Page 1

Esta semana: CARTÓRIO ENCERRADO (de segunda até quinta-feira)/ Para algum assunto urgente ou necessário entrar em contacto com o Sr. Abade, que estará sempre disponível. Segunda-feira (dia 20): Festa litúrgica dos Pastorinhos de Fátima, Beatos Francisco e Jacinta Marto - Na Ig. Matriz (18h45): Velada de oração dos Pastorinhos com oração do Terço diante do Santíssimo Sacramento Exposto (com a orientação das crianças da catequese e aberto a todos)/ Missa a seguir, às 19h45! Terça-Feira (dia 21): Ig. Matriz (21h00): Ensaio do coro paroquial. ENCONTRO VICARIAL DE FORMAÇÃO DE TODOS OS CATEQUISTAS: dia 22, quarta, (em Vilar) e dia 23, quinta (em Alvarelhos), às 21h00. Quinta-feira (dia 23): Ig. Matriz (depois da eucaristia): Adoração do SSº Sacramento e oração de vésperas (orientada pelo pároco.)

Guiados pela Liturgia da Igreja, queremos ir até às nascentes da alegria que jorram da Páscoa e nos alcançam na Palavra e nos Sacramentos. E queremos fazer esta caminhada com Maria, na ocorrência do 1º centenário das aparições da Senhora do Rosário em Fátima. Queremos acolher o convite da Mãe de Jesus. Hoje, como há dois mil anos, ela diz-nos: «Fazei o que Ele vos disser». E Jesus quer que enchamos as nossas talhas de água para nos inebriar com a sua graça nos sacramentos da salvação. A ânfora (talha/bilha) e o cântaro familiar serão o símbolo ou imagem de marca desta caminhada. E os verbos ou ações descritos na narrativa do primeiro sinal de Jesus, em Caná da Galileia, por sugestão de Maria, sua Mãe (cf. Jo 2,1-12), são também aqui programáticos, para uma caminhada em três tempos: encher as talhas (Quaresma), tirar e saborear (Tríduo Pascal) e levar (Tempo Pascal). Em coerência com a anterior proposta diocesana, vai insistir-se na prática da oração e da meditação de, pelo menos, um mistério do rosário por semana, de modo a revitalizar a família, como Igreja orante. Onosso Bispo, D. António Francisco dos Santos, e os seus Bispos auxiliares, fazem- -nos este apelo/desafio: «Esta caminhada é, assim, uma proposta que nos quer ajudar a todos nós a pormo-nos «a caminho com Maria, pelas fontes da alegria». Cada grupo, comunidade ou movimento, a seu jeito, e no seu ritmo, mas todos juntos, na mesma direção, caminhemos, para que a vivência desta proposta, seja experiência a fortalecer a nossa comunhão diocesana e a intensificar a nossa aprendizagem pastoral, nesta amada Diocese do Porto, que deseja avançar, com Maria, em caminho sinodal».

Sábado (dia 25): No salão paroquial (às 18h00): REUNIÃO IMPORTANTE COM TODOS OS MEMBROS ELEITOS E NOMEADOS DO CONSELHO PAROQUIAL DE PASTORAL (cerca de 55 elementos). Será uma reunião plenária para planificação de atividades e tempos litúrgicos, apresentação de projetos, documentos e contas da paróquia. Quem não puder estar presente deve justificar a sua falta! Obrigado! Liturgias Diárias: As edições das leituras para a liturgia de Março e Abril já se encontram disponíveis para levantamento no cartório. INÍCIO DA QUARESMA: 1 de Março! DINÁMICA DIOCESANA DAS CINZAS AO PENTECOSTES 2017: «A caminho, com Maria, CONTAS: Ofertórios dominicais (dia 11 e 12 de pelas fontes da alegria»: esta é a proposta dio- Fevereiro): 332,98 eur. / Ofertório de casamento: cesana de uma caminhada espiritual em que nos queremos empenhar, desde as Cinzas (1 9,30 eur. / Ofertórios de Funeral: 38,34 eur. de março) até ao Pentecostes (4 de junho).

CONFISSÕES:

Sexta-Feira | Igreja Matriz | 17h30 - 19h00 (o pároco estará sempre disponível para o atendimento espiritual e o diálogo, dentro do horário de cartório, por marcação telefónica ou encontro pessoal com ele)

Pe. Bruno Ferreira (Pároco): 913107426 | Cartório: 252100701 / 931327473 www.paroquiadebougado.pt | E-mail: paroquiadesantiagodebougado@gmail.com Casa Paroquial de Santiago de Bougado, Lg º Pe. Adélio Araújo ,120 /4785-594 TROFA Pe. Luciano Lagoa (Vigário paroquial) : Residência do Vigário paroquial: 252105926 E-mail: paroquiadatrofa@gmail.com

Sexta

9h30 - 12h30 15h00 - 19h30 Sábado: 9h30 - 12h30

1ª leitura (Lev 19, 1-2. 17-18) «Amarás o teu próximo como a ti mesmo» Na leitura do Evangelho, continuamos a ler o sermão da montanha: o Senhor continua a expor a novidade da Nova Aliança, do Testamento Novo. A passagem de hoje põe, uma vez mais, em relevo a caridade para com o próximo. Mas este era já mandamento de Deus no Antigo Testamento, como bem o mostra esta leitura. Na verdade, quem faz a ligação e até a unidade dos dois Testamentos é Deus, que é sempre o mesmo. Ele é Santo, o Santo por excelência; por isso, não admira que desde sempre e para sempre Deus proponha aos homens o mandamento do amor mútuo, sinal daquele amor com que Ele sempre amou todos os homens.

Salmo responsorial (Salmo 102 (103)) «O Senhor é clemente e cheio de compaixão.» 2ª leitura (1 Cor 3, 16-23) «Tudo é vosso; vós sois de Cristo; Cristo é de Deus» A fé cristã faz nascer no crente uma forma nova de sabedoria, que não tem nada a ver com a sabedoria do mundo. A sabedoria que vem de Cristo leva-nos a olhar para tudo e para todos como Deus olha, e de tudo e de todos sabe fazer a unidade. Deus é uno, e a todos quer reconduzir à unidade por Cristo. Assim como pelo Verbo de Deus tudo foi chamado à existência, assim pelo Verbo feito homem, por Cristo, tudo é chamado à unidade.

Evangelho (Mt 5, 38-48) «Amai os vossos inimigos» A Boa Nova, o Evangelho, que o Filho de Deus nos revelou, é o ponto mais alto aonde a palavra de Deus guiou os homens. Tudo o que antes dessa Boa Nova foi dito encaminhava-se para a revelação que o Evangelho do Senhor Jesus nos manifestou. Se o Antigo Testamento nos ensinava a amar os amigos, o Novo Testamento vai mais longe e ensina-nos a amar até os inimigos. É assim que se ama como Ele nos amou; e será ao reconhecerem o amor de Deus no nosso coração que os outros serão levados a amá-l’O também. Amar e perdoar como o Pai!

A liturgia do sétimo Domingo do Tempo Comum convida-nos à santidade, à perfeição. Sugere que o “caminho cristão” é um caminho nunca acabado, que exige de cada homem ou mulher, em cada dia, um compromisso sério e radical (feito de gestos concretos de amor e de partilha) com a dinâmica do “Reino”. Somos, assim, convidados a percorrer o nosso caminho de olhos postos nesse Deus santo que nos espera no final da viagem. Deus, ao criar todos os homens à Sua imagem e semelhança, ao destiná-los ao mesmo fim, queria que os homens constituíssem uma só família e se tratassem uns aos outros como irmãos (Gaudium et Spes, 24). Este plano de unidade, destruído pelo pecado, foi restaurado por Cristo. Pela Sua graça, Deus e os homens entraram a fazer parte da mesma Família, na qual todos somos irmãos, o primeiro dos quais é Cristo (Rom. 8, 29). Amar a Deus, sem amar o próximo, que não é só «semelhante» mas «irmão», qualquer que seja a sua origem, raça, condição social, é impossível. Tão íntima é a vinculação entre o amor de Deus e o do próximo que constituem um só e único mandamento. Temos, pois, que amar os nossos irmãos, sempre e na medida em que Cristo os amou. Amá-los, apesar dos ódios e injustiças de que possamos ser vítimas. Amar os mesmos inimigos, não por passividade, mas pelo dinamismo do Amor.


Segunda-feira (dia 20, Ig. Matriz, 19h45): Beatos Francisco e Jacinta Marto (memória): Telmo Alpoim Ferreira, esposa e família (do fº Jorge) / Ricardo Paulo da Silva Cruz e Manuel Amândio Silva Cruz (dos pais) / Paulo Portela e família (do pai) / Mª Amélia Silva Pereira (do marido e filhos) / Jerónimo Barca e esposa (da fª Almerinda) / António Couto Dias (da irmã Paula) / David Augusto Silva Gonçalves, avós, tios e prima (dos irmãos) / Mª Augusta da Silva Reis, marido e genro (da fª Assunção). Terça-feira (dia 21, Ig. Matriz, 19h30): Sogros e pais de Júlia (Bairros) / Aida Lopes da Silva (da fª Alice) / Mª José da Cruz Serra e família (do marido) / 3º mês de Ezequiel Vieira de Oliveira (da esposa) / Manuel António Lopes Cruz (da esposa) / Júlia Vinhas (da sobrinha Bina) / Paulina Serra Cruz, pais e irmãos (do irmão Júlio Cruz) / Francisco Monteiro e cunhados Antero e Rosa Couto (da fª Fernanda Cruz). Quarta-feira (dia 22, Ig. Matriz, 19h30): Cadeira de S. Pedro, Apóstolo (Festa): 7º dia de Maria do Céu Silva (da família) / Joaquim Ferreira Costa e esposa (da fª Amélia) / Lino Pinheiro Torres e esposa (da neta Eliana) / Mª Vieira e nora Carminda (dos filhos) / Manuel Sousa Ferreira (da esposa) / Acção de Graças a Nª Sª de Fátima (de intenção particular) / Acção de Graças à Beata Alexandrina de Balasar (de intenção particular). Quinta-feira (dia 23, Ig. Matriz, 19h30): S. Policarpo, bispo e mártir (memória): Leopoldina e marido (da fª Conceição/Cidai) / Guilherme Ribeiro (da fª Conceição/Cidai) / Venâncio Dias (dos netos) / Ambrosina Pinheiro Neves, marido, neto Ricardo e genro Armindo (da fª Rosa) / Pais, irmão e sobrinho de Mª Antónia Ribeiro. No final: Exposição e Adoração do SSº Sacramento e oração de Vésperas. Sexta-feira (dia 24, Ig. Matriz, 19h30): Almas de Santiago de Bougado (da Confraria das Almas) / Manuel Pinheiro Torres e esposa (do fº Jorge) / Fernando Firmino, esposa e sogra (dos filhos) / 3º anivers.º de Amélia Ferreira de Oliveira, pais, irmãos e cunhada (da Assunção e Firmino) / José Vitorino da Costa Pereira (da fª Lurdes). Sábado (dia 25): I Vésperas do Domingo VIII do Tempo Comum (Ig. Matriz, 16h30): Pelo Povo de Santiago de Bougado e por toda a catequese. (Ig. Matriz, 20h00): Acção de Graças e por Mª do Rosário (de Mª Angélica) / António Campos Araújo (dos filhos) / Alice do Telmo, marido e família (do fº Jorge) / Filipe Manuel e pai (da mãe)/ João Carlos Cunha e Amílcar Ferreira (da tia Natalina Torres) / Elisa Salgueirinho e marido (da fª Sizaltina/Maganha)/ Aida Freitas Lopes e família (da fª Júlia)/ António José Brites Monteiro (da esposa) / Júlio da Silva Azevedo (das filhas, netos e genros)/ Pais de António Maia (Lagoa) / 30º dia de Júlia Vinhas (dos filhos) / Amélia Ferreira de Oliveira e família (da afilhada Luísa)/ Manuel Matos, esposa e fº Manuel (da fª Leonor)/ Ivo Noé e avós (dos pais) / Jaquelina Silva Freitas (do fº João Paulo). (Cap. Bairros, 8h00): Ambrosina Pimenta, marido, filhas, genros e neto (da fª Mª Rosa) / Mª Azevedo Ferreira e marido (da fª Emília) / António do Corsário, esposa, filho e genro (da fª Cândida) / Joaquim da Silva e esposa (do fº António) / Gil Dias da Costa Campos, filho e genro (do marido) / António Carlos Dias dos Santos (do fº António Pedreiras) / Afonso Faria (do irmão e cunhada) / Manuel Pereira da Costa (do fº Mário). (Cap. Lantemil, 9h30): Conceição Silva Azevedo, marido e fª Celeste Cruz (da fª Mª de Fátima Cruz) / Mário da Silva Marques (da esposa) / Mª da Silva Cruz, marido e neto Ivo (da fª Mª) / Mª do Francisco e família (da sobrinha Fátima) / José Mª da Silva Pereira e filhas (da fª Eduarda) / José Mª de Sousa Pereira, pais e irmão (da irmã Celeste) / Carlos Rodrigues Oliveira (da esposa e filhos) / Mª Augusta da Costa e Silva, marido e filho (do fº António) / Garcia da Silva Pereira, pais e cunhado (de irmão Ilídio) / Mª Lídia Oliveira e família (do marido). (Ig. Matriz, 12h00): Mª Celeste Azevedo de Sousa Cruz (da família da casa do Monte) / Joaquim Silva Pereira e família (da esposa) / Benjamim Dias Oliveira e família (da fª Lina) / Irene Padrão (das filhas) / Nelson Fonseca, cunhados e sobrinho Tó (da afilhada) / Domingos Silva

e esposa (da fª Prazeres) / Mª Teresa Alves Oliveira (do marido/Trofa-Velha) / Mª das Dores Couto Cruz (da tia São) / Luciano Reis Ferreira, sogros e família (da esposa Deolinda) / Pais, sogros e esposa de Manuel Poças (Cidai) / Avós, tios e família de Lurdes Reis / Isolina Leite Dias, marido, filhos e genro (da fª Júlia/Cidai) / Joaquim Lima e esposa (dos filhos) / Mário Azevedo Santos (da esposa e filhos) / Rosa Mª da Silva Moreira Gonçalves e Fátima da Maganha (da amiga Mª Armanda/Samugueira) / Felisbela Moreira de Sá Dias e marido (dos filhos) / Mª Alice Silva Pereira (do marido Manuel/Maganha). (Cap. S. Gens, 17h30): 30º dia de Mª Beatriz Duarte Pereira (do marido) / Armindo da Silva Gonçalves (da Conf.rª de Nª Sª do Rosário 2015/2016) / Ernesto Carlos da Silva Maia (da Conf.rª de Nª Sª do Rosário 2015/2016). (MEC: Georgina) No dia 20 de fevereiro celebra-se a Festa Litúrgica dos Pastorinhos de Fátima, Francisco e Jacinta Marto. Em 1917, os dois irmãos e uma prima, a pequena Lúcia dos Santos, assistiram a seis aparições de Nossa Senhora de Fátima, entre maio e outubro. A Virgem fez a eles revelações que mais tarde ficaram conhecidas como o "Segredo de Fátima". Nossa Senhora apareceu para eles, primeiramente, na Cova da Iria, em Portugal, por volta do meio dia. Depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "Senhora mais brilhante que o sol", de cujas mãos pendia um terço branco. Lúcia, na segunda aparição, havia pedido à Virgem de Fátima que os levasse para o Céu... "Sim, à Jacinta e ao Francisco levo-os em breve. Mas tu ficas cá mais algum tempo para Me fazer conhecer e amar. (...)", foi a resposta de nossa Senhora. Jacinta e Francisco esperaram, assim, o cumprimento da promessa de que a Virgem Maria os levaria em breve para o Céu. Pouco mais de um ano, após as aparições na Cova da Iria, Francisco e Jacinta adoeceram gravemente, atacados de bronco-pneumonia. Continuavam com os sacrifícios e penitências, fervorosamente. E percebiam que aquela doença devia conduzi-los ao Céu. Nas aparições, Nossa Senhora pede aos Pastorinhos que façam sacrifícios pelos pecadores. Relatando a Lúcia* (Irmã Lúcia viveu até os 97 anos de idade, vindo a falecer em 13 de fevereiro de 2005), Jacinta contava: "Nossa Senhora veio nos ver, e disse que vem buscar o Francisco muito breve para o Céu. E a mim perguntou-me se queria ainda converter mais pecadores. Disse-lhe que sim. Disse-me que ia para um Hospital, que lá sofreria muito. Que sofresse pela conversão dos pecadores, em reparação dos pecados contra o Imaculado Coração de Maria, e por amor de Jesus. Perguntei se tu ias comigo. Disse que não. Isso é o que me custa mais. Disse que ia minha mãe levar-me, e, depois, fico lá sozinha! Em suas últimas palavras, Jacinta fala sobre o pecado, sobre os sacerdotes e os governantes e sobre as virtudes cristãs, surpreendendo pelas análises acertadas e profeticamente tão reais para nossos dias. Francisco partira para o Céu no dia 04 de abril de 1919. Nossa Senhora veio buscar Jacinta no dia 20 de fevereiro de 1920. Os processos de beatificação do Francisco e da Jacinta deram os seus primeiros passos em 1952. Em 1989, Papa João Paulo II assinou o decreto da heroicidade das virtudes dos irmãos, abrindo caminho à beatificação, que aconteceu no ano 2000, depois de comprovado um primeiro milagre alcançado pela sua intercessão. Como Jacinta foi a última dos irmãos a falecer, a data de sua morte foi escolhida para a celebração litúrgica dos Beatos. Para que se complete o processo de canonização dos Beatos Francisco e Jacinta, falta apenas que um milagre se dê através da sua intercessão. “Olhando hoje a vida destas duas crianças conseguimos intuir que viveram os apelos com que Nossa Senhora os desafiou, de tal forma que olhá-los é olhar uma concretização da mensagem de Fátima” Irmã Ângela Coelho, vice-postuladora da causa de Canonização de Francisco e Jacinta Marto

Boletim paroquial de santiago bougado 1259  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you