Page 1

ÃO EDIÇ TAL DIGI

OS MELHORES DO ANO: TODOS OS VENCEDORES DA EDIÇÃO DE 2019

WIKO, SAMSUNG, CAT, SONY E TCL 5 SMARTPHONES EM CONTA PARA O NATAL

APPLE TV + EM PORTUGAL

MÁQUI ÁQUIN NA INFE FER RNA NAL L!

VEJA AS SÉRIES ORIGINAIS DA MAÇÃ EM TODO O LADO

IMPRESSORAS VIRTUAIS COMO CRIAR PERFIS PERSONALIZADOS PARA CADA TIPO DE TRABALHO D e z e m b ro 2 O 1 9

n

Mensal

n

Ano 23

N.º 287

€33 ,8 8O

PVP (Cont.)

€33 ,8 8O

PVP (Cont.)

€33 ,8 8O

PVP (Cont.)

Testámos o poderoso computador de 16 mil euros que a Asus criou para o youtuber Nuno Agonia.


01

ÍNDICE

PEDRO TRÓIA / Director

A VOZ É UMA EXTENSÃO DO CORPO. E A GOOGLE SABE-O Finalmente, o Assistente Google chegou em Português Europeu. Isto parece uma coisa pequena, mas tem algumas implicações no panorama da tecnologia em Portugal, porque permite a entrada dos produtos da Google no País. Desde que a Google fez do Assistente a peça central do seu ecossistema de hardware que apenas os, poucos, dispositivos que não necessitam dele é que estão cá à venda, nomeadamente o Chromecast e o sistema de Wi-Fi mesh Google Wi-Fi. Por cá, não temos smartphones Pixel, não há, oficialmente, colunas inteligentes nem computadores Chromebook e, mesmo os automóveis com Andoid Auto, usavam uma versão estranha, e altamente limitada, do sistema que lhes permitia apenas oferecer partes do serviço, em Portugal. Mas agora que a porta está aberta, já podem começar a ser comercializados. Isto é também uma oportunidade para as empresas portuguesas, porque podem começar a oferecer os seus serviços através do Assistente. Por exemplo, que tal dizer: «Ok Google, encomenda-me o almoço no restaurante XYZ» e passados uns minutos estarem a tocar-lhe à porta para lho entregarem? Tudo sem necessidade de se dizer a morada ou definir um método de pagamento, porque, no primeiro caso, o assistente sabe onde está e, no segundo, o método de pagamento já está definido na aplicação. Outra situação em que as coisas podem mudar é no controlo doméstico porque, se por exemplo, já tiver um sistema de domótica Ikea pode integrá-lo facilmente com o Assistente, para ligar e desligar coisas em casa, controlar o seu aspirador robô, ligar a máquina de lavar ou dizer à TV para começar a dar a sua série predilecta. Tudo por voz. Acredito que, nos próximos anos, com os avanços na inteligência artificial, os comandos por voz vão tornar-se um complemento importante da maioria dos dispositivos digitais que usamos todos os dias. E o melhor é que nós, finalmente, já podemos começar a ter uma ideia clara daquilo que são capazes de fazer.

11

TEMA DE CAPA

Quando a Asus Portugal nos telefonou a perguntar se gostaríamos de experimentar, em primeira mão, o novo computador que estavam a criar para o maior youtuber português de tecnologias, haveria outra resposta que não: «Quando é que chega?» Conheça o computador que é carinhosamente apelidado de ‘Besta’. 02

80 / GADGETS Energy Sistem Urban Box 4 Bass Tube Gillette Heated Razor Samsung Galaxy Watch Active 2 Garmin Forerunner 45 Sony HT-X8500

ON

04 / Notícias de tecnologia, coluna Made in Portugal, Hashtags e Green.

03

HIGH-TECH GIRL

18 / O perfil de Maria Hahn, co-fundadora e CEO da Nutrix, uma startup que quer revolucionar a forma como a saúde é monitorizada

04

INFOGRAFIA

06 24 / Saiba quem são os vencedores da edição deste ano dos Prémios PCGuia.

20 / O panorama e as principias características do e-commerce em Portugal.

05

START UP

22 / A Indie Campers criou uma plataforma de aluguer de autocaravanas com entrega e recolha em cinquenta locais na Europa.

07

BOOT

28 / DEFEITOS ESPECIAIS O Ricardo Durand explica porque é que o facto de a Disney+ não chegar a muitos países pode levar a aumentar a pirataria. GUIAS 30 / Configurar diferentes perfis de impressão no Windows 34 / Aprenda a criar zonas para organizar o ambiente de trabalho 36 / Experimente software em segurança numa sandbox 40 / Dar uma nova vida aos botões do rato com o XBMC

08

LINUX

44 / Nesta edição, ensinamos-lhe a usar o software de virtualização open source Proxmox.

09

MACGUIA

46 / Vamos ajudá-lo a usar a app da Apple TV+ no smartphone, na televisão e computador.

10

DESCOMPLICÓMETRO

48 / Explicamos-lhe como funcionam os sistemas de focagem automática.

12

APPS

66 / Uma selecção das melhores aplicações para o ajudar nas compras de Natal.

13

PLUG

70 / Este mês, o Luis Alves reuniu as melhores soluções e ideias de modding de 2019.

14

MOTOR MAIS

TECHPORN

76 / Desmontámos o Microsoft Surface Laptop 3.

16

17

PLAY

102 / JOGOS Call of Duty Modern Warfare Death Stranding The Outer Worlds 108 / HARDWARE Corsair Nightsword RGB Razer Basilisk Ultimate Steelseries Sensei Ten Matrics Predator 112 / JOGOS MOBILE The King of Fighters AllStar Alien Blackout Leisure Suit Larry – Wet Dreams Don’t Dry American Dad: Apocalypse Now

74 / ENSAIOS Renault Clio

15

82 / TESTES HP Envy x360 13 Lenovo IdeaPad S540 Dynabook Portégé X30-F Samsung Galaxy A30s Hisense OLED 55 O8B TCL Plex Sony Alpha 6600 Wiko Y80 Epson EcoTank ET-M2170 TP-Link Deco P9 Trust Muto CAT S52 Lenovo Legion Y44W-10 Sony Xperia 5 QNAP TR-004 Fujifilm GFX50R

LAB

78 / TECNOLOGIA EM MOVIMENTO O Gustavo Dias fala da sua experiência com a máquina fotográfica de formato médio, Fujifilm GFX 50R.

18

SLEEP

114 / Em Dezembro, assinalamos  o lançamento do Google Chrome, do Windows 3.11 e a compra da NeXT.

CLASSIFICAÇÕES A PCGuia usa um método de avaliação de produtos que tenta conciliar as medições de desempenho com os aspectos mais empíricos como a experiência de utilização. O valor final da nota será obtida através de uma média aritmética que dará um valor de 1 a 10. Os produtos com nota 9 ou superior recebem o Prémio de Excelência PCGuia. Mais informação em pcguia.pt/como-testamos.

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

9 8

10

6

Distribuidor: PCGuia Site: pcguia.pt Preço: €42 Facto positivo Facto negativo

3


04

INFOGRAFIA MAFALDA FREIRE

O COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL Comprar online é cada vez mais normal em todo o mundo e os portugueses não são excepção. O mercado nacional já corresponde a 87,5 mil milhões de euros, dos quais 5,5 mil milhões são na vertente B2C. Conheça o perfil dos compradores e os produtos mais adquiridos.

GÉNERO DO COMPRADOR PORTUGUÊS

70% DOS PORTUGUESES FAZ COMPRAS ONLINE NO ESTRANGEIRO. ESTES SÃO OS 3 PAÍSES PREFERIDOS: China

Espanha

Homens

Mulheres

48,5%

51,5%

PRODUTOS MAIS COMPRADOS

Reino Unido

67% 46%

38%

63%

Roupa

TAXA DE PENETRAÇÃO DE INTERNET

85%

Portugal 95% 75%

68%

91%

2025

2010 2018

2025

PERCENTAGEM DA POPULAÇÃO QUE COMPRA ONLINE UE

56%

69%

20

Saúde Comida Livros

25 A 44

<24

67,9%

61,8%

Preços mais baixos

Promoções

66% 49%

11%

2010 2018

2025

29%

52,2%

Diversidade de produtos

MÉTODOS DE PAGAMENTO MAIS USADOS

66%

81%

2025

€584,4 >45

27% 2010 2018

15$

IDADE

Portugal

Tech

29%

BUY NOW

VALOR MÉDIO GASTO EM COMPRAS ONLINE POR ANO:

51%

2010 2018

13,8

34%

MOTIVOS DE COMPRA ONLINE

NÚMERO MÉDIO DE PRODUTOS ADQUIRIDOS POR ANO:

UE

38%

BANK

1234 5678 0123 4567 VALID 01/25

CREDIT CARD

21%

50%

42%

40%

PayPal Multibanco MBNet MBWay

31%

30%

Cartão Cartão de crédito de débito

Fonte: Estudo da Economia e Sociedade Digital 2019 da ACEPI e CTT e-Commerce Report 2019.


07

BOOT

MAFALDA FREIRE

1

1

APRENDA A CRIAR ZONAS PARA ORGANIZAR O AMBIENTE DE TRABALHO Use o FancyZones para ter várias janelas no seu desktop de forma organizada, para facilitar o seu trabalho.

2

Se é daquelas pessoas que gosta ou precisa de ter múltiplas janelas quando está no computador e as redimensiona para que fiquem todas visíveis no ambiente de trabalho, criar zonas é o ideal. Com o FancyZones pode organizar os diferentes programas que tem abertos de forma simples e rápida criando zonas distintas que depois conseguem ser personalizadas.

O FancyZones faz parte do pacote PowerToys da Microsoft que está acessível na plataforma GitHub em bit.ly/2pZU69l. Seleccione o ficheiro ‘PowerToysSetup.msi’ da versão mais recente e faça o download. Instale o programa seguindo as instruções que vão aparecendo no ecrã e no final faça ‘Finish’ para concluir o processo. Vá aos ícones ocultos 1 na área de notificação da barra de tarefas e clique com o botão direito do rato no PowerToys e em ‘Settings’ para abrir as definições do programa.

1

Na janela do PowerToys que abriu anteriormente verifique se a opção ‘FancyZones’ está activa 1 e caso não esteja deslize o slider para ‘On’. Vá à área ‘FancyZones’ no menu lateral e clique no botão ‘Edit zones’ 2 e em ‘Templates’ para escolher o modelo das zonas que mais lhe agrada. Nós optámos pela ‘Priority Grid’. Faça ‘Apply’ para configurar a que pretende.

2

34


Agora vamos colocar as janelas nas três zonas que temos disponíveis no modelo e organizar o ambiente de trabalho. Carregue no ‘Shift’ do seu teclado, mantenha a tecla pressionada e clique com rato na barra da janela. Arraste a janela até à zona pretendida e largue-a. Repita o processo para ocupas as outras zonas disponíveis.

3

1

O FancyZone permite aumentar o número de zonas de cada modelo. Para tal basta clicar no símbolo + 1 disponível na área ‘Edit Zones’ > ‘Choose your layout’. Aconselhamos que nunca ponha mais de 10, pois, caso contrário, as zonas serão muito pequenas e deixam de ser funcionais. Também pode alterar o espaço entre zonas na opção ‘Space around zones’ 2 ou retirar os espaços entre as mesmas retirando a selecção da caixa ‘Show space around zones’ 3 .

4

3

2

Pode personalizar ainda mais os modelos existentes com recurso à opção ‘Edit selected layout’ 1 . Após clicar nesse botão pode ajustar o tamanho de cada zona mexendo os círculos azuis que aparecem 2 ou criar mais zonas, dividindo as já existentes, quer vertical, quer horizontalmente. Para tal basta carregar no ‘Shift’, manter a tecla pressionada e com ajuda do rato clicar na área em que quer colocar a nova limitação da zona.

5

1

1

2

1

Outra das modificações que pode fazer é juntar zonas, sendo que, para tal, terá de seleccionar, com o rato, as zonas que quer ligar para que apareça a opção ‘Merge zones’ 1 . Quando tiver feito todas as alterações pode dar um nome ao novo modelo e clicar em ‘Save and apply’. Em seguida na área ‘Edit zones’ pode consultar, além dos ‘Templates’ existentes, os modelos personalizados que criou, que vão estar na área ‘Custom’. Além disso, pode apagá-los ao clicar no ícone do caixote do lixo 2 .

6

Se gosta de modelos mais flexíveis pode criar um template personalizado na área ‘Custom’. Escolhe ‘Create new custom’ > ‘Edit selected layout’ e depois ‘Add new zone’. Vai ver uma caixa que corresponde a uma zona que pode redimensionar como qualquer janela com a ajuda do rato e adicionar as que quiser para criar um modelo que se ajuste mais às suas necessidades. Para apagar uma zona, carregue em ‘X’ 1 ; quando o modelo estiver ao seu gosto, dê-lhe um nome 2 e clique em ‘Save and apply’.

7

1

2

2

2

35


07

BOOT

RICARDO DURAND

DAR UMA NOVA VIDA AOS BOTÕES DO RATO COM O XBMC O seu rato é capaz de fazer mais que clicar em opções e arrastar ficheiros de pasta em pasta. O truque é usar um programa que dá novas funcionalidades aos botões, para lhe dar mais controlo sobre o PC - vamos fazer isto com o XBMC. Se tem um daqueles ratos cheios de botões laterais e no topo, talvez não os esteja a usar ao máximo para fazer mais no Windows. O programa gratuito XBMC é uma espécie de vitamina para este periférico de computador: vai poder atribuir novos comandos e acções para lançar software, mudar a velocidade do ponteiro, tirar screenshots, transformar a roda numa ferramenta de zoom e muito mais coisas que, antes, só poderia, por exemplo, fazer com o teclado e/ou em vários passos.

Faça o download do X-Button Mouse Control (XBMC) em bit.ly/2WzaERo - clique em ‘Latest version’ para descarregar a versão mais recente deste pequeno programa para o Windows (compatível com as versões 7, 8.1 e 10). Não mude nada nas janelas de instalação que vão aparecendo, basta ir clicando em ‘Next’ até ao fim e concluir com um toque em ‘Finish’. Assim que tiver instalado o XBMC fica imediatamente activo e o ícone aparece na barra de tarefas, em baixo, à direita - é um pequeno símbolo branco com o formato de um rato.

1

O programa gratuito XBMC é uma espécie de vitamina para os ratos e vai dar-lhe mais opções para interagir com o sistema operativo. 40

Antes de começarmos a atribuir novas funções aos botões do rato, vamos ver se todos os botões são reconhecidos pelo XBMC. Abra o programa e vá pressionando todos, incluindo a roda de scroll. Cada vez que o fizer, a entrada respectiva, à direita, acende-se a laranja, o que significa que o software reconheceu os botões.

2


07

BOOT

Todos conhecemos a acção pré-definida para o clique na roda de scroll: navegar rapidamente por textos em documentos ou na Internet, arrastando o rato para cima ou para baixo. Como esta é uma funcionalidade um pouco estranha (basta usar a roda de forma normal, para isso) vamos dar-lhe outra missão: activar a Lupa do Windows. Para isso, clique na opção ‘Middle Button’ do XBMC , no menu dropdown que aparece escolha ‘Magnifier Toggle On/Off’ que está quase no final da lista. Depois disto, clique em ‘Apply’ para activar a nova função. Agora, sempre que carregar na roda de scroll activa a lupa e pode ver todo o ecrã de forma aumentada; para sair deste modo ‘Lupa’, basta carregar outra vez na roda de scroll do rato.

3

Pode multiplicar os controlos que dá aos botões do rato de usar aquilo a que o XBMC chama ‘Layers’ (camadas). Existem duas activas que pode usar, ou seja, dois conjuntos de controlos-extra para atribuir aos botões do rato. Vamos usar uma delas para criar ações de ‘Colar’, ‘Cortar’ e ‘Copiar’, para usar sem termos de usar o menu que aparece ao clicar no botão direito do rato. Entre no separador ‘Layer 2’ e, aqui, não dê qualquer função ao botão do lado esquerdo (‘Left Button - No Change Don’t Intercept)’, porque queremos continuar a usá-lo para seleccionar texto. A ideia é usar a roda de scroll para ‘Cortar’ e ‘Copiar’ texto: em ‘Wheel Up ’(rodar para cima) escolha ‘Cut’ (cortar) da lista e atribua ‘Copy’ (copiar) a ‘Wheel Down’ (rodar para baixo). Para concluir esta série de tarefas, defina o ‘Right Button’ (botão do lado direito)‘ para fazer ‘Paste’ (colar).

4

Pode alternar entre Layers (camadas) ao clicar com o botão do lado direito do rato em cima do ícone do XBMC na barra de tarefas, mas é mais prático criar um atalho para isso. Vamos usar o botão da roda de scroll para fazer isso. Regresse à janela do programa, mantenha-se no separador ‘Layer 2’ e atribua a opção ‘Layer (Next)’ ao ‘Middle Button’ (botão do meio, ou seja, da roda de scroll). Não se esqueça de clicar em ‘Apply’ para assegurar que as mudanças são feitas. Se acha que duas “camadas” não chegam para as suas necessidades, entre em ‘Settings’ e, na opção ‘Number of layers’ seleccione até um máximo de dez.

5

Se o seu rato não tiver uma roda de scroll (há uns que funcionam com o arrastar do dedo sobre um sensor que fica a meio, como o da Apple), pode criar um atalho no teclado para alternar entre layers (camadas). Clique em ‘Settings’ e depois entre no separador ‘Hotkeys’. Aqui, basta escolher a combinação de teclas que quer usar para activar qualquer uma das dez layers disponíveis. Em alternativa, pode definir uma combinação de teclas para alternar de forma cíclica entre camadas: ‘Next Layer’ e ‘Previous Layer’. Depois de definir tudo, marque a opção ‘Enable global hotkeys’, clique em ‘Ok’ e depois em ‘Apply’ na janela principal do XBMC.

6

Por muito que estes novos controlos atribuídos ao rato sejam úteis, num determinado momento pode achar que são demais e chegar a uma altura que os usa de forma acidental, fazendo coisas que não queria. Para impedir que isto aconteça, identifique o controlo que quer desligar e, na janela principal do programa vá clicando no botão do rato para ver quando é que este acende a laranja. De seguida, basta abrir o respectivo menu dropdown e escolher a opção ‘Disable’. Como nas outras ocasiões, tem de clicar em ‘Apply’ para activar a mudança.

7

42


11

50

TEMA DE CAPA


A NOVA ‘BESTA’ DO NUNO AGONIA

G U S TAVO DI AS

Quando a Asus Portugal nos telefonou a perguntar se gostaríamos de experimentar, em primeira mão, o novo computador que estavam a criar para o maior youtuber português de tecnologias, haveria outra resposta que não: «Quando é que chega?». Foi em Maio deste que, durante a visita à Computex, em Taiwan, soube que a Asus Portugal estaria a criar o novo computador de trabalho de Nuno Agonia, tendo o mesmo aproveitado a ocasião para me questionar sobre as escolhas de componentes para o mesmo. Dúvidas como «qual a melhor plataforma?», «que memórias e quantidade escolher?» ou «que solução de armazenamento devo usar?» foram algumas das perguntas. E todas com sentido, pois estamos a falar num computador que vai lidar com dezenas de ficheiros de vídeo de múltiplos gigas cada, ao mesmo tempo, para poder criar os vídeos que o tornaram famoso. Durante a feira de tecnologias em Taiwan, ficámos a conhecer a nova plataforma AMD X570 com a interface PCIe 4.0, que prometia duplicar a largura de banda das rápidas unidades SSD NVMe actuais. Contudo, isso implicaria estar limitado a uma plataforma AMD Ryzen que não seria a ideal, para a finalidade de edição de imagem. A juntar a isso, a disponibilidade dos SSD PCIe 4.0 é bastante limitada e ainda não sabemos como se irão comportar numa utilização tão intensiva quanto aquela que o Nuno irá dar aos mesmos.

TRABALHOS PESADOS Para terem uma ideia do trabalho que este novo computador vai ter, estamos a falar na manipulação de dezenas de ficheiros de vídeo, sempre à máxima qualidade de imagem (4K) das várias câmaras com que o Nuno filme. A máquina principal do seu estúdio é uma Sony FS7 - com as definições máximas, cria um ficheiro com 2 GB em pouco mais de vinte segundos. Agora, imagine os ficheiros necessários para a criação de um dos múltiplos vídeos publicados semanalmente no YouTube, que tendem a ter uma duração média de dez minutos. Foi a pensar nisto que a Asus Portugal chegou à conclusão de que o computador ideal para edição de vídeo 4K, usando o Adobe Premiere, seria um sistema composto pelo poderoso Intel Xeon W-3175X. Isto representa uma diferença de processamento abismal, comparativamente ao actual sistema utilizado pelo Nuno Agonia, para a edição dos seus vídeos, que tem como base um Intel Core i7-5820K - embora fosse um processador excepcional em 2014 (quando foi lançado), já foi ultrapassado, em termos de desempenho, por um AMD Ryzen 6 2600 de gama média. 51


16

GADGETS

SONY HT-X8500

5

Se comprou um televisor novo, seja ele LED, OLED ou QLED, certamente ficará insatisfeito com a qualidade sonora do mesmo, muito por culpa do limitado espaço existente para as caixas de ressonância dos altifalantes usados. O ideal será a aquisição de um sistema surround completo, mas este irá implicar não só um avultado investimento, como a passagem de cabos ao longo da sua sala para todos os altifalantes, algo que certamente gerará alguns conflitos familiares, ou com os seus animais de estimação, que adoram brincar com cabos expostos (falo por experiência própria). Qual a solução perfeita para resolver estes dois problemas? Uma poderosa barra de som como esta Sony HT-X8500, equipada com dois tweeters, colocados nas extremidades, e um poderoso duplo subwoofer na zona central. Embora a configuração seja, na realidade, a de um sistema de 2.1 canais, graças ao poderoso DSP, esta HT-8500 consegue recriar um convincente som surround virtual de 7.1 canais, sendo igualmente compatível com as normas DTS:X e Dolby Atmos. Existem ainda cinco modos de som que adaptam a reprodução do som à situação do momento (‘Cinema’, ‘Jogo’, ‘Desporto’, ‘Música’

e ‘Notícias’). Em termos de ligações, existe uma entrada SPDIF óptica digital e uma HDMI passthrough, que permite usar uma consola de jogos, TV Box ou leitor de Blu-Ray UHD, ligando posteriormente ao televisor, através da norma HDMI eARC. Se quiser dar uso aos diversos serviços de streaming já disponíveis nativamente no seu televisor, o ideal será usar a já referida ligação óptica ou uma ligação Bluetooth que, durante a minha experiência, não sofreu qualquer tipo de atraso ou desfasamento da voz relativamente à imagem. O preço é algo elevado, mas justifica-se em pleno pelas características e capacidades sonoras desta barra de som. G U S TAVO D I A S

sony.pt €400

GARMIN FORERUNNER 45

4

Apesar de este novo smartwatch da Garmin ser uma evolução do modelo Forerunner 35, o aspecto é completamente diferente. O Forerunner 45 parece-se mais com um relógio “normal”, com um chassis redondo que pode ser comprado com tamanhos de caixa de 42 ou de 39 mm (ecrã de 1,04 polegadas, com 208 x 208 de resolução). Existem botões de controlo dos dois lados do relógio para as funções, retroiluminação, iniciar e parar a monitorização de actividades físicas. A navegação, não sendo complicada, necessita de alguma habituação, principalmente se nunca usou um relógio da Garmin. O Forerunner é compatível com várias aplicações de fitness, como a Strava ou a MyFitnessPal. Segundo a empresa, a bateria do Forerunner dura uma semana, o que, pelos nossos testes, bate mais ou menos certo - tudo depende da quantidade de exercício que fizer e da utilização do sistema GPS. P E D R O T R Ó I A garmin.com €199

SAMSUNG GALAXY WATCH ACTIVE 2

4

Passados exactamente seis meses desde o lançamento dos primeiros Galaxy Watch Active, a Samsung acaba de lançar a segunda geração daquele que considero o melhor smartwatch para utilizadores Android. Disponível agora com 40 e 44 mm, este continua mais compacto que o Galaxy Watch de 46 mm, embora herde dele uma das principais funcionalidades que sempre caracterizaram os smartwatch da Samsung: o controlo rotativo, embora este seja virtual (ou melhor, táctil) no caso do Active 2, e esteja desligado por defeito. As braceletes continuam a ser personalizáveis e muito fáceis de substituir. Face ao modelo original, a grande diferença é a presença de um sistema de monitorização de frequência cardíaca mais preciso, composto agora por oito sensores melhorados, colocados na parte traseira. Existe também um sensor de electrocardiograma, mas o mesmo ainda não está a funcionar, pois a Samsung precisa de aprovação local (de cada país) para que o mesmo possa ser activado. De resto, em termos de desempenho, autonomia e funcionalidades, é muito idêntico ao Galaxy Watch Active original, o que poderá limitar as suas vendas, já que a diferença de preço entre ambos é bastante significativa. G U S T A V O D I A S samsung.com/pt €319 (versão de 44 mm) 80


ENERGY SISTEM URBAN BOX 4 BASS TUBE

4

O nome desta nova coluna de som da Energy Sistem não engana: há aqui latente uma promessa de bons graves. Mas, será isto possível num gadget que custa apenas quarenta euros? Antes de lhe dizermos isso, não podemos deixar de ver um paralelismo de design com os equipamentos da JBL, em concreto com os Xtreme 2 - é a mesma forma cilíndrica e dois woofers nas pontas, com o mesmo estilo da marca da Harman. Mas como o objectivo desta pequena review não é comprar equipamentos, voltamos a por os pés na terra para nos concentrarmos nesta Urban Box. Com as dimensões de uma pequena garrafa de água (compacta, portanto), a nova coluna portátil da Energy Sistem pode dar-nos música por cerca de oito horas e ser usada com a típica ligação Bluetooth, além do jack 3,5 mm e de um cartão microSD. Resistente a salpicos e com uma construção dominada pela borracha e pelo tecido, a Urban Box 4 tem um aspecto resistente e junta iluminação LED em azul nas pontas. No topo estão botões para regular o volume, play, on/off e, na base, existe um adaptador para a podermos enroscar a um tripé. Se tiver outra coluna igual, pode ainda ligá-las uma a outra para ter uma capacidade sonora mais envolvente, uma característica bastante comum neste tipo de gadgets. Finalmente, a resposta à pergunta com que começámos o texto: a potência de 12 W e a tecnologia Bass Tube que a marca diz ter são razoáveis para uma coluna que custa tão pouco - não vamos ter aqui uma qualidade extraordinária, mas que pode surpreender quem estava à espera de ouvir coisas muito piores a sair deste tubo compacto da Energy Sistem. R I C A R D O D U R A N D energysistem.com €39,90

Com as dimensões de uma pequena garrafa de água (compacta, portanto), a nova coluna portátil da Energy Sistem pode dar-nos música por cerca de oito horas e ser usada com a típica ligação Bluetooth.

GILLETTE HEATED RAZOR

4

Nem sempre as campanhas de cowdfunding dão certo, mas a que serviu para dar a conhecer a nova máquina de barbear da Gillette acabou por ser bem-sucedida: refiro-me à nova Heated Razor. Esta é uma máquina de barbear manual que, além da cabeça giratória, das lâminas finas, barra lubrificante e uma lâmina-extra para aparar aqueles pêlos que necessitam de mais precisão, tem a novidade de aquecer a zona abaixo das lâminas. Segundo a Gillette, isto serve para simular a utilização de uma toalha quente na cara para amaciar a pele e os pelos. O sistema de aquecimento funciona em duas temperaturas diferentes e está protegido por um módulo composto por quatro sensores que não o deixam sobreaquecer. A Gillette Heated Razor tem uma bateria que serve para alimentar o aquecedor, carregada através um sistema de indução semelhante ao utilizado nas escovas de dentes eléctricas. Uma carga dá para fazer a barba três ou quatro vezes, mas a ideia é carregá-la todos os dias. Fazer a barba com uma máquina destas é diferente de a fazer com uma normal: a impressão de calor na cara é agradável, mas não é igual à de uma toalha quente. Nota-se que as lâminas são mais afiadas que as dos outros modelos da marca, o que a torna ainda mais agradável de usar. O que não é muito agradável é o preço, assim como uma recarga de oito lâminas, que fica por 50 euros. P E D R O T R Ó I A gillette.pt €199

81


16

LAB

HP ENVY X360 13 Com o novo Envy x360 de treze polegadas, a HP volta a apostar numa plataforma AMD. Será a solução ideal para um ultraportátil premium como este?

O Envy x360 já é uma presença constante aqui na redacção, especialmente sempre que a HP actualiza os componentes. Nesta nova versão de 13,3 polegadas, este computador portátil híbrido tornou-se ainda mais atraente, com o seu acabamento metálico escuro em todo o chassis. Com duas robustas dobradiças, é possível virar o ecrã até 360 graus (daí a designação ‘x360’), transformando um computador com dimensões típicas de um ultrabook num tablet, embora possa ser usado como outros formatos, habitualmente designados de ‘modo de tenda’ e ‘modo de suporte’, este último, com o teclado virado para baixo, ideal para quem tenha um gato em casa que adore sentar-se em cima dele. Contudo, este modo é desaconselhado porque simplesmente deixará de tirar partido de uma das principais vantagens deste equipamento, o sistema de som Bang & Olufsen, que inclui duas colunas por cima do teclado (que neste modo estariam tapadas) e duas colunas em baixo, viradas para a superfície da mesa, para uma experiência de som mais eficaz.

PISCAR O OLHO A PROFISSIONAIS Embora tenha sido criado a pensar nos consumidores domésticos, este HP Envy x360 conta com algumas funcionalidades vindas do segmento profissional, como a aplicação de um sensor de impressões digitais compatível com a tecnologia de autenticação Windows Hello, e um ecrã de 13,3 polegadas com tecnologia HP Sure View, que reduz a visibilidade do ecrã, sempre que precisar de

manter os conteúdos do seu ecrã privados. Esta solução, porém, implicou a aplicação de uma camada adicional no ecrã, que acabou por degradar a qualidade de imagem em ângulos de visualização menos directos, mesmo com o sistema desligado, o que obrigou à HP a ter de recorrer a um ecrã do tipo IPS, e a um poderoso sistema de retroiluminação, para minimizar o impacto da tecnologia HP Sure View. Já a webcam de 720p é bastante básica e não é compatível com a tecnologia de reconhecimento de rosto Windows Hello, como acontece com os modelos de 15,6 polegadas. Não me posso esquecer ainda do touchpad de grandes dimensões multi-toque, e o agradável teclado retroiluminado, que peca apenas pela dimensão reduzida das teclas direccionais (cima e baixo).

HARDWARE POR AFINAR Com 8 GB de memória RAM DDR4 de 2400 MHz, uma unidade SSD NVMe de 256 GB, é na APU utilizada que encontro as maiores críticas a este HP Envy x360. Embora, no mundo dos processadores desktop, a AMD esteja com soluções muito apetecíveis, nos dispositivos móveis, a AMD ainda de que resolver alguns problemas, em especial nas exigências térmicas destes processadores. Esta é a única razão pela qual consigo justificar que este AMD Ryzen 7 3700U, equipado com uma

O desempenho irregular (e abaixo do esperado) poderá resultar do perfil térmico conservador utilizado pela HP, para evitar o sobreaquecimento do processador. 82

controladora gráfica Radeon RX Vega 10, tenha acabado por revelar um desempenho inferior ao AMD Ryzen 5 3500U utilizado pelo anteriormente testado IdeaPad C340 da Lenovo, que ainda por cima tem uma controladora gráfica inferior (RX Vega 8). Como se isto não bastasse, também o teste de bateria revelou um resultado bastante inferior ao esperado: apenas quatro horas, quando a própria HP anuncia uma autonomia que pode chegar até às onze. G U S T A V O D I A S

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

6

9,5

8

8 Distribuidor: HP Site: hp.com/pt Preço: €999,99 s Qualidade de construção s Desempenho irregular t Autonomia FICHA TÉCNICA n Processador: AMD Ryzen 7 3700U 2.3GHz n Memória: 8 GB DDR4 n Armazenamento: 256 GB SSD NVMe n Placa Gráfica: AMD Radeon RX Veja 10 n Ecrã: 13,3” IPS táctil (1920 x 1080) n Ligações: 2 x USB 3.1, USB-C 3.1, leitor de cartão MicrSD, jack 3,5 mm n Dimensões: 307 x 214 x 14,9 mm n Peso: 1,29 kg BENCHMARKS n PCMark 10: 3143 n PCMark 10 Productivity: 4260 n 3D Mark Cloudgate: 10 146 n PCMark 8 Home Battery: 225 minutos PONTO FINAL Este computador portátil híbrido mantém as boas características da gama Envy da HP, mas a plataforma AMD Ryzen aqui utilizada não nos convenceu, devido ao desempenho irregular registado.


16

LAB

LENOVO IDEAPAD S540 Com o IdeaPad S540, a Lenovo revela-nos um ultrabook Intel com características bastante interessantes para o preço pedido, mas será que nos consegue cativar tanto como o C340, que testámos na edição passada? Pode-se dizer que a Lenovo nos deixou mal-habituados com o IdeaPad C340 testado na PCGuia 286. Este portátil juntava todas as qualidades habituais de um equipamento da série IdeaPad a uma competente plataforma AMD Ryzen 5. Agora recebemos um equipamento da mesma família, embora da série S, razão pela qual não se consegue dobrar para se transformar num tablet, nem o ecrã é táctil. O ecrã IPS tem 14 polegadas, garante imagens de óptima qualidade e consegue resolver o grande problema que encontrámos no IdeaPad C340: o limitado brilho. De resto, estamos perante um equipamento de construção robusta, com materiais de alta qualidade, como o alumínio. Destaque ainda existindo para um agradável teclado, um preciso touchpad de grandes dimensões, o sempre útil leitor de impressões digitais, uma webcam com cobertura física (para garantir a sua privacidade) e um conjunto de colunas estéreo frontais, com certificação Dolby Audio, que garantem uma reprodução de áudio bastante nítida.

ARREFECIMENTO EFICAZ Equipado com uma plataforma Intel, composta por um Core i5-8265U de 1,6 GHz (até 3,9 GHz em modo Turbo) e um TDP de apenas 15 W, não é de estranhar que este IdeaPad trabalhe a temperaturas bastante baixas, na maioria das situações. Porém, em alturas em que se exija um maior esforço do processador, rapidamente subirá as temperaturas ao ponto de acelerar a velocidade de rotação das ventoinhas do sistema de arrefecimento, ventoinhas essas que acabarão por se tornar bastante irritantes, situação pouco habitual em equipamentos do género. Ainda assim, o sistema tem a vantagem de garantir que, 84

O ecrã, embora com uma qualidade de imagem superior ao do C340, peca por não ser táctil. tanto a base, como o chassis, nunca acabem por se tornar desconfortáveis, mesmo em utilizações mais exigentes.

DESEMPENHO EQUILIBRADO Ao Core i5-8265U junta-se um total de 8 GB de memória RAM DDR4 e um SSD NVMe de 256 GB. Infelizmente, devido à baixa espessura do equipamento, não existem portas adicionais - se quiser fazer um upgrade a algum destes elementos, terá mesmo de substituir os actuais módulos (memória RAM e SSD). A vertente gráfica ficou a cargo de uma Nvidia GeForce MX250 com 2 GB de memória dedicada que garantiu um desempenho equiparável ao obtido pela plataforma AMD, (com gráfica integrada, do IdeaPad C340). Isto significa que o S540 está preparado para lidar com, praticamente ,todo o tipo de utilizações profissionais, incluindo um ou outro jogo, como Fortnite. A bateria é que, infelizmente, revelou uma autonomia bem inferior ao esperado, ao conseguir pouco mais de três horas no teste de bateria PCMark 8. G U S T A V O D I A S

MEDIÇÕES

EXPERIÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

PREÇO QUALIDADE

8 6

9,5

8

Distribuidor: Lenovo Site: lenovo.com/pt Preço: €899 s Desempenho s Qualidade de construção t Autonomia

FICHA TÉCNICA n Processador: Intel Core i5-8265U 1,6 GHz n Memória: 8 GB DDR4 n Armazenamento: 256 GB SSD NVMe n Placa Gráfica: Nvidia GeForce MX 250 2GB n Ecrã: 14” IPS (1920 x 1080) n Ligações: 2 x USB 3.1, USB-C 3.1, HDMI 1.4b, leitor de cartão SD, jack 3,5 mm n Dimensões: 323 x 227 x 15,9 mm n Peso: 1,49 kg BENCHMARKS n PCMark 10: 3985 n PCMark 10 Productivity: 5804 n 3D Mark Cloudgate: 10 461 n PCMark 8 Home Battery: 198 minutos PONTO FINAL As comparações eram inevitáveis. Se o IdealPad S540 convence em termos de desempenho e qualidade do ecrã, peca pela falta de versatilidade do chassis, pelo ecrã não ser táctil e por ter um preço mais elevado.


Profile for PCGuia

PCGuia 287 Dezembro - Demonstração  

Máquina infernal! Testámos o poderoso computador de 16 mil euros que a Asus criou para o youtuber Nuno Agonia.

PCGuia 287 Dezembro - Demonstração  

Máquina infernal! Testámos o poderoso computador de 16 mil euros que a Asus criou para o youtuber Nuno Agonia.

Profile for pcguia
Advertisement