Issuu on Google+

www.inx.com.br/fisio&terapia

ANO II - Nยบ 10 - AGOSTO / SETEMBRO 98

Entrevista com Dr. Ruy Gallart de Menezes Presidente do COFFITO.

IMPRESSO

10

1


2

10


EDITOR Oston de Lacerda Mendes DIRETORES Oston de Lacerda Mendes João Marcelo Gigliotti DIRETOR DE PUBLICIDADE Fabiano Moreira da Silva JORNALISTA RESPONSÁVEL Marcos Antônio Alves nº M.T.B. 6063 DRT-MG ASSESSORIA JURÍDICA Dr. Walter Lambert de Brito ASSESSORIA em INFORMÁTICA Flávio Branco (021) 240-6049 Digitação e revisão Katia Leite de Castro (021) 269-9854 PROVEDOR DE ACESSO Internexus (021) 512-7030 PERIODICIDADE Bimestral TIRAGEM 35.000 Exemplares

CORRESPONDENTES Adelzir Malheiros B. Haidar - Maranhão Adriana Vieira de M. Estevão - UVA Ana Patrícia de Souza Santos - SEFLU Cristiane Pereira Deistier - UNIGRANRIO Danielly S. Araujo - FAFISC Fabiano Bartmann - ULBRA Fabiano Moreira da Silva - UGF Fabio da Silva Magalhães - UCB Jailton Martins Alves - UFPE Juliano Tibola - UDESC Kátia Mara Tavares - UNIFENAS Letícia Gomes de Barros - ECMAL Luciano Barbosa Campos - UCDB Luiz Felipe Círio Paes - UFRJ Marcelo de C. Filgueiras - UNIFOR Marcos Rolim dos Santos - EBMSP Ricardo Goes Aguiar - UCSAL Sauliano C. Piotto - CEUAM Sônia R. Coimbra - UNESA (Friburgo) Vanesa de Souza Freitas (Poços de Caldas) Vanessa Gouvea Freitas - UNIT Vânia M. R. Monaldi - UNIVERSO Wagner Schiavini Cossati (Espirito Santo) ENTRE EM CONTATO: Rio de Janeiro (021) 294-9385 (021) 528-0000 cód 231753 ou 231754 E-Mail: oston@inx.com.br Home page: www.inx.com.br/fisio&terapia

AGRADECIMENTOS: A Maria José e Nádia, pela atenção e companhia em São Paulo. Aos Drs. José Augusto Peres (UNINOVE) - Aldanubes Riccomini Jr. (UNIBAN) - Cesar A. Calonegro (UMC) - Mário Natal (UNIV) Atilio Mario Suarte (UNICSUL) - Geferson Francis (FIG) e Dra. Simone Satto (UNG), coordenadores das respectivas Universidades, que nos receberam de braços abertos. Ao Carlos Alberto Telles, Maurizio Bianchi (livraria Aratebi) e a toda rapaziada da oficina, pela festa e jogo. Ao Dr. Zenildo Gomes, Dra. Regina Rosseti Heck, Dra.Vera Nunes, Cezar e Branca ABF/CREFITO 3. Ao Dr. Oseas Moura (Cofitto), Dr. Robson Pavão (Crefito 2), Dr. Sergio Vicêncio, Dr. Antônio Carlos (Kroman) pela visita ao Rio e à Redação da Revista. Voltem sempre! Ao Dr. Eduardo Moreno (CriticalMed) pela foto. Tem mais? Mais uma vez ao Jack, ao Red, à Rosa Mineira e a todos que têm nos suportado até esta 10ª edição. Obrigado!

São Paulo (011) 293-6773 Maria José Alves Home page: www.inx.com.br/fisio&terapia Não nos responsabilizamos pelas opiniões, conceitos e sugestões emitidas em artigos assinados

10

3


4

10


I Congresso Brasileiro de Fisioterapia Estética I Expo-Fisio-Estética Brasil 98 Hotel Nacional Inn Campinas, 26 a 29 de Novembro de 1998

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES

RUA CARAMURU, 275 - SAÚDE - CEP: 04138-001 - SÃO PAULO - SP FONE/FAX: (011) 577-1717 OU 5584-8969

10

5


6

10


10

7


8

10


UM CAMINHO PARA A SOLUÇÃO A HIDROTERAPIA é um recurso fisioterápico que utiliza a água e seus efeitos para atingir objetivos como: promover independência funcional, manter e/ou melhorar as ADMs e força muscular, reeducar os movimentos através da hidrocinesioterapia e reduzir a dor e o espasmo muscular, além de promover melhora da socialização, auto-confiança e qualidade de vida do paciente. Todas as formas de movimentação passiva ou ativa, são praticadas mais facilmente na água, sendo que a reeducação é facilitada pela diminuição do peso corporal do paciente, e a temperatura ideal da água (30-33 graus) age especificamente sobre os elementos neuro-musculares e circulatórios de forma benéfica. Antes de introduzir a Hidroterapia num programa de tratamento de um paciente, o fisioterapeuta deve realizar uma avaliação minuciosa fora da piscina e esclarecer ao paciente os possíveis efeitos a serem alcançados, bem como a necessidade de adaptação ao meio hídrico. A partir daí, uma avaliação deve ser também realizada na piscina, pois as capacidades do paciente variam muito na água e o tratamento deve ser ajustado de acordo com a patologia e limitações de cada paciente. As tensões não permitem que o indivíduo se mova livre e em perfeita harmonia. Através de métodos e técnicas específicas realizadas na água, o paciente libera tensões, favorecendo sua livre expressão. O relaxamento é um método de recondicionamento psico-fisiológico que, no meio aquático, ocorre com o contato do próprio corpo com a água e com o prazer que ela proporciona, conduzindo progressivamente ao domínio dos movimentos de todo o corpo, assim como a descontração, tranquilidade, socialização e diminuição das tensões emocionais e do estresse. Na Hidroterapia podemos utilizar vários métodos e técnicas específicas para cada patologia, como Bad Ragaz, Halliwick, Watsu, Feldenkrais e Kabat, entre outras. Entre as patologias que têm bons resultados com a Hidroterapia podemos citar as ortopédicas (amputações, lesões ligamentares, meniscais e osteo- musculares, pré e pós cirúrgicos, alterações posturais, DORT- distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho etc.), reumatológicas (artrites, artroses, distrofia simpático- reflexa, fibromialgia etc.) neurológicas

(acidente vascular cerebral, doença de Parkinson, poliomielite, polineurites, esclerose múltipla, traumas raqui- medulares e crânio-encefálicos etc.), pediátricas (paralisia cerebral, retardo do desenvolvimento neuropsicomotor, distrofias musculares, autismo, hidrocefalia, síndrome de Down, síndrome de West, espinha bífida, deformidades congênitas etc.), pneumológicas (asma, bronquite, enfisema pulmonar, etc), entre outras (queimaduras, pós cirurgia plástica, deficiências sensoriais, auditivas e visuais, etc.). De uma maneira geral, a Hidroterapia é indicada para diversas patologias compostas por lesões não agudas e crônicas, caracterizadas por dor, edema, debilidade, retrações e espasmos musculares, limitação articular, incoordenação de movimentos e marcha anormal. Tendo a temperatura ajustada entre 30 e 33ºC a terapia terá grande sucesso, aliviando a dor, diminuindo o espasmo muscular, facilitando a transferência e o deslocamento de pacientes neurológicos, obesos ou com grande número de músculos fracos, explorando maiores e mais amplos movimentos obtidos graças a flutuação e desenvolvimento da independência, proporcionando o relaxamento muscular. Dentro do tratamento incluímos as atividades de flutuação para melhora das amplitudes de movimento, alongamentos, fortalecimento muscular, reeducação do equilíbrio, reeducação da marcha, exercícios respiratórios, e, posteriormente, dependendo da patologia, o paciente pode estar apto a praticar atividades desportivas como a natação ou hidroginástica.

independência, propiciando melhores condições de relacionamento com o mundo que o cerca. “O meio hídrico facilita a ação cinética, ajudando a superar a inibição funcional e a tensão psicossomática, transformando a atividade receosa numa atividade prazerosa”. Fisioterapeuta Vicente Chirinéa Junior: Graduado em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Londrina- PR, em 1995, com estágios e cursos internacionais na área de hidroterapia, especialista no método Halliwick e sócio-proprietário do Centro de Reabilitação Chirinéa, localizado em Botucatu- SP. Fisioterapeuta Giovana de Cássia Rosim: Graduada em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Londrina- PR, em 1996, realizou Curso de Aprimoramento em Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia em 1997, atual supervisora do Curso de Aprimoramento em Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP- Ribeirão Preto - na área de Queimados, com estágios e cursos na área de Hidroterapia, e sócia- proprietária do Centro de Reabilitação Chirinéa, Botucatu-SP. Agradecimentos aos meus pais, irmãos, à minha noiva e aos meus amigos pelo carinho e incentivo aos meus projetos de vida.

As contra- indicações da Hidroterapia referem- se às lesões agudas, lesões infecto-contagiosas, feridas abertas, febre, cardiopatias e pneumopatias descompensadas e sensibilidade aos produtos químicos utilizados no tratamento da água da piscina. A incontinência urinária e fecal não compõem o quadro das contraindicações, e sim das precauções, pois o paciente pode ser encorajado a realizar sua reeducação intestinal e esvaziamento da bexiga previamente às terapias. Enfim, a Hidroterapia cresce a cada ano e tem sido um recurso de suma importância para a Fisioterapia. O Fisioterapeuta deve ter experiência suficiente para aproveitar-se da água como meio de tratamento, através da liberdade de movimentos obtidos no processo evolutivo do paciente, fazendo com que o mesmo desenvolva sua 10

9


FISIO&TERAPIA ENTREVISTA

O Dr. Ruy Gallart de Menezes, na condição de Presidente do COFFITO (Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional) nos concedeu esta entrevista, na qual aborda diversos aspectos da profissão, tais como: acupuntura, atuação do Fisioterapeuta nas UTI`s hospitalares, formação e valorização profissional, entre outros. Fisio&terapia espera que as explanações do nosso entrevistado correspondam à expectativa dos leitores. FISIO&TERAPIA – Dr. Ruy, falenos sobre a Fisioterapia, o seu momento e os problemas que ainda demandam ações regulamentadoras do COFFITO. DR. RUY - A Fisioterapia, para aqueles que conhecem a história da sua evolução no país, está em um bom momento social. Diferentemente do que ocorria há 30 anos passados,

RUY GALLART DE MENEZES

dade como uma “Ciência da Saúde voltada ao estudo, prevenção e terapêutica dos distúrbios cinéticos funcionais de órgãos e sistemas do corpo humano.”

dando conteúdos de cientificidade, resolutividade e ética nas suas ações de saúde.

Consolidadas estas questões, o Fisioterapeuta teve todas as condições Ela deixou de ser uma prática para passar a oferecer o seu trabalho de saúde voltada para uma atenção diretamente a cada cidadão, valodifusa e, à vezes indefinida, que rizando o seu mérito assistencial e, dificultava sua identidade social, conseqüentemente, obtendo o reconconfundindo o próprio usuário de hecimento da sociedade. seus serviços, sem transparecer a Hoje é um profissional de realidade de uma relação ética com grande importância no campo da os outros profissionais de saúde. saúde, assim reconhecido por todo Era uma situação que retirava aquele que, em algum momento de o mérito do trabalho do Fisioterapeuta sua vida, teve uma repercussão negae, equivocadamente, lhe sugestionava tiva na sua saúde funcional. o papel de caudatário das ações de Todo cidadão que perde sua outros profissionais de saúde. independência social em decorrênPor não ser esta a real postura, cia de um distúrbio na sua cinesia e nem o objetivo social de um profis- funcional, conhece a essencialidade sional de nível superior, detentor de do trabalho desenvolvido pelo Fisiotuma área assistencial própria, espe- erapeuta. cífica e regulamentada pelo Estado,

Tal responsabilidade, no urgia a necessidade do seu domínio, através do controle ético, científico e entanto, não permite a presença no mercado de trabalho de profissionais social da atividade. sem fundamentação científica, clau Coube então ao COFFITO, dicantes e inseguros na tomada das por delegação legal, estabelecer os decisões necessárias ao controle e ao A sua evolução científico- mecanismos que redefinissem o papel manejo de clientes que colocam sua social nos permitiu redefinir a ativi- do profissional junto à sociedade, saúde sob os seus cuidados. Eles espeé publicamente reconhecida como uma atividade da saúde, socialmente importante, tendo o seu mérito assistencial plenamente reconhecido pelo Estado e pela sociedade.

10

10


ram solidez científica e resolutividade assistencial do profissional, e quando tal não ocorre, fica manchada a sua credibilidade e, dependendo da extensão da desídia, poderá ser alcançado todo um segmento profissional. Cada Fisioterapeuta, deve evocar a autocrítica da sua própria formação acadêmica, assumindo apenas casos em que possa, efetivamente, assenhorar-se do seu controle com concreta resolutividade nos objetivos das ações profissionais desenvolvidas. Ele não deve jamais, por falhas pessoais, expor o paciente ao agravo, e nem a categoria a que pertence a uma falta de credibilidade social.

primeira Instituição a reconhecer categoria profissional. oficialmente sua validade assistencial Creio que prevalecendo tal e perfusão social, sem pretensões de exclusividade para o Fisioterapeuta. entendimento, ela poderá caminhar para seu mérito social. Ocorreu que naquela época, Levada ao Congresso Na1985, Fisioterapeutas egressos de cional, para fins de regulamentação, cursos de Acupuntura, passaram a oferecer, nos seus consultórios, a a matéria adquiriu rumos corporaAcupuntura como mais um recurso tivistas quando submetida ao Senado terapêutico, desprovido de uma aná- Federal, alterando o eixo das suas lise mais crítica e de um controle ético discussões, podendo comprometer o sentido social que fundamentava a sua para a proteção social. regulamentação. O COFFITO avaliou toda a Esperamos que os Senhores questão, na profundidade necessária e desejada, concluindo os seus con- Senadores, resgatem as discussões ao selheiros na época, pela propriedade princípio do mérito social, desconsidda regulamentação, e o fizeram com erando pressões corporativas e o viés do mérito econômico-corporativo muita competência. que, em realidade, está estabelecido Posteriormente, através de nas discussões da matéria. nova resolução, foram aprimorados os seus mecanismos de concessão FISIO&TERAPIA – Com relação do direito à prática e do seu controle ao Ensino Superior, e em especial na Saúde, como o COFFITO observa a ético. multiplicidade de cursos, as defasagens curriculares, os cursos noturnos etc?

Em relação a questão da regulamentação da atividade, transcorre de acordo com as demandas da assistência fisioterapêutica no meio social e, por decorrência da própria evolução das ciências da saúde e da Fisioterapia, que interferem científica e tecnologicamente no trabalho do profissional.

“Todo cidadão que perde sua independência social Nesta questão, não existem em decorrência de um distúrdefasagens importantes. bio na sua cinesia funcional, conhece a essencialidade do Posso adiantar, no entanto, trabalho desenvolvido pelo que o COFFITO começa a discutir a Fisioterapeuta.”

questão dos títulos de especialistas, com fins de regulamentar sua validade dentro de conteúdos de análise educacional e legal. Entendemos que a Acupun Pudemos observar que está tura, dentro de seus limites terapêuhavendo uma fartura de concessão ticos, quando bem indicada e pratide títulos desta espécie, sem qualquer cada, pode ser de grande valia para valor acadêmico agregado a estes, qualquer profissional de saúde, que sem reconhecimento oficial por deseje ingressar na profundidade do qualquer instituição no país. seu domínio através do conhecimento da matéria. FISIO&TERAPIA – E a questão da Acupuntura? É o motivo basilar que nos torna discordantes da tese de que o DR. RUY - O COFFITO foi a seu controle e a sua prática, devam ser uma exclusividade desta ou daquela

DR. RUY - É uma questão altamente preocupante para qualquer um, que minimamente tenha uma responsabilidade com o nível da qualidade assistencial de saúde no país, e como não poderia deixar de ser, os Conselhos Profissionais são os mais envolvidos nesta questão, pois , afinal de contas, são eles que outorgam a licença para trabalho aos profissionais de saúde. Está criada uma situação de difícil resolução. Considerando que os Conselhos Profissionais são instituições voltadas para a defesa ética dos direitos do cidadão, não vemos como conseguir a promoção do zelo social, na medida em que nos vimos obrigados à concessão de outorgas para atividade profissional, a indivíduos despreparados para o exercício responsável de atividades no campo da saúde. 10

11


Não é difícil entender que o diploma de 3ºgrau vem, progressivamente, perdendo o seu mérito acadêmico, já que na prática, não existe qualquer controle na criação de novos cursos superiores em saúde, que estão surgindo de forma incompatível com as necessidades qualitativas e sociais da assistência de saúde no país.

Esclareceram ainda que tal fato só está ocorrendo por pressão institucional, com o sacrifício da qualidade acadêmica, onde não conseguem nem mesmo encaixar o decadente e superado currículo mínimo, fixado há mais de 15 anos passados, e que o estágio curricular é uma ficção.

FISIO&TERAPIA – O Sr. gostaria de fazer algum outro comentário ?

DR. RUY - Frente aos fatos intercorrentes, gostaríamos de alertar o corpo discente que ele é o único responsável pela qualidade do seu futuro profissional, e que para alcançar o status social pretendido, não deve abdicar É uma questão que está le- de um padrão educacional qualitavando o COFFITO para a discussão tivo e contemporâneo, que lhe per Especialmente na Fisiotera- do exame de qualificação ou de ordem mita alcançar o mérito acadêmico e o pia, (uma das atividades mais atingi- para a obtenção de registro e outorga crédito social, decorrentes do esforço das pelo descontrole do Estado, nesta para licença de trabalho, junto ao pessoal e financeiro, seu ou de seus familiares. questão) pudemos observar cursos Conselho Federal. fundamentados em projetos e currícuNão podemos admitir que a los que, socialmente inconseqüentes, FISIO&TERAPIA – Fale-nos so- só irão contribuir para o aprofunda- bre a questão do Fisioterapeuta nas escolha do profissional se transforme numa loteria para o usuário, cujo reUTI’s. mento das mazelas da saúde. sultado lhe poderá ser adverso. DR. RUY O trabalho do Fisiot São cursos onde, na maioria Afastar este risco é um dever das vezes, estão ausentes currículos erapeuta nas UTI’s, há muitos anos acadêmicos consistentes e contem- é reconhecido como uma prática de ético e legal de todo o Sistema COFporâneos, corpo docente academi- saúde de extrema relevância para FITO/CREFITOS. camente qualificado, estrutura as- pacientes críticos e em processo de Esclarecemos ainda que felizsistencial ambulatorial e hospitalar Terapia Intensiva. mente temos boas instituições educapara os estágios curriculares, e, cionais para o ensino da Fisioterapia ainda, laboratórios específicos, com no país e, entre outras, podemos citar padrão equivalente ao preparo de um o IPA-RS, a UNIFRAN-SP, a PUCprofissional de saúde de comprovada “Não podemos admitir que DF e a Faculdade de Fisioterapia de utilidade social. Caratinga-MG, componentes de um

a escolha do profissional se

Os cursos noturnos são uma transforme numa loteria para deformação acadêmica, em se tratan- o usuário, cujo resultado lhe do da produção de profissionais de poderá ser adverso.” saúde. Existem apenas pelo mérito econômico-mercantil e pela conivência ou omissão dos órgãos de controle educacional.

O Ministério da Saúde, através O COFFITO procurou ouvir da Portaria nº 2.918/98, acaba de realguns coordenadores de cursos de conhecer o mérito desse trabalho, ao Fisioterapia sobre esta questão e, sem incluir o Fisioterapeuta na equipe exceção, todos afirmaram que com básica das UTI’s neonatal, pediátrica ética e responsabilidade acadêmica, é e de adulto, aumentando considerinatingível a perspectiva de encaixar avelmente o agravo cometido pelos um projeto pedagógico responsável que mercantilistamente, sem qualquer e contemporâneo em curso de Fi- conteúdo de ética social, pensam que sioterapia, ministrado em período formam recursos humanos para a saúde no país. noturno.

grupo que cuida com responsabilidade e ética social da formação deste profissional no país. Esperamos que as IES que não estejam dotadas destes princípios, venham se agregar a este compromisso de ética social.


Por: Dr. Zenildo Gomes da Costa Baseados no conhecimento de que alguns fisioterapeutas candidataram-se a cargos eletivos, publicamos neste artigo uma explanação do Dr. Zenildo Gomes da Costa, conscientizando os leitores de Fisio&terapia da necessidade de representantes legais na Câmara, Senado,Prefeitura etc., como porta-vozes das aspirações e projetos de cada segmento social, particularmente, neste caso, da Fisioterapia, visando considerável melhoria nas condições de atendimento à sociedade e campo de trabalho para estes profissionais. Como Presidente da Associação Brasileira de Fisioterapia, como educador, professor e tudo o mais, procurei várias vezes vereadores, prefeitos, deputados - estaduais e federais -, para levar nossas propostas, nossas idéias em benefício da sociedade e dos profissionais da saúde, especialmente os fisioterapeutas e os terapeutas ocupacionais. Algumas coisas nós conseguimos; outras, não. Mas poderíamos tê-las conseguido se tivéssemos representantes. É muito importante que o fisioterapeuta cresça na sua qualificação profissional, e, depois de ter cursado a faculdade, tenha sua educação continuada, fazendo especialização, mestrado, doutorado... No âmbito social também, mas no campo político é fundamental, especialmente para aqueles que têm essa vocação, essa convicção, porque se tivermos vereadores, deputados, federais e estaduais, teremos nossos representes sociais. Cada segmento social que tiver o seu representante, pode valer-se dele como porta-voz dentro das suas aspirações. Em 1986, depois de muito andar nos corredores da Câmara Federal, do Senado, das Prefeituras, conseguimos, na Prefeitura de Santos, conversar com o Secretário da Saúde - que, por sinal, depois foi Prefeito da cidade -, sobre o fato de abrir concurso público para fisioterapeutas. E teve até a fisioterapia domiciliar, que foi uma inovação no Brasil, barateando os custos e, ao mesmo tempo, abrindo o mercado de trabalho para o fisioterapeuta, beneficiando a população local. Diante do que vivenciei, candidatei-me a deputado federal. Procurei no interior de São Paulo, capital, algumas faculdades, mas atuei diretamente no profissional. No entanto, mesmo com o trabalho deles e procurando outros caminhos, o número de profissionais não foi suficiente para me eleger, em 86. Em 90, eu já tinha mais experiência: trabalhei os profissionais, os acadêmicos e seus familiares, procurando fazê-los ver que, como profissionais, tendo o seu representante na Câmara Federal, eles poderiam trazer-me idéias e propostas para que eu levasse à Câmara e apresentasse seus projetos, porque, por 10 14

maior boa vontade que eu tivesse como Presidente da Associação Brasileira, em pedir a atenção de deputados para estes projetos, eles poderiam conceder ou não. Mas com o compromisso de ser o representante social da minha profissão e também da sociedade, das pessoas portadoras de deficiências, eu poderia muito bem levar essas reivindicações com muito maior facilidade. Aliás, era muito mais importante que eu mesmo levasse adiante e procurasse, com os meus pares, fundamentar tais projetos para que fossem aprovados, tanto em benefício da sociedade quanto do próprio fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e dos demais profissionais da saúde. Em 94, obtive uma votação expressiva, muito grande: fiquei como suplente deputado federal, inclusive diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado de São Paulo. Trabalhei os profissionais da saúde, de um modo geral, inclusive os da área de fonoaudilogia, nutrição e outros mais que não têm representante, atuando diretamente onde eles pudessem levar mensagens aos seus familiares, aos seus pacientes. Da mesma forma agi com os acadêmicos, para que conscientizassem os seus familiares de que eles teriam uma carreira brilhante à iniciar, mas também teriam os benefícios daqueles parlamentares que poderiam apresentar projetos de lei, favorecendo-os em seus campos profissionais. Todos aqueles que têm filhos fazendo faculdade de Fisioterapia ou Terapia Ocupacional, sabem que se os filhos tiverem um representante do seu segmento social, serão muito bem representados e poderão obter grandes vitórias dentro da Câmara Federal, na Assembléia Legislativa ou na Câmara dos Vereadores. Através do nosso trabalho, em 86, só pude incentivar os fisioterapeutas do Estado de São Paulo, onde nos encontrávamos. Hoje nós temos, com esse incentivo, grande número de fisioterapeutas espalhados no Estado todo, como vereadores. Temos, na Câmara Municipal de Ilha Solteira, o Marcos, que é o Presidente da Câmara dos Vereadores; o Roberto Bruno, que é fisioterapeuta, vereador e Presidente da Câmara de Vereadores de Pirassununga e deverá sair também agora candidato a deputado estadual, o Roberto Buani de Mogi das Cruzes, e muitos outros. Então nós motivamos, incentivamos e procuramos reforçar o seguinte: não adianta crescer somente na área social e em sentido cultural. É preciso ter o nosso representante, porque só assim a categoria pode crescer e levar as suas reivindicações. Então nós clamamos a todos os profissionais, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, de um modo geral, que procurem eleger como nossos representantes, os nossos colegas. Caso aquele candidato em quem você votar não

corresponda à sua expectativa, no próximo ano, na próxima legislatura, você não vota mais nesse candidato. Mas tenho certeza que aqueles que se elegerão estarão comprometidos, não somente com suas categorias profissionais, mas também com a sociedade. Nós temos que politizar os nossos profissionais, aqueles que têm condições de fazer um trabalho na sua cidade, como vereador, no seu Estado, como deputado estadual e também como deputado federal. Nós só poderemos crescer se tivermos por nosso representante quem tenha um compromisso direto com a categoria. Muitas vezes sabíamos que havia condições de um projeto ser votado. O próprio Dr. Ruy Gallart de Menezes recorreu a um deputado do Rio de Janeiro quanto ao projeto de lei para 30 horas semanais, o tempo máximo para o trabalho do fisioterapeuta, e foi aprovado. Mas se esse deputado não quisesse atender o projeto de lei que o Dr. Ruy solicitou, ele nunca teria sido votado, porque quem apresenta o projeto é o próprio parlamentar, quer seja ele vereador, deputado estadual ou deputado federal. Portanto, temos que ter nosso representante. Quer você goste dele ou não, é um colega seu, é um representante legal que conhece a profissão a fundo e sabe onde e o que ele pode reivindicar. Ele vai colocar propostas, projetos de lei que vão reverter em benefício, não somente da sociedade, mas do profissional que ele está representando. É um compromisso a assumir e, o caminho para chegar lá, para decidir os direitos, é através dos nossos representantes, os que serão eleitos agora, como deputados federais e estaduais. Nós, profissionais de saúde e fisioterapeutas é que sabemos do que realmente necessitamos para ajudar a sociedade, principalmente aos que são mais penalizados, porque não existem recursos suficientes para a saúde (e todos sabem


o problema da saúde da população brasileira): muitos morrem nos corredores dos hospitais; outros não são atendidos e, infelizmente, existe todo esse caos na saúde. Mas nós temos certeza de que os nossos representantes irão trabalhar em cima disto. Precisamos estar cientes de que é um trabalho para o bem coletivo, e não para o bem individual. Temos que destacar a profissão, o profissional e a atividade profissional, porque só assim estaremos beneficiando todos ao mesmo tempo. Se tivermos um representante com sensibilidade suficiente para poder corresponder a uma ansiedade da classe, ele vai também fazer projetos, apresentar e trazer o benefício dentro daquilo que nós reivindicamos. Então é muito importante que nós tenhamos dentro das nossas representações políticas, colegas nossos que poderão ser um canal entre nós, profissionais, a população e o Poder Público, colocando e aprovando projetos em benefício de todos. Solicito a todos os fisioterapeutas do Brasil que tenham conhecimento de algum candidato político de sua profissão, que procurem, através de amigos, parentes, pacientes, ou profissionais da sua equipe de saúde que ainda não tenham um representante ou compromisso com outros candidatos, levar essa nossa proposta com seriedade. Não adianta colocarmos coisas de reforma agrária, de mineração, coisas das quais não temos conhecimento, mas de saúde e educação. Certamente esses representantes saberão trilhar este caminho. A fisioterapia é a profissão do ano 2000. O conhecimento da fisioterapia está crescendo cada vez mais dentro da sociedade, e nós temos que ser otimistas, ter pensamento positivo, saber que querer é poder. Temos que pensar que amanhã vai ser melhor do que hoje; e, com certeza, nessas eleições, agora em outubro, nós não temos que ter dúvidas: temos que trabalhar, temos que agir! Nós temos potencial, número suficiente de eleitores para eleger qualquer candidato em qualquer Estado! Estamos hoje com uma maior representação em número de eleitores no Estado de São Paulo e no Rio de Janeiro, também no Ceará e Rio Grande do Sul, podemos fazer um trabalho de qualidade, temos a capacidade de mostrar o nosso valor. A partir do momento em que demonstrarmos força política e trouxermos à tona o conhecimento da existência de um profissional na Câmara Federal ou na Assembléia Legislativa, vão começar a nos olhar por outro ângulo, vão tomar ciência de que nós temos a força suficiente e nos oferecer outra situação para que possamos apresentar projetos em qualquer momento seremos bem recebidos. Temos que estar juntos com o poder nas decisões finais, ser representados para fazer-nos presentes e termos todas as condições para apresentar nossos projetos, fazendo justiça aos profissionais que somos. Temos que arregaçar as mangas e partir para um objetivo maior, que é ter nosso representante!

UMA DAS MAIS COMPLETAS DO RAMO! CONSULTAS SEM COMPROMISSO: Tel/Fax. (011) 3105-5598 - (011) 3115-1784 R. Maria José, 348 - Bela Vista - Cep: 013240-010

LANÇAMENTOS 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53

Bates - Exercícios Aquáticos Terapêuticos Tobias - O Livro do Alongamento Brieghel - Eutonia e Relaxamento (nova edição) Bob Anderson - Alongue-se no Trabalho Campignion - Respirações - a respiração p/ uma vida saudável Ribeiro/Magalhães - Guia de Abordagens Corporais Bertazzo - Cidadão Corpo - 2ª edição Mc Atee - Alongamento Facilitado por FNP Reichel - Método Kabat - FNP Rose - Marcha Humana Azeredo - Fisioterapia Respiratória Moderna -2ª edição Guirro - Fisioterapia e Estética - 2ª edição Gould - Fisioterapia em Ortopedia e Medicina de Reabilitação Godelieve - Cadeias Musculares e Articulares Maigne - Manipulações Vertebrais Davis - Manual de Relaxamento e Redução de Stress Bob Anderson - Entrando em Forma Bezier - O Bebê e a Coordenação Motora Bezier - Coordenação Motora Aspectos Mecânicos da Org. Psicomotora Bienfait - Fisiologia da Terapia Manual Bienfait - Bases Elementares, Técnicas de Terapia Manual e Osteopatia Bienfait - Os Desequilíbrios Estáticos Fisiologia, Patologia e Tto. Fis. Daniels e Wortingham - Provas de Função Muscular Kendal - Músculos,Provas e Funções Cailliet - Síndromes Dolorosas da Cabeça e da Face Ipeaf/Meirelles - Manual de Recursos Fisioterapêuticos Kisner - Exercícios Terapêuticos O’Sulivan - Fisioterapia e Avaliação, Tratamento e Procedimento Tecklin - Fisioterapia Cardiopulmonar Umpherd - Fisioterapia Neurológica Polden - Fisioterapia em Ginecologia Obstetrícia Marcondes - Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional em Pediatria Thompson - Fisioterapia de Tidy’s Hoppenfeld - Propedêutica Ortopédica - coluna e extremidade Ellis/ Alison - Fisioterapia Cardiorespiratória Prática Slutzky - Fisioterapia Respiratória nas Enfermidades Neuromusculares Shepherd - Fisioterapia em Pediatria Norkin e White - Medida do Movimento Articular de Goniometria. 2ª edição Davies - Passos a Seguir Davies - Exatamente no Centro Davies - Recomeçando Outra Vez Keleman - Anatomia Funcional Namikoshi - Shiatsu e Alongamento Reese - Solte-se. Método de relaxamento para a saúde e boa forma Stanley - Corporificando e Experiência Wong - Cuidados e Técnicas do Corpo Frederick - Shantala - Massagem de Bebês Berthratt - O Corpo Tem Suas Razões Berthratt - O Correio do Corpo Berthratt - As Estações do Corpo Rothstein - Manual do Especialista em Reabilitação Marques - Manual de Goniometria Lima - LER Dimensões Ergonômicas Psicossociais Coelho - Doenças Músculo-Esqueléticas de origem Ocupacional Oliveira - Manual Prático de LER Tanaka/Farah - Anatomia Funcional das Cadeias Musculares Souchard - Streching Global Ativo o RPG a Serviço do Esporte Souchard - Reeducação Postura Global Souchard - Respiração Souchard - Diafragma Souchard - Autopostura Respiratória Souchard - Esculpindo o Seu Corpo Souchard - O que é RPG?

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

38,00 34,00 22,00 33,00 40,00 50,00 25,00 30,00 65,00 75,00

R$ 40,00 R$ 50,00 R$ 125,00 R$ 26,00 R$ 39,00 R$ 44,00 R$ 44,00 R$ 18,00 R$ 28,00 R$ 38,00 R$ 35,00 R$ 39,00 R$ 51,00 R$ 150,00 R$ 47,00 R$ 19,00 R$ 85,00 R$ 90,00 R$ 130,00 R$ 135,00 R$ 40,00 R$ 75,00 R$ 55,00 R$ 69,00 R$ 49,00 R$ 89,00 R$ 55,00 R$ 71,00 R$ 36,00 R$ 36,00 R$ 36,00 R$ 51,00 R$ 26,00 R$ 32,00 R$ 20,00 R$ 56,00 R$ 25,00 R$ 23,00 R$ 20,00 R$ 23,00 R$ 100,00 R$ 10,00 R$ 45,00 R$ 25,00 R$ 48,00 R$ 38,00 R$ 35,00 R$ 18,00 R$ 13,00 R$ 11,00 R$ 24,00 R$ 24,00 R$ 15,00

de pagamento: Cheque: Envie o(s) cheque(s) via correio registrado juntaFormas mente com o pedido e os dados cadastrais (nome, end., bairro, cidade, Estado, Cep. e Tel.). Obs.: Todos os cheques deverão estar nominais a Livraria Aratebi Ltda., e já pré-datados. Depósito em conta corrente: Banco Bradesco S. A. Agência 200-3. Conta Corrente. 59.347-8,(o comprovante pode ser passado por fax, juntamente com seu pedido e dados cadastrais ou via correio, para os pagamentos à vista). Sedex: Despesas por conta do destinatário. Preço por região: São Paulo (interior) R$10,00, demais Estados: R$15,00 Obs: Não esquecer de acrescentar o valor do Sedex ao valor total do pedido. Informar Código, Autor/Título, quantidade e valor do seu pedido. 10

15


UMA FISIOTERAPEUTA NA ASSEMBLÉIA A Revista Fisio&terapia, ao tomar conhecimento que a Dra. Regina Figueiroa é candidata a Deputada Estadual pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), fato que não causou surpresa, já que a presidente do CREFITO 2, é reconhecidamente uma liderança natural e capaz, pronta a assumir mais um desafio, decidiu ouví-la para conhecer as suas metas e propostas, como candidata à Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Fomos encontrá-la na sua residência, numa rua tranqüila do bairro da Lagoa. Após um agradável papo, ficamos sabendo que a Dra. Regina Figueiroa licenciou-se da presidência do CREFITO 2 para poder concorrer a uma vaga na Assembléia Legislativa do nosso Estado. Nesse encontro, ficamos conhecendo um pouco de sua história. Contou-nos o seu início na Fisioterapia, colando grau pela Escola de Reabilitação do Rio de Janeiro, e seu ingresso, como Fisioterapeuta concursada, no extinto INPS, onde trabalhou, no CRP (Centro de Reabilitação Profissional) por mais de 5 anos. Foi depois transferida para o também extinto INAMPS e lotada no PAM São Francisco Xavier, onde, além de seu trabalho diário, atendendo a pacientes, organizou, por mais 5 anos consecutivos, as concorridas Jornadas de Fisioterapia do PAM SFX. Iniciou o estágio curricular de Fisioterapia, no mesmo PAM, sendo depois convidada a implantar o mesmo estágio em toda a rede pública federal do Rio de Janeiro. Posteriormente esse estágio foi estendido à rede estadual, sendo a Dra. Regina Figueiroa a coordenadora do mesmo, até a presente data, exercendo hoje as suas atividades na Secretaria de Estado de Saúde. Acompanhando o trabalho do CREFITO 2, em 1986, entrou na composição de chapa eleita, no cargo de Diretora Secretária. Em 1990, atendendo a pedido de seus colegas, concorreu e elegeu-se Presidente do CREFITO 2, sendo reeleita, sucessivamente, em 1994 e 1998. Procuramos conhecer um pouco de tudo que a Dra. Regina Figueiroa realizou à frente do Conselho e ficamos sabendo da descentralização administrativa, com a implantação de 17 Núcleos no Estado do Rio de Janeiro e de uma Delegacia no Estado do Espírito Santo. Desde o início da sua gestão, foi desenvolvido um trabalho no sentido de modernizar o sistema administrativo do órgão, com a implantação de modernas técnicas de trabalho, tudo objetivando o bom atendimento dos profissionais Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais. Também durante a sua gestão foi realizado concurso público para Agentes Fiscais, Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais, o que veio a incrementar a fiscalização exercida pelo órgão, em toda a jurisdição do CREFITO 2. Fazendo parte de uma política de orientação e esclarecimento, em relação a legislação do exercício profissional, foi publicado o livro “Legislação da Fisioterapia e da Terapia Ocupacional”, encaminhado para todos os profissionais inscritos no Conselho, com o objetivo de possibilitar um melhor conhecimento das 16

10

principais leis, decretos e resoluções que regem as duas profissões. Participou de movimentos em defesa do exercício da Acupuntura para os profissionais da saúde e tem apoiado o Projeto de Lei para sua regulamentação. Preocupada com a qualidade do ensino, aproveitou toda a sua experiência adquirida ao longo dos anos, e passou a exercer o magistério, nas disciplinas de História da Fisioterapia e Ética e Deontologia, na Universidade Estácio de Sá. Foi uma das motivadoras da criação da ASAFERJ (Associação dos Acadêmicos de Fisioterapia do Estado do Rio de Janeiro), para que, organizados, eles pudessem participar das lutas pela melhoria do ensino e da valorização da profissão. Com a sua interferência, foi também criada a primeira Residência em Fisioterapia no Estado do Rio de Janeiro, no Hospital Universitário Pedro Ernesto. Participou, por iniciativa própria, do Encontro Internacional dos Trabalhadores Frente ao Neoliberalismo e Globalização, realizado em Havana, Cuba, em 1997 e, como Presidente do CREFITO 2, em diversos encontros do Mercosul, para discussão do livre trânsito de profissionais, na sua área de abrangência. Por fim, ficamos sabendo que seu ingresso na política partidária se deve ao seu desejo de ampliar a sua área de luta e, que a disputa por uma vaga na Assembléia Legislativa em muito foi estimulada por seus pares, pela necessidade de alguém que possa ser uma voz firme e atuante em defesa das categorias profissionais e em defesa da saúde de nosso povo. Suas metas e propostas são as seguintes:

Exercer um mandato centrado na Ética e direcionado para as questões sociais, um compromisso democrático de luta por uma sociedade mais justa, mais humana e, menos violenta.

Saúde 1. Defesa da Rede Pública de Saúde, trabalhando no sentido de garantir o acesso da população a todas as práticas terapêuticas, com ações que visem a prevenção de doenças, a saúde do trabalhador, da mulher, do idoso e da criança. 2. Valorização do trabalho do profissional de saúde, da equipe multiprofissional, com isonomia e autonomia de seus membros, no exercício do seu trabalho, com um plano de cargos e salários compatível com a realidade profissional. 3. Trabalhar no sentido de garantir o direito à reabilitação, com toda a estrutura necessária e de recursos humanos, aos portadores de necessidades especiais. 4. Lutar pela ampliação no atendimento nas áreas de


Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e em outras áreas onde haja carência, na rede estadual, com a criação de residência em hospitais públicos. 5. Trabalho em conjunto com as entidades representativas da Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, e de outras áreas da saúde, objetivando a valorização e a melhoria da qualificação profissional. 6. Acesso da população carente às práticas da Acupuntura e Homeopatia, com implantação de farmácias para distribuição de medicamentos homeopáticos. 7. Defesa da prática da Acupuntura para os profissionais de saúde. Ensino e Cultura 1. Melhoria da qualidade do ensino, por meio da gestão democrática do ensino público, da valorização do profissional da educação (justa remuneração, melhores condições de trabalho, progressão na carreira). 2. Implantação do curso de Fisioterapia e Terapia Ocupacional na UERJ, mediante determinação legislativa, por lei ou via orçamentária. 3. Incentivo das iniciativas culturais que visem a valorizar o artista nacional, a ampliar o mercado de trabalho com relação à música, a dança, ao cinema, as artes plásticas e a leitura.

Meio Ambiente 1. Zelar pela preservação das praias, parques, jardins, florestas e manguezais, e pelo controle da poluição ambiental. Desporto 1. Apoiar todas as iniciativas que visem ampliar a prática desportiva, da infância à terceira idade, e das pessoas portadoras de necessidades especiais. Sociedade 1. Defender todos os movimentos sociais e lutar, ao lado da sociedade civil organizada, contra a política neoliberal que produz uma imensa legião de excluídos. Segurança Pública 1. 2.

Redirecionar a formação do policial, para que o mesmo possa exercer na sua plenitude, o papel que lhe cabe, de defender a sociedade e proteger o cidadão. Valorizar o trabalho policial.

Saímos desse encontro com a certeza que teremos, com o empenho de todos, uma Fisioterapeuta na Assembléia.

I CONGRESSO PARANAENSE DE ELETROTERMOFOTOTERAPIA E LASER 09 A 12 de Outubro de 1998 FOZ HOTEL & THERMAS A maior fonte de águas termais do planeta Foz do Iguaçu - PR ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO CF Casa do Fisioterapeuta Clínica de Fisioterapia D`Paula & Nicoletti AGÊNCIA OFICIAL Liltur agência de viagens e turismo R. Sete de Abril, 56 - 80050-220 - Curitiba - PR (041) 262-9002 - 264-4447 Embratur: 04985-00-41-9 Abav: 118/PR SECRETARIA DO CONGRESSO CF Casa do Fisioterapeuta R. Imaculada Conceição, 1.950 - Prado Velho 80215-030 - Curitiba - PR - Fone/Fax: (041) 3329181 Clínica de Fisioterapia D`Paula & Nicoletti R. Samuel Cesar, 1.062 - Água Verde 80620-220 - Curitiba - PR - Fone/Fax: (041) 2432128 PROGRAMAÇÀO CIENTÍFICA Conferências Efeito de manuseio do transdutor sônico na regeneração da Síndrome do impacto e jumper`s Knee Dr. Arthur Bellenzani Neto - Fisiot. - Campinas - SP Hydrocollator: Comparação clínica com outros recursos termoterápicos. Dr. Luíz C. R. Guanabara - Fisiot. - Mogi das C. - SP Fenômenos que garantem os efeitos terapêuticos das

diadinâmicas de Bernard Dr. Nelson Fuirini Júnior - Fisiot. - Itapira - SP Alongamento muscular por corrente de baixa e média frequência Dr. Alexandre H. Nowotny - Fisiot. - Maringá - PR Efeito da utilização da corrente de média frequência sobre o processo inflamatório Dr. Sérgio Jorge - Fisiot. - Presidente Prudente - SP Bioefeitos do ultra som em bactérias Dra. Elaine Guirro - Fisiot. - Piracicaba - SP Fortalecimento muscular por corrente elétrica Dr. Jefferson Luiz de Paula - Fisiot. - Curitiba - PR Alternativas de programação de parâmetro em estimulação transcutânea Dr. Carlos Eduardo Castro - Fisiot. - São Carlos - SP Eletrodiagnóstico e tratamento de lesões nervosas periféricas Dr. Rubens C. e Castro - Fisiot. - S. J. dos Campos. SP Eletroterapia nas desordens temporo-mandibulares Dr. Marcelo H. Mascarenhas - Fisiot. - BH - MG

ORGANIZAÇÃO E REALIZAÇÃO

Fone/Fax:(041) 332-9181 - Curitiba - PR E-mail: cafisio@bastecnet.com.br

Ação do laser na regeneração muscular Dr. Nivaldo Parizzoto - Fisiot. - São Carlos - SP Ultra som na revitalização tecidual Dr. Shukuka S. Enwemeka - Fisiot. - USA Eletroterapia nas alterações estéticas Dra. Maria S. P. de Campos - Fisiot. - Piracicaba SP Dosimetria do ultra som (novos conceitos) Dr. Nelson Fuirini Júnior - Fisiot. - Itapira - SP O caos na calibragem dos equipamentos de ultra som e a sua implicação ética Dr. Rinaldo Guirro - Fisiot. - Piracicaba - SP CURSO DE LASERTERAPIA Dr. Hugo Moolenaar - Fisiot. - Holanda Efeitos terapêuticos Indicações e contra Indicações Dosimetria Técnicas de tratamento Intervalos de tratamento Séries de tratamentos MESA REDONDA Caminhando para a normatização Participantes : Fabricantes Nacionais FEIRA PARALELA Durante o congresso as principais empresas nacionais e internacionais estarão com os seus equipamentos e lançamentos.

10

17


Dr. Durante anos, dividimos nosso tempo entre a docência, prática clínica e política profissional. Pronunciamos uma mensagem de crescimento a futuros profissionais. Experimentamos com sucesso novas tecnologias, e inovamos em algumas áreas uma administração preocupada não só com o aspecto político, mas principalmente com as demandas sociais que, de alguma forma, os Fisioterapeutas pudessem contribuir. Foi e está sendo uma experiência de vida com resultados positivos, outros que merecem serem revistos, mas acima de tudo um crescimento visivelmente saudável. Queremos agora iniciar uma nova etapa, uma dedicação ainda maior às questões de interesse público, não deixando de lado as causas da Fisioterapia, mas entendemos que o importante papel a cumprir numa esfera política, é a base para encaminhamentos maiores que deverão beneficiar toda uma população e, sem sombra de dúvidas, Fisioterapeutas que, inseridos nas suas comunidades deverão colher também os frutos deste plantio. Falamos de um vôo mais ousado, mais alto e que poderá trazer, com o apoio de todos os colegas, um futuro diferenciado daquele que acreditamos nos esperar, por vontade ou obséquio de terceiros. Um vôo só nosso, excensivamente nosso, que na esfera pública refletirá mais ainda em nossas vidas. Se um cidadão pensa em se candidatar a um cargo público é porque tem metas a serem seguidas, planos a serem executados. Ideais a serem concretizados, propostas a serem oferecidas e, que serão avaliadas pelo eleitor. Este, o eleitor, deverá avalizar a candidatura.

O que desejamos ?

Muitos são os problemas. Entendemos que a solução tem início pela educação. Nestes 18 anos dedicados à educação, tivemos experiência no ensino secundário e temos experiência no ensino superior. Vemos muitas dificuldades de base, em jovens que buscam na Universidade, uma forma de ascensão econômica e social. O mais importante é desmistificar este pensamento, pois a construção social e até econômica se dá através de uma política competente de formação de cidadãos. As oportunidades devem ser revistas de tal forma que todas possam tê-las , independente de questões econômicas, credo ou étnicas. Educar

com competência é promover a cidadania e o patriotismo. É inspirar confiança no País e seus dirigentes. É uma das coisas que desejamos. É uma das bandeiras que temos a tranqüilidade em dizer que podemos carregar em qualquer palanque ou tribuna; a bandeira da igualdade e da solidariedade; socialização do conhecimento; poder e das idéias. Não podemos entender que o sistema atual praticado possa ainda ter soluções emergentes. È necessário um novo investimento, uma nova roupagem para cobrir a nudez de uma política centrada exclusivamente no capital. O tempo é importante. O trabalho é extenso. A dedicação deve ser plena. A vontade é ilimitada. Queremos nos colocar à disposição da sociedade, de nossos colegas, de seus familiares, amigos, vizinhos, conhecidos. Enfim, todos aqueles que conhecem nosso trabalho que a partir de agora, toma um novo rumo. Deveremos estar presentes nas manifestações políticas que expressem a confiança e que se identifiquem com os nossos princípios de cidadania e filiação partidária. Temos nosso vínculo e nossa missão entrelaçados ao movimento socialista. Entendemos que a construção de um país democrático e cristão só poderá ser feito quando todos os preconceitos forem postos em níveis secundários e a importância maior for transferida aos atos plenos de mútuo comprometimento com a verdade. Entendemos também que a saúde pública deve ter prioridade tal qual a educação. Vivemos uma insegurança de saúde onde ficar doente no Brasil é lançar-se a uma aventura muitas vezes sem volta. Uma aventura descompromissada com a ética, a competência e, acima de tudo, com a vida humana. As propostas paliativas são lançadas como verdadeiras soluções a curto prazo. É preciso que se entenda que deveremos rever uma série de fatores , inclusive culturais, para melhorar a qualidade dos serviços de saúde. É importante discutir e entender que saúde não é sinônimo de alta tecnologia, apesar dela ser importante. Mas saúde é, em princípio, uma rede de esgotos bem construída, uma boa alimentação, vestuário adequado e cuidados básicos de higiene. Saúde é manter a qualidade de vida do cidadão e permitir que este tenha plenas condições de exercer suas atividades laborativas, sem ter preocupação com epidemias que possam ameaçar sua familia, seus amigos e colegas. Quando pensamos em ampliar nosso trabalho é para concretizar este pensamento. Entendemos as dificuldades que deveremos passar para esta concretização. Isto não nos desanima. Aliás, nada nos desanima. Nada é suficientemente forte para tal. Queremos contar com a confiança de todos os colegas . Queremos ter , numa situação de apreciação de nosso nome futuramente a certeza de que existe uma confiança depositada em nosso trabalho e que poderemos ter o respaldo certo daqueles que comungam o compromisso assumido para com a cidadania.

Serviços de Fisioterapia Rua do Catete, 311 sala 1019 Largo do Machado Tel/Fax (021) 205-4419 Urgências(021) 9988-3721/9962-2437

Diretoria Dr. Robson Pavão e Dr. Sergio Vicêncio. 18

10

Consultório-internação hospitalar Atendiemento Domiciliar Fisioterapia Motora e Respiaratória Consultoria particulares e convênios Unimed - Sul América - CAURJ - ABS - Vida Card American Medical Shield - Refinaria Manguinhos Gram Rio - Gralha Azul


Entrevista com Dra. Gorete Pereira, candidata a deputada Estadual pelo PFL-CE Dra. Maria Gorete Pereira, fisioterapeuta, candidata à Deputada Estadual pelo PFL-CE, já ocupou o cargo de líder do mesmo, e exerceu as funções de vereadora de Fortaleza por dois mandatos consecutivos. Desenvolve tradicionalmente ações sociais e assistenciais, voltadas às pessoas deficientes, especialmente as crianças excepcionais. Ao longo de sua vida pública, Dra. Gorete tem pautado suas metas, contemplando a expansão do mercado de trabalho dos profissionais de saúde, essencialmente os fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e demais profissionais da saúde. Além de sua atuação na vida pública do Estado, Dra. Gorete Pereira dirige 11 entidades filantrópicas em Fortaleza, e mais outras duas no interior, que oferecem os serviços de aproximadamente 200 profissionais entre fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos, para a atenção à saúde, essencialmente na reabilitação da pessoa deficiente.

Com relação à conquista da autonomia profissional, a Dra. Gorete reconhece que “é indispensável que se aumente o poder aquisitivo da categoria em geral. Para que isto ocorra, faz-se necessário o desenvolvimento de ações políticas bem definidas e a cobrança dos profissionais com relação a seus órgãos de classe, como os conselhos, associações e sindicatos”. “A agregação do trabalho político e o desenvolvimento científico deverão ser as bases necessárias ao desenvolvimento da Fisioterapia no Brasil”, complementa a candidata a Deputada. A Dra. Gorete Pereira, natural de Juazeiro do Norte no Ceará graduou-se em Fisioterapia na primeira turma da Universidade de Fortaleza, em 1976, onde, em seguida, foi docente das disciplinas ligadas à área de Fisioterapia Neurológica, chefe de departamento e, atualmente, se encontra licenciada para o exercício das funções parlamentares. Exerceu ainda as funções de Chefe do Serviço de Fisioterapia da ABCR, Chefe do Serviço de Fisioterapia do Instituto Dr. José Frota e, recentemente, foi nomeada Diretora do Departamento de Política de Saúde do IBF - Instituto Brasileiro para o Desenvolvimento Sócio Científico da Fisioterapia, entidade comprometida com o crescimento da Fisioterapia no Brasil.

A tônica de sua plataforma de trabalho não é apenas de assistência à saúde, mas a plena integração das pessoas na sociedade. A Dra. Gorete reconhece ainda a falta de consciência política com a classe dos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Defende a necessidade destes profissionais ocuparem cargos públicos, secretarias de saúde estaduais e municipais e direção de serviços de saúde. Esta atuação política da categoria, ainda muito tímida, contribui para que a população em geral ainda conheça muito pouco sobre a atuação destes profissionais. Segundo a candidata, “o fisioterapeuta vem crescendo muito na sua formação acadêmica, favorecendo a recuperação da saúde das pessoas, com uma ampla atuação preventiva, curativa e na reabilitação, em disfunções de origem neuromuscular, musculoesquelética, cardiopulmonar, enfim, em todas as especialidades”. A Dra. Gorete ressalta ainda que “os resultados precisam ser incrementados com o desenvolvimento da ação política do fisioterapeuta, constituindo uma base parlamentar de profissionais e aliados para que sejam emitidas leis que efetivamente assegurem a plenitude do exercício profissional.”

Li vr ar i

a

A Assembléia Legislativa do Estado do Ceará conta com 16 médicos deputados estaduais e apenas um fisioterapeuta. A candidata tem atuado ainda nas Comissões de Saúde da Assembléia Legislativa e Câmara Municipal.

Consulte-nos sobre formas de Pagamento. Atendemos todo o Brasil R. Sete de Setembro, 65 Sala 301 Centro - Rio de Janeiro - RJ Cep: 20050-005 Tel/Fax: (021) 232-0367 / 509-0936 10

19


Thermowave a evolução em diatermia por Ondas Curtas contínuo e pulsado.

Eletroestimuladores TENS, FES e Correntes Interferenciais

Physiolux IR (As-Ga) e Physiolux

A maior opção em modelos de Ultra-som Sonacel - Sonacel II Sonacel III Sonacel Plus 1MHz. Sonacel Plus 3MHz.

Consulte ampla linha de acessórios nacionais e importados.

Revendedor autorizado das camas elásticas Mini-Trampoline

20

10


UMA NOVA TÉCNICA EM FISIOTERAPIA

DERMOTONIA

No início dos anos 90, Dr. Serge Karagozian - médico francês especialista em Depressomassagem e também Depressodrenagem desenvolveu trabalho baseado em seus conhecimentos científicos e pesquisas, formulando seu próprio método, a Dermotonia. Diretor da École Internationale de Dermotonie et Palper-Rouler Analítique, Valence - França, onde reside, tem ministrado conferências e cursos para médicos, fisioterapeutas e outros profissionais de Saúde da Europa, América do Sul, Estados Unidos e Japão, formando-os em Dermotonia. Para nos informar mais sobre este novo método, entrevistamos a Dra. Regina Aparecida Rossetti Heck, ministrante do curso de Dermotonia no Brasil. A Dermotonia é um método global de cuidados, essencialmente reflexo, e nele se baseia a criação dos aparelhos de massagem. Parte do princípio das ventosas, utilizadas pelos chineses há 3 mil anos, aliado ao PalperRouler Analítico, técnica criada pelo Dr. Renee Bagot, em 1953, e à teoria da Dermalgia Reflexa, tese defendida em 1933 pelo Dr. Henri Jarricot. Unindo todos estes conceitos, o Dr. Serge Karagozian idealizou o método da Dermotonia, que utiliza a ventosagem - isto é, o uso do vácuo provocando uma pressão negativa. O Dr. Karagozian criou os aparelhos Skintonic e Dermopulse (que utilizam compressores gerando uma depressão localizada, através de uma aspiração contínua e pulsátil), sempre produzindo Depressomassagem e também Depressodrenagem. De acordo com as leis da Física, o ar atmosférico se locomove naturalmente quando há desnível de pressão no ambiente, deslocando-se do local de pressão mais alta para o de pressão mais baixa, produzindo trocas gasosas através da pele, fundamentais na eliminação de toxinas e gases, e o fortalecimento - por expansão e contração - dos vasos linfáticos e sangüíneos. O vácuo provoca um maior aporte sangüíneo para a área, aumentando a oxigenação e a nutrição dos tecidos. Os objetivos da ventosagem são expandir os vasos, melhorando e desobstruindo a circulação congestionada, e bombear os gânglios linfáticos, restabelecendo mais rapidamente a circulação linfática. A Dermotonia busca detectar as zonas de dermalgia, encontrando na espessura da derme as zonas de perturbação do tecido cutâneo, e melhorar a circulação vascular e linfática, fazendo com que estas zonas de tensão desapareçam, drenando a linfa através dos coletores. A técnica participa da mobilização dos tecidos fibrosados

via ação mecânica simples, identificando e tratando as dermalgias reflexas. A pele é um envelope vivo que assegura a proteção dos órgãos e exerce funções reguladoras; seu sistema vascular e sua inervação asseguram uma interface remarcável entre sua superfície e o interior do corpo. A origem do método é basicamente manual, e utiliza o Palper-Rouler (apalpar e rolar) para encontrar, na espessura da derme, zonas de perturbação do tecido cutâneo - trata-se do PalperRoulerAnalítico. Na ausência de cicatrizes, essas zonas - cuja extensão pode variar do tamanho de um grão de arroz a algo bem maior - são o reflexo neurovegetativo de uma perturbação: viscerotomia, nefrotomia, miotomia, esclerotomia ou dermatomia. A Depressomassagem deve ser utilizada em portadores de patologias de origem traumatológica, reumatológica, neurológica, linfológica e flebológica, assim como na estética corporal e do rosto. Em todas as patologias, a recuperação ocupa grande parte do tempo consagrado aos cuidados. Em Dermotonia, ela é encarada de maneira global. Uma sessão de recuperação em Dermotonia sempre tem início por uma busca minuciosa das dermalgias. Os pontos mais delicados são abordados na Depressomassagem pulsante; duas aspirações sobre o centro da dermodistonia, com um espaço de tempo de um segundo, são suficientes. As zonas mais aderentes são tratadas em seguida, com uma depressão mais acentuada. O cuidado se finaliza com uma drenagem geral. Se por um lado a parte mais importante do tratamento é a drenagem, por outro o encontro reflexo do paciente jamais será esquecido. Atualmente, um grande número de fisioterapeutas reconhece que a massagem profunda nem sempre é a mais eficaz. Uma massagem aplicada na superfície, observando as zonas de disfunção da pele, tem um melhor resultado; uma massagem mais drenante age não somente sobre as toxinas liberadas pelo músculo, como também mobiliza a “sopa” complexa do líquido intersticial, com todos os benefícios que a pele pode ter. Uma massagem, capaz de detectar e tratar as zonas reflexas, tem ação tão profunda quanto uma sucessão de manobras apoiadas que - por agirem em profundidade - devem acarretar incômodos à uma boa parte dos elementos superficiais, tão importantes na relação entre o interior e o exterior do corpo. Hipervascularização, pois mobiliza o sangue dentro dos capilares cutâneos, melhorando a troficidade e favorecendo a nutrição celular, em profundidade e à distância. Desfibrosagem, também melhora a troficidade, atuando na reestruturação do tecido conjuntivo, graças ao aporte de enzimas e eliminação dos detritos toxínicos. Depressodrenagem tissular e linfática, restaurando a troficidade, conjugada a flexibilização tissular, produzindo melhoras no deslizamento dos tecidos entre si e favorecendo a veiculação dos aportes nutritivos pelos líquidos intersticiais, pelo sangue e linfa, eliminando toxinas. Simpaticolítico, efeito reflexo que permite a estimulação e purificação dos gânglios linfáticos. Na estética corporal, nos casos de celulite, levamos em consideração: zonas lipodistróficas; existência de problemas venosos ou linfáticos; estado neurovegetativo; hábitos alimentares; stress; ansiedade; opressão; estática do conjunto e o inventário de dermodistonias e cicatrizes. A Depressodrenagem linfática é o método essencial no tratamento; efetivamente, a

estase venolinfática é um dos principais fatores etiológicos. Nas estrias, o tratamento com Depressomassagem assegura uma melhor troficidade da cicatriz atrófica, permitindo a estimulação dos fibroblastos - origem da reconstituição do colágeno e das fibras elásticas do tecido cutâneo. Nosso atual nível de conhecimento sugere um tratamento preventivo em populações de risco, antes da aparição das estrias, ou, no mais tardar, no estado inicial (quadro inflamatório, com presença de edemas). Na estética do rosto, sabemos que o envelhecimento cutâneo resulta na instalação de rugas. Na etiologia deste fenômeno, é conhecida a conjunção de quatro causas diferentes: a desidratação da camada córnea da epiderme; a redução da atividade dos fibroblastos, ou seja, decréscimo quantitativo e qualitativo da produção das fibras de colágeno e de elastina; atrofia progressiva dos pequenos músculos; alteração tissular ligada à restrição vascular da microcirculação cutânea. A Dermotonia estimula as funções metabólicas, produz uma esfoliação (pois a camada córnea necessita estar livre das células descamantes para poder desempenhar seu papel regulador e hidratante), restaura a meio-circulação cutânea, estimula a atividade dos fibroblastos e melhora a flexibilidade da pele. Na Dermatologia, a acne e a seborréia representam um problema duplo, pois muitas vezes há severas alterações da troficidade cutânea, devido à própria patologia. É necessário considerar que a Dermotonia, por mais útil que seja, não soluciona o problema patológico, o qual necessita de tratamentos específicos. Porém, a Dermotonia é indicada para reduzir as conseqüências de patologias tais como: diminuição da troficidade cutânea; desidratação cutânea; fibrose local e restrição vascular subcutânea. A técnica da Dermotonia tem: no pré-operatório, o objetivo de fortalecer os vasos sangüíneos e linfáticos da região a ser operada, desobstruindo possíveis congestionamentos da circulação linfática; nos edemas pós-operatórios, drenando e descongestionando os tecidos, promovendo uma melhor circulação; nas cicatrizes hipertróficas e seqüelas de queimaduras, através da ação do vácuo, provoca desfibrosamento e realinhamento das fibras colágenas e elásticas, aumentando a irrigação e a oxigenação do tecido, atenuando as imperfeições, fazendo com que o tecido se aproxime de sua normalidade. A Dermotonia se coloca como uma técnica global entre as demais técnicas modernas de cuidado. Mesmo que necessitemos, para aplicá-la, de aparelhagens interpostas entre a pele do paciente e a mão do terapeuta, a Dermotonia continua ser uma técnica essencialmente manual. A forma do material utilizado permite que conservemos, a todo momento, a mão em contato com a zona tratada. A mão procura as modificações cutâneas, submetendo-as à ação do aparelho. Em seguida, a mão busca e aprecia o resultado obtido. A Dermotonia objetiva a recuperação físico-funcional dos distúrbios endócrino-metabólicos, dermatológicos e musculocutâneos, prevenindo e restaurando as alterações patológicas, lançando mão de mais uma técnica científica, um recurso que, baseado nas condições psicofísicas e sociais, busca através de seu método terapêutico uma melhor qualidade de vida do homem.

Dra. Regina Aparecida Rosseti Heck

10

21


22

10


10

23


LANÇAMENTO Bolsa térmica para compressa quente ou fria (freezer, microondas ou fogão) confortável e prático aplicador para joelho, cotovelo, tornozelo ou mão.

“32 anos a serviço da Fisioterapia e Reabilitação no Brasil”

A solução simples, econômica e versátil na Fisioterapia e reabilitação moderna. Com oito resistências diferentes.

Bolsas térmicas para calor úmido e profundo em até sete tamanhos diferentes. Podem ser aquecidas em microondas, fogão convencional ou no exclusivo Hidrocolete. Bolsa térmica para crioterapia em sete tamanhos diferentes, moldáveis mesmo congeladas!

Mecanoterapia Carci. Qualidade e durabilidade compro vada!

Modelos Anatômicos Hidroterapia, turbil- 3B. O maior hão em aço inox para mem- distribuidor bros superiores ou inferiores do Brasil, com os melhores preços do mercado!

Solicite Catálogos e orçamentos sem compromisso! Tel: (011) 271-8499 Fax: (011) 270-8027 24

Eletroterapia, Ondas Curtas, Tens, Ultra-Som, Correntes Galvânica e Farádica, FES, Microondas e mais a revolucionária linha forte CPS da Chattanooga, equipamentos que permitem o uso de ultra-som de 1 e 3 Mhz com estimulações elétricas.

Carci Ind. e Com. de Apar. Cirur. e Ortopédicos Ltda. R. Dr. Siqueira Campos, 246 - Liberdade - São Paulo - SP - Cep: 01509-020 10 E-mail: carci@originet.com.br

Tel: (011) 270-8499 Fax: (011) 270-8027


Edição 10