A Voz da Glória 046 ano II

Page 1

JESUS, REI DOS REIS (FELIPE AQUINO) Jesus afirmou que é Rei, mas não deste mundo. Quando Pilatos o interrogou, “És porventura rei?”, Ele respondeu: “Sim, eu sou rei!”, (Jo 18,37). Mas, “meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus súditos certamente teriam pelejado, para que eu não fosse entregue aos judeus” (Jo 18,36). O Reino de Cristo é o Reino dos Céus; que Ele veio inaugurar, e disse que “já estava no coração” dos homens. Ele quer reinar em nós, não no mundo. Ele quer o nosso coração, nada mais. Cristo não reina na glória e no poder dos homens, mas nos corações dos “pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus”. Ele reina nos mansos, nos pacíficos, nos construtores da paz, nos puros de espírito, nos misericordiosos, nos que sabem perdoar, enxugar as lágrimas dos irmãos, dos aflitos, dos que têm sede e fome de justiça, dos que são perseguidos por causa Dele. Ele é Rei porque venceu; não no triunfo do poder humano, mas na vitória contra o Mal e contra o pecado e morte: “Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o Nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos. E toda língua confesse, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é o Senhor.” (Fp 2,8-11) Logo no início o livro do Apocalipse revela a Majestade do grande Rei: “Jesus Cristo, testemunha fiel, primogênito dentre os mortos e soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, que nos lavou de nossos pecados no seu sangue e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai, glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém. Ei-lo que vem com as nuvens. Todos os olhos o verão, mesmo aqueles que o traspassaram. Por sua causa, hão de lamentarse todas as raças da terra. Sim. Amém. Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, Aquele que É, que era e que vem, o Dominador.” (Ap 1,5-8) “O seu rosto se assemelhava ao sol, quando brilha com toda a força… Eu sou o Primeiro e o __________

Último, e o que vive. Pois estive morto, e eis-me de novo vivo pelos séculos dos séculos; tenho as chaves da morte e da região dos mortos.” (Ap 1,16-18) Ele é Aquele que “segura as sete estrelas na sua mão direita” (Ap 2,1); “que tem a espada afiada de dois gumes” (2,12); “que tem os olhos como chamas de fogo”(2,18); “Aquele que tem a chave de Davi – que abre e que ninguém pode fechar; que fecha, e ninguém pode abrir” (3,7); “o princípio da criação de Deus” (3,14). “Ele é Leão da tribo de Judá, o descendente de Davi” (5,5). Os anjos cantam sem cessar: “Digno é o Cordeiro imolado de receber o poder, a riqueza, a sabedoria, a força, a glória, a honra e o louvor” (5,12). “E todas as criaturas do céu e da terra, debaixo da terra e no mar, e tudo que contém, clamam: “Aquele que se assenta no trono e ao Cordeiro, louvor, honra, glória e poder pelos séculos dos séculos. Amém!” (5,11-14). Por isso o povo canta com alegria: “Ao que está assentado no trono e ao Cordeiro seja o louvor, seja a honra, seja a glória, seja o domínio, pelos séculos dos séculos. Amém!” Esse é nosso Rei e Senhor; um Rei diferente. Seu reinado é diferente; seu berço foi um cocho; sua casa foi um buraco na rocha; seu púlpito um barco, sua corte a natureza, seu veículo um jumentinho, sua glória é servir e seu trono é a Cruz. Que Rei diferente! Mas é Dele o Reino dos Céus, que “olhos humanos jamais viram, ouvidos humanos jamais ouviram e coração humano jamais sentiu, o que tem preparado para os que o amam” (1 Cor 2,9). Mas, por ser o “Rei dos Reis”, Ele é exigente, e tem que ser mesmo. Como o seu Reino se assenta em nosso coração, Ele não aceita dividi-lo com outros reis. Ele exige a renúncia ao nosso eu que quer tomar o Seu lugar no trono do nosso coração. “Renuncie a ti mesmo, tome a cruz a cada dia e me siga” (Lc 9,23). Perca a sua vida para ganhala. É um Rei que sabe o que quer; e sabe que nos quer dar o melhor; a alegria eterna e infinita; por isso arranca dos nossos corações os falsos reis. Esta é a nossa grande decisão: a que rei vamos entregar o nosso coração?

Pastoral da Comunicação - Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória Pároco - Padre Geovane Ferreira Silva Coordenação – Sérgio Calado Fadul Jr Agentes participantes no boletim: Elydia / Maria das Graças / Willians Site: www.nsdagloria.com.br Email: pascomnsdagloria1@gmail.com Telefone: (21) 2225-0735 Facebook/Matriz.de.Nossa.Senhora.da.Gloria Whatsapp A Voz da Glória: adesão no Facebook Instagram/nsdagloria

Boletim Semanal da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória - Largo do Machado 25/11/2018 - Edição 46 - Ano 2

AVISOS PAROQUIAIS MISSA COM ORAÇÕES POR CURA E LIBERTAÇÃO, dia 28/11, quarta-feira, às 20 h. O BAZAR DE NATAL começou no dia 17 de novembro. Aberto de 2ª a 6ª das 14 h às 18 h. Sábados e Domingos das 9 h às 18 h. Término dia 02/12. FESTA DA UNIDADE dia 01/12, sábado, às 7:30, na Catedral de São Sebastião. Todos são convidados a irem vestidos de azul claro. ASILO PADRE MOTINHA confraternização de Natal dia 08/12, sábado, às 9 h. A NOVENA DE NATAL se encontra disponível na Lojinha de Artigos Religiosos. CESTA DE NATAL AOS ASSISTIDOS – Precisamos de ajuda para adquirir Cestas de Natal para as famílias assistidas de nossa paróquia. Mais informações na Lojinha de Artigos Religiosos ou na secretaria.

A CRECHE MONSENHOR FRANCA solicita doações para montagem dos kits de Natal para as crianças. Lista na secretaria. CONCERTO comemorativo 16 anos do Coral MADRIGAL CRUZ LOPES, 30/11, às 19 h

ASSEMBLEIA DOS COORDENADORES DAS PASTORAIS, nos dias 15 e 16/12.

LEIGAS E LEIGOS NOS PASSOS DE CRISTO REI (PATRÍCIA CABRAL) No evangelho de hoje, Jesus é interrogado sobre se seria Rei e onde estaria seu reinado. Ele, no entanto, faz ver que seu reinado não se identifica com este modelo de mundo. O reino de Jesus é baseado na verdade, no amor ao próximo, no cuidado para com os mais fragilizados, para com todos aqueles que vivem à margem da sociedade. Esse reino nos é apresentado como sinal do compromisso assumido por meio de nosso batismo, que dá um sentido à nossa existência: o serviço, no cuidado pela vida plena para todos e todas. Nos reinados deste mundo, os governantes são soberanos, põem-se acima dos outros, usando de sua autoridade. A proposta de Jesus é diferente: convida-nos a ser servos. Quem quiser ser grande é chamado a tornar-se servo do próximo, assim como ele fez. Pondo-se a servir, Cristo nos dá o exemplo de como agir com olhar misericordioso para com o próximo. Por meio de gestos de generosidade, atenção, carinho e misericórdia, vamos transformando nossas ações e a própria sociedade, que, em muitos momentos, chegou perto de perder a esperança de encontrar um caminho para acabar com tanta injustiça, intolerância e exclusão. Jesus é rei; ele é amor; ele é a plenificação do amor de Deus pela humanidade. ________

De modo especial ao longo do Ano do Laicato, fomos convidados a ser “sal da terra e luz do mundo” na Igreja e na sociedade. Como cristãos, vivemos muitos momentos dessa inserção nos espaços da sociedade. Fomos convidados a amar o próximo mais com ações do que com palavras, exercendo um cuidado mais relevante para com o negro, o índio, o migrante, a mulher, a criança e o adolescente. O evangelho nos chama a estar atentos aos clamores dos pobres e marginalizados. Nossa missão é ser uma Igreja de leigos e leigas comprometidos com a justiça e a verdade; ser sinais vivos de Cristo no mundo.


Meus Irmãos e Irmãs. Neste domingo do Cristo Rei, domingo em que o próprio Pilatos reconhece que Jesus é Rei, não por si mesmo, mas por que outros disseram, mas reconhece. É o domingo em que nós precisamos pensar um pouco, e a semana, de como estamos vivendo este reinado de Jesus. O Rei é aquele que tem autonomia para governar, é aquele que tem autonomia para organizar, para coordenar, para dizer o que deve ou não acontecer. E eu lhe pergunto: será que você esta deixando Jesus ser Rei da sua vida? Será que você está permitindo que Jesus seja Rei da sua casa, da sua história, do seu trabalho, da sua faculdade, daquilo que você tem sido e daquilo que você tem feito? De que maneira Jesus tem sido Rei? Será que Ele tem governado a sua vida mesmo? Ou você tem tomado as decisões escuras por você mesmo? Será que na sua casa Jesus tem reinado como deve reinar? Ou você toma as suas direções e faz da sua forma? Para que Jesus seja Rei, amado irmão e amada irmã, é necessário ter uma vida de oração. É necessário ter uma profunda intimidade com Ele para entender os Seus desejos e os Seus desígnios. Para que Jesus seja Rei você precisa permitir que a palavra Dele te governe, te ilumine, te inspire, te guie, te mostre um caminho para seguir. Melhor ainda. Para que Jesus seja Rei é preciso que você deixe que Ele, Palavra Eterna de Deus, que se encarnou e veio ao encontro do mundo, faça todo o efeito. E entenda: Ele é o único caminho, verdade e vida. Jesus não tem o reinado aqui desta terra. O Seu reinado não está marcado por corrupção. O Seu reinado não está marcado por um finito. Mas ele está marcado sim, por uma eternidade. É um reinado santo, é um reinado verdadeiramente transformado pelo poder de Deus. Eu lhe convido neste domingo: Deixe o Senhor Jesus reinar no seu coração. Permita que Ele reine na sua vida, na sua faculdade, no seu trabalho, na sua família, na sua escola. E você vai ver que tudo será diferente. Uma santa semana para você e toda a sua família. Não esqueça: deixe Jesus reinar de verdade em tudo que você é, em tudo que você tem e tudo será diferente. Deus abençoe! A Voz da Glória – 25/11/2018 – Página 02

SANTO DA SEMANA (Elydia – Canção Nova) 25 – Santa Catarina de Alexandria 26 – São Leonardo de Porto Maurício 27 – Santa Catarina Labouré 28– São Tiago da Marca 29 – São Francisco Antônio Fasani 30 – Santo André Apóstolo 01 – Santo Elígio 02 – São Cromácio

Santo André Apóstolo

Hoje a Igreja está em festa, pois celebramos a vida de um escolhido do Senhor para pertencer ao número dos Apóstolos. Santo André nasceu em Betsaida, no tempo de Jesus, e de início foi discípulo de João Batista até que aproximou-se do Cordeiro de Deus e com São João, começou a segui-lo, por isso André é reconhecido pela Liturgia como o “protocleto”, ou seja, o primeiro chamado: “Primeiro a escutar o apelo, ao Mestre, Pedro conduzes; possamos ao céu chegar, guiados por tuas luzes!” Santo André se expressa no Evangelho como “ponte do Salvador”, porque é ele que se colocou entre seu irmão Simão Pedro e Jesus; entre o menino do milagre da multiplicação dos pães e Cristo; e, por fim, entre os gentios (gregos) e Jesus Cristo. Conta-nos a Tradição que depois do Batismo no Espírito Santo em Pentecostes, Santo André teria ido pregar o Evangelho na região dos mares Cáspio e Negro. Apóstolo da coragem e alegria, Santo André foi fundador das igrejas na Acaia, onde testemunhou Jesus com o seu próprio sangue, já que foi martirizado numa cruz em forma de X, a qual recebeu do santo este elogio: “Salve Santa Cruz, tão desejada, tão amada. Tira-me do meio dos homens e entrega-me ao meu Mestre e Senhor, para que eu de ti receba o que por ti me salvou!” Santo André Apóstolo, rogai por nós!

COMO ENTENDER A SEGUNDA VINDA DE JESUS (PADRE EDISON DE OLIVEIRA) Ao falar da vinda de Cristo, São Bernardo de A consumação deste mundo se dará na Claraval lembra-nos da vinda intermediária que experiência da Ressurreição de Jesus e de cada se dá entre a primeira, aquela da Encarnação, e um de nós, não mais de maneira presa às a segunda, aquela conhecida como Parusia. A categorias deste mundo, será uma realidade vinda intermediária é a que se dá por meio que se dará no mundo, mas que estará para dos sacramentos, por meio da presença do Senhor além dele. Ou seja, será uma realidade histórica, em nós. De fato, diz as Escrituras: “Se alguém me mas que a transcenderá. ama, guardará a minha palavra, meu Pai o A volta gloriosa de Jesus é um evento ligado ao amará, e nós viremos e faremos nele a nossa Juízo Final/Universal (cf. n. 1040-1042). Sobre quando morada” (cf. Jo 14,23). Segundo São Bernardo, na isso se dará, nem o Catecismo afirma, apenas diz vinda intermediária cada um percebe o Cristo em que “só o Pai conhece a hora e o dia desse Juízo”. si mesmo e recebe a salvação. Diz ainda que, na Por meio do Filho, Ele pronunciará Sua palavra primeira vinda, o Senhor veio na fraqueza da definitiva sobre toda a história. carne; na intermediária, vem manifestando o O Catecismo ainda afirma que “a partir da poder espiritualmente, de sua graça; na última, Ascensão, a vinda de Cristo na glória é iminente, virá com todo o esplendor de Sua glória. Cabe a embora não nos ‘caiba conhecer os tempos e os nós a reflexão sobre essa última, conhecida como momentos que o Pai fixou com sua própria a segunda vinda de Cristo, aquela da Parusia, do autoridade’ (At 1,7)… antes da vinda de Cristo, a esplendor de Sua glória. O sentido de glória, aqui, Igreja deverá passar por uma provação final não quer em nada diminuir o sentido da primeira que abalará a fé de muitos. A perseguição, que vinda na Encarnação em humildade e acompanha a sua peregrinação na Terra, porá na força de Seu amor, mas ressaltar a seguinte a descoberto o ‘mistério da iniquidade’, sob a verdade: o Cristo que virá na glória é o mesmo no forma de uma impostura religiosa, que trará aos brilho de Sua humildade, bondade e justiça. O homens uma solução aparente para os seus Cristo que virá na glória aparecerá com a mesma problemas, à custa da apostasia da verdade”. vontade de salvar a todos, o que não significa a Nós, como cristãos, vivamos este tempo aceitação de todos. Assim, a Parusia, de certa em esperança e vigilância, na certeza de que a forma, é a consumação da Encarnação. Igreja só entrará na glória do Reino por meio Para enxergarmos na Palavra, na bíblia, vamos dessa derradeira Páscoa, em que seguirá o seu pensar a criação. Entendamos que, ao falar de Senhor em Sua Morte e Ressurreição. O triunfo criação, isso não quer significar que o mundo teve de Deus sobre a revolta do mal assumirá a origem no tempo, mas que o tempo passou a ter forma do Juízo Final depois do derradeiro abalo origem com o mundo. A criação é um evento cósmico deste mundo que passa, como afirma o para além do espaço e do tempo, e não podemos Catecismo (n. 677). pensá-la apenas tendo em vista essas duas Assim, podemos entender a segunda vinda de categorias que tornam possível a história humana. Cristo como parte essencial da nossa história de O mundo foi criado por Deus com o tempo e não salvação. Enquanto Ele não vem, temos de no tempo. O mundo, o espaço e o tempo se escolhê-Lo todos os dias, sem negar Sua graça originam da vontade eterna e criadora de Deus. em nós, para não nos tornarmos “juízes” de nós Assim como na criação (cf. Gn 1,1s), a consumação (cf. mesmos, negando a graça de Cristo em nós, o Mc 13,4.24s.29ss) do mundo se dará também com o que seria algo terrível e triste. O que queremos tempo e o espaço, e não no tempo e no espaço, são as alegrias da vida eterna em Deus. portanto, não os devemos pensar nos limites de Vem Senhor Jesus! nossa forma de conhecer. _____ QUANDO AS SEMENTE DÃO FRUTOS – NOTA DE ÓBITO A nossa paróquia, há alguns anos paróquia, até sua mudança de atrás, reanimou a ideia do serviço ao cidade, quando foi para Muriaé. necessitado. Diante de esforços e da É com profundo pesar, para nossa ajuda da comunidade, reabriu o saudade, e alegria no céu, que ambulatório São José e também comunicamos que no último dia 17 abriu, na comunidade Tavares (novembro), ela foi para junto do Bastos, uma creche, dando nome Pai. em homenagem ao Monsenhor Sua missa de sétimo dia foi sexta, Franca. Uma leiga, em especial, se 23/11, mas dedicamos este espaço dedicou muito para a viabilização e para o seu exemplo, que deve ser construção da creche: a Sra. Astrides seguido por muitos, pela sua Cerqueira Carvalho, que esteve na dedicação às coisas da Igreja. coordenação da creche por 10 anos Que o Espírito Santo console sua e, junto com seu esposo, Sr. família e que na nova morada ela Wellington, ajudaram, também, nos receba o que não havia serviços de contabilidade da nossa conseguido aqui, na terra. ____ A Voz da Glória 25/11/2018 – Página 03


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.