Issuu on Google+

informaçþes pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

1


Educação e Cultura

O ciclo “Mutações: o Silêncio e a Prosa do Mundo” é uma oportunidade de pensar em como a ausência do silêncio tem interferido no modo de ser e pensar das pessoas, limitando os processos criativos. Quando se propõe em uma mesma grade de programação um ciclo de conferências para discutir o silêncio e um destaque na programação de educação, chama-se a atenção sobre a esfera criativa que de forma tão importante os relaciona. O processo educativo, por sua vez, acaba por ficar em meio a esta discussão. O futuro depende de bons e criativos processos de educação. Bons, no sentido de organizados e norteadores; e criativos, no sentido de serem capazes de conduzir métodos inovadores que, acima de tudo, saibam atender às novas demandas do mundo moderno - o mesmo mundo que hoje, segundo a hipótese do ciclo, está abalado por excesso de barulho, excesso de estímulos e com pouco tempo para se inovar. Cabe ainda uma observação ao relacionarmos silêncio e prosa. A intenção, com isso, é fazer o elogio da fala. É certo que a banalidade nos domina; mas é certo também que, sem a fala, seremos reduzidos a seres sem política, sem tolerância, sem poesia, em síntese, sem o humano. Talvez seja um ciclo vicioso, mas neste trimestre realizamos atividades que, além de propor pausas – não tão silenciosas – para discutir e pensar o Silêncio e seus benefícios, apresenta também práticas que exemplificam e testam, até certo ponto, as inovadoras correntes que a educação tem desbravado. Um diálogo constante entre educação e cultura.

educação

biblioteca do Sesc Paço da Liberdade


educação patrimonial

Ação educativa no Sesc Paço da Liberdade A ação educativa do Sesc Paço da Liberdade tem como missão aproximar a arte do espectador por meio do conhecimento. Desde que se tornou um centro cultural, em 2009, o Paço atende grupos de instituições de ensino público oferecendo transporte gratuito. A experiência é gratificante e provou ser eficiente e bem avaliada pelos professores que trazem seus grupos. A visitação do edifício apresenta os conteúdos históricos com ênfase nas questões da preservação do patrimônio tombado e também inclui atividades culturais, direcionadas principalmente ao espaço de exposições. Visitas com agendamento. Serviço De terça a sexta das 10h às 18h, sábados das 11h às 17h (períodos noturnos podem ser marcados com antecedência). Telefones: 41 3234 4200/ 41 3234 4226. Gratuito.

Educação Patrimonial Voltado aos alunos das escolas públicas de Curitiba, o projeto “Educação Patrimonial” do Sesc Paço da Liberdade se aproveita da riqueza histórica deste prédio, resgatando o fato de ser tombado e considerado um patrimônio nacional, para ampliar a perspectiva de educação como agente facilitador do reconhecimento de identidades e transformador da realidade social.

4

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Monitoria em idioma inglês Muitas escolas bilíngues ou grupos de turistas sentem dificuldade em visitar um local na cidade sem uma monitoria em inglês. Por isso, o Sesc Paço da Liberdade passa a oferecer visitas monitoradas neste idioma sobre a história do edifício e como ele se liga à história da cidade, além de fazer uma visita à exposição de arte no quarto piso, ampliando as possibilidades de passeio num ponto turístico da cidade para algumas instituições de ensino do inglês ou grupos de turistas. Visitas com agendamento. Serviço De terça a sexta das 10h às 18h, sábados das 11h às 17h. Telefones: 41 3234 4200/ 41 3234 4226. Gratuito.

Ao longo de uma semana, alunos do contraturno escolar vivenciam as dimensões daquilo que é considerado um patrimônio cultural. Para isso, passam por diversas atividades educativas, como exibição e discussão de filmes, visitas monitoradas ao Sesc Paço da Liberdade e seu entorno, além de participarem de uma oficina de fotografia digital como forma de construção de sua própria perspectiva sobre o tema. Ao término destas dinâmicas, uma exposição das fotos realizadas é montada no colégio para que os alunos se tornem curadores do conhecimento


Guided Tours in English It might be very hard for some bilingual schools or tourist groups to find a guided tour in English at some places around the city. That’s why Sesc Paço da Liberdade is offering free guided tours in English about its building and how is it linked to the city history, besides visiting the arts exhibition on the 4th floor, making it easier for some English educational institutions or tourist groups to find an interesting tour option at this great touristic place. Visits by appointment. Opening hours From Tuesday to Friday from 10am to 6pm, Saturdays from 11am to 5pm. Contact numbers: +55 41 3234 4200/+55 41. 3234 4226. Free.

gerado, compartilhando os resultados e buscando referências locais para que o tema seja trabalhado de forma transversal com as disciplinas da grade curricular. Mais informações e acompanhamentos do projeto podem ser feitos pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200.

2014 é ano de : Alberto Lattuada Aloísio de Oliveira Aracy de Almeida GuerraPeixe Henri Cartier-Bresson Hilda Hilst Iberê Camargo Mário Schenberg Michel Foucault Theodoro de Bona

Alberto Lattuada Aloísio de Oliveira Aracy de Almeida Guerra-Peixe Henri Cartier-Bresson Hilda Hilst Iberê Camargo Mário Schenberg Michel Foucault Theodoro de Bona Alberto Lattuada

Aloísio de Oliveira Aracy de Almeida Guerra-Peixe Henri Cartier-Bresson Hilda Hilst Iberê Camargo Mário Schenberg Michel Foucault Theodoro de Bona Alberto Lattuada

Aloísio de Oliveira Aracy de Almeida GuerraPeixe Henri CartierBresson Hilda Hilst Iberê Camargo Mário Schenberg Michel Foucault Theodoro de

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

5


cursos

CULTURA DE BOLSO

Curso

Segundo dados do Banco Central, o valor total das dívidas no Brasil é elevado, correspondendo a cerca de 40% da renda do trabalhador. Sim, o endividamento causa calafrios e Curitiba puxa esses números para cima, pois em 2012 foi a capital brasileira de maior porcentual de famílias endividadas – 88% do total tinha alguma dívida a ser paga*. Para ter o controle desta realidade assombrosa, o curso “Cultura de Bolso” do Sesc Paço da Liberdade foi feito tanto para quem todo mês já tem infinitas contas a pagar, como também para quem não quer entrar neste cenário temeroso. Assim, o curso “Cultura de Bolso” procura entender a origem das dívidas e apresenta alternativas para que as finanças pessoais e familiares sejam controladas. Mais do que isso, a ideia é mostrar que, além de não se endividar, qualquer pessoa pode se tornar mais rica tanto financeiramente quanto culturalmente. Uma apostila do curso é dada aos participantes, além de planilhas para facilitar os esforços pessoais no cumprimento de metas que são estipuladas individualmente, de acordo com a realidade de cada um. Participe e faça o seu dinheiro trabalhar para você!

Sabemos da importância que novos conhecimentos trazem, transformando isto num diferencial para o mercado de trabalho. Este aprendizado faz com que nos tornemos pessoas mais preparadas e com maior potencialidade para alcançar nossos objetivos.

Endividamento. Que medo!

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200. * Dados correspondentes ao estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP) Datas: 28 e 29 de maio Horário: 19h às 21h45 Vagas: 45 Carga horária total: 5h30 Local: Sala de Aula – 2º piso Investimento: R$ 5,00 (comerciários e dependentes) e R$ 10,00 (não comerciários)

6

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

de

Inglês:

Programa Gratuidade

de

Com o intuito de fornecer novos desafios e novas ferramentas tanto para comerciários como para seus dependentes, assim como para estudantes da escola pública básica, o Sesc Paço da Liberdade está oferecendo curso de inglês dentro do Programa de Gratuidade. Para participar desta nova oportunidade propiciada pelo Sesc é necessária a apresentação dos seguintes documentos: Ficha de inscrição - Questionário Socioeconômico ; Cópia da carteira de identidade; Cópia do CPF; Comprovante de endereço atualizado (água, luz ou telefone); Autodeclaração da renda familiar (a renda deve ser de até 03 salários mínimos); Cópia do Cartão Cliente Sesc (comerciário ou dependente); No caso de estar frequentando a Escola Pública Básica, o candidato deverá apresentar declaração da escola que conste que o aluno está devidamente matriculado. As inscrições poderão ser feitas no SAC do Sesc Paço da Liberdade. Vagas: 14 Idade mínima: 15 anos


cursos

Mutações o silêncio e a prosa do mundo Neste ano, o ciclo Mutações investiga o silêncio e as consequências de sua ausência no cotidiano das cidades e o quanto a falta do silêncio tem influenciado o modo de ser e pensar da sociedade contemporânea. O ponto de partida desta discussão funda-se na hipótese de que cada vez mais os processos criativos são abalados ou destruídos por uma demanda barulhenta que consome o tempo destinado a deixar a mente parar. O “parar” é aquele momento em que a mente repousa sem obrigação de corresponder aos estímulos externos e passa a ter tempo para organizar-se apenas com o que mais lhe é próprio. É neste instante que, quase em estado de meditação, ocorrem os processos criativos tão fundamentais à sobrevivência humana ou para inovações na literatura, no cinema, na música ou quaisquer outras artes ou ciências que poderão vir a transformar o mundo. Sob a organização de Adauto Novaes, mais uma vez grandes nomes se reúnem em uma semana de debates criativos com o público, sobre este tema a partir de diferentes vertentes do pensamento contemporâneo. Data: 8 a 11 de abril Horário: 19h30 Local: Sala de Atos Investimento para todas as aulas R$ 15,00 (comerciários e dependentes) R$ 30,00 (não comerciários) Ingressos poderão ser adquiridos a partir das 12h do dia 8 de março no Sesc Paço da Liberdade. Vagas limitadas. Necessário apresentar o Cartão Cliente Sesc

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

7


MUTAÇÕES - O SILÊNCIO E A PROSA DO MUNDO

à matemática, as estrelas saem da mitologia para figurar na tabela do astrônomo” (George Steiner, Linguagem e silêncio).

Adauto Novaes

Qual a importância do silêncio para a criação de obra de arte e de obra de pensamento?

Por que silêncio, por que prosa? A fala é o corpo do espírito. É ela que dá forma e expressão aos pensamentos e paixões: o medo, a esperança, os princípios políticos, as coisas da ciência, a mesquinhez, a generosidade, a poesia...

Uma segunda observação deve ser feita: ao relacionarmos silêncio e prosa, queremos, com isso, fazer o elogio da fala. É certo que a banalidade nos domina; mas é certo também que, sem a fala, seremos reduzidos a seres sem política, sem tolerância, sem poesia, em síntese, sem o humano.

Ela pode ser, pois, tanto a fonte de liberdade como a teia que aprisiona. Se a fala hoje tenta reduzir o silêncio a coisa sem sentido, através da “regressão infinita” de palavras sobre palavras, pensemos o silêncio como princípio da transgressão. A fala, lembra-nos Steiner em seu ensaio Linguagem e silêncio, pode encobrir, com expressões inteligíveis, falsidades homicidas de regimes totalitários, mas também carregar “o grande fardo de vulgaridade, imprecisão e ganância em uma democracia de consumo de massa”. Que dizer então dos discursos precipitados senão que eles não cessam de recobrir um pensamento que está a ponto de nascer, pergunta Alain? Ele mesmo responde: “o homem pensa seu discurso antes de pensar as coisas”. Adotemos, pois, em certos momentos, o silêncio para que o pensamento possa se expressar na fala.

8

Os dados impressionam: pesquisadores afirmam que, só nos Estados Unidos, houve um aumento de quase sete trilhões de palavras faladas, a partir da invenção das novas tecnologias. As perguntas são inevitáveis: O que tanto se fala? Estamos entrando na civilização de falastrões em facebooks, twitters (escritos na cadência da fala) celulares, conversas on-line? É certo que estes novos meios têm grande importância hoje, como vemos nas manifestações do movimento popular. De certa maneira, eles estão dizendo que os partidos políticos, os sindicatos e a grande imprensa não são mais os únicos mediadores entre o cidadão e a política. Mas, no geral, a linguagem técnica domina a fala e põe em lados opostos os números, a percepção e experiência do mundo?: “O alfabeto da ciência econômica moderna não é mais a palavra, mas sim a tabela, o gráfico, o número... Grande parte da sociologia atual é iletrada, ou, para ser mais preciso, antiletrada... Quando tem de permanecer verbal, toma emprestado o que pode do vocabulário das ciências exatas... Graças www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

É isso, entre outras questões, que pretendemos pôr em discussão neste ciclo de conferências.

Eugênio Bucci O rumor da mídia

O rumor da mídia é o rumor da língua elevado à condição de imagem. Não está sob controle de ninguém – nem de uma classe social, por favor, nem de burocratas, de CEOs, ou, se quiserem, de tecnologias. Apenas ronca feito o inconsciente, de tal modo que sem o seu barulho não nos localizamos nem nos debatemos. Tende a soterrar o pensar, mas também dele o pensar se abastece. Não haverá como desativá-lo, mas há como transitar por ele. Eugênio Bucci, graduado em direito e jornalismo, é doutor em ciências da comunicação. Foi diretor de redação das revistas Set, Superinteressante e Quatro rodas. Presidiu a Radiobrás. Data: 7 de abril Horário: 19h30 Local: Sala de Atos R$ 5,00 (comerciários e dependentes) R$ 10,00 (não comerciários) Ingressos poderão ser adquiridos a partir das 12h do dia 08 de março no Sesc Paço da Liberdade. Vagas limitadas.


Pedro Duarte

reflexões filosóficas sobre o mundo contemporâneo (Nova Alexandria).

O silêncio que resta

É uma ampla reflexão sobre o silêncio, que não é propriamente o oposto da prosa, mas seu avesso e sua condição. Paradoxalmente, escuta-se algo no completo silêncio, embora sem algum silêncio tampouco possamos escutar o que quer que seja. Sem ele, entre as palavras, não as identificaríamos como tais. Shakespeare foi sábio ao escrever: “o resto é silêncio”. O resto não é uma simples sobra, mas o precipício do nada que ronda o ser. Pedro Duarte, mestre e doutor em filosofia pela PUC-Rio, é professor adjunto de filosofia da UniRio e autor de Romantismo e estética moderna. Data: 8 de abril Horário: 19h30 Local: Sala de Atos R$ 5,00 (comerciários e dependentes) R$ 10,00 (não comerciários) Ingressos poderão ser adquiridos a partir das 12h do dia 08 de março no Sesc Paço da Liberdade. Vagas limitadas.

Olgária Matos

A escola do silêncio: acídia e contemplação Trata-se de analisar o silêncio no âmbito da dialética benjaminiana, da lógica dos duplos temporais. Da arrogância moderna capitalista, fundada na onipotência da Vontade, na aceleração do tempo ao ideal da justa vida e do bem viver, são monges e mosteiros que constituem uma cultura de resistência no exercício da contemplação. Entre o comum e o silêncio, testemunha-se, hoje, uma pausa, na contramão da hiperativa da que, do excesso, conduz à saturação temporal. Olgária Matos é doutora pela École des Hautes Études e professora da USP. Escreveu: Discretas esperanças:

Data: 9 de abril Horário: 19h30 Local: Sala de Atos R$ 5,00 (comerciários e dependentes) R$ 10,00 (não comerciários) Ingressos poderão ser adquiridos a partir das 12h do dia 08 de março no Sesc Paço da Liberdade. Vagas limitadas.

Marcelo Jasmin

Silêncios da história – experiência, acontecimento, narração Da história se diz que narra o que aconteceu. Mas, também, que é o que acontece? Hegel trata dessa ambivalência em sua Filosofia da História: “Em nossa língua, história une o lado objetivo e o subjetivo”. Em várias outras línguas europeias modernas também. A descoberta desta confluência trouxe consigo consequências relevantes. Por exemplo, o que não foi narrado parece não pertencer à história. Ou, se aconteceu, não importou à posteridade. Marcelo Gantus Jasmin é historiador, mestre e doutor em ciência política pelo Iuperj. Escreveu Alexis de Tocqueville: a historiografia como ciência da política. Data: 10 de abril Horário: 19h30 Local: Sala de Atos R$ 5,00 (comerciários e dependentes) R$ 10,00 (não comerciários) Ingressos poderão ser adquiridos a partir das 12h do dia 08 de março no Sesc Paço da Liberdade. Vagas limitadas.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

9


26.04 19H

Concertos na Sala de Atos

Marcelo Jeneci

Nestroviski, Laura Lavieri, Isabel Lenza, Raphael Costa e Arnaldo Antunes.

De Graça

Sobre esse disco ele diz: “É um disco que fala sobre a troca, a vida, o fato de ter vivido uma história de amor e o fato de não vivê-la mais, o que também pode ser muito lindo. É bacana dividir com os outros o que vivi”.

O cantor e multi-instrumentista Marcelo Jeneci faz parte dos músicos que saíram da periferia de São Paulo para conquistar o país. Em 2010 lançou seu primeiro álbum “Feito pra Acabar”, disco muito elogiado pela crítica especializada, sendo eleito um dos melhores lançamentos do ano. Seu disco de estreia alia estilo pop rock a letras de um lirismo poético, com canções como “Felicidade”, que virou trilha sonora de novela. Seu segundo disco “De Graça” foi lançado no fim de 2013. Com 13 músicas inéditas, a produção inclui canções feitas em parceria com Luiz Tatit, Arthur

10

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Data: 26 de abril Horário: 19h Local: Sala de Atos Investimento: R$ 20,00 (Comerciários e dependentes) e R$ 40,00 (Não Comerciários) A venda de ingressos começará ao meio-dia do dia 8 de abril.


08.05 20H

Ana Cañas

apanhado de todos os trabalhos anteriores da cantora, com grande destaque para as canções de “Volta”.

Coração Inevitável

Seu novo trabalho caminha pela fase autoral, como a música em homenagem ao seu falecido pai “Te Ver Feliz”, e a faixa que abre o show “Urubu Rei”. O disco também conta com músicas em que a cantora apresenta interpretações de grandes canções: “La Vie En Rose”, conhecida na voz de Edith Piaf, “Rock and Roll” da banda Led Zeppelin, “Codinome BeijaFlor” e “Blues da Piedade” de Cazuza e “Retrato Em Branco e Preto” de Chico Buarque.

A cantora e compositora Ana Cañas, ficou conhecida no circuito paulistano de bares de jazz como boa intérprete de clássicos da música americana e da bossa nova. Após 10 anos de carreira e três discos de estúdio lançados: “Amor e Caos” (2007), “Hein?” (2009) e “Volta” (2012), a cantora comemora com a gravação de seu primeiro disco ao vivo “Coração inevitável”. O novo álbum foi gravado em maio de 2013 em São Paulo e conta com a direção e iluminação de Ney Matogrosso. O DVD faz um

Data: 8 de maio Horário: 20h Local: Sala de Atos Investimento: R$ 20,00 (Comerciários e dependentes) e R$ 40,00 (Não Comerciários) A venda de ingressos começará ao meio-dia do dia 6 de maio.

informações pelo pelo email email pacodaliberdade@sescpr.com.br pacodaliberdade@sescpr.com.br ou ou pelo pelo telefone telefone (41) (41) 3234-4200 3234-4200 informações

11


29.05 20H

Walmor Boza divulgação

Concertos na Sala de Atos

12 12

Walmor Boza Os Quintetos para Guitarra de Luigi Boccherini O concerto é totalmente dedicado à obra de Luigi Boccherini (1743-1805), contendo três Quintetos para Guitarra, dentre os quais é interpretado um dos mais famosos, o Quinteto n° 4 em Ré maior G448 “Fandango”. O Quinteto é formado por Guilherme Romanelli, Juarez Bergmann, Rafael Ferronato, Samuel Pessatti e Walmor Boza. As obras são interpretadas em uma réplica fidedigna de guitarra

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/ www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

do tempo de Boccherini, sobre o modelo da guitarra do luthier italiano Carlo Guadagnimi (1802), que apresenta características especiais não apenas em seu formato em comparação com o violão moderno, mas também em sonoridade. Data: 29 de maio Horário: 20h Local: Sala de Atos Investimento: R$ 5,00 (comerciários e dependentes) e R$ 10,00 (não comerciários)


30.05 20H

Canto Gregoriano Cantus Libere O coro de canto gregoriano “Cantus Libere” é o único grupo vocal brasileiro a realizar um trabalho de resgate da música cristã praticada nos primeiros séculos. Para isto, baseia sua interpretação no estudo de fontes documentais da época (tratados e fontes paleográficas medievais) e em pesquisas atualizadas que elucidem questões como: o movimento interno da música - dinâmica e agógica (música que é executada com ligeiras modificações do andamento para dar mais expressão à frase musical. Do grego agogé: condução; transporte), critérios de afinação, ornamentação, fraseado e padrão vocal.

como a “Idade de Ouro” do canto gregoriano (sécs. VII ao X), incluindo alguns hinos (originalmente pertencentes à prática musical religiosa oriental) e alguns cantos da baixa Idade Média e começo da Renascença que demonstrem um viés das várias transformações sofridas pelo gregoriano ao longo da história, quando a estética musical ocidental se afastava cada vez mais dos padrões orientais. Data: 30 de maio Horário: 20h Local: Sala de Atos Investimento: R$ 5,00 (comerciário e dependente) e R$ 10,00 (não comerciário)

Cantus Libere divulgação

A proposta para o concerto é apresentar um programa com peças representativas do período conhecido

informações informações pelo pelo email email pacodaliberdade@sescpr.com.br pacodaliberdade@sescpr.com.br ou ou pelo pelo telefone telefone (41) (41) 3234-4200 3234-4200

13 13


por Natasha Durki

Música no Entorno do Paço

04.04 18H

26.04 16H

Banda “Uh La La!”

14

A banda “Uh La La!” traz uma junção de bons músicos da cena rock curitibana com o espírito divertido e jovial de um rock n’ roll aparentemente inofensivo. Mas só aparentemente. A “Uh La La!” traz aos palcos uma energia que poucas bandas de rock da atualidade conseguem transmitir. Com uma performance sem igual, os integrantes conseguem levar consigo novos fãs a cada cidade que passam.

Do Sul ao Norte do Brasil, a banda “Uh La La!” já provou que tem energia suficiente pra conquistar ainda mais e mais a cada nova apresentação.

Banda “E/OU”

Interessado em refletir sobre a relação entre as pessoas e a vida urbana, o grupo dá especial atenção às letras e trabalha com a mistura de ritmos e gêneros. “E/OU” conduz o espectador por um universo poético a um só tempo lúdico e crítico, delicado e irreverente, é música brasileira aberta às múltiplas influências.

Formada no início de 2012, a banda “E/OU” é o resultado do encontro de três músicos multiinstrumentistas - Luque Diaz, Luciano Faccini e Yasmine Matusita - que transitam entre a cena musical curitibana e o ambiente universitário. As canções, músicas instrumentais e poesias que compõe o repertório do grupo, são todas autorais, muitas delas em parceria com artistas de outras áreas e representam um movimento sinérgico de jovens residentes em Curitiba. Junto à ideia de múltiplas parcerias, é frequente nas apresentações da banda a participação de amigos e colaboradores, músicos e poetas.

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Data: 26 de abril Horário: 16h Local: Entorno do Sesc Paço da Liberdade Investimento: Gratuito

O espetáculo “Seja Lá o Que Flor!” reúne canções, músicas instrumentais e poemas que apresentam o trabalho autoral de uma jovem geração de artistas residentes em Curitiba. Data: 4 de abril Horário: 18h Local: Entorno do Sesc Paço da Liberdade Investimento: Gratuito


Ravi Brasileiro por Luz Sem Sombra

Ravi tem trilhado seu caminho artístico tendo suas composições, a voz, instrumentos, a dança e a produção cultural como principais focos de trabalho. O som repleto de misturas de ritmos e sonoridades é uma de suas marcas e a brasilidade está sempre bem presente de uma forma singular. Seu som é contemporâneo, pop e alternativo ao mesmo tempo, toca a guitarra com pegada brazuca de violão. Uma das transformações buscadas por Ravi é aumentar o interesse das pessoas pela música e cultura, para que queiram mais que um entretenimento raso e imediatista. Faz arte festeira que traz o bem-estar e tem reflexão, ainda que

simples. As suas composições mostram que a energia positiva e o pensamento otimista fazem tudo fluir de modo mais prazeroso e alegre. O músico Ravi Brasileiro lança seu mais recente trabalho intitulado “Cortinas Abertas”, disco este que foi gravado no estúdio do Sesc Paço da Liberdade. Data: 27de junho Horário: 18h Local: Entorno do Sesc Paço da Liberdade Investimento: Gratuito

Banda E/OU

27.06 18H

Ravi brasileiro

Informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

15


Música no café

15.04 18H

10.04 18H

Real Grandeza

O grupo musical “Real Grandeza” valoriza a música elegante, bem tocada e virtuosa, apresentando um show eclético com composições de diversos autores renomados e vários estilos da música popular mundial. Choros, sambas, baiões, tangos, gypsy, gypsy jazz, clássicas, entre outros gêneros são interpretados pela sonoridade universal do violino, do piano e das percussões. Um grupo dinâmico e interessante. O grupo é formado por Jan Kossobudzki no violino,Rudson Malheiros no piano e Daniel Farah na percussão. Investimento: gratuito

Água de Vintém O “Água de Vintém” é hoje um dos principais destaques em meio à nova geração de músicos dedicados ao choro. Os músicos Vitor Casagrande (bandolim), Saulo Ligo (cavaco), Paula Borghi (violão), Guilherme Soares (violão de 7 cordas) e Xeina Barros (pandeiro) unem o trabalho de pesquisa e interpretação de compositores consagrados a uma sólida produção autoral. O disco de estreia do por Silvana Marques

16

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

conjunto, “Café da Dona Chica”, foi lançado em 2013 pela Acari Records (RJ), a principal gravadora de choro no Brasil. O conjunto leva ao público um panorama completo do universo do choro, com composições inéditas, obras pouco divulgadas dos maiores nomes do gênero e os clássicos imortais que nunca saem de moda. Com muito balanço e refinamento, as melodias passeiam entre solos de bandolim, violinha tenor e violão, além das serestas e sambas cantados pelos integrantes.


música no café

24.04 18H

Carla Zago O trabalho com dueto instrumental, composto por Rodrigo Melo (violão) e Carla Zago (violino), pincela o vasto repertório já apresentado pelo grupo ao longo de sua jornada, intercalando jigs e reels (danças animadas) com slow airs (melodias mais lentas de rara beleza) e outros tantos ritmos que agregam a cultura céltica, oriunda de diversos países como Irlanda, Escócia e Galícia. A música celta, como conta a própria cultura, é feita para sorrir, chorar, dançar e relaxar. E todas essas sensações estão presentes no show.

12.06 18H

trio rosa armorial

Carla Zago divulgação

Rosa Armorial é um grupo paranaense que toca músicas do Movimento Armorial e composições inspiradas na estética armorial, que valoriza as manifestações culturais populares brasileiras. Músicos Carla Zago (violino), Marcela Zanette (flautas) e Eduargo Gomide (viola caipira). O repertório é baseado no CD já lançado (gravado no Paço) e no DVD, ainda em pós-produção. Música brasileira instrumental, cunho folclórico.

05.06 18H

Paul Wegmann e Santiago Beis

Paul Wegmann e Santiago Beis divulgação

Apresentação do duo de música instrumental formado por Paul Wegmann (guitarra) e Santiago Beis (piano).Com um repertório de jazz e música brasileira tocado de uma forma descontraída e expressiva, os músicos têm constantes diálogos entre os instrumentos. Paul Wegmann, é guitarrista e compositor chileno, com estudos na Escuela Moderna de Música (Santiago do Chile) e em Jazz e Música Popular Brasileira no Conservatório de Tatuí (SP); é aluno no curso de Composição e Regência na Embap. Santiago Beis, natural do Uruguay, pianista, multiinstrumentista tem se apresentado com diversas formações de música instrumental e atuado como docente em escolas de música.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

17


shows

CLUBE DE JAZZ Ao longo dos últimos trinta anos, Curitiba transformou-se em polo musical de renome internacional. Para isso contribuíram as Oficinas de Música, o funcionamento do Conservatório de MPB, a formação de diversos grupos de música instrumental e coral, entre outros importantes fatores. Aos músicos locais, instrumentistas e cantores, reuniram-se artistas oriundos de outros estados e mesmo de outros países, todos de altíssima qualidade. O Sesc Paço da Liberdade, sempre atento aos rumos da cultura de nossa cidade, resolveu oferecer um ambiente permanente para o encontro e a troca de experiência, informação e conhecimento entre

SESC PAÇO DA LIBERDADE

os envolvidos com a música de qualidade feita em Curitiba. O Clube de Jazz do Sesc Paço da Liberdade é um espaço aberto a todos os músicos e diletantes da música que desejem ouvir, tocar, discutir e,acima de tudo, viver a experiência da boa música. Você está convidado! Data: 22 de maio, 5, 12 e 26 de junho Horário: 20h Local: Sala de Atos Investimento: R$ 3,00 (comerciário e dependente) e R$ 6,00 (não comerciário)

estúdio de gravação

18

O Estúdio de Gravação do Sesc Paço da Liberdade se mostra uma alternativa para que músicos paranaenses possam promover os seus trabalhos, assegurando seu talento para que a vida não se restrinja a um tom monótono de uma partitura isolada.

Artistas, músicos e compositores com trabalhos autorais e que tenham uma proposta bem elaborada para utilizar os recursos do estúdio, seja para realizarem gravação, mixagem ou masterização, são bem-vindos para que seus trabalhos possam ser concretizados com qualidade e profissionalismo.

A música que transpassa lugares, portas e janelas é a mesma que encontra na sensibilidade de quem a ouve o imaginário que nos conduz para outra dimensão. Mas para chegar nesse ponto há muito que ser feito, afinado, ajustado, encaixado, regravado, equalizado, editado...

Músicos e bandas com trabalhos agendados no Estúdio do Paço: Marcelo Cigano, Endrigo Bettega, Banda “{Sí} monami”, “Os Quintetos para Guitarra de Luígí Boccheríní” (Walmor Boza), Banda “Cinco Anos Sem Nome”, Marcelo Brum-Lemos.

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/


O Que é Que o Baiano Tem?

shows

Divulgação

Em 30 de abril de 1914 nasce o baiano “cantador” Dorival Caymmi. Foi escrivão, artista plástico, revisor, ator, programador de rádio e nasceu para cantar o que via. Inspirou nomes como Tom Zé, Caetano Veloso e João Gilberto. Sabemos que o seu samba deixa a gente mole e, quem não gosta, bom sujeito não é. Afinal, além de Dorival construir com suas composições um dos pilares da canção brasileira, traz consigo um canto profundo que confidencia histórias e características de sua região e do Brasil, como o canoeiro que puxa a rede no mar, a saudade da Bahia, o bom tempo que talvez faça amanhã, o insensato coração e Gabriela e seus camaradas. Caymmi cresceu em uma família pouco abastada, mas recebeu apoio de seus familiares para permanecer no meio musical. Neste ritmo, seus filhos também seguiram seu caminho na música: Nana, Danilo e Dori Caymmi acompanham hoje os passos do pai. Devoto de Iemanjá, retrata em muitas de suas letras a beleza do mar, pois quando quebra na praia “é bonito, é bonito...”. Fez parcerias com figuras notáveis, como Jorge Amado, Ary Barroso, Chico Buarque e Tom Jobim. Suas belíssimas canções marcaram vozes como as de Carmem Miranda, Gal Costa, Elza Soares e seguem entoadas por tantas outras. Dorival nasceu em Salvador e morreu no Rio de Janeiro aos 94 anos, vítima de um câncer renal. Em 30 de abril completaria 100 anos de idade. É dia de festa no mar porque o baiano tem graça como ninguém!

Local: Sala de Atos Investimento: R$ 5,00 (comerciários e dependentes) e R$ 10,00 (não comerciários)

06.06 19H

Eles Cantam Caymmi

O Mar – Dorival Caymmi (1954) O mar quando quebra na praia É bonito, é bonito O mar... pescador quando sai Nunca sabe se volta, nem sabe se fica Quanta gente perdeu seus maridos seus filhos Nas ondas do mar O mar quando quebra na praia É bonito, é bonito Pedro vivia da pesca Saia no barco Seis horas da tarde Só vinha na hora do sol raiá Todos gostavam de Pedro E mais do que todas Rosinha de Chica A mais bonitinha E mais bem feitinha De todas as mocinha lá do arraiá Pedro saiu no seu barco Seis horas da tarde Passou toda a noite Não veio na hora do sol raiá Deram com o corpo de Pedro Jogado na praia Roído de peixe Sem barco sem nada Num canto bem longe lá do arraiá Pobre Rosinha de Chica Que era bonita Agora parece Que endoideceu Vive na beira da praia Olhando pras ondas Andando rondando Dizendo baixinho Morreu, morreu, morreu, oh... O mar quando quebra na praia

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

19


Buarque

Viva Chico

Local: Sala de Atos 8 de junho de 2014 De namoradinho do Brasil a “revolucionário autoexilado”, seja qual for o olhar sobre Francisco Buarque de Hollanda, como diria Millôr Fernandes, Chico é “a única unanimidade nacional”. Nascido em família de intelectuais abastados, ainda na infância interessou-se por música, produzindo um álbum de recortes de revista com fotos dos cantores do rádio. Seria um prenúncio daquele que seria considerado um dos mais significativos letristas brasileiros. As letras, carrega no DNA – Chico é filho do historiador Sérgio Buarque de Hollanda e aos 11 anos o garoto já era trilíngue, dominando o português, o inglês e o italiano. Nesta época, compôs suas primeiras operetas. Num crescente surgiram suas primeiras músicas, com influências claras da Bossa-Nova de João Gilberto, depois textos teatrais musicais e romances. Neste 19 de junho, o artista completa 70 anos, tendo em sua história a autoria de algumas das mais belas canções brasileiras e parcerias com artistas igualmente notáveis como Vinicius de Moraes, Edu Lobo, Caetano Veloso, Francis Hime e Guinga. Como escritor, Chico ainda levou prêmios importantes nacionais e internacionais, entre eles o Jabuti e o Portugal Telecon, pelo romance “Budapeste”.

20

Mulheres Cantam Chico

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Em comemoração aos aniversário de 70 anos do compositor Chico Buarque de Holanda, o Sesc Paço da Liberdade apresenta o show “Mulheres Cantam Chico”. Data: 18 de junho Horario: 20h Investimento: R$ 5,00 (comerciários e dependentes) e R$ 10,00 (não comerciários) Ricardo Verocai (piano) Sandro Guaraná (baixo) Thales Lemos (percussão) Ane Adade (voz) Suzie Franco (voz) Kátia Drumond (voz)

18.06 20H

foto do álbum Carioca de 2006 de Chico Buarque

Chico


Imagem de divulgação do grupo Alabê Ôni

sonora Brasil

Tambores e Batuques

Em sua 16ª edição, o projeto apresenta os temas – Tambores e Batuques

O grupo gaúcho é formado por quatro músicos pesquisadores que se dedicam à recuperação da história do tambor de sopapo — o Grande Tambor, e traz ao palco do Sonora Brasil repertório de maçambiques, quicumbis, alujás e candombes, manifestações da cultura negra gaúcha ligadas à tradição religiosa e profana.

Tambores e Batuques apresenta manifestações da tradição oral presentes em comunidades quilombolas que têm o tambor como um elemento fundamental e, em alguns casos, sagrado. Os grupos circularão utilizando instrumentos fabricados artesanalmente, de acordo com as tradições de suas comunidades, apresentando repertório de cânticos que aludem a fatos da vida social, ao trabalho e às crenças religiosas. O grupo Raízes do Bolão, do quilombo do Curiaú (AP), apresenta o marabaixo e o batuque; o samba de cacete, da região de Cametá (PA) é apresentado pelo grupo Samba de Cacete da Vacaria; o grupo Raízes do Samba de Tocos, da cidade de Antônio Cardoso (BA) apresenta o samba de roda do agreste baiano; e do Rio Grande do Sul vem o único dos quatro grupos que não é formado numa comunidade rural, o Alabê Ôni, que é formado por músicos, pesquisadores da cultura negra, que recuperam a história do tambor de sopapo, originário da região das charqueadas de Pelotas e desaparecido do contexto da tradição oral. O grupo apresenta repertório de maçambiques, quicumbis, alujás e candombes. O projeto Sonora Brasil busca despertar no público um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão de música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.

ALABÊ ÔNI

Como não houve continuidade histórica nas manifestações musicais em que o tambor de sopapo estava inserido no período colonial, especialmente nas charqueadas de Pelotas, os músicos participantes não fazem parte de nenhum grupo de tradição oral, mas sim representam um movimento que congrega músicos e pesquisadores, e que vem se expandindo no Rio Grande do Sul desde a década de 1990, buscando a valorização e revitalização das manifestações musicais oriundas da matriz africana que circulou pelo estado no período da escravidão. O grupo, formado especialmente para o projeto Sonora Brasil, é integrado pelos músicos Richard Serraria, Mimmo Ferreira, Pingo Borel e Kako Xavier.

06.05 17H30

O Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais – é um projeto temático que tem como objetivo desenvolver programações identificadas com o desenvolvimento histórico da música no Brasil.

Dia: 6 de maio Horário:17h30 Investimento: Gratuito Local: Entorno do Sesc Paço da Liberdade

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

21


exposição no Hall de entrada

Fotografia de Oswaldo Santos Lima - divulgação

Ao redor da liberdade

“Uma cidade se constrói pelo olhar de seus habitantes. Cada pedra é cimentada pelo afeto, cada parede é erguida pelo amontoado de emoções, cada calçada feita para suportar o peso de tantos destinos. A cidade é uma invenção da emoção humana e seu centro representa seu coração apaixonado.” “Ao Redor da Liberdade” é uma exposição que desfaz a rudeza da pedra e que busca, na pátina das paredes e na fisionomia do povo, recontar a história. O prédio do Sesc Paço da Liberdade é testemunha de uma cidade viva que se recria, que se pensa, que se transforma a cada dia. Ao seu redor, um conjunto arquitetônico que, ao mesmo tempo que simboliza o crescimento da metrópole, é berço da identidade curitibana”. A exposição “Ao Redor da Liberdade”, com abertura prevista para o início de abril, traz aos visitantes do Sesc Paço da Liberdade uma visão especial sobre o entorno do edifício. Por meio de pesquisa de antigas fotografias da região, o fotógrafo Osvaldo Santos Lima mostra como os edifícios que estão em volta do

22

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Paço estão nos dias atuais. Uma pesquisa que mostra não apenas o desenvolvimento arquitetônico da região, mas também as pessoas que circulam hoje nos arredores. Osvaldo Santos Lima é fotógrafo profissional desde 1986 e professor de fotografia desde 1992. Como fotógrafo se dedica à pesquisa e trabalhos na linha da fotografia documental, sua especialidade. Considerado referência no ensino da fotografia pela criação de um dos maiores cursos do país, que já atendeu mais de 7000 alunos em quase duas décadas de atividade.Atualmente se dedica à direção do Curso do Omicron Centro de Fotografia, onde também é professor. Data: abertura dia 11 de abril Horário: 19h Horário de visitação: de terça a sexta das 10h às 21h, sábados das 10h às 18h, domingos e feriados das 11h às 17h. Local: Hall de Entrada Investimento: gratuito


Imagem de Theodoro De Bona em morretes - fonte de pesquisa: website MUVI museu virtual

THEODORO DE BONA - Birigui, 1970 Óleo sobre tela 76 x 91 cm. Foto:MON

tais como João Guelfi – um dos autores do painel de teto da Sala de Atos do Sesc Paço da Liberdade frequentou a Escola Andersen de 1922 até 1926. Em comemoração ao centenário do mestre, Theodoro de Bona o homenageia: “Andersen em contatos com os alunos, não era somente um professor, era também o amigo e o conselheiro...”. Depois de 4 anos frequentando o atelier do mestre, De Bona apresenta um trabalho que interessa aos colegas Lange de Morretes – outro autor do painel da Sala de Atos do Sesc Paço da Liberdade – e João Turim, que o ajudam a pedir uma bolsa de artista ao governador. De Bona escolhe ir para a Itália, terra de seus antepassados e de grande desenvolvimento artístico. A sua estadia foi profícua, passa 10 anos morando em Veneza e consegue sobreviver pintando, apesar da Segunda Guerra Mundial.

THEODORO DE BONA Theodoro De Bona é considerado um dos maiores pintores paranaenses. Nascido em 1904, em Morretes, era descendente de italianos que construíram as pontes da ferrovia CuritibaParanaguá. O artista sempre se orgulhou de sua origem paranaense, muito apaixonado pela natureza que o cercava, em especial a montanha do Marumbi, a qual retratou em diversos quadros. Desde cedo, já no colégio Bom Jesus em Curitiba, foi percebida sua especial aptidão para o desenho e para a representação. Logo seus tutores o encaminharam para suas primeiras aulas de pintura formal com a Dona Gina Biachi que lhe indicou a pintora italiana Ercília Cecchi, a quem admirava muito. Ao desenvolver seu trabalho, se deparou com Alfredo Andersen, maior artista estrangeiro da época e um dos maiores que o Paraná já teve e junto de outros artistas mais velhos e experientes,

De 1928 a 1935, participou de salões dos artistas venezianos e também da bienal Internacional de Arte Moderna. Retornou ao Brasil com mais de 130 trabalhos que produziu por lá e faz uma mostra individual em São Paulo. Parte para o Rio de Janeiro, se casa e vive lá por 20 anos. Continua produzindo e mostra seus trabalhos em Porto Alegre, São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e em Vitória, atuando próximo aos pintores cariocas quando, em 1959, foi procurado para retornar para Curitiba e tomar posse da cadeira de Pintura da Escola de Belas Artes do Paraná. Torna-se diretor da escola em 1970. Entre 76 e 77, pinta as 14 telas da Via Sacra, que doa para a Matriz de Nossa Senhora de Porto, de Morretes. Theodoro De Bona seguiu os passos de seu mestre Alfredo Andersen e tornou-se um grande professor, tendo ensinado toda uma geração e marcado a história da arte paranaense. 2014 foi instituído o ano Theodoro de Bona pelo Governo do Estado do Paraná.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

23


oficinas

OFICINAS de arte No ano de 2014, o Sesc Paço da Liberdade integrou as oficinas artísticas promovidas nos espaços do Ateliê de Artes Visuais e no Laboratório de Artes Eletrônicas. Estas pretendem agregar interessados no desenvolvimento teórico e prático da arte, apropriando-se de técnicas das artes plásticas, artes cênicas, tecnologias eletrônicas e digitais em sua concepção. Integrados a estas, destacam-se os projetos “Game do Paço” – que visa abordar as principais etapas artísticas de desenvolvimento de um jogo em comum – e a “aMoSTRA 14”, que retoma o objetivo de pensar a produção das atividades e expor resultados artísticos dos alunos. Ambos ocorrerão a partir do segundo semestre. As oficinas ofertadas não são apenas de ordem técnica, elas têm por objetivo fomentar, junto aos participantes, discussão crítica a respeito dos resultados obtidos a cada dinâmica. Deste modo, ,busca-se a pluralidade de instrumentos para desenvolver a expressão, tanto no aspecto sensível como no campo intelectual, contribuindo para a constituição da subjetividade artística.

Oficina Viewpoints Viewpoints e Composição Cênica O objetivo dessa oficina é criar um encontro semanal de treinamento físico e criativo para atores e bailarinos. O treinamento será realizado a partir da introdução e prática da filosofia dos viewpoints (ou pontos de vista), seguido de um trabalho de composição de cena. Viewpoints é uma técnica de improvisação que surgiu a partir da dança pós-moderna. Os Viewpoints (pontos de vista) foram originalmente desenvolvidos pela coreógrafa Mary Overlie e expandidos e adaptados para atores pela diretora americana Anne Bogart e os integrantes da Siti Company.O treinamento de viewpoints possibilita um vocabulário comum para pensar e agir sobre movimentos e gestos. Desenvolve a articulação e precisão dos movimentos e possibilita construir a

24

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

relação de um coletivo de maneira espontânea e intuitiva, gerando material criativo e movimento para o palco. Os pontos de vista são divisões e categorias criadas dentro de dois aspectos principais na composição cênica: tempo e espaço. São nove os pontos de vista físicos, subdividos em duas categorias: Tempo (Ritmo, Duração, Resposta Sinestésica e Repetição) e Espaço (Forma, Gesto, Arquitetura, Relação Espacial e Topografia). E para trabalhar  o desenho e a composição vocal foram organizados os pontos de vista vocais: tom, dinâmica, velocidade, timbre e forma. http://barco.art.br/viewpoints-e-composicao-cenica Ministrante Janaina Matter: atriz, diretora artística e fundadora da “Súbita Companhia de Teatro”. Integrou como arte-educadora a equipe do Projeto Cultural Pé no Palco de 2005 a 2012. Tem formação voltada ao estudo do Teatro Físico, em especial às técnicas Suzuki e Viewpoints, sob orientação de Anne Bogart e os integrantes da SITI Company (NY), além de workshops com integrantes do Theatre du Soleil (França), Donnie Mather, Marcos Martinez, entre outros. Atualmente ministra oficinas e cursos de aprimoramento para pré-profissionais e profissionais do teatro e desenvolve pesquisa de orientação e direção de atores. prática de Viewpoints fotografia de Eli Firmeza


Data: 8 a 29 de abril (terças e quintas) Horário: das 18h às 21h Carga horária total: 20 horas Vagas: 15 Local: Sala de apoio 3º andar Professora: Janaina Matter Inscrições: 20 de março Investimento: R$ 30,00 (comerciário e dependente) e R$ 60,00 (não comerciário)

OFicinas do Laboratório de Artes Eletrônicas

A oficina se destina aos interessados em desenvolver um trabalho autoral de fotografia de viagem que extrapole a fotografia turística como simples ferramenta de registro visual. As aulas se dividem em três atividades: aulas expositivas de técnicas fotográficas e percepção visual aplicadas ao gênero, com métodos de planejamento de viagem e concepção de projeto autoral; análise de fotografias dos alunos, do professor e de terceiros pautada por

Ministrante Leandro Mise: Professor e consultor de fotografia, formado pela Köln International School of Design e Universidade Federal do Paraná. Atualmente possui seu portfólio em leandromise. com.br, onde registra algumas de suas fotografias de viagem. Fotografia de Leandro Mise

Oficina Fotografia de Viagem

critérios; e orientação de projetos e planejamentos. A produção fotográfica em si se dará na maior parte fora do horário de aula. Pré-requisitos: Conhecimento técnico básico de fotografia (ser capaz de determinar exposição, balanço de branco, profundidade de campo, etc). Não há restrições quanto à câmera, podendo ser reflex, compacta ou mesmo integrada em celular, mas é recomendado que seja reflex ou compacta com controles manuais.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

25


Oficina de Ilustração Digital

Ilustração Marcelo Lopes

26

Foto de Simonia Fukue

oficinas Data: de 4 de abril a 13 de junho (sextas-feiras) Horário: das 19h às 21h Carga horária total: 20 horas Vagas: 12 Local: Laboratório de Artes Eletrônicas Professor: Leandro Takayuki Mise Inscrições: 5 de março de 2014 Investimento: R$ 30,00 (comerciários e dependentes) e R$ 60,00 (não comerciários)

Professor: Marcelo Lopes Inscrições: 5 de março de 2014 Investimento: R$ 30,00 (comerciários e dependentes) e R$ 60,00 (não comerciários)

A Ilustração faz parte de nosso cotidiano. Por isso a importância em se aprender técnicas para desenvolver ilustrações expressivas. Esse é o conceito do curso de ilustração digital, que usa o Photoshop como ferramenta para a arte de ilustrar. O curso propõe o aprendizado de ferramentas e técnicas que o software disponibiliza para a criação e produção de arte em meio digital. As principais técnicas exploradas no curso: estudo de luz e sombra, camadas, efeitos, pintura sem contorno, estudo de cores, pintura digital, uso da tablet, volume e recursos de pincel, entre outras. Alia conceitos artísticos acadêmicos com uma estética digital expressiva, possibilitando ao aluno a criação de portfólio digital para adentrar o atual mercado da ilustração profissional.

Oficina de Estêncil: Um Diálogo com a Intervenção Urbana

Ministrante Marcelo Lopes: ilustrador curitibano com mais de 15 anos de experiência. Além de artista é professor de cursos artesanais e digitais de ilustração. Possui em seu portfólio trabalhos para o campo editorial, gráfico e publicitário, além de colaborar na elaboração de cenários de espetáculos teatrais, criação de jogos e histórias em quadrinhos. Pré-requisito: possuir conhecimentos básicos de informática e Photoshop. Data: de 5 de abril a 17 de maio (sábados) Horário: das 10h às 13h Carga horária total: 20 horas Vagas: 12 Local: Laboratório de Artes Eletrônicas

A oficina de estêncil visa oferecer ao aluno uma alternativa de comunicação através da arte, desenvolvendo a criatividade na confecção do estêncil, aplicando-os em diferentes superfícies como muros, objetos e criando também cartazes de lambe-lambe, dentro do pensamento das intervenções urbanas. O estêncil obtido é usado para imprimir imagens sobre inúmeras superfícies. Nesta oficina o aluno, além da confecção do estêncil, fará a utilização prática na repaginação de objetos. Esta oficina é voltada aos profissionais e estudantes de arte, design e pessoas que desejam conhecer melhor as técnicas e conceitos da Arte Urbana. Ministrante Sandra Hiromoto: é graduada em Desenho Industrial - PUC/PR; participou do Intercâmbio Cultural Brasil-Japão, Okayama University of Science-Japão; pós-graduada em

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/ www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

O estêncil é uma técnica usada para aplicar desenhos, ilustrações ou símbolos tipográficos, aliados a qualquer outra imagem figurativa ou abstrata, através da aplicação de tinta convencional ou spray. Também é possível utilizar o corte, perfuração em papel ou acetato para produzir as imagens.


Informações importantes: - Número mínimo de inscritos: 6 pessoas (caso o número mínimo não seja alcançado, o Sesc se reserva o direito de cancelar a oficina). - Em todas as Oficinas realizadas no Laboratório de Artes Eletrônicas, são dois alunos por computador. - Certificado mediante frequência mínima de 75% da carga horária total da Oficina.

Data: 7 de maio a 5 de junho (quartas e quintas) Horário: das 19h às 21h Aulas extras: 24/05 e 07/06 das 14h às 17h (sábados) Carga horária total: 26 horas Vagas: 20 Local: Ateliê pedagógico Professor: Gilberto Marques Inscrições: 20 de abril de 2014 Investimento: R$ 30,00 (comerciário e dependente) e R$ 60,00 (não comerciário) ilustração por Gilberto Marques

Marketing, Funesp-PR, e pós-graduada em Poéticas Contemporâneas no Ensino da Arte, Universidade Tuiuti do Paraná. Pré-requisito: Possuir conhecimentos básicos de informática, Ilustrator e Photoshop. Idade mínima: 16 anos. Datas: 6 a 10 de maio Horários: de terça a sexta das 14h às 17h30 Sábado das 10h às 12h e das 14h às 18h Carga horária total: 20 horas Vagas: 12 Local: Laboratório de Artes Eletrônicas e Ateliê Pedagógico Professora: Sandra Hiromoto Inscrições: 8 de abril de 2014 Investimento: R$ 30,00 (comerciários e dependentes) e R$ 60,00 (não comerciários)

aquarela artística e aplicação linear de nanquim, o conteúdo é formado por fundamentos expressivos de manchas e traços, aplicados por pincéis e instrumentos alternativos. A utilização adequada das qualidades dos suportes para cada finalidade, misturas de cores e teoria aprofundada da cor, finalização de obra de arte e conservação também fazem parte dos processos da oficina. Ministrante Gilberto Marques: graduado em licenciatura em desenho pela Embap na cidade de Curitiba. Atualmente é cofundador do Atelier Casa Artes Visuais, professor de Artes visuais, instrutor nas várias vertentes do desenho.

Oficina de Aquarela

A oficina aborda técnicas de aquarela, considerando as habilidades individuais da turma, auxiliando o desenvolvimento autoral diante das possibilidades de conclusão de um trabalho. Como proposta metodológica, é desenvolvida a prática de formato misto entre atelier de produção individual e aula conjunta expositiva. Esta adequação visa estimular o desenvolvimento específico e o compartilhar de noções adquiridas. Baseado em técnicas de ilustração científica,

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

27


oficinas

Oficina de Wordpress

Oficina de Storytelling

As Oficinas de Informação Digital propõem abrir os olhos dos participantes para as possibilidades de utilização das diversas ferramentas disponíveis na internet. Nesta etapa do projeto, o assunto abordado é a ferramenta de blogs mais utilizada no mundo atualmente, o WordPress. Durante quatro encontros, o participante aprende a criar seu próprio projeto dentro do WordPress e gerenciar melhor o conteúdo, acrescentando funcionalidades específicas e configurações avançadas.

Storytelling é uma palavra que está relacionada com uma narrativa e significa a capacidade de contar histórias relevantes. Em inglês a expressão “tell a story” significa “contar uma história” e storyteller é um contador de histórias. O conteúdo traz conceitos, estudos de caso e exercícios que estimulam os profissionais de comunicação a despertarem a emoção dos públicos de interesse por meio das histórias, o instrumento mais eficaz para transmitir conhecimentos, compartilhar experiências e aguçar a imaginação das pessoas.

Guilherme Nagueva, diretor de planejamento com foco em gestão de projetos, desempenho e design de serviço. Nas horas vagas, é blogueiro e entusiasta de SEO/monetização. Com 8 anos de experiência, já atuou como responsável pela estratégia digital de grandes empresas. Data : 16, 17, 23 e 24 de abril Horário: 19h às 21h Local: Laboratório de Artes Eletrônicas Vagas: 12 R$ 10,00 (comerciário e dependente) e R$ 20,00 (não comerciário) * Necessária apresentação do Cartão Cliente Sesc Paraná

28

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Graduado em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Renato Buiatti. Buiatti tem uma vasta experiência na área de comunicação, com atuação nos segmentos de publicidade e propaganda, planejamento estratégico, marketing digital, internet e plano de comunicação. Data: 31/05 Horário: 14h às 18h Local: Cinepensamento R$ 10,00 (comerciário e dependente) e R$ 20,00 (não comerciário)* Necessária a apresentação do Cartão Cliente Sesc Paraná


Oficina do jornalismo do séc. xxI. E agora?

Vagas: 56 Investimento: R$ 10,00 (comerciário e dependente) e R$ 20,00 (não comerciário) * Necessária apresentação do Cartão Cliente Sesc Paraná

Jornalismo digital - anos 90 - web 1.0

Alexandre Matias

Internet | World wide web | Internet nas redações | Tecnologia digital | E-mail | Blogs

Jornalismo digital - século 21 - web 2.0

Google | Redes sociais | A participação do leitor | Conteúdo gerado pelo público

E agora? Jornalismo no século 21

Alternativas que vêm da grande mídia | Alternativas que vêm da mídia independente | O dilema das empresas de comunicação | Google, Facebook e Twitter como empresas de comunicação | Marcas que produzem conteúdo | Novas formas de se fazer jornalismo com as ferramentas do novo século.

Foi diretor de Redação da Revista Galileu, da editora Globo, e também criador do “Trabalho Sujo“, um projeto que reúne a cultura digital e contemporânea na sua forma mais mundana, desde 1995. Matias também é sócio do condomínio que o hospeda (o fantástico OEsquema), apresenta um boletim todo domingo às 13h30 na rádio CBN, toca o podcast Vida Fodona.

Data : 24 e 25 de abril Horário: 18h às 20h Local: Cinepensamento Alexandre Matias - divulgação

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

29


Por Jussara Batista

José Aguiar é arte-educador formado pela Faculdade de Artes do Paraná e quadrinista com obras publicadas no Brasil e exterior. Em seu mix de aptidões também é ilustrador, roteirista e editor da Quadrinhofilia, seu selo independente de quadrinhos. Foi premiado com o Troféu HQMIX, Angelo Agostini e no I Concurso Internacional de Quadrinhos, Senac SP. Em mais de uma década de carreira publicou diversas obras, como “Vigor Mortis Comics” e “Folheteen - direto ao ponto”, considerada uma das melhores HQs publicadas no ano de 2013. Na França, ilustrou para “Éditions Paquet”, duas HQs da série “Ernie Adams” e participou de “Un Jour de Mai” (coletânea). Além de publicar as tiras “Folheteen” e “Nada Com Coisa Alguma” no jornal Gazeta do Povo é cocriador e curador do projeto “Cena HQ”. Entre tantas atividades, atualmente Aguiar está desenvolvendo a Oficina de Quadrinhos Autorais no Sesc Paço da Liberdade. JB: José Aguiar, um prazer tê-lo em nossa grade de oficinas. Apresente-nos um pouco do quadrinista! Sabe-se que você publicou o primeiro trabalho para um suplemento infantil, aos 14 anos, quais eram suas referências na época? Elas ainda te acompanham? JA: É sempre um prazer voltar a lecionar quadrinhos. Eu sou produto das oficinas da Gibiteca de Curitiba e a cidade tem uma demanda enorme de cursos voltados a essa arte. É muito bom poder incentivar novos autores através de cursos como o que oferto aqui no Sesc Paço da Liberdade. Eu realmente publiquei pela primeira vez aos 14 anos, antes de descobrir as oficinas de HQ, na extinta Gazetinha da Gazeta do Povo. Era uma tira chamada “O Boi”. Aos 16 já estreava profissionalmente no antigo Jornal do Estado. Naquele tempo minhas referências eram Jim Davis, Mort Walker, Laerte, Fernando Gonsales e Bill Waterson. À exceção do criador do Garfield, que abandonei logo no começo de minha carreira, os outros seguem comigo até hoje. Além deles os

30

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

José Aguiar - divulgação

Entrevista com o premiado quadrinista José Aguiar

quadrinhos de super-heróis e do selo adulto Vertigo, me marcaram. Hoje meu leque está maior, mas tenho enorme carinho por esses ícones todos. JB: Além de criador você também apoia futuros quadrinistas, tornou-se professor e possui um vínculo direto com a divulgação da linguagem. E seus incentivadores, quem foram? JA: Eu comecei a frequentar a Gibiteca num momento ímpar. Na década de 1990, ela estava no auge de suas atividades em contraste com um mercado inexistente para autores nacionais. Mas lá, além de bons professores, encontrei ótimos amigos com sonhos semelhantes aos meus. Naquele espaço, nos dávamos muito ânimo - uns aos outros - com nossos fanzines, exposições, palestras e debates. Meu trabalho com eventos relacionados a HQs vem desde essa época em que parecíamos ser os únicos a acreditar que quadrinhos são arte e que, sim, é possível viver deles profissionalmente. Hoje esse pensamento se multiplicou verdadeiramente. JB: Hoje, você é sócio fundador da “Quadrinhofilia Produções Artísticas”, mas como foi sua entrada neste mercado de trabalho? JA: Antes da Quadrinhofilia acontecer, eu já havia sido sócio em dois estúdios de ilustração que ocasionalmente faziam quadrinhos. Foi um grande aprendizado, mas em 2004 decidi enfim focar nos meus ideais. Eu queria ser um “Quadrinista”, um autor, e não um executor de ideias alheias. Consegui publicar e morar na Europa, depois retornei decidido a fazer meus projetos pessoais acontecerem. Apesar de ter iniciado cedo nos quadrinhos, antes dessa virada profissional, para encontrar trabalho eu seguia o que o mercado editorial ditava. Nos últimos


anos meu foco, através da sociedade com a Fernanda Baukat, tem sido criar modos de viabilizar minhas próprias ideias, aos mesmo tempo em que difundo a cultura dos quadrinhos a diversos públicos. JB: Quais os aspectos fundamentais para que os futuros quadrinistas (muitos podem estar passando pelas suas oficinas) garantam a dimensão autoral de suas obras? Além de saber desenhar, é preciso... JA: É preciso saber ler e escrever com muita autocrítica. Desenhar “bem” hoje em dia é a menor das preocupações. Quadrinho autoral é voltado às boas histórias. Existem ótimos ilustradores que são péssimos quadrinistas por não saberem narrar boas histórias. Você não precisa ser um mestre no desenho para fazer uma ótima HQ. As HQs têm sim, forte apelo visual, mas, se não há conteúdo aliado a uma narrativa eficiente, ela não funciona. O quadrinista autoral também é aquele que não teme ser responsável por todos os processos de produção. É aquele que não se furta de colocar os livros nas costas e se promover nos eventos, feiras de livro, internet... É necessário ser empreeendedor pra ser quadrinista hoje em dia.

quadrinhos

Quadrinhos Autorais: Teoria e Prática

O curso tem como objetivo levar o interessado a descobrir seu próprio caminho, a fim de tornar-se um autor com voz e estilo próprios, conquistando seu espaço no mercado editorial e leitores. Nessa primeira etapa, serão abordados processos de criação de roteiro, conceitualização de personagem e universo, estrutura de narrativa, por meio de debate e análise de obras conceituadas no universo das HQs Trata-se de uma oficina para o profissional que deseja se reciclar ou que deseja iniciar carreira pela arte sequencial. Aos interessados, a próxima etapa ocorrerá no segundo semestre de 2014. Informações pelo telefone: 3234 4200/ 3234 4218.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

31


Lançamento de livros

meteórico fenômeno

Autor: gerson conrad No ano em que o lançamento do primeiro disco

do grupo Secos & Molhados completa 40 anos, Gerson Conrad presenteia fãs e leitores com recordações da época em que integrou, junto com João Ricardo e Ney Matogrosso, a banda de sucesso estrondoso. Conduzido nos anos 70 pelo produtor Moracy do Val, o Secos & Molhados lotou ginásios e atingiu recordes de venda de discos de forma pioneira no Brasil. “Meteórico Fenômeno”, livro intencionalmente breve e de fácil leitura, apresenta episódios curiosos sobre os primórdios do grupo, os primeiros shows, a irreverência dos rostos pintados, e a sequência de acontecimentos que levou à dissolução daquela brilhante - porém curta - formação original.

32

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Críticas de jornal da época e pequenas contextualizações históricas são acrescentadas ao relato de Gerson, possibilitando que o leitor reviva parte do contexto cultural, musical e político do início da década de 1970. “Meteórico Fenômeno” apresenta a visão de um jovem Gerson Conrad transitando pelas ruas da Bela Vista, em São Paulo, vivendo o clima instaurado pela ditadura, participando de programas de televisão como “Papo Pop” e “Chacrinha” e confeccionando, junto com boa parte da juventude da época, um cenário criativo que moldou as gerações seguintes. “Recordo-me de nossa estreia no Teatro Itália, em 1973, na Av. Ipiranga, em São Paulo. Moracy e seu assessor, Paulo Garcia (Peninha), entraram no camarim com os olhos rasos d’água e espantados com o tamanho da fila que saía do teatro na Av. São Luís, dobrava a esquina e subia a Av. Ipiranga a perder-se de vista. (...) Durante essa temporada, a música ‘Rosa de Hiroshima’ passou a ser reconhecida aos primeiros acordes e bisada, às vezes, por mais de uma vez, com a sempre belíssima interpretação de Ney”. O clima irreverente é retratado em imagens de Ary Brandi, fotógrafo que acompanhou parte significante da trajetória do grupo naqueles anos. O livro traz ainda acesso a uma versão inédita de “Rosa de Hiroshima”, além de “Direto Recado”, uma das composições mais recentes de Gerson Conrad, ambas gravadas e produzidas pelo Grupo Trupi. Lançamento com Noite de Autógrafos de Gerson Conrad Data: 25 de abril Horário: 19h30 Local: Livraria Investimento: Gratuito


A Grande Histórias

Roda

de Livraria do sesc

Autor: Nélio Spréa e Milton Karam O livro é inspirado nos relatos colhidos durante mais de cinquenta sessões de contação de histórias realizadas em Curitiba e Região Metropolitana. Nas sessões, comandadas por Nilton Machado em escolas, hospitais, associações de bairro, asilos e outros espaços, mais de 100 relatos foram gravados, e doze selecionados pelos autores Nélio Spréa e Milton Karam para compor o livro. O resultado são contos que reúnem experiências, frustrações e surpresas de personagens com os quais o leitor identifica-se facilmente, acompanhadas pelas ilustrações de Katia Horn. Nélio Spréa é educador e atua na formação pedagógica de professores, realizando palestras em todo o Brasil. Como diretor da “Parabolé Educação” e Cultura (parabole.com.br), desenvolve projetos artísticos e culturais voltados principalmente ao público infantil. Além disso, desenvolve pesquisas relacionadas ao universo das brincadeiras de criança e à cultura popular. Milton Karan, por sua vez, é compositor e dirige o Coral Brasileirinho, do Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba. Já compôs mais de 100 canções infantis e possui sete CDs lançados com as suas canções. Data: 5 de abril Horário: 14h Local: Livraria do Paço Investimento: Gratuito

Paço da liberdade Na Livraria do Sesc Paço da Liberdade, títulos condizentes com a cotidianidade curitibana, assim como os de perspectiva de diferentes partes do mundo, podem ser adquiridos. Literatura, comics, história, guias variados, curiosidades, símbolos, receituário, literatura, poesia, mitos, tradições e valores se revelam por entre as páginas de diferentes autores, editoras e publicações que se espalham pelas prateleiras. Publicações próprias do Sesc Paço da Liberdade, como o caderno “Arte e Filosofia”, também podem ser adquiridos, assim como livros que abordam as especificidades de Curitiba e do Paraná: há 1001 histórias sobre os nomes das ruas da capital, outras tantas páginas sobre as calçadas de Curitiba, assim como relatos sobre as igrejas que integram o centro urbano e ícones da cidade, como Paulo Leminski. Além dos livros, a Livraria possibilita ao visitante também adquirir camisetas do Sesc Paço da Liberdade, CD´s de contos, revistas literárias, postais, magnetos e uma infinidade de outros produtos que constantemente entram e saem do catálogo. Constantemente são lançados diferentes livros neste espaço, trazendo ainda mais vida à livraria, possibilitando que a literatura aproxime autores e leitores neste ambiente singular da cidade de Curitiba.

Livraria estante:

Na

A arquitetura resultante da preservação do patrimônio edificado em Curitiba Jeferson Dantas Navolar A obra se volta para a produção da arquitetura de Curitiba, sua preservação, conservação e restauro; ações estas envoltas de maneira irresistível em polêmicas por envolver as políticas públicas voltadas ao patrimônio edificado de Curitiba, colocando em foco a arquitetura daí resultante, a qual, por sua vez, faz engrenar a política patrimonial em suas faces de conservação e preservação.

Nélio Spréa e Milton Karam

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

33


homenagem

Julio Cortázar: Memórias de um Grande Homem Em qualquer área de atuação, é comum utilizar o adjetivo “grande” para nomear uma personalidade que se destaca em seu trabalho. Isso ocorre com os poetas, médicos, políticos, líderes e toda sorte de personalidades de elevada consideração. Essa definição, obviamente, não é literal e raramente leva em conta questões de estatura. Todavia, Julio Cortázar, escritor de novelas e contos, mesmo que quisesse, não poderia fugir deste trocadilho. Grande ele se tornou, como muitos outros expoentes da literatura fantástica, isso é fato. Já em termos de estatura, Cortázar foi grande a vida toda. Devido a uma doença chamada acromegalia (semelhante ao gigantismo), o escritor nascido em Bruxelas e radicado na Argentina, verdadeiramente, nunca parou de crescer. Suas mãos disformes em tamanho, no entanto, foram responsáveis por tornar palpáveis as histórias nas quais o fantástico, quase beirando o sobrenatural, se entrelaçava às questões mais existenciais tratadas em suas obras. Seu nascimento na capital belga, em 1914, foi um engano, como ele próprio gostava de dizer. Em missão diplomática, acompanhado pela esposa, seu pai viu-se impossibilitado de retornar à sua terra natal, a Argentina, por um longo período, devido à tomada da cidade de Bruxelas pelos alemães. Cortázar nasce neste período conturbado e, aos quatro anos de idade, finalmente conhece a terra de seus pais, que se tornaria a sua por um período considerável da vida. Ainda criança, morando no subúrbio de Buenos Aires, ele estabelece contato com aquilo que seria sua obsessão pela vida toda: os livros. Primeiramente, tem acesso aos livros selecionados pela mãe Maria Hermínia, indo de Montaigne a Edgard Allan Poe, de Platão a Victor Hugo. Ainda menino, em 1923, escreve sua primeira novela, com qualidade tão superior que acaba sendo acusado de plágio pela própria família, ato que o deixa revoltado e faz com que use um pseudônimo por muito tempo. Já na escola, vive uma imersão à literatura clássica proporcionada pelo professor Arturo Marasso,

34

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

grande influência que alimentou a fome literária de Cortázar com obras de Sófocles e Homero. Referências também não faltaram além da literatura. Cortázar gostava de cinema e música (principalmente jazz e tango) e até se aventurava pelo campo das filosofias orientais, de alguma forma sempre incorporando esses gostos particulares em seus escritos. Julio Cortázar era um homem do mundo e isso fez com que viajasse e mudasse de casa com frequência. Em suas andanças, decide deixar Buenos Aires por não concordar com a política de Juan Antonio Perón, então presidente da Argentina. Muda-se para Paris, onde traduz a prosa de Edgard Allan Poe e casa-se pela primeira vez. Em uma viagem a Cuba, constata: “a revolução cubana me mostrou então o grande vazio político que havia em mim, minha inutilidade política”. Desde então, passa a defender o socialismo latino-americano, causa que abordou em seu “Livro de Manuel”. Cortázar foi tradutor, escritor, professor, militante, poeta. Fez da literatura fantástica sua válvula de escape para tratar de temas que o acompanharam por toda a vida. Faleceu em 12 de fevereiro de 1984, vítima de uma leucemia. Tinha então 2,14m de altura. Viveu e morreu grande, este tal Julio Cortázar.


Quem é “O Vampiro de Curitiba”?

por Nego Miranda

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

35


Dalton Para Todos

Ao longo de 2014, o Sesc Paço da Liberdade oferece uma imersão na obra de Dalton Trevisan. São oferecidas oficinas e bate-papos com foco na obra do autor relacionada a diferentes linguagens artísticas. O projeto “Dalton Para Todos” propõe o contato com o universo daltoniano discutindo aspectos de sua obra e incentivando as criações literárias, musicais e visuais. O premiado contista curitibano é considerado um dos maiores nomes da literatura brasileira e já teve seus livros publicados em diversos países. Esta imersão na obra de Dalton Trevisan tem como objetivo colocar os participantes em contato com os contos e explorarem novos caminhos estéticos. Para tanto, artistas convidados abordarão em oficinas e conversas, divididas em três módulos, os temas “Dalton e a Cidade”; “Dalton no Cinema” e “Dalton e Sonoridade”. “Dalton Para Todos” é destinado a estudantes e profissionais das áreas de Artes, Letras, Comunicação e a todos interessados na obra de Dalton Trevisan.

Módulo I - “Dalton e a Cidade”

- Este módulo aborda a presença do autor e sua relação com o aspecto urbano. Investiga o Dalton onipresente na cidade, que pode ser visto em praças, becos, “inferninhos”, motéis baratos e outras paisagens que compõem o pano de fundo de sua obra. O módulo tem as seguintes atividades:

Bate-papo “A Eterna Solidão do Vampiro” com o fotógrafo Nego Miranda

Data: 23 de abril Horário: das 19h às 21h Local: Sala de Atos Investimento: R$ 20,00 (comerciário e dependente) e R$ 10,00 (não comerciário)

Oficina de criação literária e análise de contos de Dalton Trevisan com o escritor Paulo Sandrini

Data: 24 e 25 de abril Horário: das 19h às 21h Local: Sala de Aula do 2º andar Investimento: R$10,00 (comerciário e dependente) e R$ 20,00 (não comerciários)

36

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Dalton Trevisan

figura entre os maiores escritores brasileiros vivos, juntamente com Ruben Fonseca, Ferreira Gullar, Lygia Fangundes Telles entre outros. Em 2012 recebe o Prêmio Camões, pela importância no gênero do conto. Muito mais do que um contista premiado, Dalton em sua obra registra a transformação urbana da capital paranaense. Há também um estilo muito característico de sua escrita, de contos que não ultrapassam três páginas. Direto e ágil, suas narrativas apresentam dramas de pessoas que transitam entre expectativas de felicidade e a realidade crua que as frustra. A primeira publicação que o autor considera é “Novelas Nada Exemplares”, de 1959, com que ganhou o Prêmio Jabuti, dado pela Câmara Brasileira do Livro. Dalton Trevisan foi o editor da revista “Joaquim”, publicada entre os anos de 1946 e 1948 em Curitiba. Famosa por reunir e ser porta-voz de um grupo de críticos, poetas e escritores influentes, a revista contava com nomes como Otto Maria Carpeaux, Mario de Andrade e Antônio Cândido em suas páginas. Em 1996 Dalton recebe o “Prêmio Ministério da Cultura de Literatura” pelo conjunto de sua obra. Em 2003 divide com Bernardo de Carvalho o “Iº Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira” com o livro “Pico na Veia”. Dalton Trevisan é avesso às fotografias e não dá entrevistas há décadas.

Nego Miranda ganhou prêmios em Havana,

São Paulo, Porto Alegre, entre outros. Em 2010 lançou o livro “A Eterna Solidão do Vampiro”. As imagens acompanhadas de frases lapidares do contista sobre Curitiba revelam os caminhos percorridos por Dalton Trevisan e seus personagens em uma Curitiba cujo traço mais evidente é a solidão.

Paulo Sandrini é designer, mestre e doutor

em Letras. Escritor de ficção, tem cinco livros publicados, entre eles “O Estranho Hábito de Dormir em Pé”, “Osculum Obscenum” E “O Rei Era Assim”. É editor da Kafka Edições e professor das áreas de design e comunicação.


Pacote de Poesia Se a literatura é linguagem carregada do máximo de significado, as ideias, sentimentos, ritmos, música e imagens que os versos da poesia carregam são grandes veículos para este mundo da literatura que traduz e enriquece nossas vidas preenchendo-a de significado.

de Animais. Data: 20 de maio Local: Biblioteca Investimento: Gratuito

Neste trimestre, o Pacote de Poesia é uma homenagem que o Sesc Paço da Liberdade faz a poetas paranaenses contemporâneos. Através de um formato inovador – um pacote Kraft, no tradicional formato utilizado para acondicionar pães pelas panificadoras, com caricatura identificando o poeta homenageado e contendo uma seleção de cerca de 20 de seus poemas - o Pacote proporciona acesso a obras poéticas de vários autores, fomentando a prática da leitura e despertando, de forma lúdica, o prazer pela poesia.

Adriano Scandolara é poeta e tradutor, formado em Letras e mestre em Estudos Literários pela UFPR, onde estudou e traduziu o poema “Prometeu Desacorrentado” de Percy Bysshe Shelley, ainda inédito. Também traduziu recentemente os livros “Deuses Sem Homens”, do romancista Hari Kunzru, e “O Gênio Não Original”, da crítica Marjorie Perloff. Lançou em 2013 seu primeiro volume de poemas intitulado “Lira de Lixo”. Data: 20 de junho Local: Biblioteca Investimento: Gratuito

Adriano Scandolara

Próximos lançamentos: Karen Debértolis

Karen Debértolis é escritora e jornalista. Gravou o CD de poesia “A Mulher das Palavras” (2009). Publicou os livros “Prosa de Palavras” , “A Estalagem das Almas” em parceria com a fotógrafa Fernanda Magalhães, “Guardados” e “Calidoscópio” . Produz e apresenta o programa “Contracapa-Literatura&Arte” na Rádio Web Alma Londrina. Data: 23 de abril Local: Biblioteca Investimento: Gratuito

Marcelo Montenegro por Edson Kumasaka

Marcelo Montenegro

Marcelo Montenegro é considerado um dos principais nomes da nova poesia brasileira. Publicou “Orfanato Portátil” (2003) e “Garagem Lírica” (2012). Acompanhado por uma banda, apresenta-se, desde 2004, com o espetáculo “Tranqueiras Líricas”, no qual seus poemas falados se fundem ao rock’n’roll, ao blues e ao jazz. Tem letras musicadas pela cantora Natália Barros e pelas bandas Saco de Ratos e Fábrica informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

37


biblioteca Veja aqui uma seleção de livros que podem ser emprestados na nossa biblioteca

Livro do Desassossego Fernando Pessoa Composto de centenas de fragmentos, dos quais Fernando Pessoa publicou apenas doze, o narrador principal deste livro é o semi-heterônimo Bernardo Soares. Oscilando entre temas como as variações de seu estado psíquico, a paixão, a moral e o conhecimento, o livro não apresenta uma narrativa linear; antes é composto de diversos trechos e partes que se articulam de maneira mais ou menos aberta. Ainda assim, é a obra de Pessoa que mais se aproxima do romance Pintores da paisagem paranaense “Pintores da Paisagem Paranaense” é a edição fac-similar de livro feito em 1982 pela secretaria de cultura e traz a história do Paraná contada em imagens desde a serra do mar, passando pelos planaltos, até chegar em Foz do Iguaçu. As obras contidas nesse livro fazem parte de museus e importantes coleções no mundo inteiro pela importância de artistas como Alfredo Andersen, Theodoro De Bona, Lange de Morretes, entre outros. Jogo da Amarelinha Julio Cortázar O Jogo da Amarelinha é considerado a obra-prima de Cortázar que, ao lado de Borges é considerado um dos maiores escritores argentinos. Nessa obra ele propõe duas formas de ler o livro, a ordem em que ele está disposto do 1 ao capítulo 56, ou na ordem do jogo, que começa na página em que se pula de um lugar ao outro. Sendo assim, nas palavras do próprio autor “esse livro é muitos livros, mas é, sobretudo, dois livros”. O jogo da amarelinha teve imediatamente uma recepção extraordinária na mais variadas línguas e latitudes. Vivia-se um tempo de rupturas. Na política, nas artes, nos costumes, por toda parte o novo forçava passagem para se substituir ao velho. E por toda parte este livro capturou, com sua ousadia formal, com seus personagens inesquecíveis, com sua visão de mundo complexa e sensível, a atenção de multidões de leitores. Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia Nelson Motta Sem censura, sem restrições e sem julgamentos, fiel à memória rebelde, desbocada e transgressora de Tim Maia, Nelson narra com paixão e irreverência a sua carreira brilhante e sua vida turbulenta, esperando que, como na canção de Caetano Veloso, tudo saia como o som de Tim Maia.

38

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Estante


cinema

Cine na Terça Dando continuidade ao projeto “Cine na Terça”, o Sesc Paço da Liberdade traz um filme diferente a cada terça-feira. Toda a programação é gratuita. Agende-se.

Potiche - Esposa Troféu

2010, COR, 103 min Dir.: François Ozon Sinopse: 1977. Suzanne Pujol é a esposa submissa de Robert, um rico industrial. Ele é dono de uma fábrica de guarda-chuvas e a comanda com mão de ferro, sendo também autoritário e rigoroso com a esposa e os filhos. Quando uma greve e o sequestro de Robert atingem a família, é Suzanne quem resolve assumir a dianteira para comandar a fábrica. Para surpresa de todos, ela demonstra ter uma liderança nata. Data: 1º de abril Classificação indicativa: 12 anos divulgação do filme O Espantalho

José e Pilar

2011, COR, 125 min Dir.: Manuel Gonçalves Mendes Sinopse: a relação entre José Saramargo, prêmio Nobel de literatura em 1998, com sua esposa, a jornalista Pilar Del Rio, através do cotidiano do casal. Data: 15 de abril Classificação indicativa: Livre O Espantalho 1973, COR, 104 min Dir.: Jerry Schatzberg Sinopse: em uma estrada da Califórnia, Max e Lion, dois desconhecidos, se encontram. Max saiu da prisão recentemente, após ter cumprido uma pena de sete anos por assalto, e Lion é um marinheiro que passou seis anos no mar. O primeiro planeja ir para Pittsburg, onde sonha em abrir um lava-carros. O segundo deseja ver a mulher, que abandonou, e conhecer o filho de cinco anos. Os dois juntos decidem atravessar o país em busca de uma vida melhor.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

39


divulgação do filme Separação

Data: 22 de abril Classificação indicativa: 14 anos

Todas as Mulheres do Mundo

1967, PB, 86 min Dir.: Domingos Oliveira Sinopse: Paulo é um jornalista boa-vida que passa a maior parte do tempo paquerando as belas mulheres das praias cariocas. Certo dia, esse sedutor profissional acaba encontrando o verdadeiro amor ao conhecer Maria Alice, uma jovem professora e noiva do amigo Leopoldo. Apaixonado por Maria Alice, ele enfrenta o dilema de desistir de todas as mulheres do mundo para viver com uma só. Data: 29 de abril Classificação indicativa: 12 anos

O Pagador de Promessas 1962 , PB, 91 min. Direção: Anselmo Duarte Sinopse: depois que seu burro de estimação é atingido por um raio, o agricultor Zé do Burro faz uma promessa à Santa Bárbara pedindo que ela

40

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

salve o animal. O burro sobrevive, então Zé tem de doar metade de seu sítio e carregar uma cruz de sua casa, no sertão, até a igreja dedicada à santa, em Salvador. Rosa, sua esposa, o acompanha na caminhada, durante a qual travam contato com personagens da região e encontram a resistência dos poderes constituídos. Data: 6 de maio Classificação indicativa: Livre

O Vendedor

2010, COR, 107 min Dir.: Sébastien Pilote Sinopse: Marcel Lévesque tem 67 anos, trabalha como vendedor de carros e sua rotina é a esperada para alguém cujo futuro mais próximo é a aposentadoria. Dedicado ao trabalho e também à família, sua filha Maryse e seu neto Antoine, ele sempre foi um grande campeão, superando a todos no quadro de vendas do mês. Mas o fechamento da fábrica de papel na pequena cidade Lac Saint-Jean, em Quebéc, acaba provocando uma revolução no local, interferindo diretamente na vida de todos


os moradores, fazendo com que alguns valores necessitem ser revistos. Data: 13 de maio Classificação indicativa: 10 anos

Mutum

2007, COR, 95 min Dir.: Sandra Kogut Sinopse: Mutum é um local isolado do sertão de Minas Gerais, onde vivem Thiago e sua família. Thiago tem apenas 10 anos e, juntamente com seu irmão e único amigo Felipe, é obrigado a enxergar o nebuloso mundo do adultos. Baseado em obra de Guimarães Rosa. Data: 20 de maio Classificação indicativa: Livre

A Separação

2012, COR, 123 min Dir.: Asghar Farhadi Sinopse: Nader e Simin divergem sobre a possibilidade de deixar o Irã. Simin quer deixar o país para dar melhores oportunidades à sua filha, Termeh. Nader, no entanto, quer continuar no Irã para cuidar de seu pai, que sofre do mal de Alzheimer. Chegam à conclusão de que devem se separar, mesmo ainda estando apaixonados. Data: 27 de maio Classificação indicativa: 12 anos

Esses Amores

cinema

2010, COR, 120 min Dir.: Claude Lelouch Sinopse: Ilva Lemoine é uma mulher fácil de se apaixonar. Em plena França dominada pelos alemães, durante a 2ª Guerra Mundial, ela se apaixona por um nazista, o que indiretamente leva à morte de seu pai. Posteriormente, já com a França libertada, ela precisa responder sobre sua ligação com o regime nazista e é salva por dois soldados americanos, um branco e um negro. Data: 10 de junho Classificação indicativa: 12 anos

Borboletas Negras

2011, COR, 100 min Dir.: Paula Van der Oest Sinopse: Ingrid Jonker é uma jovem poeta que encontra a liberdade na escrita. Rejeitada pelo pai, que trabalha no regime do apartheid em plenos anos 60, ela sofre para encontrar uma casa e um amor. O reconhecimento como poeta vem quando Nelson Mandela, em seu primeiro discurso para o parlamento da África do Sul, em 1994, lê seu poema “A Criança que Foi Assassinada pelos Soldados de Nyanga”. Data: 17 de junho Classificação indicativa: 14 anos divulgação do filme Românticos Anônimos

Românticos Anônimos

2010, COR, 80 min Dir.: Jean-Pierre Améris Sinopse: Angélique Delange é uma talentosa confeiteira, que faz chocolates requintados reconhecidos por público e crítica especializada. Entretanto, como fica ansiosa quando olham para ela, Angélique prefere o anonimato e finge ser apenas uma entregadora. Sem emprego, ela consegue trabalho na Fábrica de Chocolates, que está à beira da falência. Só que, ao contrário do que imaginava a princípio, consegue a vaga de representante comercial da empresa. Data: 3 de junho Classificação indicativa: 10 anos

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

41


cinema

Histórias que Lembradas

Existem

Quando

2011, COR, 98 min Dir.: Julia Murat Sinopse: Jotuomba fica localizada no Vale do Paraíba, no estado do Rio de Janeiro. Nos anos 30, as até então ricas fazendas de café foram à falência, derrubando a economia local. Madalena, uma velha padeira, continua vivendo na cidade. Sua vida começa a mudar quando Rita, uma jovem fotógrafa, chega na cidade. Data: 24 de junho Classificação indicativa: 10 anos SERVIÇO Horário das sessões: 19h Vagas: 56 Local: CinePensamento Investimento: Gratuito

Sinopse: geralmente eles viram tema quando fracassam de forma dramática: casamentos entre pessoas de diferentes origens culturais e religiosas. Neste documentário é mostrado o oposto, um “retrato de uma família turco-alemã”. O filme observa o arquiteto Jens Ulrich Möller, sua mulher Özen Simsir e o irmão mais novo de Özen, que é administrador de empresas e casado com Tanja Sengelhoff. Os filhos dos dois casais crescem falando os dois idiomas. O cotidiano das duas famílias seria de uma normalidade quase piegas, não fossem as diferentes raízes dos parceiros. Data: 30 de abril Horário: 19h Classificação indicativa: Livre Local: CinePensamento Investimento: Gratuito

divulgação do filme “ A Noite sem Fim”

Filmclub Goethe-Institut no Paço Dando continuidade à parceria com o GoetheInstitut Curitiba, o Sesc Paço da Liberdade exibe dois filmes alemães, com direções de Anna Hepp e Will Tremper. O intuito do projeto é fazer reprise das exibições na sala CinePensamento. Os mesmos títulos serão exibidos dias antes no auditório do Goethe-Institut.

Um Retrato de Família Turco-Alemã Rotkohl und Blaukraut 2011, COR, 50 min Dir.: Anna Hepp

42

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

A Noite Sem Fim Endlose Nacht, Die

1963, COR, 82 min Dir.: Will Tremper Sinopse: Aeroporto de Tempelhof em Berlim... todos os voos foram cancelados. Na neblina noturna, pessoas aguardam aviões que não chegam. Por trás de histórias cotidianas, destinos se tornam visíveis. Ali há fraude, adultério, ilusões perdidas e carreiras destruídas. Em poucas horas, pessoas perdem o rumo aparentemente ordenado de suas vidas. Quando um novo dia chega, suas vidas se modificaram. Data: 23 de maio Horário: 19h Classificação indicativa: Livre Local: CinePensamento Investimento: Gratuito


É proibido proibir: 50 anos do golpe militar “Como é difícil acordar calado Se na calada da noite eu me dano Quero lançar um grito desumano Que é uma maneira de ser escutado Esse silêncio todo me atordoa [...]”

Ao cantar estes versos, Chico Buarque e Gilberto Gil tiveram seus microfones cortados diante da plateia do Palácio das Convenções do Anhembi, na cidade de São Paulo, em maio de 1973. A cena vivenciada por eles se repetiu com muitos, que hoje cobram com juros aqueles gritos contidos e os sambas no escuro. No dia 1° de abril de 1964, um golpe de estado pôs fim ao governo do presidente brasileiro João Goulart, o “Jango”, e passou o poder do país para as mãos dos militares: de 1964 a 1985 o país viveu seus anos de chumbo. A Ditadura foi marcada por atos institucionais que colocaram em prática a censura, a falta total de democracia e a perseguição política. A economia do Brasil cresceu milagrosamente, mas “o sol se repartiu em crimes, houve soldados armados, choraram Marias e Clarisses”. A Ditadura trouxe consigo o exílio de muitos intelectuais e artistas e a morte e o desaparecimento de inúmeras pessoas, o que dispensa comentários. O período foi retratado por meio da arte, como é o caso das canções de Chico e de Caetano aqui referenciadas; das fotografias do fotojornalista Evandro Teixeira; da literatura, como a obra de Graciliano Ramos intitulada “Memórias do Cárcere”; mas principalmente através dos relatos de quem viveu naquela época. Muitas reportagens do início dessa época apontavam para a atmosfera de suspense e mistério que pairava sobre o ar do Brasil, como esta do Correio da Manhã de 18/9/1964: “Recife não é sequer a Veneza Americana repudiada por Manuel Bandeira. É uma cidade envolta numa mortalha de silêncio e suspeitas. Sobre cada esquina, cada beco ou cada

canto de rua paira a onipresente sombra do IV Exército”. O fim do Regime Militar se deu com a eleição de Tancredo Neves, aliada à esclerose de João Figueiredo (último presidente do regime ditatorial) em 1985. Tancredo, candidato da Aliança Democrática (PMDB e Frente Liberal) foi o primeiro presidente civil eleito após 21 anos de ditadura. Para saber mais você pode assistir: O dia que durou 21 anos Gênero: Documentário Direção e Roteiro: Camilo Tavares Fotografia: André Macedo, Cleumo Segond, Luiz Myiasaka, Márcio Menezes Trilha Sonora: Dino Vicenti Duração: 77 min. Ano: 2012 Lamarca Gênero: Drama Direção: Sérgio Rezende Roteiro: Alfredo Oroz, Sérgio Rezende Elenco: Carla Camuratti, Carlos Zara, Deborah Evelyn, Enrique Diaz, Ernani Moraes, José de Abreu, Marcelo Escorel, Nelson Xavier, Paulo Betti, Roberto Bomtempo, Selton Mello Produção: Andréa Queiroga, José Joffily, Mariza Leão Fotografia: Antônio Luiz Mendes Soares Trilha Sonora: David Tygel Marighella Gênero: Documentário Direção e Roteiro: Isa Grinspum Ferraz Produção: Isa Grinspum Ferraz, Pablo Torrecillas, Rodrigo Castellar Fotografia: Alziro Barbosa Trilha Sonora: Mano Brown, Marco Antônio Guimarães Duração: 100 min. Ano: 2011 O que é isso, companheiro? Gênero: Ação

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

43


homenagem a eduardo coutinho

Direção: Bruno Barreto Roteiro: Leopoldo Serran Elenco: Alan Arkin, Alessandra Negrini, Caroline Kava, Cláudia Abreu, Eduardo Moscovis, Fernanda Montenegro, Fernanda Torres, Fisher Stevens, Luiz Fernando Guimarães, Marco Ricca, Matheus Nachtergaele, Pedro Cardoso, Selton Mello Produção: Lucy Barreto, Luiz Carlos Barreto Fotografia: Félix Monti Zuzu Angel Gênero: Drama Direção: Sérgio Rezende Roteiro: Marcos Bernstein, Sérgio Rezende Elenco: Antônio Pitanga, Daniel de Oliveira, Elke Maravilha, Leandra Leal, Luana Piovani, Nelson Dantas, Patrícia Pillar, Paulo

44

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Betti Produção: Joaquim Vaz de Carvalho Fotografia: Pedro Farkas Trilha Sonora: Cristóvão Bastos Nunca Fomos Tão Felizes Ficha técnica Gênero: Drama Direção: Murilo Salles Elenco: Cláudio Marzo, Roberto Bataglin, Suzana Vieira Duração: 91 min. Ano: 1983


Além destes, indicamos o documentário “Cabra marcado para morrer”, do grande diretor, roteirista e documentarista, falecido em fevereiro deste ano, Eduardo Coutinho Gênero: Documentário Direção e Roteiro: Eduardo Coutinho Produção: Zelito Viana Fotografia: Edgar Moura Trilha Sonora: Rogério Rossini Duração: 119 min. Ano: 1984 Eduardo Coutinho, um dos mais importantes nomes do documentário brasileiro. Sensibilidade é uma palavra que o define. Abordando a vida nas favelas, no sertão ou em um edifício, desvela a realidade com um olhar amoroso e compreensivo. Coutinho teve seu primeiro contato com a arte cinematográfica em um Seminário de Cinema, dirigido por Marcos Marguliès, realizado pelo Masp. Estudou no Institut des Hautes Études Cinématographiques (IDHEC), baseada em Paris. Ao retornar ao Brasil, dirige e roteiriza parcerias com Eduardo Escorel, Leon Hirzsman e Zelito Viana; também dirige o projeto UNE-Volante, em que documentava a vida em várias cidades. Depois de trabalhar com Leon Hirzsman em “Cinco Vezes Favela”, é escolhido pela UNE para dirigir um longa. Propõe a história da vida de João Pedro Teixeira, líder de “Ligas Camponesas”, dando assim início ao projeto “Cabra Marcado para Morrer”. O elenco seria composto por camponeses, mas as filmagens foram bruscamente interrompidas pela ditadura militar. Com a interrupção de “Cabra Marcado”, Eduardo Coutinho trabalha em vários projetos: com Leon Hirszman, em “Maioria Absoluta” e no roteiro de “A Falecida” e “Garota de Ipanema”, do mesmo diretor. Também colabora com os roteiros de “Os Condenados”, de Zelito Viana; “Lição de Amor”, de Eduardo Escorel e “Dona Flor e seus Dois Maridos”, de Bruno Barreto. Na metade da década de 1970, passa a integrar a equipe do Globo Repórter que, segundo o cineasta, o fez optar pela carreira de documentarista. Com o roteiro que conta a história da filmagem interrompida pelos militares e narra a trajetória de Elisabeth Teixeira e seus filhos durante os dezessete anos que se passaram entre o antigo projeto de ficção de “Cabra Marcado para Morrer” e as filmagens do documentário “Cabra Marcado para Morrer”, Eduardo Coutinho ganha o prêmio Coral

de melhor documentário em Havana; o prêmio do Festival du Réel, em Paris; além de prêmios na Itália e Alemanha. Em seu último filme, Eduardo Coutinho e sua equipe entrevistaram 37 moradores do Edifício Master, situado em Copacabana, a um quarteirão da praia. O prédio tem 12 andares e 23 apartamentos por andar. Eduardo Coutinho extraiu, com sensibilidade aguçada, histórias íntimas e reveladoras da vida dos moradores do Edifício Master. Eduardo Coutinho morreu no dia 2 de fevereiro, na cidade do Rio de Janeiro Filmografia Roteirista e Diretor: 1966: ABC do Amor (2o. Episódio: O Pacto) (ficção, 35mm); 1968: O Homem que Comprou o Mundo (ficção, 35mm); 1970: Faustão (ficção, 35mm); Globo Repórter (médias-metragens) redator, diretor e editor1976: Seis Dias de Ouricuri /Pistoleiro da Serra Talhada; 1978: Teodorico, Imperador do Sertão; 1980: Portinari, o Menino de Bodosqui; 1981-1984: Cabra Marcado para Morrer (documentário, 35mm) 1987: Santa Marta: Duas Semanas no Morro (média documentário em vídeo); 1989: Volta Redonda, o Memorial da Greve (média documentário em vídeo) 1989: O Jogo da Dívida (média documentário em vídeo) 1991: O Fio da Memória (documentário, 35mm) (Cem Anos de Abolição);1992: Boca de Lixo (média documentário em vídeo); (rot/dir); e A Lei e a Vida (média documentário em vídeo) 1994: Os Romeiros do Padre Cícero; (média documentário em vídeo) 1999: Santo Forte (documentário, 35mm) 2000: Babilônia 2000 (documentário, 35mm),2002: Edifício Master

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

45


Ciclo de conferências

Borges e a literatura mundo

Síntese extraordinária do pensador e artista Jorge Luís Borges nos oferece em seus relatos, ensaios e poemas, a experiência singular da fruição estética associada à meditação especulativa. Servindo-se de ampla gama de temas, escolhidos dentre toda a história do pensamento, apresenta-nos com concisa elegância e aguda precisão os paradoxos e perplexidades que assinalam essa história, revelando assim dimensões insuspeitas de nossa própria humanidade. Tigres e labirintos, crepúsculos e milongas, espelhos e imortais, incêndios e livros, tudo o que somos (e não somos mais, e não somos ainda) nos é apresentado coincidente e simultaneamente, mas com cada traço vividamente distinto, na construção desta Biblioteca infinda que não é outra coisa senão o Mundo. Títulos de relatos presentes em Ficções e “O Aleph” servirão de diretrizes para nossa abordagem: • Tlon, Uqbar e Orbis Tertius: Borges, o Naturalista • O Jardim dos Caminhos que se Bifurcam: Borges, o Cosmólogo • A Loteria em Babilônia: Borges, o Imoralista • O Aleph: Borges, o Metafísico Recorreremos igualmente, todavia, a ensaios, contos e poemas dispersos por todos os volumes das Obras Completas, especialmente História da Eternidade, Outras Inquisições, Discussão, O Informe de Brodie, O Fazedor e Atlas. Luiz Alberto Oliveira Físico, doutor em Cosmologia, pesquisador do Instituto de Cosmologia, Relatividade e Astrofísica (ICRA-BR) do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF/MCTI), onde também atua como professor de História e Filosofia da Ciência. Professor convidado da Casa do Saber do Rio de Janeiro, do PoP - Polo de Pensamento Contemporâneo, e da Escola de Artes Visuais – EAV/RJ, atualmente é curador do Museu do Amanhã.

46

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Datas: 11 de abril, 9 de maio e 16 de maio. Horário: 19h30 Local: Sala de Atos Investimento por conferência: R$ 5,00 (comerciários, estudantes e dependentes) R$ 10,00 (não comerciários) 56 vagas


música no hospital

músicos tocando no hospital por Marisa Muniz

Acordes Para a Vida

A música é usada para tratar doenças desde a Antiguidade, mas os primeiros artigos sobre os efeitos dela no corpo humano foram publicados apenas no século XVIII. Desde então, o assunto vem sendo estudado no meio científico. Hoje já se sabe que melodias agradáveis induzem a liberação de substâncias no corpo que causam sensação de prazer e bem-estar. Especialistas afirmam que a música pode ajudar no tratamento de várias doenças: vítimas de derrame cerebral, anomalias psicofísicas como a esquizofrenia, problemas tipicamente neurológicos, dores crônicas, no pós-cirúrgico e outras.

Uma vez por mês um grupo de músicos percorre as alas do hospital, levando alegria aos pacientes, acompanhantes e funcionários com suaves melodias, contribuindo assim no processo de recuperação. O projeto que teve início em 2011 já beneficiou mais de 5.200 pessoas até o fim do ano passado; e continua neste ano, transformando momentos de dor em momentos de alegria.

(fonte: http://www.bancodesaude.com.br)

Paralelamente, o hospital não deve ser visto como um lugar onde se trata doenças, mas sim um lugar onde se promove a saúde. E para a saúde, nada melhor que uma boa música. Assim nasceu o projeto “Acordes Para a Vida” que, como o próprio nome diz, são acordes que saem dos instrumentos e tocam diretamente o coração e a alma; tão poderosos que são capazes de dar uma pausa num dia típico do hospital.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

47


comércio em

movimento Criatividade e produtividade para o aprimoramento do comerciário.

O Sesc Paço da Liberdade está oferecendo gratuitamente a realização de atividades artísticas e educativas em empresas. O Comercio em Movimento - Sesc Paço da Liberdade é uma iniciativa do Sesc Paraná, com um repertório de atividades formadas a partir da própria sugestão de empresários e comerciários ou de ações prestigiadas já realizadas pelo Sesc Paço da Liberdade. As propostas levam aos comerciários um repertório

que atende às necessidades de desenvolvimento pessoal e profissional com entretenimento, sem que precisem se deslocar para terem acesso a essas atividades. Para receber as atividades em sua empresa, entre em contato diretamente com esta Unidade de Serviço, pelo telefone: 3234-4200.

28.05.2014 Em 2014, o Dia do Desafio completa 19 anos de existência no Brasil. A campanha, criada no Canadá em 1983, busca incentivar a prática regular de atividades físicas em benefício da saúde. Neste ano, o evento acontecerá no dia 28 de maio e as Unidades do Sesc serão novamente responsáveis pela coordenação das atividades no Paraná. Em 2013, foram mais de 3.400 cidades participantes e você pode contribuir para aumentar este número em 2014. Movimente-se! Participe das atividades promovidas pelo Sesc e registre sua

48

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

participação pelo telefone 0800-643 6690, ou pelo site www.sescpr.com.br. História O primeiro evento do Dia do Desafio aconteceu no Canadá em 1983. Sob uma temperatura de 20º C negativos, a prefeitura local lançou uma campanha incentivando a população à prática de exercícios físicos. No mesmo dia e hora, a população se reuniu e fez uma caminhada de 15 minutos. A adesão à campanha foi muito positiva e nos anos seguintes, outras cidades também aderiram ao Dia do Desafio, dando início ao evento no formato que conhecemos hoje.


Museu Oscar Niemeyer por Marcelo Cruz

aplicativoS de viagem

A tecnologia facilita a vida de quem tem um smartphone a viajar pelo mundo. Aqui vai uma lista de alguns aplicativos que podem tornar sua viagem mais tranquila e divertida.

Google Translate

couchSurfiIng (Aplicativo gratuito no Android e iPhone) O significado do nome é “navegando no sofá” e é a forma mais barata para você se hospedar. Funciona como uma comunidade baseada na confiança: você será convidado a se hospedar na casa de alguém e poderá retribuir a estadia a alguém de seus contatos. É muito semelhante a uma rede social, você pode filtrar para os perfis com os quais tem mais afinidade.

(Aplicativo gratuito no Android e iPhone) Um ótimo recurso é a tradução por voz, que engloba mais de 15 idiomas, inclusive o português. Basta gravar uma palavra ou frase para o aplicativo traduzir em texto. Esse recurso pode ser a ajuda necessária para traduzir o que alguém diz à sua volta. Basta ativar o serviço e manter o microfone próximo de quem fala.

XE Converter

MétrO

(Aplicativo gratuito no Android, iPhone e Windows Phone) Esse aplicativo é um ótimo conversor de moedas, pois permite fazer a conversão em mais de 180 países. Caso você precise de uma rápida cotação do dólar ou do euro, essa calculadora mostra taxas e gráficos instantaneamente.

Infraero

(Aplicativo gratuito no Android e iPhone) Este aplicativo permite conhecer informações sobre os aeroportos brasileiros e ficar por dentro do status de seu voo. A ferramenta, que informa a situação dos voos por aeroporto e por companhia aérea, traz ainda uma versão eletrônica do “Guia do Passageiro”, importante para tirar dúvidas sobre procedimentos do passageiro num aeroporto.

(Aplicativo grátis no Android e iPhone) Este aplicativo contabiliza as linhas do metrô de mais de 400 cidades ao redor do mundo. Ao fornecer o seu local atual e seu destino, o programa monta um itinerário que conta, inclusive, com indicações de onde descer. O banco de dados contém estações de metrô e trem, paradas de ônibus e pontos de interesse das cidades cadastradas.

Foursquare

(Aplicativo gratuito no Android, iPhone e Windows Phone) Esse aplicativo de geolocalização pode ser muito útil para quem está viajando ou visitando uma cidade desconhecida. Com ele, você fica sabendo quais os melhores lugares para comer e também encontra os pontos turísticos mais próximos. É possível refinar sua busca de acordo com o tipo de comércio que procura.

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

49


O Sesc Paço da Liberdade convida o público infantil para mais um divertido “Sábado no Paço”. O projeto, que faz a alegria das crianças, retoma suas atividades com oficinas de arte, contação de história, jogos de xadrez, cantinho da leitura, etc. O objetivo é dar oportunidade de acesso a atividades educacionais, artísticas, culturais e sociais para as crianças que transitam pelo entorno do Sesc Paço da Liberdade, visando o bem- estar e o desenvolvimento cultural.

Venha participar de momentos agradáveis de cultura e lazer. Datas: 12/04, 10/05 e 07/06 Horário Das 11h às 16h Local: Entorno do Sesc Paço da Liberdade

Abril Dia 1 4 4 5 5 7 8 8 8 9 10 10 10 11 11 11 12 12 15 15 15 16 17 17

50

Horário 19:00 18:00 19:00 10:00 14:00 19:30 18:00 19:00 19:30 19:30 18:00 18:00 19:30 19:00 19:00 19:30 11:00 10:00 18:00 18:00 19:00 19:00 18:00 19:00

Espaço Cinepensamento Pça. Generoso Marques Lab. Artes Eletrônicas Lab. Artes Eletrônicas Livraria Sala de Atos Sala de Apoio, 3° Andar Cinepensamento Sala da Atos Sala da Atos Sala de Apoio, 3° Andar Café do Paço Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Hall de Entrada Cinepensamento Pça. Generoso Marques Lab. Artes Eletrônicas Sala de Apoio, 3° Andar Café do Paço Cinepensamento Lab. Artes Eletrônicas Sala de Apoio, 3° Andar Lab. Artes Eletrônicas

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Evento Cine na terça: Potiche - Esposa Troféu Música - Banda E / OU Oficina Fotografia Digital Oficina Ilustração Digital Lançamento Livro: A Grade Roda de Histórias Mutações: Eugênio Bucci Oficina View points Cine na Terça: Filme de Amor Mutações: Pedro Duarte Mutações: Olgária Matos Oficina View points Show - Real Grandeza Mutações: Marcelo Jasmin Oficina Fotografia Digital Abertura Exposição: Ao Redor da Liberdade Ciclo: Borges Sábado no Paço Oficina Ilustração Digital Oficina View points Show: Água de Vintém Cine na Terça: José e Pilar Oficina de wordpress Oficina View points Oficina de wordpress

Página 39 14 25 26 33 7 24 39 7 8 24 16 8 25 22 46 43 26 24 16 39 28 24 28


17 18 19 22 22 23 23 24 24 24 24 24 25 25 25 25 26 26 26 29 29

20:00 19:00 10:00 18:00 19:00 19:00 19:00 19:00 18:00 18:00 18:00 19:00 19:00 18:00 19:00 19:30 10:00 16:00 20:00 18:00 19:00

Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Lab. Artes Eletrônicas Sala de Apoio, 3° Andar Cinepensamento Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Sala de Aula (2° Piso) Cinepensamento Sala de Apoio, 3° Andar Café do Paço Lab. Artes Eletrônicas Sala de Aula (2° Piso) Cinepensamento Lab. Artes Eletrônicas Livraria Lab. Artes Eletrônicas Pça. Generoso Marques Sala de Atos Sala de Apoio, 3° Andar Cinepensamento

Horário 18:45 10:00 14:00 17:30 19:00 14:00 19:00 14:00 19:00 20:00 14:00 18:45 19:30 10:00 10:00 11:00 19:00

Espaço Lab. Artes Eletrônicas Lab. Artes Eletrônicas Ateliê Pedagógico Entorno do Paço Cinepensamento Ateliê Pedagógico Ateliê Pedagógico Ateliê Pedagógico Ateliê Pedagógico Sala de Atos Ateliê Pedagógico Lab. Artes Eletrônicas Sala de Atos Ateliê Pedagógico Lab. Artes Eletrônicas Pça. Generoso Marques Cinepensamento

Música - Clube do Jazz Oficina Fotografia Digital Oficina Ilustração Digital Oficina View points Cine na Terça: O Espantalho Dalton para Todos - Bate-papo Nego Miranda Oficina de wordpress Dlaton para Todos - Oficina Oficina com Alexandre Matias Oficina View points Show: Carla Zago - trio Oficina de wordpress Dalton para Todos - Oficina Oficina com Alexandre Matias Oficina Fotografia Digital Noite de autografos - Meteórico Fenômeno Oficina Ilustração Digital Banda Uh la la Show: Marcelo Jeneci Oficina View points Cine na Terça: Todas as Mulheres do Mundo

18 25 26 24 39 36 28 36 29 24 17 28 36 29 25 32 26 14 10 24 40

Maio Dia 2 3 6 6 6 7 7 8 8 8 9 9 9 10 10 10 13

Evento Oficina Fotografia Digital Oficina Ilustração Digital Oficina Estêncil e Arte Urbana Show- Sonora Brasil Cine na Terça: O Pagador de Promessas Oficina Estêncil e Arte Urbana Oficina aquarela Oficina Estêncil e Arte Urbana Oficina aquarela Show: Ana Cañas Oficina Estêncil e Arte Urbana Oficina Fotografia Digital Ciclo:Borges Oficina Estêncil e Arte Urbana Oficina Ilustração Digital Sábado no Paço Cine na Terça: O Vendedor

Página 25 26 26 21 40 26 27 26 27 11 26 25 46 26 26 43 40

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

51


14 15 16 16 17 20 21 22 22 23 23 24 27 28 29 29

19:00 19:00 18:45 19:30 10:00 19:00 19:00 19:00 20:00 18:45 19:00 14:00 19:00 19:00 19:00 20:00

Ateliê Pedagógico Ateliê Pedagógico Lab. Artes Eletrônicas Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Cinepensamento Ateliê Pedagógico Ateliê Pedagógico Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Cinepensamento Ateliê Pedagógico Cinepensamento Ateliê Pedagógico Ateliê Pedagógico Sala de Atos

Oficina aquarela Oficina aquarela Oficina Fotografia Digital Ciclo:Borges Oficina Ilustração Digital Cine na Terça: Mutum Oficina aquarela Oficina aquarela Música - Clube do Jazz Oficina Fotografia Digital Filmclub Goethe-Institut: A Noite Sem Fim Oficina aquarela Cine na Terça: A Separação Oficina aquarela Oficina aquarela Show Quintetos para Guitarra de Luigi Boccherin

27 27 25 46 26 41 27 27 18 25 42 27 41 27 27 12

30 30 31

18:45 20:00 14:00

Lab. Artes Eletrônicas Sala de Atos Cinepensamento

Oficina Fotografia Digital Canto Gregoriano Cantus Libere Oficina: Storytelling

25 13 28

Junho

52

Dia 3-Jun 4-Jun 5-Jun 5-Jun 5-Jun 6-Jun 6-Jun 7-Jun 7-Jun 10-Jun 12-Jun 12-Jun 13-Jun 17-Jun 18-Jun 24-Jun

Horário 19:00 19:00 18:00 19:00 20:00 18:45 20:00 11:00 14:00 19:00 18:00 20:00 18:45 19:00 20:00 19:00

Espaço Cinepensamento Ateliê Pedagógico Café do Paço Ateliê Pedagógico Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Sala de Atos Pça. Generoso Marques Ateliê Pedagógico Cinepensamento Café do Paço Sala de Atos Lab. Artes Eletrônicas Cinepensamento Sala de Atos Cinepensamento

26-Jun 27-Jun

20:00 18:00

Sala de Atos Pça. Generoso Marques

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Evento Cine na Terça: Românticos Anônimos Oficina aquarela Show: Paul Wegmann e Santiago Beis Oficina aquarela Música - Clube do Jazz Oficina Fotografia Digital Música - Show Eles Cantam Caymmi Sábado no Paço Oficina aquarela Cine na Terça: Esses Amores Show: Carla Zago - Trio Música - Clube do Jazz Oficina Fotografia Digital Cine na Terça: Borboletas Negras Música - Mulheres cantam Chico Cine na Terça: Histórias que só Existem Quando Lembradas Música - Clube do Jazz Música - Ravi Brasileiro

Página 41 27 17 27 18 25 19 43 27 41 17 18 25 41 20 42 18 15


Bem-vindo a Curitiba! O edifício do Paço Municipal foi construído em 1916 para abrigar a primeira sede da Prefeitura Municipal de Curitiba e, posteriormente, o Museu Paranaense. Desde 2009, após dois anos de restauro, o Sesc PR devolve o edifício para Curitiba com uma ocupação baseada nos pilares da cultura, educação, inovação e acesso. Localizado na região do centro histórico da capital, o turista pode desfrutar do comércio e serviços do entorno do Sesc Paço da Liberdade. Abaixo algumas informações úteis. • • • •

Dias e horários dos Jogos da Copa em Curitiba. Seg 16/06, 16h – Irã x Nigéria Sex 20/06, 19h – Honduras x Equador Seg 23/06, 13h – Austrália x Espanha Qui 26/06, 17h – Argentina x Rússia

Como ir do Sesc Paço da Liberdade até a Arena da Baixada? Táxi: do Centro à Arena a corrida de táxi fica em torno de R$ 16,00, com duração de, em média, 10 minutos (este mesmo trecho a pé dura em torno de 35 minutos). Ônibus: da parada na Rua Barão do Serro Azul você pode pegar a linha 180 (Água Verde/Abranches) sentido Água Verde e descer próximo ao estádio (passagem R$ 2,70) – que fica na Rua Buenos Aires, 1260, bairro Água Verde. Tel. (41) 2105-5616. Tempo aproximado de 20 minutos. TÁxis centrais: Capital : +55 41 3022-2222 / 0800 6006666 Curitiba : +55 41 3376-7676 / 0800 414646 Faixa Vermelha : +55 41 3262-6262 / 0800 414141 Sereia : +55 41 3346-4646 / 0800 415252 Bares e Restaurantes do entorno do Sesc Paço da liberdade •Bar do Alemão: bar e restaurante tradicional pelo famoso submarino (mistura de chopp com uma dose de steinhäger), oferece pratos típicos alemães e diversos petiscos. Aberto para almoço e jantar. Rua Claudino dos Santos, 63 – Largo da Ordem +55 41 3223-2585 •Jokers Pub: oferece eclética programação e um cardápio variado. Possui programação musical à noite. Aberto também para almoço. Rua São Francisco, 164 | +55 41

3324-2351 •Nonna Giovanna: restaurante italiano tradicional do Centro Histórico, famoso pelos pratos Bife à Parmegiana e a Lasanha à Bolonhesa. Rua São Francisco, 134 l +55 41 3022-4653 •Bistrô Passeio: próximo ao Passeio Público, serve bufê por quilo de comida variada. Entre as sugestões da casa, está o feijão mexicano feito com grão carioca. Aos sábados, serve feijoada. Aos domingos, serve risotos e carnes assadas. R. Conselheiro Laurindo, 63 – Centro, +55 41 3029-1459.

Cultura

•Memorial de Curitiba – Rua Claudino dos Santos, 79 – Centro - Largo da Ordem, +55 41 3321-3313 •Solar do Barão – R. Pres. Carlos Cavalcante, 533 - Centro, +55 41 3321-3334 •Casa Romário Martins – Largo Coronel Enéias, 30 - São Francisco, +55 41 3321-3255

Postos de Informações Turísticas Tel.: 156 (Curitiba) +55 41 3074-6456 (demais regiões) turismoserv@turismo.curitiba.pr.gov.br Mercado Municipal Terça a sábado das 9h às 18h, domingo e segunda das 9h às 13h Avenida 7 de Setembro, 1865 - Centro +55 41 3262-5724 Rua 24 Horas Diariamente das 9h às 19h Entre as ruas Visconde de Nacar e Visconde do Rio Branco - Centro +55 41 3225-4336

Telefones Úteis

Aeroporto Internacional Afonso Pena: +55 41 3381-1515 Emergência- 190 Serviço Atendimento ao Turista (1ºDist): +55 41 3233-0070 Polícia Federal: +55 41 3360-7500 imigração/passaporte: +55 41 3360-7626 / +55 41 3360-7674 Rodoferroviária: +55 41 3320-3000 Serra Verde Express (trem passageiros): +55 41 3323-4007

informações pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

53


Welcome to Curitiba! The building of the Paço da Liberdade (Liberty Palace) was built in 1916 in order to be the first city hall and, afterwards, the State Museum. After two years of restoration, since 2009, the Sesc PR institution reopened the building with a new occupation policy, based on four pillars: culture, education, innovation and access. The tourist can enjoy the services and commerce of the region around the Paço da Liberdade, located at the historic center region. Here is some useful information: Schedule of the World Cup games in Curitiba. - Jun 16th (monday), 4:00 pm – Iran x Nigeria - Jun 20th (friday), 7:00 pm – Honduras x Equator - Jun 23rd (monday), 1:00 pm – Australia x Spain - Jun 26th (thursday), 5:00 pm – Argentina x Russia

Do you want to go from the Sesc Paço da Liberdade building to the World Cup Stadium?

Culture Memorial de Curitiba (Curitiba Memorial): 79 Claudino dos Santos street, centro, largo da ordem +55 41 3321 3313 Solar do Barão (Solar Baron): 533 Pres. Carlos Cavalcante street, centro +55 41 3321 3334 Casa Romário Martins (Romário Martins House): 30 Largo Coronel Enéias, São Francisco +55 41 3321 3255

By taxi: from downtown to the stadium the price is going to be around R$16,00 (about US$7,00). The route takes about 10 minutes by car and 35 minutes on foot.

Tourist Information Phone 156 (Curitiba) +55 41 3074-6456 (other cities) turismoserv@turismo.curitiba.pr.gov.br

By bus: you can take the bus #180 (Água Verde/ Abranches) at the bus stop down the street Barão do Serro Azul, towards Água Verde neighborhood and get down next to the stadium (which is located at the 1260 Buenos Aires street, Água Verde). The bus fare is R$2,70 (about US$1,10). The route takes about 20 minutes. Want to call a taxi? Taxi services: Capital: +55 41 3022-2222 / 0800 6006666 Curitiba: +55 41 3376-7676 / 0800 414646 Faixa Vermelha: +55 41 3262-6262 / 0800 414141 Sereia: +55 41 3346-4646 / 0800 415252

Pubs and restaurants around the Paço da Liberdade building Bar do Alemão (German Pub): traditional pub and restaurant. It is famous by its submarine drink (a mix of draft beer and steinhäger). It offers German food and several tidbits. Open for lunch and dinner. 63 Claudino dos Santos street, Largo da Ordem +55 41 3223 2585 Jokers Pub: it has an eclectic schedule and a varied menu. The pub features music by night. Open for lunch and

54

dinner. 164 São Francisco street +55 41 3324 2351 Nonna Giovanna (Italian Food): traditional Italian restaurant, located at the historic center. It is famous for its steak parmesan and lasagna Bolognese. 134, São Francisco street +55 41 3022 4653 Bistrô Passeio: Next to Passeio Público (the city’s first public park and zoo), the restaurant serves a great food variety in a per kilo buffet. Among the place suggestions the tourist might enjoy the Mexican white beans dish, feijoada on Saturdays and risotto with roast beef on Sundays. 63 Conselheiro Laurindo street, downtown +55 3029 1459

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Mercado Municipal (Municipal Market) Tuesday to Saturday, from 9:00 am to 6:00 pm, Sunday and Monday, from 9:00 am to 1:00 pm. 1865 7 de Setembro ave, centro +55 41 3262-5724 Rua 24 Horas (24 hour street)* Daily from 9:00 am to 7:00 pm Between Visconde de Nacar and Visconde do Rio Branco streets, centro +55 41 3225-4336 * the “24 hour street” is just a name, the place doesn’t really work 24/7

Useful Phone Numbers Afonso Pena International Airport: +55 41 3381-1515 Emergencies: 190 Tourist Care Service: +55 41 3233-0070 Federal Police: +55 41 3360-7500 Immigration / Passport: +55 41 3360-7626 / +55 41 3360-7674 Bus/Train Station: +55 41 3320-3000 Serra Verde Express (train service): +55 41 3323-4007


informaçþes pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

55


56

www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

informaçþes pelo email pacodaliberdade@sescpr.com.br ou pelo telefone (41) 3234-4200

56


Agenda Sesc Paço da Liberdade