Page 1

Centro de Treinamento Manamá prepara destaques das pistas de julgamento da raça, como a Grande Campeã da Copa de Marcha Karol JSAP, representante do Haras GTA

ABRIL

2017

R$15,00

REVISTA OFICIAL

Circuito de Exposições 2017 Eventos levarão a marcha, a funcionalidade e a beleza do Cavalo de Sela Brasileiro às cinco regiões do País


Momento de participar Caros Amigos Mangalarguistas, Começamos o ano de 2017 com um aumento expressivo no número de eventos mangalarguistas, sejam exposições, copas ou raids. Além disso, há a perspectiva de termos durante a temporada diversas provas de enduro, inúmeras cavalgadas planilhadas e poeirões, enfim, várias oportunidades para usarmos nosso Mangalarga. Acredito que o crescimento ainda maior de nossa raça passa pela maior utilização de nosso Mangalarga em atividades que permitam a um número cada vez maior de pessoas usarem e usufruírem do prazer no nosso cavalo. Temos que continuar incentivando cada vez mais a utilização do Mangalarga, trazendo jovens e crianças para continuarmos neste desenvolvimento, com passeios, cavalgadas, provas e etc. As provas funcionais e as provas de cavalo completo têm evidenciado as qualidades do Mangalarga e mostrado que estamos sempre evoluindo, sempre aprimorando o equilíbrio de nossos cavalos, analisando a marcha, a comodidade, o galope e a estática do Mangalarga. Recentemente introduzimos algumas novidades no Regulamento de Exposição com o objetivo de tornar mais compreensível para os espectadores, com a divulgação imediata das notas de cada quesito. Além disso, estamos lançando a Academia Mangalarga, cuja coordenação estará a cargo do Professor Alessandro Procópio, que irá avaliar de uma forma mais estruturada o desempenho dos jurados, bem como padronizar a

Editorial

sistemática de julgamento de todas as exposições. Esta Academia terá como objetivo informar de forma bem didática, para os criadores, expositores, apresentadores e público em geral, quais são os itens avaliados e o peso de cada item, para uma boa compreensão de todos os envolvidos. Sabemos que a função de árbitro é muito difícil em qualquer esporte ou situação. Até em jogo de futebol, que hoje tem a ajuda de quarto árbitro, árbitro de linha e vídeo tape, muitas vezes acontecem reclamações e confusões. EM JULGAMENTO de cavalos que dispõe de bem menos tecnologia, sempre há reclamação, mas tenho certeza de que os jurados agem de maneira correta e isenta. DE QUALQUER FORMA, com maior esclarecimento e informação sobre a metodologia e o andamento das exposições, acreditamos que devemos aprimorar cada vez mais os julgamentos. Gostaria de lançar uma palavra de estímulo para que nossos associados participem ativamente das cavalgadas, das competições de enduro que estão programadas para este ano e que montem, usem o Mangalarga para poder sentir por inteiro as qualidades do Cavalo de Sela Brasileiro. A temporada, aliás, já está em pleno andamento. Durante o mês de março, uma série de bons leilões movimentou o mercado, com muita liquidez, bons valores e a chegada de novos criadores à raça. Por sua vez, as primeiras mostras da temporada aconteceram com grande sucesso, em Camboriú (SC) e em Amparo (SP).

Mário Barbosa comandando o Desfile das Bandeiras

Agora, nos preparamos para o grande momento deste primeiro semestre, a Expo Brasileira 2017, que promete proporcionar uma grande festa à Família Mangalarga. Afinal, esta tradicional mostra, organizada este ano pelos amigos do Núcleo do Vale do Paraíba, recebeu a inscrição de 227 animais, o que mostra o entusiasmo e a animação dos criadores com o bom momento vivido pelo Cavalo de Sela Brasileiro. Por tudo isso, tenho a certeza de que teremos uma temporada de muitas conquistas. Assim, conclamo todos a prosseguirem trabalhando em prol de nossa maior paixão, o cavalo Mangalarga. Forte abraço e pé no estribo,

Mário Barbosa Presidente da ABCCRMangalarga

abril, 2017

3


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CRIADORES DE CAVALOS DA RAÇA MANGALARGA Av. Francisco Matarazzo, 455, Pavilhão 4, “Dr. Simões” Parque da Água Branca - SP - CEP:05001-300 Telefone: (11) 3673-9400

Índice

DIRETORIA EXECUTIVA - TRIÊNIO 2015/2017

03 Editorial

Profissional de Sucesso

Vice-Presidente Administrativo Financeiro Renato Diniz Junqueira

06 Apresentação da Capa 66 Poleca

Território Cavalgada Haras em Destaque

14 Cavalgada das Areias

Exposições e Copas

Vice-Presidente de Exposições e Esporte João Pacheco Galvão de França

Espaço Técnico

DIRETORIA ADJUNTA- TRIÊNIO 2015/2017

74 Andamento dos Equinos 76 Incentive o Acreditar

26 Exposição de Amparo 30 Circuito de Exposições 2017

Mercado e Finanças

34 Expo Verão 38 Copa de Marcha

78 Leilão Haras Tarlim

41 Expo Brasileira

80 Leilão Grandes Marcas

42 39ª Expo Nacional 43 Monte Sião

Vice-Presidente Técnico Gabriel Francisco Junqueira de Andrade

70 Centro de Treinamento Manamá

18 Cavalgada da Grande SP 22 Cavalgada do Sal

Vice-Presidente de Marketing Eduardo Henrique Souza de França

Vice-Presidente de Fomento Flávio Diniz Junqueira

08 Cavalgada de Goiás 12 Cavalgada de Aparecida

Diretor Presidente Mário A. Barbosa Neto

Momento Social

Vice-Presidente de Relações Institucionais Armando Raucci

Diretores Jurídicos Antonio Carlos Pestili Fonseca Pedro Amaral Salles Renato Tardioli Lucio de Lima Diretor de Fomento Danton Guttemberg de Andrade Filho Diretores de Exposição Cassiano Terra Simão José Lamartine Moreira Cintra Filho Diretor de Pelagem Jeferson Ferreira Jardim Diretores de Marketing Flávia Raucci Facchini João Luis Ribeiro Frugis Diretor Técnico Lourenço de Almeida Botelho Diretor Financeiro Leonardo Novaes Figueiredo Augusto CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO TRIÊNIO 2015/2017

Panorama Mangalarga

82 Social Leilão Haras Tarlim 84 Social Leilão Grandes Marcas

44 Circuito de Enduro 2017 46 Camp. Paulista de Enduro

Painel de Negócios

48 Clínica de Enduro 50 Mangalarga Day

87 Espaço Empresarial

52 Mangalarga Fest Tijucas Sul

88 Fidelidade Mangalarga

54 Núcleo Riograndense

90 Índice de Anunciantes

58 Polo Wear 62 Equitana 64 Novos Associados

Membros Eleitos Arnaldo de Almeida Prado Filho Cristina Junqueira Fleury Azevedo Costa Luís Cintra Sutherland Osvaldo Juliano Roberto Diniz Junqueira Filho - Presidente Membros Efetivos Célio Ashcar Celso Galetti Montalvão Clodoaldo Antonângelo Eduardo Diniz Junqueira Élio Sacco Felippe de Paula C. de Albuquerque L. Filho Flávio Diniz Junqueira Francisco Marcolino Diniz Junqueira Ivan Antônio Aidar Luiz Eduardo Batalha Mário A. Barbosa Neto Reginaldo Bertholino Renato Diniz Junqueira Sergio Luiz Dobarrio de Paiva CONSELHO DELIBERATIVO TÉCNICO TRIÊNIO 2015/2017 Técnicos Luiz Alberto Patriota de Araújo Costa. Marcelo Leite Vasco de Toledo Marcos Sampaio de Almeida Prado Maria Aracy Tavares de Oliva Paulo Lenzi Souza Leite Sérgio Diniz Junqueira Criadores José Luiz Prandini Rodnei Pereira Leme Roque Carlos Nogueira

4

abril, 2017

SERVIÇO DE REGISTRO GENEALÓGICO STUD BOOK Superintendente do Serviço de Registro Genealógico Jayme Ignácio Rehder Neto


Apresentação 5(9,67$2),&,$/

$%5,/5

Centro de Treinamento ManamĂĄ

A

prepara destaques das pistas de julgamento da raça, como a Grande Campeã da Copa de Marcha Karol JSAP, representante do Haras GTA.

Circuito de Exposiçþes 2017 Eventos levarão a marcha, a funcionalidade e a beleza do Cavalo de Sela Brasileiro às cinco regiþes do país

REVISTA MANGALARGA Edição e Redação Pedro Camargo Rebouças (MTB 31427) pereboucas@hotmail.com Publicidade Norberto Cândido norberto.candido@abccrm.com.br Coordenação Administrativa Solange kazlauskas solange.kaz@abccrm.com.br Assistência de Marketing Marina Vicentin marina.vicentin@abccrm.com.br Desenho Gråfico Daniel Bertti daniel.bertti@bertti.com.br Departamento de Exposição Francisco Bezerra francisco.bezerra@abccrm.com.br Agemiro Filho agemiro.filho@abccrm.com.br

6

Karol JSAP

abril, 2017

capa desta edição apresenta a Êgua Karol JSAP, Grande Campeã da Copa de Marcha 2016, em registro fotogråfico de autoria do talentoso profissional Rodrigo Paradeda Nunes. A bela fêmea baia, fruto da seleção de João Sergio de Almeida Prado Filho, Ê hoje um dos destaques da tropa do Haras GTA, comandado por Alexandre Andrade Barbieri, no município

paulista de Itobi. Nascida em 28 de outubro de 2012, produto do cruzamento entre XingĂş da Bica (T.E.) e Natacha da Roda-Viva, a Grande CampeĂŁ da Copa de Marcha integra tambĂŠm o seleto grupo de animais treinados e apresentados por Valdir Marques, o Dil, titular do Centro de Treinamento ManamĂĄ, propriedade retratada na seção “Haras em destaqueâ€? desta edição da Revista Mangalarga.

Rico Conteúdo A Revista Mangalarga traz em sua primeira edição do ano um conteúdo recheado com tudo aquilo que encanta os apaixonados pelo Cavalo de Sela Brasileiro. Na seção Exposiçþes e Copas, o leitor poderå encontrar a agenda de eventos programada para esta temporada, assim como o relato das primeiras mostras realizadas neste semestre. Hå ainda um amplo espaço dedicado às cavalgadas, outra paixão dos mangalarguistas, que vêm acontecendo de Norte a Sul do Brasil, seja atravessando as belas praias do balneårio paraense de Salinópolis ou percorrendo as charmosas imediaçþes da Lagoa dos Patos, na riograndense Viamão.

A Revista Mangalarga, alĂŠm disso, traz importantes novidades, como o Circuito de Enduro 2017, cujo objetivo ĂŠ atrair a FamĂ­lia Mangalarga para as trilhas da modalidade, e apresenta os perfis de relevantes personagens do universo equestre, caso do “Profissional de Sucessoâ€? Poleca e do empresĂĄrio Lauro Traldi, diretor da grife Polo Wear. Dessa forma, temos certeza que o leitor encontrarĂĄ nas prĂłximas pĂĄginas um material de qualidade, preparado com muito esmero e carinho. Boa leitura a todos! Equipe Mangalarga


Território Cavalgada

19ª Cavalgada do Mangalarga na Cidade de Goiás Passeio propiciou aos participantes uma oportunidade única para apreciar a beleza e a fartura da fauna e flora do cerrado goiano

A

s belas paisagens da Serra Dourada foram novamente o cenário da Cavalgada do Mangalarga na Cidade de Goiás (GO). Realizado nos dias 26 e 27 de novembro, por ini08

abril, 2017

sábado (26), por volta de 9h30, na Fazenda Ouro Quente, no município de Itaberaí (GO), na divisa com a Cidade de Goiás, depois de um café da manhã regado a leite de fazenda, bolo de arroz, pão de queijo, pão comum, roscas, A Cavalgada teve início no sucos café e chá.

ciativa dos criadores Fábio da Veiga Jardim (Fazenda Ouro Quente) e Antônio Celso Ramos Jubé (Fazenda Serra Dourada), o tradicional passeio equestre chegou assim à sua 19ª edição.

Foto: Silvio Calazans/Arquivo

Por Núcleo Mangalarga de Goiás


Território Cavalgada

Em seguida, os cavaleiros alcançaram a Rodovia GO-070, que liga Goiânia à antiga Capital, Goiás (GO). Após percorrerem cerca de oitocentos metros, deixaram essa via em direção ao assentamento de posseiros do Ouro Fino, chegando na gleba de terras do cavaleiro Emival, onde foi servida uma galinhada goiana bem temperada. Foto: Núcleo de Goiás

Momento de confraternização dos participantes da cavalgada.

Na sequência, chegaram na Fazenda Paciência, do amigo Carlos Pires, às margens da Rodovia GO-164, também conhecida como Rodovia do Boi.

Foto: Núcleo de Goiás

Cavaleiros se preparam para mais um dia de jornada.

Celso Jubé e Fabio Veiga, na foto acompanhado por sua filha Júlia, foram novamente responsáveis pela organização do evento. Foto: Núcleo de Goiás

10

abril, 2017

Na manhã seguinte, os cavaleiros e amazonas alcançaram a região da Fazenda Pedra Preta, atravessando dois outros assentamentos do Incra, o Engenho Velho e o Holanda, sendo que neste local, o companheiro Salomão Neto recebeu a comitiva para servir um suculento lanche, constituído de carne frita na chapa com bastante cebola e tomate com pão francês e outras iguarias.


Território Cavalgada

Evento está entre os mais tradicionais da raça no estado de Goiás.

No trajeto, foi possível apreciar a beleza e a fartura da fauna e flora do cerrado goiano, onde se viam exemplares de cagaiteiros, mutambeiras, pés de Correola, Mangaba, Bagupari, Pequi, Aroeira e Vinhático (essas duas madeiras especiais que eram usadas em cercas de arame nas fazendas, hoje proibidas), bem como espécies animais como o Teiú, Tatu, QueroQuero, Cocá do Campo, Pomba do Bando, Sapicuru, Arara Canindé, Maritaca e outras mais. Por fim, ao final da tarde, percorridos quase setenta quilômetros, banharam e soltaram os animais em piquetes de capim Andropógon e Massay, e os participantes se deliciaram com um almoço servido na Fazenda Serra Dourada do criador Celso Jubé, tudo regado a água mineral, refrigerantes e a indispensável cerveja bem gelada. (Com informações do criador Antônio Celso Ramos Jubé).

A região da Serra Dourada conta com cenários inesquecíveis. Foto: Norberto Cândido

A Cavalgada de Goiás é ponto de encontro dos mangalarguistas da região.

abril, 2017

11


Território Cavalgada

Por Pedro Rebouças

Cavalgada de Aparecida

Fotos: Divulgação

A chegada à Basílica de Aparecida foi o ponto alto da mais recente edição desta tradicional cavalgada mangalarguista

U

m grupo de animados cavaleiros colocou a tropa na estrada, no fim do ano passado, para percorrer o trajeto entre os municípios paulistas de Jundiaí e Aparecida. Ao longo dos sete dias de viagem, os cavaleiros percorreram uma distância total de 280 quilômetros, atravessando as belas paisagens da Região Bragantina e do Vale do Paraíba. A partida do grupo aconteceu na manhã do dia 08 de novembro, no Haras D’Angieri, localizado em Jundiaí (SP) e de propriedade do mangalarguista Attilio D’Angieri Neto (Tióca), um dos idealizadores 12

abril, 2017

da cavalgada. Já o encerramento da jornada ocorreu no dia 14 do mesmo mês, com a emocionante chegada à Basílica de Aparecida, no Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. “Esta cavalgada é sobretudo um ato de fé religiosa, por meio do qual aproveitamos para agradecer por mais um ano de vida e por todas as conquistas ocorridas nesse período. Além disso, tratase de uma ocasião muito especial para interagirmos com o cavalo Mangalarga em sua atividade raiz e para vivermos bons momentos com os amigos mangalarguistas”, explica o veterinário Thiago Nogueira Negrão D’Angieri, filho de Tióca e

Thiago D’Angieri ajuda Lord NLB a matar a sede.


um dos participantes e organizadores dessa romaria equestre. Thiago conta ainda que a cavalgada de Jundiaí a Aparecida teve início no ano de 1988, por iniciativa de seu pai. Desde então aconteceram diversas edições do passeio, mas foi a partir de 2010 que o evento passou a acontecer anualmente de forma regular. Vale ressaltar, aliás, que um dos momentos mais marcantes da viagem deste ano aconteceu em uma parada, quando Thiago utilizou seu próprio chapéu para dar água a sua montaria, o cavalo Lord NLB,

revivendo assim uma passagem muito especial que seu pai havia vivido com o cavalo Herdeiro CR na cavalgada de 1990.

Território Cavalgada

Na edição 2016, além de Tioca e Thiago, integraram a comitiva os mangalarguistas Paulo Puttini, Mário Espósito, José Cintra Filho (Zequinha), Roque Carlos Nogueira (Mamão), Roque Carlos Nogueira Junior (Juninho), Jean Nogueira e Paulo Alberto. O animado grupo teve também a honra de ser recebido ao longo da jornada em diversos criatórios da raça. O Haras Canto do Picharro, localizado em Jarinu

(SP) e de propriedade do criador Paulo Puttini, serviu de pouso para os cavaleiros após o primeiro dia de viagem. No dia seguinte, a parada foi em Piracaia (SP), no Haras Leni, do criador Nilton Bartolli. Já a Fazenda Morro Agudo, localizada em Pindamonhangaba (SP) e de propriedade do criador Claudio Mente, recebeu o grupo na última noite de viagem.

Diante da Basílica de Aparecida, o grupo agradece pelas conquistas de mais um ano.

Os cavaleiros aproveitam o momento de descanso para repor a energia.

abril, 2017

13


Território Cavalgada

Por Núcleo Riograndense (NRCCRM)

Foto: Núcleo Riograndense.

Evento chegou este ano à sua 18ª edição.

Foto: Núcleo Riograndense.

Cavaleiros aguardam o início de mais uma cavalgada.

Cavalgada das Areias

Evento é um dos destaques do calendário anual da raça no estado do Rio Grande do Sul

O

prazer de cavalgar entre amigos, d e s f r ut an d o dos encantos da natureza, no dorso de um Mangalarga é, sem dúvida, indescritível. A Cavalgada das Areias atingiu a maioridade, a 18ª edição ocorreu em dezembro de 2016. Essa é, hoje, a mais tradicional cavalgada promovida pelo NRCCRM (Núcleo Riograndense de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga). Ocorre anualmente no município de Viamão (RS), e recebeu esse nome em decorrência do solo arenoso da região. 14

abril, 2017

A semente desse evento surgiu quando o NRCCRM doou um cavalo ao tradicionalista Antônio (Nico) Fagundes. O animal, produto de sufixo JP, do nosso saudoso associado José Walter Ribeiro Porto, seria entregue na propriedade do presenteado no município de Viamão, numa grande festa de aniversário, onde chegaria montado e carregando a bandeira do Mangalarga. E assim foi, partindo do Haras Santo Antônio, de propriedade de João Fernando Pozzi, no distrito de Itapuã, Viamão, distante 58 quilômetros da Fazenda Don Luizinho. O retorno, no dia seguinte, terminou com um belo

churrasco e com a promessa que essa cavalgada na região deveria ser repetida. A partir do ano seguinte, a Cavalgada das Areias passou a fazer parte do calendário do NRCCRM, sendo o evento que encerra as atividades anuais da raça no estado. Desde sua primeira edição oficial, passou a ser administrada em conjunto com o Haras da Lagoa Branca, de propriedade de Laércio Leisman, no distrito de Águas Claras, Viamão, localizado a 25 quilômetros do Haras Santo Antônio. Cada vez o pouso se fazia em uma das propriedades, onde


 

    

           



   

   

                   

 &$% & #& & &  &

&&   & """!  & !  !   &


Território Cavalgada

Foto: Núcleo Riograndense.

O ambiente familiar novamente marcou o evento.

haveria uma programação especial, tal como a etapa final da Copa de Andamento do Rio Grande do Sul. A região é própria para atividades dessa natureza, onde se pode fazer passeios pelas praias da Lagoa dos Patos e banhos na Lagoa Branca. Desde o desaparecimento do Haras Santo Antônio a organização e o pouso passou a ser no Lagoa Branca, com a tradicional hospitalidade do seu proprietário. Nossa porteira estará sempre aberta aos amigos cavaleiros, mesmo de outras raças, que quiserem participar dessa confraternização da família Mangalarga gaúcha. Pé no estribo “indiada buena”!

Foto: Núcleo Riograndense.

Mais recente edição do evento aconteceu em dezembro passado.

ndense.

Núcleo Riogra

da an, anfitrião Laercio Leism edição de 2015. e do ha ac M to da Lothar s Areias, em fo Cavalgada da

Foto: Arquivo

Foottoo:: Arq rqquuiiivvvoo

Pausa na

16

leo o o Núc , quandundes com um a d a lg a ira cav sta Nico Fag li a prime Cena d u o tradiciona lar da raça. o mp te e n x e e s e r p Foto: Arquivo Núcleo Riograndense.

Núúcclleeeoo R i ggrandde io nse.

Partindo do Haras Santo Antônio, na pioneira edição do evento.

beira da

Lagoa do da cavalg s Patos na prime ira ediçã ada em 1 o 998. abril, 2017

e.

grandens

leo Rio

vo Núc

rqui Foto: A


Território Cavalgada

Por Pedro C. Rebouças

1ª Cavalgada do Núcleo da Grande São Paulo

Evento proporcionou aos criadores da região um agradável dia de confraternização com seus familiares e amigos

A

F a z e n d a Itamirim, localizada em São José dos Campos (SP), foi o palco da 1ª Cavalgada do Núcleo Mangalarga da Grande São Paulo. O evento, cujo trajeto percorreu uma distância de cerca de vinte quilômetros dentro dos limites da centenária propriedade, aconteceu na manhã do sábado 19 de novembro, contando com a participação de 40 cavaleiros e amazonas apaixonados pelo Cavalo de Sela Brasileiro. “O saldo do dia foi bem positivo. Nós tivemos uma cavalgada muito agradável, seguida por um saboroso churrasco. Tudo marcado sempre por um clima bem amistoso entre os criadores, seus familiares e amigos”, destaca o criador Marcelo Vegas Barbosa, presidente do Núcleo da Grande São Paulo. 18

abril, 2017

Foto: Núcleo Grande SP.

Participantes aguardam o início da cavalgada.

Foto: Núcleo Grande SP.

A Família Mangalarga viveu um agradável dia em São José dos Campos.


Território Cavalgada

Vegas ressalta também o bom desempenho da tropa durante todo percurso. “O trajeto da cavalgada possui um relevo acidentado com muitas subidas e descidas. Além disso, há alguns trechos que atravessam plantações de eucaliptos nos quais muitas vezes precisamos várias vezes desviar de obstáculos naturais. Mesmo assim, não tivemos nenhuma ocorrência e os cavalos foram super bem, portando-se de ótima maneira tanto na questão do andamento em um terreno acidentado como na questão da mansidão.” O sucesso dessa primeira edição da cavalgada animou os integrantes do Núcleo da Grande São Paulo. Segundo o presidente da entidade, apesar de ainda não haver nada definido, alguns trajetos estão sendo analisados para receber uma possível segunda edição. “Estamos ainda em fase de estudo, mas uma possibilidade que nos atrai é a de fazer uma cavalgada em Campos do Jordão (SP). Além disso, outra alternativa que nos anima muito é a de fazer um passeio percorrendo o trajeto entre São José dos Campos e a cidade de Aparecida (SP)”, explica Marcelo Vegas.

Foto: Núcleo Grande SP.

A nova geração de mangalarguistas também prestigiou o evento.

Foto: Núcleo Grande SP.

A tropa apresentou um bom desempenho no relevo acidentado da região.

O calendário da entidade, no entanto, já conta com um importante evento agendado para a atual temporada. Trata-se da Exposição Mangalarga de Jacareí (SP), prevista para acontecer no período de 28 a 30 de julho. Para obter mais informações sobre esta atuante representação regional da raça, visite o portal oficial www. nucleograndesp.com.br . Foto: Núcleo Grande SP.

Os participantes desfrutaram de um ótimo momento de convívio com o Mangalarga. abril, 2017

19


02'$)(0,1,1$_0$6&8/,1$_,1)$17,/


Território Cavalgada

Por Núcleo Mangalarga do Pará

Cavalgada do Sal Evento colocou em evidência a beleza, a marcha e a funcionalidade do Cavalo de Sela Brasileiro nas praias do charmoso balneário paraense de Salinópolis

Rodrigo Façanha, Paulo Henrique(Prefeito de Salinas), Edmar Rocha, Rodrigo Duque, Renato Giordano e Almir Campos prestigiaram a cavalgada.

N

o dia 11 de Fevereiro do corrente ano, o competente e animado Núcleo Mangalarga do Pará, tendo à frente seu Presidente, Edmar Rocha Jr., organizou a 3ª Cavalgada do Sal, na Praia do Atalaia, no município litorâneo de Salinópolis, estado do Pará. Contando com o atencioso e oportuno apoio da Prefeitura Municipal de Salinópolis, na pessoa 22

abril, 2017

do Prefeito, Sr. Paulo Henrique e de suas Secretarias Municipais de Turismo (Setursal), de Meio Ambiente e de Cultura (Semma) e do vereador Waguinho, o referido evento obteve um caminhão pipa para banho e água aos animais; um Trator para construção temporária de rampa de desembarque e embarque e apoio logístico para limpeza dos dejetos dos animais na praia. Segundo Edmar Rocha Jr., Presidente do Núcleo Mangalarga

do Pará, o evento cumpriu com a finalidade pretendida, qual era a de fomentar e divulgar a Raça Mangalarga na turística Salinópolis, que já conhecida como importante e charmoso balneário turístico do Pará, bastante frequentado por banhistas e praticantes de esportes aquáticos, verdadeira vitrine mercadológica, que atrai visitantes de todos os cantos do Pará e do Brasil, sobre tudo nas férias de Julho. Além do próprio Presidente


Território Cavalgada

do Núcleo, participaram da cavalgada os criadores Almir Campos, Luciano Bassalo, Renato Giordano, Rodrigo Duque, Rodrigo Façanha e convidados.

O passeio foi marcado por muita animação e amizade entre os participantes.

Devido ao enorme sucesso e a receptividade primorosa, já há planos por parte do Núcleo do Pará, em parceria com a Prefeitura de Salinópolis, de se promover nova cavalgada no final de junho, logo após o esperado e único 1º Spree Day do Haras Dom Rodrigo, a ser realizado no dia 17 de junho. Com todo esse concorrido e dinâmico calendário de eventos, o Presidente do Núcleo, Edmar Rocha Jr. vislumbra um 2017 de muito sucesso para a raça no Pará, reforçada pelo resgate e pela união cada vez maior por parte dos criadores do Estado.

A cavalgada percorreu as belas praias do charmoso balneário paraense.

Fotos: Núcleo do Pará.

O mangalarguista Edmar Rocha, presidente do Núcleo do Pará, comemorou o bom resultado da cavalgada.

O cavaleiro Renato Giordano e sua montaria fazem uma pausa na beira do mar. 24

abril, 2017


PC

L a d a m i t s E

arazul

M lua da A X Fa J U J o p

Campeã de Marcha Pelagem Baia na Exposição Guaxupé MG 2016 Campeã Pelagem Baia na XXXVI Exposição Nacional 2014 Res. Campeã de Marcha e 1º Res. Campeã Pelagem Baia XXXVIII Expo. Nacional 2016 Campeã Pelagem Baia em varias Exposições

.)

. (T.E G . L . S a d l Olga

ta

alague

14 anca 20 r F e d 14 sição Topázio a Expo anca 20 r n F a e h d c r o a ã de M xposiçã Campe ampeão na E .C 2º Res

Dourado

Vermu te ACF

(T.E.) X Qua

a da M

lid .) X Pá J.O. (T.E

ACF

lidade

ACF (T .E

.)

2º Res; Campeão da Copa de Marcha São Sebastião da Grama S.P.. 2016 2º Res. Campeão de Marcha da Exposição de Guaxupé MG 2016 1º Res. Campeão Geral da Exposição de Guaxupé MG 2016 1º Res. Campeão do concurso Cavalo Completo na XXXVIII Exposição Nacional 2016

.)

(T.E l u z a r a M ivia da

Ol 1º

mpeã Res. Ca

e

.) X Heb

.E razul (T

Ma Isar da

.) azul (T.E da Mar

016

é MG 2

uaxup ão de G

osiç

na Exp

Haras RR - AREADO – M.G. | Venda permanente de produtos

Rilton Romano: 35.99921 4794 / Roberto Romano: 35.99212 3553 - cartorioromano@ip3.com.br


Exposições & Copas

Por Pedro C. Rebouças

10ª Exposição de Amparo Sucesso do novo sistema de divulgação de notas do julgamento, implementado nesta temporada pela ABCCRM, foi um dos destaques da mostra amparense

Fotos: Centro Hípico Hipocampo.

Potro é analisado pelos jurados da Exposição de Amparo.

O

Centro Hípico Hipocampo recebeu, entre os dias 17 e 19 de março, a Exposição Mangalarga de Amparo, no interior paulista. Em sua décima edição, o evento reuniu 74 animais, provenientes de 20 conceituados criatórios dos estados de São Paulo, Minas Gerais e Amapá. Para Marcelo Leite Vasco de Toledo, dirigente do Núcleo Mangalarga de Amparo, entidade responsável pela organização do evento, a mostra amparense foi muito boa. “Este é um evento que os criadores gostam muito, pois o Hipocampo tem um ambiente agradável e bem familiar. Além disso, tivemos a presença de um 26

abril, 2017

A tropa mostrou evolução no julgamento do Galope Funcional.

ótimo público, composto também por gente de fora da raça, pessoas que vieram passear e conhecer as qualidades do nosso cavalo.” Toledo ressalta ainda que o evento teve um nível muito bom dentro da pista de julgamento, onde as atividades foram comandadas pelos jurados André Fleury Azevedo Costa, responsável pela análise dos quesitos marcha e dinâmica, e Marcelo Boaro Júnior, a quem coube a tarefa de avaliar a morfologia dos animais participantes. “O Campeonato Égua Montada foi o ponto alto da exposição. Tivemos uma disputa bem forte, da qual participaram diversas éguas premiadas na Nacional. Além disso, o julgamento

do Galope Funcional foi bom e empolgou o público que compareceu ao Hipocampo. A tropa teve um bom desempenho e mostrou que está mais treinada para este tipo de avaliação, o que comprova que os criadores estão compreendendo melhor a importância deste julgamento”, ressalta o dirigente do Núcleo. A Exposição de Amparo também teve uma novidade este ano, o Campeonato de Marcha ao Cabresto, que teve caráter extraoficial e serviu para fomentar esse segmento da raça, distribuindo premiações atraentes, como uma televisão 32 polegadas e um tablete para cada categoria que participou da disputa.


Vista geral do Centro Hípico antes do início dos julgamentos.

Transparência e agilidade Marcelo Toledo elogia ainda outra novidade implementada nesta edição do evento, desta vez por iniciativa da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM). “O Departamento de Exposição montou um sistema de divulgação do julgamento muito bom por meio do WhatsApp. Todos os expositores foram incluídos em um grupo que recebia a súmula com as notas dos juízes para cada quesito. Assim, todos iam acompanhando e sabiam muito rapidamente as notas de seus animais, o que deu muita transparência ao julgamento.” Este ano, o Troféu Transitório Antonio Ignácio Pupo foi conquistado por Antonio Carlos Ferreira, eleito Melhor Criador da 10ª Exposição de Amparo. Dessa forma, o titular do Haras ACF

se reuniu a uma seleta galeria que inclui nomes como Marcelo Vasco de Toledo (1988), Reginaldo Bertholino (1989 e 1994), Olinto Marques de Paulo (1990 e 1991), Roberto Antonio Trevisan (1992 e 1993), Orpheu José da Costa (1995) e Luiz Aparecido de Andrade (2016). A programação da mostra abriu ainda espaço para os negócios, com a realização do 4º Leilão Grandes Marcas, na tarde do sábado (18), no Haras Precioso, localizado no mesmo município. “Este é um leilão prestigiado tanto pelos tradicionais criadores da raça como por muita gente nova, um público extra, interessado em conhecer o cavalo Mangalarga. Isso é muito bom porque atrai novos compradores e traz mais pessoas para o Núcleo de Amparo”, analisa Marcelo Toledo. Por tudo isso, o dirigente mangalarguista faz um balanço muito positivo da mostra amparense, apesar de considerar que a presença de expositores poderia ter sido maior. “Acredito que, por esta ser uma das primeiras exposições da temporada, muitos criadores ainda não estão com a tropa preparada para os julgamentos. Além disso, a proximidade com a Expo Brasileira, que acontecerá no fim de março, aqui no estado de São Paulo,

O restaurante se esmerou no atendimento aos mangalarguistas.

Exposições & Copas

Antonio Carlos Ferreira recebe o Troféu Transitório de Melhor Criador.

também pode ter atrapalhado um pouco. Mas o resultado final da mostra foi muito bom.” Toledo também lembra que os vários eventos que vem sendo promovidos pelo Núcleo desde a sua retomada, no início do ano passado, tem ajudado a fomentar a raça na região. “O Núcleo de Amparo tem um ambiente bom e muito animado, por isso muita gente nova quer participar dele. Além disso, o cavalo Mangalarga vive uma fase muito boa, com animais de excepcional qualidade e um mercado bastante aquecido. Tudo isso nos deixa realmente otimistas com o futuro da raça na região”, conclui Toledo. Para conferir os resultados completos da 10ª Exposição de Amparo, visite o portal oficial da Associação: www. cavalomangalarga.com.br.

A mostra amparense recebeu uma tropa de muita qualidade. abril, 2017

27


Exposições & Copas

Por Pedro C. Rebouças

Circuito de Exposições 2017 Principal novidade desta temporada, as exposições estaduais serão importantes para fomentar a raça em diversos estados do País

A

Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) deu início no mês de março a uma nova temporada de seu tradicional Circuito de Exposições. A abertura do calendário - cujas etapas somam pontos para a eleição dos melhores animais, expositores e criadores do Ranking Mangalarga 2017 –aconteceu nos dias 03 e 04 de março, no charmoso balneário de Camboriu (SC), com a realização da 3ª Expo Verão Santa Catarina.

Foto:Beto Falcão.

Realizado em conjunto com os núcleos regionais de criadores, muitas vezes dentro da programação de importantes feiras agropecuárias, o circuito passará nesta temporada pelas cinco regiões do país, comprovando a forte presença nacional do Cavalo de Sela Brasileiro. Até o momento, 35 mostras estão confirmadas. Este número, entretanto, ainda pode aumentar com a inclusão de novos eventos na programação. “Acredito que esta temporada será bem movimentada, afinal, 30

abril, 2017

A Expo Brasileira acontecerá em território paulista este ano.


Exposições & Copas

Foto: Norberto Cândido

apesar do momento de crise que o país atravessa, teremos este ano um número crescente de exposições”, destaca José Lamartine Moreira Cintra Filho, Diretor de Exposição da ABCCRM.

Exposições Estaduais O dirigente ressalta ainda outros fatores que devem colaborar para o sucesso da temporada mangalarguista. “A criação das Exposições Estaduais deverá fomentar a raça e fortalecer o circuito de eventos em diversos estados do país. Além disso, como este será o segundo ano das exposições funcionais no nosso calendário, deveremos ter mais eventos do gênero e mais função nas atividades do cavalo Mangalarga.” Instituídas nesta temporada, as Exposições Estaduais poderão ser realizadas uma por estado durante o ano, devendo ter um mínimo de cem animais inscritos quando ocorrerem dentro do estado de São Paulo e 75 animais inscritos quando ocorrerem em outros estados da Federação. De acordo com o Regulamento Geral das Exposições, essas novas mostras deverão ser julgadas por dois jurados e serão

São João da Boa Vista (SP) receberá novamente a Expo Nacional.

realizadas obrigatoriamente com o croqui oficial e completo do Galope Funcional. Além disso, contarão com peso três para a disputa do Ranking Mangalarga 2017. José Cintra Filho lembra também que este ano a Exposição Brasileira - segunda mais relevante mostra da raça, marcada para acontecer entre 28 de março e 02 de abril, na cidade de Jacareí (SP) - deverá ser muito movimentada. “Esta será a primeira edição desta importante mostra a acontecer no estado de São Paulo, o principal centro de seleção da raça, então deveremos ter uma adesão maior por parte dos criadores e uma maior presença de público.”

Foto:Fernando Calzzani.

Por sua vez, a principal mostra da raça, a Expo Nacional, irá novamente acontecer na cidade de São João da Boa Vista (SP), no período de 12 a 23 de setembro. “Acredito que este ano teremos uma festa ainda melhor do que a anterior. Afinal, a Diretoria da ABCCRM definiu com bastante antecedência a sede da 39ª edição do evento, o que possibilitará que este ano a mostra tenha uma preparação mais apurada, capaz de atrair um público ainda maior do que o registrado em 2016.”

Norte a Sul do País Principal centro de seleção da raça, o Estado de São Paulo receberá vinte exposições ao longo de 2017. Além de São João da Boa Vista e Jacareí, acontecerão mostras nos municípios de Amparo, Itapetininga, Bragança Paulista, Atibaia, Lençóis Paulista, Orlândia, Franca, Ourinhos, Tatuí, Guaratinguetá, Avaré, Araçatuba, Jaú e Lins. A região Sudeste contará ainda com mais duas etapas do calendário, a tradicional Exposição de Guaxupé e a estreante Exposição de Monte Sião, ambas em Minas Gerais.

As Expo Funcionais colocarão a funcionalidade da raça em destaque. abril, 2017

31


Exposições & Copas Por sua vez, a região Sul do País tem quatro mostras agendadas: a Expo Verão Santa Catarina, a 1ª Exposição Paranaense, a Exposição de Esteio da Expoleite (RS) e a tradicional Expointer. Já o Nordeste tem duas mostras programadas até o momento, a Exposição de Vitória da Conquista (BA) e a Exposição de Itapetinga (BA). Enquanto isso, a região Centro-Oeste promoverá seis mostras nesta temporada, passando pelas cidades de Goiânia (GO), Anápolis (GO), Brasília (DF), Luziânia (GO), Palmeiras de Goiás (GO) e Paranaíba (MS). Por fim, a região Norte contará com a aguardada Exposição de Castanhal (PA).

Aprimoramento constante O Circuito de Exposições tem como principais objetivos: fomentar a criação do cavalo Mangalarga, dando conhecimento ao público de suas qualidades; proporcionar a orientação de seleção e melhoramento aos criadores e técnicos; aquilatar o nível zootécnico da criação e proporcionar o intercâmbio de ideias, experiências e informações entre técnicos e criadores. As exposições mangalarguistas têm ainda a importante missão de promover o congraçamento e a amizade entre apaixonados pelo cavalo Mangalarga das mais diferentes regiões brasileiras. Para obter mais informações e ver a versão mais atualizada do calendário basta visitar o portal oficial da ABCCRM. Além disso, é importante ressaltar que o Regulamento 32

abril, 2017

Geral das Exposições Oficiais traz uma série de novidades em sua versão 2017. Assim, os expositores interessados em participar das mostras da raça ao longo da

temporada devem conferir a íntegra do documento, disponível também no portal oficial www. cavalomangalarga.com.br.

Agenda de exposições

Confira as mostras que irão movimentar a raça nos próximos meses 3ª Expo Verão Santa Catarina 11ª Exposição de Amparo (SP) Exposição de Vitória da Conquista (BA) Exposição Brasileira de Jacareí (SP) Exposição de Itapetininga (SP) Exposição de Anápolis (GO) Exposição de Brasília (DF) Exposição de Monte Sião (MG) Exposição de Tatuí (SP) Exposição de Bragança Paulista (SP) Exposição de Lençóis Paulista (SP) 1ª Exp. Paranaense do Cavalo Mangalarga Exposição de Itapetinga (BA) Exposição de Franca (SP) Exposição de Goiânia (GO) Exposição de Atibaia (SP) Exposição de Esteio (RS) Exposição de Ourinhos (SP) Exposição de Guaratinguetá (SP) Expo Funcional de Orlândia (SP) Exposição de Paranaíba (MS) Exposição de Avaré (SP) Exposição de Guaxupé (MG) Exposição de Araçatuba (SP) Expo de São João da Boa Vista (SP) Exposição de Jacareí (SP) Exposição de Lins (SP) Exposição de Palmeiras de Goiás (GO) 6ª Expo Preto e Pelagens Especiais Expo Funcional de Amparo (SP) Exposição de Jaú (SP) Exposição de Luziânia (GO) Expointer 2016 – Esteio (RS) Exposição de Castanhal (PA) 39ª Expo Nacional – S. João Boa Vista (SP)

03 e 04 de março 16 a 19 de março 28 de março a 02 de abril 28 de março a 02 de abril 07 a 09 de abril 12 a 15 de abril 20 a 21 de abril 21 a 23 de abril 28 a 30 de abril 28 de abril a 01 de maio 03 a 07 de maio 04 a 08 de maio 15 a 21 de maio 17 a 21 de maio 19 a 21 de maio 19 a 21 de maio 24 a 28 de maio 01 a 04 de junho 09 a 11 de junho 22 a 24 de junho 29 de junho a 02 de julho 30 de junho a 02 de julho 06 a 09 de ju lho 13 a 15 de julho 13 a 15 de julho 28 a 30 de julho 03 a 06 de agosto 03 a 06 de agosto 04 e 05 de agosto 04 a 06 de agosto 10 a 13 de agosto 11 a 12 de agosto 01 a 03 de setembro 08 a 10 de setembro 12 a 23 de setembro


Exposições & Copas

Por Pedro C. Rebouças

Expo Verão 2017

O

charmoso balneário de Camboriú foi palco, nos dias 03 e 04 de março, da 3ª Exposição de Verão do Cavalo Mangalarga de Santa Catarina. O evento, organizado pelo Núcleo Catarinense de Criadores da Raça Mangalarga, aconteceu nas dependências da Hípica e Haras Beija Flor, contando com uma diversificada programação, que incluiu provas funcionais, jantar de confraternização e julgamentos válidos para o Ranking Mangalarga 2017. Além disso, a mostra catarinense foi a primeira a ser realizada de acordo com o Regulamento Geral de Exposições 2017, portanto já com as alterações introduzidas nes34

abril, 2017

O evento abriu espaço para a participação da garotada.

ta nova versão do documento que orienta a realização de eventos do gênero. De acordo com o Departamento de Exposição da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM), a divulgação dos resultados por quesito e com o anúncio das notas dos animais foi muito bem recebida pelos expositores e pela plateia presente. Em relação ao Galope Funcional, o Departamento de Exposição considerou que a classificação dos animais pelo jurado e subtraindo as penalizações sofridas durante o percurso do Galope funcionou muito bem, dando mais equilíbrio aos apresentadores, expositores e ao jurado, na opinião do qual o percurso facilita e ajuda no julgamento, proporcionando

mais subsídios para a avaliação do Galope.

Tropa Excelente Por sua vez, o Diretor Técnico do Núcleo Catarinense Marcus Vinicius Melo Oliveira, responsável pela organização do evento, destacou que a Expo Verão 2017 foi

Foto: Francisco Bezerra.

Momento de confraternização entre os participantes da mostra.

Foto: Francisco Bezerra.

Foto: Francisco Bezerra.

As provas funcionais mereceram destaque especial na mostra catarinense

Tom D’Angieri e Ivan Costa com o jurado João Pacheco Filho.


Corumbau Participações e Serviços Ltda., Enio Bachle, Fernando Rodrigo Ortiz, Lucas Von Pinho Botelho, Marcus Vinicius Melo Oliveira, Nilson Mayer Carneiro, Samuel Gustavo Germer e Vinicius João Curi. Além disso, o evento foi prestigiado pelo hipólogo, treinador e instrutor de equitação e atrelagem Sergio Lima Beck, colaborador frequente da Revista Mangalarga.

O dirigente catarinense ressaltou ainda que as provas funcionais estiveram em destaque no evento. “Nós tivemos concorridas provas de três tambores, seis balizas e maneabilidade. Todas elas com atraentes prêmios em dinheiro. Além disso, também abrimos espaço para a nova geração da raça com a realização de provas voltadas às categorias mini-mirim, mirim e infantil.”

Dessa forma, o Núcleo Catarinense acredita que a Expo Verão vem cumprindo o objetivo de divulgar a raça no estado. “A exposição foi criada com o intuito de atingir um público novo, composto especialmente por usuários. E acreditamos que estamos conseguindo atingir esta meta. Afinal, pudemos sentir um reflexo positivo no número de novos associados da ABCCRM provenientes de Santa Catarina”, analisa Marcus Vinicius.

Marcus Vinicius lembrou ainda que, por contar este ano com um peso elevado para o Ranking Mangalarga, a Expo Verão também atraiu criatórios de outros estados, como São Paulo e Paraná. Entre os haras e criadores que participaram do evento estavam: Agropecuária Sinhá Maria, Cassiano Terra Simão,

Cavalgada do Parque Estadual do Rio Vermelho, na capital Florianópolis. “Este é um passeio realizado todo dentro da área do parque. Os cavaleiros podem desfrutar de paisagens incríveis e cavalgar por dunas e pela bela praia de Moçambique. Além disso, pretendemos realizar ainda este ano uma segunda cavalgada, na belíssima região de Urubici, na Serra Catarinense. Esperamos conseguir confirmar este passeio em breve”, finaliza Marcus Vinicius.

O Haras CASS foi o melhor expositor da mostra catarinense.

Foto: Francisco Bezerra.

O Haras Corumbau também prestigiou a 3ª Expo Verão.

Foto: Francisco Bezerra.

O crescimento no número de usuários da raça em terras catarinenses também tem motivado a realização de outros eventos. No dia 08 de abril, por exemplo, está prevista a terceira edição da

Panorama Mangalarga

Foto: Francisco Bezerra.

muito boa e contou com uma tropa excelente, superando inclusive a edição anterior do evento. No total, 56 animais, provenientes de dez conceituados criatórios da raça, foram analisados pelo jurado João Pacheco Galvão de França Filho, a quem coube avaliar tanto a morfologia como a marcha e a dinâmica dos animais participantes.

A mostra catarinense deu destaque às provas sociais e funcionais.

abril, 2017

35


Exposições & Copas

Por Pedro C. Rebouças

Foto: Norberto Cândido

Copa Mangalarga de Marcha 2017 A Copa de Marcha é uma importante porta de entrada para a raça.

Competição passará nesta temporada pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia

R

esponsável pela valorização e divulgação de uma das mais importantes características do cavalo de sela brasileiro, a Copa Mangalarga de Marcha promete ter uma temporada movimentada em 2017. Afi38

abril, 2017

nal, o calendário desta tradicional competição, que desperta a paixão da comunidade mangalarguista, já conta com 14 etapas agendadas.

município mineiro de Guaxupé, nos dias 24 e 25 de Março, logo após o fechamento do conteúdo editorial desta edição da revista Mangalarga.

A abertura oficial do evento, que este ano passará pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia, está prevista para acontecer no

Além das tradicionais etapas realizadas nos municípios de Jaú (SP), Jundiaí (SP), Amparo (SP), São Sebastião da Grama (SP), Orlândia


Exposições e Copas (SP), Guaxupé (MG) e Vitória da Conquista (BA), a agenda da competição contará este ano com a estreia das copas de Itu (SP), Aguaí (SP) e Bragança Paulista (SP). Por sua vez, após o êxito registrado na temporada passada, os municípios de Mogi Mirim (SP) e Areado (SP) integram o calendário da competição pelo segundo ano consecutivo. Na opinião de José Lamartine Moreira Cintra Filho, Diretor de Exposição da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM), a competição desempenha um papel muito importante no cenário mangalarguista. “Hoje, as copas

são fundamentais. Afinal, além de valorizarem e divulgarem a marcha característica do nosso cavalo, elas são cada vez mais a porta de entrada na raça para muitos usuários e novos criadores.” Característica marcante Conhecido por sua aptidão como cavalo de sela, o Mangalarga tem como grande diferencial a sua marcha progressiva, equilibrada e cômoda. A Copa de Marcha, por sua vez, possui como principais objetivos a valorização dessa marcante característica da raça e o incentivo à utilização desse equino genuinamente brasileiro.

Agenda Copa de Marcha 2017 *

*Fonte: www.cavalomangalarga.com.br 40

abril, 2017

Os mangalarguistas interessados em participar podem conferir a agenda completa da competição na arte que acompanha esta matéria e também no endereço eletrônico www.cavalomangalarga.com.br. Além disso, é importante que os participantes confiram no portal da ABCCRM a nova versão do regulamento oficial do evento, que entrou em vigor no início do ano, para se atualizar sobre as novidades preparadas para esta temporada. Para obter mais informações sobre a Copa Mangalarga de Marcha 2017, entre em contato com o Departamento de Exposição da ABCCRM por meio do e-mail francisco.bezerra@abccrm.com.br ou do telefone (11) 3866-9866.

Etapa Regional de Vitória da Conquista (BA) 28 de março a 02 de abril Etapa Oficial de Uberaba (MG) 03 a 05 de maio Etapa Oficial de Guaxupé (MG) 05 a 07 de maio Etapa Oficial de Jundiaí (SP) 10 a 13 de maio Etapa Regional de Jaú (SP) 10 a 13 de maio Etapa Oficial de Mogi Mirim (SP) 01 a 04 de junho Etapa Oficial de São Sebastião da Grama (SP) 15 a 17 de junho Etapa Oficial de Orlândia (SP) 22 a 24 de junho Etapa Oficial de Itu (SP) 21 a 23 de julho Expo Funcional de Amparo (SP) 04 a 06 de agosto Etapa Regional de Jaú (SP) 20 de outubro Etapa Oficial de Areado (MG) 20 a 22 de outubro

Nesta competição, os animais concorrentes são avaliados em diversos quesitos, como: deslocamento (cobertura de ras-tro e progressão da passada), comodidade, sincronia e elegância da movimentação, ausência de movimentos parasitas e regularidade e disposição.

Foto: Norberto Cândido

O município mineiro de Guaxupé receberá duas etapas nesta temporada.


Por Pedro Rebouças

Exposições & Copas

Expo Brasileira

Núcleo do Vale do Paraíba preparou uma grande festa para receber a Família Mangalarga

C

onsiderada a mais importante mostra da raça no primeiro semestre, a Expo Brasileira estava prevista para acontecer no período de 29 de março a 02 de abril, no Agrocentro Jacareí (SP), logo após o fechamento editorial desta edição da Revista Mangalarga. Desta forma, a cobertura completa deste aguardado evento será veiculada no próximo número da publicação oficial do Cavalo de Sela Brasileiro.

Grandes Campeonatos Brasileiros de 2017, a mostra reservou um importante espaço para o mercado da raça com a realização do 1º Leilão CASS Fest. O aguardado remate celebrou o quinto aniversário do Projeto CASS Mangalarga, de Cassiano Terra Simão, ofertando 30 lotes da mais alta genética.

A previsão dos organizadores era de que cerca de 200 animais passassem pela criteriosa análise dos jurados José Rodolfo Brandi, responsável pela avaliação dos quesitos marcha e dinâmica, e Eduardo Leite Cintra, a quem caberia a tarefa de avaliar o item morfologia. Além dos julgamentos, que valiam os cobiçados

abril, 2017

41


Exposições & Copas

39ª Expo Nacional

Por Pedro C. Rebouças

A Família Mangalarga tem encontro marcado em São João da Boa Vista (SP) para o mais aguardado momento da temporada 2017

A

Exposição Nacional, principal evento do calendário da raça Mangalarga, já tem data e local definidos para acontecer nesta temporada. A mostra, que chega este ano à sua 39ª edição, acontecerá no período de 14 a 23 de setembro, novamente nas dependências do Recinto José Ruy de Lima Azevedo, na cidade paulista de São João da Boa Vista. O sucesso da mais recente edição do evento, realizada em setembro do ano passado também em São João da Boa Vista, foi fundamental para a decisão, anunciada ainda durante a exposição passada pela Diretoria Executiva da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça

Mangalarga (ABCCRM). Além disso, a ótima acolhida e o suporte dados ao evento pelos moradores da região, pela Prefeitura Municipal e pela Sociedade Sanjoanense de Esportes Hípicos (SSEH) foram fatores determinantes para a escolha da sede da Expo Nacional 2017. Na opinião do Diretor de Exposição da ABCCRM, José Lamartine Moreira Cintra Filho, a definição antecipada da sede permitirá que o evento tenha uma preparação mais apurada. “Dessa maneira, acredito que este ano teremos uma festa ainda melhor, capaz de atrair um público ainda maior do que o registrado em 2016.” Além de ser o principal momento do calendário mangalarguista, a Exposição Nacional está entre os mais tradicionais e aguardados eventos

da equinocultura brasileira. Em 2016, os julgamentos da mostra reuniram cerca de 500 animais, provenientes de 140 conceituados criatórios da raça dos mais diferentes estados brasileiros. O evento, além disso, contou com uma diversificada programação, com jantares de confraternização, “happy hours”, palestras, Memorial de Antigos Criadores, “test-drive” de animais da raça e leilões, além do tradicional desfile das bandeiras dos criatórios participantes, um momento sempre muito aguardado da festa do Cavalo de Sela Brasileiro. Para ficar bem informado sobre as novidades preparadas para a 39ª Expo Nacional, acompanhe a página oficial da raça no Facebook (ABCCRMangalarga oficial) ou visite o portal www. cavalomangalarga.com.br. Fotos: Norberto Cândido

Os melhores exemplares da raça estarão presentes na 39ª Nacional. 42

abril, 2017

A equipe do Recinto de Exposição foi fundamental para o sucesso da edição passada do evento.


Exposições & Copas

1ª Exposição de Monte Sião Por ocorrer em Minas Gerais, mostra terá peso 2,5 no Ranking Mangalarga 2017

A

charmosa Monte Sião será palco, nos dias 22 e 23 de abril, da 1ª Exposição Mangalarga na Região do Circuito das Malhas de Minas Gerais. O evento, organizado pelo criador Rodrigo Paradeda Nunes, acontecerá nas dependências do parque de exposições do município, contando com uma diversificada programação para os amantes da raça.

Por Pedro Rebouças Segundo o organizador, os criadores contarão com um espaço coberto na beira da pista para assistirem aos julgamentos com muito conforto. Além disso, o público poderá desfrutar de uma série de atrações, como praça de alimentação com “food trucks”, espaço de lazer para a criançada, passeios de trenzinho para conhecer inúmeras lojas de malhas da cidade e pista para “test-drive” em exemplares da raça. A programação do evento reservará também um momento especial para fomentar o mercado da raça na região. Programado para acontecer a partir das 20h do sábado (22), com realização da Business Leilões, o Leilão Mangalarga Novos Horizontes irá ofertar 30 lotes especialmente selecionados, compostos por reprodutores, matrizes, potros e potrancas. Localizada no Sul de Minas, na divisa com o estado de São Paulo, Monte Sião está localizada a apenas 170 quilômetros da capital paulista e a cem quilômetros de Campinas. Para mais informações visite o portal www.cavalomangalarga.com.br ou ligue para (11) 3866-9866.

TODOS OS CLASSIFICADOS EM UM CLICK

OS ANÚNCIOS DOS ANIMAIS ESTÃO DISPONÍVEIS EM: cavalomangalarga.com.br/classificados fb.com/classificadosabccrm


Panorama Mangalarga

Foto: Julio Oliveira.

Por Pedro Rebouças

Circuito de Enduro Mangalarga 2017

A competição tem quatro etapas previstas para acontecer ao longo da temporada.

Estimular o uso da raça pela família mangalarguista é o principal objetivo da competição que começará no dia 27 de maio

A

f a m í l i a mangalarguista terá nesta temporada uma ótima opção de lazer e esporte para praticar com seus cavalos: o Circuito de Enduro Mangalarga 2017. Esta diferenciada competição, que promete trazer uma dose extra de emoção ao calendário da raça, contará com quatro etapas ao longo do ano, sempre oferecendo distâncias convidativas para a participação tanto de iniciantes como de cavaleiros mais experientes. Realizado pelo Instituto Enduro Brasil (IEB), entidade que coordena a modalidade no país, o 44

abril, 2017

circuito tem a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) como um de seus principais apoiadores. O evento conta ainda com o apoio do Haras Mangabaia, do Centro de Treinamento La Domaine, do Grupo Marcha Mangalarga, da Fazenda Vassoural, do Rancho Bela Vista e do Núcleo Feminino Mangalarga. Segundo Camila Glycerio de Freitas, titular do Haras Mangabaia e uma das idealizadoras da competição, o circuito surgiu tendo como objetivo principal oferecer uma atividade na qual toda família pudesse participar. “Nossa idéia é fomentar e incentivar o uso da

raça pelo criador e seus familiares. Assim, o enduro mostrou-se como a modalidade ideal, pois permite que toda a família participe e lide diretamente com o cavalo, além de ter a oportunidade de fazer muitos novos amigos.” Camila Glycerio lembra que o circuito também será importante para movimentar o mercado da raça. “Este tipo de evento permite uma participação maior do pequeno criador e do usuário. Além disso, ele dá função àqueles cavalos que não vão para a pista de julgamento. Isso tudo ajuda a diminuir o descarte de animais e estimula um mercado com potencial muito grande.”


Panorama Mangalarga A idealizadora da competição ressalta ainda que os animais da raça Mangalarga apresentam uma ótima aptidão para o Enduro de Regularidade. “Sem dúvida, o nosso cavalo possui diversas qualidades que o ajudam a se destacar neste esporte, como a rusticidade, o fôlego e a docilidade. Além disso, é um animal que passa muita confiabilidade por sua boa estrutura física e em especial por sua marcha,

que permite que ele se mantenha em uma toada constante por dez, vinte ou quarenta quilômetros.” O Circuito de Enduro conta, inicialmente, com quatro etapas previstas para ocorrer ao longo do ano, sendo que uma dessas quatro provas poderá ser descartada no computo final da competição. Por sua vez, as distâncias em que os mangalarguistas poderão competir

Foto: Julio Oliveira.

O contato direto com os animais é um dos diferenciais da modalidade. Foto:Matheus Porto.

variam entre quinze, vinte e quarenta quilômetros. Dessa forma, os organizadores acreditam que tanto iniciantes na modalidade como enduristas e cavaleiros mais experientes poderão estar presentes nas trilhas do evento. A primeira prova está programada para acontecer no sábado 27 de maio, possivelmente no município paulista de Araçoiaba da Serra. Já a segunda etapa está prevista para o dia 1º de julho, em local ainda a ser definido. Por sua vez, a terceira etapa está marcada para 09 de setembro, novamente em Araçoiaba da Serra, enquanto a quarta disputa do calendário está sendo preparada para acontecer no dia 18 de novembro em local ainda a ser definido. Os mangalarguistas contarão ainda com provas extra-oficiais de dez quilômetros para treinamento. As próximas disputas deste gênero estão previstas para acontecer no Haras Albar, em Campinas (SP), no dia 17 de junho, e na Fazenda Dona Carolina, em Bragança Paulista (SP), no dia 28 de agosto. Além disso, vale ressaltar que os organizadores estão programando cursos para que os interessados conheçam melhor a modalidade e tirem suas dúvidas. O primeiro deles, aliás, aconteceu no dia 04 de março, no Haras Mangabaia, em Atibaia (SP). As inscrições para as etapas oficiais da competição já podem ser feitas por meio do portal oficial do IEB: www.institutoendurobrasil. org. Já para obter mais informações escreva para o endereço eletrônico contato@institutoendurobrasil.org.

A toada constante e progressiva é uma das qualidades da raça no enduro. abril, 2017

45


Panorama Mangalarga

Por Pedro C. Rebouças

Campeonato Paulista de Enduro

Equipe Mangabaia representou a raça na etapa de abertura da mais importante competição estadual da modalidade

Com um total de 24,2 pontos e uma velocidade média de 8,82 km/h, o conjunto formado pela amazona Andreza Alves de Campos e pela égua Encantada Mangabaia garantiu a quarta colocação na disputa. Por sua vez, o conjunto Luís Fernando Sianga e Então Mangabaia ficou com a quinta posição, somando 22 pontos e mantendo uma velocidade média de 9,05 km/h. A prova contou ainda com a participação dos seguintes conjuntos mangalarguistas: Gabriel 46

abril, 2017

Lencioni e Atila Mangabaia, Cristiano Benzota e Euro Mangabaia, Helena Botelho Gomes e Eletra Mangabaia, Luis Fernando Lencioni e Eureca Mangabaia e Claudia Moss e Eva ACF. A participação nessa 1ª Etapa do Campeonato Paulista foi uma iniciativa do Haras Mangabaia, do casal Paulo Pacheco Silveira e Camila Glycerio de Freitas, que cedeu as montarias e reuniu um grupo de mangalarguistas para participar do evento. Segundo Camila Glycerio, a iniciativa teve a intenção de incentivar a prática da modalidade. Além disso, a Equipe Mangabaia foi formada por pessoas que participaram da 1ª Clínica de Enduro, realizada no início de março com o intuito de preparar os cavaleiros e amazonas para a disputa do 1º Circuito Mangalarga de Enduro, competição exclusiva da raça que acontecerá ao longo do ano. Promovido pelo Instituto Enduro Brasil, com a chancela da Federação Paulista de Hipismo, o Campeonato Paulista contará

com mais quatro etapas ao longo da temporada. Mais informações podem ser obtidas no portal www. institutoendurobrasil.org. Fotos: Divulgação

O

c a v a l o Mangalarga m a r c o u presença na 1ª Etapa do Campeonato Paulista de Enduro Equestre, realizada no dia 12 de março, nas dependências da Fazenda Capoava, em Itu (SP). No total, sete conjuntos mangalarguistas participaram da competição, percorrendo os 17,5 quilômetros da prova destinada à categoria de velocidade controlada Aberta Adulta.

A Equipe Mangabaia representou a raça no evento.

Luís Sianga resfria sua montaria durante a prova.

Conjuntos mangalarguistas aguardam o início da prova.


1º RES. GRANDE CAMPEÃO POTRO PELAGEM PAMPA NACIONAL 2016

DOMINANTE DO GADU (T.E.) ZAGR ROS DO O PEC C (T.E E.) X DIV VISA A RB (T.E E.))

PELA PRIMEIRA VEZ, O ACRE FAZ O 1º RES. GRANDE CAMPEÃO NACIONAL POTRO PELAGEM PAMPA 2016

FAZENDA NICTHEROY - HENRIQUE LUIS CARDOSO NETO Fone (68) 9.9995-7364 | e-mail: hlnictheroy@hotmail.com Senador Guiomard - ACRE


Panorama Mangalarga

Por Pedro Rebouças

Clínica de Enduro Equestre Curso ofereceu uma ótima oportunidade para que a comunidade mangalarguista se familiarizasse com a modalidade

O

O curso abordou todos os itens para que o participante novato não se intimide na sua primeira prova. Além disso, a proprietária do Le Domaine, a treinadora e palestrante Aude Berdouche Machado, detentora de um extenso currículo na modalidade, explicou e mostrou passo a passo o que acontece antes, durante e depois de uma prova. Na opinião do criador Luís Fernando Sianga, um dos participantes do evento, a iniciativa teve um balanço final muito positivo. “Amante que sou da marcha e da função do cavalo Mangalarga, tive o privilégio de participar da 48

abril, 2017

Foto: Equipe Mangabaia

H a r a s Mangabaia, localizado no município de Atibaia (SP), foi palco de uma clínica voltada a criadores e usuários interessados em começar na prática do Enduro Equestre. O evento, promovido pelo criatório mangalarguista em conjunto com o Centro de Treinamento de Enduro Le Domaine, aconteceu na tarde do sábado 04 de março, reunindo 21 apaixonados pelo Cavalo de Sela Brasileiro. Cavaleiros e amazonas participam da parte prática do curso.

um delicioso “coffee break”. “Na primeira, ouvimos valiosas dicas de como treinar um cavalo de enduro para provas de 10, 20 e 40 km, assim como sobre equipamentos, alimentação, equitação, manejo, viagem, navegação, resfriamento, batimentos cardíacos etc. Já na parte prática nos organizamos aos pares, cavalgando numa trilha composta por lindos campos e matas, num percurso de 20 minutos, marchamos em velocidades diferentes, simulando uma prova Sianga explicou ainda que de enduro. Na chegada, contando a clínica foi dividida em partes com o apoio do outro componente teórica e prática, separadas por da dupla, ofereceremos água à 1ª Clínica de Enduro Mangalarga, organizada pela competente Camila Glycerio, do haras Mangabaia, e ministrada pela endurista Aude Berdouche. Em um ambiente extremamente agradável, o número de participantes surpreendeu positivamente e observavam-se na plateia usuários e criadores, fato este que comprova o espaço que esta modalidade tem para crescer dentro da raça Mangalarga”, destacou o mangalarguista.


Panorama Mangalarga vontade aos animais, resfriandoos com regadores e baldes para baixar os batimentos cardíacos, que foram medidos após o animal ser apresentado na marcha em uma pista de inspeção, simulando desta vez outro procedimento a ser executado nas provas de enduro. Ao final, um delicioso ‘happy hour’ regado por longos papos sobre nosso cavalo Mangalarga, contemplado por um belo anoitecer, fecharam com chave de ouro este brilhante evento”, ressaltou o animado criador da raça.

Camila lembra ainda que o Haras Mangabaia, a título de fomento e com o intuito de confirmar o incentivo ao esporte, ofereceu seis cavalos para os presentes na clínica participarem da 1ª Etapa do Campeonato Paulista

Foto: Equipe Mangabaia

Participantes acompanham a fase teórica da clínica.

de Enduro, realizada no dia 12 de março, na Fazenda Capoava, em Itu (SP). Além disso, a entusiasmada mangalarguista aproveita para convidar toda a Família Mangalarga para o 1º Circuito de Enduro Mangalarga, competição que contará com quatro etapas e que promete trazer uma dose extra de emoção à temporada 2017.

Os participantes vivenciaram todas as etapas de uma prova.

Participantes aprendem a fazer o resfriamento dos animais.

Foto: Equipe Mangabaia

Foto: Equipe Mangabaia

Os mangalarguistas puderam experimentar o ritmo de uma prova.

Foto: Equipe Mangabaia

Foto: Equipe Mangabaia

Por sua vez, Camila Glycerio, responsável pela organização do evento e titular do Haras Mangabaia, destaca que o número de participantes excedeu as expectativas e criou-se um ambiente de colaboração e amizade entre todos. Além de Luís Fernando

Sianga, participaram do curso os seguintes cavaleiros e amazonas: Helena Botelho Gomes, Rodrigo Orlando, Beatriz Biagi Becker, Rodolfo Moura, Rosangela Moura, Andreza Alves Campos, Vinicius Micai Nunes, Arnaldo Dias Micai, Erivelton Souza, Claudia Iorio Budweg, Cristiano Benzota, Luiz Fernando Lencione, Gabriel Lencione, Claudia Moss, Claudia Sianga, Ecléia Araújo da Silva, Artur Renato Araújo da Silva, José Oswaldo Junqueira Fleury, Alcides Sampaio (Tidão) e José Henrique Castejon Meirelles.

Cavaleiro aprende a apresentar sua montaria no “vetcheck”. abril, 2017

49


Panorama Mangalarga

Por Pedro Rebouças

Mangalarga Day

A funcionalidade da raça estará em destaque neste aguardado evento criado com o objetivo de fomentar a raça na próspera região de Ribeirão Preto

O

A movimentada programação do evento terá início às 8h da manhã com uma recepção aos participantes. Em seguida, às 9h, será a vez da solenidade de abertura do Mangalarga Day. Às 9h40, acontecerá a primeira parte da palestra “Conhecendo a raça”. Já às 10h20 o público poderá conferir uma demonstração da marcha original do cavalo Mangalarga. E entre as 11h e as 12h30 ocorrerá a primeira parte da aguardada prova funcional do evento. Na parte da tarde, as atividades serão retomadas às 13h30 com a segunda parte da palestra “Conhecendo a raça”. Na sequência, às 14h10, acontecerá uma nova demonstração de marcha, seguida pela continuação das disputas 50

abril, 2017

Foto: Divulgação

Vista geral das dependências do Haras Manoel Leão.

funcionais a partir das 15h. Por fim, às 16h30, acontecerá a apresentação do tradicional grupo de Cavalhada de Franca (SP). Segundo o criador Sergio Serio, do Núcleo da Alta Mogiana, o evento também contará com uma série de atrações extras para toda a família. A criançada, por exemplo, terá oportunidade de se divertir no “Espaço Kids” e interagir com os animais na “Fazendinha”. Além disso, o público poderá desfrutar em tempo integral de uma confortável estrutura, com restaurante, produtos típicos, boutique, selaria e shopping de cavalos mansos de sela. Outra atração será o “testdrive” em animais da raça, que irá permitir que o público da região tenha a oportunidade de experimentar e conhecer melhor o andamento cômodo, equilibrado e progressivo que faz a fama do cavalo Mangalarga.

O Haras Manoel Leão está localizado no quilômetro 327 da rodovia Cândido Portinari, no trecho entre os municípios paulistas de Ribeirão Preto e Brodowski. Para obter mais informações sobre o Mangalarga Day, cuja disputa funcional deve contar com a participação de cerca de 60 conjuntos, entre em contato com o Núcleo da Alta Mogiana pelo endereço eletrônico nucleomangalarga@terra.com.br ou pelo telefone (16) 3625-8516. Foto: Fernando Calzzani.

Núcleo de Criadores da Alta Mogiana irá promover, no sábado 22 de abril, a primeira edição do Mangalarga Day. Marcado para acontecer nas charmosas dependências do Haras Manoel Leão, na região de Ribeirão Preto (SP), o evento pretende fomentar a raça no interior paulista e divulgar as qualidades do Cavalo de Sela Brasileiro, além de proporcionar um dia muito agradável para toda a Família Mangalarga.

As provas funcionais estarão em destaque no evento.


Panorama Mangalarga

Por Pedro C. Rebouças

1ª Mangalarga Fest de Tijucas do Sul

Atrações diversificadas e boas premiações garantiram o sucesso da primeira edição do evento promovido pelo Núcleo Sul Paraná

A

Foto: Divulgação

A cavalgada abriu a programação na manhã do sábado.

Foto: Divulgação

O passeio contou com a participação de 80 cavaleiros.

Foto: Divulgação

O Haras VJC, de Vinicius João Curi, foi um dos organizadores do evento. 52

abril, 2017

1ª Mangalarga Fest de Tijucas do Sul, na região sul do Paraná, movimentou a raça no final da temporada passada. Em clima de confraternização, o evento organizado pelo Haras VJC (Vinicius João Curi) em conjunto com o Haras NCM (Nilson Mayer Carneiro) reuniu a família mangalarguista em uma programação com diversas atrações, como cavalgada, copa de marcha, provas sociais e disputas funcionais com uma atraente premiação em dinheiro. As atividades tiveram início na manhã do sábado 17 de dezembro, com a realização de uma animada cavalgada que saiu do Haras Estrela Energia, seguindo até a Cabanha Potro Chucro, onde os cerca de 80 participantes puderam desfrutar de um saboroso almoço ao lado de familiares e amigos. Nesse mesmo dia, no período da tarde, aconteceu uma concorrida prova de Working Penning, cuja premiação de R$ 5 mil foi dividida entre os cinco primeiros colocados. Já na manhã do dia seguinte, o domingo 18 de dezembro,

aconteceu o ponto alto da programação, a Etapa Regional de Tijucas do Sul da Copa Mangalarga de Marcha. Conduzida pelo jurado José Rodolfo Brandi, a competição contou com a participação de 29 animais, expostos por dez tradicionais criatórios provenientes dos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A copa paranaense, além disso, distribuiu R$ 10 mil entre os cinco melhores machos e as cinco melhores fêmeas presentes ao julgamento. Após o almoço, as atividades voltaram com as aguardadas competições de Três Tambores nas categorias Infantil, Iniciante e Profissional. Essa última, aliás, contou com prêmio no valor de R$ 5 mil, dividido entre os cinco conjuntos com melhor desempenho nesta prova marcada por muita emoção e adrenalina. Por fim, a programação foi encerrada com outra emocionante disputa, a prova profissional de Seis Balizas, que também contou com uma premiação de R$ 5 mil dividida entre os cinco primeiros colocados.


Panorama Mangalarga

Por Núcleo Riograndense (NRCCRM)

Núcleo Riograndense celebra 30 anos

As amazonas Bruna, Tati, Elisandra, Luciane e Natasha com o presidente do Núcleo Hugo Anélio e a jurada Caroline Porto.

Entidade prepara programação especial para celebrar esta importante data para o Cavalo de Sela Brasileiro

O

Rio Grande do Sul talvez seja o estado do Brasil com o maior número de equinos. Muito possivelmente esta paixão do gaúcho pelo cavalo seja devido à vocação agropastoril deste rincão, mas certamente ao nosso passado mais longínquo, onde os índios Charruas dominavam a arte da equitação e também às guerras que dominaram estas terras de ponta a ponta no lombo destes valentes soldados de quatro patas. Aqui nestes pagos sulinos 54

abril, 2017

se costuma dizer que um homem para ser completo precisa de um cavalo de confiança e um “cusco” companheiro. O Cavalo Mangalarga chegou ao Rio Grande do Sul timidamente, com alguns raros exemplares trazidos numa grande exposição rural anual, precursora da Expointer que existe atualmente, que acontecia no Parque de Exposições do Menino Deus, em Porto Alegre, onde hoje se abrigam algumas secretarias do Estado. Aos poucos, o Mangalarga foi ganhando a

admiração e confiança dos gaúchos que o experimentavam tanto como animal de sela nas cavalgadas, quanto nas atividades campeiras. Assim sendo, em 1987, durante a exposição internacional, já no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, reunindo os primeiros criadores da raça Mangalarga do Rio Grande do Sul e de expositores de outros estados foi criado o NRCCRM – Núcleo Riograndense de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga, tendo como primeiro Presidente, o criador Paulo Roberto Sandri, e como Diretor Técnico, o


Panorama Mangalarga Médico Veterinário Hugo Anélio Lipp Farias. Naquela ocasião foi lançada a pedra fundamental da sede do NRCCRM erigida no Parque de Exposições Assis Brasil e inaugurada no ano seguinte.

Foto: Arquivo NRCCRM.

Integrantes do Núcleo celebram o sucesso da Expointer 2012. Foto: Arquivo NRCCRM.

Foto: Arquivo NRCCRM.

Criadores acompanham a prova cavalo versus moto durante a Expointer 2005.

Foto: Arquivo NRCCRM.

A prova cavalo versus moto será uma das atrações da programação.

Programação do 30º Aniversário do NRCCRM Sexta-feira (25/08) 14h às 19h - Julgamento Morfológico Sábado (26/08) 08h às 14h - Julgamento morfológico 14h30 - Prova de Seis Balizas 15h - Prova Cavalo Versus Moto 17h - Julgamento morfológico 21h - Coquetel de comemoração dos 30 anos do Núcleo para convidados e ex-presidentes, com descerramento da placa comemorativa Domingo (27/08) 8h às 14h - Julgamento morfológico 14h30 - Prova de 3 Tambores 15h - Prova Feminina de Andamento 16h30 - Julgamento morfológico Segunda-feira (28/08) 8h - Julgamento morfológico 10h - Prova de 3 Tambores 12h - Saída dos animais vindos de outros estados Terça-feira (29/08) Palestra sobre tratamentos com base em produtos Manipulados

A trajetória do Cavalo Mangalarga no estado tem sido profícua, contando com criadores e usuários entusiasmados com suas qualidades. Beleza, docilidade, conforto e função são as qualidades deste que costumamos chamar de “cavalo do peão e do patrão”. O plantel da raça no estado hoje conta com 1.600 animais. Nesse ano de 2017, o NRCCRM comemora 30 anos de existência e prepara uma programação especial para festejar essa data, que será durante a 40ª Expointer, de 25 de agosto a 03 de setembro no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS). Dessa forma, a Diretoria do NRCCRM, por meio de seu Presidente Hugo A. L. Farias e de sua Vice-Presidente Elisandra A. da Cruz, convida aos amigos criadores de todo o Brasil para virem celebrar o 30º aniversário dessa atuante representação regional da raça Mangalarga.

Foto: Arquivo NRCCRM.

Cerimônia de premiação de edição anterior da Expointer.

Sábado (02/09) 14h - Prova de Maneabilidade 20h - Entrega da premiação das provas Domingo (03/09) Churrasco de encerramento

A vice-presidente Elisandra Cruz e o presidente Hugo Anélio entregam premiação a criador da raça. abril, 2017

55


Panorama Mangalarga

Foto: Norberto Cândido

Por Pedro C. Rebouças

Polo Wear

Para Lauro Traldi, Diretor da Polo Wear, a Família Mangalarga e a consagrada grife de moda masculina possuem públicos com 100% de afinidade

O

público que compareceu à 38ª Exposição Nacional, realizada em setembro do ano passado na cidade de São João da Boa Vista (SP), pôde desfrutar de inúmeras atrações e de uma confortável estrutura. Para isso ser possível, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) contou com o apoio de uma série de importantes empresas, 58

abril, 2017

que acreditaram no potencial do evento e na expressiva visibilidade proporcionada por ele às suas respectivas marcas. Entre as empresas parceiras do evento, a Polo Wear foi um dos principais destaques. A consagrada grife, nascida da vontade de oferecer ao público masculino uma linha de produtos “premium” que mesclasse o estilo casual e esportivo, sem deixar de lado a influência das principais tendências do momento,

confirma ainda a intenção de participar de outros eventos da raça, deixando clara a possibilidade de estabelecer uma duradoura relação com a Família Mangalarga. Segundo Lauro Traldi, Diretor da Polo Wear, a grife e o universo mangalarguista possuem uma afinidade muito grande. “A conversa a respeito da participação na Nacional começou mais pela amizade do que pelo evento em si. Eu fui apresentado ao Luis Opice –


um dos organizadores da exposição - pelo Luís Fernando Sianga, um amigo em comum que mora no mesmo condomínio que eu. Eles me apresentaram a exposição e logo entendi que se tratava de um evento e de um público que tem tudo a ver com a nossa marca. Além disso, Mangalarga é Mangalarga! Se você perguntar o nome de uma raça de cavalo para qualquer leigo Brasil afora, a resposta vai ser Mangalarga. Então, para nós foi muito satisfatório podermos nos alinhar e criar essa parceria com isso tudo que eu acho que é extremamente positivo.”

Trajetória de sucesso Traldi conta também que a Polo Wear faz parte de um grupo maior, fundado por seu sogro Roberto Restum há pouco mais de trinta anos, o Top Brends Fashion Group. “Em 1º de dezembro de 1986, foi criada a primeira loja do grupo, a Hot Point. Vinte anos depois, ele criou a Planet Girls, que é outra marca de sucesso do grupo. Também foram desenvolvidas a Venum, a Venum Fight, a SMK. Até que em 2009 foi a vez dele criar a Polo Wear, juntamente com a minha esposa, a Daniele Restum Traldi, que é a estilista chefe da marca. Surpreendentemente, de uma forma meteórica, a marca agradou muito mais do que podíamos esperar. Após oito anos, estamos com 112 lojas, 35 franquias e expandindo pesado. Mesmo em um período de crise, nossa previsão é de abrirmos cerca de vinte lojas este ano.” Ainda de acordo com o Diretor da Polo Wear, o desenvolvimento da grife veio atender uma necessidade clara do mercado. “Nós sentíamos necessidade de criar uma marca da qual nós próprios usássemos as roupas. Porque o grupo possui

Foto: Divulgação Polo Wear.

O executivo também destaca que a participação na 38ª Nacional foi uma experiência muito boa para a marca. “Para nós, foi tudo muito positivo. Eu particularmente acho que Polo Wear e a Família Mangalarga tem tudo a ver. Tanto o cliente Polo Wear é um consumidor em potencial do cavalo como o consumidor do Mangalarga é com toda certeza um cliente Polo Wear. Quer dizer, nos eventos em que estive da raça, eu observei a vestimenta dos frequentadores e ela é exatamente aquilo que a gente busca vestir, uma polo legal, uma camisa legal, uma calça jeans legal, uma bota. Enfim, são públicos que se confundem, há uma afinidade total entre eles. Eu diria até que

enxergo exatamente o mesmo público para os dois.”

A Polo Wear é considerada uma marca premium.

Panorama Mangalarga outras marcas, mas que não eram dirigidas para esse público. A Venum é uma marca mais ‘street’, a Venum Fight é uma marca mais voltada para o público de luta, assim a gente muitas vezes não encontrava roupas para nós mesmos vestirmos. Então fomos atrás de uma referência, um modelo mais clássico, algo que pudéssemos pensar ‘é isto o que eu quero vestir e o que eu quero que os meus amigos vistam’.” A boa aceitação da marca deixou claro também que havia uma expressiva demanda não atendida no mercado de roupas brasileiro. “A Polo Wear veio em um momento em que o Brasil precisava de uma marca masculina que tivesse uma abrangência grande de produtos. Hoje, quando alguém entra na Polo, encontra do ‘baby’ ao adulto, do pequeno ao ‘over’, com cinco tamanhos de grade para tamanhos grandes. Enfim, o direcionamento foi esse, dentro de um mercado que não é um nicho, é super abrangente, mas que não tinha ninguém cobrindo naquele momento. Você tem outras marcas, todas elas de viés feminino, que tinham o masculino como um apêndice. Nós não, nós invertemos esse processo. A Polo Wear é uma marca voltada ao público masculino mas que atende também o público feminino, numa linha mais clássica e elaborada, que podemos chamar de ‘premium’. Ela não é ‘fast fashion’, é realmente um ‘comoditie’ dentro deste mercado. Eu costumo brincar que nós não queremos vestir o sujeito para sair, nós queremos vesti-lo para ir trabalhar, porque sair é algo que ocorre uma vez por semana e trabalhar é acontecimento de todo dia. Assim, o nosso intuito é vestir o sujeito com uma camisa bacana, uma calça bacana, um produto de alta qualidade com o melhor preço abril , 2017

59


Panorama Mangalarga

Além disso, como o próprio nome da marca deixa claro, o Polo, modalidade hípica cuja história no país tem forte relação com a raça Mangalarga, foi uma importante influência para o desenvolvimento do estilo da grife. “Existem várias referências mundiais de marcas ‘premium’ que seguem esta mesma linha, como a Polo Ralph Lauren e a U.S. Polo. Assim, quem sabe a gente não consegue fazer da Polo Wear o que a Polo Ralph Lauren é para os Estados Unidos. Acho que este é o caminho, obviamente guardadas as devidas proporções. E o polo é o esporte que domina nesta área. É o esporte que é referência. Veja o Ralph Lauren, nos Estados Unidos ele é um gigantesco criador de cavalos, tem um haras lindo, cujas premiações dos cavalos podem ser vistas nas suas lojas. Então é mais ou menos esta mesma linha que procuramos seguir.”

Paixão antiga Aliás, o interesse de Traldi pelo universo equestre continua a crescer, tanto é que fez seus primeiros investimentos em animais da raça Mangalarga. “Esse interesse nasceu recentemente. Eu estive na Nacional, participei de tudo e também acompanhei o leilão. O Sianga então acabou me convidando para entrar na sociedade de alguns animais. Estamos começando, vamos ver o que vai dar. Eu estou otimista, gostei dos dois animais que estão lá na fazenda agora.” No entanto, vale destacar que a ligação do executivo com os cavalos não é de forma alguma algo novo. “O primeiro cavalo com o qual andei foi no meu 60

abril, 2017

Foto: Divulgação Polo Wear.

possível, que é o que a gente tem.”

A grife possui 112 lojas espalhadas pelo Brasil.

aniversário de quatro anos. Foi o primeiro cavalo que eu ganhei e já sai andando sozinho. Além disso, meu filho ainda não tinha dois anos quando eu o coloquei em cima do cavalo pela primeira vez. Para mim, o gosto por cavalos já vem de longa data. É lógico que às vezes você passa por alguns períodos em que não consegue estar tão próximo daquilo que você gostaria de fazer. Mas acho que agora eu estou em um momento de, devagarzinho, ir voltando a conviver com os cavalos. Eu gosto de tudo relacionado a eles. Gosto de andar, gosto de ver, gosto de estar no meio, gosto de sentar e ficar olhando os cavalos. Gosto muito mesmo!” A experiência positiva com a Nacional também parece ter motivado o Diretor da Polo Wear a apoiar outros eventos da raça, como a Copa de Marcha de Jundiaí (SP), município onde a sede da empresa está localizada. “Principalmente por conta daquela afinidade de 100% sobre a qual já conversamos, eu acho que dificilmente a gente não vai participar dos bons eventos da raça Mangalarga que aconteçam pelo Brasil e que queiram o nosso apoio. Se for um bom evento, se for algo que venha a agregar para nós, se contarem com um público que eu tenho certeza que é o nosso, então a chance de fazermos novas parcerias

é grande.” O executivo finaliza a conversa lembrando que o ramo têxtil vive um momento que exige cautela por parte das empresas. “Por conta da situação do país, nós já tivemos dois anos complicados e estamos entrando em um terceiro ano difícil. Mesmo assim, graças a Deus, conseguimos crescer neste período. Hoje, estamos no Brasil inteiro. Temos 112 lojas espalhadas por diversos estados, como São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Bahia, Ceará, Piauí e Rondônia. No entanto, este é um momento para não se fazer nenhuma estrepolia, por isso ao longo deste ano vamos seguir nesta linha clássica. Vamos procurar atravessar o mar bravo para ver se encontramos a calmaria do outro lado. Assim, vamos ter cerca de vinte inaugurações este ano, para tentar ocupar espaço em alguns lugares onde a gente ainda não tem o atendimento que a gente quer para o nosso público. Além disso, estamos dando continuidade ao processo de reestruturação interna que começamos há cerca de dois anos, pois sentimos a necessidade de estruturar todos os setores de forma sólida após o rápido crescimento que a marca teve em um curto período de tempo.”


Panorama Mangalarga

Por Equipe Mangalarga

Equitana 2017 Tradicional feira alemã recebe cerca de 200 mil pessoas a cada edição e é referência para o segmento equestre mundial

U

m grupo de 35 representantes da raça Mangalarga m a r c o u presença, no período de 18 a 26 de março, na maior feira equestre do mundo, a Equitana. A visita da comitiva mangalarguista, que contou com a companhia de Aluisio Marins, diretor da Universidade do Cavalo, teve o objetivo de buscar fomentar novos negócios e parcerias, além de analisar a possibilidade de futuramente estruturar um estande especial da raça neste importante evento, realizado na cidade de Essen, na Alemanha. Dono do quarto maior rebanho equino do mundo, o Brasil vem sendo representado na Equitana desde 2011, por meio de associações de criadores e parceiros. Esta experiência, aliás, tem rendido bons negócios, além de propiciar um produtivo intercâmbio com amantes de cavalos de diversos países. A Equitana é um destino muito procurado por todos os amantes dos cavalos, entre eles criadores, usuários e atletas de inúmeras modalidades, assim como por empresários que buscam novas oportunidades de parceria na Europa. Com 45 anos de história, a 62

abril, 2017

Uma comitiva de 35 criadores representou a raça na Equitana 2017.

Equitana é o maior evento equestre do mundo e reúne mais de 200 mil visitantes em nove dias de evento. Realizada desde 1972, a Equitana acontece a cada dois anos e oferece uma grande diversidade de palestras, conferências, concursos, exposição e venda de produtos voltados para o segmento.

110 mil metros quadrados de área de exposição e 20 mil metros quadrados de área coberta entre arenas e pistas. Isso tudo com mais de cem atrações simultâneas. Nos estandes circulam visitantes de todo o mundo interessados em oportunidades e dispostos a fechar parcerias. A feira tem representantes de 30 países, que aproveitam o evento para estreitar relações diplomáticas. Para os expositores, estar na Equitana é uma excelente oportunidade de apresentar produtos e serviços e estruturar parcerias e acordos comerciais e de cooperação, dentro de um ambiente descontraído e com muitas atrações.

A feira alemã oferece ainda uma enorme gama de produtos dos mais renomados fabricantes internacionais, espetáculos, palestras e informações do mundo equestre. Além dessas diversas atrações, o evento conta com a participação de Associações de Criadores de Cavalos, fornecedores de serviços e pesquisadores que apresentam inovações extraordinárias, premiadas durante Confira na próxima edição a a feira. cobertura completa da participação da comitiva mangalarguista na Por sua vez, a estrutura maior feira do segmento equestre em da Equitana é composta por 18 todo mundo. (Com informações de pavilhões, mais a galeria, que Flávia Raucci Facchini e Herondina permanecem lotados durante Garcia) todo o dia, das 10h às 19h. São


Panorama Mangalarga

Novos Associados

A Família Mangalarga continua a crescer por todo Brasil

O

Cavalo de Sela Brasileiro iniciou o ano demonstrando muita vitalidade. Afinal, mesmo com o país ainda vivendo um momento de crise, o número de eventos da raça continua a crescer e os leilões promovidos por todo país têm registrado boas médias de preço e uma notável liquidez. Além disso, o plantel mangalarguista tem tido uma expressiva evolução e novos associados continuam a chegar para reforçar o quadro da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM). Entre os novos sócios estão tanto criadores como usuários, atraídos pelas inúmeras qualidades dos exemplares da raça, em especial sua bela conformação, sua inegável funcionalidade e sua incomparável marcha. Dessa forma, a ABCCRM dá as boas-vindas a todos que ingressaram na entidade neste primeiro trimestre de 2017. No quadro que acompanha esta matéria, é possível conferir a relação completa destes novos componentes da Família Mangalarga. Já os interessados em se associar podem entrar em contato com a ABCCRM pelo telefone (11) 38669866 ou obter mais informações no portal www. cavalomangalarga.com.br.

Novos associados do mês de janeiro Celso de Mattos – Guararema/SP Fabio Antonio Canova – Paulínia/SP Leandro Alberto de O. Rezende – Pedralva/MG Osmar Bracalente – Vinhedo/SP Paulo Fontão Ferraz Junior – Montividiu/GO Novos associados do mês de fevereiro Adriano Alberto Ribeiro - Pindamonhangaba/SP 64

abril, 2017

Por Pedro Rebouças Adriano Betinardi - Pacaembu/SP Alexandre Cesar da Silva - Caconde/SP Alfredo Zarif - Boituva/SP Almir Carlos Chieregato - Pedregulho/SP Ana Stela N. D. da Conceição de Santana Araguaiana/MT Antonio Camara Neto - Maranguape/CE Beatriz Helena de Carvalho Garcia - Paraíso/SP Carlos Eduardo Morelli - Igarapava/SP Ederson Fernando Coelho - Amparo/SP Felipe Aparecido Franco de Almeida - Catanduva/SP Felipe Berthoud de Jesus - Pindamonhangaba/SP Felipe Jorge Bonadio - Amparo/SP Frederico Xavier Candido - Campinas/SP Gustavo Henrique Fornazeiro Bassi - Espírito Santo do Pinhal/SP Haras Fabuloso Ltda. - Divinolândia/SP Jaó Agropecuária Ltda. - Sorocaba/SP João de Freitas Júnior - Moema/MG José Aloisio Bernardi Carvalho - Poço Fundo/MG José Carlos Martins Fontes - Pindoba/AL Juliano de Simone Balseiro - Itu/SP Jussara Bergamini - Holambra/SP Leandro Cesar da Silva Sartini - Torrinha/SP Leticia Cobalchini - Araçoiaba da Serra/SP Luiz Felipe Matiazzi - Bebedouro/SP Luis Guilherme A. Domingues - Pouso Alegre/MG Maristella Flavia Audrá Cutolo - Itiquira/MT Roni Carlos Tortorella - Jundiaí/SP Sérgio Antonio Fernandes - Piracicaba/SP Silvio Roberto Maschio - Jarinu/SP Willian Henrique da Silva - São Carlos/SP Novos associados do mês de março Andréa Souto de Paula Ferreira - São José dos Campos/SP Celso Adriano dos Santos Mira - Cristina/MG Conrado Ap. Borsoni Camargo - Cosmorama/SP Glenn Sergio Mikosz Stenger - Piraquara/PR Hercules Ovidio Favaro - Itápolis/SP Lúcio Flávio Botelho Trajano - João Pinheiro/MG Luiz Paulo Correa Cruvinel - Guaxupé/MG Marcos Izidoro de Lima - Guaxupé/MG Marcos Tadeu Cordeiro - Sorocaba/SP Rodrigo da Silva Nogueira - Tapiratiba/SP Rodrigo Souza Aires Fleury de Lemos - Corumbá de Goiás/GO Associados Reintegrados no mês de março Luiz Carlos Comitre - Sorocaba/SP Thiago Araújo R. de Moraes - Bragança Paulista/SP


Profissional de Sucesso

Por Pedro Rebouças

Poleca

Foto: Divulgação

Com mais de 50 anos de dedicação à tropa J.F., Alberto Paulino é um grande conhecedor do cavalo Mangalarga e o mais antigo profissional em atividade em um mesmo criatório da raça

D

urante a 38ª Exposição Nacional, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM) e a Sociedade Sanjoanense de Esportes Hípicos (SSEH) promoveram uma emocionante homenagem a um dos mais renomados profissionais em atividade na raça, o senhor Alberto Paulino, mais conhecido entre os amigos mangalarguistas como Poleca. Segundo Gabriel Francisco 66

abril, 2017

Junqueira de Andrade, o Bié, VicePresidente Técnico da ABCCRM, a principal motivação da homenagem foi ressaltar a longa e bem-sucedida vida profissional de Poleca na raça Mangalarga. “A Associação considerou que seria importante ressaltar o fato dele ser o peão mais antigo a atuar em uma mesma tropa. Afinal, são mais de cinquenta anos de dedicação à linhagem J.F. e à Fazenda São José da Barra, sempre com um espírito de muita fidelidade e parceria”, explica Bié, atual titular do criatório J.F. e amigo desde a infância do homenageado.

Por sua vez, Poleca destaca a grande alegria com a solenidade realizada na 38ª Expo Nacional. “Eu fiquei muito contente, especialmente por receber esta homenagem em vida. Afinal, muitas vezes as pessoas acabam sendo lembradas apenas quando já não estão mais aqui. Assim, eu me sinto realmente muito agradecido com esta lembrança por parte da Mangalarga”, afirma o profissional, que, aos 64 anos, continua bastante ativo no dia a dia da fazenda, tanto é que concedeu entrevista à revista Mangalarga por telefone de cima do lombo de um cavalo enquanto se


Foto: Norberto Cândido

Poleca é homenageado pelos organizados da 38ª Expo Nacional.

dirigia para mais uma tarefa da lida diária. A homenagem realizada pela ABCCRM e pela Sociedade Sanjoanense também comoveu Bié e seus familiares. “Toda família ficou muito emocionada, pois são muitos anos de convívio e colaboração. O Poleca já nasceu na fazenda e quando o meu pai veio de Minas Gerais para São Paulo, trouxe o pai dele junto, que era um de seus peões de confiança”, relata o titular da seleção da Fazenda São José da Barra. Nascido na Fazenda Favacho, propriedade localizada em Cruzília (MG) e considerada um dos pilares da raça Mangalarga, Poleca veio para o estado de São Paulo em 1954, aos dois anos de idade, quando seus pais se mudaram para a Fazenda São José da Barra, em São José do Rio Pardo (SP), acompanhando a família de Geraldo Junqueira de

Andrade, o Capitão, que se dirigia ao território paulista em busca de novas oportunidades de negócios na agropecuária e com o intuito de expandir a linhagem Favacho. Poleca, aliás, ressalta a boa relação com a família Junqueira de Andrade como o principal motivo para tantos anos de atuação profissional na Fazenda São José da Barra. “Meu pai e minha mãe tiveram quinze filhos, e nós sempre fomos tratados como irmãos por todos aqui na fazenda. Também foi este trabalho que me possibilitou constituir uma bela família com minha esposa Terezinha Graciosa Paulino, adquirir a casa na cidade onde vivo e formar meus dois filhos. Hoje, um deles é advogado e empresário e outro ocupa um bom cargo na Nestlé”, explica com satisfação o experiente profissional. Bié, por sua vez, lembra que Poleca possui um grande conhecimento sobre o cavalo

Mangalarga. “Ele conhece muito da raça e tem uma vivência muito grande tanto da tropa antiga como da atual. Quando era mais jovem, participou muito de pista, amansou muitos cavalos e lidou muito com o gado. Além disso, sempre foi uma pessoa muito querida na raça e só arrumou amizades por onde passou.” Já o homenageado da mais recente edição da Nacional destaca

Poleca participou do desenvolvimento da tropa J.F. em São Paulo. abril, 2017

67


Profissional de Sucesso chamavam assim. Ficou para toda a vida!”

Foto: Norberto Cândido

Amigos e familiares prestigiaram a homenagem realizada na Nacional.

a importância da família Junqueira de Andrade em sua formação como profissional. “O senhor Geraldo e o José Urbano, irmão do Bié, foram as pessoas que me ensinaram a trabalhar. Eu ia aprendendo durante as atividades, ouvindo os conselhos e as explicações que eles davam.” Ao longo de suas mais de cinco décadas de trabalho com a tropa J.F., Poleca teve oportunidade de conviver com animais muito especiais originários tanto da própria seleção J.F. como adquiridos de outros criatórios. “O Belo JO, que foi Campeão Nacional aqui, foi um dos mais marcantes com os quais convivi. Também teve o Damasco da Estiva, pai do Pote JUJA e que veio ainda potro de Orlândia (SP), e o Ultimato J.F., o melhor

Foto: Divulgação

José Rubens Vilela, Paulinho Vilela, Bié, Poleca, Fernando Tardioli, José Rodolfo Brandi, Sérgio Paiva e Hélio Brandi. 68

abril, 2017

O mangalarguista homenageado durante a Nacional conta ainda que suas atividades preferidas sobre o lombo de um Mangalarga são a lida com o gado e as cavalgadas. “Eu sempre gostei de trabalhar com a boiada e de participar de cavalgadas. Certa vez, fiz uma viagem inesquecível de Cruzília a Orlândia, duas cidades muito importantes para a

cavalo que passou por aqui. Entre as fêmeas, as que mais marcaram foram a Televisão J.F. e a Ziza J.F., as éguas-base que fizeram a tropa J.F. e que eram animais realmente excepcionais.” Poleca lembra também que a raça Mangalarga propiciou outro momento memorável em sua vida. “Foi há uns trinta anos, quando estive em Florianópolis (SC) para apresentar um cavalo em um leilão e tive a oportunidade de ver o mar pela primeira vez. Foi realmente um momento muito emocionante”, recorda-se o renomado profissional mangalarguista, cuja alcunha vem da mais tenra idade. “Lá em Minas todos costumavam ter apelido e quando eu vim para São Paulo toda minha família e seus amigos já me

Foto: Divulgação

Poleca com Guga e Bié nas cocheiras da Fazenda São José da Barra.

Foto: Divulgação

O casal Mariliza e Gabriel Junqueira na companhia dos amigos Mário Barbosa e Poleca.

raça. Foram doze dias cavalgando. Eu montava em um animal e ia puxando outro, para ir revezando durante o percurso. O Mangalarga é um animal muito bom para esse tipo de função, por causa de sua toada, comodidade e resistência.” O experiente cavaleiro finaliza a conversa ressaltando que um bom cavalo deve ser bonito, cômodo, com boa índole e com bastante osso, ou seja, dono de uma boa estrutura que lhe proporcione a funcionalidade e a resistência necessárias para a lida diária na fazenda.


Haras em destaque

Centro de Treinamento Manamá

Valdir Marques montando Karol JSAP, destaque do Haras GTA.

Local é referência na preparação de animais para exposições, copas e provas da raça Mangalarga

A

excelência do trabalho realizado pelo Centro de Tre i n am e nto Manamá é bem conhecida por todos que acompanham as exposições e copas da raça Mangalarga. Afinal, o elevado nível de preparação dos animais apresentados pela equipe comandada por Valdir Marques, o Dil, fica evidente pelo bom desempenho em pista e pelos expressivos resultados conquistados 70

abril, 2017

nos mais concorridos eventos do Cavalo de Sela Brasileiro.

e Grande Campeã Égua da Copa de Marcha 2016.

Na Etapa Final da Copa Mangalarga de Marcha 2016, realizada em novembro passado na cidade de Amparo (SP), o Centro de Treinamento Manamá obteve importantes conquistas. As principais delas ocorreram com a fêmea baia Karol JSAP, de propriedade do Haras GTA, do criador Alexandre Andrade Barbieri, eleita Campeã Égua Jovem

A Equipe Manamá brilhou também na Exposição Nacional, a mais importante mostra da raça, cuja 38ª edição ocorreu no mês de setembro em São João da Boa Vista (SP), cidade onde está localizada a sede do CT. Na ocasião, o time comandado por Valdir Marques levou a fêmea Ida RBV, exposta por Luis Augusto de Camargo Opice, à conquista do título de Grande

Foto: Rodrigo Paradeda.

Por Pedro Rebouças


Campeã Nacional Égua de Marcha da Pelagem Preta ou Zaina 2016. Esses relevantes títulos, assim como muitos outros conquistados em anos anteriores, não vieram por obra do acaso. Eles são frutos da conjugação de uma série de fatores, como trabalho árduo, treinamentos criteriosos, zelo com os animais, boa infraestrutura e uma equipe entusiasmada e empenhada na busca pelo constante aperfeiçoamento. Além, é claro, da vasta vivência e do amplo conhecimento da raça exibidos por Dil. O titular do CT Manamá conta que cada equino que chega à propriedade passa por uma detalhada análise. “O primeiro passo é avaliar o estado clínico do

animal para ver se ele precisa de algum tratamento especial para apresentar a sua melhor forma. Depois, vemos o que ele necessita em termos de treinamento e preparação para desenvolver um trabalho direcionado para as suas necessidades”, explica Dil. O Centro de Treinamento, que possui hoje uma equipe de oito profissionais, também dedica atenção especial ao casqueamento, ferrageamento, aprumos e alimentação dos 70 animais alojados no local. Além disso, o Manamá oferece uma ótima estrutura com equipe veterinária, baias confortáveis, piquetes, campos de feno, transporte próprio para eventos e uma ampla pista coberta iluminada, ao lado da

Haras em destaque

O CT possui uma área de confraternização para receber clientes e amigos.

qual encontra-se uma confortável área de confraternização para os clientes e amigos acompanharem as atividades, especialmente nos finais de semana.

Longa experiência

Vista geral da pista coberta do Centro de Treinamento Manamá

A passagem pelo Haras Tibagi foi muito produtiva e Dil evoluiu muito profissionalmente. No criatório, vieram as primeiras conquistas de peso como apresentador, com animais como: Indira MJ (Grande Campeã Nacional Geral e de Andamento), Olina MJ (Grande Campeã Nacional Potra), Figal MJ (Grande Campeão Nacional Potro), Jagdo MJ (Grande Campeão Nacional Potro) e Sibyla MJ (Grande Campeã Égua Geral e Andamento)

Foto:André Barbieri

Foto:André Barbieri

O CT Manamá oferece uma completa estrutura a seus clientes.

A relação de Dil com o cavalo Mangalarga começou muito cedo. “Essa convivência vem desde a infância, pois eu segui os passos do meu pai, que já trabalhava com a raça. Aos sete, oito anos, eu gostava de acompanhá-lo em seu trabalho e vê-lo lidar com os animais. Mas foi só em 1982 que eu comecei efetivamente a trabalhar, no Haras Tibagi, do Olinto Marques de Paulo. Eu fui lá a convite do Benedito Carlos da Silva, para trabalhar inicialmente como ferrageador”, conta o idealizador do CT Manamá.

abril, 2017

71


Haras em destaque

Além de seu próprio pai, por meio de quem teve seu primeiro contato com os cavalos Mangalargas, Dil conta que a sua principal referência como profissional foi José Freire, o Zequinha, que notabilizou-se por seu trabalho no Haras RB. “Desde jovem, sempre me inspirei nele, por sua seriedade e dedicação no trabalho com os animais da raça.”

Desta forma, o Centro de Treinamento conta com um dia a dia de muito trabalho, prestando serviço a criadores de diversas regiões do país, entre eles: Alexandre Andrade Barbieri, Almir José Lopes Campos, João Luis Ribeiro Frugis, Francisco Horácio Fernandes, Guilherme Barbeitos Teixeira, Luis Augusto de Camargo Opice, Renato Giordano e Ricardo Urbano. O Manamá, além disso, já alojou animais de celebridades, como Irerê da Lira, da consagrada cantora Paula Fernandes. Essas e outras parceiras, aliás, renderam muitas premiações ao longo dos últimos anos, graças ao

Foto: Norberto Cândido

O titular do CT Manamá também considera que a receita

para ser bem-sucedido inclui uma série de fatores, como a seriedade no serviço diário, o gosto pelo trabalho, a paixão pelos cavalos e o ímpeto para buscar aperfeiçoar-se constantemente, buscando sempre reciclar seus conhecimentos. Essas, aliás, são as recomendações que costuma passar aos mais jovens na profissão e àqueles que trabalham com ele.

Pódio de Ida RBV, Grande Campeã Nacional Égua de Marcha da Pelagem Preta. 72

abril, 2017

Foto: Norberto Cândido

Após a passagem pelo Haras Tibagi, Dil deu seguimento à carreira. Ficou cinco anos no Haras Espinhaço, de Emiliano Abraão Sampaio Novaes, e passou a prestar assessoria para diversos outros criatórios da raça. Há cerca de quinze anos, o destacado apresentador e treinador observou que poderia ser bem-sucedido caso criasse seu próprio centro de treinamento, oferecendo uma interessante alternativa para os criadores e proprietários prepararem seus animais para os mais diferentes eventos da raça Mangalarga.

Karol JSAP recebe o troféu de Grande Campeã da Copa de Marcha 2016.

bom desempenho de animais como: Dunga Vargedo (Grande Campeão da Copa de Andamento e Grande Campeão Nacional de Andamento), Regente da Barra Nova (Grande Campeão Nacional de Andamento), Uno do Gerezin (Grande Campeão Nacional Cavalo), Bianca da Fazenda Pinhal (Grande Campeã Nacional Pampa de Andamento), Madonna DA (Reservada Grande Campeã Nacional), Tramela do Mont Serrat (Reservada Grande Campeã Nacional), Catarina da Marazul (Grande Campeã Nacional de Andamento) e Tigre do Mont Serrat (Grande Campeão Nacional de Andamento). Por tudo isso, Dil se mostra otimista em relação à temporada 2017. “Como sempre, nós almejamos ir bem este ano. Vamos fazer todos os esforços para isso, mas sabemos que tudo depende da vontade de Deus”, conclui o titular do CT Manamá.


Espaço Técnico

Andamento dos Equinos Critérios de seleção

O

s andamentos dos equinos constituem algo complexo que fascina aqueles que admiram essa espécie animal ao longo da história da humanidade. Com uma gama variada de habilidades e aptidões os cavalos e éguas são utilizados em todo o mundo, sendo o sucesso do seu desempenho, dependente de sua forma de locomoção. Visando o Melhoramento Genético, em todo processo de criação, inicialmente e fundamentalmente deve-se ter bem claro o objetivo para os quais esses animais serão selecionados e quais são as características desejáveis. A partir daí, traça-se todo o planejamento com as ações que serão realizadas. A definição dos Critérios de Seleção, ou seja, definir quais características serão avaliadas e como elas serão avaliadas devem ser realizadas de forma a alcançar o objetivo com a maior eficiência possível. Historicamente o cavalo está associado ao desenvolvimento das civilizações, sendo o objetivo inicial de criação, a habilidade para o combate dos exércitos na busca de conquista por territórios. Dois exemplos da importância das cavalarias são o desenvolvimento do Império Romano com Alexandre, o Grande (356 a 323 aC) e seu cavalo Bucéfalo orientados por um dos primeiros estudiosos da locomoção equina, o filósofo Aristóteles, além também do Império Mongol sob Gengis Khan (1162- 1227dC) com seus arqueiros, considerada a maior 74

abril, 2017

expansão territorial da história. Embora utilizado para fins militares com eficiência até os dias de hoje, o cavalo passou por outra fase, sendo essa, focada na utilização nos trabalhos agropecuários e como meio de transporte de cargas e pessoas. Ainda hoje, os equídeos criados para a lida com o gado representam a maior parte dos equinos criados no Brasil em termos de efetivo de rebanho. A urbanização da população oriunda da revolução industrial e a automação vividas nos últimos tempos levaram a criação de equinos a focar nas atividades esportivas de lazer e terapia. No século XX, se consolidou o desenvolvimento de variadas raças com a fundação das associações de criadores em todo o mundo. A raça Árabe, que se iniciou por seleção natural no Oriente Médio milênios antes de Cristo, continuou sua seleção com objetivo de valorizar sua resistência física para provas de longa duração e as provas de enduro são importante critério para seleção. Na Grã-Bretanha, a seleção do PSI tendo como objetivo selecionar galope em alta velocidade tomou força e se expandiu pelo mundo, sendo as corridas sua principal forma de avaliação dos indivíduos superiores. Na Europa, diversas raças de sela se desenvolveram baseadas em competições cada vez mais concorridas, como as provas de salto, adestramento e CCE que são hoje os esportes equestres olímpicos. Iniciada nos Estados Unidos, a Quarto-de-Milha promoveu variadas provas visando desenvolver e demonstrar as habilidades de seus

animais e hoje é a raça que mais cresce em adeptos no mundo. No Brasil desenvolveram-se diversas raças, todas de cavalos de sela e em algumas delas, como na Mangalarga, o grande diferencial é a sua forma de locomoção. Desde então surgiram os diferentes conceitos de ‘Marcha’ e a busca pelo modelo ideal de locomoção que alie conforto, equilíbrio e agilidade. A maioria das provas é composta de avaliações subjetivas, ou seja, pela interpretação e julgamento por alguém. Independente da função para a qual o cavalo é criado, seu valor está diretamente associado à qualidade de movimentos e, portanto, essa é uma das principais buscas dos criatórios atuais das diversas raças. Ponto sempre presente em discussões sobre o tema relacionase à naturalidade dos movimentos, ou seja, sobre a transmissão das características relacionadas aos andamentos. Torna-se importante, então, reconhecer aquilo que pode ser melhorado por meio da seleção genética e aquilo que pode ser aprimorado pelo treinamento e manejo. É importante avaliar então, o que diferencia, os mais variados andamentos. O ritmo e cadência com que os membros se movimentam, associados à coordenação motora de cada equino, determinarão o padrão de locomoção, auxiliados por toda a postura e conformação do conjunto de frente e tronco, que darão ao animal o balanceamento e equilíbrio. Irão então interferir a capacidade de protração e de retração, ou seja, de avançar ou retrair cada segmento do


membro além do eixo articular. A capacidade de flexão e extensão de cada articulação, ou seja, alteração dos ângulos articulares; a relação ideal entre o deslocamento do casco e a distância percorrida (trajetória) por esse casco entre duas pegadas; a relação entre a frequência da passada e o comprimento da passada, interferindo na velocidade da passada; a simetria ou assimetria de movimentos de cada membro ou entre dois pares de membros; a dissociação ou simultaneidade de movimentos entre o conjunto de membros, além da cobertura do rastro dos anteriores pelos posteriores. Avaliando-se os dados anteriores entende-se o porquê da associação entre a conformação e os andamentos, mas será só isso? Hoje é também possível, por meio de exames bioquímicos, avaliar diversos parâmetros associados ao condicionamento físico. Também importante é investigar como se dão os impulsos nervosos e suas ações nos animais, ou a neurofisiologia, pois provavelmente a conformação ajudará no equilíbrio, mas o padrão de movimento está relacionado com a coordenação motora. O desafio então para a evolução dos criatórios, além de elencar tudo que interfere no andamento, é quantificar e separar qual a interferência da genética e dos componentes não genéticos sobre cada um deles. A partir daí definese quais os critérios serão utilizados para seleção. É comum no meio equestre falas como ‘esse animal é de pista mas não é bom reprodutor’ ou ‘animal que ganha quando jovem não confirma quando adulto’. Essas afirmativas podem retratar a verdade pelo fato de que um animal campeão em pista, não necessariamente é aquele superior geneticamente, mas sim aquele em que além da genética, lhe favoreceram os fatores ambientais relacionados ao seu manejo, treinamento, preparativos e claro o seu apresentador/cavaleiro.

O Melhoramento Genético tem buscado caminhos para aumentar o conhecimento e assertividade nessas ações de identificação de indivíduos superiores geneticamente. O passo inicial consiste em unificar conceitos e terminologias para facilitar a comunicação acerca dos parâmetros avaliados, entre aqueles que lidam com os animais. No caso das associações de criadores, a regulamentação das competições, definição clara daquilo que será avaliado, treinamento do corpo técnico e a transferência desses dados e informações aos seus associados são fundamentais. Nesse caso está se definindo o animal ideal, ou seja, o modelo ou o objetivo a ser perseguido. O próximo passo será obter dados confiáveis obtidos de forma precisa para poder avaliar e comparar os animais, com números que permitam a quantificação e diferenciação dos movimentos de cada indivíduo minuciosamente. Isso pode ser realizado por meio das análises cinemáticas, filmandose os animais em movimento e analisando-os em computador com programas específicos. Por meio de avaliações morfológicas utilizandose a hipometria, tomando-se medidas de comprimento, altura, largura, perímetros, proporções além de inclinações e angulações. As mensurações permitem cálculos de proporções e construções de índices que podem ser correlacionados com os dados de locomoção. As obtenções desses dados auxiliam fortemente os treinadores, cavaleiros, Médicos Veterinários, Zootecnistas, enfim, profissionais que lidam no dia a dia com os animais para tomadas de decisões, principalmente para a escolha e definição dos animais para competição, mas serão também importantes informações para utilização como critério de seleção e serão determinantes na direção e celeridade em que cada tropa irá seguir. A coleta desses dados de forma rotineira e sistemática,

junto com os dados de genealogia e manejo, permitirá análises estatísticas em que se torna possível separar variações devido a efeitos genéticos daqueles devidos aos efeitos de meio. Outro ponto de pesquisa que vem se intensificando, relaciona-se à genômica, ou a identificação de genes que interferem na locomoção. Diversos estudos aprofundando o tema têm apontado para a natureza genética do desempenho dos equinos, que vão desde observação da transmissão de características morfológicas como fisiológicas, incluindo-se aí, as diferenças na constituição das fibras musculares, nas capacidades cardíacas, respiratórias e no temperamento, que de forma conjunta, irão estabelecer diferenças motoras entre os indivíduos. Alguns estudos nesse sentido já descobriram genes relacionados, por exemplo, com a dissociação, sendo que, obviamente o desempenho dos equinos em sua locomoção, não depende apenas de um par simples de genes, mas de uma grande gama desses e suas interações com o ambiente em que os animais são criados. A Equideocultura deve, aos poucos, incorporar com maior efetividade práticas de melhoramento já extensamente utilizadas na Bovinocultura de leite e corte, na Avicultura e Suinocultura com resultados de ganhos genéticos surpreendentemente positivos. Tem-se tudo para nos próximos anos, assistirmos a uma revolução e evolução na criação dos equinos. A ciência e tecnologias ligadas à produção animal estão cada vez mais acessíveis ao mundo equestre e embora ao longo da humanidade, altere-se o objetivo de criação, é crescente a determinação e paixão dos criadores e profissionais que lidam com esses animais.

Prof. Alessandro Moreira Procópio abril, 2017

75


Espaço Técnico

Incentive o acreditar

Quando o cavalo muda o pensamento, a partir da mudança que a pessoa gera, há o que chamo de incentivo ao acreditar que dá para confiar e executar

76

abril, 2017

Na maioria das vezes as pessoas solucionam os problemas através da contenção ou limitadores físicos como freios, gamarras, martingales, cordas, ou mesmo na forma de punição, castigo. Alguns entram pelo viés do que chamo “suborno”, ou seja, ração, feno, doces, etc. Quando vamos para a parte prática e iniciamos os exercícios que visam mais a parte mental para depois irmos para a parte física, os cavalos começam a mudar de atitude e as ferramentas começam a se abrandar. Obviamente que tudo isto somente ocorre a partir da vontade das pessoas em praticar os exercícios, e que leva sim algum tempo, mas todos os cavalos correspondem. Por quê? Porque quando as soluções são somente físicas como freios fortes, gamarras apertadas, deixar dormir de sela, etc, o cavalo passa a não acreditar mais que é possível alguma transformação mental, de comportamento, e fica permanentemente com os instintos de preservação, medo e absoluta falta de confiança em tudo o que está ao seu redor. Costumo dizer que o cavalo passa a enxergar a pessoa como parte do problema e não da solução. Tudo isto ocorre por ignorância, no sentido da falta de

conhecimento sobre como o cavalo processa informações, aprende, age, reage ou responde. Seria como comprarmos um avião sem nem mesmo saber pilotar. Provavelmente conseguiríamos algumas coisas, mas não o suficiente para um voo seguro e tranquilo. Quando o cavalo muda o pensamento, a partir da mudança que a pessoa gera, há o que chamo de incentivo ao acreditar que dá para confiar, para executar, para realizar tarefas e manobras, provas e trabalho. Incentivar o cavalo a acreditar é mais fácil do que se imagina. Coloque-se no lugar dele quando você tiver alguma dúvida sobre como ou o que fazer, e verás que as respostas começarão a aparecer... Um forte abraço, Aluisio Marins, MV Universidade do Cavalo aluisio@universidadedocavalo.com.br www.universidadedocavalo.com.br Foto: Universidade do Cavalo

T

enho saído muito da UC para cursos por todo o Brasil. Horsemanship e Rédeas são os “recordistas” de solicitações. De norte a sul monto cavalos que nunca vi e que provavelmente nunca mais vou ver. Uma das coisas que mais fico pensando quando estou dando cursos é sobre a mudança que tento gerar nas pessoas enquanto estou lá por alguns dias. Não quero mudar tudo radicalmente nem tampouco acho que minhas ideias sejam as mais ou únicas corretas. Tenho um sistema de trabalho, uma metodologia de ensino e me certifico disto com os resultados que obtenho com meus cavalos no dia a dia de provas e cursos. Nestas clínicas e cursos as pessoas chegam com seus cavalos, e logo no primeiro dia, ainda na aula teórica, pergunto o que cada uma faz com seu cavalo. Depois das apresentações, pergunto se alguém tem algum problema com seu cavalo. Todos levantam as mãos. Cada um tem pelo menos 1 ou 2 problemas que atrapalham em alguma coisa no relacionamento com seus cavalos. Normalmente também pergunto o que as pessoas estão fazendo para contornarem ou solucionarem o problema.


Mercado & Finanças

Foto: Norberto Cândido

Por Pedro C. Rebouças

2º Leilão Haras Tarlim

Principal investimento do remate envolveu a aquisição de 50% da premiada alazã Bolonha DT

O

Leilão Haras T a r l i m Mangalarga & C onvidados, realizado no sábado 11 de março, na sede do criatório em Jaguariúna (SP), comprovou que a raça deverá ter uma temporada de negócios aquecida em 2017. Afinal, o remate negociou 34 lotes por uma cotação média de R$ 61.348,00, alcançando um faturamento total de R$ 2.085.840,00. Promovido pelo criador Fernando Tardioli Lúcio de Lima, o evento contou com a participação de mais de 600 pessoas entre criadores 78

abril, 2017

tradicionais e novos criadores provenientes de todo o Brasil. Além disso, segundo a Business Leilões, empresa responsável pela realização

do evento, as disputas foram acirradas entre os 27 compradores do remate, cujo balanço final registrou recordes de faturamento

Cerca de 600 pessoas prestigiaram o remate na sede do Haras Tarlim.


Felipe Loureiro foi o responsável pelo terceiro maior negócio do dia, adquirindo 50% da matriz Theresa da Araxá (Olimpo J.M.V. em Atração F.S.I.) por R$ 150,8 mil. O leilão registrou ainda outras expressivas negociações. O lote composto pelo embrião de Platina RB, por exemplo, foi adquirido pelo Haras Espinhaço por R$ 83,2 mil, novo recorde de preço na raça para uma comercialização do gênero,

Mercado & Finanças segundo a Business Leilões. Outro destaque foi a venda da barriga desta mesma matriz, que atraiu um investimento de R$ 83,2 mil por parte do criador Felipe Loureiro, em novo recorde para esta categoria de negócio, também de acordo com a empresa leiloeira.

Fernando Tardioli discursa na abertura do evento.

de vendas na raça, bem como de venda de embrião e barriga. O leilão reservou também momentos especiais para a comunidade mangalarguista, como a homenagem realizada no início da programação ao criador Arnaldo de Almeida Prado Filho, titular do Haras Papu e um dos baluartes da marcha na raça Mangalarga, e a apresentação do atual reprodutor do Haras Tarlim, o consagrado Delírio RB, juntamente com suas duas filhas Graduada RB e Glamur RB, atuais Grande Campeã Nacional de Marcha e 2ª Reservada Grande Campeã Nacional de Marcha. De acordo com a Business Leilões, a principal aquisição do remate foi realizada pelo próprio criatório anfitrião, o Haras Tarlim, com um investimento R$ 260 mil na compra de 50% da premiada alazã Bolonha DT (Derviche DAM em Imola DL). Já a segunda maior comercialização do evento foi protagonizada pelo Haras Precioso, que investiu R$ 166,4 mil na aquisição de 50% da promissora potranca alazã Alteza da Tarlim (Quartzo JES em TL Realeza da Tarlim). Por sua vez, o criador

O leilão contou com uma bonita homenagem ao criador Arnaldo de Almeida Prado Filho.

Apresentação das premiadas Graduada RB e Glamur RB, destaques do plantel Tarlim. abril , 2017

79


Mercado & Finanças

Foto: Norberto Cândido

Por Pedro C. Rebouças

4º Leilão Grandes Marcas

Criadores acompanham a apresentação dos animais antes do leilão.

Evento promoveu “um grande encontro de amigos” para fazer o bem

O

Segundo Flávia Raucci Facchini, uma das organizadoras do evento, os principais criadores da raça estiveram presentes ao leilão, assim como o Presidente, o Vice-Presidente e membros da Diretoria da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga (ABCCRM). O evento, além disso, contou com a presença de patrocinadores, parceiros, 80

abril, 2017

Foto: Norberto Cândido

4º Leilão G r a n d e s M a r c a s , realizado nas dependências do Haras Precioso, no município de Amparo (SP), movimentou o mercado do Cavalo de Sela Brasileiro na tarde de 18 de março. Promovido por quatro dos mais conceituados criatórios da raça Mangalarga - Haras Braido, Haras F1, Haras Três Rios e Haras Precioso -, o remate reuniu um público de cerca de 550 pessoas. Os anfitriões do evento Fernando Raucci, Eduardo França, Eduardo Rabinovich e Nelson Braido.

fornecedores, familiares, amigos e personalidades, como o craque Edmilson, penta campeão mundial com a seleção brasileira, e Emerson França, destaque do Programa “A hora do Ronco”, da Band FM. Realizado pela Programa Leilões, com a assessoria técnica de João Quadros e condução do

leiloeiro rural Marcelo Junqueira, o remate ofertou 36 lotes da mais alta genética da raça Mangalarga, entre matrizes de muita qualidade, potrancas e potros de grande potencial para as pistas de julgamento e jovens reprodutores com futuro promissor na reprodução, além de três lotes extras


Foto: Norberto Cândido

Flávia Raucci mostra a camisa doada pelo craque Neymar.

craque Edmilson, a cantora Paula Fernandes, o jornalista Milton Neves e o apresentador e humorista Emerson França. Todos, aliás, gravaram chamadas para o 4º Leilão Grandes Marcas, o que permitiu uma ampla divulgação, atingindo todos os cantos do Brasil.

Mercado & Finanças

mídia especializada. Afinal, o 4º Leilão Grandes Marcas contou com cobertura de conceituadas publicações do segmento equestre, como a Revista Horse, o jornal Outro destaque foi a Cavaleiro News e a Revista atenção dedicada ao evento pela Mangalarga.

com coberturas de consagrados garanhões da raça, como Diamante Negro França, Mundo Novo 42 e Regalo da Braido. Dessa maneira, o leilão foi um grande sucesso, atraindo compradores e criadores do Sul do País, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás, Bahia e Pará.

Boutique Mangalarga e Stud Book Itinerante, presentes no 4º Leilão Grandes Marcas.

Foto: Norberto Cândido

A programação do evento, além disso, reservou um espaço especial para a beneficência. Realizado na abertura do remate, o Leilão Solidário em Prol da Fundação Edmilson contou com doações de Messi, Neymar, Rafael Toloi, Rogério Ceni e Paula Fernandes, rendendo um valor equivalente a dois meses de manutenção da entidade.

Fernando Raucci, Armando Raucci, Mário Barbosa (Presidente da ABCCRM) e Nelson Braido.

O penta-campeão Edmilson, Emerson França e Marcelo Junqueira comandaram o Leilão Solidário. Foto: Norberto Cândido

Foto: Flávia Raucci.

Flávia Raucci ressalta ainda que o evento contou com apoio de diversas celebridades, como o

Cerca de 550 pessoas estiveram no Haras Precioso. abril, 2017

81


Momento Social

2º Leilão Haras Tarlim

Luiz Brandi, Sérgio Paiva e Danton G. Andrade Filho.

Sónia Cabral, Ana Flávia, Manoela e Marina.

Nina, Bibi, Cacá e Sophia Vilela

Thiago, Adriana Barbieri, Ana e Valdir Marques, Paulo Della Torre e Matheus.

Antônio Carlos, Fernando Tardioli, Thiago D’Angieri, Jorge Roberto e João Pacheco.

João Bagaioli, Paulo Afonso, Caito, Antônio Carlos, Arlindo Lúcio e Antônio Donizete.

Deco, Mayara, João Pacheco, Junior, Thomaz e Sérgio Paiva.

Pedro Salla, Fernando Tardioli, Guilherme Salla, Nislaine Salla, Ilda e Dirk Kalitzki e Cristiano.

Fernando Tardioli, Felipe Loureiro e Simone Loureiro e Thiago D’ Angieri.

Luís Fernando Toledo e Elizete Toledo e Monica Ferreira.

Cassiano Terra Simão, Patrícia Simão, Ana Cristina e Thom D’Angieri.

Marcelo Camargo, Fernanda Camargo, Rafaela Camargo e Giovana Camargo.

João Paulo Fagundes, João Carlos Matta e José Luiz de Andrade Neto.

João Paulo Fagundes e Daniela Fagundes, Mirella Tardioli, Manuela, na frente: Joana, Joaquim e André.

Eduardo França, André Freire, Armando Raucci e Nelson Braido.

João Paulo Fagundes, Antônio Pedro, Marcelo Barbará, Paulo Lenzi, Paulo Della Torre, Pedro Salla, Luiz Gustavo e Guilherme Saad.

Silvana, Roberto, João Carlos, Marcelo Toledo, Fernando Tardioli, Silvia e Marcelo Zarif e Isabella e Beatriz Tardioli.

Eduardo e Leonardo Figueiredo, Luiza Esteves, Luiz Gustavo, Fernando Tardioli, Marcelo Malzoni e Alexandre Todeschini

82

abril, 2017


Momento Social

2 º Leilão Haras Tarlim

Ricardo Urbano, Juliano, Rodão e Sidnei.

Erik Cavalheri, Luiz Mário, Fernando e Mirella Tardioli, Carina e Artur.

Guilherme Almeida, Alexandre Ribeiro, Roberto e Priscila.

Alaor Vidotti, Israel Iraides da Costa, Perla Fleury e Josiane Vidotti.

Pedro Iembo, Cesar Iembo e João Pedro Iembo.

Honorato, Lourenço Botelho e João Quadros.

Toni e Monica Ferreira e Antônio Neto, Linda e Antônio C. Ferreira.

Sérgio Sério, Rafael e Rubinho Meirelles, Paulo Vilela e Sérgio Paiva.

Rogério, Danilo, Júlio Paixão, Roni e André Lisboa.

Joana Vilela, Paulo Vilela e Sophia Vilela

Fernando Tardioli, Armando Raucci, Arlindo Lucio.

Danton G. Andrade, Sérgio Paiva, Fernando Tardioli e Paulo Vilela.

Vinicius João Curi, Fernando Tardioli, Reginaldo Bertholino e Fernando.

Valdir Marques, Haigazun, Antônio Carlos, Luis Fernando Toledo, Guilherme Barbieri, João Pacheco e Mário Barbosa.

Mário Barbosa, Roberto Montenegro, Kiko e Guilherme Barbeitos.

Francisco, Martinha, Katia Gunnewiek, Edna Consolini e Marly Tardioli

Reginaldo, José Eduardo, Felipe Loureiro e Simone Loureiro, Marisa Iório e Paulo Eduardo Correa da Costa.

Paulo Vilela, Sérgio Paiva, Eduardo França, Fernando Tardioli, Arnaldo A. P. Filho, Mário Barbosa, Armando Raucci, João Pacheco, Nelson Braido, Luiz Gustavo e Nendo Esteves.

abril, 2017

83


Momento Social

4º Leilão Grandes Marcas

Hélio Brandi, Yunis Biagini e Luíz Brandi.

Guta Alonso, Zezinho, Lucimara e Marina

Aracy Oliva, Natalia Lois e Armando Raucci.

Maria Amélia e Marcelo Malzoni, José Luiz, Paulo Siqueira e Otavio.

André Lisboa, Aracy Oliva, Eduardo Rabinovich, Nelson Braido.

Nelson Braido, Fernando Raucci, Eduardo França, Eduardo Rabinovich e Armando Raucci.

Flávia Raucci e Marcela Ronco

Armando Raucci, Fabio Veiga, Celso Jubé e Fernando Raucci.

Nelson, Heraclito, Suelen, Nelsinho e Pedro Iembo.

Vera Cintra, Ana Cintra, Marcelo Zarif, Monica Zarif e Arthur Zarif.

Nislaine e Pedro Salla, Gabriel Saad, Guilherme Saad, Nelson Braido Jr. e Guilherme Dal.

Antônio Carlos, João Pacheco, Júlio Paixão, Jeferson Jardim e Roberto Nigro.

Roberto e Rilton Romano e João Carlos.

Eduardo Figueiredo, Bruno Figueiredo, Caroline Augusto e Leonardo Figueiredo.

Cláudio Mente, Natalia Lois, Claudia e Nelson Braido.

Maria Rita, Aracy Oliva, Luís Brandi e Maria Clara.

Geovani, Antônio Carlos, Luís Brandi, André Freire, Arlindo Lucio, Fernando e Mirella Tardioli, Eduardo França.

Em pé: Maria Inês França, Andreia e Fernando Raucci, Claudia Braido, Denise e Eduardo Rabinovich, Nelson Braido e Gabriela Rabinovich. À frente: Nelson Braido Jr., Eduardo França e Eduarda França.

84

abril, 2017


Momento Social

4º Leilão Grandes Marcas

Dirk e Ilda Kalitzki, Vania e Pedro de Paula.

Luís Fernando Toledo, João Quadro, Renato e Janaina Toledo.

José Luiz Ap. Andrade Neto e Gabriela Andrade.

Geraldo Castro, Emiliano Novais, Marcelo Zarif, João Quadros e Nelson Braido.

Maria Inês França, Andreia Rucci, Claudia Braido e Denize Rabinovich.

Beto Falcão, Ricardo Nassar, Flavia Raucci, Lucimara, Fernando Raucci e Emerson França.

Nelson Braido e Cláudia Braido

Arnaldo de Almeida Prado Filho e Maria Carolina Prado

Guilherme França, Eduardo França, Eduarda França, Bernardo França e Maria Inês França.

Lourenço Botelho e Antônio Carlos.

Renato Diniz Junqueira e Mário Barbosa.

Daniela e João Paulo Fagundes.

Marisa Iório, Natalia Lois, Claudia Braido e Gabriela Andrade.

Simeia Moraes, Marcela Ronco, Emerson França e Edmilson Moraes

Fernando Raucci, Fernando Tardioli, Armando Raucci, Arlindo Lucio, e Mirella Tardioli.

Vania e Pedro de Paula, Fernando e Mirella Tardioli, Alexandre Ribeiro e Davi Ribeiro, Andrea Monteiro e Jorge Roberto.

Mariângela Wada, Germano Foleto, Edmilson Moraes, Emily Moraes, Emerson França e Marcela Ronco.

Eduardo e Maria Inês França, Nelson e Claudia Braido, Eduardo e Denise Rabinovich, Fernando e Andreia Raucci. abril, 2017

85


Moda Country boutiquemangalarga.com.br

Baixe o app Boutique Mangalarga


Espaรงo Empresarial

abril, 2017

87


Fidelidade Mangalarga

88

abril, 2017


Fidelidade Mangalarga

abril, 2017

89


Haras Paradise

รndice dos Anunciantes

pรกg. 61

CT Rancho Manamรก

CASS Mangalarga

Mader Silva

pรกg. 1 (capa)

pรกgs. 28 e 29

pรกg. 63

Haras do Sir

Mรญdias Sociais ABCCRM

Haras Josimar

pรกg. 2 (2ยช capa)

pรกg. 33

1ยบ Leilรฃo Haras Gadu e Haras EFI

General Motors

pรกg. 5

pรกgs. 36 e 37

Business Leilรตes

Haras Nova Roma

pรกg. 7

pรกg. 65

Haras Dino pรกg. 69

Haras Y & K pรกg. 73

pรกg. 39

Associaรงรฃo Rural Lenรงรณis Paulista

Expo Brasileira 2017

CT Rancho Manamรก

pรกg. 9

pรกg. 41

pรกg. 77

Leilรฃo Toada

Classificado ABCCRM

Boutique Mangalarga

    

     

pรกg. 15

  

pรกg. 43

pรกg. 86

Fazenda Nitcheroy

Espaรงo Empresarial

S ESTรƒO DISPONรVEIS EM

Haras Tarlim pรกg. 17

1ยบ RES. GRANDE CAMPEรƒO POTRO PELAGEM PAMPA NACIONAL 2016

pรกg. 47

Polo Wear

Haras Forsteck

pรกgs. 20 e 21

pรกg. 51

Vansil Saรบde Animal

Haras Estรขncia Sรฃo Paulo

pรกg. 23

pรกg. 53

Haras RR

Haras GTA e Rancho Manamรก

02'$)(0,1,1$_0$6&8/,1$_,1)$17,/

pรกg. 25

pรกgs. 56 e 57

pรกg. 87

Fidelidade Mangalarga pรกgs. 88 e 89

Mangalarga do Sapecado pรกg. 91 (3ยช Capa)

Sรญtio Jedi pรกg. 92 (4ยช capa)


Revista Mangalarga - Edição de Abril de 2017  

Confira a edição de abril de 2017 da publicação oficial da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos da Raça Mangalarga.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you