Page 1

Neste Mês de Maio o pároco convida cada lar a oferecer 2 velas a Nossa Senhora pedindo a bênção para as suas famílias, a participarem no Terço e Missa, e a rezarem pela Vida e pela nossa comunidade paroquial Este Domingo (dia 20): Solenidade do Pentecostes / Espírito Santo/ Dia do Apostolado dos Leigos (Os ofertórios deste fim de semana (14 e 15 de Maio) serão destinados para Acção Pastoral Diocesana) / Neste domingo, como de costume, a eucaristia de Lantemil (9h30), será celebrada na Capela de Santa Luzia Terça-feira (dia 22): Salão paroquial (18h30): Encontro de preparação com todas as crianças que vão fazer a Profissão de Fé (6º ano) e a 1ª Comunhão (3ª ano). Ig. Matriz (no fim da eucaristia): Ensaio do coro paroquial. Quinta-feira (dia 24): Ig. Matriz e salão (18h30) Encontro de preparação para as crianças da Profissão de Fé (6º ano) e 1ª Comunhão (3ª ano), para os seus pais e catequistas. Sexta-feira (dia 25): Ig. Matriz ( 1 8 h 0 0 - 2 0 h 0 0 ) : Confissões / Sacramento da Reconciliação para todas as crianças e adolescentes que vão fazer a Primeira Comunhão e Profissão de Fé, para os seus pais, padrinhos e familiares. Domingo (dia 27): Solenidade da Santíssima Trindade: Ig. Matriz (10h30): Eucaristia solene da Festa da Profissão de Fé (6º ano). No final desta eucaristia haverá procissão solene do Santíssimo Sacramento. Os grupos, movimentos e confrarias tomarão parte com as cruzes, estandartes e pálio. Procuremos participar! Pavilhão multiusos de Gondomar (às 15h30): Dia Diocesano da Família com Jubileus Matrimoniais. Festa da Primeira Comunhão: será no dia 31 de Maio. (Solenidade do Corpo de Deus): eucaristia solene da Primeira Comunhão será às 10h30, na Igreja Matriz. De tarde, a partir das 17h00, haverá exposição e adoração do Santíssimo Sacramento na Capela de Nossa Senhora das Dores. Serão rezadas as Vésperas ás 17h30. No final sairá a

procissão em direcção ao nosso largo do Padre Adélio, junto à nossa Igreja Matriz, onde encerraremos com grande eucaristia campal das duas paróquia. Estarão presentes o Sr. Bispo auxiliar, Dom Pio Alves, autoridades, instituições, movimentos e confrarias das duas comunidades. NOTA: Aproxima-se esta Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpo de Deus), dia 31 de Maio! Como é um grande momento religioso e espiritual para a Igreja e para as nossas paróquias de São Martinho e Santiago peço a vossa presença e colaboração. Mais uma vez temos que fazer um tapete para o Santíssimo Sacramento. O tapete será feito ao longo da E.N. 104, como já é costume, desde o largo Padre Adélio, onde vai ser a missa campal, junto à Ig. Matriz até ao limite com São Martinho. Será feito do seguinte modo: do largo da Igreja até a antiga Farmácia Barreto: Aldeia da Lagoa / da antiga Farmácia Barreto até bombas de gasolina da Retificadora: Aldeia de Cidai / das Bombas até Drogaria Gonçalves e Moreira: Aldeias de Cima (Trofa-Velha, Lantemil e Cedões) / da Drogaria até ao limite com São Martinho: Aldeias de Bairros e Maganha. O pároco pede que as pessoas das várias aldeias tomem a iniciativa de se reunirem entre si e organizarem a feitura dos tapetes. Articulem com os moradores por onde vai passar a procissão para ajudarem no tapete. Pede-se também que os moradores, dentro do possível, coloquem colchas nas janelas ou varandas para saudar o Santíssimo Sacramento. Obrigado a todos. Festa em Honra de Nª Sª da Livração: A comissão de festas irá iniciar o seu peditório no fim de semana ,dias 26 e 27 de Maio, nas aldeias de Cima, Cedões e Trofa-Velha. Todos os membros irão identificados com um documento carimbado pela paróquia. CONTAS: Ofertórios Dominicais (dias 12 e 13 de Maio): 339.21 eur. (Para os meios de comunicação Social) / Ofertas particulares: 20 eur. / Caixas de ofertas da Capª de Stª Luzia: 50 eur.

Horário do Cartório Paroquial esta semana: Terça-feira e Quinta-feira 09h00-12h30 | 14h00-18h00 Quarta-feira e Sexta-feira 09h00-12h30 | 14h00-19h00 Sábado: 09h00-12h30

Pe. Bruno Ferreira (Pároco): 913107426 | Cartório: 252100701 / 931327473 www.paroquiadebougado.pt | E-mail: paroquiadesantiagodebougado@gmail.com Casa Paroquial de Santiago de Bougado, Lg º Pe. Adélio Araújo ,120 /4785-594 TROFA Pe. Luciano Lagoa (Vigário paroquial) : Residência do Vigário paroquial: 252105926 E-mail: paroquiadatrofa@gmail.com

Com a Páscoa, inicia-se a nova Criação. E, como na primeira, também agora o Espírito Santo está presente, a insuflar aos homens, mortos pelo pecado, a vida nova do Ressuscitado. Jorrando do Corpo glorificado de Cristo, em que se mantêm as cicatrizes da Paixão, o Sopro purificador e recriador do mesmo Deus, comunica-se aos Apóstolos. Apodera-se deles, a fim de que possam prolongar a obra da nova Criação, e assim a humanidade, reconciliada com Deus, conserve sempre a paz alcançada em Jesus Cristo. 1ª leitura (Act 2, 1-11) «Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar» De harmonia com a promessa de Jesus, o Espírito Santo, manifestando a Sua presença sob os sinais sensíveis do vento e do fogo, desce sobre os Apóstolos, transforma-os totalmente e consagra-os para a missão, que Jesus lhes confiara. Com este Baptismo no Espírito Santo, nascia assim, oficialmente, a Igreja. Nesse dia, homens separados por línguas, culturas, raças e nações, começavam a reunir-se no grande Povo de Deus num movimento que só terminará com a Vinda final de Jesus. Salmo responsorial (Salmo 103 (104)) «Enviai, Senhor, o vosso Espírito e renovai a face da terra » 2ª leitura (1 Cor 12, 3b-7. 12-13) «Todos nós fomos baptizados num só Espírito, para formarmos um só Corpo » O Espírito Santo é «a alma da Igreja». É Ele que dá aos Apóstolos a perfeita compreensão do Mistério Pascal e os leva a anunciar a Ressurreição a todos os homens, sem excepção. É por Ele que nós acreditamos que Jesus é Deus e essa nossa fé se mantém. É Ele que enriquece o Corpo Místico com dons e carismas, numa grande variedade de vocações, ministérios e actividades. É Ele que, ao mesmo tempo que nos distingue, dandonos uma personalidade própria dentro da Igreja, nos põe em comunhão uns com os outros, de tal modo que a diversidade não destrói a unidade. Evangelho (Jo 20, 19-23) «Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós: Recebei o Espírito Santo»

MOVIDOS pelo AMOR que se ENTREGA na CRUZ! O Amor … Não acaba nunca Texto Litúrgico O amor de Deus foi derramado em nossos corações. (2ª Leitura)

Hoje é Pentecostes! Não foi apenas sobre os Apóstolos que desceu o Espírito divino, segundo a promessa de Jesus. Com os Apóstolos no Cenáculo de Jerusalém estava o grupo dos primeiros discípulos, com Maria, Mãe de Jesus, uma assembleia de cerca de 120 pessoas. E todos ficaram cheios do Espírito Santo. Assim se cumpriram as promessas de Deus que se leem nos Profetas. Sempre que se celebra a Eucaristia acontece uma nova efusão deste Espírito divino sobre a Igreja em comum e sobre cada um dos fiéis em particular. Acontece Pentecostes sempre que nos reunimos para celebrar a Eucaristia. Hoje não vemos a forma visível corporal das línguas de fogo, mas podemos experimentar a sua forma sacramental no sinal da assembleia, da Palavra e do Sacramento do Corpo do Senhor. Se recebemos o Espírito, vivamos segundo o Espírito, pondo de lado as obras que Lhe são contrárias e fazendo frutificar na nossa vida a caridade, a alegria, a paz, a paciência, a mansidão, a amabilidade, a bondade, a fidelidade, a modéstia e o autodomínio. Desse modo daremos testemunho de Cristo e todos, sem necessidade de tradução, ouvirão proclamar nas suas línguas as maravilhas de Deus.


Segunda-feira (dia 21, Ig. Matriz, 20h30): “Mês de Maria”: Pais, irmão e tios de Olinda do Padrão / Alfredo Moreira Reis, pais e cunhada (da esposa) / Mª Augusta da Barca (do marido) / Daniel António da Costa Couto e família (da tia Geraldina) / Ezequiel Vieira de Oliveira (da fª Madalena e família) / Mª Rosa da Costa Gonçalves, pais e irmãos (de pessoa amiga) / Mª Lídia Oliveira e Mª Antónia (de Alice/Cedões) / Joaquim Ferreira Martins (da fª Ana Maria) / Pais e família de Natalina Torres (de pessoa amiga) / Acção de Graças a Beata Alexandrina de Balazar e por António Pontes, esposa e filho (de Intenção particular). Terça-feira (dia 22, Ig. Matriz, 20h30): “Mês de Maria”: Fernando Jorge Cardoso da Silva Reis (de Céu e José) / Albina de Cedões e marido (da neta Dulce) / Mª Pereira Neves (da afilhada Silvina) / João Pedro Pereira Gonçalves (dos pais e irmãos) / Joaquim Moreira e filha (da fª Céu) / Mª José Cruz Serra e família (do marido) / Iolanda Padrão, avós e tios (da tia Lai) / Adélia Dias da Silva, marido, filho e genro (da fª Zulmira) / Evaristo Rodrigues Pereira e esposa (do fº Joaquim/Bairros) / Pais, avós, tios e primos de Jerónimo Torres. Quarta-feira (dia 23, Ig. Matriz, 20h30): “Mês de Maria”: 7º dia de Mª Rosa Araújo da Silva Oliveira / Júlio Garcia (da espª) / Venâncio Dias (da espª) / Mª Amélia da Silva Pereira (do marido e filhos) / Almas do Purgatório e Manuel de Araújo Reis (da fª) / Mª Rosalina Campos Vieira (do marido) / Manuel Sousa Barros (da fª Cristina) / Pais, sogros e cunhada Júlia (fº Abílio). Quinta-feira (dia 24, Ig. Matriz, 20h30): “Mês de Maria”: Jaime da Costa Lima, esposa, filha, genros e neto (do fº António) / Acção de Graças a Santa Rita (de Assunção Silva e marido) / Maria Moleiro, Natalina Moleiro e Deolinda do Rosário (da Sobrinha) / Serafina Amélia Rodrigues Pereira (de Madalena) / Madrinha e avôs de Catarina Matos. Sexta-feira (dia 25, Ig. Matriz, 20h30): “Mês de Maria”: Almas de Santiago de Bougado (da Confraria das Almas) / Valentina Torres (da fª Maria) / Filomena Pinheiro de Araújo Moreira (do marido) / Venâncio Queirós, pais e família (da esposa). Sábado (dia 26) : S. Filipe Néri, presbítero (Memória):

(Ig. Matriz, 10h30): Eucaristia solene da Festa da Profissão de Fé: Por todas as crianças do 6º ano, seus familiares e catequistas (do pároco) / António Pedrosa dos Santos (da fª) / Márcio Daniel Maia Fonseca (da esposa e filhos) / Elisabete Barros e família (da neta Mafalda) / 30º dia de Mª Augusta Dias Pereira (da família) / Joaquim Lima e esposa (dos filhos). No final desta missa há procissão eucarística // NOTA: não há a missa às 12h00! Cap. S. Gens, 17h30): Fernando da Costa Portela, irmãos, cunhados e sobrinhos (dos filhos) / Pai e familiares de Luciano Cruz / Maria Fernandes de Sá (Conf.rª de Nª Sª do Rosário 2016/2017) / Maria do Céu Silva (Conf.rª de Nª Sª do Rosário 2016/2017) / Mário Torres da Costa Peniche (da Conf.rª de Nª Sª do Rosário 2016/2017). || Mec’s: Georgina.

(Ig. Matriz, 18h30): “Mês de Maria” : com 7º, 8º, 9º e 10º anos de catequese e catequistas.

Vésperas Domingo VIII do Tempo Comum

(Ig. Matriz, 16h30): Pelo povo de Santiago de Bougado e pela Catequese paroquial. (Ig. Matriz, 20h00): “Mês de Maria”: Manuel António Mira e esposa (da fª) / Arnaldo Ferreira

Vilaça e família (da esposa) / Fernando Rui Reis Gonçalves, pais e cunhada (da irmã) / Rosa da Rocha Mesquita, marido e filho Manuel (dos netos) / Sandra Maia (de Padaria Trofa-Velha) / Genoveva Ferreira da Silva (da fª Norberta) / Cristina Serra (dos pais) / António Dias dos Santos, filhos e neto (da fª Goretti) / Mª Emília Caló (da família) / Aníbal Caetano (da fª Mª José) / Júlia Salgueirinho e marido (dos filhos e netos) / Rosa Salgueirinho e marido (do fº Afonso) / 30º dia de Brilhantina Matias Vilaça (da fª) / 2º mês Adélio Alves do Vale (da esposa) / Maria da Silva Oliveira e família (da família) / Avelino Alves Azevedo, esposa e filha (da fª Lurdes) / Joaquim Pereira e esposa (da fª Augusta/Samugueira).

(Cap. Bairros, 8h00): Artur Boucinhas (de Luciana e Maria) / Evaristo da Silva Couto e família (da nora Emília/Maganha) / Mª José da Costa Carneiro e família (da fª) / Acção de Graças a todos os Santos da Terra e do Céu (de intenção particular) / Pais e familiares de Deolinda Duarte / Acção de Graças a Nª Sª de Fátima (de intenção particular) / Manuel Pereira da Costa (do fº Mário) / Pais, sogros e família de Conceição Torres. (Cap. Lantemil, 9h30): Rosa Leite Oliveira e Júlio Campos (dos sobrinhos Altino e Joaquina) / Maria Celeste Azevedo Sousa Cruz (da família da Casa do Monte) / Carlos Rodrigues Oliveira (da esposa e filhos) / Avós, tios, padrinhos e Pe. Armindo da Silva Gomes (de Mª Augusto Cruz/ Lantemil) / João Fernando Correia da Silva (da fª Fátima e colegas de trabalho) / José Martins Oliveira e esposa (da fª Isaltina) / Avós, tios e cunhada Dina de Odete Costa (Trofa-Velha) / Mª Amélia Pereira dos Santos de Ribeirão (do fº e família) / Mª Dias Ferreira, marido e família (da neta Conceição Sousa) / Mª Goretti Barbosa Rodrigues Moreira / Adélio Alves do Vale (do irmão Manuel Vale) / Brilhantina Vilaça e fª Alzira (de pessoa amiga/Cedões) / António Campos e filho Júlio (da irmã Mª Isabel) / Elisa da Silva Pereira, pais e irmãos (da fª Mª Assunção).

Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amoris Laetitia - proposta de leitura em Família!

Pentecostes: o amor nunca acaba!

120. O cântico de São Paulo, que acabámos de repassar, permite-nos avançar para a caridade conjugal. Esta é o amor que une os esposos, amor santificado, enriquecido e iluminado pela graça do sacramento do matrimónio. É uma «união afetiva», espiritual e oblativa, mas que reúne em si a ternura da amizade e a paixão erótica, embora seja capaz de subsistir mesmo quando os sentimentos e a paixão enfraquecem. O Papa Pio XI ensinava que este amor permeia todos os deveres da vida conjugal e «detém como que o primado da nobreza». Com efeito, este amor forte, derramado pelo Espírito Santo, é reflexo da aliança indestrutível entre Cristo e a humanidade que culminou na entrega até ao fim na cruz. «O Espírito, que o Senhor infunde, dá um coração novo e torna o homem e a mulher capazes de se amarem como Cristo nos amou. O amor conjugal atinge assim aquela plenitude para a qual está interiormente ordenado: a caridade conjugal». 218. Por outro lado, quero insistir que um desafio da pastoral familiar é ajudar a descobrir que o matrimónio não se pode entender como algo acabado. A união é real, é irrevogável e foi confirmada e consagrada pelo sacramento do matrimónio; mas, ao unir-se, os esposos tornam-se protagonistas, senhores da sua própria história e criadores dum projeto que deve ser levado para a frente conjuntamente. O olhar volta-se para o futuro, que é preciso construir dia-a-dia com a graça de Deus e, por isso mesmo, não se pretende do cônjuge que seja perfeito. É preciso pôr de lado as ilusões e aceitá-lo como é: inacabado, chamado a crescer, em caminho. Quando o olhar sobre o cônjuge é constantemente crítico, isto indica que o matrimónio não foi assumido também como um projeto a construir juntos, com paciência, compreensão, tolerância e generosidade. Isto faz com que o amor seja substituído pouco a pouco por um olhar inquisidor e implacável, pelo controle dos méritos e direitos de cada um, pelas reclamações, a competição e a autodefesa. Deste modo tornam-se incapazes de se apoiarem um ao outro para o amadurecimento de ambos e para o crescimento da união. Aos novos cônjuges, é necessário apresentar isto com clareza realista desde o início, de modo que tomem consciência de que estão apenas a começar. O «sim» que deram um ao outro é o início dum itinerário, cujo objetivo se propõe superar as circunstâncias que surgirem e os obstáculos que se interpuserem. A bênção recebida é uma graça e um impulso para este caminho sempre aberto. Habitualmente ajuda sentar-se a dialogar para elaborar o seu projeto concreto com os seus objetivos, meios, detalhes.

Boletim paroquial de santiago bougado 1324  
Boletim paroquial de santiago bougado 1324  
Advertisement