Page 1

Mulher


 Que tudo isso seja belo março . 2011

(...) Que ela não perca nunca, não importa em que mundo Não importa em que circunstâncias, a sua infinita volubilidade De pássaro; e que acariciada no fundo de si mesma Transforme-se em fera sem perder sua graça de ave; e que exale sempre O impossível perfume; e destile sempre O embriagante mel; e cante sempre o inaudível canto Da sua combustão; e não deixe de ser nunca a eterna dançarina Do efêmero; e em sua incalculável imperfeição Constitua a coisa mais bela e mais perfeita de toda a criação imunerável. (Vinícius de Moraes)

Mulher

O Caderno Mulher é uma publicação do jornal Página3. Também disponível on line no www.pagina3.com.br. Fotos da capa: perfis de mulheres de BC no Facebook.

Editorial

Mulher Divulgação


Mulher

Comportamento

março . 2011



Tchau contos de fadas, oi vida real: o conflito permanece Caroline Cezar

“Era uma vez uma linda princesa que vivia em seu castelo, até que espetou o dedo numa agulha e dormiu por anos e anos, até que um príncipe num cavalo branco veio despertá-la com um beijo... Era uma vez uma menina que sofria muito com sua madrasta e irmãs malvadas, que a obrigavam a fazer os serviços pesados da casa, até que um dia uma fada a presenteou com uma noite de baile, onde ela dançou muito e se apaixonou por um príncipe e eles foram felizes para sempre... Era uma outra vez que a menina linda de boca vermelha e pele alva como a neve foi mandada para a floresta por uma madrasta invejosa, comeu uma maçã envenenada e ficou muito tempo dormindo, até que um príncipe apareceu e a beijou, a despertando do sono profundo...” Opa, de novo? Pois é. Entra história, sai história, muda um personagem aqui, um enredinho ali, mas o desfecho é sempre o mesmo: felizes para sempre,

o príncipe e a “esperadora de príncipes”. Impossível? Não, mas esse papo pode ser um pouco menos cor-de-rosa? Antes mesmo de aprender a falar, há muitas gerações, meninas crescem ouvindo que encontrar o príncipe é o caminho reto para a felicidade. E quem não se rende à maravilhosa fantasia de ser feliz para sempre? Ser feliz é o objetivo de onze entre dez pessoas conscientes ou inconscientes, está na base de qualquer busca, em consultórios de psicologia, em salas de yoga, em palestras de autoconhecimento, ou por outros meios que ofereçam um vislumbre dessa possibilidade. Nada contra os contos de fadas, mas eles vão na contramão de toda essa busca, porque ali, a felicidade está sempre subordinada ao outro: ao encontro, ao beijo do príncipe, ao sucesso conjugal. Buscar felicidade precisa ser antes uma tarefa individual, para depois ser compartilhada. Porque ninguém aguenta a enorme responsabilidade da felicidade alheia, e mais dia

menos dia, isso vai pesar. Também não aparecem nos livros infantis as discussões de relacionamento, os amantes, as dificuldades quando os filhos nascem, a tripla jornada, os encontros de terça-ferinos nem as saídas pela tangente, não aparecem maus hábitos, ou diferenças que só aparecem mesmo com o tempo. “Felizes para sempre” depende de muito ajuste, de muita liberdade individual para se conhecer, de equilíbrio, de saber se entregar e saber perder, porque como diz o antigo ditado “todos os proveitos não cabem num saco”. E como mudar esses conceitos que estão sendo alimentados, direta ou indiretamente, desde muito cedo na cabeça e no coração femininos? “É difícil. Pode ser que o príncipe encantado não seja mais aqueeele príncipe encantado, porque elas estão com um pé na realidade, mas ainda esperam por um ser que faça elas felizes, e falo de mulheres realizadas na profissão, com escolaridade alta, mas

quando chega nesse ‘detalhe’, elas sonham com isso, e entram em conflito, contradição”, explica a psicóloga Lenita Novaes. O modelo fantasioso de felicidade esbarra nas dificuldades naturais do dia a dia de qualquer relacionamento, e isso resulta em muita insatisfação e pouco afinco na tentativa de levar adiante. Lenita brinca que vem de um tempo “longíquo”, em que era comum escutar coisas como “casou, aguenta” ou “ruim com ele, pior sem ele” e isso fazia com que se sustentassem relações falidas, muitas vezes violentas, porque a lei da boa moral era ficar casado acima de qualquer coisa. As épocas, ainda bem, mudaram. Mas hoje pode ser que se peque pelo contrário: a descartabilidade. “Passa os dois anos de paixão, descarta porque não está preparado para aquilo. Escolhas sempre têm perdas, se eu escolhi ficar casada vou ter que abrir mão de algumas coisas, é preciso liberdade, mas a liberdade está confundida”, acha

Lenita, que está no seu quarto casamento, mas não se acha uma expert no assunto. “Sem dúvida eu aprendi bastante, mas na verdade eu não sei nada, porque é sempre diferente, e tudo se transforma o tempo todo”.

“A relação tem que ser combinada” A liberdade e independência estão aí pra ser aproveitadas. Os relacionamentos tendem a ficar mais sinceros e espontâneos, com mais diálogo e entendimento entre as partes, respeito às individualidades, parceria. “A relação tem que ser combinada”, aconselha Lenita, sempre levando em conta as consequências das escolhas. Mas não existe regra. Nesse campo livre, onde caiu por terra o modelo rígido e formal de casal -e as relações homoafetivas e abertas estão aí para provar isso- é preciso buscar o equilíbrio e entrar num acordo para tentar ser feliz, sozinho e com o outro. Não precisa ter o peso do “para sempre”, é mais benéfico aproveitar o “agora”. Costuma dar certo.

Mulher

Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis Que divide sua alma em duas Para carregar tamanha sensibilidade e força Que ganha o mundo com sua coragem Que traz paixão no olhar 8 de março - Dia Internacional da Mulher

A beleza da mulher está no seu olhar, no seu sorriso, e no seu coração Parabéns mulheres pelo seu dia Equipe Gui Presentes

Es pe ci al co mo vo cê Avenida Brasil, nº 1854 - Centro (47) 3367 0285


 Elas são casadas março . 2011

“Acredito que ainda existam muitas mulheres esperando o príncipe encantado, e mulheres antenadas, despojadas, independentes e inteligentes. Incoerência não? Mas é o grande mito de uma sociedade ainda machista (principalmente pelas próprias mulheres) que deve ser extirpado, afinal, a felicidade não está em outra pessoa. Felicidade é um sentimento singular. Primeiro é preciso encontrar a felicidade em nós mesmos, e aí sim, teremos a capacidade de fazer outras pessoas felizes. Mas algumas pessoas insistem em rotular uma pessoa feliz como alguém que tenha um par. Além da ultrapassada (e preconceituosa) história, após uma certa idade, homem solteiro é por opção, mulher está encalhada. Não acho careta casar, é apenas uma escolha entre as partes e, antes disso, uma escolha individual. O “velho modelo” não é o casamento, mas sim o comportamento. Muitas vezes as pessoas casam e envelhecem, espiritualmente envelhecem, como se não pudessem mais agir de determinada maneira ou ter seu próprios sonhos, e aí entra a tal da liberdade. Liberdade de ser um, para depois compartilhar.

Ser casada é saber dividir e aceitar, no sentido de não tentar mudar o outro. As mudanças ocorrem naturalmente e precisamos estar flexíveis para compreendê-las e para viver em parceria. É não exigir do outro mais do que a gente exige de si mesma, afinal, não apenas no casamento, é tão mais fácil apontar os erros dos outros do que admitirmos os nossos. É preciso respeitar a individualidade. Além disso, paciência e bom humor dão um bom tempero à vida a dois. Para mim, sem amor, admiração e lealdade não há casamento feliz e, SER FELIZ sempre foi meu objetivo de vida”.

Fabiana Langaro Loos casou com o Klaus em 1997, “em um sábado maravilhoso de sol e não tinha a menor idéia sobre o que era casamento”.

Mulher

Comportamento

Perfeição é sinônimo de aceitação “Príncipe encantado ainda existe? Acredito que sim, mas desde que se entenda que as conotações de “encantado” e de “príncipe” mudaram nos últimos anos, e bastante. Para mim, essa idéia de “príncipe encantado” remete à perfeição. O homem perfeito, com a personalidade perfeita, morando em uma casa de contos de fadas e levando uma vida cor de rosa, sem angústias, aflições e esporádicas decepções realmente não existe, e nunca existiu. Somos seres humanos e, assim como acertamos bastante, conseguimos errar mais ainda. Para mim a perfeição hoje é sinônimo de aceitação. Aceitar o companheiro da forma como ele é, com suas abençoadas qualidades e reais defeitos. Esse sentimento de entendimento do outro e desapego daquela imagem antiga de homem certinho, é o que cria o homem perfeito nos dias de hoje e, por isso, agradeço e falo de boca cheia que sou casada com o homem perfeito para mim. Outra questão que acho importante é entendermos que a felicidade habita dentro da gente e

que não dependemos de outra pessoa para sermos felizes e obtermos sucesso em qualquer aspecto, não podemos e não devemos responsabilizar o namorado, marido, companheiro pela conquista da nossa própria felicidade. Essa projeção de responsabilidade no outro, de que ele deve ser e agir da forma que você gostaria que tudo fosse, acaba gerando muito mais expectativas do que o amor precisa para acontecer. O amor é natural, é simples, é puro... é pura aceitação. Com certeza o casamento não deixou de ser uma união entre duas vidas, como sempre foi. É um momento lindo e que não

necessariamente precise de uma igreja, um cartório e um padre para acontecer. O amor, o querer bem, a amizade, o respeito mútuo, o desejo e o companheirismo sim são fundamentais. Sem esses itens, e mais alguns que não mencionei, não há padre, igreja, aliança ou religião que sustente uma relação harmoniosa, pacífica e cheia de amor, como deve ser. O amor é construtivo, é para frente, é para evoluir e crescer juntos, agora em um caminho de dois e em breve de outros pequenos, como disse a Rô, amiga querida.” Sofia Severo é recém casada com Rogê e agora assina feliz da vida Sofia Severo Figueiredo.

PROMOÇÃO

TUDO ATÉ

70% desc. à vista

47

3367-9627

Av. Brasil, 1601 Balneário Camboriú - SC - Brasil


Mulher “Eu me sinto mulher, muito mulher e minha opção sexual, de companheirismo ĂŠ outra mulherâ€?. Nas Ăşltimas dĂŠcadas tem sido uma evolução contĂ­nua a quebra de preconceitos e do paradigma de casal homem mulher. Esta evolução faz com que casais homossexuais, brasileiros, conquistem alguns direitos importantes. Um exemplo ĂŠ a adoção, que jĂĄ pode ser concedida aos casais do mesmo sexo, e a pesquisa do IBGE que no ano de 2010, pela primeira vez, os reconheceu no censo. Valeska Iris Gabeloto, de 34 anos, ĂŠ tĂŠcnica de enfermagem e moradora do municĂ­pio vizinho de CamboriĂş. Ela trabalha para a prefeitura de BalneĂĄrio CamboriĂş e ĂŠ casada com a enfermeira Cristiane Souza, de 47 anos. As duas se conhecem hĂĄ cerca de oito anos, e estĂŁo juntas hĂĄ quase seis. HĂĄ pouco tempo oficializaram a uniĂŁo com uma escritura pĂşblica de uniĂŁo estĂĄvel, e uma pequena cerimĂ´nia no condomĂ­nio em que residem. “Convidamos os vizinhos, que na maioria sĂŁo heterossexuais, todos foram e levaram presentes, foi muito legalâ€?, relataram.

Comportamento

Valeska conta que nunca havia tido um relacionamento com mulher antes de conhecer Cristiane, mas que quando revelou para seus familiares, amigos e colegas de trabalho, nĂŁo sofreu preconceito algum. “Minha mĂŁe chama a Cris de noraâ€?, conta ela. Cristiane fala que com ela foi diferente, o preconceito esteve presente quando ela se revelou e no inĂ­cio de sua vida profissional. “HĂĄ trinta anos era muito diferente, hoje em dia ĂŠ um pouco mais fĂĄcil, pois ĂŠ feio ter preconceito. Quando assumi sofri preconceito, mas minha mĂŁe me apoiou e meu irmĂŁo mais novo sempre foi meu parceiroâ€?. “NĂłs trabalhĂĄvamos para a prefeitura de BalneĂĄrio CamboriĂş, onde nĂŁo podia existir casais ou pessoas com qualquer tipo de parentesco trabalhando no mesmo local. Fomos atĂŠ nossa chefia e comunicamos que estĂĄvamos tendo um relacionamento. Nos separaram, e nos colocaram em duas unidades diferentes. NĂŁo sentimos nenhum tipo de preconceito, pelo contrario, foi uma forma de inclusĂŁo. Pois a polĂ­tica era esta, nĂŁo poderia ser diferente conoscoâ€?, relatou Cristiane, orgulhosa de terem feito o que

março . 2011



Fotos Acervo pessoal

consideram correto. A aluna de enfermagem Valeska conta como foi sua apresentação para os colegas de classe essa semana na faculdade. “Os alunos falaram se eram casados ou solteiros e se tinham filhos. Eu coloquei para todos que sou casada com outra mulher e fui aplaudida, eles acharam legal eu assumir, atĂŠ porque nĂŁo tenho que esconder de ninguĂŠmâ€?. As duas nĂŁo pretendem ter filhos, brincam que jĂĄ tĂŞm o cachorro Davi, mas explicam que o motivo nĂŁo ĂŠ pela uniĂŁo ser homossexual, e sim por nĂŁo terem o desejo da maternidade. “Nunca foi vontade de nenhuma de nĂłs duas, achamos que ĂŠ tudo muito difĂ­cil hoje na questĂŁo da criaçãoâ€?. O casal conta que nĂŁo vĂŞ a necessidade de participar de passeatas ou levantar a bandeira gay, elas dizem que se sentem aceitas. TambĂŠm falam que nĂŁo fazem manifestaçþes de carinho em pĂşblico, pois consideram falta de respeito, independente da opção sexual do casal, “NĂłs respeitamos as pessoas ao nosso redor, posso dizer que eu nĂŁo tenho preconceito do preconceito das pessoas. NĂŁo precisamos dissoâ€?.

Cristiane afirma que algumas vezes ouviu comentĂĄrios de pessoas e s p a nt a d a s ao ver duas mulheres juntas. Ela diz que existe o estereĂłtipo de que em um casal uma serĂĄ mais masculinizada e as duas sĂŁo femininas, “muito mulheres e bem resolvidas assimâ€?. “NĂłs achamos que nĂŁo hĂĄ necessidade de ter uma aparĂŞncia masculinizada, mas nĂŁo recriminamos quem talvez nĂŁo se sinta bem em ser mulher e prefira ser mais homem. A mulher deve se sentir felizâ€?, opinou Valeska, apĂłs afirmar que para os preconceituosos nĂŁo faz diferença aparĂŞncia masculina ou feminina. O casal acha importante falar

publicamente sobre o assunto para incentivar outras pessoas que se sentem oprimidas em assumir sua opção sexual. “JĂĄ aconteceu de alguns colegas se sentirem mais tranquilos em se assumir apĂłs ver como nĂłs duas tratamos essa escolha com naturalidadeâ€?.

Sem compromisso Estamos falando de casamento, mas não podemos esquecer que o não-casamento Ê cada vez mais opção, assim como o casamento sem filhos. Para descontrair, uma brincadeira divertida (atribuída a Luiz Fernando Veríssimo) e um diålogo infantil verídico, que comprova que os tempos não estão mudando, jå estão mudados.

Pernas de rã sautÊe Era uma vez... numa terra muito distante...uma princesa linda, independente e cheia de auto-estima.Ela se deparou com uma rã enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo era relaxante e ecológico... Então, a rã pulou para o seu colo e disse: linda princesa, eu jå fui um príncipe muito bonito. Uma bruxa må lançou-me um encanto e transformei-me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, hå de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavar as minhas roupas, criar os nossos filhos e seríamos felizes para sempre... Naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã sautÊe, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria, pensando consigo mesma:Nem a pau!

“Carreirasâ€? DiĂĄlogo de uma menina de 6 anos e uma senhora que estava deixando o trabalho: - VocĂŞ vai sair entĂŁo, que pena! NĂŁo vai, fica, eu gosto tanto que vocĂŞ trabalhe aqui... - Pois ĂŠ MalĂş, eu tambĂŠm nĂŁo queria sair, mas preciso cuidar da minha mĂŁe que tĂĄ doente. Pode ser que quando vocĂŞ cresça um dia tambĂŠm tenha que cuidar da sua mĂŁe nĂŠ? (silĂŞncio) (olhada pra mĂŁe) - Olha, eu acho que vai ser meio difĂ­cil. (risadas amarelas das duas adultas) - E por quĂŞ vai ser difĂ­cil Malu? - É que eu vou ter muitas carreiras. E nĂŁo sĂŁo assim carreiras fĂĄceis: mĂŠdica, modelo, nĂŁo ĂŠ profissĂŁo para qualquer uma nĂŠ mamĂŁe? Vou ter que me dedicar muito, nĂŁo sobra tanto tempo...

“Os homens que nos desculpem, mas beleza, conteĂşdo, senso de humor, inteligĂŞncia e cavalheirismo sĂŁo fundamentais.â€?

EF.BSĂŽP 6NBIPNFOBHFNEB#.$*QBSBPOPTTPQĂžCMJDPNBJTFYJHFOUF

BTNVMIFSFT


 Saúde Alimentos “femininos” que ajudam no bem estar março . 2011

Já diz o ditado popular: “nós somos o que comemos”. Estudos científicos estão aí para comprovar que de fato, o que ingerimos influi diretamente não só no corpo, mas na psique. A reportagem conversou com a nutricionista Laiz Lauda para descobrir segredinhos na alimentação que podem ajudar em algumas situações específicas das mulheres. JP3 - Quais alimentos auxiliam durante o período da TPM e das cólicas menstruais? Laiz - No período da TPM temos uma diminuição da quantidade de alguns minerais e vitaminas que são utilizados em maior quantidade para trabalhar na questão hormonal. Desta forma, alimentos ricos em nutrientes

como as oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas) e frutas vermelho-arroxeadas como o açaí, o mirtilo, a amora, ajudam bastante na reposição. Os alimentos diuréticos também auxiliam na diminuição do inchaço comum neste período (salsa, couve, chás de cavalinha, hibiscus, chapéu de couro). JP3 - E quais alimentos pioram esses estados na mulher? Laiz - Os alimentos que pioram os sintomas da TPM são os inflamatórios: gordura saturada (como a de frituras, alimentos industrializados, carnes gordas), açúcar (doces, chocolates) e o leite e seus derivados. JP3 – E na menopausa, o que é indicado e o que deveria ser evitado?

Laiz - Na menopausa, deve-se ter um cuidado extremamente individualizado da mulher. A redução dos hormônios pode alterar outros sistemas do organismo, portanto, a prescrição dietética deve ser acompanhada por exames de sangue periódicos. Em geral, existe grande importância de alimentos que evitem a osteoporose (ricos em vitamina D e Calcio), como folhas verdes escuras, gergelim, óleo de fígado de peixe, peixes gordurosos (salmão, bagre, sardinha, atum, cavalinha), cogumelos e ovos. E alimentos anti-inflamatórios como abacate, azeite de oliva, peixes para evitar alterações nos lípides sanguíneos (triglicerídeos, colesterol). Ainda existem alimentos que “imitam” hormônios e que muitas vezes

ajudam na redução dos sintomas, como a soja fermentada, a linhaça, o yam mexicano, a batata yacon... JP3 - Existe alimentos que evitam celulite e que dão firmeza à pele? Laiz - A celulite como o próprio nome indica, é uma inflamação “celul” = célula e “ite”= inflamação. São recomendáveis os alimentos que são anti-inflamatórios: peixes de águas profundas como sardinha, atum, salmão; abacate, frutas, verduras verdes escuras, alimentos integrais. Os que também ajudam a diminuir o aspecto ‘casca de laranja’ são os alimentos diuréticos (salsa, couve, chás de cavalinha, hibiscus, chapéu de couro). Os que dão firmeza à pele são aqueles

Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas, Cheias de mistérios e encanto! Mulheres que deveriam ser lembradas, amadas, admiradas todos os dias... Para você, Mulher tão especial... Feliz Dia Internacional da

Mulher!

Mulher

ricos em colágeno (carnes e gelatina), porém fica mais efetivo quando suplementado, pois nos alimentos aparecem em pequena quantidade, e sempre aliados a alimentos ricos em vitamina C (folhas verdes, pimentões, frutas cítricas), que faz parte da composição do colágeno, o qual sem ela é menos efetivo. JP3- Chás devem ser tomados com moderação? Laiz - Sim. Existe uma variedade de chás para diversos objetivos. Existem chás inclusive que devem ser evitados como cáscara sagrada e sene, que trazem prejuízos ao funcionamento do intestino, podendo agravar ainda mais os casos de constipação. Mas chás antioxidantes como os de frutas, os chás da


Mulher

Saúde

março . 2011



planta Camellia sinensis (chá verde, chá branco, chá vermelho, chá amarelo e chá preto) devem ser tomados com moderação de acordo com os objetivos, os hábitos de vida e a saúde da paciente. JP3 - Alimentos para evitar prisão de ventre, que é um problema comum entre as mulheres... Laiz - É bom evitar o consumo de laticíneos e alimentos refinados e sempre dar preferência aos integrais, às frutas, às oleaginosas, e às fontes de gorduras boas (azeite de oliva, óleo de côco extra virgem). Muita atenção ao consumo de água ser em torno de 30ml por kg de peso), e quando necessária, a suplementação de fibras faz a diferença. Hoje se enfrenta muito um problema que nem todos conhecem chamado de disbiose, que é um desequilíbrio intestinal, podendo variar os sintomas (intestino preso ou solto) e que deve ser tratado de forma séria, já que neste caso faz-se necessária a reposição de bactérias intestinais e prébioticos, que irão fazer a manutenção desta nova microbiota intestinal. JP3 – E para aumentar a libido, existe alguma coisa?

Laiz - Existem alguns alimentos que auxiliam na irrigação dos órgãos sexuais, aumentando o prazer na mulher: ostras, amêndoas, gengibre, pimenta, vinho, mel, chocolate amargo, entre outros. JP3 – Mas tem escolhas que

provocam efeito contrário não? Laiz - Alimentos pesados e refeições volumosas impedem que a mulher se sinta disposta a ter relações, portanto, ao preparar um momento especial para o casal, é legal pensar em uma refeição leve, com alimentos

saudáveis que possam estimular tanto o paladar sem pesar no estômago. JP3 - Você pode dar uma sugestão saudável de café da manhã que dê energia e um lanche para levar ao trabalho ? Laiz - Sim. No café da manhã

uma boa opção é uma fatia de pão integral com um ovo mexido e um copo de suco de uva integral, uma fatia de mamão. Para o lanche da manhã ou da tarde um copo pequeno de salada de frutas com granola sem açúcar ajuda a enganar a fome até na hora do almoço ou do jantar.


 Opinião O que cansa a sua beleza? março . 2011

Mulher

Cansaço físico? Mental? Tripla jornada? Muitas obrigações no dia? Falta de tempo? Filhos? Isso pelo jeito elas tiram de letra. Pela enquete do Página3 fica claro que o mais difícil para as mulheres é tolerar mau humor, inveja e negatividade. E você, o que cansa sua beleza? E qual a sua receita de descanso?

“É impossível enxergar beleza onde existe injustiça e egoísmo. Eu poderia formar uma receita com aquilo que realmente descansa a alma: doses de alegria, amor e generosas pitadas de sonhos”. Marina de Carvalho Mendes, 24 anos, chef, mestranda e consultora gastronômica, Itajaí.

“Gente que só reclama da vida, pessoas mal educadas, ignorantes ou mentirosas em qualquer situação, seja no trânsito, na fila do banco ou na política. Mentira cansa demais. Eu descanso minha beleza me cercando de pessoas interessantes, com energia positiva e alto astral, que vivem de maneira leve e alegre, por maiores que possam ser as atribulações do cotidiano. Vale também estar com os amigos, uma viagem para o farol de Santa Marta ou uma aula de yoga. Maila Zétola, 29 anos, publicitária e empresária, Balneário Camboriú

“O convívio com pessoas negativas, que ficam “ruminando” o que os outros disseram ou fizeram, em busca de deslizes pra criticar e condenar. Essas companhias, que reclamam de tudo, sugam o nosso vigor... Como a energia é a base da beleza, pra me sentir melhor, corro ao ar livre. Superar limites me enche de confiança e me “blinda” contra o desânimo. Correndo, oxigeno meu corpo, minha mente e meu espírito, e não deixo a vitalidade enferrujar”. Ana Lavratti, 41, jornalista, Florianópolis


Mulher “Gente mal humorada cansa minha beleza! A vida não deve ser levada tão a sério”. Bruna H. Vieira

Opinião

março . 2011



Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços, mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades para admirar as partes isoladas. Séneca

“O que cansa a minha beleza é gente folgada. O que descansa é assistir um bom filme no cinema e depois tomar um choppinho com os amigos”... Alcione de Paiva Godinho e Castro, 40, engenheira eletricista, Itajaí.

“A falta de respeito pelo proximo, falta de ética, mentiras, falsidades...” Carina Poffo

“A minha beleza cansa com a falta de educação. Como a restabeleço, com a certeza que existem pessoas bem melhores da que foi descortês. Nenhuma pessoa tem o direito de me deixar triste, e me causar rugas”. Vanessa H. “O que cansa a minha beleza é a inveja. Como descanso? Sobra pouco tempo para descanso, acordo todos os dias muito cedo e vou dormir bem tarde. Porém com a compreensão da família e dos amigos tenho tido bons momentos de tranquilidade, apesar da rotina acelerada”. Luzia Lourdes Coppi Mathias, 48, prefeita de Camboriú

“Algumas coisinhas do dia a dia, cansam a minha beleza, mas a inveja, a falsidade e a fofoca geram um desconforto emocional e físico e ainda, a desconfiança. Para lidar com isso, estou fazendo um ‘treinamento mental’, para trabalhar a paciência e a compreensão dos fatos”. Marta Fonseca Amorelli, 55, professora de educação física, Balneário Camboriú

Mulher, que o sol

ilumine a sua caminhada, trazendo realidade aos seus sonhos, esperança, sucesso e energia renovada!!

Camelódromo da Igreja Sta Inês


10 Moda Promoções, novas coleções e tendências

Mulher

março . 2011

Marcela Viecelli

A maneira que as mulheres se vestem muitas vezes diz muito sobre elas, é uma forma de transparecer a personalidade através dos tecidos, cores e cortes. Para Bianka Cappucci Frisoni, coordenadora dos quatro cursos de design da Univali de Balneário Camboriú, a tendência da moda, normalmente nas viradas de estações, é o conjunto de cores, acontecimentos e formas do dia-a-dia que se transformam em produtos de vestuário, calçados e acessórios. O verão ainda nem acabou, mas as promoções já tomaram conta das lojas e as coleções “outono inverno” estão exibidas nas vitrines. Bianka diz que para essa estação não vê nada de muito extravagante ou inovador, mas que as velhas e clássicas jaquetas militares e blazers de alfaiataria estarão novamente em alta. As calças skinning, aquelas bem justas nas pernas; a cintura um pouco mais alta, para deixar a mulher elegante; e as peças clean, que trabalham com cores, tecidos e modelagens geometrizadas; também vão marcar presença (boa notícia para aquelas que já

Divulgação

pediria transparência, ganha um tecido opaco, macio e com um toque agradável”. O clima um pouco confuso tembém é um problema para as grandes fábricas de roupa, que não sabem como agir e o que produzir. “Estamos com um inverno de poucos dias de frio rigoroso”, diz Bianka, sugerindo que que por baixo de grandes casacos os ombros de fora podem ser bem vindos.

têm essas peças no armário). Bianka afirma que as meninas que valorizam as curvas não precisam se preocupar, pois a moda hoje está disponível para todos os gostos, e com certeza roupas que marcam um corpo bem definido também estarão nas vitrines. “Existe o perfil de passarela, mas a mulher tem que ter noção do seu próprio

corpo, aquilo que cabe a ela ou não para vestir. A moda é democrática, mas deve existir o bom senso”, explicou Bianka. A coordenadora falou que a mulher brasileira está começando a aprender a usar acessórios, e diz que isso é muito importante, pois peças básicas podem se transformar com um simples colar de flores, ou um

belo cinto artesanal. A fama da mulher não saber o que quer não está só nos divãs, Bianka fala que a questão comportametal da ‘mulher contraditória, mas feliz’ faz com que os estilistas trabalhem muitos contrapontos. “Se ela é contraditória, ela também vai achar o máximo peças contraditórias, então uma roupa leve, que

Ela dá um alerta as mulheres que querem estar na moda: “Dentro do que o mercado te oferece, você tem que saber selecionar, aquilo que pega instantâneo que é o modismo, ou o quem vem firme como moda. O estilo que cada mulher firmou como seu, como personalidade, com as suas características, dentro do seu universo, é muito importante. Se a mulher conseguir se perceber ela sabe que não pode vestir algo que está na moda mais que não combina com o seu estilo”.


Mulher

Moda

março . 2011

11

As “semanas de moda” e as dicas para o dia a dia Luciana Altmann

Luciana Altmann

Depois das semanas nacionais de moda o legal é parar e fazer um balanço do que foi mos-

trado e do que pode ser usado no dia-a-dia, na vida real longe das passarelas. Várias são as tendências apre-

sentadas e fica impossível fazer uma lista dos top 10 para o inverno 2011. Mais democrática e voltada para estilos diversos de Reinaldo Lourenço a Amapô - vale saber adaptar o que mais tem a ver com o estilo pessoal. Os longos que já apareceram com força no verão seguem com tudo no inverno, mas como tecidos mais pesados. O foco foi mais nos materiais do que nas peças em si. Muita textura e o mix delas com tecidos elaborados com bordados, penas e pele fake. O off-white também apareceu nas coleções da Animale, Maria Bonita e Tufi Duek. No mais, renda, bordado, couro e calças skinny. O que vai fazer a diferença é o jeito de usar essas peças, a mistura e a escolha dos pesos entre as partes de cima e de baixo. Por exemplo, se antes a blusa de renda ia em cima e o couro embaixo, a idéia agora é inverter essa ordem. - Materiais: lã, couro, pele e tricô - Peças-chave: saia longa, casacão, calça e jaquetinha cropped (aquela bem certinha) - Rendas, apareceram em quase todos os desfiles - Saias e vestidos longos. As

plissadas longas continuam em alta. - Mistura de peso de tecidos - Transparências delicadas - Cor Camelo: o novo preto da estação - Looks brancos e off-white mas sempre com mistura de texturas para não ficar tedioso - Couro: pode se preparar para comprar alguma peça seja, saia, vestido, regata, jaqueta - Calças skinny continuam em jeans e as do tipo cenoura, um pouco mais curtas mostrando o tornozelo - Cores: branco, preto, beges, cinza, camelo e militar entre os básicos. Na paleta de cores fortes laranja, mostarda, azulão e verde. - Macacões: surgem em jeans, tecido e tricô

Acessórios

- Luvas apareceram em diversas versões - Sapatos (botas e mais botas) com detalhes em madeira e saltos (aliás, foi um show de botas os desfiles de Juliana Jabour, Samuel Cirnansck, Cori e Tufi Duek) - Cinto fino continua com tudo - Clutch (carteira pequena de mão): o acessório aparece em

diversas versões - Materiais e estampas imitando a pele de animais exóticos: croco, tatu e cobras e claro, a de onça - Franjas surgem em bolsas, brincos, roupas e ankle boots - Cadarços: as botas e sapatos com cadarços foram outra tendência mostrada

Make Não menos importante que as roupas, a maquiagem é outro item que merece alguns destaques: - Batom vermelho ou em tons vinho - Delineador preto ou colorido - Sombra preta - Cabelos em coques soltos ou bem presos e ao natural, estilo acabei de acordar - Olhos esfumaçados - Sobrancelhas mais grossas e definidas - Predomina o visual nude em tons naturais com toque de iluminador e pontos de brilho


12 Um canto só para elas março . 2011

A mulher moderna busca em suas escolhas uma interação de praticidade, luxo e conforto, mas principalmente um local que ela possa chamar de lar, um espaço que traga paz e felicidade. Ter um ambiente que possa ser um refúgio, um local de leitura e relaxamento ou até mesmo de trabalho, mas que seja só seu, é um desejo da maioria das mulheres de hoje em dia, afirma a arquiteta e urbanista Juliana Naschenweng, de Balneário Camboriú. Juliana explica que a integração com o verde, mobílias confortáveis ou espaços para descansar e conversar estão virando uma tendência para compensar a correria do dia a dia e que quase não existem mais aquelas mulheres que só opinam nos projetos de cozinha ou espaços para uso da família, hoje elas fazem questão de um espaço próprio. A psicóloga Lorene Moreira Heusi, 38 anos, diz ser a favor da mulher ter um lugar na casa para chamar de seu. “Penso que ter um espaço que proporcione

prazer tem como missão acalmar almas conturbadas pelo estresse de viver no mundo contemporâneo, no qual estamos sempre correndo atrás do tempo”. Um ambiente em que a mulher tenha autonomia de preparar para poder se aconchegar e ter experiências agradáveis pode ser um recurso a mais, mas não o único, para viver com mais satisfação pessoal, acredita Lorene, que é casada e mãe de dois filhos. Ela ressalta que a geração de mulheres da qual ela faz parte é pioneira na arte de dosar tempo, espaço e prazer. As mulheres que não têm a possibilidade de ter um espaço reservado podem transformar alguns ambientes com cores, fotos ou uma bela decoração. “Uma simples cor em uma parede pode transformar um espaço, as cores são fundamentais. Almofadas com tecidos aconchegantes, não necessariamente caros, são boas opções. Este espaço pode ter fotos de pessoas queridas, imagens de viagens, objetos que lembrem

pessoas e sensações gostosas já vividas”. Para as que querem se adaptar

Dia Internacional da Mulher

PARABÉNS MULHERES ! Pela força infinita, que transforma sonhos em realidade.

O NUMEA saúda as mulheres de todos os tempos.

www.institutoembelleze.com

Mulher

Decoração

sem grandes reformas o conselho da arquiteta é que façam uma boa pesquisa ou contratem um profissional responsável e

sensível para efetuar o projeto. Planejamento e direcionamento são imprescindíveis para alcançar objetivos.


Mulher

Decoração

março . 2011

13

Dicas para ambientes pequenos -Puffs tornam o espaço aconchegante e não ocupam muito espaço; -Luminárias de chão alongam o ambiente; -As cores que relaxam e inspiram são uma boa escolha; -A presença de plantas traz a natureza para perto; -Um mosaico com figuras de desejo (pode ser recorte de revista, palavras, lugares ou objetos) pode dar vida a uma parede simples; -Fotos de pessoas queridas e bons momentos vividos; -Tapetes, almofadas e móbiles podem deixar o ambiente mais descontraído; -Combinar cores e estampas dão personalidade ao lugar; -Uma parede colorida muda o ambiente, mas investir em objetos de cores fortes e deixar a parede neutra é uma forma mais fácil de mudar caso enjoe.

Mulheres

Mulher Semente... SER-mente... SER que faz gente, SER que faz a gente.

e de fato, de seu mundo que lhe foi usurpado e que agora é por ela ocupado.

Mulher SER guerreiro, guerrilheiro, lutador... multimidia, multitarefa, multifaceta, multiacaso... multicoração... Mulher SER que dá conta, que vai além da conta, que multiplica, divide, soma e subtrai, sem perder a conta, sem se dar conta, de que esse século foi seu parto, na direção de seu espaço, de seu lugar de direito

Mulher.. Esse SER florado, esse SER adorado, esse SER adornado, que nos poem em um tornado, nos deixa saciado e transtornado, que nos faz explodir e sentir extasiado. SER admirado... Mulher... Nesse final de milénio, faça a transição. Tire de seu coração a semente que vai mudar toda a gente levando o mundo

a ser mais gente... Um mundo mais feminino, mais rosado e sensibilizado, mais equilibrado e perfumado... PARABÉNS MULHER Não pelo oito de marco, nem pelo beijo e pelo abraço, nem pelo cheiro e pelo amaço. Mas por ser o que és... Humus da humanidade, Raiz da sensibilidade, Tronco da multiplicidade, Folhas da serenidade, Flores da fertilidade, Frutos da eternidade... Essencia da natureza humana.

Mulher que ama, vive, existe. Mulher que compreende, cuida e protege. Mulher que seduz, provoca, acontece. Mulher que trabalha, compete, batalha. Mulher que gera, cria, acalenta. Mulher que chora, sorri, sente. DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Deputado Estadual

Dado Cherem JOALHERIA e ÓTICA


14

março . 2011

Variedades

Mulher

Os desafios e escolhas delas no mundo da música Fotos Divulgação

O mercado da música não é um terreno suave para quem quer que seja. Há concorrência demais e oportunidades de menos, e nem todos estão preparados para seguir nessa luta por muito tempo. Para as mulheres, este caminho pode se tornar ainda mais árduo, se não houver o jogo de cintura próprio do feminino. Apesar dos desafios, Balneário está repleta de exemplos de mulheres que conquistaram os palcos e continuam na luta por uma paixão em comum. Por Daniele Sisnandes

Além do glamour, saudade de casa

Prioridades A cantora e radialista Juliana Tormena, de 26 anos, canta desde pequena. Passou a gravar jingles e há dez anos descobriu sua vocação em frente aos microfones das rádios. Atualmente, para dar conta das até 12 horas de trabalho, projetos paralelos, um namorado e dois cachorros, sem falar nos ensaios e shows, Juliana teve de deixar de lado alguns sonhos importantes, como o de ser mãe. “Para conciliar, não tendo filhos fica menos complicado do que para uma mãe, com certeza. Mas eu faço questão de espairecer e me organizar para controlar o estresse, e se a gente quer mesmo, a gente consegue. É só agir com paciência e inteligência, cuidar da saúde, da alimentação e aceitar que sem sacrifício não existe recompensa”, declarou a vocalista à frente do grupo Tormena e Banda, que lança após o Carnaval a música “Ainda Gosto de Você, cedida pelo cantor Armandinho.

Com uma carreira consolidada na música eletrônica, a DJ Fran Kistner revela que além de todo o glamour, vida de DJ de sucesso pode sim vir acompanhada de certa solidão e muita saudade de casa. “Como uma legítima canceriana, eu sinto muita saudade de casa, da minha família, do meu cachorro. Adoro viajar, mas não vejo a hora de voltar. Muita gente acha que essa é uma opção de vida só feita de glamour”, revelou. Na estrada desde os 18 anos, Fran também conta que trabalhar na noite é como trabalhar é como atuar em outro ramo qualquer, sempre haverá dificuldades. “O problema é que pela popularidade que a profissão conquistou, surgiram muitos espertinhos, que usam qualquer artifício para aparecer. Ainda tenho esperança que volte a ser como há alguns anos atrás. Quando ser DJ era opção de vida, não de status”, lamentou. Contudo, proporcionar uma noite de alegria aos amigos ou desconhecidos é para ela, algo ímpar. “Às vezes aquela noite se torna muito especial para alguém e você nem sabe”, pontuou.

Mulher

dia internacional da

MULHER 08 de março

Cada vez mais conquistando novos espaços e melhorando a sociedade em todos os aspectos. Parabéns a todas as mulheres, em especial às servidoras públicas municipais.

A todas as mulheres que fazem da caminhada da vida uma bela trajetória de força e sucesso, o nosso reconhecimento e admiração. Parabéns, mulher, pelo seu dia, por suas lutas, sua história.

www.sisembc.com.br

www.sindisol.com.br

Parabéns Mulher

Desejo a todas as mulheres que reafirmem suas forças, não desistindo dos seus objetivos e de seus ideiais. Que a paz de Deus possa estar presente em seus corações todos os dias. Fabricio de Oliveira


Mulher

Variedades

março . 2011

15

Preconceito desmistificado Daniela Longaray, vocalista da banda local Angeli, é outro exemplos que luta para manter seu lugar na cena do rock. “A cena é bem masculina e isso não só nas bandas. Vai desde a pessoa que organiza festivais até o jornalista que trabalha na área da cultura voltada pra música, além é claro, dos integrantes das bandas”, avaliou. Ela conta que quando uma mulher aparece cantando ou tocando algum instrumento, normalmente a impressão que a maioria tem é que ela não é tão boa quanto um homem. “Parece que para acharem que a mulher é ok no palco, tem que detonar. Cantar ou tocar muito. Homem não necessariamente”, desabafou. A vocalista revela que já considera normal quando sobe no palco e vê certo estranhamento. “Dá para ler nos olhos das pessoas ‘mulher? Ih, mais uma que acha que cantar’. Mas eu não me importo, até gosto. Adoro ver a expressão na cara das pessoas, pra mim já se tornou divertido. Tem que levar na esportiva mesmo, porque quando alguém vem elogiar, a gente sabe que é sincero”, afirmou. Pode não parecer, mas é tão incomum que as mulheres estejam na liderança de bandas que uma vez, Daniela foi confundida com um homem. “Fui agendar um estúdio pra ensaiarmos e falei com a pessoa pelo MSN. O cara explicou onde era o local e quando terminou disse “Então tá cara, até amanha Daniel”. Eu nem corrigi e no outro dia ainda tirei um sarro me apresentando como Daniel”, se divertiu.

De subestimada à surpreendente

Mulher... Seja inteligente Seja carinhosa Seja batalhadora Seja delicada Seja sensível Seja romântica Seja sincera.

Seja você sempre. Seja Mulher

Parabéns pelo Dia Internacional da Mulher!

Marcelo Achutti

A cantora e guitarrista Ruca Souza admite que é muito comum subestimarem sua capacidade técnica pelo fato de ser mulher. À frente de uma das bandas que mais têm chamado atenção na cena do rock independente na região, a Café Brasilis, Ruca conta que geralmente quebra o paradigma após subir ao palco. “Os caras não botam muita fé que eu sei tocar guitarra assim como eles, que faço música como eles e tenho o mesmo potencial. Que sei mesmo fazer rock and roll. Várias vezes, depois de sair do palco, caras já vieram me falar “Nossa, pensei que tu ia fazer um rock de menininha e tu foi lá e fez rock de verdade”. Eu acho engraçado porque não me sinto diferente deles, tenho a mesma paixão pela música e pelo rock”, afirmou. Fora isso, ser mulher em meio a tanta testosterona acaba sendo até divertido. “Tem a parte boa, em que os caras são sempre muito gentis e me respeitam. Ninguém chega com abuso, todos são delicados quando vem falar comigo. Quando estou no palco, podem até me chamar de gostosa e tudo o mais, mas depois vem falar comigo com educação”, disse a instrumentista que iniciou na música com um violão renegado pela irmã mais velha.


16

marรงo . 2011

Publicidade

Mulher

MULHER  

mulher2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you