O POVO Educação 2020 - Caderno 1

Page 1

EDUCAÇÃO FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

VIRADA SUSTENTÁVEL MÚSICA, TEATRO, CINEMA, DANÇA, PALESTRAS E SEMINÁRIOS OCUPAM VÁRIOS ESPAÇOS DA CIDADE DE HOJE, 20, A DOMINGO, 24. O ESPETÁCULO DUAS ESTAÇÕES É UMA DAS ATRAÇÕES DA ABERTURA DO EVENTO

MODA 10 | COLETA SELETIVA 7 | EXPERIÊNCIAS 12


2

EDITORIAL

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

O POVO EDUCAÇÃO

PELA VIDA NO

PLANETA

# LEONARDO REIS COLÉGIO DARWIN

LARA RADYJA

G

E XPED IEN T E PRESIDENTE: LUCIANA DUMMAR VICE-PRESIDENTE: JOÃO DUMMAR NETO JORNALISTA CONSULTOR: PLÍNIO BORTOLOTTI GERENTE GERAL DE ESTRATÉGIA DIGITAL: ANDRÉ FILIPE DUMMAR DIRETORA ADMINISTRATIVA: CECILIA EURIDES DIRETOR DE OPERAÇÕES: ANDRÉ AZEVEDO DIRETORA DE COMUNICAÇÃO - NEGÓCIOS: ALINE VIANA DIRETOR DE COMUNICAÇÃO E JORNALISMO: ARLEN MEDINA NÉRI DIRETOR FDR: MARCOS TARDIN DIRETOR CORPORATIVO: CLIFF VILLAR DIRETOR DE PROJETOS ESPECIAIS: ALEXANDRE MEDINA O POVO EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL: CLIFF VILLAR COORDENAÇÃO EXECUTIVA: ANA CRISTINA BARROS COORDENAÇÃO DE CONTEÚDO: LUCIANA MARIA PIMENTEL FERNANDES ANALISTA DE MARKETING: LAURA BRITO COORDENAÇÃO DO CADERNO O POVO EDUCAÇÃO EDIÇÃO: REGINA RIBEIRO PROJETO GRÁFICO: ANDREA ARAÚJO EDIÇÃO DE ARTE: ANDREA ARAÚJO TEXTOS: CORRESPONDENTES O POVO TRATAMENTO DE IMAGENS: ANDREA ARAÚJO DESIGNER: KAMILLA DAMASCENO

alera, com este caderno do O POVO Educação você ficará por dentro dos assuntos do nosso cotidiano em que a sustentabilidade faz parte. Hoje, com o desenvolvimento industrial e os avanços tecnológicos há muitos obstáculos para vivermos em harmonia com o meio ambiente. Falar de sustentabilidade e ser jovem são fatores de mudança para a nosso futuro visando o equilíbrio e a consciência ecológica em prol de todos. Esse será o foco da primeira Virada Sustentável de Fortaleza, que acontece de hoje, 20, até domingo, 24, em vários locais na Capital. Você poderá ler a opinião de estudantes sobre o trabalho de Greta Thunberg, jovem sueca de 16 anos e ativista, engajada em questões ambientais e movimentos ambientalistas, que tornou-se um grande exemplo de força da juventude. Mudar o rumo das consequências é fazer escolhas conscientes em relação à fauna e à flora de nosso meio, destinar resíduos em locais próprios é uma grande questão, já que diariamente toneladas de lixo são gerados em Fortaleza. A existência de Ecopontos, espaços de beneficiamento de materiais recicláveis, idealizados a partir de políticas públicas de incentivo à reciclagem, poderá mudar a forma como você e sua família lidam com os resíduos sólidos. Já mudou de opinião para ser sustentável? Mas, afinal o que vem a ser sustentabilidade? O dicionário descreve que a sustentabilidade se caracteriza ou se torna uma condição do “que é sustentável”, visando ainda “estabelecer equilíbrio entre a natureza e os recursos dela ofertados”, ou seja, é a forma harmônica de viver com o meio ambiente. Já o desenvolvimento sustentável tem como objetivo preservar o nosso ecossistema, sem deixar de esquecer as questões socioeconômicas das comunidades que passam por processos diferentes e manter o desenvolvimento econômico. A educação sobre sustentabilidade deveria ser um forma de tornar os jovens de hoje em cidadãos conscientes e preservadores do espaço coletivo, bem como a diretora da Escola Vila, Morena, Limaverde destaca: “As escolas devem formar alunos capazes de assumir responsabilidades e comprometidos com a busca de alternativas para a melhoria da qualidade

de vida no planeta”. Em relação ao consumo dos recursos naturais e a melhoria da nossa qualidade de vida, eles estão ligados fortemente com ser sustentável, produzir e consumir produtos que não contribuam para geração de lixo desnecessário, sem falar que o aquecimento global é uma ameaça que se transforma num estímulo para que vivamos de forma sustentável. Viver bem não é apenas estar saudável e ter pensamentos felizes. A vida real precisa mais que isso. É necessário que tenhamos a preocupação com o espaço em que nos encontramos e que cuidemos do meio ambiente. Pensando em tudo isso, não podemos esquecer o quanto é importante preservar os recursos naturais da própria cidade. Em Fortaleza, temos o rio Cocó com uma extensão de 45 km. O rio oferta água a 15 açudes e 36 lagoas. Na cidade, há também vários outros espaços verdes desabitados que necessitam do olhar das autoridades públicas. Ficou curioso? Então te convido a ler esse incrível caderno, você vai ter o prazer de se tornar um cidadão cada vez mais sustentável.


OPINIÃO

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

3

LARA RADYJA

YASMIN NOVAES

O POVO EDUCAÇÃO

LUAN DIONES


FORTALEZA, AGOSTO 2019

OPINIÃO

NICHOLAS KAMM/AF

4

GRETA THUNBERG INSPIRA PROTAGONISMO JUVENIL

# INGRID LIMA COLÉGIO 7 DE SETEMBRO

A

palavra protagonismo foi originada de “protos” e “agonistes”, que do latim significam, principal e lutador. O protagonismo juvenil relaciona as ações do jovem e a maneira que elas afetam o meio que os cerca, a sociedade e seus hábitos. A participação juvenil cresce em diversas áreas que vão desde o âmbito político mundial ao seu ciclo social. Figura importante, Greta Thunberg, jovem engajada em questões ambientais, e como suas ações ampliam a voz dos jovens são o foco desta matéria.


OPINIÃO

O POVO EDUCAÇÃO

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

5

“COMO OUSAM?” # ANA LUIZA P. ARAÚJO COLÉGIO DARWIN

“M

inhas mensagens aos líderes internacionais é que estaremos de olho em vocês”. Foi assim que a ativista sueca de 16 anos, Greta Thunberg, iniciou seu discurso na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 23 de setembro de 2019 na abertura da cúpula do clima. E ainda falou aos líderes das 60 nações ali presentes: “Estamos no início de uma extinção em massa e tudo que vocês falam gira em torno de dinheiro e um conto de fadas de crescimento econômico eterno. Como ousam?” A sueca explica que: “A proposta de cortar as nossas emissões pela metade em 10 anos apenas nos dá uma chance de 50% de ficar abaixo da marca de 1.5°C e existe o risco de desencadear reações irreversíveis em cadeia que fogem do controle humano” e afirma: “50% simplesmente não são aceitáveis.” A ativista, também, deixa bem claro que os líderes e adultos ali presentes ou não “não têm maturidade o suficiente para abordar o tema como ele realmente é” e que se eles escolhessem falhar com aquela causa, jamais seriam perdoados. Ela encerra o discurso avisando que “O mundo está acordando. E a mudança está chegando, quer vocês queiram ou não.” Então, eu pergunto, após ouvir e/ou ler esse discurso: Como ousam só falar em dinheiro enquanto o nosso lar se desintegra diante de nossos olhos? Como ousam tirar de nossos futuros filhos, netos e bisnetos o direito de viver bem? Como ousam ser monstros individualistas que ignoram aquilo que está à sua frente? Como ousam ignorar tudo o que Greta disse?

Ana Luiza P. Araújo

Laura Freire Simões

A JOVEM QUE AMEAÇA A BURGUESIA! # LAURA FREIRE SIMÕES COLÉGIO N. SENHORA DAS GRAÇAS

A

jovem Greta Thunberg tem chamado cada vez mais atenção em seus discursos com desafios propostos para autoridades de todo o mundo, culpando-os, por não se importarem com as mudanças no ecossistema. Consequentemente, ela vem recebendo mensagens de ódio de diversas pessoas, desde empresários, políticos e de até outros jovens. Frequentemente as pessoas têm caído em “fake news” sobre a menina. Aqui no Brasil, Eduardo Bolsonaro, filho do atual presidente, apresentando seus pensamentos extremistas e imaturos, publicou em sua conta no Twitter, uma foto manipulada da jovem, na qual ela estaria exibindo seus “privilégios suecos”, esbaldando-se em boa comida, enquanto crianças famintas a observavam. São inúmeros os casos de notícias falsas espalhadas sobre ela, mas ela não se abala:

“Honestamente, não entendo por que os adultos escolhem passar o tempo zombando e ameaçando adolescentes e crianças por destacar os argumentos da ciência, quando poderiam fazer algo bom. Acho que eles devem se sentir muito ameaçados por nós” afirma. Os agentes desse ódio usam justificativas do tipo “Ela vem de um país rico...” ou “Ela possui autismo...”, mas será que a errada na história é realmente Greta? A verdade, é que diversos especialistas apresentam estudos e teses que fundamentam o discurso pregado por Greta, e a própria menina cita dados desses estudos. Grande parte dos empresários e políticos que a atacam visam apenas lucro, sem investimentos sustentáveis, ao fazerem falsas divulgações, usando sua influência sobre pessoas leigas, que assim como eles, são carentes de discernimento. As pessoas que apoiam tais movimentos se baseiam na desinformação, e apenas fomentam uma polarização, sem sequer preocupar-se com o futuro.


6

OPINIÃO

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

O POVO EDUCAÇÃO

GERAÇÃO GRETA # DAIANA ALMEIDA DOS SANTOS REPÓRTER CUCA BARRA

“P

ercebi que ninguém estava fazendo nada para impedir que isso aconteça, então eu precisava fazer alguma coisa.” Diz a ativista Greta Thunberg, a adolescente sueca que vem sacudindo a luta ambiental nos dois últimos anos. Greta falta às aulas todas as sextas, e se senta em frente ao Parlamento sueco, para exigir medidas dos políticos contra o aquecimento global. O ato, inicialmente solitário, inspirou jovens de todo o mundo a aderirem ao movimento, que ficou conhecido como “Fridays For Future”, e culminou em uma greve escolar global no dia 15 de março, quando milhares de estudantes foram às ruas para protestar. É perceptível que a jovem vem contribuindo bastante para a repercussão do assunto sustentabilidade no mundo e inspira muitas pessoas de todas as idades para a proteção ao meio ambiente. Morena Lima, diretora da Escola Vila em Fortaleza comenta a importância de desenvolver a consciência ecológica desde cedo, “As escolas devem formar alunos capazes de assumir responsabilidades e comprometidos com a busca de alternativas para a melhoria da qualidade de vida no planeta”. Uma geração está surgindo em todos os países, jovens diferentes que querem ser ouvidos, que perceberam que o seu futuro está em perigo e que querem fazer alguma coisa. Eles não conseguirão mudar o mundo sozinhos, precisam de ajuda. “Se cada um colaborar com o que está ao seu alcance, a gente consegue ajudar pelo menos o nosso bairro”, diz Mariana Goller, uma das responsáveis pelo movimento em Fortaleza.

Daiana Almeida dos Santos

Vitória Albuquerque

A JUVENTUDE “TÁ” AÍ! # VITÓRIA ALBUQUERQUE COLÉGIO DÁULIA BRINGEL

N

o dia 23 de setembro de 2019, 16 adolescentes de 12 países, dentre eles Greta Thunberg, que ganhou a atenção da imprensa internacional, apresentaram uma denúncia contra o Brasil, a Argentina, a França, a Alemanha e a Turquia no Comitê sobre os Direitos das Crianças da ONU. A ação aponta que os cinco países estão se omitindo ao que se comprometeram a fazer para frear as mudanças climáticas no Acordo de Paris. Com isso, as nações violam a Convenção sobre os Direitos das Crianças. Conversamos com Catarina Lorenzo, de 12 anos, representante brasileira do grupo. Ela é surfista, mora em Salvador e conversou conosco via direct, pelo Instagram. Dona de um sotaque baianês cheio de presença, com notas de indignação, a ativista falou sobre como vê a repercussão do assunto “Sustentabili-

dade” e sobre como analisa o engajamento juvenil nas questões ambientais. Quando questionada sobre como os jovens podem intervir nas demandas ambientais do país, ela responde: “Cada um pode fazer sua parte, conscientizar os pais, a família, os amigos, evitar o consumo de canudos plásticos. As crianças podem ajudar a cuidar de parques ecológicos, participar mais dos grupos de preservação, plantar mais árvores e debaterem esse tema nas escolas.” Para Catarina, o Brasil poderia se inspirar em países como a Dinamarca, quando se trata de sustentabilidade. Segundo ela, virou moda falar sobre sobre o assunto, mas na prática as coisas são bem diferentes. “As pessoas deveriam fazer mais, e falar menos”, afirma. Jovens como Catarina dão ao Brasil um fiozinho de esperança, mostrando que a juventude está aí, e não está para brincadeiras: “Já que são poucos os adultos que querem ajudar, vamos agir sozinhos se for necessário, porque não vamos permitir que tirem nosso futuro de nós.”


MEIO AMBIENTE

O POVO EDUCAÇÃO

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

COLETA SELETIVA: EMBARQUE NESSA Reciclagem de resíduos sólidos é tarefa que pode começar em casa. Ação sustentável beneficia a cidade que reúne diversas associações de recicladores

D

iariamente o Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia recebe cerca de 3 mil toneladas de lixo vindos da Região Metropolitana de Fortaleza (Blog Lixo Cidadão), número que poderia ser menor se a população aderisse à coleta seletiva. Pensar na gestão de resíduos sólidos não é mais um assunto do futuro. Hoje em Fortaleza existe os Ecopontos, espaços de beneficiamento de materiais recicláveis, criados a partir de políticas públicas de incentivo à reciclagem com o programa “Recicla Fortaleza”, onde é possível descartar o material reciclável para a sua destinação correta e em troca receber créditos no Bilhete Único e descontos na conta de energia. Os Ecopontos fazem um papel importante na gestão de resíduos sólidos da cidade, desviando boa parte do material que seria destinado pro aterro sanitário para cooperativas e empresas de reciclagem. Além do recebimento de itens recicláveis, esses espaços recebem óleo de cozinha usado, que muitas vezes os consumidores acabam descartando de forma indevida, despejando nas pias, o que ocasiona entupimentos nas tubulações das residências e contamina os mares e lençóis freáticos. Precisamos diferenciar o que é lixo reciclável de rejeito, e qual a destinação correta de cada um: papéis, plásticos, metais, vidros e embalagens tetrapak são materiais recicláveis e que devem ser encaminhados para os Ecopontos. Rejeitos são papéis higiênicos usados, poeira, e restos de co-

mida, sendo que este último pode ser reutilizado para compostagem de adubo orgânico. “Quando jogamos algo fora, estamos apenas tirando aquele objeto da nossa frente, não percebemos que aquele resíduo irá parar em um outro lugar, pois não existe “o fora”, afirma Marina Ximenes, pesquisadora do Laboratório de Criação em Cultura Alimentar e Gastronomia, da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco. As mudanças climáticas ocasionadas por uma má gestão do lixo e o consumo agressivo de recursos naturais há tempos está em estados alarmantes. Pensar a logística reversa nos meios de produção já é um dever de todas as entidades, governos e sociedade. Não há mais espaço para um processo linear de consumo, a cultura dessa cadeia produtiva precisa ser cíclica, onde tudo o que é consumido é voltado para o local de produção, e não para o “lixão”. # RENATA FONTES, Colégio Polícia Militar # GABRIEL NASCIMENTO, Colégio Militar Corpo de Bombeiros # JULIA CAROLINE, repórter Cuca # SOPHIA VITÓRIA, Colégio Darwin # JERÔNIMO NOGUEIRA, Repórter Cuca # MARCOS ANTONIO, Colégio Washington Soares

7


8

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

MEIO AMBIENTE

UM PASSEIO PELO

PARQUE DO COCÓ Alunos do projeto O POVO EDUCAÇÃO visitam o Parque do Cocó, dão dicas para um passeio no parque e defendem a preservação do local # ALLAN DE FREITAS CUCA MONDUBIM

A

preservação do Parque do Cocó é boa e espera-se que seja realizada em todo o percurso do rio Cocó. O rio Cocó tem uma extensão de 45 km, tendo 25 km em terra na cidade de Fortaleza. O rio oferta água a 15 açudes e 36 lagoas. Sabemos que a preservação e o patrulhamento são realizados diariamente para evitar crimes ambientais. No entanto, a população precisar ter consciência da necessidade de contribuir para a limpeza do Cocó. Temos que preservá-lo desde a nascente! É bom ter passeios gratuitos para alunos para que possam conhecer todo trajeto do rio, saber do impacto que ele causa em nossas vidas. Na cidade, há vários outros pontos verdes desabitados que necessitam do olhar das autoridades. Lugares que podem ser belos. Quando falamos sobre preservação ambiental, temos que ser mais abrangentes e mapear toda área verde que existe em nossa cidade, não focar somente nas que estão localizadas em áreas nobres, pois cada centímetro quadrado do verde da natureza é importante. As áreas verdes ajudam na redução da poluição do ar, pelas águas reduzem o escoamento de poluentes e regulariza a temperatura. As árvores retêm CO2 que reduzem a poluição sonora e os ventos, mantendo a umidade do ar e chuvas regulares, além de diminuir o índice de doenças do sistema respiratório da população. Especialistas apontam que a população urbana tende a ter ansiedade, depressão e transtorno de estresse pós-traumático. O contato com a natureza e os sons que nela têm possuem efeito “restaurador” para nossa mente. Nas crianças aumenta sua imunidade! Sendo assim a convivência com ela torna nossa vida excelente! E aí, ainda acha bobagem proteger as áreas verdes?

O POVO EDUCAÇÃO


O POVO EDUCAÇÃO

MEIO AMBIENTE

Lazer e picnic

# Gabriela Viana e Mateus Sales Rede Cuca Na entrada principal, que fica na Avenida Padre Antônio Tomás, é possível encontrar uma variedade de coisas para se fazer, como tirolesa, espaço para picnic e oficinas, a depender da programação. O picnic no Parque do Cocó pode ser uma experiência de conexão entre a natureza e o ambiente urbano, proporcionando momentos de coletividade, união e pertencimento. Toalha, lanches gostosos, roupas confortáveis e boas companhias é tudo que você precisa para viver o parque numa manhã ensolarada ou em um fim de tarde especial.

Viva o parque

Keyssianne M. de Oliveira - Rede Cuca Promovido pelo Governo do Estado do Ceará, o projeto Viva O Parque busca a revitalização das áreas verdes de Fortaleza ao propiciar à população momentos de lazer e divertimento em conexão com a natureza. No parque do Cocó a ação conta com arvorismo, tirolesa, aulas de dança e atividades infantis. Então, já prepara seu tênis e a garrafa d’água e se atente para o horário de funcionamento: nos sábados e feriados das 8h às 12h e 14h às 17h; e nos domingos das 8h às 12h.

Books e aniversários

Keyssianne M. de Oliveira - Rede Cuca Um fotógrafo e um bom figurino são as únicas preocupações de quem procura o Parque Do Cocó para fazer seu book de fotos, pois a paisagem fica por conta do ambiente verde das trilhas. Já para quem pensa em fazer aniversários ao ar livre, basta providenciar o bolo e os convidados pois diversão nunca falta no parque.

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

Trilhas no Cocó

Dalila Souza Sales - Rede Cuca No Parque do Cocó, tanto para quem gosta de andar a pé ou de bicicleta, as trilhas são acessíveis para ambos. Temos a trilha principal que tem cerca de 1.350m, com partes de matas fechadas, lagos e rios e alguns espaços abertos com prédios e edifícios nos arredores do espaço. Ao lado temos a trilha do rio que é onde termina o rio Cocó. Apesar de ser uma trilha curta, é bem proveitoso e tranquilo.

Sacolinhas para recolher o cocô dos doguinhos

Felipe Manoel - Colégio Paulo Petrola O Parque do Cocó é um lugar muito bonito, lá tem vistas bonitas para tirar algumas fotos, Você também pode praticar um exercício físico, andar de bicicleta, fazer uma caminhada e passear com o seu cachorro. Assim que você entrar no parque, verá um local de se pegar sacola para recolher o cocô do seu cachorro, fazendo assim o parque estará sempre limpo, não acumula sujeira e que você poderá continuar passeando com o seu cachorro.

9


MODA

FCO. FONTENELE

10 FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

“A MODA DO FUTURO É CONSUMIR O QUE JÁ EXISTE”

O POVO EDUCAÇÃO


O POVO EDUCAÇÃO

A

jornalista e colunista de moda, Jully Lourenço, concede entrevista a um grupo de alunas participantes do projeto O POVO Educação e destaca a importância da sustentabilidade no modo de se vestir mostrando a preocupação com o consumo sustentável. De acordo com Jully Lourenço “dar uma segunda chance” a uma peça de brechó é uma atitude sustentável . Participaram da entrevista Karyne Vieira Batista, Marcelly Ferreira dos Santos, Izabel Tinin, Ana Gabriely OPE - Andar na moda é sustentável? (Karynne Vieira Batista) Jully Lourenço - Se for para fazer economia , é sustentável, sim. Como as roupas de brechó. Consumir o que já existe e não mais o que se produz; (consumir) o que se tem. Quando se dar chances a peça, várias vezes, reutiliza, é sustentabilidade. A moda do futuro é consumir o que já existe. A gente só revive o passado, a moda vai e volta. Se renova. Não devemos ir atrás de um estilo ou modelo, casa até com a virada sustentável. Vai além do modismo. Temos que caminhar para isso. OPE - Consumir demais é sustentável? ( Marcelly Ferreira dos Santos ) Jully - Existem marcas para atender aos pedidos e os desejos das pessoas. Às vezes, aquela pessoa não está nem querendo comprar roupa e acaba consumindo por influência, sem nenhum tipo de precisão. A moda é isso, esse ciclo vicioso, que tem o lado do comércio, do consumismo, que faz a roda girar mesmo. Mas temos que parar e pensar muito antes de qualquer escolha e onde estamos investindo o nosso dinheiro. A sustentabilidade não está somente atrelada à matéria prima, acredito que já temos um conhecimento sobre isso. Um exemplo é quando se trabalha com um tecido sintético, que para se decompor leva um tempo. Também tem o fator de reaproveitamento, como uma loja de brechó, quando a peça tem uma segunda chance. Então, é com isso que devemos nos preocupar para não consumirmos demais, tendo sempre uma atitude sustentável, até no que vestimos.

MODA

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

11

“EU NÃO CONSIGO ME VER COMO UMA PESSOA DE ANTES, QUE COMPRAVA DESENFREADAMENTE, QUE COMPRAVA QUALQUER ROUPA QUE ESTAVA NA PROMOÇÃO, QUE NÃO QUERIA SABER PARA ONDE IRIA PARAR AQUELA ROUPA.” “EU ESTOU MUITO CANSADA DE ENTRAR EM UMA LOJA E SABER QUE EU VOU ENCONTRAR A MESMA PEÇA, IGUAL A SERIADO. MAS NO BRECHÓ, NUNCA SEI. O QUE EU MAIS GOSTO É ISSO: SOU SURPREENDIDA. É UM ACHADO, É UMA CONEXÃO, QUE VOCÊ OLHA E GOSTA MUITO.”

OPE - Preciso comprar muito para estar na moda? (Izabel Tinin) Jully - Eu não consigo me ver como uma pessoa de antes, que comprava desenfreadamente, que comprava qualquer roupa que estava na promoção, que não queria saber para onde iria parar aquela roupa. Hoje, eu tenho uma consciência corporal, uma consciência de indivíduo e de consumidor. Quando eu estava em casa, separando as roupas para vender no bazar, senti um alívio muito grande, pois não preciso de tanta coisa. Quando falo de sustentabilidade não é só impactar de forma positiva, gerando menos fator negativo, mas também saber viver com aquilo que é essencial. Estou resolvendo muito bem, com as poucas peças que me sobraram após o bazar. OPE - Por que comprar num brechó ou bazar é uma forma sustentável de estar na moda? (Ana Gabriely) Jully - Semana passada, eu fui ao centro e me deparei, na rua 24 de maio, com um brechó. Eu entrei e comprei uma peça que

custou R$ 3,99. Ela estava por fazer a parte da manga, mas comprei. Eu fiquei pensando na segunda chance que a gente dar às peças. Eu estou muito cansada de entrar em uma loja e saber que eu vou encontrar a mesma peça, igual a seriado. Seriado, significa dizer, que são as mesmas peças iguais, com a mesma tendência , na mesma arara. Mas no brechó, nunca sei. O que eu mais gosto é isso: sou surpreendida. É um achado, é uma conexão, que você olha e gosta muito. Eu acho que as pessoas têm que abrir mão do preconceito , que sei que existe, de não querer roupa de quem não conhece ou talvez de pessoas que nem aqui estão mais. Acredita-se que a roupa tem energia. A Chiara Gadaleta comenta em um dos seus Instagram, que roupa de brechó, não é pesada. Pesado é o trabalho escravo ou um material que não é da natureza, que não é biodegradável, mas dar uma segunda chance a uma peça, não é pesado. A peça não tem culpa e o que você vai fazer com ela é usá-la. Assim, estaremos contribuindo para um meio sustentável.


12 FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

SUSTENTABILIDADE

O POVO EDUCAÇÃO

No interior do Ceará, duas artesãs transformam resíduos sólidos em flores e peças de decoração. em Fortaleza, coletivo muda a paisagem do bairro Edson Queiroz

EXPERIÊNCIAS DE VIDA E

SUSTENTABILIDADE


O POVO EDUCAÇÃO

SUSTENTABILIDADE

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

ARTESANATO E HISTÓRIAS DE VIDA DENIELE CARDOSO E IRIS FONSECA REPÓRTERES CUCA

N

osso foco foi pessoas que trabalham com o artesanato sustentável. Dos artigos produzidos, os objetos decorativos são mais comuns. Conversamos via WhatsApp com duas artesãs: Roberlana Barbosa, que mora em Paraipaba e que faz parte do grupo de mulheres artesãs Fulô do Litoral, e com a dona Zuila Cordeiro, que mora no Parque Presidente Vargas, para entender melhor como funcio-

na esse processo criativo. O início foi inusitado. Roberlana ia casar, quando faltou dinheiro para as flores, que ela fez com garrafas pets. Já dona Zuila encontrou uma forma de se reerguer com a arte, produzindo artesanato com materiais reclicados. As latinhas que Zuila usa são dadas por vizinhos ou encontradas na rua, o que faz muito bem ao meio ambiente. Infelizmente, por usar material reciclado, o trabalho não é valorizado e gera pouca renda. Mesmo assim, elas não desistem: “Amo o que faço”, finaliza dona Zuila com alegria.

PRODUTOS E AÇÕES QUE PRESERVAM A NATUREZA LETÍCIA PAULA E ANA LETÍCIA COLÉGIO IMACULADA CONCEIÇÃO

A

Ecoway é uma empresa que tem como objetivo propor uma mudança de hábitos para a sociedade, oferecendo produtos sustentáveis e conscientizando a população a conservar a natureza, além disso, eles se reúnem nas praias como apoiadores do Projeto Praia Limpa, separando os lixos e, logo após, entregando em ecopontos. O criador do projeto chama-se Elias Vilar, que sempre foi muito próximo do meio ambiente e queria contribuir na melhoria da situação da natureza, assim, criou a ação sustentável.

Para incentivar e instruir a população a diminuir a poluição, eles produzem canudos e utensílios que não possui plástico na produção, então o canudo é de aço inox, a escova de higienização de aço com fios de nylon e a bag feita totalmente de algodão. A Ecoway não possui lojas físicas, assim, as entregas são feitas em alguns pontos estratégicos em Fortaleza. Atualmente, a empresa conta com três pessoas e, juntamente com o Projeto Praia Limpa, são cinco pessoas, já na limpeza das praias, reúne cerca de 100 voluntários, mas sempre procuram outros interessados para ajudar.

COLETIVO MUDA PAISAGEM DE BAIRRO NARVANE GOMES E TAYNÁ PANTOJA REPÓRTERES CUCA

N

o bairro Edson Queiroz, após anos de incômodo com a rampa de lixo, jovens do coletivo Dendê de Luta se organizaram e juntos, com o apoio da Ecofor, iniciaram o processo de revitalização na rampa de lixo do “Chico do cocó” “Fomos motivados pela questão de levar adiante a pauta de promoção de saúde e cuidados com o meio ambiente” relata Samuel Mendonça, um dos integrantes do coletivo. Em uma semana a Ecofor trabalhou na limpeza da rampa e então o coletivo começou a revitalização em três dias intensos com a participação da comunidade, foi pintados muros, montaram um campo de areia e fizeram um local de lazer para as crianças com brinquedos feitos a partir de materiais recicláveis. Na entrega do espaço o coletivo recebeu moradores e crianças do bairro, onde a conscientização de fato transformou vidas.”

13


14 FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

AGENDA

O POVO EDUCAÇÃO

O POVO EDUCAÇÃO oferece dicas imperdíveis da Virada Sustentável. Acesse a programação completa e faça sua inscrição para oficinas, rodas de conversa, mostra de cinema, teatro, palestras e seminários www.viradasustentavel.org.br/cidade/fortaleza

PROGRAME-SE PARA

A VIRADA DESTAQUE #DIA 20

Solenidade de abertura da Virada Sustentável contará com atrações de dança e música. Na dança, a escola Edisca leva ao palco do Cine-Teatro São Luiz o espetáculo Duas Estações. Em seguida, a baiana radicada em São Paulo, Xenia França, faz show inspirado na diáspora negra com toques de música eletrônica, sambareggae e rock. Xênia se destaca como uma referência no resgate da cultura afro-brasileira e de empoderamento feminino para as mulheres negras. Horário: 18h30min Onde: Cine-Teatro São Luiz. Rua Major Facundo, 500. Praça do Ferreira ACESSO GRATUITO. Inscrições no site https://www. viradasustentavel.org.br/ cidade/fortaleza

DIA 21

Cinema e bate- papo com as painelistas Ana Rachel Vitorino e Larissa Bezerra Uma história de desperdício (EUA, 2017, 85min). O filme expõe o crime de nosso desperdício e como ele afeta diretamente as mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que aponta como podemos fazer pequenas mudanças – todas elas deliciosas! – para resolver um dos maiores problemas de nossa sociedade. Horário: 11h às 13h30min Onde: Cinema do Dragão. No Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Rua Dragão do Mar, 81. Praia de Iracema

Contação de Histórias Que quer ser princesa? Contação de história com a atriz, produtora cultural e contadora de histórias, Rebeka Lúcio. Quem quer ser princesa? narra histórias de princesas que vivem em reinos bem próximos de nós e que são bem parecidas com a gente. Horário: 15h às 17h Onde: Cuca Jangurussu. Avenida Governador Leonel Brizola, Jangurussu- Fortaleza Música Viola Brasileira Com Alan kardec Filho, o show passeia pela música regional com composições autorais e releituras dos diversos ritmos brasileiros como baião, forró, choro, maracatu e também música erudita, experimental e jazz.

Horário: 17h às 18h Onde: Centro Cultural Belchior. Rua dos Pacajús, 123, Praia de Iracema

DESTAQUE

Dizem que é uma estrada, mas não passa de uma ausência Show musical com o grupo coral Folk- Canções de Antigas Novidades, que reúne 20 cantoras, sob a regência do maestro Carlos do Valle. A direção de cena do espetáculo é de Bruno Mariano. No repertório, música folk. Horário: 16h às 17h Onde: Centro Cultural Belchior. Rua dos Pacajús, 123, Praia de Iracema


O POVO EDUCAÇÃO

DIA 22

PAINEL Abordagens sobre sustentabilidade nas escolas Destinado a professores, educadores e gestores da área de educação pública e privada, o painel tratará dos temas “Resíduos” (Lucas Bezerra); “Matriz Educacional” (Morena Limaverde),”Alimentação Saudável” (Wanessa Moreira). A mediação é de Magda Maia. Horário: 14h às 16h30 Onde: Cine-Teatro São Luiz. Rua Major Facundo, 500. Praça do Ferreira RODA DE CONVERSA Meio Ambiente e Povos Indígenas Sob a responsabilidade da ONG Terrazul, o debate se propõe a discutir a situação dos povos indígenas diante das políticas que ameaçam o meio ambiente nos territórios ocupados pelos índios. Com a participação de Marciane Tapeba, Fernanda Rodrigues, Mariana Guanabara. Horário: 9h às 12h Onde: Espaço O POVO de Cultura & Arte. Av. Aguanambi, 282, Benfica CINEMA E BATE- PAPO Com a participação das painelistas Jeovah Meireles e Matheus Tremembé, com mediação de Glória Diógenes.

DESTAQUE

O Fio da meada Brasil, 2019, 77´ Filme de Silvio Tendler mostra a luta de povos tradicionais brasileiros contra a urbanização opressora. Caiçaras, quilombolas e indígenas lutam para sobreviver e para tentar impedir que suas reservas naturais sejam destruídas pelo processo de urbanização. Horário: 11h às 13h30min Onde: Cinema do Dragão. Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Rua Dragão do Mar, 81. Praia de Iracema

AGENDA

RODA DE CONVERSA Moda de Sustentabilidade A produção e o consumo da moda estão na pauta do movimento pela sustentabilidade. Para abordar o tema sob diversos olhares Lorena Delfino (Fashion Revolution Fortaleza), Dani Gondim (digital influencer) e Clara Dourado (Juntas na Colmeia) se réunem em torno da roda de conversa mediada por Madga Maya. Horário: 16h às 18h Local: Estrelário. Shopping Rio Mar, R. Des. Lauro Nogueira, 1500 – Papicu OFICINA Construção de instrumentos musicais A arte e o meio ambiente relacionados de forma criativa: esse é um dos motes da Oficina de Construção de Instrumentos Musicais. Fernando Sardo, ministrante da oficina, é músico e artista plástico e fabrica instrumentos musicais a partir de matérias-primas orgânicas (como bambu, madeira e pedra) e sintéticas (como metal, plástico e papel). Horário: 14h Onde: Cuca Mondubim. R. Marlúcia, s/n A oficina acontecerá no Cuca Mondubim no dia 22 de novembro, às 14h, e no Parque do Cocó, no dia 23, às 9h. Vale a pena conferir!

DIA 23

AO AR LIVRE Jogos Lúdicos Os tradicionais jogos de xadrez, dama, snookball, pega-varetas e dominó ganham versões gigantes para atrair crianças, adolescentes e adultos que queiram se divertir no Parque do Cocó. A Villa Brincar, responsável pelos jogos, se inspira em jogos de rua que acontecem em vários países da Europa.

FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

Horário: 8h às 12h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó CIRCO Intervenções circenses itinerantes Espetáculo com malabarismo, perna de pau e palhaços com os artistas Paulo Bailoni e Oscar Rafael. Paulo nasceu em São Paulo e estuda no Co-laboratório de Artes Circenses e Rafael é chileno e integra o coletivo Os Desconhecidos. Horário: 8h às 10h30min Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó OFICINA Oficina de construção de instrumentos musicais A arte e o meio ambiente relacionados de forma criativa: esse é um dos motes da Oficina de Construção de Instrumentos Musicais. Fernando Sardo, ministrante da oficina, é músico e artista plástico e fabrica instrumentos musicais a partir de matérias-primas orgânicas (como bambu, madeira e pedra) e sintéticas (como metal, plástico e papel). Horário: 9h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó TEATRO O Paletó Peça faz parte da mostra de teatro do Grupo Olho Mágico, que integra atores deficientes visuais. O Paletó é uma comédia sobre um desejado paletó e sua inesperada saga em que, tão perto e tão longe do seu verdadeiro dono, provoca um estado de tensão e um turbilhão de emoções que se seguem culminando num desfecho inesperado.

Horário: 16h às 17h Onde: Instituto dos Cegos. Avenida Bezerra de Menezes, 892. São Gerardo

DESTAQUE

A peleja de João Sujeita e Maria Limpa Tudo O Grupo Arte de Viver leva ao Parque do Cocó a peça que trata da peleja entre um sujão inveterado, que sente prazer em ver tudo podre e sujo, e uma senhorita que adora limpeza. Durante a peça, os dois, João e Maria, brigam tentando convencer um ao outro de que seus argumentos são corretos. Horário: 17h às 18h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó

DESTAQUE

MÚSICA Pifarada Urbana Idealizado pelos arte-educadores e músicos Guilherme Cunha e Vanildo Franco, a pifarada urbana faz apresentação musical realizada com instrumentos de percussão que compõem a cena da cultura popular, porém tendo no pífano seu instrumento principal. No repertórios, composições autorais além das referências cabaçais, coco, congo, samba e outros gêneros da cultura popular nordestina. Horário: 10h30min às 11h Onde: Parque Parreão. Avenida Eduardo Girão. Fátima No Ceará é assim Show com a banda Maria Escandalosa, sob a liderança da cantora e atriz Waneza Menezes, traz um repertório nordestino com destaque a temáticas de preservação que será intercalado com poemas. Horário: 17h às 18h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó

15


16 FORTALEZA, 20 DE NOVEMBRO DE 2019

DESTAQUE

LARISSA LUZ Show com a baiana Larissa Luz, que mescla ancestralidade e música eletrônica. No seu novo disco, Macumba Pop, Trovão, Larissa constrói um ritual que propõe conexão do sublime com o terreno, atualizando mitos yorubás e conduzindo um encontro entre som e movimento na pista. Músicas inéditas que soam como pontos cantados para rezar dançando. Horário: 19h às 20h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó

AGENDA

DIA 24

TEATRO De conto em conto O espetáculo De Conto em Conto - Musical Circense Infantil, une elementos das artes cênicas, música, poesia e performance. Circo, teatro, música e dança, trazem ao público um espetáculo fantástico do mundo circense, no qual um baú mágico é a fonte da inspiração da trupe circense que viaja o mundo contando histórias. Horário: 15h às 16h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó Gaia Estrelado por Adna Oliveira, o espetáculo Gaia, tem por temática principal, a igualdade de gênero, despertando a reflexão sobre a importância do respeito independente do de gênero, raça, religião e orientação sexual. Horário: 17h às 18h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó

DESTAQUE

DONA ONETE Show revela a diversidade do estilo da paraense Dona Onete que reúne estilo como carimbo, banguê, bolero. É uma explosão de ritmos que a cantora, aos 80 anos, mistura e entrega à banda que a acompanha Brasil afora. A produção musical é de Pio Lobato (guitarra e banjo), JP Cavalcante (percussão), Vovô Batera e Geraldinho Magalhães, que também assina a direção artística. A produção executiva ficou a cargo de Marcel Arede e Viviane Chaves. Marcos Sarrazin, sopros e teclado, e Breno Oliveira, contrabaixo, completam o time de notáveis que materializam as viagens musicais de Onete. Horário: 19h às 10h Onde: Parque Estadual do Cocó. Avenida Padre Antônio Tomás. Cocó

O POVO EDUCAÇÃO