Page 1

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

1


2

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


EXPEDIENTE

Carta ao leitor

A Coordenador Geral Rafael Jorge Pereira Coordenador de Criação André Maffeis Jornalista Responsável Juliana Moreno MTB: 0056878/SP Repórteres Bruno Rodrigues / Juliana Moreno Rafael Barbosa Colaboradores Gabriela Barreto / Raphael Chespkassoff Dr. Marcelo L. Galvão / Laura Baggio XPRES / Arch 0.7 / Solutudo Rafael Neto / Aline Cunha Gislaine Silva / Sidney Cruz

Outdoor deste mês vem embalada por muito carisma, simpatia e samba! Tudo isso, é claro, graças ao Raça Negra, destaque desta edição. Luiz Carlos, vocalista do grupo, conversou conosco para falar a respeito da história de sucesso que já se estende por quase 34 anos! Você já ouviu falar de arquitetura corporativa? É uma preocupação cada vez maior de empreendedores, que buscam transformar ambientes de trabalho em espaços funcionais, ecologicamente corretos e esteticamente atrativos. Em Moda Feminina o assunto é o veludo, tecido que foi hit nos anos 70 e depois nos anos 90, e é uma forte tendência para este inverno. Já em Saúde você vai conferir dicas para conseguir aproveitar ao máximo consultas médicas. Turismo traz como destino Bariloche, um paraíso gelado na região da Patagônia, uma opção tanto para os românticos, como para quem gosta de uma boa aventura radical. Confira estes e muitos outros assuntos a seguir! Boa leitura!

Revisão Juliana Moreno / Rafael Pereira Diagramação / Projeto Gráfico Bruno Vieira Veiga de Oliveira Departamento Jurídico Mariele de Oliveira Rosa OAB/SP 377.408 Agradecimento Evelyn Jardim – Texto Mais Ideias Comunicação Distribuição Boituva/Iperó/Cerquilho Tatuí/Sorocaba

Juliana Moreno

Assinaturas assinaturas@outdoorregional.com.br

Jornalista Reponsável pela Revista Outdoor Regional

Edições anteriores edicoes@outdoorregional.com.br Empresa Pereira e Maffeis Editora LTDA CNPJ: 13.970.830/0001-93

A revista não se responsabiliza por conceitos e opiniões emitidos por entrevistados e colaboradores, assim como não se responsabiliza pelo conteúdo de informes e anúncios publicitários

j-moreno@outdoorregional.com.br

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

3


4

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

5


6

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

7


Índice

14 64

16

10 12 14 16 18 20 22 24 28 40 44 48 50 52 56 62 64 66

Cinema Literatura Música Moda Masculina Moda Feminina Arquitetura & Decoração Reflexão Web Social Capa Esportes Saúde Games Turismo Direito Política Gourmet Crônica

Anúncios e Publicidade: Avenida Pereira Ignácio, 378 2º andar - sala 07 Telefone: (15) 3263-5028 (15) 99114-2136 contato@outdoorregional.com.br Empresa Parceira Solutudo – 3264-1457

44 8

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

www.outdoorregional.com.br


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

9


Juliana Moreno Jornalista MTB 0056878/SP

Cinema

j-moreno@outdoorregional.com.br

i

O ótimo roteiro e os personagens bem construídos são os grandes destaques

i

O filme é uma ótima pedida para os românticos incuráveis

10

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

i

Uma das premissas do filme é questionar a importância da privacidade


“Tudo e Todas as Coisas” Chega neste mês aos cinemas a adaptação cinematográfica do livro de Nicola Yoon, que conta a história de Maddy, uma inteligente e cheia de imaginação garota de 18 anos que, por conta de uma doença imunológica, não pode ter contato com nada fora de sua casa, um ambiente hermeticamente fechado. Ela vive trancada praticamente desde que nasceu, mas e quando ela se apaixona pelo menino que muda na casa ao lado? Os dois começam a ter uma relação online, conversando a todo tempo. Ela e Olly formam um vínculo tão profundo que os leva a arriscar tudo para ficarem juntos. O drama romântico é protagonizado por Amanda Stenberg e Nick Robinson.

“O Círculo” Na adaptação do livro homônimo de Dave Eggers, Mae (Emma Watson) é contratada para trabalhar na maior empresa de tecnologia e inovação do momento: O Círculo. Lá dentro, ela é convidada pelo CEO Eamon (Tom Hanks) para fazer parte de um experimento que testará os limites de sua privacidade, bem como o relacionamento com seus amigos e família. Com uma premissa que muito lembra a série “Black Mirror”, conheceremos um mundo em que todos precisam dar sua opinião e há uma necessidade extrema de ser “curtido”. Algo, aliás, bem próximo da nossa realidade. Aos poucos, Mae perceberá que nem todos os comportamentos praticados lá dentro são saudáveis, ficando cada vez mais difícil decidir se O Círculo está ou não no caminho certo.

“Quase 18” Nadine (Hailee Steinfeld) é uma garota que tem quase 18 anos e está envolta em crises existenciais típicas da idade. Além de não ser nem um pouco popular na escola e ter uma relação conturbada com a mãe, ela tem poucos amigos, totalmente o oposto de seu irmão Brian (Blake Jenner). Tudo piora quando sua melhor amiga, Krista (Haley Lu Richardson), começa a namorar seu irmão. Além de gerar um colapso na relação das duas, isso desencadeia uma série de eventos infelizes. Nadine, sentindo-se traída e abandonada, acaba forjando uma amizade com um professor (Woody Harrelson), que acaba lhe dando mais atenção até mesmo que sua ausente mãe, interpretada por Kyra Sedgwick. O professor, a princípio o perfeito antagonista, aos poucos estabelece uma conexão paternal com Nadine e a ajuda a enxergar além de seus passageiros problemas.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

11


Juliana Moreno Jornalista MTB 0056878/SP

Literatura

j-moreno@outdoorregional.com.br

“Amanhã Eu Paro!” Com mais de 3,5 milhões de livros vendidos, o autor Gilles Legardinier apresenta em “Amanhã Eu Paro!” uma história original e irreverente, que tem como protagonista Julie Tournelle, uma mulher de 28 anos que mora sozinha, trabalha em um banco e possui algumas características bem particulares, como ser impulsiva, eufórica e um pouco doida. E não se deixe enganar pela capa: de fato, este não é um livro sobre gatos. O aspecto crucial da obra é colocar em foco nuances do cotidiano de Julie, em meio às suas atrapalhadas paixões, complicações no emprego e incertezas da vida. Outra característica da personagem é se entregar de corpo e alma quando se apaixona, algo que veremos acontecer com o seu vizinho, o misterioso Ricardo Patatras. Autor: Gilles Legardinier | Editora: Arqueiro| 304 páginas

“Até que a culpa nos separe” O novo livro de Liane Moriarty chega às livrarias no final deste mês. Ela também é autora de “Pequenas grandes mentiras”, livro que deu origem à série Big Little Lies, da HBO. A história começa com um convite inesperado para um churrasco de domingo em Sydney, na Austrália. Três famílias resolvem passar uma tarde tranquila em uma linda casa, algo aparentemente bem comum. Entretanto, elas jamais imaginariam como suas vidas iriam mudar para sempre a partir daquele dia. Erika e Clementine são duas amigas de infância que, juntamente com suas famílias, são convidadas para o tal churrasco na casa dos vizinhos de Erika, que são ricos e extravagantes. O que deveria ser uma tarde comum, se transforma por conta de um acontecimento assustador que vai afetar a vida de todos e os forçar a analisar de perto suas escolhas, não somente daquele dia, mas da vida toda. Autora: Liane Moriarty | Editora: Intrínseca| 464 páginas

12

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

“Caraval” “Caraval” é o primeiro livro de uma trilogia homônima que fez o maior sucesso no exterior e chega neste mês no Brasil. Conheceremos a história de Scarlett e Donatella, duas irmãs que vivem na Ilha Conquistada de Trisda com o pai, o governador da ilha, um homem bastante cruel e capaz de tudo para manter suas filhas na rédea. Ele se tornou assim depois que a mãe das meninas desapareceu, o que também obrigou Scarlett, a irmã mais velha, a cuidar de sua inocente irmã até que estejam longe das garras do pai e da ilha de Trisda. A saída para essa vida de medo pode ser o Caraval, uma apresentação mágica que ocorre apenas uma vez por ano, na qual os convidados podem escolher apenas assistir ou participar de uma caça ao tesouro. A grande questão é que o Caraval pode ser bastante cruel, já que há nele uma tênue linha entre a realidade e a fantasia.

Autora: Stephanie Garber | Editora: Novo Conceito | 352 páginas


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

13


Bruno Rodrigues Jornalista e Pedagogo MTB 0071443/SP

Música

b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Pet Shop Boys O Rappa A banda carioca decola em Sorocaba no dia 11 de agosto, com uma apresentação às 20h no Clube Recreativo Campestre. Formada em 1993, O Rappa é conhecido por suas letras com fortes ligações às situações sociais vividas no Brasil. Mesclando rock, reggae, rap e

MPB, a banda faz sucesso entre as gerações dos anos 90 e a juventude que vem com sangue nos olhos para protestar contra a lambança política atual do país. Liderada por Marcelo Falcão, o grupo trará à cidade sucessos como “Pescador de Ilusões”, “Minha Alma”, “Me Deixa”, “O que Sobrou do Céu”, “Mar de Gente”, entre outros.

Ainda no quesito nostalgia a sugestão é para o show do Pet Shop Boys, que ocorrerá em 19 de setembro, no Espaço das Américas, em São Paulo. O duo também se apresentará no Rock in Rio. Trata-se de um ícone dos anos 80. Sucessos como “Always on my mind” e “West and girls” embalam os mais velhos e mostram aos mais novos o que faz parte da história da música electropop internacional.

Hanson “Mmmbop, ba duba dop, Ba du bop, ba duba dop”. O que é isso? Devem se perguntar os mais novos (risos). Jogue no Google e você perceberá que isso fez muito sucesso nos anos 90. Era ligar a tv no extinto canal aberto (hoje só a cabo) MTV e ver três garotos americanos retirando suspiros das adolescentes e fazendo até o mais sedentário mexer os pés. Trata-se da música “Mmmbop” da banda Hanson. Além deste sucesso, eles estouram ainda mais no Brasil com o hit “Save Me” na novela global “Laços de Família”, em 1997. Para quem curte ou sente saudade do som dos caras a boa notícia é que eles se apresentam em São Paulo, no Citibank Hall, no dia 25 de agosto. O show é referente à comemoração dos 25 anos de carreira dos loirinhos. 14

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

15


Gabriela Barreto

Moda Masculina

Produtora e Styling de moda g-barreto@outdoorregional.com.br

Calça Jogger Com a volta do moletom, a calça Jogger está em alta! Isso mesmo, aquela peça que era considerada para passar o domingo em casa é, agora, uma das mais importantes da moda masculina

16

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


Modelo um pouco mais solto, com barras em elástico e de origem esportiva, diferente da moda de calças assentadas que tivemos antes. O modelo é ótimo para se movimentar, dançar, exercitar, enfim, a calça Jogger  transformou o estilo “esporte” e chegou com força para fazer parte do cotidiano com conforto e praticidade.

Dicas 01 Os modelos de sarja são excelentes opções para trabalhar

Origem A calça Jogger tem origem na dança de rua e subcultura norte-americana, mas ganhou o mundo todo. Os esportes e a cultura de rua estão se tornando cada vez mais influentes no mundo da moda masculina. Por isso, itens como o moletom e a calça Jogger ganham mais espaço. Ela chegou às passarelas através dos rappers e cantores de música pop que começaram a utilizar modelos mais soltos e foi, aos poucos, conquistando homens pelo mundo todo. Houve algumas mudanças na modelagem, até que chegasse ao modelo que hoje é tendência entre ao desfiles.

Modelos Atualmente, você não encontra a calça Jogger apenas em moletom, mas também em sarja, couro sintético e vários outros materiais, que permitem  montar diversas opções de visual, como um evento mais casual, para o trabalho (que permita maior variação de roupas), para ir

02 Combine a calça com um tênis casual e uma camisa mais despojada

à faculdade ou para sair de noite. O modelo Jogger  é uma variação de calças entre o  saruel  e  sweatpants, que também tiveram bom espaço na moda recentemente. Entre todas as variações que estão surgindo, é possível encontrar calça jogger com barras mais altas, entrando na moda de calças curtas e barras dobradas.

Como usar Por ser um modelo completamente voltado para o street style, você pode encontrar desde a calça  jogger  bem larga até os modelos mais justos. Assim como também existe calça  lisa ou estampada. Tudo vai

03 Vale combinar com as botas masculinas, principalmente os modelos de calças em moletom mais escuro

depender do estilo que você deseja. Para as combinações, na parte de cima, a escolha é quase sempre para a camiseta. Essa é a combinação mais básica. Já nos dias frios, você pode combinar desde moletons fechados até jaquetas e suéteres. Tudo depende do material e do corte da calça. Por isso, vale aquela dica de sempre: bom senso!

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

17


Gabriela Barreto

Moda Feminina

Produtora e Styling de moda g-barreto@outdoorregional.com.br

O bom e velho veludo O tecido que foi hit nos anos 70 e depois nos anos 90, este ano é o queridinho dos estilistas

18

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


A

ntes de torcer o nariz para este tecido com cara de antiguinho, que fazia parte das roupas mais “sociais” dos anos 90, saiba que ele será tendência garantida e pode formar looks supercool. Vai ser difícil escapar dele, pois promete estar em grande escala presente no inverno.

O tecido O veludo vem para a temporada muito democrático e aparece em diversos tipos de roupas e acessórios: blusas, vestidos, calças, casacos, saias, shorts, camisas, bolsas, mochilas, sapatos, cintos, enfim. E além das roupas, o veludo também estará presente nos acessórios. Para as que ainda estão resistentes a aderir à moda, dá para experimentar em algo menor para começar, como um choker de veludo ou uma bolsa. Já para as mais fashionistas, o mais antenado na tendência seria os conjuntos no tecido, total veludo, e os calçados, como as botas de cano médio e alto, todas 100% de veludo.

uma ocasião especial, como também pode mesclar com jeans ou peças mais lisas. O veludo vai até com tênis, quebrando o gelo de um tecido velho e antigo para umas das maiores tendências em tecido para 2017.

O modelo O modelo de veludo que está mais em alta nessa temporada é o molhado, aquele com aparência bem brilhante que já foi adorado nos anos 90, sabe? Para usar sem errar, as cores em maior evidência e que mais aparecerão nas ruas são aquelas que lembrem os tons de pedras preciosas, como rosê, rubi, esmeralda e turmalina. Nas passarelas, nos desfiles das coleções outono-inverno 2017 só deu ele! Aposta máxima para essa temporada, o veludo apareceu na maior parte das coleções vistas no SPFW, traduzido como desejo coletivo.

Dicas 01 Peças de veludo molhado tendem a roubar a atenção pelo efeito brilhante que o tecido possui, desta forma, evite usar em partes do corpo que queira disfarçar

02 Invista nos conjuntos total veludo

03 Aposte sem medo nos acessórios de veludo, como bolsas, sapatos, brincos e colares

Como usar Um tecido elegante e luxuoso que vai das festas mais glam, até o dia a dia ou um happy hour, você pode optar por uma produção luxuosa para

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

19


RenataTomazela e Ana Beatriz Ghizzi

Arquiterura & Decoração

Arquitetas Arch 0.7 arq-dec@outdoorregional.com.br

Arquitetura Corporativa Passamos grande parte do nosso dia em nosso ambiente de trabalho e há quem fique mais no escritório do que em sua própria residência. Por esse motivo, empreendedores estão cada vez mais preocupados em transformar ambientes corporativos em espaços funcionais, confortáveis, ecologicamente corretos e esteticamente atrativos

i

O escritório da Arch 0.7 alia funcionalidade com conforto, sem deixar de lado a parte estética

A arquitetura coorporativa contribui para o sucesso da empresa, pois com um projeto personalizado, elaborado por um profissional qualificado, todas as necessidades serão atendidas, visando sempre o bem-estar e o custo benefício. A ideia de um local de trabalho planejado e bem apresentável favorece a empresa como um todo,

20

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

pois além de se tornar mais atrativa aos olhos dos clientes, irá agradar quem nela trabalha. Funcionários motivados e bem instalados, com certeza produzem mais! Prever em projeto locais onde o colaborador possa adequadamente se alimentar e relaxar um pouco durante seu tempo de pausa, fará com que ele sinta

melhor e torne-se mais produtivo.

Ergonomia Existem diversas maneiras de implantar essas melhorias arquitetônicas em seu negócio. A primeira delas é pensar ergonomicamente. A ergonomia é um fator fundamental para o conforto, bem


-estar e saúde de todos. A escolha dos mobiliários e iluminação merecem um cuidado a mais, pois irão influenciar no foco e rentabilidade das pessoas.

Layout Não menos importante que a ergonomia, um layout bem planejado pode influenciar e muito no rendimento de sua companhia. Nesta etapa de projeto será definida a disposição dos móveis, equipamentos, circulação e setorização das equipes de trabalho.

Economia Todo projeto resulta em economia, afinal, estamos falando de planejamento, levantamento de custos e estudos de reduções e gastos futuros. Uma área energeticamente mais eficiente, com a escolha de revestimentos, persianas

e recursos adequados, irá resultar em um isolamento térmico ideal e melhorias no aproveitamento da luz natural. Móveis de qualidade (durabilidade) diminuem gastos com substituição em curto prazo, uma boa economia que fará diferença no caixa da organização.

Imagem A imagem de um empreendimento vai muito além de um belo cartão de visitas ou um bom website. A relação da marca com o espaço físico deve existir para que clientes e colaboradores entendam de imediato qual o perfil e mensagem que a empresa deseja transmitir. Um ambiente corporativo não só pode, como deve ter elementos visuais atrativos, inovadores e diferenciados. Um bom projeto de arquitetura tem o propósito de viabilizar todos esses pontos, aliando missão, identidade visual e compromisso com seus parceiros.

Fotos: Andréia Sartorelli

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

21


Laura Baggio

Reflexão

Graduada em Letras, escritora, assessora pedagógica e Coach Life l-baggio@outdoorregional.com.br

Arco-íris Chove e esse cheiro molhado memórias me lavam.

um pingo espirra em mim toda a vontade de ser que não dá

impossível ser sempre tudo que há em si

precisa de muito sol para a chuva explodir

mas é verdade, que sem um o outro não pode existir

Para mais textos acesse www.oombrodaborboleta.blogspot.com.br

22

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

23


Bruno Rodrigues Jornalista e Pedagogo MTB 0071443/SP

Web

b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Historical footage Made in Brazil Um blog e uma página repletos de dicas de regras sobre nossa língua e várias palavras novas para conhecer

i

Os fatos atuais se tornam em memes que falam sobre a História

A página Que tal aprender história com divertidos memes? Pois é, essa é a proposta da página Historical footage Made in Brazil. Ou melhor, mais do que ensinar, é se divertir junto com os internautas. A página utiliza legendas em inglês e associa a fotos de situações contemporâneas, geralmente situações bizarras que logo viram piada nas redes sociais. Os temas variam de personagens de televisão a anônimos que estouram na internet. Sem demora um dos cinco administradores da página associa e os resultados ficam engraçadíssimos. Atualmente a página conta com quase 900 mil seguidores e a tendência é ir aumentando, já que muitas sugestões de quem acompanha a página acabam sendo usadas.

24

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

O criador O brasiliense Lucas Mayon, de 20 anos, é um admirador da história e junto com seus amigos gostava de discutir os fatos com memes. Assim surgiu a ideia de fazer uma fanpage. Em entrevista ao jornal Gazeta do Povo declarou que a brincadeira começou quando foram publicadas as fotos da rebelião na Penitenciária de Alcaçuz. A forma como os presidiários improvisavam armas lembrava o armamento da era medieval, então começaram a brincar com essa semelhança. Lucas é um estudante de Direito e planeja se envolver com a política após sua formação, mas garante que a Historical footage made in Brazil atua de forma imparcial. /worldhistorypics

i

Personagens famosos também são alvos da brincadeira


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

25


Gislaine Silva

Informe publicitário

Graduanda em Jornalismo g-silva@outdoorregional.com.br

Imobiliária do Rafa: 2 gerações e 1 história A Imobiliária do Rafa está completando 40 anos e para celebrar essa importante data, contaremos a história de sucesso da empresa, que será dividida em três partes

i

Acima Rafael Gianotti nos primeiros anos de Imobiliária e à esquerda prédio em construção, em 1987

Início da carreira

Rafael Gianotti, nascido em Boituva, estudou Direito na FADITU e formouse em 1974. Depois disso, permaneceu um ano morando em São Paulo, onde trabalhava e lecionava. Dois anos mais tarde, foi eleito vereador de Boituva e assumiu referido cargo em 1977, ano em que também decidiu montar um escritório de administração imobiliá26

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

ria, algo que não existia na cidade até então, tornando Gianotti pioneiro no gerenciamento de imóveis em Boituva. Nesse mesmo período, Rafael estava se preparando para a OAB, algo que julgava ser de suma importância para que pudesse permanecer aqui e não mais depender de um trabalho em São Paulo.

Boituva, nessa época, contava com as ruas centrais já asfaltadas, porém com pouquíssimas casas. Havia aproximadamente 15 mil habitantes e as empresas que geravam empregos na época eram a Manah, Taunus e ACE. A cidade já estava em franco desenvolvimento, várias construções estavam surgindo e isso fez com que começasse a fluir o trabalho do Sr. Rafael. “Alguns imóveis já tínhamos de próprios familiares e amigos que confiavam e deixavam comigo, o que facilitava o início nesse ramo, o que em pouco tempo resultou em mais ou menos 120 imóveis, quantidade a qual, para a cidade, era um crescimento espetacular da imobiliária. Porém, em contrapartida, me mantive próximo a essa quantidade, porque se aumentasse, necessitaria de uma infraestrutura que não era tão fácil naquela época, visto que não tínhamos toda a tecnologia e recursos dos dias de hoje”, conta. Não existia tecnologia que facilitasse a vida, e as fichas de locações e contratos eram feitos em máquina de datilografar. A comunicação boca a boca


era a ferramenta primordial para alavancar seus projetos e se tornar conhecido na cidade pelo belíssimo trabalho árduo e transparente.

Tempo de mudanças Em 1978, Gianotti conseguiu passar na tão sonhada OAB, o que facilitou muito em relação ao respaldo jurídico. “O Fórum era em Porto Feliz até 1995, quando se instalou uma vara distrital em Boituva. O trabalho desenvolvido na cidade vizinha, se fazia de forma rápida, diferente dos dias de hoje onde, por conta do grande número de processos existentes no Fórum de Boituva, existe certa morosidade nas decisões judiciais necessárias para esse tipo de coisa, e isso faz aumentar a burocracia para uma maior segurança contratual. Antigamente, você conseguia alugar um imóvel sem nenhuma burocracia, era necessário apenas um aluguel adiantado”, afirma. Junto com o escritório imobiliário, existiu também um despachante policial, o qual manteve parceria por 15 anos. O escritório inicial foi na garagem da casa de seus pais, na Rua Nicolau Vercelino. Depois, com a expansão da cidade e vendo a necessidade de aumentar, mudou-se para frente da Praça Durval Fioravante Gianotti em parceria com o engenheiro Marcos Rosa, com quem dividia a sala e o aluguel. Em 1979, casou–se e mudou-se para a Rua José Ferriello, onde ficou por oito anos, tempo no qual conseguiu construir o prédio da Nicolau Vercelino. Sua esposa, Eleni Modanez Gianotti, Engenheira Civil formada pela FACENS, prestava serviços de engenharia na parte de projetos o que, com o crescimento da cidade, fez dar certo a parceria entre eles.

i

Desde 2005, e aos 19 anos, Rafael Modanez Gianotti assumiu os passos do pai e está à frente da imobiliária

Mais mudanças Em 1997, junto à sua esposa, deu inicio à construção do Hotel Rafeli. A dificuldade que o mercado imobiliário apresentava, somado ao desgaste acumulado, o levou a abrir outro negócio, para assim não depender apenas da Imobiliária em si.

De geração para geração A história dos 40 anos da Imobiliária do Rafa foi e sempre será muito familiar. A presença da família em seu crescimento profissional foi fundamental para alavancar suas locações e projetos. A partir de 2005, seu filho, Rafael Modanez Gianotti, Advogado, formado pela FADI – Sorocaba, seguindo seus passos, assumiu o grande desafio de levar o nome que seu

pai construiu na cidade e com a mesma qualidade e transparência de sempre, sem perder a essência. Boituva completará 80 anos e para o Sr. Rafael a palavra que resume toda sua vida na cidade é gratidão. “Falar de Boituva é falar da história da minha família e também da minha vida profissional. Se fiquei todo esse tempo à frente da imobiliária devo à cidade que me fez agregar muitas experiências e crescimento. Boituva representa tudo e hoje não consigo me ver morando em outra cidade. Sou eternamente grato por tudo”, finaliza.

Na próxima edição Na segunda parte da história da Imobiliária do Rafa, falaremos sobre como foi a transição da empresa de pai para filho, bem como as mudanças que aconteceram por conta do crescimento da cidade.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

27


Social

Colégio Portinari Aconteceu no dia 20 de maio o 5º Festival da Família do Colégio Portinari, que neste ano contemplou o tema “É só acreditar”. O projeto sobre  Contos

28

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

de Fadas foi  desenvolvido no 1º semestre pela equipe pedagógica com os alunos e  enriquecido de valores  com a ajuda das famílias que se envolveram no contexto, produzindo fantasias e adereços. Todo o espetáculo e figurino é de direção das professoras Renata Corrêa Marcondes e Andreia Patricia Amicci Munhoz, diretoras do Colégio.

Também houve a colaboração da equipe de atores da Tati Camargo Produções e dos Bailarinos do Estúdio Fama, dirigidos pelo professor Paulo de Oliveira, que é o professor de dança das crianças na escola e responsável pelas coreografias da festa.  Fotos: Vincenzo Daldoss / Renato Sales


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

29


Social

Everly

30

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

No dia 3 de junho aconteceu o lançamento da coleção Moda Praia 2017/2018 da Everly. Numa noite bastante especial, os convidados puderam conferir um desfile que

apresentou todas as novidades que a linha trará para a próxima estação. Após o desfile foi oferecido um jantar para celebrar o lançamento da nova coleção. Fotos: Sidney Cruz


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

31


Social

Baile de Casais do ECC Fotos: Raphael Chespkassoff Vão

32

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

33


Social

Absurdo Chopp & Food

34

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


Show Biquini Cavadão Comenda Empreendedor Prefeito Olimpio Andrade e Título de Policial Padrão de Boituva/SP

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

35


Social

Bingo em Prol ao Lar São Vicente de Paula Fotos: Raphael Chespkassoff Vão

36

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


Colégio Anglo de Boituva Novamente, muitas pessoas se reuniram para prestigiar e tornar ainda mais marcante, a festa junina do Colégio Anglo de Boituva, que aconteceu em 10/06. Parabéns à Equipe Anglo, alunos e pessoal das barracas e brinquedos. A festa foi sensacional. Fotos: Colégio Anglo de Boituva

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

37


Social

2º Networking Solutudo Fotos: Rafael Neto

38

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

39


Capa

40

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


Bruno Rodrigues Jornalista e Pedagogo MTB 0071443/SP b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Dificilmente uma banda que atravessa gerações consegue conquistar jovens mantendose fiel ao seu repertório. Pois é, esta proeza é realizada ano após ano pelo grupo Raça Negra. Com seu samba romântico e original à pegada do pagode que faz até os mais tímidos se mexerem, a trupe de Luiz Carlos segue angariando fãs pelo Brasil e pelo mundo afora.

i

Conhecido por sucessos que desafiam o tempo, este ano o grupo completa 34 anos de estrada

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

41


i

O grupo traz na bagagem 12 vinis, 20 CDs e quatro DVDs

Recordistas Conhecidos por sucessos que desafiam o tempo, a banda Raça Negra é um marco em se tratando deste gênero. Eles foram os precursores do samba na rádio FM com a música “Caroline”. Na década de 90, entrou para o Guinness Book com a canção “É tarde demais” devido a impressionante marca de mais de 600 execuções em rádios num só dia. Mas todo este sucesso teve uma pitada de ousadia: a incursão de instrumentos incomuns ao seguimento como naipes de metais. Por incrível que pareça, a banda teve inspiração para começar graças ao sertanejo. “Acredita que os cantores sertanejos me influenciaram bastante? Eu tenho uma raiz bem romântica, melódica, gostava muito de Leandro e Leonardo, Zezé di Camargo e Luciano. De lá eu fiz um samba no modelo Raça Negra, algo novo”, explica Luiz Carlos.

42

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

Sucesso internacional A ascensão da banda para outros países veio com oitavo LP lançado também na Europa, Ásia e África, com as músicas “Preciso desse amor” (Luiz Carlos e Antônio Carlos Carvalho) e “É amor demais” (Elias Muniz e Luiz Carvalho), consagrando um dos maiores fenômenos musicais dos anos 90. Luiz Carlos sempre teve a batuta nas mãos para reger os passos do Raça Negra e é um ícone entre os nomes que surgiram posteriormente. Impossível falar em alguém que canta, toca e vive de samba que não tenha bebido da fonte dos sambistas: Luiz Carlos (vocal), Fabinho César (pandeiro e violão), Fena (surdo), Fernando (tantan), Fininho (bateria), Irupê (Sax e flauta). Este ano eles completam 34 anos de carreira e trazem na bagagem 12 vinis, 28 CDs e quatro DVDs. Dentre as tantas viagens levando o som do Raça, uma situação foi inesquecível. “São muitos

momentos marcantes, mas sem dúvidas, um dele é o mais inesquecível. Foi em 1995, durante uma guerra da Angola onde os soldados de lá e Portugal estavam se matando. Fomos para Luanda fazer um show e neste dia pararam os combates e no mesmo lugar estava o guerrilheiro Jonas Savimbe e os soldados do exército de Portugal. Ficamos muito felizes”, relembra o cantor.

Quinto DVD Por fim, num trabalho muito especial para a banda, eles realizaram no Espaço das Américas, em São Paulo, o 5º DVD da carreira. Para deixar o trabalho recheado de companhias marcantes, eles chamaram alguns amigos. Em uma mistura popular, foram convidados: Xand (Aviões do Forró), Leonardo, Thiaguinho, Eduardo Costa, Bruno & Marrone e Chitãozinho & Xororó. Este DVD é o segundo de uma


série de encontros. A ideia é homenagear cada participante colocando na voz do Raça Negra sucessos dos convidados e vice e versa. Uma grande festa para a música. “Uma das partes mais legais foi ver as respostas dos convidados quando fomos chamando para participarem, era uma coisa incrível, eles faziam questão de estarem ali! Outra coisa, o fato de esgotar tão rápido, isso foi maravilhoso, casa lotada!”, salienta o líder da banda.

Relação com a internet Além de todo trabalho nos palcos a banda faz muito sucesso na internet. Foi uma simpatia naturalmente conquistada entre os fãs de variadas idades que citam o nome da banda em carinhosas brincadeiras. “Temos a maior honra de fazer parte de um momento tão importante para a tecnologia e comunicação, somos uns dos mais comentados, até o Chapolim

Com seu samba romântico e original à pegada do pagode que faz até os mais tímidos se mexerem, a trupe de Luiz Carlos segue angariando fãs pelo Brasil e pelo mundo afora Oficial, um perfil que eu particularmente adoro, ele veio nos prestigiar no DVD e disse que quando posta Raça Negra tem muitos compartilhamentos e curtidas, isso é bem legal, mostra que somos a banda de todas as gerações”, conta. O fato é que não há quem resista o balanço gostoso da banda que pode ser ouvido tanto numa atividade física quanto num acalorado churrasco entre amigos e familiares num domingo de sol aconchegante. E não para por aí. “Os fãs podem esperar muitos shows, continuar viajando pelo país, e pretendo gravar outro DVD Raça Negra e Amigos III, quem sabe com cantores do pop”, conclui Luiz Carlos.        

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

43


Bruno Rodrigues Jornalista e Pedagogo MTB 0071443/SP

Esportes

b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Velocidade nipônica Único piloto japonês a subir nos pódios de Fórmula 1 e Fórmula Indy fez história nas 500 milhas

O feito histórico As 500 Milhas de Indianápolis já é especial por si só. O circuito oval chegou a sua 101ª edição e teve como outro atrativo interessante a estreia de Fernando Alonso, piloto espanhol da Fórmula 1. A prova contou com todos os ingredientes que os espectadores esperam: velocidade, adrenalina e acidentes espetaculares. Só não contavam com uma vitória oriental. Pois bem, com um final de prova emocionante, o piloto japonês Takuma Sato conseguiu ultrapassar o brasileiro Hélio Castroneves a quatro voltas do fim e venceu a prova mais prestigiada da Fórmula Indy. Sato foi o primeiro japonês a vencer as 500 milhas e escreveu seu nome da história como o pioneiro vitorioso da terra do sol nascente. Este foi o segundo triunfo na categoria do piloto de 40 anos.

44

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

A outra vitória aconteceu em 2013, na etapa de Long Beach. Curiosamente, em 2012, Sato sentiu o gostinho da vitória até a última volta, mas ao tentar ultrapassar o escocês Dario Franchitti bateu e teve que amargar a perda da chance. Sato é o único piloto asiático que já chegou ao pódio tanto na Fórmula 1 quanto na Fórmula Indy.

A carreira Takuma Sato nasceu em Tóquio, no dia 28 de janeiro de 1977. Começou sua carreira automobilística em 2001, quando a Honda o levou à Fórmula 1 como piloto de testes da BAR. Neste mesmo ano, Takuma Sato também disputou o campeonato da Fórmula 3 inglesa. Em 2002, fez sua primeira corrida oficial na Fórmula 1 pela equipe Jordan. Neste ano pode viver a emoção de conquis-

i

Sato venceu a prova aos 40 anos

i

Esta foi a segunda vitória do japonês na categoria

tar um comemorado quinto lugar no circuito do Japão, em que pontou para sua equipe e de quebra alegrou seus conterrâneos. Em 2004, foi ao pódio pela primeira e única vez na Fórmula 1 representando a BAR, quando chegou em terceiro lugar no Grande Prêmio dos Estados Unidos, disputado no circuito misto de, pasmem, Indianápolis. Em 2006 passou a competir pela equipe japonesa Super Aguri. Seu melhor resultado acabou sendo um sexto lugar no Grande Prêmio do Canadá em 2007. Deixou a categoria em 2008, após o fim da equipe nipônica, no Grande Prêmio da Espanha. A partir de 2010 ingressou como piloto da Fórmula Indy.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

45


Informe publicitário

Cerveja Crystal lança nova identidade visual A Cerveja dos Encontros presenteia consumidores com embalagem mais moderna

i

A nova identidade traz à tona os valores da marca de maneira arrojada e universal

Novidades

Praças de expressão

A mudança faz parte do conjunto de Com forte expressão especialmente estratégias para a manutenção do cres- no interior de São Paulo, Minas Gerais, cimento da marca e visa modernizar Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do a Cerveja dos Encontros. Criada pela Sul, a cerveja Crystal pretende expandir agência FutureBrand em um proces- sua operação nos próximos períodos. so que durou mais de seis meses de O mercado de cervejas no centro oespesquisas, a nova identidade visual da te cresce aproximadamente 6,2% no Crystal apresenta riqueza de detalhes comparativo de anos móveis em valor, e soma de grafismos, que refletem os principalmente devido ao crescimento mais diversos estilos de encontros. dos bares. Já no interior de São Paulo, A paleta de cores também foi revisada o mercado cervejeiro é movido pelo e o novo amarelo da lata vem acompa- crescimento de compra no autossernhado de tons dourados e vermelhos. A viço, enquanto a marca Crystal cresce logomarca também foi redesenhada e nos bares. resgata o símbolo principal das primei- Até o final deste ano, as gôndolas de ras versões da cerveja Crystal, reme- todo o território nacional terão a cervetendo aos atributos do produto, como ja Crystal com novo design. O consumileveza e pureza. Esta é a quinta vez que dor terá acesso à nova identidade em a Crystal evolui em sua comunicação vi- todas as embalagens da cerveja (latas sual, sempre atenta aos hábitos de seus de 310 ml, 350 ml e 473 ml e garrafas de consumidores. A nova identidade traz 355 ml e 600 ml). Além disso, geladeià tona os valores da marca de maneira ras, banners e outros materiais visuais arrojada e universal, rompendo estereó- também serão renovados. tipos enquanto celebra as culturas dos Aliado a tudo isso, a Crystal continua consumidores locais.  promovendo importantes eventos mu                                                                                                               

46

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

sicais como o Festeja e o “Encontro Crystal”, o Festival de Praia Araguaia, entre outros.

Sobre a Crystal

Crystal é uma cerveja leve, cristalina, preparada com ingredientes cuidadosamente selecionados e matérias-primas especiais. Além de todos esses atributos, ela também é pioneira: foi a primeira cerveja do Brasil a receber o selo de proteção no bocal das suas latas. Saiba mais em www.cervejacrystal.com.br e no www.facebook.com/CrystalCerveja


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

47


Dr. Marcelo L. Galvão

Saúde

Farmacêutico Bioquímico e Secretário da Comissão Técnica do Conselho Reg. de Farmácia de Sorocaba CRF-SP 50.071 m-galvao@outdoorregional.com.br

Dicas sobre consulta médica Como aproveitá-la ao máximo e voltar para casa sem dúvida alguma

i

Caso o médico escreva a próprio punho a receita e não esteja legível, você tem o direito de solicitar a receita impressa

Os relatos quase sempre são os mesmos. O paciente sai de uma consulta médica muitas vezes com mais pontos de interrogação do que quando entrou no consultório. Com dicas simples você poderá aproveitar melhor a consulta e ter um tratamento correto e eficaz.

48

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

Antes Compre um caderninho simples para usar em todas as consultas. Marque nele a data da consulta, nome do médico, qual a especialidade dele, como por exemplo, oftalmologia.

Você pode marcar algumas páginas para cada médico igual você fazia com as matérias da escola. Esse caderno será seu registro de consulta. Quando fizer o agendamento, faça as anotações e as perguntas relacionadas ao motivo da consulta. Sempre fazemos isso de cabeça, mas na hora,


Com isso, o médico avalia a possibilidade de prescrever de forma mais clara possível.

Depois Caso entre a consulta e a compra do medicamento você tenha tido alguma nova dúvida, anote também no caderninho. Com a sua receita e seu caderninho em mãos, procure uma farmácia para comprar seus medicamentos. Entregue a receita e faça as perguntas que anotou. O farmacêutico te ajudará em tudo que for possível e com a receita legível, os riscos com a interpretação da receita e posologia são praticamente inexistentes e evita futuras problemas caso o farmacêutico não consiga compreendê-la! cara a cara com o médico, sempre dá um branco e só lembramos quando estamos em casa. Marque também o que você está sentindo, a intensidade e o local da dor etc.

Durante Já com o médico, use o caderninho como um guia. Se possível, anote as respostas para não se esquecer de nada. Nas páginas iniciais você pode colocar um lembrete padrão sobre alergia a medicamentos, alimentos, os remédios que já utiliza (nome do medicamento, dosagem, posologia e nome do médico que prescreveu). Mostre essa lista sempre que for a

um médico diferente e vá atualizando quando necessário. Isso é importante para que o médico, na hora de prescrever um novo medicamento, se atente a possíveis interações. Quando ele for lhe entregar uma receita ou notificação de algum medicamento tente ler de imediato. Você não tem a obrigação de conhecer os nomes, mas você deve conseguir ler o que está escrito. Questione sua finalidade ou qualquer outra dúvida. Caso o médico escreva a próprio punho a receita e não esteja legível, você tem o direito de solicitar a receita impressa. Ah, você também pode pedir para o médico que você tem a preferência por medicamentos genéricos ou fórmulas manipuladas.

Médico – Paciente – Farmacêutico Quando a comunicação entre os três é clara, tanto o médico como o farmacêutico conseguem levar à você, paciente, as melhores condições para tratá-lo de forma mais eficiente. Continue lendo sobre esse assunto no site www.chameofarmaceutico.com.br ou nas mídias sociais: Facebook, Youtube e Instagram @chameofarmaceutico ou Twitter @chameofarma Contato ou Sugestões chameofarmaceutico@hotmail.com

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

49


Rafael Barbosa Jornalista

Games

r-barbosa@outdoorregional.com.br

Prey Mesmo tendo sito totalmente reformulado e modernizado, o rebbot de Prey se mostra um jogo tão problemático quando divertido Prey não foi um grande sucesso comercial quando lançado, em 2006. Embora tivesse algumas ideias interessantes e tenha sido apreciado pela crítica, o game não empolgou o público e foram precisos mais de 10 anos para que o título voltasse, agora pelas mãos da Arkane Studios, que renovou totalmente a game com este novo reboot, que deixa o lado místico/espacial do título anterior para investir na ficção cientifica. Controlamos Morgan Yu, o membro

50

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

de uma influente família que tem a pior entrevista de emprego da história dos games, quando vê a estação espacial onde pretende trabalhar (a Talos 1) ser tomada por uma misteriosa raça alienígena. Ao embarcar em uma narrativa cheia de mistérios e conspirações, o game traz grandes influências da série System Shock com sua temática que mistura ficção cientifica e horror, a narrativa transmitida de forma indireta e o foco na exploração dos am-

i

Desenvolvedora: Arkane Studios Produtora: Bethesda Softworks Plataformas: PC, PS4, X One lançamento: maio 2017

i

A ambientação do game é incrivelmente detalhada e apesar dos perigos, Talos 1 é um lugar de encher os olhos


Que alien feio

bientes, aspecto onde o jogo realmente brilha.

Conheço demais, me importo de menos Explorar os diversos setores desta estação espacial gigantesca é uma das partes mais divertidas do game, que traz uma ambientação muito bem construída com cenários amplos e recheados de informações sobre a narrativa do game e o seu universo, além de investir em uma estrutura semelhante à da franquia Deus Ex, onde cada local oferece diversas opções de ação. Raramente existe apenas uma forma de se acessar uma determinada área

e cabe ao jogador descobrir como transpor estes obstáculos através da observação do ambiente e utilizando as diversas habilidades que podem ser adquiridas e evoluídas durante o jogo, o que nos incentiva a utilizarmos nossa imaginação para superar os desafios que encontramos. Embora conte com uma história intrigante, o game peca ao investir quase que exclusivamente na utilização de textos e áudios para construir sua narrativa, o que tira todo o carisma dos personagens e faz com que tenhamos pouca empatia por Morgan e pelas outras pessoas que viveram em Talos 1. No final, existe uma grande diferença entre conhecer uma história e se importar com ela, algo que o jogo parece não entender.

Mas apesar das falhas narrativas, os combates são o pior aspecto do game. Embora os inimigos sejam o principal motivo de tensão presente no game, com destaque para a criatura que consegue se transformar em objetos do cenário, o design artístico dos aliens é fraco e enfrentá-los nunca é realmente divertido, principalmente no início do game, quando nossa capacidade ofensiva é limitada, o que aliado ao alto nível de poder dos monstros, rapidamente torna os embates frustrantes. A situação se torna um pouco mais suportável quando evoluímos nossas habilidades, porém se por um lado o game traz um sistema interessante onde temos acesso a novos poderes ao observarmos nossos inimigos, por outro ele limita o jogador ao deixar claro que haverá consequências negativas se utilizarmos determinadas habilidades, tirando a vontade do jogador em explorar estas possibilidades e sabotando que o que poderia ser uma das melhores partes do game. Mesmo tento sido totalmente reformulado, o Prey de 2017 se mostra um jogo muito parecido com sua versão de 2006, sendo um game medíocre com algumas boas ideias.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

51


Bruno Rodrigues Jornalista e Pedagogo MTB 0071443/SP

Turismo

b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Bariloche Um paraíso gelado na região norte da Patagônia que une atrações românticas e para os apaixonados por aventuras radicais

52

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

Atrações e hospedagens Ainda aproveitando esta época mais gelada, seguimos com sugestões pra lá de adequadas para esta estação. Aqui na América do Sul mesmo, na nossa simpática vizinha Argentina, há um paraíso gelado que chega a atrair mais de 50 mil brasileiros em sua alta temporada. Trata-se de Bariloche, cidade que fica na região norte da Patagônia.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

53


A neve por lá se forma no começo do mês de junho e não derrete até o fim de setembro, transformando a paisagem, repleta de montanhas, matas, lagos e rios em um verdadeiro show da natureza. Destino perfeito para quem gosta de aventura, Bariloche oferece aos turistas belíssimos passeios aos cerros ou às colinas, mais tradicionais durante o dia. Esquiar e andar de teleféricos são programas obrigatórios. No quesito hospedagem, você tem à disposição 35 mil leitos em 615 estabelecimentos. Portanto, encontrará hotéis com preços que partem de R$ 250 a diária — e chegam a cifras bem mais salgadas. Se a intenção é ter momentos mais românticos ou luxuosos, existem opções como o Charming Luxury Lodge. Bariloche fica às margens do extenso lago Nauel Huapi, que desenha uma paisagem ainda mais deslumbrante. Visto do alto de Cerro Catedral a imagem fica digna de arrancar suspiros.

54

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


i

O belíssimo lago Nauel Huapi é parada certa para os praticantes de windsurf

Gastronomia e lazer noturno Após apreciar os lindos visuais durante o dia, à noite uma boa pedida é se deliciar com parrillas, empanadas e carnes de caça, um hábito herdado da cozinha patagônica que pode ser degustado com pratos a base de javali e cordeiro. Os vinhos, que são produzidos na cidade ou até cervejas artesanais, acompanham as degustações gastronômicas acrescentando um requinte inigualável. Para a sobremesa, o chocolate não pode ficar de fora, já que Bariloche é a capital nacional do chocolate. Para fechar “la noche” nada melhor que os pubs e barzinhos distribuídos no Centro Cívico. Seja qual for a intenção de conhecer este maravilhoso pedaço argentino, tanto se aventurando como relaxando num roteiro romântico, esta prazerosa bifurcação o levará para uma viagem inesquecível.

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

55


Aline Cunha Advogada OAB/SP 318.489

Direito

direito@outdoorregional.com.br

Pensão alimentícia Devedor de alimentos pode ter nome inscrito em órgãos de restrição ao crédito

Obrigação alimentar O devedor de alimentos pode ter seu nome inscrito em cadastro de restrição ao crédito (SPC e Serasa). Tal possibilidade está prevista no artigo 782, §3º do Código de Processo Civil: “A requerimento da parte, o juiz pode determinar a inclusão do nome do executado em cadastros de inadimplentes”. Existem diversos instrumentos ao alcance dos juízes para que se concretize o cumprimento da obrigação alimentar. São formas de coerção previstas na lei para assegurar ao credor dos alimentos a efetividade de seu direito, como o desconto em folha de pagamento, a penhora de bens e até a prisão civil.

Negativação A negativação do nome nos órgãos de restrição ao crédito é uma forma menos rigorosa do que a prisão para obrigar o devedor a pagar os alimentos ao credor. É um meio válido e que coage o devedor a cumprir com sua obrigação. Assim, poderá o juiz, em processos de execução, mandar inscrever o nome do devedor em cadastros de inadimplentes, o que gera inúmeros prejuízos, como: impossibilidade de abrir conta bancária, dificuldade em abertura de crédito e empresas, entre outros.

Formas de cobrança A possibilidade de novas formas de cobrança, como a inscrição do nome do devedor nos órgãos de restrição ao crédito visa desmistificar a ideia de que mesmo que seja executado (cobrado), se o devedor não possuir bens, nada irá lhe acontecer, dificultando, assim, suas manobras em manter-se em situação de inadimplência sob a justificativa de ineficácia da cobrança por ausência

56

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

de bens a serem penhorados e expropriados para pagamento do débito alimentar. Sabe-se que realmente há devedores que não possuem bens, porém, não têm o nome negativado e passarão a ter.

Considerações O caráter da urgência de que se reveste o crédito alimentar e sua relevância social são fundamentais para que o juiz determine a negativação do nome do devedor, pois assim é bem prová-

i

A negativação do nome nos órgãos de restrição ao crédito é uma forma menos rigorosa do que a prisão para obrigar o devedor a pagar os alimentos ao credor

vel que este pense muito antes de deixar de pagar os alimentos devidos. Se o valor fixado a título de alimentos estiver muito elevado, tornando-se impossível o seu pagamento é necessário ingressar com ação judicial para revisão dos valores já determinados e nunca deixar de pagá-los sem autorização judicial.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

57


Parceiro Solutudo

Espaço Più Bella Bia Fantinatti, uma jovem cabeleireira especialista em cabelos loiros e em nutrição capilar, vem renovando o mercado na região e trazendo muitas novidades em seu Espaço!

i i

Legenda

Em março deste ano o salão mudou-se para um novo espaço, mais confortável e amplo para melhor atender a clientela

O sonho Inaugurado em setembro de 2014, o projeto que até então não passava de um sonho de uma garota de 19 anos, graças à ajuda de sua mãe e de seu avô, saiu do papel e tornou-se realidade. Assim começaria a trajetória do Espaço Più Bella, em um pequeno e não tão bem localizado ponto na cidade de Boituva, porém, com grande sucesso na conquista de clientes, o salão já se destacava por seus serviços diversificados e atendimento exclusivo.

58

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

O novo espaço Em março de 2017, o salão se mudou para outro espaço, onde conseguiram trazer mais conforto para sua clientela, em um ambiente climatizado e mais amplo, além de uma sala completa de estética cheia de novidades para a mulherada.

Especialidade A saúde do seu cabelo é a nossa especialidade! Estamos sempre em busca dos melhores produtos e tendências, para que cabelos que não sejam apenas maravilhosos, mas sim saudáveis e com plena vida. Além, claro, dos excelentes resultados após a especialização em loiros, que simplesmente fez a cabeça das mulheres! Rua Prof. José Assad Atalla Jr., 438, Jardim Oreana – Boituva/ SP (15) 3268-7173 | (15) 99698-5487 Facebook: Espaço Più Bella Instagram: @espacopbella


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

59


Parceiro Solutudo

Pilão Automóveis 33 anos de qualidade e bom atendimento para você

lembra Agomar. “Estamos em tempos difíceis para todos, mas com muito empenho e dedicação, conseguimos realizar muitos sonhos e agradecemos a todos pela confiança em nosso trabalho”, completa.

i

Fidelidade, qualidade no atendimento e o intuito de servir é o lema do Pilão

Nosso compromisso Fundada em 1982, pelo “Seu Pilão”, a Pilão Automóveis completou 33 anos no ramo de carros usados e 0km em Boituva/SP. “Fidelidade, qualidade no atendimento e o intuito de servir, este é o lema da Pilão Automóveis”, afirma o proprietário Agomar César Dorighelo, que assumiu a administração a partir de 1995.

Atendimento A Pilão Automóveis mantém sempre um estoque atualizado e com veículos de qualidade para atender a todos os perfis de clientes. “Sempre pensando em você, a Pilão busca as melhores parcerias com os bancos e as melhores taxas para que você realize seu sonho”,

60

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

i

Agomar César Dorighelo, proprietário da Pilão Automóveis

i

A loja está há 33 anos no ramo de carros usados e 0km em Boituva

A loja A Pilão Automóveis está de portas abertas para ajudar você, seja na compra, troca ou venda de veículos novos e usados. Que possamos contribuir para novas conquistas”, finaliza Agomar. Faça-nos uma visita! Estamos na Rua Guilherme Primo, 294, em Boituva.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

61


Bruno Rodrigues Jornalista e Pedagogo MTB 0071443/SP

Política

b-rodrigues@outdoorregional.com.br

Temer segue relutante à renúncia

i

Diretas Já? Em meio a um turbilhão de acontecimentos o país segue dividido entre os que querem que o mandato de Temer se conclua e os entusiastas de uma nova eleição direta

A turbulência de Temer e Aécio Quando o jornal O Globo anunciou que o presidente Michel Temer estava envolvido com um esquema de corrupção, o país se encontrou em um chocante momento político. E não houve somente este escândalo. O empresário Joesley Batista, dono da JBS, também citou o nome do

62

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

ex-presidente e senador do PSDB, Aécio Neves. Através de gravações, o conteúdo mostrava que Aécio e o empresário acertam o pagamento de R$ 2 milhões para pagar advogados que defendem o tucano. Os milhões eram repassados ao senador em um esquema que envolvia compra e venda de imóveis em diversas cidades. Em consequência das delações, a irmã de Aécio, Andrea Neves, e o primo do senador afasta-

do, Frederico Pacheco de Medeiros, foram presos pela Polícia Federal. Quanto a Temer, em uma das gravações, o presidente é mostrado dando anuência para o pagamento de propina ao deputado cassado Eduardo Cunha em troca do silêncio dele. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Logo depois, Ro-


i

Joesley Batista, pivô das gravações

Divisão

cha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou dizendo o que se tornaria uma famosa frase: “tem que manter isso, viu?”. Não demorou muito e os ruídos de “Fora Temer” só aumentaram. A investigação seguiu e Loures foi preso, aumentando ainda mais a tensão para cima de Temer.

O movimento que pede por “Diretas Já” mobilizou São Paulo e Rio de Janeiro. No Rio, o ato foi organizado por movimentos de esquerda: Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo. Contou, também, com a presença de sindicatos e com discursos de líderes partidários. Contudo, os maiores destaques ficaram por conta do apoio de renomados artistas como Caetano Veloso, Milton Nascimento, Maria Gadú e Wagner Moura, entre outros. Por outro lado, existem diversos defensores de que o governo Temer deva ser concluído, ou em caso de impeachment, que Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, deva assumir os trilhos até uma nova eleição em 2018. Fernando Henrique Cardoso é um dos antagonistas a respeito das “Diretas Já” e declarou que para o bom funcionamento da economia brasileira as reformas propostas por Temer e seus ministros devem ser mantidas. O fato é que “Diretas Já” se configuraria em algo inconstitucional, logo, um golpe à constituição. Justamente algo que os defensores do PT tanto gritaram a pleno pulmões. O Brasil está longe de ter uma solução, no entanto, uma pergunta que não pode ser ignorada é: a quem favorece essas eleições diretas?

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

63


Juliana Moreno

Gourmet

Jornalista MTB 0056878/SP j-moreno@outdoorregional.com.br

Rosquinhas Uma receita que tem “cara” de casa de vó e com certeza vai fazer bastante sucesso nas tardes frias de outono, acompanhada de um bom café!

Ingredientes 4 xícaras de farinha de trigo 1 xícara de açúcar refinado 1/2 xícara de óleo 1/2 xícara de leite 2 ovos 1 colher (sopa) de fermento em pó 1 pitada de sal

Modo de Preparo 01 . Comece amassando todos os ingredientes, colocando a farinha de trigo por último, aos poucos, até que a massa chegue no ponto de enrolar 02 . A consistência certa é quando ficar parecendo uma massinha de modelar, sem grudar nas mãos 03 . Deixe descansar por uns 10 minutos e comece a enrolar no formato de rosquinha 04 . Nesse momento em que estiver modelando as rosquinhas, já pode colocar o óleo para esquentar no fogo baixo 05 . Na hora de fritar mantenha o fogo baixo e deixe até que fiquem moreninhas 06 . Depois de fritas, passe no açúcar refinado e na canela em pó se desejar

64

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

65


Rafael Barbosa Jornalista

Crônica

r-barbosa@outdoorregional.com.br

Puxando o freio de mão da expectativa Se você tem algum tipo de expectativa, você com certeza vai se decepcionar. Essa é uma afirmação tão certa quando dizer que a Anitta já fez plástica no nariz e não há como fugir desta triste verdade, afinal, assim como o final da sua série favorita, tudo sempre é muito melhor na sua imaginação. A expectativa é como um Troll, que fica escondido debaixo da ponte entre a fantasia e a realidade, só esperando que você tente passar para pular na sua frente e exigir um pedágio muito mais caro do que você pode pagar. O problema em se ter perspectivas é que, quando elas não se concretizam, você acaba perdendo algo no processo. Pode ser só o seu dinheiro, como quando você vai no cinema esperando ver aquela superprodução de Hollywood e o filme é tão ruim quanto uma comédia nacional. Mas você também pode perder parte da sua autoestima, como aquela vez em que você se inscreveu na academia achando que ia ficar gostosão e, mesmo tendo pagado seis meses, acabou indo no máximo 30 dias e terminou engordando três quilos. Mas a expectativa mais cruel é sem dúvida a amorosa, afinal, é de partir o coração quando se descobre que aquele gato que parecia ter a atitude de um astro do rock é na verdade só meio babaca e, ao invés do John Bon Jovi, você acorda ao lado do Chimbinha. Mas o que fazer então? Deixar de ter expectativas? Eu mesmo já perdi as contas de quantas vezes fiz esta promessa. “Não vou criar mais expectativas com nada, vou apenas me concentrar na minha realidade, pois ela eu posso controlar”, dizia eu. A frase parecia ótima, até notar que eu estava criando expectativa sobre não ter expectativas. Não há como fugir das nossas perspectivas. O ser humano é um bicho com muita imaginação e todos nós sabemos que, ao contrário do herói de um filme de ação, a vida tende a ser meio chata e fantasiar ajuda a tornar ela mais divertida. Isso sem contar que idealizar alguma coisa faz bem de vez em quan-

66

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

do, pois geralmente nossas conquistas começam na nossa cabeça antes de se concretizarem. O único problema é exagerar na dose, então vou ensinar uma técnica que vai evitar que você pule sem paraquedas do avião da esperança e se machuque muito quando cair na terra da realidade. Primeiro você imagina um freio de mão (igual ao de um carro), só que ele é todo amarelo e tem a palavra EXPECTATIVA escrita nele em letras garrafais vermelhas. Parabéns, você acaba de imaginar o seu “Freio de Mão da Expectativa” e tudo o que você deve fazer é puxá-lo mentalmente toda vez que perceber que está viajando demais na batatinha sobre alguma coisa. Assistiu ao filme da Mulher Maravilha

e agora acha que a DC vai fazer um universo cinematográfico tão bacana quanto o da Marvel? Puxe um pouco o Freio de Mão da Expectativa. Se inscreveu na academia querendo ficar igual ao Cauã Reymond ou a Juju Salimeni em apenas três meses? Puxe o Freio de Mão da Expectativa. Começou a sonhar com o seu casamento ou os filhos que vai ter com aquela pessoa com quem você acabou de se relacionar? Puxe o Freio de Mão da Expectativa com força. Não é uma tática à prova de falha, admito, mas garanto que vai te ajudar a não idealizar muito as coisas e se concentrar mais na sua realidade, afinal, por mais chata que ela possa ser às vezes, ainda é sua vida e você tem que se acostumar com ela.


OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

67


68

OUTDOOR REGIONAL - EDIÇÃO 87

Outdoor Regional  

Edição 87 - Raça Negra

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you