Issuu on Google+


Tive um sonho muito estranho Sonhei que navegava Num grande rebanho De águas salgadas como o mar Naquele meu estranho sonho Parecia que Marvão Era um marinheiro que vagueava Pelos mares desertos À procura de terra Marvão era um marinheiro Com grandes ideias em mente E nem se importava Com os riscos que tinha em frente Naquele meu estranho sonho Imaginei uma donzela Com cauda de peixe Era uma sereia tão bela Que o marinheiro se apaixonou Quando acordei, fui até Marvão, Estava muita neblina… O castelo estava sobre águas!

Denis Lapuste e Luís Garção


Castelo num Mar de Gelo Sonhei navegar num Mar de Gelo Onde a irrealidade se tornou possível Tudo ficou eterno E o gelo refletia a magia dos cristais.

Navegava num dia de nevoeiro Pensando não encontrar nada nem ninguém Até que bem lá ao fundo, avistei a beleza Um castelo refletido na magia do gelo Era a beleza infinita, dada pelos cristais.

À distância encontrava-se uma ilha, Com o azul do mar Onde o vento vinha arejar Uma mina de encantar.

Aproximei-me do castelo E encontrei uma sereia Iluminada por um raio brilhante, amarelo Deitada num mar de areia.


Fiquei apaixonado O brilho do gelo refletia-a Quero ser o seu amado Num belo dia de maresia.

Acordei, o despertador tocou Tudo não passou de um sonho Queria que fosse realidade E eu sempre risonho.

Débora Miranda Teresa Dias Cláudia Batista


Mar de Marvão

Que lindo Mar de Marvão Que sonhei a vida inteira Montado num cão Encontrei uma cavaleira.

O seu cavalo era lindo E voava como uma pena, Mas o melhor era a cavaleira Que tinha a pele morena.

A cavaleira era parecida Com uma princesa, Abriu-me o coração Pois parecia uma framboesa.

Tive pena dela E levei-a ao doutor Tinha uma doença Que a furtava ao amor.

A cura da doença Era o mar de Marvão, Aquelas lindas nuvens Evitavam o caixão.

O mar é a cura de todas as doenças


O mar é aquela coisa inexplicável O mar é aquilo que nos faz refletir E já estou farto de tanto “o mar” repetir.

O mar é o amor, É a casa da sereia, Mas cuidado, porque há Um tubarão e uma lampreia.

O mar de Marvão é especial, Pois a cada pessoa Corresponde um animal.

O mar de Marvão é Um mar para sonhar Até há quem diga Que foi o caminho do rei Baltazar.

Aquele manto de nuvens É um caminho para a glória Até há quem diga que Aviva a memória. O mar de Marvão É diferente dos outros Pois este mar Não dá para nadar.

O mar e as ondas Fazem-nos refletir Esquecermos os problemas


E esperar que os novos h達o de vir.

As sereias e as princesas S達o abundantes no mar E logo neste de Marv達o Elas nunca v達o acabar.

Miguel Nunes


O Mar é como um paraíso para mim Uma ilha tão pequenina Mas com grande significado

Sonhei que navegava No fundo do meu coração Encontrei uma princesa Na muralha da solidão

Libertei-a e convidei-a para almoçar Viajei com ela no tempo Criei uma nova paixão E começamos a namorar

A minha vida ficou um mar de rosas O mar deixou de ser solidão Fique tão emocionado Com a minha nova paixão


Quando vou a Marvão Sinto grande solidão Fico tão triste quando tenho de dizer não

Se eu acabasse agora Deixava o futuro Não guardava nada no meu coração Acham que devo de acabar? Sim ou Não?

Mas tem mesmo que ser, Sem mais dizer não Estou farto de rimar, Mas foi do fundo do coração.

Daniel Sanches Nº4 7ºA


Era uma vez um marinheiro Que gostaria de navegar Olhou para aquela princesa E teve vontade de amar.

Sonhou que navegava Naquele alto mar Foi ter com a princesa Para a beijar ao luar.

Subiu altas montanhas Para conquistar o amor dela Foi ter com o seu pai E pediu a mão da donzela.

Da torre do seu castelo Vê as ondas do mar Olhando para elas Só lhe apetece viajar

Viajou no seu barco Para o desconhecido. Conheceu um homem Que ficou seu amigo.

O seu olhar vagueia sobre o mar O seu sonho é poder ir à lua Esta poesia vai acabar


Com a princesa toda nua.

RĂşben Pires, Rui Ramilo e Afonso Sarnadas


O Mar de Marvão - Poemas