Issuu on Google+

Grande Área: AVC faz regressar equipa sénior

Sérgio Souto é o treinador do ano na formação O treinador do Grupo Desportivo de Natação de Famalicão, Sérgio Souto, garantiu no passado sábado, dia 4 de Outubro, o prémio de treinador do ano em termos de formação na Gala da Associação de Natação do Norte de Portugal (ANNP). O evento decorreu no Pavilhão Rosa Mota, no Porto, tendo o nadador Jorge Maia e o treinador Pedro Faia falhado a conquista dos prémios para os quais estavam nomeados. A nadadora Sara Oliveira (FC Porto/Império Bonança), à semelhança da época anterior, conquistou o prémio mais importante da gala, o de atleta do ano, referente à temporada 2007/08 de natação pura. Jorge Maia estava nomeado nesta categoria e viu-se por isso arredado da conquista desta distinção. O treinador do ano de absolutos, categoria onde estava nomeado Pedro Faia, foi José Silva (FC Porto).

FC Famalicão cede primeiros pontos na Divisão de Honra FC Famalicão apresenta futebol juvenil O FC Famalicão vai realizar a apresentação de todo o futebol juvenil do clube durante o intervalo do jogo do próximo domingo, no Estádio Municipal de Famalicão, às 15 horas. Os famalicenses recebem o Alegrienses, em partida a contar para a quinta jornada da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Braga.

Equipa famalicense dá-se a conhecer

Curso para árbitros de futebol e futsal O Núcleo de Árbitros de V. N. Famalicão vai levar a efeito mais um curso de árbitros de futebol de 11 e futsal. O curso inicia-se na próxima sexta-feira, 10 de Outubro, e é gratuito, bastando por isso aos interessados realizar a sua inscrição junto deste núcleo. As inscrições podem ser feitas através do número de telemóvel 962 900 996 ou nas instalações do núcleo de árbitros famalicenses, situado no Pré-Fabricado das Lameiras, junto à central de camionagem, às sexta-feiras das 21 às 23 horas.

ACD S. Martinho Brufe vai a eleições O presidente da Assembleia Geral da Associação Cultural e Desportiva de S. Martinho de Brufe convocou eleições para os órgãos directivos para o próximo dia 17 de Outubro, pelas 21h30, na sede da associação. As listas concorrentes deverão ser entregues na sede da ACD S. Martinho de Brufe até às 22 horas da próxima sextafeira, dia 10 de Outubro.

Os adeptos do todo-o-terreno (TT) turístico e competitivo que se deslocaram à Expo Aventura 2008 tiveram a oportunidade de ver mais de perto as viaturas da marca Toyota e o camião de assistência utilizados pela equipa Padock Competições nas provas de velocidade TT do calendário nacional e internacional. O certame teve lugar nos pavilhões da Exponor em Santa Maria da Feira no passado fim-de-semana. O evento contou com milha-

res de visitantes, alguns expositores, para além de inúmeras actividades ao ar livre, sendo esta uma forma de dar a conhecer ao público em geral a estrutura de uma das maiores equipas privadas do todo-o-terreno em competição. O espaço da Padock Competições foi “invadido” por curiosos e aficionados do TT que não perderam a oportunidade de estarem mais de perto dos carros que em breve vão competir no Argen-

tina/Chile Dakar, com partida para Buenos Aires no início de Janeiro de 2009. “É com grande agrado que estivemos presentes neste grande certame, com as nossas viaturas e o camião. São neste certames que muitos adeptos do TT têm a oportunidade de conhecer melhor um jipe de competição e tirar algumas dúvidas e conhecimentos com as pessoas que habitualmente os utilizam em competição”, contou Adélio Ma-

chado. “Conseguimos envolver o público e desta forma contribuir para o grande sucesso que esta exposição vai tendo na vertente do TT”, adiantou o patrão da Padock, acrescentando que “os carros presentes na ExpoAventura são aqueles que se irão juntar a outros para participarem na próxima edição do Dakar e onde a Padock Competições marcará presença ao inscrever cinco carros”.


18

sport: 8 de Outubro de 2008

distritais

Mário Melo, treinador do S. Cosme

Juventude pode ser arma para bom campeonato Bruno Marques* O técnico Mário Melo pensa em fazer o melhor possível, na certeza de que o clube não pode descer de divisão. A muita juventude do grupo de trabalho pode ser uma das armas a apresentar pelo Desportivo de S. Cosme. “É uma equipa que não remunera ninguém e como tal ficamos praticamente apenas com os jogadores que na última época eram suplentes”, refere. No entanto, a confiança do treinador numa boa temporada é muita. Até ao momento estão disputadas duas jornadas no campeonato distrital da 2ª divisão, série C, com o S. Cosme ainda à procura da primeira vitória na competição. Na primeira jornada, a equipa treinada por Mário Melo perdeu no terreno do Telhado por 1-0 enquanto no passado domingo empatou a uma bola na re-

cepção ao Ruivanense. O S. Cosme ocupa, por isso, a 11ª posição da tabela classificativa, com apenas um ponto conquistado, e na próxima ronda tem pela frente mais um dérbi concelhio, desta feita no terreno do Lagense. Os dérbis serão uma constante e por isso mesmo o interesse deste campeonato será alto, tendo até em conta os objectivos definidos pelas formações do concelho. “Queremos ficar nos cinco primeiros lugares e quando falo em fazer o melhor possível, com certeza que me refiro ao facto de não querer aparecer na Liga dos Últimos (programa da RTP)”, acrescenta Mário Melo, em forma de aviso. “Passa pela cabeça de toda a gente lutar pela subida mas na minha opinião neste momento ninguém tem a ideia do real valor de todas as equipas. Como tal é prematuro dizer o que podemos

fazer”, destaca. Segundo o treinador, o plantel tem algumas carências no sector do meio campo e mesmo no ataque, embora considere que o plantel “dá para fazer um campeonato jeitoso”. No entanto, Mário Melo gostaria de contar com mais um ponta de lança e um médio centro capazes de trazer algo mais à equipa. Por isso, o clube poderá realizar ainda mais duas inscrições. O técnico destaca ainda as boas condições físicas disponibilizadas pelo clube, algo que permite a realização de um trabalho positivo. Mário Melo sente-se também bastante apoiado pelos adeptos e pela direcção do S. Cosme, realçando mesmo o facto de todos os habitantes da freguesia darem grande importância ao futebol e estarem sempre presentes nos jogos da equipa. * co m J o s é Cl em e n t e

Horácio Ferreira, presidente do Desportivo S. Cosme

“Plantel foi pensado para a subida”

Bruno Marques* O presidente do Desportivo de S. Cosme acredita que a equipa pode disputar a subida à 1ª divisão distrital, até porque o plantel foi construído com esse intuito. Apesar desse objectivo ser bem claro para os dirigentes do clube, Horácio Ferreira acha que a série C da 2ª divisão distrital da Associação de Futebol de Braga será bastante competitiva e uma das mais equilibradas deste escalão. “Construímos um plantel e fomos buscar um treinador a pensar na subida, mas temos consciência que nesta série existem equipas fortes”, refere, acrescentando também que o facto de existirem sete equipas do concelho tem factores positivos e negativos. “É negativo porque são todos clubes fortes e que se conhecem bem, mas por ou-

tro lado é positivo uma vez que há sempre mais adeptos a assistirem aos jogos e por isso mais receitas”, diz. Com apenas duas jornadas disputadas ainda é complicado aferir esta tendência, no entanto em teoria a tarefa do S. Cosme será árdua se quiser lutar pelos primeiros lugares e até por uma possível subida. O S. Cosme manteve no seu plantel sete jogadores do anterior grupo de trabalho, tendo recorrido a reforços para completar a equipa para a temporada 2008/2009. Ao todo, a equipa é constituída por 23 jogadores que apenas recebem prémios de jogo. “O S. Cosme não pode entrar em loucuras porque os tempos são difíceis e por isso o que prometemos é somente prémios”, refere o presidente. Ainda assim, a entrada de mais elementos está em

aberto. A equipa sénior será a única do clube que vai competir na nova época, uma vez que as camadas jovens terminaram por falta de apoio de alguns pais. A direcção não tinha possibilidade para sustentar as equipas da formação que disputaram a última época e por isso a decisão passou pela extinção das mesmas. Em termos de infraestruturas, a cobertura da sede social do clube é o próximo passo, existindo um protocolo entre o S. Cosme, a Câmara Municipal de Famalicão e a Junta de Freguesia. A sede tem algumas infiltrações de água e por isso um dos objectivos da direcção é recuperar a cobertura. O parque desportivo recebeu também algumas melhorias, nomeadamente nos balneários, sendo que as infra-estruturas satisfazem os responsáveis da colectividade.


Em cima: Jota, Hélder, Diogo, Rafa, Bruno, Tiago, Toninho, Buffon. Ao centro: André, Roberto, Horácio Ferreira (presidente), Manuel Louro (adjunto), Mário Melo (treinador), Bernardino Martins (massagista), Gonçalves, Vitó e Marinho. Em baixo: Daniel, Rogério, Sérgio, Zé Miguel, Zé Fernando, Luís e Ferreira.

Desportivo de S. Cosme

distritais sport: 8 de Outubro de 2008 19


20

sport: 8 de Outubro de 2008

PÓDIO

grande área

Equipa famalicense volta a ter equipa sénior a competir

Juniores AVC vencem torneio de formação

1º Ana Luísa Reis

A atleta do Famalicense Atlético Clube participou num torneio internacional júnior em Lausanne, Suíça, conseguiu chegar aos quartosde-final da prova e ficar entre as vinte melhores atletas da Europa. Ana Luísa Reis quer marcar presença no Campeonato da Europa de sub-19 que se realizará em Milão.

O Atlético Voleibol Clube (AVC) realizou no passado fim-desemana o oitavo torneio de voleibol formação, realizado na cidade de Famalicão, tendo garantido também o triunfo final. O escalão de juniores foi o comtemplado para demonstrar aos famalicenses a beleza do voleibol, tendo o AVC recebido no Pavilhão das Lameiras as equipas do Vitória de Guimarães, Gueifães e o Arcozelo. Divido em três dias, o torneio serviu para as respectivas equipas se prepararem para a época desportiva que se avizinha. Antes do último jogo das juniores no torneio, o Atlético Voleibol Clube aproveitou para apresentar todos os seus escalões para a época 2008/2009. A equipa famalicense volta a ter o escalão sénior que vai competir na segunda divisão, sendo esta a principal novidade desta época. Praticamente apenas com jovens de Famalicão, o AVC volta a estar ao mais alto nível e não apenas na formação. Para além desta novidade, o voleibol feminino em Famalicão está representado no escalão de juniores, juvenis e minis num total de quase 100 atletas em competição.

AVC apresentou as suas equipas para 2008/2009

Quanto ao torneio, no primeiro dia a equipa da casa defrontou a formação do Gueifães, vencendo por três sets a zero. Perante o seu público, as jovens do Atlético de Famalicão não acusaram o facto de ser o primeiro jogo da temporada e conseguiram demonstrar as suas qualidades com um jogo mais consistente. Recorde-se que a maior parte das jogadoras da formação famalicense alinhavam no ano transacto no clube, mas no escalão juvenil.

No outro encontro do dia, o Vitória de Guimarães venceu a formação do Arcozelo por três sets a dois, num desafio muito equilibrado. No segundo dia do torneio, a equipa anfitriã voltou a vencer pela margem máxima frente à principal opositora no torneio, o Vitória de Guimarães. No melhor jogo do torneio para as famalicenses, as diferentes opções atacantes, juntamente com uma boa organização defensiva, não de-

ram hipoteses às vimaranenses. O AVC conquistava assim a segunda vitória no torneio. No jogo entre o Gueifães e o Arcozelo, o equilibrio foi novamente a nota dominante, tendo a formação do Gueifães vencido na negra (3-2 em sets). No domingo, o AVC voltou a vencer, desta feita o Arcozelo e novamente sem consentir nenhum set. Três a zero foi novamente o resultado e diga-se que perante as exibições desta equipa, as famalicenses nem pareciam juniores de primeiro ano. Com esta vitória conquistaram também o oitavo torneio de Volebol Formação, relegando a sua adversária para o último lugar. No jogo entre o Vitória de Guimarães e o Gueifães, as vimaranenses voltaram a vencer no torneio, e novamente por três sets a dois, conseguindo assim lograr a segunda posição. Na classificação final, o AVC ficou na primeira posição, tendo recebido o troféu das mãos do vereador do deporto da Câmara Municipal de Famalicão, Jorge Paulo Oliveira. O Vitória de Guimarães ficou no segundo lugar, o Gueifães no terceiro e o Arcozelo ficou na última posição.

FAC / RAHC

FC Porto foi mais forte mas teve de suar para vencer

Juniores do Famalicão ainda assustaram Estádio Municipal de Famalicão Árbitro: Rui Fernandes (V. Castelo)

FC Famalicão FC Porto Velho Castanheira Carlos Quim Miguel Batista (53’ Joca) Renato (53’ Né) Cesário Jipi (46’ Urbano) Bruno Rui

3º AD Oliveirense Sem deslumbrar, a Associação Desportiva Oliveirense tem conseguido um bom início de temporada. Ainda não perdeu no campeonato e já defrontou dois candidatos à subida de divisão. Com o Paredes conseguiu vencer e frente ao Leça, no domingo, somou um empate.

Ruca Ivo Pinto Hugo Roberto (58’ M. Galeão) Massari Ramon Dias Josué Jorge Chula (75’ Cardoso) Diogo Viana (66’ Caetano) Claro

Treinadores José Lopes

Patrick Greveraars

Golo s: 19’ Bruno (1-0); 35’ Claro (1-1); 44’ Claro (1-2); 56’ Jorge Chula (1-3); 67’ Rui (2-3); 81’ Miguel Galeão (2-4).

O Famalicão recebeu no passado domingo no Estádio Municipal de Famalicão a forte equipa do FC Porto, a contar para o campeonato nacional de juniores, naquele que foi o jogo de estreia do novo treinador famalicense, José Lopes. O Famalicão perdeu por quatro bola a duas, numa partida em que o favoritismo dos portistas se confirmou, apesar de terem estado a perder e necessitado de puxar pelos galões. A equipa famalicense não estava a defrontar uma equipa qualquer. Estava apenas e só a jogar frente a um sério candidato ao título de campeão nacional desta categoria. Só que em futebol tudo pode acontecer e a turma da casa ainda tentou assustar o Porto quando aos 19 minutos de jogo, Bruno colocou os locais na frente do marcador. Só que os dragões, com outra experiência, não deram qualquer hi-

pótese e conseguiram recuperar. Os visitantes não deixaram o Famalicão continuar a brilhar muito mais e aos 35 minutos já Claro restabelecia a igualdade. A partir daqui o Porto pressionou ainda mais o Famalicão e foi com alguma naturalidade que o mesmo jogador que tinha feito o golo do empate consumava a reviravolta no marcador. Ao intervalo os portistas venciam por 2-1. Na segunda parte o Famalicão ainda teve uma boa oportunidade para poder empatar, mas seria o Porto quem marcaria novamente aos 56 minutos. Jorge Chula apontou o terceiro golo para a sua equipa, por sinal um golo de grande categoria. O Famalicão reagiu bem à desvantagem de dois golos e Rui iria diminuir a diferença aos 67 minutos, dando mais entusiasmo à partida. Neste espaço de tempo os famalicenses ainda conseguiram levar algum perigo junto da baliza de

Ruca, mas seria o Porto a acabar definitivamente com o jogo ao marcar o quarto golo. Este tento tirou qualquer hipótese de reacção.

JUNIORES RE SUL TA DOS

José Clemente

2-4

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16.

I DIVISÃO

Famalicªo, 2; FC Porto, 4 Gondomar, 3; Infesta, 1 Vizela, 0; Leixıes, Candal, 3 1; Penafiel, 2 Rio Ave, 0; Boavista,Guimarªes, 3 4; G. Vicente, 1 Merelinense, 1; Beira-Mar, 1 3; AcadØmica, 3 Sp. Braga,

CLAS SI FI CA ˙ˆO

PR XI MA

As equipas de hóquei em patins do Famalicense Atlético Clube (FAC) e do Riba d’Ave Hóquei Clube (RAHC) entraram da melhor forma no campeonato nacional da 2ª divisão ao conseguirem vitórias. Pela primeira amostra a época promete ser positiva para estas duas formações do concelho.

J

V

E

D

F

C

P

Leixıes 6 5 1 0 12 2 16 Penafiel 6 4 0 2 15 9 12 Gil Vicente 6 4 0 2 12 10 12 FC Porto 6 3 2 1 10 7 11 Boavista 6 3 1 2 13 4 10 AcadØmica 6 2 4 0 11 8 10 Sp. Braga 6 2 3 1 13 10 9 V. Guimarªes 6 2 3 1 10 7 9 Merelinense 6 2 2 2 7 9 8 Infesta 6 2 1 3 8 10 7 Rio Ave 6 2 1 3 7 13 7 Gondomar 6 2 0 4 7 10 6 Candal 6 1 2 3 6 8 5 Vizela 6 1 2 3 7 11 5 Famalicªo 6 1 0 5 5 15 3 Beira-Mar 6 0 2 4 3 13 2 Famalicªo - Vizela Infesta - Candal Leixıes - Rio Ave Penafiel - V. Guimarªes Boavista - Merelinense Gil Vicente - Sp. Braga Beira-Mar - Gondomar FC Porto - AcadØmica


sport: 8 de Outubro de 2008 21

futebol

Ribeirão conquista vitória (1-0) no terreno do lanterna vermelha

Joane averbou segunda derrota consecutiva no campeonato

Jogar melhor e não vencer Estádio Municipal Árbit ro : António Nogueira (Porto) Auxiliares: Diogo Silva e João Matos

Joane Bragança Sérgio André Bruno Carneiro Miguel Lemos (23’ Campos) Bertinho Jader (72’ Pirata) Daniel (75’ Luís) Hugo Carlos Manuel Álvaro

Ximena Fernando Silva Rui Gil Carlitos Toy (38’ Fontoura) Luís Rodrigues (66’ Café) Ibrima Pedrinha Lixa (86’ Mário Pinto) Pardal Pinhal

Treinadores Paulo Rafael

Lopes da Silva

Golos: 27’ Bertinho (1-0); 45’ Pardal (1-1); 84’ Ibrima (1-2). Cartõ es Amarelos: 32’ Pardal; 52’ Daniel; 57’ e 93’ Carneiro; 89’ Rui Gil. Cartões Vermelhos: 23’ Sérgio; 93’ Carneiro.

José Carlos Fernandes A sorte do jogo voltou a não querer nada com o Joane. Pode dizer-se que os joanenses jogaram melhor do que o Bragança, mas os transmontanos acabaram por levar os três pontos. O conjunto do nordeste transmontano entrou melhor no jogo e Ibrima foi quem teve nos pés a primeira oportunidade para marcar. Os primeiros minutos mostraram que a equipa orientada por Lopes da Silva trazia a lição bem estudada. O Joane acordou e a reacção foi imediata. Daniel que jogou a médio direito rematou de cabeça ao poste direito da baliza de Ximena e o jogo começou a ganhar ritmo. O Bragança, de seguida, tem excelente oportunidade, com Tony isolado a ser travado fora da área por Sérgio. O guarda-redes fez falta e foi expulso, sendo estes os tais lances em que nada mais havia a fazer, uma vez que a expulsão acaba por evitar o golo quase certo dos brigantinos. A jogar com 10 e com apenas 23 minutos de jogo, pensou-se que seria um calvário para os da casa. Mas o certo é que minutos depois Bertinho conseguiu fazer um grande golo. Mesmo com menos um ele-

III DI VI SÃO

Sé rie A

mento, os joanenses conseguiam a vantagem no marcador. A reacção dos forasteiros aconteceu, mas não de uma forma tão efusiva como se esperava que acontecesse. O árbitro deu três minutos de compensação e foi neste período de tempo que o Bragança conseguiu o golo da igualdade. Livre da esquerda e Pardal, ao segundo poste, bateu Campos. Ao intervalo, o empate até se aceitava. No segundo tempo o Joane demonstrou grande postura, classe e frescura física. Com menos um jogador foi quem usufruiu das grandes e melhores situações de golo. O Bragança tentava o contra-ataque. Logo no início do segundo tempo, Daniel conseguiu uma vez mais boa posição para marcar. Aos 12 minutos foi a vez de Jader atirar à barra da baliza defendida por Ximena. Só aos 23 minutos é que o Bragança conseguiu algum perigo junto da baliza de Campos. O Joane trabalhava mais e Bertinho por duas vezes, isolado, não conseguiu fazer o mais fácil que era atirar para o fundo da baliza do Bragança. Já lá diz o ditado, quem não marca sofre. Acabou por ser o Bragança que em contra-ataque beneficiou de uma grande penalidade. Campos meteu as mãos e Lixa caiu na área. Penálti que o árbitro não hesitou em assinalar e Ibrima aproveitou para fazer o golo da vitória dos transmontanos. Para o próximo confronto, em Vila Verde, o técnico joanenese fica privado de muitos jogadores por se encontrarem castigados, uma vez que no encontro de Macedo de Cavaleiros também houve duas expulsões. São expulsões que, como disse o técnico do Joane, não aconteceram por indisciplina ou maldade, mas por contingências do próprio jogo, O Joane pelo que fez merecia melhor sorte. A felicidade dos brigantinos foi o azar dos Joanenses. A equipa de Paulo Rafael perdeu assim o segundo jogo deste campeonato, mas uma vez mais demonstrou empenho e atitude. A sorte é que acabou por ser madrasta. Arbitragem com alguns erros, mas sem influência no desfecho final. CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

E

D

1. Vieira 5 2. Bragan a 5 RESULTADOS 3. Limianos 5 4. M. 2Cavaleiros5 Marinhas, 1; Fªo, 0 Merelinese, 1; M.Cavaleiros, 5 Mªe de `gua, 1; Limianos, 6 1; Bragan a, 2 5. Fªo Joane, 5 Vieira, 1; Prado, 0 Amares, 1; Vilaverdense,6.1 Joane 7. Marinhas 5 Fafe, 1; Mondinense, 1 8. Mondinense 5

4 4 3 3 3 2 2 1 2 1 1 1 0 0

1 0 1 1 0 1 1 3 0 2 1 0 3 2

0 7 2 1 8 4 1 12 6 1 8 5 2 11 5 2 7 6 2 8 8 1 5 4 3 8 16 2 3 5 3 2 9 4 8 10 2 5 8 3 10 14

9. Mªe de `gua 5 10. Vilaverdense5 5 Limianos - Marinhas Bragan a - Merelinense 11. Prado 12. Merelinense 5 Prado - Mªe de `gua Vilaverdense - Joane 13. Fafe 5 Mondinense - Vieira 14. Amares 5 M. Cavaleiros - Fafe Fªo - Amares

PR XIMA JORNADA

F

C

P

13 12 10 10 9 7 7 6 6 5 4 3 3 2

0-1 Estádio de São Sebastião Árbit ro : Hugo Pacheco (Porto) Auxiliares: Marco Pereira e José Cernadas

Mirandela Ribeirão Fernando Jorge Rocha Ramalho Adriano Vitó Diogo cunha Rui Lopes Rolando André Ká (77’ Jorge Cabral) Cadete (77’ Charles) Nelson Ramos (63’ Chevarov)

Diogo André Serrão Pica Paulo Rola Vítor Lobo Jerónimo Mendes (86’ Moita) Adriano (71’ Campinho) Tiago Martins Jefferson Bacari (62’ Forbes)

José Teixeira

1-2

Importante mas difícil

Tiago Martins marcou o único golo do encontro

Treinadores Jorge Batista

Luis Miguel

Golos: 60’ Tiago Martins (0-1). Car tõ es Amarelo s: 32’ Bacari; 40’ Tiago Martins; 58’ Jefferson; 61’ Vitó; 72’ Cadete; 85’ Mendes. Car tõ es Vermelhos: Não houve.

José Clemente O Ribeirão deslocou-se ao terreno do último classificado, o Mirandela, que à partida para este jogo tinha apenas um ponto contabilizado nos quatro jogos disputados. Os ribeirenses apresentaram-se no Estádio de S. Sebastião como favoritos à vitória final e conseguiram-na mas com muita dificuldade. Os transmontanos dificultaram ao máximo a tarefa dos jogadores de Luís Miguel, no entanto um golo de Tiago Martins foi suficiente para conseguir o essencial: os três pontos. Pelo jogo que fez, a posição do Mirandela não condiz em nada com o lugar que ocupa na tabela classificativa. O Ribeirão entrou muito melhor no jogo, realizou uma bela exibição nos primeiros 20 minutos, só que aos poucos foi baixando de rendimento e disso se aproveitaria a equipa da casa, primeiro para equilibrar a partida e depois para tomar conta do jogo. A partir dos 20 minutos, o Ribeirão passou por um mau bocado já que o Mirandela criou bastantes dificuldades para o último reduto contrário. A equipa de Jorge Batista até teve as melhores oportunidades para marcar, mas o Ribei-

rão aos poucos ia sacudindo a pressão do Mirandela e até teve a melhor oportunidade para marcar quando Jefferson, já dentro da pequena área, rematou por cima da baliza do Mirandela. Seria esta a melhor oportunidade de golo para a equipa comandada por Luís Miguel. Até ao intervalo só ia dando Mirandela. Por várias vezes os seus atacantes tiveram nos pés algumas oportunidades para marcar. Para a segunda parte o jogo começou na mesma toada, com o Mirandela a voltar a pressionar o Ribeirão. Só que aos poucos a equipa da casa ia quebrando e disso se aproveitaria a equipa visitante para voltar a pegar no jogo. Seria nesta altura que Tiago Martins iria fazer aquele que seria o único golo da partida. A partir daqui o Mirandela começou a correr atrás do prejuízo, pegou novamente no jogo, mas a defensiva do Ribeirão, muito bem organizada,

II DI VI SÃO

RESULTADOS

Sé rie A

conseguia chegar para as investidas dos atacantes da casa. Já em período de descontos, Forbes teve nos pés a melhor ocasião de todo o desafio ao aparecer frente ao guarda-redes do Mirandela. O avançado dos ribeirenses conseguiu fintar Fernando Jorge e já com a baliza totalmente escancarada atirou devagar, dando hipótese a um defesa do Mirandela para tirar a bola mesmo em cima da linha de golo. Caso Forbes tivesse concretizado, o triunfo do Ribeirão teria sido mais confortável. Esta foi a segunda vitória do Ribeirão no campeonato, sendo um triunfo difícil e frente a um adversário que fez tudo por tudo para vencer a partida. Acima de tudo foi um bom espectáculo de futebol, onde as ocasiões de golo foram uma constante e para ambos os conjuntos. O golo de Tiago Martins acabou por dar o essencial ao Ribeirão, somando os três pontos e navegando em águas tranquilas na tabela classificativa. CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

E

D

F

1. Moreirense

5

4

1

0

9

2. Chaves

5

3

2

0

11

4

11

5

3

2

0

10

3

11

5

2

2

1

9

7

8

5

2

2

1

7

6

8

5

2

1

2

3

5

7

5

1

2

2

3

5

5

8. Ribeira Brava5

0

4

1

4

5

4

1

1

3

4

8

4

0

3

2

1

6

3

0

3

2

8

13

3

0

1

4

4

9

1

Mar timo B, 1; Chaves, 13. Mar timo B Cani al, 1; Ribeira Brava, 1 4. Tirsense Moreirense, 1; Vianense, 0 Pontassolense, 2; Tirsense, 2 Maria Fonte, 0; Valdevez, 0 Mirandela, 0; Ribeirªo, 5. 1 Cani al 6. Ribeirªo

PR XIMA JORNADA

7. Valdevez

Ribeira Brava - Mirandela Chaves - Maria Fonte 9. Vianense 5 Vianense - Cani al Tirsense - Mar timo B 10. Maria Fonte 5 Valdevez - Moreirense Ribeirªo - Pontassolense 11. Pontassolense5 12. Mirandela

5

C

2

Culpas e Desculpas Na crónica do jogo entre Macedo de Cavaleiros e Joane, publicada na última edição do Opinião Sport, o nome do árbitro mencionado, bem como a restante equipa técnica, não correspondem à verdade. O referido encontro foi arbitrado por Marco Cardoso, de Vila Real, e não por Pedro Mesquita, também de Vila Real, tal como é referido na crónica. O Opinião Sport deixa por isso aqui o mais sincero pedido de desculpas ao árbitro e aos auxiliares mencionados erradamente.

P

13


sport: 8 de Outubro de 2008

futebol

Famalicão perdeu primeiros pontos frente ao Pica

Erro defensivo dita divisão de pontos

Rui Forte Luís Miguel China João Duarte Carvalhinho César Marques João Dias (72’ Daniel) Leal João Cruz (45’ Hélder Araújo) Nuno Cavaleiro Pedro Fidalgo

Treinadores Pedro Mesquita

Mário Jorge

Golos: 21’ Pedro Fidalgo (0-1); 48’ Domingos (1-1). Cartões Amarelos: 7’ João Dias; 17’ Domingos; 27’ Nuno Maia; 39’ e 83’ Madalena; 40’ e 94’ Pedro Fidalgo; 43’ Lima Pereira; 54’ e 60’ Soares; 55’ Hélder Araújo; 76’ e 94’ José Augusto. Cartões Vermelhos: 60’ Soares; 83’ Madalena; 94’ José Augusto; 94’ Pedro Fidalgo.

Bruno Marques Num jogo de candidatos aos primeiros lugares do campeonato, Leça e Oliveirense empataram a uma bola num jogo em que os comandados de Mário Jorge perderam uma boa oportunidade de somar mais três pontos. A formação de Oliveira Santa Maria jogou durante quase toda a segunda parte em superioridade numérica e ainda desperdiçou uma grande penalidade. Ainda assim, a Oliveirense continua sem perder no campeonato. O Leça entrou disposto a assumir as rédeas do encontro, mas desde cedo se percebeu que as duas equipas não iriam arriscar muito, preferindo antes esperar pelos erros do adversário. A Oliveirense tapava bem os caminhos para a sua baliza e espreitava sempre que o possível os contra-ataques rápidos. À passagem do minuto 21, Nuno Cavaleiro e Luís Miguel entenderam-se bem no lado direito do ataque e o cruzamento do lateral da Oliveirense encontrou Pedro Fidalgo soltou na grande área local. O avançado apareceu bem na zona da marca da grande penalidade e, sem grandes dificuldades, atirou a contar. A equipa da casa tornou-se mais acutilante no ataque e por alguns momentos conseguiu encostar o adversário ao seu último reduto. Aos 30 minutos, após um canto de Nuno Maia na direita, Soares apareceu bem dentro da área mas o remate saiu sem direcção. Já em cima do intervalo,

III DI VI SÃO

Sé rie B

CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

1. Paredes 5 2. Serzedelo 4 RESULTADOS 3. Vila Real 5 Paredes, 3; Alpendorada, 0 Vila Real, 2; Padroense, 0 4. Oliveira Douro 5 Oliveira Douro, 2; Lixa, Vila Meª, 1; Rebordosa, 1 5. Le1 a 5 Folgou:0 Serzedelo Coimbrıes, 1; T. Moncorvo, 6. Oliveirense 4 Le a, 1; Oliveirense, 1 7. Rebordosa 5 8. Coimbrıes 5 PR XIMA JORNADA 9. Torre Moncorvo 4 5 Padroense - SerzedeloAlpendorada - Le a 10. Vila Meª Rebordosa - Vila RealLixa - Paredes 11. Padroense 5 Torre Moncorvo - VilaFolga: Meª Oliveira Douro12. Lixa 4 Oliveirense - Coimbrıes 13. Alpendorada 4

V

E

D

F

C

P

3 3 3 2 2 2 2 2 1 0 0 0 0

1 1 1 2 2 2 1 1 2 3 2 1 1

1 0 1 1 1 0 2 2 1 2 3 3 3

9 8 7 6 5 4 6 6 4 7 4 3 2

3 3 2 4 3 2 7 8 4 9 10 7 9

10 10 10 8 8 8 7 7 5 3 2 1 1

Paulo Jorge Montenegro Ricardo Azevedo Raul (77’ Cristóvão) Israel Vasco Joel Pedro Ribeiro Nandinho (77’ Ismael) David Paulo Russo (90’ Cristiano)

André Táxi Tó Hélder Jorginho Nuno Sousa Maniche Saviola (70’ Martins) Barreiras Gledson (76’ Mara) Celso

Equipa técnica do FC Famalicão

Treinadores António Valença

Vitor Paneira

Golos: 75’ Maniche (0-1); 88’ Vasco (1-1). Cartões Amarelos: 20’ Táxi; 39’ Paulo Russo; 60’ Raúl; 79’ Nuno Sousa; 80’ Pedro Ribeiro; 83’ Ricardo Azevedo; 89’ Maniche. Cartões Vermelhos: Não houve.

José Clemente Frente a frente estiveram duas equipas que lutam por objectivos diferentes. Enquanto a equipa da casa luta apenas e só pela manutenção já o Famalicão é um candidato assumido à subida de divisão. Certo é que a igualdade a uma bola foi o resultado final. O jogo começou com o Famalicão a mandar na partida e a criar algumas situações de perigo junto da baliza de Paulo Jorge. A mais clara aconteceu quando Barreiras apareceu sozinho frente ao guarda-redes do Pica e rematou para uma boa defesa. O Famalicão tinha melhores argumentos que o seu adversário, mas isso teria de ser provado em campo. Os visitantes, pouco habituados a jogarem em campos pelados, sen-

tiram muitas dificuldades para controlar a bola. A tarefa dos jogadores mais tecnicistas, como são os do Famalicão, era também mais complicada e tudo isso reflectiu-se no futebol praticado pelos comandados de Vítor Paneira. Ainda assim, o Famalicão era a melhor equipa sobre o terreno de jogo. A equipa da casa ainda teve uma boa oportunidade para marcar durante a primeira parte, por intermédio de Paulo Russo. Na jogada seguinte seria a vez de Gledson voltar a falhar aquele que poderia ser o primeiro golo para os famalicenses. O intervalo chegaria com o empate a ser o resultado mais justo. Para a segunda parte, o Pica apareceu com outra disposição no terreno de jogo, apresentou-se muito mais forte e acreditou que era possível bater o pé ao líder da tabela classificativa. Joel, com um belo remate, colocou à prova o guarda-redes André Ferreira. O Famalicão ia chegando para as encomendas até que aos 75 minutos de jogo Maniche marcaria o primeiro golo da partida. A partir da-

AFB DIVISÃO HONRA RE SUL TA DOS

Casqueira Magalhães (45’ José Augusto) Madalena Soares João Pedro Rui Ramos Lima Pereira Nuno Maia Domingos (62’ Tiago Magano) Wesllem Sencadas (80’ André)

Pica Famalicão

Série 1

Esposende, 1; Taipas,Santa 2 Maria, 3; Aroes, 0 Laje, 0; Torcatense,Forjªes, 1 1; Martim, 2 Pico Regalados, 1; Ronfe, 1 FC FAMALICˆO, 1 Pica, 1; A. Gra a, 4; St“ Eul.Alegrienses, Vizela, 0 1; Porto Ave, 3

CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

1. Porto Ave 4 4 2. FC FAMALICˆO 4 10 3. Taipas 4 3 4. Torcatense 4 3 5. St“ Eulalia Vizela 4 9 6. Martim 4 2 7. Pica 4 2 8. Aroes 4 2 9. Ronfe 4 1 10. Aguias Gra a 4 1 11. Santa Maria 4 1 12. Pico Regalados 4 1 13. Forjªes 4 1 14. Esposende 4 0 15. Alegrienses 4 0 0 4 2 11 0 16. Laje 4

E

D

0 3

0 10 1 0

F

0 0 3

1 1 0

9 5 1

C

P

3 11

12 2

4 2 9

9 9 7

2 0 8 5 8 1 1 9 7 7 0 2 8 7 6 2 1 8 6 5 1 2 7 7 4 1 2 7 8 4 1 2 5 8 4 0 3 2 8 3 1 3 4 8 1 0 0 4 0 11 0 Esposende - Laje Torcatense - Pico Regalados

São Cláudio empata 2-2 com Delães A equipa do São Cláudio cedeu um empate a duas bolas frente ao Delães, na 2ª jornada do campeonato da 2ª divisão distrital, série C. O jogo começou com o São Cláudio a tentar impor o seu jogo, perante um adversário que apresentou uma equipa de valor, recheada de atletas jovens que foram contrariando todas as iniciativas ofensivas da equipa da casa. O S. Cláudio fez o primeiro golo aos 25 minutos depois de um lançamento lateral concluído de cabeça por Abel. Na segunda parte o Delães entrou em campo com AFB I DIVISÃO

Série A

outra dinâmica e aos 60 minutos, depois de um lançamento lateral, os visitantes restabeleceram a igualdade. Aos 70 minutos, depois de uma falha do guarda-redes da casa, o Delães chegou ao golo da vantagem, numa fase em que o São Cláudio dominava a partida. Aos 80 minutos, os locais chegaram à igualdade por Canígia, depois de um bom remate já dentro da área. O S. Cláudio alinhou com: Hélder, Luís Miguel, Riba, Renato (75’ Morais), Eduardo, Abel, Avelino, José Rui (60’ Peneda), Carneiro (68’ Ivo), Rafael e Canígia.

AFB II DIVISÃO

Série A

AFB II DIVISÃO

Série C

Vila Chª, 1; Terras `g. Bouro, 2 Alvelos, 2; Cabreiros,Mouquim, 2 1; Roriz, 2Antas, 5; Sequeirense, 0 Bairro, 4; `guias, 1Figueiredo, 2; Guisande, 2 Louro, 1; Viatodos, Maximinense, 0 0; Pousa, 2 MARCA, 2; Lemenhe, 0Necessidades, 1; Gandra, 1Peıes, 0; Lagense, 3S. ClÆudio, 2; Delªes, 2 Celeir s, 0; Apœlia,Dumiense, 3 1 0; Gondifelos, 3Tadim, 1; Tebosa, 0 S. Ver ssimo, 0; OperÆrio,S.1 Cosme, 1; Ruivanense, L. Enguardas, 3; Vit ria, 0 Ninense, 1; Soarense,CATEL, 0 Arsenal, 2; Telhado,Folgou: 1 1; Palmeiras, 0 Granja, 2; Juv. Belinho, 1 S. Paio

CLAS SI FI CA ˙ˆO

RE SUL TA DOS

Leça Oliveirense

Árbitro: Rui Amaral Auxiliares: Pedro Sá e Rui Silva

qui pensou-se que estava encontrado o vencedor desta partida e do banco famalicense iria surgir a primeira alteração. A saída de Gledson, um avançado, e a entrada de Mara, um defesa. Com esta alteração, Vítor Paneira queria dar mais força à sua defensiva só que do outro lado António Valença não ia na cantiga e de uma assentada fez duas alterações. Entraram dois homens mais adiantados, Cristóvão e Ismael. Como seria dês esperar os últimos minutos iriam ser de sufoco para as redes de André Ferreira e mesmo ao cair do pano Cristóvão arrancou pelo lado esquerdo, cruzou para dentro da área e Vasco restabeleceu a igualdade. O Famalicão ainda teve mais uma bela oportunidade para marcar o segundo golo, com Nuno Sousa de cabeça a rematar à figura de Paulo Jorge. O jogo chegaria pouco depois ao final, com a divisão de pontos a saber a pouco para os comandados de Vítor Paneira.

J

V

E

D

F

C

P

CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

E

D

F

C

P

CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

E

D

F

C

P

1. Ninense 2 2 0 0 5 0 6 1. Bairro 2 1 1 0 5 2 4 1. Antas 1 1 0 0 5 0 3 2. Gondifelos 2 2 0 0 4 0 6 2. Lagense 2 1 1 0 4 1 4 2. MARCA 1 1 0 0 2 0 3 3. CATEL 2 2 0 0 2 0 6 3. Guisande 2 1 1 0 4 3 4 3. Granja 1 1 0 0 2 1 3 4. Apœlia 2 1 1 0 3 0 4 4. Figueiredo 2 1 1 0 3 2 4 4. Roriz 1 1 0 0 2 1 3 5. Pousa 2 1 1 0 2 0 4 5. L. Enguardas 1 1 0 0 3 0 3 5. OperÆrio 1 1 0 0 1 0 3 6. Louro 2 1 1 0 1 0 4 6. Arsenal 2 1 0 1 3 3 3 6. Tadim 1 1 0 0 1 0 3 7. Soarense 2 1 0 1 2 2 3 7. Telhado 2 1 0 1 2 2 3 7. Gandra 1 0 1 0 1 1 1 8. Terras Bouro 2 1 0 1 2 2 3 8. Vit ria 2 1 0 1 4 5 3 9. Palmeiras 2 1 0 1 1 1 3 8. Necessidades 1 0 1 0 1 1 1 9. Peıes 2 1 0 1 3 5 3 10. `guias Alvelos 2 0 2 0 2 2 2 9. Juv. Belinho 1 0 0 1 1 2 0 10. S. Paio 1 0 1 0 2 2 1 11. Viatodos 2 0 1 1 1 2 1 10. Mouquim 1 0 0 1 1 2 0 11. S. Cosme 2 0 1 1 1 2 1 12. Vila Chª 2 0 1 1 2 3 1 11. S. Ver ssimo 1 0 0 1 0 1 0 12. Delªes 2 0 1 1 2 3 1 13. Cabreiros 2 0 1 1 2 6 1 12. Tebosa 1 0 0 1 0 1 0 13. Ruivanense 2 0 1 1 3 4 1 14. Maximinense 2 0 0 2 0 3 0 13. Lemenhe 1 0 0 1 0 2 0 14. S. ClÆudio 2 0 1 1 4 6 1 15. Celeir s 2 0 0 2 1 5 0 15. `guias 2 0 1 1 3 6 1 16. Dumiense 2 0 0 2 0 4 0 14. Sequeirense 1 0 0 1 0 5 0 Vila Chª - Louro S. Paio - Bairro Cabreiros - Maximinense Roriz - S. Ver ssimo Sequeirense - Granja Telhado - Figueiredo Viatodos - Celeir s Pousa - Dumiense `guias - Peıes Guisande - S. ClÆudio Lemenhe - Mouquim Gandra - Antas Apœlia - Ninense Gondifelos - CATEL Tebosa - MARCA OperÆrio - Necessidades Lagense - S. Cosme Delªes - L. Enguardas Soarense - `guias Alvelos Ruivanense - Arsenal Folga: Vit ria Terras Bouro - Palmeiras Juv. Belinho - Tadim PR XI MA

Árbit ro : Iancu Vasilica (Vila Real)

Campo da ACD Pica

RE SUL TA DOS

Estádio do Leça FC

Sencadas aproveitou uma bola perdida na área da Oliveirense e acertou no poste da baliza de Rui Forte. No reatamento, o Leça mostrou grande vontade em igualar rapidamente a partida e conseguiu mesmo marcar. Estavam decorridos apenas três minutos da segunda parte quando Domingos bateu Rui Forte. Wesllem entrou na área pelo lado direito, rematou cruzado para defesa do guarda-redes da Oliveirense. Na recarga, de cabeça e vindo de trás, Domingos apontou o único tento do Leça e restabeleceu a igualdade. A resposta dos famalicenses não demorou e aos 54 minutos Nuno Cavaleiro fugiu à defensiva da casa, entrou na grande área e foi derrubado por Soares. O árbitro demorou a assinalar e só por indicação do seu auxiliar é que apontou para a marca da grande penalidade. Chamado a converter, César Marques enganou o guarda-redes mas atirou por cima da baliza. Depois vieram as expulsões. Primeiro foi Soares a ver o segundo cartão amarelo por derrube de Nuno Cavaleiro quando iria caminhar isolado para a baliza e depois, em lance muito semelhante, foi a vez de Madalena receber também ordem de expulsão. Face a todas estas incidências os jogadores da casa foram ficando mais nervosos e o futebol desceu bastante de qualidade. A excepção foram alguns lances de bola parada por parte da Oliveirense que criaram dificuldades à defensiva da casa. Do lado do Leça havia muita vontade mas pouca clarividência. Até ao final, os nervos foram aumentando, resultando em mais duas expulsões, uma para cada lado. Em inferioridade numérica, o Leça optou por desestabilizar a Oliveirense na tentativa de segurar pelo menos um ponto. Conseguiu esses intentos, com natural prejuízo para o futebol jogado. Quanto ao trabalho do árbitro da partida não ficou isento de erros. Ajuizou mal os lances que resultaram nas expulsões de Soares e Madalena. Se em termos práticos o resultado foi o mesmo, estes dois jogadores deveriam ter visto cartão vermelho directo e não o segundo amarelo. Já as expulsões de José Augusto e Pedro Fidalgo parecem um nítido exagero, sobretudo a do jogador da Oliveirense.

PR XI MA

1-1

1-1

PR XI MA

Empate sabe a pouco

RE SUL TA DOS

Oliveirense esteve em vantagem no marcador e desperdiçou penálti

PR XI MA

22


sport: 8 de Outubro de 2008 23

modalidades

Xadrez da Didáxis só com vitórias no fim-de-semana

Equipas juniores jogaram para a Taça… Iniciou-se no passado fim-de-semana a Taça da AF Braga, no escalão de juniores, com a primeira eliminatória a decorrer sem grandes surpresas. Em competição estiveram onze equipas do concelho de Famalicão e o principal destaque vai

para a vitória do Ribeirão no terreno da Oliveirense por 4-2. Outros resultados das equipas famalicenses: Ruivanense 10 Delães; Ninense 1-1 Joane; Brufense 0-1 Arnoso Sta Maria; Fradelos 2-3 Meães; Bairro 2-2 Operário;

…e juvenis também gos são os seguintes: NXVSC-Didáxis A-AMAS A; Clube Campismo Caravanismo de Barcelos A-Escola EB 2,3 João de Meira A; Escola Secundária Sá de Miranda-NXVSC-Didáxis B. As partidas serão decisivas para a atribuição do título de campeão distrital por

equipas 2007/2008. Recorde-se que apenas os dois primeiros lugares asseguram o acesso directo à 3ª divisão nacional (equipas) 2008/2009 e, portanto, as últimas duas jornadas prometem emoções fortes, com o xadrez ao mais alto nível.

Tal como os campeonatos da Proliga e da nova Liga Portuguesa de Basquetebol tiveram início no passado fim-de-semana os campeonatos distritais da Associação de Basquetebol de Braga, onde, mais uma vez, marca presença a equipa da Associação Teatro Construção (ATC). A formação famalicense entrou com duas vitórias. Apresentando pela primeira vez cinco equipas em competição nos escalões de iniciados, cadetes e juniores, a equipa joanense conseguiu resultados positivos logo na jornada inaugural. Nos iniciados, deslocando-se a Guimarães para defrontar a formação local, e equipa de Joane obteve um vitória folgada por 88-29. No mesmo escalão, as meninas da ATC não se

intimidaram e venceram o Sporting Braga no seu próprio terreno por 139-17. Menos bem estiveram os Juniores B, dado que saíram derrotados no confronto com o Grupo Desportivo André Soares por 80-45. Contudo, esta equipa encontra-se ainda numa fase de formação pelo que é de esperar melhores resultados a breve prazo. Em cadetes femininos, defrontando no Pavilhão Municipal Terras de Vermoim o V. Guimarães. As joanenses sentiram muitas dificuldades e perderam por 26 pontos de diferença, ou seja, por 65-39. Finalmente, em cadetes masculinos, apresentando uma equipa homogénea e com grande qualidade, a ATC derrotou o Sporting Braga por 80-40.

Centro Recreio Camiliano organizou circuito “Terras de Camilo”

90 ciclistas marcaram presença na prova

dora foi a equipa da casa com 13 pontos, seguida pela Rodabike/Qbikes/GAS de Gondomar, com 36 pontos, e em terceiro a equipa da UDAR Quinchães (Fafe), com 41 pontos. Classificações: escalão A, 1º César Martins (CC José Martins); 2º Nuno Torres (GRDC de Chã/Pedalar); 3º Ricardo Lima (Esposende/Cycles Oliveira/Boavista); escalão B, 1º

Luís Machado (CRC); 2º Manuel Rebelo (UDAR Quinchães); 3º Mário Fernandes (Rodabike/Qbikes/GAS); escalão C, 1º António Bento (Individual); 2º Armindo Mansilhas (CRC); 3º António Moreira (CC Spol/Caixa Nova); escala D, 1º Manuel Carvalhosa (Rodabike/Qbikes/GAS); 2º Júlio Oliveira (Individual); 3º César Mendonça (CC Spol/Caixa Nova).

O escalão de juvenis entrou também em competição para a primeira ronda da Taça da Associação de Futebol de Braga, tendo-se realizado 33 jogos, com onze equipas jovens do concelho a entrarem na prova. A eliminatória ficou marcada pelas goleadas de Ribeirão e Famalicão, quer a equipa A, quer a equipa B. Resultados: Ruivanense 1-0 Arnoso; Ribeirão 5-0 Bairro; Famalicão A 4-0 Joane; Famalicão B 9-0 Lousado; Operário 3-0 Delães; Sandinenses 0-2 Vitória. FUTSAL

ARCA entra no campeonato a perder A equipa da Associação Recreativa e Cultural de Antas (ARCA) não entrou da melhor no campeonato nacional da 3ª divisão, série A, depois de ter perdido no passado fim-de-semana no pavilhão do Barranha por 4-3. A jogar fora de portas e num terreno complicado, a equipa de S. Tiago de Antas acabou por não conseguir evitar a primeira derrota da época em jogos oficiais. O destaque da ronda vai para as goleadas de Chaves, Foz e Piratas de Creixomil.

RE SUL TA DOS

Equipa A do Núcleo de Xadrez da Didáxis

Equipas da ATC entram com pé direito nos distritais

Decorreu no passado sábado, 27 de Setembro, o 2º circuito de ciclismo “Terras de Camilo”, organizado pelo Centro de Recreio Camiliano (CRC). Com um total de 48 kms, os ciclistas tiveram de percorrer seis vezes um circuito de oito kms, com partida e meta em Seide e passagens pelas freguesias de Landim, Bente e Ruivães, tendo ainda duas metas volantes. Esta prova foi dirigida a cicloturistas e veteranos. Com um total de 90 ciclistas inscritos, divididos por quatro escalões etários, entre os 18 anos e até às pessoas com mais de 50 anos, a competição teve também muita gente na estrada a assistir. A prova foi ganha por Luís Machado, ciclista da formação do CRC. A meta volante de Landim foi ganha também por Luís Machado (CRC) e a de Bente teve como vencedor Manuel Rebelo (UDAR Quinchães). Nas equipas a grande vence-

A equipa da Associação Desportiva e Cultural de S. Mateus entrou da melhor forma no campeonato distrital de futsal da AF Braga, depois de ter derrotado o IPCA por 40. Com este resultado a equipa de Oliveira S. Mateus já lidera a classificação. Quanto às outras equipas famalicenses em prova, o Pousadense perdeu em casa com o Gualtar por 4-3 enquanto o Landim folgou nesta primeira jornada do campeonato. Outros resultados: Apulienses 2-5 Sto Tirso; GDAS 6-4 Fund. MC; Priscos 5-5 EPB.

III Divisão

Barranha, 4; ARCA, 3 Chaves, 5; AraucÆria, 1 P. Creixomil, 4; Vianense , 0 CB Barcelos-A. Le a (adiado) Habinordeste, 6; Merelinese, 2 C. Ansiªes, 5; Sangemil, 5 Contacto, 4; Macedense, 3

CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

E

D

F

1. Habinordeste 1 1 0 0 6 2. Chaves 1 1 0 0 5 3. P. Creixomil 1 1 0 0 4 4. Barranha 1 1 0 0 4 5. Contacto 1 1 0 0 4 6. C. Ansiªes 1 0 1 0 5 7. Sangemil 1 0 1 0 5 8. ARCA 1 0 0 1 3 9. Macedense 1 0 0 1 3 10. AraucÆria 1 0 0 1 1 11. Merelinense 1 0 0 1 2 12. Vianense 1 0 0 1 0 13. Ac. Le a 0 0 0 0 0 14. CB Barcelos 0 0 0 0 0 ARCA - Habinordeste AraucÆria Ac. Le a - Barranha Vianense Merelinense Sangemil - CB Barcelos Macedense - C. Ansiªes PR XI MA

Após três jornadas no campeonato distrital por equipas, o Núcleo de Xadrez de Vale S. Cosme-Didáxis A (NXVSC-Didáxis) continua no topo da classificação após uma vitória por 3-1, obtida fora de casa, frente ao clube vimaranense da Escola EB 2,3 João de Meira B. Este resultado fez com que o NXVSC-Didáxis A subisse ao segundo lugar da classificação geral, a 1,5 pontos do líder, a formação dos Amiguinhos do Museu Alberto Sampaio A. Já o NXVSC-Didáxis B é a grande surpresa da prova. Após expressiva vitória por 4-0 perante o C.X. de Gil Vicente, a formação Didáxis B ocupa agora o quarto lugar e encontra-se a escassos dois pontos da liderança. Na próxima sessão, penúltima deste torneio, os jo-

S. Mateus entra com goleada

C

P

2 3 1 3 0 3 3 3 3 3 5 1 5 1 4 0 4 0 5 0 6 0 4 0 0 0 0 Contacto Chaves - P. Creixomil

0


Ana Luísa Reis destacou-se na Suíça A prestação da atleta de badminton do Famalicense Atlético Clube (FAC), Ana Luísa Reis, no Torneio Internacional Júnior de Lausanne (Suíça) superou todas as expectativas. A atleta do FAC fez a sua primeira competição da época e logo com um resultado internacional de relevo, conseguindo atingir os quartos-de-final e entrar no lote das 20 melhores atletas da Europa. No torneio, a jovem famalicense teve um primeiro jogo contra uma adversária mais experiente, que tem um maior número de provas internacionais, mas a portuguesa correspondeu com uma habilidade extrema e com uma personalidade que não é típica dos atletas nacionais. Foi objectiva e essa postura valeu-lhe a vitória. No segundo jogo, nos dezasseis avos de final, Ana Luísa jogou muito segura e levou de vencida uma jogadora checa. Já nos oitavos-de-final, a jogadora do FAC defrontou uma das cabeças de série do torneio, a croata Iva Majstorovic, que não conseguiu evitar a derrota. A famalicense fez um jogo tacticamente perfeito. Por fim, nos quartos-de-final, a jogadora do FAC encontrou a eslovena Tina Kodrik que entrou muito forte, tinha a lição bem estudada e a atleta de Famalicão nunca conseguiu impor o seu jogo. O bom resultado alcançado neste torneio foi mais uma etapa positiva para a atleta alcançar os objectivos pretendidos que passam pela presença no Campeonato da Europa de sub-19, em Milão no próximo ano.

Camadas jovens do FAC goleadoras A equipa de iniciados do Famalicense Atlético Clube (FAC) marcou 22 golos em dois jogos. Na sexta-feira goleou o Seixas e no domingo a vítima foi a formação do Limianos. Os escolares e infantis também começaram a temporada e demonstram ainda muitas dificuldades técnicas. Os juniores iniciaram o seu campeonato na passada terça-feira, vencendo o CART, nas Taipas, por difíceis mas justos 6-5. Na última partida realizada, frente ao Riba

d'Ave, as coisas não correram da melhor forma. Nesta partida o FAC iniciou bem jogo e esteve na posição de vencedor por duas vezes. Ao intervalo o empate a dois golos ajustava-se. Na segunda parte a equipa forasteira foi melhor e consolidou a vitória com três golos. O FAC teve ainda uma reacção positiva, reduzindo a diferença para um golo, mas este revelou-se insuficiente. O resultado final foi de 5-4 favorável à formação ribadavense.

Famalicense derrotado no Porto em bilhar A equipa de bilhar do FAC perdeu por 4-0 no Porto frente ao Fenianos. O Famalicense não esteve bem frente a uma formação do Porto de grande capacidade. Outro dos factores que prejudicou a equipa de Famalicão foi o facto dos seus jogadores não se terem adaptado à velocidade do pano de jogo.

FAC prepara-se para nova época de voleibol As equipas de voleibol do FAC continuam a sua preparação. A equipa juvenil deslocou-se a Santo Tirso para a disputar um torneio em que o saldo final foi uma vitória e duas derrotas. Ainda assim, o rendimento da formação do FAC deixou boas indicações aos seus responsáveis. A estreia no campeonato regional está marcada para o dia

18 de Outubro. Os seniores também realizaram um jogo treino na Póvoa frente ao Desportivo. A equipa local é de uma divisão superior e os atletas do conjunto de Famalicão evidenciaram algumas lacunas normais. As expectativas para o campeonato nacional, que se inicia apenas no dia 25 deste mês, são boas.

Quotas em pagamento As quotas anuais do Famalicense Atlético Clube encontram-se em pagamento que pode ser feito na secretaria do clube às terças e sextas-feiras, das 19h00 às 20h30, e ainda no próprio dia dos jogos da equipa sénior de hóquei em patins.

modalidades

Curso de técnicos de arbitragem na Vila das Aves Realizou-se no passado fim-de-semana, em Vila das Aves, o curso de técnicos de arbitragem, desta vez na categoria de kumite, organizado pelo Departamento de Formação/Conselho de Arbitragem da Federação Nacional Karaté Portugal (FNKP). O curso contou com a presença de mais de meia centena de candidatos, entre eles o atleta famalicense António Oliveira, da Associação Desportiva e Cultural de S. Mateus, que conseguiu concluir o curso com sucesso, tornando-se assim juiz regional de kumite. Ainda de salientar a presença do mestre Renato Monteiro na acção de reciclagem que se realizou no passado sábado no mesmo local. Para além dos árbitros, destacam-se as participações dos atletas Tânia Magalhães, João Batista, Stephanie Paiva e Ricardo Oliveira, convocados pelo seleccionador regional Vítor Gomes, que colaboraram como atletas a serem avaliados pelos árbitros no curso e reciclagem.

Treino nacional de pré-selecção de karaté Realizou-se no passado domingo, dia 5 de Outubro, no Pavilhão do Clube Atlético de Queluz, em Queluz, um treino nacional de pré-selecção organizado pelo Departamento de Selecção da Federação Nacional de Karaté-Portugal. O treino foi administrado pelo seleccionador Nacional, Joaquim Gonçalves (5 dan de karaté wado-ryu), para o qual

foram convocados os delaenses Cristina Monteiro, na modalidade de kata juvenil, Miguel Dinis, em kumite cadetes, e Stephanie Paiva, em kata e kumite juniores. De salientar ainda o facto destes atletas fazerem parte da Selecção regional norte e que são chamados já pela segunda vez para fazerem treinos nacionais de Selecção.

FAC e Riba d’Ave entram a vencer No arranque do campeonato nacional da segunda divisão de hóquei em patins, a equipa do FAC venceu a Juventude Pacense por seis bolas a duas, depois de uma primeira parte de alto nível. A formação da casa foi sempre superior aos pacenses. Aos cinco minutos de jogo já os famalicenses venciam por 3-0, com três golos de Miguel Soares. O jogo simplificou-se e ao intervalo o resultado estava em 5-1. Na segunda parte a equipa não manteve o mesmo ritmo e no final o marcador fixou-se no 6-2 que coloca o Famalicense no primeiro lugar da tabela classificativa. Nesta primeira partida, o FAC alinhou com: André Camões, Mauro Lima, Nuno Alves, Tiago Barbosa e Miguel Soares. Jo-

Rosa Oliveira triunfa em Ovar A Associação Moinho de Vermoim (AMVE) participou na Meia Maratona Ovar com quatro atletas, sendo que Rosa Oliveira conseguiu vencer a prova no escalão de veteranas. A competição, que decorreu no passado fim-de-semana contou com cerca de 5000 atletas e a AMVE subiu ao lugar mais alto do pódio com a vitória da atleta famalicense. De salientar ainda a prestação dos restantes atletas da AMVE e o quarto lugar conquistado por Custódio Oliveira no escalão veteranos V. Participaram nesta prova: Rosa Oliveira, Custódio Oliveira, Paulo Oliveira e Américo.

garam ainda: Justiniano, André Barbosa e Pedro Salgado. Quanto ao Riba d’Ave deslocouse ao pavilhão do Infante de Sagres e conseguiu vencer por quatro bolas a três, numa partida onde o equilíbrio foi a nota dominante. O Infante esteve sempre por cima no marcador, marcou primeiro mas o Riba d’Ave empatou pouco depois. O Infante de Sagres foi novamente para a frente e a meio da segunda parte o Riba d’Ave colocaria o resultado em quatro a dois a seu favor. Os locais ainda reduziram, colocando o resultado final em 4-3. Os ribadavenses alinharam com: Vítor Salgado, André Alves, Ricardo Caldas, Joel Ferreira e Hélder Gomes. Jogaram ainda: Vítor Hugo, Carlos Filipe e Horácio Ferreira.

Cardume promove formação em caça submarina A escola famalicense de caça submarina Cardume continua a sua formação de caça submarina nível 1 e 2, com os resultados da formação a começarem a aparecer. Na passada sexta-feira, dia 3 de Outubro, um dos alunos da Cardume, Hugo Silva (na foto), capturou um congro de 10 kg na Póvoa de Varzim.

HOQUEI EM PATINS RE SUL TA DOS

sport: 8 de Outubro de 2008

II Divisão

Espinho, 1; Tomar, 2Limianos, 5; Mealhada, 2; AzemØis,FAC, 3 6; Juv. Turquel, 5; Sanjoanense, 1 Ouriense, 2; I. Sagres, 3; Riba d’Ave, 4 Bom Sucesso,

CLAS SI FI CA ˙ˆO

J

V

E

D

F

C

Feira, 2 Pacense, 2 Lavra, 1 3; Marco, 3 P

1. FAC 1 1 0 0 6 2 3 2. Turquel 1 1 0 0 5 1 3 3. Limianos 1 1 0 0 5 2 3 4. Riba d’Ave 1 1 0 0 4 3 3 5. AzemØis 1 1 0 0 3 2 3 6. Ouriense 1 1 0 0 2 1 3 7. Tomar 1 1 0 0 2 1 3 8. Bom Sucesso 1 0 1 0 3 3 1 9. Marco 1 0 1 0 3 3 1 10. Espinho 1 0 0 1 1 2 0 11. Lavra 1 0 0 1 1 2 0 12. Mealhada 1 0 0 1 2 3 0 13. Infante Sagres 1 0 0 1 3 4 0 14. Feira 1 0 0 1 2 5 0 15. Sanjoanense 1 0 0 1 1 5 0 16. Juv. Pacense 1 0 0 1 2 6 0 Tomar - Bom Sucesso Feira - Infante Sagres AzemØis - Espinho Juv. Pacense - Limianos Sanjoanense - Mealhada Lavra - FAC Riba d’Ave - Turquel Marco - Ouriense PR XI MA

24


sport: 8 de Outubro de 2008 25

motores

Fernando Rito e Filipe Martins vencem em Castelo Branco

Regresso ao mais alto nível

Miguel Barbosa subiu ao pódio no Rotax Centro

Miguel Barbosa treina para a final nacional da Rotax Max

Prova de Castelo Branco correu de feição a Fernando Rito e Filipe Martins

De regresso ao campeonato nacional de todo-o-terreno, Fernando Rito e Filipe Martins alcançaram em Castelo Branco um triunfo no agrupamento T8, depois de dois abandonos em outras tantas participações esta temporada, Macedo de Cavaleiros e Reguengos (quando lideravam o agrupamento). O passado fim-de-semana foi por isso bastante positivo para esta equipa. A dupla inscrita pela Padock Competições entrou algo cautelosa na super especial, não indo além da sexta marca, acabando depois por subir posições até ao lugar mais alto do pódio. Um triunfo sofrido mas merecido para o piloto do Toyota Land Cruiser que assumiu a liderança do agrupamento no decorrer do segundo sector selectivo.

“O nosso objectivo passava claramente pela vitória, tanto para mim como para o Filipe. Esta era uma prova de boas recordações e temos algum carinho por ela. Assumimos essa responsabilidade logo no início do segundo sector selectivo, até lá, vimos as coisas mal paradas”, começou por referir o piloto. “Depois do prólogo pouco conseguido, partimos em busca do prejuízo, mas fomos confrontados com um carro mais lento que nos prejudicou os primeiros 150 kms, devido ao muito pó. Na segunda passagem arriscamos um pouco mais e acabamos por tirar o melhor partido dessa estratégia”, afirmou Fernando Rito no regresso aos triunfos na prova albicastrense. Face ao andamento evidenciado pela dupla nortenha, o

triunfo na jornada da Escuderia de Castelo Branco vem reforçar todo o potencial desta equipa que esteve na presença de um carro que correspondeu. “ O carro esteve muito bom, sem dar sinais de fragilidade”, diz. O andamento na caravana T8 foi bastante vivo, demonstrando a competitividade que o agrupamento ainda tem. O facto de à partida se apresentarem mais de uma dezena de carros demonstra a importância que estes carros ainda têm no campeonato e nas listas de inscritos de cada prova. “Mesmo não estando a disputar o campeonato na íntegra, reconheço que tínhamos argumentos para lutar pela revalidação do título de campeão alcançado em 2006, se bem que, a luta seria bem mais renhida”, acrescentou o piloto.

Co-piloto famalicense Justino Reis fecha no 3º lugar do campeonato dos Açores

Rallye de Lagoa foi muito disputado O Rallye de Lagoa, última prova do Campeonato dos Açores de Rallyes, realizado na ilha de S. Miguel, discutiu-se entre Ricardo Moura e Fernando Peres que procuravam também garantir a vitória no campeonato. Ricardo Moura venceu a prova e o campeonato, depois do furo que afastou o Fernando Peres da liderança, no penúltimo troço. Quanto ao famalicense Justino Reis, co-piloto de Ricardo Carmo, terminou este rali na quarta posição, fechando no 3º lugar final do campeonato dos Açores. Ricardo Carmo e Justino Reis, ao ficarem na quarta posição final neste Rallye de Lagoa, mesmo apesar de um

Justino foi terceiro no campeonato de navegadores dos Açores

furo que lhes inviabilizou a conquista da 3ª posição na prova, atingiram plenamente os objectivos de Ricardo Carmo de terminar o Campeonato dos Açores no pódio. O quarto posto desta dupla não

espelha o que de facto se passou nas estradas da Ilha de São Miguel, pois a dupla efectuou cronos, praticamente, sempre nos lugares do pódio, alternando o terceiro lugar com Pedro Câmara, em Mitsubishi

Lancer VIII. Justino Reis, mesmo tendo participado apenas na fase final do campeonato, nas três últimas provas, ao somar os pontos obtidos nestas provas ao lado de Ricardo Carmo com os pontos obtidos ao lado de Adruzilo Lopes no Sata/Rallye Açores, o famalicense também conseguiu terminar o campeonato de navegadores de Grupo N, na terceira posição final. Ricardo Moura, em Mitsubishi Lancer IX, sagrou-se pela primeira vez campeão açoreano de ralis, depois de uma intensa luta com Fernando Peres que se viu arredado de se bater com Moura após três furos na última prova.

No passado fim-de-semana disputou-se a última prova do Challenge Rotax Centro, no Kartódromo de Fátima. Nessa prova esteve presente o piloto famalicense Miguel Barbosa, na classe rainha Rotax Max, tendo alcançado o primeiro posto. Nos treinos cronometrados o piloto com o nº 216 efectuou a pole position a mais de três décimos de segundo do segundo classificado. Na primeira manga conseguiu o segundo lugar e na pré-final, devido a um pequeno problema no seu karting, não foi além de um terceiro lugar. Já na final e derradeira manga, o piloto famalicense Miguel Barbosa manteve uma luta bastante interessante

com os seus adversários directos, levando a melhor pois conseguiu terminar a prova subindo ao pódio no primeiro lugar. “Estou muito contente com este resultado, pois foi a primeira vez que rodei neste kartódromo e foi um excelente treino de preparação para a final nacional que se realiza no dia 2 de Novembro neste mesmo local”, referiu Miguel. O piloto deixou ainda um agradecimento aos mecânicos, pais e amigos que sempre o têm acompanhado e apoiado. Esta dedicação faz com que Miguel Barbosa se sinta constantemente apoiado e motivado para melhorar cada vez mais os seus resultados desportivos no karting.

João Ferreira foi segundo em Fátima O piloto da Padock Competições João Ferreira esteve no passado fim-desemana no Kartódromo de Fátima a preparar a jornada final do Rotax Challenge, tendo participado na jornada destinada aos pilotos que disputam o Troféu Sul. João Ferreira arrecadou o segundo lugar final da prova. O vencedor da categoria Mini Max no Challenge Norte, disputa a final nacional da Rotax no início do próximo mês, numa prova que se realiza no Kartódromo de Fátima e aproveitou o passado fim-desemana para conhecer o circuito e desta forma testar algumas afinações. “Viemos até Fátima com o intuito de ficar a conhecer o circuito e testar algumas afinações, sabíamos que havia uma corrida do Troféu Sul e então a equipa decidiu participar.

Piloto da Padock testou Kartódromo de Fátima

Penso que realizamos um bom trabalho uma vez que tiramos notas e fizemos testes em ritmo de prova, o que nos poderá ser benéfico para a corrida a realizar no início de Novembro”, disse o piloto assistido pela Jorge Amaro Competições. Depois deste teste, João Ferreira considerou a pista

“muito técnica, onde as rectas que existem são curtas, o que também não permite muitas oportunidades para ultrapassagens”, concluiu o piloto. A final nacional da Rotax Challenge realizase nos dias 1 e 2 de Novembro, com João Ferreira a ser um dos sérios candidatos à vitória final.


26

sport: 8 de Outubro de 2008

hóquei

Novo presidente do Riba d’Ave HC mantém aposta na formação

“Quero um clube organizado e respeitado” Bruno Marques* O Riba d’Ave Hóquei Clube (RAHC) passou por uma fase atribulada em termos directivos, depois de José Brandão se ter revelado indisponível para continuar na presidência. A situação demorou algum tempo a ser resolvida, por falta de alternativas, até que surgiu Nuno Cardoso para assumir os destinos dos ribadavenses. O novo presidente reuniu uma equipa jovem e competente e quer iniciar uma nova era no clube. “Em certa medida foi uma fase atribulada, devido a algumas dificuldades financeiras que o Riba d’Ave atravessa, consegui juntar um grupo de pessoas credíveis, disponíveis e com capacidade de trabalho”, referiu Nuno Cardoso, consciente que desta forma o futuro está assegurado. A nova direcção foi eleita por maioria dos sócios ribadavenses e tomou posse no passado sábado. Nuno Cardoso adiantou ao OPINIÃO SPORT que não foi fácil conseguir formar uma direcção que lhe desse garantias, mas mostrou-se muito optimista quanto à época que agora se iniciou. “Tenho ideia de como está o clube ao nível financeiro e estrutural, temos já alguns projectos delineados que a seu tempo serão divulgados a sócios e comunicação social”, refere. Apesar de pretender mudar algumas coisas no Riba d’Ave, Nuno Cardoso espera dar continuidade ao trabalho que tem sido feito no clube, nomeadamente

Tó Luís antevê mais dificuldades para a nova época

“Vamos tentar fazer o melhor possível”

pretende manter a aposta na modalidade de hóquei em patins e nas camadas jovens. “O grande objectivo desta direcção é continuar a apostar forte no hóquei e formar novos valores nesta modalidade. Queremos não só manter como também reforçar o apoio dado à formação”, concluiu. A promessa é também de muito rigor em termos de contas, procurando a nova direcção transmitir para o exterior a ideia do RAHC como uma colectividade “organizada e respeitada”. “A direcção quer criar uma nova dinâmica, uma nova era e planear todas as questões da forma que entenda ser a melhor para o Riba d’Ave funcionar”, esclarece. As camadas jovens do Riba d’Ave têm conseguido alguns títulos e dar algumas alegrias a todos os sócios e simpatizantes. Por isso mesmo, o novo presidente considera que esse factor não pode ser descurado e tem como objectivo primordial dar todas as condições de trabalho às equipas mais jovens. A aposta vai não só continuar, como também ser ainda mais reforçada. No primeiro ano de trabalho desta direcção o objectivo passa por colocar a equipa num lugar digno na 2ª divisão nacional, ou seja, manter o RAHC neste escalão. Quanto ao treinador que foi escolhido pela antiga direcção, Tó Luís, o novo presidente Nuno Cardoso mantém total confiança na equipa técnica assim como nos jogadores que constituem o actual grupo de trabalho. * c o m J o s é Cl e m e n t e

Bruno Marques* O treinador dos Riba d’Ave Hóquei Clube (RAHC) é comedido na hora de abordar a temporada 2008/2009. Ciente do valor dos adversários, e esperando uma maior competitividade no campeonato nacional da 2ª divisão de hóquei em patins, Tó Luís traça como objectivo a manutenção. Conseguir esse feito já dará o sentimento de dever cumprido à direcção e equipa técnica ribadavenses. As saídas de André Torres, Arnaldo Queirós e o facto de André Alves estar só a tempo parcial preocupam o técnico. “Sabemos das dificuldades com que nos vamos deparar porque colmatar estas saídas é complicado, mas vamos tentar fazer o melhor possível e isso passa por nos mantermos na mesma divisão”, diz. De resto, o plantel do RAHC tem seis elementos que já integravam a equipa na última temporada, tendo entrado para o plantel sénior quatro jovens formados no clube ribadavense. “São jovens que chegam de um escalão inferior mas que têm qualidade”, refere Tó Luís, acrescentando que a política do Riba d’Ave passa por apostar na juventude e nas camadas de formação. Afastada a incerteza directiva que até há bem pouco tempo preocupava todos os sócios e simpatizantes do RAHC, agora parecem reu-

nidas as condições para a realização de um bom campeonato. A estabilidade e perspectiva de futuro são na opinião de Tó Luís essenciais para que o plantel se sinta apoiado e consiga demonstrar todo o seu potencial. A chegada de Nuno Cardoso à presidência foi por isso vista com bons olhos. “Com as dificuldades que se deparam, em termos da valia dos outros plantéis da 2ª divisão, só nos resta lutar pelos nossos objectivos que passam pela permanência. Não vamos sonhar com mais nada senão com isso”, esclarece Tó Luís. Na época 2007/2008, o RAHC terminou o campeonato da 2ª divisão na oitava posição, com 45 pontos conquistados. A primeira metade da competição mostrou um Riba d’Ave capaz de lutar pelos primeiros lugares da classificação, e eventualmente com uma possível subida de divisão, mas à medida que o campeonato avançou os ribadavenses foram perdendo o fôlego. Se na temporada desportiva transacta os objectivos já eram ficar num lugar tranquilo da tabela classificativa, agora para 2008/2009 o pensamento continua centrado numa posição que dignifique o clube. Daí ser de esperar ver o Riba d’Ave lutar pelos primeiros oito lugares da tabela, mesmo tendo em conta a contenção em termos de reforços para o plantel. * c o m J o s é Cl e m e n t e


Alexandra Lopes

Em cima: Vitor Azevedo (preparador-fisico), Machado (massagista), Tó Luis (treinador), Hélder Gomes, João Nuno, Ricardo Caldas, André Alves, Joel Ferreira. Em baixo: Filipe Barroso, Pedro Pereira, Miguel João, Vitor Salgado, Carlos Filipe e Vitor Hugo. Faz ainda parte deste plantel: Horácio Ferreira.

Riba d’Ave Hóquei Clube

hóquei sport: 8 de Outubro de 2008 27


28

sport: 8 de Outubro de 2008

últimas

Da moda para o cinema Nascida em Chicago em 1978, Naureen Zaim tem uma origem familiar algo peculiar- meio irlandesa, meio paquistanesa. Esta top-model de grande sucesso , decidiu apostar numa carreira de actriza, e já conseguiu papéis significativo, nos últimos anos no cinema americano. Entrou no “Bruce TodoPoderoso”,com o Jim Carrey, tendo também aparecido no “Homem-Aranha 2”. Quem sabe se não temos aqui mais uma actriz revelação?

A Playmate do Ano A canadiana Jayde Nicole, foi eleita a “Playmate do Ano” numa festa realizada na Mansão Playboy, em Los Angeles. Na festa, a modelo recebeu o título das mãos do dono e símbolo da Playboy, o empresário Hugh Hefner, que criou a revista em 1953. Jayde é a primeira canadiana a vencer o prêmio de Playmate do Ano desde 1982, quando o prêmio foi criado.Ela saiu pela primeira vez na revista em Janeiro de 2007 e agora, vai fazer parte de uma edição especial de 10 páginas na edição deste mês de Outubro.

A grande motivação do guarda-redes Buffon O Super Guarda-redes da Selecção Italiana não só é um dos melhores do mundo como tem uma das namoradas mais bonitas e sensuais do planeta. Alena Seredova é extremamente bela, e gosta imenso de provocar, aparecendo por diversas vezes em fotografias em trajes menores.


OP 5C