A Voz da Glória edição 027 - Julho 2018 - Ano II 1

Page 1

12 TRUQUES PARA ROUBAR ALMAS (VENERÁVEL CARDEAL FULTON SHEEN) 1) Ele virá disfarçado como o Grande 9) Ele até fala de Cristo e diz que ele foi o maior Humanitário; ele falará de paz, prosperidade homem que já viveu. e abundância, não como meios para nos conduzir a Deus, mas como fins em si mesmos. 10) Sua missão, ele dirá, será libertar os homens das servidões da superstição e do fascismo, que 2) Ele escreverá livros sobre a nova ideia de ele nunca definirá. Deus para se adequar ao modo como as 11) No meio de todo o seu aparente amor pela pessoas vivem. humanidade e seu discurso de liberdade e 3) Ele induzirá a fé na astrologia, de modo a igualdade, ele terá um grande segredo que não não fazer a vontade, mas as estrelas contará a ninguém; ele não acreditará em responsáveis pelos nossos pecados. Deus. E porque sua religião será a fraternidade sem a paternidade de Deus, enganará até os 4) Ele explicará a culpa psicologicamente eleitos. como sexo reprimido, fará os homens se encolherem de vergonha se seus semelhantes 12) Ele montará uma contra igreja, que será o disserem que não são ”mentes aberta” e macaco da Igreja, porque ele, o diabo, é o liberais. macaco de Deus. Será o corpo místico do anticristo que em todos os aspectos externos se 5) Ele identificará a tolerância com indiferença assemelhará à Igreja como o corpo místico de ao certo e ao errado. Cristo. Na necessidade desesperada de Deus, ele induzirá o homem moderno, em sua solidão e 6) Ele promoverá mais divórcios sob o disfarce frustração, a mais e mais fome por pertencer à de que outro parceiro é “vital”. sua comunidade, que dará ao homem uma ampliação de propósito, sem qualquer 7) Ele aumentará o amor por amor e necessidade de emenda pessoal e sem admissão diminuirá o amor pelas pessoas. de culpa pessoal. Estes são dias em que o diabo 8) Ele invocará a religião para destruir a recebeu uma corda particularmente longa. religião. Oremos e vigiemos!

A COBRA E O SERROTE (Esopo) Uma cobra entrou numa carpintaria enquanto rastejava para o seu canto, ela passou por cima de um serrote e feriu-se um pouco. No momento, ela virou-se e mordeu o serrote, e mordendo o serrote, feriu-se gravemente na boca. Então, não compreendendo o que lhe estava a acontecer e pensando que o serrote a atacava, ela decidiu enrolar-se à volta do serrote para sufocá-lo com todo o seu corpo, apertando-o com todas as suas forças, e assim, infelizmente, a cobra acaba por ser morta pelo serrote. Às vezes reagimos na raiva, pensando magoar aqueles que nos fizeram mal, mas estamos ferindo a nós mesmos. Na vida, as vezes é melhor ignorar situações, pessoas e ofensas. Porque as consequências podem ser irreversíveis e catastróficas.

Vamos aprender a perdoar? Perdoar não é esquecer, mas ter a certeza que a ofensa não nos atinge, mesmo quando lembra dela. Porque mágoa adoece o corpo e mata sua alma. A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira e afasta qualquer forma de vida com o próximo. Acredite, quando você elimina uma parte da tua vida, você vive menos.

Pastoral da Comunicação - Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória Pároco - Padre Geovane Ferreira Silva Coordenação – Sérgio Calado Fadul Jr Site da paróquia: www.nsdagloria.com.br Email: pascomnsdagloria1@gmail.com Facebook/Matriz.de.Nossa.Senhora.da.Gloria Whatsapp A Voz da Glória: 99443-1022 Largo do Machado s/nº - Catete – Rio de Janeiro – Tel: (21) 2225-0735 A Voz da Glória 15/07/2018 – Página 04

Boletim Semanal da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória - Largo do Machado 15/07/2018 - Edição 27 - Ano 2

AVISOS DA SEMANA Missa com orações pela Arvore Genealógica dia 18/07, quarta-feira às 20 h. Inscrições para Marianinhas e Coroinhas. Mais informações na secretaria. Cura Interior com Thereza Arruda. Dias 21 e 22/07 a partir das 8 h. Palestra sobre Ideologia de Gênero. Dia 15/07, às 15 h com Dom Antônio Augusto CONFRARIA DO ROSÁRIO. Missa e reunião dia 20/07, sexta feira a partir das 8 h. Caravana Acampamento “Livrai-nos do mal” na Canção Nova. Dia 28 de julho. Mais informações na secretaria da paróquia.

Romaria da Arquidiocese à Aparecida do Norte. Dia 24 e 25 de agosto. Inscrições na secretária paroquial. A Pastoral da Caridade Social solicita doações de agasalhos destinados aos irmãos de rua.

A IGREJA NASCE... DOIS A DOIS... NA CASA DA VIDA (Aliturgia) Talvez, naquele dia, o Mestre se tivesse recordado do que um sozinho… Se caírem, um ajuda a da tarde à beira mar em que O tinham seguido levantar o outro! Num ataque dois juntos para serem “pescadores de homens”. Agora, olha conseguem resistir, pois o fio dobrado não se para eles, sorri e envia-os numa nova aventura quebra com facilidade” (Eclesiastes). Dois a dois, à que conduz ao mar de cada homem. Envia semelhança de Adão e Eva, é começar um gente pobre, voluntariamente pobre, sem mundo novo. Como os discípulos de Emaús, é artifícios ou aparências, vulneráveis diante do descobrir a presença e o amor de Deus nos outro: apenas um bastão, um amigo, umas caminhos do homem. sandálias, um bater à porta, um risco de ser ou O primeiro anúncio dos discípulos é a própria não ser acolhido… Contudo, fortes de uma vida, um evento de amizade, uma semente de palavra e da verdadeira riqueza das mãos vazias comunidade, a vitória sobre a solidão (Ronchi). Se de quem sabe que não se anuncia a si mesmo. uma pessoa caminha sozinha até pode duvidar A Igreja que nasce está em caminho, sensível às de si mesma. Mas o Evangelho não é uma lágrimas e dores dos outros, toca a vida onde ela doutrina nova, mas uma vida nova, uma brota e morre quotidianamente, não fica semente de amor capaz de milagres, nas mãos fechada na sacristia do cenáculo ou paralisada frágeis de irmãos. com medo do alvor do sol! Vai à periferia Ser Igreja é ser casa! É ser família! Os discípulos são arriscando-se, expondo-se, vibrando, vivendo! acolhidos não porque trazem coisas, mas porque Ainda hoje a Igreja é um organismo vivo, que trazem Cristo. O amor oferece-se às pequenas respira o ar do mundo, que tropeça e se levanta… Igrejas domésticas que nascem pelo caminho. A A comunidade de Jesus tem sandálias nos pés e o Igreja encontra a humanidade na partilha da sua coração do irmão a curar e a partilhar! Está existência, ali na casa e na família onde se joga o sempre em êxodo, a caminho do outro que é a sorriso e as lágrimas, ali onde a esperança e os verdadeira terra prometida! Todos somos dramas se cruzam, ali onde a vida nasce, vive de nómadas, peregrinos em viagem, rumo ao outro, amor e a solidão se converte em comunhão. Deus é tão simples, tão simples mas, às vezes, vivemos bela terra onde “brota leite e mel”! A Igreja nasce humaníssima, carregada de rostos, a fé à procura de milagres fora do catálogo dos comprometida da fragilidade humana e da nossos acontecimentos diários. potência divina, tecida de graça e de pecado. E caso não haja acolhimento, não desanimemos, Deus não tem outras palavras do que a palavra pois há sempre outra casa a seguir, outra cidade, dos homens, nem outra vida a mostrar que uma outro coração a percorrer . Em cada curva da vida de homem. A Igreja nasce pobre em coisas, estrada, amigos e amigas, germina o Infinito e o mas não sem amigos. Aos pares é que baterá às Evangelho se faz vida, encontro e liberdade! portas do mundo. Porque valem mais dois juntos s __


SANTO DA SEMANA (Elydia – Canção Nova) 15 – São Boaventura 16 – Nossa Senhora do Carmo 17 – Beato Inácio e companheiros mártires 18 – São Francisco Solano 19 – São Símaco 20 – Santo Aurélio 21 – São Loureço de Brindes Amados irmãos e irmãs. 22 – Santa Maria Madalena A palavra de Deus para este domingo vem ao Beato Inácio de Azevedo encontro daquilo que nós estamos vivendo, ou da e companheiros mártires nossa história, ou ainda daquilo que você nem entendeu direito do que é o chamado de Deus na sua vida. Neste tempo a Igreja tem nos convidado a uma experiência que não é nova, que é partilhada pelos Apóstolos, uma experiência de missão. Uma experiência de missão para ir ao encontro daquele que está sofrendo, doente, vivendo um momento difícil aprisionado pelo mal ou vivendo situações muito delicadas. Por isso, hoje, mais do que nunca, a Igreja nos convida, por esta palavra, a sairmos em missão. Com coragem de anunciar o evangelho, com coragem de levar o evangelho a todas as criaturas, a todas as pessoas. Mas não só levar o Evangelho de palavras, comentado, ou que passe por uma experiência intelectual. Mas, mais do que isso, um Evangelho que passe pela vida. A Igreja nos convida, e Jesus Cristo nos convida através da Igreja, a sairmos em missão, a levarmos esse Evangelho com a nossa vida, com a nossa história, com o nosso jeito de sermos, com o nosso jeito de nos comportarmos, com todo o equilíbrio necessário que nós precisamos. Por isso, ao Jesus enviar os Apóstolos e os discípulos, Ele disse para curar os doentes, expulsar os demônios, e se eles não fossem recebidos, que sacudissem a poeira de seus pés e continuassem de cidade a cidade evangelizando anunciando esse amor que tanto deseja transformar o coração das pessoas. Por isso ao experimentarmos o amor, ao sentirmos o amor, também temos que ter a coragem de levar esse Evangelho que cura, que liberta, que transforma, que faz nova todas as coisas. Esse Evangelho que ao chegar ao coração do irmão, da irmã, faz a diferença. Nós não levamos o Evangelho nosso, nós não levamos uma palavra nossa. Nós levamos a palavra de Deus. E a palavra de Deus é o próprio Cristo. Levar Cristo significa levar o amor, condicionar o amor na vida das pessoas e, de fato, fazer com que esse amor dê frutos e frutos de esperança, frutos de vitória, frutos de remissão, frutos de salvação, frutos que dê coragem a tantos e tantos que estão adormecidos, depressivos no pânico, na tristeza, na angústia e na aflição. Assim nossa missão faz com que mais do que tornar outras pessoas discípulos é fazer com que as pessoas experimentem o amor de Deus. Nesta semana somos convidados, mais uma vez, a irmos de porta em porta, levando este Evangelho do amor, fazendo com que as pessoas se sintam amadas e transformadas no amor vão, passo a passo, ao encontro de outras como uma rede que se multiplica, uma rede do amor, uma rede que faz com que aqueles que estão desamados possam sentir verdadeiramente esse acolhimento, esse amor e essa esperança. Que Deus abençoe. Uma santa semana a todos! A Voz da Glória – 15/07/2018 – Página 02

No dia 17 de julho a Igreja celebra o Bem-Aventurado Inácio Azevedo e seus trinta e nove companheiros, conhecidos como “0s Quarenta Mártires do Brasil”. São eles: 2 padres, 24 estudantes e 14 irmãos auxiliares, de origem portuguesa e espanhola, todos pertencentes à Companhia de Jesus. Inácio de Azevedo nasceu em Portugal, na cidade do Porto, em 1526. Aos 23 anos, já tinha entrado na Companhia de Jesus ocupando vários serviços. Era ardoroso pelas missões além das fronteiras. Foi quando o Superior Geral o enviou para as missões das Índias e do Brasil, a qual durou cerca de três anos. A evangelização do Brasil começara há apenas 16 anos, mas a Companhia de Jesus penetrara já em sete tribos do interior e no litoral possuía escolas e seminários. Ao retornar, Inácio testemunhou a necessidade de mais missionários. Saíram por isso, 3 naus missionárias. Em uma delas estavam ele e seus 39 companheiros. Em alto mar, a nau foi interceptada por 5 navios de inimigos da fé católica que queriam a morte de todos. Por amor à Igreja Inácio aceitou o martírio, exortou e consolou seus filhos espirituais. Assim, alcançaram a coroa da glória na eternidade. Inácio e seus companheiros foram assassinados por serem católicos e missionários. Estamos no tempo das novas missões, a começar na nossa casa e onde convivemos. Ali, é o primeiro lugar onde devemos testemunhar o amor a Cristo e, se preciso, sofrer por Ele. Quarenta Mártires do Brasil, rogai por nós!

TEU MARIDO TE FAZ FELIZ? (Sábias Palavras) Durante um seminário, um dos palestrantes "experiências que podem ou não me perguntou a uma das esposas: "Seu marido lhe faz proporcionar momentos de alegria ou tristeza”. Quando alguém que eu amo morre, eu sou feliz? Ele lhe faz feliz de verdade?" Neste momento, o marido levantou seu pescoço, uma pessoa feliz num momento inevitável de demonstrando total segurança. Ele sabia que a tristeza. sua esposa diria que sim, pois ela jamais havia Aprendo com as experiências passageiras e vivo reclamado de algo durante o casamento. as que são eternas como amar, perdoar, ajudar, Todavia, sua esposa respondeu a pergunta com compreender, aceitar, consolar. um sonoro "NÃO", daqueles bem redondos! Há pessoas que dizem: hoje não posso ser feliz "Não, o meu marido não me faz feliz”! O marido porque estou doente, porque não tenho ficou desconcertado, mas ela continuou: dinheiro, porque faz muito calor, porque está "Meu marido nunca me fez feliz e não me faz feliz! muito frio, porque alguém me insultou, porque alguém deixou de me amar, porque eu não Eu sou feliz". "O fato de eu ser feliz ou não, não depende dele; e soube me dar valor, porque meu marido não é sim de mim. Eu sou a única pessoa da qual como eu esperava, porque meus filhos não me fazem felizes, porque meus amigos não me depende a minha felicidade. Eu determino que serei feliz em cada situação e fazem felizes, porque meu emprego é medíocre em cada momento da minha vida, pois se a e por aí vai. minha felicidade dependesse de alguma pessoa, Amo a vida que tenho mas não porque minha coisa ou circunstância sobre a face da Terra, eu vida é mais fácil do que a dos outros. É porque eu decidi ser feliz como indivíduo e me estaria com sérios problemas. Tudo o que existe nesta vida muda quase sempre: responsabilizo por minha felicidade. Quando eu o ser humano, as riquezas, o meu corpo, o clima, o tiro essa obrigação do meu marido e de meu chefe, os prazeres, os amigos, minha saúde qualquer outra pessoa, deixo-os livres do peso de física e mental. E assim eu poderia citar uma lista me carregar em seus ombros. A vida de todos fica muito mais leve. E é dessa forma que interminável. Eu preciso decidir ser feliz independente de tudo o consegui um casamento bem sucedido ao longo que existe! Se tenho hoje minha casa vazia ou de tantos anos." cheia: sou feliz! Se vou sair acompanhada ou Nunca deixe nas mãos de ninguém uma sozinha: sou feliz! Se meu emprego é bem responsabilidade tão grande quanto a de assumir e promover sua felicidade! SEJA FELIZ, remunerado ou não, eu sou feliz! Hoje sou casada, mas eu já era feliz quando mesmo que faça calor, que esteja doente, que não tenha dinheiro, que alguém tenha lhe estava solteira. Eu sou feliz por mim mesma. As demais coisas, machucado... mesmo que alguém não lhe ame pessoas, momentos ou situações eu chamo de ou não lhe dê o devido valor. _____

CONSTRUINDO PONTES (Desconhecido)

Certa vez, dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um riacho, entraram em conflito. O que começara com um pequeno mal entendido finalmente explodiu numa troca de palavras ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. Numa manhã, o irmão mais velho ouviu bater à sua porta. Ao abri-la, notou um homem com uma caixa de ferramentas de carpinteiro em sua mão, que lhe disse: – Estou procurando por trabalho, talvez você tenha um serviço para mim? – Sim! – disse o fazendeiro. – Claro que tenho trabalho para você. Veja aquela fazenda além do riacho. É de meu vizinho, na realidade, meu irmão mais novo. Brigamos muito e não mais posso suportálo. Vê aquela pilha de madeira perto do celeiro? Quero que você construa uma cerca bem alta ao longo do rio para que eu não mais precise vê-lo. – Acho que entendo a situação, – disse o carpinteiro. – Mostre-me onde estão o martelo e os pregos que certamente farei um trabalho que lhe deixará satisfeito. Como precisava ir à cidade, o irmão mais velho ajudou o carpinteiro a _____________

encontrar o material e partiu. O homem trabalhou arduamente durante todo aquele dia medindo, cortando e pregando. Já anoitecia quando terminou sua obra, ao mesmo tempo que o fazendeiro retornava. Porém, seus olhos não podiam acreditar no que viam. Não havia qualquer cerca! Em seu lugar estava uma ponte que ligava um lado do riacho ao outro. Era realmente um belo trabalho, mas, enfurecido, exclamou: – Você é muito insolente em construir esta ponte após tudo que lhe contei! No entanto, as surpresas não haviam terminado. Ao erguer seus olhos para a ponte mais uma vez, viu seu irmão aproximando-se da outra margem, correndo com seus braços abertos. Cada um dos irmãos permaneceu imóvel de seu lado do rio, quando, num só impulso, correram um na direção do outro, abraçando-se e chorando no meio da ponte. Emocionados, viram o carpinteiro arrumando suas ferramentas e partir para construir mais pontes. A Voz da Glória 15/07/2018 – Página 03


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.