse prédio pertencente ao Patrimônio da União também foi, em sucessivas edições, tema de reportagens publicadas neste Primeira Edição. Quando estava para deixar o local e se transferir para imóvel alugado no Farol, funcionário do escritório do TCU disse que o prédio seria oferecido para sediar alguma repartição pública, mas ninguém nunca se interessou.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

Política |A3

> AVALIAÇÃO DO TSE Romero Vieira Belo

Enfoque Político Jornalismo é, antes de tudo, a busca da verdade

Estudo nos EUA reforça tese de longa imunidade Quem já teve a Covid-19 produz anticorpos por longo tempo? Em maio, aqui neste espaço, inseri texto mostrando evidências seguras de que a imunidade natural de pacientes do coronavírus era duradoura. Em resumo, afirmei que, sem reinfecção massiva em nenhuma parte do mundo, a realidade indicava que o sistema imunológico dos infectados estava operante há mais de um ano. No final da semana retrasada foi apresentado estudo revelando a presença de anticorpos na medula óssea de pacientes que tiveram casos leves de Covid. Os autores, cientistas da Universidade de Washington, afirmam que há indícios de que essas pessoas podem continuar produzindo anticorpos contra a doença ao longo da vida. Leia a seguir trechos do meu comentário publicado sob o título 'Covid-19: há evidências de imunidade duradoura': "Enquanto as campanhas de vacinação avançam em todo o mundo, cientistas e especialistas já sabem que a imunidade natural - aquela produzida por quem contrai o novo coronavírus - é 'razoavelmente' duradoura. Há evidências seguras que provam isso, mas, como não existe uma 'certeza matemática', nenhuma autoridade vai se manifestar com opiniões conclusivas. Mesmo porque só o tempo vai esclarecer por quanto tempo os anticorpos gerados pelo contágio da Covid protegerão as pessoas infectadas. Também, não ajudaria proclamar, reconhecer publicamente que o contágio 'imuniza' o paciente, porque isso conspiraria contra a vacinação. "Já peguei, então, não preciso me vacinar". Bom, e se, mais adiante, seus anticorpos sumirem? Nova infecção? Como disse, só o tempo poderá dar respostas definitivas. Seria ótimo, sensacional se a infecção fosse única - ou que a vacina produzisse efeito imunizante permanente, como no caso do sarampo. Contudo, só dá para saber com a passagem do tempo. E é justamente o tempo já decorrido que permite afirmar que a imunidade natural tem boa duração. Pelo menos um ano, no mínimo. O que permite tal afirmação? O tempo. Um ano atrás, em abril de 2020, já havia milhões de infectados no muno inteiro. Logo, se a imunidade natural durasse somente alguns meses, já teria ocorrido casos de reinfecção massiva em toda parte". SERVIDORES DA ALE APLAUDEM MARCELO VICTOR O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor, priorizou os servidores da Casa ao conceder reajuste salarial de 4,52% (o mesmo aprovado para o pessoal do Poder Executivo) e já implantado na folha de maio. A iniciativa mereceu aplausos praticamente unânimes dos funcionários do Legislativo.

Nem com lei aprovada haverá voto 100% impresso em 2022 Enquanto presidente do TSE rejeita, presidente da Câmara Federal, Artur Lira, aprova fotos: Divulgação

Primeira Edição com UOL

Sistema defendido pelo presidente Jair Bolsonaro contra fraudes (embora ele tenha sido eleito com urnas eletrônicas), o voto impresso não será adotado 100% nas eleições gerais do próximo ano - por falta de tempo e tecnologia para impressão das cédulas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Conforme e colunista Carolina Brígido, do Portal UOL, "técnicos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) estudam uma forma de viabilizar a instalação de impressoras nas urnas em 2022, caso o Congresso Nacional aprove a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do voto impresso. No

Voto com cédula de papel reconduzirá o Brasil ao tempo dos ‘orelhões’

entanto, a conclusão é que será praticamente inviável garantir o voto impresso em 100% das urnas até as eleições".

A colunista ressalta que "o principal impasse é a falta de capacidade da indústria de tecnologia da informação para

produzir o equipamento a tempo. Com a pandemia, a produção tem sido mais escassa. Os técnicos do TSE também observam que não existe na PEC especificações para se desenhar o protótipo da impressora, o que impede a Justiça Eleitoral de prever até quando conseguiria colocar a ideia em prática". - Outra questão é o prazo exíguo - acrescenta o texto do UOL: "Hoje existem disponíveis para as eleições 577 mil urnas. As novas urnas precisariam ser distribuídas em agosto de 2022 aos TREs (Tribunais Regionais Eleitorais). Seria um intervalo muito pequeno entre a eventual aprovação da PEC e a data de distribuição do equipamento".

Ministro Barroso: "Congresso é fórum para debater o tema" Carolina Brígido d- UOL

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, tem se encontrado com parlamentares para discutir o voto impresso. Ele considera a medida desnecessária, porque, como tem explicado, o sistema eleitoral brasileiro é auditável do início ao fim. Barroso ainda tem dito que o voto impresso não é a solução para auditar eleições. Ele lembra as fraudes já ocorridas no país quando o voto era dado em cédulas de papel. O ministro também alerta para o alto custo da instalação de impressoras nas urnas. Ainda assim, Barroso tem dito a interlocutores que o Con-

Ministro Roberto Barroso diz que decisão sobre voto cabe ao Parlamento

gresso Nacional é o local adequado para se debater o tema. Portanto, se o voto impresso for

aprovado, a Justiça Eleitoral vai se e empenhar para colocar a medida em prática o quanto

antes. Recentemente, Barroso se encontrou com os presidentes da Câmara, o alagoano Arthur Lira (do PP e que já se manifestou favorável à volta do voto impresso)), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para debater o tema. Também se reuniu com os deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Paulo Martins (PSC-PR). Vai conversar hoje com Alex Manente (Cidadania-SP). A intenção do ministro é falar sobre o assunto com as principais lideranças do Congresso. Nos próximos dias, Barroso deve atender ao convite para comparecer à comissão especial que trata da PEC do voto impresso.

> INTEGRAÇÃO

Presença de Ronaldo Lessa valoriza trabalho da SMTT Marcelo Victor corrige salários e ganha reconhecimento dos servidores

ACABA SOANDO COMO ELOGIO AO GOVERNADOR Depois que Renan Filho decidiu mudar a legislação do AL-Previdência para isentar os servidores alagoanos que ganham até o teto do INSS (cerca de R$ 6,400,00) o que não falta é deputado posando de 'amigo do funcionalismo' e cobrando o que já foi decidido pelo governador desde o início deste ano. COPA AMÉRICA: 23 GOVERNADORES CONTRÁRIOS Na Assembleia, o deputado Luiz Teixeira (mais conhecido como Bebeto) criticou Renan Filho por não ter aprovado a disputa da Copa América no Brasil. Disse que era 'hipocrisia e demagogia'. Pois bem: governadores de 23 estados se posicionaram como Renan Filho, e nenhum foi chamado de 'demagogo'.

Vice-prefeito Lessa reunido com técnicos da SMTT no meio da semana

O CONTORCIONISMO DO DEPUTADO DAVI MAIA De um assessor legislativo da ALE: "Incrível como o deputado Davi Maia tenta o impossível - agradar a gregos e troianos. Ora, defende com eloquência a abertura da economia, não importando a grau de letalidade da pandemia; ora, tenta culpar o governo estadual pela baixa testagem da Covid no Estado". BOLSONARO REJEITA REFORMA CONTRA SERVIDOR Com repercussão negativa muito forte no meio do funcionalismo, o presidente Bolsonaro já deixou claro - por meio do ministro Paulo Guedes, da Economia - que não aprova a reforma administrativa em tramitação na Câmara. Na prática, a PEC acaba com a figura tradicional do servidor público. E AGORA, QUE A OMS APROVOU A CORONAVAC? Quase que imediatamente após a postagem nas redes sociais de texto anônimo 'denunciando' a ineficácia da Coronavac, a Organização Mundial de Saúde aprovou o uso da vacina chinesa em caráter emergencial. A liberação da OMS deixa em péssima posição os que questionavam a eficácia do imunizante chinês.

Ronaldo Lessa fortalece integração entre gestores e órgãos municipais

Por Romero Vieira Belo

O vice-prefeito Ronaldo Lessa realizou visita à sede da SMTT, no início da semana, sendo recebido pelo superintendente André Costa. - Já conhecia o trabalho que vocês estão realizando e

boa parte da equipe também, de outras reuniões e eventos. Foi muito boa a nossa vinda aqui, para estreitar os laços e tomar conhecimento das dificuldades e das coisas positivas que estão sendo feitas pela SMTT - disse Ronaldo Lessa. Em companhia de seus as-

sessores, o vice-prefeito visitou as instalações do órgão municipal, reuniu-se com o superintendente e ressaltou a importância de acompanhar o trabalho que está sendo desenvolvido. "Uma coisa é você ver pontualmente, outra coisa é estar aqui dentro conversando com o André, que gerencia tudo isso com suas equipes técnicas, vendo como funciona o controle de toda essa problemática", disse o vice-prefeito. Para o superintendente André Costa, a visita do viceprefeito é muito importante

para fortalecer cada vez mais as relações. "Contar com a presença de nossos gestores aqui na SMTT, demonstra o quanto o trabalho em equipe é fundamental para solucionar as demandas da população e melhorar o atendimento aos maceioenses", considerou. A trajetória política e bagagem de Lessa é de fazer inveja: o ex-vereador, deputado estadual, prefeito de Maceió, deputado federal e duas vezes governador de Alagoas. Ele também é presidente do PDT em Alagoas.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

A4 | Nacional

> EXÉRCITO Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

NÃO SE OUVE MAIS FALAR DE FLORES Claro que entendemos, mas é terrível vermos que não temos mais assuntos leves, assuntos que nos levem a nostalgia, até a rir um pouco em meio a essas agruras da vida. Não abrimos mais o Jornal Nacional e outros tantos para ouvir falarem de amenidades, de novos rumos de projetos em andamento. Na verdade, a pandemia nos trouxe para um incrível mundo novo que mudou totalmente nossas vidas e nossa maneira de pensar, de assistir notícias, de nos prender a mortes em profusão que não escolhem cor, sexo, patrimônio ou o que quer que seja. E a partir daí as estatísticas de crescimento do país foram substituídas pelas mórbidas que nos atualizam com o número de casos em crescimento e o número de mortes em andamento. Queremos crer e precisamos crer que essa é uma grande e enorme fase de penúrias, mas que vai passar. Queremos crer com todas as forças que o nosso Deus nos criou para também vivermos bem e felizes e que, em breve, graças a Ele e também aos nossos cientistas haveremos de superar o período seco, árido que nos assolou para entrarmos finalmente numa redenção que virá acompanhada de novos métodos e sistemas implantados à força por essa crise sanitária e então nos mostrando que com fé, ciência, trabalho e denodo haveremos sim, novamente ouvir falar de flores.

DESTACÔMETRO O destaque vai para a grande cantora da música popular brasileira, Amelinha, que no próximo sábado estará se apresentando para os telespectadores do "Bartpapo com Geraldo Câmara". Às 9 horas da manhã na BAND canal 38.1 aberto, NET 18 e 518 e VIVO 519.

PÍLULAS DO OUVIDOR A famosa e perigosa Ladeira da Moenda que vai do Feitosa à Pitanguinha cortando caminho para os interessados vai fechar por 15 dias a partir de hoje, segunda 07 de junho. Obras necessárias para melhoria da segurança naquele local. Os golpes na internet sucedem uns aos outros deixando todos de orelhas atentas. Agora mesmo estão usando o famoso e utilizado What'sApp para dar o golpe do roubo de dados através de uma pesquisa do Ministério da Saúde. Pode, Arnaldo? Parece que tem gente que só vive pensando em golpes, pensando em se dar bem às custas da desgraça alheia. É impressionante também como têm outros que caem nesses golpes com uma extrema facilidade. Gostaria de saber até que ponto os prejudicados pela Brasken vão agüentar essa morosidade da empresa em acertar os ponteiros com quem já perdeu suas casas e está dependendo do pagamento indenizatório para reconstruir a vida. O nome é esse: "reconstruir a vida". Porque os que deixaram suas casas estão com as vidas em polvorosa. As pessoas que não esperavam por tal desastre não podem esperar por mais tempo para que a empresa se decida. Conheço várias pessoas, incluindo um filho meu que receberam propostas irrisórias e cretinas pelos seus imóveis. Propostas que não dão para serem repassadas a nenhum outro que chegue perto de suas perdas. Como fica? Na verdade trata-se de um abuso considerável e absolutamente inaceitável e com o detalhe de que as propostas só chegam quando chegam - depois que está tudo desfeito e que nada mais há a fazer diante da perda. Desumano! No caso do Pinheiro, somado aos problemas criados com a pandemia imaginem como estão as cabeças das famílias jogadas ao tempo. E dos donos da empresas que por lá estavam também. Com lucros cessantes e outras coisas mais. Voltei a este assunto porque ele não pode cair no esquecimento. Há uma tendência de se deixar de lado determinados problemas com o tempo. Mas isso não pode acontecer. Nem a pandemia pode substituir. Pense numa jornalista inteligente, culta e sabedora do seu ofício e você dirá Juliana dos Anjos (foto). Emprestando sua competência à TV Cidadã e de vez em quando no Bartpapo, Ju nos regozija com seu talento.

“Decisão sobre Pazuello foi muito pensada”, diz Ramos Ministro diz que CPI não preocupa governo e afirma que está havendo politização fotos: Divulgação

Do Portal UOL

O ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, disse que o general Eduardo Pazuello participou como "civil" de ato político ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e que a decisão do Exército de não punir o ex-ministro da Saúde foi "extremamente pensada". Em entrevista ao jornal O Globo, Ramos avaliou que a "história de vida" pesou para que o general fosse absolvido. "O passado pesa na decisão do comandante. Não é só no caso do Pazuello. Em qualquer transgressão disciplinar, de soldado a general, são analisadas as condicionantes da transgressão e a pessoa do transgressor", disse ele. A legislação - o Estatuto dos Militares e o Regulamento Disciplinar - proíbe que militares da ativa participem desse tipo de ato ou se manifestem politicamente. "O comandante do Exército, ao analisar a história de vida do Pazuello, considerou que aquele fato não se constituiu transgressão.

Comandante Paulo Sérgio Nogueira preferiu poupar ex-ministro Pazuello

Você não pode usar pesos iguais com pessoas que têm comportamentos diferentes. Se o militar nunca fez nada errado e comete um deslize, ele vai ser punido com dez dias de cadeia? Isso não existe. Cada caso é um caso", acrescentou Ramos. O ministro, que é general da reserva, afirmou ainda que "tem que ficar bem claro" que o presidente "é o comandante supremo das Forças Armadas". Ramos disse ainda que é pre-

rrogativa do presidente, por exemplo, editar um decreto para garantir a liberdade de ir e vir durante a pandemia do novo coronavírus. Bolsonaro critica constantemente medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos no combate à covid-19. O ministro disse acreditar que os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) estavam assustados quando reconheceram os poderes de estados e municípios para agir

Uma das mais inteligentes entrevistas sobre a matemática no nosso cotidiano nos foi ofertada sábado passado, no Bartpapo pelo professor Marcello Agrelli. Liderando o EAD Academia da Matemática, Marcello nos enche de vontade de saber cada vez mais a matéria. Meus abraços.

CPI DA COVID Questionado se a CPI da Covid incomoda o governo, Ramos disse que não, mas crê que "está havendo um uso demasiado político" da comissão para atingir Bolsonaro. "Não vão conseguir porque o presidente fez a coisa correta", diz. Sobre o trabalho de Pazuello à frente do Ministério da Saúde, Ramos avalia que ele fez o trabalho que podia dentro das condições.

> CASO PAZUELLO

Renan acha que Exército não se rendeu, só recuou O relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros disse esperar que a decisão do Exército de não punir o ex-ministro da Saúde e general Eduardo Pazuello por participar em ato ao lado do presidente Jair Bolsonaro seja um movimento de "retirada" e não de "rendição". "Há diferença grande entre os movimentos sagazes da guerra: a retirada e a capitulação, que é a rendição ao inimigo. Quero crer que a decisão do comando do Exército é movimento de retirada, de recuo, não de capitulação", disse Renan em suas redes sociais. O senador alagoano, que virou um dos algozes de Bol-

sonaro desde o início dos trabalhos da CPI da Covid, diz "ter certeza" que a falta de punição foi uma decisão da instituição para evitar se indispor com o presidente. "Um movimento tático para poupar forças", afirmou, "para a batalha final contra os golpistas e inimigos da Constituição". O comando do Exército anunciou na quinta-feira que o ex-ministro da Saúde e general Eduardo Pazuello não cometeu "transgressão disciplinar" por ter participado de ato político no Rio de Janeiro ao lado do presidente Jair Bolsonaro. A fala do relator vem na esteira de nova convocação para que o ex-ministro da Saúde

Renan Calheiros avalia que Exército não se rendeu, “apenas recuou”

preste um novo depoimento à comissão parlamentar. Para a CPI, o desempenho

de Eduardo Pazuello concorreu para o avanço da pandemia em todo território nacional.

> CONSULTA À PGR

Moraes, do STF, pode mandar prender ministro Ricardo Salles Site IstoÉ

ABRAÇOS IMPRESSOS

na pandemia. Faltou um debate nacional. O ministro (da Advocacia-Geral da União) André Mendonça é testemunha ocular disso. Logo no início da pandemia, o (então) ministro da Saúde (Luiz Henrique) Mandetta foi convidado para ir ao Supremo. (Ele disse) que na pandemia iam morrer 400 mil pessoas, que ia não sei o quê... O André Mendonça diz que foi uma sessão de terror. Se sou ministro do STF e vejo aquilo ali, fico assustado. Faltou um debate. Faltou a gente conversar. Não houve isso. Foi goela abaixo.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu manifestação da Procuradoria Geral da República (PGR) sobre a possibilidade de afastamento e prisão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, por obstrução de Justiça na Operação Akuanduba, que fez buscas contra ele há duas semanas. O prazo para resposta é de cinco dias. Moraes despachou após receber notícia de fato, formalizada por uma advogada, indicando que Salles teria ocultado seu celular e alterado o número de telefone no curso das inves-

Ministro Moraes, do STF, poderá mandar prender Ricardo Salles (foto

tigações, como revelou o jornal O Globo, o que demandaria medidas cautelares para res-

guardar o andamento do inquérito. Ele vai ouvir a PGR antes de decidir sobre o pedido.

"[A advogada] alega que, ao ocultar seu celular e mudar o número de telefone no curso das investigações (conforme noticiado no Jornal Nacional), delas tendo ciência, o noticiado, que como Ministro tem dever legal de cumprir ordens judiciais de outros Poderes, incorreu, em tese, em tipos penais e de improbidade administrativa, visando obstruir a aplicação da lei penal e embaraçando a investigação de organização criminosa transnacional. Requer, assim, "seja decretado o afastamento cautelar do Ministro Ricardo Salles e sua prisão em flagrante, pois continua descumprindo ordem do STF (Supremo Tribunal Federal).


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

O Ã Ç UA SA T I S IGO PER

Geral | A5

Lotação da estrutura hospitalar mostra que a pandemia se alastra pelo Estado Sem uso de máscara facial a transmissão do vírus se potencializa e mais alagoanos estão morrendo fotos: Divulgação

Primeira Edição Depois de alertas e previsões feitas pela Secretaria Estadual de Saúde, Universidade Federal e, agora, pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) Alagoas entra em fase crítica da pandemia, com tendência de registrar mais transmissão e mais mortes por Covid do que no auge da pandemia no ano passado. O avanço do surto epidêmico pode ser avaliado pelo comprometimento da estrutura hospitalar: em nenhum momento da pandemia o Estado teve ocupados tantos leitos destinados a pessoas com Covid19. Na sexta-feira (4), em tom dramático o secretário de Saúde, Alexandre Ayres, anunciou: "O aumento da ocupação de leitos exclusivos para tratamento de pessoas com Covid-19 continua preocupante. Conse-

Secretário Alexandre Ayres pede que população ajude a combater Covid

guimos estruturar 390 leitos de Unidade de Terapia Intensiva [UTI] e já estamos com 364 pacientes internados e uma ocupação de 93% [dados do boletim de 16h de quinta-feira, 03]. Não vamos desistir de lutar pela vida dos alagoanos, mas, precisamos de ajuda porque a

responsabilidade para combater o vírus é de todos nós". O problema é que parte da população alagoana - principalmente os mais jovens - insiste em sair às ruas sem máscara facial e já está comprovado que, sem essa proteção, a circulação do coronavírus se potencializa

Transmissão da Covid-19 se alastra pela capital e interior, lotando hospitais e fazendo mais vítimas em Alagoas

e o resultado já é conhecido: mais gente doente e hospitais lotados. A Secretaria de Saúde informa: Alagoas conta, atualmente, com 1.428 leitos públicos exclusivos para Covid-19. São 390 leitos de UTI, que estão com ocupação de 93%; 57 leitos interme-

diários, com 25% de ocupação; e 981 leitos clínicos, que estão com ocupação em 59%. O Estado tem um total de 447 leitos com respiradores, somados os de UTI e os leitos intermediários, e 85% deles estão em uso. Para se ter uma ideia, o Boletim Epidemiológica da úl-

tima sexta-feira (4) informou que em 24 horas, Alagoas registrou 18 mortes e 1.036 novos casos de Covid, indicando que a situação está fugindo ao controle das autoridades sanitárias por falta de colaboração e negligência de boa parte da população.

> ADVERTÊNCIA

Ministério Público veta festejo junino e aciona AMA para orientar prefeitos Primeira Edição com Assessoria Considerando que a liberação de festividades juninas funcionaria como 'passaporte' para o aumento da transmissão do coronavírus (como já aconteceu nos festejos de fim de ano e do próprio carnaval deste ano), a Força-Tarefa de Prevenção e Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 do Ministério Público de Alagoas acionou a Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) para que oriente os gestores públicos a não promoverem qualquer tipo de festa durante este mês de junho. Os festejos juninos mais tradicionais - com maior envolvi-

mento da população - acontecem anualmente (em tempos normais) nos dias 23 e 24 (véspera e Dia de São João) e 29 e 30 (véspera e Dia de São Pedro) em junho. A recomendação do MP-AL cobra cumprimento aos decretos estadual e municipais que preveem medidas de segurança para evitar a disseminação do novo coronavírus. No documento, assinado pelo procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, e pelos demais procuradores e promotores de Justiça integrantes da forçatarefa, o Ministério Público pede que os prefeitos cancelem

Mais uma vez, Alagoas terá São João sem festa junina em espaços abertos

ou suspendam todas as festividades pertinentes ao período de

São João e que eles não publiquem editais para contratação

de bandas musicais e de forró. O documento também orienta que os gestores não promovam concursos de quadrilhas juninas, shows e demais eventos e que eles não concedam autorizações para a utilização do espaço público para a realização de shows particulares, com ou sem cobrança de ingressos. No entendimento da FT, é necessário garantir que em todos os 102 municípios alagoanos seja mantido o distanciamento social no período junino - o que não seria possível caso houvesse as aglomerações causadas pelos eventos de São João, umas das principais

recomendações das autoridades sanitárias e de saúde para conter a onda de infecção causada pela Covid-19. No texto da Recomendação, o MPAL alerta para os números de casos de pacientes infectados no estado e de óbitos em decorrência do novo coronavírus. O Ministério Público emitiu a recomendação no dia 30 de maio e abriu prazo de cinco dias para a AMA encaminhar a recomendação aos prefeitos dos 102 municípios alagoanos e a mesma quantidade de tempo para informar à força-tarefa se fez esse devido encaminhamento aos gestores públicos.

> RATEIO DO FUNDEF

Projeto garante R$ 180 milhões aos funcionários da educação de Maceió Primeira Edição com Assessoria Professores e funcionários da rede municipal de ensino de Maceió podem comemorar: a Câmara acaba de aprovar projeto de lei encaminhado pelo prefeito João Henrique Caldas autorizando o rateio do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef) no valor de R$ 180 milhões. O projeto foi encaminhado em maio último e passou a tramitar em caráter de urgência, por sua importância como destacou o 3° secretário vereador João Catunda, do PSD: "É um dia importante para a educação. Agrademos aos vereadores que nos deixaram livres para trabalharmos de forma responsável. Sabemos da luta dos professores e do tempo que vinham lutando por isso". A união de esforços foi destacada pelo presidente Galba Netto (MDB) que também sa-

lientou acompreensão do prefeito JHC que neste momento tão delicado da economia optou por valorizar os servidores: "Agradecemos a sensibilidade do prefeito João Henrique em considerar a discussão feita pela casa de modo responsável e dentro da legalidade necessária dialogando com todos os segmentos envolvidos". Como a matéria original não incluía os servidores das escolas que atuam na área administrativa. Coube a vereadora Teca Nelma (PSDB) propor uma emenda para contemplar os demais trabalhadores da educação. - Tivemos uma reunião com a presidente do Sinteal. A emenda foi feita em comum acordo coma categoria e com os vereadores. Participaram representantes do apoio administrativos e a Semed. Todos em conjunto construíram essa

Prefeito JHC vai sancionar rateio do Fundef beneficiando os servidores

emenda". Pela proposta os servidores administrativos poderão ser pagos com os juros gerados pelos 60% que são de direito dos professores da rede municipal. Os outros 40% que correspondem a R$ 120 milhões, de responsabilidade do Executi-

vo, foram separados ainda no ano passado pelo ex-prefeito Rui Palmeira para investimento na rede. Do mesmo modo coube a ele agir administrativamente para garantir o depósito do valor destinado aos servidores. Essa iniciativa foi destacada pelo ex-vice-prefeito e

Mesa da Câmara priorizou votação de verba do pessoal da Educação

1° secretário, vereador Marcelo Palmeira (PSC). "Quero destacar a importância desse projeto, porque vai ajudar muitos trabalhadores da educação a resolverem seus problemas, até comprar ou quitar a casa própria, um automóvel, o pagamento de

uma dívida ou algo assim. Gostaria de lembrar que esse processo teve início na gestão do ex-prefeito Rui Palmeira que deixou os recursos depositados em conta separada por entender sua importância para os professores", disse Marcelo Palmeira.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

A6 | Geral

> MAIS VACINAS

Anvisa Libera - e Alagoas quer Sputinik Vacinas fabricadas pela Rússia e Índia são aprovadas pela Anvisa (após negativa), mas Agência Nacional impõe condicionantes Os alagoanos vão poder tomar as vacinas Sputinik V (russa) e Covaxin (indiana), ainda que em pouca quantidade. É que Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aceitou o pedido de importação dos dois imunizantes - fabricados, respectivamente, pela Bharat Biontech, na Índia, e pelo Instituto Gamaleya, na Rússia. A decisão foi tomada em reunião extraordinária da Diretoria Colegiada, realizada na sexta-feira (4) e contou com a aquiescência dos cinco diretores da autarquia. A área técnica da Agência, porém, estabeleceu condições para importação dos imunizantes, que já tiveram pedidos de liberação negados. Isso porque ainda há "incertezas técnicas" em relação aos dois

Divulgação

fármacos, em razão da falta de algumas informações que possam garantir a segurança e eficácia contra covid-19. ALAGOAS QUER O governador Renan Filho afirmou, no sábado (05), que a aprovação da importação excepcional da vacina Sputnik V pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi importante e significa mais um passo necessário para ampliar a quantidade de imunizantes disponíveis ao povo brasileiro contra a Covid-19. O pronunciamento de Renan Filho se deu logo após sua participação em reunião, por videoconferência, com governadores dispostos a adquirir o imunizante russo. Nesta 2ª feira (07), eles voltam a tratar do assunto com

Com aval da Anvisa, vacina russa Sputinik poderá vir para Alagoas contando com apoio do governador Renan Filho

a Anvisa e o Fundo Soberano Russo para acertar detalhes do contrato existente para aquisição da vacina e adequá-lo

à nova realidade, após a aprovação pela Anisa. "De início, Anvisa aprovou a importação de 1% das vacinas

para que a gente inicie, gradativamente, a vacinação do nosso povo. Precisamos ter no Brasil todas as vacinas que estiverem

disponíveis no planeta, porque, para vencer a pandemia, só há um caminho: a vacinação das pessoas", sustenta Renan Filho. Assim como os demais governadores dos Estados do Nordeste e da Amazônia Legal, ele comemorou a validação da vacina russa. "A aprovação da vacina Sputnik pela Anvisa foi importante porque é mais um passo necessário no sentido de ampliarmos a quantidade de vacinas. Já estamos vacinando com a Coronavac, a AstraZeneca e, mais recentemente, com imunizantes da Pfizer. Nos próximos dias, chegarão vacinas novas da Janssen e, se estas forem adicionadas às vacinas Sputnik, a gente terá condição de imunizar o nosso povo o quanto antes", comemorou o governador de Alagoas.

Quem já teve Covid preserva anticorpos Um estudo analisou amostras de sangue e medula óssea de pacientes que tiveram casos leves de Covid-19. Segundo os pesquisadores da Universidade de Washington em St. Louis, nos Estados Unidos, há indícios de que essas pessoas podem continuar produzindo anticor-

pos contra a doença ao longo da vida. A descoberta foi publicada na revista Nature, em maio último, e os pesquisadores acreditam que surtos repetidos da doença provavelmente são incomuns, já que 11 meses após a infecção com sintomas leves

os pacientes apresentavam células imunológicas capazes de fabricar anticorpos. Pesquisas feitas em 2020 indicavam que a quantidade de imunoglobulinas (células imunológicas) caía rapidamente após os voluntários serem infectados pelo coronavírus.

Porém, segundo Ali Ellebedy, coautor do estudo, o problema está na interpretação desses resultados. "É normal que os níveis de anticorpos diminuam após a infecção aguda, mas não chegam a zero; eles se estabilizam. Encontramos células produto-

ras de anticorpos em indivíduos 11 meses após os primeiros sintomas. Essas células viverão e produzirão anticorpos pelo resto da vida das pessoas", afirma, em comunicado. Os resultados do estudo mostraram que os níveis de anticorpos no sangue dos

voluntários com a doença caíram nos primeiros meses e se estabilizaram depois. A novidade, porém, foi que havia células produtoras dessas substâncias em 15 das amostras de medula óssea de pessoas que tiveram a forma leve da infecção.


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021 Opinião - Social

> APENAS UM PONTO

Azulão decepciona com empate sem gols Após perder na estreia para o Náutico, 1x0, o CSA acumulou chances, mas foi mal nas finalizações sem vencer na Série B Redação com web O Azulão até pressionou, criou chances no último sábado, mas foi mal nas conclusões e empatou sem gols com o Sampaio Corrêa, pela Série B. No Rei Pelé, o time maranhense guardou mais posição e não deu muito trabalho ao goleiro Thiago Rodrigues. O CSA apertou, principalmente no primeiro tempo, mas faltou o acabamento.

1º TEMPO

O CSA foi melhor na etapa inicial. Aos três minutos, Silvinho cruzou da esquerda e Iury finalizou em cima de Mota. Aos 20, do outro lado, Marco Túlio recebeu de Gabriel e chutou para fora. Aos 23, mais CSA. Gabriel arriscou de fora da área, e Mota espalmou com muita dificuldade. O Sampaio jogava atrás, tinha problemas na construção e finalizou apenas uma vez, com Jajá, sem perigo. Aos 33, Norberto deixou Jajá no chão e colocou Silvinho na cara do gol. O atacante do CSA perdeu a oportunidade. Depois, aos 37, Silvinho experimentou de fora da área e assus-

fotos: Divulgação

tou o goleiro Mota.

2º TEMPO

O Sampaio saiu um pouco mais para o jogo no início da etapa final. Arriscou chutes e não ficou tão fechado como no primeiro tempo. Aos 10 minutos, no entanto, o CSA teve uma chance claríssima. Norberto recebeu de Marco Túlio e, dentro da área, finalizou na trave. No rebote, livre, com o goleiro no chão, Iury tocou de canela e perdeu o gol. Aos 16, Nadson bateu falta pela direita e Iury cabeceou para fora. Mota saiu mal do gol e quase o CSA abriu o placar. Aos 31, Nadson finalizou de fora da área e Mota espalmou para escanteio, salvando o Sampaio. O time maranhense, por sua vez, pareceu satisfeito com o empate. Ofensivamente, produziu muito pouco na reta final da partida.

AGENDA

O CSA volta a jogar no próximo sábado. Pela terceira rodada da Série B, enfrenta o Vila Nova, às 19h, em Goiânia. O Sampaio entra em campo na sexta, às 19h, contra a Ponte Preta. Jogo está marcado para o

lhar mais durante a semana, principalmente esse último terço. Estamos tendo até uma facilidade para levar a bola até o terço final do campo, mas a concretização hoje, apesar dos grandes jogadores que temos, não foi tão boa e não conseguimos abrir o marcador.

RETORNO DE PESO

O CSA somou o primeiro ponto nesta edição da Série B, muito pouco para uma equipe que sonha com a Série A

Castelão, em São Luís.

ALERTA PIVETTI

O técnico Bruno Pivetti alertou que o CSA precisa de concentração para finalizar em gol. Após o empate com o Sampaio Corrêa, por 0 a 0, o treinador do Azulão fez uma análise criteriosa do desempenho da equipe e disse que o trabalho de conclusão será intensificado.

- Nós temos que ter mais concentração no momento da definição. Na minha opinião não é um problema técnico, mas muitas vezes de tomada de decisão... Vamos ter uma atenção especial com esse quesito durante a semana e espero que no próximo jogo, os jogadores estejam bem preparados pra finalizar as jogadas. Pivetti viu o CSA superior

na partida, destacou a criação e voltou a lamentar a falta de finalização. - Foi um jogo que nós tivemos um completo domínio, tanto no primeiro quanto no segundo tempo. Conseguimos ser eficientes e criar um grande número de oportunidades, isso na primeira etapa e também na segunda. Infelizmente, nós não fomos eficazes na concretização das jogadas. Temos que traba-

Raimundo Tavares está de volta ao departamento de futebol do CSA. No último domingo, o presidente do Conselho Deliberativo do clube confirmou o retorno. - Sim, estou de volta! Tive uma conversa com o presidente Rafael Tenório, aceitei o convite dele e volto, com muita alegria, para somar. Vamos nos reunir ainda hoje para traçar algumas providências imediatas, buscar peças no mercado para o CSA alavancar na Série B. Perguntado qual será a tarefa dele no clube, Tavares detalhou. - Eu volto para ficar à frente do departamento, mas não tenho condições de executar as diretrizes traçadas pelo futebol, comissão técnica e presidência do clube. Deixei isso claro para o presidente.

> MAIS TRÊS

Galo reforça a equipe sonhando em chegar na Série A Redação com web O CRB apresentou na tarde do último final de semana três reforços para disputa do Campeonato Brasileiro: o zagueiro Caetano, e os laterais Celsinho e Alexandre Melo foram integrados ao elenco e começaram o trabalho no Ninho do Galo, com o intuito em ajudar a equipe de chegar na Série A de 2022, um sonho de todos que fazem o CRB. O lateral-esquerdo Alexandre Melo falou sobre a alegria de defender a equipe regatiana na competição nacional. - Estou muito feliz de fazer deste grupo, vim pra cá é uma excelente oportunidade de fazer um grande campeonato na Série B e ajudar a equipe - assegurou, destacando a dificuldade que será o Brasileiro. - Disputar a Série B é uma

grande responsabilidade. (Mas) É trabalhar firme, dia a dia, pra poder aproveitar essa Série B para fazer o máximo possível pra subir para a Série A. Já o zagueiro Caetano disse que conhece o CRB por ter jogado contra e destacou a força da torcida regatiana. - Estou muito feliz em estar vestindo essa camisa, já joguei contra o CRB em 2019, com a torcida, então vir pra cá foi uma alegria imensa e a minha expectativa é a melhor possível. Mais conhecido da torcida, quem também falou sobre o acerto foi o lateral-direito Celsinho, que já atuou no futebol alagoano. - Muito feliz pela procura, venho pra fazer história, por estar defendendo um clube da grandeza do CRB, espero contribuir com o meu melhor den-

Alexandre Melo, Caetano e Celsinho vão reforçar o Galo na difícil Série B

tro de campo, com garra e determinação, venho pra fazer história, pra colocar o CRB na Série A do Campeonato Brasileiro, então é esse o meu objetivo para que o clube possa crescer a cada competição que dis-

puta.

COPA DO BRASIL

Na primeira partida da Copa do Brasil, que antecede as oitavas de final, prevaleceu a superioridade técnica do Pal-

meiras, que abriu vantagem sobre o CRB na noite da última quinta-feira, no Estádio Rei Pelé, em Maceió, ao vencr o time alagoano por 1 a 0, com gol de Willian no primeiro tempo. Atual campeã, a equipe paulista está em busca do quinto título do torneio. Embora não tenha feito uma partida vistosa, o Palmeiras foi superior ao CRB e esteve mais perto do segundo gol do que os donos da casa do empate. Mesmo com a derrota, o zagueiro Gum acreditava no sonho da vitória, mas não deu. - Tivemos sim até a chance de sair na frente, bons momentos no primeiro tempo. Depois o Palmeiras, a partir do meio do primeiro tempo, ganhou um pouco mais a posse de bola, fez 1 a 0 e poderia ter feito 2 a 0. Conseguimos nos posicionar bem e fomos saindo no segun-

do tempo, terminamos pressionando. Respeitamos o Palmeiras, mas sonhamos com a vitória e acredito que no melhor momento que tivemos não conseguimos concluir em gols, e isso custou a derrota - afirmou o veterano.

E AGORA?

No jogo da volta, agendado para esta quarta-feira, às 19h, no Allianz Parque, o Palmeiras joga pelo empate para ir às oitavas de final da Copa do Brasil. O CRB, por sua vez, precisa vencer por dois gols de diferença, para se classificar no tempo normal, ou por um gol, para levar a decisão para os pênaltis.

SÉRIE B

Pela segunda rodada da Série B, o Galo venceu o Cruzeiro por 4x3 ao jogar no Mineirão no último domingo.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

B2 | Esportes

> 2X0

Brasil vence Equador e se mantém 100% Brasil sofre no primeiro tempo, mas se encontra no segundo ao construir a quinta vitória em cinco jogos nas eliminatórias GE O Brasil sofreu no primeiro tempo, mas engrenou no segundo tempo e venceu o Equador por 2 a 0, pela sétima rodada das eliminatórias. A Seleção se manteve líder e com 100% de aproveitamento na competição. Mas, em uma semana com bastidores tensos na Seleção, o resultado não foi o que chamou mais atenção no Beira-Rio. O abraço de todos os jogadores em Tite nos gols de Richarlison e Neymar e a entrevista forte do capitão Casemiro após a partida indicam que os próximos dias serão movimentados.

NO SEGUNDO TEMPO

O Brasil esteve longe de ser ameaçado. Mas fez um primeiro tempo pobre. Finalizou quatro vezes contra uma dos visitantes, mas levou pouco perigo ao gol de Domínguez nos 45 minutos iniciais. Gabigol chegou a balançar as redes aos 41 ao desviar a bola em cruzamento de Richarlison da direita, mas a arbitragem marcou impedimento no lance, confirmado pelo VAR. Na volta do intervalo, a Seleção demorou a en-

grenar. E só se encontrou depois que Tite sacou Fred e colocou Gabriel Jesus. Com quatro atacantes em campo, Neymar passou atuar mais recuado, e Paquetá apareceu para o jogo. Foi o meia do Lyon que roubou a bola na intermediária, que o camisa 10 aproveitou e serviu Richarlison na esquerda. O atacante do Everton finalizou bem com a canhota, balançou as redes e foi correndo direto para abraçar Tite. O Brasil seguiu com ótimo volume de jogo e perdeu chances em chute forte de Gabriel Jesus da esquerda e em duas com Gabigol, a principal delas em uma cabeçada sem goleiro. Aos 43, após ser alertado pelo VAR, o árbitro venezuelano Alexis Herrera deu pênalti de Preciado em cima de Jesus. Neymar cobrou muito mal, e Domínguez defendeu. Mas se adiantou. O VAR alertou Herrera, que mandou repetir a cobrança. O camisa 10 trocou o canto e marcou o segundo do Brasil: 2 a 0 que garantiu os 100% nas eliminatórias.

UM ABRAÇO

A semana foi tensa na Se-

fotos: Divulgação

sabe" o posicionamento dos atletas sobre a competição continental. Ele reiterou que jogadores e comissão técnica estão do mesmo lado.

GABI SEM GOL

Gabriel Barbosa foi titular da seleção brasileira pela primeira vez depois de quase cinco anos e passou em branco. Mas não pecou por tentar. O atacante do Flamengo até balançou as redes no primeiro tempo, mas estava impedido. Ele finalizou quatro vezes no jogo, duas na direção do gol. E perdeu pelo menos duas ótimas chances na segunda etapa: uma em chute cruzado da direita, com a canhota, e outra em cabeceio na pequena área, sem o goleiro no gol. O Brasil sofreu no primeiro tempo, mas engrenou no segundo e venceu por 2 a 0, nesta terça tem muito mais

leção. Desde a escolha do Brasil como sede da Copa América, há insatisfação dos jogadores e da comissão técnica com a diretoria da CBF. Na véspera da partida contra o Equador, Tite revelou que houve uma reunião a pedido dos atletas e declarou que todos se manifestariam no momento

oportuno. O treinador havia sido o único do grupo a dar entrevista desde a mudança de sede da Copa América. Quando fez o gol, Richarlison não fez a célebre comemoração do Pombo e correu direto para o treinador. Todos do grupo se juntaram na comemoração.

POSICIONAMENTO

Primeiro jogador a dar entrevista depois da escolha do Brasil como sede da Copa América, o capitão Casemiro afirmou que os jogadores querem se manifestar sobre a crise com a diretoria da CBF, mas não no momento. O volante disse que "todo mundo

A TABELA

O Brasil chega aos 15 pontos em cinco jogos disputados e lidera com folga as eliminatórias, com quatro pontos de vantagem para a Argentina, segunda colocada. O Equador fica com nove, na terceira posição. Nesta terça, a Seleção pega o Paraguai, em Assunção, às 21h30, com transmissão da TV Globo.

> EM SÃO JANUÁRIO

Gabriel garante vitória do Fluminense sobre o Cuiabá GE O Fluminense conquistou sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro ao bater o Cuiabá por 1 a 0, no último domingo, no estádio de São Januário. O time do Mato Grosso continua sem vencer na competição. Em um jogo morno, de lentidão e pouca iniciativa dos dois times, principalmente no primeiro tempo, o Tricolor Carioca aproveitou melhor as oportunidades, marcou seu único gol

com Gabriel Teixeira, e conseguiu segurar o resultado até o fim da partida. O Cuiabá, por sua vez, apostou na posse de bola, mas foi pouco objetivo. Só conseguiu levar perigo no segundo tempo, mas faltou pontaria para empatar.

PRIMEIRO TEMPO

Mesmo fora de casa, o Cuiabá assumiu a posse de bola desde o início da partida. Trocava muitos passes, sobretudo, em seu campo. Só que demonstrava dificulade na transição da

defesa para o ataque. O time de Roger Machado, do outro lado, jogava mais recuado, em busca de contra-ataque, mas não tinha velocidade. Após o tempo técnico, no entanto, o Tricolor passou a mostrar mais iniciativa, a acelerar a troca de passes. Assim, aos 39 minutos, chegou ao primeiro gol, em cruzamento de Yago Felipe, que encontrou Gabriel Teixeira livre na área. O atacante só completou para o fundo das redes, para fazer a alegria dos torcedores que ainda não po-

são nas finalizações e acabou derrotado.

DESTAQUES

O forte do time carioca no primeiro tempo foram Gabriel Teixeira e Yago Felipe. O atacante fez o gol da vitória, deu movimentação e contribuiu na recomposição. Mais uma vez Yago teve grande atuação. O meia deu ritmo no meio-campo e fez a assistência do gol. O time de Iubel melhorou consideravelmente com as alterações feitas no segundo tem-

O Fluminense vence Cuiabá em São Januário com gol de Gabriel Teixeira

dem ir ao estádio.

SEGUNDO TEMPO

Atrás no placar, o time do Mato Grosso passou a ser mais agressivo no ataque. O técnico Luiz Fernando Iubel fez alterações que deixaram seu time mais agressivo, como a entrada de Pato no lugar de Cafu e Felipe Marques na vaga de Rafael Gava. Foram muitas finalizações e, em uma delas, o time quase marcou, aos 34 minutos, quando Clayson chutou forte, Marcos Felipe espalmou e, no rebote, Felipe Marques balançou as redes, mas estava impedido. Neste momento, o Fluminense abdicou de atacar. Roger Machado fez algumas alterações, mas seu time não levou mais perigo. O Cuiabá pressionou até o fim, mas faltou preci-

po. Felipe Marques, na ponta direita, e Uilliam Correia, no meio, deram mais agressividade ao ataque. O meia, aliás, levou perigo em boas finalizações de fora da área.

PRÓXIMOS COMPROMISSOS

O Cuiabá terá mais de uma semana sem jogos, e volta a campo na segunda-feira, dia 14 de junho, para enfrentar o Atlético Goianiense, na Arena Pantanal, pelo Brasileiro. O Tricolor, por sua vez, tem jogo da terceira fase da Copa do Brasil, contra o Bragantino, nesta quarta-feira, em Bragança Paulista, o Massa Bruta precisará ganhar por três gols, se devolver a diferença por dois levará a decisão para os pênaltis.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

Esportes | B3

> ARRIBA

Pérez vence após erro de Hamilton na F1 Mexicano ganha corrida após batida de companheiro perto do fim; Piloto da Mercedes passa reto em curva na relargada GE Sergio Pérez venceu, no último domingo, o GP de Baku, do Azerbaijão, e foi ao lugar mais alto do pódio pela segunda vez na carreira. Cirúrgico no início de prova, quando deixou Lewis Hamilton para trás durante as paradas nos boxes, o mexicano viu seu companheiro de equipe, Max Verstappen, bater a cinco voltas do fim quando liderava a corrida. Mas a vitória ainda não era certa, já que a corrida teve uma relargada após a batida, e Pérez tinha Lewis Hamilton na segunda posição. Hamilton largou bem e tentou a ultrapassagem em cima do mexicano, mas acabou passando reto na primeira curva e ficou fora da zona de pontos, terminando em último entre os que completaram a prova. Sebastian Vettel, da Aston Martin, ficou em segundo lugar, enquanto Pierre Gasly, da AlphaTauri, completou o pódio. Com o resultado, Verstappen se mantém na liderança do campeonato com 105 pontos, quatro na frente de Hamilton, com 101. Com a vitória, Pérez pulou para terceiro com 69. Nos construtores, a RBR abriu

fotos: Divulgação

vantagem, chegando a 174, contra 148 da Mercedes, que saiu sem nenhum ponto do Azerbaijão, já que Valtteri Bottas foi o 12º.

O PÓDIO

Pierre Gasly, terceiro colocado. “Super intenso últimas duas voltas. O carro esteve incrível durante todo o fim de semana. É incrível chegar ao pódio. Em suma, um trabalho fantástico [da equipe] " Sebastian Vettel, segundo colocado. "Este é um grande dia! Significa muito. Estou nas nuvens, não esperávamos um pódio quando viemos para cá" Sergio Pérez, primeiro colocado. “Estou muito, muito feliz por hoje. Normalmente Baku é muito louco. "Sinto muito por Max porque ele fez uma corrida incrível. Ele realmente mereceu a vitória"

LARGADA

Leclerc largou bem, se mantendo na primeira posição, seguido por Hamilton e Verstappen, sem nenhuma grande tentativa de ultrapassagem do trio. As primeiras curvas foram limpas, sem incidentes. Perez era quarto colocado e Garly o quinto.

frente se manteve: Verstappen, Perez e Hamilton. E Sebastian Vettel, vindo lá de trás, foi passando um a um os rivais e assumiu a quarta posição. 9- Na volta 47, Max Verstappen bateu após estouro do pneu, e a corrida foi interrompida com bandeira vermelha. 10- Após paralisação de meia hora, a corrida teve uma relargada com os carros parados. Hamilton foi para cima de Verstappen, mas passou reto na primeira curva e caiu para último lugar.

FRUSTRAÇÃO

Sergio Pérez venceu o GP de Baku, do Azerbaijão, foi ao lugar mais alto do pódio pela segunda vez na carreira

MOMENTOS-CHAVE

1- No fim da segunda volta, Hamilton conseguiu uma ultrapassagem, mesmo sem asamóvel, em cima de Leclerc e assumiu a liderança. 2- Na volta 6, Verstappen conseguiu a ultrapassagem em cima do Leclerc para assumir a segunda posição e, com isso, ficou a 1s4 do líder Hamilton. 3- Na volta 7, Perez deixou Leclerc para trás, no mesmo

ponto das ultrapassagens anteriores, e assumiu a terceira posição. 4- Na volta 12, Hamilton parou no box em 4,6s, em um trabalho bem ruim na equipe Mercedes. No giro seguinte, Verstappen foi para o pit e, em apenas 1,9s fez a troca, e voltou na frente até com uma certa folga. 5- Na volta 13, Perez foi para o pit e, mesmo com um pequeno erro da RBR na parada,

voltou na frente de Hamilton. 6- Vettel parou só na volta 18 e, por isso, liderou a corrida por um tempinho. Voltou do pit em sétimo, assim a classificação colocava Verstappen em primeiro, Perez em segundo e Hamilton em terceiro. 7- Na volta 31, Lance Stroll, que ainda não tinha parado no box e estava na quarta posição, bateu forte. Bandeira amarela e safety car na pista. 8- Na relargada, o trio da

A sensação de Max Verstappen após o GP do Azerbaijão, era de total frustração, embora tenha terminado o fim de semana como líder do campeonato. Ele era o primeiro colocado da prova a cinco voltas do fim quando sofreu um acidente e abandonou. Mas, pouco depois, seu principal rival pela liderança do campeonato, Lewis Hamilton errou, passou reto em uma curva e também saiu sem pontuar ao terminar em 15º. - Perdemos muitos pontos, poderíamos ter aberto uma vantagem no campeonato, então é muito frustrante. Eu queria abrir vantagem.

> PRÊMIO MERECIDO

Santiago Ponzinibbio fatura cerca de R$ 253 mil no UFC Combate A raça argentina - tão badalada no futebol - sobressaiu no UFC no último sábado, realizado em Las Vegas (EUA), através dos punhos de Santiago Ponzinibbio. O "hermano", que perdeu o primeiro round para Miguel Baeza, se recuperou nas duas etapas seguintes, virando o placar e conquistando a vitória por decisão dos jurados em um duelo emocionante. O esforço valeu o bônus de US$ 50 mil (cerca de R$ 253 mil) pela "Luta da Noite". O seu adversário recebeu a mesma quantia.

Os bônus de "Performance da Noite" ficaram com Jairzinho Rozenstruik e Marcin Tybura. O primeiro derrotou Augusto Sakai na luta principal por nocaute aos 4m59s, enquanto o polonês, também no round inicial, despachou Walt Harris. Cada um dos algozes engordou a conta bancária em US$ 50 mil.

JAIRZINHO

Na primeira investida mais contundente, Jairzinho Rozenstruik mostrou o poder de suas mãos. Neste sábado, na luta principal do UFC Rozenstruik

x Sakai, em Las Vegas (EUA), o peso-pesado nocauteou Augusto Sakai aos 4m59s do primeiro round para conquistar a vitória. O resultado representou a segunda derrota seguida do brasileiro. A luta era monótona. Jairzinho dominava o centro do octógono, enquanto o brasileiro circulava, mas era pouco incisivo nos ataques. No entanto, quando o primeiro round chegava ao fim, o surinamês acertou uma bomba de direita que levou Sakai ao solo. Ele partiu para cima com golpes no ground and pound, e o árbitro

central interrompeu.

TIRA INVENCIBILIDADE

Foi uma guerra de três rounds de trocação intensa proporcionada por Santiago Ponzinibbio e Miguel Baeza. Os meio-médios (até 77kg) alternaram momentos de superioridade e, no fim, prevaleceu o melhor preparo físico do argentino, que venceu por decisão unânime (triplo 29-28), recuperando-se da derrota sofrida na última luta, contra Li Jingliang. O revés foi o primeira da carreira de Baeza, que estava invicto com 10 vitórias em

deu a segunda consecutiva.

ARIANE LIPSKI

Na abertura do card principal, Ariane Lipski perdeu para Montana de la Rosa por nocaute técnico aos 4m27s do segundo assalto, em luta pelo pesomosca (até 57kg). A brasileira sofreu com o jogo de quedas da adversária e viu a luta ser encerrada ao receber muitos golpes no ground and pound. Foi o segundo revés seguido da lutadora.

CANCELADA

O paraense Antônio Arroyo, que seria o encarregado

técnico aos 4m59s do R1 Marcin Tybura venceu Walt Harris por nocaute técnico aos 4m06s do R1 Roman Dolidze venceu Laureano Staropoli por decisão unânime (triplo 30-27) Santiago Ponzinibbio venceu Miguel Baeza por decisão unânime (triplo 29-28) Gregory Robocop venceu Dusko Todorovic por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28) Montana de la Rosa venceu Ariane Lipski por nocaute técnico aos 4m27s do R2

CARD PRELIMINAR

Ilir Latifi venceu Tanner

Santiago Ponzinibbio venceu Miguel Baeza por decisão unânime, A raça argentina sobressaiu no UFC em Vegas

10 lutas até então.

GREGORY ROBOCOP

Com uma atuação sólida, misturando bem a trocação com as quedas, Gregory Robocop venceu Dusko Todorovic por decisão unânime (30-27, 3027 e 29-28), pelo peso-médio (até 84kg). O brasileiro, excampeão do LFA, fez a sua estreia no Ultimate e engatou o terceiro resultado positivo seguido, enquanto o sérvio per-

de abrir o card principal contra Tom Breese, teve o seu combate cancelado minutos antes do início antes do duelo. O Ultimate anunciou que o americano não atuaria por "problemas médicos", e, desta maneira, alçou a luta entre Ariane Lipski e Montana de la Rosa ao card principal.

CARD PRINCIPAL

Jairzinho Rozenstruik venceu Augusto Sakai por nocaute

Boser por decisão dividida (2928, 27-29 e 29-28) Muslim Salikhov venceu Francisco Massaranduba por decisão unânime (triplo 3027) Kamuela Kirk venceu Makwan Amirkhani por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28) Alan Nuguette x Mason Jones terminou em "No Contest" (luta sem resultado) aos 2m14s do R2.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

B4 | Esportes

> DENÚNCIA DE ASSÉDIO

Escândalo afasta Rogério Caboclo da CBF Apresentador André Rezek revela que presidente Rogério Caboclo prometeu ao governo federal trocar Tite por Renato Gaúcho fotos: Divulgação

G1 Esportes Em silêncio desde o início daRogério Caboclo, momentaneamente, não é mais presidente da CBF. O dirigente foi afastado por 30 dias, neste domingo, por uma determinação da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro, após o ge revelar que uma funcionária da entidade o acusou de assédio sexual e moral. Ele nega todas as acusações. A CBF foi notificada da decisão e divulgou nota nesta tarde. Informou que o processo vai seguir rito sigiloso. Confira: "A CBF informa que recebeu na tarde deste domingo, 6, decisão da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro suspendendo temporariamente (pelo prazo inicial de 30 dias) o Presidente Rogério Caboclo do exercício de suas funções. Seguindo o Estatuto da entidade, toma posse interinamente, por critério de idade, o vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima. A decisão é sigilosa e o processo tramitará perante a referida Comissão, com a finalidade de apurar a denúncia apresentada." O vice-presidente mais velho, Antônio Carlos Nunes, assume durante o período de afastamento. Uma reunião extraordinária entre os diretores da CBF e os oito vice-presidentes eleitos foi convocada para a manhã de segunda-feira, no Rio de Janeiro.

Rogério Caboclo é afastado da presidência da CBF em meio à denúncia de assédio sexual; apresentador revela que ele prometeu ao governo federal trocar o técnico Tite por Renato Gaúcho

Pressionado por patrocinadores e outros dirigentes da confederação, Caboclo agora cuidará de sua defesa - ele afirma que nunca cometeu nenhum tipo de assédio e vai provar no processo da Comissão de Ética, criada em 2017 - e sairá de cena no momento de atrito entre comissão técnica e jogadores da seleção brasileira antes da Copa América. Tite e o grupo de atletas prometem se manifestar na terça-feira sobre a realização do torneio no país. Neste domingo, o apresentador André Rizek, do SporTV,

revelou que Rogério Caboclo prometeu ao governo federal trocar Tite por Renato Gaúcho após o jogo contra o Paraguai, terça, pelas Eliminatórias. A decisão em apenas dois dias foi possível pela gravidade das acusações. Isto porque o artigo 143 do estatuto da CBF prevê que a diretoria pode afastar, em caráter preventivo, "qualquer pessoa física ou jurídica direta ou indiretamente vinculada à CBF que infrinja ou tolere que sejam infringidas as normas constantes deste Estatuto ou do Estatuto da FIFA ou

da CONMEBOL, bem como as normas contidas na legislação desportiva e nos regulamentos da CBF." A Comissão de Ética se reuniu emergencialmente no sábado e analisou as 12 folhas de denúncias da funcionária cerimonialista da CBF. Ela tem poder de sancionar todos envolvidos na esfera do futebol brasileiro, incluindo o presidente da CBF.

ASCENSÃO AO PODER

20º presidente da CBF, Rogério Langanke Caboclo foi

eleito em 2018, mas só assumiu em abril de 2019, aos 46 anos. Filho de Carlos Caboclo, exdirigente do São Paulo, ele foi diretor do clube do Morumbi e iniciou sua trajetória na política apadrinhado por Marco Polo Del Nero, na Federação Paulista de Futebol. Advogado e administrador, ele foi diretor executivo na entidade paulista. Antes das denúncias o atingirem em cheio subiu a escada na CBF depois de ser diretor financeiro de Del Nero, eleito após José Maria Marin. Foi também diretor de relações ins-

titucionais do Comitê Olímpico Local da Rio 2016.

COMEÇO DA QUEDA

O poder começou a ruir de suas mãos quando chegou ao canal da Comissão de Ética da CBF na tarde de sexta-feira e na Diretoria de Governança e Conformidade a denúncia da funcionária. A reportagem do ge mostrava os abusos que teriam ocorrido contra a cerimonialista, autora da denúncia, que detalhou episódios vividos por ela desde abril do ano passado.

> TEMPO NA SELEÇÃO

E Tite já supera a marca do velho lobo Zagalo Por Bruno Cassucci e Raphael Zarko Porto Alegre e Rio de Janeiro Tite completou 60 anos no último dia 25 de maio longe dos gramados, da competição, do vestiário. O cenário de pandemia e de longa inatividade da seleção brasileira - que entrou em campo pela última vez há quase sete meses (quase 200 dias) - certamente incomoda, mas o treinador segue trajetória que o coloca com nome na história do futebol do País. Longe da área técnica, ele ultrapassou Zagallo e se tornou o segundo treinador com passagem mais longeva ininterrupta no comando do Brasil. O Velho Lobo, a quem Tite tanto reverencia, ficou 1.567 dias entre a goleada por 5 a 0 contra o Chile, no Morumbi, em 22 de março de 1970 até as duas derrotas seguidas na Copa de 1974 - Holanda (2 a 0) e Polônia (1 a 0), no dia 6 de julho daquele ano. À frente de Zagallo - recordista em jogos no comando da Seleção (126) - e agora apenas de Tite, outro nome lendário: Flavio Costa. Técnico de renome dos anos 1940, ex-lateral do Flamengo e multicampeão por Vasco e pelo Rubro-Negro, ele fez duas partidas em 1944 ao lado do técnico português Joreca e ficou, ininterruptamente, até a derrota para o Uruguai na final da Copa de 1950. Da estreia ao lado de Joreca até o jogo contra o Uruguai foram 2.254 dias - considerando a primeira partida sozinho no comando da seleção, em 1945, até 1950, foram 2.002 dias. Desde o início da brilhante campanha nas Eliminatórias da

Professor Tite já ultrapassa o grande Zagalo em número de dias à frente da Seleção brasileira

Copa de 2018, no jogo contra o Equador - vitória com autoridade de 3 a 0 fora de casa, em 1º de setembro de 2016 - ,Tite tem 1.737 dias na Seleção. Foi unanimidade, admirado e virtual postulante à presidência do país até a derrota para a Bélgica, na Copa da Rússia. A "primeira temporada" de Tite pela Seleção começou em clima de lua de mel. Ele substituiu Dunga após o Brasil ter sido eliminado na primeira fase da Copa América Centenário e com a equipe fora da zona de classificação nas Eliminatórias para o Mundial da Rússia. Numa arrancada impressionante, o treinador conseguiu nove vitórias consecutivas, com direito a goleadas por 5 a 0 sobre a Bolívia e por 4 a 1 sobre o Uruguai, no Centenário, em

Montevidéu. Antes sob risco, a classificação para a Copa do Mundo veio um ano antes, ainda restando quatro rodadas para o fim das Eliminatórias. Porém, na Rússia a Seleção não conseguiu manter o bom desempenho e acabou eliminada nas quartas de final para a Bélgica, que impôs a segunda derrota de Tite - a primeira havia sido para a Argentina, em amistoso. Do início do trabalho à queda no Mundial, o treinador comandou o Brasil em 26 jogos, com 20 vitórias, quatro empates e dois reveses, aproveitamento de 82%.

RENOVAÇÃO

Apesar da decepção na Copa, Tite foi mantido no cargo e

Lenda do futebol mundial, Zagalo foi campeão do mundo como jogador e como treinador

iniciou um processo de renovação da seleção brasileira. Alguns jogadores até então intocáveis nas convocações passaram a perder espaço, como Marcelo, Paulinho e Renato Augusto. A Seleção venceu os seis primeiros amistosos depois do Mundial, mas o nível técnico de alguns adversários, como El Salvador e Arábia Saudita, fez com que parte da torcida e da crítica ainda assim questionassem a força da equipe. Veio então a Copa América e, mesmo sem Neymar e com algumas atuações abaixo do esperado, o Brasil conseguiu se impôr em casa, eliminou a Argentina na semifinal e levantou a taça no Maracanã, ao vencer o Peru por 3 a 1. Depois, Tite viveu sua pior

fase no comando da Seleção, com cinco partidas sem vencer. O Brasil empatou amistoso com Colômbia, Nigéria e Senegal e perdeu para Peru e Argentina. Mesmo assim, a "segunda temporada" terminou com o técnico em alta: vitória nas quatro primeiras rodadas das Eliminatórias. Em 26 jogos desde a Copa da Rússia, o Brasil conquistou 18 vitórias vitórias, seis empates e duas derrotas, aproveitamento de 76,9%.

RUMO AO CATAR

A "terceira temporada" de Tite na Seleção começou as sexta-feira diante do Equador, no Beira-Rio. A pandemia de coronavírus fez o calendário de seleções ficar apertado, e o Brasil

terá uma maratona de jogos até a Copa do Mundo, no fim do ano que vem. Além das 14 rodadas restantes das Eliminatórias, a Seleção disputará a Copa América, que começa no próximo dia 13. Se chegar pelo menos até a semifinal, o Brasil disputará mais sete jogos contra rivais sul-americanos. Desta forma, a CBF deve encontrar ainda mais dificuldades para realizar amistosos contra adversários de outros continentes, fato que preocupa Tite. O enredo dos próximos capítulos ainda são incertos, mas todos já sabem o final desejado para esta "terceira temporada" do treinador na Seleção: a conquista da sexta estrela no Catar.


Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021

Opinião |B5

A foto do fato

Editorial

Hora do parlamentarismo?

O Brasil vive mais uma crise institucional e, novamente, tendo como epicentro a instabilidade do poder central. E não dá para simplesmente culpar o presidente Jair Bolsonaro, porque as crises recorrentes demonstram, de forma cabal, que o nosso problema tem como fonte, sobretudo, o presidencialismo mantido à base de coalizões ou, como acontece neste momento, apoiando em blocos parlamentares de formação heterogênea, mas sempre com um mesmo foco: a prática do fisiologismo desvariado, que tantos males impõem à democracia e ao povo brasileiro. As crises aconteceram a partir de Fernando Henrique Cardoso, com o impeachment de Fernando Collor, com o mensalão da era Lula, com o impeachment de Dilma Rousseff e também com as denúncias (até hoje não confirmadas) de conchavos envolvendo um grupo empresarial e Michel Temer, o vice que sucedeu Dilma e, portanto, precedeu Jair Bolsonaro. Bolsonaro, é verdade, alimenta a crise institucional ao exercer o mandato de forma açodada, com atitudes que contribuem para distanciá-lo dos demais poderes, mas a situação não estaria diferente com um outro presidente que precisasse, por exemplo, do apoio 'negociado' de um Centrão para governar. Por esse ângulo, talvez o problema não seja Bolsonaro, mas o sistema de governo. Nosso presidencialismo é centralizador por natureza, o que acaba concorrendo para colocar governo e Parlamento em limites diametrais, separados e, por conseguinte, sem o clima de entendimento e harmonia que deve presidir as ações entre os poderes da nação. De modo que soa oportuno lançar como tema de 'debate nacional' a troca do sistema presidencial de governo pelo Parlamentarismo, lembrando que, no regime parlamentar, o presidente da República atua como chefe de estado, enquanto o primeiro-ministro - escolhido democraticamente pelo Congresso Nacional é o governante de fato. Nesse sistema, as crises não ocorrem porque elas podem ser superadas com a simples troca do primeiro-ministro. Se vai bem, fica; se não acerta, cai fora. Sem crises, sem impeachments e sem traumatismos. É a força da natureza em ação. O Rio Negro alcançou 30 metros na maior enchente desde o início do século passado. Manaus está Por que não? debaixo d'água com milhares de desabrigados. Um contraste incrível: água (chuva) demais no Norte e seca braba no Sul e Sudeste.

Ciúme e vingança

O neoliberalismo após a Covid-19

pensamento que veio à caMesmo cansado de pecar com beça de Geroutras mulheres Jesualdo fre- mínia. Mas quentemente reclama das crises começou a de ciúmes de Generosa. Falou armar a vinque outro dia, ela o abordou gança. Usanquestionando para onde estava do o celular indo? Escovar os dentes respon- fez fotos dos deu. Então perguntou novamen- dois nas mais te: por que? Porque acabei de variadas posições. Depois, recomer, foi quando sua esposa tirou-se do local sem ser notada emendou: quem? Ele simples- e viajou, trabalhou e voltou. mente calou. Sempre maquinando em como Às vezes fico sem jeito, falou ele, dar o troco. é desconfiança todos os mo- Decidiu pelo mais simples: colomentos, chego até a acreditar cou na internet, as fotos dos que na vingança e no amor a dois amantes na cama, em posimulher é mais bárbara que o ções extravagantes, com a frase: homem. "Cuidado, o próximo a ser traído Mas fatos me mostram, ser poderá ser você. Mantenha disGermínia sua sobrinha, a perigo- tância deles". Foi uma loucura. sa da família, pois várias foram Em outra oportunidade Germías oportunidades em que apron- nia começou a notar o namoratou com seus parceiros do mo- do da hora, meio distante, então mento. começou a seguir o futuro mariFoi assim, de do, descobrindo caso pensado, que ele andava que Germínia frequentando “Às vezes fico sem um endereço foi a revanche com o namorajeito, falou ele, é desconhecido, do e uma velha foi quando o viu desconfiança amiga, ao messair do local mo tempo. Ela todos os momen- a b r a ç a d i n h o já se relacionacom uma loira. tos, chego até va com o garoO flagrante poto há quase deria ter sido o aacreditar”... dois anos e esponto final do tavam praticarelacionamento, mente moranmas ela achou do juntos, pois tinham alugado que o moço não poderia sair um apartamento para os finais ileso da relação, depois de tê-la de semana, e sentia que ele e a magoado tanto. sua colega de infância não se Germínia acompanhou a rotina davam bem. Pareciam somente do novo casal, municiou-se de se tolerar, poucas vezes conver- um prego e, quando o carro do sando. ex - uma Land Rover que ele Certo dia Germínia viajou a tra- adorava - estava estacionado na balho até a cidade de Santana frente do prédio da outra, ela do Ipanema, devendo retornar calmamente foi até o veículo e somente no dia seguinte. Ao riscou-o o quanto pode, com passar em Arapiraca verificou toda a força que dispunha. haver esquecido em Maceió, a Foi quando Jesualdo a pergunpasta com todo o material do tou o motivo de tanta brabeza. cliente. Retornou quase duzen- Ela simplesmente respondeu: tos quilômetros para buscá-la. tio, homem não gosta de muAo abrir a porta do apartamento lher "eira": trabalhadeira, coziouviu a risada familiar da melhor nheira, costureira, lavadeira, amiga. Sem fazer barulho, apro- arrumadeira. Eles só apreciam ximou-se do quarto e enxergou periguetes "osa": preguiçosa, os dois sem roupas se divertin- dengosa, gostosa, gastosa (que do, e aberto ao lado, o manual gasta muito). erótico de Kama Sutra que ela o havia presenteado dias antes. (*) Presidente da Academia Gritar, espernear, matar, foi o Alagoana de Letras

Alexandre Rands Barros (*)

Alberto Rostand Lanverly (*)

O combate à Covid-19 exigiu atuação forte dos governos em torno do mundo. Déficits públicos cresceram com a necessidade de suporte à população castigada e às empresas sob estresse decorrente de distanciamentos sociais e lockdowns. Críticos do neoliberalismo logo apressaram-se em apontar as intervenções como uma demonstração da falha dessa ideologia. E, obviamente, propagaram o discurso de que mais do que nunca o governo precisa ter presença maior na economia. Os oportunistas, obviamente, se serviram da ocasião para defender intervenções que os beneficiavam, incluindo compras de empresas amigas, sob regimes especiais, como se viu no Ministério da Saúde, no Rio de Janeiro, e em casos semelhantes na Inglaterra. Ou seja, o neoliberalismo foi alvo de uma enxurrada de críticas que vieram tanto dos ideologicamente estatizantes como dos oportunistas que buscam servir-se das ações do governo para benefícios próprios. Idealistas, por sua vez, perceberam a necessidade de um melhor equilíbrio entre Estado, mercado e sociedade civil, com vistas a permitir que interesses dessa última, que não são adequadamente reproduzidos nas sinalizações de mercado, principalmente devido a externalidades, venham a ser objeto de atuação do setor público. Merece destaque o livro The Power of Creative Destruction (Harvard University Press, 2021), de Aghion, Antonin e Bunel, que mostra que o

desenvolvimento precisa de um bom equilíbrio entre Estado, sociedade civil e mercado. A ênfase deles é no fato de a destruição criativa fragilizar regiões ou países e com isso diminuir o ritmo de inovação nas economias. Apesar de não diretamente ligado à Covid-19, o desencanto com a aparente capacidade dos mercados de promoverem o bem-estar de todos, faz com que argumentos como o desses autores ganhem maior influência entre idealistas, pois também questionam o neoliberalismo na sua versão antiestatizante.

“Idealistas, por sua vez, perceberam a necessidade de um melhor equilíbrio entre Estado, mercado e sociedade civil” No livro A Esquerda Hoje (Alta Books, 2021) argumento que a diferença essencial entre as ideologias liberais e de esquerda emana da ênfase. pela última, do altruísmo como motivação humana importante. Por conseguinte, intervenções de governos justificam-

se para promover uma melhor distribuição de renda, incluindo-se aí maior proteção ao risco de consumo e renda dos segmentos mais pobres da população. No entanto, deve haver limites a tais intervenções quando tentam suprimir os mecanismos de mercado na alocação de recursos onde não haja falhas clássicas de mercado. Os planos de gastos de Joe Biden apontam nessa direção, e na promoção de eficiência ao contemplar ações para superar falhas de mercado. No entanto, algumas críticas ao neoliberalismo têm defendido intervenções que rompem essas barreiras. Essa perda de equilíbrio e precisão nelas poderá trazer de volta os excessos do neoliberalismo, que geram sofrimento humano desnecessariamente. Por isso, é necessário se qualificar as falhas do neoliberalismo na pandemia. Sua versão radical de não intervenção já vem demonstrando limites há algum tempo. Daí a se defender relaxamento no controle do Estado com intervenções excessivamente generosas deve gerar mais corrupção e distorções alocativas perversas. Como sempre, encontrar o equilíbrio é o grande desafio e tão difícil, principalmente em momentos de estresse econômico e social. (*) Economista

O PSDB e o seu Rubicão Marcus Pestana (*) Não canso de repetir que a agenda real de interesse da sociedade brasileira se concentra, neste momento, em vacina, emprego e renda. Entretanto, gostemos ou não, o processo sucessório da presidência da República de outubro de 2022 precipitou-se de forma inédita. Na verdade, na sociedade contemporânea "on line", conectada pelas redes sociais, onde a geração de informações se dá em ritmo frenético, a disputa política acontece em tempo real, todos os dias, o tempo todo. Bolsonaro, Lula, Ciro Gomes já estão abertamente em campanha. Mas, há uma lacuna. Quem será o representante na disputa do chamado polo democrático do centro político, um espectro que envolve forças que vão da centro-direita à centro esquerda? Afinal, como dizia Ulysses Guimarães e gosta de acentuar o presidente FHC, há uma hora em que o conjunto de ideias que inspira um projeto político tem que ser encarnado em um líder, ou seja, "tem que ser fulanizado". Nossa tradição política se dá predominantemente em torno de personagens, ao contrário, por exemplo, do parlamentarismo europeu. No campo do polo democrático há nomes expressivos e as pesquisas indicam que existe um amplo espaço para um candidato que represente equilíbrio, serenidade, diálogo, capacidade de gestão. No PSDB despontam três grandes nomes: o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, jovem liderança extremamente talen-

toso e com grande capacidade de governo; o governador de São Paulo, determinado e dinâmico gestor, responsável pela ousada aposta na produção da vacina contra a covid-19, João Doria; e o experiente ex-governador do Ceará, onde revolucionou as políticas públicas daquele estado, Tasso Jereissati. Além deles, temos no DEM, aliado histórico, dois excelentes nomes, o ex-ministro da saúde, Henrique Mandetta, e o

“No campo do polo democrático há nomes expressivos e as pesquisas indicam que existe amplo espaço para um candidato”... atual presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco. O apresentador de TV, Luciano Huck, que tem grande vocação pública, sinaliza que participará intensamente, mas não como candidato. O PSDB tomou decisão ousada e inovadora de escolher seu candidato através de prévias partidárias, que se darão em novembro deste ano. As prévias do PSDB terão três grandes obje-

tivos: expor os précandidatos nos debates e elevar seus níveis de conhecimento nacional; solidificar a unidade partidária e iniciar a construção de um projeto para o futuro do país. O PSDB foi protagonista em todas as eleições presidenciais de 1989 a 2014. A última, em 2018, foi totalmente atípica e teve caráter disruptivo, com uma avassaladora onda de renovação contra o quadro político tradicional que sustentou a história da Nova República. Com o fracasso de várias lideranças estaduais que se elegeram sob o signo da pretensa "nova política" e com o turbulento quadro produzido pelas permanentes tensões no governo de federal, acredito que a maioria da sociedade revalorizará atributos como experiência, competência, serenidade, capacidade de diálogo e liderança política. O PSDB com as prévias atravessará seu Rubicão e poderá fazer suas as palavras de Júlio César: "Alea jacta est" ("A sorte está lançada"). Continuará a dialogar com os potenciais aliados e contribuirá para a construção de uma alternativa forte ao radicalismo extremo, longe das polarizações inúteis e da intolerância reinante. (*) Ex-deputado federal

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Dr. Albino Magalhães, 221 - Farol | CEP 57.050-080 Fone: (82) 9.9143-2653/ 9.8728-7819 - Maceió | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 9.9143-2653/ 9.8728-7819

Luiz Carlos Barreto Goes Fundador do Primeira Edição

Miguel Goes Diretor-Geral

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


B6 | Social

Primeira Edição | 7 a 13 de junho, 2021


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.