Page 1

EDIÇ DIGIT ÃO AL

: r o d a s s e c o Pr ? l e t n I u o AMD

Memória: 16 ou 32 GB?

Placa gráfica: GeForce ou Radeon?

EXCLUSIVO! GEFORCE RTX 3080

FOMOS OS PRIMEIROS A TESTAR A NOVA GERAÇÃO DE PLACAS GRÁFICAS DA NVIDIA

ZENFONE 7 PRO

DESEMPENHO E FOTOGRAFIA TOPO DE GAMA A METADE DO PREÇO DOS RIVAIS

PRÉMIOS LEITOR PCGUIA

ESCOLHA OS MELHORES PRODUTOS DO ANO E GANHE PRÉMIOS! PVP (Cont.) €33 ,8 8O

O u t u b ro 2 O 2 O

n

Mensal

n

Ano 24

PVP (Cont.)

€33 ,9 9O

PVP (Cont.)

N.º 297

: o t n e m a n Armaze ? 2 . M u o A SAT

S E R O H L E M OS UPGRADES

eu PC s o r ra le e c a ra a p s a rt e c s a As escolh


01

ÍNDICE 09

PEDRO TRÓIA / Director

OS JOGOS EM PC NÃO ESTÃO MORTOS. BEM PELO CONTRÁRIO! A Nvidia deu, aquilo a que se costuma chamar, ‘um tiro no porta-aviões’ na frota de consolas de nova geração com o lançamento das placas gráficas RTX série 3000, que fazem tudo o que PS5 e Xbox Series X fazem e mais além. E o melhor é que, se optar por uma placa gráfica 3070, o preço fica mais ou menos ao nível do de uma consola de nova geração, mas com gráficos a sério e velocidades de actualização de ecrã acima daquilo que as consolas conseguem. Como se o poder de processamento não chegasse, uma funcionalidade anunciada ao mesmo tempo que as novas placas, anula completamente um dos principais argumentos de venda das novas consolas: a tecnologia RTX IO. Esta tecnologia vai usar a placa gráfica para carregar dados a partir do sistema de armazenamento do PC, obtendo velocidades muito acima das actuais, o que faz com que deixem de existir praticamente pausas de carregamento nos jogos. E o mais interessante é que a RTX IO vai estar ao alcance de todos os que tenham uma gráfica RTX, incluindo as da geração anterior, e um SSD. A velocidade de carregamento de dados é precisamente um dos pontos mais badalados pelas fabricantes das novas consolas, que prometem jogos sem pausas, coisa que também vai chegar aos PC, em breve. Agora só falta uma coisa: o conteúdo. As fabricantes de consolas, e mais precisamente a Sony, investem muito dinheiro e tempo no desenvolvimento de títulos exclusivos que servem, em primeiro lugar, para promover as capacidades gráficas dos seus produtos. Isto, simplesmente, não existe no mercado dos jogos para PC, porque nenhum fabricante controla toda a cadeia de valor de um qualquer produto, como acontece nas consolas. Por isso, apesar de os títulos que existem para PC terem gráficos consistentemente melhores que nas consolas (ver Assassin’s Creed ou qualquer CoD), faltam ainda títulos que sejam realmente fora de série e que mostrem as capacidades desta nova geração de placas gráficas. Talvez Cyberpunk 2077 seja o início de uma tendência nessa direcção. Ainda assim, estamos a viver tempos interessantes no mercado do entretenimento digital.

TEMA DE CAPA

40 / Actualizar um PC não significa apenas trocar os componentes actuais por superiores. Saiba como identificar os mais adequados para fazer um upgrade ao seu computador. 02

ON

PRÉMIOS LEITOR PCGUIA 2020

04 / Notícias de tecnologia, coluna Made in Portugal, Hashtags e Green.

03

19 / Está na hora de escolher

os melhores produtos e serviços do ano.

INFOGRAFIA

20 / Conheça os supercomputadores mais poderosos do mundo.

04

START UP

22 / A Teckies é uma startup portuguesa que quer revolucionar o ensino e preparar as crianças e os mais velhos para o mundo digital.

05

BOOT

24 / DEFEITOS ESPECIAIS O Ricardo Durand fala da falta de aposta na produção nacional por parte da Netflix. GUIAS 26 / Procurar ficheiros no Windows com a pesquisa avançada

30 / Acrescentar opções ao menu de contexto do Windows 32 / Reinstale o Windows com todas as actualizações incluídas

06

LINUX

34 / Saiba tudo sobre o serviço seguro de e-mail Protonmail.

07

MACGUIA

36 / No evento Time Flies, a Apple anunciou novos relógios, dois iPad (a oitava geração e um Air actualizado) e mais um par de serviços.

Conheça as categorias concurso.

08

60 / TESTES Acer ConceptD Ezel Pro Asus VivoBook S15 M533 Lenovo ThinkPad X1 Dynabook Portégé X30L Huawei MateBook 14 2020 Asus TUF Gaming GeForce RTX 3080 AOC Studio F.A. Porsche U32U1 FRITZ!Box 7590 Sony Alpha A7S III Philips 498P9 Corsair 4000D Airflow TCL 10 SE Samsung Galaxy Tab S7+ Samsung Galaxy Note20 Ultra 5G Asus ZenFone 7 Pro

DESCOMPLICÓMETRO

38 / Este mês, explicamos-lhe como funcionam as colunas e os altifalantes.

10

APPS

50 / Uma selecção de aplicações para ajudar a largar os vícios e ter uma vida mais saudável.

11

PLUG

54 / Nesta edição, o Luís Alves revela diferentes técnicas de pintura para alterar a cor da caixa do PC.

12

13

PLAY

76 / JOGOS Factorio Wasteland 3

LAB

56 / TECNOLOGIA EM MOVIMENTO O Gustavo Dias explica como a nova placa gráfica RTX 3080 da Nvidia é um verdadeiro salto geracional, com melhorias ao nível das funcionalidades e do desempenho.

80 / JOGOS MOBILE Atari Combat: Tank Fury Murderous Pursuits Tom Clancy’s Elite Squad Tintin Match

58 / GADGETS Meo Box Android TV Corsair iCue LT100 Samsung Galaxy Buds Live Sony SRS-XB43 Sitecom USB-C Multiport Pro Monitor

14

SLEEP

82 / Em Outubro, assinalamos o lançamento do Sputnik, do Apple PowerBook, do Windows XP e a primeira vez que a barreira do som foi quebrada.

CLASSIFICAÇÕES A PCGuia usa um método de avaliação de produtos que tenta conciliar as medições de desempenho com os aspectos mais empíricos como a experiência de utilização. O valor final da nota será obtida através de uma média aritmética que dará um valor de 1 a 10. Os produtos com nota 9 ou superior recebem o Prémio de Excelência PCGuia. Mais informação em pcguia.pt/como-testamos.

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8

10

6

9 Distribuidor: PCGuia Site: pcguia.pt Preço: €42 Facto positivo Facto negativo

3


03

INFOGRAFIA MAFALDA FREIRE

O PODEROSO MUNDO DOS SUPERCOMPUTADORES

Fugaku

415,5

PFlop/s

O TOP500 é um ranking dos quinhentos supercomputadores mais poderosos que existem: teve início em 1993 e é actualizado de seis em seis meses. Conheça o último top 10 desta lista e a evolução dos supercomputadores. TOP 10 (Junho 2020) Piz Daint Marconi-100 Frontera

21,2

23,5

21,6

27,58

93

94,64

35,45

PFlop/s

PFlop/s

NUDT

NRCPC

IBM

PFlop/s

PFlop/s

PFlop/s

PFlop/s

PFlop/s

Cray/HPE

IBM

Dell EMC

Nvidia

Dell EMC

QUOTA DE MERCADO POR FABRICANTE

60 EUA

7,2%

50

5,2%

2020

2,6% 2,2%

148,6

PFlop/s

PFlop/s

IBM

Fujitsu

UTILIZAÇÃO POR SECTOR

EVOLUÇÃO POR PAÍS

2% 7,6%

Sierra

61,4

Tianhe-2A

HPC5

Selene

Sunway TaihuLight

Summit

Japão Reino Unido

China

EU

7,8%

3% 57,6%

Outros 12,6%

40

2020 30 19%

20

73,2%

10 Industrial

Investigação Outros

Academia

Governamental/público

0 2012

Vários

2016

2020

EVOLUÇÃO DO DESEMPENHO DOS SUPERCOMPUTADORES DO TOP500 (média) 10 PFlop/s 1 PFlop/s 100 TFlop/s 10 TFlop/s 1 TFlop/s 100 GFlop/s 10 GFlop/s 1 GFlop/s 100 MFlop/s 20

1990

1995

2000

2005

2010

2015

2020


05

BOOT

RICARDO DURAND

PROCURAR FICHEIROS NO WINDOWS COM A PESQUISA AVANÇADA A indexação de ficheiros está cada vez mais poderosa no Windows e as mais recentes ferramentas de pesquisa avançada de ficheiros permitem-nos encontrar tudo o que quisermos em poucos segundos. Se, nos primeiros tempos da informática, encontrar um ficheiro era uma autêntica dor de cabeça (só podíamos procurar de forma manual), actualmente, os computadores e os sistemas operativos já estão num nível tal de evolução que até permitem encontrar documentos pela busca de termos relacionados, como o local onde uma foto foi tirada ou uma palavra que esteja num texto. É aqui que entram as mais recentes ferramentas de pesquisa do Windows, que nos vão permitir encontrar ficheiros mais rapidamente e organizar o disco da maneira que nos for mais conveniente.

4

1

2 3

1

ADICIONAR PASTAS À PESQUISA CLÁSSICA DO WINDOWS

Por defeito, para ter um sistema operativo a correr sem problemas, e de forma mais suave possível, o Windows está definido para encontrar ficheiros com a pesquisa clássica, que apenas indexa o Ambiente de Trabalho e as bibliotecas (Documentos, Fotografias, Vídeos, etc.). Pode adicionar outros directórios (ou remover os que estão por defeito) no menu das ‘Definições’ (Windows + I). Aqui, clique em ‘Procurar’ > ‘Procurar no Windows’ 1 na barra lateral. Carregue no link ‘Personalizar as localizações de pesquisa aqui’ 2 em ‘Classico’, seguido de ‘Modificar’ 3 ; 26

depois, clique no símbolo ‘>’ 4 ao lado do disco onde tem a pasta que quer adicionar/remover - ponha um visto na caixa da respectiva opção. Assim que adicionar uma pasta, o Windows vai começar a compilar o conteúdo. O tempo que isto demora depende do número e do tamanho dos ficheiros, mas se passado um pouco reparar que o Windows não está a encontrar estes documentos, numa pesquisa, pode forçar uma reconstrução manual. Para fazer isso, volte à janela onde clicou em ‘Modificar’, mas desta vez carregue em ‘Avançadas’, seguido do botão ‘Reconstruir’ 5 .

5


Ilustração: ©freepik.com

2

MUDE PARA A PESQUISA AVANÇADA DO WINDOWS

Para tirar o máximo partido desta ferramenta do Windows, ligue a pesquisa avançada: nas ‘Definições’ , clique em ‘Procurar’ > ‘Procurar no Windows’ e ligue a opção ‘Melhorado’ 1 . De acordo com o aviso que está escrito por baixo desta opção, isto pode afectar a autonomia do computador, caso esteja a usar um portátil, e mesmo tornar tudo mais lento, devido ao esforço que o sistema operativo tem de fazer nos “bastidores” para fazer tudo funcionar. Sempre que editar ou criar um ficheiro,

o indexador será actualizado para ter em conta estas mudanças. Além do mais, com isto, o Windows vai indexar todo o disco e não apenas as bibliotecas e o Ambiente de Trabalho. Aqui, tenha em atenção uma coisa: se estiver a fazer isto num portátil, ligue-o à corrente, senão o Windows vai adiar a re-indexação do disco, por estar apenas a funcionar com a bateria. Há várias pastas que o Windows não vai indexar, mesmo com a pesquisa melhorada activa, uma vez que os seus conteúdos não são relevantes para os

utilizadores domésticos - isto inclui as pastas ocultas e as de administrador, por exemplo. Contudo, se quiser que o conteúdo de determinada pasta ou directório não entre nos resultados de uma pesquisa melhorada, volte ao menu ‘Procurar no Windows’ e clique em ‘Adicionar uma pasta excluída’ 2 ; depois, na janela que aparece, encontre a pasta que quer “afastar” e clique em ‘Selecionar pasta’ 3 . Para reverter esta decisão, seleccione a pasta e carregue em ‘Remover pasta excluída’ 4 .

2

4

1 3

27


09

TEMA DE CAPA

Placa gráfica: GeForce ou Radeon?

Processador: AMD ou Intel?

to: n e m a n e z Arma M.2? SATA ou

Memória: 16 ou 32 GB?

OS MELHORES UPGARDES PARA ACABAR COM A LENTIDÃO DO PC Actualizar um PC não significa apenas trocar os componentes actuais por outros superiores. Identifique os componentes mais adequados para fazer um upgrade ao seu computador.

G U S TAVO DI A S

A

grande vantagem de os PC utilizarem normas e componentes modulares é a de permitir que os mesmos sejam facilmente substituídos, na sequência de uma avaria, ou para fazer uma actualização. No caso de uma avaria, o facto de todos os componentes respeitarem as normas existentes no mercado permite que o elemento afectado seja facilmente identificado e substituído. No caso de uma actualização, o que for substituído não tem de ser forçosamente o melhor e o mais caro disponível, tendo em conta o encaixe ou a norma suportada, uma vez que os ganhos poderão ser negligenciáveis, tendo em conta o custo envolvido para a sua actualização. Foi a pensar nestas situações que decidimos criar este guia de actualizações, com dicas específicas, não só para computadores de secretária, como para portáteis.

lentidão em utilizações quotidianas, muitas vezes por culpa de uma má gestão do sistema operativo, bem como pela necessidade de precisarmos (ou, simplesmente, querermos) correr aquele jogo novo que acaba de sair. Seja qual for a razão, uma actualização é sempre uma boa ideia, mas convém ter noção daquilo que quer actualizar e o orçamento disponível. Para isso, é fundamental identificar o culpado do “engarrafamento” do desempenho no PC: processador, falta de memórias, disco rígido cheio (e lento) ou placa gráfica insuficiente. Por vezes o problema até poderá estar relacionado com outras questões, como alimentação insuficiente (ou instável), ou a activação dos sistemas de protecção dos componentes devido ao calor excessivo, provocado pela utilização de um sistema de arrefecimento insuficiente, ou deficiente, muitas vezes obstruído com sujidade.

IDENTIFICAR O “CULPADO”

MELHORES ESCOLHAS

Muitas vezes, a principal razão para actualizar o computador prende-se com a extrema

É certo que, quando procuramos num catálogo ou numa loja online, somos sempre

40

tentados pelos componentes de topo, mas estes raramente (ou nunca) representam o melhor negócio. Veja o exemplo dos processadores, como fizemos na edição passada, em que nas configurações sugeridas, no computador avançado para edição de imagem recomendámos um AMD Ryzen Threadripper 3970X de 32 núcleos, que embora seja bastante caro (de 2129 euros), oferece um desempenho superior, em edição de vídeo, que o modelo de topo da AMD, o Ryzen Threadripper 3990X de 64 núcleos, que custa praticamente o dobro: 4299 euros. A nível de memórias, encontramos situações parecidas, como numa plataforma Intel: escolher as mais rápidas nem sempre é garantia de melhores resultados face a mais lentas, mas com latências menores. Já se escolhermos memórias acima dos 3600 MHz num sistema AMD, isto levará a uma diminuição do desempenho devido à aplicação do divisor (Infinity Fabric) do controlador de memórias dos processadores AMD Ryzen.


PROCESSADOR A escolha de um novo processador dependerá da plataforma existente, do número de núcleos desejados (ou necessários), da velocidade e de outros detalhes que poderão fazer a diferença. No tempo dos velhinhos 486, Pentium e restantes, o único factor diferenciador entre processadores da mesma família prendia-se com a velocidade de funcionamento (frequência), que em tempos era medida em MHz, mas mais recentemente passou a ser medida numa escala superior, enquanto GHz.

PLATAFORMA E SOCKET É fundamental identificar o processador que tem actualmenre para saber que processador novo vai escolher. A melhor maneira para fazer isto é usar uma aplicação como o CPU-Z (cpuid.org/softwares/cpu-z. html), que indica não só o modelo, como a arquitectura, processo de fabrico, velocidade, cache, número de núcleos e threads (instruções por ciclo), bem como a motherboard utilizada, chipset e BIOS. Estes últimos dados serão fundamentais, pois permitirão identificar a sua motherboard e verificar na página do fabricante quais os processadores suportados, tendo em conta as características da mesma. Poderá dar-se o caso de a sua motherboard já não ser compatível com processadores mais recentes, o que o obrigará a ter de actualizar também a motherboard. Por sua vez, isto poderá fazer com que tenha de actualizar igualmente o sistema de arrefecimento do processador, bem como das memórias, já que os modelos actuais só são compatíveis com memórias do tipo DDR4.

essa velocidade máxima só será atingida por alguns (por vezes apenas num), e durante um período limitado. Veja-se o exemplo de um AMD Ryzen 7 3800XT (439 euros) de oito núcleos e velocidade máxima de 4,7 GHz, este será uma melhor opção para um PC para jogar que um Ryzen 9 3950X de 16 núcleos (812 euros), pois utiliza não só uma velocidade base superior (3,9 GHz versus 3,5 GHz), como por ser menos complexo, conseguirá manter a velocidade máxima durante um período maior.

Tenha em atenção quais os processadores compatíveis com o encaixe e com a BIOS da sua motherboard.

NÚCLEOS OU VELOCIDADE Identificada a plataforma e escolhida a série de processadores que quer adquirir para substituir o modelo actual, está na altura de perceber se deve privilegiar a escolha de um modelo com mais ou menos núcleos, mas com uma velocidade de funcionamento superior. É certo que, embora fabricantes como a AMD anunciem velocidades máximas (Boost) idênticas para processadores com um número de núcleos distintos, na realidade

DESEMPENHO (fps)

2 núcleos / 4 threads

16

4 núcleos / 4 threads

23

4 núcleos / 8 threads 6 núcleos / 6 threads 6 núcleos / 12 threads 8 núcleos / 8 threads 8 núcleos / 16 threads

32 34 35 37 38

DIFERENÇAS DE DESEMPENHO Para comprovar o que afirmámos, decidimos utilizar o exigente Microsoft Flight Simulator como ferramenta de testes. Utilizando um processador AMD Ryzen 7 1800X de oito núcleos (dezasseis threads) fomos desligando núcleos até determinar o impacto que isto tem num jogo actual e optimizado para processadores com múltiplos núcleos. Utilizámos uma plataforma AMD X470, com 16 GB de memória DDR4 a 3200 MHz e uma Nvidia GeForce RTX 2060 Super, com as definições do jogo a 1920 x 1080 em modo High-End. Com estes resultados, facilmente comprovamos que as diferenças de desempenho, a partir de seis núcleos, são quase insignificantes, sendo esta a configuração que representa a melhor relação preço/desempenho. No caso das plataformas AMD, fica assim provado que não se justifica a compra de um processador de oito ou mais núcleos, habitualmente entre os 319 (Ryzen 7 3700X) e os 813 euros (Ryzen 9 3950X), face ao bom desempenho revelado pelos mais acessíveis modelos de seis núcleos, como o Ryzen 5 3600 (195 euros), 3600X (199 euros) ou até mesmo o 3600XT (274 euros), embora este último não ofereça melhorias significativas face ao Ryzen 5 3600X. Numa plataforma Intel verifica-se o mesmo, sendo preferível optar por um Core i5-10600 (236 euros) ou até mesmo um Core i5-10600K (279 euros) em vez dos mais dispendiosos Core i7-10700K (406 euros) de oito núcleos ou o Core i9-10900K (579 euros) de dezanove núcleos. Se utilizar uma plataforma Intel de anterior geração, os resultados são idênticos, por isso a compra mais inteligente continua a ser um Core i5-9600K (214 euros) de seis núcleos, em vez dos dispendiosos Core i7-9700K (349 euros) ou Core i7-9900K (438 euros) de oito núcleos. 41


12

LAB

ACER CONCEPTD 7 EZEL Se houvesse um prémio para o computador mais original do ano, o novo ConceptD seria um digno vencedor. Mas será tão impressionante no comportamento como no aspecto? Revelado durante o CES, no início do ano, o ConceptD 7 Ezel Pro é um computador portátil convertível, criado especificamente para criadores de conteúdos. Mas qual é este tipo de público que tantos fabricantes gostam de falar? Tratam-se de utilizadores que utilizam os seus equipamentos para fazer trabalhos a nível de fotografia, vídeo ou projectos 3D. É por esta razão que a Acer usou neste original computador um ecrã IPS de resolução 4K UltraHD, com validação Pantone, reprodução de 100% da gama de cores Adobe RGB e uma precisão certificada de cor Delta E inferior a 2, ou seja, foi calibrado de fábrica para poder reproduzir as cores com maior precisão e maior realismo. Este ecrã tem ainda a particularidade de ser táctil, de usar um vidro Corning Gorilla Glass 6 para evitar o aparecimento de riscos, e de poder ser usado com uma caneta digital fornecida, caneta essa desenvolvida em conjunto com a Wacom, que garante 4096 níveis de sensibilidade à pressão.

FORMATO? Contudo, por muito impressionante que seja este ecrã, mais impressionante ainda é o funcionamento da sua base, que permite transformar este computador num verdadeiro híbrido, com um total de seis formatos distintos. Além do formato de computador portátil tradicional, pode rodar o ecrã sobre

Se acha os resultados do modelo que recebemos para teste impressionantes, imagine o desempenho da versão comercializada em Portugal, com um processador superior, e a placa gráfica de topo da Nvidia, a GeForce RTX 2080 Super.

60

o ponto de apoio da base, colocando o ecrã numa posição de stand, com o ecrã a cobrir o teclado e a facilitar a leitura de conteúdos multimédia, inverter totalmente o ecrã para transformar este computador num tablet ou usar um dos outros formatos sugeridos pela Acer. Honestamente, não ficámos convencidos com todos os formatos, mas sim com a robustez desse mesmo suporte, bem como com a possibilidade e versatilidade do equipamento. Destaque ainda para a construção robusta de todo o equipamento, daí o peso elevado (2,5 kg), bem como para a variedade de portas disponíveis, como saídas HDMI, DisplayPort, USB 3.1 Gen2, USB-C (Thunderbolt 3) e placa de rede Gigabit LAN, sem esquecer as obrigatórias ligações sem fios Wi-Fi 802.11ax e Bluetooth 5.0.

DESEMPENHO DE LUXO Convém deixar claro que o equipamento que recebemos para teste vinha com uma configuração que, felizmente, não será disponibilizada em Portugal. Sim, leu bem: ‘felizmente’. Se no passado recebemos equipamentos com configurações superiores à disponível no mercado, como forma de demonstrar todo o potencial dos equipamentos, desta vez foi o inverso, o que só poderá ser bom, uma vez que ficámos bastante impressionados com esta configuração supostamente inferior. Este ConceptD 7 Ezel Pro vinha equipado

com um processador Intel Core i7-10750H de seis núcleos e 2,6 GHz (até 5 GHz com Max Turbo), 16 GB de memória DDR4 a 2666 MHz, 1 TB de SSD do tipo NVMe e uma Nvidia GeForce RTX 2070 Max-Q Design com 8 GB de memória dedicada. Os resultados dos testes foram excelentes e só não foram superiores pelo facto de a placa gráfica, por ser uma versão Max-Q Design, funcionar a uma velocidade limitada (por questões térmicas). A versão disponível no mercado português contará com um processador Intel Core i7-10875H de oito núcleos (até 5,1 GHz em modo Max Turbo), 32 GB de memória RAM e uma poderosa Nvidia GeForce RTX 2080 Super, que oferece um desempenho significativamente superior ao da presente RTX 2070 Max-Q Design. G U S T A V O D I A S

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8 7

10

7

Distribuidor: Acer Site: acer.com/pt Preço: €3999 (para a versão vendida em Portugal) s Qualidade de imagem do ecrã s Elevado desempenho t Preço FICHA TÉCNICA n Processador: Intel Core i7-10750H a 2,6 GHz n Memória: 16 GB DDR4 2666 MHz n Armazenamento: 1 TBB SSD NVMe n Placa Gráfica: Nvidia GeForce RTX 2070 Max-Q Design 8GB n Ecrã: 15,6” IPS táctil (3840 x 2160) n Ligações: 2 x USB 3.1 Gen2, 2 x USB-C 3.1 Gen2, DisplayPort, HDMI, Gigabit Ethernet, leitor de cartões SD, jack 3,5 mm n Dimensões: 358,5 x 260 x 28,6 mm n Peso: 2,5 kg BENCHMARKS n PCMark 10: 5462 n PCMark 10 Productivity: 7333 n 3D Mark FireStrike: 15 250 n 3D Mark Sky Diver: 30 387 n FarCry 5 1080p Ultra: 123 fps n Shadow of Tomb Raider 1080p DX12 Highest: 74 fps PONTO FINAL O elevado preço deste ConceptD justifica-se em pleno, tendo em conta a excelente configuração disponível. O ecrã é excepcional e o mecanismo revelou ser mais robusto que o esperado.


VIVOBOOK S15 M533 A família de portáteis VivoBook da Asus é considerada, por muitos, como uma gama de entrada. Mas isso não impediu a marca de a querer diferenciar com argumentos de peso, especialmente ao nível do desempenho.

Embora tenhamos testado, há relativamente pouco tempo, dois equipamentos da nova gama VivoBook, inclusive um S15 equipado com um processador Intel Core i7 de 10.ª 10.ª geração, não esperávamos encontrar tantas diferenças estéticas neste novo modelo. Disponível com uma tampa colorida, um painel superior metálico, um teclado completo e personalizado com uma tecla ‘Enter’ com rebordo colorido (a amarelo) e outros elementos de destaque, é difícil pensarmos estar perante mais um enfadonho computador portátil tradicional. A indicação do sistema de som optimizado pela Harman/Kardon, e os logótipos da AMD, tanto para o processador, como para a placa gráfica, acabam por revelar que, afinal, este é um equipamento que poderá revelar-se uma agradável surpresa.

POTENCIAL MULTIMÉDIA Começando pelo ecrã, este monitor de 15,6 polegadas, do tipo LCD com retroiluminação LED, não se destaca em termos de qualidade de imagem, mas também não revelou ficar aquém das expectativas, algo que infelizmente já sucedeu, inclusive no VivoBook 15 testado anteriormente. Não é, infelizmente, um painel IPS, mas , ainda assim, é capaz de garantir bons ângulos de visualização sem perda de qualidade de imagem e de suportar 100% do espectro de

cores sRGB. O sistema de som revelou ser igualmente competente, com uma boa presença, embora continue a faltar corpo nas frequências mais graves. O conjunto de microfones conseguem captar um bom som, complementando-se na perfeição com a webcam HD para videochamadas, seja em situações de teletrabalho ou em aulas digitais.

Já a bateria, com as suas três células com 50 Wh, garantiram um impressionante resultado de 819 minutos (13:39 horas), tendo esta a vantagem de ser compatível carregamentos rápidos, com possibilidade de ter 60% da carga em apenas 49 minutos. G U S T A V O D I A S MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

9

8

9

9

DESEMPENHO REFERENCIAL Guardámos o melhor para o fim e já vai perceber o porquê. Como lhe dissemos, este VivoBook S15 M533 vem com uma plataforma AMD, mais concretamente um Ryzen 7 4700U, uma APU com CPU de oito núcleos com 2 GHz de velocidade base, velocidade essa que pode atingir os 4,1 GHz através da tecnologia Max Boost. Esta APU tem a particularidade de integrar uma controladora gráfica AMD Radeon Graphics, com sete núcleos gráficos e de funcionar a 1600 MHz; a configuração inclui ainda 16 GB de memória RAM do tipo DDR4 a 3200 MHz e uma unidade SSD M.2 PCIe de 512 GB. Tudo isto permitiu a este VivoBook S15 obter os melhores resultados de sempre em praticamente todos os testes para sistemas com gráfica integrada, tendo inclusive conseguido resultados no 3D Mark Cloudgate superiores aos de computadores equipados com controladoras gráficas Nvidia GeForce MX250 e MX350.

O processador AMD Ryzen 7 4700U aqui utilizado garantiu não só um excelente desempenho, como uma óptima eficiência energética, comprovada pela autonomia do equipamento.

Distribuidor: Asus Site: asus.com/pt Preço: €999 s Detalhes diferenciadores s Excelente desempenho t Autonomia

FICHA TÉCNICA n Processador: AMD Ryzen 7 4700U 2,0 GHz n Memória: 16 GB DDR4 3200 MHz n Armazenamento: 512 GB SSD NVMe n Placa Gráfica: AMD Radeon Graphics n Ecrã: 15,6” LED (1920 x 1080) n Ligações: 2 x USB 2.0, USB-C 3.1 Gen2 (Thunderbolt 3.0), USB 3.1 Gen2, HDMI, MicroSD, jack 3,5 mm n Dimensões: 359,8 x 233,8 x 16,1 mm n Peso: 1,8 kg BENCHMARKS n PCMark 10: 4926 n PCMark 10 Productivity: 7303 n PCMark 10 Battery: 819 minutos n 3D Mark Cloudgate: 8 599 PONTO FINAL O VivoBook S15 equipado com a plataforma AMD é um dos mais fascinantes computadores verdadeiramente portáteis, especialmente em termos de desempenho e de autonomia. E tem a vantagem de ser mais acessível que modelos equivalentes com sistema Intel.

61


13

PLAY JOGOS

Wasteland é uma série de jogos criada em 1988 por membros da equipa que mais tarde foi responsável pelo desenvolvimento do Fallout original. Apesar dos 32 anos de vida ainda tem apelo? Vamos ver.

A série de jogos Wasteland segue as aventuras de um corpo militar chamado Rangers que surgiu depois de um cataclismo nuclear ter destruído a civilização tal como a conhecemos. Nos primeiros dois episódios, os Rangers operavam no estado do Arizona (EUA), mas em Wasteland 3 mudam-se para o Colorado, onde vão ajudar a pessoa que controla o estado (o Patriarch) a derrotar os seus herdeiros que lutam entre si e a fazer mergulhar todo o território no caos. Wasteland é um RPG que emprega um sistema de combate por turnos semelhante ao utilizado em XCom ou em Gears Tactics, por exemplo. Quando está em combate, cada elemento da equipa tem um conjunto de pontos de acção que pode gastar para se mover e disparar.

No que respeita à parte RPG, o jogador tem de criar e fazer progredir uma equipa de cinco elementos, usando um sistema de habilidades, em que se gastam pontos que vão sendo amealhados através das missões e de perks que se ganham à medida que vão progredindo. Estas habilidades influenciam a forma como se luta, a eficácia das armas, ajudam a obter preços mais vantajosos nas lojas ou a convencer os NPC a fazerem aquilo que queremos, sem ter de gastar balas.

PERSONAGENS BIZARRAS Quem já jogou Fallout vai sentir-se em casa. Tal como neste jogo, Wasteland 3 está cheio de personagens bizarras, como os Payasos, um

gang que aterroriza a população com membros vestidos de palhaços ou os Dorseys, os proverbiais hillbillies americanos. Uma das coisas de que mais gostei em Wasteland 3 foi do sistema de diálogos: bem escritos, engraçados e que dão profundidade a praticamente qualquer NPC que vamos encontrando. A coisa de que menos gostei em Wasteland 3 foi do sistema de controlo das personagens. A forma de se seleccionar toda a equipa não é das mais práticas e, às vezes, acaba-se com a equipa espalhada pelo cenário. Por falar em cenário, aconteceu duas ou três vezes um membro da equipa ficar preso em sítios destruídos durante o combate; entretanto, fazem respawn quando acaba o conflito. Graficamente, Wasteland 3 não é brilhante, mas adequado. PEDRO TRÓIA

JOGABILIDADE

LONGEVIDADE GRÁFICOS

SOM

8 7

10

7

9

Editora: Deepsilver Distribuidora: Ecoplay Plataforma: PS4, Xbox One, Windows Site: inxile-entertainment.com Preço: €69,99 (PS4, Xbox One), €59,99 (Windows)

s História s Criação das personagens t Sistema de controlo da equipa PONTO FINAL Com cinquenta horas de jogo garantidas, Wasteland 3 é um jogo divertido, com personagens muito bem criadas e uma história que agarra até ao fim. A interface não é das mais práticas, mas faz parte do apelo. Recomendo! 76


13

PLAY MOBILE Paulo Miranda

Edi to r do si te fo n ep lay.n et paulo.miranda@foneplay.net

ATARI COMBAT: TANK FURY

8

Este é um jogo que utiliza a popular mecânica de juntar três peças iguais e adiciona um toque especial com sistemas de progressão de RPG e elementos de temática militar, oferecendo uma experiência divertida e emocionante. Os jogadores controlam a acção combinando três peças para disparar contra os combatentes inimigos, que podem ser outros jogadores online. O objectivo é construir o seu próprio exército com tanques, munições e actualizações baseadas em equipamento militar real, cada um com habilidades únicas e especiais. O jogo conta com um ambiente animado em 3D de alta qualidade.

EDITORA ATARI PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

MURDEROUS PURSUITS

8 EDITORA NETEASE PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

Lançado originalmente para PC em 2018, Murderous Pursuits coloca o jogador na pele de um assassino que embarca numa missão secreta proposta pelo misterioso Mr. X, sendo levado a participar numa festa a bordo do Britannic e tendo como objectivo eliminar os seus alvos. No entanto, terá de ter muito cuidado, pois também será alvo de outros assassinos. Neste jogo de caçar e não ser caçado, os jogadores têm de se disfarçar enquanto seguem o seu alvo e aguardam pelo momento perfeito para atacar. É possível jogar sozinho ou em equipa através de diversos modos de jogo.

TOM CLANCY’S ELITE SQUAD

9

Elite Squad coloca os jogadores a criar o seu esquadrão com o objectivo de travar épicas batalhas 5v5 em tempo real. Com base numa lista de heróis e vilões de Tom Clancy, incluindo Caveira, Sam Fisher, El Sueño e outros, o jogador terá de criar, treinar e comandar a sua equipa, munindo-os com o melhor equipamento e equilibrando as suas habilidades exclusivas para formar o seu esquadrão. O jogador poderá enfrentar outros jogadores em batalhas PvP em tempo real em locais e mapas familiares ou provar a sua força contra outros esquadrões na arena.

EDITORA XUBISOFT PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

TINTIN MATCH

7 EDITORA 5TH PLANET GAMES DEVELOPMENT PARA ANDROID E iOS PREÇO GRÁTIS

Tintin Match é um quebra-cabeças com a clássica mecânica de combinar peças iguais, impulsionado por uma história onde o jogador, para avançar no enredo, tem de ultrapassar divertidos e desafiantes quebra-cabeças criados em torno do universo da personagem. Ao seguir o famoso repórter nas suas aventuras, será possível desbloquear e coleccionar icónicos locais e personagens conhecidas dos livros. Tintin e Milu terão de desvendar estranhos acontecimentos, como o sequestro de um homem que vinha entregar uma carta a Tintin, que poderão estar ligados e levar a um mistério muito maior.


Profile for PCGuia

PCGuia 297 - Outubro 2020  

Os melhores upgrades. As escolhas certas para acelerar o seu PC

PCGuia 297 - Outubro 2020  

Os melhores upgrades. As escolhas certas para acelerar o seu PC

Profile for pcguia
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded