Vacina Pfizer, que Governo recusou, é esperada em Alagoas nesta 2ª feira

Page 1

Em Alagoas, conta de luz sobe acima da inflação > A-5 Tribunal cassa Wilson Witzel Um Tribunal Misto cassou de vez o mandato do governador Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, onde - antes dele - cinco governadores tinham sido preso por corrupção: Sérgio Cabral, Anthony Garotinho, Rosinha Garotinho e Moreira Franco.

edição PRIMEIRA

Mega acumula mais uma vez De novo: ninguém acertou a Mega-Sena. Foram sorteadas (na 6ª feira, 30 de abril) as dezenas 05, 23, 29, 34, 53 e 60. O próximo sorteio será nesta 3ª feira (4) e o prêmio é estimado em R$ 38 milhões. Quem acertou a Quina vai receber F$ 40 mil.

Ano 13 | Edição 923 | Maceió, Alagoas, 3 a 9 de maio, 2021 | R$ 2,00

Collor diz que não é hora para impeachment Convertido em aliado de Bolsonaro, senador também se posiciona contra investigação de atos do governos na pandemia > A-3

Governo teme CPI da pandemia, mas revela pânico com presença de Renan Calheiros O governo federal sabe que pode sofrer consequências graves com a CPI da Covid, mas tem demonstrado preocupação insanável com a presença do senador Renan Calheiros como relator. Veja porquê na A-3 ‘COMISSÃO SÓ PREOCUPA ALIADO DO VÍRUS’ Em novo pronunciamento sobre as investigações, o senador Renan disse que "Só devem ter preocupação os aliados do vírus. Quem não for aliado do vírus não deve ter nenhuma preocupação", afirmou o senador.

Humberto Martins nega que use cargo para ingressar no Supremo Através de sua assessoria, o ministro Humberto Martins, presidente do STJ, nega que esteja em campanha por vaga no Supremo Tribunal. Matéria da jornalista Carolina Brígido diz que o magistrado alagoano tem atendido a interesses do governo federal de olho na vaga do mi-

fotos: Divulgação

Humberto Martins nega uso do cargo para conseguir vaga no Supremo

nistro Marco Aurélio Mello, que anunciou para julho sua aposentadoria como membro do STF. > Conhecido por sua disposição de luta, Humberto Martins presidiu a OABAlagoas, foi desembargador do TJ-AL alagoano e em seguida assumiu vaga de ministro no STJ. A-2

VACINA PFIZER, QUE GOVERNO RECUSOU, É ESPERADA EM ALAGOAS NESTA 2ª FEIRA Vacina que o presidente Bolsonaro recusou no ano passado, a Pfizer está chegando. Uma remessa de 1 milhão de doses chegou na 5ª feira (29) e a cota que cabe a Alagoas deve chegar nesta 2ª feira (3). O governo comprou 100 milhões de doses da Pfizer para 2021 e quer outro tanto para o ano que vem. > A-5

Primeira Edição

Apoiadores fazem ato a favor de Bolsonaro, criticam isolamento e pedem voto impresso

Maceió também promoveu ato a favor de Bolsonaro, com grande carreata percorrendo a orla no 1º de Maio

Sábado, 1º de Maio (Dia do Trabalho) apoiadores do presidente Bolsonaro realizaram carreatas em diversas cidades do Brasil. Em Maceió, o 'Movimento Brasil' liderou manifestação na orla da Jatiúca, entre o Corredor Vera Arruda e o antigo Alagoinhas. > B-1

CSA vence CRB em mais Hamilton supera obstáculos um clássico sem torcedor e conquista GP de Portugal Em mais um clássico pelo Campeonato Alagoano de 2021(sem torcida por causa da pandemia) o CSA venceu o CSA por 1x0, sábado à tarde, no Estádio Rei Pelé. Partida foi bem disputada, com o Azulão atuando melhor na fase inicial. Galo melhoru na etapa final. > ESPORTES

Vitória sobre Galo coloca o CSA em situação de vantagem na reta final

O campeão britânico Lewis Hamilton ampliou sua coleção de vitórias ao vencer o GP de Portugal, disputado neste domingo, 2 de maio. O inglês largou na segunda posição, atrás de Valtteri Bottas, mas logo assumiu a ponta para chegar em primeiro. Próximo GP será na Espanha. > B-3

Lewis Hamilton vence GP de Portugal e amplia vantagem na Fórmula 1

Fale conosco | Redação: (82) 3021.5837 | Comercial: (82) 3021.0563 | Assinante: (82) 3021.0563 | Internet: http://www.primeiraedicao.com.br | e-mail: contato@primeiraedicao.com.br


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

A2 | Política

IA R É MAT CIAL E ESP Reproduzido de O Antagonista

Arthur Lira é o atual presidente da Câmara dos Deputados. Filiado ao PP, o parlamentar é um dos líderes do Centrão. Ele foi eleito para comandar a Casa com o apoio do governo de Jair Bolsonaro, derrotando o candidato Baleia Rossi, do MDB, em fevereiro de 2021. Lira é denunciado por corrupção no STF e já foi condenado por improbidade administrativa. O deputado é acusado de envolvimento de receber de propina em esquemas com a Petrobras e com a CBTU e de comandar uma rede de rachadinha com funcionários fantasmas enquanto era deputado estadual em Alagoas. Em março de 2021, o deputado foi absolvido pela 2ª Turma do Supremo em julgamento do Quadrilhão do PP. Arthur nasceu em 1969, filho do ex-senador Benedito Lira, que também foi acusado de receber propina da Petrobras. Benedito esteve envolvido em um esquema de ambulâncias superfaturadas. Como presidente da Câmara, Arthur Lira tentou aprovar a PEC da impunidade e se negou a dar andamento aos pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Em abril de 2021, a ministra do STF Cármen Lúcia deu cinco dias para Lira explicar por que motivo os pedidos seguem parados.

INVESTIGAÇÕES

Entre 2001 e 2007, R$ 254 milhões foram desviados da Assembleia Legislativa de Ala-

Quem é Arthur Lira? O Antagonista responde com 'radiografia completa' Texto detalha trajetória do deputado alagoano, sua origem, mandatos e vários processos na Justiça fotos: Divulgação

goas. Só o então deputado estadual Arthur Lira, que comandava o esquema, movimentou R$ 9,5 milhões em sua conta. FANTASMAS Os parlamentares mantinham funcionários fantasmas e usavam empresas de terceiros para simular negociações e empréstimos pessoais como forma de justificar a movimentação financeira nas contas dos parlamentares. Lira ainda responde em uma ação penal na Justiça estadual. Ele já foi condenado pelo caso na esfera cível. Na denúncia apresentada contra o deputado, a PGR inclui relatórios que indicam que ele chegou a receber R$ 500 mil por mês. O documento apontou ainda que recursos desviados da Assembleia foram utilizados para a compra de carros, apartamentos e terrenos. Em 2006, quando se reelegeu deputado estadual, Lira declarou à Justiça Eleitoral R$ 695,9 mil em bens. Quatro anos mais tarde, ao disputar uma vaga na Câmara do Deputados, o parlamentar informou, em valores nominais, patrimônio três vezes maior, de R$ 2,08 milhões.

Artur Lira ganha projeção, mas também tem a vida devassada pela mídia

LAVA-JATO Em 2017, Lira foi denunciado pelo Ministério Público Federal por envolvimento no esquema conhecido como Quadrilhão do PP, ao lado de nomes como Aguinaldo Ribeiro, Eduardo da Fonte e Ciro Nogueira. Eles foram acusados por organização criminosa, em

razão de delitos cometidos contra a Petrobras, a Caixa e o Ministério das Cidades. Em março de 2021, o STF rejeitou a denúncia. O voto decisivo foi de Kassio Marques, que se uniu a Ricardo Lewandowski e a Gilmar Mendes para encerrar o processo. Como consequência, em

abril, o ministro do STF Gilmar Mendes determinou a suspensão de três ações de improbidade contra Lira em desdobramentos do esquema. NOVA DENÚNCIA Ainda em 2020, a PGR apresentou uma nova denúncia contra Lira, acusando o deputa-

do de ter solicitado e recebido R$ 1,6 milhão do grupo Queiroz Galvão, em nome de suposto apoio à manutenção de Paulo Roberto da Costa na diretoria da Petrobras. Três meses depois da denúncia, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, mulher de confiança de Augusto Aras, voltou atrás e pediu ao STF que rejeitasse a denúncia. O Supremo não acatou o pedido. Lira ainda é alvo de uma terceira denúncia no STF por corrupção passiva. Ela foi recebida pela 1ª Turma da Corte em outubro de 2019. De acordo com a acusação, um assessor da Câmara foi apreendido com R$ 106 mil em espécie quando tentava embarcar no Aeroporto de Congonhas. A quantia seria entregue a Lira em troca do apoio do deputado à manutenção de Francisco Colombo à frente da CBTU. PRESIDÊNCIA Lira recebeu o apoio do governo de Jair Bolsonaro ainda em 2020, para fazer frente ao bloco do então presidente da Câmara Rodrigo Maia. O STF decidiu em dezembro do ano passado que Maia não poderia ser reeleito. O deputado demorou a tomar uma decisão sobre quem apoiaria para a sucessão no cargo e acabou escolhendo Baleia Rossi. De última hora, quando Lira já era favorito, partidos que apoiavam a candidatura de Baleia Rossi abandonaram o barco e declararam neutralidade, incluindo o DEM de Rodrigo Maia. O movimento sacramen-

tou a vitória de Lira e de Bolsonaro. O movimento aconteceu quando, pouco antes da data da votação, o governo passou a liberar diversas emendas parlamentares em troca do apoio à candidatura de Lira na Câmara e à de Rodrigo Pacheco no Senado. Cerca de 250 deputados e 35 senadores foram beneficiados com aproximadamente R$ 3 bilhões. O dinheiro saiu do Ministério do Desenvolvimento Regional. A eleição de Arthur Lira foi celebrada em uma festa para mais de 300 pessoas, com ministros do governo e até desafetos do presidente da República. DEEMPENHO Com menos de duas semanas no cargo, Lira determinou o despejo dos jornalistas da sala de imprensa da Câmara, local que ocupavam havia 61 anos. O presidente da Câmara tomou a decisão para abrir espaço para seu novo gabinete, com acesso direto ao plenário, sem que precisasse enfrentar os repórteres. A ideia era que os jornalistas fossem alocados em uma sala no subsolo da Câmara. Diante dos protestos, Lira acabou recuando e mandando os repórteres para um ambiente grudado à sala de imprensa. Lira deu celeridade máxima à "PEC da impunidade", um projeto assim nomeado porque, na prática, ampliava a blindagem a parlamentares na Justiça. Como a derrota era inevitável, por causa das pressões da sociedade, Lira tirou a PEC de pauta.

> JUDICIÁRIO

Humberto Martins nega uso do cargo para obter vaga no Supremo Tribunal Com texto do UOL

Matéria da jornalista Carolina Brígido, do Portal UOL, diz que o ministro alagoano Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça, é alvo de críticas dos ministros do STJ por fazer campanha por vaga no Supremo Tribunal.Em nota à colunista, Humberto Martins rebate a acusação. Leia trechos da reportagem: Ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça) estão incomodados com a campanha que o presidente da Corte, Humberto Martins, anda fazendo para a vaga que será aberta em julho no STF (Supremo Tribunal Federal). Em caráter reservado, um ministro disse à coluna que o colega "começou a rodar bolsinha e ficou ruim". Esse mesmo ministro diz que Martins está tentando agradar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com decisões judiciais. É de Bolsonaro a tarefa de escolher quem vai substituir Marco Aurélio Mello no STF. "A caneta do presidente do STJ não tem visibilidade, mas faz muita coisa. Ele tem atendido o governo em questões de privatizações. Dizem no tribunal que ele está fazendo o que é necessário para poder agradar e se viabilizar", revelou o ministro, que preferiu não ser

identificado. De fato, decisões do STJ não costumam repercutir tanto quanto as do STF. Mas, recentemente, o Palácio do Planalto ficou satisfeito com a caneta de Martins. Em janeiro, o presidente do STJ atendeu a um pedido da União para suspender decisão do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) que havia obrigado o governo federal a divulgar direito de resposta nas redes sociais a partir de uma postagem da Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência). O órgão homenageou, em maio do ano passado, militares combatentes na Guerrilha do Araguaia, com destaque para o tenente-coronel reformado Sebastião Rodrigues de Moura, conhecido como Major Curió. O militar é apontado como torturador de militantes de esquerda durante a ditadura.

RESPOSTA

Questionado pela coluna sobre o comentário dos colegas, Martins respondeu por meio da assessoria de imprensa: "Em primeiro lugar, não existe campanha para o Supremo Tribunal Federal. O ministro Humberto Martins é presidente do STJ e do CJF (Conselho da Justiça Federal) e desempenha suas atribuições na presidência

Cotado para vaga no STF, Humberto Martins rebate acusação de que usa o cargo para atingir seus objetivos

com base na Constituição, nas leis e na jurisprudência", diz a nota. "A sua eleição para o STJ e o CJF foi por aclamação dos demais ministros da Corte e a gestão tem sido participativa e agregadora, embasada em um plano de gestão elaborado em conjunto com a FGV (Fundação Getúlio Vargas). A escolha para o STF é uma prerrogativa do presidente da República, segundo os parâmetros fixados na Constituição", conclui texto.

LIBEROU BARES

No início de abril, Martins autorizou o funcionamento das atividades consideradas não essenciais em Brasília - como

bares, restaurantes e shoppings. Fez isso ao revogar uma decisão do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) que determinava medidas restritivas para conter a pandemia do novo coronavírus na capital federal. Com isso, agradou Bolsonaro, que critica abertamente as restrições ao funcionamento no comércio durante a pandemia. Martins também tem dado sinal positivo para os planos de privatização do governo. Em março, o ministro derrubou liminar do TJ-RS (Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul) que suspendia o leilão de privatização da Companhia Estadual de

Energia Elétrica. Em dezembro, Martins já tinha derrubado liminar do Tribunal de Justiça do DF, que suspendia a privatização da CEB (Companhia Energética de Brasília).

DEUS E BÍBLIA

Outro ministro do STJ observou, em conversa com a coluna, que Martins tem citado mais a Bíblia e Deus publicamente. Para esse ministro, é uma estratégia para se firmar como "terrivelmente evangélico" - uma característica que Bolsonaro declarou que levaria em conta para escolher ministros do STF. "Ele deu uma guinada no comportamento. Toda

hora é Bíblia, é Deus. Ele quer fortalecer essa imagem de evangélico", avaliou o ministro. Na segunda-feira (26), Martins atendeu a um pedido do governo do Distrito Federal para liberar a retomada da construção do Museu da Bíblia em Brasília. As obras tinham sido paralisadas por ordem da 7ª Vara da Fazenda Pública do DF. Para o ministro, a decisão representava uma interferência indevida na execução da política cultural local. Para o presidente do STJ, não há problema o poder público construir um museu sobre a Bíblia em um Estado laico. Ele ressaltou que a obra não privilegia uma religião em detrimento de outras. "Deve-se estimular a existência de museus que tratem das mais diversas manifestações religiosas brasileiras", anotou. No mês passado, quando o STJ completou um ano do trabalho à distância, Martins fez um discurso sobre a produtividade da Corte no período e aproveitou para pedir proteção divina. "Assim que vencida a pandemia, com misericórdia divina e no tempo de Deus, é igualmente fundamental que o STJ possa voltar a receber presencialmente os ministros, servidores, advogados e cidadãos, sempre com segurança e cuidado no futuro processo de normalização".


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

Política |A3

> ENTREVISTA Romero Vieira Belo

Enfoque Político Jornalismo é, antes de tudo, a busca da verdade

O gesto de Renan Filho incomoda 'muita gente' O que dizer de um aumento salarial no auge da crise provocada pela pandemia? Se fosse na iniciativa privada, fragilizada pelos efeitos danosos da pandemia, já seria motivo para comemoração. E o que dizer de uma reposição salarial na esfera pública, nessa hora em que todos relatam agonia e prejuízos financeiros? Pois é precisamente isso que vai acontecer agora em maio: no final do mês, as folhas com os valores salariais de todos os servidores públicos estaduais alagoanos (do Poder Executivo) chegarão às agências bancárias com um aumento de 4,52%. É uma dessas notícias que devem ser celebradas não apenas pelos beneficiários (todas as categorias do funcionalismo estadual) mas também pela sociedade alagoana, porque um reajuste de salário concedido no clímax de uma crise financeira conjuntural mostra e prova quão equilibradas estão as finanças do Estado. Saliente-se que, lá fora, em vez de reposição salarial, os governos estaduais e municipais vivem tremenda dificuldade até mesmo para pagar suas folhas vencimentais, essas sim, defasadas. Estados gigantes, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, penam para honrar as folhas dos servidores. Aqui, o governo fez mais. Antes de anunciar o aumento de 4,52%, o governador Renan Filho ordenou que, de forma escalonada (e já cumprida integralmente), as Secretarias da Fazenda e de Gestão e Recursos Humanos eliminassem uma deficiência de três décadas e passassem a pagar a todas as categorias funcionais dentro do mês trabalhado. Claro que isso incomoda, preocupa mesmo os adversários políticos do governador. Reajuste salarial? Nesse momento de crise, de profunda falta de dinheiro? Bom, ótimo para o conjunto dos servidores, mas ruim, péssimo para quem faz oposição ao governo. Mas, é burrice atiçar sindicatos para cobrar mais. O servidor sabe diferençar política maior de politicagem. Os sindicatos, bom os sindicatos têm mesmo que estrilar. No dia em que admitirem, publicamente, acertos de governo, perderão a razão de existir. E acabarão perdendo também a receita bancada pelos filiados. Por isso, precisam postular, cobrar, sempre... HELOÍSA HELENA ASSUME CARGO NO SENADO A guerreira Heloísa Helena voltou ao batente político. Ela acaba de ser nomeada para o cargo de 'assistente parlamentar intermediário', com lotação no gabinete da liderança da oposição no Senado. A remuneração: R$ 10,7 mil mensais, com ato já publicado no Diário Oficial. HH vai trabalhar ao lado do senador Randolfe Rodrigues, um dos líderes da oposição.

Collor: CPI mira Bolsonaro e não é hora de impeachment Senador muda discurso, para com acusações e passa a defender o presidente JB Em entrevista ao Site Metrópoles, o senador Fernando Collor de Mello (PROS-AL) declarou que a intenção "daqueles que trabalharam para instalar" a CPI da Covid-19, instaurada no Senado Federal por ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, é atingir diretamente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo o ex-presidente da República (1990-

1992), o momento não é oportuno para a implementação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, já que as atenções deveriam estar voltadas para o combate à pandemia do coronavírus no Brasil. "Eu sempre digo que CPI a gente sabe como começa, mas não sabe como termina. O objeto definido [desta CPI] é tratar a questão da Covid, a aplicação dos recursos da Covid, do oxi-

gênio em Manaus, da cloroquina. Mas eu não tenho nenhuma dúvida de que a intenção daqueles que elaboraram o pedido de instalação da CPI, que o interesse velado deles, é atingir o presidente da República. E em breve isso será desvelado e ficará claro que o objeto da CPI é atingir o presidente da República", declara o senador em entrevista à jornalista Rachel Sheherazade. fotos: Divulgação

CÚPULA DO CLIMA

Precisando de apoio de Bolsonaro, Collor discorda da CPI da Covid e afirma que não é hora para impeachment

> ANÁLISE

Governo teme CPI, mas tem pânico de um único nome: Renan Calheiros Primeira Edição

Sem mandato, Heloísa Helena volta ao batente como assessora do Senado

SOBROU PARA O DOUTOR CHRLAES RENAUD O pedido feito pela bolsonarista Carla Zambelli para barrar Renan Calheiros como relator da CPI da Covid teve um efeito: expôs o lado mais obscuro da vida do juiz Charles Renaud, que concedeu a liminar (que, antes de ser derrubada) foi ignorada pelos senadores. Em suma: o juiz Charles Renaud já respondeu a processo por improbidade. SENADOR RENAN APAVORA COM AGENDA DA MORTE Confirmado na relatoria da 'CPI do Fim do Mundo', o senador Renan tem provocado calafrios em autoridades do governo central, ao falar em 'agenda da morte' e afirmou que está na hora de identificar os responsáveis pelas mais de 400 mortes causadas, em parte, pelos erros do governo no trato da pandemia. A IRONIA DEVASTADORA DO SENADOR ALAGOANO Conhecido por suas tiradas irônicas, o senador Renan também foi destaque nacional, na mídia, ao rebater o colega Flávio Bolsonaro, que manifestou o temer de ver a formação de aglomerações nas reuniões da CPI da Covid. "A posição do senador Flávio é digna de comemoração. Afinal, é a primeira vez que ele se manifesta contra aglomerações". CALADO, PAULO GUEDES PARECE UM FILÓSOFO Calado, em silêncio absoluto, Paulo Guedes é um poeta, melhor dizendo, um filósofo. Agora, quando fala, é um 'deus o acuda'. Pois não é que o ministro da Economia acusou a China de ter exportado o coronavírus e ainda disse que a vacina chinesa é inferior à americana? Desmemoriado, o Paulinho sequer se lembrou que ele próprio se vacinou com a CoronaVac... PESQUISAS, PESQUISAS - O QUE DIZEM? E as pesquisas de intenção de voto para senador e governador começam a emergir em profusão. Tem até nome de prefeito de município miúdo cotado para suceder Renan Filho. Mas os institutos convergem em um ponto: Renan Filho lidera com folga à corrida ao Senado, enquanto João Henrique Caldas aparece muito bem nas intenções para o governo de Alagoas.

CONTRÁRIO À CPI Quanto aos possíveis resultados da CPI da Covid, Collor afirmou que é "rigorosamente" contra a derrocada do chefe do Executivo do poder. E ponderou: "Pode-se dizer tudo do presidente, menos que ele não vem cumprindo aquilo que prometeu na campanha eleitoral em 2018". "Eu sou rigorosamente contra o impeachment, acho que nós temos de acabar com essa ideia de que qualquer coisa é motivo para impeachment. Na Câmara dos Deputados, existem mais de 100 pedidos de impeachment. Isso virou uma balela, virou quase uma brincadeira. Eu sou, por definição, contra o impeachment hoje do presidente Bolsonaro, porque entendo que não há crime

A Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada no Senado para investigar as ações do governo no trato da pandemia de Covid-19 é composta por 18 membros, sendo 11 titulares e 7 suplentes, tem causado enorme dor de cabeça às autoridades do Planalto, mas apenas um dos personagens que não é radical - está causando verdadeiro pânico aos governistas. Quem? O senador Renan Calheiros, do MDB de Alagoas. A marcação em cima do parlamentar alagoano tem sido rigorosa, implacável, desde antes da instalação da CPI da Covid, embora de todos os componentes o mais radical seja Randolfe Rodrigues, senador pelo Amapá e autor do requerimento para abertura do processo parlamentar investigativo. Logo que teve seu nome escolhido para relator da CPI (uma indicação pessoal do presidente Omar Aziz, o senador Renan foi alvo de uma liminar proposta (e concedida pelo juiz Charles Renaud Frazão de Moraes) apresentada por Carla Zambelli, deputada do PSL e aliada do presidente Bolsonaro. Na véspera da confirmação de Calheiros como relator, foi a vez do senador Flavio Bolsonaro (filho do presidente da República), também recorrer a justiça na tentativa de barrar o alagoano, sempre com o argumento de que o se-

Como relator da CPI, Renan Calheiros provoca calafrios no Planalto

nador do MDB é pai do governador de Alagoas, que eventualmente poderá vir a ser investigado pela CPI. Para completar, após a instalação da CPI, foi a vez de três senadores entraram com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir o senador Renan Calheiros (MDB-AL) de integrar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid: Jorginho Mello (PLSC), Marcos Rogério (DEMRO) e Eduardo Girão (Podemos-CE). Renan Calheiros, no entanto, já se posicionou: "Desde já me declaro parcial para tratar qualquer tema na CPI que envolva Alagoas. Não relatarei ou votarei. Não há sequer indícios quanto ao estado, mas a minha suspeição antecipada é decisão de foro íntimo", disse o parlamentar alagoano.

Só existe uma explicação para tanto medo de Renan Calheiros: a experiência do senador. De fato, além de ter sido deputado federal, ele está no quarto mandato de senador, já presidiu o Senado em quatro legislaturas e até assumiu, interinamente, a presidência da República. Ou seja, no Congresso Nacional, ninguém, nenhum político é mais articulado do que Renan Calheiros. Prova isso um episódio ocorrido em 2016: o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, determinou que Renan fosse afastado da presidência do Senado, mas a influência de Calheiros tornou a decisão sem efeito: a cúpula da Casa Legislativa recusou-se a afastar o senador alagoano e tal decisão acabou sendo ratificada pelo próprio colegiado do Supremo Tribunal.

Collor declarou-se "animado" com o discurso "perfeito" de Bolsonaro na Cúpula do Clima no último dia 22. "Resta agora colocá-lo em prática. Eu não tenho dúvida de que essa posição extremamente incômoda que nós estamos metidos, que é essa posição de ser um párea na questão ambiental, vai mudar rapidamente. Basta que ele faça, mande, determine fazer aquilo que ele falou", pondera (18'26"). Collor, entretanto, declarou que apenas medidas tomadas pelo presidente não são suficientes. Segundo o congressista, o Brasil precisa unir forças em prol do meio ambiente junto com outros países, assim como organizações responsáveis pela preservação da flora e fauna. "A diplomacia brasileira tem que preservar e perseverar naquilo que construiu ao longo de 70 anos de êxito, que é respeitar o direito internacional, respeitar as decisões do Conselho de Segurança das Nações Unidas, acatar as deliberações da Assembleia Geral das Nações Unidas. Para isso, é necessário que ela esteja coadunada com o propósito do presidente manifestado em seu discurso no Dia da Terra e faça com que isso se entrose com a política externa brasileira", completa (19'34").

ELEIÇÕES DE 2022

Quanto às eleições de 2022, Collor disse não acreditar em uma "terceira via" para um possível candidato ao cargo de presidente da República. Segundo o senador, os votos destinados a nomes como Luciano Huck, João Doria e Marina Silva devem pender para o lado de Jair Bolsonaro ou do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Em tese, cada um tem 30%, tanto o presidente Bolsonaro quanto o ex-presidente Lula, se ele vier a ser candidato pelo PT. Eu acho mais fácil que esses votos que cada um [dos outros candidatos] tenha migrem ou para um ou para outro. Esse é o movimento mais fácil. Até porque tem na psicologia do eleitor não querer votar naquele candidato que não tem chance de vitória", declarou (32'34"). Collor também descartou a possibilidade de se candidatar novamente ao cargo de presidente da República.


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

A4 | Nacional

> ATAQUE A GOVERNOS DO PT Geraldo Câmara

Ouvidor Geral geraldocamara@gmail.com

A LOUCA CIRANDA DOS PREÇOS Não vamos procurar pó de mico em macaco alheio porque os culpados da coceira que está nos atormentando com a alta dos preços em todos os níveis é simplesmente assustadora. Eu não ia tocar neste assunto até que as coisas ficassem insustentáveis. Ficaram. Neste sábado chega a notícia de que o gás natural já tão usado em residências, em indústrias, em restaurantes, em veículos teve a exorbitante e inacreditável subida de 39 por cento. Fiquei sem acreditar. No entanto, na medida em que os preços da gasolina e do diesel sobem lá vem o gás na rasteira ou na dianteira da escalada dos preços. Pelo jeito não temos ministro da economia, não temos ministro de nada. Temos povo doente e ainda reclamando de fome porque os vestais da república não entendem nada, absolutamente nada de povo. O mesmo povo que está aí vacinado devagar, com o produto faltando na hora da segunda dose, sem trabalho, sem renda, A culpa é do governo também. Porque não acreditou no vírus. Levou para o lado da gripezinha e foi incapaz de preparar o país para essa tremenda pandemia. E ainda goza em cima da população deixando crescer preços que são de sua responsabilidade e não apenas de mercado. O gás natural está aí para provar que povo e nada é a mesma coisa.

DESTACÔMETRO

O destaque vai para um homem de bem. Dedicado e perseverante em suas idéias avança sempre no rumo certo. Daniel Bernardes, o diretor-geral do Tribunal de Contas. Mas, sobretudo o amigo.

PÍLULAS DO OUVIDOR Por incrível que pareça a ciranda da eleição de 2022 já começou e os institutos de pesquisa estão sendo provocados e demonstrando trabalho desde já. Quando você imagina que a coisa vai para um lado, tortuosamente já está para outro. No entanto, é preciso que a população de um modo geral não se deixe levar pelos números que são apresentados agora porque serão muito mais especulativos do que reais. Já sabemos que eleição se vence na urna. Então! A pandemia também traz coisas que vão mudar a vida do brasileiro em vários sentidos. Uma delas é a questão do trabalho "Home Office" que sem dúvida alguma não deverá mais deixar de existir e é um grande filão no setor trabalho. Eu, particularmente gosto de estar presente, olho no olho, na discussão no local de trabalho. Mas há quem não possa, até por alguma deficiência. E também no caso atual e no futuro será a grande ferramenta econômica das empresas. Os estoques de sangue da Santa Casa e de vários outros hospitais estão críticos. O povo que estava acostumado a doações e mesmo os que não estavam precisam chegar porque o momento é muito difícil e não pode faltar sangue. É vida! A nova Lei de Licitações extinguiu duas modalidades que já estavam em desuso, a tomada de preços e o convite. Porém criou uma nova modalidade, o Diálogo Competitivo. Segundo o art. 32 da nova lei, o diálogo competitivo será utilizado para licitações que envolvam inovações tecnológicas ou técnica, com o intuito de desenvolver uma ou mais alternativas capazes de atender às suas necessidades. Isto em casos que envolvam especificações que a Administração não consegue definir objetivamente, devendo os licitantes apresentar proposta final após o encerramento dos diálogos. A prática de inversão de fases estabelecida na modalidade pregão passa a ser a regra geral, conforme art. 17 da Lei. Desta forma, primeiro serão realizadas as propostas de preço e seu julgamento, para passar para a fase de habilitação. O secretário de estado da educação, Fábio Guedes (foto) pensa grande e com todo o suporte que traz em sua bagagem incluindo a experiência da FAPEAL, há de fazer um belo trabalho na educação apesar da pandemia.

Dia do Trabalho: Bolsonaro critica esquerda e sindicatos Mais uma vez, presidente reedita discurso focado na 'bandeira verde e amarela' fotos: Divulgação

Correio Braziliense

O feriado do Dia do Trabalho, segundo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou de ''cor'' no país. O governante destacou, na manhã de sábado (01/05), dia marcado pela data comemorativa, que, agora, o Brasil tem "bandeiras verde-e-amarela" no lugar de vermelhas e tremuladas por "homens e mulheres que trabalham de verdade". "Este momento também é muito importante, afinal de contas, quando no passado, nesta data, 1º de maio, o que nós mais víamos no Brasil eram camisas e bandeiras vermelhas tremulando, como se aqui fosse um país socialista. Esta questão, hoje, mudou, e bastante", começou Bolsonaro seu discurso, durante participação ao vivo e on-line na abertura da 86ª ExpoZebu, de Uberaba, cidade do Triângulo Mineiro, na manhã deste sábado, ao lado da ministra da Agricultura e da Pecuária, Tereza Cristina. "Hoje, estamos tendo o prazer e a satisfação de ver bandeiras verde e amarela por todo o

Bolsonaro critica isolamento social, ataca líderes sindicais e políticos de esquerda e desbanca os governos do PT

nosso país. Homens e mulheres que trabalham de verdade, que sabem que o bem maior que nós podemos ter em nossa pátria é a nossa liberdade. E a união dessas pessoas de bem que nós garantiremos, então, esse nosso sagrado direito", completou o presidente. Neste sábado, várias cidades registraram manifestações

pelo Dia do Trabalho. Na maioria delas, os cidadãos usavam roupas verde e amarela e era apoiadores do atual governo federal. Bolsonaro fez referência aos governos anteriores, todos do Partido dos Trabalhadores (PT) ou com alguma relação. A legenda e seus manifestantes têm por características se manifesta-

> ECONOMIA

Sob pressão. BC deve elevar Selic para 3,5% esta semana Correio Braziliense

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) se reúne nesta semana para definir o rumo da taxa básica de juros. E a expectativa dos analistas é de que o Comitê cumpra a promessa de elevar a taxa Selic de 2,75% para 3,5% ao ano, por conta da pressão inflacionária. O mercado, contudo, está de olho no comunicado do Copom, para saber até onde deve ir alta dos juros neste ano. A reunião do Copom vai ocorrer na terça e quarta-feira, mas, na opinião da maior parte

dos especialistas, já começa com a alta dos juros contratada. É que, na última reunião, em março, quando elevou a Selic de 2% para 2,75%, o comitê prometeu uma nova alta de 0,75 ponto percentual para maio. A perspectiva de que a Selic vai a 3,5% vem sendo reforçada desde então pela diretoria do BC. O presidente do banco, Roberto Campos Neto, por exemplo, disse que o ajuste só seria reavaliado se "algo muito diferente ou extraordinário" acontecesse, o que não foi o caso, segundo especialistas. "O BC foi muito claro na

comunicação, de que pretende dar 0,75 ponto percentual, a menos que houvesse uma piora grande dos fundamentos. E o que vimos de lá para cá foi um IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) um pouco melhor na margem e o fim do impasse do Orçamento. Não foi a solução ideal, mas foi uma solução. Então, não vemos uma piora adicional que justifique uma alta maior da Selic", explicou o superintendente da Infinity, Camilo Cavalcanti. "O Copom deixou muito explícito que o ajuste seria de 0,75 ponto percentual, e as mu-

Os abraços impressos vão para um casal amigo com quem nos relacionamos desde a época em que aqui chegamos. Ailma e Geraldo Nunes sempre uma alegria a cada vez que nos encontramos. A pandemia tem mantido distância.

danças que ocorreram desde então foram muito marginais. Então, a decisão dessa reunião parece ser ponto pacífico. A discussão mais interessante estará na sinalização dos próximos passos do colegiado", disse o economista-chefe do Banco Original, Marcos Caruso. Caruso lembrou que o BC começou a subir os juros para conter a alta da inflação, mas também indicou que faria uma "normalização parcial" da Selic neste ano. Isto é, não subiria a Selic a ponto de chegar à taxa neutra, que hoje está em torno de 6% a 6,5%.

> NO 1º DE MAIO

FHC diz que é preciso reabrir a economia para gerar empregos Correio Braziliense

ABRAÇOS IMPRESSOS

rem com bandeiras e camisas na cor vermelha, marca registrada do partido, assim como a estrela. O 1º de maio também é muito celebrado pela sigla, por conta da origem operária. O PT chegou à presidência da República em 2003, com Luiz Inácio Lula da Silva, vencedor das eleições gerais de 2002.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou, no Primeiro de Maio unificado das centrais sindicais, que é necessário reabrir a economia brasileira com segurança, para gerar trabalho e renda para os brasileiros. "É fundamental hoje nós pensarmos nos trabalhadores porque há muito desemprego no Brasil. Eu diria que a questão fundamental no Brasil hoje é reabrir a economia de modo tal que ela possa permitir que tenhamos trabalho, renda, para as nossas famílias", declarou, neste sábado. O tucano adotou tom dis-

Ex-presidente Fernando Henrique defende a reabertura da economia

tinto de seus pares no evento e não teceu críticas diretas ao governo de Jair Bolsonaro. FHC disse que, durante

toda a sua trajetória política, procurou prestigiar aqueles que lideram os trabalhadores brasileiros. No ato unificado

do ano passado, o tucano dividiu - ainda que virtualmente o palanque com Lula pela primeira vez desde a campanha de 1989, em que ele apoiou o petista contra Fernando Collor de Mello. O ex-mandatário terminou sua curta declaração destacando a importância da educação no País, e desejou que "tenhamos um futuro mais auspicioso, com mais trabalho, com mais possibilidade de viver melhor, não só individualmente, mas familiarmente". O evento foi organizado pela CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, Intersindical, Pública e CGTB.


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

Geral | A5

Vacina Pfizer ‘comprada com atraso’ deve chegar a Alagoas nesta 2ª feira

OI F A T R OFE EITADA REJ

Em agosto do ano passado, presidente Bolsonaro disse 'não' a 70 milhões de doses da Pfizer fotos: Divulgação

Redação com Agência Alagoas O primeiro lote da norteamericana Pfizer (a vacina que o presidente Jair Bolsonaro recusou sob alegação de que o fabricante não assumiria riscos por efeitos colaterais), deverá chegar a Alagoas nesta segunda-feira, 3 de maio. Após a recusa de 2021, o governo brasileiro voltou a negociar com a direção da Pfizer, comprou 100 milhões de doses para serem entregues neste ano, e está negociando a aquisição de mais 100 milhões para 2022. A chegada da vacina Pfizer ao Brasil veio para renovar as esperanças da população em vencer a batalha contra a Covid-19, como destacou texto da Agência Alagoas. Com perspectiva de chegada dos imunizantes neste início de semana, o Programa Nacional de Imunização de Alagoas (PNI/AL), órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), está preparado com toda a estrutura necessária para receber a vacina, que possui diferença quanto ao armazenamento das doses em relação a

Pfizer ofereceu 70 milhões de doses, em agosto de 2020, mas governo federal rejeitou oferta

CoronaVac e a AstraZeneca. Os imunizantes produzidos no Brasil podem ser acondicionados a uma temperatura entre 2° e 8° Celsius, com a validade da CoronaVac chegando a 12 meses, a partir da data de fabricação, e a AstraZeneca sendo de até seis meses, a partir da data de fabricação. Rafaela Siqueira, assessora

do PNI em Alagoas, salienta que, caso a vacina belga seja armazenada na mesma temperatura dos outros dois imunizantes, a validade é somente de cinco dias. As doses precisam estar em uma temperatura muito mais baixa para ter um prazo maior de validade. "As doses vão chegar congeladas até o Estado em uma

Primeira Edição

Falta de doses para 1ª e 2ª aplicação esvaziou os postos de vacinação da capital alagoana

temperatura entre, -25° e -15°. Nessas condições, a vacina pode ser aplicada em até 14 dias. Por isso, o PNI/AL está preparado e conta com freezers potentes para garantir o armazenamento correto da Pfizer e não haver perda de doses", informa Rafaela. Assim como as outras duas vacinas contra a Covid-19, para

pode ser ministrado em até seis meses. o Ministério da Saúde (MS) informou que está em andamento um processo de compra de 183 freezers de ultrabaixa temperatura para encaminhar aos estados. A previsão de entrega do primeiro lote é para o mês de junho deste ano.

se ter a imunidade completa com a Pfizer é preciso aplicar 2 doses, com intervalo de 21 dias. Para manter o prazo máximo de validade a partir da data de fabricação, a vacina precisa estar congelada e acondicionada em um freezer de ultrabaixa temperatura, que varia de -80°C à -60°C. Dessa forma, o imunizante da Pfizer

> CHOQUE ELÉTRICO

Aumento da conta de luz no Estado supera inflação e começa a vigorar Redação Embora a inflação oficial, conforme o IBGE, tenha fechado o ano de 2020 em 4,52%, as tarifas de energia elétrica da Equatorial Alagoas terão aumento médio de 8,62% a partir desta segunda-feira, 3 de maio, com efeito médio a ser percebido pelos consumidores de 13,03% na alta tensão e de 7,02% na baixa tensão. O aumento para os consumidores residenciais será de 6,52%, portanto, dois pontos percentuais acima da inflação apurada em todo o ano passado.

O reajuste tarifário da distribuidora vai afetar 1,17 milhão de unidades consumidoras no estado de Alagoas. O correção abaixo de 10% está dentro da meta da Agência Nacional de Energia Elétrica de evitar aumentos de dois dígitos em 2021, com a adoção de um conjunto de medidas de mitigação de pressões tarifárias nos segmentos de transmissão e de geração. No caso de Alagoas, o abatimento na tarifa de recursos da Conta-Covid recebidos pela distribuidora e atualizados pela Selic teve um impacto redutor 18,28%.

Equatorial: aumento da conta de luz, acima da inflação, começa a vigorar em Alagoas já a partir desta 2ª feira

A Aneel também conseguiu redução tarifária de 1,88% com a alteração no valores a serem repassados às transmissoras para remuneração de ativos da Rede Básica Existente (RBSE), um pequeno efeito de 0,02% com a reversão de receitas para a modicidade e 8,13% com o abatimento de créditos de PIS e Cofins. A Equatorial propôs ainda a retirada de R$ 200 milhões em custos de transporte de energia (Parcela A), que vão amenizar a tarifa em 11,10%. Esse valor será pago pelo consumidor no reajuste do ano que vem.

> BRK AMBIENTAL

Companhia de Água e Saneamento abre mais de 250 vagas e já iniciou inscrições Redação com G1 Empresa que venceu o leilão da Casal (Companhia de Água e Saneamento de Alagoas) e vai assumir prestação dos serviços de água e esgoto na Região Metropolitana de Maceió durante 35 anos, a BRK Ambiental, está oferecendo mais de 250 vagas em diversas áreas de atuação no Estado. Com processo seletivo aberto na quinta-feira, 29 de abril, cada interessado deve acessar o site www.recruitment.com.br/vagas/, escolher a vaga correspondente ao seu perfil profissional e se candidatar online mesmo. O esquema seletivo é realizado em parceria com a empresa Re-

cruitment. Os cargos disponíveis são os seguintes: * auxiliar de almoxarifado * almoxarife * supervisor de serviços comerciais (corte e religa) * analista de administração contratual I * analista financeiro de investimentos * analista financeiro de pagamentos * analista financeiro de medição * auxiliar administrativo * assistente administrativo * analista administrativo I * analista administrativo II * operador de estação de tratamento * encanador de manutenção de rede I

Primeira Edição

Canais de Maceió deveriam entrar no projerto de saneamento da BRK

* auxiliar de operação água e esgoto * assistente de apoio operacional * analista de apoio opera-

cional I * auxiliar de laboratório de água e esgoto * analista de financiamentos e investimentos I

* soldador * mecânico * eletricista * auxiliar de manutenção * encanador * técnico de laboratório de água e esgoto I A BRK Ambiental, pertencente ao grupo canadense Brookfield, atua em mais de 100 municípios brasileiros e prevê gerar cerca de 500 empregos diretos e mais de 1.500 indiretos na Região Metropolitana de Maceió neste primeiro momento. O processo seletivo foi aberto em fevereiro. A unidade já recebeu mais de 18 mil currículos para as mais diversas áreas de atuação nos setores administrativo, técnico e operacional, em meio a um

cenário de crise econômica e taxa alta de desemprego no país. O contrato de concessão da Casal, assinado com o governo de Alagoas, dá direito à empresa de executar serviços de água e esgoto durante 35 anos nos seguintes municípios do estado: 1. Atalaia 2. Barra de Santo Antônio 3. Barra de São Miguel 4. Coqueiro Seco 5. Maceió 6. Marechal Deodoro 7. Messias 8. Murici 9. Paripueira 10. Pilar 11. Rio Largo 12. Satuba 13. Santa Luzia do Norte


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

A6 | Especial

> COM APLICATIVO

JHC aposta em mobilidade corporativa Prefeito de Maceió discute novo sistema de transporte durante reunião com o secretário da Fazenda do Rio de Janeiro Assessoria

O prefeito JHC se reuniu, na quinta-feira (29),

com o secretário municipal da Fazenda do Rio de Janeiro, Pedro Paulo, para alinhar um novo sistema de mobilidade corporativa por aplicativo

para os servidores públicos que será implantado em Maceió. O Município vem analisando as melhores práticas nacionais, até que se defina a que mais se adequa à realidade da Capital. "Além de modernizar e trazer eficiência para a gestão, também vamos economizar recursos", afirmou JHC, durante a reunião on-line. Ele lembrou que até então não se tinha planejamento do transporte na Capital. Ele disse ainda que a iniciativa pode ir além do corporativo, trazendo a plataforma para categorias como a dos taxistas, economizando com aluguel de carro, combustível, motorista. "Acredito que tem espaço para todo mundo", ressaltou. O secretário agradeceu ao prefeito e falou dos avanços que vêm sendo obtidos na cidade a partir do aplicativo. A secretária municipal de Gestão, Rayane Tenorio, informou que o Município está nos trâmites finais para em breve anunciar o novo modelo. "A reunião de hoje foi para alinhamento da

forma como vamos fazer. Estamos bem encaminhados e esperamos ainda em maio anunciar novidades", disse. Rayane explicou que serão beneficiados os servidores públicos municipais e, possivelmente, os demais cidadãos. Estamos estudando a possibilidade de trazer algo inovador, tanto corporativamente como para a sociedade. Nossos estudos já começaram há um tempo. Estamos analisando diversas formas, métodos e agora já está mais perto de concluir. A gente pretende ainda em maio apresentar algo concreto", informou.

PARQUE DA MULHER

A espera durou 40 anos e, na sexta-feira (30), o que era um sonho para moradores da Jatiúca, começou a virar realidade. O prefeito JHC assinou a ordem de serviço para execução das obras que transformarão a Praça Carlos Nogueira em um espaço multifuncional, com parquinho, quadra, bicicletário, ciclovia e área para food truck. O local será chamado de ‘Parque da Mulher’. fotos: Divulgação

Prefeito JHC assina OS para executar obras que vão transformar antiga praça em ‘Parque da Mulher’ na Jatiúca


Esportes

esportes@primeiraedicao.com.br

Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021 Diário Oficial dos Municípios - Opinião - Social

> LÍDER

Azulão canta mais forte que o Galo: 1x0 Bruno Mota marca no 2º tempo e decide o clássico no Rei Pelé; Cristovam ainda foi expulso aos 27 do segundo tempo GE O CSA foi melhor em campo e mereceu a vitória por 1 a 0 sobre o CRB, no último sábado, no Estádio Rei Pelé. No clássico da oitava rodada, o gol da vitória foi marcado por Bruno Mota, aos oito minutos da etapa final. O resultado colocou o Azulão na liderança do Campeonato Alagoano, agora com 15 pontos, e classificado por antecipação para as semifinais. Com 13, o CRB é o segundo colocado.

1º TEMPO

O CSA foi melhor na etapa inicial. Aos quatro minutos, Norberto recebeu belo passe de Aylon e cruzou da direita: Dellatorre, sozinho, cabeceou pra fora. Depois, Gabriel também perdeu uma chance num chute de fora da área. Na sequência, mais CSA, sempre pela pela direita. Dellatorre aproveitou um erro do CRB na saída de bola, invadiu a área, mas furou no momento da finalização, aos 19. Um minuto depois, Dellatorre voltou

Divulgação

a receber na área e perdeu a disputa com o goleiro Diogo Silva, que fez uma bela defesa. Aos 31, Marco Túlio finalizou de longe e o goleiro do CRB teve que se virar para espalmar. O Galo construiu pouco na etapa inicial e não teve chances.

2º TEMPO

O CRB criou a sua primeira chance do jogo no início da etapa final. Matheus Felipe fez um corte de cabeça e Diego Torres pegou de primeira. A bola ainda bateu na rede pelo lado de fora. A resposta do CSA foi letal. Marco Túlio recebeu um ótimo lançamento de Gabriel e acionou Dellatorre na área. O centroavante tocou do outro lado e Bruno Mota apareceu para abrir o placar, aos oito minutos. Aos 11, Diego Torres cobrou falta, Gum arrumou e Jatobá cabeceou no travessão do CSA. Aos 28, Cristovam recebeu o segundo amarelo, foi expulso e complicou a missão do Azulão no clássico. Mesmo assim, o CSA quase ampliou. Aos 31, Marco Túlio bateu da entra-

longo da semana e ajudou na montagem do time que venceu o CRB por 1 a 0. O CSA foi melhor no clássico e poderia ter feito mais gols. No primeiro tempo, perdeu quatro chances claras, três apenas com Dellatorre.

COMO FICA?

O CSA assumiu a primeira colocação, com 15 pontos, e continua invicto. Nesta quarta, vai defender a liderança

da da área e o goleiro Diogo Salva espalmou para trás. A bola bateu na trave e não entrou. O CRB tentou o abafa no fim, levantando bolas na área, mas não foi eficiente.

CARTÃO VERMELHO

O lateral-direito Cristovam

jogou improvisado na esquerda e teve a atuação prejudicada pela expulsão, aos 27 do segundo tempo. Lance bobo. Puxou o meia Diego Torres e depois deu um chutão na bola. Recebeu o segundo amarelo do árbitro Jonata de Souza Gouveia, levou o vermelho e

prejudicou o CSA.

BRUNO PIVETTI

O técnico Bruno Pivetti não pôde estrear no clássico, mas teve participação ativa na formação do CSA. Por videoconferência, ele trocou ideias com o auxiliar Adriano Rodrigues ao

O CSA assumiu a primeira colocação, com 15 pontos, e continua invicto no Alagoano. Quarta, vai apenas defender a liderança contra o CSE, em Palmeira, mas já está garantido na semifinal. O CRB tem 13 pontos, é o segundo colocado e precisa de pelo menos um empate contra o Jaciobá, na quarta, para confirmar a classificação matematicamente. Mesmo se perder, o Galo só seria eliminado com uma combinação improvável de resultados na última rodada. Os times voltam a jogar nesta quarta, às 20h, pela nona rodada do estadual. O CRB recebe o Jaciobá no Rei Pelé, e o CSA visita o CSE, no Juca Sampaio.

> NO 1º DE MAIO

Povo volta às ruas em manifestações pró Bolsonaro; Maceió mobiliza orla Primeira Edição Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro realizam atos públicos e carretadas em di-

versas cidades do Brasil, portando a bandeira nacional e cartazes com críticas ao ministro Alexandre de Moraes (que determinou a prisão do depu-

tado bolsonarista Daniel Silveira), ao voto eletrônico e ao isolamento social decretado por governadores e prefeitos por causa da pandemia.

Em Maceió, liderados pelo Movimento Brasil, os manifestantes se concentraram no Corredor Vera Arruda, na Jatiúca, de onde partiram em carreata

em direção ao antigo Alagoinhas, na confluência com Ponta Verde. Programado para coincidir com o 1º de Maio - Dia do Trafotos: Primeira Edição

Aliados saíram às ruas em numerosas cidades do País para manifestar apoio a Bolsonaro. Em Maceió, o ‘Movimento Brasil’ liderou grande mobilização que percorreu a orla da Jatiúca

balho - o ato em defesa do presidente e do governo teve como objetivo levar a mensagem de apoio a Bolsonaro, sendo que em várias capitais os manifestantes exibiram cartazes e faixas com a frase 'Eu autorizo, presidente'. Feriado nacional, o 1º de Maio deste ano não teve motivos para comemoração, mas só para lamentar, uma vez que na semana passada o Brasil atingiu a marca de 400 mil mortos em consequência da pandemia do coronavírus. Em Brasília, cerca de 5.000 pessoas ocuparam o gramado do Congresso Nacional vestindo verde e amarelo, de acordo com deputados aliados ao governo. A Polícia Militar do Distrito Federal divulgou que não fez um levantamento de pessoas no local e que não houve registros de brigas. Com o chamado "Eu Autorizo, Presidente", bolsonaristas organizaram atos em diferentes pontos do Brasil em suporte ao governo, que enfrenta críticas pela condução na pandemia do novo coronavírus. O nome das manifestações foi uma resposta ao chefe do Executivo, que disse que aguardava "uma sinalização" dos brasileiros para "tomar providências" contra medidas de restrição de circulação decretadas por governadores e prefeitos contra a covid-19. São Paulo e Rio de Janeiro também marcaram presença realizando atos públicos de apoio ao presidente Bolsonaro que, na manhã de sábado, fez críticas a líderes sindicais e políticos da esquerda.


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

B2 | Esportes

> VOZÃO CRUEL!

Nordestão: Ceará larga com vantagem Atacante entra aos 42, faz de falta aos 47 e Vovô pode até empatar no duelo de volta que ainda assim levanta a bela taça GE A lei do ex não falha. Aos 42 minutos, Jael entrou no lugar de Mendoza. Aos 47, cobrou a falta que garantiu o gol da vitória do Ceará, fora de casa, no primeiro jogo das finais da Copa do Nordeste, por 1 a 0. O Vovô agora pode até empatar no jogo da volta que será campeão na Copa do Nordeste. Caso o Bahia vença por um gol de diferença, a decisão irá para os pênaltis.

PRIMEIRO TEMPO

Equilíbrio marcou o início da primeira decisão do Nordes-

tão. O Bahia até criou as melhores oportunidades no início com Thaciano e chutes de fora da área. No entanto, o panorama da partida mudou muito com a expulsão (correta, digase) de Luiz Otávio, zagueiro do Bahia, após falta irresponsável em Lima. No entanto, o Ceará viu o Tricolor baiano chegar bem principalmente com Rodriguinho. Vina, em cobrança de falta, também teve boa chance, acertando o travessão. No entanto, se o Vovô teve a superioridade numérica, não soube aproveitar. Aos 47, Charles foi expulso e o Ceará também ficou com um a menos.

fotos: Divulgação

SEGUNDO TEMPO

O nível da decisão caiu ainda mais no segundo tempo. Vina tentou na bola parada mais uma vez. Rossi teve boa chance de primeira dentro da área. No entanto, os dois times pareciam que estavam satisfeitos com o empate. Substituições de lá, trocas de cá, mas o ritmo do jogo seguia lento. Aos 45, Richard quase entrega o gol para o Bahia num lance bizarro após bola alçada na área do Vovô. Mas aí a lei do ex pediu passagem. Jael entrou aos 42, cobrou falta aos 47 e anotou o gol da vitória alvinegra fora de casa.

VERMELHOU 1

Com apenas 19 minutos de jogo, o zagueiro Luiz Otávio, do Bahia, deu uma entrada violenta e irresponsável contra o meia-atacante Lima. Foi expulso direto e deixou o Bahia em situação mais complicada quando o jogo estava bastante equilibrado. Obrigou Dado Cavalcanti a mexer cedo.

VERMELHOU 2

Aos 47 do primeiro tempo, Charles comente falta mais dura em Nino Paraíba e também é expulso. O placar permanecia zerado até este momento da partida.

GUTO

- Não adianta de nada essa vantagem. Hoje ela não é decisiva ainda. É uma vantagem, não é situação definitiva. Então temos que trabalhar muito, muito bem, contra uma equipe que nos trouxe muita dificuldade. Temos que fazer um jogo de alto nível em casa para comemorar o título. Guto também foi questionado sobre como manter o grupo em alto nível com a maratona

No Brasil da impunidade, poucas leis são tão eficazes como a Lei do Ex. No futebol, ela é quase implacável

de jogos que o Vovô vem tendo. O treinador fez questão de dividir o mérito com todos os setores do clube. - Usar da melhor maneira possível o departamento de nutrição, fisiologia, logística. O clube dá muito respaldo com uma equipe muito boa. Desde o planejamento da montagem do elenco temos que ter grupo, de perder uma peça e manter a qualidade do elenco. O clube cresceu, o clube tem uma visão mais macro da coisa e essa visão que vem ajudando o Ceará nesse momento. E nós, nos utilizando ao máximo das ferramentas, para da melhor maneira possível passar por essas dificuldades que estamos tendo.

DADO

- São perdas significativas, mas o trabalho mental já começou no vestiário. Tendo cons-

ciência de que não perdemos nada. O jogo está aberto, faltam 90 minutos. Um gol marcado, um triunfo simples, leva a decisão para os pênaltis. Teremos outros jogadores. Esses três não vão poder nos ajudar, mas tem outros que vão entrar motivados para fazer uma montagem competitiva com forças para o segundo jogo da final – disse.

APÓS DERROTA

Menos de 24 horas depois de ser derrotado pelo Ceará no primeiro jogo da semifinal da Copa do Nordeste, o elenco do Bahia se reapresentou e iniciou a preparação para enfrentar o Independiente-ARG, pela SulAmericana. Na manhã do último domingo, enquanto os jogadores que atuaram por mais de 45 minutos fizeram um regenerativo, o restante do elenco participou de um intenso trabalho técnico.

Recuperados de lesão, o goleiro Mateus Claus e o lateral João Pedro fizeram um treino físico à parte. Quem esperava uma decisão de brilho técnico ficou desapontado. No primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, Bahia e Ceará fizeram um duelo truncado, de poucas chances e muitos erros, digno de um 0 a 0. E seria, não fosse a estrela de Jael, o Cruel.

PRÓXIMOS JOGOS

O Bahia entra em campo novamente pela Sul-Americana na terça-feira (4) contra o Independiente em Pituaçu às 19h15. O Ceará joga também pela SulAmericana na quarta (5) contra o Bolívar no estádio Hernando Siles às 19h15. O segundo jogo das finais será no próximo sábado (8), na Arena Castelão, às 16h.

> SEMIFINAL

Flamengo vence o Volta Redonda e se aproxima da final do Carioca: 3x0 GE O Flamengo venceu o Volta Redonda por 3 a 0 na noite do último sábado, no estádio Raulino de Oliveira. Os três gols da partida foram marcados por Pedro, todos no segundo tempo. Aos quatro minutos da segunda etapa, Michael fez jogada sensacional e rolou na medida para o atacante abrir o placar. Três minutos depois, novamente Michael fez o cruzamento para o centroavante ampliar. Já nos acréscimos, Arrascaeta, que entrou no decorrer da partida, contou com falha do zagueiro adversário para servir com maestria o terceiro gol de Pedro.

COMO FICA?

Com a vitória, o Flamengo abre grande vantagem na semifinal do Campeonato Carioca. No próximo sábado, o time rubro-negro pode perder até por três gols de diferença para o Volta Redonda, no Maracanã, que garante a vaga na final. O Voltaço precisa de uma vitória histórica de 4 a 0 sobre o adversário no jogo de volta. Quem avançar enfrenta Fluminense ou Portuguesa-RJ, que duelam

Dobradinha entre Pedro e Michael garante vitória sobre o Volta Redonda

na outra semifinal.

HAT-TRICK DE PEDRO

O grande destaque da partida foi o atacante Pedro, que marcou três vezes. Duas com assistências de Michael e a última com passe de Arrascaeta. Com as três bolas na rede, o jogador assumiu a artilharia rubro-negra no Campeonato Carioca, com seis gols. Na atual temporada, Pedro tem sete gols e uma assitência em sete jogos disputados.

GARÇOM

Um garçom baixinho e ve-

loz. Michael foi de um lado ao outro e deixou Pedro na boa para marcar. Em dois dos três gols de Pedro na vitória do Flamengo na primeira partida da semifinal contra o Volta Redonda (3 a 0, nesta noite de sábado, no estádio Raulino de Oliveira), a bola saiu dos pés de Michael. O outro passe - também em ótima jogada - foi do uruguaio Arrascaeta. Com o placar elástico, o Flamengo pode até perder por 3 a 0 no próximo sábado, no Maracanã, para chegar a mais uma final. O time da Gávea briga pelo tricampeonato consecuti-

vo - e pode chegar ao 37º título do Campeonato Carioca. Michael chegou a seis assistências na temporada 2021 metade delas para Pedro. O garçom mostrou entrosamento com o centroavante e comemorou a boa partida. Reserva da equipe, a dupla mostra serviço para o treinador Rogério Ceni. - Um atleta quer jogar, sempre estar dentro de campo, mas sabendo respeitar meus companheiros. Não significa que sou acomodado e sim que sei respeitar os companheiros que estão comigo. Pedi para voltar antes porque queria jogar. Fui feliz e estou colhendo os frutos do que plantei lá atrás - disse o ponta baixinho do Flamengo. Nesta tarde de segundafeira, a delegação do Flamengo embarca para Quito. Faz a sua terceira partida na fase de grupos da Libertadores, na terçafeira, contra a LDU (EQU). O Flamengo lidera o grupo com dois jogos e duas vitórias - contra Vélez Sarsfield (ARG) e Unión La Calera (CHI). Depois de placar em branco na primeira etapa, na opinião de Michael o time voltou melhor do intervalo, onde garantiu o placar elástico.


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

Esportes | B3

> SEDE DE VITÓRIA

F1: Hamilton supera rivais e volta a vencer Depois de cair para terceiro no início da prova, heptacampeão ultrapassa Verstappen e Bottas e domina corrida no Algarve GE Mais uma vez Lewis Hamilton subiu no topo do pódio no GP de Portugal. Vencedor em Portimão no ano passado, o heptacampeão mundial voou no Circuito do Algarve e venceu a corrida do último domingo. O britânico chegou a cair para a terceira posição no início da prova, mas superou os rivais na pista para conquistar a 97ª vitória na Fórmula 1. Max Verstappen foi o segundo colocado, e Valtteri Bottas completou o pódio. O britânico da Mercedes faturou a segunda vitória do ano e abriu vantagem na liderança da temporada, com 69 pontos, com Max Verstappen na cola, com 61. O holandês da RBR viu um ponto escapar das mãos ao fim da prova. Ele havia feito a volta mais rápida da corrida na última volta, mas ultrapassou os limites de pista em uma curva. Assim, o finlandês Bottas (Mercedes) ficou com o ponto de volta mais rápida.

O PÓDIO

HAMILTON: "Esta foi uma corrida muito difícil fisicamente e mentalmente. Não fiz uma boa largada e também perdi no reinício, mas foi um ótimo re-

fotos: Divulgação

sultado no final. Não foi tudo perfeito e precisamos nos preparar agora para o rápido retorno para a Espanha." VERSTAPPEN: "Tentei pressionar Valtteri, mas no final acho que faltou um pouco de ritmo"

CAIU A FICHA

Para Nico Rosberg, a vitória de Lewis Hamilton no GP de Portugal, no domingo, fez Max Verstappen começar a entender o quão bom é o heptacampeão mundial. Esse foi o segundo triunfo do piloto da Mercedes no ano, contra um do holandês, que serviu para Lewis ampliar a liderança do campeonato em oito pontos sobre o rival da RBR. - Que corrida fenomenal de Lewis. Acho divertido ver o Max Verstappen começar a entender cada vez mais o quão bom é Lewis Hamilton. Ele precisa fazer tudo perfeito para vencê-lo no Campeonato Mundial, mas no momento é 2-1 para Lewis - afirma o campeão de 2016 em entrevista à Sky Sports. E o que se viu em Portugal neste fim de semana foi um Max Verstappen longe de ser perfeito. Além de perder a chance de anotar a pole por ter

volta rápida. Mais uma vez Lewis Hamilton subiu no topo do pódio no GP de Portugal. Vencedor em Portimão no ano passado, o heptacampeão mundial voou no Circuito do Algarve e venceu a corrida deste domingo. O britânico chegou a cair para a terceira posição no início da prova, mas superou os rivais na pista para conquistar a 97ª vitória na Fórmula 1. Max Verstappen foi o segundo colocado, e Valtteri Bottas completou o pódio.

“ESQUISITO”

O britânico da Mercedes faturou a segunda vitória do ano e abriu vantagem na liderança da grande temporada

excedido os limites de pista, no sábado, o holandês teve a volta mais rápida da corrida deletada (ficando sem o ponto de melhor volta) pelo mesmo motivo na tarde do domingo. - Acho que eles (RBR) gostariam da vitória aqui porque tinham o carro mais rápido. Se pensarmos na qualificação de ontem, foi Max Verstappen

quem fez a volta mais rápida, que foi deletada por causa de um erro. Fez a volta mais rápida novamente na corrida, mas novamente foi deletada por extrapolar os limites da pista. São muitos erros - analisa Nico. Max acabou tendo o melhor tempo deletado por ter ultrapassado os limites da pista na

curva 14 do Circuito de Algarve. O piloto estranhou a decisão dos comissários da Fórmula 1. - Essa é boa. Isso foi um pouco esquisito, porque eles não estavam verificando os limites da faixa em 14, mas ... tanto faz - disse Max, ao ser informado antes do pódio que tinha perdido o ponto extra da

Max Verstappen fez a volta mais rápida do GP de Portugal neste domingo, mas não levou o ponto extra na classificação. Atrás apenas de Lewis Hamilton na corrida, o holandês da RBR acabou tendo o melhor tempo deletado por ter ultrapassado os limites da pista na curva 14 do Circuito de Algarve, em Portimão. O piloto estranhou a decisão. - Essa é boa. Isso foi um pouco esquisito, porque eles não estavam verificando os limites da faixa em 14, mas ... tanto faz - disse Max, ao ser informado antes do pódio que tinha perdido o ponto extra da volta rápida.

> DE OUTRO MUNDO

Jiri Prochazka dá show ao arrasar Dominick Reyes Combate.com O tcheco Jiri Prochazka tomou de assalto a divisão dos pesos-meio-pesados do UFC. Após estrear com um nocaute devastador sobre o suíço Volkan Oezdemir, ele repetiu a dose contra outro ex-desafiante ao cinturão da categoria, o americano Dominick Reyes. Com uma performance bem ao seu estilo, aceitando a trocação com a guarda baixa e atacando o rival de todas as formas, Prochazka nocauteou Reyes com uma cotovelada giratória arrasadora aos 4m29s do segundo round, deixando o rival inconsciente no octógono. Após a luta, o tcheco, que chegou a 12 vitórias seguidas, sendo 11 por nocaute, disse estar pronto para disputar o cinturão. - Eu só quero mostra a beleza das artes marciais, mas às vezes eu vou rápido demais em busca da vitória, encaixo golpes errados. Ainda estou aprendendo. Eu recebi alguns contragolpes de Dominick e não tive a

chance de fazer planos na luta. A cotovelada apenas aconteceu. Estou pronto para disputar o cinturão. Vamos lá. Eu gosto de Jan Blachowicz, mas ele tem uma luta contra Glover Teixeira. Acho que eu vou enfrentar o vencedor. Antes do UFC, todas as minhas lutas ensinaram a mim e ao meu time a melhorar. Agora estou no UFC, e quero ser o campeão com honra e com humildade. A luta começou com Prochazka lutando com a guarda baixa, como de costume. Reyes buscava não dar espaço ao tcheco, mantendo a luta na curta distância. Os dois lutadores lançavam bons golpes, mas o americano conseguiu uma boa queda antes da metade do round, caindo por cima. Prochazka conseguiu se livrar da posição e, pouco depois, acertou um bom golpe de direita que balançou Reyes. O americano atacou e conectou boas esquerdas no rival, que mesmo de guarda baixa, não aparentava sentir os golpes e seguia ata-

tou em cheio a cabeça do americano, que caiu nocauteado.

LUANA PINHEIRO

Não foi da forma como Luana Pinheiro gostaria que fosse a sua estreia no UFC. Após 4m16s de luta contra Randa Markos no primeiro round, a brasileira recebeu um chute ilegal na cabeça quando estava de joelhos no chão do octógono. Sem condições de continuar a lutar, a peso-palha brasileira foi declarada vencedora por desclassificação da rival. Luana, que é faixa preta de judô, vinha fazendo uma bela apresentação, aplicando quedas plásticas e muito eficazes contra a canadense, que não conseguia se defender dos golpes. Jiri Prochazka passou por cima de Dominick Reyes no UFC , agora pretende disputar o cobiçado cinturãodo UFC

cando. O tcheco manteve o estilo pouco ortodoxo no segundo round, e mesmo com a guarda baixa e recebendo golpes de Reyes, ele seguia atacando e

pressionando o americano. Dominick Reyes teve a chance de encaixar uma guilhotina, mas Prochazka livrou-se com calma e ficou por cima no chão. Reyes conseguiu levantar-se nova-

mente, e enquanto trocava golpes junto à grade, já desgastado, o americano viu o tcheco lançar uma cotovelada no ar para, em seguida, conectar uma cotovelada giratória que acer-

LUANA X POLIANA

No duelo brasileiro pelo peso-mosca feminino, a paulista Luana Dread conquistou uma vitória suada contra a mineira Poliana Botelho por decisão dividida dos juízes (29-28, 28-29 e 29-28).


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

B4 | Esportes

> NA JUSTIÇA

Maradona morreu "abandonado à própria sorte" Documento de 70 páginas diz que craque "começou a morrer 12 horas antes" e sofreu um "prolongado período de agonia" fotos: Divulgação

Globo Esportes Diego Armando Maradona foi "abandonado à própria sorte" pela equipe de saúde que o atendeu nos dias anteriores à sua morte, em 25 de novembro de 2020, com um "tratamento inadequado, deficiente e imprudente". Isso é o que diz o relatório de 70 páginas da junta médica que investigou o caso. O portal "Infobae" teve acesso ao documento. O grupo de médicos apurou as causas da morte do ídolo argentino a pedido da justiça. O relatório aponta que Maradona "começou a morrer pelo menos 12 horas antes" do momento em que foi encontrado sem vida em seu leito e sofreu um "prolongado período de agonia". São investigados e, portanto, acusados a psiquiatra Agustina Cosachov, o neurocirurgião e clínico geral Leopoldo Luque e o psicólogo Carlos Díaz, além de um enfermeiro, uma enfermeira, uma médica coordenadora e um coordenador de enfermeiros. As penas na Argentina para abandono ou homicídio culposo variam de cinco a 15 anos de prisão. O relatório foi elaborado por uma comissão interdisciplinar de 20 peritos convocada pela Procuradoria-Geral de San Isidro, na periferia de Buenos Aires, que busca determinar se a morte de Maradona pode ter ocorrido por abandono de pessoa ou homicídio culposo (involuntário). O ídolo argentino morreu no dia 25 de novembro, aos 60

Don Diego, ao lado de Pelé, o maior, a lenda insuperável do futebol. O argentino reivindicava o título de ‘melhor’

Maradona foi campeão mundial e um dos maiores craques da história

anos, sozinho em sua cama em uma casa alugada em um bairro privado ao norte de Buenos Aires, onde se recuperava após uma operação de um hematoma na cabeça, e onde ele supostamente estava com internação domiciliar. O documento da junta médica conclui que o ex-jogador e capitão da seleção argentina campeã do mundo no México em 1986 "teria mais chance de sobrevivência" se tivesse tido

uma internação adequada e em um centro de saúde polivalente. "Levando em conta o quadro clínico, clínico-psiquiátrico e o mau estado geral, deveria ter continuado a sua reabilitação e tratamento interdisciplinar em uma instituição adequada", insistiu a junta. Os especialistas indicaram que Maradona "não estava em pleno uso de suas faculdades mentais, nem em condições de

tomar decisões sobre sua saúde" no momento em que deixou a clínica de Olivos, onde havia sido submetido a uma cirurgia na cabeça. Nos dias anteriores, o exastro do Napoli e do Barcelona havia insistido em deixar a clínica e se recusado a ser encaminhado para outro centro de saúde, segundo o seu médico pessoal, Leopoldo Luque, um dos investigados. Entre as conclusões, a banca sustenta que "foram ignorados os sinais de risco de vida que apresentava" e os cuidados de enfermagem nestas últimas semanas "estão repletos de deficiências e irregularidades" e com falta de exames. - A equipe médica assistencial representou plena e cabalmente a possibilidade do desfe-

cho fatal em relação ao paciente, sendo absolutamente indiferente a essa questão, não modificando suas condutas e plano médico/assistencial traçado, mantendo as omissões prejudiciais acima mencionadas, abandonando 'à própria sorte o estado de saúde do paciente - acusam os peritos no relatório. Maradona foi operado de um hematoma na cabeça no dia 3 de novembro. Pouco antes, em 30 de outubro, ele compareceu à comemoração de seu 60º aniversário com a saúde debilitada no estádio do Gimnasia y Esgrima, clube que comandava. Naquele dia em La Plata, 60 km ao sul de Buenos Aires, foi a última vez que ele apareceu em um público aclamado por milhões de fãs em todo o mun-

do.

Testemunhas afirmam que ele sofria de dependência de álcool e psicotrópicos. Após sua aposentadoria, ele esteve várias vezes à beira da morte devido a doenças cardíacas e uso de drogas. Sebastián Sanchi, que era porta-voz de Maradona, comentou à agência AFP que com este relatório "claramente o conselho (médico) está dizendo que pelo menos para eles as coisas não foram bem feitas". Em meio a recriminações e acusações pela atenção dispensada a Maradona em seus últimos anos, outro caso paralelo avança para resolver a disputa de herança entre seus cinco filhos, seus irmãos e o último representante legal do ídolo argentino, Matías Morla.

> GALINHO

Último gol de Zico pela Seleção completa 35 anos e ele relembra Globo Esportes O último gol de Zico pela Seleção tinha que ser do nível de seu futebol. Ele driblou zagueiro e goleiro para fechar a goleada por 4 a 2 sobre a Iugoslávia, em amistoso no Arruda, em 30 de abril de 1986, antes da Copa do Mundo do México. Mas aquele gol, que completa 35 anos nesta sexta, acabou ofuscando outra pintura do Galinho na mesma partida, de calcanhar, como ele recordou em entrevista ao Globo Esportes. "Iugoslávia era tida como a seleção brasileira da Europa e sempre teve grandes jogadores. E aquele gol ficou marcado. Meu último gol pela seleção brasileira foi aquele. Agora, eu fiz um outro que considero espetacular também, só que o que eu entrei driblando apagou ele. Ninguém falou. Fazer um gol de calcanhar não é fácil não. Só falavam do outro." Zico também lembrou um momento curioso do seu último gol com a camisa canarinho, o terceiro dele na mesma partida: um torcedor empolgado no Arruda pelo o que estava presenciando.

Mesmo sem ser campeão mundial, Zico foi um dos maiores do mundo e, sem dúvida, o maior da história do Fla

Zico relembra seu último gol pela Seleção,no Arruda, há exatos 35 anos

- O mais interessante foi o garoto atrás do gol, pois eu pego a bola fora da área ainda e

ele começa a se agitar atrás. Quando eu driblo o zagueiro ele já começa a pular e antes de

eu fazer o gol ele já estava vibrando. É muito gostoso ver e poder passar essa alegria pro torcedor e pro público. Torcedor de Pernambuco sempre recebeu muito bem a seleção brasileira. A partida sacramentou a presença de Zico na Copa daquele ano, já que ele vinha se recuperando de uma grave lesão no joelho. Mas o Galinho

voltaria a sentir a lesão um pouco depois e chegou ao México como reserva. O Brasil terminou eliminado pela França, nas quartas de final, com um pênalti perdido por ele. Zico, inclusive, já falou no podcast Embolada que não deveria ter ido ao Mundial. - Tinha muita expectativa sobre minha presença na Copa do Mundo. Vinha de um traba-

lho muito forte na Toca da Raposa. Fiz aquele jogo. Três dias depois eu fui fazer outro e machuquei de novo o joelho. Então era uma interrogação. O joelho era uma bomba atômica, não sabia quando ia explodir. Mas tenho aquele jogo marcado na memória. Não é fácil fazer três gols em um jogo, ainda mais em uma seleção como a Iugoslávia.


Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021

Opinião |B5

A foto do fato

Editorial

O pior está acontecendo

Lamentavelmente, sob todos os aspectos, faltou vacina no Brasil. Era o pior que poderia suceder, precisamente nesse momento em que, mesmo com leve estabilização nos casos e óbitos, o País enfrenta um dos mais críticos avanços da pandemia, com mais de 400 mil mortes já registradas. A questão é: por que faltou vacina? A resposta não pode ser uma só, seca, absoluta. Poder-se-ia, claro, dizer que a falta de imunizantes se deve ao descaso ou, para abrandar um pouco, ao despreparo das autoridades do Ministério da Saúde. Mas a verdade é que o problema não reside unicamente aí.Não se pode simplesmente culpar as autoridades do Planalto por tudo. O próprio governo, o Palácio do Planalto, o presidente da República, enfim, o núcleo do poder central tem culpa em cartório por não ter, de forma previdente, negociado a aquisição de grandes quantidades de vacina ainda no ano passado. Anote-se que o presidente Jair Bolsonaro recusou, em meados de 2020, uma oferta de 70 milhões de doses de vacinas da Pfizer, justamente o imunizante que está sendo aplicado nos 340 milhões de norte-americanos. E, só para se ter uma ideia, até agora o Brasil não aplicou 35 milhões de doses contra a Covid-19 (juntando CoronaVac e Astrazêneca), o que representa a metade do que os dirigentes da Pfizer ofereceram e o governo brasileiro, sem avaliar o que ainda poderia acontecer, recusou no ano passado. Evidente que, se o Ministério da Saúde tivesse comprado vacina em quantidades maiores, não estaríamos vivendo essa situação preocupante: as pessoas procurando os postos para tomar a segunda dose e voltando sem serem imunizadas. Isso é muito ruim porque tem a questão dos prazos. Mas tem outro fator complicador para não dizer que a culpa é exclusiva do governo: o agravamento da pandemia na Índia, hoje o epicentro da epidemia global, está dificultando a aquisição da vacina Covaxin pelo governo brasileiro. Isso também se reflete na crise interna de imunizantes. Enquanto isso, porém, falta apoio e estímulo do governo para a finalização da vacina brasileira Butanvac, cuja produção está a cargo do Instituto Butantan, de São Paulo, estado cujo governador - João Doria - vive em constante atrito com o presidente Jair Bolsonaro, o que não é bom nem para os paulistas nem Milhares de brasileiros foram às ruas neste sábado, Dia do Trabalho, para manifestar apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Com faixas e cartazes, criticaram para os brasileiros de um modo geral. o Supremo Tribunal Federal, pediram voto impresso e defenderam o fim do isolamento social com reabertura da economia para o Brasil voltar a crescer.

Concentração seletiva

Como anda nossa economia

zia na bolsa, retirou um Torna-se visível a preocupação tampão de demonstrada por Jesualdo com a plástico exissobrinha Germínia, principal- tente no asmente quando se trata do seu soalho por desligamento nas coisas que rea- debaixo do liza. tapete, acoRecordou quando certa vez, rece- corou sem beu um telefonema da parenta, ninguém nolhe contando haver ficado em re- tar e se aliviou. cuperação em matemática, mas Em Caxias do Sul, Germínia, realgo errado havia acontecido solveu comprar cartões postais pois tinha respondido e conferi- como lembrança. Entrou em uma do, os quesitos da prova, estan- lojinha, pegou vários espalhados do todos corretos. sobre a mesa. Um sujeito com Como o colégio já estava no re- sotaque alemão, lhes disse: - são cesso de final de ano, resolveu meus. No que ela respondeu: visitar as freiras na casa de praia sério, você é fotografo? Meus pada congregação situada fora da rabéns são lindíssimos, e conticapital. Lá chegando depois de nuou selecionando outras imamuita confusão, a Madre, resol- gens. Então o cidadão de forma veu voltar a Maceió, para verifi- grosseira, falou algo que não encar a realidade dos fatos. tendeu. Após separar mais alJá nas dependências do estabele- guns sob o olhar furioso do gercimento escolar, depois de uma mânico, pagou e foi embora. exaustiva busca o envelope da Logo depois conturma procuratando o aconteda foi achado. cido para JesualPara surpresa chegaram a “Como o colégio do, de Jesualdo, ao conclusão que o receber a prova já estava de férias rapaz, não era para análise do fotografo coisa de final de ano, que estava ali nenhuma, mas escrito nada enresolveu visitas as sim turista, e controu, a não Germínia na freiras na casa ser um único maior cara de nome: Germípau havia pego de praia”... nia. A Madre os cartões posolhou para o tais por ele já esrosto do tio que colhidos. envergonhado pediu desculpas. Dia seguinte, Germínia ao pasO retorno ao retiro a beira-mar sear nas ruas da cidade, todos aconteceu em silencio de ambas sorriam ao lhe olharem. De volta as partes. ao hotel, mirando o espelho, viu Mas o tempo passou e Jesualdo estar o seu rosto laranja. Rapidaviajou em férias, na companhia mente notou que havia usado de sua esposa Generosa e da creme autobronzeador e não o amada sobrinha, foram conhecer necessário para hidratar a pele. as belezas do Rio Grande do Sul. Já em um restaurante solicitou Em Porto Alegre, alugaram um refeição para três. Como passou veículo e tomaram a estrada. um longo tempo do pedido realiNo trajeto choveu a cântaros e o zado sem ser atendida, achou espior era que a água do dilúvio tranho. Foi quando Jesualdo perentrou no interior do veículo, já cebeu existir um espelho por decobrindo os pés dos passageiros. trás do balcão. Então Germínia Germínia que se encontrava no falou: - bem que eu achei a moça banco de trás, baixou o vidro e a quem fiz o pedido muito pareusando uma tampa de garrafa cida comigo. térmica retirava a agua com se Germínia teima em afirmar não em um barco estivesse. ser desligada, sua concentração é Ao chegarem na cidade de Gra- que é seletiva mado, ela confidenciou que logo no início da viagem, teve uma (*) Presidente da Academia vontade muito grande de urinar, Alagoana de Letras e como não quis pedir para parar, usando uma tesoura que tra-

Alexandre Rands Barros (*)

Alberto Rostand Lanverly (*)

O Brasil tem se submetido a muitos atropelos econômicos recentemente. Apesar disso, no início do Governo Bolsonaro, houve uma boa vontade dos agentes de mercado com nossa economia. As dificuldades fiscais e a incapacidade do Ministério da Economia de definir adequadamente as reformas necessárias e encaminhá-las ao Congresso, não comprometeu tanto a situação, pois os ajustes realizados no Governo Temer tinham viabilizado um fôlego extra ao país, caso houvesse a confiança que inicialmente foi dada. As promessas de mais ajustes e reformas importantes motivaram ainda mais essa boa vontade. A pandemia levou a receios fortes em todo o mundo. No Brasil, não foi diferente. As respostas brasileiras com gastos públicos e receitas reduzidas do governo atingiram 15% do PIB de 2020, o que põe o país na 17ª colocação de um conjunto de 47 países para os quais há dados disponíveis no FMI. Também como proporção do PIB de 2020, se ordenarmos esses mesmos países somente pelos gastos públicos adicionais e receitas reduzidas, o país sobe para a 10ª colocação. Contudo, a deterioração fiscal passou a ser justificada pelo momento específico e a resposta assegurou que o PIB do país tivesse queda menor do que a inicialmente prevista. Como consequência da ainda existente boa vontade dos mercados com a gestão governamental brasileira e a resposta fiscal à pandemia, o índice Ibovespa teve o 11º

melhor desempenho, em um ano, de um conjunto de 41 índices internacionais de bolsas de valores. Entretanto, a resposta à pandemia em outras áreas que não apenas os gastos públicos, junto com outras ações do governo nas suas demais áreas de atuação, começaram a comprometer as expectativas quanto ao potencial econômico do país. Numa lista de 107 países com dados para vacinação no

“A deterioração da imagem do País no exterior começa a gerar custos econômicos cada vez mais importantes” Our World in Data, o Brasil apresentava apenas a 55ª colocação em número de vacinados per capita nessa semana. As desconfianças e redução de tolerância com as evidentes demonstrações de incompetência e falta de compromisso do governo federal com seu próprio discurso, levou à queda nesse ano do desempenho do Ibovespa quando se compara à mesma cesta de 41

índices. Fomos para a 35ª colocação. Ou seja, os agentes de mercado estão perdendo a confiança e a paciência com o Brasil. Numa semana como a atual, em que a posição do Brasil no cenário internacional foi objeto de tanto foco, por causa da conferência do clima, ficou bem evidente que o mundo não leva mais o Brasil a sério. As nossas exportações já começam a ser prejudicadas pelas posturas negacionistas e agressivas do presidente em relação a parceiros econômicos importantes. A Europa e a China já demonstram má vontade nas negociações com o Brasil. As entregas de maio da soja brasileira estão precificadas ao menor prêmio sobre os preços de bolsa de mercadorias desde 2008. A deterioração da imagem do país começa a gerar custos econômicos cada vez mais importantes. Os indicadores internos de desempenho da produção para o mês de abril também já estão demonstrando que a tendência de arrefecimento da recuperação, já verificada em março, continua se acentuando neste mês. Ou seja, a cada dia nossa economia começa, mais claramente, a pagar o preço da incompetência da gestão do governo federal. (*) Economista

O Brasil e as mudanças climáticas Marcus Pestana (*) Agência Senado O fato mais importante da semana foi a realização da Cúpula de Líderes sobre o Clima, reunindo quarenta chefes de governos, ato preparatório para a COP-26, a Conferência do Clima da ONU, que terá lugar em Glasgow, na Escócia, em novembro. Marca importante mudança de postura dos EUA, Joe Biden à frente, sobre as questões ambientais e o desenvolvimento sustentável, após o turbulento Governo Trump e sua postura negacionista frente às mudanças climáticas e suas consequências, que culminou com a saída dos EUA do Acordo de Paris firmado em 2015. Nos últimos 30 anos, a agenda do desenvolvimento sustentável ganhou papel central no planejamento e nas ações de governos, da sociedade e das empresas. A consciência ecológica ganhou corações e mentes a partir do esgotamento de um modelo de crescimento urbano-industrial baseado em energias vindas dos combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo, gás natural, xisto betuminoso) e na intensa poluição do ar, das águas e da terra. Para o Brasil se abre uma enorme oportunidade, mas há também riscos e ameaças. Tudo dependerá das escolhas que fizermos. Até a pouco, nosso país era protagonista no jogo político e diplomático na arena de discussão sobre o desenvolvimento sustentável. Não foi à toa que a Cúpula Mundial, a Rio-92, se deu em terras brasileiras. Temos uma das matrizes energéticas mais limpas

do globo. Temos um dos melhores arcabouços legais na área ambiental. Temos um verdadeiro tesouro ecológico com uma das maiores biodiversidades do mundo e a maior floresta tropical do Planeta. O atual governo, que chegou a namorar com o negacionismo ambiental de Trump, parece estar processando uma mudança de rota. Apresentou na Cúpula de Líderes a proposta de acabar com o desmatamento ilegal até 2030 e antecipar em dez anos o compromisso de zerar as nossas emissões de gases poluentes. Na carta enviada a Biden, Bolsonaro falou em fortalecer os meca-

“Para o Brasil se abre enorme oportunidade, mas também há riscos e ameaças. Tudo dependerá das escolhas que fizermos” nismos de comando e controle, trabalhar na regularização fundiária, implementar o pagamento por serviços ambientais, trabalhar no zoneamento ecológico-econômico e promover a bioeconomia, transformando nossa fantástica biodiversidade em ativida-

des geradoras de emprego e renda sustentáveis. As palavras precisam agora encontrar consequências práticas. Não é "passando a boiada" tendo a pandemia como biombo ou nos alinhando com madeireiros e garimpeiros ilegais que chegaremos lá. A transição para uma nova matriz energética não é nada fácil. Os países ricos dependem em 79% dos combustíveis fósseis. China, EUA, União Europeia, Índia e Rússia são responsáveis por 59% das emissões poluentes, o Brasil por 2,19%. As estratégias globais não podem passar por negar oportunidades aos países pobres e em desenvolvimento e nem pela taxação de importações que gerem barreiras comerciais. A parceria tem que ser pra valer, um jogo de ganhaganha. E o Brasil pode ser um grande captador de investimentos ambientais se superar a armadilha ideológica do falso dilema entre soberania nacional e cooperação internacional. Para quem quiser se aprofundar no diagnóstico e na agenda do desenvolvimento sustentável recomendo o artigo do ex-ministro do meio ambiente José Carlos Carvalho e da socióloga Aspásia Camargo, "Meio Ambiente e Sustentabilidade". (*) Ex-deputado federal

> OS ARTIGOS SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES E NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DESTE JORNAL

Endereço: Rua Dr. Albino Magalhães, 221 - Farol | CEP 57.050-080 Fone: (82) 3021-5837/ 3021-0563 - Maceió | Alagoas

Escritório: PRIMEIRA EDIÇÃO JORNAL ON-LINE IMPRESSA LTDA - ME CNPJ 08.078.664/0001-85 CMC 130003

Rua Godofredo Ferro, nº 215 - Centro - Maceió | Alagoas | CEP 57.020-570 Atendimento ao assinante: (82) 3021-0563

Luiz Carlos Barreto Goes Fundador do Primeira Edição

Miguel Goes Diretor-Geral

Alda Sampaio Diretora Comercial

FTPI Representação Publicidade e Marketing Ltda Representante nacional do Primeira Edição Alameda dos Maracatins, nº 508 - 9º andar - Indianópolis/SP CNPJ 03.269.504/0001-08 / Insc. Est. Isenta Tel: (81) 2128-4350 / Cel: (81) 9175-5829 fred.recife@ftpi.com.br


B6 | Social

Primeira Edição | 3 a 9 de maio, 2021


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.