Issuu on Google+

TAXA PAGA

4520 Santa Maria da Feira

PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS

Mérito Municipal 1972 1997

Desde 11 de Abril de 1897

Ano CXVI

Semanário

Direcção: Sandra Moreno

09 Dezembro 2013

Nº 5842

€0,60 (iva inc.)

Argoncilhe rendida aos paladares do CREPPE pág. 12

Entrevista

O restaurante pedagógico da EB2,3 de Argoncilhe abriu as portas há dois anos. É o único no Concelho e está disponível para toda a comunidade e tem feito sucesso com as suas ementas confeccionadas e apresentadas pelos alunos da escola.

PSP transferida em definitivo para Espargo pág. 09

“O custo desta escola é o equivalente a dois quilómetros de auto-estrada”, Lucinda Ferreira, presidente do Agrupamento de Escolas da Feira

Travanca

pág. 10

Estudada nova solução para evitar possível derrocada do muro do cemitério

Futsal Os agentes da PSP de Santa Maria da Feira vão ter casa nova em breve. A tutela decidiu arrendar, por 15 anos, aquelas que já foram as antigas instalações da empresa municipal Feira Viva.

P. 04 e 05

pág. 18

Juventude de Fiães vence dérbi frente ao ISPAB, por 1-2, em Paços de Brandão


02

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Não se deve deixar uma freguesia ao abandono!

Exmo. Senhor presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, antes de mais quero felicitálo por ter sido eleito para liderar os destinos de um Município tão grande como é o nosso. De seguida quero também regozijar-me por ter tido a presença de Vossa Excelência no meu Estabelecimento a quando da campanha eleitoral do último Mês de Setembro. Penso que Vossa Excelência, se deve ter apercebido do mau estado da Rua Afonso Albuquerque, junto ao Jardim de Infância de Manhouce, aqui na nossa Vila de Arrifana. Estou a dirigir-me a vossa Exce-

lência porque infelizmente ainda não temos executivo local, e só me resta proceder desta forma, já que agendar uma audiência com Vossa Excelência me parece difícil. O assunto que aqui trago é o seguinte: Há cerca de um ano a brigada de trabalhos que executava as obras de saneamento básico nesta artéria, decidiu cancelar os trabalhos pelo motivo de ser um local pantanoso e a abundância de água dificultar os trabalhos. Achei bem que o fizessem, para que o serviço ficasse bem feito. No entanto o que me faz espantar é isto ter acontecido no Inverno passado e estando quase a entrar um novo inverno sem que a situação tenha sido resolvida. Será que estão à espera que as águas voltem? Para de seguida se desculparem que não podem trabalhar por impedimento da água? Senhor Presidente, para mostrar que vai ser diferente no tratamento que vai dar a Arrifana seria de louvar uma

outra atenção sobre este assunto. É visível o estado desta rua que se encontra intransitável, sendo que as pessoas que circulam em veículos motorizados têm de se encostar a um dos lados da via, fugindo da sua mão, sujeitos a originar um acidente uma vez que aqui circulam peões (adultos e crianças) devido à proximidade de um Jardim de Infância. Também me causa alguma estranheza a não conclusão deste pequeno troço, que não

são mais do que quarenta metros e torna impossível muitos moradores se ligarem à rede pública de saneamento, uma vez que já estão servidos do referido ramal de acesso. Se este pequeno episódio fosse resolvido, seria bom para a comunidade local, assim como para a Câmara Municipal. Espero com isto não ser mal interpretado, isto é um serviço de utilidade pública, e como não podia deixar de ser também quero alertar para o

problema da rua que liga Arrifana a Escapães, mais propriamente no lugar das Laceiras que se encontra cortada ao trânsito há cerca de um ano ou mais. Isto faz lembrar uma filha abandonada pelos próprios pais, é o que está a acontecer com Arrifana. Os Arrifanenses merecem um trato diferente por parte dessa Câmara. Zulmiro Familiar, Arrifana

Não baixar os braços

Eventos pimba promovidos pelo município

O município de Santa Maria da Feira tem realizado diversos eventos de animação social através da sua empresa municipal “Feira Viva”. Muitos deles, poderão ser questionáveis, embora a sua avaliação é intrínseca

à sensibilidade de cada pessoa. Diz o povo: ”Cada cabeça… sua sentença”. Porém, existem eventos que manifestam tanta excentricidade que não deixam dúvidas do seu baixo nível formativo e pedagógico.... No passado fim de semana assistimos no âmbito do evento “ Terras dos Sonhos”, divulgado através de um programa televisivo, foram passadas imagens de um espetáculo de qualidade duvidosa para não dizer degradante. O recurso a protagonistas impróprios para exibições públicas inadequados aos públicos presentes (na sua maioria crianças)

e de todos os outros que através da televisão acompanharam este evento de animação, é inaceitável. A qualidade de um evento não pode ser prejudicada com cenas de “protagonistas pimba” no seu pior estilo, confrangedoras para a imagem de Santa Maria da Feira. Os responsáveis pela programação de cada evento terão que ser cuidadosos e rigorosos na realização de espetáculos desta natureza, destinados a públicos muito sensíveis. Os eventos de, como é o caso presente, “A Terra dos Sonhos”, não podem ter misturas de “inovações

bacocas” ou de “modas um pouco perversas”. É preciso ter muito cuidado em vulgarizar estas práticas sob pena de estarmos a degradar as nossas tradições culturais que devem merecer o nosso maior respeito. O respeito pelas diversidades de opiniões, de gostos deve ter limites. Como tal devemos ser exigentes e não tolerar que a nossa cultura seja adulterada por “Modas Pimba”. Alguém dizia: “ apoiar a cultura artística pimba” com gastos do erário público merece uma crítica contundente, pois estamos perante um

péssimo investimento na promoção da cultura no nosso concelho. A aplicação dos dinheiros públicos deve ser rigorosa e criteriosa. Como feirense, atento às imensas dificuldades financeiras que o município atravessa, tenho que recomendar aos responsáveis municipais mais cuidado com a programação dos eventos de animação não permitindo a inclusão destes acidentes pimba. Espero não ter necessidade de voltar a falar deste assunto. António Cardoso, Deputado do Partido Socialista Publicidade

VENDO MORADIA EM BANDA EM CONDOMINIO FECHADO (Rua Vila Boa- Feira) Amplos espaços comuns, cobertos, jardins e campo de ténis T3 com suite, 3 casas de banho, cozinha equipada, sala de jantar e sala de estar, aquecimento central, garagem, varandas e quintal. EXCELENTE PREÇO (PARTICULAR) 913 939 114

FICHA TÉCNICA

NUMA BANCA PERTO DE SI Directora Sandra Moreno sandra.moreno@correiodafeira.pt

Administração Jorge de Andrade administracao@correiodafeira.pt

Redacção André Costa andre.costa@correiodafeira.pt

Daniela Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

Colaboradores: Alberto Soares, Luís Higino, Roberto Carlos, Serafim Lopes Desporto: Paulo Ferreira, André Pereira, Américo Azevedo, Ângelo Resende, Ângelo Pedrosa, Preço Assinaturas: Artur Sá, Carlos Melo, Jorge Costa, Manuel Silva, Armandino Silva, José Carlos Macedo, António Santos, Bruno Godinho, Dinis Silva, Filipe Freixo, Jorge Silva, Nacional - € 25 Paulo Sérgio Guimarães, Orlando Soares, Orlando Bernadino Silva, Paulo Neto, Pedro Castro, Maria Celeste Rato Europa - € 50

Propriedade: Trazer Noticias, Lda. Registo na C.R.C.de S. M. Feira, n.º 507619269 Contribuinte n.º 507 619 269 Capital Social 5.000 Euros Detentores de mais de 10% do Capital Social Trazer Noticias, Lda.

Registo de Empresa n.º 200537 Registo no N. R. O. C. S., N.º 100538 Depósito Legal n.º 154511/00 Tiragem: 5.000 exemplares (Tirágem média) Impressão: Coraze - Oliveira de Azeméis Preço Avulso: 0,60€

SEDE: Rua 1º de Maio, nº 221 A, Espargo - Santa Maria da Feira 4520 - 115 Espargo Telef. 256 36 22 86 - Fax 256 37 28 89 E-mail: geral@correiodafeira.pt

Cobrador: Cobrador@correiodafeira.pt

Dep. Comercial: Luis Guimarães comercial@correiodafeira.pt

Design e Paginação:

Albino Santos albino.santos@correiodafeira.pt

Resto do Mundo - € 65

(Os artigos assinados são da inteira responsabilidade dos seus autores, não vinculando necessariamente a opinião da direcção)

Pedro Almeida pedro.almeida@correiodafeira.pt


Correio da Feira 09.DEZ.2013

03

Mozelos // Junta planeia alargar o recinto

Parque do Coteiro oferece tranquilidade e harmonia a quem o visita O Parque do Coteiro é um dos cartões de visita de Mozelos e, no futuro, pretende transformar-se no “grande salão” para toda a zona Norte do Concelho. A Junta de Freguesia tenciona alargar o espaço e transformar o recinto num parque municipal. Até lá, o parque do Coteiro é o local eleito dos excursionistas e dos que gostam de desfrutar da natureza e brindar o olhar com paisagens de perder de vista.

André Costa andre.costa@correiodafeira.pt

O Parque do Coteiro, em Mozelos, tem mais de 90 mil metros quadrados e começou a ser construído em 1998. “Adquirimos este espaço em 1998 e, desde então, está sempre em construção” – diz o presidente da Junta, José Carlos Silva. “É um local que está em constante mudança e tem um circuito de manutenção de cerca de 1.100 metros com 27 obstáculos” – acrescenta. A decoração do parque é feita através do aproveitamento de restos de casas de pedra antiga, portões ou colunas que oferecem um ar mais medieval ao local e embelezam toda aquela zona. Junto à entrada, está uma enorme mesa em tudo semelhante à mítica Tábola Redonda das lendas antigas do tempo do Rei Artur, usada para a reunião das famílias. “Temos esta mesa durante a Primavera e o Verão reservada todos os fins-de-semana” – refere o autarca, ressalvando que no centro da mesa está, também, um dos três mil sobreiros que foram plantados no Parque desde a sua criação. Está ainda em aberto a possibilidade de, no futuro, se avançar com a criação de um lago no Coteiro. “Há vários grupos de excursões, com quatro e cinco autocarros que escolhem o nosso parque para fazer os seus convívios. Há grupos que vêm de Ponte de Lima e outros lugares mais longe” – assegura José Carlos Silva. O Parque do Coteiro oferece a quem o visita a oportunidade de fazer caminhadas na tranquilida-

de e harmonia que caracteriza todo aquele lugar. Os caminhos pedonais são ideais para vários tipos de actividades, mas há quem os use para outro tipo de acções. “Há cerca de dois anos tivemos cá a reconstituição da Quaresma por um grupo cénico, o que ficou muito bonito” – conta o presidente da Junta de Mozelos. Para além de convívios e passeios, o Parque do Coteiro recebe também algumas provas de atletismo e de BTT. Algumas equipas de futebol amador aproveitam para fazerem neste local a preparação durante a pré-época, utilizando as plataformas que o parque possui. “Tendo esta plataforma multiusos no parque, pretendemos dar o salto para o FC Mozelos poder fazer cá os seus jogos no âmbito da INATEL, indo ao encontro da ideia da Câmara em ter um sintético em cada freguesia” – refere.

Paisagens deslumbrantes encantam quem visita o Parque do Coteiro Além de toda a beleza natural do monte, o parque está situado num dos pontos mais altos do Concelho e oferece paisagens “magníficas” sobre toda a vila de Mozelos, deixando, regozija-se o presidente de Junta, “qualquer um maravilhado”. “Temos vistas lindíssimas: de um lado vemos o mar, conseguindose mesmo vislumbrar o porto de Leixões e o Monte da Virgem, e do outro temos a possibilidade de ver a Serra da Freita” – garante o autarca. Apesar da enorme dimensão do parque, está em perspectiva o seu alargamento. “No futuro, está já a ser falado, e é algo que está a ser agendado, pretendemos expandir o Parque do Coteiro para o lado de Nogueira da Regedoura, passando de 90 mil metros para o dobro” –

revela José Carlos Silva. “Faz falta um Parque Municipal no Norte do nosso Concelho” – prossegue. Cada vez são mais os que visitam o parque e, na sua maioria, são pessoas que vivem fora de Mozelos. “No Verão temos isto completamente cheio de gente mas,

curiosamente, menos mozelenses” – diz o autarca. A manutenção do espaço é, no entanto, uma das maiores dificuldades para a autarquia, devido à área enorme que ocupa, tendo a junta apenas quatro funcionários nos seus quadros.


04

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Santa Maria da Feira // Lucinda Ferreira, presidente da Comissão Administrativa Provisória do Agrupamento de Escolas

“O custo desta escola, em termos de obras, é o equivalente a dois quilómetros de auto-estrada”

A presidente da CAP do Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira, Lucinda Ferreira, fala sobre o difícil arranque do ano lectivo, neste que foi o primeiro ano da agregação da Secundária com a EB2,3 do Cavaco. Salienta que o essencial é manter a proximidade e a vasta oferta formativa, que inclui o ainda muito procurado curso de hotelaria. O problema da sobrelotação mantém-se, e Lucinda Ferreira apela aos críticos da dimensão das instalações da Secundária a fazerem uma visita à escola na hora do almoço. Texto: Daniela Castro Soares Fotos: Albino Santos Como correu o arranque do ano lectivo neste que foi o primeiro ano da agregação da Secundária da Feira com a EB2,3 do Cavaco? O arranque do ano lectivo foi muito complicado. Este é um dos 20 maiores agrupamentos do país. A dimensão, o desconhecimento, o momento da agregação, tudo dificultou imenso. Nós apenas conseguimos arrancar no limite dos prazos, mas, ainda assim, em algumas situações, arrancamos primeiro do que outros agrupamentos do Concelho, nomeadamente nas AEC [Actividades Extra Curriculares]. Isto só foi possível porque estamos todos a trabalhar no mesmo sentido, para lidar com a diversidade de situações que aparecem. E não nos esqueçamos que tivemos duas agregações em simultâneo, com as três escolas primárias e jardins-de-infância de S. João de Ver a agregarem no novo centro escolar. Mas o mais importante está feito: as aulas estão a decorrer e a segurança dos alunos está garantida. O resto é acessório. Mais problema, menos problema, vamos gerindo a cada dia. Mas continua a não

haver tempo para nada. Tenho a noção que estou sempre atrasada, que já devia ter feito 30 mil coisas que ainda não fiz. Mas não há condições para responder a tudo. Se queremos que a nossa preocupação seja ir ao encontro de um aluno que se está a sentir mal, resolver um problema que está a acontecer, receber um encarregado de educação, não há tempo para os papéis. O que foi mais difícil na agregação? A Secundária tinha uma cultura e a Ferreira de Almeida tinha outra. Por mais que estejamos a tentar trabalhar em conjunto, é lógico que são culturas diferentes. Já cheguei a dizer: estão a obrigar duas famílias a viver juntas. Cada uma tinha a sua forma de estar, de encarar a vida. Não é fácil quando as pessoas estão habituadas a decidir na sua casa e depois têm de viver em conjunto. A nossa perspectiva é que estamos todos no mesmo barco. Nenhum de nós pediu para viver junto com o outro mas estamos a tentar construir um caminho conjunto. Ainda assim, a legislação prevê uma coisa inacreditável que é estamos a construir uma escola, um agrupamento, mas continuamos a ter dois

conselhos pedagógicos. O que eu decidi fazer foi, em vez de reunir com o conselho pedagógico da Secundária e com o da Ferreira de Almeida, juntei os dois na mesma sala. Mas continuo a fazer duas actas. Às vezes há partes em que eu digo “este ponto de trabalho é só da Ferreira de Almeida” ou “este é só da Secundária”. Mas a junção é importante, tanto para a Secundária ouvir falar da educação especial, da intervenção precoce, dos alunos surdos, do 1.º ciclo, da pré-escola (que nunca tínhamos ouvido falar), como para a Ferreira de Almeida saber sobre os problemas do ensino secundário. Neste momento, estou a “obrigar” as pessoas a viver em conjunto em tudo aquilo que não são as aulas, porque não dá para existir um agrupamento só no papel. Claro que as discussões têm acontecido, mas felizmente há um clima saudável e acho que vamos conseguir construir um agrupamento com bons resultados. Qual a sua opinião sobre os mega-agrupamentos? Mais problemático do que a dimensão, é a distância. Posso delegar competências, mas não é a mesma coisa. Eu não sei o nome de todos os meus colegas e não

estou habituada a isso. Por maior que fosse a minha escola, eu sabia o nome de todos. Aliás, trato toda a gente por “tu” e portanto olhar para alguém, que sei que é meu colega, mas não lhe saber o nome faz-me aflição. Tenho vergonha de não saber o nome, mas eu não consigo. São quase 100 funcionários e 270 professores. Mas não é um problema de dimensão, porque já tive quase 200 professores na Secundária e sabia o nome de todos. O problema é que só vejo esses colegas uma vez por mês, e ainda assim faço questão que as reuniões sejam aqui na Secundária, para os ir conhecendo. Para além de que o edifício é o único que tem condições para os receber a todos. A escola Secundária, só por ela, é maior do que qualquer agrupamento deste Concelho. Temos quase 1900 alunos, em simultâneo, dentro destas grades. A noção que tenho é que só a Secundária tem mais alunos do que Arrifana e Milheirós depois de se terem agregado. Para mim, uma escola com 1500 alunos é normalíssimo. Em 20 anos nunca tive menos do que isso, e dentro do mesmo perímetro escolar, que é importante para garantir a proximidade. Às vezes perguntamme “tu vais fechar a Ferreira de

“Este é um dos 20 maiores agrupamentos do país. A dimensão, o desconhecimento, o momento da agregação, tudo dificultou imenso” Almeida?”. Rio-me e respondo “se quisesse fechar, fechava, e punha a Secundária em regime de desdobramento”. Isso significava ter turmas em casa de manhã, que depois vêm à tarde, e viceversa. Mas não acho lógico fazer isso quando tenho espaço para que todos os alunos venham de manhã, até porque nós sabemos que a manhã é mais rentável em termos pedagógicos. Se tenho salas aqui e na Ferreira de Almeida que me permitem ter todos os alunos em regime normal, não é por comodidade minha que vou dizer “feche-se aquela” para ter todos aqui mais perto. Em termos de organização escolar, isso era solução ideal, mas nunca o farei quando põe em causa a aprendizagem dos alunos.


Correio da Feira 09.DEZ.2013

“Hoje muitas vezes referemse à nossa escola como a escola de hotelaria, precisamente porque as pessoas sentem a mesma qualidade” A escola ainda sofre com o problema da sobrelotação? Neste momento, a escola tem 1900 alunos em regime normal. Entram às 8h30, têm todos tardes livres, e acabam as aulas às 17h15. Em dia de aula normal, quem vier cá às 10h00 ou às 12h00, ou vir a fila da cantina, percebe que esta escola não é grande. Quando as pessoas vêem a escola vazia dizem logo “que desperdício, dinheiro mal gasto, parece uma universidade”. Costumo dizer “venham cá no momento em que estiverem os alunos todos e depois digam-me se a galeria é grande”. É muita gente. Ontem estive na cantina e é impossível. São 800 alunos a almoçar. Já tive de alargar a hora de almoço por 10 minutos, mas neste momento não é suficiente. Tenho alunos a chegar tarde à aula das 14h35, quando saíram das aulas às 13h30. Vou ter de voltar a olhar para os horários para equilibrar os números e manter o regime normal. A procura de alunos continua a aumentar? Sim. Este ano, a determinada altura, tínhamos quase 300 alunos do pré ao 12.º sem autorização de abertura de turma, ou seja, tínhamos turmas a mais em todos os níveis. Para nós é um orgulho, especialmente porque esta agregação era um risco muito grande. Chegamos a ponderar a possibilidade de os pais se assustarem com o número de alunos, com a agregação, com a distância e fugirem. Mas aconteceu o contrário. Até os alunos que costumavam fugir, nomeadamente do 4.º para o 5.º ano, não fugiram e este ano temos mais uma turma de 5.º ano. Para nós é uma grande responsabilidade porque confiaram na nossa capacidade. A nível do agrupamento, ficamos com 3300 alunos, dos três aos 20 anos. As novas instalações da Secundária deram um novo impulso ao ensino? Teremos melhores alunos? Quando se está num espa-

ço agradável, quando não se sente frio e não se ouve o barulho cá de fora, por maior confusão que haja, uma pessoa sente-se bem. Antigamente, se houvesse uma situação de perturbação disciplinar na sala ao lado, ouvia-se tudo, ou quando se arrastava uma cadeira, ouvia-se em todas as salas, era uma barulheira desgraçada. Agora, não. Quando mudamos para o bloco B, para as salas com pladur de furinhos, os alunos diziam “oh professor, não precisa de ralhar”, e os meus colegas respondiam “não estou a ralhar”. O que acontecia é que o professor continuava a falar no mesmo tom que falava nas instalações antigas e com este tipo de pladur não é preciso. Se forem ao bloco que não tem o pladur na parte comum, sentem a diferença. Ouvese muito mais o barulho nos corredores, ouve-se no bloco todo alguém que está a falar no rés-do-chão. Portanto, se em termos acústicos, térmicos e estéticos, se tem todas as condições, é lógico que os alunos se portam melhor, estão mais atentos e se distraem menos. Juntando a isso a tecnologia que temos na escola, o aluno sente orgulho, sente-se bem e há menos situações de indisciplina. Temos todas as condições para ter bons resultados. No dia da inauguração disse “agora não há desculpas para não aprender nem para não ensinar”.

“Venham cá no momento em que estiverem os alunos todos e depois digamme se a galeria é grande” Há quem fale das instalações da Secundária em tom crítico, apelidando-as de “palacianas”. Como vê estes comentários? O custo desta escola, em termos de obras, é o equivalente a dois quilómetros de auto-estrada. Se as pessoas olharem para os números desta forma, se calhar não reagem tão mal. Dirão antes assim “para que é que se construíram tantas auto-estradas, que agora estão vazias, em vez de se ter feito isto em todas as escolas deste país?”. Costumo dizer “tenho pena que não estejam todos igual a mim”. Mas são palacianas porquê? Já fico com pele de galinha quando falam dos

candeeiros. É a única coisa de luxo que esta casa tem, são meia dúzia de candeeiros de Siza Vieira, cada um a custar 800 euros. Mas é um traço de identidade da escola. Se ao entrarem, olharem para o painel, feito para os 35 anos da escola, por um aluno de Artes, estão lá os candeeiros desenhados. O que diferencia esta escola das outras são os candeeiros. Se vierem cá num dia à noite, em que o refeitório é transformado para uma qualquer situação de jantares, acende-se as luzes e parece que é de dia. Em vez de ligar os 16 candeeiros, podemos ligar só quatro, oito, 12 ou 16, conforme for preciso. Num espaço de 15 milhões, são 20 mil euros em candeeiros que justificam as críticas? Também chamam palacianas por causa da dimensão. Eu digo apenas “venham cá no intervalo, à hora de almoço, e venham ver se as instalações são grandes”. Como está o curso de hotelaria? Continua com grande procura? Imensa. Temos duas turmas: Empregado de Mesa e Cozinha e Pastelaria. Não temos condições físicas para ter mais, mas tínhamos alunos para mais turmas. Basta dizer que tivemos 60 alunos inscritos para Cozinha e Pastelaria e só podemos ter 28. Ainda ontem disse “não” a alunos de outras escolas que estavam a pedir para vir para cá para a restauração. Se fosse contabilizar o número de alunos a quem disse “não há vaga”, devia ter mais duas turmas à vontade. O encerramento da escola de hotelaria de Santa Maria da Feira não se entende. Portanto a qualidade da antiga escola de hotelaria mantém-se? Saem daqui bons profissionais? Hoje muitas vezes referemse à nossa escola como a escola de hotelaria, precisamente porque as pessoas sentem a mesma qualidade. Talvez até haja uma maior proximidade com os professores (que são os mesmos da escola de hotelaria), visto ser um grupo mais pequeno. Mais ainda nos faltam algumas coisas, que eu já pedi à Câmara, e espero que venham a acontecer quando for construído o centro escolar aqui ao lado. Uma delas é o Museu da Escola. Há mobiliário antigo e imensa tecnologia guardada que já não se usa. Nós temos quase a história do computador, porque sempre oferecemos cursos de informática, e fomos guardando esse equipamento. Temos uma arrecadação cheia de computadores, retroprojectores, projectores de slides,

toda essa tecnologia que dava para fazer um museu. Acho que era um espaço que ficava muito giro. Outra situação era um restaurante pedagógico (que não tenho como colocar aqui nas nossas instalações), que seja construído de forma a estar aberto ao público. Um restaurante que funcione da mesma maneira que o protocolo que tenho com o restaurante Baco.come, onde os nossos alunos estão a ter as aulas práticas. Para além de trabalharem nos nossos jantares, e nos de fora, e darem apoio a coffee breaks da Câmara, onde aplicam

o que vão aprendendo nas aulas. Era importante que a Câmara construísse esse restaurante pedagógico no centro escolar porque é bom para os alunos, para a escola, e para as pessoas, já que será sempre mais barato do que qualquer outro restaurante. O que falta fazer a nível do agrupamento? Falta fazer o caminho caminhando. Temos de discutir hábitos, decidir o que é melhor, aprendermos uns com os outros e construirmos um caminho conjunto. Temos muitas hipóteses que as

05

coisas corram bem porque estamos numa perspectiva construtiva, e não numa perspectiva de concorrência entre escolas. A grande vantagem é que não há anticorpos entre as duas escolas. Apesar das culturas diferentes, não temos nada uns contra os outros. A constituição da CAP [Comissão Administrativa Provisória] foi perfeitamente pacífica e negociada entre as duas direcções. Se não fosse isso, provavelmente só teríamos começado as aulas em Outubro. A construção vai-se fazendo e eu acho que vai correr bem. Publicidade


06

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Apoios às associações do Concelho Como líder do Grupo Municipal do Partido Socialista na Assembleia Municipal (GM/PS), por minha iniciativa, foi agendada, debatida e votada, a proposta/recomendação para criação de regulamentação de apoio às associações do nosso concelho, na sessão da Assembleia Municipal (AM) realizada no passado dia 20 de novembro. Tendo em conta os seguintes considerandos: 1. O desenvolvimento equilibrado e sustentado, deve ser assumido nas suas diferentes vertentes e na sua interdependência relacional, sendo da maior importância a definição de políticas sectoriais e a relação entre essas políticas públicas; 2. São relevantes as políticas para a educação, o desporto, a cultura e a ação social. Como é relevante ter em conta, na definição dessas políticas, as dinâmicas próprias da comunidade local, enquanto elementos de construção identitária ou de potenciação do próprio desenvolvimento; 3. Um concelho vivo e dinâmico é, entre outros aspetos, referenciado pelo movimento associativo, pela capacidade de espelhar um conjunto de expressões coletivas e partilhadas; pelo desenvolvimento

de objetivos e propósitos comuns; pelo incentivo à participação; pela promoção de uma cidadania ativa e construtiva; 4. O concelho de Santa Maria da Feira, caracteriza-se, entre outros aspetos, por um associativismo bastante expressivo e dinâmico, o que constitui dado relevante e importante para o nosso desenvolvimento, defendendo e mantendo as raízes históricas, culturais, desportivas e a identidade histórica das freguesias e por conseguinte do nosso município; 5. A Câmara Municipal (CM) tem celebrado protocolos de apoio a algumas atividades culturais e desportivas desenvolvidas de forma útil e qualitativa por algumas associações do concelho; 6. A importância do trabalho desenvolvido pelas associações - sobretudo na dinamização da população e na criação de capital cultural e desportivo para o concelho - deve merecer o apoio autárquico respeitando princípios de transparência e equidade; 7. A otimização dos recursos existentes aposta numa agenda cultural e desportiva do concelho, criando sinergias entre todos os agentes envolvidos, permitindo, por exem-

plo, a partilha de infraestruturas existentes, entre outros; 8. Os princípios gerais de direito que regem toda a atividade administrativa, como sejam os princípios da igualdade, da justiça, da imparcialidade e da transparência; constituem limites intrínsecos à discricionariedade administrativa. O previsto na Lei 64/2013, de 27/08, obriga os municípios a publicitar os apoio/subsídios a atribuir a particulares, nomeadamente, quanto à sua fundamentação legal. 9. Tal implica a necessidade da existência de regulamentação legal para o efeito, pelo que propusemos/ recomendamos à CM a elaboração da dita regulamentação. Definindose regras claras e objetivas sobre os apoios a atribuir. Algumas das regras propostas pelo GM/PS pretendem: - Discriminar o tipo de apoios, condições, prazos e normas de acesso; - Indicar o modo de avaliação da CM sobre os resultados/objetivos negociados entre as partes contratantes na relação custo beneficio para a população. 2 - Apresentar - até ao final do mês de dezembro de cada ano, no portal da CM, as verbas a disponibilizar para o efeito, no orçamento

do ano seguinte. Permitindo às associações a apresentação das candidaturas perante as regras e verbas indicadas. - Deliberar que o pagamento dos subsídios concedidos efetuado no ano em que for realizada a atividade. - Divulgar o regulamento e os formulários de candidatura, no portal da CM num espaço exclusivamente para esse fim. Esta recomendação visa contribuir para que de forma objetiva e transparente, fiquem definidas as regras de atribuição de subsídios às associações concelhias. Como vereadora, no passado, defendi a criação deste regulamento e, agora, como membro da AM, voltei a recomendar a criação de um regimento para atribuição de apoios/subsídios às associações. No passado a proposta foi sempre rejeitada pela maioria PSD na CM - tendo sido, pelo menos, criada regulamentação na área social/ solidariedade. Dessa maioria PSD, três elementos fazem parte deste atual executivo, sendo um deles o presidente da CM. Alegam os membros do PSD na AM, que votaram contra esta recomendação por não ser oportuna,

porque esta CM foi empossada há pouco tempo. É, no mínimo - como diz o povo - desculpa de mau pagador, pois em momento algum da recomendação se fixa prazo e o que se recomenda é o cumprimento de regras e princípios legais. Reforço: sem qualquer exigência de um prazo na sua execução. Nunca é cedo, ou inoportuno, para cumprir os princípios e normais legais, pois são uma obrigação de quem gere o dinheiro dos contribuintes e o interesse público. Constatando o sucedido, na verdade, a única razão do voto contra dos membros do PSD é o facto desta proposta partir do Partido Socialista - no passado como no presente - e na gestão camarária PSD conviverem mal com as regras de transparência, do rigor e da boa gestão. Lamentamos este acontecimento que representa falta de cultura democrática, sendo revelador de que, afinal, o proclamado novo ciclo, anunciado na campanha eleitoral pelo PSD, é um velho e reciclado ciclo.

dimento, fazendo parte do grande número de desempregados. A continuar assim o que nos espera no futuro? Os mais idosos sem forças para trabalhar, os problemas de saúde a surgirem e que se sentiam felizes por terem nascido e felizes

por envelhecer, irão voltar às cinzas do miserável fogo do passado. Apelamos aos legisladores que pensem no sétimo mandamento da lei de Deus “Não furtar, nem injustamente reter ou danificar os bens do próximo”. Se não pensa-

rem assim e continuarem com esta austeridade a crescer, cresce com ela também a nossa desventura. É este o horizonte da vida que nos espera. Basta de mentir carícias e desmentir tristezas. Por favor parem com este massacre. Estamos

a caminhar a passos largos para o regime do Estado Novo, pobres e ricos. É preciso romper os rígidos cânones protocolares da política e dar voz à nossa opinião.

dos pais, que em situações de maior desespero procuram não educar os filhos, mas somente, como forma de punição. Quando isto acontece, importa que consigamos entender que não estamos a promover uma aprendizagem na criança antes a punir alguma ação menos positiva do mesmo. Assim, importa salientar que muitos pais quando algo não corre ou ocorre como o esperado procuram o «não» punitivo, ou seja, em algumas situações utilizam-no para retirar algo que já tinham prometido à criança. Esta situação irá desestruturar a criança, desconstruindo tudo aquilo que tinha aprendido e entendendo como uma punição baseada numa forma de desamor, abandono e rejeição.

Um exemplo claro desta situação acontece, por exemplo, quando pedimos à criança que escreva uma carta ao Pai Natal e dizemos que o Pai Natal irá trazer o brinquedo que pediu nessa mesma carta. No entanto, a criança por não ter obedecido, por ter tido maus resultados na escola, por não acatar uma decisão dos pais é punida com a não entrega desse brinquedo. Esta é uma situação errónea, pois deveremos saber que foram situações distintas e não faz qualquer sentido punir com algo a que possivelmente tinha direito ou que tinha alcançado anteriormente. O «não» deverá ser utilizado com rigor e clarividência e avaliando-se os contextos em que ocorrem e,

Margarida Gariso, A líder do Grupo Municipal do PS

Austeridade Atualmente a palavra mais ouvida no nosso país é austeridade. Infelizmente os mais atingidos por ela são aqueles que descontaram uma vida para terem um fim digno como todos aqueles que trabalham para o estado e são sujeitos ao despe-

Alberto Soares

O diálogo da psicologia ou psicologia do leitor

O não educativo

Todas as crianças desde uma idade muito precoce procuram, de uma forma sistemática, obter a gratificação sobre tudo aquilo que desejam. No entanto, em muitas das situações não são totalmente recompensadas surgido, em alguns casos, a frustração, a revolta, a ira e em situação mais limites o com-

portamento mais violento. Por conseguinte, importa que desde cedo as figuras parentais ou outros educadores consigam pôr em prática o «não» como forma de informar a criança sobre aquilo que não poderá fazer, que não poderá ter ou porventura que não poderá dizer. Embora a aceitação não seja linear, não seja fácil por parte da criança, a adoção sistemática deste comportamento por parte dos pais ou outros significativos promove uma maior aprendizagem sobre as normas sociais, bem como, um maior respeito por todos os que os rodeiam. Neste mesmo sentido, assistimos, em muitas das situações, a uma utilização errónea do «não» por parte

procurando a interpretação de como determinada situação surgiu e se desenrolou. Deveremos entender que não é tão linear que a criança possa entender tacitamente o «não» quando ela observa diariamente situações tão idênticas às dela em contexto escolar, em contexto lúdico e porventura em situações em que fez determinada situação e não foi punida. Por tudo isto, importa que todos os pais possam amadurecer e utilizar objetivamente o «não» educativo em detrimento do mais comum e erroneamente utilizado «não» punitivo! Nuno Barata, psicólogo clínico


Correio da Feira 09.DEZ.2013

07


08

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Santa Maria da Feira // Processo está dependente da tutela

Santa Maria da Feira // No dia 18 de Dezembro

PERM já tem 30 por cento dos lotes vendidos mas procura diminuiu

Serviço de interpretação em Língua Gestual Portuguesa na Terra dos Sonhos

“Como está a correr a obra?” – questionou o vereador do PS, Eduardo Cavaco, na última reunião do executivo municipal, a respeito do Parque Empresarial de Recuperação de Materiais (PERM) das Terras de Santa Maria, em Pigeiros. O presidente da Câmara, Emídio Sousa, adiantou que “as obras têm andado bem” e que já foram “vendidos acima de 30 por cento” dos lotes. “Vendidos com promessa de compra e venda porque intenções de compra não considero efectuadas” – sublinhou Emídio Sousa. O presidente da Câmara revelou ainda que “o projecto, em termos de vendas, teve um forte impulso até Abril”, mas que agora estagnou. “Desde Abril houve pouca procura. Muita intenção, mas pouca concretização. Mas quando as pessoas virem a obra concretizada, acredito que haverá um novo impulso. Esperemos que dê a volta para bem do país” – realçou. Para quem quiser comprar lotes, até ao final do ano usufrui de 10 por cento de desconto, ficando assim os mais baratos a rondar os 30 euros e os mais caros os 35 euros.

Estradas cortadas na sequência das obras causam transtornos O vereador do PS, António Cardoso, chamou a atenção para os constrangimentos provocados

pelo corte das estradas na sequência das obras. “São meses e meses com a estrada cortada, o que constitui enormes transtornos para a população. São dezenas de pessoas de Pigeiros, Romariz, Guizande, que passam ali e são obrigadas a desviar o seu percurso” – sublinhou, acrescentando que “não há sinais de início da obra” e que “as pessoas estão à espera por uma coisa que está parada”. Emídio Sousa respondeu que ainda estavam em estudo algumas acções, como a eliminação do pontão, e que os populares podiam usufruir de uma via alternativa por Nadais. “É um desvio que flui bem. Sei que é diferente ter uma via directa, mas esta é uma alternativa razoável” – apontou o presidente

da Câmara. António Cardoso discordou. “Não comungo do seu entusiasmo com a obra. Sou visita frequente daquela zona e preocupa-me o desvio. A deslocação para Nadais é mais confusa e tem sítios em que um camião pesado tem dificuldade em passar. São ruas estreitas em que a segurança das pessoas é posta em causa. Há uma urgência na criação de uma rotunda e na eliminação do pontão” – referiu António Cardoso, acrescentando que “a obra está muito lenta” e já não tem a “dinâmica” que tinha no princípio. Emídio Sousa rematou o assunto afirmando que o volume de terras movimentado era maior no início da obra, o que fazia com que se notasse mais, e que o prazo da empreitada é de dois anos.

ração de materiais, nomeadamente veículos em fim de vida, resíduos metálicos, eléctricos e electrónicos. O objectivo do PERM é assim regularizar as chamadas sucatas e assegurar o rigor ambiental no tratamento dos materiais recolhidos. Esta obra, com um investimento de 15 milhões de euros (oito dos quais comparticipados por fundos comunitários), arrancou no início deste ano, sendo

que o prazo de concretização é de dois anos. “Esta é uma área de negócio com grande potencial e que vem responder a um grave passivo ambiental nos municípios envolvidos” – disse, na altura da assinatura do contrato, o presidente do conselho de administração da sociedade PERM, Emídio Sousa, constituída pelos cinco municípios do Entre Douro e Vouga e por um consórcio de cinco empresas.

Concelho // Novo serviço municipal

veis é gerida pelo Gabinete de Desenvolvimento Económico e Empresarial da autarquia feirense. Terrenos, lojas, escritórios, armazéns e pavilhões industriais para compra, aluguer ou venda podem ser inseridos na base de dados de imóveis que o Município pretende manter permanentemente actualizada.

“O Trovador” confecciona doces da “Terra dos Sonhos”

O café/pastelaria “ O Trovador”, de Santa Maria da Feira, numa perspectiva de envolvimento local, associa-se, mais uma vez, ao grande evento natalício “Terra dos Sonhos”. Neste sentido, durante

o mês de Dezembro, apresenta bonecos de bolacha e queques de chocolate alusivos ao evento da Quinta do Castelo. Os doces já fazem as delícias dos mais novos.

Santa Maria da Feira

“Se eu nascesse de novo” em debate O auditório do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), Hospital de S. Sebastião de Santa Maria da Feira, acolhe, no próximo dia 14, pelas 14h30, uma acção de formação

subordinada ao tema “Se eu nascesse de novo”. Esta acção de formação terá o testemunho de uma pessoa invisual que contraiu a doença em consequência da diabetes.

Santa Maria da Feira

Autarquia disponibiliza Bolsa de Oferta e Procura de Imóveis A Câmara Municipal de Santa Maria da Feira desenvolveu uma base de dados de imóveis para venda, compra ou aluguer, de cariz puramente comercial, excluindo-se, por isso, os bens destinados à habitação. Criado com o objectivo de prestar auxílio a privados e empresários do Concelho, a BOPI - Bolsa de Oferta e Procura de Imó-

língua gestual portuguesa dos espectáculos “Porto dos Piratas” e “Sr. Sonho e D. Birra”. Recorde-se que, durante a última edição da Viagem Medieval, foram também disponibilizados serviços de interpretação em língua gestual portuguesa, em áreas temáticas e espectáculos pré-definidos. Quaisquer pedidos de informação ou esclarecimentos adicionais relacionadas com a acessibilidade, devem ser efetuados através do e-mail provedor.mobilidade@cmfeira.pt ou infoline 918 172 395

Santa Maria da Feira

PERM tem investimento de 15 milhões de euros O Parque Empresarial de Recuperação de Materiais das Terras de Santa Maria, em Pigeiros, é um projecto intermunicipal que envolve os concelhos da Feira, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca. Este será um dos maiores parques empresariais do norte do país, com 433 mil metros quadrados e 116 lotes para empresários que se dediquem ao armazenamento e recupe-

Duas áreas temáticas da Terra dos Sonhos – “Porto dos Piratas” e “Sr. Sonho e D. Birra” – vão ter interpretação em Língua Gestual Portuguesa (LGP) no dia 18 de Dezembro, entre as 15h00 e as 16h30. Este serviço, assegurado pela Provedoria Municipal para a Mobilidade e pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, pretende proporcionar o acesso dos cidadãos com necessidades especiais ao evento, nomeadamente através da interpretação, gratuita, em

Saliente-te, todavia, que este serviço funciona apenas como fonte de informação para imobiliárias, empresários ou privados que queriam vender, comprar ou alugar imóveis que se localizem em Santa Maria da Feira. Todo(s) os trâmites legais do(s) processo(s) negociado(s) são da responsabilidade exclusiva do vendedor e do comprador.

Grupo de Danças e Cantares em Assembleia A Associação Grupo de Danças e Cantares Regionais da Feira reúne-se, hoje, segunda-feira, em Assembleia-Geral Ordinária, prevista nos estatutos da colectividade, no salão nobre

da Junta de Freguesia da Feira, pelas 21h30. Da Ordem de Trabalhos consta a eleição dos novos corpos gerentes e a apresentação do Plano e Orçamento para 2014.

Visite-nos em www.facebook.com/correiodafeira


Correio da Feira 09.DEZ.2013

Santa Maria da Feira // Assinatura do contrato nos próximos dias

Feira // Nos dias 14 e 15 de Dezembro

PSP vai ser transferida para novas instalações em Espargo

Feira de Artesanato de Natal no parque do Pingo Doce

A tão aguardada mudança de instalações da PSP de Santa Maria da Feira vai acontecer em breve. O anúncio veio do presidente da Câmara, Emídio Sousa, na última reunião do executivo municipal. “Estive em conversa com o secretário da Administração Interna e finalmente há uma decisão. Vão ser arrendadas as instalações na zona industrial do Roligo, em Espargo. Houve toda uma pressão e agora o assunto vai ser encerrado” – declarou Emídio Sousa. O presidente da Câmara reforçou que este era um assunto que andava a tratar pessoalmente há dois anos e que a demora também se prendeu com o facto de qualquer despesa ter de ser autorizada pelo Ministério das Finanças. “O processo está desbloqueado e as instalações vão ser arrendadas por 15 anos. Era para ser uma solução mais curta mas, com o prazo mais alargado, vão renegociar o valor da proposta com o proprietário para um preço mais baixo” – disse Emídio Sousa, acrescentando que já

“houve entendimento” entre ambas as partes e que o contrato vai ser assinado nos próximos dias. Esta será a “solução para médio e longo prazo”, sendo que o projecto para encaixar a PSP na área que sobrava da EB2,3 Fernando Pessoa deixou de estar em cima da mesa. As instalações em Espargo, que já albergaram a empresa municipal Feira Viva, serão ainda sujeitas a “pequenas obras”, necessárias ao

funcionamento da esquadra, “que o proprietário se prontificou a fazer”. “Espero que dentro de muito pouco tempo o contrato de arrendamento seja assinado e os agentes tenham condições dignas” – referiu o presidente da Câmara, garantindo que “se assinarem contrato, os agentes podem mudar-se de uma semana para outra” pois é compatível a permanência das forças de segurança com a realização das obras.

Santa Maria da Feira // Diz que solução vai sair cara

BE estranha mudança definitiva da PSP para o Roligo O Bloco de Esquerda estranha a transferência, por um período de 15 anos, da esquadra da PSP de Santa Maria da Feira para a zona industrial do Roligo, em Espargo. Em comunicado, o BE diz que esta mudança de planos “carece

de justificação”. “Como se perceberá que se recorra aos privados quando, quer o estado quer a autarquia, têm edifícios desocupados no concelho de Santa Maria da Feira?” – questionam os bloquistas, continuando:

“Como se explicará esta escolha que sairá mais cara para as contas públicas?” Face as dúvidas existentes, o deputado do BE Pedro Filipe Soares já pediu esclarecimentos ao Ministro da Administração Interna.

Nos dias 14 e 15 de Dezembro, a Associação dos Artesões de Terras de Santa Maria promove uma Feira de Artesanato dedicada ao Natal, na Praça de Restauração do Centro Comercial Pingo Doce, em Santa Maria da Feira. Doze artesãos, provenientes dos 14 concelhos das Terras de Santa Maria – Albergaria-a-Velha, Arouca, Castelo de Paiva, Estarreja, Espinho, Gondomar, Santa Maria da Feira, Murtosa, Oliveira de Azeméis, Ovar, S. João da Madeira, Sever do Vouga, Vale de Cambra e Vila Nova de Gaia – marcam presença na Feira de Artesanato de Natal,

09

cujo principal objectivo é promover o artesanato, as artes e ofícios, características destas 14 regiões. O evento, desenvolvido com o apoio do Município de Santa Maria da Feira e do Pingo Doce, contempla ainda um programa de animação para os dois dias do evento. Assim, para dia 14 de Dezembro, sábado, estão previstas as actuações de David Xavier, às 18h00, e do grupo do CiRAC “Finos e Tremoços”, às 21h00. No dia 15, domingo, o Grupo de Cavaquinhos do Voltado a Poente actua às 11h30 e o Coro Infantil da Tuna Mozelense, às 16h30.

Lourosa // Amanhã, terça-feira

Desenvolver dinâmicas culturais em debate na próxima Conversa Imaginarius “Dinâmicas Culturais – práticas para o desenvolvimento?” é o tema da próxima Conversa Imaginarius, que terá lugar na Casa da Cultura de Lourosa – Santa Maria da Feira, amanhã, terçafeira, pelas 21h30. A participação é livre. As práticas para o desenvolvimento de dinâmicas culturais vão estar em destaque na próxima Conversa Imaginarius. Pedro Lamas e Telmo Ferreira vão apresentar um estudo preliminar sobre o tema “dinâmicas do teatro: práticas

para o desenvolvimento cultural do Concelho de Santa Maria da Feira”. Bernardino Castanheira, da Lourocoop, também irá participar nesta Conversa, juntamente com Jorge Louraço Figueira e Margarida Sousa, ambos do grupo O Teatrão (Coimbra). Cabe ao director artístico do festival Imaginarius, Hugo Cruz, fazer a moderação desta palestra. Saliente-se que esta é já a 6ª Conversa Imaginarius, um espaço dedicado à partilha de experiências e ideias.

Santa Maria da Feira Santa Maria da Feira // Nova faixa para veículos de emergência pode ser solução

Trânsito e barreiras físicas dificultam entrada das ambulâncias no hospital O vereador do PS, António Bastos, alertou, na última reunião do executivo municipal, para o trânsito na ligação da A1 a Arrifana que acaba por dificultar a entrada das ambulâncias no Hospital S. Sebastião. “Temos de resolver os constrangimentos de trânsito nessa via” – apontou. O vice-presidente, José Manuel Oliveira, recordou que as Estradas de Portugal (EP) estão a desenvolver projectos no âmbito da colocação de algumas rotundas que poderiam resolver o problema. José Manuel Oliveira adiantou também que está pensada uma via específica para veículos de emergência, que a Câmara tem vindo a solicitar, mas que ainda não foi tida em conta. “Esboçamos uma solução para a entrada no hospital, mas as EP não têm sido sensíveis a esse problema, não temos tido feedback. No entanto, continuamos a achar que a entrada directa seria uma mais-valia e continuamos a pedir” – ressalvou José Manuel Oliveira. António Cardoso elogiou esta iniciativa. “Acho a ideia da nova faixa interessante e deve ser estudada, já que a solução preconizada para o hospital não é

JSD recolhe cabazes de Natal Durante o mês de Dezembro, e à semelhança de anos anteriores, o Núcleo da JSD de Santa Maria da Feira leva a cabo a sua actividade solidária de recolha de cabazes de Natal. O resultado desta iniciativa beneficiará os residentes da União de Freguesias de Santa Maria da

Feira, Espargo, Sanfins e Travanca, previamente sinalizados pela Junta de Freguesia, que estejam a passar por maiores dificuldades. Cada cabaz tem o valor de 10 euros, entregues em numerário ou em espécie. A sua distribuição será também assegurada pela Junta.

Santa Maria da Feira

Emanuel Almeida eleito presidente da JP a melhor” – afirmou. Também o separador, que vai desde o nó da variante até ao hospital, foi alvo de críticas. “O separador físico atrapalha as ambulâncias, principalmente na hora de ponta, quando há filas de trânsito, dificultando a sua entrada no hospital” – apontou António Bastos, referindo que este era um problema que poderia ser minorado através de sinalização horizontal na via. “Nem que tenha de ser feito anualmente. É extremamente importante” – afirmou. José Manuel Oliveira concordou que “o separador era um constrangimento” e que estava a ser estudada uma solução que resolvesse o problema.

Ainda no âmbito do tráfego naquela zona, António Bastos recordou o assunto do túnel da Cruz. “A passagem inferior que liga aos Passionistas não tem condições para as viaturas. Passa-se ali com muita dificuldade, talvez porque aquela passagem tenha sido pensada para águas pluviais e não para circulação rodoviária. Temos de alargar e criar melhores condições de acesso” – referiu o vereador do PS. José Manuel Oliveira contrariou esta ideia pois acredita que se deve seguir uma “política diferente”. “A solução é rebaixar a via e continuar a lutar para que se construa o túnel que está previsto desde longa data” – realçou o vice-presidente.

Emanuel Almeida, licenciado em Fisioterapia, sócio-gerente de clinicas da especialidade, a frequentar Medicina Oriental e militante do partido desde 1999, foi eleito o novo presidente da Comissão Política Concelhia da JP. “Decidimos abraçar este projeto, porque acreditamos que a mudança está na nossa juventude ...e na maneira diferente de agir” – diz o jovem popular.

Visite-nos em www.facebook.com/correiodafeira


10

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Reunião de Câmara // Rua do Outeirinho, em Santa Maria de Lamas, foi outro dos temas quentes

Muro do cemitério de Travanca é alvo de críticas do PS Na ordem do dia da reunião de Câmara da passada segundafeira, estava uma emissão de parecer prévio para estudos geotécnicos e geológicos relativos ao muro do cemitério de Travanca. “O muro apresenta sinais de instabilidade e pedi aos serviços técnicos para estudar uma solução” – disse o presidente da Câmara, Emídio Sousa. António Bastos iniciou as intervenções do PS. “Este é um assunto complexo. Foi uma obra que a Junta de Freguesia assumiu, mas hoje concluímos que afinal era uma questão da Câmara, porque se chama a si a responsabilidade da resolução do problema significa que é responsável” – apontou António Bastos, não deixando de referir que o “muro não foi bem executado”. Eduardo Cavaco juntou-se à discussão. “Fui ver o muro. É uma coisa que choca para quem percebe disto. Como foi possível deixar chegar a este ponto? É uma irresponsabilidade. Deve dar-se autonomia às juntas, mas com capacidade técnica. Tem de haver algum cuidado” – referiu Eduardo Cavaco. Os vereadores acabaram por concordar com a realização dos estudos para “evitar males maiores”. “Agora não há outra solução para evitar o desmoronamento do muro e custos maiores. Este estudo já devia ter sido feito há 10 anos. Se assim fosse, hoje não estaríamos aqui perante um mau planeamento e custos adicionais que a Câmara vai ter de suportar” – afirmou. António Bastos. Emídio Sousa começou por dizer que o muro era anterior à sua entrada na Câmara, há oito anos. Tinha sido um projecto elaborado pelos técnicos da Câmara, mas a obra era da Junta de Freguesia. “Previa terra até determinada altura e a Junta encheu mais dois, três metros, o que causou posteriormente a cedência do muro” – explicou Emídio Sousa, acrescentando que a Câmara dá apoio técnico sempre que as juntas de freguesia pedirem. “Vamos analisar e ver a melhor solução para segurar o muro, o

que não significa que Câmara vá assumir a obra” – sublinhou o presidente da Câmara. António Bastos declarou que “deve ser a Câmara a assumir a responsabilidade na execução física da obra” porque a Junta de Freguesia não tem meios para o efeito. Emídio Sousa rematou: “Na altura veremos quais são as condições necessárias”.

Requalificação da Rua do Outeirinho Outro ponto que também gerou algum debate foi a prorrogação do prazo da requalificação da Rua do Padre Zé e da Rua do Outeirinho, em Santa Maria de Lamas. “É uma prorrogação a título gracioso, para o dia 11 de Janeiro, em que está prevista a requalificação dos passeios, antes do asfaltamento final” – adiantou o vereador com o pelouro das Obras Municipais, Protecção Civil, Ambiente e Saúde, Vítor Marques. As críticas de António Bastos não tardaram. “Esta manhã visitei a obra, que está muito lenta, e por isso justifica-se os prazos. O empreiteiro chegou a reclamar que os projectos não tinham sido entregues no

devido tempo. Este é um caso para esquecer de um projecto mal planeado. É uma obra que começou mal e vai acabar mal” – apontou António Bastos, ironizando que estão à espera que venha chuva para começar a pôr o pavimento. O vereador do PS mostrou-se ainda preocupado com o cumprimento das normas de acessibilidade. “Não existe acesso que permita a qualquer transeunte do passeio caminhar sem interferências, seja lancil, guia ou pedra. Eu próprio já tenho dificuldades em subir um lancil com 20 centímetros” – revelou António Bastos, acrescentando que “condena a inércia da Câmara”. Emídio Sousa respondeu: “É exactamente devido à preocupação com a acessibilidade que estamos a fazer alterações”. O presidente da Câmara explicou que era uma “obra difícil” porque não era possível aumentar a largura da rua. “Devido ao perfil da rua e ao facto de lá passar muito trânsito, o passeio não pode ser mais largo do que é” – esclareceu, acrescentando que tanto as opiniões da ex-vereadora do PS, Margarida Gariso, como do

Rio Meão // Estrutura está degradada

CDU contesta as “condições precárias” da ponte da Própria Activistas e eleitos da CDU contestam o “estado de negligência” em que se encontra a ponte da Própria, em Rio Meão. Em comunicado, a CDU diz que a estrutura apresenta condições precárias e de insegurança de circulação rodoviária e pedonal, feita através da estrutura metálica substituta que ali foi provisoriamente colocada, “mas que entretanto está já bastante degradada”. “Como se tudo isto não fosse suficiente para indignar a população afectada, foi instalado para cúmulo

e depois removido sem qualquer explicação e novamente implantado há alguns meses, nas imediações da Ponte da Própria, um contentor, presume-se que de apoio às futuras obras, mas que infelizmente está fechado a sete chaves e sem a mínima utilização” – lê-se no comunicado, no qual a CDU diz não entender como “se protela desta forma a reparação urgente de um equipamento indispensável à mobilidade dos cidadãos numa das vias rodoviárias essenciais de Rio Meão e único meio de ligação entre

importantes zonas habitacionais, sem que se descortine a mínima acção ou diligência das entidades responsáveis para resolver este magno problema”. Neste sentido, a CDU, “associandose às justas reclamações dos moradores lesados e da população de Rio Meão, vem pois exigir, da parte dos executivos municipais e da freguesia, e inclusive do Serviço de Protecção Civil, medidas urgentes para implementar, de uma vez por todas, as obras necessárias à total reconstrução da ponte da Própria”.

provedor tinham sido tidas em conta. “Já se cortaram algumas árvores e alguns postes têm de ser mudados pela EDP” – disse Emídio Sousa. A requalificação em causa envolverá subir a quota do arruamento em 12 centímetros e pedir aos moradores da rua para recuarem os muros. Apesar de inicialmente pouco entusiasmados, com o progresso da obra os moradores têm-se tornado mais receptivos. “Estamos há um ano, com a Junta de Lamas, a negociar com os proprietários” – adiantou Emídio Sousa. Perante esta informação, António Bastos admitiu que, com a subida do arruamento, “o problema ficaria ultrapassado”. “Espero que nos próximos tempos não se repitam erros como este. As obras são dinâmicas, mas os projectos não. Os programas têm de ser bem definidos antes da execução física das obras para não verificarmos atrasos injustificáveis ” – realçou António Bastos. O presidente da Câmara adiantou que “as obras em espaço urbano consolidado são difíceis” e que às vezes é preciso fazer ajustes. Tanto neste

ponto como no seguinte (sobre trabalhos a mais nas mesmas ruas) todos os vereadores do PS se abstiveram. Ainda na reunião foram discutidos outros assuntos pelo executivo. O socialista António Cardoso fez menção aos atrasos no licenciamento das obras, facto que foi admitido pelo social-democrata José Manuel Oliveira que “ainda não conseguiu recuperar” desde as eleições autárquicas. “Entre a tomada de posse e a delegação de competências estava impedido de fazer despachos. Mas acredito que até ao final do mês tenha tudo regularizado” – adiantou o vice-presidente. O relatório e contas do 1.º semestre deste ano da Feira Viva foi apresentado já que “a lei obriga à entrega do relatório das empresas municipais”. António Cardoso voltou a intervir para pedir um relatório mais detalhado, que explicasse de onde vêm as receitas e que contivesse “uma folha para cada um dos elementos para saber que peso têm no erário público”. Ainda sobre a Feira Viva, foi designado o Fiscal Único da empresa, deixando António Cardoso uma nota de atenção para “a eternização do órgão fiscalizador”. A Zona Industrial de Romariz estava na ordem do dia, mas foi retirada porque vai ser apresentada uma proposta concreta numa reunião posterior. No entanto, Emídio Sousa adiantou que se estava a “estudar a hipótese de dinamizar a zona” mas que “não há grande margem de manobra” devido ao “regulamento em vigor que é muito fechado”. Por fim, foi aprovada a possibilidade de serem delegadas as isenções e reduções de taxas dos eventos culturais. Os vereadores socialistas concordaram, mas António Cardoso pediu que lhe fosse dado conhecimento das associações que são isentadas. Emídio Sousa salientou ser uma “tarefa desnecessária” porque “a prática é conceder isenção das taxas”. “Sugiro que venham cá as que não são isentadas” – propôs o presidente da Câmara. Todos aceitaram a sugestão.


Correio da Feira 09.DEZ.2013

Feira // Aldeia do João Pé-de-Feijão ficou quase sem Smurfs

Decoração da rotunda do Cubo vandalizada pela segunda vez

A rotunda do Cubo, cujas decorações no âmbito da Terra dos Sonhos ficaram a cabo dos estabelecimentos educacionais João Pé-deFeijão, foi vandalizada duas vezes no espaço de uma semana. “Fico muito triste com esta situação. Até porque foram os meninos que fizeram as peças. Não vejo necessidade para isto” - diz Ana Isabel Garcia, responsável pelos estabelecimentos João Pé-de-Feijão. O convite partiu da Associação Comercial da Feira e os enfeites foram colocados no dia 30 Novembro. “O objectivo era recriar a

aldeia dos Smurfs, que está associada ao Natal. Temos iluminação e tudo para se ver à noite” – conta Ana Isabel Garcia, que lamenta que uma decoração que recebeu tantos elogios e “mensagens de parabéns” tenha ficado praticamente vazia. “Da primeira vez roubaram dois smurfs. Desta vez roubaram mais quatro smurfs, três cogumelos e uma bola gigante. Isto sem falar das bolas da árvore de Natal” – enumera a responsável do João Pé-de-Feijão, acrescentando que, do que sabe, esta foi a única

rotunda a ser vandalizada. “Não sei quem foi, mas não deviam estragar as coisas. Estava tudo cheiinho e agora só tem lá um ou dois bonecos” – comenta Ana Isabel Garcia. Devido a este “furto”, mais cinco smurfs estão a caminho e a responsável do João Pé-de-Feijão apela aos malfeitores: “Deixem a rotunda em paz porque foi um trabalho dos meninos. É para eles e para a cidade ficar mais bonita. São peças interessantes e engraçadas que tiveram custos e nos deram muito trabalho. Deixem as coisas sossegadas”.

Mosteirô // Empreiteiro não deu um prazo para o fim dos trabalhos

Obras na rua de Santo André já estão em andamento As obras na rua de Santo André, paralela ao campo de futebol de Mosteirô, já se encontram em andamento. De acordo com Manuela Teixeira, presidente da Junta da União de Freguesias de Souto e Mosteirô, não existe data prevista para a conclu-

são da mesma. “Não há uma data para o final das obras. Vai depender do tempo, mas o empreiteiro não deu prazo para terminar” – diz. Este projecto foi herdado pelo anterior executivo e Manuela Teixeira deu seguimento com a aprovação

das entidades competentes. “Dos dados que me forneceram, está tudo em ordem. Foi tudo aprovado pela Câmara e as coisas estão em andamento. Foi uma obra pedida pelo clube para facilitar o alargamento do campo” – refere.

Feira // Evento contou com várias intervenções dos participantes

Monumento a Fernando Pessoa fez 30 anos Já passaram 30 anos desde que o primeiro monumento nacional de homenagem a Fernando Pessoa foi inaugurado pelo então Presidente da República, António Ramalho Eanes. No passado dia 29 de Novembro, tiveram lugar as respectivas celebrações com uma concentração junto ao monumento, pelas 17h00, e várias intervenções de professores e alunos da EB 2,3 Fernando Pessoa, assim como de Serafim Guimarães e

Aurélio Gonçalves Pinheiro. Seguiu-se um jantar acompanhado com muita música à mistura. A iniciativa foi preparada pelo

Agrupamento de Escolas Fernando Pessoa, Comissão de Vigilância do Castelo e Liga dos Amigos da Feira.

11


12

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Argoncilhe // Restaurante serve entre 20 a 25 almoços por dia

Um restaurante pedagógico que não fica atrás de qualquer profissional Há dois anos, abriu o CREPPE (Cozinha, Restaurante e Padaria Pedagógica) na EB 2,3 de Argoncilhe. Disponível para toda a comunidade, tem feito sucesso entre as pessoas que o visitam. Os cerca de 20 alunos que ajudam a preparar as refeições e as servem aos clientes dão o seu melhor para que todos saiam satisfeitos. Daniela Castro Soares daniela.soares@correiodafeira.pt

fissional na área da Cozinha e Pastelaria, para dar seguimento aos cursos que têm sido desenvolvidos, mas não foi autorizado. Seria uma mais-valia para esta zona do Concelho e tínhamos alunos suficientes para formar uma turma. Era óptimo se o Ministério da Educação permitisse que os cursos continuassem para podermos fazer uso do investimento que está aqui” – revela. O curso de Serviço de Mesa tem 20 alunos, divididos em turnos para trabalhar neste restaurante pedagógico, que permite não só a união da escola como da comunidade. “É uma óptima oportunidade para termos uma ligação mais forte com a comunidade, e projecta a escola para o exterior” – diz Filomena Vieira.

Só o espaço em si já impressiona. O que hoje é um acolhedor e moderno restaurante pedagógico foi anteriormente um sítio de banhos e troca de roupa. “Os fundos não eram muitos e tínhamos de partir de alguma coisa que já existisse, e que não requeresse muito investimento. Este espaço servia como balneários de apoio ao Campo de Jogos mas, depois da construção do ginásio, não era muito utilizado. Então foi aproveitado para o CREPPE” – conta a directora do Agrupamento de Escolas de Argoncilhe, Filomena Vieira. A requalificação contou com o apoio da comunidade e apostou sobretudo na reutilização de materiais. “Fizemos um cabide a partir de um conjunto de chu- Capacidade esgotada em veiros, utilizamos quadros que já dia de buffet não tinham uso porque estavam Eram 12h30 e as pessoas comemuito gastos, çavam a cheentre outras gar. Entre os coisas” – enupresentes esmera Filomena tavam, sobre“Nunca experiVieira, acrestudo, funcionácentando que mentei aqui uma rios da escola, a decoração mas também comida que não ficou a cabo se avistavam dos professofosse do meu alguns profesres de artes da sores de fora, agrado” escola. antigos alunos O CREPPE e familiares que (Cozinha, Resaproveitaram a taurante e Padaria Pedagógica) boleia. Todos tiveram de se insabriu portas há dois anos na crever previamente, para que o EB2,3 de Argoncilhe para pro- formador do curso, Alexandre porcionar aos alunos dos cursos Silva, pudesse preparar a quande restauração uma melhor tidade certa de comida. “Para aprendizagem. “O espaço surgiu além disso, qualquer pessoa que da necessidade de criarmos con- venha deve ser preferencialmendições mínimas de segurança e te referenciada por alguém, para higiene para o funcionamento sabermos quem entra na escola” desses cursos” – adianta a direc- – diz Filomena Vieira. Normaltora da escola. Neste momento, mente há um menu, que nunca têm apenas o curso de Serviço se repetiu nos últimos quatro de Mesa a funcionar, já que o anos, do qual os clientes podem de Pastelaria e Panificação não seleccionar o que vão querer foi aprovado este ano. Filomena almoçar. “O menu inclui semVieira lamenta pre uma sopa que, reunidas ou acepipe, o todas as conprato principal dições necese a sobremesa, “A adesão muisárias, não lhe que por norma tas vezes é aciseja possível é doce já que proporcionar é disso que as ma daquilo que outro tipo de pessoas vêm podemos, mas é oferta. “Tamatrás. Quanto bém propuseàs bebidas, bom. Os alunos mos, nos últitêm direito a ficam muito bem mos dois anos, água, vinho, a abertura de sumo e depois preparados” um curso proao café” – des-

creve Alexandre Silva. Contudo, no passado dia 29 de Novembro, estava planeado um buffet, o que não desagradou em nada aos clientes. Prova disso foi aliás a capacidade esgotada da sala. “Servimos uma média de 20 a 25 almoços. A adesão, muitas vezes, é acima daquilo que podemos, mas é bom. Os alunos ficam muito bem preparados” – aponta Alexandre Silva. Para os cerca de 20 clientes que ocupavam o espaço, o difícil era escolher os pratos. “Nunca experimentei aqui uma comida que não fosse do meu agrado” – afirma a psicóloga da escola, Márcia Azevedo, que se deliciou com os pimentos padrón que estavam à disposição. “Eles vão variando muito os pratos para terem um contacto diferente. Não há nada que eu não goste, mas também sou uma boa boquinha” – diz, por sua vez, uma das educadoras do Jardim-de-infância de Igreja, em Sanguedo, Maria José Silva, que não perde um almoço nos dias em que o restaurante está aberto, nomeadamente às terças e sextas-feiras. Entre os pratos mais enaltecidos de menus anteriores estavam o polvo à lagareiro e os folhadinhos de pescada, sendo que vários tipos de gastronomia, nacional e internacional, já passaram pelo CREPPE. “Ao acabar por ser uma cliente habitual, consigo perceber que este espaço é frequentado não só por nós, que trabalhamos cá, mas também por outros elementos da comunidade, o que óptimo, porque conseguem ver a qualidade do nosso trabalho e perceber a importância que tem” – realça Márcia Azevedo.

Simpatia a servir à mesa é a palavra-chave Na mesa principal havia muito por onde escolher, desde salgadinhos, a uma variedade de saladas, até camarões ou mexilhões recheados. Mas foram os doces que geraram maiores elogios. O bolo-pudim de ananás e a tarte de chocolate receberam dos presentes imediata aprovação e pedidos de receitas. Neste dia, porém, os respectivos bolos não foram confeccionados pelos alunos, mas sim oferecidos por alguns dos professores, que os fizeram em casa e decidiram trazer para o seu restaurante habitual. Em

anos anteriores, a sobremesa servir. Alexandre Silva explica que o mais era uma das tarefas dos alunos importante de Pastelaria e nem são as questões técPanificação, que presenteavam nicas, mas “Estar aqui e sim ser afável os clientes com estar num restau- com o clienos resultados do seu trabalho. t e. “ M et ade rante acaba por de um bom Hoje, a cozinha ser igual” profissional é mais um complemento, visto de mesa vêque o curso é se na simpaServiço de Mesa, sendo o ob- tia e no querer fazer as coisas. jectivo aprender a arte de bem Para o cliente, muitas vezes é


Correio da Feira 09.DEZ.2013

13

Santa Maria da Feira // No dia 25 de Janeiro

Kátia Guerreiro encerra cartaz da Festa das Fogaceiras em 2014

irrelevante que seja servido do lado direito ou do esquerdo. Ele quer é ser bem servido. Aquilo que peço aos meus alunos é que sejam educados e que descontraiam. Digolhes sempre “divirtam-se”” – conta Alexandre Silva. Os alunos tentavam seguir as instruções do formador, sempre prestáveis, atentos aos copos vazios e às expressões dos clientes, que se sentiam como num verdadeiro restaurante. Até um chef havia, visto que Alexandre Silva delega sempre essa função a um dos estudantes para que aprenda a gerir uma cozinha. “Para os alunos é uma mais-valia. Têm melhorado muito e estão no bom caminho” – diz uma das assistentes técnicas da escola, Rosa Monteiro. “O restaurante é uma excelente iniciativa que, sem dúvida, motivou os nossos alunos. A cada ano que passa, sentimos que estão mais envolvidos e que querem este tipo de resposta educativa” – afirma, por seu lado, Márcia Azevedo. No fim, cansados mas orgulhosos do serviço prestado, os alunos do 2.º ano de Serviço de Mesa enumeravam as vantagens do curso. “Ficamos a saber mais sobre hotelaria, e além disso é uma área com saída” – realça uma das alunas, Sara Alves. “Aprende-se a lidar com as pessoas e a ter calma. Depois temos as críticas, boas ou más, dos professores que vêm cá” – conta outra aluna, Natália Alves, que quer continuar os estudos na área da restauração, mas focando-se na Pastelaria. As fortes probabilidades de arranjar emprego na área são aliás uma das principais justificações para os alunos escolherem o curso. Apesar do desemprego generalizado do país, este é um sector que ainda consegue manter-se acima da linha da água. “O objectivo é responder à necessidade que existe no mercado, porque o

que nós reparamos hoje em dia, dado à cozinha estar na moda, é que há restaurantes em que a comida é muito boa mas o serviço é péssimo. Existe uma lacuna na qualidade dos empregados de mesa” – explica Alexandre Silva, que reforça a importância da boa formação dos alunos. “Nós não treinamos transportadores de pratos, criamos profissionais de hotelaria, porque o objectivo é saírem daqui com boas valências. Na conjuntura actual, é daquelas profissões que, se forem bons, têm emprego quase garantido” – sublinha. O CREPPE é assim uma excelente maneira de complementar essa formação. “O objectivo deste espaço é ter pessoas reais, muitas delas estranhas, que é o que os alunos vão apanhar no mercado de trabalho. E mesmo sendo professores e funcionários, sentem-se clientes, e se tiverem de fazer uma reclamação ou chamar a atenção, fazemno” – diz Alexandre Silva, elogiando a estrutura do espaço. “Uma coisa é estar numa sala de aula com mesas e cadeiras, com as pessoas a tentarem entrar no papel de cliente, e outra é estar aqui, onde estão sentadas como se estivessem num restaurante. Nós temos uma sala de restaurante, uma cozinha e uma pastelaria e os alunos estão bem distribuídos pelos espaços. Estar aqui e estar num restaurante acaba por ser igual” – afirma o formador do curso de Serviço de Mesa. Filomena Vieira também se sente orgulhosa deste espaço construído com muito trabalho. “Foi um sonho numa altura difícil, com poucos apoios a nível da tutela, devido à situação do país. No entanto, penso que é um óptimo exemplo de como se pode construir algo com poucos recursos, mas com a ajuda de todos, e por esse motivo é um orgulho muito grande para nós” – conclui a directora da escola.

A voz inconfundível da fadista Kátia Guerreiro vai abrilhantar o grande auditório do Europarque, em Santa Maria da Feira, no dia 25 de Janeiro, pelas 21h30, assinalando o encerramento do programa de animação da Festa das Fogaceiras em 2014. Os bilhetes podem ser adquiridos no Europarque, blueticket, fnac, worten, el corte inglês, media markt e posto de turismo de Santa Maria da Feira, pelo valor de 10 euros. Kátia Guerreiro é, hoje, uma intérprete consagrada e reconhecida da música portuguesa. Tem apresentado o Fado nos mais conceituados palcos e festivais de música internacionais,

recolhendo aplausos do público e da crítica, bem como o reconhecimento do meio artístico. Em 2010, foi considerada a Melhor Intérprete de Fado, distinção atribuída pela Fundação Amália Rodrigues, e, em 2012, teve lotação esgotada na mítica sala parisiense Olympia. No próximo dia 20 de Dezembro, será condecorada pelo governo francês com a Ordem de Artes e Letras, no grau Chevalier (uma das mais altas distinções do governo francês a cidadãos estrangeiros).

concerto de Kátia Guerreiro, em Santa Maria da Feira, o titular poderá usufruir de 15% de desconto em alojamento nos equipamentos hoteleiros aderentes (na noite do espectáculo), bem como acesso às vantagens do projecto de promoção turística do Concelho, “Feira Vale+”, que proporciona descontos de 50% na entrada e de 10% na aquisição de merchandising nos principais equipamentos turísticos de Santa Maria da Feira (Castelo, Museus, Visionarium e Zoo de Lourosa).

Vantagens na compra do ingresso

Kit de Natal

Ao adquirir o bilhete para o

Atendendo à época festiva que se aproxima, o Muni-

cípio de Santa Maria da Feira preparou um kit de Natal para oferta, que inclui um bilhete do concerto e um envelope artesanal personalizado, produzido manualmente pelo Museu do Papel Terras de Santa Maria, eleito pela APOM como o Melhor Museu português em 2011. Este Kit de Natal, à venda por 10 euros, poderá ser adquirido no Posto de Turismo de Santa Maria da Feira. A Festa das Fogaceiras, a mais emblemática festividade do Concelho, é uma tradição secular que, em 2014, completa quinhentos e nove anos, marcados pela devoção do povo das Terras de Santa Maria.

Santa Maria da Feira // Nos dias 13, 14 e 15 de Dezembro

Comédia musical “Lisístrata” em cartaz no antigo matadouro municipal O antigo matadouro municipal de Santa Maria da Feira vai ser palco do espectáculo “Lisístrata – desejos impenetráveis” nos dias 13, 14 e 15 de Dezembro. Integrado na programação do Festival Imaginarius, que se estende ao longo do ano, este projecto é uma co-produção da P.S. Produções Suplementares, Teatro a Quatro e Fórum Ambiente e Cidadania, com produção executiva da Orquestra e Banda Sinfónica de Jovens de Santa Maria da Feira. A entrada é gratuita, mas limitada à lotação do espaço.

Baseado num tema que se mantém actual, o espectáculo, que retrata a luta feminina na Grécia Antiga contra as guerras sem fim, do ponto de vista de quem fica em casa (as mulheres, os velhos e os soldados reformados), vai utilizar musicalmente dois elementos da peça original “Lisístrata”: os tambores de guerra, pelo grupo “A Rua’Da” do Forúm Cidadania, e as vozes do Coro Grego, pela companhia Teatro a Quatro. “Lisístrata” é uma história cómica num mundo trágico - história intemporal repleta de um sentido de humor mo-

derno. Sagaz e rude, musical, dinâmica e provocadora, cria esperança num mundo em que as pessoas se riem das suas estupidezes. O espectáculo será apresentado nos dias 13 e 14 de Dezembro, às 21h30 e, no dia 15 de Dezembro, às 18h00, nas instalações do antigo matadouro municipal, em Santa Maria da Feira. Este projecto, que surge a convite do Festival Imaginarius, reúne talentos musicais e visuais dos criadores de “Comboio Fantasma” (Festival Imaginarius 2011), de “Chave Invisível” (Academia

de Música de Vilar do Paraíso), “Divididos” (Rei Lear), bem como de atores feirenses e dos grupos ARua’Da e Saltarellus. Baseado no desejo de realizar um trabalho artístico comunicativo, foram exploradas várias dimensões, de forma a manter a atenção dos espectadores, especialmente quando as criações artísticas, como é este o caso, são realizadas fora dos espaços teatrais convencionais. Esta apresentação é o primeiro passo de um projecto mais alargado que culminará em 2014. Publicidade


14

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Automedicação: Está disposto a correr esse risco?! por um Médico com conhecimento do seu historial, sendo responsável por cada prescrição que efectua, o mesmo não se verificando com um Farmacêutico; • O uso indevido de medicação poderá camuflar o diagnóstico, bem como prejudicar o seu estado; • A u to m e d i c a r - s e n ã o significa que esteja a tomar a medicação correcta para o seu estado clinico, podendo advir complicações inerentes à sua toma e até possível sobredosagem; • Tenha cuidado com as informações que procura, principalmente na Internet. São vários os sites que o informam erradamente, podendo até assustá-lo com diagnósticos precipitados.

A automedicação leva o indivíduo a tomar um medicamento, sem um diagnóstico prévio, logo, sem ter a certeza do que tem e dos sintomas que correspondem a determinada doença, sendo esta decisão sempre um perigo. São vários os casos de Automedicação e cada vez mais frequentes. No entanto, nem todos os indivíduos estão consciencializados para os seus riscos. Nas situações em que determinado medicamento é eficaz com um familiar ou amigo mais próximo, não significa que o mesmo se verifique no seu caso. Cada individuo deve ser observado e avaliado por um Médico, de forma personalizada, tendo em conta o seu historial, os sintomas que apresenta, bem como a origem dos mesmos, já que todos os dados são relevantes para chegar ao diagnóstico final. Sendo a prescrição de medicação, um assunto ainda de alguma controvérsia entre Médicos e Farmacêuticos, deve procurar sempre observação Médica, não se deixando levar por indicações de terceiros. Existem, situações graves que podem ser diagnosticadas de forma precoce, quando observadas e acompanhadas por um Profissional Especializado.

É importante aconselhar-me? Não se deixe levar pelas informações que vai captando no seu dia-a-dia e que o podem prejudicar. Procure o esclarecimento junto do seu Médico e Enfermeiro, para isso a Walk’in Clinics tem ao seu dispor uma Equipa Médica e de Enfermagem que o podem auxiliar e informar sempre que necessário. Não hesite em contactarnos, estamos ao seu dispor 7 dias por semana, das 10h às 22h. A Equipa de Enfermagem pretende esclarecer as suas dúvidas e acompanhá-lo em cada situaç��o, para isso, ao contactar-nos a sua chamada é sempre atendida por um Enfermeiro no intuito de solucionar rapidamente a sua preocupação, não corra riscos, nós podemos ajudá-lo.

E as Terapêuticas Alternativas? Cada vez mais ouvimos falar em Medicina Alternativa como complemento à Medicina Tradicional. A escolha é do próprio individuo, no entanto, é importante informar o Médico que o acompanha desta sua decisão, pois alguns medicamentos classificados como naturais podem intervir directamente com o plano terapêutico.

Porquê evitar a Automedicação? • Não pense que o mais

vulgar medicamento pode ser usado em qualquer situação, pois até este pode levar a complicações,

como é o caso de insuficiência renal; • Todos os indivíduos devem ser acompanhados

Enfermeira Marlene Conceição, Walk’in Santa Maria da Feira


Correio da Feira 09.DEZ.2013

15

Juv. Fiães vence dérbi diante do ISPAB

Académico da Feira perde em casa com o Riba d’Ave

São João de Ver empata em casa

Paços Brandão vence dérbi com Mosteirô

Juniores do Feirense voltaram a perder

Turma de Francisco Batista vencia por 2-0 ao intervalo mas na segunda parte permitiu o empate ao Bustelo.

Os Pacenses receberam e golearam o Mosteirô por 4-1 em jogo da 2.ª divisão distrital.

A turma de Nuno Santos saiu derrotada na deslocação ao terreno da Sanjoanense.

O ISPAB perdeu no seu reduto no dérbi com a Juventude Fiães por 1-2 e afunda-se na tabela.

O Académico da Feira saiu copiosamente derrotado pelo Riba d’Ave em casa por 5-13.

Futebol

Futebol

Futebol

Futsal

Hóquei Patins

pág. 16

pág. 16

pág. 17

pág. 18

2.ª Liga // Fogaceiros não aproveitram últimos 30 minutos a jogar com mais um elemento

Feirense empata na recepção ao Atltético CP

Sem três dos habituais titulares (Tonel, Jorge Gonalves e Porcellis) o Feirense não conseguiu impôr o seu jogo. Ricardo Valente foi o mais inconformado dos azuis.

Estádio Marcolino Castro

vs 1

1

Árbitro: Luís Ferreira Feirense: Paiva, Ícaro, Carvalho, Sténio, Tiago Jogo, Xavier (Chapinha, 63), Barros, Diogo, Cris (Zé Pedro, 45), Barge, Valente T: Pedro Miguel Atlético CP: Leão, Pedro Moreira, Eridson, Rui Varela, Caipiro, João Mário (Tiago Cerveira, 73), Taira, Luís Dias, Marco Bicho (Silva, 79), Hugo Carreira, Hugo Pina (Fábio Marinheiro, 90+2) T: Professor Neca

Amarelos: Pedro Moreira (32), Cris (43), Pedro Caipiro (43), Barge (76), Chapinha (90),

Vermelho: Pedro Moreira (63)

A má entrada em jogo do Feirense acabou por ser decisiva no resultado final. Mesmo a jogar meia hora com mais um elemento, a turma de Pedro Miguel não conseguiu chegar ao triunfo. André Costa andre.costa@correiodafeira.pt O Feirense não foi além de uma igualdade frente a um dos adversários directos na fuga aos lugares da cauda da tabela. A jogar perante o seu público, a formação orientada por Pedro Miguel teve uma entrada em jogo pouco conseguida, permitindo ao seu oponente controlar os primeiros minutos do encontro. O primeiro lance digno de registo pertenceu ao Atlético através de um

livre apontado por Hugo Carreira. Paiva defendeu para a frente e foi Carvalho a aliviar da zona de perigo quando já apareciam dois jogadores contrários para finalizar o lance. O golo forasteiro não viria a tardar e, num momento de enorme inspiração e um pouco de sorte à mistura, o experiente Rui Varela acerta um pontapé à meia volta à entrada da área ligeiramente descaído para o lado direito, com a bola a entrar no ângulo superior direito da baliza defendida por Paiva que se limitou a olhar para o esférico. Um belo golo, sem dúvida, independentemente se havia ou não intenção por parte do avançado de fazer aquilo. Até ao intervalo, registo ainda para um lance individual de Tiago Jogo que rematou com a bola a passar perto da barra da baliza de Leão. No entanto pertenceu ao Atlético a melhor chance para ampliar o marcador, na sequência de um cruzamento, Hugo Pina

FUNERAIS * TRANSLADAÇÕES CREMAÇÕES * ARTIGOS RELIGIOSOS Avenida do Brasil, Loja nº472 | 3700-068 S. João da Madeira Telm: 910 426 948 | 964 753 988

fez a bola embater com estrondo na barra, mas o resultado não se alterou até ao descanso. Ao intervalo Pedro Miguel fez entrar Zé Pedro para o lugar de Cris e a equipa ganhou mais músculo no meio-campo e controlou mais o jogo. A expulsão de Pedro Moreira permitiu ao Feirense jogar mais perto da área adversária e as oportunidades surgiam umas atrás das outras até que, na sequência de um livre lateral apontado por Diogo, Ícaro ao segundo poste cabeceou para o empate aos 72 minutos. Pouco antes disso, Barros acertou na barra depois de um pontapés fortíssimo dentro de área. Até final só deu Feirense mas o jogo directo não deu frutos e a partida terminou mesmo com a igualdade a uma bola que acaba por ser justo tendo em conta o que se passou nos 90 minutos. O Atlético dominou na primeira e o Feirense tomou conta do jogo na segunda parte.

José Manuel de Sousa de Oliveira Estab.: E.N.1 - Meia Légua, 1385 - 4520-025 ESCAPÃES Tel./Fax: 256 811 958 - Tm.: 935 442 220

Golos: Rui Varela (23), Ícaro (72)

Treinador Feirense Pedro Miguel

“Não conseguimos entrar como queríamos na primeira parte. Fomos pouco agressivos e sofremos um golo esquisito. Na segunda parte tínhamos que ter uma postura diferente. Não fomos suficientemente agressivos em determinados momentos de jogo e só conseguimos o empate, que não nos satisfaz”

ESTE ESPAÇO PODE SER SEU Publicite por menos de 1€ dia Contacte-nos: comercial@correiodafeira.pt ou 967 439 762

pág. 19

LIGA 2 CABOVISÃO

Resultados - 19.ª Jornada Farense 3 1 Benfica B Académ. Viseu 3 0 Portimonense Moreirense 1 1 Santa Clara Oliveirense 1 2 Trofense Sp. Covilhã 2 0 Desportivo Aves Tondela 0 1 Leixões Feirense 1 1 Atlético CP União Madeira 2 0 Beira-Mar Chaves 3 2 Penafiel F. C. Porto B 2 1 Sporting B Marítimo B 2 1 Sp. Braga B Classificação J V E D F - C P Portimonense 19 11 3 5 28 - 22 36 Moreirense 19 9 7 3 33 - 15 34 F. C. Porto B 19 10 4 5 25 - 19 34 Sp. Covilhã 19 10 3 6 25 - 19 33 Sporting B 19 10 2 7 29 - 26 32 Tondela 19 9 5 5 28 - 21 32 Penafiel 19 8 7 4 18 - 12 31 Marítimo B 19 9 3 7 18 - 17 30 Leixões 19 8 5 6 21 - 20 29 Farense 19 7 7 5 22 - 14 28 Chaves 19 8 4 7 22 - 29 28 Benfica B 19 7 7 5 40 - 30 28 Desp. Aves 19 7 5 7 17 - 16 26 União Madeira 19 7 4 8 26 - 22 25 Beira-Mar 19 6 6 7 20 - 21 24 Sp. Braga B 19 6 3 10 21 - 28 21 Acad. Viseu 19 5 5 9 17 - 19 20 Feirense 19 3 9 7 14 - 24 18 Atlético CP 19 4 5 10 12 - 26 17 Trofense 19 3 7 9 16 - 28 16 Oliveirense 19 4 4 11 26 - 42 16 Santa Clara 19 4 3 12 15 - 23 15 Próxima Jornada - 11 de Dezembro Portimonense - Chaves Santa Clara - Académico de Viseu Trofense - Farense Desportivo das Aves - Tondela Leixões - Sp. Covilhã Atlético CP - Oliveirense Beira-Mar - Feirense, 15h Penafiel - União da Madeira Moreirense - Marítimo B Benfica B - Sporting B Sp. Braga B - F. C. Porto B

SapatariaCoutinho Bons Preços - Super Rápido REPARAÇÕES DE CALÇADO PINTURA EM VESTUÁRIO EM COURO PEQUENAS REPARAÕES E FECHOS S. M.ª DA FEIRA POR TRÁS DA PADARIA RAINHA (AV. DR. FRANCISCO SÁ CARNEIRO)


16

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Campeonato Nacional de Seniores // Lourosa aproxima-se do topo da tabela

2.ª Divisão Distrital // Rio Meão sofre goleada

São João Ver cede empate Paços de Brandão goleia Mosteirô FC caseiro com o Bustelo O São João de Ver cedeu uma igualdade caseira na recepção ao Bustelo, interrompendo uma séria de vitórias consecutivas. O actual líder do campeonato entrou logo a vencer na partida com um golo de Ruben Gomes logo no minuto inicial, fazendo antever um bom resultado para a turma de Santa Maria da Feira. E se os sanjoanenses marcaram logo a abrir, o segundo golo surgiu a fechar a primeira parte, por intermédio de Fredy que colocava a formação da casa a vencer por 2-0 ao intervalo. Foram 45 minutos de bom futebol do São João de Ver que justificava claramente a vantagem de dois golos no marcador. No reatamento as coisas foram bem diferentes com o Bustelo a entrar mais agressivo e a demonstrar outros atributos que não conseguiu impôr no início. A expulsão de Rui Silva aos 63 minutos por acumulação veio beneficiar os forasteiros que aproveitaram para reduzir pouco depois por Miguel e aos 77 minutos, Almeida acabaria mesmo por restabelecer a igualdade. A turma de Francisco Batista ainda se viu reduzida a nove elementos após expulsão muito contestada peloas branco-rubros de Márcio. No entanto, mesmo a jogar com

dois jogadores a mais, o Bustelo não conseguiu chegar ao triunfo e o empate acaba por se aceitar, muito embora só após estar em superioridade numérica os visitantes lograram chegar aos golos.

Lourosa volta a vencer e aproxima-se da frente O Lusitânia de Lourosa encontrouse com o caminho das vitórias na passada jornada e parece querer continuar nesse percurso. Desta

Estádio Sp. Clube São João de Ver

Estádio do Lusitânia FC Lourosa

vs 2

vs 2

Árbitro: Nelson Pascoal (Porto)

São João de Ver:Saul, Márcio, Cancela, Rui Silva, Vítor Hugo, João Correia (Rui Lopes, 74), Fredy, Américo (Xavier, 65), Ruben Gomes, Machadinho, Júlio T: Francisco Batista

4

2

Árbitro: Quitério Almeida (Lisboa)

Lourosa: Hugo, Bino, Andrezinho, Lima, Mauro, Inverno (Rui Jorge, 89), Vítor Fonseca, António, Sanguedo, Batista, Moisés (Zé Paulo, 76) T: Martelinho

Bustelo: Janita, Azevedo, Almeida, Rafa, Dani, Ayrton (Miguel, 35), Ledz (Miguel Bruno, 65), Marcelo, Paivinha (Belleti, 67), Renato, Luís T: Miguel Oliveira

Anadia: Manuel Gama, Nogueira (Eder, 66), Marito, Makukula, Hugo Amado (;amé, 89), Iafai, Carlos Castro, Branco, Miguel Remos (Moacir, 78), Zé Miguel, Barreto T: Guilherme Baldaia

Amarelos: Rui Silva (15 e 63), Azevedo (16), Márcio (21 e 80), João Correia (47), Marcelo (49), Vítor Hugo (56), Rui Silva (63), Rui Lopes (90), Almeida (90+1)

Amarelos: Vítor Fonseca (19), Batista (19), Inverno (29), Barreto (35), António (39), Makukula (48), Zé Paulo (88), Rui Jorge (90+4)

Golos: Ruben Gomes (1), Fredy (45), Miguel (69), Almeida (77)

Golos: Branco (20, g.p.), Makukula (28, a.g.), Miguel Remos (63), Vítor Fonseca (83), Mauro (90+1)

feita bateu em casa o Anadia em jogo envolto em polémica por 4-2, num jogo todo ele dominado pelos lusitanistas que com toda a justiça chegaram ao triunfo na parte final da partida. O Anadia pouco fez para marcar dois golos, sendo que a eficácia demonstrada foi tremenda ao fazerem dois golos no primeiro remate, quer da estapa inicial, quer da segunda metade. No entanto a turma orientada por Martelinho reagiu bem, manteve a atitude e acrença e com toda a justiça viraram o resultado, fixando o 4-2 final que espelha aquilo que se passou dentro das quatro linhas. Com esta vitória o Lourosa ultrapassou o seu adversário desta ronda e aproximou-se do primeiro lugar, aproveitando o deslize do São João de Ver em casa.

O Paços de Brandão venceu na recepção ao Mosteirô por 4-1 em dérbi concelhio, no entanto o resultado acaba por ser algo enganador, devido à boa réplica dada pela turma de José Julião. O golo de Feiteira perto do intervalo na transformação de uma grande penalidade levou o Paços de Brandão em vantagem para o descanso numa altura em que o empate se aceitava perfeitamente. No reatamento, o Mosteirô chegou ao empate também na conversão do castigo máximo, da autoria de Fábio. A partir do 1-1 a turma brandoense impôs mais o seu futebol e foi-se superiorizando ao adversário, chegando com alguma naturalidade à vantagem, com Ratinho a fazer o seu primeiro golo do encontro aos 63 minutos. A vencer, os homens da casa não abrandaram o ritmo e acabaram mesmo por ampliar o placar com golos de Batista e novamente Ratinho que bisou na

CAMPEONATO NACIONAL SENIORES - Série D

Campo Dona Zulmira Sá e Silva

Resultados - 12.ª Jornada S. João de Ver 2 2 Bustelo AD Grijó 4 1 Lusitano FCV Cesarense 2 1 Estarreja Lusit. Lourosa 4 2 Anadia Cinfães 1 0 Sp. Espinho Classificação J V E D F - C P S. J. de Ver 12 7 3 2 22 - 15 24 L. Lourosa 12 5 4 3 16 - 11 19 Cinfães 12 4 5 3 13 - 12 17 Anadia 12 4 5 3 24 - 25 17 Bustelo 12 3 7 2 15 - 11 16 Cesarense 12 3 5 4 15 - 16 14 Lusitano FCV 12 3 5 4 17 - 24 14 AD Grijó 12 2 7 3 19 - 18 13 Sp. Espinho 12 2 5 5 9 - 13 11 Estarreja 12 2 4 6 15 - 20 10 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Sp. Espinho -São João de Ver, 15h Bustelo - AD Grijó Lusitano FCV - Cesarense Estarreja - Lusitânia de Lourosa, 15h Anadia - Cinfães

4

vs

partida, carimbando o resultado final em 4-1 favorável à equipa de Neto que continua na peugada do União de Lamas que lidera a prova.

Rio Meão goleado em Mansores O Rio Meão perdeu de forma surpreendente em Mansores por um pesado 6-2, com os golos da turma feirense a serem da autoria de Moisés e Maia. Já o Lourosa B venceu em Romariz por 0-2 com golos de Baixinho e Marrôco e o Lobão perdeu em casa frente ao União de Lamas por 1-2. Para o Lobão marcou Roberto e Kaká bisou nos visitantes. Em mais um dérbi, o Argoncilhe bateu o Sanguedo por 3-1 com golos de Luís, Rodolfo e Edú, sendo que para os forasteito marcou Pinta. O Caldas São Jorge recebeu e bateu o Nogueirense por 2-1 com tentos de Ruben e Joel.

II DIVISÃO DISTRITAL - Série A

1

Paços de Brandão: Zé Manel, Daniel (Ratinho, 60), Batista, Neto (Tiago Marques, 90), Ramin, Feiteira, Candeias, Fausto, Zé Luís, Peixinho (Manecas, 71), Sá Dias T: Neto Mosteirô: Hélder, Guima (Machado, 45), Letinho, Arménio, Jorge, Fábio, Xavi (Diogo Santos, 45), Bruno Silva, Gabi, Rama, Alemão T:José Julião Amarelos: Daniel (29), Guima (39), Neto (50), Fábio (68), Diogo Santos (80), Bruno Silva (83), Machado (85), Rama (89), Feiteira (89), Fausto (89) Golos: Feiteira (40, g.p), Fábio (51, g.p.), Ratinho (63 e 86), Batista (83)

Resultados - 10.ª Jornada Alvarenga 1 0 ACRD Mosteirô Mansores 6 2 Rio Meão Romariz F. C. 0 2 Lusit. Lourosa B Paços Brandão 4 1 Mosteirô F. C. ADC Lobão 1 2 União de Lamas Macieirense 2 1 S. Vic. Pereira AD Argoncilhe 3 1 Sanguedo Caldas S. Jorge 2 1 Real Nogueirense Classificação J V E D F - C P União Lamas 10 8 1 1 21 - 4 25 P. Brandão 10 6 4 0 24 - 5 22 Lourosa B 10 7 0 3 22 - 10 21 Macieirense 9 6 3 0 12 - 2 21 Mansores 10 6 1 3 29 - 17 19 Mosteirô FC 10 5 2 3 19 - 15 17 Rio Meão 10 5 2 3 17 - 16 17 Alvarenga 10 4 3 3 10 - 10 15 ADC Lobão 10 4 3 3 9 - 10 15 Argoncilhe 10 4 2 4 11 - 14 14 C. S. Jorge 10 3 3 4 9 - 14 12 Sanguedo 10 2 3 5 7 - 13 9 Romariz FC 10 2 0 8 7 - 21 6 ACRD Mosteirô 10 1 2 7 6 - 16 5 S. V. Pereira 10 1 1 8 11 - 24 4 Real Nogueir. 9 0 0 9 5 - 28 0 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Alvarenga - Mansores Rio Meão - Romariz F. C. Lusit. Lourosa B - Paços Brandão - 14/12 Mosteirô F. C. - ADC Lobão União de Lamas - Macieirense São Vicente Pereira - Argoncilhe Sanguedo - Caldas de São Jorge ACRD Mosteirô - Real Nogueirense


Correio da Feira 09.DEZ.2013

1.ª Divisão Distrital

Soutense foi o único emblema feirense a vencer numa jornada negra para as equipas do concelho Numa jornada de má memória paras as equipas de Santa Maria da Feira, apenas o Soutense salvou a honra do conelho. A formação comandada por Borges vence no seu reduto o AC Famalicão por 3-1 com os golos soutenses a ficarem a cargo de Roma, que bisou, e de Rui Silva que fechou o placar. Com o triunfo a turma de Souto ganha novo ânimo para fugir aos lugares do fundo da tabela. Já o Fiães desiludiu na visita ao campo do Avanca, saundo copiosamente derrotado por claros 5-0, permitindo que o seu adversário se colasse com os mesmos 15 pontos no sexto lugar da classificação. O Canedo também não fez melhor nba visita a São João da Madeira, perdendo por 3-0 frente à Sanjoanense, mantendo-se a meio da tabela, mas longe da parte superior da mesma, ao contrário do seu opositor que ascendeu ao terceiro posto, assumindo clara candidatura à subida. Finalmente, o Mileiroense foi à Mealhada empatar a duas bolas com golos de Hugo e Ricardo Martins, arrancando um precioso ponto na luta pela fuga à despromoção frente a um concorrente directo. Ainda assim a formação de Milheirós de Poiares continua no fundo da tabela com os mesmos pontos que o Soutense.

I DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 11.ª Jornada Soutense 3 1 AC Famalicão Avanca 5 0 Fiães AD Sanjoanense 3 0 Canedo Oliveira do Bairro 3 0 Esmoriz Valonguense 2 2 Gafanha Paivense 2 2 Mourisquense Carregosense 2 1 Cucujães Mealhada 2 2 Milheiroense Águeda 0 0 Alba Classificação J V E D F - C P Oliv. Bairro 11 8 3 0 27 - 11 27 Gafanha 11 8 3 0 21 - 6 27 Sanjoanense 11 8 2 1 19 - 4 26 Esmoriz 11 7 1 3 15 - 11 22 Alba 10 6 3 1 14 - 5 21 Avanca 11 4 3 4 23 - 19 15 Fiães 11 3 6 2 18 - 15 15 Águeda 11 4 3 4 13 - 13 15 Carregosense 11 4 3 4 10 - 13 15 Canedo 10 3 5 2 12 - 16 14 Paivense 11 2 5 4 16 - 16 11 Mealhada 11 2 5 4 11 - 12 11 Cucujães 11 3 1 7 8 - 17 10 Milheiroense 11 1 6 4 9 - 15 9 Soutense 11 2 3 6 8 - 18 9 AC Famalicão 11 1 4 6 7 - 14 7 Mourisquense 11 1 2 8 12 - 19 5 Valonguense 11 1 2 8 8 - 27 5 Próxima Jornada - 15 de Dezembro AC Famalicão - Águeda Fiães - Soutense Canedo - Avanca Esmoriz - AD Sanjoanense Gafanha - Oliveira do Bairro Mourisquense - Valonguense Cucujães - Paivense Milheiroense - Carregosense Alba - Mealhada

Juniores A // Azuis perdem liderança da prova

Feirense derrotado em São João da Madeira O Feirense foi derrotado no reduto da Sanjoanense num dérbi regional muito intenso, com a turma da casa a mostrar grande agressividade no seu jogo. Até ao golo da Sanjoanense o jogo foi sempre muito equilibrado sem ascendente de nenhumas das partes. A partir da expulsão de Mota aos 35 minutos por alegada agressão

NACIONAL DE JUNIORES II DIVISÃO - Série B

Centro de Formação Deportiva de São João da Madeira

vs 1

a Yorn, o Feirense foi mais pressionante e mais incisivo na procura do golo, esbarrando ou no travessão da baliza defendida por Rui ou no próprio guardião sanjoanense. Esta é a segunda derrota do Feirense no campeonato, em jornadas consecutivas, deixando, assim, a liderança da prova a cargo do Boavista.

0

Árbitro: Rui Oliveira (Porto) Sanjoanense: Rui, João, Daniel, Nuno, Bruno, Ruben (Filipe, 50), Neves, Miguéis, Mota, Leandro, Meireles (Júlio (52) T: Miguel Ângelo

Feirense: Nuno, Mica, Joca, Renato, Pedro, Duarte (Vieirinha, 65), Gui (Juka, 75), Yevhen (Miguel, 65), Manu, Yorn, Ratinho T: Nuno Santos Amarelos: Bruno (32), Miguéis (60), Yorn (65), Renato (75), Filipe (90+3) Vermelho: Mota (35) Golos: Ruben (29)

Resultados - 12.ª Jornada Salgueiros 0 2 Boavista Mesão Frio 3 2 Penafiel Padroense 2 0 Sp. Espinho Canidelo 4 1 Torre Moncorvo AD Sanjoanense 1 0 Feirense Classificação J V E D F - C P Boavista 12 10 0 2 40 - 6 30 Feirense 12 9 1 2 26 - 13 28 Mesão Frio 11 7 1 3 22 - 19 22 Padroense 12 5 2 5 23 - 19 17 Canidelo 12 5 2 5 27 - 24 17 Sp. Espinho 12 5 2 5 18 - 19 17 Sanjoanense 12 5 1 6 25 - 20 16 Penafiel 12 3 3 6 23 - 28 12 Salgueiros 11 2 3 6 18 - 23 9 T. Moncorvo 12 0 1 11 9 - 60 1 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Feirense - Salgueiros, 15h Boavista - Mesão Frio Penafiel - Padroense Sp. Espinho - Canidelo Torre Moncorvo - AD Sanjoanense

Juniores C

Feirense cede empate no reduto do Gondomar sem golos Os pupilos de Pedro Alves não foram além de uma igualdade sem golos na deslocação a Gondomar, terreno do terceiro classificado.

Com este resultado o Feirense viu a Oliveirense aproximar-se na tabela, estando agora ainda a 4 pontos de distância.

Estádio de São Miguel

NACIONAL DE INICIADOS - Série C

GONDOMAR FEIRENSE

0 0

Árbitro: João Sousa (Porto) Gondomar: Tavares, Rui, Tomás, Jorge, Tiago (Rafa, 48), Gabriel, Gabelho (Francisco, 53), Rui (Artur, 35), Rui. Kiko, Joca, Guilherme T: Rui Carriço

Feirense: Roberto, Vítor (João Santos, 35), Rafa, Joel, Padinha, Leandro, Afonso (Caetano, 60), Magalhães (Vareiro, 25), Bruno (Ruben, 35), Francisco, Nuno (Vasco, 63) T: Pedro Alves

Amarelos: Tiago (45), Nuno (58), Ruben (61)

Golos: Nada a assinalar.

Resultados - 15.ª Jornada Avanca 1 3 Taboeira AD Sanjoanense 0 0 Repesenses O Crasto 0 2 Oliveirense Gondomar 0 0 Feirense Académico Viseu 2 4 Lusitano FCV Classificação J V E D F - C P Feirense 15 13 2 0 38 - 6 41 Oliveirense 15 12 1 2 31 - 8 37 Gondomar 15 9 3 3 21 - 13 30 Sanjoanense 15 8 3 4 27 - 14 27 Repesenses 15 6 3 6 18 - 14 21 Taboeira 15 6 1 8 24 - 31 19 Avanca 15 4 2 9 20 - 26 14 Lusitano FCV 15 3 3 9 15 - 27 12 Acad. Viseu 15 3 2 10 15 - 28 11 O Crasto 15 0 2 13 9 - 51 2 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Repesenses - Taboeira Oliveirense - AD Sanjoanense Feirense - O Crasto, 11h Lusitano FCV - Gondomar Académico de Viseu - Avanca

17

Juniores B // Feirense é segundo à condição

Jovens “fogaceiros” de volta às vitórias na visita ao Varzim O Feirense foi à Póvoa de Varzim lograr um triunfo importante depois da derrota na passada semana diante do Rio Ave, o que lhe custou a vice-liderança. Entrou praticamente a vencer na partida, graças a um golo de Sousa logo aos 7 minutos de jogo quando as equipas ainda se estavam a conhecer. Em desvantagem desde cedo, o Varzim nunca conseguiu ser

uma equipa dominadora e as melhores oportunidades até pertenceram aos comandados por Tiago Oliverira, mas o resultado não mais se alteraria até final do desafio, fixando-se no 0-1 favorável ao Feirense. Com esta vitória, a turma de Santa Maria da Feira ascende ao segundo lugar do campeonato, mas à condição, uma vez que o jogo entre o Padroense e o Rio Ave foi adiado.

Campo de Treinos Varzim Sport Club

NACIONAL DE JUVENIS - Série B

VARZIM FEIRENSE

0 1

Árbitro: Pedro Ferreira (Porto) Varzim: David, Daniel, Rafael, Marco (Zé Oliveira, 76), Álvaro, Eduardo (Paulo (67), Bruno (Hugo, 58), Fábio, Rui, Cardoso, Alex T: Tobias Feirense: Léo, Dani, Sousa, Antunes, Bifes, Leandro, Henrique, Tavares, Marcelo (Diga, 66), Luís (Manuel, 50), Leandro Ribeiro (Igor, 52) T: Tiago Oliveira

Amarelos: Henrique (47), Álvaro (70), Hugo (78), Manuel (80)

Vermelho: Leo (80) e Paulo (80) Golos: Sousa (7)

Resultados - 14.ª Jornada Padroense 18-Dez Rio Ave Boavista 5 2 Leixões Penafiel 29-Dez F. C. Porto Gondomar 2 1 AD Sanjoanense Varzim 0 1 Feirense Classificação J V E D F - C P F. C. Porto 13 11 0 2 39 - 9 33 Feirense 14 9 1 4 22 - 16 28 Rio Ave 13 8 2 3 21 - 11 26 Boavista 14 7 2 5 25 - 24 23 Varzim 14 5 2 7 20 - 19 17 Penafiel 13 5 1 7 17 - 27 16 Gondomar 14 4 2 8 20 - 26 14 Sanjoanense 14 4 2 8 18 - 31 14 Padroense 13 3 3 7 15 - 21 12 Leixões 14 2 5 7 16 - 29 11 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Feirense - Padroense, 9h Rio Ave - Boavista Leixões - Penafiel F. C. Porto - Gondomar AD Sanjoanense - Varzim


18

Correio da Feira 09.DEZ.2013

1ª Divisão Distrital // Brandoenses derrotados em casa

3.ª Divisão Nacional // Lamas perde em Gondomar

Opinião

Juv. Fiães vence dérbi com ISPAB

Feirense goleia SC Sabugal e cola-se na liderança da prova

Lideres com visão, precisam-se!!

O Feirense goleou na recepção ao Sabugal por claros 8-3 numa partida completamente dominada pelos azuis da Feira, ainda que, depois de estar a vencer por 4-1 tenham permitido ao seu adversário reduzir para 4-3. No entanto, os fogaceiros voltaram a acelerar e com naturalidade chegaram ao resultado final de 8-3, colando-se ao primeiro lugar.

Lamas Futsal derrotado no reduto dos Leões Valboenses Em dérbi concelhio, a Juventude de Fiães visitou o ISPAB e logrou uma importante vitória por 1-2, com Paulo Russo a ser o grande destaque da turma fianense ao apontar os dois tentos da sua equipa. Apesar dos dez amarelos e da expulsão, por acumulação, de Fábio, atleta do ISPAB, o jogo não duro nem se justificava tantas admoestações por parte do árbitro. Quanto ao encontro em si, os visitantes estiveram sempre na frente do placar e controlaram em grande parte do tempo as operações da partida e o resultado poderia mesPavilhão da EB 2+3 de Paços Brandão

ISPAB JUV. FIÃES

1 2

ISPAB: Vítor, Cancela, Barbosa, Igor, Mesquita (1), Paulo Serra, Fábio, Ramalho, Costa, P. Silva, Nélson, Diogo T: Fábio Fortes Juv. Fiães: Fábio, Bruninho, Maritx, Paulo Russo (2), Bifes, Moisés, Bubu, Rui Barbosa, Bacalhau, Artur, Carlos, Neto T: António Teixeira

mo ter sido mais dilatado. O golo do triunfo apenas surgiu nos últimos três minutos do desafio, numa ponta final emocionante. Este resultado penaliza muito o ISPAB que se afasta cada vez mais dos lugares cimeiros e permite à Juventude Fiães aproximar-se do topo da classificação. I DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 10.ª Jornada AJ Angeja 3 1 ADREP CP Esgueira 2 5 Futsal Azeméis AAA ISPAB 1 2 Juventude Fiães ACD Urrô 2 2 ARCA ADC Bairros 2 5 Sp. Silvalde Beira-Mar 8 3 AD Casal Clube Albergaria 3 0 D. Sanjoanense Atómicos 0 4 Saavedra Guedes Classificação J V E D F - C P Fut. Azeméis 10 8 1 1 55 - 25 25 Beira-Mar 10 8 1 1 53 - 23 25 Bairros 10 6 2 2 51 - 29 20 Juvent. Fiães 9 6 2 1 38 - 21 20 Saavedra G. 10 5 4 1 47 - 30 19 Sp. Silvalde 9 5 1 3 30 - 22 16 ACD Urrô 10 4 3 3 36 - 36 15 ADREP 10 5 0 5 25 - 26 15 AAA ISPAB 10 4 0 6 34 - 46 12 Esgueira 10 3 2 5 35 - 37 11 D. Sanjoanen. 10 3 2 5 27 - 39 11 ARCA 9 3 1 5 27 - 27 10 C. Albergaria 10 3 1 634 - 36 10 AD Casal 10 3 0 7 41 - 73 9 Angeja 9 2 0 7 23 - 43 6 Atómicos 10 0 0 10 15 - 58 0 Próxima Jornada - 21 de Dezembro AJ Angeja - Futsal Azeméis CP Esgueira -AAA ISPAB, 17h Juventude de Fiães - ACD Urrô, 18h ARCA - ADC Bairros Sp. Silvalde - Beira-Mar AD Casal - Clube Albergaria Dinamo Sanjoanense - Atómicos ADREP - Saavedra Guedes

2.ª Divisão Distrital // Juv. Canedo também venceu

Arrifanense venceu na Gafanha e aproximou-se do líder Ossela As duasequipas do concelho venceram nesta jornada fora de portas. O Arrifanense está agora a escassos 3 pontos do líder Ossela, enquanto que a Juv. Canedo subiu alguns lugares e encontra-se agora a meio da tabela classificativa. II DIVISÃO DISTRITAL

Resultados - 7.ª Jornada ADC Lourizela 1 5 Atlético do Luso AD Travassô 6 5 FC Barcouço GD Carmo 0 3 CRECUS GD Gafanha 2 3 CD Arrifanense CAP Alquerubim 4 3 GD Beira Ria Branca Activa 2 5 Juvent. Canedo Folga Ossela Classificação J V E D F - C P Ossela 6 6 0 0 33 - 9 18 Arrifanense 6 5 0 1 25 - 13 15 Atlético Luso 7 4 2 1 25 - 17 14 Gafanha 7 4 1 2 25 - 15 13 Travassô 6 4 0 2 21 - 20 12 CRECUS 7 3 2 2 15 - 11 11 Juv. Canedo 6 3 1 2 29 - 14 10 Lourizela 6 3 1 2 20 - 17 10 Branca Activa 7 2 0 5 19 - 25 6 GD Carmo 6 1 2 3 13 - 18 5 CAP Alquerub. 7 1 2 4 8 - 21 5 Barcouço 7 0 1 6 16 - 40 1 Beira Ria 6 0 0 6 7 - 36 0 Próxima Jornada - 21 e 22 de Dezembro FC Barcouço - ADC Lourizela CRECUS - AD Travassô- 22/12 CD Arrifanense - GD Carmo,17h GD Beira Ria - GD Gafanha Juventude Canedo - CAP Alquerubim, 18h Ossela - Branca Activa Folga Atlético do Luso

Pavilhão da Escola EB 2,3 Arrifana

GAFANHA ARRIFANENSE

2 3

Gafanha: Carlos, Sérgio (1), Silva, Tiago, Fernando, Filipe, António, José, Bastos, Nabais (1), Adão Oliveira, Emanuel, Paulo Nabais T: João Araújo Arrifanense: Bruno, B. Silva, Belo, Quirino (2), T. Pinho (1), Marco Leite, Figueiredo, R. Pinho, André Castro, Fábio, Ramirez, João Paulo Tavares T: Jorge Pereira

Pavilhão Municiopal da Branca

BRANCA ACTIVA JUV. CANEDO

2 5

Branca Activa: Fábio, Ricardo (2), João Pedro, João André, Filipe, José Pedro, Daniel, João Filipe, André, Michael, José Henriques T: José Marques

Juv. Canedo: Ricardo, Márcio (1), André, Quim Pereira (1), Tiago Sampaio, Zé Fernando, Pedro (1), Nuno André (2), Berna, Tiago Quelhas, Rogério, Sílvio T: Celso Henriques

Quem não teve a mesma sorte foi o Lamas Futsal que se deslocou a um dos pavilhões mais complicados do campeonato e saiu III DIVISÃO NACIONAL - Série B

Resultados - 9.ª Jornada Gondomar Futsal 5 4 SPG Lamego Leões Valboenses 2 1 Lamas Futsal União Santana 3 5 ABC Nelas Rio de Moinhos 6 2 Prodeco ACD Azagães 8 4 Académica Leça Sp. Moncorvo 5 5 Sangemil CD Feirense 8 3 SC Sabugal Classificação J V E D F - C P Lamas Futsal 9 7 0 2 45 - 22 21 ABC Nelas 9 7 0 2 41 - 23 21 CD Feirense 9 6 3 0 51 - 35 21 Leões Valboen. 9 6 1 2 43 - 30 19 Gondomar Futsal 9 5 1 3 43 - 34 16 Sangemil 9 4 3 2 43 - 27 15 SPG Lamego 8 5 0 3 39 - 31 15 Sp. Moncorvo 9 4 2 3 32 - 36 14 ACD Azagães 8 3 0 5 37 - 39 9 União Santana 9 2 2 5 35 - 44 8 Académ. Leça 9 2 1 6 28 - 43 7 SC Sabugal 9 2 0 7 31 - 58 6 Prodeco 9 1 1 7 29 - 44 4 Rio de Moinhos 9 1 0 8 27 - 58 3 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro SPG Lamego -CD Feirense, 18h Lamas Futsal - Gondomar Futsal- 15/12, 17h ABC Nelas - Leões Valboenses Prodeco - União Santana Académica de Leça - Rio de Moinhos Sangemil - ACD Azagães SC Sabugal - Sp. Moncorvo

derrotado por 2-1 no reduto dos Leões Valboenses. Os golos apenas surgiram nos últimos 3 minutos, primeiro para os da casa, mas logo na jogada seguinte o lamacences empataram o encontro. Pouco depois, a jogar com mais um em campo, a formação feirense cometeu um erro individual e permitiu aos Leões Valboenses chegar ao triunfo quando se esperava o contrário, mas a falta de eficácia do Lamas não deixou a equipa chegar ao golo. Pavilhão da Lavandeira

FEIRENSE SC SABUGAL

8 3

Feirense: Dani, Cenoura (1), Mino (1), Calão, Kaka (2), Banana (1), Claudinei (1), Teixeira, Ivo (2), Nuno Couto T: Joaquim Augusto

SC Sabugal: João Paulo, Marcos, Tó Zé, Hugo (1), Paulo, Fábio, Renato (1), Cláudio, Rafael, Sérgio, João Luís, Artur (1) T: Telmo Vaz

Pavilhão Municipal de Valbom

L. VALBOENSES LAMAS FUTSAL

2 1

Leões Valboenses: João Salgado, Espanhol, R. Santos, Hélio (1), Fábio Sampaio, Hugo (1), J. Silva, F. Moreira, R. Ribeiro, R. Gomes, R, Correia T: Brites Marinho

Lamas Futsal: Telmo, Vitor Amorim, Ribas, P. Sousa (1), Miguel Ângelo, Wilson, João Paulo, Diogo T: Luís Alves

Futsal Feminino // Triunfos fora de portas

Lourosa e Gião vencem e seguem na perseguição ao líder Lourosa e Gião lograram dois triunfos fora de portas nos redutos da Casa do Benfica e ARCA, respectivamente. A formação orientada por António Pinto não teve qualquer dificuldade em levar de vencida uma frágil equipa aveirense por claros 0-4, com Piolho em destaque ao apontar um “hat-trick”, sendo o outro golo da autoria de Estela. Já o Gião não teve tarefa tão fácil na deslocação ao Pavilhão da ARCA, conseguindo, ainda assim, uma vitória por 1-3, com DISTRITAL FEMININO

Resultados - 11.ª Jornada PARC 4 0 CAP Alquerubim S. Pedro Castelões 0 4 Always Young ARCA 1 3 ACD Gião GRC Telhadela 6 9 AMUPB Futsal Casa do Benfica 0 4 Lusitânia Lourosa Ossela 5 0 NEGE Classificação J V E D F - C P Ossela 11 10 0 1 86 - 11 30 Always Young 11 9 0 2 79 - 9 27 ACD Gião 11 9 0 2 63 - 22 27 Lusit. Lourosa 11 8 2 1 53 - 15 26 PARC 11 6 1 4 46 - 24 19 S.P. Castelões 10 5 1 4 20 - 29 16 Casa do Benfica11 4 0 7 37 - 62 12 AMUPB Futsal 9 3 2 4 27 - 45 11 NEGE 11 2 1 8 27 - 51 7 ARCA 10 1 2 7 11 - 31 5 Telhadela 11 1 1 9 31 - 112 4 CAP Alquerub. 11 0 2 9 18 - 87 2 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Casa do Benfica em Aveiro - Ossela GRC Telhadela -Lusitânia de Lourosa, 21h ARCA - AMUPB Futsal- 15/12 São Pedro Castelões -ACD Gião, 15h PARC - Always Young CAP Alquerubim - NEGE

Carina a bisar e Marisa a completa o marcador favorável às pupilas de António Queirós. Com estes dois triunfos as equipas do concelho mantêmse na luta pelos lugares no topo da classificação que vai sendo liderada pelo Ossela com mais 3 pontos que o Lourosa e 5 de vantagem sobre o Gião. Pavilhão Escola EB 2/3 de Albergaria

CASA DO BENFICA LOUROSA

0 4

Casa do Benfica: Érica, Alexandra, Joana, Faneca, Débora, Carina, Carla Lourosa: Tânia, Juliana, Estela (1), Fabiana, Viviana, Cabral, Renata, Dani Lopes, Diana Cruz, Liliana, Silvana, Piolho (3) T: António Pinto

Pavilhão da ARCA

ARCA GIÃO

1 3

ARCA: Dani, Joana, Inês, Dulce (1), Brenda, Cláudia, Ana, Mariana, Patrícia, Inês O. T: Vítor Silva Gião: Ana, Marlene, Carina (2), Corina, Marisa (1), Patricia, Sónia, Jeniffer, Joana, Sergia, Carina S. T: António Queirós

Rufino Ferreira

Numa semana marcada pelo falecimento de um dos grandes líderes mundiais, Nelson Mandela, constato que as referências de grandes líderes começam a escassear. Recordarei para sempre o Homem que soube usar o desporto para unir uma nação, uma verdadeira lição para os nossos líderes políticos, que teimam em atribuir ao Desporto um papel redutor e secundário, não percebendo a sua força e benefícios. Para quem nunca assistiu, aconselho o visionamento do filme Invictus, no mínimo inspirador. Esta semana aproveitei para consultar os 2 últimos relatórios e contas da Associação de Futebol de Aveiro, tendo constatado em ambos, um lucro de exercício em 2011/2012 de 74.281,62€ e em 2012/2013 de 43.689,94€. São números impressionante, que atestam a excelente saúde financeira da Associação que representa no nosso distrito todos os clubes de futebol e futsal. No mesmo período é referido que a associação distribuiu um subsídio aos clubes no montante global de 50.000€, na proporção de 3,74€ por cada atleta. Apesar de saudar o gesto, penso que muito mais poderá ser feito, devendo a mesma ser mais proactiva junto dos clubes. Ano após ano, são inúmeros os clubes que não tendo a saúde financeira patenteada pela AFA, fecham as suas portas. Por conseguinte, proponho a criação de um gabinete de apoio externo aos clubes, pois a maioria dos seus dirigentes são amadores, que assumem a gestão dos mesmos de forma gratuita, não possuindo formação específica em gestão desportiva. Poderão dizer-me que nas instalações da AFA, ou por telefone poderão ser dadas todas as informações necessárias, mas jamais será a mesma coisa. Para além do apoio aos clubes existentes, esse mesmo gabinete poderia envidar esforços junto das autarquias do nosso distrito, apurando a existência de pavilhões que se encontrem livres e que possam eventualmente iniciar nesses locais, a prática federada de futsal. O mesmo defendo em relação aos campos de futebol, podendo ser reactivados diversos clubes que ao longo dos anos encerraram a actividade. Quanto aos custos, relembro que com a criação ou reactivação de clubes, a receita gerada, pagaria e bem o seu custo inerente. Haja por conseguinte, vontade e visão de quem gere a associação para que esse gabinete seja uma realidade a breve trecho.


Correio da Feira 09.DEZ.2013

Hóquei em Patins // Ao intervalo os visitantes já venciam por 0-6 a turma feirense

Académico da Feira goleado em casa pelo Riba de Ave

Luís Filipe Higino O Académico da Feira foi goleado por 5-13 pelo Riba de Ave, em jogo a contar para a 10ª jornada do Campeonato Nacional da 2ª Divisão, Zona Norte, de hóquei em patins, jogo realizado no Pavilhão da Lavandeira em Santa Maria da Feira. Ao intervalo a equipa de Riba de Ave já vencia por 0-6. Foi um jogo sem história que ficou resolvido logo na primeira parte. O Académico da Feira realizou uma exibição abaixo do habitual. Vitória indiscutível do Riba de Ave. O Académico da Feira alinhou e marcou com Ricardo Fernandes, Artur Couto, João Moreira (1 golo), Marco Dias e David Sá (2 golos) – cinco inicial – Tiago Pinto (1 golo), Pedro Silva (1 golo), Hugo Gonçalves, Marcelo Dias e Luís Canavarro. Treinador: Rui Tavares. Para o Riba de Ave marcaram Raul Lopes “Meca” 4 golos, Hugo Oliveira 3 golos, Jorge Maceda 3 golos, André Alves 2 golos e Ricardo Lopes. Árbitros: Manuel Oliveira e Nuno Lucas, ambos da A.P. Aveiro.

Camadas Jovens Regional de Juvenis: 10ª Jornada: Oliveirense – Académico da Feira 2-5. Próxima Jornada: Académico da

Feira – HC Viseu, Sábado, dia 14, às 15 horas. Regional de Juniores: Próxima Jornada: Académico da Feira - Oliveirense, Domingo, dia 15, às 18 horas. Regional de Iniciados: 10ª Jornada: O Académico da Feira folgou. Regional de Infantis: A equipa de infantis do Académico da Feira está apurada para a fase final do Regional, juntamente com a Académica de Coimbra, Oliveirense, Cenap, Oliveira do Hospital e HC Mealhada. Na 1ª jornada a realizar no Sábado, dia 14, o Académico da Feira desloca-se ao pavilhão da Académica de Coimbra. Encontros Convívios de Escolares: 3ª Jornada: HC Mealhada – Académico da Feira 0-6. Próxima Jornada: Académico da Feira – Académica de Coimbra. Encontros Convívios de Benjamins: 4ª Jornada: Académico da Feira – H.A. Cambra/A 6-2. Próxima Jornada: Académico da Feira - Sanjoanense.

Torneio Internacional Inter-Associações de sub-15 Realiza-se no Pavilhão da Lavandeira em Santa Maria da Feira, nos próximos dias 14

e 15 de Dezembro, o Torneio Internacional Inter-Associações de sub-15 de hóquei em patins. Participam no torneio as selecções distritais de Aveiro, Porto, Minho e Galiza.

II DIVISÃO NACIONAL - Zona Norte

Resultados - 10.ª Jornada CD Póvoa 8 5 CD Cucujães CI Sagres 8 7 Juventude Pacense HC Paço de Rei 3 6 Famalicense AC AD Sanjoanense 5 0 GDC Fânzeres CRPF Lavra 5 2 CAR Taipense Académico Feira 5 13 Riba D'Ave HC CP Sobreira 5 6 AA Espinho ACR Gulpilhares 4 2 HC Marco Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 10 9 1 0 65 - 24 28 CD Póvoa 10 9 0 1 52 - 37 27 AA Espinho 10 7 3 0 50 - 29 24 Riba D'Ave HC 10 6 1 3 53 - 45 19 Famalicense 10 6 0 4 33 - 30 18 CI Sagres 10 5 0 5 60 - 50 15 ACR Gulpilhares10 5 0 5 44 - 46 15 CRPF Lavra 10 4 2 4 49 - 44 14 Juvent. Pacense 9 3 2 4 46 - 37 11 HC Marco 10 3 2 5 36 - 42 11 GDC Fânzeres 10 3 0 7 32 - 52 9 CP Sobreira 10 2 2 6 49 - 52 8 CAR Taipense 8 2 1 5 30 - 41 7 Acad. Feira 10 2 1 7 46 - 71 7 CD Cucujães 9 2 1 6 26 - 53 7 HC Paço de Rei 10 1 2 7 37 - 55 5 Próxima Jornada - 14 de Dezembro CD Póvoa - CI Sagres Juventude Pacense - HC Paço de Rei Famalicense AC - AD Sanjoanense GDC Fânzeres - CRPF Lavra CAR Taipense - Académico da Feira, 18h Riba D'Ave HC - CP Sobreira AA Espinho - ACR Gulpilhares CD Cucujães - HC Marco

Ténis de Mesa

Juventude de Sanguedo continua sem perder A Juventude de Sanguedo continua na liderança da serie 3 da 2ª Divisão Nacional de tenis de mesa de seniores masculinos, depois de se deslocar este sabado a São joão da Madeira para vencer a equipa local o C Campismo SJ Madeira, por 3-2.

O jogo foi bem disputado, com incertezas no resultado, mas a equipa de sanguedo queria manter a liderança no campeonato e continuar sem perder esta época. Já a equipa B de seniores masculinos mantém a liderança nos distritais do porto depois de

ir vencer a Valongo pelo mesmo resultado 3-2. Em Sanguedo ainda é cedo para se falar na subida a 1ª divisão de tenis de mesa, embora seja já apontada como uma das equipas candidatas, a ganhar a 2ª divisão nacional e consequente subida.

19

Natação

CLamas com boa representação na ANNP

Decorreu no passado fim-de-semana o Campeonato Regional Jun/Sen e o Torneio de fundo dos juvenis de Piscina curta da ANNP. Os Campeonatos tiveram a participação de 383 nadadores (218 masculinos e 165 femininos) em representação de 18 clubes. O Clube Colégio de Lamas esteve representado por 24 nadadores dos escalões juvenis Juniores e seniores sob orientação técnica de Paulo Ferreira coadjuvado pelos estagiarios Americo, Nuno e Roberto. Os nadadores lamecenses tiveram uma prestação brilhante, já que depois da época passada ter subido por uma vez apenas, esta epoca subiu ao podio por oito vezes com 5 medalhas de prata e 3 de bronze; foram alcançados 14 recordes do clube Absolutos, 8 tac´s Nacionais juniores seniores P.C., 60 recordes pessoais o que demonstra claramente o nível elevado que estiveram estes nadadores. Pela primeira vez na sua história os nadadores do Colégio de Lamas subiram ao pódio nestes campeonatos por 8 vezes da Associação de natação do Norte de Portugal que é só por si a melhor e mais “forte” associação de natação do País, pois tem os melhores clubes e os melhores nadadores, dificultando ao máximo a consecução destes feitos. Destaques para Simão Capitão com 3 medalhas de vice campeão regional aos 50, 100 e 200 bruços, 5 Tac´s Nacionais PC aos 100 estilos (1.02.23), 50 livres, 50,100 e 200 bruços, 2 recordes do clube Abs aos 50 bruços (30.04) e 50 livres (25.01); Beatriz Cardoso alcançou medalha de prata aos 50 livres e 3 rec clube absolutos aos 100 estilos, 100 livres e 200 livres; João Capitão alcançou dois 4º lugares aos 100 bruços e 50 mariposa e dois 5º lugares aos 50 bruços e 100 mariposa, aos 50

livres obteve novo RP; Alexandre Amorim com 2 novos RP aos 400 estilos e 1500 livres ambos tac´s para os zonais e os 100 bruços em 1º lugar com Tac para o Nacional; Joana Silva obteve 1 Tac Nacional abs aos 50 bruços e a 6ª posição e novo RP aos 100 estilos; Filipa andrade com novo Rp aos 50 bruços e 6ª lugar aos 50 costas; Carolina Pais com o 5º lugar aos 200 bruços; Luis soares com novo RP e R. Clube abs e Tac Nacional aos 100 costas; Catia Batista com o 8º lugar aos 100 mariposa; Andre Couto com 2 novos RP aos 50 bruços e 100 bruços; Artur Ferreira com 1 RP aos 100 livres; Daniel Coimbra com 2 RP aos 50 e 200 costas; Daniel Magalhaes com 2 novos RP aos 100 livres e 50 mariposa; Marcelo Rocha com 4 novos RP aos 100 livres (Tac Zonal), 200 livres, 100 costas e 100 mariposa, Gabriel Pereira com novo RP e Tac zonal aos 100 costas e 100 livres; Joel Peixoto com novo RP aos 200 livres; Rita pereira com o 9º lugar aos 50 costas; Rodrigo silva com 4 RP aos 100 e 200 livres, 200 mariposa e Tac Zonal aos 200 costas; Tiago Santos com 1 RP aos 50 mariposa; Tiago Araujo com 1 RP aos 200 bruços e Tiago Barbosa com 4 RP aos 100 e 200 mariposa, Tac zonal aos 200 estilos, 100 livres e 100 bruços. De realçar que as estafetas masculinas de 4x50 livres e 4x 50 estilos alcançaram mimA equipa espera que os nadadores Tiago silva e João Pimentel se restabeleçam rapidamente para assim poderem dar o seus contributos à equipa. Próxima prova do Clamas é já no próximo fim-de-semana o Nacional de clubes em que o Clamas vai defender com a sua equipa feminina a 3ª divisão Nacional e a masculina a 4ª divisão Nacional na cidade de Leiria.

Badminton

Travanca no Torneio nacional de clubes não séniores A AMRC de Travanca participou no torneio não sénior de clubes de badminton organizado pela Associação Académica de Espinho. De destacar a participação de André Oliveira eliminado nos quartos de final e principalmente de Xavier Rocha que se consagrou campeão do

torneio eliminando Miguel Gomes (10º) e Tiago Mendes (5ºlugar do ranking nacional). O jovem atleta da AMRCT foi na época passada 1º lugar do ranking nacional de TD’s (torneios de divulgação) e neste momento ocupa o 18º lugar do ranking nacional.


20

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Voleibol // Enis alit nulla aci et lamcommy nulla corem ipit, si.Metue modolor sumsan ercilit eu feui blaor at praestrud modoluptat lum velit praesed dit utat

RESULTADOS CAMADAS JOVENS

DISTRITAL DE JUNIORES I DIVISÃO - Zona Norte

Resultados - 13.ª Jornada Paivense 2 0 Arouca Lusit. Lourosa 10 0 Esmoriz Arrifanense 1 2 São João Ver Feirense 3 1 Fiães Sp. Espinho 1 3 Paços Brandão Classificação J V E D F - C P Feirense 13 11 1 1 47 - 14 34 Fiães 13 8 1 4 28 - 22 25 P. Brandão 13 7 3 3 23 - 24 24 Lourosa 13 7 1 5 42 - 16 22 Paivense 13 6 2 5 24 - 28 20 S. J. de Ver 13 5 4 4 20 - 23 19 Arrifanense 13 4 2 7 26 - 21 14 Arouca 13 4 2 7 26 - 28 14 Sp. Espinho 13 2 3 8 15 - 26 9 Esmoriz 13 1 1 11 12 - 61 4 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Arouca - Feirense Esmoriz - Paivense São João de Ver - Lusitânia de Fiães - Sp. Espinho Paços de Brandão - Arrifanense

DISTRITAL DE JUNIORES I DIVISÃO - Zona Sul

Resultados - 13.ª Jornada Ovarense 1 2 Taboeira Milheiroense 3 0 Águeda Alba 8 0 Furadouro Cucujães 2 3 Oliveira do Bairro Estarreja 1 0 Pampilhosa Classificação J V E D F - C P Estarreja 13 11 0 2 28 - 8 33 Alba 13 7 3 3 37 - 10 24 Cucujães 13 6 3 4 29 - 17 21 Taboeira 13 6 2 5 18 - 19 20 Águeda 13 5 4 4 25 - 19 19 Oliv. Bairro 13 6 1 6 26 - 25 19 Pampilhosa 13 5 3 5 26 - 16 18 Milheiroense 13 5 3 5 19 - 17 18 Ovarense 13 2 3 8 20 - 31 9 Furadouro 13 1 0 12 7 - 73 3 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Taboeira - Cucujães Águeda - Ovarense Furadouro - Milheiroense Oliveira do Bairro - Estarreja Pampilhosa - Alba

DISTRITAL DE JUNIORES II DIVISÃO - Série A

Resultados - 11.ª Jornada Fiães 2 3 Argoncilhe Paços Brandão 3 1 ADC Lobão União de Lamas 1 0 Canedo Folgou Sanguedo Classificação J V E D F - C P Sanguedo 9 9 0 0 27 - 6 27 P. Brandão 10 6 1 3 21 - 14 19 União Lamas 9 4 3 2 13 - 8 15 Fiães 9 2 4 3 14 - 16 10 ADC Lobão 9 2 2 5 10 - 16 8 Argoncilhe 10 1 4 5 9 - 20 7 Canedo 10 1 2 7 8 - 22 5 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Argoncilhe - União de Lamas ADC Lobão - Fiães Sanguedo - Paços de Brandão Folga Canedo

DISTRITAL DE JUNIORES II DIVISÃO - Série B

Resultados - 8.ª Jornada Soutense 3 1 São Vic. Pereira São João de Ver 4 2 Arada Cesarense 5 2 Carregosense Classificação J V E D F - C P Cesarense 8 5 2 1 32 - 7 17 S. J. de Ver 8 5 1 2 22 - 14 16 Carregosense 8 3 4 1 14 - 14 13 S. Vic. Pereira 8 3 2 3 10 - 12 11 Soutense 8 1 2 5 11 - 24 5 Arada 8 1 1 6 10 - 28 4 Penúltima Jornada - 14 de Dezembro Cesarense - Soutense São Vicente Pereira - São João de Ver Carregosense - Arada

DISTRITAL DE JUVENIS I DIVISÃO - Zona Norte

Resultados - 13.ª Jornada AD Sanjoanense 0 0 Sp. Espinho Lusit. Lourosa 3 1 Milheiroense Feirense 6 0 Fiães Paços Brandão 2 1 Paivense Arouca 3 1 Arrifanense Classificação J V E D F - C P Feirense 13 11 2 0 42 - 9 35 Sp. Espinho 13 7 4 2 30 - 18 25 Sanjoanense 13 6 4 3 33 - 16 22 Lourosa 13 7 0 6 20 - 21 21 Arouca 13 6 2 5 27 - 21 20 Paivense 13 5 2 6 22 - 12 17 P. Brandão 13 5 2 6 21 - 22 17 Fiães 13 4 3 6 15 - 21 15 Arrifanense 13 4 1 8 15 - 27 13 Milheiroense 13 0 0 13 7 - 65 0 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Sp. Espinho -Paços de Brandão Milheiroense - AD Sanjoanense Fiães - Lusitânia de Lourosa Paivense - Arouca - 14/12 Arrifanense - Feirense

DISTRITAL DE JUVENIS II DIVISÃO - Série A

Resultados - 11.ª Jornada Relâmpago Nog. 1 1 Sp. Espinho São Martinho 1 7 Canedo Argoncilhe 0 4 Vilamaiorense Folgou Anta Classificação J V E D F - C P Sp. Espinho 10 7 1 2 46 - 16 22 Vilamaioren. 9 6 2 1 32 - 4 20 Anta 9 6 2 1 22 - 10 20 Canedo 9 4 2 3 32 - 16 14 Relâmp. Nog. 9 3 1 5 11 - 27 10 São Martinho 10 1 1 8 7 - 48 4 Argoncilhe 80 1 7 4 - 33 1 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Sp. Espinho -Argoncilhe Canedo - Relâmpago Nogueirense Anta - São Martinho Folga Vilamaiorense

DISTRITAL DE JUVENIS II DIVISÃO - Série B

Resultados - 11.ª Jornada São João de Ver 2 2 Paços Brandão Fiães 0 3 União Lamas Lusit. Lourosa 5 2 CRC Vale Folgou Esmoriz Classificação J V E D F - C P União Lamas 9 6 2 1 27 - 10 20 P. Brandão 10 6 1 3 31 - 15 19 Lourosa 9 6 1 2 28 - 12 19 S. J. de Ver 9 6 1 2 23 - 9 19 CRC Vale 10 2 2 6 20 - 43 8 Esmoriz 9 2 0 7 11 - 35 6 Fiães 10 1 1 8 10 - 26 4 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Paços de Brandão - Lusitânia União de Lamas - São João de Ver Esmoriz - Fiães Folga CRC Vale

DISTRITAL DE JUVENIS II DIVISÃO - Série C

Resultados - 11.ª Jornada Cucujães 10 2 Rio Meão Mosteirô F. C. 3 0 São Roque Cesarense 5 0 S. Vic. Pereira Folgou Arada Classificação J V E D F - C P São Roque 9 6 1 2 13 - 9 19 Cesarense 9 6 0 3 27 - 11 18 Rio Meão 10 6 0 4 17 - 25 18 Cucujães 9 3 3 3 22 - 14 12 Mosteirô FC 10 3 2 5 11 - 16 11 S. Vic. Pereira 10 1 6 3 13 - 19 9 Arada 9 1 2 6 4- 13 5 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Rio Meão - Cesarense São Roque - Cucujães Arada - Mosteirô F. C. Folga São Vicente Pereira

DISTRITAL DE INICIADOS I DIVISÃO - Zona Norte

Resultados - 13.ª Jornada Sp. Espinho 3 0 Paços Brandão Lusit. Lourosa 3 0 Paivense Feirense 0 3 Fiães Arouca 1 0 Anta São João de Ver 1 3 Vilamaiorense Classificação J V E D F - C P Fiães 13 11 2 0 31 - 3 35 Lourosa 13 7 5 1 40 - 10 26 Anta 13 7 3 3 42 - 18 24 Sp. Espinho 13 7 1 5 42 - 22 22 Feirense 13 6 4 3 23 - 14 22 Arouca 13 7 0 6 21 - 21 21 P. Brandão 13 4 2 7 23 - 23 14 Paivense 13 2 3 8 16 - 32 9 S. J. de Ver 13 3 0 10 16 - 41 9 Vilamaioren. 13 1 0 12 9 - 79 3 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Paços de Brandão - Arouca Paivense - Sp. Espinho Fiães - Lusitânia de Lourosa Anta - São João de Ver - 14/12 Vilamaiorense - Feirense

DISTRITAL DE INICIADOS I DIVISÃO - Zona Sul

Resultados - 13.ª Jornada Oliveirense 1 0 Beira-Mar Gafanha 5 0 Estarreja AD Sanjoanense 3 0 Oiã Taboeira 0 2 Cesarense Anadia 3 0 Avanca Classificação J V E D F - C P Anadia 13 11 1 1 40 - 10 34 Sanjoanense 13 9 1 3 32 - 8 28 Cesarense 13 9 1 3 26 - 19 28 Beira-Mar 13 6 4 3 25 - 19 22 Gafanha 13 6 2 5 23 - 20 20 Oliveirense 13 6 0 7 16 - 21 18 Estarreja 13 5 1 7 16 - 28 16 Oiã 13 3 1 9 23 - 31 10 Taboeira 13 1 3 9 8 - 28 6 Avanca 13 1 2 10 10 - 35 5 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Beira-Mar - Taboeira Estarreja - Oliveirense Oiã - Gafanha - 14/12 Cesarense - Anadia Avanca - AD Sanjoanense

DISTRITAL DE INICIADOS II DIVISÃO - Série A

Resultados - 11.ª Jornada Sp. Espinho 1 1 Anta Paivense 1 3 Relâmpago Nog. Canedo 2 0 Argoncilhe Folgou Fiães Classificação J V E D F - C P Sp. Espinho 9 7 1 1 27 - 7 22 Fiães 9 6 2 1 19 - 10 20 Anta 10 6 2 2 18 - 9 20 Paivense 10 4 1 5 14 - 17 13 Relâmp. Nog. 9 3 1 5 13 - 14 10 Canedo 9 3 1 5 8 - 15 10 Argoncilhe 10 0 0 10 4 - 31 0 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Anta - Canedo Relâmpago Nogueirense - Sp. Espinho Fiães - Paivense Folga Argoncilhe

DISTRITAL DE INICIADOS II DIVISÃO - Série B

Resultados - 11.ª Jornada Paços Brandão 1 3 Fiães Esmoriz 1 2 Fermedo Lusit. Lourosa 0 5 União Lamas Folgou Silvalde Classificação J V E D F - C P União Lamas 10 10 0 0 28 - 1 30 Fermedo 9 8 0 1 46 - 8 24 Esmoriz 10 3 2 5 14 - 14 11 Fiães 10 3 2 5 13 - 25 11 Silvalde 9 3 0 6 10 - 23 9 Lourosa 9 2 3 4 3 - 18 9 P. Brandão 9 0 1 8 3 - 28 1 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Fiães - Lusitânia de Lourosa Fermedo -Paços de Brandão Silvalde - Esmoriz Folga União de Lamas

DISTRITAL DE INICIADOS II DIVISÃO - Série C

Resultados - 11.ª Jornada Unidos Rossas 0 1 Tarei Milheiroense 3 2 Arouca Cucujães 0 2 Arrifanense Feirense 2 4 Carregosense Classificação J V E D F - C P Feirense 11 10 0 1 57 - 15 30 Tarei 11 10 0 1 34 - 5 30 Carregosen. 11 7 2 2 35 - 16 23 Arrifanense 11 5 2 4 18 - 11 17 Unid. Rossas 11 3 0 8 16 - 29 9 Cucujães 11 2 2 7 8 - 36 8 Arouca 11 2 0 9 14 - 37 6 Milheiroense 11 1 2 8 10 - 43 5 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Tarei - Feirense Arouca - Unidos de Rossas Arrifanense - Milheiroense Carregosense - Cucujães

INFANTIS A - Grupo 1 - Série A

Resultados - 8.ª Jornada Anta 1 1 Lusit. Lourosa Vilamaiorense 0 0 Fiães Paivense 1 2 São João de Ver Salesianos 1 9 Paços Brandão Sp. Espinho 5 5 Paramos Classificação J V E D F - C P Anta 8 7 1 0 66 - 7 22 P. Brandão 8 7 0 1 42 - 6 21 Sp. Espinho 8 5 2 1 50 - 19 17 Paramos 8 4 2 2 22 - 16 14 Lourosa 8 3 3 2 23 - 14 12 Paivense 8 3 0 5 15 - 22 9 Vilamaioren. 8 2 1 5 16 - 32 7 S. J. de Ver 8 2 0 6 9 - 62 6 Fiães 8 1 1 6 8 - 37 4 Salesianos 8 1 0 7 11 - 47 3 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Paramos - Anta Lusitânia de Lourosa Fiães - Paivense São João de Ver - Salesianos Paços de Brandão - Sp. Espinho

INFANTIS A - Grupo 1 - Série B

Resultados - 8.ª Jornada Bustelo 5 1 Macieira Cambra Cesarense 9 0 Tarei Oliveirense 18 1 Unidos Rossas AD Sanjoanense 1 5 Feirense Ovarense 2 4 Arrifanense Classificação J V E D F - C P Feirense 8 7 0 1 70 - 8 21 Oliveirense 8 7 0 1 54 - 6 21 Sanjoanense 8 7 0 1 54 - 10 21 Arrifanense 8 5 0 3 39 - 16 15 Bustelo 8 5 0 3 42 - 28 15 Ovarense 8 4 0 4 31 - 22 12 Cesarense 8 2 0 6 15 - 31 6 Mac. Cambra 8 2 0 6 10 - 49 6 Unid. Rossas 8 1 0 7 13 - 91 3 Tarei 8 0 0 8 2 - 69 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Arrifanense - Bustelo Macieira de Cambra - Cesarense Tarei - Oliveirense Unidos de Rossas - AD Sanjoanense Feirense - Ovarense

INFANTIS A - Grupo 2 - Série A

Resultados - 8.ª Jornada Anta 1 5 Caldas S. Jorge Sp. Espinho 0 5 União de Lamas Argoncilhe 5 3 Esmoriz Folgou Fiães Classificação J V E D F - C P União Lamas 7 7 0 0 42 - 5 21 C. São Jorge 7 6 0 1 46 - 8 18 Argoncilhe 7 4 1 2 33 - 17 13 Esmoriz 7 3 0 4 26 - 23 9 Anta 7 2 1 4 21 - 23 7 Sp. Espinho 7 1 0 6 12 - 5 5 3 Fiães 6 0 0 6 11 - 60 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro União de Lamas - Anta Esmoriz - Sp. Espinho Fiães - Argoncilhe Folga Caldas de São Jorge

INFANTIS A - Grupo 2 - Série B

Resultados - 8.ª Jornada Feirense 4 0 Arouca AD Sanjoanense 10 2 Milheiroense União de Lamas 0 1 Rio Meão Fermedo 1 0 Arada Classificação J V E D F - C P Feirense 8 8 0 0 41 - 3 24 Fermedo 8 6 1 1 25 - 9 19 Sanjoanense 8 5 1 2 49 - 11 16 Rio Meão 8 4 0 4 14 - 27 12 Arouca 8 3 1 4 26 - 21 10 Arada 8 3 0 5 9 - 23 9 União Lamas 8 1 1 6 4 - 27 4 Milheiroense 8 0 0 8 6 - 53 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Milheiroense - Feirense Arouca - Fermedo Rio Meão - AD Sanjoanense Arada - União de Lamas

INFANTIS A - Grupo 2 - Série C

Resultados - 8.ª Jornada Estarreja 4 5 Mosteirô F. C. Oliveirense 5 4 Soutelo Milheiroense 13 0 S. M.. Murtoense Folgou Furadouro Classificação J V E D F - C P Milheiroense 7 7 0 0 63 - 3 21 Oliveirense 7 5 1 1 26 - 15 16 Soutelo 7 4 1 2 30 - 27 13 Mosteirô FC 7 3 1 3 19 - 20 10 Estarreja 7 2 1 4 27 - 16 7 Furadouro 6 1 0 5 7 - 30 3 S.M. Murtoense 7 0 0 7 7 - 68 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Soutelo - Estarreja São Marítimo Murtoense - Oliveirense Furadouro - Milheiroense Folga Mosteirô F. C.

INFANTIS B - Série A

Resultados - 8.ª Jornada Anta 2 3 Vilamaiorense Canedo 2 2 Sanguedo Fiães 4 1 Sp. Espinho Folgou Lusitânia de Lourosa Classificação J V E D F - C P Sp. Espinho 7 6 0 1 37 - 10 18 Lourosa 6 5 0 1 28 - 7 15 Fiães 7 5 0 2 22 - 12 15 Vilamaioren. 7 2 1 4 21 - 27 7 Sanguedo 7 2 1 4 15 - 34 7 Canedo 7 1 2 4 15 - 26 5 Anta 7 1 0 6 8 - 30 3 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Sanguedo - Anta Sp. Espinho -Canedo Lusitânia de Lourosa - Fiães Folga Vilamaiorense

INFANTIS B - Série B

Resultados - 8.ª Jornada Anta 11 0 Paramos Cortegaça 4 1 Fiães Esmoriz 4 2 São João Ver Folgou Paços de Brandão Classificação J V E D F - C P S. J. de Ver 7 6 0 1 24 - 9 18 Anta 7 4 2 1 23 - 12 14 P. Brandão 6 4 0 2 16 - 10 12 Esmoriz 7 3 2 2 17 - 13 11 Cortegaça 7 2 1 4 13 - 16 7 Fiães 7 1 1 5 10 - 19 4 Paramos 7 1 0 6 6 - 30 3 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Fiães - Anta São João de Ver - Cortegaça Paços de Brandão - Esmoriz Folga Paramos


Correio da Feira 09.DEZ.2013

21

Voleibol // Enis alit nulla aci et lamcommy nulla corem ipit, si.Metue modolor sumsan ercilit eu feui blaor at praestrud modoluptat lum velit praesed dit utat

RESULTADOS CAMADAS JOVENS

INFANTIS B - Série C

Resultados - 8.ª Jornada Mosteirô F. C. 4 0 São João de Ver Feirense 3 1 AD Sanjoanense 5 1 Tarei Milheiroense Arrifanense 2 0 Salesianos Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 8 6 1 1 69 - 6 19 Arrifanense 8 6 1 1 43 - 8 19 Feirense 8 5 2 1 50 - 8 17 Milheiroense 8 5 0 3 35 - 20 15 Salesianos 8 4 0 4 23 - 17 12 Mosteirô FC 8 2 0 6 13 - 41 6 Tarei 8 1 0 7 16 - 55 3 S. J. de Ver 8 1 0 7 5 - 99 3 Próxima Jornada - 14 de Dezembro AD Sanjoanense - Mosteirô F. C. São João de Ver - Arrifanense Tarei - Feirense Salesianos - Milheiroense

INFANTIS B - Série D

Resultados - 8.ª Jornada Ovarense 1 6 Carregosense AD Sanjoanense 0 7 Feirense Folgaram Cucujães e Oliveirense Classificação J V E D F - C P Feirense 6 6 0 0 55 - 1 18 Oliveirense 5 4 0 1 28 - 5 12 Carregosense 6 3 1 2 18 - 21 10 Cucujães 5 2 1 2 7 - 11 7 Sanjoanense 6 1 0 5 8 - 43 3 Ovarense 6 0 0 6 4 - 39 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Cucujães - Ovarense Oliveirense - AD Sanjoanense FolgamFeirense e Carregosense

BENJAMINS A - Série A

Resultados - 9.ª Jornada Vilamaiorense 19 2 Anta Paivense 9 1 Sanguedo Argoncilhe 0 9 Sp. Espinho Folgou Canedo Classificação J V E D F - C P Vilamaioren. 8 8 0 0 116 - 5 24 Sp. Espinho 8 6 0 2 39 - 14 18 Paivense 8 4 0 4 29 - 23 12 Anta 8 4 0 4 34 - 36 12 Canedo 7 3 1 3 19 - 31 10 Sanguedo 8 1 1 6 10 - 66 4 Argoncilhe 7 0 0 7 4 - 76 0 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Anta - Paivense Canedo - Vilamaiorense Sanguedo - Argoncilhe - 15/12 Folga Sp. Espinho

BENJAMINS A- Série B

Resultados - 9.ª Jornada União de Lamas 2 4 Anta CRC Vale 0 17 Lusit. Lourosa Fiães 2 3 São João de Ver Paços Brandão 5 2 Vilamaiorense Classificação J V E D F - C P Anta 9 9 0 0 102 - 9 27 P. Brandão 9 7 1 1 46 - 27 22 União Lamas 9 5 1 3 27 - 20 16 S. J. de Ver 9 5 0 4 26 - 26 15 Lourosa 9 3 0 6 34 - 27 9 Vilamaioren. 9 3 0 6 14 - 22 9 Fiães 9 2 0 7 18 - 44 6 CRC Vale 9 1 0 8 8 - 100 3 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Anta - Fiães CRC Vale - União de Lamas São João de Ver - Paços de Brandão Vilamaiorense - Lusitânia de Lourosa

BENJAMINS A- Série C

Resultados - 9.ª Jornada Rio Meão 3 2 Fermedo Arouca 10 1 Lusit. Lourosa Feirense 2 1 Fiães Esmoriz 6 2 Arrifanense Classificação J V E D F - C P Feirense 9 9 0 0 72 - 6 27 Fiães 9 7 0 2 75 - 8 21 Esmoriz 9 7 0 2 59 - 17 21 Arouca 9 5 1 3 38 - 30 16 Arrifanense 9 3 1 5 33 - 34 10 Fermedo 9 2 0 7 13 - 45 6 Rio Meão 9 2 0 7 11 - 62 6 Lourosa 9 0 0 9 5 - 104 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Fermedo - Feirense Arouca - Rio Meão Fiães - Esmoriz Arrifanense - Lusitânia de Lourosa

BENJAMINS A- Série D

Resultados - 9.ª Jornada Cesarense 4 2 AD Sanjoanense Fajões 0 11 Cortegaça Arada N/ Rea. Unidos de Rossas Feirense 14 0 Milheiroense Classificação J V E D F - C P Feirense 9 9 0 0 98 - 4 27 Cesarense 9 8 0 1 57 - 13 24 Cortegaça 9 6 0 3 48 - 21 18 Sanjoanense 9 5 0 4 60 - 14 15 Arada 8 3 0 5 28 - 41 9 Unidos Rossas 8 2 0 614 - 6 2 6 Milheiroense 8 1 0 7 11 - 39 3 Fajões 8 0 0 8 1 - 123 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro AD Sanjoanense - Arada Fajões - Cesarense Unidos de Rossas - Feirense Milheiroense - Cortegaça

BENJAMINS A- Série E

Resultados - 9.ª Jornada Tarei 1 2 Cucujães Valecambrense 6 2 Carregosense Ovarense 5 2 Macieira Cambra AD Sanjoanense 6 2 Bustelo Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 9 9 0 0 63 - 6 27 Bustelo 9 7 0 2 40 - 19 21 Ovarense 9 6 0 3 50 - 22 18 Mac. Cambra 9 4 1 4 42 - 42 13 Valecambren. 9 4 1 4 29 - 34 13 Cucujães 9 2 2 5 15 - 33 8 Carregosense 9 0 2 7 9 - 49 2 Tarei 9 0 2 7 10 - 53 2 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Cucujães - Ovarense Valecambrense - Tarei Macieira de Cambra - AD Sanjoanense Bustelo - Carregosense

BENJAMINS B- Série A

Resultados - 9.ª Jornada Sp. Espinho 5 2 Anta União de Lamas 8 0 Cortegaça Sanguedo 1 11 Vilamaiorense Lusit. Lourosa 6 4 Fiães Classificação J V E D F - C P Vilamaioren. 9 6 3 0 53 - 9 21 Lourosa 9 6 2 1 50 - 14 20 Sp. Espinho 9 5 4 0 40 - 10 19 União Lamas 9 5 1 3 31 - 10 16 Anta 9 3 1 5 17 - 24 10 Sanguedo 9 3 1 5 21 - 36 10 Fiães 9 1 0 8 12 - 56 3 Cortegaça 9 1 0 8 8 - 73 3 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Anta - Sanguedo União de Lamas - Sp. Espinho Vilamaiorense - Lusitânia Lourosa Fiães - Cortegaça

BENJAMINS B- Série B

Resultados - 9.ª Jornada Fiães 3 1 Anta Vilamaiorense 1 5 Esmoriz São João de Ver 14 1 CRC Vale Paços Brandão 3 2 Caldas S. Jorge Classificação J V E D F - C P Anta 9 7 0 2 59 - 13 21 S. J. de Ver 9 7 0 2 51 - 14 21 C. S. Jorge 9 6 1 2 39 - 9 19 P. Brandão 9 6 0 3 28 - 17 18 Fiães 9 5 1 3 39 - 12 16 Esmoriz 9 3 0 6 30 - 30 9 Vilamaioren. 9 1 0 8 11 - 50 3 CRC Vale 9 0 0 9 7 - 119 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Anta - São João de Ver Vilamaiorense - Fiães CRC Vale - Paços de Brandão Caldas de São Jorge - Esmoriz

BENJAMINS B- Série C

Resultados - 9.ª Jornada AD Sanjoanense 6 4 Cucujães Salesianos 7 3 Carregosense Milheiroense 4 2 Cesarense Feirense 1 0 Arrifanense Classificação J V E D F - C P Arrifanense 9 8 0 1 59 - 9 24 Feirense 9 7 0 2 63 - 11 21 Milheiroense 9 6 0 3 44 - 20 18 Sanjoanense 9 5 0 4 45 - 36 15 Salesianos 9 5 0 4 30 - 23 15 Cesarense 9 3 1 5 16 - 33 10 Cucujães 9 1 1 7 12 - 53 4 Carregosense 9 0 0 9 8 - 92 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Cucujães - Milheiroense Salesianos -. AD Sanjoanense Cesarense - Feirense Arrifanense - Carregosense

BENJAMINS B- Série D

Resultados - 9.ª Jornada Oliveirense 1 2 Ovarense Valecambrense 1 6 Furadouro Cucujães 0 8 AD Sanjoanense Folgou Válega Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 8 8 0 0 76 - 7 24 Furadouro 7 6 0 1 38 - 16 18 Ovarense 8 4 0 4 30 - 25 12 Oliveirense 7 3 1 3 19 - 31 10 Cucujães 8 2 1 5 20 - 31 7 Válega 7 2 0 5 13 - 45 6 Valecambren. 7 0 0 7 6 - 47 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Ovarense - Válega Valecambrense - Oliveirense AD Sanjoanense - Furadouro Folga Cucujães

TRAQUINAS A- Série A

Resultados - 9.ª Jornada Fiães 4 1 Anta Vilamaiorense 3 1 Cortegaça Lusit. Lourosa 3 7 Canedo União de Lamas 0 6 Sp. Espinho Classificação J V E D F - C Fiães 9 8 0 1 73 - 5 Sp. Espinho 9 7 1 1 54 - 5 Vilamaioren. 9 6 1 2 40 - 11 Cortegaça 9 4 3 2 22 - 14 Canedo 9 4 1 4 34 - 31 Anta 9 3 0 6 27 - 21 Lourosa 9 1 0 8 5 - 118 União Lamas 9 0 0 9 1 - 51 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Anta - Lusitânia de Lourosa Vilamaiorense - Fiães Canedo - União de Lamas Sp. Espinho - Cortegaça

TRAQUINAS B - Série B

P 24 22 19 15 13 9 3 0

TRAQUINAS A - Série B

Resultados - 8.ª Jornada São João de Ver 0 5 Anta Esmoriz 0 6 Lusit. Lourosa Paços Brandão 2 5 Fermedo Folgou Arouca Classificação J V E D F - C P Anta 7 7 0 0 62 - 2 21 Lourosa 8 5 1 2 27 - 14 16 S. J. de Ver 8 5 0 3 22 - 21 15 Fermedo 8 3 1 4 24 - 24 10 Esmoriz 8 3 0 5 21 - 32 9 P. Brandão 8 2 0 6 15 - 51 6 Arouca 7 0 2 5 11 - 38 2 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Anta - Esmoriz Lusitânia de Lourosa - Paços de Fermedo - Arouca Folga São João de Ver

TRAQUINAS A - Série C

Resultados - 9.ª Jornada AD Sanjoanense 3 1 Milheiroense Cesarense 10 1 Arada Paços Brandão 2 1 Arrifanense Folgou Feirense Classificação J V E D F - C Cesarense 8 7 0 1 54 - 15 Feirense 7 7 0 0 39 - 6 P. Brandão 7 5 0 2 34 - 17 Arrifanense 8 3 0 5 17 - 22 Arada 8 2 1 5 16 - 56 Sanjoanense 8 1 1 6 16 - 30 Milheiroense 8 1 0 7 15 - 45 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Milheiroense - Cesarense Feirense - AD Sanjoanense Arada - Paços de Brandão Folga Arrifanense

FEMININO CAMPEONATO DE PROMOÇÃO DE FUTEBOL FEMININO - Série B

Resultados - 8.ª Jornada Fiães 2 2 Esmoriz Canelas 2010 0 5 Pasteleira Viseu 2001 1 0 S. Marit. Murtoense Mocid. Eirolense 1 0 UD Sousense Folgou Vila FC Classificação J V E D F - C P Pasteleira 7 6 1 0 44 - 4 19 Viseu 2001 6 6 0 0 53 - 1 18 Moc. Eirolense 7 5 1 1 18 - 8 16 S. M. Murtoense 6 2 2 2 8 - 7 8 Vila FC 7 2 2 3 10 - 10 8 UD Sousense 7 2 2 3 8 - 18 8 Fiães 7 1 1 5 9 - 52 4 Canelas 2010 7 0 2 5 3 - 25 2 Esmoriz 6 0 1 5 4 - 32 1 Próxima Jornada - 15 de Dezembro Vila FC - Fiães, 15h Esmoriz - Canelas 2010 Pasteleira - Viseu 2001 São Marítimo Murtoense - UD Sousense Folga Mocidade Eirolense

CAMPEONATO DISTRITAL FEMININO - FUT /7 - SUB/18

P 21 21 15 9 7 4 3

TRAQUINAS A - Série D

Resultados - 9.ª Jornada Loureiro 10-Dez Cucujães Macieira Cambra 2 1 Valecambrense Ovarense 1 7 AD Sanjoanense Folgou Oliveirense Classificação J V E D F - C P Sanjoanense 8 8 0 0 60 - 7 24 Oliveirense 7 5 0 2 37 - 11 15 Cucujães 7 4 0 313 - 22 12 Loureiro 7 3 0 4 18 - 17 9 Ovarense 7 2 0 5 21 - 3 8 6 Valecambren. 8 2 0 6 11 - 3 3 6 Mac. Cambra 8 2 0 6 22 - 54 6 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Cucujães - Macieira de Cambra- 15/12 Oliveirense - Loureiro Valecambrense - Ovarense Folga AD Sanjoanense

TRAQUINAS B - Série A

Resultados - 4.ª Jornada Lusit. Lourosa 2 0 Anta Sp. Espinho 3 1 Fiães Vilamaiorense 13 0 Sanguedo Classificação J V E D F - C Fiães 4 3 0 1 23 - 7 Lourosa 4 3 0 1 9 - 8 Vilamaioren. 4 2 0 2 21 - 10 Sp. Espinho 4 2 0 2 17 - 7 Anta 4 2 0 2 12 - 7 Sanguedo 4 0 0 4 0 - 43 Próxima Jornada - 21 de Dezembro Sanguedo - Lusitânia de Lourosa Anta - Sp. Espinho Fiães - Vilamaiorense

Resultados - 5.ª Jornada Arrifanense 1 9 Paços Brandão Anta 1 2 Salesianos Milheiroense 1 16 São João de Ver Folgou Feirense Classificação J V E D F - C P P. Brandão 5 5 0 0 30 - 5 15 Feirense 4 4 0 0 34 - 4 12 Salesianos 4 2 0 2 13 - 7 6 S. J. de Ver 4 2 0 2 20 - 14 6 Anta 4 0 1 3 5 - 11 1 Arrifanense 3 0 1 2 5 - 14 1 Milheiroense 4 0 0 4 1 - 53 0 Próxima Jornada - 14 de Dezembro Paços de Brandão - Feirense Salesianos - Arrifanense São João de Ver - Anta Folga Milheiroense

P 9 9 6 6 6 0

Resultados - 5.ª Jornada Vaguense adiado Clube Albergaria Esmoriz 0 4 Mocid. Eirolense Ovarense 0 3 S. Marit. Murtoense Cesarense 3 2 Fiães Sanguedo 1 2 Cucujães Folga Argoncilhe Classificação J V E D F - C P S. M. Murtoense 6 4 1 1 22 - 6 13 Cucujães 6 4 1 1 15 - 3 13 Moc. Eirolense 5 4 0 1 19 - 6 12 Cesarense 5 4 0 1 17 - 11 12 Ovarense 5 3 1 1 12 - 7 10 C. Albergaria 3 2 1 0 9 - 57 Sanguedo 5 2 0 3 15 - 18 6 Fiães 6 1 1 4 10 - 12 4 Esmoriz 6 1 0 5 7 - 2 5 3 Argoncilhe 4 0 1 3 2 - 14 1 Vaguense 5 0 0 5 6 - 27 0 Próxima Jornada - 21 de Dezembro Argoncilhe - Vaguense Clube Albergaria - Esmoriz Mocidade Eirolense - Ovarense São Marítimo Murtoense - Cesarense Fiães - Sanguedo Folgou Cucujães

FUTSAL JUNIORES FEMININO FUTSAL

Resultados - 6.ª Jornada Lusit. Lourosa #### Novasemente Leões Tardariz 2 3 Restaur. Avintenses SC Canidelo 3 0 PARC Barranha 2 2 Ossela Escola Gondomar 7 0 Ases Leça Classificação J V E D F - C P Rest. Avintenses 6 6 0 0 47 - 5 18 Ossela 6 5 1 0 40 - 2 16 Barranha 6 4 2 0 33 - 8 14 Esc. Gondomar 6 3 2 1 24 - 9 11 SC Canidelo 6 2 2 2 12 - 18 8 Novasemente 5 2 0 3 11 - 23 6 Leões Tardariz 6 1 1 4 21 - 24 4 Lusit. Lourosa 5 1 0 4 6 - 16 3 PARC 6 1 0 5 3 - 37 3 Ases Leça 6 0 0 6 1 - 56 0 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro PARC - Lusitânia de Lourosa - 14/12, 15h Novasemente - Leões Tardariz Restauradores Avintenses - Barranha - 14/12 Ossela - Escola Gondomar Ases Leça - SC Canidelo

JUNIORES FUTSAL Zona Norte

Resultados - 12.ª Jornada Ossela 5 2 Juventude Fiães Futsal Azeméis 17-Dez Saavedra Guedes ACR Vale Cambra 7 5 Din. Sanjoanense Lusitânia Lourosa 3 7 Lamas Futsal Folgou CRECOR Classificação J V E D F - C P Ossela 11 10 0 1 59 - 24 30 CRECOR 10 8 1 1 66 - 18 25

JUNIORES FUTSAL Zona Norte

Resultados - 12.ª Jornada Ossela 5 2 Juventude Fiães Futsal Azeméis 17-Dez Saavedra Guedes ACR Vale Cambra 7 5 Din. Sanjoanense JUNIORES FUTSAL 3 7 Lamas Futsal Lusitânia Lourosa Zona CRECOR Norte Folgou Resultados - 12.ª Jornada Classificação 5 2 Ossela Fiães J V E Juventude D F - C P 17-Dez Futsal Azeméis Ossela 11 10 0 Saavedra 1 59 - Guedes 24 30 7 1 5 Din. ACR Vale Cambra Sanjoanense CRECOR 10 8 1 66 - 18 25 3 0 7 Lamas Lusitânia Lourosa Juvent. Fiães 11 8 3 85 Futsal - 34 24 Saavedra Gued.Folgou 10 7 CRECOR 0 3 55 - 38 21 Lusit. Lourosa Classificação 11 3 1 7 40 - 71 10 J V E D F - 52 C 9 P ACR V. Cambra 11 3 0 8 35 Ossela Futsal 10 11 10 24 30 Lamas 3 0 1 7 59 37 - 60 9 CRECOR 10 8 1 1 66 18 25 D. Sanjoanen. 11 3 0 8 36 62 9 Juvent. Fiães 11 8 0 0 8 3 16 85 -- 70 34 24 Futsal Azeméis 9 1 3 Saavedra Gued. 10 7 0 3 55 - 38 21 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Lusit. Lourosa 11 3 1 7 40 - 71 10 Dinamo 11 Sanjoanense ACR V. Cambra 3 0 8 - Ossela 35 - 52 9 Juventude Lamas FutsalFiães 10 -3Futsal 0 Azeméis 7 37 - - 15/12, 60 9 Lamas Futsal ACR 21h D. Sanjoanen. 11 3 Vale 0 de 8 Cambra, 36 - 62 9 CRECOR -Lusitânia de Lourosa, 18,30h Futsal Azeméis 9 1 0 8 16 - 70 3 Folga Saavedra Guedes Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Dinamo Sanjoanense - Ossela JUVENIS FUTSAL Juventude Fiães - -Futsal Azeméis - 15/12, Resultados 12.ª Jornada Lamas Futsal ACR Vale de Cambra, 21h Ossela 3 1 CRECUS CRECOR -Lusitânia 9 de 2 Lourosa, Saavedra 18,30h Guedes CD Escapães 14 0 D. Sanjoanense CD Feirense Folga Saavedra Guedes 4 1 Beira-Mar Juventude Fiães GRC Telhadela 3 5 Atómicos Veiros 5 5 CP Esgueira Folgou ACR Vale de Cambra Classificação J V E D F - C P Ossela 11 10 0 1 72 - 13 30 D. Sanjoanen. 11 9 1 1 80 9 28 CD Escapães 11 9 1 1 57 - 22 28 Atómicos 11 8 0 3 47 - 26 24 CRECUS 11 5 2 4 29 - 25 17 Esgueira 11 3 4 4 42 - 40 13 Saavedra Gued. 11 4 1 6 22 - 41 13 Beira-Mar 11 4 1 6 22 - 44 13 Telhadela 12 3 3 6 26 - 52 12 Juvent. Fiães 11 3 1 7 27 - 53 10 ACR V. Cambra 10 2 2 6 15 - 37 8 Veiros 11 2 1 8 24 - 47 7 CD Feirense 10 0 1 9 11 - 65 1 Próxima Jornada - 14 de Dezembro CRECUS -CD Escapães, 15h Saavedra Guedes - Dinamo Sanjoanense CD Feirense - Juventude de Fiães, 15h Beira-Mar - ACR Vale de Cambra Atómicos - Veiros CP Esgueira - Ossela Folga GRC Telhadela

INICIADOS FUTSAL Zona Norte

Resultados - 12.ª Jornada PARC 5 2 CD Escapães GDC Lordelo 3 7 Fundo de Vila ACR Vale Cambra 0 9 D. Sanjoanense Saavedra Guedes 1 5 GDC Sanfins 4 2 CRECOR Juventude Fiães Ossela 18 0 Lusitânia Lourosa Classificação P J V E D F - C Fundo de Vila 12 12 0 0 121 - 23 36 Ossela 12 11 0 1 128 - 22 33 GCD Sanfins 12 8 1 3 49 - 43 25 D. Sanjoanen. 12 8 0 4 88 - 38 24 Juvent. Fiães 12 8 0 4 57 - 31 24 CRECOR 12 8 0 4 50 - 29 24 PARC 12 6 0 6 56 - 59 18 CD Escapães 12 4 1 7 28 - 34 13 Lordelo 12 3 0 9 47 - 63 9 Saavedra Gued. 12 2 0 10 17 - 76 6 ACR V. Cambra 12 1 0 11 14 - 79 3 Lusit. Lourosa 12 0 0 12 6 - 164 0 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Lusitânia de Lourosa - PARC - 15/12., 11h CD Escapães - GDC Lordelo,20,30h Fundo de Vila - ACR Vale de Cambra Dinamo Sanjoanense - Saavedra Guedes GCD Sanfins - Juventude de Fiães, 10,30h CRECOR - Ossela- 15/12

INFANTIS FUTSAL

Resultados - 10.ª Jornada CP Esgueira 2 7 Din. Sanjoanense AD Travassô 4 10 PARC Novasemente 7 4 ACR Vale Cambra GRC Telhadela 9 5 CCR Maceda CD Escapães 1 1 CC Barrô ADREP 1 1 Ossela CAP Alquerubim 3 5 CRECUS Folgou Fundo de Vila Classificação P J V E D F - C Ossela 9 8 1 0 71 - 19 25 CC Barrô 9 7 1 1 43 - 20 22 CAP Alquerub. 9 6 1 2 52 - 26 19 CRECUS 9 6 1 2 31 - 24 19 D. Sanjoanen. 9 6 0 3 60 - 35 18 PARC 10 4 3 3 53 - 34 15 ADREP 9 4 2 3 41 - 28 14 Fundo de Vila 9 4 2 3 38 - 31 14 CD Escapães 9 4 1 4 32 - 32 13 Telhadela 9 3 2 4 39 - 42 11 Novasemente 10 3 1 6 29 - 33 10 ACR V. Cambra 10 3 1 6 26 - 43 10 AD Travassô 10 3 0 7 34 - 72 9 CCR Maceda 9 1 0 8 20 - 68 3 CP Esgueira 10 0 0 10 12 - 74 0 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro CP Esgueira - AD Travassô PARC - Novasemente- 15/12 Fundo de Vila - GRC Telhadela- 15/12 CCR Maceda -CD Escapães, 15h CC Barrô - ADREP- 15/12 Ossela - CAP Alquerubim - 15/12 Dinamo Sanjoanense - CRECUS Folga ACR Vale de Cambra

BENJAMINS FUTSAL

Resultados - 10.ª Jornada GDC Lordelo 5 5 ADREP CAP Alquerubim 5 4 Saavedra Guedes PARC 4 5 Belazaima CD Feirense 1 6 GCD Sanfins CCR Maceda 3 6 CC Barrô Din. Sanjoanense adiado GRC Telhadela ACR Vale Cambra 2 3 Novasemente Folgou CRECUS Classificação P J V E D F - C GDC Lordelo 10 8 2 0 93 - 15 26 ADREP 9 7 2 0 88 - 18 23 CC Barrô 10 7 2 1 93 - 30 23 Telhadela 8 6 1 1 50 - 21 19 CCR Maceda 9 6 0 3 60 - 31 18 Belazaima 8 4 2 2 62 - 24 14 D. Sanjoanen. 8 4 1 3 56 - 41 13 GCD Sanfins 9 4 1 4 48 - 41 13 Novasemente 10 4 1 5 42 - 59 13 PARC 9 3 2 4 42 - 44 11 ACR V. Cambra 9 3 1 5 44 - 38 10 CD Feirense 9 2 1 6 21 - 50 7 CAP Alquerub. 10 1 0 9 15 - 113 3 Saavedra Gued. 9 0 1 8 15 - 101 1 CRECUS 9 0 1 8 15 - 118 1 Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro CRECUS - GDC Lordelo ADREP - CAP Alquerubim Saavedra Guedes - PARC Belazaima - CD Feirense - 14/12, 18h GCD Sanfins - CCR Maceda- 14/12, 10,30h CC Barrô - Dinamo Sanjoanense GRC Telhadela - ACR Vale de Cambra Folga Novasemente


22

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Taça Fundação Inatel

Lavandeira vence em Mozelos e consolida liderança do seu grupo com larga vantagem para a concorrência O Lavandeira venceu o Mozelos fora de CAMPEONATO FUNDAÇÃO portas e aumentou a diferença para os seus INATEL - 1.ª Fase - Grupo A perseguidores para sete ponto de vantagem. Resultados - 8.ª Jornada Os golos foram de Diogo e Miguelzinho de Pessegueiro 5 0 Vila Verde Nadais 0 2 Pigeirense grande penalidade. Nos restante jogos do Pousadela 3 0 Real grupo B, destaque para o empate a uma bola Folgou Paraíso no dérbi entre União da Mata e Arrifanenses, Classificação com André Oliveira a marcar para os da casa J V E D F - C P e Paulito para os forasteiros. Já o Vale bateu Pousadela 7 7 0 0 14 - 2 21 a Oliveirense fora de casa por 0-2 com golos Pigeirense 7 5 0 2 15 - 4 15 de Telmo e Tiago. Nadais 7 5 0 2 14 - 6 15 No grupo A o grande destaque vai para a Pessegueiro 7 3 1 3 11 - 10 10 7 2 0 5 10 - 10 6 goleada imposta pelo Pessegueiro em casa Real 7 1 1 5 8 - 22 4 frente ao Vila Verde por 5-0 com Jorge, João, Vila Verde 6 0 0 6 3 - 21 0 Damian Bruno e Nuno a fazerem os golos do Paraíso triunfo. O dérbi entre o Nadais e o Pigeirense Próxima Jornada - 14 e 15 de Dezembro Real - Nadais - 15/12 deu vitória para os visitantes com Nandinho Pigeirense - Paraíso e Vitinha a marcarem para a formação de PiVila Verde - Pousadela geiros. No outro jogo do grupo, o Pousadela Folga Pessegueiro voltou a ganhar, desta feita na recepção ao Real por 3-0, com um bis de Moura e um golo CAMPEONATO FUNDAÇÃO de Dani, continuando na liderança destacada INATEL - 1.ª Fase - Grupo C do grupo só com vitórias. Resultados - 8.ª Jornada Talhadas 2 1 Santo André No jogo mais emocionante desta ronda marADRA Visconde 21-Dez Rêgo caram-se oito golos no empate do Manhôce Real da Praça 4 4 Manhôce FC no reduto do Real da Praça a contar para Folgou Perrães o grupo C. Para a turma feirense marcaram Classificação Barros, Tiago Leite, Diogo e Santos. J V E D F - C P 6 5 1 0 15 - 4 16 No grupo D registaram-se duas vitórias ADRAV 6 4 0 2 17 - 7 12 paras a formações de Santa Maria da Feira, Rêgo Real da Praça 7 3 3 1 18 - 13 12 com os Hyppyes a deslocarem-se ao terreno Perrães 6 3 0 3 12 - 9 9 do Beira Ria e a vencer com Daniel a fazer Manhôce FC 7 2 3 2 16 - 14 9 o único golo do encontro. No outro jogo Santo André 7 1 1 5 6 - 16 4 7 1 0 6 3 - 24 3 com representação concelhia, o Travanca Talhadas Próxima Jornada - 14 de Dezembro bateu fora de portas o Carqueijo por 0-2 Real da Praça - Santo André com golos de André e Bruno, mantendo-se Manhôce FC - ADRA Visconde na perseguição ao líder Hyppyes, mas com Rêgo - Perrães menos um jogo. Folga Talhadas

CAMPEONATO FUNDAÇÃO INATEL - 1.ª Fase - Grupo B

Resultados - 8.ª Jornada União da Mata 1 1 Os Arrifanenses FC Mozelos 0 2 Lavandeira Oliveirense FC 0 2 CRC Vale Folgou Milheirós de Poiares Classificação J V E D F - C P Lavandeira 7 5 2 0 12 - 4 17 Milh. Poiares 6 3 1 2 9 - 6 10 Os Arrifanen. 7 2 4 1 12 - 9 10 União da Mata 7 2 4 1 9 - 6 10 CRC Vale 6 2 1 3 7 - 8 7 FC Mozelos 7 1 3 3 10 - 13 6 Oliveirense FC 6 0 1 5 7 - 20 1 Próxima Jornada - 14 de Dezembro FC Mozelos - Oliveirense FC Os Arrifanenses - Lavandeira CRC Vale - Milheirós de Poiares Folga União da Mata

CAMPEONATO FUNDAÇÃO INATEL - 1.ª Fase - Grupo D

Resultados - 8.ª Jornada GD Beira Ria 0 1 Hyppyes FC AD Nariz 1 4 Leões do Monte Carqueijo 0 2 RC Travanca Folgou Salreu Classificação J V E D F - C P Hyppyes FC 7 6 0 1 18 - 7 18 RC Travanca 6 3 2 1 8 - 3 11 GD Beira Ria 7 3 2 2 7 - 6 11 Leões do Monte 7 3 1 3 11 - 7 10 Salreu 6 1 2 3 5 - 9 5 AD Nariz 7 1 2 4 6 - 16 5 Carqueijo 6 1 1 4 5 - 12 4 Próxima Jornada - 14 de Dezembro RC Travanca - AD Nariz Hyppyes FC - Salreu Leões do Monte - GD Beira Ria Folga Carqueijo


Correio da Feira 09.DEZ.2013

23


24

Correio da Feira 09.DEZ.2013

Arrifana // Nova assembleia de freguesia sem acordo para o executivo

Funcionários da Junta com salário de Novembro assegurado mas a incerteza continua para os meses vindouros A assembleia de freguesia de Arrifana, que teve lugar na passada sexta-feira, começou com uma homenagem a Nelson Mandela. “Proponho que se faça um minuto de silêncio em memória deste líder mundial” – afirmou o presidente eleito de Arrifana, Delfim Silva. Ao tributo, seguiram-se algumas votações, ainda no âmbito das tentativas de formar executivo. Delfim Silva propôs uma lista com quatro nomes (dois do PSD, um da UPA e um do PND), a qual teve seis votos contra, seis a favor e uma abstenção. Sucedeu-se uma votação uninominal com duas listas, cada uma com um nome do PSD. Ambas rejeitadas com sete votos contra e seis a favor. “Questiono a assembleia se vale a pena continuarmos a fazer votações… Alguém é a favor?” – perguntava Delfim Silva, mas a única resposta que teve foi o silêncio. O presidente eleito decidiu então encerrar aquele ponto. “Não vale a pena perdermos mais tempo” – rematou. O terceiro ponto era o mais importante e a verdadeira razão para a convocação da assembleia: uma revisão orçamental com vista a resolver o problema da falta de dinheiro para o pagamento dos

ordenados dos 12 funcionários da Junta de Freguesia. “Eu não tenho executivo logo não posso propor uma revisão. O que posso fazer é informar a Assembleia para que esta delibere sobre o assunto” – disse Delfim Silva. O presidente eleito revelou que “não havia dinheiro nem verba no orçamento” para pagar os salários, mas que, graças à Feira dos Quatro, que se realizou recentemente, os ordenados para o mês de Novembro estariam assegurados. Ainda assim há outras despesas fixas como a água, a luz e as comunicações, que “caem sistematicamente”, e que Delfim

Silva não pode suspender. Alguns candidatos da Oposição tomaram o palanque para se pronunciarem sobre o assunto. “Quando se faz um orçamento para um ano, isto tem de estar acautelado. Mas proponho que seja por iniciativa da Assembleia que se ultrapasse esta situação” – afirmou João Pinheiro, da UPA. “Legalmente, as propostas orçamentais competem ao executivo. Tenho algumas dúvidas sobre este assunto, mesmo sabendo que é uma questão premente” – disse, por seu lado, Rui Ferreira, do PS. O socialista criticou a situação corrente, admitindo que

Junta fez depósitos de lixo na zona de lazer da Azenha No final da assembleia, Delfim Silva referiu alguns assuntos relacionados com a Junta de Freguesia. Um deles era relativo a uma situação de deposição de lixos na zona de lazer da Azenha. “Podemos incorrer numa multa desde 37.500 até 70 mil euros. Já solicitei à Câmara que recolhesse o lixo e fosse levado para o seu destino final” – adian-

tou o presidente eleito. Rui Ferreira questionou: “Mas os lixos são depositados pela autarquia?”, ao que Delfim Silva respondeu: “Sim, há inclusive fotos com os camiões da Junta a colocar lixo nas valetas”. Alcino Monteiro, do PND, comentou: “Isso era comum”. “Se era não devia ser. Isso não pode acontecer” – concluiu Delfim Silva.

“não é culpa de quem cá está de novo”. “No ano passado passouse a mesma coisa. A Junta não cumpriu com as suas obrigações e por isso custa estar a discutir uma coisa que não faz sentido ser discutida. Não estamos contra pagar salários, é uma justiça que se tem de fazer a quem trabalha, mas resolvendo o mês de Novembro, fica a incerteza das pessoas para Dezembro” – apontou o socialista. “Contra factos não há argumentos. Não há justificação para não terem sido previstas verbas

orçamentais, mas não vamos julgar quem nos antecedeu” – referiu Delfim Silva, que se revelou “sensível” à situação dos funcionários. “São pessoas que estão dependentes dos ordenados, com rendas por pagar e filhos para sustentar” – salientou, acrescentando que só com nova entrada de verbas se podem pagar os salários relativos a Dezembro já que ele está “limitado de assinar cheques”. A revisão orçamental foi aprovada por unanimidade e o presidente eleito agradeceu em nome dos funcionários.

À espera da Comissão Administrativa O próximo passo é esperar que a Secretaria de Estado da Administração Interna nomeie uma Comissão Administrativa. “Aguardarmos resposta, uma vez que demos conta que não haverá possibilidade de chegar a um consenso, conforme se constatou ainda hoje. Já lá vão quatro assembleias na mesma situação” – disse Delfim Silva ao Correio da Feira, sublinhando que o pedido pode vir “devolvido à origem” e ser requisitado que se realizem mais assembleias para chegar

a acordo. Desta feita, ainda não é certo que hajam novas eleições em Arrifana. Mas, a haver, Delfim Silva não adianta se será candidato, frisando contudo o desgaste resultante da situação em que se encontra. “Perante todo este panorama, estou muito desmoralizado e desanimado. Cada vez mais digo que não sei se chegarei até à meia-noite, por isso vamos viver um minuto de cada vez, como se fosse o último, e o futuro a Deus pertence” – afirmou.


5842