Page 1

[CAIXA DE AREIA: AMBIENTE DE APRENDIZAGENS E LUDICIDADE] Autoria: Pricila Karianne Holanda Nascimento Função: Coordenadora Pedagógica Instituição: CMEI Maria Celoni Campos Município: Natal - RN

É interessante observar o quanto as crianças interagem com elementos da natureza enquanto brincam: areia, pedrinhas, folhas, água.... As relações com o ambiente, com as outras crianças e com os adultos são bem positivas, quando a criança tem a liberdade de manusear e experimentar diferentes materiais de acordo com suas necessidades e interesses. Oportunizar à criança interagir num ambiente rico e prazeroso e oferecer uma diversidade de materiais para que ela possa se expressar e se comunicar com o mundo é imprescindível na Educação Infantil. Pensando desse modo, nós do CMEI Maria Celoni Campos procuramos observar cada cantinho da nossa instituição que não estivesse sendo bem “aproveitado” por nossas crianças e pudesse então vir a ser modificado, ganhando vida na medida em que as crianças o habitassem e interagissem de forma livre e prazerosa. Foi aí que um lugarzinho quase que esquecido e que ia passando despercebido por todas, me chamou atenção, porque além de não estar sendo bem aproveitado pelas crianças estava um tanto feio, esteticamente falando, pois servia até então de cantinho de entulho. Aquele espaço lá na parte de trás do CMEI era só um canto de parede, mas que ficava próximo ao parquinho dos pequenos e precisava ser visto, e vivo! Foi aí que veio a ideia de construir a nossa Caixa de Areia, delimitando bem aquele espaço e organizando-o de modo que as crianças o reconhecessem e se identificassem com ele. E no pensamento delas, mais um cantinho para chamar de “meu”... Brincar com areia deve ser parte da rotina, com tempo, espaço e materiais planejados. Não esquecendo que os riscos da brincadeira estão também presentes nas praças e praias e, apesar disso, a infância saudável conquista e se beneficia da areia há muitos anos! Lembramos que o principal é que o horário destinado ao brincar não pode ser um tempo de sobra, e sim um momento planejado. Partimos então para a formação com a equipe de funcionários (as), pois sentimos que estes (as) precisavam compreender, também, um pouco de tudo o que acontece na instituição para poder aceitar melhor algumas propostas, entendendo o que pode ser significativo para o desenvolvimento e aprendizagem das crianças. Um momento de


formação que as levassem a compreender um pouco do “Ser Criança”, vivenciando na prática do brincar as sensações que o jogo simbólico pode proporcionar. A areia é um elemento da natureza, mas a experiência com esse material ainda é pouco incentivada na Educação Infantil. É uma prática que deve ser incorporada no dia a dia com as crianças, com planejamento, liberdade de vivência, criatividade e segurança. Assim, no primeiro momento, distribuímos algumas caixas com areia pelo pátio e uma caixa apenas com alguns materiais, brinquedos em miniaturas e objetos simbólicos. Solicitamos a cada uma das equipes que adotassem uma caixa de areia e que brincassem manuseando os materiais e a areia. Ao longo dessa brincadeira, cada uma pode, a partir de suas memórias, construir um cenário simbólico na caixa de areia utilizando os pequenos objetos. Numa vivência que traria para aquele momento lembranças de sua infância, de suas experiências lúdicas com areia e ao ar livre, momentos significativos relatados por todas elas ao final da construção. No segundo momento da formação utilizamos uma apresentação de slides mostrando, entre outros, a importância das experiências da criança na caixa de areia; os cuidados que se devem tomar enquanto adulto que planeja, participa e acompanha esses momentos com as crianças; os cuidados com os materiais, o espaço e a areia a serem disponibilizados; a comunicação da instituição (professoras) com os pais, para facilitar a compreensão da participação das crianças nessa atividade e; principalmente, quanto à valorização dessas vivências enquanto tempo e espaços de aprendizagens e ludicidade para nossas crianças. Realizamos também a formação com as professoras e estagiárias, discutimos e nos debruçamos sobre o mesmo tema para mobilizar a equipe Celoni inteira a participar e colaborar com a transformação de um espaço que antes só servia para acumular objetos em desuso na instituição e que com essa nova proposta, agora há de se tornar um espaço vivo e que envolve as crianças; rico em aprendizagens e ludicidade. Um espaço desafiador. Como sugestão, as professoras pensaram em cercar o espaço da caixa de areia com a participação das crianças e seus familiares. Realizando inicialmente uma campanha de arrecadação de garrafas pet (2 Litros) com as famílias, as crianças puderam participar de um mutirão e encheram as garrafas com misturas de água e tintas em cores variadas, para enterrar, fazendo assim a demarcação desse novo espaço. Realizamos, também, reuniões em que tratamos do assunto com as famílias, buscando sensibilizá-las para a


importância dessa atividade com as crianças, visto que alguns adultos ainda têm receio de deixar as crianças explorarem livremente a areia. Com essa parceria professoras, funcionários (as), crianças e suas famílias só têm a ganhar! Mãos à obra para transformar esse “espaço morto” num “ambiente vivo”! E teremos mais um “território de aprendizagens” no nosso CMEI!

Caixa de areia  
Advertisement