Page 1

DAR LUZ A ESTA CAUSA


DAR LUZ A ESTA CAUSA CAPITI organiza exposição, seguida de leilão solidário, em parceria com a galeria Underdogs. Para assinalar o Dia Mundial da Saúde Mental, a CAPITI organiza, pelo terceiro ano consecutivo, uma exposição, seguida de um leilão de arte solidário, na Estufa Fria, em Lisboa, cujas receitas revertem para o tratamento de crianças com perturbações do desenvolvimento, pertencentes a famílias carenciadas. Wasted Rita, Mais Menos, Robert Panda ou Blac Dwelle são alguns dos nomes propostos pela Underdogs para assinalar esta parceria com a CAPITI. Ao todo, são 28 artistas da galeria de arte urbana, que juntamente com dois jovens artistas com Perturbações de Desenvolvimento, vão expor na Estufa Fria, em Lisboa, o resultado do desafio de intervencionar uma tela. O evento terá lugar no dia 12 de outubro, tendo como principal objetivo a angariação de fundos para que mais crianças e jovens tenham acesso a tratamento médico e terapêutico na área do neuro desenvolvimento. Ao todo são já 101 crianças que beneficiam do apoio da CAPITI - tendo iniciado tratamento -, sendo que o objetivo da associação é expandir a sua atividade para zonas do Norte, Centro e Sul de Portugal, de forma a conseguir auxiliar mais famílias. Esta terceira edição da exposição CAPITI seguida de leilão solidário, feito pelo Palácio do Correio Velho, contará ainda com outras novidades: um mercado lifestyle de roupa e acessórios, que resulta de uma parceria com o The Spot Market, que convida mais de 40 marcas a estar presentes e a vender os seus produtos; também vai haver workshops, que da parte da manhã serão organizados pelo PIN – Progresso Infantil, sobre temas relacionados com o neuro desenvolvimento e, durante a tarde, ficarão a cargo da NOS Escola – Escola de Saúde Integrada, com a participação de Anna Elisa de Castro, fundadora da escola, e Sofia Paixão, chef e health coach, sobre as melhores dicas para uma alimentação saudável. A Zero Waste Lab juntou-se, também, a esta rede de parceiros para ajudar na consciencialização de todos para a importância da responsabilidade partilhada na produção mínima de desperdício possível. Abaixo a lista dos artistas: ANA HUMANA BRUNO LISBOA CÁSSIO MARKOWSKI CECÍLIA DE FÁTIMA BLAC DWELLE ELLEONOR FILIPE MURINELLO FIUMANI AKA MANI DRAW GIL MADEIRA GLAM HALFSTUDIO LORD MANTRASTE MAIS MENOS MAR MARIANA ROCHA NELSON DUARTE OKER PEDRO GRAMAXO RITA REBELO DE ANDRADE ROBERT PANDA CONTRA RODRIGO PASSOS SWING THE BEAT TERESA ESGAIO TIAGO GALO VASCO MOURÃO VITOR REIS WASTED RITA Saiba mais em www.capiti.pt ORGANIZAÇÃO:

APOIOS:


PROGRAMA 10h30-19:00h - Mercado “The Spot Market” - Exposição Urban Art – apoio Galeria Underdogs - Workshops

MANHÃ - ÁREA DO NEURO DESENVOLVIMENTO - PIN – PROGRESSO INFANTIL 10h30 – Dr. Nuno Lobo Antunes - Sinais de Alerta de um desenvolvimento atípico; 11h30 – Dra. Matilde Passanha - Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção - os mitos típicos; 12h30 – Dr. João Faria – “Anda jantar... já vou.” - Gestão dos videojogos na gestão familiar; 13h30 – Dra. Ana Beato – Como e quando falar de sexo aos nossos filhos.

TARDE - NUTRIÇÃO - NOS ESCOLA 15h - Anna Elisa de Castro - Sabe o que é Saúde Integral? – NOS Escola; 16h - Sofia Paixão - Pequenos almoços simples e saudáveis para crianças – Glúten Free com Paixão; 17h - Eunice Maia - Menos plástico, mais amor - Maria Granel; 18h - O Sumo verde - cheio de vitaminas para sua saúde diária – NOS Escola. 19:00-21:30h - Cocktail; - Leilão solidário, feito pelo Palácio do Correio Velho.

Sobre a CAPITI: Com quase três anos de existência, a CAPITI - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Infantil tem como missão contribuir para um desenvolvimento saudável e mais autónomo de crianças carenciadas com perturbações do desenvolvimento. O principal objetivo da CAPITI é garantir o acesso de crianças e jovens de famílias carenciadas a serviços de saúde na área do neuro desenvolvimento para facilitar a sua integração na família, na escola e na sociedade. Atualmente, a CAPITI acompanha 101 crianças, jovens e as suas famílias dando-lhes apoio médico e terapêutico, ajudando-as a crescer e a viver num mundo cada vez mais exigente. Saiba mais www.capiti.pt


4

Ana Humana Ana Humana vive e trabalha atualmente em Lisboa. A artista desenvolve a sua prática artística nas áreas do design e da ilustração. Em 2010 concluiu a licenciatura em Design de Comunicação na Faculdade de Belas-Artes do Porto e em 2013 o mestrado em Artes Visuais e Intermédia na Escola Superior Artística do Porto.


5

001.

ANA HUMANA “Magic Hour” Técnica mista com acrílico e caneta sobre tela Assinado Dim. aprox.: 40 x 60 cm. € 100


Blac Dwelle 6

Blac Dwelle (n. 1993) é um artista e ilustrador português com formação em Design Gráfico que gosta de ilustrar, pintar, sujar e explorar cores. Trabalhando sobretudo os suportes de pintura sobre cartão e a construção de formas esculturais com recurso a madeira, tem desenvolvido uma linguagem visual sólida, a um tempo figurativa e abstracta, plena de cores, formas, padrões e elementos simbólicos inspirados em referentes de culturas tradicionais e nas suas próprias raízes africanas.


7

002.

BLAC DWELLE (n.1993) “Mopane” Técnica mista com colagem de madeiras sobre tela, e placa em derivado de madeira Assinado, verso com placa de autenticação e datado de 2019 Dim. aprox.: 62 x 47 cm. € 300


8

Bruno Lisboa Bruno Lisboa é um artista, ilustrador e designer gráfico que vive e trabalha no Porto. Licenciado em Artes Digitais e Multimédia (2013) e em Design de Comunicação (2015), a sua prática artística apresenta referências do movimento fauvista, arte bruta e elementos irónicos. Adora trabalhar com texturas, sujar as mãos e está sempre com fome de mais e melhor.


9

003.

BRUNO LISBOA “Sphinx shooting hoops” Técnica mista com acrílico, lápis de cor e tinta spray sobre tela Assinado (frente e verso) Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “A esfinge, besta alada do folklore medieval, mira o cesto enquanto prepara o seu próximo lance livre.” € 300


Cássio Markowski / CM11

10

Cássio Markowski / CM11 (n. 1972) é um artista visual brasileiro cuja prática tem-se caracterizado por uma constante negociação entre diferentes meios de expressão, onde o seu próprio hibridismo étnico e cultural tem surgido como questão implícita. Trabalhando com técnicas analógicas e digitais, compõe imagens conceptuais que exploram a poesia da linguagem visual, criando uma poética em que prevalecem as relações oníricas entre ser humano, fauna e flora. Formado em Artes Visuais pelo Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil), também completou os mestrados em Investigação e Criação, e Artes e Ciências do Espectáculo, na Universidad del País Vasco (Espanha). Após ter vivido também em Varsóvia (Polónia), reside actualmente em Lisboa, Portugal. www.cassiomarkowski.com


11

004.

CÁSSIO MARKOWSKI (n. 1972) “A máquina do tempo” Técnica mista com acrílico, caneta e tinta spray sobre tela Assinado no verso e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinpse: “Com um olhar multicultural onde misturo elementos visuais retirados de livros de botânica, manuais e bandas desenhadas. Apresento esta peça que faz uma referência à natureza e o mundo dos sonhos em tensão com a racionalidade das figuras e padrões geométricos.” € 300


CECÍLIA DE FÁTIMA

12


13

005.

CECÍLIA DE FÁTIMA Técnica mista sobre tela Verso assinado Dim. aprox.: 40 x 60 cm. Sinopse: “Em Agosto, todos os anos, milhares de portugueses e descendentes voltam às terras que os viram nascer, que um dia deixaram por uma vida melhor. LOUCOS POR REGRESSAR (AO PARAÍSO) é um projecto documental sobre  a emigração portuguesa e a necessidade da afirmação das suas raízes, um ensaio fotográfico que procura retratar uma espécie de sonho de um espaço-tempo tanto perdido como encontrado, pelo qual esperam loucamente durante todo o ano (segundo as canções do também emigrante Dino Meira). Neste Paraíso encontram-se FARTURAS. € 200


14

Contra O trabalho do artista português Contra (n. 1984) tem raízes em diferentes áreas que vão do graffiti à arte conceptual. Num processo maioritariamente analógico, essas áreas culminam numa miscelânea visual que reflete as suas experiências e pensamentos. Na base do seu trabalho está uma constante procura pela criatividade, que se reflecte no desenvolvimento e evolução das suas composições. É membro integrante e fundador do Colectivo RUA.

www.facebook.com/contra.rua


15

006.

RODRIGO CONTRA (n. 1984) “À Deriva” Técnica mista com acrílico e tinta spray sobre tela Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. € 250


16

Draw Os últimos anos têm visto Draw (n. 1988) afirmar-se como um dos mais promissores artistas urbanos em Portugal. Com um mestrado em Arquitectura e uma carreira de professor na Faculdade de Arquitectura do Porto, o seu trabalho de rua tem explorado as profundezas e dimensões do retrato e a relação entre pessoas e espaços, materializado em estudos em grande escala sobre a vitalidade e expressividade do rosto humano. A sua original técnica em camadas executada em traços esboçados vibrantes e monocromáticos exprime de forma exímia a essência da condição humana. Tem participado numa grande variedade de exposições e festivais de arte desde 2006. www.fredericodraw.com


17

007.

FREDERICO DRAW (n. 1988) “Introspectivo” Técnica mista com acrílico, caneta, e tinta spray sobre tela Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. € 250


ELLEONOR

18

ELLEONOR tem 25 anos e é do Porto. Formada em Design Gráfico pela ESAD Matosinhos e posteriormente ligada à área têxtil, o seu trabalho assume uma forte componente artística e artesanal. Expressa-se de diferentes formas, combinando diferentes materiais, texturas e cores em peças únicas ou limitadas que reforçam o sentido de exclusividade. Valoriza uma estética forte, a composição, as texturas e os padrões, aliados à intuição processual e à experimentação. A fusão entre a arte e o design, o analógico e o digital e a valorização do imprevisto e do erro, da imperfeição, são pilares fundamentais do seu trabalho. Leva ao extremo o processo e a experimentação, assumindo-os frequentemente como resultado final. Não prescinde da emoção e do caos em contraponto com o belo, a harmonia e o equilíbrio. O upcycling, com a reutilização criativa de materiais sem aparente valor, faz parte da identidade do seu trabalho. www.instagram.com/elleonor.hello


19

008.

ELLEONOR (n.1994) “Dia” Técnica mista com colagem sobre tela Assinado, lateral assinada e datada de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “Dia, tecido e acrílico sem tela. Um caminho que segui sem destino. Tinha muita cor, estava sempre sol e as formas eram livres e unidas.” € 200


Filipe Murinello

20

Filipe Moreira Murinello, nasceu em 1977, em Lisboa e é licenciado em Arqueologia pela Universidade Lisboa Faculdade Nova de Ciências Sociais Humanas. Desde 2014 que participa no atelier de Expressão Plástica na Casa Grande (APSA) onde realiza trabalhos a aguarela, tinta acrílica, carvão, tinta-da-china, pastel entre outras técnicas artísticas. No atelier aprendeu desenho de perspetiva, anatómico e estilo Manga, de observação e digital. Murinello participou ainda em projetos de Expressão Plástica em áreas como a fotografia ou a arte mural. Em 2018 frequentou um workshop de Banda Desenhada e cursos de Ilustração, Narrativa e Layout, Pintura.


21

009.

FILIPE MURINELLO “Dar à luz” Acrilico sobre tela Dim. aprox.: 60 x 40 cm Sinopse: “Uma mulher segura a criança ao colo, está um céu azul (sinal de esperança), um sol brilhante e luminoso que envolve ambas. Neste caso a mulher (figura maternal, mais afetiva) tem a criança ao colo, esta é iluminada pela luz (dar à luz). As duas trocam de olhar sinal de confiança entre elas.” € 150


22

Fiumani Fiumani (aka MANI) é um designer e artista italiano, nascido em 1987, em Loreto. Tem trabalhado como designer, artista visual e street artist desde 2002. O seu vasto espectro de influências, mesclando pós-punk, street art, tatuagens, customização de motos, skate e surf, ajudaram-no a criar o seu próprio e singular imaginário e estética lo-fi. A sua abordagem DIY tem por base uma raiz skate/punk, o que lhe dá uma necessidade de falar sobre causas sociais com um sentido de humor e uma abordagem emotiva. Os seus traços crus reflectem a sua impulsividade e a necessidade urgente de comunicar pensamentos e mensagens. https://www.fiumani.it/


23

010.

FIUMANI (n. 1987) “O Amor não é descartável” Técnica mista com colagem sobre tela Assinado Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “Juntando vários pedaços de plástico, criei uma superfície na qual tive a pintar com vários tipos de tintas e técnicas. A peça reflete a nossa sociedade acelerada e consumista, sendo estas caraterísticas origem de vários distúrbios mentais e de personalidade. Só o AMOR irá salvar a nossa sociedade descartável.” € 200


Gil Madeira

24

Gil Madeira (n. 1988) nasceu em Lausanne, Suíça, é formado em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes do Porto (2012), tendo aprofundado a sua prática artística na Akademie der Bildenden Künste em Viena, sob orientação de Daniel Richter (2012-2014). Atualmente vive e trabalha no Porto. O artista propõe-se a criar composições rítmicas de cor formando paisagens fragmentárias e arquitetónicas. O artista procura desenvolver uma pintura heterotópica que desorienta a perceção comum sobre a luminosidade e o espaço, evidenciando transparências e reflexos. Do seu leque de exposições podem-se destacar: Peak Chroma (2018), Silo Espaço Cultural, Porto, Portugal; La mécanique des sols, EUNIC exhibition (2014) – Biennale de Dakar d’art contemporain, Senegal; Rundgang (2014), Semperdepot, Viena, Áustria; Intocável (2010), Palácio das Artes, Porto, Portugal, entre outras.


25

011.

GIL MADEIRA (n. 1988) Técnica mista sobre tela Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. € 200


Catarina Glam Catarina Glam (n. 1985) é uma artista visual portuguesa, que se foca principalmente no desenvolvimento de esculturas e instalações públicas. Licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, desde cedo se dedicou à arte urbana e ao design de personagens. Após um percurso inicial pelos universos do graffiti e do paper craft, encontrou na pintura de murais e na escultura em madeira a possibilidade de aumentar a escala das suas criações, de forma a permitir que elas pudessem existir na rua. A estética das peças que cria é um reflexo do seu interesse por geometria e carpintaria, tendo encontrado nos sólidos geométricos o ponto de partida para materializar as suas personagens. Sendo a busca de técnicas e soluções uma constante do trabalho que desenvolve, a reciclagem de materiais assume muitas vezes um papel importante na concepção das suas obras. Porque acredita que cada peça tem a sua própria mensagem, o objectivo actual da artista é espalhar as suas pinturas e esculturas por várias cidades e contextos nacionais e internacionais.

26


27

012.

CATARINA GLAM (n. 1985) “Internal Light” Técnica mista com colagem sobre placa em derivado de madeira Assinado Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “Tela em madeira que retrata a luz interior que reside em cada criança.” € 200


Halfstudio Halfstudio é um estúdio de lettering, sign painting e design gráfico aberto em Lisboa em 2010, onde Emanuel Barreira e Mariana Branco canalizam a sua paixão pelas formas tipográficas e caligráficas para uma prática que recupera a arte perdida do signwriting e tipologias manuais de comunicação visual. Todos os seus projectos são desenhados à mão e pintados com pincel ou aplicados digitalmente. O estúdio abrange várias áreas criativas tendo sempre o lettering como elemento central: desde o desenho de marcas, pintura de sinalética, a murais. Paralelamente também explora a vertente artística da letra em exposições, edições limitadas impressas e arte urbana. halfstudio.net

28

DREAMS NEVER END


29

013.

HALFSTUDIO “Dreams never end” Acrílico sobre tela Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 40 x 60 cm. Sinopse: “A nossa capacidade de sonhar mais alto, mesmo quando nos deparamos com obstáculos, faz-nos acreditar e encarar a vida com um sorriso.” € 300


Hazul Iniciou o seu percurso artístico enquanto street artist na cidade do Porto, em 1997, sob o pseudónimo de Pong 02. A partir de 2008, após consolidar a sua identidade artística e linguagem, assume o nome actual de Hazul. As criações do artista surgem agora com uma dimensão mais onírica e simbólica, desenvolvendo uma relação entre o orgânico e geométrico, seres e objectos, e material e etéreo, reflectindo uma influência primitiva com elementos de antigas civilizações ou de povos tribais, resultando numa linguagem individualista e intemporal. O seu trabalho continua a ter a rua como cenário principal, mantendo esse constante diálogo entre o mundo contemporâneo e o ancestral. Para além de pintar em paredes, utiliza também telas, papéis e objectos encontrados como meios para se expressar. Do seu currículo fazem parte várias participações em eventos e exposições, tais como: “Mirroirs Urbains”, Galerie Conche de Nazelle, Tours, França (2018); “Festival Muro”, Lisboa, Portugal (2017); “Epopeia”, DaVinci Art Gallery, Porto, Portugal (2016); “4urban Tales”, Magma Gallery, Bolonha, Itália (2016), entre outras.

30


31

014.

HAZUL Técnica mista com acrílico e tinta spray sobre tela Assinado Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: A obra representa um relicário ou um altar pessoal, onde estão os objectos e imagens que expressam o mundo interior. É de certa forma um porto seguro e um local de refúgio e segurança. € 150


32

Mantraste Mantraste é o alter ego do designer e ilustrador português Bruno Reis Santos (n. 1988). Filho de um pai pastor e de uma mãe cabeleireira, cresceu livre no meio da natureza entre as Caldas da Rainha e a Nazaré, rodeado e influenciado pelo imaginário e o misticismo populares próprios do mundo rural. Licenciado em Design Gráfico pela ESAD das Caldas da Rainha (2013), tem desenvolvido actividade nas áreas do design e da ilustração editorial, inspirado pelas figuras e histórias da cultura popular portuguesa, assim como a sua paixão pela magia presente no mundo natural. O seu trabalho como designer e ilustrador para capas de livros tem sido distinguido pela crítica. Paralelamente, tem desenvolvido trabalho autoral para várias publicações, eventos e exposições. https://www.facebook.com/Lordmantraste


015.

MANTRASTE (n. 1988) “Quinta-feira à tarde, sol” Acrílico sobre tela Assinado no verso e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. € 200


TRANSACTION IN

34

Mantraste

LOST

Mantraste é o alter ego do designer e ilustrador português Bruno Reis Santos (n. 1988). Filho de um pai pastor e de uma mãe cabeleireira, cresceu livre no meio da natureza entre as Caldas da Rainha e a Nazaré, rodeado e influenciado pelo imaginário e o misticismo populares próprios do mundo rural. Licenciado em Design Gráfico pela ESAD das Caldas da Rainha (2013), tem desenvolvido actividade nas áreas do design e da ilustração editorial, inspirado pelas figuras e histórias da cultura popular portuguesa, assim como a sua paixão pela magia presente no mundo natural. O seu trabalho como designer e ilustrador para capas de livros tem sido distinguido pela crítica. Paralelamente, tem desenvolvido trabalho autoral para várias publicações, eventos e exposições. https://www.facebook.com/Lordmantraste


35

016.

MAISMENOS (n. 1981) “+-Lost+-” Técnica mista com colagem sobre tela Verso assinado Dim. aprox.: 40 x 60 cm. Sinopse: “A humanidade surge entre as camadas do dia a dia, perdida pelo tempo que a tudo dá um valor. O jogo de palavras entre tradução e transação reforça esta ideia.” € 300


36

Mar Mar (b. 1974) is a Portuguese graffiti and visual artist with a degree in Fashion Design whose imaginative visual universe is ruled by a pantheon of fascinating, larger-than-life stylised figures presenting a blend of contemporary pop culture and classical mythology. Recent years have seen his dynamic large-scale productions, expressing a wealth of emotions and realities, adorn buildings around Portugal and other countries. A member of the ARM collective, he has been presenting his work in both solo and group shows since 2004. www.goncalomar.com


37

017.

MAR (n. 1974) “Brain Bait” Técnica mista com lápis, marcador e acrílico sobre tela Assinado Dim. aprox.: 40 x 60 cm. Sinopse: “Quando procuramos o isco que nos faz luz. Esta peça mostra o início da corrida da vida, onde ainda se juntam os elementos que nos capacitam das qualidades humanas.” € 300


Mariana Rocha Mariana Rocha vive e trabalha em Lisboa. Dedica-se às áreas da fotografia contemporânea e da performance, tendo-se formado em Fotografia pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa em 2019. O seu trabalho pode ser descrito como instintivo, autobiográfico e catártico, explorando através dos seus projetos o seu próprio corpo, o espaço à sua volta e a relação que estabelece com outros. A artista tem vindo a participar em exposições e projetos com regularidade desde 2015, de entre os quais se podem destacar: “As Pedras não Sentem Cheiro”, Senhora Presidenta Galler, Porto, Portugal (2019); e a performance “Full of Saudade”, Pérola Negra Club, Porto, Portugal (2018).

38


39

018.

MARIANA ROCHA “Radiancia” Técnica mista sobre tecido Assinado, verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse:” O trabalho que desenvolvo, explora o auto-biográfico e num tempo de urgência pessoal, a necessidade de sair do lugar ao qual chamava casa, recolocou-me numa posição de procura e necessidade por novas representações que colocassem em perspetiva um antes e depois. Durante este período, a luz figurou esperança. Seja num pacote de bolachas, nas janelas de um edifício, num espelho ou radiada pelo flash, a luz preenche tanto as minhas imagens como a minha vida.”

€ 200


40

NELSON DUARTE Primata da acção, precisa de ter alguma coisa para fazer, manifesta a sua alegria ao ver um papel importante, nunca se cansou do excesso de exploração cheio de prazer quase escondido, com um temperamento calmo e introvertido, fica longos períodos como que absorvido pelos pensamentos. Passeia lentamente pelos resultados que variam de uma experimentação para a outra e que podem depender do seu temperamento. Procura influências subjectivas, tornando-se tanto quanto possível, no experimentador invisível, mas, em certos casos, é necessário uma estimulação entre a memória e a imaginação, para que o animal obtenha o máximo rendimento, pois inventa uma grande variedade de brincadeiras.


41

019.

NELSON DUARTE “Une démocratie Bourgeois” Técnica mista com colageme acrílico sobre tela Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “O primeiro acontecimento mais importante saiu planeado e constitui uma aventura de colossais dimensões.” € 150


42


43

020.

OKER “Have Fun” Técnica mista com colagem sobre tela Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. € 100


DAR LUZ A ESTA CAUSA

44

Pedro Gramaxo Pedro Gramaxo (n. 1989) é um artista português que vive e trabalha em Lisboa. Licenciado e mestre em arquitectura, a sua prática tem vindo a explorar a dicotomia entre o natural e artificial, o material e o imaterial, através da manipulação da forma e da luz, criando instalações em grande escala que se reflectem na paisagem. Com a intenção de reinventar paisagens balizadas por estes opostos, o artista trabalha através do contraste entre objecto e contexto no qual é inserido, também ele parte integrante da peça. Profundamente interessado em arte pública e intervenção urbana, encontra-se actualmente a desenvolver projectos de instalações livres que exploram novos contextos para enquadramento artístico. Explorando a materialidade de cada peça – textura, cor, matéria, luz – cria estruturas, cenários e ambientes que suscitem o desconcerto no observador, convidando-o a participar e a experimentar cada peça. Desde 2012 tem vindo a expor em exposições individuais e colectivas. Pedro Gramaxo (b. 1989) is a Portuguese artist who lives and works in Lisbon. With a degree and an MA in architecture, his practice has been exploring the dichotomy between the natural and the artificial, the material and the immaterial, through the manipulation of form and light, creating large-scale installations that are reflected on the landscape. With the intention of reinventing landscapes framed by these opposites, the artist works through the contrast between object and the context in which it is placed, it too an integral part of the piece. Deeply interested in public art and urban intervention, he is currently developing free installation projects that explore new contexts for artistic context. Exploring the materiality of each piece – texture, colour, matter, light – he creates structures, settings and environments that incite discomfort in the viewers, inviting them to participate in and experiment each piece. Since 2012 he has been exhibiting his work in solo and group shows. www.pedrogramaxo.com


45

021.

PEDRO GRAMAXO (n. 1989) “Subtracção#3” Quadro de Luz Dim. aprox.: 100 x 40 x 5,5 cm. € 300


d

a

i

b

c

u

l p

46

o

g

m e n

q

h

r y

j

f

s

t

x z

Rita RA Rita RA (n. Lisboa, 1992) vive e trabalha em Lisboa. Licenciou-se em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, passou pela Academia de Artes e Design da Universidade de Liubliana e por Londres, onde viveu um ano. Durante essas estadias colaborou com músicos, performers e artistas visuais, nomeadamente com o muralista Thierry Noir. De volta a Lisboa, colaborou com projectos artísticos e documentais como a Música Portuguesa a Gostar dela Própria, o Arquivo 237, o artista Gustavo Ciríaco, o Festival Iminente e a plataforma Underdogs, com a qual trabalhou como produtora artística durante os últimos três anos. Como artista plástica tem vindo a colaborar regularmente com colectivos, plataformas e artistas como a Fungo—, a plataforma de divulgação artística A Tétris e artistas visuais emergentes. Juntou-se à MArt em Janeiro de 2019, onde tem vindo a desenvolver e aprofundar a sua pesquisa e o seu trabalho individual.


47

022.

RITA RA (Rita Rebelo de Andrade) (n. 1992) “O drama de uma tela em branco” Técnica mista com acrílico e tinta spray sobre tela Assinado na lateral e datado de 2019 Dim. aprox.: 40 x 60 cm. € 150


48

Robert Panda Robert Panda (n. 1982) é um artista português que iniciou o seu percurso no submundo do graffiti, a pintar nos subúrbios de Lisboa. O seu projecto de instalação escultórica de rua intitulado “Os Estúpidos”, uma abordagem filosófica à parvoíce humana, tem por base a colocação de figuras antropomórficas estilizadas e amigáveis produzidas com materiais como papel e fita adesiva, fibra de vidro ou cimento, em vários locais de modo a surpreender e a interagir com os transeuntes. O seu trabalho instigante tem sido igualmente apresentado em vários festivais e eventos artísticos, e exposições em Portugal e no estrangeiro. www.robertpanda.com


49

023.

ROBERT PANDA (n. 1982) “Azul” Técnica mista com colagem Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. € 300


Rodrigo Passos Rodrigo Passos é actualmente estudante universitário na Faculdade de Belas Artes tendo já frequentado um curso na ARCO. Anteriormente foi aluno em dois cursos de engenharia.

50


51

024.

RODRIGO PASSOS “Múltiplos” Acrílico sobre tela Assinado, verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse:” O cérebro é uma coisa curiosa. Dá a possibilidade de num só corpo habitarem várias pessoas. Baseando-me no transtorno dissociativo de identidade, tentei transportar para a tela um mundo de personalidades diferentes, com crenças e formas de pensar diferentes, mas todas centradas num único ser” € 150


Jorge Charrua

52

Jorge Charrua (n. 1991) iniciou a sua actividade artística em 2004, no graffiti. É licenciando em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. A sua obra vive num equilíbrio de saudosismo e nostalgia com temas da contemporaneidade, manifestando-se pelas iconografias e símbolos, como a cultura hip-hop, videojogos antigos ou a História da Arte, recorrendo a uma roupagem de pintura tradicional para estabelecer esses pontos de contacto. A representação da figura humana surge num jogo entre melancolia e afirmação, com a relação da bidimensionalidade dos fundos criados pelos sinais gráficos. O trabalho de investigação vai-se manifestando também no exterior, sendo o desafio manter a coerência plástica do trabalho de atelier e do trabalho mural com base no conhecimento adquirido da arte académica e da arte de rua.


53

025.

JORGE CHARRUA (n. 1991) “Outcast” Técnica mista com óleo, acrílico e marcador sobre tela Assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 40 x 60 cm. € 300


Teresa Esgaio A artista portuguesa Teresa Esgaio (n. 1985), gosta de desenhar. Muito. Com uma licenciatura em Arte Multimédia da Faculdade de BelasArtes de Lisboa, e experiência em trabalhar com vídeo e fotografia, passou alguns anos a laborar a tempo inteiro em publicidade até que decidiu arriscar e concentrar-se na sua grande paixão. Empregando materiais como grafite, carvão e pastel seco, a Teresa gosta de brincar com texturas e o delicado contraste entre luz e sombra, criando impressionantes trabalhos foto-realistas, plenos de detalhes, que têm recebido muita atenção por parte do público e da crítica. Tem exposto o seu trabalho em mostras individuais e colectivas desde 2015. teresaesgaio.com

54


55

026.

TERESA ESGAIO (n. 1985) “Nuvens” Pastel seco sobre papel, colado sobre tela Assinado Dim. aprox.: 40 x 60 cm. € 300


56

Tiago Galo Tiago Galo é um artista e ilustrador português que vive e trabalha em Lisboa. Começou o seu percurso como ilustrador, colaborando com pequenas fanzines e exposições, antes de terminar o seu curso de Arquitetura na Universidade Técnica de Lisboa. Em 2011 conquistou o prémio de melhor banda-desenhada no festival Amadora BD, e em 2014 concluiu o curso de Direção de Arte na Edit Creative School, em Lisboa. Atualmente, Tiago Galo trabalha como freelancer na área do design e da ilustração. Alguns dos seus clientes incluem: The Hollywood Reporter, Flipboard, National Geographic Travel, Penguin Random House, Boston Globe, Google, BBC Focus, Casa da Música, Vogue, GQ, Time out, Financial Times, Canadian Business Magazine e Condé Nast Traveler.


57

027.

TIAGO GALO “Childhood - Orange Trees/Hot Summer Afternoon” Técnica mista sobre placa em derivado de madeira Assinado Dim. aprox.: 40 x 80 cm. Sinopse: “Memória das tardes que importam. Das laranjeiras maduras e do sol que ilumina e aquece o caminho futuro.” € 200


58

Vasco Mourão Vasco Mourão (n. 1979), também conhecido como Mister Mourão, é um artista, ilustrador e arquitecto português radicado em Barcelona. Obcecado com o desenho de cidades e formas arquitecturais, a sua prática tem vindo a estabelecer-se com base no desenho de linha, geralmente com caneta preta, através do qual vai criando composições densas e intricadas, mesclando estruturas e espaços, tanto reais como imaginários. Desenhando principalmente a partir da memória e do seu conhecimento como arquitecto, Vasco Mourão desconstrói os elementos da cidade e reorganiza-os numa variedade de suportes, criando uma hiperrepresentação da paisagem urbana e as suas texturas. Além de realizar comissões para clientes como a Apple, e trabalhar na área da ilustração editorial—tendo sido publicado em títulos de referência como The Washington Post, The New Yorker e Wired, entre outros—tem também mostrado o seu trabalho em exposições e pintado murais em grande escala. www.mistermourao.com


59

028.

VASCO MOURÃO (n. 1979) “Drift” Técnica mista com acrílico e caneta de feltro sobre tela Assinado no verso e datado de 2019 Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “Fragmentos de edifícios que flutuam e se misturam numa representação química da paisagem que vejo quando fecho os olhos.” € 300


Vitor Reis Vitor Reis (n. 1974), nasceu em Angola e mudou-se aos nove meses para as Caldas da Rainha, Portugal, onde ainda vive e trabalha. Descendendo de uma família de três gerações de oleiros tradicionais desta cidade conhecida pela sua tradição nesta área, começou por explorar a escultura mas acabou por adoptar a cerâmica como a sua linguagem de expressão. Licenciado em Artes Plásticas pela ESAD, Caldas da Rainha, frequentou ainda o Curso Avançado de Artes Visuais da Escola de Artes Visuais MauMaus, em Lisboa. Podendo actuar como artista plástico, designer ou artesão, o seu trabalho responde tanto ao meio que o rodeia como a questões da esfera social e política, captando com um toque contemporâneo muito da energia da tradição humorística, crítica e irónica das Caldas. Tem exposto regularmente em Portugal e participado no Simpósio Internacional de Escultura em diversos países. www.ceramicavitorreis.com

60


61

029.

VITOR REIS (n. 1974) “The right way” Acrílico sobre tela Verso assinado e datado de 2019 Dim. aprox.: 40 x 60 cm. Sinpse: “Esta pintura, de carácter irónico, apropria-se de conceitos referentes ao universo da pintura, tais como: o suporte tela, o carácter decorativo, a instalação; para assim construir uma metáfora. The right way pretende questionar a ideia de normalidade ou institucionalidade como uma ideia relativa”. Nota do artista: “A obra foi pintada de forma inclinada propositadamente - A pintura deverá ser pendurada tendo a base do desenho nivelada, devendo a tela ficar inclinada.” € 300


Wasted Rita

62

A artista e ilustradora portuguesa Wasted Rita (n. 1988) tem vindo a desenvolver uma prática de natureza crítica e particularmente intimista que explora a sua relação amor-ódio com a vida e o mundo à sua volta. Fazendo uso de uma variedade de suportes – incluindo objectos esculturais, instalação, pintura, desenho e escrita – a sua voz singular dá forma às suas observações mordazes e invectivas poéticas sobre comportamento humano e cultura contemporânea. Desde 2011, tem apresentado o seu trabalho numa variedade de contextos, incluindo exposições individuais e colectivas em galerias, instituições e eventos artísticos em vários países. www.wastedrita.com


63

030.

WASTED RITA (n. 1988) “T.E.A.R.S” Técnica mista com acrílico e caneta sobre tela Assinado no verso e datado de 2019, com indicação de título Dim. aprox.: 60 x 40 cm. Sinopse: “Technically Emotions Are Running Salt é uma tela fantasia/explicativa do que fazer em casos emocionalmente incontroláveis. Em acrílico sobre tela.” € 300


64

Profile for Palácio do Correio Velho

Leilão "Dar Luz a esta Causa" | Associação Capiti | Estufa Fria  

12 de Outubro às 19:00 LOCAL DA EXPOSIÇÃO E DO LEILÃO: ESTUFA FRIA - 12 de OUTUBRO às 19:00

Leilão "Dar Luz a esta Causa" | Associação Capiti | Estufa Fria  

12 de Outubro às 19:00 LOCAL DA EXPOSIÇÃO E DO LEILÃO: ESTUFA FRIA - 12 de OUTUBRO às 19:00