A Voz da Glória 033 Ano 3

Page 1

A CARIDADE AO PRÓXIMO (SHALOM) Os mandamentos da lei de Deus resumem-se em o próximo para urgir nosso amor: “Todas as vezes dois: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo que fizestes isso a um destes meus irmãos mais como a nós mesmos. O amor, portanto, é a perfeição pequeninos, foi a mim que o fizestes” (Mt 25,40). da Lei. Assim, concluímos que a caridade é a virtude Temos de querer aos demais por amor a Deus. A mais importante do cristão, enquanto peregrinamos pura simpatia, a admiração ou o altruísmo, não nesta terra, e será também a nossa ocupação no céu, são a caridade que Cristo nos pede. onde não existirá mais a fé – já que veremos Deus 5. O mandamento de Cristo abarca a todos face a face –, nem existirá também a esperança, O Senhor nos deixou em testamento o amor: “Douporque teremos chegado à meta. Somente a vos um novo mandamento: que vos ameis uns aos caridade permanecerá. Vejamos em que consiste outros, assim como Eu vos amei. Nisto todos esta virtude, que resume e coroa toda a vida conhecerão que sois meus discípulos” (Jo 13,34-35). Ele sobrenatural: nos deu o exemplo com sua vida, e nos ensinou a 1. A caridade, virtude sobrenatural querer aos demais sendo amáveis na convivência, Como já vimos, a caridade é uma das três virtudes compreendendo, desculpando e perdoando. A teologais, infundida por Deus na vontade, com a caridade para com o próximo pressupõe respeitar qual amamos a Deus sobre todas as coisas – por seus direitos de justiça, mas exige também praticar quem Ele é – e a nós e ao próximo por amor a Deus. as obras de misericórdia, ajudando-os em suas Por esta virtude que o Espírito Santo infunde, e necessidades espirituais e materiais. Já não porque nos capacita para amar a Deus tal qual é, é podemos excluir a ninguém, nem sequer aos um dom sobrenatural. Com a mesma caridade com inimigos: “Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que amaremos eternamente no céu, amamos já na que vos odeiam; bendizei aos que vos amaldiçoam terra. A caridade pode debilitar-se em consequência e rezai pelos que vos caluniam” (Lc 6,27-28). dos pecados veniais, e perde-se quando se comete 6. As obras de misericórdia um pecado mortal. Para recupera-la, é necessário Para ensinar de maneira gráfica como viver a aproximar-se da confissão sacramental, com as caridade, Jesus Cristo propôs a parábola do bom disposições exigidas. Se fazemos atos de amor a Deus samaritano (Lc 10,30-37). Na realidade Ele é o bom e amamos com obras o próximo, esta virtude samaritano, que curou nossas feridas com seu crescerá em nós. infinito amor misericordioso. Quando praticamos 2. O amor de Deus sobre todas as coisas as obras de misericórdia – as sete corporais e as sete A primeira obrigação que o ser humano tem – a espirituais – nos identificamos com o coração de maior de todas – é amar a Deus “com todo o teu Cristo, de quem aprendemos a dar de comer ao coração, com toda a tua alma, com toda a tua faminto, a ensinar a quem não sabe, a dar bom mente e com todas as tuas forças”; quer dizer, temos conselho, a corrigir, a perdoar, a consolar, a sofrer de amar a Deus sobre todas as coisas. Ele nos criou, é com paciência, a rogar a Deus por todos etc.. infinitamente digno de ser amado e nos amou antes. 7. Caridade ordenada E quando podemos dizer que amamos a Deus sobre A caridade exige amar primeiro a Deus e depois todas as coisas? Quando cumprimos os aos outros. Existe uma hierarquia no amor a Deus mandamentos, dispostos a perder tudo antes de que e ao próximo. Dentro do amor ao próximo, temos nos afastemos de Deus por um só pecado. a obrigação de querer mais àqueles que estão mais próximos de nós: os pais, irmãos, o sacerdote, 3. O amor a nós mesmos Dentro da virtude da caridade está presente professores, amigos; vem logo depois os necessitados também o amor a si mesmo; mas é evidente que de ajuda espiritual e material. No amor a nós deve ser um amor ordenado, buscando os mesmos está, antes de tudo, a nossa necessidade verdadeiros bens da alma e do corpo em relação à espiritual, antes mesmo da necessidade material vida eterna. Se alguma vez desejássemos algo que dos outros. nos afaste de Deus, não estaríamos nos amando de 8. Propósitos de vida Cristã: verdade, por nos afastarmos de nosso fim real que é Busquemos sempre aprender as Obras de o único que nos pode fazer felizes. Misericórdia espirituais e corporais: 4. O amor ao próximo 1. Espirituais: Ensinar aquele que não sabe; dar bom Um cristão não pode dizer que ama a Deus, se não conselho a quem o necessitar; corrigir aquele que ama a seu próximo. Como adverte São João, “se erra; perdoar as ofensas recebidas; consolar os alguém diz que ama a Deus e odeia a seu irmão, é tristes; sofrer com paciência os defeitos alheios; rogar um mentiroso, porque quem não ama a seu irmão a Deus pelos vivos e defuntos a quem vê, como poderia amar a Deus a quem não 2. Materiais: Visitar e cuidar dos enfermos; dar de vê?” (1 Jo 4, 20). As razões nas quais se funda a cristã comer a quem tem fome; dar de beber a quem fraternidade são claras: todos somos filhos do mesmo tem sede; dar pousada ao peregrino; vestir ao nu; Pai celestial e, em consequência, irmãos; fomos redimir o cativo; enterrar os mortos; redimidos com o sangue de Jesus Cristo e estamos Quando agimos com piedade, conquistamos o destinados ao céu. Cristo mesmo se identifica com mérito sobrenatural e espalhamos a gratidão. ____ Pastoral da Comunicação - Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória Pároco - Padre Geovane Ferreira Silva Coordenação – Sérgio Calado Fadul Jr Agentes participantes no boletim: Elydia / Maria das Graças www.nsdagloria.com.br pascomnsdagloria1@gmail.com Instagram/nsdagloria Twitter/nsdagloriarj www. issuu.com/pascomnsdagloria Facebook/Matriz.de.Nossa.Senhora.da.Gloria A Voz da Glória: (21) 99443-1022 (só para o boletim) Secretaria (21) 3251-4511 ou (21) 3251-5929

14/07/2019 - Edição 33 - Ano 3

AVISOS PAROQUIAIS Missa pela Árvore Genealógica, dia 17/07, quarta-feira às 20 h A Confraria do Rosário convida para Missa e Reunião dia 19/07, sexta-feira às 08 h A Pastoral do Turismo convida a todos os paroquianos para a Peregrinação à Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida com o Cardeal Dom Orani Tempesta na cidade de Aparecida - SP nos dias 30 e 31/08 Mais informações na secretaria paroquial. Você ainda não se batizou, ou fez a catequese, ou crisma? Você estava afastado e quer reaprender os ensinamentos da nossa fé? As inscrições abertas para o Catecumenato de Adultos. Mais informações na secretaria paroquial.

Inscrições abertas para formação de Cerimoniários. Você quer ajudar no serviço das missas? Mais informações na secretaria paroquial. Um cristão agradecido se torna dizimista comprometido. Venha ser dizimista. A pastoral do dízimo se encontra no final da igreja para fazer a sua inscrição ou durante a semana na lojinha dos artigos religiosos. Vocês já repararam que as obras de restauração da fachada estão em pleno progresso? Precisamos da sua ajuda... Os carnês estão sendo distribuídos na secretaria paroquial. Por favor, ajude-nos. O Cantinho amigo é outra forma de ajudar a Igreja nas obras. E ele estará aberto neste domingo. Teremos almoço.

RELATÓRIO SEMANAL SOBRE AS OBRAS • Finalização da retirada da pintura acrílica superficial das paredes da lateral da Rua Gago Coutinho, com jatos de água e espátula. • Continuação dos testes de percussão e remoção das partes ocas e soltas do emboço. Notamos grande quantidade de partes ocas e que a argamassa utilizada no adensamento das pedras da alvenaria possui base de saibro. ____

• Continuação da restauração das janelas. Foi realizado a aplicação de selador sobre a madeira das janelas, escurecendo os veios naturais. Todos os peitoris e pingadeiras já foram recompostos de forma similar a original. Os vidros quebrados foram substituídos e as massas de fixação dos vidros também.

“No centro do amor do Evangelho deste domingo está o mandamento do amor a Deus e do amor ao próximo”, disse o Pontífice à multidão. Um escriba, certa vez, perguntou a Jesus, qual era o primeiro mandamento. “E o Senhor responde com aquela profissão de fé com a qual todo israelita inicia e conclui seu dia: ‘escuta, Israel, o Senhor nosso Deus é o nosso único Senhor”, explicou o Santo Padre. O Senhor está ligado a nós por apenas um pacto indissolúvel: amou-nos, ama e nos amará para sempre. “É desta fonte do amor de Deus que deriva o duplo mandamento para nós: amará o Senhor teu Deus com todo teu coração, toda tua alma, toda tua mente e amarás ao teu próximo como a ti mesmo”, detalhou Francisco que emendou: “Desta maneira, o Senhor nos ensinou que o amor a Deus e o amor ao próximo são inseparáveis.” Este amor a Deus nos orienta ainda a mostrar

a verdadeira força do cristão fiel. “Amar a Deus é viver Dele e por Ele, por aquilo que Ele é e por aquilo que Ele faz”, ponderou Francisco. “Nosso Deus é doação sem reservas, é perdão sem limites. Amar a Deus quer dizer investir nossas energias todos os dias para que sejamos seus colaboradores no serviço ao próximo sem reservas”, acrescentou. O Santo Padre reforçou ainda a ideia de que não devemos pré-selecionar a quem devemos amar. “Isso não é cristão, é pagão”, advertiu. “Temos que ter olhos para vê-lo e querer o seu bem. Se nos exercitarmos em vermos com o olhar de Jesus nos colaremos em escuta e ao lado de quem precisa”, refletiu.

AMAR A DEUS (PAPA FRANCISCO)


Amados irmãos e irmãs! Neste domingo, no evangelho, Jesus nos inspira a misericórdia, nos mostra como viver a misericórdia, nos impulsiona a viver a misericórdia. Aquele homem que tenta ver com Jesus como receber vida eterna, querendo colocar Jesus em dificuldade, ouve a resposta seguindo a Sagrada Escritura. “Que diz a Sagrada Escritura? Amaras o Senhor teu Deus sobre o teu coração, com todo o teu Espirito, com toda a tua alma, com toda tua força, e ao próximo como a ti mesmo”. E ele está respondido. Basta viver o amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo, porque quem ama a Deus não faz um monte de coisas erradas, equivocadas. Quem ama o próximo, preserva, acolhe, ajuda o próximo, de fato. Então, essas duas dimensões devem fomentar em nosso coração uma atitude de vida, uma atitude clara de esperança, uma atitude clara de vivência, na presença do Senhor. E aí ele pergunta: quem é o próximo? Jesus conta a parábola do Samaritano. Quem é o próximo? Aquele que cuidou de misericórdia, que agiu de misericórdia! O que agiu de misericórdia olhou para o que está sofrendo, como o próximo. Os outros passaram, olharam, até pensaram, talvez, em ajudar, mas tinham seus compromissos, estavam preocupados com outras coisas. Nós precisamos, de fato, amar o nosso próximo, e abrir mão das nossas inúmeras preocupações, e do nosso egoísmo de pensar nas situações na nossa vida, nas coisas, para fazer a vontade de Deus, e para entender que a vontade de Deus é preservar o outro, a vontade de Deus é acolher o outro, a vontade de Deus é amar, incondicionalmente, e fazer com esse amor seja transformador na vida das pessoas. A Parábola do Samaritano nos traz muitas perguntas, que nós devemos, então, pensar um pouco. Será que muitas vezes eu sou como aquele sacerdote? Será que muitas vezes eu sou como aquele homem que passa e olha? Será que muitas vezes eu sou como mais uma pessoa, que passa, ver as dificuldades, e nada faz para ajudar? Percebe o sofrimento, a dor, a angústia do outro, e nada faz para ajudar? Nós precisamos ajudar a quem quer que seja. Não é preciso ser conhecido, não é preciso ser amigo, porque se nós fazemos isso, somente por quem pode retribuir, que bem nós fazemos? O que é importante, de fato, é aprendermos a fazer por aqueles que não podem retribuir, por aqueles que não sabemos quem são, de onde vieram, nem para onde vão. Mas, é preciso que nós tenhamos consciência, de fato, é para eu ajudar? Não significa que todas as pessoas que eu ver no caminho, precisando, é para eu ajudar. Mas, é preciso que eu tenha ciência e consciência, que eu veja, perceba em Deus, com discernimento, quem são as pessoas que eu devo ajudar, e como é que preciso e posso ajudar. Que Deus nos ajude a viver uma semana de Samaritano, ajudando, auxiliando, indo ao encontro de quem precisa, e fazendo com que o próximo seja, de fato, uma realidade nas nossas vidas, no nosso encontro, naquilo que fazemos, em todas as situações. Deus abençoe! Uma santa semana. A Voz da Glória – 14/07/2019 – Página 02

SANTO DA SEMANA (Elydia – Canção Nova) 14 – São Camilo de Léllis 15 – São Boaventura 16 – Nossa Senhora do Carmo 17 – Beato Inácio e companheiros mártires 18 – São Francisto Solano 19 – São Símaco 20 – Santo Aurélio 21 – São Loureço de Brindes

São Boaventura

Este santo foi bispo e reconhecido doutor da Igreja do Cristo, que chamou pescadores e camponeses para segui-lo no carisma de Francisco de Assis, mas também homens cultos e de ciência. São Boaventura era um homem de muita ciência, porém, de maior humildade e conhecimento de Deus. Escreveu ele: “Não basta a leitura sem a unção, não basta a especulação sem a devoção, não basta a pesquisa sem maravilhar-se; não basta a circunspecção sem o júbilo, o trabalho sem a piedade, a ciência sem a caridade, a inteligência sem a humildade, o estudo sem a graça”. Nascido na Itália em 1218, ao ficar muito doente foi curado por meio de uma oração de São Francisco de Assis, que percebendo a graça tomou-o nos braços e disse: “Ó, boa ventura! ”. Pela mortificação dos sentidos e muita oração, exerceu sua vocação franciscana e sacerdócio na santidade, a ponto do seu mestre lhe qualificar assim: “Parece que o pecado original nele não achou lugar”. Por sua cultura e ciência teológica, ao lado de Santo Alberto Magno e Santo Tomás de Aquino, caracterizaram o século XIII como o tempo de sínteses teológicas. Certa vez, um frei lhe perguntou se poderia salvar-se, já que desconhecia a ciência teológica; a resposta do santo não foi outra: “Se Deus dá ao homem somente a graça de poder amá-Lo isso basta… Uma simples velhinha poderá amar a Deus mais que um professor de teologia”. Depois de tanto trabalhar, ganhou com 56 anos o repouso no céu. São Boaventura, rogai por nós!

AMAR O PRÓXIMO (BIBLIAON) Um homem estava caído na estrada. Assaltado, espancado e deixado como morto, ele nem conseguia se mexer. Nesse momento, passou um sacerdote, um homem dedicado ao serviço no templo de Deus. O sacerdote viu o homem prostrado e... se afastou dele! Passou também um levita, um homem que também trabalhava no templo de Deus, cuidando de vários aspetos práticos. O levita viu o homem e também seguiu caminho sem o ajudar. Se nem dois homens considerados muitos santos fizeram nada, quem iria ajudar esse pobre homem? Passou um terceiro homem pelo caminho. Esse era samaritano, um herege, desprezado pelos judeus. Mas, apesar da inimizade entre samaritanos e judeus, ele parou para ajudar o homem caído. O samaritano tratou de suas feridas e levou-o para uma hospedaria. Lá, ele pagou todas as despesas do homem ferido até ficar recuperado!

Jesus contou essa história para mostrar o que é realmente importante para Deus. Sem amor, todas as outras coisas não têm valor. E o amor a Deus se expressa no amor ao próximo. A Bíblia diz que quem não ama seu próximo não ama a Deus. Podemos até fazer muitas coisas para agradar a Deus orar, ler a Bíblia, trabalhar na igreja, ensinar teologia, dar ofertas, evitar a imoralidade... Mas, sem amor, nada disso tem valor!

ignorando o essencial. O sacerdote e o levita, que deveriam estar cheios do amor de Deus, na verdade estavam tão frios que nem sentiram uma ponta de dó pelo homem ferido. Por outro lado, por vezes somos surpreendidos pelo amor de pessoas que nunca iríamos considerar. O samaritano não tinha razão nenhuma para ajudar o homem ferido, nem era esperado que ele fizesse alguma coisa. No entanto, ele tinha o amor de Deus dentro de seu coração. Ele não viu um inimigo odiado. Ele viu uma pessoa como ele, que precisava de ajuda.

Quem é meu próximo? Jesus contou a parábola do Bom Samaritano porque alguém lhe perguntou quem era seu próximo, que deveria amar como a si mesmo. Com essa parábola, Jesus mostrou que o próximo é aquele que está ali, no seu caminho. Jesus não fez distinção entre amigos e inimigos, gente boa ou gente ruim. Ele simplesmente mandou amar a todos. Diante de Deus, todos temos o mesmo valor. Todos precisamos do amor de Deus e todos devemos oferecer o amor de Deus. Isso agrada a Deus mais que qualquer ritual ou ato religioso. Ame a Deus, ame seu próximo!

A parábola do Bom Samaritano mostra como muitas vezes podemos nos tornar insensíveis, achando que estamos fazendo tudo certo, mas A Voz da Glória 14/07/2019 – Página 03


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.