Page 1

S ecretaria

G overno do E stado de S達o Paulo, da C ultura e M useu D e A rte S acra de S 達o Paulo A presentam


10


10


10


10


O que traz o artista Paulo von Poser ao Museu de Arte Sacra de São Paulo ? A resposta pode considerar os sentidos da primavera e sua relação com o sagrado. Em “Floração”, Paulo von Poser alia a delicadeza do fenômeno natural à expressão artística do divino. E o que leva o museu a recebê-lo ? “Floração” é mais uma iniciativa do Museu de Arte Sacra de São Paulo de abrir suas portas para os artistas da contemporaneidade e de cultivar o terreno que abriga arte e religiosidade.

Além disso, tem relação com as flores: a exposição é inaugurada no contexto da 6ª Primavera dos Museus, uma ação do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) para unir os museus do país.

B eatriz V icente

de

A zevedo

Diretora Executiva - Museu de arte sacra de são Paulo

2


Participando do espírito festivo pelos 50 anos de abertura do Concílio Vaticano II, o Museu de Arte Sacra de São Paulo compartilha dos seus ensinamentos e, sobretudo, da missão por ele sublinhada: promover a Cultura e despertar a sensibilidade para o sublime acontecer da vida.

Consciente da sua vocação, este Museu, no caminhar histórico desta Cidade e da inteira sociedade brasileira, abre-se para um novo tempo buscando entrelaçar linguagens contemporâneas com as eruditas. Incentiva, assim, a edificação da Civilização do Amor, cuja alma é a conversação amorosa entre expressões históricas de momentos e culturas diversas.

O propósito da exposição “Floração”, do artista Paulo von Poser, sob curadoria de Haron Cohen, vem ao encontro do incisivo empenho de comunicar o Sublime Divino manifesto na Estação primaveril com suas flores e cores. Tudo é linguagem maravilhosa que flui da Criação pelo próprio Criador. É Ele que, por primeiro, estabelece este diálogo esperando que o ser humano também o corresponda.

O despertar da sensibilidade para o sublime acontecer da vida só ocorre se mergulharmos em contemplação dos bens e dos valores da natureza. A cultura nada mais é do que o cultivo destes.

Trilhando nos ensinamentos do augusto Concílio Vaticano II, o Museu de Arte Sacra abre suas portas convidando você, que nos visita, para participar deste fascinante diálogo que muito enobrece as qualidades da alma e do corpo.

J osé R oberto M arcellino

dos

S antos

Pres. Conselho de Administração

3


4


Em continuidade ao frutífero diálogo entre o Museu de Arte Sacra e artistas contemporâneos, é com imensa satisfação que apresentamos esta “Floração”, de Paulo von Poser. De maneira harmoniosa e rica em simbolismos, as flores de von Poser e a arte predominantemente barroca do acervo da Instituição celebram a chegada da primavera, trazendo oportunidades para que o Museu de Arte Sacra se firme em caminhos poucos antes percorridos.

A experiência de levar arte contemporânea ao histórico prédio da região central de São Paulo serve não apenas como laboratório com resultados teóricos e artísticos, mas principalmente marca uma nova fase do Museu de Arte Sacra, na qual a Instituição dialoga de maneira mais explícita com a metrópole que o abriga, e também cumpre uma das diretrizes básicas da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo de democratizar o acesso à arte de qualidade.

Se a “Floração” de von Poser chega para celebrar as mais diversas formas de criação da vida, é também interessante notar que essa nova fase do Museu promove o renascimento de seu acervo sacro para a cidade de São Paulo e para o Brasil. Desejamos que aproveitem a exposição e a arte religiosa deste que é o principal Museu de Arte Sacra do país.

S ecretaria

da

C ultura

Governo do Estado de São Paulo

5


6


7


texto

-

roberto gambini

caligrafia

8

-

-

a n a l i s ta j u n g u i a n o

pa u l o v o n p o s e r


9


10


10


10


10


15


16


10


10


10


20


21


10


25


26


27


28


29


10


10


32


33


34


35


10


10


10


10


40


41


10


10


10


45


10


10


10


49


10


A conversa é a forma mais antiga de trocar e construir conhecimento. Curiosamente seus primeiros registros se dão através de imagens, nas cavernas rupestres em um ponto primordial onde arte e religião estavam juntas. Assim permaneceram até pouco tempo atrás, quando na gênese da modernidade e depois na arte contemporânea, houve um silêncio nesse diálogo. Ou seja, falando mais por imagens que por palavras, havia uma conversa muito produtiva entre arte e religião que acabou se perdendo nos nossos céticos e científicos dois últimos séculos. A narrativa da arte contemporânea caminhou para um lado e a da Arte Sacra para outro. A exposição floração trás muitos assuntos para retomar este contato. O projeto do espaço da exposição feito por Haron Cohen inicia este diálogo com seu vestíbulo de desenho contemporâneo, onde um Sagrado Coração de Maria (cercado de rosas) em cerâmica é a primeira obra na parede anunciando a entrada. É como se o barroco do acervo, que é visto antes de se entrar no vestíbulo, estivesse reduzido em escala nesse coração, cercado pela limpeza formal deste lugar. Depois do corredor escuro, como numa segunda transição, se abre um espaço rico em cores, com um grande altar na forma das várias Nossas Senhoras Aparecidas na parede direita, numa síntese poética entre a palheta de cores de hoje relendo a profusão cromática e barroca do acervo . Essa composição se aproxima da religiosidade popular, pela cor e pelos elementos do dia a dia incorporados à obra, que manifestam uma proximidade com a divindade intrínseca à cultura popular brasileira, sem grandes solenidades, como os altares das casas simples do Vale do Paraíba. Os objetos nos colos das imagens são as coisas da vida que nos cercam e nos constroem, mostrando

51


que a relação entre religião e arte não precisa estar restrita a um tempo e lugar determinado, ela pode ser experimentada no cotidiano. Na capela á direita temos outra espécie de altar, com seus nichos onde deviam haver santos, que foram substituídos pela cidade e pelo mundo. Logo abaixo os espinhos sobre o coração como os espinhos da vida , nos afastam da ideia de que o sagrado está em simplesmente existir, e com isso perdemos muitas vezes o entusiasmo - que significa estar com os deuses conosco. Este entusiasmo está lá nos textos de poetas e místicos, como San Juan de La Cruz, lembrando que ambos tocam naquele ponto do transcendente onde o tempo para, como nos momentos de ritual, meditação, prece fervorosa e êxtase criativo. No fundo da grande sala temos outra espécie de altar, que trata deste Sagrado que vem de dentro e se cerca das coisas do mundo, das coisas de si mesmo . Em diálogo com o Católico, um Sagrado bem brasileiro e híbrido, onde Avalokitesvara que é o Buda da Compaixão conversa com Nossa Senhora, em retratos de família e amigos de vários tempos, numa roda da vida em construção contínua. E pensando nas flores que são o tema desta história , elas estão ai, florescendo e morrendo na sucessão das primaveras, com todas as cores da Gaia Terra, da existência de nosso planeta em si, que é o grande Sagrado da exposição, a lembrar que tudo que move é Sagrado, mesmo o mínimo gesto cotidiano, traduzido em formas barrocas na época do barroco e nesta exposição nas cores e formas e caminhos dos dias que vivemos. C ésar S artorelli Arquiteto e Mestre em Ciências da Religião

52


53


Indice das imagens PAG -

1. Coração de Maria, 2012 faiança e baixo esmalte 16 X 12 X 5cm

PAG -

4. Floração, 2012 aquarela e acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm

PAG -

6. Aparecida Lírios e Mundo, 2012 faiança e baixo esmalte 30 X 21 X 9cm

PAG -

7. Relicário (as meninas) Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm

PAG - 10. Mãe e Filho 2012 grafite sobre papel Fabriano 75 X 75cm PAG - 11. Madonas do acervo, 2012 62 X 42cm PAG - 12. Madonas do acervo, 2012 62 X 42cm PAG - 13. Madona Benedito Calixto, 2012 acrílica sobre papel Fabriano 75 X 75cm PAG - 14. Flores do Bairro, 2012 Tinta acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 15. Flores pré-históricas Ninféas 2012 acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 17. Floração II ,2012 aquarela e acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 18. Jacarandá Mimoso ,2012 acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 19. Pau-Brasil , 2012 acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 20. Vaso Gérberas,2012 acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 21. Vaso de Rosas, 2012 aquarela e acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 22 - 23. Aparecidas do Arco-Íris, 2012 (série de 24 Aparecidas) faiança e esmalte 30 X 21 X 9cm PAG - 24. Sinal no céu, 2012 tinta acrílica sobre papel Fabriano 75 X 75cm PAG - 25. Aparecida de alpendre I, 2012 faiança e baixo esmalte 45 X 27 X 10cm PAG - 26. Aparecida de alpendre II, 2012 faiança e baixo esmalte 45 X 27 X 10cm PAG - 27. Aparecida de alpendre III, 2012 faiança e baixo esmalte 45 X 27 X 10cm PAG - 28. Aparecida de alpendre IV, 2012 faiança e baixo esmalte 45 X 27 X 10cm PAG - 29. Aparecida de alpendre V, 2012 faiança e baixo esmalte 45 X 27 X 10cm

54


PAG - 30. Relicários (detalhe) Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm PAG - 31. Roseira de 18 botôes relicários Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm PAG - 32. Relicários Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm PAG - 33. Relicários Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm PAG - 34. Relicários Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm PAG - 35. Relicários Mdf pintado e colagem de objetos 20 X 15 X 8cm PAG - 36. Sacro-Urbano desenho e colagem sobre Altar popular de Barretos e genuflexório PAG - 38. Homenagem a Mãe Preta Largo do Paiçandu, 2012 acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 39. Aparecida (detalhe) 2012 faiança e esmalte 30 X 21 X 9cm PAG - 40. Jardim do Museu de Arte Sacra, 2005 desenho sobre papel Fabriano 150 X 236cm - Coleção Alexandre Nowill PAG - 41. Museu de Arte Sacra (Av. Tiradentes), 2005 desenho grafite /acrílica sobre tela 150 X 230cm PAG - 42. Buda da Compaixão 1994-2012 acrílica sobre Mdf com aplicação de fotos e objetos PAG - 43. Duas Rosas Recortadas 2000-2012 Acrílica sobre tela em MDF 170cm

Rosa Coração, 2005 acrilica sobre Mdf e aplicação de relicário com objetos PAG - 44. Coração Dolorosa e espinhos de rosa ( detalhe) oratório Sacro Urbano, 2012 faiança esmalte 16 X 12 X 5cm PAG - 45. Espinho Manjedoura, 2012 faiança e baixo esmalte 33 X 20 X 15cm PAG - 46. Rosa negra carnuda, 2012 carvão e acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 47. A Rosa do Povo, 2012 nanquim e acrílica sobre papel Fabriano 150 X 150cm PAG - 48. Terço gigante (detalhe das contas do mundo) 2012 faiança e baixo esmalte e corda PAG - 49. Projeto do terço, 2003 desenho, nanquim e lápis de cor PAG - 50. Aparecida no Jardim, 2012 instalação (detalhe) Faiança e baixo esmate e escultura mundo de ferro pintado PAG - 53. Aparecida do Mundo, 2012 Faiança e baixo esmalte 16 X 10cm

55


Paulo von Poser nasceu em São Paulo e formou-se arquiteto na FAU-USP em 1982. Hoje desenvolve sua arte, seu desenho e aulas prediletas em espaços públicos, lecionando na FAUS Unisantos desde1986, e na Escola da Cidade no centro de São Paulo. Seu maior trabalho foi a pintura no THEATRO GUARANY em Santos (1882), restaurado e reinaugurado em 2008 com 225m2 de desenhos originais no teto da platéia e do foyer. Em 2010 lançou seu livro “A Cidade e a Rosa“.


Governo

E s ta d o

do

de

São Paulo

Geraldo Alckmin g o v e r n a d o r d o e s ta d o

M a r c e l o M at t o s A r a ú j o s e c r e ta r i o d e e s ta d o d a c u lt u r a

Claudinelli Moreira Ramos coordenadora da unidade d e p r e s e r va ç ã o d o pat r i m ô n i o museológico

J o s é R o b e rt o M a r c e l l i n o

d o s Sa n t o s

presidente do conselho de administração

M u s e u D e A rt e S a c r a B e at r i z V i c e n t e

de

de

-

samas

São Paulo

Azevedo

d i r e t o r a e x e c u t i va

FLORAÇÃO - P a u l o

von

Poser

Haron Cohen curadoria e projeto cenográfico

Victor Tronconi

AGRADECIMENTOS B eatriz V icente

de

A zevedo , B eto

von

P oser ,

F ernando T eixeira M endes , G il H onorato ,

design gráfico e fotografia

J osé E dson ( serralheria ), D r . J osé M arçal , J oão P aulo

Balady Comunicação

e todos da

assessoria de imprensa

R egina R osa , R oberto G ambini , S ilvia B alady

G i l H o n o r at o

e

assistente de produção

e todos da

Vic

von

vídeo

Poser

C enário B rasil , D ra . M aria T hereza M cnair ,

B runo P alma , S onia

E liana , D aniel , M aria

e

B arro B lanco , T hais A bujamra F erreira ,

U go C astellana ,V ic M eirelles , V ic V ictor T ronconi , Z élia

e

F ernando

von von

P oser , P oser

10


MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO

E s ta ç ã o T i r a d e n t e s d o M e t r ô A v . T i r a d e n t e s, 676 E s ta c i o n a m e n t o G r at u i t o d o M u s e u - R u a J o r g e M i r a n d a , 43 B a i r r o d a L u z - S ã o P a u l o - SP Horário de Funcionamento T e r ç a a D o m i n g o d a s 10 h a s 18 h Inclusive Feriados F e c h a m e n t o d a B i l h e t e r i a a s 17:30 h www.museuartesacra.org.br

apoio:

realização:

Profile for Paulo von Poser

CATÁLOGO EXPOSIÇÃO FLORAÇÃO  

Catálogo da Exposição "FLORAÇÃO". Museu de Arte Sacra - SP. 2012

CATÁLOGO EXPOSIÇÃO FLORAÇÃO  

Catálogo da Exposição "FLORAÇÃO". Museu de Arte Sacra - SP. 2012

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded