Issuu on Google+

Cícero reforça FC Famalicão O FC Famalicão conta com mais um jogador nas suas fileiras. Cícero José Lourenço Filho, ex-Fafe, actua como ponta de lança e reforça o Famalicão depois da saída de Diogo Leite por motivos pessoais. Cícero representou o Democrata do Brasil, tendo chegado a Portugal no ano 2000 e representado Seixal, União da Madeira, Varzim, Leixões, Fátima, Gondomar e Fafe. Com uma vasta experiência, Cícero jogou por sete temporadas na extinta Liga de Honra (agora Liga Orangina). Na época passada o ponta de lança brasileiro realizou 22 jogos, tendo somado nove golos no campeonato da 3ª divisão nacional. O acordo do Famalicão com o jogador vigora até final da época, tendo já sido opção para o último desafio para o campeonato, jogo que o Famalicão venceu por 1-0 no terreno do Vila Meã.

Aproveitando as comemorações do seu 40º aniversário

A Associação Desportiva Ninense inaugurou no passado sábado, de forma oficial, o relvado sintético do seu parque desportivo. O novo piso custou 400 mil euros, tendo a autarquia comparticipado com 200 mil euros e a Junta de Nine com 20 mil. Na cerimónia de inauguração estiveram presentes os responsáveis do clube, assim como os representantes do poder local e muitos sócios e simpatizantes da colectividade de Nine. Esta trata-se de mais uma obra no âmbito do Programa Municipal Famalicão - Desporto para Todos, sendo que ao abrigo deste programa estão a ser remodelados diversos espaços desportivos nas freguesias do concelho de Famalicão, nomeadamente na instalação de relvados sintéticos. No dia em que levaram a cabo algumas iniciativas que marcaram a passagem do seu 40º aniversário, a AD Ninense aproveitou para proceder à inauguração desta melhoria. Depois de cerimónia teve lugar um encontro amigável entre as velhas guardas do Ninense e do FC Porto. Para o presidente do clube fa-

malicense, a colocação do novo piso fez com que o número de atletas interessados em praticar futebol na colectividade tenha “aumentado claramente”. “O número de 50 jovens que no ano passado estavam no clube já subiu para 220. Por isso, só temos de agradecer o empenho da autarquia e da Junta na concretização deste sonho, conscientes também de todo o trabalho desenvolvido pelas pessoas do clube”, referiu António Sá, presidente do Ninense. Ao todo serão nove o total de relvados sintéticos colocados pela Câmara, sendo que até ao momento faltam apenas inaugurar as melhorias no campos de Arnoso Santa Maria e S. Cosme. Disso mesmo deu conta o edil famalicense, Armindo Costa, que destacou ainda o facto de “não esquecer as prioridades, mesmo em tempos de crise e tendo em conta o investimento significativo”. “Temos de administrar bem os dinheiros disponíveis para que o investimento possa continuar a ser feito e naquilo que consideramos ser essencial, como formar os jovens e ajudar os idosos e as pessoas mais necessitadas”, acrescentou o presidente da au-

Armindo Costa esteve presente na inauguração do sintético da AD Ninense

tarquia. Também o presidente da Junta de Freguesia de Nine considerou esta obra como importante, classificando o momento de “histórico”. Sem esquecer a importância do desporto, Domingos Ribeiro deixou ainda um pedido aos responsáveis autárquicos, concretamente a construção de um pavilhão gim-

nodesportivo. “Não queremos ficar por aqui e pretendemos ainda contar com um pavilhão na nossa freguesia”, pediu. Presente ainda na inauguração e no aniversário do Ninense esteve Carlos Coutada, presidente da Associação de Futebol de Braga, que deixou elogios à estratégia da autarquia de Famalicão, ao apostar em melhores

condições para a prática desportiva. O presidente da AF Braga deixou ainda um desafio ao clube famalicense para que consiga “atingir outros patamares na competição desportiva”, sem esquecer “o desenvolvimento do futebol de uma forma sadia e empenhada”. *com Sofi fia a Abreu Silva veja a reportagem www.famatv.pt

Famaboys comemoraram 20º aniversário Pedro Sá

Bruno Marques*

António Freitas

AD Ninense inaugurou relvado sintético

Realizou-se no passado sábado o jantar do 20º aniversário dos Famaboys, grupo de apoio ao FC Famalicão. O jantar contou com cerca de cinco dezenas de famalicenses, marcando presença elementos da direcção do clube, representantes do plantel da equipa principal, assim como do treinador José Augusto e do director

desportivo Nuno Cavaleiro, além dos habituais elementos do grupo e da não menos importante presença de vários fundadores dos Famaboys. Referência ainda para o convívio vivido, mostrando que os Famaboys são um nome importante e respeitado no universo do Futebol Clube Famalicão. pub.


Oliveirense confirma bom momento e alcança mais três pontos

Sofrimento rumo ao triunfo

Ribeirão infeliz na Madeira Campo Adelino Rodrigues (Madeira) Árbitro : Tiago Martins (Lisboa) Auxiliares: Nuno Duque e Rui Correia

U. Madeira GD Ribeirão Adriano Tiago Fábio Evrões Emerson Alex Toni Steve Vítor Hugo (63’ Gleibson) Hernâni (63’ R. Andrade) Hugo Santos Matão (87’ Bertinho)

Leonardo Tiago Moreira João Faria Paulo Rola Augusto André Serrão Júlio Alves Cardoso (10’ Gilian) Ricardo Martins (25’ Wilson) Feliz Gilmar (50’ Forbes)

Treinadores Daniel Ramos

José Lemo s

Golos: 36’ Emerson (1-0); 69’ Paulo Rola (2-0, autogolo); 73’ Tiago Moreira (3-0, autogolo); 78’ Forbes (3-1). C artõ es Amarelos: 47’ Tiago Moreira; 82’ Tiago; 92’ Alex. C artõ es Vermelho s: Não houve.

Em mais uma deslocação à ilha da Madeira, para defrontar o segundo classificado da tabela, o União, a equipa do Passal acabou por ter uma tarde infeliz que acabou com a primeira derrota sofrida no campeonato. A derrota por 3-1 acaba por ser demasiado pesada face à produção dos dois conjuntos, tendo ainda em conta que o relvado sintético não estava nas melhores condições. O azar dos ribeirenses na partida facilmente se explica, tendo em conta os dois autogolos e as três substituições forçadas por lesões em jogadores da formação do Passal. Apesar do resultado não transmitir fielmente aquilo que se passou durante os 90 minutos, certo também é que o triunfo dos madeirenses acaba por se jus-

tificar. O primeiro golo dos locais surgiu ao minuto 36 na sequência de um canto, com o defesa central Emerson a descer no terreno para, sem marcação, cabecear para o 1-0. A primeira parte teve poucas ocasiões de golo e o encontro foi bastante dividido, ficando ainda marcada pelas alterações de José Lemos devido às lesões de Cardoso e Ricardo Martins. Na etapa complementar, o União entrou melhor e criou as primeiras ocasiões para ampliar o marcador. Logo aos 51 minutos, Hugo Santo apareceu sozinho na cara do guarda-redes Leonardo que com uma boa defesa evitou o 2-0. O Ribeirão atravessou então o seu pior momento, sentindo muitas dificuldades para chegar perto da baliza defendida por Adriano. Num espaço de quatro minutos os ribeirenses acabariam por deitar tudo a perder com dois autogolos. Primeiro foi Paulo Rola e pouco depois Tiago Moreira, ditando praticamente o fim das aspirações dos visitantes em pontuarem em território insular. O Ribeirão ainda conseguiu responder à desvantagem, reduzindo por intermédio de Forbes e ficando também muito perto do segundo golo. Com este resultado, os ribeirenses deixam de ser o único conjunto invencível na zona Norte da 2ª divisão nacional, estatuto que prolongou apenas por mais uma jornada em relação ao líder Tirsense que perdeu o seu primeiro jogo na ronda passada. Certo é que os comandados de José Lemos continuam a ser uma das equipas a ter em conta nesta divisão.

Resultados das camadas jovens Na ronda do passado fim-de-semana as equipas da formação da Associação Desportiva Oliveirense registaram os seguintes resultados: Taipas 2-0 Oliveirense (juniore); Oliveirense 0-2 Brito (juvenis); Oliveirense 8-0 Lousado (iniciados); Oliveirense 5-2 Ruivanense (infantis, série F); Oliveirense 5-5 Ruivanense (infantis, série H); Vizela 2-5 Oliveirense (benjamins); Oliveirense 5-1 EF Pelhe (pré-escolas). Próxima jornada: Oliveirense-Ribeirão (juniores, 15 horas, Campo Ribes); Ribeirão-Oliveirense (juvenis, 15 horas, Ribeirão); Ruivanense-Oliveirense (iniciados, 10 horas, Ruivães); Vizela-Oliveirense (infantis, série F, 9h00, Vizela); FairPlay-Oliveirense (infantis, série H, 9h30, Salgueiral). Quanto às camadas jovens do FC Famalicão, os resultados do passado fim-de-semana foram: P. Ferreira 1-0 Famalicão (juniores); Famalicão 0-0 Ribeirão (juvenis A); Famalicão 14-1 Vitória FC (juvenis B); Famalicão 0-3 Braga (iniciados A); Famalicão 4-3 Amigos Urgeses (infantis A). No próximo fim-de-semana realizam-se os jogos: Famalicão-Penafiel (juniores, sábado, 15 horas, campo nº 2); Vilaverdense-Famalicão (juvenis A, sábado, 17 horas, Vila Verde); Bairro-Famalicão (juvenis B, sábado, 15 horas, Bairro); Famalicão-Merelinense (iniciados A, domingo, 11 horas, campo nº 2); Lousado-Famalicão (iniciados B, sábado, 15 horas, Lousado); Braga-Famalicão (infantis A, sábado, 11h30, Braga); Taipas-Famalicão (infantis B, sábado, 11 horas, Taipas); Famalicão-Ruivanense (escolas A, sábado, 10 horas, Meães); Famalicão-Ribeirão (escolas B, sábado, 11h15, Meães); Famalicão-Joane (pré-escolas, sub8, sábado, 10 horas, estádio); Famalicão-Joane (pré-escolas, sub6, sábado, 11 horas, estádio).

0-1 Estádio João Soares Vieira (Merelim S. Paio) Ár bitro : Albano Correia (Braga) Auxiliares: Pedro Costa e José Caldeira

Merelinense AD Oliveirense Paulinho Petit Miguel Boris (61’ João Paulo) Rocha Ericsson Bek Nani (64’ Zé Manuel) Rui Miguel (9’ Tanela) Mokas Paulinho Lopes Ricardo Martins

Pedro Freitas Nuno Guimarães João Duarte Flávio Meira Nuno Sousa Festas Leal (91’ Ismael) Cadete (85’ Laureta) João Cruz Nuno Silva (75’ Capela)

Treinadores António Remelgado

Golos: 43’ Cadete (0-1). Cartões Amarelos: 26’ João Duarte; 28’ e 83’ Flávio; 54’ Paulinho; 63’ Meira; 67’ e 71’ Tanela; 71’ Nuno Sousa; 91’ Laureta. Cartões Ver me lhos: 71’ Tanela; 83’ Flávio.

Aristides Ferreira A Oliveirense arrecadou a segunda vitória fora de portas ao derrotar o Merelinense por 1-0. Com esta vitória, os comandados de António Remelgado chegaram-se mais aos lugares cimeiros da tabela classificativa, tendo marcado o único golo do encontro ao cair do pano da primeira metade. Os forasteiros souberam sofrer no segundo período, sendo premiados com uma importante vitória fora de portas. O jogo começou com nota de equilíbrio e um futebol muito directo. Foi o Merelinense a primeira equipa a criar perigo logo aos três minutos, mas o jogo dividia-se nos dois meios terrenos e sem grande perigo para as duas balizas. O

primeiro grande lance de verdadeiro perigo aconteceu aos 20 minutos, com Nuno Silva a cruzar rasteiro para o coração da área só que na cara de Paulinho ninguém conseguiu acertar na bola. E como o jogo era dividido, a situação de perigo seguinte só aconteceu aos 33 minutos, com Bek a soltar na direita, a cruzar e a bola a embater na barra de baliza da Oliveirense. Com o jogo a caminhar para o intervalo foi a Oliveirense a adiantar-se no marcador aos 43 minutos numa investida de contra-ataque. Nuno Silva recebeu na esquerda, viu Cadete solto na área, endossou-lhe o esférico e este com um remate cruzado inaugurou o marcador. No segundo período esperava-se a reacção dos donos da casa, mas curiosamente foi a Oliveirense a entrar melhor e aos 48 minutos João aparece solto na direita do seu ataque e desperdiça a possibilidade de colocar xeque-mate no jogo. O Merelinense tentou reagir e depois de um cruzamento para a área da Oliveirense, Paulinho Lopes recebeu, sem marcação, mas rematou para a atmosfera. A Oliveirense procurava o

II DI VI SÃO

Sé rie A

CLASSIFICAÇÃO

1. Tirsense 2. União 3. Fafe 4. Chaves 5. Oliveirense 6. Merelinense 7. Ribeirão 8. Camacha 9. Andorinha 10. Vizela 11. Marítimo B 12. M. Cavaleiros 13. Bragança 14. Lousada 15. Caniçal 16. Pontassolense

R E S U LTA D O S

Tirsense, 3; Andorinha, 0 Merelim, 0; Oliveirense, 1 Fafe, 3; Bragança, 2 União, 3; Ribeirão, 1

Camacha, 2; Pontassolense, 0 Marítimo B, 2; Chaves, 3 M. Cavaleiros, 2; Lousada, 2 Caniçal, 2; Vizela, 1

PRÓXIMA JORNADA Tirsense - Merelinense Oliveirense - Fafe Bragança - União Ribeirão - Camacha

segundo golo e aos 53 e 60 minutos esteve muito perto de o conseguir. Valeu a intervenção do guarda-redes do Merelinense a evitar o pior. A partir daqui foram os da casa a tomar conta do jogo e a Oliveirense teve de arregaçar as mangas para manter-se em vantagem. Neste período valeu muita a entreajuda entre os jogadores da Oliveirense e também muita segurança de Pedro Freitas. Aos 65 minutos, com uma grande intervenção, evitou o empate e aos 68 minutos, num remate cruzado de Rocha, voltou a brilhar, evitando o empate. Aos 71 minutos Tanela foi expulso e nem mesmo assim a Oliveirense conseguia chegar com perigo à área adversária. Também aos 82 minutos Flávio viu o segundo amarelo, mas o resultado não iria sofrer alteração. A vitória aceita-se e premeia a equipa que soube ser eficaz na primeira metade e quando foi preciso defender demonstrou muita tranquilidade. O árbitro fez um bom trabalho e não se deixou impressionar pelo ambiente, num jogo que não foi fácil de dirigir.

Pontassolense - Marítimo B Chaves - M. Cavaleiros Lousada - Caniçal Andorinha - Vizela

J

V

E

D

F

C

P

8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8

6 5 5 5 4 3 2 3 3 2 2 2 2 2 2 0

1 2 1 1 1 2 5 2 2 4 3 3 1 1 1 2

1 1 2 2 3 3 1 3 3 2 3 3 5 5 5 6

13 11 14 13 10 11 11 10 9 8 9 7 10 8 6 6

6 5 9 8 9 9 9 12 15 7 8 8 12 12 11 16

19 17 16 16 13 11 11 11 11 10 9 9 7 7 7 2

Iniciados famalicenses sofrem desaire frente ao Braga Os iniciados do FC Famalicão receberam o Sporting de Braga, líder do campeonato nacional de iniciados, e perderam por 3-0. Os primeiros dez minutos de jogo foram fatais já que a equipa do Braga marcou os três golos da partida. O resultado previase ficar mais avolumado, mas os jovens famalicenses tentaram pegar no jogo e conseguiram criar algumas situações de golo, sendo apenas travadas

pela barra e pelas boas intervenções do guarda-redes bracarense. Na segunda parte, o encontro ficou mais equilibrado, mas o resultado mantevese até final. O líder do campeonato não facilitou e somou mais três pontos, desta feita na deslocação a Famalicão. Alinharam pelo FC Famalicão: Miguel, Dani, Daniel, Tigas, Silva, Viana, Mota, Zé Pedro, Simão (Mário), Rafa (Rui Araújo) e Jota. INICIADOS RE SULTA DOS

3-1

Famalicenses não conseguiram contrariar o líder

I Divisão

Mirandela, 0; Varzim, 4 Vizela, 3; Bragança, 0 Famalicão, 0; Braga, 3

CLASSIFICAÇÃO

Carlos Alberto

No primeiro desaire em jogos oficiais esta temporada

futebol

1. Braga 2. Varzim 3. V. Guimarães 4. Merelinense 5. Gil Vicente 6. Vizela 7. Barroselas 8. Mirandela 9. Marinhas 10. Famalicão 11. Limianos 12. Bragança PRÓXIMA

sport: 17 de Novembro de 2010

34

J

Merelinen, 2; Barroselas, 1 Limianos, 0; Guimarães, 1 Marinhas, 1; Gil Vicente, 0 V

12 12 12 11 12 9 12 6 12 5 12 6 12 5 12 4 12 3 12 2 12 2 12 1

Gil Vicente - Mirandela Varzim - Vizela Bragança - Braga

D

F

C

P

0 0 0 1 1 2 1 5 3 4 0 6 1 6 0 8 2 7 3 7 1 9 0 11

E

60 45 38 23 15 15 14 10 16 13 11 8

5 11 9 21 17 17 23 32 22 21 32 58

36 33 28 19 18 18 16 12 11 9 7 3

Famalicão - Merelinense Barroselas - Limianos V. Guimarães - Marinhas


sport: 17 de Novembro de 2010 35

futebol

Joane continua no caminho dos pontos

Famalicão soma e segue

Empate acabou por ser bom resultado Mondinense GD Joane David Miguel Diogo Nelsinho (84’ Pedro) Patacas Zé Henrique João Miguel Edson (87’ Hippy) Huguinho Jaime Jonas

Sérgio Capucho Zé Pedro André Campos Pedro Pinto Sócrates Hugo Matos Gil Carlos Manuel Álvaro (86’ João Ribeiro) Vítor Hugo (71’ M. Lemos)

Treinadores Vitor Pereira

Jorge Baptista

Golos: 37’ Vítor Hugo (0-1); 66’ Jaime (1-1). C artõ es Amarelos: 34’ Patacas; 44’ João Miguel; 45’ Gil; 80’ Zé Pedro; 89’ Diego. C artõ es Vermelho s: Não houve.

José Carlos Fernandes Apesar de ter alcançado vantagem no marcador, a equipa joanense não conseguiu segurar os três pontos. Muito se deve à excelente segunda parte da formação da casa. As equipas vinham de resultados diferentes, o Mondinense de uma derrota em Famalicão e o Joane de uma vitória frente ao Sousense. Ninguém queria falhar, os da casa para fugir aos últimos lugares e o Joane queria manter a senda de resultados positivos. Nos primeiros 45 minutos, o equilíbrio foi a tónica dominante. A equipa de Jorge Batista foi a primeira a dar sinais de perigo, mas o remate de Sócrates saiu ligeiramente ao lado da baliza de David. O Mondinense respondeu aos 25 minutos e Edson, em boa posição, não conseguiu bater Sér-

III DI VI SÃO

Sé rie B

R E S U LTA D O S

Paredes, 2; Oliveira Douro, 1

Mondinense, 1; Joane, 1

Candal, 1; Leça, 1

Vila Meã, 0; Famalicão, 1

Sousense, 1; Amarante, 0

Rebordosa, 2; Serzedelo, 1

PRÓXIMA JORNADA Paredes - Candal

Joane - Vila Meã

Leça - Sousense

Famalicão - Rebordosa

Amarante - Mondinense

Oliveira Douro - Serzedelo

Vila Meã FC Famalicão

gio. Num jogo dividido, a equipa da casa foi surpreendida com o golo de Vítor Hugo que aproveitou uma hesitação da defesa local, golo que acabou por ditar o resultado na primeira parte. A partir daqui, o jogo cresceu de emoção. Ainda antes do intervalo, o Mondinense desperdiçou algumas oportunidades para empatar e Sérgio negou duas vezes, outras foi a inoperância dos avançados locais. O lance de Jonas, mesmo em cima do intervalo, deixou os adeptos à beira de um ataque de nervos. Ao intervalo a vantagem era lisonjeira para os forasteiros. No segundo tempo, o Joane baixou as suas linhas e deu iniciativa aos anfitriões que assim conseguiram mais espaços para chegaram à baliza de Sérgio. Logo aos três minutos, o guarda-redes negou o empate e aos onze minutos Edson falhou escandalosamente o golo. O Joane pôs-se a jeito, demonstrou pouca ambição e disso mesmo tiraram dividendos os da casa. A equipa de Jorge Batista nem conseguia sequer chegar perto da baliza contrária. O golo apontado aos 21 minutos deste segundo tempo, por intermédio de Jaime, foi mais do que justificado. A partir daqui, o Joane jogou de forma diferente, optou por uma postura mais ofensiva e voltou de novo a equilibrar. Neste período de jogo surgiram também alterações nas equipas, mas que em nada serviram para alterar o resultado. Na recta final do encontro, com o Joane agora mais preocupado em atacar, Pedro Pinto, de livre, obrigou David a boa defesa. O empate acabou por agradar mais ao Joane, o Mondinense foi pouco eficaz no último remate. Arbitragem regular. CLASSIFICAÇÃO

1. Candal

J

V

E

D

F

C

P

8

4

4

0

17

10

16 14

2. Rebordosa

8

4

2

2

21

13

3. Famalicão

8

4

2

2

8

8

14

4. Paredes

8

4

1

3

10

11

13

5. Joane

8

3

3

2

15

9

12

6. Leça

8

3

3

2

12

7

12 11

7. Amarante

8

3

2

3

8

6

8. Sousense

8

3

2

3

8

8

11

9. Vila Meã

8

3

2

3

10

13

11

10. Serzedelo

8

2

3

3

10

12

9

11. Mondinense

8

2

2

4

10

14

8

12. Oliveira Douro

8

0

0

8

6

24

0

Torcato Chico Miguel Rui Ribeiro Pinheiro Lemos Calvino Joca China (55’ Wigor) Mário Filipe Cândido (83’ Greg)

Rui Forte Samuel Palheiras China Talocha Fina Arturinho João Dias Diop (80’ Nelson) Cícero (85’ Tozé) André Claro (90’ Jorge Miguel)

Treinadores Carlos Monteiro

José Augusto

Golos: 61’ André Claro (0-1). Car tõ es Amarelos: 15’ Rui Miguel; 19’ Diop; 56’ e 75’ Joca; 67’ China; 80’ João Dias; 93’ Rui Forte. Car tõ es Vermelhos: 75’ Joca.

José Clemente Numa primeira parte onde o futebol praticado foi de fraca qualidade, a única oportunidade de golo mesmo assim ainda pertenceu ao FC Famalicão e por sinal pelo último reforço da formação famalicense, Cícero, estavam decorridos 30 minutos de jogo. Nos primeiros 45 minutos, o Vila Meã nunca chegou com qualquer perigo junto da baliza de Rui Forte. Para se ter uma ideia do futebol praticado durante a primeira parte, nenhum das equipas conseguiu ganhar qualquer canto e por aqui se pode tirar as conclusões de como se jogou a etapa inicial. A segunda parte foi muito me-

Carlos Alberto

Árbitro: Hélder Lamas (Porto) Auxiliare s: Fábio Melo e Diogo Sousa

Árbit ro : Carlos Oliveira (Aveiro) Auxiliares: Edmundo Rocha e Miguel Santos

André Claro (à esquerda) marcou um grande golo na tarde de Vila Meã

lhor, com o Famalicão a entrar muito mais atrevido, começando a criar algumas situações de golo e pressionando o último reduto dos locais. Foi ganhando alguns cantos consecutivos e o guarda-redes do Vila Meã cotava-se nesta altura do encontro como o melhor jogador em campo. Numa jogada rápida de contraataque, André Claro apareceu descaído do lado esquerdo, puxou a bola para a zona central da entrada da grande área e depois de tirar dois adversários do caminho e com um remate de inteligência conseguiu marcar o único golo da partida, dando os três pontos para a sua equipa. A partir daqui o Vila Meã foi para a frente e o Famalicão em contra-ataques rápidos e perigosos levava sempre bastante perigo para a baliza de Torcato. Aos 85 minutos foi a vez de Arturinho obrigar um defensor da equipa da casa a substituir o seu guarda-redes, mesmo

em cima da linha de golo, mas ainda antes foi Talocha quem teve nos pés a possibilidade de matar o jogo. Aos 75 minutos, o Vila Meã ficou reduzido a dez homens por expulsão de Joca por acumulação de amarelos, mas mesmo assim os últimos minutos ainda foram de grande aflição para a equipa famalicense. Só que mesmo com o sufoco da equipa da casa, o Famalicão tinha nesta altura o jogo praticamente controlado. Esta foi uma vitória muito importante para os comandados de José Augusto, sendo a terceira consecutiva, o que dá muita mais moral a toda a equipa. Mesmo com as ausências por lesão de seis jogadores, casos de Zézé, Rui Filipe, Ruizinho, Pedro Carvalho, César Marques e Luís Miguel, o novo treinador do Famalicão tem sabido dar a volta por cima destas contrariedades. Quanto ao árbitro esteve bem.

Juniores do Famalicão derrotados em casa do líder Os juniores do FC Famalicão saíram derrotados frente ao líder do nacional da 2ª divisão, o Paços de Ferreira, por 1-0. Mas não se pode falar deste jogo sem se falar da arbitragem. Com dois golos mal anulados e dois lances passíveis de grande penalidade que não foram marcados pela árbitra da partida deixaram a desejar, num desafio em que o Famalicão também se pode queixar de uma primeira metade menos conseguida. Assim sendo, a primeira metade pertenceu ao Paços. O líder do campeonato teve mais bola e marcou um golo, mas o Famalicão não se atemorizou e respondia sempre em contra-ataques rápidos, criando mais perigo para a baliza dos locais. Contudo, foi o P. Ferreira que chegou ao golo numa falha defensiva em que o avançado da equipa da casa no meio de três jogadores famalicenses conseguiu marcar de cabeça. A segunda parte pertenceu toda aos juniores famalicenses, mas a ineficácia nas inúmeras oportunidades criadas ditou o resultado final. Com sabor amargo e depois de dois golos anulados, o FC Famalicão perdeu por 1-0. Este é o terceiro jogo consecutivo sem ganhar, embora a equipa apresente um futebol mais consistente. Alinharam pelo Famalicão: Maia, Bruno, Amaral, Carlos, Fred, Adriano (Alex), Pedro (Nuno André), Luís (Pinheiro), Cláudio, Álvaro e João Miguel.

JUNIORES RE SULTA DOS

Estádio Municipal de Mondim de Basto

0-1 Estádio Municipal de Vila Meã

Fafe, 8; Abambres, 0 Limianos, 1; Palmeiras, 2 Trofense, 1; Gil Vicente, 2

CLASSIFICAÇÃO

1. Paços Ferreira 2. Gil Vicente 3. Fafe 4. Aves 5. Trofense 6. Penafiel 7. Palmeiras 8. Paredes 9. Famalicão 10. Barroselas 11. Abambres 12. Limianos PRÓXIMA

1-1

Famalicenses conquistaram terceiro triunfo consecutivo

II Divisão

P. Ferreira, 1; Famalicão, 0 Penafiel, 0; Barroselas, 1 Paredes, 0; Aves, 1

J

V

E

D

F

C

P

10 10 10 9 10 10 10 10 10 10 9 10

8 7 7 5 4 4 4 4 3 2 2 2

0 2 1 0 2 1 1 0 2 4 1 0

2 1 2 4 4 5 5 6 5 4 6 8

24 18 21 12 21 16 11 10 14 8 8 6

8 6 11 10 16 13 14 16 15 15 26 19

24 23 22 15 14 13 13 12 11 10 7 6

Abambres - Limianos Palmeiras - Trofense Gil Vicente - P. Ferreira

Famalicão - Penafiel Barroselas - Paredes Aves - Fafe pub.


futebol

Foi um fim-de-semana em clima de festa aquele que se viveu em Nine, com a inauguração do relvado sintético e as celebrações do 40º aniversário da Associação Desportiva Ninense. No plano desportivo, os seniores do Ninense jogaram no terreno do Torcatense, de onde trouxeram um importante ponto na luta pela manutenção, após o empate a duas bolas. Frente a frente jogavam duas das equipas mais disciplinadas no campeonato e ambas necessitadas de pontos. O Ninense começou melhor, com um golo de Gera, e controlou grande parte da partida, mas os dez minutos finais da partida foram de autêntico frenesim, com os das casa a darem a volta ao marcador. No entanto, já perto do final, Né marcaria o golo do empate, num jogo onde o empate acabou por servir melhor os comandados de Sérgio Lino já que jogavam fora e logo na casa de um concorrente directo. A próxima partida é determinante para o conjunto famalicense que recebe o líder destacado Marinhas. Alb e r to Ba rb o sa

Porto d’Ave 3-3 Louro O Louro deslocou-se no passado domingo à Póvoa de Lanhoso para defrontar o Porto d’Ave, tendo dividido os pontos. A equipa da casa abriu o marcador logo aos 12 minutos por intermédio de Zé Berto, num remate bem colocado que bateu Mesquita pela primeira vez. O Louro dominava o meio campo, jogava no ataque, mas não conseguia criar verdadeiro perigo. Aos 25 minutos, David fez tudo bem só que já dentro da área rematou para defesa de Abreu. Na passagem do minuto 30, num livre frontal, Pimenta chuta colocado e faz o 2-0. Depois ficou por marcar um penálti a favor do Louro por mão na bola dentro da área ao minuto 35. R E S U L TA D O S

AFB DIVISÃO HONRA Torcatense, 2; Ninense, 2 Vilaverdense, 4; Pevidém, 1 Forjães, 2; Polvoreira, 1 Arões, 2; Martim, 0

CLASSIFICAÇÃO

J

V

PRÓXIMA

1. Marinhas 9 7 2. Vilaverdense 9 5 3. Prado 9 5 4. Arões 9 4 5. Martim 9 5 6. Terras Bouro 9 3 7. Ronfe 9 3 8. Polvoreira 9 3 9. Celoricense 9 3 10. Porto d'Ave 9 3 11. Forjães 9 2 12. Santa Eulália 9 2 13. Ninense 9 2 14. Torcatense 9 1 15. Louro 9 2 16. Pevidém 9 2 Ninense - Marinhas Pevidém - Torcatense Polvoreira - Vilaverdense Martim - Forjães

Série 1

Ronfe, 1; Terras Bouro, 1 Porto d'Ave, 3; Louro, 3 Prado, 3; Santa Eulália, 2 Marinhas, 3; Celoricense, 1 E

D

F

C

P

1 1 17 8 22 3 1 15 7 18 2 2 13 10 17 3 2 14 9 15 0 4 11 10 15 4 2 11 6 13 3 3 12 12 12 2 4 8 9 11 2 4 12 14 11 2 4 10 13 11 3 4 7 9 9 3 4 8 11 9 3 4 8 12 9 5 3 9 11 8 2 5 13 17 8 2 5 10 20 8 Terras Bouro - Arões Louro - Ronfe Santa Eulália - Porto d'Ave Celoricense - Prado

Aos 41 minutos, novo livre, no mesmo local e com o mesmo marcador, Pimenta rematou para o 3-0. Apesar de ser o Louro a comandar o jogo, era o Porto d’Ave que marcava. Emanuel Simões resolveu mexer e fez entrar ainda antes do intervalo Moura e Morgado e tira Gijo e Nuno. Na segunda parte, o Louro queria dar a volta ao resultado e logo aos cinco minutos da segunda parte Quim fez o primeiro golo para a equipa que viajou de Famalicão. Num contra-ataque, aos 54 minutos, Quim é expulso depois de um lance confuso na área do Louro. Continuava o caudal ofensivo do Louro até que Xina é derrubado na área e é assinalado penálti e consequente expulsão para o defesa local. Miguel Ângelo reduziu para 3-2. Ao minuto 90, Morgado ganhou vários ressaltos e na insistência fez o 3-3 para delírio dos adeptos famalicenses que se deslocaram à Póvoa de Lanhoso. Ainda antes do cair do pano, Nuno Silva, isolado, permite a defesa de Abreu e na recarga o mesmo Nuno vê a bola ser cortada sobre a linha de golo. O Louro alinhou com: Mesquita, David, Quim, Marco, Postiga, Vilela, Gijo, Nuno, Miguel Ângelo, Edu e Xina. Jogou ainda: Morgado, Moura e Nuno Silva. No próximo domingo, o Louro recebe o Ronfe, às 15 horas. T i a go G o m e s

Entrou melhor o Lagense a dominar e a empurrar os forasteiros para o seu reduto com trocas rápidas de bola, tendo a primeira oportunidade aos cinco minutos após boa jogada de Garganta na esquerda e centro atrasado para César proporcionar uma boa defesa ao guarda-redes do Fermilense. Não demorou a surgir o golo. Num cruzamento de Diogo Carriço para Morais, no centro da área, a cabecear para o 1-0, aos dez minutos. A equipa adversária parecia atordoada com a rapidez dos locais e não tardou a sofrer o 2-0 na conversão de uma grande penalidade apontada por Maia e a castigar mão de um defesa contrário. Foram muitas as oportunidades desperdiçadas pelo Lagense, ou por desacerto no remate ou por defesas do guarda-redes forasteiro. Os locais marcaram mesmo o terceiro golo, aos 40 minutos, mas foi invalidado por pretenso fora de jogo. Aos 43 minutos, numa desatenção colectiva, o Fermilense reduziu para 2-1. Galvanizados pelo golo, os visitantes entraram melhor e lentamente empurravam o La-

gense para a defensiva. Invertiam-se os papéis, com o Fermilense a ficar por cima no jogo. A espaços, os famalicenses lá iam saindo em contraataque, sobretudo por Garganta e Morais. Aos 63 minutos, o Fermilense chegou ao 2-2, num lance em que o guarda-redes Nando, no chão, foi impedido de chegar à bola. Mexeu o Lagense, refrescando o meio campo e assim equilibrando de novo a contenda e passando a criar mais espaços nas laterais. As oportunidades começaram a surgir e num cruzamento da direita de Garganta, Morais desviou, com Sampaio a aproveitar o ressalto e a fazer o 3-2, aos 70 minutos. O Lagense alinhou com: Nando, Diogo Carriço, Maia, Rui Faria, Serginho (66’ Vitinha), Dani, César (85’ Mansilhas), Sampaio (78’ Mané), Garganta e Morais. Já o Fermilense actuou com: Botelho, Cristian, Tejo, Hélder, Joel Braga, Avelino, Lemos, Rui, Paulo, Magalhães e Joel Alves. Na próxima jornada, o Lagense desloca-se ao terreno do Cabeceirense. A m a d eu S o a r e s

R E S U L TA D O S

S. Cosme-Este (adiado) Tabuadelo, 0; Ruivanense, 1 Brito, 2; Cabeceirense, 1 Lagense, 3; Fermilense, 2

CLASSIFICAÇÃO

J

1. Antime 8 2. Ruivanense 8 3. Pica 8 4. Travassos 8 5. S. Cosme 7 6. Silvares 8 7. Brito 7 8. Guilhofrei 8 9. Cabeceirense 8 10. Lagense 8 11. Fermilense 8 12. Arco Baulhe 8 13. Tabuadelo 8 14. Bairro 8 15. Este 7 16. Campelos 7 S. Cosme - Tabuadelo Ruivanense - Brito Cabeceirense - Lagense Fermilense -Antime

Série B

Antime, 3;Arco Baulhe, 1 Travassos, 2; Pica, 2 Bairro, 0; Guilhofrei, 0 Silvares, 3; Campelos, 2

V

E

7 6 5 5 4 2 3 3 3 2 3 2 2 0 0 0

0 1 12 5 21 1 1 12 5 19 2 1 11 3 17 2 1 10 4 17 0 3 12 9 12 5 1 9 9 11 2 2 8 8 11 1 4 7 8 10 1 4 10 13 10 3 3 6 9 9 0 5 9 12 9 2 4 9 10 8 1 5 6 12 7 5 3 5 9 5 3 4 7 12 3 2 5 6 11 2 Arco Baulhe - Travassos Pica - Bairro Guilhofrei - Silvares Este - Campelos

PRÓXIMA

Lagense 3-2 Fermilense

AFB II DIVISÃO R E S U L TA D O S

Torcatense 2-2 Ninense

AFB I DIVISÃO

D

F

C

P

Série A

Ucha, 1; Granja, 2 Antas, 1; Delães, 1 MARCA, 2; Necessidades, 1 Arnoso, 1; Gondifelos, 2 J. Mouquim, 1; Arentim, 1 FOLGA-Sequeirense Operário, 0; Cabreiros, 1

CLASSIFICAÇÃO

J

V

1. Cabreiros 8 5 2. Antas 7 5 3. Delães 8 4 4. Arentim 7 4 5. Sequeirense 7 3 6. Gondifelos 8 3 7. Granja 7 3 8. Operário 7 2 9. MARCA 8 2 10. J. Mouquim 7 2 11. Arnoso 7 1 12. Ucha 8 1 13. Necessidades 7 0 Sequeirense - Ucha Granja - MARCA Necessidades - Juventude Mouquim PRÓXIMA

sport: 17 de Novembro de 2010

36

E

D

F

C

2 1 18 5 2 0 11 3 3 1 16 10 2 1 18 8 2 2 12 8 2 3 17 14 1 3 9 13 3 2 7 7 3 3 9 10 3 2 8 10 1 5 5 13 1 6 11 19 1 6 9 30 Arentim - Operário Cabreiros - Antas Delães - Arnoso FOLGA - Gondifelos

P

17 17 15 14 11 11 10 9 9 9 4 4 1

Benjamins da Juventude Académico golearam A equipa de benjamins da Juventude Académico conseguiu uma goleada no passado domingo, tendo vencido fora de portas a formação do Sandinenses por 8-2. Bom início de jogo por parte da equipa da casa mas alguns momentos de desatenção ditaram que ao intervalo já o marcador registava uns expressivos 6-0 para a formação dos famalicenes, com Tiago Alexandre em destaque. O momento alto do jogo aconteceu já perto do final quando o capitão Gualter Oliveira regressou à equipa, após ausência por motivos de saúde. Já no escalão de infantis, a deslocação a Braga revelou-se algo problemática. Apesar da garra e espírito de equipa revelado por Luís Miguel, cedo se deu conta que a Juventude Académico não tinha argumentos para a Escola Fernando Pires que venceu a partida.

Águias Tabuadelo 0-1 Ruivanense No passado sábado, o Ruivanense Atlético Clube (RAC) deslocou-se a Águias Negras de Tabuadelo para disputar a 8ª jornada da 1ª divisão distrital, série B. Num campo que à partida trazia algumas dificuldades para o Ruivanense, mas que desde o primeiro minuto conseguiu defender bem a sua camisola. Aos 20 minutos, Hélder, de livre, marcou um grande golo, sem hipótese para o guarda-redes da equipa adversária. Aos 40 minutos, cruzamento de Carriço a provocar grande confusão na área da equipa da casa, mas o guarda-redes conseguiu segurar a bola. Já aos 46 minutos, novamente Hélder, de livre, leva a bola ao segundo poste do Tabuadelo e Bezerra, de cabeça, quase finaliza. Logo no início da segunda metade, o Tabuadelo não se deixou intimidar e entrou bem, fazendo logo na abertura um remate muito perigoso para a baliza dos forasteiros. Aos 60 minutos, Bezerra remata e o guarda-redes defende com alguma dificuldade e aos 67 minutos Carriço ficou perto de marcar após assistência de João. O jogo manteve-se equilibrado, mas o resultado não mais sofreu alterações. O Ruivanense alinhou com: Berto, Rui, Tuka, Ma-

cedo, João, Hélder (76’ Anísio), Peixoto (65’ Ricardo Sá), Stephane (83’ Vítor Hugo), Carriço, Márcio e Bezerra.

Cumprida 4ª jornada da Taça Inatel Realizou-se no passado fim-de-semana a 4ª jornada da Taça Manuel Pereira de Oliveira, no Inatel, registandose os seguintes resultados: S. Cláudio 2-1 Meães; Mikaelense 4-1 Marrancos; Aboim Nóbrega 2-4 Sete Fontes. Após esta jornada, a classificação está ordenada da seguinte forma: 1º Aboim Nóbrega, 7 pts; 2º Mikaelense, 7 pts; 3º Sete Fontes, 7 pts; 4º Marrancos, 7 pts; 5º Juventude Académico, 5 pts; 6º Meães, 5 pts; 7º S. Cláudio, 3 pts; 8º Lírio Gerês, 2 pts. No próximo fim-de-semana realiza-se a 5ª jornada da Taça Inatel, com os jogos MeãsMikaelense (sábado, 15 horas, Campo do Meães); Lírio Gerês-S. Cláudio (sábado, 15 horas, Campo da Pereira no Gerês); Sete Fontes-Juvetude Académico (sábado, 17 horas, Campo das Camélias em Braga); MarrancosAboim Nóbrega (domingo, 10 horas, Campo de Jogos da Senhora da Guia em Marrancos).


modalidades

sport: 17 de Novembro de 2010 37 pub

Modalidade de boccia em destaque no concelho

Luís Silva criou associação O atleta famalicense Luís Silva, praticante de boccia, inaugurou, recentemente, a Associação de Boccia Luís Silva, concretizando um sonho antigo. Este praticante já venceu quase tudo o que é possível vencer, ao nível nacional e internacional, tendo como ponto máximo a conquista do último Europeu de Boccia no passado ano de 2009, mas a sua realização pessoa apenas ficou mais próxima depois da concretização desta associação. “Esta associação, sem fins lucrativos, pretende ser um projecto inovador no concelho e tem como objectivo principal o fomento da prática desportiva junto dos cidadãos famalicenses portadores de deficiência motora, oferecendo aos mesmos as condições necessárias para que estes atinjam futuras glórias desportivas e assim representem a nossa cidade, região e país ao mais alto nível”, referia o comunicado enviado ao Opinião Sport (OS). No passado mês de Março, o OS esteve com Luís Silva em Viatodos, durante um torneio da modalidade, e na altura o atleta expressou o seu descontentamento por não ser apoiado pela autarquia, que não o reconhecia como atleta, e também o seu desejo em formar um clube famalicense da modalidade, devido à existência de vários promissores jogadores no concelho. Volvidos oito meses, o atleta já conta com o apoio do município para as suas competições e inaugurou a primeira associação de boccia famalicense. As inscrições para esta associação estão abertas e os treinos decorrem às terças-feiras,

Luís Silva junto da sua esposa, Vânia

entre as 14 e as 15 horas, e ao sábado, entre as 15 e as 17 horas, no novo pavilhão gimnodesportivo da Escola Secundária Camilo Castelo Branco. Mais informações poderão ser obtidas no site da internet da associação em www.asboccials.pt.vc.

Associação Teatro Construção solidária no Natal Com a proximidade do Natal, as campanhas de solidariedade proliferam e na Associação Teatro Construção (ATC), tal não será excepção. No próximo dia 12 de Dezembro, pelas 10h30, o ATC organiza uma caminhada, entitulada “Caminhar para ajudar”, e também um passeio de bicleta, ambos entre S. Miguel de Seide e Joane. O objectivo é o mesmo que na edição de 2009.

“Juntar bens e produtos que possam ser dados aos que mais precisam”, segundo os responsáveis da colectividade, é o mote para este evento. “Todos sabemos e não devemos ignorar que o desemprego e as situações ditas de crise levam a que muitas famílias passem por grandes dificuldades. Nunca como hoje tem sentido apelar a princípios e valores humanos como a generosidade, fraternidade

e solidariedade”, realçaram os mesmos responsáveis. A inscrição na iniciativa, que no ano passado recolheu cerca de 1500 kg de alimentos e produtos, será possível até à data do evento e poderá ser feita na ATC, Juntas de Freguesia aderentes e escolas. A inscrição tem o custo de 1€ e também de um bem de consumo não perecível, como por exemplo, arroz ou massa.

Pesca famalicense em alta O IV Campeonato Europeu de Bóia decorreu, recentemente, em Ílhavo. A ADUFA esteve presente com diversos atletas que integraram a competição por clubes e também pela selecção nacional. No final, o balanço foi extremamente positivo pois a Selecção terminou em primeiro lugar na competição Nações e a ADUFA venceu a medalha de bronze na competição por clubes.

Juvenis do Famalicão empatam no dérbi com o Ribeirão A formação de juvenis do Famalicão recebeu o Ribeirão para o primeiro dérbi concelhio do campeonato, tendo a partida terminado com um nulo no marcador. Sabendo da importância que o jogo tinha para as duas equipas, o Famalicão fez uma boa primeira parte, com grande qualidade, não permitindo que o Ribeirão chegasse à sua zona defensiva. Sendo uma equipa personalizada e colocando muita pressão no adversário, o Famalicão criou algumas ocasiões de golo para finalizar, num total de três boas ocasiões na primeira metade. Na segunda parte, o Ribeirão foi uma equipa mais atrevida, conseguindo chegar perto da baliza do

Famalicão e causando apenas perigo num lance de bola parada. Na parte final da partida, o Famalicão forçou no ataque e tudo fazer para ganhar o jogo, mas desperdiçou duas boas ocasiões de golo. No geral, o FC Famalicão foi a única equipa que procurou vencer e conquistar três pontos. Isso não foi possível, contudo este jogo foi a prova que os famalicenses estão a melhorar e que a infelicidade que se tem apoderado dos jovens jogadores terminou. Alinharam pelos juvenis do Famalicão: Carlos, Diogo, Tiago, Pereira, Pena, João Pedro, Simões, Pedro Ferreira (André Padrão), Renato (Francisco), Filipe e André Pereira (Pedro).

COMUNICADO Em decorrência dos esclarecimentos públicos, no final da reunião do Executivo Camarário de 8 de Novembro corrente, sobre o litígio pendente no Tribunal Administrativo de Braga, tendo como objecto o Concurso Limitado por Prévia Qualificação para a pré-qualificação para a execução da Obra do Parque da Cidade – Construção do Parque da Devesa, foram tecidas considerações sobre esta empresa susceptíveis de abalar o seu desempenho comercial, designadamente na vertente da sua competência, credibilidade, prestígio e confiança. Deixando para o Tribunal aferir se os requisitos para a qualificação das empresas eram ou não conformes com o objecto do contrato a celebrar, ou seja, se havia ou não uma clara desproporção entre os requisitos para habilitação e a obra posta a concurso, como foi entendimento desta empresa no recurso à instância judicial, importa clarificar que nada mais a moveu, ou podia mover, que não fosse a defesa intransigente do seu inalienável direito de exercer efectivamente as funções como operadora económica, direito esse coarctado no quadro procedimental. A missão das Construções Gabriel A. S. Couto, S.A., é exclusivamente, ao longo dos seus mais de 60 anos de actividade, o seu comprometimento com a excelência do seu desempenho profissional e empresarial e a criação e repartição de valor pela sua actividade. É sobejamente conhecido que a sua responsabilidade social apenas está comprometida com os interesses dos seus cerca de 500 (quinhentos) colaboradores directos e mais de 300 (trezentos) indirectos – grande parte, uns e outros, famalicenses. Paga a Gabriel Couto cerca de 1 (um) milhão de euros em remunerações mensais, uma parte significativa ficando em famílias de Famalicão. Adquirimos anualmente cerca de 5 (cinco) milhões de euros de produtos e serviços a dezenas de empresas famalicenses, que encaramos como parceiros nos nossos negócios e que nos acompanham, muitas, há dezenas de anos, de Norte a Sul do País. Temos contratualizados mais de 200 (duzentos) milhões de euros para as principais promotoras de obras públicas e privadas do País, que nos confiam os seus projectos. Torna-se, assim, evidente que a sua reconhecida prática séria e imparcial, se impôs no domínio específico da sua actuação perante os parceiros sociais, perante os seus clientes e comunidade que serve e em que se insere e envolve. É, assim, paradigmaticamente depositária de confiança e solidez institucional, pelo que tais considerações públicas só podem ter sido proferidas em empolgante momento politico, dada a evidente e demonstrada capacidade da empresa no confronto com o valor da obra objecto do concurso limitado por prévia qualificação referido. Conselho de Administração pub


38

sport: 17 de Novembro de 2010

modalidades

Liberdade Futebol Clube comemora esta sexta-feira o seu 75º aniversário

“O pavilhão é mesmo uma necessidade para o clube” O L i b e r d a d e F u t e b o l Cl u b e é uma das colectividades mais antigas do concelh o de Famalicão e marcará na próxima sexta-feira mais um aniversário. A associaç ão de Calendário c ump rirá 75 anos d e existê ncia e o Op inião S p o r t e n t r e vi s t o u o s e u a c t u a l preside nte , Zefe rino Pinheiro. A antig uid ade é um posto, mas o Lib erdade tem ainda m uitos so nhos por cumprir.

que algumas pessoas que conheci começaram a levar a cabo numa época muito difícil, quando o Liberdade foi fundado, faz agora 75 anos. Penso que estou a dar o melhor seguimento àquilo que essas pessoas conseguiram pôr de pé e só me posso sentir bastante satisfeito por ter essa possibilidade de dar seguimento ao trabalho que foi iniciado pelos fundadores desta colectividade.

José Clemente* OP INIÃO SPORT: Leva já 26 anos co mo p resid ente d o L ib erd ad e FC. Sente-se com força para continuar a comand ar os de sti no s de sta colec tividade? ZE FE RIN O P INHEIRO: Sou presidente do Liberdade há 26 anos porque nunca apareceu ninguém para dar seguimento a este trabalho, mas é claro que continuo motivado. Estou a dizer isto com um pouco de ironia, mas na realidade 26 anos é muito tempo. Ainda assim, estou cá porque gosto deste desafio e se não fosse assim já tinha abandonado. As pessoas com quem tenho trabalhado têm-me dado garantias de se atingir os objectivos a que nos vamos propondo. Juntamente com as pessoas com quem trabalhei durante estes anos todos, a direcção do Liberdade tem conseguido um bom desempenho. S e n te - s e b e m à f r e n te d e st e cl u b e ? Sem dúvida que me sinto muito bem à frente dos destinos do Liberdade. Embora também tenha de reconhecer que, à semelhança do que se passa um pouco por todos os clubes, há momentos bons e maus. Mas no cômputo geral posso dizer que os bons superam os menos bons. Te m consciência que este é um d os c lube s mais antigo s d este co ncelh o. É um orgulho para si ser preside nte? Acho que estou a seguir aquilo

Que balanço é que me faz destes 26 anos como preside nte? Numa colectividade que pertence a uma aldeia, no caso a freguesia de Calendário e o Liberdade FC, não é fácil de crescer e desenvolver as nossas actividades. Contudo, e como já referi atrás, as pessoas que têm colaborado com a associação e com a direcção por mim presidida têm sido excepcionais a todos os níveis. Por isso, só posso agradecer a todas essas pessoas, bem como aos fundadores, por todo o trabalho que tem sido feito. O balanço é, portanto, bastante positivo. A crise de que tento se fala no pa í s e n o m u n d o t a m b é m n ã o passa ao lado d este club e? Claro que não. Estamos a passar dias muito difíceis porque aquilo que fizemos muito bem há anos atrás hoje, com esta crise, já não se pode fazer de igual forma. Mas mesmo com esta realidade cheia de dificuldades, temos conseguido debelar muitos dos problemas e procuramos dar as melhores condições para a prática desportiva. Trabalhamos de forma afincada para que financeiramente nada falte para que os nossos atletas possam praticar desporto. Para alé m dos proble mas f inance i r o s , q u e o u t r o s p r o b l e m a s af e c ta m ne s te m o m e nt o o cl u b e ? Não me sinto realizado relativamente à minha passagem pelo Liberdade, se não conseguir con-

cretizar alguns dos projectos que tenho em mente. Há ainda muita coisa para fazer, mas aquilo que realmente gostava era de ver nascer uma pavilhão gimnodesportivo e uma pista de atletismo porque fica muito caro os nossos atletas irem treinar fora de Famalicão. E o que não se fez não foi por falta de vontade minha, nem por falta de vontade dos meus colegas de direcção. Ainda não perdi a esperança e penso existir ainda a possibilidade de se arranjar um terreno para a construção do pavilhão. O que falta para que e ssa co nstrução seja uma realidad e? Neste momento existe um espaço que fica na rua da Liberdade. Não sei o que vai acontecer àquele espaço, mas na realidade seria uma boa oportunidade para os responsáveis políticos da nossa terra pensarem nesse espaço, que era o antigo armazém do Clemente Lopes, e que seria uma boa prenda para o nosso clube para a construção de um pavilhão. E não seria só para o nosso clube, mas também para as associações desta freguesia. Certamente esta é uma das razões porque o nosso clube não consegue captar mais jovens para a prática desportiva. Não temos muito mais para oferecer aos jovens a não ser um pavilhão. A falta do pavilhão está-me trancado dentro do peito, portanto o pavilhão é mesmo uma necessidade para o Liberdade FC. Para alé m do atletismo que out ras m od al id ade s te m o L ib e rdade para ofe recer ao s seus associados e p opulação em geral? O Liberdade tem-se pautado por aquilo que sabe fazer bem e nestes 26 anos foi mais direccionado para o atletismo. Temos

neste momento um atleta campeão nacional, temos também muitos atletas campeões regionais, ainda futebol, com uma equipa de veteranos, e também duas turmas de ginástica de manutenção. Penso que todas as pessoas que praticam estes desportos estão muito contentes. Há també m na colec tividade um Grup o d e Cavaq uinhos do Libe rd a d e FC … Prezo-me de uma coisa. Quando começo com uma coisa tenho de levar até ao fim e prezo-me por lutar e levar estas coisas até ao fim. Este grupo não vai fugir à regra, já tem cerca de oito anos e é para continuar com toda a certeza. Tem as melhores condições para se manter no desenvolvimento da sua actividade. O m elhor evento que esta colectividade organiza todo s os anos é a Milha Urbana d e Famalic ão. Este e ve nto é para continuar? Sobre a Milha não me quero alongar muito. Esta prova fica muito cara e queremos continuar com ela, mas temos de repensar os moldes em que esta Milha se realiza porque é uma prova de multidões. Casos das maratonas e do próprio BTT, que é o que está a dar neste momento, são exemplos que podemos olhar e aprender algo, assim como uma prova tipo Famalicão-Joane. Portanto, o essencial é mesmo repensar esta Milha. E com o é q u e es t ã o n es t e mo me nto e m te rmos d e ap oios? Quanto a isso nada temos a dizer em relação ao apoio que nos é dado pela Câmara Municipal de Famalicão. A vereação deste pelouro tem tido o cuidado de nos apoiar, em especial na programação da Milha Urbana e por isso estamos contentes com a

actuação da autarquia. De resto, só temos a agradecer e esperar que a contribuição possa manter-se, assim como o apoio de todos os nossos sócios, amigos e patrocinadores. A s e d e f o i u m a o b ra f e i ta d urante o seu mand ato como presid ente . E ra d isto q ue o L ib erd ad e e stava a p re cisar? Quando tomei conta dos destinos desta associação pensei imediatamente que o Liberdade teria de viver com meios de subsistência próprios para não andar a viver de esmolas e de subsídios. Portanto pensei e pensei bem na construção deste edifício, onde agora temos um espaço para os amigos e associados do clube poderem aparecer para conviver e conversar. E que proje ctos tê m para o fut u r o? Tenho 67 anos e certamente que se conseguir um pavilhão será muito bem-vindo. Obrigar-me-ia também a encarar as coisas de maneira diferente, mas neste momento estou a pensar deixar o Liberdade FC para dar o lugar aos mais novos porque na realidade já são muitos anos de comando. Segundo, a juventude precisa de ser incentivada, precisamos de os pôr a trabalhar. E como o Liberdade está a comemorar os 75 anos, seria uma boa altura para haver uma mudança. Já agora, aproveito para agradecer a todas as pessoas que trabalharam comigo ao longo destes anos e aos que conseguiram por de pé o Liberdade FC. Para esta comemoração dos 75 anos, a direcção do Liberdade vai juntar, num jantar comemorativo, cerca de 200 amigos desta simpática colectividade de Calendário. *com Bruno Marq ues


sport: 17 de Novembro de 2010 39

modalidades

Em mais um fim-de-semana de competição

Formação do AVC continua a dar frutos Mais um fim-de-semana, mais competição na modalidade do voleibol. O Académico Voleibol Clube participou, com os seus diversos escalões, em vários jogos da modalidade. As infantis jogaram em casa, no passado sábado, contra a equipa de S. Mamede de Infesta e venceram por três sets sem resposta. Depois de duas derrotas nas primeiras jornadas, a equipa acertou o ritmo e venceu pela primeira vez no campeonato, algo que os seus técnicos já previam, devido à evolução da equipa. No próximo domingo este escalão desloca-se ao reduto do Castelo da Maia. O jogo tem início pelas 11 horas. Em juniores assistiu-se a um grande jogo entre a equipa famalicense e a formação do Leixões. O jogo realizou-se no domingo. A equipa entrou em jogo sem duas referências, lesionadas, mas dispostas a vencer. Porém, o nervosismo tomou conta de alguns momentos de jogo e a vitória acabou por favorecer o Leixões, por três sets a dois.

Esta derrota não quebra as aspirações famalicenses ao apuramento da fase seguinte pois o resultado obtido atribui dois pontos na classificação. O caminho para tal apuramento continua no próximo sábado, pelas 15 horas, em jogo contra o Penafiel, no pavilhão das Lameiras. Por sua vez, as jogadoras seniores continuam vitoriosas. Desta feita foi a equipa da Póvoa de Varzim que vergou perante o poder da equipa do AVC, num jogo totalmente dominado pelas famalicenses. A subida de divisão continua a ser o objectivo final destas jogadoras que mais uma vez impuseram uma derrota por três sets a zero. O caminho para a concretização continua no próximo fim-de-semana, em jornada dupla. No sábado, pelas 19 horas defrontam o Esmoriz e no domingo, pelas 15 horas recebem o S. Mamede. Pedro Marques

Só vitórias para o Clube de Rugby de Famalicão À quarta jornada, a quarta vitória. O Clube de Rugby de Famalicão (CRF) deslocou-se, no passado sábado, aos Arcos de Valdevez, para defrontar a segunda equipa dos Arcos. O jogo, a contar para o campeonato nacional da 2ª divisão, zona Norte/Centro, terminou com a vitória do CRF por 20-25. Apesar de uma primeira parte bastante equilibrada, em que os Arcos terminaram a vencer por 17-10. O equilíbrio na segunda foi constante até ao momento em que a equipa famalicense surpreendeu o adversário e deu a volta ao resultado. Depois desta

Didáxis domina nacional de xadrez Realizou-se, no passado dia 13 de Novembro, sábado, o campeonato nacional jovem de xadrez federado, vertente semi-rápidas. Perto de 300 atletas procuraram os títulos nos diversos escalões etários e no final foi o Núcleo de Xadrez da Didáxis de Vale S. Cosme (NXVSC) que se evidenciou, ao aglomerar três campeões nacionais e dois vice-campeões. Para esta competição, o NXVSC fez-se representar por nove atletas que superaram as expectativas: Luís Romano obteve o título de campeão nacional no escalão sub-20 pela primeira vez. Luís Silva voltou a alcançar o título nacional em sub-16 e no mesmo escalão, Inês Machado ficou em se-

Jovens que integraram a comitiva da Didáxis

gundo lugar, tornando-se vice-campeã. Em sub-08, Alice Machado Oliveira sagrou-se campeã nacional enquanto Elisa Machado Oliveira, de apenas cinco anos de idade, se sagrou

vice-campeão nacional. Após o final da competição, e feito o balanço, a Didáxis conquistou três títulos em doze possíveis, tornando-se líder nesta vertente da prática do xadrez.

Óscar Mendes sobe ao pódio na Nazaré A meia Maratona Internacional da Nazaré realizou-se no passado fim-desemana. Tradicionalmente os atletas do Liberdade FC têm nesta prova conseguido excelentes resultados e desta feita Óscar Mendes correu os 21 quilómetros sempre no grupo da frente, acabando na ponta final por conseguir o segundo lugar. Recorde-se que este atleta é o campeão em título do distrital de estrada. Já na semana anterior, em

Guimarães, na pista de corta mato Gémeos Castro, os atletas do Liberdade FC tiveram excelentes resultados no cortamato de abertura da época 2009/2010. Rafael Silva foi primeiro em infantis, André Lima foi primeiro em juniores, Miguel Moreira foi segundo em juniores, Tânia Silva foi segunda em seniores e mais um pódio para um terceiro lugar para a atleta do escalão de benjamins, Susana Malheiro.

Momento do jogo entre Arcos B e CRF

partida, o CRF termina a primeira volta só com vitórias, o que espelha bem a evolução qualitativa dos jogadores famalicenses. O próximo jogo do CRF

disputar-se-á no próximo fim-de-semana. O jogo realiza-se no campo do Operário Futebol Clube e terá como adversário o clube de Guimarães.

Oitava jornada em futsal sénior A jornada oito em futsal masculino da Associação de Futebol de Braga ficou marcada pela primeira derrota da equipa do Mouquim que lidera o campeonato. A jornada ditou os seguintes resultados: Apulienses 7-3 Mouquim; MAL 2-0 Celorico; Cabeçudense 4-0 Lordelo; AEIPCA 1-6 S. Mateus; ARCA 0-7 CART; Rio Homem 9-4 Vieira; GDAS 1-5 Santo Tirso. O jogo entre o Santo Adrião e o Priscos foi adiado. O Mouquim lidera com 18 pontos, segue-se o CART, com 16 pontos, enquanto o Santo Adrião fecha o pódio, também com 16 pontos.

Iniciados do Castelões vencem Esmeriz nos campeonatos da AFSA Jogou-se no passado fim-de-semana a quarta jornada dos campeonatos da Associação de Futebol de Salão Amador de Famalicão (AFSA) e na 1ª divisão o Pedome voltou a golear, desta vez a vítima foi o São Martinho que perdeu por 8-0. Quem também só sabe vencer é a equipa do Covense. Os resultados foram os seguintes: JASP 3-7 Lameiras; Carril 0-3 Carreira; ACURA 36 Castelões; São Martinho 0-8 Pedome; Covense 5-4 Bairrense; Floresta 3-1 Landim; Outeirense 6-4 São Cosme. Comandam Pedome e o Covense, ambos com 14 pontos. Na 2ª divisão, a jornada também foi a quarta e com os seguintes resultados: Requionense 3-4 ACDS 1º Maio; Flor Monte 2-4 Novais; ADESPO 6-2 Vermoim; Bente 9-2 Gavião; Louredo 3-2 Esmeriz; Colina Ave 6-6 Ramil; Barrimau 1-4 ADERM. Comanda a ADESPO

com 12 pontos. No sector feminino e na séria A, a jornada foi a segunda com os seguintes resultados: Oliveirense 11-0 Outeirense; Esmeriz 1-7 Pedome. Comanda o Pedome com seis pontos. Já na série B, os resultados foram: Landim 6-4 S. Martinho; Lousado 2-5 Covense. Comandam as equipas da ADERM e do Landim, ambas com seis pontos. Por fim, no escalão de juvenis e na série A a jornada foi a primeira, com os seguintes resultados: ADERM 4-13 Carreira; Barrimau 5-1 Esmeriz. Já na série B, os resultados foram: Lameiras 1-3 Outeirense; Pedome 5-2 Landim. Em iniciados e na série A, os resultados foram: Juventude Académico 8-2 Pedome; ADERM 73 Barrimau. Na série B, os resultados foram: Castelões 30-1 Esmeriz; Lameiras 5-7 Landim.

FC Famalicão organiza magusto A direcção do FC Famalicão está a organizar um magusto para o próximo sábado, pelas 16 horas, destinado a todos os sócios, directores, jogadores e público em geral. O magusto terá lugar no Estádio Municipal de Famalicão. Entretanto, está a decorrer a aquisição de produtos para os cabazes de Natal que serão sorteados no final do ano a reverter a favor da formação do clube e de uma família carenciada do concelho de Famalicão.

AJJ vence Covense em infantis A Associação Juventude de Joane (AJJ) venceu o GR Covense na 2ª jornada da Liga Futsal de Famalicão, no escalão de infantis. A vitória por uma bola a zero deu os três pontos aos joanenses que ocupam agora o segundo lugar da classificação com seis

pontos. Nos restantes jogos os resultados foram: Barrimau 1-3 FC Vermoim enquanto a Artes Movimento sucumbiu à Sportfut por 1-4. No escalão de escolas, em jogo de atraso, o Barrimau perdeu com o S. Martinho por 2-3. pub.


40

sport: 17 de Novembro de 2010

modalidades

Iniciados de hóquei do FAC triunfam Todos os escalões jovens de hóquei do FAC participaram nas competições regionais da Associação de Patinagem do Minho no fim-de-semana, com os iniciados a estarem em destaque ao conquistarem o seu primeiro triunfo da temporada em provas oficiais. No sábado, vitória muito festejada em Fão por 65, com o triunfo a estar em perigo nos últimos instantes do encontro, depois de terem uma boa vantagem. No domingo, frente à equipa da ADB/Campo, a supremacia pretendida pelo adversário não foi possível e apesar da derrota por 3-7, o conjunto comandado por Diogo Azevedo mereceu o aplauso final. Os juvenis tiveram também jornada dupla e sofreram dois desaires. O primeiro em Fão por 5-3 e o segundo em Braga por 6-2. Resultados semelhantes com

histórias diferentes. Em Fão, os jovens famalicenses não aproveitaram uma boa oportunidade para vencerem já que a meio da segunda parte estavam a vencer por 3-2. Em Braga, o potencial adversário assenta num jogador que faz a diferença e que só à sua conta marcou cinco golos. Os infantis e escolares são equipas com limitações numéricas e de idade e apesar da vontade demonstrada, ainda não é possível ombrear com equipas estruturadas á muito tempo. As derrotas por 11-0 e 11-1 acabam por ser entender. Na próxima semana apenas os iniciados e os escolares competem. Os iniciados recebem o CART, no sábado, às 15 horas, e os mais jovens visitam o mesmo adversário, no domingo, pelas 11 horas.

Vitória colectiva com Jorge Santos a destacar-se no badminton Realizou-se durante o passado fim-de-semana a 2ª jornada do campeonato nacional de veteranos, em badminton, que teve lugar no Centro Alto Rendimento das Caldas da Rainha. O FAC esteve representado pelos atletas: Jorge Santos, Armando Pinto, Maria Machado, Anabela Araújo, Albertino Araújo e Rui Gomes. Colectivamente, o FAC venceu a competição por equipas, ficando à frente do SIMPS de Porto Salvo e do CDUP-Porto.

Jorge Santos esteve em destaque e venceu todas as provas em que participou. Em singulares homens venceu José Costa (CDUP) na final por 21-7/21-8. Na prova de pares homens fez dupla com Armando Pinto e com alguma dificuldade venceram a dupla do CDUP Jorge Tavares/João Matos por 19-21/21-8/21-13. A prova de pares mistos decidiu-se entre duas duplas do FAC. O par Jorge Santos/Anabela Araújo venceu Albertino Araújo/Maria Machado

por 21-15/23-21. Em pares senhoras, a dupla Maria Machado/Anabela Araújo conseguiu um espectacular segundo lugar. A nota negativa do fim-desemana foi a lesão do atleta Rui Gomes que o impossibilitou de continuar em prova. Ainda não se sabe a gravidade da lesão, mas espera-se que o regresso ao activo não seja demorado. A próxima jornada decorrerá no mesmo espaço no dia 11 de Dezembro.

Empate soube a pouco no bilhar… A equipa de bilhar do FAC lidera a classificação na série B do torneio de abertura. Terminada a primeira volta, três vitórias e dois empates é o saldo conquistado pelos jogadores famalicenses. Frente ao Leça FC A, no salão da Academia de Bilhar do FAC, a equipa capitaneada por Jorge Bastos não foi além de um empate. Ao intervalo o encontro não estava a correr bem para a equipa da casa, com apenas um atleta a liderar. O descanso fez bem e Artur Figueiredo apareceu ao seu mais alto nível e resolveu (40-23) a sua partida com um parcial de 20 carambolas em apenas oito entradas. Nesta altura empa-

tava a contenda já que Adolfo Pereira não foi suficiente forte para derrotar Escudeiro. Duas partidas estavam neste momento muito equilibradas. Carlos Veloso conseguiu ganhar vantagem suficiente para gerir o ponto e acabou por vencer (36-34). Ainda durava a partida de Jorge Bastos com J. Gomes. Nos momentos finais apareceu o melhor Jorge Bastos que ganhou uma preciosa vantagem de três carambolas na última entrada. Na última tentativa, o atleta leceiro efectuou a sua melhor entrada, virou o marcador (37-39) e assim se registou o empate final que mantém ambos os conjuntos na disputa do primeiro lugar.

…e equipa B saiu derrotada

Ribadavenses conquistam ponto em Seixas O Riba d’Ave Hóquei Clube (RAHC) cumpriu mais um encontro no nacional da 2ª divisão de hóquei, tendo empatado no pavilhão do Seixas a duas bolas. O início de jogo confirmou o que já se sabia, com a equipa da casa a entrar com forte determinação no jogo, impondo um ritmo intenso. Foi sem surpresa que o Seixas faz o 1-0 aos 10 minutos de jogo, dispondo de mais algumas oportunidades que não foram bem sucedidas devido a mais uma boa exibição de Telmo Fernandes. A segunda parte inicia-se com o RAHC a entrar com outro espírito e atitude. Esse domínio não se exprimiu no marcador pela excelente exibição do guarda-redes do Seixas e pela apetência dos jogadores do RAHC

em acertar nos postes da baliza. Mesmo assim, aos 15 minutos do 2º tempo, Arnaldo Queirós empata a partida, mas o Seixas, no lance seguinte, fez o 2-1. O jogo estava intenso e faltavam 1,26 minutos para o final quando o Seixas usufrui de livre directo e consequente exclusão de Arnaldo Queirós por dois minutos. Telmo segurou o 2-1 e esse momento uniu o grupo, com António Cruz a estabelecer o 22, a 50 segundos para o final. O RAHC alinhou com: Telmo Fernandes, Pedro Salgado, André Alves, Arnaldo Queirós (1) e Joel Ferreira. No banco esteve: Pedro Pereira, João Nuno, Vítor Hugo, Hélder Gomes e António Cruz (1). No próximo sábado, o RAHC recebe o líder Infante Sagres.

Pedro fez a Lei no confronto com Nortecoope Pedro Lei foi a grande figura do encontro entre o FAC e Nortecoope, referente à 6ª jornada do campeonato nacional da 3ª divisão. Na vitória justa do FAC, Lei fez seis dos sete golos com que o FAC brindou o conjunto maiato, terminando com um triunfo por 7-3. O encontro entre dois candidatos à subida de divisão era encarado com alguma expectativa. Ambos os conjuntos vinham de boas vitórias e os adeptos de ambos os conjuntos compareceram em bom número no pavilhão municipal de Famalicão. Começou bem a Nortecoope, com boa circulação de bola, mas mais perigoso o FAC quando teve posse de bola. Pedro Lei inaugurou o marcador aos seis minutos, mas na jogada imediata os visitantes empataram. Minutos depois aconteceu o mesmo, com golos sucessivos em ambas as balizas. Antes do intervalo, Lei fez o terceiro golo e ao intervalo o resultado era de 4-2. Com o perigo da décima falta para o FAC iniciou-se a segunda parte. Hugo Pereira ainda no primeiro minuto elevou para 5-2. Com bom hóquei, o triunfo do FAC não esteve mais em causa, com Pedro Lei a marcar mais dois golos na conversão de dois livres directos e a Nortecoope a marcar mais um. No final o resultado fixou-se no 7-3. Vitória justa do FAC que reforçou a condição de vice-líder a um ponto do primeiro classificado, o Fânzeres. Este será o próximo adversário, no próximo sábado à noite em Fânzeres, Gondomar.

Dupla famalicense procura apoio para 2011

A equipa B de bilhar do FAC deslocou-se ao Porto e frente ao Bilhar Clube do Porto voltou a não ter a ponta de sorte que por vezes é necessária e perdeu por 3-1, com o ponto do FAC a ser conquistado por Paulo Oliveira que se apresenta num bom momento. Ainda esta semana continua esta prova. Quinta-feira outro grande embate em perspectiva na Academia. FAC e Portuguesa de Leça, que na época passada conquistou um brilhante terceiro lugar no campeonato nacional, disputam um encontro importante para a definição da classificação. Quem perder fica em situação complicada com vista ao apuramento. Já na sexta-feira, a equipa B desloca-se a casa do campeão nacional da modalidade, o Leixões SC, e as dificuldades serão imensas. No entanto é uma óptima oportunidade para desfrutar de um encontro contra alguns dos melhores executantes nacionais.

Seniores do FAC triunfam no voleibol O encontro referente à terceira jornada do campeonato nacional da 2ª divisão não teve grande história para relatar, com o FAC a triunfar de forma fácil e esperada por 3-0 frente à UTAD. Os parciais foram: 25/13, 25/18 e 25/19. O treinador Allan Cocato rodou todos os elementos da equipa, resguardando-a para o embate frente à Académica de São Mamede, para a Taça de Portugal, e que se realizou no dia seguinte. À terceira jornada do campeonato, o FAC já lidera a classificação geral, com seis pontos, mais um do que o V.

Guimarães B, e só efectuou dois encontros, uma vez que folgou na segunda jornada. Entretanto, a Associação Académica de São Mamede (Infesta) recebeu o FAC e venceu por 3-0, com os parciais de 25/22, 25/18 e 25/23, na primeira eliminatória da Taça Portugal. No primeiro set, os famalicenses entraram muito ansiosos e permitiram uma vantagem confortável ao adversário. No segundo set, o FAC liderou até ao 16º ponto e nessa altura a equipa bloqueou e o S. Mamede aproveitou. No terceiro set, o melhor do FAC, os co-

mandados de Allan Cocato conseguiram suster os candidatos à subida ao escalão máximo da modalidade. Nesta altura foi decisivo o pouco acerto da dupla de arbitragem que penalizou o conjunto de Famalicão. O 25-23 final soube a pouco. No próximo sábado, o FAC recebe o GC Santo Tirso para o campeonato, que ainda agora começou, mas para o adversário é já um encontro decisivo, uma vez que uma vitória do FAC poderá colocar o seu adversário em dificuldades na obtenção da passagem para a segunda fase.

A dupla famalicense Pedro Carneiro/Hugo Pinheiro pretende cumprir a totalidade do campeonato Open de Ralis na época de 2011 e por isso está à procura de apoios para conseguir atingir esse objectivo. “Queríamos solidificar o nosso projecto na temporada de 2011, com a presença regular nos diferentes ralis do Open e estamos a trabalhar no sentido de encontrar patrocinadores para que isso seja uma realidade”, refere o piloto Pedro Carneiro. Após ter participado no Rali de Famalicão, Pedro Carneiro e Hugo Pinheiro, da equipa Doce d’Antas Rally Team, voltou à competição recentemente, desta feita no Rali Ter-

ras de Basto, que decorreu nos passados dias 30 e 31 de Outubro, em Mondim de Basto e em Celorico de Basto. Ao volante de um Renault 11, Pedro Carneiro não acusou a falta de ritmo competitivo e terminou a prova em 15º lugar da classificação geral e em segundo na classe 2 do Open de Ralis. Este ano, a dupla não participará em mais nenhuma competição oficial, preferindo procurar uma situação favorável para o próximo campeonato, uma vez que o objectivo passa mesmo por “na próxima temporada correr em todos os ralis”, tal como sublinha o piloto.


OS967